Translate this Page

Rating: 3.0/5 (867 votos)



ONLINE
1




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

site, fee epub, link, get pdf, enter link, free book, download book, this link, free book, download pdf,

Agrnade questão obra missionaria
Agrnade questão obra missionaria

                                                 A GRANDE QUESTÃO MISSIONARIA

  

Os versículos 12-21

 

Importância da pregação do Evangelho a perversidade de Israel. A. D. 58.

12 Porquanto não há distinção entre judeu e grego; porque o mesmo Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam. 13 Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. 14 Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram falar? e como ouvirão, se não há quem pregue? 15 E como pregarão, se não forem enviados? como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam o evangelho da paz, dos que anunciam coisas boas! 16 Mas nem todos têm obedecido ao evangelho. Pois Isaías diz: Senhor, quem deu crédito à nossa pregação? 17 Assim, pois, a fé vem pelo ouvir, eo ouvir pela palavra de Deus. 18 Mas digo: Porventura não ouviram? Sim, na verdade, seu som percorreu toda a terra, e as suas palavras, até aos confins do mundo. 19 Mas digo: Porventura Israel não o sabe? Primeiro diz Moisés: Eu vou provocá-lo em ciúmes com aqueles que não são povo, com um povo insensato vos provocarei à ira. 20 Mas Isaías ousadamente, e diz: Fui achado pelos que não me procurou Fui manifestado aos que por mim não perguntavam. 21 Mas para Israel diz: Todo o dia estendi as minhas mãos a um povo rebelde e contradizente.

 

As primeiras palavras que expressam o objetivo do apóstolo através destes versos, que não há diferença entre judeus e gentios, mas em pé sobre o mesmo nível no ponto de aceitação com Deus. Em Jesus Cristo não há grego, nem judeus, Colossenses 3:11. Deus não guardar qualquer nem rejeitar qualquer, porque eles são judeus, nem porque eles são gregos, mas o faz igualmente aceitar tanto sobre termos do evangelho: Não há diferença. Para a prova disso, ele insiste dois argumentos: -

 

I. Que Deus é o mesmo para todos: O mesmo Senhor de todos, rico para com todos. Não há um Deus para os judeus, que é mais do tipo, e outro para os gentios, que é menos do tipo, mas ele é o mesmo para todos, um pai comum a toda a humanidade. Quando ele proclamou o seu nome, o Senhor, o SENHOR Deus, misericordioso e compassivo, ele, assim, significava não só o que ele era para os judeus, mas o que ele é e será para todas as suas criaturas que buscam-lhe: não só é bom, mas rica, abundante em bondade: ele tem com que a fornecê-los todos, e ele está livre e pronto para dar a eles que ele é capaz e disposto: não apenas rico, mas rico para nós, liberal e abundante em dispensar seus favores a todos os que o invocam. Algo deve ser feito por nós, para que possamos colher desta generosidade e é tão pouco como pode ser, devemos invocá-lo. Ele vai para este ser interrogado (Ezequiel 36:37), e, certamente, o que não vale a pena a pedir não vale o que tem. Não temos nada a fazer, mas para tirar a oração, como não há ocasião.

 

II. Que a promessa é a mesma para todos (Romanos 10:13): Quem deve chamar - tanto um como o outro, sem exceção. Esta medida, essa medida undifferencing, da promessa, tanto para judeus e gentios que ele pensa não deveria ser surpreendente, pois foi profetizado pelo profeta Joel 2:32. Invocar o nome do Senhor está aqui para colocar toda a religião prática. O que é a vida de um cristão, mas uma vida de oração? Isso implica um sentido de nossa dependência dele, uma dedicação inteira de nós mesmos para ele, e uma expectativa de acreditar no nosso tudo dele. Ele chama que, portanto, sobre ele será salvo. É de perguntar e ter o que temos mais? para a outra ilustração desta observa ele,

 

1. Como era necessário que o Evangelho deve ser pregado aos gentios, Romanos 10: 14,15. Isso foi o que os judeus eram tão zangado com Paul para, que ele era o apóstolo dos gentios, e pregou o evangelho para eles. Agora ele mostra quão necessário era para trazê-los ao alcance da promessa forementioned, um interesse em que eles não devem invejar a qualquer um dos seus semelhantes. (1.) Eles não podem invocarão aquele em quem não creram. Só que eles acreditam que ele é Deus, eles não vão convidá-lo pela oração com que propósito deveriam? A graça da fé é absolutamente necessária para o dever da oração não podemos orar corretamente, nem orar a aceitação, sem ela. Aquele que vem a Deus pela oração deve acreditar, Hebreus 11: 6. Até que eles acreditavam que o Deus verdadeiro, que estavam apelando para ídolos, O Baal, ouvi-nos. (2) Eles não podem crer naquele de quem não ouviram falar. alguma forma ou de outra revelação divina deve ser dado a conhecer a nós, antes que possamos recebê-la e aceitá-la não nasce com a gente. Em audiência está incluído leitura, o que é equivalente, e pelo qual muitos são levados a crer (João 20:31): Estas coisas são escritos para que creiais. Mas só de ouvir é mencionado, como a forma mais comum e natural de receber informações. (3.) Eles não podem ouvir sem pregador como deveriam? Alguém deve dizer-lhes o que eles estão a acreditar. Pregadores e ouvintes são correlaciona é uma coisa abençoada quando mutuamente nos gloriamos em si - os ouvintes na perícia e fidelidade do pregador, e o pregador na vontade e obediência dos ouvintes. (4.) Eles não podem pregar se não forem enviados, a não ser que seja tanto comissionados e, em alguma medida se classificou para a sua pregação. Como um homem atuará como um embaixador, a não ser que tenha suas credenciais e suas instruções do príncipe que lhe envia? Isso prova que para o ministro regular deve ser uma missão regular e ordenação. É prerrogativa de Deus de enviar ministros que ele é o Senhor da messe, e, portanto, a ele devemos orar para que ele envie trabalhadores, Mateus 9:38. Somente Ele pode qualificar homens para, e incliná-los para o trabalho do ministério. Mas a competência desta qualificação, ea sinceridade do que a inclinação, não deve ser deixado ao critério de cada um por si: a natureza da coisa, de modo algum admitir isso, mas, para a preservação da devida ordem na igreja, este necessidades devem ser encaminhados e submetidos ao julgamento de um número competente daqueles que se estão nesse escritório e de sabedoria e experiência nela aprovado, que, como em todos os outros chamados, se presume que os juízes mais capazes, e que estão habilitadas para separar aqueles que eles acham tão qualificado e inclinados a esta obra do ministério, que por esta preservação da sucessão o nome de Cristo pode permanecer para sempre e seu trono como os dias dos céus. E aqueles que são assim separados, não só pode, mas deve pregar, como aqueles que são enviados.

 

2. Como acolher o Evangelho deve ser para aqueles a quem foi pregado, porque mostrou o caminho da salvação, Romanos 10:15. Para isso, ele cita Isaías 52: 7. A passagem como nós temos, Nahum 1:15, que, se ele apontar para as boas novas da libertação de Israel da Babilônia, no tipo, no entanto, parece ainda mais para o evangelho, a boa notícia da salvação por Jesus Cristo. Observe: (1) O que o evangelho é: É o evangelho da paz é a palavra da reconciliação entre Deus eo homem. Paz na terra, Lucas 2:14. Ou, a paz é posta em geral, por tudo de bom por isso é explicado aqui é boas novas de coisas boas. As coisas do evangelho são coisas boas, de fato, as melhores coisas novas que lhes dizem respeito são as notícias mais alegres, a melhor notícia que já veio do céu para a terra. (2.) O que o trabalho dos ministros é: Para pregar o evangelho, para trazer estas boas novas para evangelizar paz (para o original é), para evangelizar as coisas boas. Todo bom pregador é, nesse sentido, um evangelista: ele não é apenas um mensageiro para levar a notícia, mas um embaixador para tratar e os primeiros pregadores do evangelho eram anjos, Lucas 2:13, & c. (3.) Como aceitável eles devem ser, portanto, os filhos dos homens, por amor do seu trabalho: Quão formosos são os pés, isto é, como bem-vindos são eles! Maria Madalena expressa seu amor a Cristo por beijar seus pés, e depois, segurando-o pelos pés, Mateus 28: 9. E, quando Cristo foi enviando os seus discípulos, ele lavou os pés. Aqueles que pregam o evangelho da paz devem fazer com que seus pés (a sua vida e conversação) ser bonito: a santidade de vida dos ministros é a beleza de seus pés. Como é belo! ou seja, aos olhos daqueles que os ouvem. Aqueles que acolher a mensagem não pode deixar de amar os mensageiros. Veja 1 Tessalonicenses 5: 12,13.

 

3. Ele responde a uma objeção contra tudo isso, o que pode ser tomada a partir do pouco sucesso que o evangelho tinha em muitos lugares (Romanos 10:16): Mas nem todos têm obedecido ao evangelho. Todos os judeus não tem, todos os gentios, não muito longe da maior parte de ambos permanecerem na incredulidade e desobediência. Observe, o Evangelho nos é dada não só a ser conhecido e acreditava, mas para ser obedecida. Não é um sistema de noções, mas uma regra de prática. Este pequeno sucesso da palavra também foi predito pelo profeta (Isaías 53: 1): Quem deu crédito à nossa pregação? Muito poucos, poucos ao que se poderia pensar deveria ter acreditado que, considerando-se como fiel um relatório que é e como bem digna de toda aceitação, - muito poucos para muitos que persistem na incredulidade. Não é uma coisa estranha, mas é uma coisa muito triste e desconfortável, para os ministros de Cristo para trazer o relatório do evangelho, e não para ser acreditado nele. Sob uma consideração tal melancolia que é bom para nós ir a Deus e fazer a nossa reclamação a ele. Senhor, quem creu, & c. Em resposta a isso,

 

(1.) Ele mostra que a palavra da pregação é o meio normal de trabalho fé (Romanos 10:17): Então, ara - no entanto, embora muitos que ouvem não acreditam, ainda aqueles que acreditam ter ouvido em primeiro lugar. Fé vem pelo ouvir. É o resumo do que ele havia dito antes, Romanos 10:14. O início, o progresso ea força da fé, são de audição. A palavra de Deus é, portanto, chamado a palavra da fé: ela gera e alimenta a fé. Deus dá a fé, mas é pela palavra como instrumento. Audição (que audiência que trabalha fé) é pela palavra de Deus. Ele não está ouvindo as palavras persuasivas de sabedoria humana, mas de ouvir a palavra de Deus, que vai fazer amizade com fé, e ouvindo-a como a palavra de Deus. Veja 1 Tessalonicenses 2:13.

 

(2) Que aqueles que não acreditam que o relatório do evangelho, ainda, tendo ouvido isto, foram, assim, deixou indesculpável, e pode agradecer-se para a sua própria ruína, Romanos 10:18, até o fim.

 

[1] Os gentios ouvi-lo (Romanos 10:18): Porventura não ouviram? Sim, mais ou menos, eles têm ou ouviram o evangelho, ou pelo menos ouviu falar dele. Seu som percorreu toda a terra não é apenas um som confuso, mas as suas palavras (avisos mais distintas e inteligíveis destas coisas) são ido até os confins do mundo. A comissão que os apóstolos receberam funciona assim: Vá você em todo o mundo - pregar a toda criatura - discípulo de todas as nações e que fez com a indústria incansável e maravilhoso sucesso perseguir essa comissão. Veja a extensão da província de Paulo, Romanos 15:19. Para esta remota ilha de Grã-Bretanha, um dos extremos cantos do mundo, não só o som, mas as palavras, do evangelho veio dentro de alguns anos após a ascensão de Cristo. Era a fim de que este o dom de línguas foi bem no primeiro derramado tão abundantemente sobre os apóstolos, Atos 2: 1-47. Na expressão aqui ele claramente faz alusão ao Salmo 19: 4, que fala dos avisos de que as obras visíveis de Deus na criação dão a todo o mundo do poder e divindade do Criador. Como sob o Deus do Antigo Testamento previa a publicação do trabalho de criação, o sol, a lua e as estrelas, então agora para a publicação da obra de redenção para todo o mundo pela pregação de ministros do evangelho, que são, portanto, chamados de estrelas .

 

[2] Os judeus já ouviu isso também, Romanos 10: 19-21. Para isso, ele apela para duas passagens do Antigo Testamento, para mostrar como eles são muito indesculpável. Não Israel sabe que os gentios deviam ser chamados? Eles poderiam ter sabido que a partir de Moisés e Isaías.

 

Em primeiro lugar, um é retirado de Deuteronômio 32:21, vou provocá-lo ao ciúme. Os judeus não só teve a oferta, mas viu os gentios aceitá-lo e beneficiado por essa aceitação, testemunhe o vexame no evento. Eles tinham a recusa: Para você primeiro, Atos 03:26. Em todos os lugares onde os apóstolos vieram ainda os judeus tiveram a primeira oferta, e os gentios tinha, mas seus restos. Se alguém não o faria, outro o faria. Agora isso provocou à emulação. Eles, como o irmão mais velho da parábola (Lucas 15: 1-32) invejava a recepção e entretenimento dos gentios pródigos em cima de seu arrependimento. Os gentios estão aqui chamado de Ninguém, e uma nação insensata, isto é, não as pessoas que professam de Deus. Quanto soever haver da sagacidade e sabedoria do mundo, aqueles que não são o povo de Deus é, e, no final, será encontrada a ser, um povo insensato. Tal era o estado do mundo gentio, que ainda foram feitas ao povo de Deus, e Cristo a eles a sabedoria de Deus. O que uma provocação que era para os judeus para ver os gentios tomadas em favor podemos ver, Atos 13: 45,17: 5,13, e, especialmente, Atos 22:22. Foi um exemplo da grande iniqüidade dos judeus que eram, assim, enfurecido e isso em Deuteronômio é a questão de um ameaçador. Deus muitas vezes faz com que o pecado das pessoas a sua punição. Um homem não precisa de maior praga do que ser deixado para a raiva impetuosa de suas próprias concupiscências.

 

Em segundo lugar, outra é tirado de Isaías 65: 1,2, o que é muito completo, e nele Isaías ousadamente - negrito, na verdade, falar tão claramente a rejeição de seus próprios compatriotas. Aqueles que serão encontradas fiéis precisa ser muito ousado. Aqueles que são resolvidos para agradar a Deus não devemos ter medo de desagradar a nenhum homem. Agora Isaías fala com ousadia e claramente,

 

um. Da graça prevenção e favor de Deus, na recepção e entretenimento dos gentios (Romanos 10:20): Fui achado daqueles que não me buscavam. O método prescrito é, buscar e encontrar esta é uma regra para nós, não uma regra para Deus, que é freqüentemente encontrado daqueles que não procuram. Sua graça é a sua própria, a graça de distinção a sua própria, e ele distribui-lo em uma forma de soberania, dá de retém-lo à vontade - nos antecipa com as bênçãos, as riquezas, as maiores bênçãos de sua bondade. Assim, ele se manifestou para os gentios, enviando a luz do evangelho entre eles, quando eles estavam tão longe de procurá-lo e pedir-lhe que depois eles estavam seguindo depois vaidades vãs, e servir ídolos mudos. Não era este o nosso caso particular? Deus não começam no amor, e manifestar-se a nós quando não pedi depois dele? E não era que um tempo de amor, de fato, a ser sempre lembrado com uma grande dose de gratidão?

 

b. Da obstinação e perversidade de Israel, apesar das ofertas justas e convites afetivas que eles tinham, Romanos 10:21. Observe-se,

 

(a.) grande bondade de Deus para eles: Todo o dia estendi as minhas mãos. [a]. Suas ofertas: Eu estendi as minhas mãos, oferecendo-lhes a vida e salvação com a maior sinceridade e seriedade que pode ser, com todas as expressões possíveis de seriedade e importunação, mostrando-lhes a felicidade proposto, definindo-o diante deles com o maior evidência, discutindo o caso com elas. Estendendo as mãos é o gesto daqueles que necessitam de audiência (Atos 26: 1), ou o desejo de aceitação, Provérbios 01:24. Cristo foi crucificado com as mãos esticadas para fora. Estendeu as mãos como oferecer reconciliação - venha, vamos apertar as mãos e ser amigos e nosso dever é dar a mão para ele, 2 Crônicas 30: 8. [b.] Sua paciência em fazer essas ofertas: O dia todo. A paciência de Deus para com os pecadores provocação é admirável. Ele espera ser gracioso. O tempo da paciência de Deus é aqui chamado um dia, lightsome como um dia e apto para o trabalho e negócios, mas limitado como um dia, e uma noite no final do mesmo. ele tem muito tempo, mas ele não vai ter sempre. 

 

(b.) A sua grande maldade com ele. Eles foram contestador desobedientes pessoas. Uma palavra em hebraico, em Isaías, está aqui bem explicado por dois, não só desobediente à chamada, não cedendo a ele, mas gainsaying, e discutir com ele, o que é muito pior. Muitos que não vai aceitar de uma boa proposta ainda vai reconhecer que eles não têm nada a dizer contra ele; mas os judeus que não creram não descansam lá, mas contradiziam e blasfemaram. A paciência de Deus com eles era um grande agravamento de sua desobediência, e tornou-se o mais excessivamente pecaminoso como sua desobediência avançou a honra da paciência de Deus e tornou-se o mais extremamente gracioso. É uma maravilha da misericórdia em Deus que sua bondade não é superada pela maldade do homem e é uma maravilha da maldade do homem que sua maldade não é superada pela bondade de Deus.

 

COMENTARIO BIBLICOS Mathew Henry 

Postado por GOSPEL GOSPEL BRASIL