Translate this Page

Rating: 3.0/5 (914 votos)



ONLINE
9




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Comentario bíblico de Hebreus cap.6
Comentario bíblico de Hebreus cap.6

                           Comentario bíblico Hebreus cap.6

 

 

Introdução

Neste capítulo, o apóstolo prossegue para persuadir os hebreus para fazer uma melhor proficiência em religião do que eles tinham feito, como a melhor maneira de prevenir a apostasia, a natureza e as consequências terríveis do que o pecado que ele apresenta de uma forma séria ( Hebreus 6: 1 -8 ), e depois expressa suas boas esperanças a respeito deles, que eles iriam perseverar na fé e santidade, para a qual ele exorta-os, e se põe diante de si o grande incentivo que teve de Deus, tanto no que diz respeito ao seu dever e felicidade, Hebreus 6: 9-20 .

 

versículos 1-8

Avanço em santidade primeiros princípios.        AD 62.

1 Pelo que deixando os rudimentos da doutrina de Cristo, prossigamos até a perfeição, não lançando de novo o fundamento do arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, 2 eo ensino sobre batismos e imposição de mãos, e sobre ressurreição dos mortos, e do juízo eterno. 3 E isso faremos, se Deus o permitir. 4 Porque é impossível que os que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, 5 e provaram a boa palavra de Deus, e os poderes do mundo vindouro, 6 Se eles caíram, sejam outra vez renovados para arrependimento, vendo, crucificando para si mesmos o Filho de Deus novamente, e colocá -lo à vergonha pública. 7 Porque a terra que embebe a chuva, que cai muitas vezes sobre ela, e produz erva proveitosa para aqueles por quem é lavrada, recebe a bênção de Deus: 8 mas se produz espinhos e abrolhos é reprovada, e é quase até xingando cujas final é para ser queimado.

 

Temos aqui o conselho do Apóstolo aos Hebreus - que eles iriam crescer a partir de um estado de infância para a plenitude da estatura do novo homem em Cristo. Ele declara a sua disponibilidade para ajudar-lhes tudo o que podia em seu progresso espiritual e, para sua maior incentivo, ele se coloca com eles: . Prossigamos Aqui observar, para o seu crescimento, os cristãos devem deixar os rudimentos da doutrina de Cristo. Como eles devem deixá-los? Eles não devem perdê-los, eles não devem desprezá-los, eles não devem esquecer-los. Eles devem colocá-los em seus corações, e colocá-las como a base de toda a sua profissão e expectativa, mas eles não devem descansar e ficar em-los, eles não devem ser sempre colocando a fundação, eles devem continuar, e construir sobre ele. Deve haver uma superestrutura para a fundação é colocada com o propósito de apoiar a construção. Aqui pode ser inquirido, Por que a determinação apóstolo para definir a carne forte antes que os hebreus, quando ele sabia que eles eram apenas bebês? Resposta. 1. Embora alguns deles foram, mas fraco, mas outros deles tinha ganhado mais força e que devem ser fornecidas para adequadamente. E, os cristãos como aqueles que são cultivadas deve estar disposto a ouvir as verdades mais claras pregado por causa dos fracos, de modo que o fraco deve estar disposto a ouvir as verdades mais difíceis e misteriosos pregou para o bem daqueles que são fortes. 2. Ele esperava que eles iriam estar crescendo em sua força espiritual, e em estatura, e assim ser capaz de digerir a carne mais forte.

 

  1. O apóstolo menciona vários fundação-princípios, que devem ser bem definidos no início, e, em seguida, construídos sobre nem o tempo nem a deles deve ser gasto em colocar essas fundações e outra vez. Estas fundações são seis: -

 

  1. O arrependimento de obras mortas, ou seja, a conversão e regeneração, o arrependimento de um estado espiritualmente mortos e claro, como se ele tivesse dito: "Cuidado de destruir a vida da graça em suas almas suas mentes foram alteradas pela conversão, e por isso foram o seu vidas. Tome cuidado para que você não voltar a pecar, para, em seguida, você deve ter a base para colocar novamente deve haver uma segunda conversão a arrepender-se não só de, mas a partir de, obras mortas. " Observe aqui, (1.) Os pecados de pessoas não convertidas são obras mortas, eles procedem de pessoas espiritualmente mortas, e eles tendem a morte eterna. (2.) O arrependimento de obras mortas, se está certo, é o arrependimento de obras mortas, uma mudança universal de coração e vida. (3.) O arrependimento para e das obras mortas, é uma fundação-princípio, que não deve ser colocado de novo, embora devemos renovar nosso arrependimento diariamente.

 

  1. A fé em Deus, uma firme convicção da existência de Deus, de sua natureza, atributos e perfeições, a trindade de pessoas na unidade da essência, toda a mente ea vontade de Deus revelada na sua palavra, especialmente o que se refere ao Senhor Jesus Cristo. Devemos pela fé familiarizar-nos com estas coisas que devemos concordar com eles, devemos aprovar deles, e aplicar toda a nós mesmos com afeições e ações adequadas. Observe: (1) O arrependimento de obras mortas e de fé em Deus, estão conectados, e sempre andam juntos eles são gêmeos inseparáveis, um não pode viver sem o outro. (2.) Ambos são de fundação-princípios, que devem ser bem definidos, uma vez, mas nunca puxado para cima, de modo a precisar de ser colocado de novo não devemos recaída em infidelidade.

 

  1. A doutrina dos batismos, isto é, de ser batizado por um ministro de Cristo com água, em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo, como o sinal de iniciar ou selo do pacto da graça , envolvendo fortemente a pessoa assim batizado para se familiarizar com a nova aliança, a aderir a ela, e se preparar para renová-lo à mesa do Senhor e sinceramente para regular-se de acordo com ela, contando com a verdade e fidelidade de Deus para o bênçãos nele contidas. E a doutrina de um batismo para dentro, a do Espírito aspersão do sangue de Cristo na alma, para a justificação, e as graças do Espírito para a santificação. Esta ordenança do batismo é uma fundação para ser corretamente colocado, e diariamente lembrado, mas não repetiu.

 

  1. A imposição de mãos sobre as pessoas que passam solenemente de seu estado iniciado pelo batismo para o estado confirmou, retornando a resposta de uma boa consciência para com Deus, e sentar-se à mesa do Senhor. Esta passagem de incompleta para completar membros da igreja foi realizada pela imposição das mãos, o que foi transporte extraordinário do dom do Espírito Santo continuou. Esta, uma vez feito, todos são obrigados a respeitar, e não precisa de outro admissão solene, como no início, mas para continuar, e crescem, em Cristo. Ou por isso pode ser destinado a ordenação de pessoas para o escritório ministerial, que estão devidamente habilitados para isso e inclinado a ele e isso com jejum e oração, com a imposição das mãos do presbitério: e isso é para ser feito, mas uma vez.

 

  1. A ressurreição dos mortos, isto é, de cadáveres e sua re-união com suas almas, para ser companheiros eternos juntos na alegria ou de angústia, de acordo como seu estado foi em direção a Deus quando eles morreram, e o curso da vida que levou neste mundo.

 

  1. juízo eterno, determinando a alma de cada um, quando ele deixa o corpo no momento da morte, e a alma eo corpo no último dia, ao seu estado eterno, cada um ao seu sociedade adequada e emprego a que tinham direito e equipado aqui na terra os ímpios ao castigo eterno, os justos para a vida eterna.

 

Estes são os grandes fundação-princípios que os ministros devem clara e convincente se desdobram, e estreitamente se aplicam. Nestes as pessoas devem ser bem instruídos e estabeleceu, e, destes, eles nunca devem partir sem estes, as outras partes da religião não têm fundamento para apoiá-los.

 

  1. O apóstolo declara sua prontidão e resolução para ajudar os hebreus no edificando-se sobre estas fundações até que eles cheguem à perfeição: E isso faremos, se Deus o permitir, Hebreus 6: 3 . E, assim, ele ensina-los, 1. Resolução Esse direito é muito necessário para o progresso e proficiência em religião. 2. Que essa resolução é certo que não só é feita na sinceridade de nossos corações, mas em uma humilde dependência de Deus para a força, de assistência e de justiça, para a aceitação, e por tempo e oportunidade. 3. Que os ministros não só deve ensinar as pessoas o que fazer, mas vá adiante deles, e junto com eles, no caminho do dever.

 

III. Ele mostra que esse crescimento espiritual é o caminho mais seguro para evitar que o pecado terrível da apostasia da fé. E aqui,

 

  1. Ele mostra como as pessoas agora podem ir na religião, e, afinal, cair, e para destruição, Hebreus 6: 4 , 5 . (1) Podem ser esclarecido. Alguns dos antigos entender isso de serem batizados, mas é bastante para ser entendido de conhecimento teórico e iluminação comum, de que as pessoas podem ter um grande negócio, e ainda vêm brevemente do céu. Balaão era o homem cujos olhos foram abertos ( Números 24: 3 ), e ainda com os olhos abertos, desceu para proferir escuridão. (2.) Eles podem saborear o dom celestial, sentir algo da eficácia do Espírito Santo em suas operações em suas almas, levando-os a provar algo da religião, e ainda assim ser como pessoas no mercado, que gosto do que eles não virá até o preço de, e por isso, mas ter um gosto, e deixá-lo. As pessoas podem saborear religião, e parecem gostar, se eles poderiam tê-lo mediante condições mais favoráveis ​​do que negar a si mesmos, e tomando a sua cruz e seguir a Cristo. (3) Podem ser feitos participantes do Espírito Santo, isto é, de seus dons extraordinários e milagrosas que podem não expulsamos demônios em nome de Cristo, e feito muitos outros milagres. Tais presentes no período apostólico eram por vezes concedida a aqueles que não tinham verdadeira graça salvadora. (4.) Eles podem saborear a boa palavra de Deus eles podem ter algum prazer das doutrinas do evangelho, pode ouvir a palavra com prazer, pode se lembrar muito dele, e falar bem dele, e ainda assim nunca seria lançado dentro da forma e molde dele, nem tê-lo habitando ricamente neles. (5.) Eles podem ter sabor de os poderes do mundo vindouro eles podem ter estado sob fortes impressões sobre o Céu, e medo de ir para o inferno. Estes comprimentos hipócritas podem ir, e, afinal, transformar apóstatas. Agora, portanto, observar, [1] Estes grandes coisas são faladas aqui daqueles que podem cair ainda não é dito aqui dos que eram verdadeiramente convertido, ou que eles eram justificados há mais na verdadeira graça salvadora do que em tudo o que é dito aqui de apóstatas. [2] Este, portanto, não é prova da apostasia final dos verdadeiros santos. Estes fato pode cair com frequência e abominavelmente, mas ainda se não totalmente, nem, finalmente, da parte de Deus o propósito e o poder de Deus, a compra e a oração de Cristo, a promessa do evangelho, a aliança eterna que Deus fez com eles, em tudo bem ordenado e seguro, a habitação do Espírito, ea semente imortal da palavra, estes são a sua segurança. Mas a árvore que não tem essas raízes não vai ficar.

 

  1. O apóstolo descreve o caso terrível de como a cair depois de ter ido tão longe na profissão da religião. (1.) A grandeza do pecado de apostasia. Ele está crucificando o Filho de Deus novamente, e colocando-o à ignomínia. Eles declaram que aprovam o que os judeus fizeram em crucificar a Cristo, e que ficaria feliz em fazer a mesma coisa novamente se ela estivesse em seu poder. Eles derramam o maior desprezo sobre o Filho de Deus, e, portanto, sobre o próprio Deus, que espera que todos devem reverenciar seu Filho, e honrá-lo como honram o Pai. Eles fazem o que nos cabe-lhes para representar Cristo e cristianismo como uma coisa vergonhosa, e teria ele para ser uma vergonha pública e censura. Essa é a natureza da apostasia. (2.) A grande miséria de apóstatas. [1] É impossível renová-los para arrependimento. É extremamente perigosos. Muito poucos exemplos podem ser dados daqueles que têm ido tão longe e caído, e ainda assim nunca foram levados ao verdadeiro arrependimento, tal arrependimento como é de fato uma renovação da alma. Alguns têm pensado é o pecado contra o Espírito Santo, mas sem chão. O pecado aqui mencionado é claramente a apostasia tanto da verdade e os caminhos de Cristo. Deus pode renová-los para arrependimento, mas ele raramente faz e com os próprios homens é impossível. [2] Sua miséria é exemplificado por uma similitude adequada, feita a partir do solo, que depois de muita cultivo traz nada além de espinhos e abrolhos e, portanto, está próximo da maldição, e seu fim é ser queimada, Hebreus 6: 8 . . Para dar a este a maior força aqui se observa a diferença que existe entre a boa terra e os maus, que esses contrários, sendo definido um defronte do outro, ilustrar o outro Primeiro Aqui está uma descrição da boa terra: Ele bebe na chuva, que cai muitas vezes sobre ela. os crentes fazer não só o gosto da palavra de Deus, mas eles bebem-lo e esta boa terra produz fruto responsável perante o custo definidos, para a honra de Cristo e do conforto de seu fiel ministros, que são, sob Cristo, armários do solo. E esta fruta-campo ou jardim recebe a bênção. Deus declara cristãos frutíferos abençoado, e conta todos os homens sábios e bons los abençoados: são abençoados com aumento de graça, e com posterior estabelecimento e glória no passado. Em segundo lugar, aqui é o diferente caso do terreno ruim: Ele carrega espinhos e abrolhos não só é estéril de bons frutos, mas frutífera no que é ruim, espinhos e abrolhos, frutífera em pecado e maldade, que são problemático e prejudicial a todos sobre eles, e será mais assim pecadores-se, finalmente, e, em seguida, tais chão é rejeitada. Deus vai preocupar-se não mais sobre esses apóstatas ímpios ele vai deixá-los sozinhos, e os lançaram fora dos seus cuidados, ele vai comandar as nuvens que chuva não mais sobre eles. Influências divinas, devem ser mantidas e que nem tudo é, mas tal motivo , perto está amaldiçoando até agora é de receber a bênção, que uma terrível maldição paira sobre ele, embora ainda, através da paciência de Deus, a maldição não é totalmente executado. Por último, seu fim é ser queimada. Apostasia será punido com as labaredas eternas, o fogo que nunca se apagará. Este é o triste fim para o qual a apostasia conduz, e, portanto, os cristãos devem continuar e crescer na graça, para que, se eles não vão para a frente, eles devem ir para trás, até que eles trazem questões a esta extremidade lamentável de pecado e miséria.

 

versículos 9-20

Precauções contra a apostasia A Divina Promessa e juramento. AD 62.

9 Mas, amados, estamos persuadidos de coisas melhores, e coisas que acompanham a salvação, ainda que assim falamos. 10 Porque Deus é não injusto para se esquecer a sua obra, e do amor, que fizestes para com o seu nome, por terdes ministrado aos santos, e ainda os servis. 11 E desejamos que cada um de você mostrar a mesma diligência para a plena certeza da esperança até ao fim: 12 que não vos torneis indolentes, mas imitadores dos que pela fé e paciência herdam as promessas. 13 Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, visto que não podia jurar por não maior, jurou por si mesmo, 14 dizendo: Certamente abençoando te abençoarei, e multiplicando te multiplicarei. 15 E assim, tendo Abraão esperado com paciência, alcançou a promessa. 16 Pois os homens juram por quem é maior, eo juramento para confirmação é para eles, o fim de toda contenda. 17 que, querendo Deus mais abundantemente mostrar aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu conselho, confirmou que com juramento; 18 para que por duas coisas imutáveis, nas quais era impossível que Deus minta, podemos ter a firme consolação, que nos refugiamos em lançar mão da esperança proposta: 19 que esperança temos como âncora da alma, segura e firme, e que penetra até o interior do véu 20 para onde o precursor, entrou por nós, mesmo Jesus, fez um sumo sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque.

 

O apóstolo, tendo-se aplicado aos temores dos hebreus, a fim de excitar sua diligência e evitar a sua apostasia, agora passa a aplicar-se a suas esperanças e abertamente declara a boa esperança de que ele lhes tinha respeito, para que eles iriam perseverar e propõe -lhes as grandes incentivos que tinham no caminho de seu dever.

 

  1. Ele livre e abertamente declara a boa esperança de que ele lhes tinha respeito, para que eles iriam perseverar até o fim: Mas amados, estamos persuadidos de coisas melhores do que você, Hebreus 6: 9 . Observe, 1. Há coisas que acompanham a salvação, coisas que nunca são separados de salvação, coisas que mostram a pessoa a estar em um estado de salvação, e emitirá na salvação eterna. 2. As coisas que acompanham a salvação são coisas melhor do que nunca qualquer hipócrita ou apóstata apreciado. Eles são melhores em sua natureza e em sua emissão. 3. É nosso dever espero bem daqueles em quem não aparece nada em contrário. 4. Os Ministros devem às vezes falam por meio de cautela para aqueles de cuja salvação eles têm boas esperanças. E aqueles que têm em si mesmas boas esperanças, quanto à sua salvação eterna, deve ainda considerar seriamente como fatal uma decepção seria se eles devem ficar aquém. Assim, eles estão a trabalhar a sua salvação com temor e tremor.

 

  1. Ele propõe argumentos e encorajamentos para eles para ir no caminho de seu dever. 1. Que Deus havia feito um princípio de santo amor e da caridade em si, que se tinha descoberto em obras adequadas que não seriam esquecidos de Deus: Deus não é injusto para esquecer o seu trabalho de amor, Hebreus 6:10 . Boas obras e de trabalho provenientes de amor a Deus são louváveis ​​e que é feito para qualquer em nome de Deus não deve ser recompensada. O que é feito para os santos, como tal, Deus toma como feito a si mesmo. 2. Aqueles que esperam uma recompensa graciosa para o trabalho de amor deve continuar nele enquanto eles têm capacidade ea oportunidade: Você tem ministrado aos santos, e ainda os servis e desejamos que cada um de vós mostre o mesmo zelo . 3. Aqueles que perseveram em uma descarga diligente do seu dever deve atingir a plena certeza da esperança no final. Observe: (1) a garantia completa é um maior grau de esperança, é completa certeza da esperança eles não diferem em natureza, mas apenas em grau. (2.) A garantia completa é atingível por grande diligência e perseverança até o fim.

 

III. Ele passa a colocou diante deles cautela e conselhos como atingir esta completa certeza da esperança até ao fim. 1. Que eles não devem ser preguiçoso. A preguiça vai vestir-se de trapos: eles não devem amar a sua vontade, nem perder as suas oportunidades. 2. Que eles iriam seguir os bons exemplos daqueles que tinham ido antes, Hebreus 06:12 . Aqui saber: (1) Há alguns que de garantia de ter ido para herdar as promessas. Eles acreditavam antes, agora eles herdam-los que eles têm com segurança para o céu. (2.) A maneira pela qual eles vieram a herança era o de fé e paciência. Estas graças foram implantados em suas almas, e tirei em ato e exercício em suas vidas. Se alguma vez esperar para herdar como eles fazem, devemos segui-los no caminho da fé e paciência e aqueles que, assim, segui-los no caminho os alcançará no final, e ser participantes do mesmo bem-aventurança.

 

  1. O apóstolo fecha o capítulo com uma conta clara e completa da verdade assegurada das promessas de Deus, Hebreus 06:13 , até o fim. Eles estão todos confirmados pelo juramento de Deus, e todos eles são fundada no eterno conselho de Deus, e, portanto, pode ser dependia.

 

  1. Eles estão todos confirmados pelo juramento de Deus. Ele não só tem dado o seu povo a sua palavra, e sua mão e selo, mas o seu juramento. E aqui, você vai observar, ele especifica o juramento de Deus a Abraão, que, sendo jurado a ele como o pai dos fiéis, permanece em pleno vigor e força a todos os verdadeiros crentes: Quando Deus fez uma promessa a Abraão, porque ele podia jurar por não maior, jurou por si mesmo. Observe: (1) Qual foi a promessa: . Certamente, abençoando te abençoarei, e multiplicando te multiplicarei a bênção de Deus é a bem-aventurança de seu povo e aqueles a quem ele abençoou de fato ele vai continuar a abençoar, e multiplicá bênçãos, até que lhes trouxe para aperfeiçoar a bem-aventurança. (2.) Qual foi o juramento pelo qual essa promessa foi ratificado: . Ele jurou por si mesmo Ele apostou para baixo seu próprio ser e sua própria bem-aventurança sobre ela há maior segurança pode ser dada ou desejado. (3.) Como foi esse juramento realizado. Abraham, em devido tempo, alcançou a promessa. Foi feito bom para ele depois de ter paciência. [1] Há sempre um intervalo, e às vezes longa, entre a promessa eo desempenho. [2] Esse intervalo é um tempo tentando crentes, se eles têm paciência para suportar até o fim. [3] Aqueles que pacientemente suportar obterá certamente a bem-aventurança prometida, tão certo como Abraão fez. [4] O fim e design de um juramento é fazer com que a promessa certeza, e para encorajar aqueles a quem é feito para esperar com paciência até que o tempo de trata de desempenho, Hebreus 06:16 . Um juramento com os homens é a confirmação, e é o fim de toda contenda. Essa é a natureza e design de um juramento, em que os homens juram por alguém superior, não por criaturas, mas pelo próprio Senhor e é para colocar um fim a toda controvérsia sobre o assunto, tanto para as disputas dentro de nossos próprios seios (Dúvidas e desconfia), e disputas com os outros, especialmente com o Prometedor. Agora, se Deus quis se rebaixar a prestar o juramento de seu povo, ele certamente irá se lembrar a natureza e concepção do mesmo.

 

  1. As promessas de Deus são todos fundados em seu eterno conselho e este conselho da sua é uma imutável conselho. (1.) A promessa de benção que Deus fez aos crentes não é uma erupção cutânea e coisa precipitada, mas o resultado do propósito eterno de Deus. (2.) O propósito de Deus foi acordado em conselho e lá se estabeleceram entre o Pai eterno, o Filho eo Espírito. (3) Estes conselhos de Deus nunca pode ser alterada eles são imutáveis. Deus nunca precisa mudar seus conselhos para nada novo pode surgir para aquele que vê o fim desde o começo.

 

  1. As promessas de Deus, que são fundadas sobre esses conselhos imutáveis ​​de Deus, e confirmado pelo juramento de Deus, pode seguramente ser dependia para aqui nós temos duas coisas imutáveis, o conselho e o juramento de Deus, em que é impossível que Deus minta, contrária à sua natureza, bem como a sua vontade. Aqui observar,

 

(1) Quem são eles a quem Deus deu essa garantia cheia de felicidade. [1] Eles são os herdeiros da promessa: como ter um título com as promessas por herança, em virtude de seu novo nascimento, e a união com Cristo. Estamos todos por natureza filhos da ira. A maldição é a herança nascemos para: trata-se de um nascimento novo e celestial que qualquer nascem herdeiros da promessa. [2] Eles são, como nos refugiamos à esperança colocada diante deles. Nos termos da lei, havia cidades de refúgio fornecidos para aqueles que foram perseguidos pelo vingador do sangue. Aqui é um refúgio muito melhor preparado pelo evangelho, um refúgio para todos os pecadores que tem o coração a fugir para que sim, apesar de terem sido o principal dos pecadores.

 

(2.) O que o projeto de Deus para com eles é, em dar-lhes esses títulos - para que tenham forte consolação. Observar, [1] Deus está preocupado com o consolo dos crentes, bem como para a sua santificação ele teria seus filhos andar no temor do Senhor e no conforto do Espírito Santo. [2] As consolações de Deus são fortes o suficiente para suportar o seu povo sob seus ensaios mais fortes. O conforto deste mundo são muito fracos para suportar a alma sob a tentação, perseguição e morte, mas as consolações do Senhor são poucas nem pequenas.

 

(3.) O que usar o povo de Deus deve fazer da sua esperança e conforto, que a esperança mais refrescante e confortável de bem-aventurança eterna que Deus lhes deu. Este é, e deve ser, para eles, por uma âncora para a alma, segura e firme, & c., Hebreus 06:19 . Aqui, [1] Nós estamos neste mundo como um navio no mar, susceptível de ser atiradas para cima e para baixo, e em perigo de ser lançado fora. Nossas almas são os vasos. O conforto, as expectativas, graças, ea felicidade de nossas almas são a preciosa carga com a qual estes navios são carregados. O céu é o porto em que navegamos. As tentações, perseguições e aflições que encontramos, são os ventos e as ondas que ameaçam a nossa naufrágio. [2] Temos necessidade de uma âncora para manter-nos firme e segura, ou que estão em perigo contínuo. [3] esperança Evangelho é a nossa âncora como no nosso dia da batalha é o nosso capacete, portanto, em nossa passagem de tempestade por este mundo é nossa âncora. [4] É segura e firme, ou então ele não poderia manter-nos assim. Primeiro, É certo em sua própria natureza, pois é o trabalho especial de Deus na alma. É uma boa esperança, pela graça não é uma esperança lisonjeira feita de teia de aranha, mas é uma verdadeira obra de Deus, é uma coisa forte e substancial. Em segundo lugar, ele é firme quanto ao seu objeto é uma âncora que tomou boa espera, entra o que está dentro do véu é uma âncora que é lançado sobre a rocha, a rocha de idades. Ele não busca para prender nas areias, mas entra dentro do véu, e correções há em Cristo, ele é o objeto, ele é a âncora-hold da esperança do crente. Como uma glória invisível dentro do véu é o que o crente está esperando, então um Jesus invisível dentro do véu é o fundamento de sua esperança a livre graça de Deus, os méritos e mediação de Cristo, e as poderosas influências do seu Espírito, são as razões de sua esperança, e por isso é uma esperança firme. Jesus Cristo é o objeto e fundamento da esperança do crente, e por isso é uma esperança firme. Jesus Cristo é o objeto e fundamento da esperança do crente em vários aspectos. 1. Como ele entrou dentro do véu, para interceder com Deus, em virtude de que o sacrifício que ofereceu-se sem o véu: a esperança fixa sobre o seu sacrifício e intercessão. 2. Como ele é o precursor do seu povo, ido para dentro do véu, para preparar um lugar para eles, e para assegurar-lhes que eles devem segui-lo, ele é os frutos sério e primeiros dos crentes, tanto na sua ressurreição e na sua ascensão . 3. E ele permanece lá, um sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque, sacerdote para sempre, cujo sacerdócio jamais cessam, nunca falham, até que ele realizou todo o seu trabalho e design, que é a felicidade total e definitiva de todos os que creram em Cristo. Agora, isso deve envolver-nos a esclarecer o nosso interesse em Cristo, para que possamos corrigir nossas esperanças nele como nosso precursor, que entrou lá para nós, por nossa causa, para a nossa segurança, para vigiar o nosso maior interesse e preocupações. Vamos, então, amar o céu a mais em sua conta, e muito tempo para estar lá com ele, onde permanecerá para sempre seguro, e sempre satisfeito.

Comentário bíblico Mathew Henry, novo testamento

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net