Translate this Page

Rating: 3.0/5 (920 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


a origem e a historia da biblia N.2
a origem e a historia da biblia N.2

(                                 G)PERIODO DE  JOSIAS REFORMA

 

Um evento muito importante neste período foi a reforma de Josias em seu 18º ano (621 aC), ea descoberta, durante os reparos do templo, do "livro da lei", também chamado "o livro do pacto" e "o lei de Moisés "(2 Reis 22:82 Reis 22: 8; 2 Reis 23:22 Reis 23: 2, 2 Reis 23: 242 Reis 23:24, 2 Reis 23: 252 Reis 23:25). A descoberta deste livro, identificada pela maioria das autoridades com o livro de Deuteronômio, produziu uma sensação extraordinária. Em nenhum lado estava lá a menos dúvida de que ele era um antigo trabalho genuíno. Jeremiah, estranhamente, não faz qualquer alusão a esta descoberta, mas suas profecias estão profundamente saturado com as idéias e estilo de Deuteronômio. 

(H-exilian 

A maior parte da Isa 40 a 66 pertence, pelo menos em espírito, para o exílio, mas o profeta do exílio ao nosso conhecimento por nome é o Ezequiel sacerdotal. Levados em cativeiro sob Joaquim (597 aC), Ezequiel trabalhou entre os seus companheiros de exílio por pelo menos 22 anos (Ezequiel 1: 2Ezekiel 1: 2; Ezequiel 29: 17Ezekiel 29:17). Um homem de coragem moral mais forte, suas visões simbólicas, nas margens do Chebar alternado com a admoestação mais direta, exortação, advertência e promessa. Na descrição de um templo ideal e sua adoração com que seu livro se fecha (capítulos 40 a 48), os críticos pensam que discernir a sugestão do código levítico. 

(I) Daniel, Etc 

Depois de Ezequiel a voz da profecia está em silêncio, até que se revive em Daniel, na Babilônia, sob Nabucodonosor e seus sucessores. Deportado em 605 aC, Daniel subiu ao poder, e "continuou" até o primeiro ano de Ciro (536 aC; Daniel 1: 21Daniel 1:21). A crítica vai tê-lo de que suas profecias são produto da era dos Macabeus, mas considerações poderosas do outro lado são ignorados (ver DANIEL). Jonas pode ter sido escrito sobre este tempo, embora em si a missão do profeta era pré-assíria (século 9). A reconstrução do templo após o retorno, sob Zorobabel, forneceu a ocasião para as profecias de Ageu e Zacarias (520 aC). Os estudiosos estão dispostos a considerar apenas Zec 1 a 8 como pertencentes a este período - sendo o restante colocado mais cedo ou mais tarde. Malaquias, quase século depois (cerca de 430), traz à tona a parte traseira da profecia, para a repreensão infidelidade, e prever o advento do "mensageiro da aliança" (Malaquias 3: 1Malachi 3: 1, Malaquias 3: 2Malachi 3: 2). Para este período, ou mais tarde, pertencem, além de salmos pós-exílio (por exemplo, o Salmo 124: 1-8 Psalm 124: 1-8; Salmo 126: 1-6Psalm 126: 1-6), os livros de Esdras, Neemias, Chronciles, Esther e aparentemente Eclesiastes. 

(J) preexilic Bíblia

 Se, neste esboço rápido, os fatos estão devidamente representadas, torna-se evidente que, em oposição ao prevalente vistas, grande corpo de literatura sagrada existiam (leis, histórias, salmos, sabedoria-livros, profecias), e foi reconhecido muito antes Exílio. Antigo povo de Deus tinha "Escrituras" - tinha uma Bíblia - mas se não em forma recolhidos. Isto é particularmente evidente pelas numerosas passagens do Antigo Testamento que se referem ao que parece ser um código de escritos sagrados nas mãos dos piedosos em Israel. Tais são as referências a, e louvores, a "lei" e "palavra" de Deus em muitos dos Salmos (por exemplo, 1; 19; 119; Salmo 12: 6 Psalm 12: 6; Salmo 17: 4 Psalm 17: 4; Salmo 18: 21Psalm 18:21, Salmo 18: 22 Psalm 18:22), com as referências aos conhecidos "palavras" de Deus, "maneiras", "mandamentos", "estatutos", em outros livros do Antigo Testamento (Jó 8: 8Job 8: 8; Oséias 8: 12Hosea 08:12; Daniel 9: 2Daniel 9: 2). Em breve, as Escrituras, que deve ter contido os registros do relacionamento de Deus com o Seu povo, um conhecimento do que é constantemente pressuposto, "leis" de Deus para a regulação do coração e de conduta, "Estatuto", "decretos", "palavras" de Deus, são postulado de uma grande parte do Antigo Testamento. 

(2) Crítica Visualizações 

O relato da origem e do crescimento do Antigo Testamento acima apresentada é um contraste marcante com a dada nos livros didáticos das escolas críticas mais recentes. As principais características destes pontos de vista críticos são esboçados no artigo CRÍTICA (que ver); aqui uma breve indicação será suficiente. Geralmente, os livros do Antigo Testamento são derrubados para datas em atraso; são consideradas como altamente compósito; os livros anteriores, a partir de sua distância dos eventos registrados, são privados de valor histórico. Nem as histórias nem as leis do Pentateuco pertencem à Mosaic idade: Joshua é um "romance"; Os juízes podem incorporar fragmentos antigos, mas em grandes quantidades é a-histórico. Os primeiros fragmentos de literatura israelita são peças líricas como aqueles preservados em Gênesis 4: 23 Genesis 04:23, Gênesis 4: 24Genesis 04:24; Gênesis 9: 25-27 Genesis 9: 25-27; Nu 21; a Canção de Deborah (Juízes 5) é provavelmente verdadeiro. Escrita histórica começa sobre a idade de David ou logo depois. O folclore dos hebreus e as tradições do Mosaic idade começou a ser reduzida para escrever sobre o bc século 9. 

(A) O Pentateuco 

Nosso presente Pentateuco (alargada a uma "Hexateuch", incluindo Josh) consiste em 4 grandes linhas (próprios mistas), o mais antigo dos quais (chamado Jahwist (Jahwist), a partir de seu uso do nome do Senhor) remonta a cerca de 850 aC. Este foi da Judéia. Um livro de história paralela (chamado E, a partir de seu uso do nome Elohim, Deus) foi produzido no reino do Norte cerca de um século mais tarde (cerca de 750). Mais tarde ainda estes dois estavam unidos (JE). Essas histórias, "profético" em espírito, foram inicialmente atribuídos a autores individuais, que se distingue por critérios minuciosos de estilo: a moda mais recente é a considerá-los como o trabalho de "escolas". Até agora, as únicas leis conhecidas foram as do (pós-Mosaic) Livro da Aliança (Ex 20 a 23). Mais tarde, no reinado de Josias, o desejo de centralização do culto levou à composição do Livro do Deuteronômio. Este, secretado no templo, foi encontrado por Hilquias (2 Reis 22), e trouxe a reforma de Josias, anteriormente mencionado. Deuteronômio (D), assim produzido, é o terceiro stra nd na compilação do Pentateuco. Com a destruição da cidade e do templo, sob o impulso de Ezequiel, começou um novo período de lei-construção, agora sacerdotal em espírito. Leis e costumes antigos foram codificadas; novas leis foram inventadas; a história das instituições foi reformulado; finalmente, o extenso complexo de legislação levítico foi trazido à existência, vestida com um vestido deserto, e atribuída a Moisés. Este Código Sacerdotal elaborado (PC), com a sua história de acompanhamento, foi trazida da Babilônia por Esdras, e, unidos com o JE e D já existentes, foi dada por diante por ele para a comunidade restaurada em Jerusalém (444 aC; Ne 8) como "a lei de Moisés." A sua aceitação de que foi a inauguração do "judaísmo". 

(B) Histories 

Em sua teoria do Pentateuco a crítica mais recente estabelece as posições determinantes para a sua crítica de todos os livros remanescentes do Antigo Testamento. Os livros históricos mostram mas uma continuação dos processos de construção literária exemplificada nos livros atribuídos a Moisés. O elemento deuteronomista, por exemplo em Josh, Jz, 1, 2 Sam, 1, 2 Ki, prova-los, por estas bandas, para ser mais tarde do Josias, e historicamente não confiáveis. O elemento levítico em 1, 2 Ch demonstra suas fotos de David e seus sucessores a ser distorcida e falsa. O mesmo se aplica ao cânon dos profetas. Joel, v.g. deve ser pós-exílio, porque pressupõe a lei sacerdotal. As histórias patriarcais e mosaico sendo subvertido, não é permitida a assumir todas as idéias religiosas altos no início de Israel. David, portanto, não poderia ter escrito os Salmos. A maioria, se não quase todos, estes são pós-exílio. 

(C) Salmos e Profetas 

Monoteísmo veio em - pelo menos reconhecimento primeira obtida - por meio de Amós e Oséias. Os profetas não poderia ter a clarividência e de longo alcance esperanças visto em seus escritos: essas passagens, portanto, deve ser removido. Em geral, a tendência é colocar datas tão baixo quanto possível e muito muitos livros, considerado antes como preexilian, são realizadas no todo ou em parte, para exilian, e até mesmo os tempos dos gregos final pós-exílio (Código Sacerdotal, saltério, Jó, Provérbios , Cânticos, Eclesiastes, Segundo Isaías, Joel, Lamentações). Daniel é dos Macabeus e anti-histórica (cerca de 168-167 aC). 

Não se propõe aqui para discutir essa teoria, o que não é aceito no presente artigo, e é considerado em outros lugares (ver CRÍTICA; Pentateuco). Os poucos pontos que exigem observação referem à aceitação canônica. 

(3) Formação da Canon 

As linhas gerais do JUDEUS completou cânone já esboçado, e um pouco de luz foi agora lançada sobre o processo pelo qual os diversos livros obteve uma autoridade sagrada. Quanto aos estágios reais na formação das opiniões canon novamente amplamente divergem (ver CANON DO ANTIGO TESTAMENTO). 

(A) Teoria Crítica 

Em teoria, atualmente, a favor, nenhum coleções de livros sagrados foram feitas antes do retorno da Babilônia. Os únicos livros que tinham autoridade antes do Exílio foram, talvez, o velho livro da aliança, e, desde o tempo de Josias, o livro de Deuteronômio. Ambos, após o retorno, foram, nessa teoria, encarnado, com as histórias JE, e do Código Sacerdotal, em Ezra concluído Livro da Lei (com Josué (?)), Em que, por conseguinte, a fundação de um cânone foi colocado. A divisão quíntupla da lei era tarde. Posteriormente, respondendo à segunda divisão do cânon judaico, a coleta foi feita dos escritos proféticos. Como isso inclui livros que, na visão crítica, vão até os tempos gregos (Jon; Zacarias 9 a 14), sua conclusão não pode ser mais cedo do que bem para baixo no século 3 aC. Últimas de todos veio a cobrança da "Hagiographa" - uma divisão do cânon, em teoria, mantida aberta para receber acréscimos, certamente, até o século 2, alguns pensam depois. Nela foram recebidas tais escritos tardios como Eclesiastes, os macabeus Salmos, Daniel. Mesmo depois de um ou dois livros (Eclesiastes, Ester) ficaram sujeitos da disputa. 

(B) visão mais positiva 

Ele aparecerá do exposto que esta teoria não é aqui aceite sem modificação considerável. Se a pergunta ser feita, o que constituía um direito a um lugar no cânon? a resposta dificilmente pode ser diferente daquele sugerido por Josephus na passagem anteriormente citada - uma inspiração real ou suposta no autor do livro. Livros foram recebidos se os homens tivessem o espírito profético (em maior ou menor grau, para que, por exemplo, da sabedoria); eles deixaram de ser recebidas quando a sucessão de profetas foi pensado para deixar (depois de Malaquias). Em qualquer caso, os escritos de homens verdadeiramente inspirados (Moisés, os profetas, salmistas) foram aceites como de autoridade. Buscou, no entanto, a ser mostrado acima, que tais livros, muitos deles, já existia desde Moisés para baixo, muito antes do Exílio (a lei, coleções de salmos, dos provérbios, profecias escrito: para quê os profetas escrever , se eles não queriam dizer as suas profecias a ser divulgado e preservado?); e tais escritos, para os piedosos que conhecia e usou-os, tinha o valor integral das Escrituras. A Canon começou com o primeiro, que se do "livro da lei" perante o Senhor (Deuteronômio 31: 25 Deuteronomio 31:25, Deuteronômio 31: 26 Deuteronomio 31:26; Josué 24: 26 josué 24:26). A idade de Esdras e Neemias, portanto, não a do começo é, mas, como a tradição judaica, com razão, (Josephus; 2 Mac 2,13). A idade de Esdras e Neemias, portanto, não a do começo é, mas, como a tradição judaica, com razão, (Josephus; 2 Macc 2:13, Talmud), mas sim que a conclusão, a delimitação sistemática, reconhecimento e formal perto do canon. As divisões da "lei, profetas e escritos sagrados" teria, assim, o seu lugar desde o início, e ser quase contemporâneo. Os samaritanos aceitaram apenas os cinco livros da lei, com aparentemente Josué . 

(C) Perto da Canon 

Não há necessidade de dogmatismo quanto a uma data absoluta para o fechamento do cânon. Se vozes inspiradas continuou a ser ouvido, suas declarações tinham o direito de reconhecimento. Livros devidamente autenticados poderão ser acrescentados, mas a não-inclusão de como um livro como Siraque (Eclesiástico: em hebraico, por volta de 200 aC) mostra que os limites do cânone foram zelosamente guardado, e que o ônus da prova recai sobre aqueles que afirmam que havia tais livros. Calvin, por exemplo declarou que havia macabeus Salmos. Muitos estudiosos modernos fazem o mesmo, mas é duvidoso que eles estão certos. Eclesiastes é pensado por razões linguísticas se atrasar, mas e outros livros não precisam ser tão tarde como os críticos torná-los. Daniel está confiante declarado dos Macabeus, mas há razões de peso para a manutenção de uma data Persa (ver DANIEL). Como anteriormente observado, a tríplice divisão em "a lei, os profetas, eo resto (tá loipá, um número definido) dos livros" já está comprovado no Prólogo do Eclesiástico. 

2. O Novo Testamento 

Controvérsia crítica, muito ocupada com o Antigo Testamento, foi novamente profundamente ligou-se ao Novo Testamento, com resultados perturbadores semelhantes (ver CRÍTICA). Opiniões Extremer pode ser aqui negligenciado, e se tenha em consideração apenas daqueles que podem pedir apoio razoável. Os escritos do Novo Testamento são convenientemente agrupados em livros históricos (Evangelhos e Atos); Epístolas Paulinas (e outros); e um livro profético (Rev). A fim de escrever, as Epístolas, geralmente, são mais cedo do que os Evangelhos, mas por ordem de assunto, os Evangelhos afirmam atenção em primeiro lugar naturalmente. 

(1) Livros Históricos 

Os principais fatos sobre a origem dos Evangelhos talvez possa ser distinguido das teorias literárias complicadas que os estudiosos ainda estão discutindo (ver Evangelhos). Os três primeiros Evangelhos, conhecidos como os Sinópticos, evidentemente encarnar uma tradição comum, e desenhar a partir de fontes comuns. O Quarto Evangelho - a de John - apresenta problemas por si só. 

(A) Os Sinópticos 

O ex - os Evangelhos Sinópticos (Mateus, Marcos, Lucas) - queda em data bem dentro da era apostólica, e são, no século 2, uniformemente conectados com os autores cujos nomes estiverem munidos, Mark é falada como "o intérprete de Peter "(Papias, em HE iii.39); Lucas é o companheiro conhecido de Paul. A dificuldade surge sobre Mateus, cujo Evangelho é acusada de ter sido escrito em aramaico (Papias, ut supra, etc.), enquanto que o evangelho que leva seu nome é em grego. O evangelho grego parece, pelo menos, ter sido suficientemente identificado com o apóstolo que admitir da igreja primitiva sempre tratá-lo como seu. 

A velha teoria de origem assumiu uma base oral para todos os 3 Evangelhos. A tendência recente crítica é distinguir duas fontes principais: (1) Mk, o mais antigo do evangelho, um registro da pregação de Pedro; (2) uma coleção de ditos e discursos de Jesus, atribuídos a Mateus (o Eusebian Logia, agora chamado Q); com (3) uma fonte usado por Lucas nas seções peculiar a si mesmo - o resultado de suas próprias investigações (Lucas 1: 1-4Luke 1: 1-4). Mt e Lc devem basear-se em Mk e Logia (Q); no caso de Lucas, com a adição de seu material especial. A tradição oral decorado o que resta. A teoria mais simples pode ser para substituir (1) uma tradição petrino já firmemente fixo, enquanto os apóstolos ainda estavam trabalhando juntos em Jerusalém. Peter, como principal porta-voz, seria naturalmente carimbar seu próprio tipo em cima das narrativas orais de ditos e feitos de Cristo (o tipo de marca), enquanto histórias de Mateus, em parte, por escrito, seria a principal fonte para os discursos mais longos. A instrução transmitida pelos apóstolos e as ensinadas por eles em todos os lugares que ser feita a base do ensino catequético cuidadoso, e os registros de tudo isso, mais ou menos fragmentada, seria no início de circulação (Lucas 1: 1-4 Lucas1: 1-4 ). Isso explicaria o tipo petrino da narrativa, ea dependência aparente de Mateus e Lucas, sem a necessidade de supor um uso direto de Mark. Tão importante um evangelho dificilmente poderia ser incluído nas "tentativas" de Lucas 1: 1Lucas 1: 1. 

(B) Quarto Evangelho 

O Quarto Evangelho (Jo), a autenticidade do que é assumido (ver João, EVANGELHO DE), difere totalmente em caráter e estilo. É menos uma narrativa do que um trabalho didático, escrito para convencer seus leitores de que Jesus é o "Filho de Deus" (João 20: 31John 20:31). O evangelho pode presumir ter sido composta em Éfeso, nos últimos anos de residência do apóstolo lá. Com este seu caráter corresponde. Os outros evangelhos longa tinha sido conhecido; John não tem, portanto atravessar o terreno já coberto por eles. Ele limita-se principalmente a questões extraídas de suas lembranças pessoais: o ministério da Judéia, as visitas de Cristo a Jerusalém, seu último discursos privado aos seus discípulos. John tinha tantas vezes contada, e assim por muito tempo remoendo, os pensamentos e as palavras de Jesus, que se tornaram, de uma maneira, parte de seu próprio pensamento, e, em reproduzi-los, ele necessariamente o fez com um tom subjetivo, e de uma forma parcialmente paraphrastic e interpretativa. No entanto, é verdadeiramente as palavras, pensamentos e ações de seu amado Senhor que ele narra. Seu evangelho é o complemento necessário para os outros - o evangelho "espiritual". 

(C) Atos

 Os Atos narra a origem e os primeiros destinos da igreja, com, como seu motivo especial (compare Atos 1: 8Acts 1: 8), a extensão do evangelho aos gentios através dos trabalhos de Paul. Seu autor é Lucas, companheiro de Paulo, a quem o Evangelho continua (Atos 1: 1Acts 1: 1). Algumas seções - os chamados "nós seções" (Lucas 16: 10-17Luke 16: 10-17; Lucas 20: 5-15Luke 20: 5-15; 21: 1-18; 27: 1 a 28:16 ) - são transcritos diretamente do diário de Luke de viagens de Paulo. O livro termina abruptamente com de Paulo 2 anos de prisão em Roma (Atos 28: 30Acts 28:30, Atos 28: 31Acts 28:31; 60-61 dC), e não uma dica é dada para a questão da prisão - julgamento, libertação ou a morte. Isso significa que um terceiro "tratado" foi contemplada? Ou que o livro foi escrito enquanto a prisão ainda continuou? (Assim, agora Harnack). Neste último caso, o terceiro Evangelho deve ser muito cedo. 

(2) As Epístolas 

(A) Pauline 

Dúvida nunca descansou na igreja primitiva sobre as 13 epístolas de Paulo. Seguindo com a rejeição pelo "Tübingen" escola de todas as epístolas, mas 4 (Rom, 1, 2 Cor, Gal), a maré da opinião mais uma vez virou fortemente a favor de sua autenticidade. Uma exceção é as Epístolas Pastorais (1, 2 Tim, Tit), ainda questionada por alguns por motivos insuficientes (ver Epístolas Pastorais). As epístolas, chamados adiante por necessidades reais das igrejas, são uma manifestação viva dos pensamentos e sentimentos da mente e do coração do apóstolo em relação aos seus convertidos. A maioria são cartas a igrejas que ele mesmo havia fundado (1 Coríntios, 2 Coríntios, Gálatas, Efésios (), Filipenses, 1 Tessalonicenses, 2 Thessalonains?): Dois são para as igrejas que não se tinha visitado, mas com a qual ele se levantou nas relações afetivas (Romanos, Colossenses); um é puramente pessoal (Philemon); três são dirigidas a indivíduos, mas com responsabilidades oficiais (1 Timonty, 2 Timóteo, Tito). O maior número foram escritas durante seu trabalho missionário, e refletem seus pessoais situação, ansiedades e companionships nos locais de sua composição; quatro são epístolas do 1º prisão romana (Efésios, Filipenses, Colossenses, Filemom): 2 Timóteo é uma voz da dungeon, em sua segunda prisão, pouco antes de seu martírio. Doutrina, conselho, repreensão, admoestação, concurso solicitude, instrução ética, oração, agradecimento, mistura em fusão vivendo em seus conteúdos. Então maravilhosa uma coleção de cartas, sobre tais temas magníficas, nunca foi antes dada ao mundo. 

As primeiras epístolas, no ponto de data, são geralmente considerados aqueles aos Tessalonicenses, escrita de Corinto (52, 53 ad). A igreja, recém-fundada, tinha passado por muita tribulação (1 Tessalonicenses 1:61 Tessalonicenses 1: 6; 1 Tessalonicenses 2: 141 Tessalonicenses 2:14, 1 Tessalonicenses 3:31 Tessalonicenses 3: 3, 1 Tessalonicenses 3:41 Tessalonicenses 3 : 4, etc.), e Paulo escreve a conforto e exortá-lo. Suas palavras sobre a segunda vinda (1 Tessalonicenses 4: 131 Tessalonicenses 4:13) levou a expectativas equivocadas e alguns transtornos. Sua segunda carta foi escrita para corrigir esses problemas (2 Tessalonicenses 2: 1-32 Tessalonicenses 2: 1-3; 2 Tessalonicenses 3:62 Tessalonicenses 3: 6, etc.). 

Si Corinto recebeu os próximos epístolas - o primeiro convocado por relatórios recebidos em Éfeso de graves divisões e irregularidades 1 Cor (1 Coríntios 1: 111 Corinthians 01:11; 1 Coríntios 03:31 Corinthians 3: 3; 1 Coríntios 11: 181 Corinthians 11:18, etc.), juntou-se com o orgulho do conhecimento, heresia doutrinária.

FONTE ENCYLOPEDIA BIBLICAL STANDARD 1915