Translate this Page

Rating: 3.0/5 (915 votos)



ONLINE
2




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Comentário bíblico de Hebreus cap.9
Comentário bíblico de Hebreus cap.9

                 Comentário bíblico Hebreus cap.9 

 

 Introdução

O apóstolo, tendo declarado a dispensação-Velho Testamento antiquada e de desaparecer, passa a deixar os hebreus ver a correspondência que havia entre o Antigo eo Novo Testamento e que tudo o que foi excelente no Velho foi típico e representativo da Nova, que, portanto, devem, na medida do excel do velho como a substância faz a sombra. O Antigo Testamento nunca foi destinado a ficar em repouso, mas para se preparar para as instituições do evangelho. E aqui ele trata, I. do Tabernáculo, o lugar de adoração, Hebreus 9: 1-5 . II. Do culto e serviços realizados no tabernáculo, Hebreus 9: 6,7 . III. Ele entrega o sentido espiritual e o projeto principal de tudo, Hebreus 9: 8-28 .

 

versículos 1-7

O mobiliário do Tabernáculo. AD 62.

1 Ora, também o primeiro pacto tinha ordenanças de serviço sagrado, e um santuário terrestre. 2 Pois foi preparada uma tenda o primeiro, em que era o candeeiro, ea mesa, e os pães da proposição, que se chama o santuário. 3 E depois do segundo véu, o tabernáculo que se chama o Santo dos Santos 4 que tinha o incensário de ouro, ea arca do pacto, toda coberta de ouro em redor, onde foi o pote de ouro que continha o maná, ea vara de Arão que floresceu, e as tábuas da aliança 5 e mais os querubins da glória que cobriam o propiciatório dos quais não podemos falaremos agora particularmente. 6 Ora, estando estas coisas assim preparadas, os sacerdotes entram continuamente na primeira tenda, realizando o serviço de Deus. 7 mas na segunda fomos só o sumo sacerdote uma vez por ano, não sem sangue, que oferecia por si mesmo, e para os erros do povo:

 

Aqui, I. O apóstolo dá conta da tenda, que o lugar de adoração que Deus designou para ser lançado na terra é chamado uma mundana santuário, totalmente deste mundo, quanto aos materiais de que foi construído, e um edifício que devem ser tomadas para baixo é chamado de mundana santuário, porque foi a tribunal e palácio do rei de Israel. Deus era o seu Rei e, como outros reis, tinha o seu tribunal ou local de residência, e atendentes, mobiliário e disposição, ao mesmo adequado. Este tabernáculo (de que temos o modelo, Êxodo 25: 1-27: 21 ) foi um templo em movimento, sombreamento adiante o estado incerto da igreja militante, bem como a natureza humana do Senhor Jesus Cristo, em quem a plenitude da Deus habitou corporal. Agora deste tabernáculo diz-se que ele foi dividida em duas partes, chamado de uma primeira e uma segunda tenda, uma interior e uma parte exterior, representando os dois estados da igreja militante e triunfante, e as duas naturezas de Cristo, humana e divino. Também nos é dito o que foi colocado em cada parte do tabernáculo.

 

  1. Na parte externa, e houve várias coisas, das quais você tem aqui uma espécie de cronograma. (1.) O castiçal, sem dúvida, não um vazio e sem iluminação, mas onde as lâmpadas estavam sempre queimando. E não havia necessidade disso, pois não havia janelas no santuário e este era convencer os judeus da escuridão e da natureza misteriosa do que a dispensação. Sua luz foi apenas a luz de velas, em comparação a plenitude da luz que Cristo, o Sol da justiça, traria junto com ele, e comunicar ao seu povo para toda a nossa luz é derivado dele a fonte de luz. (2.) A tabela eo jogo show-pão sobre ele. Esta tabela foi definido em frente ao candelabro, o que mostra que pela luz de Cristo, devemos ter comunhão com Ele e uns com os outros. Nós não deve entrar no escuro para a sua mesa, mas pela luz de Cristo, deve discernir o corpo do Senhor. Nesta mesa foram colocados doze pães para as doze tribos de Israel, um pão para uma tribo, que se situou de sábado a sábado, e naquele dia foram renovados. Este show-pão pode ser considerada como a prestação do palácio (embora o Rei de Israel precisava não, ainda, à semelhança dos palácios de reis terrenos, deve ser esta disposição colocada em semanal), ou a provisão feita no Cristo pelas almas de seu povo, adequados às necessidades e ao alívio de suas almas. Ele é o pão da vida na casa de nosso Pai há pão suficiente e de sobra podemos ter novos suprimentos de Cristo, especialmente cada dia do Senhor. Esta parte exterior é chamado o santuário ou santo, porque erguido para a adoração de um Deus santo, para representar a Jesus santo, e para entreter um povo santo, para o seu aperfeiçoamento em santidade.

 

  1. Nós temos um relato do que foi na parte interna do santuário, que estava dentro do segundo véu, e é chamado de o mais santo de todos. Este segundo véu, que dividia entre o santo eo lugar santíssimo, era um tipo do corpo de Cristo, pelo rasgar do qual não apenas uma visão, mas uma maneira, foi aberto para nós para o mais santo de todos, o tipo de próprio céu. Agora nesta parte foram: (1) O incensário de ouro, que era para manter o incenso, ou o altar de ouro criado para queimar o incenso tanto um quanto o outro eram típicos de Cristo, de sua intercessão agradável e predominante que ele faz no céu, alicerçado sobre os méritos e satisfação de seu sacrifício, sobre a qual estamos a depender, para aceitação e da bênção de Deus. (2.) A arca da aliança, coberta de ouro em redor pura, Hebreus 9: 4 . Este tipificado Cristo, a sua perfeita obediência à lei e seu cumprimento de toda a justiça para nós. Agora, aqui nos é dito tanto o que estava nesta arca, e que era sobre ele. [1] O que estava nele. Em primeiro lugar, o pote de ouro que continha o maná, o qual, quando preservado pelos israelitas em suas próprias casas, ao contrário da ordem de Deus, atualmente putrefied mas agora, sendo por nomeação de Deus depositada aqui neste casa, foi impedido de putrefação, sempre pura e doce e isso para nos ensinar que é somente em Cristo que nossas pessoas, nossas graças, nossas performances são mantidos pura. Foi também um tipo de pão de vida que temos em Cristo, a verdadeira ambrosia que dá a imortalidade. Este foi também um memorial da milagrosamente alimenta seu povo de Deus no deserto, que nunca pode esquecer tal favor sinal, nem desconfiar de Deus para o tempo para vir. Em segundo lugar, a vara de Arão que floresceu, e, assim, mostrou que Deus o havia escolhido do tribo de Levi para ministrar diante dele de todas as tribos de Israel, e assim por fim foi posto a murmuração do povo, e à sua tentativa de invadir o escritório do padre, Números 17: 1-13 . Esta foi a vara de Deus com os quais Moisés e Arão forjado tais maravilhas e este era um tipo de Cristo, que é denominado o homem, o ramo ( Zacarias 06:12 ), por quem Deus operou maravilhas para a libertação espiritual, defesa, e fornecimento de seu povo, e pela destruição de seus inimigos. Foi um tipo de justiça divina, pelo qual Cristo a Rocha foi ferida, e de quem se refrescar nas águas frias do fluxo da vida em nossas almas. Em terceiro lugar, as tábuas da aliança, em que a lei moral foi escrito, significando o respeito a Deus tem para a preservação de sua santa lei, e os cuidados que todos nós devemos ter que guardar a lei de Deus - que este só podemos fazer em e através de Cristo, pela força dele nem pode nossa obediência por aceites, mas através dele . [2] O que estava sobre a arca ( Hebreus 9: 5 ): Durante a arca os querubins da glória, que cobriam o propiciatório. Em primeiro lugar, o propiciatório, que era a cobertura da arca foi chamado o propiciatório, e era de ouro puro, tão longa e tão ampla quanto a arca em que as tábuas da lei foram estabelecidas. Era um tipo eminente de Cristo e de sua justiça perfeita, sempre adequada às dimensões da lei de Deus, e cobrindo todas as nossas transgressões, interpondo entre a Shechinah, ou símbolo da presença de Deus, e os nossos fracassos pecadores, e cobrindo-os . em segundo lugar, os querubins da glória , que cobriam o propiciatório, representando os anjos de Deus, que têm prazer em olhar para a grande obra da nossa redenção por Cristo, e estão prontos para realizar toda boa escritório, sob o Redentor, para aqueles quem são os herdeiros da salvação. Os anjos participaram Cristo no seu nascimento, em sua tentação, sob suas agonias, na sua ressurreição, e em sua ascensão, e vai assistir sua segunda vinda. Deus manifestado na carne foi visto, observado, visitado pelos anjos.

 

  1. A partir da descrição do lugar de culto na dispensação do Velho Testamento, o apóstolo prossegue para falar dos deveres e serviços prestados nesses locais, Hebreus 9: 6 . Quando as várias peças e móveis da tenda foram, assim, resolvido, então o que era para ser feito lá?

 

  1. Os sacerdotes comuns entram continuamente na primeira tenda, para realizar o serviço de Deus. Observe: (1) Nenhum, mas padres foram para entrar na primeira parte do tabernáculo, e isso para todos nós que as pessoas não qualificadas, não é chamado de Deus, não deve invadir o escritório e trabalho do ministério ensinar. (2.) Os sacerdotes comuns eram apenas para entrar na primeira parte do tabernáculo, que teria sido presunção fatal em que eles tenham ido para o mais santo de todos e isso nos ensina que mesmo os próprios ministros devem conhecer e manter em seu correcto estações, e não a pretensão de usurpar a prerrogativa de Cristo, oferecendo-se incenso própria, ou adicionando suas próprias invenções para as ordenanças de Cristo, ou dominando sobre as consciências dos homens. (3.) Estes sacerdotes comuns foram para entrar na primeira tenda sempre isto é, eles estavam a dedicar-se com todo o seu tempo para o trabalho de seu escritório, e não isolar-se a qualquer momento a partir dele que estavam a ser em um habitual prontidão para o desempenho das suas funções, e em todos os tempos indicados nomeados foram, na verdade, para assistir ao seu trabalho. (4.) Os sacerdotes comuns deve entrar na primeira tenda, para que não realizar a serviço de Deus. Eles não devem fazer a obra de Deus parcialmente ou pela metade, mas ficar completa em toda a sua vontade e conselho não só começando bem, mas a decorrer bem, e perseverante até o fim, cumprindo o ministério que haviam recebido.

 

  1. Para o segundo, a parte interior, o sumo sacerdote, juntamente, Hebreus 9: 7 . Esta parte era um emblema do céu, e ascensão de Cristo ali. Aqui observar, (1.) Nenhum, mas o sumo sacerdote deve ir para o mais santo de modo nenhum, mas Cristo poderia entrar no céu em seu próprio nome, por direito próprio, e por seus próprios méritos. (2) Ao entrar no Santo dos Santos, o sumo sacerdote deve primeiro passar pelo santuário exterior, e através do véu, o que significa que Cristo foi para o céu através de uma vida santa e uma morte violenta o véu de sua carne se rasgou em pedaços. (3.) O sumo sacerdote entrava, mas uma vez por ano no Santo dos Santos, e neste o protótipo destaca o tipo (como em qualquer outra coisa), pois ele entrou uma vez por todas, durante toda a dispensação do evangelho. (4.) O sumo sacerdote não deve entrar sem sangue, o que significa que Cristo, depois de ter realizado a ser o nosso sumo sacerdote, não poderia ter sido admitidos no céu sem derramar seu sangue por nós, e que nenhum de nós pode entrar tanto em Deus gracioso presença aqui ou sua gloriosa seguir presença, mas pelo sangue de Jesus. (5.) O sumo sacerdote, ao abrigo da lei, entrando no Santo dos Santos, ofereceu-se que o sangue para si e seus próprios erros primeiro, e depois para os erros do povo, Hebreus 9: 7 . Isso nos ensina que Cristo é mais excelente pessoa e sumo sacerdote do que qualquer sob a lei, para que ele não tem erros de sua própria para oferecer para. E nos ensina que os ministros, quando em nome de Cristo, que interceda por outros, deve primeiro aplicar o sangue de Cristo para si por seu perdão. (6.) Quando o sumo sacerdote legal tinha oferecido para si mesmo, ele não deve parar por aí, mas também deve oferecer para os erros das pessoas. Nosso sumo sacerdote, embora ele não precisa de oferecer para si mesmo, mas se esquece de não oferecer para o seu povo suplica o mérito de seus sofrimentos para o benefício de seu povo na terra. Observar, [1] Os pecados são erros, e grandes erros, tanto no julgamento e prática. Nós bastante errar quando pecamos contra Deus e que pode compreender todos os seus erros? [2] Eles são tais erros como deixar a culpa na consciência, para não ser lavados, mas pelo sangue de Cristo e os erros pecaminosas de padres e as pessoas devem ser todos eliminados pelos mesmos meios, a aplicação do sangue de Cristo, devemos defender esse sangue na terra, enquanto ele está implorando-o no céu para nós.

 

versículos 8-14

O Sacerdócio de Cristo.         AD 62.

8 O Espírito Santo com isso, que o caminho para o mais santo de todos ainda não se manifestou, enquanto subsiste a primeira tenda,: 9 Que era uma parábola para o tempo presente, em que se oferecem dons e sacrifícios, que não poderia fazer aquele que faz o serviço perfeito, como pertencentes à consciência 10 que ficou somente em comidas, e bebidas, e várias abluções, umas ordenanças da carne, impostas sobre eles , até um tempo de reforma. 11 Mas Cristo, tendo vindo como sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação 12 e não pelo sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção para nós. 13 Porque, se o sangue de bodes e de touros, e as cinzas de uma novilha, aspergidos sobre os contaminados, santifica, quanto à purificação da carne: 14 Como muito mais o sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo sem mácula a Deus, purificará a nossa consciência de mortos trabalha para servir ao Deus vivo?

 

Nestes versos o apóstolo compromete-se a entregar-nos a mente eo significado do Espírito Santo em todas as ordenanças do tabernáculo e economia legal, compreendendo tanto lugar e adoração. As escrituras do Antigo Testamento foram dadas por inspiração de Deus os homens santos de raios antigo e escreveu como o Espírito Santo dirigiu-los. E esses registros-do Antigo Testamento são de grande utilidade e significância, não só para aqueles que primeiro os recebeu, mas até mesmo para os cristãos, que não deve satisfazer-se com a leitura do institutos da lei levítico, mas deve aprender o que os significa Espírito Santo e sugere-lhes deste modo. Agora, aqui estão algumas coisas mencionadas como as coisas que o Espírito Santo significados e certificados ao seu povo por este meio.

 

  1. Que o caminho para o mais santo de todos ainda não foi descoberto, enquanto subsiste a primeira tenda estava de pé, Hebreus 9: 8 . Esta foi uma lição que o Espírito Santo nos ensinaria por estes tipos o caminho para o céu não era tão clara e simples, nem muito frequentado, sob o Antigo Testamento como sob o Novo. É a honra de Cristo e do Evangelho, ea felicidade daqueles que vivem sob ela, que agora a vida e imortalidade são trazidas à luz. Não foi que o livre acesso a Deus, então, que há agora Deus já abriu uma porta mais larga e não há espaço para mais, sim, para todos quantos são realmente disposto a voltar a ele por Cristo.

 

  1. Que o primeiro tabernáculo era apenas uma figura para o tempo presente, Hebreus 9: 9 . Foi uma dispensação escuro, e com mais de curta permanência, concebido apenas por algum tempo para tipificar os grandes coisas de Cristo e do Evangelho, que estavam em devido tempo para brilhar em seu próprio brilho, e, assim, fazer com que todas as sombras de fugir para longe e desaparecer, como as estrelas antes de o sol nascente.

 

III. Que nenhum dos presentes e sacrifícios oferecidos poderia fazer os ofertantes perfeito como pertencentes à consciência ( Hebreus 9: 9 ), isto é, eles não poderiam tirar o deserto, ou corrupção, ou domínio, do pecado que não poderia entregar a consciência de um temor da ira de Deus, eles não podiam nem desempenhar as dívidas, nem resolver as dúvidas, daquele que fez o serviço. Um homem pode ser executado através de todos eles em suas várias ordens e retornos freqüentes, e continuam a fazê-lo todos os dias, e ainda não encontrar a sua consciência seja pacificado ou purificado por eles, ele pode assim ser salvos de castigos corporais e temporais que foram ameaçadas contra os não-observadores, mas ele não poderia ser salvo por eles do pecado ou o inferno, como todos esses são os que crêem em Cristo.

 

  1. O Espírito Santo ora significa que as instituições do Velho Testamento eram de ordenanças da carne externos que lhes são impostas até ao tempo da correção, Hebreus 09:10 . Sua imperfeição estava em três coisas: - 1. Sua natureza. Eles foram, mas carnes e bebidas externas e carnais, e várias lavagens. Todos estes foram exercícios corporais, que o lucro pouco que só poderia satisfazer a carne, ou na melhor das hipóteses santificam, quanto à purificação da carne. 2. Eles não eram como ficaram indiferentes a eles para usar ou desuso, mas eles foram impostas a eles por castigos corporais graves, e este foi encomendado com o propósito de torná-los olhar mais para a Semente prometida, e longo mais por ele. 3. Estes nunca foram projetados para uma perpetuidade, mas apenas para continuar até que o tempo de reforma, até que as coisas melhores fornecidos por eles foram realmente lhes conferiu. Tempos do Evangelho são e devem ser tempos de reforma, - de luz mais clara como a todas as coisas necessárias para ser conhecidas, - de maior amor, nos induzir a ter má vontade a ninguém, mas de boa vontade a todos, e ter complacência em tudo o que são semelhantes a Deus, - de maior liberdade e independência tanto do espírito e da fala - e de uma vida mais santa de acordo com a regra do evangelho. Temos muito maiores vantagens sob o evangelho do que tinham nos termos da lei e ou devemos ser melhor ou vamos ser pior. Uma conversa tornando-se o evangelho é uma excelente maneira de não significam nada, tolos, vão estar, ou servil torna-se o evangelho.

 

  1. O Espírito Santo significa para nós por este meio que nós nunca fazer o uso correto dos tipos, mas quando aplicá-los para o protótipo e, quando o fizermos, será muito evidente que o protótipo (como em razão deveria) supera grandemente o tipo, o que é a tendência principal e design de tudo o que é dito. E, como ele escreve para aqueles que acreditavam que Cristo tinha vindo e que Jesus era o Cristo, então ele muito justamente infere que ele está infinitamente acima de todos os sacerdotes legais elevados ( Hebreus 9: 11-12 ), e ele ilustra muito plenamente. Para,

 

  1. Cristo é um sumo sacerdote dos bens futuros, por que pode ser entendido, (1.) Todas as coisas boas que estavam por vir durante o Antigo Testamento, e agora estão sob o Novo. Todas as bênçãos espirituais e eternas os santos do Antigo Testamento-tinham em seu dia e sob a sua dispensação foram devido à vinda do Messias, em quem haviam crido. O Antigo Testamento estabelecido nas sombras que estava por vir do Novo Testamento é o cumprimento do Velho. (2.) Todas as coisas boas ainda estão por vir e para ser apreciado em um estado evangelho, quando as promessas e profecias feitas à igreja evangelho nos últimos dias deve ser realizado todos estes dependem de Cristo e seu sacerdócio, e será cumprida . (3) De todas as coisas boas que virão no estado celeste, que irá aperfeiçoar tanto os Testamentos como o estado de glória vai aperfeiçoar o estado de graça, este estado será em um sentido muito mais elevado da perfeição do Novo Testamento do que o Novo Testamento era a perfeição do velho. Observe-se, todas as coisas passadas, presentes e futuras, eram, e são, fundado em cima, e que flui a partir, do ofício sacerdotal de Cristo.

 

  1. Cristo é um sumo sacerdote por um maior e mais perfeito tabernáculo ( Hebreus 09:11 ), um tabernáculo não feito por mãos, isto é, não desta criação, mas o seu próprio corpo, ou a natureza em vez humana, concebida por o Espírito Santo ofuscando a Santíssima Virgem. Este foi um novo tecido, uma nova ordem de construção, infinitamente superior a todas as estruturas terrestres, não excetuando o tabernáculo do próprio templo.

 

  1. Cristo, nosso sumo sacerdote, entrou para o céu, e não como seu sumo sacerdote entrava no Santo dos Santos, com o sangue de touros e de bodes, mas por seu próprio sangue, caracterizada pela deles, e infinitamente mais precioso. E isto,

 

  1. Não por apenas um ano, que mostrou a imperfeição do que o sacerdócio, que o fez, mas normalmente obter indulto ou perdão de um ano. Mas o nosso sumo sacerdote entrava no céu uma vez por todas, e obteve não uma pausa anual, mas a redenção eterna, e por isso não precisa de fazer uma entrada anual. Em cada um dos tipos que havia algo que mostrou que era um tipo, e se assemelhava o protótipo, e algo que mostrou que era, mas um tipo, e ficou aquém do protótipo, e, portanto, deveria de modo algum a ser criado em concorrência com o protótipo.

 

  1. O Espírito Santo ainda mais significado e mostrou o que foi a eficácia do sangue de sacrifícios do Antigo Testamento-e, daí é inferida a muito maior eficácia do sangue de Cristo. (1.) A eficácia do sangue dos sacrifícios legais estendidos à purificação da carne ( Hebreus 9:13 ): ela libertou o homem para fora da impureza cerimonial e da pena temporal, e permitia-lhe, e equipado-lo por, alguns privilégios externos. (2.) Ele infere muito justamente daí a muito maior eficácia do sangue de Cristo ( Hebreus 9:14 ): Quanto mais o sangue de Cristo, & c. Aqui observar, [1] O que foi que deu tanta eficácia ao sangue de Cristo. Em primeiro lugar, Era sua oferecer-se a Deus, a natureza humana no altar de sua natureza divina, ele fosse sacerdote, altar, e do sacrifício, sua natureza divina que serve para os dois primeiros, e sua natureza humana para o último agora tal sacerdote, altar e sacrifício, não podia deixar de ser propiciatório. em segundo lugar, Ele era a oferta de Cristo a si mesmo a Deus, pelo Espírito eterno, não só como a natureza divina apoiou a humana, mas o Espírito Santo, que ele tinha sem medida, ajudando-o em tudo, e neste grande ato de obediência oferecendo-se. em terceiro lugar, era de Cristo oferecendo-se a Deus sem mácula, sem qualquer mancha de pecado, quer em sua natureza ou a vida este foi obediente à lei dos sacrifícios, que os necessários para ser sem defeito. Agora observe mais, [2] O que a eficácia do sangue de Cristo é que é muito grande. Porque, primeiro, é suficiente para limpar a consciência das obras mortas, chega à alma e consciência, a alma contaminado, contaminado com o pecado, que é uma obra morta, procede da morte espiritual, e tende a morte eterna. Como o toque de um corpo morto deu uma impureza legal, de modo que se intrometer com o pecado dá uma contaminação moral e real, corrige-o na própria alma, mas o sangue de Cristo tem eficácia para purgar-lo. Em segundo lugar, é suficiente para nos permitir servir ao Deus vivo, não só por purga de distância que a culpa que separa entre Deus e os pecadores, mas santificando e renovação da alma através das influências graciosas do Espírito Santo, comprados por Cristo para este fim, para que possamos estar habilitado para servir o Deus vivo de uma forma animada.

 

versículos 15-22

O Sacerdócio de Cristo.         AD 62.

15 E por isso é mediador de um novo pacto, para que, intervindo a morte para remissão das transgressões que estavam debaixo do primeiro testamento, os chamados recebam a promessa da herança eterna. 16 Porque onde há testamento é, há também deve ser necessariamente a morte do testador. 17 Porque um testamento é de força depois que os homens estão mortos: caso contrário, é de nenhuma força em tudo enquanto o testador vive. 18 Pelo que nem o primeiro pacto foi consagrado sem sangue. 19 Pois quando Moisés havia falado cada preceito a todas as pessoas de acordo com a lei, ele tomou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água, lã purpúrea e hissopo e aspergiu tanto o livro como todo o povo, 20 Dizendo , Este é o sangue do testamento que Deus vos tem mandado. 21 aspergiu com sangue o tabernáculo e todos os vasos do ministério. 22 E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue e sem derramamento de sangue não há remissão.

 

Nestes versos o apóstolo considera o evangelho sob a noção de uma vontade ou testamento, a vontade nova ou último e testamento de Cristo, e mostra a necessidade ea eficácia do sangue de Cristo para fazer este testamento válido e eficaz.

 

  1. O evangelho é aqui considerada como um testamento, a nova e última vontade e testamento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. É perceptível que as operações solenes que passam entre Deus eo homem são, por vezes chamado de aliança, aqui um testamento. Um convênio é um acordo entre duas ou mais partes sobre as coisas que estão em seu próprio poder, ou pode ser assim, e isso com ou sem um mediador este acordo entra em vigor na data e na forma que nela declarados. Um testamento é um ato voluntário e ação de uma única pessoa, devidamente assinado e testemunhado, concedendo legados sobre tais legatários como está descrito e caracterizado pelo testador, e que só pode ter efeito após a sua morte. Agora observe, Cristo é o mediador de um Novo Testamento ( Hebreus 9:15 ) e ele é assim para vários fins e propósitos aqui mencionados. 1. Para resgatar pessoas de suas transgressões cometidas contra a lei ou primeiro testamento, o que torna toda transgressão a perda da liberdade, e torna os homens devedores e escravos ou prisioneiros, que precisam ser resgatados. 2. Para beneficiar todos aqueles que são chamados eficazmente para receber a promessa de uma herança eterna. Estes são os grandes legados que Cristo por sua última vontade e testamento legou aos legatários realmente caracterizados.

 

  1. Para tornar este Novo Testamento eficaz, era necessário que Cristo morresse os legados acumulados por meio de morte. Isto ele prova por dois argumentos: - 1. A partir da natureza geral de cada vontade ou disposição testamentária, Hebreus 09:16 . Onde há testamento, onde age e opera, não deve necessariamente pela morte do testador até então a propriedade ainda está na mão do testador, e ele tem o poder de revogar, cancelar ou alterar, a sua vontade como ele agrada assim que nenhuma propriedade, nenhum direito, é transmitida pela vontade, até que a morte do testador tornou inalterável e eficaz. 2. A partir do método particular que foi tomado por Moisés na ratificação do primeiro testamento, o que não foi feito sem sangue, Hebreus 9: 18,19 , & c. Todos os homens pelo pecado tornou-se culpado diante de Deus, tinha perdido a sua herança, as suas liberdades, e as suas próprias vidas, nas mãos da justiça divina, mas Deus, estar disposto a mostrar a grandeza da sua misericórdia, proclamou um pacto de graça, e ordenou que seja tipicamente administrado sob o antigo Testamento, mas não sem o sangue ea vida da criatura e Deus aceitou o sangue de touros e bodes, como tipificando o sangue de Cristo e por estes meios o pacto da graça foi ratificado no âmbito do anterior dispensação . O método tomadas por Moisés, de acordo com a direção que ele havia recebido de Deus, é aqui particularmente relacionados (1) Moisés falou cada preceito a todas as pessoas, de acordo com a lei, Hebreus 09:19 . Ele publicou a eles o tenour do pacto, as funções exigidas, as recompensas prometidas àqueles que fizeram seu dever, eo castigo ameaçado contra os transgressores, e ele pediu o seu consentimento com os termos do pacto e este de forma expressa . (2.) Em seguida, tomou o sangue dos bezerros e dos bodes, com água, lã purpúrea e hissopo, e aplicado este sangue por aspersão-lo. Este sangue e água significava o sangue e água que saiu do nosso lado trespassado do Salvador, para a justificação e santificação, e também prefigurado os dois sacramentos do Novo Testamento, o batismo ea ceia do Senhor, com lã escarlate, significando a justiça de Cristo com a qual devemos ser revestidos, o hissopo, significando que a fé pela qual devemos aplicar todos. Agora, com estes espargiu, [1] O livro da lei e da aliança, para mostrar que o pacto da graça é confirmado pelo sangue de Cristo e tornam eficazes para a nossa boa. [2] O povo, dando a entender que o derramamento do sangue de Cristo haverá vantagem para nós se não ser aplicado a nós. Ea aspersão do tanto o livro e as pessoas significava o consentimento mútuo de ambas as partes, Deus eo homem, e os seus compromissos mútuos entre si neste pacto por meio de Cristo, Moisés, ao mesmo tempo usando estas palavras, Este é o sangue do testamento que Deus vos tem mandado. Este sangue, tipificando o sangue de Cristo, é a ratificação do pacto de graça para todos os verdadeiros crentes. [3] Ele aspergiu o tabernáculo e todos os utensílios do mesmo, dando a entender que todos os sacrifícios oferecidos e serviços prestados não foram aceitas somente através do sangue de Cristo, que adquire a remissão de que iniquidade que se unir às nossas coisas sagradas que não poderia ter sido remetidos, mas por que o sangue expiatório.

 

versículos 23-28

O Sacerdócio de Cristo A Segunda Vinda de Cristo.  AD 62.

23 Foi , portanto, necessário que as figuras das coisas que estão no céu fossem purificadas com tais, mas as próprias coisas celestiais com sacrifícios melhores do que estes. 24 Porque Cristo não entrou num santuário feito por mãos, que são as figuras do verdadeiro, mas no próprio céu, para agora comparecer na presença de Deus por nós: 25 nem também para se oferecer muitas vezes, como o sumo sacerdote entra no lugar santo a cada ano com sangue alheio 26 para, em seguida, ele deve ter sofrido muitas vezes desde a fundação do mundo; mas agora uma vez no fim do mundo tem ele apareceu para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo. 27 E, como aos homens está ordenado morrerem uma vez, vindo depois disso o juízo: 28 Assim também Cristo foi oferecido uma vez para tirar os pecados de muitos e-lhes que olhar para ele é que ele aparecerá segunda vez, sem pecado para a salvação.

 

Nesta última parte do capítulo, o apóstolo passa a nos dizer o que o Espírito Santo tem significado para nós pelos purificações legais dos padrões das coisas no céu, inferindo daí a necessidade de sacrifícios melhores para consagrar as próprias coisas celestiais.

 

  1. A necessidade de purificar os padrões das coisas no céu, Hebreus 09:23 . Esta necessidade surge tanto da escolha divina, que deve sempre ser obedecidas, e para a razão dessa nomeação, que era a de preservar uma semelhança adequada entre as coisas tipificando e as coisas tipificados. É observável aqui que o santuário de Deus na Terra é um padrão do céu, ea comunhão com Deus no seu santuário é ao seu povo um paraíso na terra.

 

  1. A necessidade de que as próprias coisas celestiais fossem purificadas com sacrifícios melhores do que de touros e bodes as próprias coisas são melhores do que os padrões, e deve, portanto, ser consagrada com sacrifícios melhores. Estas coisas celestiais são os privilégios do Estado evangelho, iniciado em graça, aperfeiçoado em glória. Estes devem ser ratificada por uma sanção ou consagração adequado e este foi o sangue de Cristo. Agora é muito evidente que o sacrifício de Cristo é infinitamente melhor do que aqueles da lei. 1. A partir dos lugares em que os sacrifícios sob a lei, e que sob o evangelho, foram oferecidas. Aqueles sob a lei foram os santuário feito por mãos, que são, mas figura do verdadeiro santuário, Hebreus 9:24 . O sacrifício de Cristo, embora oferecido na terra, estava sozinho elevado ao céu, e está lá apresentada de uma forma de intercessão diária para ele aparecer na presença de Deus por nós. Ele foi para o céu, não só para desfrutar o resto e receber a honra que lhe é devida, mas a aparecer na presença de Deus por nós, para apresentar nossas pessoas e nossas performances, pode atender e repreender nosso adversário e acusador, para garantir nosso interesse, para aperfeiçoar todas as nossas atividades, e preparar um lugar para nós. 2. A partir dos próprios sacrifícios, Hebreus 09:26 . Aqueles sob a lei eram as vidas e sangue de outras criaturas de natureza diferente dos ofertantes - o sangue dos animais, uma coisa de pequeno valor, e que teria sido de nenhum em tudo nesta matéria se não tivesse tido um típico que diz respeito ao sangue de Cristo, mas o sacrifício de Cristo foi a oferta de si mesmo, ele ofereceu seu próprio sangue, verdadeiramente chamado, em virtude da união hipostática, o sangue de Deus e, portanto, de valor infinito. 3. A partir da repetição frequente de os sacrifícios legais. Isso mostrou a imperfeição dessa lei, mas é a honra e perfeição do sacrifício de Cristo que, sendo oferecido uma vez, foi suficiente para todas as suas extremidades e na verdade o contrário teria sido um absurdo, porque então ele deve ter sido ainda morrendo e subindo novamente, e ascendente e depois novamente descendente e morrendo ea grande obra tinha sido sempre in fieri - sempre fazendo, e sempre que fazer, mas nunca terminou, que seria tão contrária à razão, pois é à revelação e à a dignidade de sua pessoa: . Mas agora uma vez no fim do mundo tem ele apareceu, para aniquilar o pecado pelo sacrifício de si mesmo o evangelho é a última dispensação da graça de Deus aos homens. 4. A partir da ineficácia dos sacrifícios legais, e a eficácia do sacrifício de Cristo. Os sacrifícios legais não de si mesmos poderiam aniquilar o pecado, nem obter o perdão para ele agora poder contra ele. Sin ainda teria ficado em cima de nós, e tinha domínio sobre nós, mas Jesus Cristo por um sacrifício fez um fim do pecado, ele destruiu as obras do diabo.

 

III. O apóstolo ilustra o argumento a partir da nomeação de Deus a respeito de homens ( Hebreus 9: 27,28 ), e observa algo parecido na nomeação de Deus a respeito de Cristo.

 

  1. A nomeação de Deus sobre os homens contém em si duas coisas: - (1) Que eles devem uma vez morrer, ou, pelo menos, passar por uma mudança equivalente a morte. É uma coisa horrível de morrer, ter o nó vital solto ou cortar em pedaços, todas as relações aqui caiu de uma vez, um fim posto a nossa provação e preparação estado, e entrar em outro mundo. É uma grande obra, e é um trabalho que pode ser, mas uma vez feito, e, portanto, tinha necessidade de ser bem feito. Esta é a questão de conforto para os piedosos, que hão de morrer bem e morrer, mas uma vez, mas é questão de terror para os ímpios, que morrem em seus pecados, para que eles não podem voltar novamente para fazer esse grande trabalho melhor. (2.) É designado a homens que após a morte virão a julgamento, a um julgamento particular imediatamente após a morte para a alma retorna a Deus quanto à sua juiz, a ser determinada ao seu estado eterno e os homens serão levados para o julgamento geral, no final do mundo. Este é o decreto inalterável de Deus acerca de homens - eles devem morrer, e eles devem ser julgados. É designado para eles, e é para ser acreditado e seriamente considerada por eles.

 

  1. A nomeação de Deus a respeito de Cristo, tendo alguma semelhança com o outro. (1) Ele deve ser oferecido uma vez, para tirar os pecados de muitos, de todos os que o Pai havia dado a ele, de todos os que crêem no seu nome. Ele não foi oferecido por qualquer pecado de sua própria ele foi ferido pelas nossas transgressões. Deus cair sobre ele a iniqüidade de todo o seu povo e estes são muitos, embora não tantos como o resto da humanidade, no entanto, quando eles estão todos reunidos com ele, ele vai ser o primogênito entre muitos irmãos. (2.) é apontado que Cristo aparecerá segunda vez, sem pecado, para a salvação de quem olha para ele. [1] Ele irá aparecer sem pecado em sua primeira aparição, embora ele não tinha pecado de sua própria, mas ele ficou carregado com os pecados de muitos, ele era o Cordeiro de Deus que levou sobre si os pecados do mundo, e em seguida, ele apareceu na forma de carne pecaminosa, mas sua segunda aparição será sem qualquer carga sobre ele, tendo totalmente descarregadas antes, e, em seguida, seu rosto não deve ser marcada, mas deve ser extremamente glorioso. [2] Esta será a salvação de todos os que olham para ele que ele irá, em seguida, aperfeiçoar a sua santidade, sua felicidade seu número será então realizado, ea sua salvação completa. Observe-se, Ele é o caráter distintivo dos verdadeiros crentes que eles estão à procura de Cristo, eles olham para ele pela fé que olham para ele pela esperança e desejos santos. Eles olham para ele em todos os deveres, em toda a ordenação, em cada providência agora e eles esperam a sua segunda vinda, e estão se preparando para isso e que ele será repentina destruição para o resto do mundo, que zombam o relatório dele, será eterna salvação para aqueles que olham para ele.

Comentário bíblico Mathew Henrys , do novo testamento

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net