Translate this Page

Rating: 3.0/5 (920 votos)



ONLINE
5




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


Comentario bíblico de João cap.10
Comentario bíblico de João cap.10

                  Comentario bíblico de João cap.10

 

verso 1

  1. Em verdade, em verdade, eu vos digo. Como Cristo tinha a ver com escribas e sacerdotes, que foram contados pastores da Igreja, era necessário que eles devem ser alienados da homenagem a este título, se ele desejava que sua doutrina para ser recebido. O pequeno número de crentes também pode diminuir significativamente a autoridade de sua doutrina. Portanto, ele afirma que não devemos fazer contas, no número de pastores ou de ovelhas , todos os que exteriormente reivindicar um lugar na Igreja. Mas nós nunca seremos capazes, por meio desta marca, para distinguir os legítimos pastores do réprobo, e o verdadeiro ovelhas do falsificado, se todos têm o mesmo objeto, e início e fim.

 

Este aviso tem sido muito útil em todas as idades, e nos dias de hoje é especialmente necessário. Nenhuma praga é mais destrutivo para a Igreja, do que quando lobos devastar sob o manto de pastores Sabemos também como grave ofensa é, quando bastardos ou degenerar israelitas fingir ser os filhos da Igreja, e, por esta pretensão, crentes insulto . Mas nos dias de hoje, não há nada pelo qual pessoas fracas e ignorantes são mais alarmada, do que quando eles vêem no santuário de Deus ocupado pelas maiores inimigos da Igreja; pois não é fácil fazê-los compreender, que é a doutrina de Cristo, que os pastores da Igreja tão ferozmente resistir. Além disso, como a maior parte dos homens são levados em vários erros por falsas doutrinas, enquanto os pontos de vista e expectativas de cada pessoa são direcionados para outros, praticamente qualquer pessoa se permite ser conduzido para o caminho certo.

 

Devemos, portanto, acima de todas as coisas, guarda contra ser enganado por pretensos pastores ou contrafacção de ovelhas , se nós não escolhemos, da nossa própria vontade, para expor-nos a lobos e ladrões O nome de "A Igreja" é altamente honrosa e justa assim; mas quanto maior a reverência que ele merece, tanto mais cuidadoso e atento devemos ser na marcação a distinção entre a doutrina verdadeira e falsa. Cristo aqui declara abertamente, que não deveria contar como pastores todos os que se gabam de ser tal, e que não deveria contar como ovelhas todos os que se vangloriam de marcas exteriores. Ele fala da Igreja judaica, mas o que ele diz aplica-se igualmente bem a nossa própria. Nós também deve considerar o seu propósito e design, que as consciências fracas podem não ser alarmado ou desencorajados, quando percebem que eles que mandam na Igreja, em vez de pastores ou pastores , são hostis ou oposição ao Evangelho; e que eles podem não se desviam da fé, porque eles têm alguns condiscípulos, na escuta de Cristo, entre aqueles que são chamados cristãos.

 

Aquele que não entra pela porta. É inútil, penso eu, para examinar muito de perto cada parte desta parábola. Vamos descansar satisfeito com este ponto de vista geral, o que, como Cristo afirma uma semelhança entre a Igreja e um curral , em que Deus reúne todo o seu povo, para que ele se compara a uma porta , porque não há outra entrada para a Igreja, mas por ele mesmo. Daí segue-se que só eles são bons pastores que levam os homens direto para Cristo; e que eles são realmente reunidos no rebanho de Cristo, de modo a fazer parte de seu rebanho, que se dedicam a Cristo sozinho.

 

Mas tudo isso se relaciona com a doutrina; por, desde

 

todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento estão ocultos em Cristo,

( Colossenses 2: 3Colossenses 2: 3 ,)

 

aquele que se desvia dele para ir para outro lugar nem mantém a estrada, nem entra pela porta. Agora, quem não deve desprezar a Cristo ou seu instrutor será fácil livrar-se de que a hesitação que mantém tantos em um estado de perplexidade, o que é a Igreja e quem são eles a quem devemos ouvir como pastores Pois, se os que são chamados pastores tentam levar-nos longe de Cristo, devemos fugir deles, sob o comando de Cristo, como seria fugir de lobos ou ladrões ; e que não devemos formar ou manter relações sexuais com qualquer sociedade, mas o que é acordado na fé pura do Evangelho. Por esta razão Cristo exorta seus discípulos a separar-se da multidão descrente de toda a nação, não sofrer se a ser governado por sacerdotes ímpios, e não se permitem ser imposta por nomes orgulhosos e vazias.

 

verso 3

  1. Para este o porteiro abre. Se pela palavra Porter (282) qualquer um optar por entender Deus, eu não objeto; e Cristo ainda aparece expressamente para contrastar o juízo de Deus com a falsa opinião dos homens na aprovação de pastores, como se ele tivesse dito: "Há outros, na verdade, que o mundo em geral, aplaude, e de quem voluntariamente confere honra; mas Deus, que detém as rédeas do governo, não reconhece ou aprovar de qualquer, mas aqueles que conduzem as ovelhas por esta estrada. "

 

Ele chama as suas ovelhas pelo nome. Eu considero isso como referindo-se ao consentimento mútuo da fé; porque o discípulo eo professor estão unidos pelo único Espírito de Deus, para que o professor vai adiante, e que o discípulo segue. Alguns pensam que denota o conhecimento íntimo que cada pastor deve ter de cada um o seu rebanho, mas eu não sei se isso repousa sobre bases sólidas.

 

verso 4

  1. . Porque eles conhecem a sua voz Embora ele fala aqui de ministros, no entanto, ao invés de desejar que eles deveriam ser ouvido , ele deseja que Deus deve ser ouvido falar por eles; porque temos de atender a distinção que ele estabeleceu, que só ele é um fiel pastor ou pastor (283) da Igreja, que conduz e governa suas ovelhas pela direção de Cristo. Devemos atender a razão pela qual se diz que as ovelhas o seguem ; que é, porque eles sabem como distinguir pastores de lobos por voz Este é o espírito de discernimento, pelo qual os eleitos discriminar entre a verdade de Deus e as falsas invenções dos homens. Assim, pois, em ovelhas de Cristo um conhecimento da verdade vem antes, e ao lado segue um desejo sincero de obedecer, de modo que eles não só compreender o que é verdade, mas recebê-lo com carinho quente. E não só ele elogiar a obediência da fé, porque as ovelhas montar submissamente a voz do pastor, mas também porque eles não escutam a voz de estranhos, e não se dispersam quando alguém grita para eles.

 

verso 6

  1. . Esta parábola Esta é a razão pela qual, orgulhosamente alardeando de sua sabedoria, eles rejeitaram a luz de Cristo; em um assunto não muito obscuro que eles são extremamente maçante de apreensão.

 

Mas eles não entenderam o que era que ele falou para eles. Nesta cláusula manuscritos gregos diferentes. Algumas cópias pode ser literalmente prestados, eles não entenderam o que ele disse Outra leitura que tenho seguido, é mais completo, embora isso equivale a o mesmo significado. A terceira leitura é que eles não sabiam que aquele que falou de si mesmo era o Filho de Deus ; mas este não é muito aprovado.

 

verso 7

  1. Eu sou a porta. Se esta explicação não tinha sido adicionado, todo o discurso teria sido alegórico. Ele agora explica mais claramente o que era o chefe parte da parábola, quando ele declara que ele é o porta A quantidade de que se afirma é que o ponto de toda a doutrina espiritual, em que as almas são alimentadas principal, consiste em Cristo. Daí, também, Paul, um dos pastores, diz:

 

Eu acho nada para se vale a pena conhecer, mas Jesus Cristo,

( 1 Coríntios 2: 21 Coríntios 2: 2 ).

 

E este modo de expressão transmite o mesmo significado que se Cristo tivesse testemunhou que só a ele devemos ser todos reunidos. Por isso, ele invoca e exorta todos os que desejam a salvação para chegar a ele. Com estas palavras, ele quer dizer que em vão vagar sobre quem ele deixar de ir a Deus, porque não é apenas um aberto porta , e é proibida toda a abordagem de qualquer outra forma.

 

verso 8

  1. . Todos os que vieram antes de mim As palavras πάντες ὅσοι pode ser literalmente prestados, todos quantos vieram antes de mim Aqueles que restringir esta expressão para Judas, o Galileu, e tais pessoas, partem muito, na minha opinião, do significado de Cristo; para ele contrasta toda falsa doutrina, em geral, com o Evangelho, e todos os falsos profetas com professores fiéis. Nem seria mesmo ser razoável para estender esta declaração para os gentios, para que todos os que, desde o início do mundo, que professam ser mestres, e não trabalharam para reunir ovelhas de Cristo, ter abusado este título para destruir as almas. Mas isso não aplica a todos para Moisés e os profetas, que não tinham outro objetivo em vista do que para estabelecer o reino de Cristo. Por que deveria ser observado que um contraste aqui é feita entre as palavras de Cristo e das coisas que se opõem a eles. Mas até agora estamos de descobrir alguma contradição entre a Lei ea doutrina do Evangelho, que a lei não é nada mais do que uma preparação para o Evangelho. Em suma, Cristo atesta que todas as doutrinas, pela qual o mundo foi conduzida para longe dele, tantas pragas mortais; porque, além dele, não há nada além de destruição e confusão horrível. Enquanto isso, vemos que importância antiguidade é com Deus, e em que a estimativa que deveria ser realizada por nós, quando ele entra, por assim dizer, em uma competição com Cristo. Que nenhum homem pode ser movido pela consideração, que tem havido professores, em todas as idades, que se deram nenhuma preocupação que quer que sobre dirigir os homens a Cristo, Cristo declara expressamente que é irrelevante quantos tem havido desta descrição, ou como cedo começaram a aparecer; para isso deve-se considerar que existe apenas uma porta , e que os que deixá-lo, e fazer aberturas ou brechas nas muralhas, são ladrões

 

Mas as ovelhas não lhes deram ouvido. Ele confirma agora mais claramente o que ele já tinha falado mais obscura e na figura de uma alegoria, que os que foram levados para fora do caminho por impostores não pertencem à Igreja de Deus. Isto é dito, em primeiro lugar, que, quando vemos uma grande multidão de pessoas desgarradas, não pode resolver a perecer através do seu exemplo; e, em seguida, que não pode vacilar, quando Deus permite que impostores para enganar a muitos. Por isso não serve de consolo luz, e nenhum pequeno terreno de confiança, quando sabemos que Cristo, pela sua protecção fiel, sempre vigiado sua ovelhas, em meio a vários ataques e dispositivos engenhosos de lobos e ladrões, de modo que nunca houve um dos os que o abandonaram. (284)

 

Mas aqui surge uma pergunta: Quando é que uma pessoa começa a pertencer ao rebanho do Filho de Deus? (285) Pois vemos muitos que desviar e passear pelos desertos durante a maior parte de sua vida, e são longamente trazidos para o rebanho de Cristo. Eu respondo, a palavra ovelhas é aqui usado de duas maneiras. Quando Cristo diz depois, que ele tem outras ovelhas além disso, ele inclui todos os eleitos de Deus, que tinha na época nenhuma semelhança com ovelhas Neste momento, ele quer dizer ovelhas que suportaram a marca do pastor. Por natureza, estamos na maior distância possível de ser ovelhas ; mas, pelo contrário, nascem leões, tigres, lobos e ursos, (286) até que o Espírito de Cristo nos doma, e de animais selvagens e selvagens nos forma a ser leve ovelhas Assim, de acordo com a eleição secreta de Deus, já somos ovelhas em seu coração, antes de nascermos; mas começamos a ser ovelhas em nós pela vocação, pela qual ele nos reúne ao seu redil. Cristo declara que os que são chamados na ordem dos fiéis são tão firmemente unidos, que eles não podem desviar ou passear, ou ser levados por qualquer vento de doutrina nova.

 

Vai ser talvez se opuseram, que mesmo aqueles que tinha sido dedicada a Cristo com frequência se desviam, e que isso é provado pela experiência freqüente, e que não é sem razão que Ezequiel atribui-lo para o bom Pastor, que reúne os dispersos ovelhas , ( Ezequiel 34:12Ezequiel 34:12 ). Eu prontamente reconhece que acontece com frequência, que os que tinha pertencido à família da fé são, por um tempo, distante; mas isso não está em contradição com a afirmação de Cristo, pois, tanto quanto erram, eles deixam, em alguns aspectos, a ser ovelhas que Cristo significa é simplesmente isto, que todos os eleitos de Deus, apesar de serem tentados a se extraviar de inúmeras maneiras, foram mantidos em obediência à fé pura, de modo que eles não foram expostos como presa, Satanás, ou a seus ministros. Mas este trabalho de Deus não é menos surpreendente, quando novamente ele reúne as ovelhas que tinha andado para um pouco, do que se tivessem todo o tempo continuou a ser encerrado no rebanho. É sempre verdadeiro, e sem uma única exceção, que

 

eles que saem de nós não eram de nós,

mas que os que eram de nós permanecerá conosco até o fim,

( 1 João 2:191 João 2:19 ).

 

Esta passagem deve nos atacar com a mais profunda vergonha; em primeiro lugar, porque estamos tão mal acostumados com a voz do nosso pastor , que há quase nenhum que não ouvi-la com indiferença; e, ao lado, porque somos tão lento e indolente a segui-lo. Falo do bem, ou daqueles que são, pelo menos, razoável; para a maior parte daqueles que se vangloriam que são discípulos de Cristo chutar ferozmente contra ele. Por último, logo que a voz de qualquer estranho soou em nossos ouvidos, estamos correu para lá e para cá; e essa leveza e instabilidade mostra suficientemente quão pouco progresso que até então feita na fé. Mas se o número de crentes é menor do que se poderia desejar, e se fora deste pequeno número grande parte ser continuamente caindo fora, professores fiéis teve esta consolação para apoiá-los, que os eleitos de Deus, que são de Cristo ovelhas, ouvir eles. É nosso dever, na verdade, a trabalhar diligentemente, e esforçar-se por todos os métodos possíveis, que o mundo inteiro pode ser intentada, se possível, para a unidade da fé; mas deixe-nos, entretanto, estar bem satisfeito com correspondente ao número.

 

verso 9

  1. Se alguém entrar por mim. A maior consolação dos crentes é que, quando eles têm uma vez abraçaram Cristo, eles aprendem que eles estão fora de perigo; por Cristo promete-lhes a salvação e felicidade. Em seguida, ele divide em duas partes.

 

Ele deve entrar e sair e achará pastagem. Em primeiro lugar, eles devem ir com segurança onde quer que eles acham necessário; e, em seguida, eles serão alimentados ao máximo. Ao entrar e sair , a Escritura frequentemente denota todas as ações da vida, como dizemos em francês, aller et venir , ( de ir e vir ,) (287) , o que significa, para habitar Estas palavras, portanto, apresentar-nos um dupla vantagem do Evangelho, que nossas almas achará pastagem nele, que de outra forma se tornar fraco e faminto, e são alimentados com nada, mas o vento; e, em seguida, porque ele vai fielmente nos proteger e proteger contra os ataques de lobos e ladrões.

 

verso 10

  1. O ladrão não vem. Por esta palavra, Cristo - se é que podemos usar a expressão - puxa nosso ouvido, que os ministros de Satanás não pode vir em cima de nós de surpresa, quando estamos em um estado sonolento e desatento; para o nosso excessiva indiferença nos expõe, de todos os lados, a falsas doutrinas. Para onde surge a credulidade tão grande, que os que deveria ter permanecido fixo em Cristo, voar sobre em uma infinidade de erros, mas porque eles não são suficientes para temer ou guarda contra tantos falsos mestres? E não somente isso, mas a nossa curiosidade insaciável é tão encantado com as novas e estranhas invenções dos homens, para que, de nossa própria vontade, temos pressa com a carreira louca para conhecer ladrões e lobos. Não sem razão, portanto, que Cristo testemunhar que falsos mestres, qualquer que seja a brandura e plausibilidade de sua conduta, sempre levar cerca de um veneno mortal, para que possamos ter mais cuidado para levá-los para longe de nós. Uma advertência semelhante é dada por Paulo,

 

Veja que ninguém roubá-lo através vã filosofia,

( Colossenses 2: 8Colossenses 2: 8 ).

 

Eu vim. Esta é uma comparação diferente; para Cristo, tendo até então se chamava a porta, e declarou que os que trazem ovelhas para esta porta são verdadeiros pastores , agora assume o caráter de um pastor, e na verdade afirma que ele é o único pastor Na verdade, não há outro a quem este honrar e título estritamente pertence; pois, como a todos os fiéis pastores da Igreja, é ele quem levanta-los, dá-lhes as qualificações necessárias, os governa pelo seu Espírito, e trabalha por eles; e, portanto, eles não impedi-lo de ser o único Governador da sua Igreja, ou de realizar a distinção de ser o único Pastor Pois, embora ele emprega seu ministério, ainda assim, ele não deixa de cumprir e desempenhar o ofício de pastor por seu energia própria; e eles são mestres e professores, de tal forma a não interferir com a sua autoridade como um mestre. Em suma, quando o termo pastor é aplicado aos homens, ele é usado, como se diz, num sentido subordinado; e Cristo compartilha a honra com seus ministros, de tal forma, que ele ainda continua a ser o único pastor tanto de si mesmos e de todo o rebanho.

 

. Para que tenham vida Quando ele diz que ele está vindo , que as ovelhas tenham vida , ele significa que eles só que não apresentar a sua equipe e bandido ( Salmos 23: 4Salmos 23: 4 ) estão expostos aos estragos do lobos e ladrões ; e - para dar-lhes maior confiança - ele declara que a vida está continuamente aumentado e fortalecido em quem não se revoltar dele. E, de fato, o maior progresso que qualquer homem faz na fé, mais quase que ele chegará a plenitude da vida, porque o Espírito, que é a vida, cresce nele.

 

verso 11

  1. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. A partir da extraordinária afeição que traz para o carneiro, ele mostra como realmente ele age em relação a eles como um pastor; pois ele é tão preocupados com a sua salvação, que ele nem sequer reposição sua própria vida. Daí segue-se que eles que rejeitam a guarda de tão gentil e amável um pastor são extremamente ingrato, e merecem uma centena de mortes, e estão expostos a todo o tipo de dano. A observação de Agostinho é extremamente justa, que esta passagem nos informa o que devemos desejar, o que devemos evitar, eo que devemos suportar, no governo da Igreja. Nada é mais desejável do que a que a Igreja deve ser regida por boas e diligentes pastores Cristo declara que ele é o bom pastor , que mantém a sua Igreja são e salvo, em primeiro lugar, por si mesmo, e, em seguida, pelos seus agentes. Sempre que há boa ordem, e os homens se encaixam responsabilizar o governo, então Cristo mostra que ele é realmente o pastor Mas há muitos lobos e ladrões que, vestindo o traje de pastores , perversamente dispersam a Igreja. Não importa o nome dessas pessoas pode assumir, Cristo ameaça que devemos evitá-los.

 

verso 12

  1. Mas o mercenário. Por mercenários devemos entender aqueles que retêm a doutrina pura, e que proclamam a verdade, como diz Paulo, para servir a um propósito em vez de zelo puro. Embora essas pessoas não servem fielmente a Cristo, mas devemos ouvi-los; por Cristo desejou que os fariseus deve ser ouvido, porque eles se sentaram em Moisés ' assento , ( Matthew 23: 2Mateus 23: 2 ;) e, da mesma maneira, devemos dar essa honra ao Evangelho, para não encolher de seus ministros, embora eles não sejam bons homens. E, como até mesmo as menores infrações tornar o Evangelho desagradável para nós, que não pode ser prejudicado por essa falsa delicadeza, vamos sempre lembrar o que tenho anteriormente sugerido, que, se o Espírito de Cristo não opera tão poderosamente no ministros, como a torná-lo claramente evidente que ele é o seu pastor , sofremos a punição de nossos pecados, e ainda assim a nossa obediência está provado.

 

E aquele que não é o pastor. Ainda que Cristo reivindica para si mesmo o nome de um pastor, mas ele indiretamente afirma que, em alguns aspectos, ele mantém em comum com os agentes por quem atua. Porque sabemos que tem havido muitos, desde o tempo de Cristo, que não hesitou em derramar o seu sangue para a salvação da Igreja; e até mesmo os profetas, antes de Sua vinda, não poupou a sua própria vida. Mas em sua própria pessoa que ocupa um exemplo perfeito, de modo a estabelecer uma regra para seus ministros. Pois como base e vergonhosa é a nossa indolência, se nossa vida é mais caro para nós do que a salvação da Igreja, que Cristo preferia sua própria vida!

 

O que é aqui dito sobre que estabelece vida pelas ovelhas , pode ser visto como uma marca inquestionável e principal de afeto paternal. Cristo destina-se, em primeiro lugar, para demonstrar o que uma prova notável que ele deu do seu amor para conosco, e, em seguida, para excitar todos os seus ministros a imitar seu exemplo. No entanto, devemos atentar para a diferença entre eles e ele. Ele deu a sua vida como o preço da satisfação, derramou o seu sangue para purificar nossas almas, ofereceu seu corpo como um sacrifício propiciatório, para reconciliar o Pai para nós. Nada de tudo isso podem existir nos ministros do Evangelho, os quais precisam ser purificados, e receber a expiação e reconciliação com Deus por esse único sacrifício. Mas Cristo não discute aqui sobre a eficácia ou benefício de sua morte, de modo a comparar-se com os outros, mas para provar com que zelo e carinho (288) , ele é movido em relação a nós, e, em seguida, para convidar outras pessoas a seguir o seu exemplo. Em suma, uma vez que pertence exclusivamente a Cristo para adquirir vida por nós com a sua morte, e para cumprir tudo o que está contido no Evangelho, por isso é o dever universal de todos os pastores ou pastores , para defender a doutrina que eles proclamam, mesmo à custa de sua vida, e selar a doutrina do Evangelho com o seu sangue, e para mostrar que não é em vão que eles ensinam que Cristo obteve a salvação para si e para os outros.

 

Mas aqui a questão pode ser colocado. Será que devemos contar que o homem um mercenário, que, por qualquer razão, encolhe do encontro com os lobos? Isso era antigamente debatido como uma questão prática, quando tiranos durou cruelmente contra a Igreja. Tertuliano, e outros da mesma classe, foram, em minha opinião, muito rígida quanto a este ponto. Eu prefiro muito a moderação do Agostinho, que permite que os pastores a fugir com a condição de que, por sua fuga, eles contribuem mais para a segurança pública do que eles fariam por trair o rebanho comprometidos com a sua carga. E ele mostra que isso é feito, quando a Igreja não é privado de ministros bem qualificados, e quando a vida do pastor em particular é tão avidamente procurados, que a sua ausência atenua a ira dos inimigos. Mas o rebanho -, bem como o pastor - estar em perigo, (289) e, se há razão para acreditar que o pastor foge, não tanto a partir de um desejo de promover a vantagem público a partir de um medo de morrer, Agostinho afirma que isso não é de todo legítima, porque o exemplo de seu vôo vai fazer mais danos do que a sua vida pode fazer o bem no futuro. O leitor pode consultar a Epístola ao Bispo Honorato, ( Ep. 108 ) Por este motivo era lícito para Cyprian a fugir, que estava tão longe de estremecer com a morte, que ele nobremente se recusou a aceitar a oferta de salvar sua vida por uma traiçoeira negação de seu Mestre. Só deve considerar-se que um pastor deve preferir o seu rebanho, ou mesmo uma única ovelha, à sua própria vida.

 

De quem as ovelhas não são. Cristo aparece aqui para fazer todos os pastores , além de si mesmo para ser, sem exceção, mercenários ; para, uma vez que só ele é pastor , nenhum de nós tem o direito de dizer que as ovelhas que ele se alimenta são sua própria Mas lembremo-nos de que os que são guiados pelo Espírito de Deus acho que para ser o seu próprio que pertence a sua cabeça ; e que não para reivindicar o poder para si, mas para manter fielmente o que tem sido comprometida com a sua carga. Porque o que está verdadeiramente unido a Cristo nunca deixará de ter interesse no que lhe valia tanto. Isto é o que ele depois diz:

 

verso 13

  1. O mercenário foge. A razão é, porque ele não tem cuidado com as ovelhas , o que significa, que o seu coração não é movido pela dispersão do rebanho, porque ele acha que ele não a todos pertencem a ele. Para quem olha para o aluguer , e não ao rebanho, embora ele possa enganar os outros, quando a Igreja está em um estado de tranquilidade, mas quando ele entra na competição, dará prova de sua traição.

 

verso 14

  1. E eu conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem pelo meu. No primeiro cláusula, novamente ele estende seu amor para conosco; para conhecimento procede do amor, e é acompanhada por cuidados. Mas significa também que ele totalmente ignora todos os que não obedecem ao Evangelho, como ele repete na segunda cláusula, e confirma o que ele tinha anteriormente dito, que - por outro lado - ele é conhecido pelas ovelhas

 

verso 15

  1. Assim como o Pai me conhece a mim. É desnecessário, e não é ainda oportuno, que deverá entrar em essas questões espinhosas: como é que o Pai sabe que a sua sabedoria? Porque Cristo simplesmente declara que, na medida em que ele é o vínculo da nossa união com Deus, ele é colocado entre Ele e nós; como se ele tivesse dito, que não é mais possível para ele se esqueça de nós, do que deve ser rejeitada ou ignorada pelo Pai. Ao mesmo tempo, ele exige o dever que nós mutuamente devemos a ele, porque, como ele emprega todo o poder que recebeu do Pai para nossa proteção, de modo que ele deseja que devemos ser obedientes e dedicados a ele, como ele é inteiramente dedicado a seu pai, e refere-se tudo para ele.

 

verso 16

  1. Tenho ainda outras ovelhas. Embora alguns enviamos esta indiscriminadamente a todos, judeus e gentios, que ainda não eram discípulos de Cristo, mas eu não tenho nenhuma dúvida de que ele tinha em seu olho, o chamado dos gentios. Para ele dá a denominação vezes para o conjunto dos povos antigos, pelo qual eles foram separados das outras nações do mundo, e unidos em um só corpo, como a herança de Deus. Os judeus haviam sido adotados por Deus de tal maneira, que ele cercou-os com certos gabinetes, que consistia em ritos e cerimônias, que não pode ser confundida com os incrédulos, embora a porta da dobra foi o pacto da graça de vida eterna confirmada em Cristo. Por isso, ele chama as ovelhas que não tiveram a mesma marca, mas pertenciam a uma classe diferente, outras ovelhas Em suma, o significado é, que o múnus pastoral de Cristo não está confinado dentro dos limites da Judéia, mas é muito mais extensa .

 

A observação de Agostinho sobre esta passagem é, sem dúvida verdade que, como existem muitos lobos dentro da Igreja, por isso há muitas ovelhas sem Mas este não é o caso, em todos os aspectos, a presente passagem, que diz respeito ao aspecto exterior da Igreja , porque os gentios, que tinham sido estranhos por um tempo, depois foram convidados a entrar no reino de Deus, juntamente com os judeus. No entanto, reconheço que a declaração de Agostinho se aplica a este respeito, que Cristo dá o nome de ovelhas para os incrédulos, que eram o mais distante possível de ser direito a ser chamado em si mesmas ovelhas E não só ele apontam, por este termo, o que quiserem ser, mas sim refere-se isso para a eleição secreta de Deus, porque já estamos de Deus ovelhas , antes de estarmos conscientes de que Ele é o nosso pastor. De modo semelhante, é outro lugar disse que éramos inimigos , quando ele nos amou , ( Romanos 5:10Romanos 5:10 ;) e por esta razão Paulo também diz que nós fomos conhecidos por Deus , antes que o conhecia , ( Gálatas 4: 9Gálatas 4: 9 . )

 

Também me convém trazer. Ele quer dizer que a eleição de Deus será seguro, de modo que nada de tudo o que ele deseja ser salvo perecerá. (290) Para o propósito secreto de Deus, pelo qual os homens foram ordenados para a vida, é longamente manifesta em seu próprio tempo pelo chamado, - a chamada eficaz, quando ele se regenera pelo seu Espírito, para ser seus filhos, aqueles que anteriormente foram gerados de carne e osso.

 

Mas pode-se perguntar: Como foram os gentios trouxe a ser associado com os judeus? Para os judeus não estavam sob a necessidade de rejeitar a aliança que Deus fez com seus pais, a fim de se tornarem discípulos de Cristo; e os gentios, por outro lado, não estavam sob a necessidade de submeter-se ao jugo da Lei, que, sendo enxertados em Cristo, eles pode estar associado com os judeus. Aqui temos de atender a distinção entre a substância da aliança e os apêndices exteriores. Para os gentios não poderia concordar com a fé de Cristo em qualquer outra forma que não por abraçar essa eterna aliança em que a salvação do mundo foi fundada. Desta forma foram cumpridas as previsões,

 

Strangers deve falar a língua de Canaã,

( Isaías 19:18Isaías 19:18 ).

 

Mais uma vez,

 

Dez homens das nações pegarão o manto de um judeu, e dizer:

Nós vamos com você,

( Zacarias 08:23Zacarias 08:23 ).

 

Mais uma vez,

 

Muitas nações virão, e dizer:

Vinde, e subamos ao monte do Senhor,

( Isaías 2: 4Isaías 2: 4 ; Micah 4: 2Micah 4: 2 ).

 

Abraham também foi chamado

 

o pai de muitas nações , ( Genesis 17: 5Gênesis 17: 5 ; Romanos 4:17Romanos 4:17 ), porque eles virão do Oriente e do Ocidente, que deve sentar-se com ela no reino de Deus,

( Matthew 08:11Mateus 08:11 ).

 

Quanto a cerimônias, eles são o muro de separação , o que, Paul nos informa, tem sido jogado para baixo , ( Efésios 2:14Efésios 2:14 ). Assim, nós têm sido associados com os judeus na unidade da fé, quanto ao mérito ; e as cerimônias foram abolidos, que poderia haver nada para impedir os judeus de esticar a mão para nós.

 

E haverá um só rebanho (291) e um pastor Isto é, que todos os filhos de Deus podem ser recolhidas e unida (292) em um só corpo; como nós reconhecemos que há uma Igreja universal santo, (293) e deve haver um corpo com uma cabeça.

 

Há um só Deus, diz Paul, uma só fé, um só batismo.

Por isso convém sejam um, como nós somos chamados em uma só esperança,

( Efésios 4: 4Efésios 4: 4 ).

 

Agora que este rebanho parece ser dividido em diferentes dobras, mas eles são mantidos no interior de caixas que são comuns a todos os crentes que estão espalhadas por todo o mundo; porque a mesma palavra é pregada a todos, eles usam os mesmos sacramentos, eles têm a mesma ordem de oração, e cada coisa que pertence à profissão de fé.

 

E elas ouvirão a minha voz. Devemos observar a maneira em que o rebanho de Deus é recolhida. É, quando todos têm um só pastor , e quando sua voz sozinho (294) é ouvido Estas palavras significam que, quando a Igreja está sujeita a Cristo sozinho, e obedece seus comandos, e ouve a sua voz e sua doutrina, (295) então somente é-o em um estado de boa ordem. Se papistas pode nos mostrar que há alguma coisa desse tipo entre eles, deixá-los desfrutar o título de A Igreja, de que vaunt tanto. Mas se Cristo está em silêncio lá, se sua majestade é pisada, se as suas ordenanças sagradas são realizadas até desprezo, o que mais é a sua unidade, mas uma conspiração diabólica, que é pior e muito mais a ser abominado do que qualquer dispersão? Vamos, portanto, lembrar que devemos sempre começar com a cabeça. Daí também os profetas, quando descrevem a restauração da Igreja, sempre juntar-se o rei Davi com Deus; como se disse, que não há Igreja onde Cristo não reina, e que não há reino de Deus, mas onde a honra de pastor é concedida a Cristo.

 

verso 17

  1. Nesta conta o Pai me ama. Há, de fato, um outro e uma razão superior porque o Pai ama o Filho ; por isso não foi em vão que uma voz foi ouvida do céu,

 

Este é o meu Filho amado, em quem o beneplácito de Deus habita,

( Mateus 3:17Mateus 3:17 ).

 

Mas, como ele foi feito homem por nossa causa, assim como o Pai desejou a ele, de modo que ele possa nos reconciliar consigo mesmo, não precisamos de saber se ele declara ser a razão pela qual o Pai ama-lo , que a nossa salvação é para ele mais cara do que a sua própria vida. Este é um elogio maravilhoso da bondade de Deus para nós, e devem, justamente para despertar toda a nossa alma em admiração arrebatador, que não só Deus estender a nós o amor que é devido ao Filho único, mas ele refere-se que a nós como a causa final. E de fato não havia necessidade de que Cristo deveria tomar sobre si a nossa carne, em que ele era amado , mas que poderia ser o penhor da misericórdia de seu Pai em nós redimir.

 

Para que eu possa levá-la novamente. Como os discípulos pudessem ser profundamente entristecido por causa do que eles tinham ouvido falar sobre a morte de Cristo, e como sua fé pode até ser bastante abalado, ele conforta-los pela esperança da ressurreição, que seria rapidamente ter lugar; como se disse, que ele não morreria com a condição de ser engolido pela morte, mas, a fim de que ele poderia em breve subir novamente como um conquistador. E mesmo nos dias de hoje, devemos contemplar a morte de Cristo, a fim de se lembrar, ao mesmo tempo, a glória de sua ressurreição. Assim, sabemos que ele é vida , porque, em sua disputa com a morte, ele obteve uma esplêndida vitória, e conseguiu um triunfo nobre.

 

verso 18

  1. Ninguém a tira de mim. Este é outro consolo, pelo qual os discípulos podem ter coragem quanto à morte de Cristo, para que ele não morre por força, mas se oferece voluntariamente para a salvação de seu rebanho. Não só ele afirmar que os homens não têm poder para colocá-lo à morte, exceto medida em que permite a eles, mas ele declara que ele é livre de toda a violência da necessidade. É contrário com nós, pois são colocados sob a necessidade de morrer por causa dos nossos pecados. É verdade, o próprio Cristo nasceu um homem mortal; mas esta foi uma submissão voluntária, e não uma escravidão colocada sobre ele por um outro. Cristo destina-se, portanto, para fortalecer seus discípulos que, ao vê-lo pouco depois arrastado até a morte, eles podem não ser desanimado, como se ele tivesse sido oprimidos por inimigos, mas pode reconhecer que foi feito pela maravilhosa Providência de Deus , que ele deveria morrer para a redenção de seu rebanho. E esta doutrina é uma vantagem permanente, que a morte de Cristo é uma propiciação pelos nossos pecados, porque era um sacrifício voluntário, conforme a palavra de Paulo,

 

Pela obediência de um, muitos foram feitos justos,

( Romanos 5:19Romanos 5:19 ).

 

Mas eu a dou por mim mesmo. Estas palavras pode ser explicado de duas maneiras; quer que Cristo se despoja da vida, mas continua a ser o que era, assim como uma pessoa iria deixar de lado uma peça de roupa de seu corpo, ou que venha a morrer por sua própria escolha.

 

Este mandamento recebi de meu Pai. Ele se lembra de nossa atenção para o propósito eterno do Pai, a fim de nos informar que ele tinha tanto cuidado sobre a nossa salvação, que ele dedicou-nos o seu Filho unigênito grande e excelente como ele é; (296) e o próprio Cristo, que veio ao mundo para ser em todos os aspectos obedientes ao Pai , confirma a declaração, que não tem outro objetivo em vista do que para promover o nosso benefício.

 

verso 19

  1. ., Portanto, uma divisão surgiu novamente a vantagem obtida pelo discurso de Cristo foi, que obteve-o alguns discípulos; mas como sua doutrina tem também muitos adversários, daí surge uma divisão , de modo que eles são divididos em partes, que anteriormente pareciam ser um só corpo da Igreja. para todos, com um consentimento, professou que adoraram o Deus de Abraão e cumpriu a lei de Moisés; mas agora, quando Cristo vem para a frente, eles começam a divergir em sua conta. Se essa profissão tinha sido sincero, Cristo, que é o vínculo mais forte de caridade, e cujo ofício é para reunir as coisas que estão espalhadas, não iria romper seu acordo. Mas Cristo, à luz do seu Evangelho, expõe a hipocrisia de muitos que, enquanto eles tinham nada, mas uma pretensão falsa e hipócrita, vangloriou-se de que eles eram o povo de Deus.

 

Assim, a maldade de muitos ainda é a razão pela qual a Igreja está preocupada com divisões , e por que as alegações são acesas. No entanto, aqueles que perturbam a paz, jogue a culpa em nós, e chamar-nos Schismatics; para a taxa principal que os papistas traga contra nós é que nossa doutrina abalou a tranquilidade da Igreja. No entanto, a verdade é que, se renderia submissa a Cristo, e dar o seu apoio à verdade, todas as comoções seria imediatamente dissipadas. Mas quando eles proferir murmúrios e queixas contra Cristo, e não nos permitirá estar em repouso em qualquer outra condição de que a verdade de Deus deve ser extinta, e que Cristo deve ser banido de seu reino, eles não têm o direito de nos acusar do crime de cisma; pois é em si mesmos, como cada pessoa vê, que este crime deve ser cobrado. Devemos ser profundamente entristecido que a Igreja está dilacerado por divisões resultantes entre os que professam a mesma religião; mas é melhor que há alguns que se separar do mau, estar unidos a Cristo, seu cabeça, de que todos devem ser de uma mente em desprezar Deus. Consequentemente, quando surgem cismas, devemos saber quem eles são de que a revolta de Deus e de sua doutrina pura.

 

verso 20

  1. Tem demônio. Eles empregam a reprovação mais ofensivo que eles podem conceber, em difamar Cristo, para que todos possam estremecer com o pensamento de ouvi-lo. Para os homens maus, que não pode ser obrigado a ceder a Deus, de forma furiosa, e com os olhos fechados, sair em desprezo orgulhosa dele, e excitar os outros para a mesma raiva, de modo que nem uma única palavra de Cristo é ouviu em silêncio. Mas a doutrina de Cristo tem poder em si suficiente para defendê-la contra calúnias. E é isso que os crentes dizer com a sua resposta,

 

verso 21

  1. Estas não são as palavras de um endemoninhado. É como se eles exigiram que os homens devem julgar pelo fato em si; pela verdade, como já dissemos, é forte o suficiente para se manter. E esta é a única proteção de nossa fé, que os homens maus nunca será capaz de impedir o poder ea sabedoria de Deus e sua bondade também, (297) de brilhar no Evangelho.

 

verso 22

  1. E foi a festa da Dedicação. A palavra grega ( ἐγκαίνια ) que traduzimos dedicação , (298) significa propriamente renovações ; porque o templo, que tinha sido poluído, foi novamente consagrada pelo comando de Judas Macabeu; e naquele momento em que foi promulgada que o dia do novo dedicação ou consagração deve ser comemorado todos os anos como um festival, que as pessoas possam se lembrar à memória a graça de Deus, que pôs fim à tirania de Antíoco. Cristo apareceu no templo , nesse momento, segundo o costume, que a sua pregação pode dar fruto mais abundante no meio de uma grande assembléia de homens.

 

verso 23

  1. E Jesus estava andando no templo, no pórtico de Salomão. O evangelista dá ao pórtico de Salomão a designação do templo ; não que era o santuário, mas apenas um apêndice do templo Ele também não significa que o antigo pórtico que foi construído por Salomão , que tinha sido completamente destruída pelos caldeus, mas o que os judeus - talvez imediatamente após seu retorno do Babylonish cativeiro - construída após o padrão do antigo alpendre , e deu-lhe o mesmo nome, que poderia ser mais honrado altamente; e Herodes depois construiu um novo templo.

 

verso 24

  1. Os judeus rodeava. Este foi, sem dúvida, um ataque astuto em Cristo, pelo menos por parte daqueles com quem o esquema de origem. Para as pessoas comuns podem, sem qualquer fraude, o desejo de que Cristo iria declarar abertamente que Deus o havia enviado para ser um libertador; mas algumas pessoas, por truque e estratagema, pretendeu chamar esta palavra dele em meio à multidão, que ele poderia ser morto por uma multidão, ou que os romanos pode impor as mãos sobre ele.

 

Quanto tempo tu manter a nossa alma em suspense? Por queixando-se de que está sendo mantido em suspense , eles fingem que eles são tão ardentemente desejoso de redenção prometida, que suas mentes são avidamente e incessantemente ocupado pela expectativa de Cristo. E este é o verdadeiro sentimento de piedade, para encontrar em nenhum outro lugar do que somente em Cristo, o que irá satisfazer as nossas mentes, ou dar-lhes verdadeira compostura; como ele mesmo diz,

 

Vinde a mim, todos os que estais cansados ​​e sobrecarregados, e eu vos aliviarei, e suas almas achareis descanso,

( Mateus 11:28Mateus 11:28 ).

 

Portanto, aqueles que vêm a Cristo deve ser preparado da mesma maneira que os homens fingem ser. Mas eles estão errados ao acusar Cristo, como se ele não tivesse até agora confirmaram a sua fé; pois era inteiramente sua própria culpa que eles não tinham um conhecimento completo e perfeito dele. Mas este é sempre o caso com os incrédulos, que eles escolhem, em vez de permanecer em dúvida do que ser fundada sobre a certeza da palavra de Deus. Assim, em nossos dias, vemos muitos que voluntariamente fechar os olhos, e espalhar as nuvens de sua dúvida, para escurecer a luz clara do Evangelho. Vemos também muitos espíritos de luz, que voam sobre a especulações ociosas, e nunca encontrar, ao longo de toda a sua vida, uma morada permanente.

 

Diga-nos claramente. Quando eles exigem que Cristo deve declarar-se livremente , ou abertamente e corajosamente, o seu significado é, que ele já não pode transmitir o seu significado indiretamente, e de uma forma tortuosa. Assim, eles cobram a sua doutrina com a obscuridade, que, pelo contrário, foi abundantemente clara e distinta, se os homens que ouviram não fosse surdo. Agora essa história nos adverte que não podemos evitar os artifícios e calúnias de homens maus, se somos chamados a pregar o Evangelho. Portanto, devemos estar no relógio, e não ser surpreendido com isto como uma coisa nova, quando acontece a mesma coisa para nós como para o nosso Mestre.

 

verso 25

  1. Disse-vos. Nosso Senhor Jesus (299) não esconde que ele é o Cristo, e ainda assim ele não ensina-los como se eles estavam dispostos a aprender, mas sim lhes censura com malícia obstinado, porque, se tivessem foram ensinados pela palavra e obras de Deus, que ainda não tinha feito nenhum progresso. Assim, que não conhece, ele atribui a sua própria culpa, como se dissesse: "A minha doutrina é facilmente bastante compreendido, mas a culpa é com você, porque você maliciosamente resistir a Deus."

 

As obras que eu faço. Ele fala de suas obras, a fim de condená-los de ser duplamente obstinada; pois, além da doutrina, eles tinham um testemunho marcante em seus milagres, se não tivessem sido ingrato para com Deus. Ele duas vezes repete as palavras, Você não acredita , a fim de provar que, por vontade própria, eles foram surdos a doutrina e cego para obras; que é uma prova de maldade extrema e desesperado. Ele diz que ele fez as obras em nome de seu Pai; porque o seu projeto era, para testemunhar o poder de Deus em si, pelo qual ele pode ser declarado abertamente que ele veio de Deus.

 

verso 26

  1. Porque você não sois das minhas ovelhas. Ele atribui uma razão superior porque eles não acreditam que seja em seus milagres ou em sua doutrina. É, porque eles são reprovados. Devemos observar concepção de Cristo; para, uma vez que se gabou de ser a Igreja de Deus, que a sua incredulidade pode prejudicar nada da autoridade do Evangelho, ele afirma que o dom de acreditar é um presente especial. E, de fato, antes que os homens conhecem a Deus , eles devem primeiro ser conhecido por ele , como diz Paulo, ( Gálatas 4: 9Gálatas 4: 9 .) Por outro lado, aqueles a quem Deus não olha sempre deve continuar a olhar para longe dele. Se qualquer um murmúrio com isso, argumentando que a causa da incredulidade habita em Deus, pois só Ele tem poder para fazer ovelhas ; Eu respondo, Ele é livre de toda a culpa, pois é somente pela sua malícia voluntária que os homens rejeitam sua graça. Deus faz tudo o que é necessário para induzi-los a acreditar, mas quem deve domar feras? (300) Isso nunca vai ser feito, até que o Espírito de Deus transformá-las em ovelhas Aqueles que são vontade selvagem em vão tentativa de jogar em Deus culpa de sua selvageria, por isso pertence a sua própria natureza. Em suma, Cristo significa que não é maravilhoso, se são poucos os que obedecem seu Evangelho, porque tudo o que o Espírito de Deus não submeter à obediência da fé são bestas selvagens e ferozes. Tanto mais irracional e absurdo é isso, que a autoridade do Evangelho deve depender da crença dos homens; mas os crentes devem, em vez de considerar, que eles são os mais fortemente ligada a Deus, porque, enquanto outros permanecem em um estado de cegueira, eles são atraídos para Cristo, pela iluminação do Espírito. Aqui, também, os ministros do Evangelho têm fundamento de consolo, se seu trabalho não ser rentável para todos.

 

verso 27

  1. As minhas ovelhas ouvem a minha voz. Ele prova por um argumento elaborado a partir de contrários, que eles não são ovelhas , porque eles não obedecem ao Evangelho. Porque Deus chama eficazmente todos a quem ele elegeu, para que a ovelhas de Cristo são provado por sua fé. E, de fato, a razão pela qual o nome de ovelhas é aplicado aos crentes é que eles se entregam a Deus, a ser regida pela mão do Sumo Pastor, e, deixando de lado o ardor da sua natureza, tornam-se suave e dócil. Não é uma pequena consolação para os professores fiéis, que, embora a maior parte do mundo não escuta de Cristo, mas ele tem a sua ovelha a quem ele conhece , e por quem ele também é conhecido Deixe-os fazer o seu melhor para trazer o mundo inteiro para o rebanho de Cristo; mas quando eles não conseguem acordo com seu desejo, deixá-los ficar satisfeitos com esta única consideração, que os que são ovelhas serão recolhidos por sua agência. O resto já foi explicado.

 

verso 28

  1. E eles nunca perecerá. É uma fruta inestimável da fé, que Cristo nos manda ser convencidos da nossa segurança quando formos levados pela fé em sua dobra. Mas também temos de observar em que bases esta certeza descansa. É porque ele será um fiel guardião da nossa salvação, pois ele atesta que a nossa salvação está em sua mão E se isso não bastasse, ele diz que eles vão ser guardada com segurança pelo poder de seu Pai Esta é uma passagem notável, pelo qual somos ensinados que a salvação de todos os eleitos não é menos certo que o poder de Deus é invencível. Além disso, Cristo não tinha a intenção de lançar esta palavra tola para o ar, mas para dar uma promessa que deve permanecem profundamente sacado em suas mentes; e, portanto, podemos inferir que a declaração de Cristo é a intenção de mostrar que os eleitos são absolutamente certos de sua salvação. Estamos cercados, de fato, por adversários poderosos, e tão grande é a nossa fraqueza, que somos cada momento em perigo iminente de morte; mas como Aquele que mantém o que se comprometeram a ele ( 2 Timóteo 1:122 Timóteo 1:12 ) é maior ou mais poderoso do que todos , não temos razão a tremer como se nossa vida estava em perigo.

 

Daí, também, podemos inferir quão louca é a confiança dos papistas, que conta com o livre-arbítrio, por sua própria virtude e sobre os méritos de suas obras. Amplamente diferente é a maneira pela qual Cristo instrui seus seguidores, lembrar que, neste mundo, que pode ser dito para estar no meio de uma floresta, cercado por inúmeros ladrões, e não são apenas desarmado e exposto como uma presa, mas estão conscientes de que a causa da morte está contido em si mesmos, de modo que, contando com a guarda de Deus sozinhos, eles podem caminhar sem alarme. Em suma, a nossa salvação é certa, porque é na mão de Deus; para a nossa fé é fraca, e nós somos muito propensos a vacilar. Mas Deus, que nos levou sob sua proteção, é suficientemente poderoso para dispersão, com a respiração sozinho, todas as forças dos nossos adversários. É de grande importância para nós voltamos nossa atenção para isso, que o medo de tentações não pode desanimar-nos; para Cristo, mesmo destina-se a indicar o caminho no qual ovelhas são feitas para viver à vontade no meio de lobos.

 

E ninguém pode arrancar-las da mão de meu Pai. A palavra e, nesta passagem, significa , portanto, para, uma vez que o poder de Deus é invencível, Cristo infere que a salvação dos crentes não é exposto às paixões incontroláveis ​​dos seus inimigos, porque , antes que perecem, Deus deve ser superado, que tomou-los sob a proteção de sua mão.

 

verso 30

  1. Eu eo Pai somos um. Ele destina-se a satisfazer as zombarias dos ímpios; pois eles podem alegar que o poder de Deus não a todos pertencem a ele, para que ele poderia prometer aos seus discípulos que iria seguramente protegê-los. Portanto, ele atesta que seus negócios estão tão estreitamente unidos aos do Pai, que a ajuda do Pai nunca será retido a partir de si mesmo e sua ovelha Os antigos tinham um uso errado dessa passagem para provar que Cristo é ( ὁμοούσιος ) da mesma essência com o Pai. Porque Cristo não argumentar sobre a unidade da substância, mas sobre o acordo que ele tem com o Pai, de modo que tudo o que é feito por Cristo será confirmada pelo poder de seu Pai.

 

verso 31

  1. Ora, os judeus novamente pegaram em pedras. Como a verdadeira religião, para manter a glória de Deus, queima com o seu próprio zelo que o Espírito de Deus dirige, de modo a incredulidade é a mãe da raiva, e as corre diabo sobre os ímpios em tal de forma que eles respiram nada, mas abate. Este resultado mostra com que intenção eles colocaram a questão a Cristo; para a confissão aberta, de que fingiu estar desejosos, instantaneamente os leva à loucura. E ainda, apesar de serem apressados, com tal violência, para oprimir Cristo, não pode haver dúvida de que eles atribuído alguma razão plausível para o seu julgamento, como se eles estavam agindo de acordo com a injunção da lei, pelo qual Deus ordena que falsos profetas será apedrejado, ( Deuteronômio 13: 5Deuteronômio 13: 5 ).

 

verso 32

  1. Muitas obras boas que eu mostrei para você. Aqui Cristo não só diz que eles não têm nenhuma razão para a sua crueldade, mas os acusa de ingratidão, em fazer tão injusto a retribuição de favores de Deus. Nem ele só afirmar que ele lhes tem feito um serviço por um ou dois trabalhos, mas que, em muitos aspectos, ele tem sido bom para eles. Em seguida, ele repreende-los com ser ingrato, não só para si mesmo, mas sim a Deus, quando ele diz que ele é o ministro do Pai, que manifestou abertamente seu poder, que pode ser conhecida e atestada a eles. Pois, quando ele diz que as boas obras eram do Pai , ele quer dizer que Deus era o autor deles. O significado pode ser assim resumida: "Deus destina-se a dar a conhecer a você, por mim, benefícios distintos; ele conferiu-lhes em cima de você ao meu lado. Bani-me tanto como você, por favor, eu não fiz nada que não merece louvor e boa vontade. Em me perseguindo, portanto, você tem que mostrar a sua raiva contra os dons de Deus. "Mas a questão tem mais força para perfurar suas consciências do que se tivesse feito uma afirmação direta.

 

verso 33

  1. Nós pedra não te para um bom trabalho. Embora os homens maus continuar a guerra aberta com Deus, mas eles nunca querer pecar sem algum pretexto plausível. A consequência é que, quando se enfurecem contra o Filho de Deus, eles não estão satisfeitos com esta crueldade, mas trazer uma acusação sem provocação contra ele, e constituem-se advogados e defensores da glória de Deus. Uma boa consciência deve, portanto, ser para nós uma muralha de bronze, pelo qual nós corajosamente repelir as injúrias e calúnias com que são assaltados. Por alguma plausibilidade pode enfeitar a sua maldade, e tudo o opróbrio que pode trazer em nós por um tempo, se lutar pela causa de Deus, ele não vai recusar-se a defender a sua verdade. Mas como o ímpio nunca quer pretextos para oprimir os servos de Deus, e como eles também endureceram descaramento, de modo que, mesmo quando derrotados, eles não deixam de calúnia, temos necessidade de paciência e mansidão, para nos apoiar até o fim .

 

Mas por blasfêmia. A palavra de blasfêmia, que entre os autores profanos denota geralmente todo tipo de censura, a Escritura refere-se a Deus, quando sua majestade é ofendido e insultado.

 

Porque tu, sendo homem, te fazes Deus. Há dois tipos de blasfêmia, quer quando Deus é privado da honra que pertence a ele, ou quando nada impróprio à sua natureza, ou contrária à sua natureza, é atribuído a ele. Eles argumentam, portanto, que Cristo é um blasfemador e uma pessoa sacrilégio, porque, sendo um homem mortal , ele reivindica honra Divina. E isso seria uma definição justa de blasfêmia, se Cristo não eram nada mais do que um homem. Eles só errar no fato de que eles não projetar para contemplar sua Divindade, que era visível em seus milagres.

 

verso 34

  1. Não está escrito na vossa lei? Ele limpa-se o crime imputado contra ele, não negando que ele é o Filho de Deus, mas, ao afirmar que ele tinha justamente disse isso. No entanto, ele adapta a sua resposta às pessoas, em vez de dar uma explicação completa sobre o fato; para a julgou suficiente para o presente para expor a sua malícia. Em que sentido ele chamou a si mesmo o Filho de Deus, ele não explica totalmente, mas afirma indiretamente. O argumento de que ele emprega não é desenhada a partir iguais, mas a partir do menor para o maior.

 

Eu disse: Vós sois deuses. Escritura dá o nome de deuses para aqueles a quem Deus conferiu um escritório honrosa. Aquele que Deus separou, a ser distinguidos de todos os outros, é muito mais digno desse honroso título. Daí segue-se que eles são expositores maliciosas e falsas das Escrituras, que admitem o primeiro, mas se ofender com o segundo. A passagem que Cristo cita está em Salmos 82: 6Salmos 82: 6 ,

 

Eu disse: Vós sois deuses,

e todos vós filhos do Altíssimo;

 

Onde Deus expostulates com os reis e juízes da terra, que tiranicamente abusam de sua autoridade e poder para as suas próprias paixões pecaminosas, para a opressão dos pobres, e para cada ação mal. Ele reprova-lhes que, desatento daquele de quem receberam uma dignidade tão grande, eles profanar o nome de Deus. Cristo aplica-se isso para o caso em questão, que recebem o nome de deuses , porque são ministros de Deus para governar o mundo. Pela mesma razão, a Escritura chama os anjos deuses , porque por elas a glória de Deus vigas para trás no mundo. Devemos atender ao modo de expressão:

 

verso 35

  1. A quem foi dirigida a palavra de Deus. Porque Cristo significa que eles foram autorizados por um comando indubitável de Deus. Daí inferimos que impérios não surgiu ao acaso, nem pelos erros dos homens, mas que eles foram nomeados pela vontade de Deus, porque ele deseja que a ordem política deve existir entre os homens, e que devemos ser governados por usos e leis. Por esta razão, Paulo diz que todos os que

 

resistir ao poder são rebeldes contra Deus, porque não há poder, mas o que é ordenado por Deus,

( Romanos 13: 1Romanos 13: 1 ).

 

Será, talvez, ser contestada, que outros chamados também são de Deus, e são aprovados por ele, e ainda que não, por conta disso, ligue para os agricultores ou pastores, ou sapateiros, deuses I no marcador, este não é um declaração de carácter geral, que todos os que foram chamados por Deus a qualquer modo particular de vida são chamados deuses ; mas Cristo fala de reis, a quem Deus ressuscitou para uma estação mais elevada, para que possam governar e governar. Em suma, deixe-nos saber que os magistrados são chamados deuses , porque Deus lhes deu autoridade. Sob o termo lei, Cristo inclui toda a doutrina pela qual Deus governava sua Igreja antiga; Porque desde que os profetas foram apenas expositores da Lei, os Salmos são justamente considerado como um apêndice com a Lei. Que a Escritura não pode ser quebrado meios, que a doutrina da Escritura é inviolável.

 

verso 36

  1. A quem o Pai santificou. Há uma santificação que é comum a todos os crentes. Mas aqui Cristo reivindica para si algo muito mais excelente, ou seja, que só ele foi separado de todos os outros, que o poder do Espírito e a majestade de Deus se manifestasse nele; enquanto anteriormente dito, que , Deus, o Pai selado , ( João 6:27João 6:27 ). Mas isso se refere estritamente à pessoa de Cristo, na medida em que ele se manifesta na carne. Dessa forma, essas duas coisas estão unidas, que ele foi santificado e enviado ao mundo. Mas também temos de compreender por que razão e em que condição ele foi enviado Foi para trazer a salvação de Deus, e para provar e exibir-se, em todas as formas possíveis, para ser o Filho de Deus.

 

Você diz que eu blasfemar? Os arianos antigamente torturado essa passagem para provar que Cristo não é Deus por natureza, mas que possui uma espécie de divindade emprestado. Mas este erro é facilmente refutado, pois Cristo não discutem agora o que ele é em si mesmo, mas o que devemos reconhecê-lo a ser, a partir de seus milagres em carne humana. Para nunca podemos compreender sua Divindade eterna, a menos que abraçá-lo como um Redentor, tanto quanto o Pai lhe exibiu para nós. Além disso, devemos lembrar o que eu anteriormente sugeriram que Cristo não faz, nesta passagem, explicar completamente e distintamente o que ele é, como ele teria feito entre os seus discípulos; mas que, em vez habita em refutar as calúnias dos seus inimigos.

 

verso 37

  1. Se eu não fizer as obras para que a judeus poderia responder que foi em vão para ele se gabar de santificação e de tudo o que dependia dele, ele novamente chama a atenção para os seus milagres, em que houve uma prova suficientemente evidentes de sua Divindade. Esta é a forma de uma concessão, como se ele tivesse dito: "Eu não quero que você seja obrigado a me dar crédito a qualquer outra condição do que você vê o fato claramente diante de seus olhos. (303) Você pode rejeitar com segurança me, se Deus não deu abertamente testemunho para mim. "

 

As obras de meu Pai. Ele lhes dá esse nome, porque essas obras eram verdadeiramente divino, e porque tão grande poder brilhou neles, que eles não podiam ser atribuídas a um homem.

 

verso 38

  1. Mas, se eu faço. Ele mostra que eles são mantidos claramente condenado por desacato descrente e sacrílego, porque eles não prestar qualquer reverência ou honra (304) o que são, sem dúvida, as obras de Deus. Esta é uma segunda concessão, quando ele diz: "Embora eu lhe permitem duvidar da minha doutrina, você não pode negar, pelo menos, que os milagres que tenho realizados são de Deus. É, portanto, abertamente rejeitar a Deus, e não um homem ".

 

Que você pode conhecer e crer. Embora ele coloca o conhecimento antes da fé, como se a fé fosse inferior a ele, ele faz isso, porque ele tem a ver com homens descrentes e obstinados, que nunca rendem a Deus, até que sejam vencidos e restringida pelas experiência; para os rebeldes desejam saber antes que eles acreditam E, no entanto, nosso Deus gracioso nós se entrega tão longe, que ele nos prepara para a fé por um conhecimento de suas obras. Mas o conhecimento de Deus e de sua sabedoria secreta vem após a fé , porque a obediência da fé abre-nos a porta do reino dos céus.

 

Que o Pai está em mim e eu nele. Ele repete a mesma coisa que ele tinha dito antes, em outras palavras, eu e meu Pai somos um todo tende a este ponto, que em seu ministério há nada contrário ao seu Pai. " O Pai , diz ele, é em mim; isto é, o poder divino se manifesta em mim. "

 

E eu estou em meu Pai; isto é, "eu não faço nada, mas pelo comando de Deus, de modo que há uma conexão mútua entre mim e meu Pai." Para esse discurso não se relaciona com a unidade de essência, mas à manifestação do poder divino na pessoa de Cristo, do qual era evidente que ele foi enviado por Deus.

 

verso 39

  1. Por isso, eles procuraram novamente para prendê-lo. Este foi, sem dúvida, que eles podem levá-lo para fora do templo, e imediatamente apedrejá-lo; para a sua raiva não era de todo abatida pelas palavras de Cristo. Quanto ao que o evangelista diz que ele escapou de suas mãos, isso não poderia ser feito de outra forma que não por um esforço maravilhoso do poder divino. Isso nos lembra que não estamos expostos às paixões sem lei dos homens ímpios, que Deus restringe pelo seu freio, sempre que julgar conveniente.

 

verso 40

  1. Ele foi embora, além do Jordão. Cristo passou para além do Jordão, que ele pode não ter que lutar continuamente sem qualquer vantagem. Ele tem, portanto, nos ensinou, através de seu exemplo, que devemos nos valer de oportunidades, quando elas ocorrem. Quanto ao local de sua retirada, o leitor pode consultar as observações que fiz no capítulo 1, versículo 28. (305)

 

verso 41

  1. Muitos foram ter com ele. Esta grande assembléia mostra que Cristo não buscar a solidão, a fim de cessar a partir do cumprimento de seu dever, mas para erguer um santuário de Deus no deserto, quando Jerusalém, que era a sua própria morada e morada, (306) tinha conduzido ele obstinadamente fora. E, de fato esta foi uma vingança terrível de Deus, que, embora o templo escolhido por Deus era um covil de ladrões , ( Jeremias 07:11Jeremias 07:11 ; Matthew 21:13Mateus 21:13 ), a Igreja de Deus foi recolhido em um lugar desprezado.

 

João, na verdade, não fez milagre. Eles inferir que Cristo é mais excelente do que John , porque ele tem se destacado por tantos milagres, enquanto que John não realizou um único milagre Não que devemos sempre a julgar por milagres, mas isso milagres , quando unidos com a doutrina, não têm peso pequeno, como já foi mencionado várias vezes. Seu argumento é defeituoso; para eles se comparam Cristo com John, mas eles expressam apenas uma parte da comparação. Além disso, eles tomam para concedido, que João era um profeta eminente de Deus, e que ele era dotado de extraordinária graça do Espírito Santo. Eles justamente argumentam, portanto, que Cristo deve ser preferido a John, porque era apenas pela Providence fixo de Deus, que foi trazido sobre isso John, embora em outros aspectos, um grande profeta, ainda não foi honrado por realizar qualquer milagre . Portanto, eles concluem, que isso foi feito por causa de Cristo, para que pudesse ser muito mais caros.

 

Mas tudo o que John disse. Parece que isso não foi dito por eles mesmos, mas foi adicionado pelo Evangelista, a fim de mostrar que havia duas razões que os levaram a crer em Cristo. Por um lado, (307) , viram que o testemunho que João tinha dado a ele era verdade; e, por outro lado, (308) os milagres de Cristo adquiridos por ele maior autoridade.

Comentario biblico Jão Calvino (N.T)

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net