Translate this Page

Rating: 3.0/5 (914 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Comentario bíblico de Hebreus cap.3
Comentario bíblico de Hebreus cap.3

                 Comentario bíblico Hebreus cap.3

 

 

 Introdução

Neste capítulo, o apóstolo aplica-se o que tinha dito no precedente capítulo sobre o sacerdócio de Cristo, I. Em uma exortação patética grave que este grande sumo sacerdote, que foi descoberto para eles, pode ser seriamente considerada por eles, Hebreus 3: 1 -6 . II. Ele então adiciona muitos conselhos e advertências de peso, Hebreus 3: 7-19 .

 

versículos 1-6

A devida atenção a Cristo.     AD 62.

1 Pelo que, santos irmãos, participantes da vocação celestial, considerai o Apóstolo e Sumo Sacerdote da nossa confissão, Jesus 2 que foi fiel ao que o constituiu, assim como também Moisés foi fiel em toda a casa. 3 Porque este homem foi digno de tanto maior glória do que Moisés, quanto aquele que edificou a casa tem mais honra do que a casa. 4 Porque toda casa é edificada por homem , mas o que edificou todas as coisas é Deus. 5 Moisés, na verdade foi fiel em toda a casa, como servo, para testemunho das coisas que eram para ser falada após 6 Mas Cristo, como Filho sobre a casa de cuja casa somos nós, se nos ativermos a confiança ea regozijando-se da firma esperança até ao fim.

 

Nestes versos, temos a aplicação da doutrina estabelecida no fim do último capítulo a respeito do sacerdócio de nosso Senhor Jesus Cristo. E observar,

 

  1. Em quantos fervorosa e afetuosa forma o apóstolo exorta os cristãos a ter este sumo sacerdote muito em seus pensamentos, e fazê-lo o objeto de sua conta perto e sério e, certamente, ninguém na Terra ou no Céu merece nossa consideração mais do que ele. Que esta exortação possa ser feito o mais eficaz, observar,

 

  1. A compellation honrosa utilizado para com aqueles a quem ele escreveu: . Santos irmãos, participantes da vocação celestial (1) Irmãos, não só meus irmãos, mas os irmãos de Cristo, e nele irmãos para todos os santos. Todo o povo de Deus são irmãos, e deve amar e viver como irmãos. (2.) santos irmãos santos não só na profissão e título, mas em princípio e prática, no coração e na vida. Este foi transformado por alguns em escárnio: "Estes", dizem eles, "são os santos irmãos", mas é brincadeira perigosa com tais ponta-tools . Não ser escarnecedores, para que os vossos grilhões não se façam mais fortes Que aqueles que são, portanto, desprezado e trabalho desprezada para ser santos irmãos de fato, e aprovar-se de modo a Deus e eles não precisam ter vergonha do título, nem temer as zomba do profano. Está chegando o dia em que aqueles que fazem deste um termo de reprovação contaria isso a sua maior honra e felicidade de ser tidos em essa irmandade sagrada. (3.) participantes da vocação celestial --partakers dos meios da graça, e do Espírito da graça, que veio do céu, e por que os cristãos são chamados eficazmente das trevas para a luz maravilhosa, que a chamada que traz para baixo o céu nas almas dos homens, levanta-los para um temperamento celeste e conversa, e prepara-los para viver para sempre com Deus no céu.

 

  1. Os títulos que ele dá a Cristo, a quem ele teria los considerar: (1) Como o apóstolo da nossa profissão, o primeiro-ministro da igreja evangélica, um mensageiro e um mensageiro principais enviado de Deus aos homens, mediante a mais incumbência importante, o grande revelador de que a fé que professamos de segurar e da esperança que professamos ter. (2) Não só o apóstolo, mas o sumo sacerdote também, da nossa profissão, o diretor do Antigo Testamento, bem como o novo, o cabeça da igreja em cada estado e em cada dispensação, sobre cuja satisfação e intercessão nós professamos a depender, para perdão dos pecados, e aceitação com Deus. (3.) Como Cristo, o Messias, ungido e todos os sentidos qualificado para o cargo ambos apóstolo e sumo sacerdote. (4.) Como Jesus, nosso Salvador, o nosso curador, o grande médico das almas, caracterizado por a serpente de bronze que Moisés levantou no deserto, que aqueles que foram picados pelas serpentes venenosas pode olhar para ele, e ser salvo.

 

  1. Temos o dever que temos para com ele que carrega todos esses títulos de alta e honrosa, e que está a considerá-lo assim caracterizados. Considere o que ele é em si mesmo, o que ele é para nós, eo que ele será para nós a seguir e para sempre considerá-lo, corrigir seus pensamentos sobre ele com a maior atenção, e agir em direção a ele nesse sentido olhar para Jesus, autor e consumador de sua fé. Aqui observar, 1. Muitos que professam a fé em Cristo não tem a devida consideração para que ele não é tanto pensamento de como ele merece ser, e deseja ser, por aqueles que esperam a salvação dele. 2. consideração Fechar e sério de Cristo seria de grande vantagem para nós para aumentar nossa familiaridade com ele, e para envolver o nosso amor e nossa obediência a ele, e confiança nele. 3. Mesmo aqueles que são santos irmãos, e participantes da vocação celestial, tenho necessidade de agitar-se uns aos outros a pensar mais de Cristo do que eles, por tê-lo mais em suas mentes o melhor de seu povo pensar muito raramente e muito ligeiramente dele. 4. Devemos considerar Cristo como ele é descrito para nós nas escrituras, e formam nossas apreensões de dali, e não de quaisquer concepções vãs e fantasias da nossa própria.

 

III. Temos vários argumentos elaborados para fazer cumprir este dever de considerar Cristo sacerdote apóstolo e sumo de nossa profissão.

 

  1. O primeiro é levado da sua fidelidade, Hb 3: 2 . Ele foi fiel ao que o constituiu, assim como Moisés foi em toda a sua casa. (1.) Cristo é um mediador designado Deus o Pai enviou e selou-o a esse cargo, e, portanto, sua mediação é aceitável ao Pai. (2.) Ele é fiel a esse compromisso, pontualmente observando todas as regras e ordens de sua mediação, e totalmente executar a confiança nele depositada por seu pai e por seu povo. (3) Que ele é tão fiel ao que o constituiu como Moisés em toda a casa. Moisés foi fiel no cumprimento de seu escritório para a igreja judaica no Antigo Testamento, e assim é Cristo sob a New este foi um argumento adequado para insistir com os judeus, que tinha tão alta opinião da fidelidade de Moisés, e ainda assim sua fidelidade era mas típico de Cristo.

 

  1. Outro argumento é retirado da glória superior e excelência de Cristo acima de Moisés ( Hebreus 3: 3-6 ), portanto, eles eram mais obrigados a considerar Cristo. (1.) Cristo era um fabricante da casa, Moisés, mas um membro nele. Pela casa devemos entender a igreja de Deus, o povo de Deus incorporados juntos sob Cristo, seu criador e cabeça, e sob oficiais subordinados, de acordo com a sua lei, observando suas instituições. Cristo é o fabricante de casa da igreja em todas as idades: Moses era um ministro na casa, ele foi fundamental sob Cristo no governo e edificar a casa, mas Cristo é o criador de todas as coisas para ele é Deus, e ninguém menos do que Deus poderia construir a igreja, quer lançar as bases ou continuar a superestrutura. Não menos poder era necessária para fazer a igreja do que para tornar o mundo o mundo foi feito a partir do nada, a igreja feita a partir de materiais totalmente impróprios para tal edifício. Cristo, que é Deus, chamou a-plano de base da igreja, desde que os materiais e pelo poder onipotente eliminados-los para receber a forma que ele tem compactado e uniu esta sua casa, instalou-se as ordens dele, e coroado todos com a sua própria presença, que é a verdadeira glória desta casa de Deus. (2.) Cristo foi o mestre da casa, bem como o fabricante, Hebreus 3: 5,6 . Esta casa tem o estilo de sua casa, como o Filho de Deus. Moisés era apenas um servo fiel, para testemunho das coisas que eram depois de ser revelado. Cristo, como o Filho eterno de Deus, é o dono legítimo e soberano da igreja. Moisés foi apenas um governador típico, para testemunho de todas as coisas relacionadas com a igreja que seria mais clara, completa e confortavelmente revelada no evangelho pelo Espírito de Cristo e, portanto, Cristo é digno de tanto maior glória do que Moisés, e de maior respeito e consideração. Este argumento o apóstolo conclui: [1] Com uma acomodação confortável do que para si mesmo e todos os verdadeiros crentes ( Hebreus 3: 6 ). Qual casa somos nós: cada um de nós pessoalmente, como nós somos o templo do Espírito Santo, e Cristo habita em nós pela fé de todos nós, em conjunto, como estamos unidos pelos laços de graças, verdades, ordenanças disciplina evangelho, e devoções. [2] Com uma descrição característica das pessoas que constituem esta casa: " Se nos ativermos a confiança ea glória da esperança, com firmeza até o fim , isto é, se mantivermos uma profissão corajosa e aberta das verdades o evangelho, sobre a qual nossas esperanças de graça e glória são construídos, e viver em cima e até aquelas esperanças, de modo a ter uma alegria santa neles, que ficará firme até o fim, não obstante tudo o que podemos encontrar com no modo fazendo. " De modo que você vê lá não deve ser apenas um ajuste para fora bem nos caminhos de Cristo, mas a firmeza e perseverança nela até o fim. Temos aqui uma direção que os deve fazer quem iria participar da dignidade e privilégios da família de Cristo. Em primeiro lugar, eles devem tomar as verdades do evangelho em suas cabeças e corações. Em segundo lugar, eles devem construir suas esperanças de felicidade àqueles verdades. em terceiro lugar, eles devem fazer uma profissão aberta daquelas verdades. em quarto lugar, eles devem viver de modo a eles como para manter suas evidências claras, para que se regozijem na esperança, e, em seguida, eles devem em todos perseverar até o fim. Em uma palavra, que devem andar de perto, de forma consistente, com coragem, e constantemente, na fé e na prática do evangelho, que o seu Mestre, quando ele vier, pode possuir e aprová-los.

 

versículos 7-19

Adverte contra a apostasia.   AD 62.

7 Pelo que (como diz o Espírito Santo: Hoje, se ouvirdes a sua voz, 8 não endureçais os vossos corações, como na provocação, no dia da tentação no deserto: 9 onde vossos pais me tentaram, me provaram, e viram minhas obras por quarenta anos. 10 por isto me indignei contra essa geração, e disse: Estes sempre erram em seu coração e não chegaram a conhecer os meus caminhos. 11 Assim jurei na minha ira: não entrarão no meu repouso.) 12 Acautelai-vos, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um perverso coração de incredulidade, para se apartar do Deus vivo. 13 Mas exortar mutuamente cada dia, ao mesmo tempo que se chama Hoje que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado. 14 Porque nos tornamos participantes de Cristo, se mantivermos o início da nossa firme confiança até ao fim de 15 enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações, como na provocação. 16 Para alguns, quando eles tinham ouvido, o provocaram; mas não todos os que saíram do Egito por Moisés. 17 Mas com quem se indignou por quarenta anos? Foi isso não com os que pecaram, cujos corpos caíram no deserto? 18 E a quem jurou que não entrariam no seu descanso, mas para os que não creram? 19 E vemos que não puderam entrar por causa da incredulidade.

 

Aqui o apóstolo prossegue em pressionar sobre eles conselhos sérios e cuidados ao final do capítulo e ele recita uma passagem para fora do Salmo 95: 7 ., & C, onde observar,

 

  1. O que ele aconselha-os a fazer - para dar uma atenção rápida e apresentar ao chamado de Cristo. "Ouvi a sua voz, parecer favorável a, aprovar, e considerar, que Deus em Cristo fala ao aplicá-lo para vós com afeto e esforços adequados, e definir sobre isso o dia de hoje, porque amanhã pode ser tarde demais."

 

  1. O que ele adverte-os contra - endurecimento seus corações, transformando o surdo aos apelos e conselhos de Cristo: "Quando ele diz-lhe do mal do pecado, a excelência da santidade, a necessidade de recebê-lo pela fé como seu Salvador, não calar sua orelha e coração contra uma voz como este ". Observe, o endurecimento dos nossos corações é a fonte de todas as nossas outras pecados.

 

III. Cujo exemplo ele adverte-os - a dos israelitas seus pais, no deserto: assim como na provocação e no dia da tentação isso se refere a essa passagem notável em Massá Meribá, Êxodo 17: 2-7 . Observar,

 

  1. dias de tentação muitas vezes são dias de provocação.

 

  1. Para provocar Deus, quando ele está nos tentando, e deixando-nos ver que depender inteiramente e viver imediatamente após ele, é uma provocação com uma testemunha.

 

  1. Os pecados de outras pessoas, especialmente as nossas relações, deve ser um aviso para nós. pecados e as punições de nossos pais deve ser lembrado por nós, para nos impedir de seguir seus maus exemplos. Agora, como para o pecado dos pais dos judeus, aqui reflectiram, observar,

 

(1.) O estado em que esses pais eram, quando assim pecaram: eles estavam no deserto, tirou do Egito, mas não entrou em Canaã, os pensamentos da qual deveria ter impedido-los do pecado.

 

(2.) O pecado que eles eram culpados de: tentaram e provocaram a Deus eles não confiavam Deus, murmurou contra Moisés, e não atende à voz de Deus.

 

(3.) Os agravos de seus pecados: eles pecaram no deserto, onde tiveram uma dependência mais imediata a Deus: eles pecaram quando Deus estava tentando eles pecaram quando viram suas obras - obras de maravilha forjado para sua libertação fora do Egito, e seu apoio e de fornecimento no deserto de dia para dia. Eles continuaram, assim, para o pecado contra Deus por quarenta anos. Estes foram agravos hediondos.

 

(4.) A fonte e origem de tais pecados agravados, que eram, [1] Eles erraram em seus corações e estes coração-erros produziu muitos outros erros em seus lábios e vidas. [2] Eles não sabiam que os caminhos de Deus, embora tivesse andado diante deles. Eles não sabiam que seus caminhos nem aqueles modos de sua providência em que ele tinha andado em direção a eles, nem os caminhos de seu preceito em que deveria ter orientado em direção a Deus, eles não observaram tanto suas providências ou os seus preceitos de uma maneira correta.

 

(5.) O ressentimento justa e grande Deus teve os seus pecados, e ainda assim a grande paciência exerceu em relação a eles ( Hebreus 3:10 ): . Por isto me indignei contra essa geração Note, [1] Todo pecado, especialmente o pecado cometido por professos privilegiados de Deus, não apenas raiva e Deus afronta, mas entristece-lo. [2] Deus é loth para destruir o seu povo, ou pelo seu pecado, ele espera muito tempo para ser gracioso para eles. [3] Deus mantém uma conta exata do tempo que as pessoas vão em em pecar contra ele, e em luto ele por seus pecados, mas por fim, se eles por seus pecados continuam a entristecer o Espírito de Deus, deve ser feita seus pecados doloroso para os seus próprios espíritos, quer de uma forma de julgamento ou misericórdia.

 

(6.) A desgraça irreversível passou sobre eles, finalmente, pelos seus pecados. Deus jurou, em sua ira que não entrariam no seu descanso, o resto, quer de um terreno ou de um Canaã celestial. Observar, [1] Pecado, longa continuou em, vai acender a ira divina, e torná-lo chama-se contra os pecadores. [2] A ira de Deus vai descobrir em si, na sua resolução justa para destruir o impenitente ele vai jurar em sua ira, não precipitadamente, mas justiça, e sua ira fará sua condição uma condição inquieta não há descanso sob a ira de Deus.

 

  1. O que usar as marcas apóstolo de seu exemplo horrível, Hebreus 3: 12,13 , & c. Ele dá os hebreus a devida cautela, e aplica-lo com um compellation afetuoso.

 

  1. Ele dá os hebreus a devida cautela é a palavra, Olhai, blepete - . Olhar para ele "Olha sobre você esteja com a sua guarda contra os inimigos dentro e sem ser avisado Você vê o que manteve muitos dos seus antepassados ​​de fora. Canaã, e fez os seus cadáveres cair no deserto tomar cuidado para não cair no mesmo pecado e caixa e terrível sentença. Para você ver Cristo é a cabeça da igreja, uma pessoa muito maior do que Moisés e seu desprezo por ele deve ser um pecado maior do que o seu desprezo de Moisés e então você está em perigo de cair sob uma sentença mais severa do que eles ". Observe-se, A ruína dos outros deve ser um aviso para nós tomar cuidado da rocha que eles se separaram em cima. A queda de Israel deve para sempre ser um aviso para todos os que vêm depois deles para todas estas coisas aconteceram a eles como exemplos ( 1 Coríntios 10:11 ), e deve ser lembrado por nós. Vede todos os que iria chegar em segurança para o céu deve olhar sobre eles.

 

  1. Ele reforça a admoestação com uma compellation afetuoso: " Irmãos, não só na carne, mas no senhor irmãos a quem amo, e por cujo bem-estar de trabalho I e longo prazo." E aqui ele amplia sobre a questão de a admoestação: Acautelai-vos, irmãos, que nunca haja em qualquer de vós um coração mau e infiel para se apartar do Deus vivo. Aqui observar, (1.) Um coração de incredulidade é um coração mau . A incredulidade é um grande pecado, que vicia o coração do homem. (2.) Um coração mau e infiel está na parte inferior de todas as nossas partidas pecaminosas de Deus é um passo que conduz à apostasia se, uma vez que nos permitimos desconfiar de Deus, em breve poderemos abandoná-lo. (3.) irmãos cristãos que preciso ser advertidos contra a apostasia. Que aqueles que pensam que estão também atentos para que não caiam.

 

  1. Ele subjoins bom conselho para a cautela, e aconselha-os ao que seria um remédio contra este perverso coração de incredulidade - que eles devem exortar uns aos outros todos os dias, enquanto ele é chamado a-dia, Hebreus 03:13 . Observe: (1) Devemos fazer todo o bem que pudermos para o outro, enquanto estamos juntos, o que vai ser, mas uma curta e incerta tempo. (2) Uma vez que amanhã não é da nossa, temos de fazer o melhor melhoria do a-dia. (3) Se os cristãos não exortar mutuamente cada dia, eles vão estar em perigo de ser endureça pelo engano do pecado. Note-se, [1] Há uma grande quantidade de falsidade no pecado parece justo, mas é sujo parece agradável, mas é pernicioso que promete muito, mas executa nada. [2] O engano do pecado é de natureza endurecimento à alma um pecado permitiu que se prepara para outra todo ato de pecado confirma o hábito de pecar contra a consciência é o caminho para cauterizar a consciência e, portanto, deve ser a grande preocupação de cada um exortar ele próprio e outros para ter cuidado com o pecado.

 

  1. Ele conforta aqueles que não só definir bem, mas segure-se bem, e mantenha até o fim ( Hebreus 03:14 ): Nós somos feitos participantes de Cristo, se retivermos firmemente o princípio da nossa confiança firme até o fim. aqui observar, (1.) privilégio dos santos: eles são feitos participantes de Cristo, isto é, do Espírito, natureza, graças, justiça e vida de Cristo que eles estão interessados ​​em tudo o que é de Cristo, em tudo o que é , em tudo o que ele tem feito, ou pode fazer. (2.) A condição em que se mantenha esse privilégio, ou seja, a sua perseverança na profissão corajosa e aberta e prática de Cristo e do cristianismo até o fim. Não, mas eles devem perseverar, sendo mantidos pelo poder de Deus através da fé para a salvação, mas para ser pressionado assim, é um meio pelo qual Cristo ajuda seu povo a perseverar. Isso tende a torná-los vigilante e diligente, e por isso os impede de apostasia. Aqui observar, [1] O mesmo espírito com o qual os cristãos estabelecido nos caminhos de Deus, eles devem manter e provas para o fim. Aqueles que começam a sério, e com afecções animadas e resoluções sagrados e humilde confiança, deve ir em com o mesmo espírito. Mas, [2] Há um grande muitos que no início da sua profissão mostram uma grande dose de coragem e confiança, mas não mantê-los rápido ao fim. [3] A perseverança na fé é a melhor prova da sinceridade de nossa fé.

 

  1. O apóstolo retoma o que ele tinha citado antes do Salmo 95: 7 ., & C, e aplica-lo de perto para os daquela geração, Hebreus 3: 15,16 , & c. Enquanto se diz, Hoje, se ouvirdes, & c. como se ele deveria dizer: "O que foi recitado antes de que a escritura não pertencia apenas a antigos idades, mas para você agora, ea todos os que virão depois de que você tome cuidado que você não cair os mesmos pecados, para que não se enquadram a mesma condenação. " O apóstolo diz-lhes que, apesar de alguns que tinham ouvido a voz de Deus a provocá-lo, mas todos não o fizeram. Observe: (1) Embora a maioria dos ouvintes provocado a Deus por incredulidade, mas alguns houve que acreditou o relatório. (2) Embora a escuta da Palavra ser o meio ordinário de salvação, ainda, se não for dado ouvidos aos, ele irá expor os homens mais para a ira de Deus. (3.) Deus terá um remanescente que deve ser obediente à sua voz, e ele vai cuidar de tais e fazer menção deles com honra. (4.) Se estes devem cair em uma calamidade comum, mas eles devem participar da salvação eterna, enquanto ouvintes desobedientes para destruição.

 

  1. O apóstolo coloca algumas consultas sobre o que tinha sido antes mencionado, e dá respostas adequadas a eles ( Hebreus 3: 17-19 ): Mas com quem se indignou por quarenta anos? Com os que pecaram. E a quem jurou? & C. Donde observar, (1) Deus é entristecido apenas com os de seu povo que pecam contra ele, e continuar no pecado. (2) Deus é ofendido e provocou mais por pecados cometidos publicamente pela generalidade de uma nação quando o pecado torna-se epidemia, é mais irritante. (3.) Embora Deus se entristece muito tempo, e ursos de comprimento, quando pressionado com o peso da maldade geral e predominante, no entanto, ele vai longamente aliviar-se de criminosos públicos por julgamentos públicos. (4.) A incredulidade (com a rebelião que é consequente do mesmo) é o grande pecado condenável do mundo, especialmente daqueles que têm uma revelação da mente e vontade de Deus. Este pecado fecha-se o coração de Deus, e fecha-se a porta do céu, contra eles, coloca-los sob a ira e maldição de Deus, e deixa-los lá para que na verdade e na justiça a si mesmo, ele é obrigado a lançá-los fora por sempre.

Comentário bíblico Mathew Henrys, novo testamento

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net