Translate this Page

Rating: 3.0/5 (931 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


Comentario bíblico de Hebreus cap.2
Comentario bíblico de Hebreus cap.2

                               Comentario bíblico Hebreus cap.2 

 

 Introdução

Neste capítulo, o apóstolo, I. Faz alguma aplicação da doutrina estabelecida no anterior capítulo sobre a excelência da pessoa de Cristo, tanto por meio de exortação e argumento, Hebreus 2: 1-4Hebreus 2: 1-4 . II. Amplia ainda mais sobre a preeminência de Cristo acima dos anjos, Hebreus 2: 5-9Hebreus 2: 5-9 . III. Os rendimentos para remover o escândalo da cruz, Hebreus 2: 10-15Hebreus 2: 10-15 . IV. Afirma a encarnação de Cristo, levando com ele não a natureza dos anjos, mas a descendência de Abraão, e atribui a razão de sua forma, Hebreus 2: 16-18Hebreus 2: 16-18 .

 

versículos 1-4

O perigo de negligência.         AD 62.

1 Por isso convém atentarmos mais diligentemente para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos deve deixar -los escorregar. 2 Pois se a palavra falada pelos anjos permaneceu firme, e toda transgressão e desobediência recebeu a justa retribuição 3 como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação que na primeira começando a ser anunciada pelo Senhor, e foi confirmado até -nos pelos que a ouviram -lhe 4 também Deus com eles testemunha, tanto com sinais e prodígios, e por múltiplos milagres e dons do Espírito Santo, de acordo com sua própria vontade?

 

O apóstolo passa no método rentável planície de doutrina, razão e uso, através desta carta. Aqui temos a aplicação das verdades antes afirmado e provado isso é trazido pela partícula ilativo portanto, com o qual este capítulo começa, e que mostra a sua ligação com o primeiro, onde o apóstolo ter provado que Cristo é superior aos anjos por cujo ministério a lei foi dada, e, portanto, que a dispensação do evangelho deve ser mais excelente do que o legal, ele agora vem para aplicar esta doutrina, tanto por meio de exortação e argumento.

 

  1. A título de exortação: Por isso convém atentarmos mais diligentemente para as coisas que já temos ouvido, Hebreus 2: 1Hebreus 2: 1 . Este é o primeiro caminho pelo qual devemos mostrar o nosso apreço de Cristo e do Evangelho. É a grande preocupação de cada um sob o evangelho-nos atentar com mais diligência para todas as descobertas do evangelho e direções, para prêmio-los altamente em seu julgamento como assuntos de maior importância, para ouvires diligentemente em todas as oportunidades que tem para o efeito, lê-los com frequência, para meditar sobre eles de perto, e para misturar fé com eles. Devemos abraçá-los em nossos corações e afetos, retê-los em nossas memórias, e, finalmente, regular nossas palavras e ações de acordo com eles.

 

  1. Através de um argumento, acrescenta motivos fortes para impor a exortação.

 

  1. A partir da grande perda que deve sustentar se não tomar este cuidado diligência para as coisas que já temos ouvido: Vamos deixá-los escorregar. Eles vão vazar, e correr para fora de nossas cabeças, lábios e vidas, e vamos ser grandes perdedores por nossa negligência. Saiba, (1.) Quando recebemos as verdades do evangelho em nossas mentes, estamos em perigo de deixá-los escorregar. Nossas mentes e memórias são como um navio com vazamento, eles não fazer sem muito cuidado reter o que é vertida para eles este procede da corrupção da nossa natureza, a inimizade e sutileza de Satanás (ele rouba a palavra), a partir das complicações e armadilhas do mundo, os espinhos que sufocam a boa semente. (2) Aqueles reunir-se com uma perda inconcebível que deixou as verdades do evangelho, que haviam recebido, escorregar para fora de suas mentes eles perderam um tesouro muito melhor do que milhares de ouro e prata a semente está perdido, seu tempo e dores na audição perdida e as suas esperanças de uma boa colheita perderam tudo está perdido, se o evangelho ser perdida. (3.) Esta consideração deve ser um forte motivo tanto a nossa atenção para o evangelho e nossa retenção do mesmo e, de fato, se não bem atender, nós não muito tempo reter a palavra de ouvintes desatentos Deus em breve será ouvintes esquecidos.

 

  1. Outro argumento é retirado do terrível castigo que incorre se não fizermos este dever, uma punição mais terrível do que aqueles que caíram sob negligenciada e desobedeceu a lei, Hebreus 2: 2,3 . Aqui observar, (1.) Como a lei é descrito: era a . Palavra falada pelos anjos, e declarou ser firme Foi a palavra falada pelos anjos, porque dada pelo ministério dos anjos, eles soar a trombeta, e talvez formando as palavras de acordo com a direção e Deus de Deus, como juiz, irá fazer uso dos anjos para soar a trombeta uma segunda vez, e reunir todas ao seu tribunal, para receber sua sentença, como têm conformado ou não conformes à lei. e esta lei é declarada a ser fiel é como a promessa, sim e amém é verdade e fidelidade, e ele vai respeitar e ter sua força se os homens obedecê-la ou não para cada transgressão e desobediência receberá uma justa retribuição. Se os homens brincar com a lei de Deus, a lei não vai brincar com eles, tomou conta dos pecadores de eras anteriores, e vai tomar posse dos pecadores em todas as idades. Deus, como um governador justo eo juiz, quando ele tinha dado adiante a lei, não deixaria o desprezo e violação do mesmo impune, mas ele tem de vez em quando contado com os transgressores dele e retribuiu-los de acordo com a natureza e agravamento de sua desobediência. Observe, a punição mais severa que Deus já infligida pecadores não é mais do que aquilo que o pecado merece: é uma justa retribuição punições são como justo, e tanto devido ao pecado como recompensas são a obediência, sim, mais devido a recompensas são para obediência imperfeita. (2) Como o evangelho é descrito. É a salvação, a grande salvação tão grande salvação que nenhuma outra salvação pode comparar com ele tão grande que ninguém pode expressar plenamente, não, nem mesmo conceber, como ele é grande. É uma grande salvação que o evangelho descobre, para ele descobre um grande Salvador, aquele que se manifestou Deus para reconciliar-se com a nossa natureza, e conciliáveis ​​com nossas pessoas mostra como podemos ser salvos de tão grande pecado e tão grande miséria, e ser restaurado para tão grande santidade e tão grande felicidade. O evangelho descobre para nós um grande santificador, para qualificar-nos para a salvação e para nos trazer ao Salvador. O evangelho se desenrola uma grande e excelente dispensação da graça, uma nova aliança o grande charter-obra e instrumento seja resolvido e garantiu a todos aqueles que entram no vínculo do pacto. (3.) Como pecando contra o evangelho é descrito: é declarado para ser uma negligência tão grande salvação , é um desprezo colocado sobre a graça salvadora de Deus em Cristo, fazendo a luz dele, não se importando por isso, não pensando que valha a pena se familiarizar com ele, não sobre quer o valor da graça do evangelho ou a sua própria falta dela e do estado desfeita sem ele não usando seus esforços para discernir a verdade dele, e parecer favorável a ele, nem a discernir a bondade de -lo, de modo a aprová-lo ou aplicá-lo a si. Nestas coisas eles descobrem um abandono puro deste grande salvação. Vamos todos tomar cuidado para que nós não ser encontrado entre aqueles pecadores miseráveis ​​ímpios que negligenciam a graça do evangelho. (4.) Como a miséria de tais pecadores é descrito: ele é declarado ser inevitável ( Hebreus 2: 3 ): Como escaparemos nós? Este íntimos, [1] Que os inimigos do esta salvação já estão condenados, sob prisão e nas mãos de Justiça já. Então, eles foram pelo pecado de Adão e eles têm fortalecido seus vínculos por sua transgressão pessoal. Quem não crê já está condenado, João 3:18 . [2] Não há como escapar desse estado condenado, mas aceitando a grande salvação descoberto no evangelho, tanto aqueles que negligenciam isso, a ira de Deus está sobre eles, e permanece sobre eles que não podem soltar-se, eles não pode surgir, eles não podem obter a partir de debaixo da maldição. [3] Que não é uma maldição ainda mais agravada e condenação à espera de todos aqueles que desprezam a graça de Deus em Cristo, e que esta maldição mais pesada que eles não podem escapar eles não podem esconder as suas pessoas para o grande dia, nem negar o fato , nem subornar o juiz, nem quebrar a prisão. Não há porta de misericórdia deixada em aberto para eles não haverá mais sacrifício pelos pecados que estão irremediavelmente perdidas. O unavoidableness da miséria de tal se expressa por meio da pergunta: ? Como escaparemos nós É um apelo à razão universal, à consciência dos pecadores si é um desafio para todo o seu poder e política, a todo o seu interesse e alianças, se eles ou qualquer deles, pode descobrir, ou pode forçar a saída, uma maneira de escapar da justiça vingativa e ira de Deus. Ele sugere que os neglecters desta grande salvação será deixado não só sem poder, mas sem fundamento, desculpa, no dia do julgamento, se elas se perguntou o que eles têm a dizer que a sentença não deve ser executada sobre eles, eles serão sem palavras, e auto-condenado por suas próprias consciências, mesmo a um maior grau de miséria do que aqueles que caíram sob negligenciado a autoridade da lei, ou pecaram sem lei.Hebreus 2: 2 , 3Hebreus 2: 3 João 3:18

 

  1. Outro argumento para impor a exortação é retirado da dignidade e excelência da pessoa por quem o evangelho começou a ser falado ( Hebreus 2: 3Hebreus 2: 3 ): Começou a primeira a ser anunciada pelo Senhor, isto é, o Senhor Jesus Cristo, que é o Senhor, o Senhor da vida e glória, o Senhor de todos, e, como tal, dotado de infalível sabedoria e infalível, bondade infinita e inesgotável, veracidade inquestionável e imutável e fidelidade, a soberania absoluta e autoridade, e poder irresistível. Este grande Senhor de tudo foi o primeiro que começou a falar-lo claramente e clara, sem tipos e sombras como era antes de ele vir. Agora, certamente pode-se esperar que todos terão respeito deste Senhor, e tenham cuidado de um evangelho que começou a ser falado por alguém que falou tão como nunca homem falou.

 

  1. Outro argumento é retirado do caráter daqueles que foram testemunhas de Cristo e do Evangelho ( Hebreus 2: 3,4 ): Foi confirmado a nós por aqueles que a ouviram, Deus juntamente com eles testemunha. Observe, (1. ) a promulgação do evangelho foi continuada e confirmada pelos que a ouviram Cristo, pelos evangelistas e apóstolos, que estavam de olho e orelha-testemunhas do que Jesus Cristo começou a fazer e ensinar, Atos 1: 1 . Estas testemunhas poderia não ter fim mundano ou interesse próprio para servir este meio. Nada poderia induzi-los a dar-nos as suas provas, mas a glória do Redentor, e sua própria e salvação dos outros eles mesmos expostos por seu testemunho à perda de tudo o que era caro a eles nesta vida, e muitos deles selou com seu sangue . (2.) O próprio Deus deu testemunho àqueles que foram testemunhas de Cristo, testemunharam que foram autorizadas e enviado por ele para pregar Cristo e salvação por ele para o mundo. E como ele suportá-los testemunhar? Não só dando-lhes uma grande paz em suas próprias mentes, grande paciência sob todos os seus sofrimentos e coragem e alegria indizível (embora estes foram testemunhas de si mesmos), mas ele deu-lhes testemunhar por meio de sinais, e maravilhas, e vários milagres e presentes do Espírito Santo, segundo a sua vontade. [1] com sinais, sinais de sua presença graciosa com eles, e de seu poder trabalhar por eles. [2] Wonders, funciona muito além do poder da natureza, e fora do curso da natureza, enchendo os espectadores com espanto e admiração, mexendo-los para atender à doutrina pregada, e inquirir para ele. [3] múltiplos milagres ou obras poderosas, em que uma agência todo-poderoso apareceu além de qualquer controvérsia razoável. [4] Dons do Espírito Santo, qualificação, habilitação, e excitante-los para fazer o trabalho para o qual eles foram called-- divisões ou distribuições do Espírito Santo, diversidade de dons, 1 Coríntios 12: 4 , & c. E tudo isso de acordo com a própria vontade de Deus. Foi a vontade de Deus que devemos ter certeza de base para a nossa fé, e uma base sólida para a nossa esperança em receber o evangelho. Como a doação diante da lei havia sinais e maravilhas, pelo qual Deus testemunharam a autoridade e excelência dela, então ele testemunhou o evangelho por mais e maiores milagres, como a uma dispensação mais excelente e permanente.Hebreus 2: 3 , 4Atos 1: 1 1 Coríntios 12: 4

 

versículos 5-9

Projeto dos sofrimentos de Cristo.  AD 62.

5 aos anjos tem ele não colocou em sujeição do mundo vindouro, de que falamos. 6 Mas em certo lugar testificou alguém, dizendo: Que é o homem, para que te lembres dele? ou o filho do homem, para que o visites? 7 Tu o fizeste um pouco menor que os anjos te coroaste de glória e honra, e te constituí-lo sobre as obras das tuas mãos: 8 Tu colocar todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Porque naquilo que ele sujeitou todas as debaixo dele, nada deixou que se não lhe fosse sujeito. Mas agora nós ainda não vemos todas as coisas sujeitas a ele. 9 Mas vemos Jesus, que foi feito um pouco menor que os anjos para o sofrimento da morte, coroado de glória e honra, para que, pela graça de Deus, provasse a morte por todos.

 

O apóstolo, tendo feito esta aplicação séria da doutrina da excelência pessoal de Cristo acima dos anjos, agora retorna a esse assunto agradável novamente, e persegue-lo ainda mais ( Hebreus 2: 5Hebreus 2: 5 ): Para os anjos que Deus não colocou em sujeição o mundo vindouro, de que falamos.

 

  1. Aqui o apóstolo estabelece uma proposição negativa, incluindo um positivo um - Que o Estado do evangelho da igreja, que é aqui chamado o mundo para vir, se não sujeito aos anjos, mas sob o cuidado e direção de especial o próprio Redentor. Nem o estado em que a igreja está no presente, nem que estado mais completamente restaurado em que devem chegar quando o príncipe deste mundo será lançado fora e os reinos da terra passa a ser o reino de Cristo, é deixada para o governo do os anjos, mas Jesus Cristo vai levar-lhe o seu grande poder e reinará. Ele não faz que o uso do ministério dos anjos para dar o evangelho como ele fez para dar a lei, que foi o estado do mundo velho ou antiquado. Este novo mundo é comprometido com Cristo, e colocar em absoluta sujeição a ele somente, em todas as preocupações espirituais e eternas. Cristo tem a administração da igreja evangélica, que ao mesmo tempo evidencia honra de Cristo e felicidade e segurança da igreja. É certo que nem a primeira criação da igreja evangélica, nem a sua pós-edificação ou administração, nem o seu julgamento final e perfeição, está comprometida com os anjos, mas a Cristo. Deus não iria colocar uma tão grande confiança nos seus santos seus anjos eram muito fracos para tal acusação.

 

  1. Temos uma escritura - conta desse bendito Jesus a quem mundo o Evangelho é colocado em sujeição. Ele é retirado do Salmo 8: 4-6Salmo 8: 4-6 , Mas em certo lugar testificou alguém, dizendo: Que é o homem, para que te lembres dele? ou o filho do homem, para que o visites? & c. Lá palavras devem ser consideradas tanto como aplicável à humanidade em geral, e como aplicado aqui para o Senhor Jesus Cristo.

 

  1. Conforme aplicável à humanidade em geral, em que sentido, temos uma expostulation grato carinhoso com o grande Deus a respeito de sua maravilhosa condescendência e bondade para com os filhos dos homens. (1) Em recordá-los, ou estar ciente deles, quando eles ainda não tinham sido, mas nos conselhos do amor divino. Os favores de Deus para todos os homens saltam acima de seus pensamentos e propósitos de misericórdia eternas para eles como todos os nossos cumprimentos obedientes a Deus brotar da nossa lembrança dele. Deus é sempre lembrado de nós, vamos nunca será esquecido dele. (2.) Em visitá-los. Propósito de favores para os homens de Deus é produtiva de visitas misericórdia deles Ele vem para nos ver, como ele está conosco, o que aflija, o que queremos, que perigos a que estamos expostos, quais as dificuldades que temos de encontrar e por sua visitação nosso espírito é preservada. Vamos então lembre-se Deus como diária para se aproximar dele de uma forma de dever. (3) Ao fazer o homem a cabeça de todas as criaturas neste mundo inferior, o top-pedra deste edifício, o chefe dos caminhos de Deus na terra, e apenas um pouco menor que os anjos no lugar, e que diz respeito à o menino, enquanto aqui, e para ser feita como os anjos, e igual aos anjos, na ressurreição dos justos, Lucas 20:36Lucas 20:36 . (4.) Em coroando-o de glória e de honra, a honra de ter nobres faculdades e faculdades da alma, excelentes órgãos e partes do corpo, pelo qual ele é aliado a ambos os mundos, capaz de servir os interesses de ambos os mundos, e de desfrutar a felicidade de ambos. (5) Em dando-lhe direito de e domínio sobre as criaturas inferiores, que se continuar assim por muito tempo como ele continuou em sua lealdade e dever para com Deus.

 

  1. Como aplicado ao Senhor Jesus Cristo, e o todo que é dito aqui pode ser aplicado somente a ele, Hebreus 2: 8,9 . E aqui você pode observar: (1) Qual é a causa de deslocação de toda a bondade de Deus mostra aos homens em dar Cristo por eles e para eles e que é a graça de Deus. Por que é o homem? (2) Quais são os frutos desta graça de Deus com respeito ao dom de Cristo para nós e para nós, como relatado nesta escritura-testemunho. [1] Que Deus estava ciente de Cristo por nós no pacto da redenção. [2] Que Deus visitou Cristo em nossa conta e foi celebrado entre os que na plenitude do tempo, Cristo havia de vir ao mundo, como o grande sacrifício arquetípica. [3] Que Deus lhe tinha feito um pouco menor que os anjos, em seu ser homem feito, que ele poderia sofrer e humilhou até a morte. [4] Que Deus coroou a natureza humana de Cristo de glória e honra, em seu ser perfeitamente santo, e com o Espírito sem medida, e por uma inefável união com a natureza divina na segunda pessoa da Trindade, a plenitude Divindade habitando nele corporal que por seus sofrimentos que ele pode fazer a satisfação, provando a morte por todos, de forma sensata sentindo e sofrendo as agonias amargas de que a morte vergonhosa, doloroso, e amaldiçoado da cruz, vem colocando toda a humanidade para um novo estado de tentativas. [5.] Isso, como recompensa de sua humilhação no sofrimento da morte, foi coroado de glória e honra, avançou para a mais alta dignidade no céu, e ter domínio absoluto sobre todas as coisas, realizando, assim, que as escrituras antigas em Cristo, que nunca foi assim realizado ou cumprido em qualquer mero homem que já estava na terra.Hebreus 2: 8 , 9

 

versículos 10-13

Projeto dos sofrimentos de Cristo.  AD 62.

10 Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e por quem são todas as coisas, em trazendo muitos filhos à glória, o príncipe da salvação deles por meio de sofrimentos. 11 Pois tanto o que santifica como os que são santificados, são todos de um só; por esta causa ele não se envergonha de lhes chamar irmãos, 12 dizendo: Anunciarei o teu nome a meus irmãos, no meio da igreja cantarei louvores a ti. 13 E mais uma vez, vou colocar minha confiança nele. E mais uma vez: Eis que eu e os filhos que Deus me deu.

 

Tendo mencionado a morte de Cristo, o apóstolo aqui prossegue para prevenir e remover o escândalo da cruz e isso ele faz, mostrando tanto como ele tornou-se Deus, que Cristo padecesse e quanto o homem deve ser beneficiado por esses sofrimentos.

 

  1. Como tornou-se Deus, que Cristo sofresse: Porque convinha que aquele, para quem são todas as coisas, e por quem são todas as coisas, em trazendo muitos filhos à glória, o príncipe da salvação deles por meio de sofrimentos, Hebreus 2:10Hebreus 2:10 . Aqui,

 

  1. Deus é descrito como o fim último e causa primeira de todas as coisas, e como tal, tornou-se-lhe para garantir a sua própria glória em tudo o que ele fez, não só a agir para que ele possa, em nada desonrar a si mesmo, mas para que ele pode a partir de cada coisa tem uma receita de glória.

 

  1. Ele é declarado ter agido até este glorioso caráter na obra de redenção, quanto à escolha tanto do fim e dos meios.

 

(1) Na escolha do fim e que era para trazer muitos filhos à glória em apreciar os gloriosos privilégios do evangelho, e para o futuro glória no céu, que será a glória de fato, um superior eterno peso de glória. Aqui observar, [1] Devemos ser os filhos de Deus, tanto por adoção e regeneração, antes de nós pode ser trazido para a glória do céu. O céu é a herança e apenas aqueles que são os filhos são herdeiros de que a herança. [2] Todos os verdadeiros crentes são filhos de Deus: aos que recebem a Cristo, ele concedeu o poder eo privilégio de ser os filhos de Deus, mesmo a todos quantos crêem no seu nome, João 1:12João 1:12 . [3] Embora os filhos de Deus, mas são poucos em um lugar e de uma só vez, mas quando eles serão todos reunidos vai parecer que eles são muitos. Cristo é o primogênito entre muitos irmãos. [4] Todos os filhos de Deus, agora muitos soever são, ou no entanto dispersa e dividida, deve longamente ser reunidos para a glória.

 

(2) Na escolha dos meios. [1] Em descobrir uma pessoa como deve ser o capitão da nossa salvação daqueles que são salvos devem vir a que a salvação sob a orientação de um capitão e líder suficiente para o efeito e todos eles devem ser alistados sob a bandeira do presente capitão eles devem suportar as dificuldades como bons soldados de Cristo, eles devem seguir seu capitão, e aqueles que fazê-lo deve ser levado com segurança fora, e herdará a grande glória e honra. [2] Ao fazer essa capitão da nossa salvação pelas aflições. Deus Pai fez do Senhor Jesus Cristo o capitão da nossa salvação (ou seja, ele consagrou, ele nomeou para esse cargo, ele deu-lhe uma comissão para ele), e fez-lhe um capitão perfeito: ele tinha perfeição da sabedoria, e coragem e força, pelo Espírito do Senhor, que ele tinha sem medida foi feito pelas aflições Isto é, ele aperfeiçoou a obra da nossa redenção através do derramamento de seu sangue, e foi, assim, perfeitamente qualificado para ser um mediador entre Deus eo homem. Ele encontrou o seu caminho para a coroa pela cruz, e assim deve o seu povo também. A excelente Dr. Owen observa que o Senhor Jesus Cristo, sendo consagrada e aperfeiçoado através do sofrimento, consagrou o caminho de sofrimento para todos os seus seguidores para passar através para a glória e por este meio os seus sofrimentos são feitas necessária e inevitável, ela é aqui feita honrosa, útil e rentável.

 

  1. Ele mostra o quanto eles seriam beneficiados pela cruz e sofrimentos de Cristo como não havia nada a Deus imprópria e Cristo, por isso não foi o que seria muito benéfico para os homens, nestes sofrimentos. Nisto eles são trazidos em uma união próximo com Cristo e em uma relação muito cativante.

 

  1. Em uma união próximo ( Hebreus 2:11Hebreus 2:11 ): . Tanto o que santifica como os que são santificados, vêm todos de um Observar, Cristo é o que santifica, ele comprou e enviou o Espírito santificador ele é a cabeça de todas as influências santificantes . O santifica Espírito como o Espírito de Cristo. Os verdadeiros crentes são aqueles que são santificados, dotado de princípios e poderes sagrados, separados e separados de média e usos vis para usos e propósitos elevados e santos para que eles devem ser antes que eles possam ser levados à glória. Agora Cristo, que é o agente nesta obra de santificação, e os cristãos, que são os sujeitos beneficiários, são todos de um. Quão? Por que: (1) Eles são todos de um mesmo Pai celeste, e que é Deus. Deus é o Pai de Cristo pela geração eterna e pela concepção milagrosa, de cristãos por adoção e regeneração. (2.) Eles são de um pai terreno, Adam. Cristo e os crentes têm a mesma natureza humana. (3.) de um espírito, um santo e divino disposição a mesma mente é neles que estava em Cristo, embora não na mesma medida as mesmas informa Espírito e acciona a cabeça e todos os membros.

 

  1. Em uma relação agradável. Isto resulta da união. E aqui em primeiro lugar ele declara que esta relação é, em seguida, ele cita três textos do Antigo Testamento para ilustrar e provar isso.

 

(1.) Ele declara que esta relação é: ele e os crentes sendo todos de um, portanto, ele não se envergonha de chamá-los . Irmãos Observe, [1] Cristo e os crentes são irmãos não só osso de seus ossos e carne de sua carne, mas o espírito de seu espírito-irmãos por todo o sangue, no que é celeste, bem como no que é terrena. [2] Cristo não se envergonha de possuir essa relação não se envergonha de lhes chamar irmãos, que é a bondade maravilhosa e condescendência nele, considerando a sua maldade por natureza e vileza pelo pecado, mas ele nunca vai se envergonhar de qualquer um que não são vergonha dele, e que ter o cuidado de não ser uma vergonha e opróbrio para ele e para si mesmos.

 

(2.) Ele ilustra este a partir de três textos da Escritura.

 

[1] O primeiro está fora do Salmo 22:22Salmo 22:22 , Anunciarei o teu nome a meus irmãos no meio da igreja cantarei louvores a ti. Este salmo foi uma profecia eminente de Cristo começa com suas palavras sobre o cruz, Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Agora, aqui é predito, primeiro, que Cristo deve ter uma igreja ou congregação no mundo, uma companhia de voluntários, livremente dispostos a segui-lo. em segundo lugar, que estas deveriam não só ser irmãos uns aos outros, mas para o próprio Cristo. em terceiro lugar, que ele iria declarar o nome de seu pai para eles, isto é, sua natureza e atributos, sua mente e vontade: ele fez isso em sua própria pessoa, enquanto ele habitou entre nós, e pelo seu Espírito derramou sobre seus discípulos, o que lhes permite difundir o conhecimento de Deus no mundo de uma geração para outra, até o fim do mundo. em quarto lugar, que Cristo iria cantar louvores ao seu Pai na igreja. A glória do Pai foi o que Cristo tinha em seu olho seu coração foi definido sobre ele, ele expôs-se para ele, e ele teria o seu povo para se juntar com ele dentro.

 

[2] A segunda escritura é citado de Salmo 18: 2Salmo 18: 2 , E mais uma vez, vou colocar minha confiança nele. Isso salmo apresenta os problemas que David, como um tipo de Cristo, reuniu-se com, e como ele em toda a sua problemas colocar sua confiança em Deus. Agora isto mostra que, além de sua natureza divina, que não precisava de suportes, ele foi para tirar outra natureza sobre ele, que iria querer esses suportes que só Deus pode dar. Ele sofreu e confiável como a nossa cabeça e presidente. Owen in locum. Seus irmãos deve sofrer e confiar também.

 

[3] A terceira escritura é tirado de Isaías 08:18Isaías 8:18 , Eis que eu e os filhos que Deus me deu. Isto prova Cristo realmente e verdadeiramente homem, para os pais e as crianças são da mesma natureza. Crianças de Cristo foram-lhe dada pelo Pai, no conselho do seu amor eterno, e que aliança de paz que havia entre eles. E eles são dados a Cristo na sua conversão. Quando eles pegar de seu pacto, então Cristo recebe-los, regras sobre elas, se alegra com eles, aperfeiçoa todos os seus assuntos, leva-los para o céu, e não os apresenta ao Pai, Eis que eu e os filhos que tens dado mim.

 

versículos 14-18

Encarnação de Cristo.  AD 62.

14, visto como os filhos participam da carne e do sangue, também ele próprio também tomou parte do mesmo que pela morte aniquilasse o que tinha o poder da morte, isto é, o diabo 15 E livrasse todos os que, com medo da morte estavam por toda a vida sujeitos à escravidão. 16 Porque, na verdade, ele não tomou sobre si a natureza dos anjos, mas ele assumiu -lo a descendência de Abraão. 17 Portanto, em todas as coisas convinha que ele fosse feito semelhante a seus irmãos, para que ele poderia ser um sumo sacerdote misericordioso e fiel nas coisas concernentes a Deus, para expiar os pecados do povo. 18 Porque naquilo que ele mesmo sofreu, tendo sido tentado, é poderoso para socorrer os que são tentados.

 

Aqui o apóstolo prossegue para afirmar a encarnação de Cristo, como tomar sobre ele não a natureza dos anjos, mas a descendência de Abraão, e ele mostra o motivo e design de sua fazê-lo.

 

  1. A encarnação de Cristo é afirmado ( Hebreus 2:16Hebreus 2:16 ): . Na verdade ele não tomou sobre si a natureza dos anjos, mas ele tomou sobre si a semente de Abraão Ele participou de carne e osso. Embora como Deus, ele pré-existia desde toda a eternidade, mas na plenitude do tempo, ele tomou a nossa natureza em união com sua natureza divina, e tornou-se realmente e verdadeiramente homem. Ele não lançar mão de anjos, mas ele prendeu a descendência de Abraão. Os anjos caíram, e ele deixá-los ir, e se deitar sob o deserto, corrupção, e domínio de seu pecado, sem esperança ou ajuda. Cristo nunca projetado para ser o Salvador dos anjos caídos como a sua árvore caiu, para que ele fique, e devem permanecer para a eternidade, e, portanto, ele não assumir a sua natureza. A natureza dos anjos não poderia ser um sacrifício expiatório pelo pecado do homem. Agora Cristo resolver para recuperar a semente de Abraão e levantá-los de seu estado caído, ele tomou sobre si a natureza humana de um descendente dos lombos de Abraão, que a mesma natureza que havia pecado poderia sofrer, para restaurar a natureza humana a um estado de esperança e julgamento, e tudo o que aceitou de misericórdia a um estado de favor especial e salvação. Agora há esperança e ajuda para o principal dos pecadores em e por Cristo. Aqui é um preço pago suficiente para todos, e adequado a todos, pois era em nossa natureza. Vamos todos, em seguida, saber o dia da nossa visita gracioso, e melhorar o que a misericórdia distinguir o que tem sido demonstrado que os homens caídos, não para os anjos caídos.

 

  1. Os motivos e desenhos da encarnação de Cristo são declarados.

 

  1. Porque as crianças estavam participam da carne e sangue, ele deve tomar parte do mesmo, e ele fez como seus irmãos, Hebreus 2:14 , 15Hebreus 2: 14,15 . Por nenhuma natureza superior ou inferior que o do homem que tinha pecado poderia assim sofrer para o pecado do homem como para satisfazer a justiça de Deus, e levantar o homem a um estado de esperança, e fazer os crentes os filhos de Deus, e assim irmãos de Cristo .

 

  1. Ele tornou-se homem para que ele pudesse morrer como Deus, ele não poderia morrer, e, portanto, ele assumiu uma outra natureza e estado. Aqui, o maravilhoso amor de Deus apareceu, que, quando Cristo sabia o que ele deve sofrer em nossa natureza, e como ele deve morrer nele, mas ele tão prontamente tomou sobre ele. Os sacrifícios legais e as ofertas de Deus não podia aceitar como propiciação. Um corpo foi preparado para Cristo, e ele disse, Lo! Eu venho, tenho prazer em fazer a tua vontade.

 

  1. Que , por sua morte, destruísse aquele que tinha o poder da morte, isto é, o diabo, Hebreus 2:14Hebreus 2:14 . O diabo foi o primeiro pecador, eo primeiro tentador para o pecado, eo pecado foi a aquisição de causa de morte e ele pode ser dito ter o poder da morte, como ele atrai os homens em pecado, as formas das quais são a morte, como ele é muitas vezes permitida para aterrorizar as consciências dos homens com o medo da morte, e como ele é o executor da justiça divina, Haling suas almas de seus corpos ao tribunal de Deus, para receber ali a sua desgraça, e, em seguida, ser seu algoz, como ele foi antes de seu tentador. Nestes aspectos, ele pode ser dito ter tido o poder da morte. Mas agora Cristo, até agora, destruiu aquele que tinha o poder da morte que ele pode manter nenhuma sob o poder da morte espiritual nem pode tirar nenhuma no pecado (a aquisição de causa de morte), nem requerer a alma de qualquer do corpo, nem executar a sentença sobre qualquer, mas aqueles que escolhem e continuam a ser seus escravos dispostos, e persistir em sua inimizade a Deus.

 

  1. Que ele poderia entregar o seu próprio povo do temor servil de morte a que estão frequentemente sujeitos. Isto pode referir-se a santos do Velho-testamento, que estavam mais sob um espírito de escravidão, porque a vida e imortalidade não foram tão plenamente trouxe à tona como agora eles são pelo evangelho. Ou pode se referir a todo o povo de Deus, seja no âmbito do Antigo Testamento, ou o Novo, cujas mentes estão muitas vezes em medos desconcertantes sobre a morte ea eternidade. Cristo se fez homem e morreu, para entregá-los a partir dessas perplexidades da alma, por deixá-los saber que a morte não é apenas um inimigo vencido, mas um amigo reconciliado, não enviado para ferir a alma, ou separá-lo do amor de Deus, mas para colocar um fim a todas as suas queixas e reclamações, e dar-lhes uma passagem para a vida eterna e bem-aventurança de modo que para eles a morte não é agora na mão de Satanás, mas na mão de Cristo - e não o servo de Satanás, mas servo de Cristo - não tem o inferno que se lhe segue, mas o céu a todos os que estão em Cristo.

 

  1. Cristo deve ser feito semelhante a seus irmãos, para que ele poderia ser um sumo sacerdote misericordioso e fiel nas coisas concernentes à justiça e honra de Deus e para o apoio e conforto de seu povo. Ele deve ser fiel a Deus e misericordioso para com os homens. (1.) nas coisas concernentes a Deus, à sua justiça, e para sua honra - para expiar os pecados do povo, para fazer todos os atributos da natureza divina, e todas as pessoas subsistindo nele, harmonizar na recuperação do homem e totalmente reconciliar Deus eo homem. Observe, Houve uma grande brecha e briga entre Deus eo homem, por causa do pecado, mas Cristo, tornando-se homem e morrer, retomou a discussão, e fez a reconciliação tão longe que Deus está pronto para receber todos em favor e amizade que vir a ele por meio de Cristo. (2.) naquilo que é de seu povo, para o seu apoio e conforto: Em que ele sofreu, tendo sido tentado, é capaz de socorrer os que são tentados, Hebreus 2:18Hebreus 02:18 . Aqui observar, [1] a paixão de Cristo: Ele sofreu, tendo sido tentado e suas tentações não foram os menos parte de seus sofrimentos. Ele estava em todas as coisas tentado como nós somos, mas sem pecado, Hebreus 4:15Hebreus 4:15 . [2] compaixão de Cristo: Ele é capaz de socorrer os que são tentados. Ele é tocado com um sentimento de nossas fraquezas, um médico simpatizante, concurso e hábil ele sabe como lidar com as almas tristes tentado, porque ele foi-se doente da mesma doença, e não do pecado, mas da tentação e problemas de alma. A lembrança de suas próprias dores e tentações faz dele consciente dos ensaios de seu povo, e pronto para ajudá-los. Aqui observar, primeiro, O melhor dos cristãos estão sujeitos a tentações, a muitas tentações, enquanto neste mundo nunca vamos contar com uma liberdade absoluta das tentações deste mundo. Em segundo lugar, Temptations trazer nossas almas para tal aflição e perigo que eles precisam apoio e socorro. em terceiro lugar, Cristo está pronto e disposto a socorrer os que sob suas tentações se aplicam a ele e ele tornou-se homem, e foi tentado, para que ele seja cada maneira qualificado para socorrer seu povo.

Comentário bíblico Mathew Henry, novo testamento

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net