Translate this Page

Rating: 3.0/5 (935 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


Comentario bíblico de João cap.4
Comentario bíblico de João cap.4

                   Comentario bíblico de João  cap.4

 

       .    verso 1

  1. Quando, pois, o Senhor sabia. O Evangelista, pretendendo agora a dar conta da conversa que Cristo teve com uma mulher samaritana, começa com explicando a causa de sua jornada. Sabendo que os fariseus foram mal disposto em direção a ele, ele não queria expor-se a sua ira antes do momento adequado. Este foi o motivo para a criação fora da Judéia. O evangelista nos informa, assim, que Cristo não veio a Samaria com a intenção de habitação ali, mas porque ele teve que passar por ela a caminho da Judéia para a Galiléia; para, até que, pela sua ressurreição, ele deve abrir o caminho para o evangelho, era necessário que ele deve ser empregado na recolha das ovelhas de Israel para o qual havia sido enviado. Que agora ele favorecia os samaritanos com sua instrução era uma ocorrência extraordinária e quase acidental, se pode ser permitido a expressão.

 

Mas por que ele buscar a reforma e espreita-lugares da Galiléia, como se ele não estavam dispostos a ser conhecido, que foi muito a desejar? Eu respondo, que ele conhecia bem a maneira correta de agir, e fez tal uso das oportunidades de utilidade que ele não permitir que um momento a perder. Ele desejou, portanto, a prosseguir o seu curso com regularidade, e de tal maneira que ele julgou ser adequado. Daí, também ouvimos que nossas mentes devem ser regulados de tal forma que, por um lado, podemos não ser dissuadido por qualquer medo de ir para a frente em serviço; e que, por outro lado, podemos não muito precipitadamente lançar-nos perigos. Todos os que estão seriamente desejosos de prosseguir a sua vocação vai ter o cuidado de manter essa moderação, para o qual eles vão constantemente seguir o Senhor mesmo pelo meio de mortes; eles não vão correr para eles negligentemente, mas vai andar nos seus caminhos. Vamos, portanto, lembre-se de que não devemos avançar mais do que as nossas exigências de chamada.

 

Que os fariseus tinham ouvido. Os fariseus só são mencionados pelo evangelista como tendo sido hostil a Cristo; Não que os outros escribas eram simpáticos, mas porque esta seita era naquele tempo em ascensão, e porque eles estavam cheios de raiva sob o pretexto de zelo divino. Pode-se perguntar, Será que eles invejar Cristo que ele tinha mais discípulos, porque a sua ligação mais forte para John levou-os a promover a sua honra e reputação? O significado das palavras é diferente; para que eles eram anteriormente insatisfeito ao descobrir que John recolheu discípulos, suas mentes estavam ainda mais exasperado, quando viram que um número ainda maior de discípulos vieram a Cristo. A partir do momento que John confessou-se a ser nada mais do que o arauto do Filho de Deus, começaram a afluir para Cristo em maiores multidões, e ele já estava quase concluído seu ministério. Assim, ele gradualmente resignado a Cristo, o ofício de ensinar e batizar.

 

verso 2

  1. Embora Jesus mesmo não batizava. Ele dá a designação de Cristo ' Batismo s não o que ele conferido pelas mãos de outro, a fim de nos informar que o Batismo deveria ser estimada pela pessoa do ministro, mas que o seu poder depende inteiramente do seu Autor, em nome de quem, e por cuja autoridade, que é conferido. Daí tiramos um consolo notável, quando sabemos que o nosso batismo não tem menos eficácia para lavar e renovar-nos, do que se tivesse sido dada pela mão do Filho de Deus. Também não se pode duvidar que, desde que ele viveu no mundo, ele se absteve de administração para fora do sinal, com o propósito expresso de dar testemunho de todas as idades, que o Batismo não perde nada do seu valor quando é administrado por um mortal cara. Em suma, não só Cristo batizar interiormente pelo seu Espírito, mas o próprio símbolo que recebemos de um homem mortal deve ser visto por nós na mesma luz como se o próprio Cristo mostrou seu lado do céu, e estendeu a nós . Agora, se o batismo administrado por um homem é o Batismo de Cristo, não deixará de ser Batismo de Cristo quem quer ser o ministro. E isso é suficiente para refutar os anabatistas, que afirmam que, quando o ministro é um homem mau, o batismo também é viciada, e, por meio deste absurdo, perturbar a Igreja; como Agostinho empregou muito apropriadamente o mesmo argumento contra os donatistas.

 

verso 4

  1. Porque Jesus mesmo testemunhou. A aparente contradição que nos atingem, à primeira vista, tem dado origem a várias interpretações. Há um excesso de sutileza na explicação dada por Agostinho, que Cristo era sem honra entre seus próprios compatriotas, porque ele tinha feito mais bem entre os samaritanos em dois dias única que ele tinha feito, em um longo tempo, entre os galileus; e porque, sem milagres, ele ganhou mais discípulos em Samaria do que um grande número de milagres ele tinha ganhado na Galiléia. Também não estou satisfeito com o ponto de vista de Crisóstomo, que entende de Cristo país para ser Cafarnaum, porque ele morava lá com mais frequência do que em qualquer outro lugar. Eu prefiro concordar com Cyril, que diz que ele deixou a cidade de Nazaré, e partiu para uma parte diferente da Galiléia; para os outros três evangelistas mencionam Nazaré, quando eles se relacionam com este testemunho de Cristo. O significado pode realmente ser que, embora o tempo da plena manifestação ainda não era chegada, ele escolheu permanecer oculto em seu país natal, como em um retiro mais obscura. Alguns, também, explicar isso para dizer, que ele permaneceu dois dias em Samaria, porque não havia nenhuma razão para que ele deveria apressar para ir a um lugar onde desprezo o aguardava. Outros pensam que ele foi direto para Nazaré, e imediatamente à esquerda dela; mas, como João relata nada desse tipo, eu não arrisco a ceder a essa conjectura. Uma visão mais correcta do que é, que quando ele se viu desprezado em sua cidade natal Nazaré, em vez retirou-se para um outro lugar. E, portanto, ele segue imediatamente (versículo 46) que ele veio para a cidade de Cana. O que está próximo acrescentou - que os galileus receberam-no - era um sinal de reverência, não de desprezo.

 

Um profeta não tem honra na sua própria pátria. Não tenho dúvidas de que esta palavra era comum e tinha passado para um provérbio; (88) e sabemos que os provérbios têm a intenção de ser uma expressão graciosa do que comumente e mais frequentemente ( ἐπὶ τὸ πολὶ ) acontece. Em tais casos, portanto, não é necessário que devemos rigidamente exigem precisão uniforme, como se o que é afirmado em um provérbio eram sempre é verdade. É certo que os profetas são geralmente mais admirava em outros lugares do que em seu próprio país. Às vezes, também, pode acontecer, e na realidade não acontecer, que um profeta não é menos honrado por seus compatriotas do que por estranhos; mas o provérbio diz que é comum e ordinário, que profetas recebem honra mais facilmente em qualquer outro lugar do que entre seus próprios conterrâneos.

 

Agora este provérbio, e o significado dela, pode ter uma origem dupla; por isso é uma falta universal, que aqueles a quem ouvimos chorar no berço, e que vimos agindo tolamente em sua infância, são desprezados por nós ao longo de toda a sua vida, como se tivessem feito nenhum progresso, uma vez que eles eram meninos . A isto se acrescenta outro mal - a inveja, o que prevalece mais entre conhecidos. Mas eu acho que seja provável que o provérbio surgiu a partir desta circunstância, que profetas foram tão maltratados por sua própria nação; para homens bons e santos, quando perceberam que havia na Judéia tão grande ingratidão para com Deus, tão grande desprezo da sua palavra, tão grande obstinação, poderia justamente proferir esta queixa, que em nenhum lugar são os Profetas de Deus menos honrado do que em seu próprio país. Se o antigo significado ser preferido, o nome do Profeta deve ser compreendida geralmente para designar qualquer professor, como Paulo chama Epimenides um profeta dos cretenses , ( Titus 1:12Tito 1.12 ).

 

verso 5

  1. Qual é chamada Sicar Jerônimo, em seu epitáfio em Paula, pensa que esta é uma leitura errada, e que deveria ter sido escrito Siquém ; e, de fato, este último parece ter sido o nome antigo e verdadeiro; mas é provável que, no tempo do evangelista, a palavra Sichar já estava em uso comum. Quanto ao local, é geralmente aceite que era uma cidade situada perto de Mount Gerizzim, os habitantes dos quais foram traiçoeiramente assassinado por Simeão e Levi, ( Genesis 34:25Gênesis 34:25 ), e que Abimeleque, um nativo do lugar, depois arrasada aos seus thundations, ( Jude 9:45Jude 9:45 ). Mas a conveniência de sua situação era tal que, pela terceira vez, a cidade foi construída lá, o que, na idade de Jerome, chamaram Neapolis ao adicionar tantas circunstâncias, o apóstolo remove toda a dúvida; para que sejam claramente informados por meio de Moisés, onde o campo era que Jacob atribuído aos filhos de José, ( Genesis 48:22Gênesis 48:22 ). Ele é universalmente reconhecido, também, que o Monte Gerizzim estava perto de Siquém. Vamos depois afirmar que um templo foi construído lá; e não pode haver nenhuma dúvida de que Jacob habitava um longo tempo naquele lugar com sua família.

 

E Jesus, fatigado pela viagem. Ele não fingiu cansaço, mas estava realmente cansado; para, a fim de que ele poderia estar melhor preparados para o exercício de simpatia e compaixão para com nós, ele tomou sobre si as nossas fraquezas, como o Apóstolo mostra que

 

não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, ( Hebreus 4:15Hebreus 4:15 ).

 

Concorda com esta a circunstância do tempo; pois não é maravilhoso que, sendo sede e cansado, ele descansou no poço ao meio-dia; durante o dia, do nascer ao pôr do sol, tinha doze horas, a sexta hora era meio-dia quando o evangelista diz que ele sentou-se , assim, ele quer dizer que foi a atitude de um homem que estava cansado

 

verso 7

  1. Uma mulher veio de Samaria. Quando ele pergunta a água da mulher, ele faz isso não apenas com a intenção de obter uma oportunidade para ensiná-la; de sede levou-o a desejo de beber. Mas isso não pode impedi-lo de aproveitar-se da oportunidade de instrução que tenha obtido, por ele prefere a salvação da mulher para os seus próprios desejos. Assim, esquecendo a sua própria sede, como se estivesse satisfeito com a obtenção de lazer e oportunidade para uma conversa, que ele possa instruí-la na verdadeira piedade, ele faz uma comparação entre a água visível e espiritual, e as águas com a doutrina celeste a mente dela que o tinha recusado água para beber.

 

verso 9

  1. Como fazes tu, que és judeu? Esta é uma reprovação, pelo qual ela responde-lhe o desprezo que foi geralmente entretidos por sua nação. Os samaritanos são conhecidos por ter sido a escória do povo reunido dentre os estrangeiros. Tendo corrompido o culto de Deus, e introduziu muitas cerimônias falsas e más, foram justamente considerado pelos judeus com ódio. No entanto, não se pode duvidar de que os judeus, em sua maior parte, estendeu seu zelo pela lei como uma capa para o seu ódio carnal; para muitos foram accionados mais pela ambição e inveja, e pelo desagrado ao ver o país que tinha sido atribuído a eles ocupada pelos samaritanos, do que pela dor e desconforto porque o culto a Deus havia sido corrompido. Havia só o terreno para a separação, desde que os seus sentimentos tinham sido pura e bem regulamentado. Por esta razão Cristo, quando ele envia os Apóstolos a anunciar o Evangelho, os proíbe de se desviam para os samaritanos, ( Matthew 10: 5Mateus 10: 5 ).

 

Mas esta mulher faz o que é natural para quase todos nós; para, sendo desejosos a ser realizada em estima, que levamos muito doente para ser desprezado. Esta doença da natureza humana é tão geral, que cada pessoa deseja que seus vícios deve agradar aos outros. Se alguém desaprova nós, ou de qualquer coisa que fazemos ou dizemos, (73) que são imediatamente ofendido, sem qualquer razão. Deixe qualquer homem examine a si mesmo, e ele vai encontrar esta semente de orgulho em sua mente, até que tenha sido erradicada pelo Espírito de Deus. Esta mulher, por isso, sabendo que as superstições de sua nação foram condenados pelos judeus, agora oferece um insulto para eles na pessoa de Cristo.

 

Para os judeus não detêm relações sexuais com os samaritanos. Essas palavras eu considero como tendo sido proferidas pela mulher. Outros supõem que o evangelista acrescentou-los por causa da explicação, e, na verdade, é de pouca importância que significa que você preferir. Mas eu acho que mais natural para acreditar que as vaias mulher em Cristo desta maneira: "O quê? É lícito para você perguntar beber a mim, quando nos prender a ser tão profano? "Se preferir a outra interpretação, eu não contestam o ponto. Além disso, é possível que os judeus levaram seu repúdio dos samaritanos para além de limites razoáveis; pois como temos dito que se aplicavam a um propósito impróprio um falso pretexto de zelo, então era natural para eles irem em excesso, como quase sempre acontece com aqueles que dão lugar a paixões perversas.

 

verso 10

  1. Jesus respondeu. Cristo agora, valendo-se da oportunidade, começa a pregar sobre a graça eo poder do seu Espírito, e que, para uma mulher que não fez em todos merecem que ele deveria falar uma palavra para ela. Este é certamente um exemplo surpreendente de sua bondade. Para o que estava lá nesta mulher miserável, que, de ser uma prostituta, ela de repente se tornou um discípulo do Filho de Deus? Embora em todos nós que ele tem exibido uma instância similar de sua compaixão. Todas as mulheres, de fato, não são prostitutas, nem todos os homens manchadas por algum crime hediondo; mas o que a excelência pode qualquer um de nós defender como uma razão pela qual ele se dignou a conceder-nos a doutrina celestial, e a honra de ser admitido em sua família? Também não foi por acaso que a conversa com uma pessoa assim ocorreu; porque o Senhor nos mostrou, como em um modelo, que aqueles a quem ele dá a doutrina da salvação não são selecionados em razão do mérito. E parece à primeira vista um arranjo maravilhoso, que ele passou por tantos grandes homens na Judéia, e ainda realizou discurso familiarizado com esta mulher. Mas era necessário que, na sua pessoa, deve ser explicado como verdadeiro é que dito do Profeta,

 

Fui achado pelos que não me buscavam; Fui manifestado aos que por mim não perguntavam. Eu disse para aqueles que não me buscavam: Eis aqui estou eu,

( Isaías 65: 1Isaías 65: 1 ).

 

Se tivesses conhecido o dom de Deus. Estas duas cláusulas, Se tivesses conhecido o dom de Deus, e, quem é que fala contigo, eu li separadamente, ver o último como uma interpretação do primeiro. Pois foi uma gentileza maravilhosa de Deus para ter Cristo presente, que trouxe com ele a vida eterna. O significado será mais simples, se, em vez de e , nós colocamos a saber , ou alguma outra palavra desse tipo, (75) assim: Se tivesses conhecido o dom de Deus , a saber, quem é que fala contigo por estas palavras que são ensinados que só então é que sabemos o que Cristo é, quando entendemos o que o Pai nos deu a nele, e quais os benefícios que ele traz para nós. Agora que o conhecimento começa com uma convicção da nossa pobreza; para, antes de qualquer um deseja um remédio, ele deve ser previamente afetado com o ponto de vista de suas angústias. Assim, o Senhor convida não, a quem bebeu o suficiente, mas a sede, e não aqueles que estão saciados, mas a fome, para comer e beber. E por que Cristo seja enviada com a plenitude do Espírito, se não estavam vazias?

 

Mais uma vez, como ele tem feito grandes progressos, que, sentindo sua deficiência, já reconhece o quanto ele precisa da ajuda de outro; por isso não seria suficiente para ele gemer sob suas aflições, se ele não tivesse também a esperança de um auxílio pronto e preparado. Desta forma, pode fazer mais do que perder-nos com tristeza, ou pelo menos podemos, como os papistas, correr cerca em todas as direções, e oprimir-nos com o cansaço inútil e sem proveito. Mas, quando Cristo aparecer, não temos mais vagar em vão, em busca de um remédio onde não pode ser obtido, mas vamos direto a ele. O único conhecimento verdadeiro e rentável da graça de Deus é, quando se sabe que ele está exposto a nós em Cristo, e que se estendeu até nós pela mão dele. Da mesma maneira que Cristo nos lembram quão eficaz é o conhecimento de suas bênçãos, uma vez que nos anima para procurá-los e acende nossos corações. Se tivesses conhecido, diz ele, queres ter perguntado. O design destas palavras não é difícil de ser percebida; para ele pretendia para aguçar o desejo dessa mulher, que ela pode não desprezam e rejeitam a vida que foi oferecido a ela.

 

Ele teria dado a ti. Por essas palavras Cristo testemunha que, se nossas orações ser dirigida a ele, eles não serão infrutíferas; e, de fato, sem essa confiança, a seriedade de oração seria inteiramente refrigerado. Mas quando Cristo se reúne aqueles que vêm a ele, e está pronta para satisfazer os seus desejos, não há mais espaço para a lentidão ou atraso. E não há homem que não iria se sentir que isso é dito para todos nós, se ele não foram impedidos por sua incredulidade.

 

Água viva. Embora o nome de água é emprestado do presente ocorrência, e aplicada a do Espírito , ainda esta metáfora é muito frequente nas Escrituras, e repousa sobre as melhores terras. Para nós são como um solo seco e estéril; não há seiva e sem rigor em nós, até que o Senhor regar pelo seu Espírito. Em outra passagem, o Espírito é também chamado de água limpa , ( Hebreus 10:22Hebreus 10:22 ), mas em um sentido diferente; ou seja, porque ele lava e purifica-nos das contaminações com os quais estamos inteiramente cobertos. Mas nesta e em outras passagens, o assunto tratado é a energia segredo pelo qual ele restaura a vida em nós, e mantém e leva-lo à perfeição. Há alguns que explicar isso como se referindo à doutrina do Evangelho, aos quais eu próprio, que esta denominação é plenamente aplicável; mas eu acho que Cristo inclui aqui toda a graça de nosso renovação; pois sabemos que ele foi enviado para o propósito de trazer para nós uma nova vida. Na minha opinião, portanto, tinha a intenção de contrastar a água com que a miséria de todas as bênçãos em que a humanidade gemem e trabalhistas. Novamente, água viva não é assim chamada por seu efeito, como doador de vida , mas a alusão é a diferentes tipos de águas. Ele é chamado de vida , porque flui de uma vida fonte.

 

verso 11

  1. Senhor, tu não tens com que tirá-la. Como os samaritanos eram desprezados pelos judeus, por isso os samaritanos, por outro lado, mantinham os judeus em desprezo. Por conseguinte, esta mulher em primeiro lugar não só despreza Cristo, mas ainda zomba dele. Ela entende muito bem que Cristo está falando no sentido figurado, mas ela joga para fora um jibe por uma figura diferente, com a intenção de dizer, que ele promete mais do que ele pode realizar.

 

verso 12

  1. ? És tu maior do que nosso pai Jacob Ela começa a acusá-lo de arrogância na exaltando-se acima do santo patriarca Jacó. " Jacob ", diz ela, "foi satisfeito com este bem para seu próprio uso e que de toda a sua família: ? e tens mais excelente água "Como defeituosa essa comparação é, aparece com clareza suficiente a partir desta consideração, que ela compara o servo do mestre, e um homem morto para o Deus vivo; no entanto, quantos nos dias de hoje se enquadram nesta muito erro? O mais cautelosos devemos ser para não exaltar as pessoas de homens, de modo a obscurecer a glória de Deus. Devemos, de fato, a reconhecer com reverência os dons de Deus, onde quer que apareçam. É, portanto, apropriado que devemos honrar os homens que são eminente na piedade, ou dotados de outros presentes incomuns; mas que deveria ser de tal maneira que Deus possa permanecer sempre eminente, acima de tudo - que Cristo, com seu Evangelho, possa brilhar ilustrativamente, pois para ele todo o esplendor do mundo deve ceder.

 

Deverá também ser observado que os samaritanos falsamente se gabava de ser descendente de santos Padres. Da mesma maneira fazer os papistas, embora sejam uma semente bastardo, arrogante jactância dos Padres, e desprezam os verdadeiros filhos de Deus. Embora os samaritanos tinham sido descendentes de Jacob segundo a carne, mas, como eles estavam completamente degenerado e afastado de verdadeira piedade, esta glória teria sido ridículo. Mas agora que eles estão Cutheans por descendência, ( 2 Reis 17:242 Reis 17:24 ,) ou, pelo menos, recolhidos dos gentios profanos, eles ainda não deixar de fazer falsas pretensões para o nome do santo patriarca. Mas isso é de nenhum proveito para eles; e tal deve ser o caso com todos os que perversamente exultar a luz dos homens, de modo a privar-se da luz de Deus, e que não têm nada em comum com os santos Padres, cujo nome de terem abusado.

 

verso 13

13 . Todo aquele que beber desta água. Ainda que Cristo percebe que ele está a fazer pouco de bom, e mesmo que a sua instrução é tratada com escárnio, ele passa a explicar mais claramente o que ele tinha dito. Ele distingue entre a utilização dos dois tipos de água; que o que serve o corpo, e apenas por um tempo, enquanto o poder do outro dá vigor perpétuo à alma. Pois, assim como o corpo é susceptível de deteriorar, então as ajudas pelo qual é suportado deve ser frágil e transitória. O que acelera a alma não pode deixar de ser eterno. Mais uma vez, as palavras de Cristo não estão em contradição com o fato, que os crentes, até o fim da vida, queimar com o desejo da graça mais abundante. Porque ele não diz que, desde o primeiro dia, beber, de modo a estar plenamente satisfeito, mas apenas significa que o Espírito Santo é uma fonte fluindo continuamente; e que, portanto, não há perigo de que os que têm sido renovado pela graça espiritual secarão. E, por isso, embora nós sede durante toda a nossa vida, mas o certo é que não recebemos o Espírito Santo para um único dia, ou por qualquer período curto, mas como uma fonte perene, que nunca nos faltará. Assim crentes sede, e sede intensamente, ao longo de toda a sua vida; e ainda assim eles têm abundância de acelerando a umidade; para ainda que pequena pode ter sido a medida de graça que receberam, dá-lhes o vigor perpétuo, para que eles nunca são totalmente seco. Quando, portanto, ele diz que eles devem ser satisfeitas, ele não contrasta com o desejo mas somente com a Seca

 

Será uma fonte de água a jorrar para a vida eterna. Estas palavras ainda expressar mais claramente a declaração anterior; pois eles denotam uma rega contínua, que mantém neles uma eternidade celestial durante esta vida mortal e perecendo. A graça de Cristo, portanto, não flui para nós por um tempo curto, mas transborda para uma bendita imortalidade; para ele não cessa de fluir até que a vida incorruptível que começa ser levada à perfeição.,

 

verso 15

  1. Dê-me dessa água. Esta mulher, sem dúvida, é suficientemente conscientes de que Cristo está falando de água espiritual; mas porque ela o despreza, ela define em tudo nada suas promessas; por tanto tempo como a autoridade de quem fala não é reconhecida por nós, sua doutrina não é permitido entrar. Indiretamente, portanto, a mulher provocou Cristo, dizendo: "Tu glorias muito, mas não vejo nada:. Mostrá-lo, na realidade, se puderes"

 

verso 16

  1. . Chamada teu marido Isto parece não ter ligação com o objecto; e, de fato, pode-se supor que Cristo, irritado e confundido pela imprudência da mulher, muda o discurso. Mas isto não é o caso; para quando ele percebeu que vaias e escárnios foram sua única resposta para o que ele tinha dito, ele aplicou uma solução adequada para esta doença, eliminar a consciência da mulher com uma convicção de seu pecado. E também é uma prova notável de sua compaixão que, quando a mulher não estava disposto por vontade própria para chegar a ele, ele chama a ela, por assim dizer, contra a sua vontade. Mas devemos principalmente para observar o que já referi, que os que são totalmente descuidados e quase estúpido deve ser profundamente ferido por uma convicção de pecado; para essas pessoas irá considerar a doutrina de Cristo como uma fábula, até que, a ser convocado para o tribunal de Deus, eles são obrigados a temer como um juiz Aquele que outrora desprezado. Todos os que não têm escrúpulos a subir contra a doutrina de Cristo com suas brincadeiras caluniadores devem ser tratados desta maneira, que eles podem ser feitos para sentir que não vai passar impune. Essa também é a obstinação de muitos, que eles nunca vão ouvir a Cristo até que tenham sido subjugada pela violência. Sempre que, em seguida, percebe-se que o óleo de Cristo não tem sabor, que deveria ser misturado com vinho, que o seu sabor pode começar a ser sentida. Mais ainda, isso é necessário para todos nós; pois não estamos seriamente afetada por Cristo falando, a menos que tenhamos sido despertado pelo arrependimento. Portanto, a fim de que qualquer um pode lucrar na escola de Cristo, a sua dureza deve ser subjugado pela demonstração de sua miséria, como a terra, a fim de que ele pode se tornar frutífera, é preparado e suavizado pelo arado, (76 ) para este conhecimento por si só sacode todos os nossos lisonjas, de modo que já não se atreve a zombar de Deus. Sempre que, portanto, uma negligência da palavra de Deus rouba em cima de nós, nenhum remédio vai ser mais apropriado do que cada um de nós deve despertar-se à consideração de seus pecados, para que ele possa ter vergonha de si mesmo, e, tremendo antes do julgamento -Seat de Deus, pode ser humilhado a obedecer-Lhe quem tinha desenfreadamente desprezado.

 

verso 17

  1. Não tenho um marido. Nós ainda não percebemos plenamente o fruto deste conselho, pelo qual Cristo destina-se a perfurar o coração dessa mulher, para conduzi-la ao arrependimento. E, de fato, estamos tão embriagado, ou melhor, estupefato, por nosso amor-próprio, que não são de todo movida pelos primeiros feridas que são infligidas. Mas Cristo se aplica uma cura apropriada para esta lentidão, pressionando a úlcera de forma mais acentuada, pois ele abertamente repreende-la com sua maldade; embora eu não acho que é um único caso de prostituição que está aqui salientado, para quando ele diz que ela teve cinco maridos, a razão de isso provavelmente era que, sendo um perverso e mulher desobedientes, constrangeu seus maridos divorciar-se dela. Eu interpreto as palavras assim: "Embora Deus juntou-te aos maridos legais, tu não deixará de pecado, até que, rendido infame por inúmeros divórcios, tu prostitutedst-te a fornicação".

 

verso 19

  1. Senhor, vejo que és profeta. O fruto da repreensão torna-se agora evidente; pois não apenas a mulher modestamente reconhece sua culpa, mas, estando pronto e preparado para ouvir a doutrina de Cristo, que ela tinha anteriormente desprezado, ela agora deseja e pede que por vontade própria. O arrependimento, portanto, é o início da verdadeira docilidade, como já disse, e abre o portão para entrar na escola de Cristo. Mais uma vez, a mulher nos ensina por seu exemplo, que quando nos deparamos com qualquer professor, devemos aproveitar esta oportunidade, que não pode ser ingrato para com Deus, que nunca envia Profetas para nós sem, por assim dizer, estendendo a mão para nos convidar a si mesmo. Mas devemos lembrar que Paulo ensina que os que têm graça dada a eles para ensinar bem (77) são enviados a nós por Deus; para

 

como pregarão se não forem enviados? ( Romanos 10:15Romanos 10:15 ).

 

verso 20

  1. Nossos pais. É uma opinião equivocada de que alguns sustentam, que a mulher, encontrando a reprovação de ser desagradável e detestável, astuciosamente muda de assunto. Pelo contrário, ela passa do que é particular para o geral, e, tendo sido informada do seu pecado, deseja ser geralmente instruídos a respeito do puro culto de Deus. Ela toma um curso adequado e regular, quando ela consulta um Profeta, que ela não pode cair em um erro na adoração de Deus. É como se ela perguntou a si mesmo Deus de que maneira ele escolhe para ser adorado ; para nada mais iníquo do que inventar vários modos de adoração sem a autoridade da Palavra de Deus.

 

É bem sabido que havia uma disputa constante entre os judeus e os samaritanos sobre a verdadeira regra de adorar a Deus. Embora os Cutheans e outros estrangeiros, que tinham sido trazidos para Samaria, quando as dez tribos foram levados para o cativeiro, foram constrangidos pelas pragas e castigos de Deus (78) para adotar as cerimônias da lei, e de professar a adoração do Deus de Israel, (como lemos, 2 Reis 17:272 Reis 17:27 ;) Ainda a religião que eles tinham era imperfeita e corrompido em muitos aspectos; que os judeus não podiam tudo suportar. Mas a disputa ainda era mais inflamada depois que Manassés, filho do sumo sacerdote John, e irmão de Jaddus, tinha construído o templo no Monte Gerizzim, quando Dario, o último rei dos persas, realizada o governo da Judéia, pela mão de Sambalate, a quem ele havia colocado lá como seu tenente. Para Manassés, tendo casado com uma filha do governador, que ele não pode ser inferior a seu irmão, fez-se um padre lá, e obteve para si mesmo por subornos como muitos apóstolos como ele podia, como Josephus refere, (Ant. 11: 7 : 2 e 8: 2).

 

Nossos pais adoraram neste monte. Os samaritanos na época fez, como nós aprendemos com as palavras da mulher, o que é habitual com aqueles que se revoltaram contra a verdadeira piedade, para tentar proteger-se pelos exemplos dos pais. É certeza de que este não foi o motivo que os induziu a oferecer sacrifícios ali, mas depois que eles tinham moldado a adoração falsa e perversa, obstinação seguida, que era engenhoso em maquinar o desculpas. Reconheço, na verdade, que os homens instáveis ​​e impensadas são por vezes animado pelo zelo tola, como se tivessem sido mordido por um gad-fly, para que quando eles aprendem que qualquer coisa que tem sido feito pelos santos, eles instantaneamente aproveitar o exemplo sem qualquer exercício de julgamento.

 

Uma segunda falha ainda é mais comum, que eles emprestar as obras dos Padres como uma capa para os seus erros, - e isto pode ser facilmente visto no papado. Mas, como essa passagem é uma prova notável como absurdamente eles agem que, ignorando o comando de Deus, em conformidade com os exemplos de Padres, devemos observar de quantas maneiras o mundo comumente pecados a este respeito. Para isso acontece com frequência que a maioria, sem discriminação, siga essas pessoas como pais que são muito menos direito a ser contabilizados pais. Assim, nos dias de hoje percebemos que os papistas, enquanto com a boca aberta que declamar sobre os Padres , não permitir colocar para profetas e apóstolos, mas, quando eles mencionaram algumas pessoas que merecem ser honrados, recolher um vasto grupo de homens como eles, ou pelo menos chegar até idades mais corruptos em que, apesar de haver ainda não prevalecem tão grosseira a barbárie como agora existe, mas a religião e a pureza da doutrina tinha diminuído significativamente. Devemos, portanto, cuidado para atender a distinção, que nenhum pode ser contada Padres , mas aqueles que eram manifestamente os filhos de Deus; e que também, pela eminência de sua piedade, tinham direito a esta classificação honrosa. Frequentemente, também, erramos a este respeito, que pelas ações de Padres que precipitadamente estabelecer uma lei comum; por causa da multidão não imaginar que eles conferem honra suficientes sobre os Padres, se eles não excluí-los da classificação comum dos homens. Assim, quando não nos lembramos de que eram homens falíveis, que indiscriminadamente se misturam seus vícios com as suas virtudes. Daí surge a pior confusão na condução da vida; por enquanto todas as ações dos homens deveria ser julgado pela regra da lei, que submeta o equilíbrio para as coisas que devem ser ponderados por ele; e, em suma, onde tanta importância é dada à imitação de os Padres, o mundo pensa que não pode haver nenhum perigo em pecado, depois de o seu exemplo.

 

Uma terceira falha é - uma imitação falsa e mal regulada, ou impensado; (79) , isto é, quando, embora não revestidos com o mesmo espírito, ou autorizadas pelo mesmo comando, invocar como nosso exemplo, o que qualquer um dos Padres fez; como, por exemplo, se um particular resolveu vingar as lesões feito para irmãos, porque Moisés fez isso, ( Êxodo 02:12Êxodo 02:12 ;) ou se qualquer um fosse para colocar os devassos à morte, porque isso foi feito por Finéias, ( Números 25: 7Números 25 : 7 ). Essa fúria selvagem em matar seus próprios filhos originou, como muitos pensam, no desejo dos judeus para ser como seu pai Abraão, como se o comando, Oferecer o teu filho Isaac , ( Gênesis 22: 2Gênesis 22: 2 ,) foram um comando geral, e não em vez de um julgamento notável de um único homem. Tal uma falsa imitação ( κακοζηλία ) é geralmente produzido por orgulho e confiança excessiva, quando os homens reivindicar mais para si do que eles têm o direito de fazer; e quando cada pessoa não medir-se pelo seu próprio padrão. No entanto, nenhum destes são verdadeiros imitadores de os Padres, a maioria deles são macacos. Que uma porção considerável de monachism antigo fluiu a partir da mesma fonte será reconhecido por aqueles que examinará cuidadosamente os escritos dos antigos. E, portanto, a menos que nós escolhemos errar de nossa própria vontade, devemos sempre ver o espírito de cada pessoa recebeu, que sua vocação exige, o que é adequado ao seu estado, e que ele é ordenado a fazer.

 

Intimamente ligada a esta terceira falha é outra, ou seja, a confusão dos tempos, quando os homens, dedicando toda sua atenção para os exemplos dos Padres, não consideram que o Senhor, desde então, ordenou uma regra diferente de conduta, que deve seguir . (80) para esta ignorância deve ser atribuída essa enorme massa de cerimônias pelo qual a Igreja foi enterrado sob o papado. Imediatamente após o início da Igreja cristã, começou a errar a esse respeito, porque uma afetação tola de copiar cerimônias judaicas teve uma influência indevida. Os judeus tiveram seus sacrifícios; e que os cristãos podem não ser inferior a eles em esplendor, a cerimônia do sacrifício de Cristo foi inventada: como se a condição da Igreja Cristã seria pior quando haveria um fim de todas essas sombras pelo qual o brilho de Cristo pode ser obscurecido . Mas depois essa fúria eclodiu com mais força, e se espalhou para além de todos os limites.

 

Para que não se enquadram nesta erro, devemos sempre estar atento ao presente regra. Anteriormente incenso, velas, vestes sagradas, um altar, vasos e cerimônias desta natureza, agradou a Deus; ea razão era que nada é mais precioso ou aceitável a Ele do que a obediência. Agora, uma vez que a vinda de Cristo, as questões são completamente mudado. Devemos, portanto, considerar o que ele manda em nós sob o Evangelho, que não podem seguir de forma aleatória o que os Padres observado nos termos da Lei; para o que era naquele tempo uma observação sagrado de adoração a Deus agora seria um sacrilégio chocante.

 

Os samaritanos foram desviados por não considerar, no exemplo de Jacó, como amplamente diferia da condição de seu próprio tempo. Os Patriarcas foram autorizados a erguer altares em todos os lugares, porque o lugar ainda não tinha sido fixada a qual o Senhor depois selecionada; mas a partir do momento que Deus ordenou que o templo a ser construído sobre o monte Sião, a liberdade que outrora se cessou. Por esta razão, Moisés disse:

 

Daqui em diante você não deve fazer cada um o que parece reto aos seus olhos, mas apenas o que eu te ordeno,

( Deuteronômio 12: 8Deuteronômio 12: 8 ;)

 

para, a partir do momento que o Senhor deu a Lei, ele restringiu o verdadeiro culto de si mesmo para os requisitos da referida lei, apesar de anteriormente um maior grau de liberdade foi apreciado. A pretensão semelhante foi oferecido por aqueles que adoravam em Betel; pois Jacob tinha oferecido um sacrifício solene a Deus, mas depois que o Senhor tinha fixado o lugar de sacrifício em Jerusalém, já não era Betel, a casa de Deus , mas Bethaven, a casa de maldade .

 

Vamos agora ver qual era o estado da questão. Os samaritanos tinham o exemplo dos pais para a sua regra: os judeus descansou no mandamento de Deus. Esta mulher, embora até então ela tinha seguido o costume de sua nação, não estava totalmente satisfeito com ele. Pela adoração que devemos entender aqui não qualquer tipo de culto, (para orações diárias pode ser oferecido em qualquer lugar), mas o que se havia juntado com sacrifícios, e que constituiu uma profissão pública e solene da religião.

 

verso 21

  1. Mulher, acredita em mim. Na primeira parte desta resposta, ele rapidamente deixa de lado o culto cerimonial, que tinha sido nomeado nos termos da Lei; para quando ele diz que a hora está à mão, quando não haverá lugar peculiar e fixa para o culto, ele quer dizer que o que Moisés entregou foi só por um tempo, e que o tempo estava se aproximando quando a partição-parede do ( Efésios 2:14Efésios 2: 14 ) deve ser jogado para baixo. Desta forma, ele se estende a adoração a Deus muito além de seus antigos limites estreitos, que os samaritanos pode tornar-se participantes da mesma.

 

. Mas a hora vem Ele usa o tempo presente, em vez de o futuro; mas o significado é, que a revogação da Lei já está na mão, no que concerne ao Templo e Sacerdócio e outras cerimônias exteriores. Ao chamar Deus de Pai, ele parece indiretamente para contrastar-Lo com os Padres quem a mulher tinha mencionado, e para transmitir esta instrução, que Deus será um Pai comum a todos, de modo que ele vai ser geralmente adorado sem distinção de lugares ou nações.

 

verso 22

Ele explica agora mais em grande parte o que ele tinha brevemente olhou para a abolição da Lei; mas ele divide a substância do seu discurso em duas partes. No primeiro caso, ele cobra a superstições e erros a forma de adorar a Deus que tinha sido usado pelos samaritanos, mas atesta que a forma verdadeira e legítima foi observado pelos judeus. E ele atribui a causa da diferença, que a partir da palavra de Deus aos judeus obtido certeza quanto ao seu culto, enquanto os samaritanos receberam nada certo da boca de Deus. Na segunda parte, ele declara que as cerimônias até então observados pelos judeus logo estaria no fim.

 

  1. . Vós adorais o que não conheceis, nós adoramos o que conhecemos Esta é uma frase digna de ser lembrada, e nos ensina que não devemos tentar qualquer coisa na religião precipitadamente ou aleatoriamente; porque, a menos que haja conhecimento, não é Deus que adoramos, mas um fantasma ou ídolo. Todas as boas intenções, como são chamados, são atingidos por esta frase, como por um raio; para nós aprender com ele, que os homens podem fazer nada, mas err, quando eles são guiados por sua própria opinião, sem a palavra ou comando de Deus. Porque Cristo, defendendo a pessoa e a causa de sua nação, mostra que os judeus são amplamente diferente do samaritanos. E porque?

 

Porque a salvação vem dos judeus. Por estas palavras, ele significa que eles têm a superioridade, a este respeito, que Deus tinha feito com eles um pacto de salvação eterna. Alguns restringi-la a Cristo, que era descendente de judeus; e, de facto, uma vez

 

todas as promessas de Deus foram confirmados e ratificados nele,

( 2 Coríntios 1:202 Coríntios 1:20 ,)

 

não há salvação, mas nele. Mas, como não pode haver dúvida de que Cristo dá a preferência para os judeus por este motivo, que eles não adoram uma divindade desconhecida, mas só Deus, que se revelou a eles, e por quem foram adotados como o seu povo; pela palavra da salvação , devemos entender que a manifestação de poupança que tinha sido feito para eles com relação à doutrina celeste.

 

Mas por que é que ele diz que era dos judeus, quando foi em vez depositado com eles, que por si só pode apreciá-lo? Ele alude, na minha opinião, ao que tinha sido previsto pelos profetas, que a lei saia de Sião , ( Isaías 2: 3Isaías 2: 3 ; Micah 4: 2Micah 4: 2 ), pelo que foram separados por um tempo do resto das nações na condição expressa, que o conhecimento puro de Deus deve fluir a partir deles para o mundo todo. Isso equivale a isso, que Deus não está devidamente adoradas, mas pela certeza da fé, que não pode ser produzido em qualquer outra maneira do que pela palavra de Deus. Daí segue-se que todos os que deixemos a palavra cair na idolatria; para Cristo testemunha claramente que um ídolo, ou um propósito do seu próprio cérebro, é substituído por Deus, quando os homens são ignorantes do verdadeiro Deus; e ele carrega com a ignorância todos a quem Deus não se revelou, por assim que são privados da luz da sua Palavra, escuridão e cegueira reinado.

 

Deve-se observar que os judeus, quando eles tinham traiçoeiramente anular o pacto de vida eterna que Deus tinha feito com seus pais, foram privados do tesouro que eles tinham até aquele momento apreciado; pois eles ainda não haviam sido expulsos da Igreja de Deus. Agora que eles negam o Filho, eles não têm nada em comum com o Pai;

 

para todo aquele que nega o Filho não tem o Pai,

( 1 João 2:231 João 2:23 ).

 

O mesmo acórdão deve ser formada a respeito de tudo que se desviaram da fé pura do Evangelho às suas próprias invenções e as tradições dos homens. Embora eles que adoram a Deus de acordo com seu próprio julgamento ou tradições humanas mais plana, e se aplaudir em sua obstinação, esta única palavra, trovejando do céu, estabelece prostrado tudo o que eles imaginam ser divina e santa, Vós adorais o que não sei Segue-se daí que, se queremos a nossa religião a ser aprovado por Deus, ele deve descansar no conhecimento obtido a partir de Sua palavra.

 

verso 23

  1. Mas a hora vem. Agora segue a última cláusula, sobre a revogação da adoração, ou cerimônias, (81) prescrito pela lei. Quando ele diz que a hora vem, ou virá , ele mostra que a ordem estabelecida por Moisés não será perpétuo. Quando ele diz que a hora e já é chegada, ele coloca um fim às cerimônias, e declara que o tempo de reforma , da qual fala o Apóstolo, ( Hebreus 9:10Hebreus 9:10 ), foi assim cumprida. No entanto, ele aprova o Templo, o Sacerdócio, e todas as cerimônias ligadas a eles, no que concerne ao tempo passado. Mais uma vez, para mostrar que Deus não escolhe para ser adorado, quer em Jerusalém ou no monte Gerizzim, ele toma um princípio superior, que a verdadeira adoração a Ele consiste no espírito; para, portanto, segue-se que em todos os lugares Ele pode ser devidamente adorado .

 

Mas a primeira pergunta que se apresenta aqui é: Por que, e em que sentido, é a adoração de Deus chamado espiritual ? Para entender isso, temos de atender ao contraste entre o espírito e emblemas para fora, como entre as sombras e a verdade. A adoração a Deus é dito que consistem no espírito, porque nada mais é do que a fé interior do coração que produz oração e, em seguida, a pureza de consciência e auto-negação, que pode ser dedicado à obediência a Deus como santos sacrifícios.

 

Daí surge outra pergunta, Não os Padres adorá-Lo espiritualmente sob a Lei? Eu respondo, como Deus é sempre como si mesmo, ele não a partir do começo do mundo aprovar de qualquer outro culto do que aquele que é espiritual, e que se está de acordo com sua própria natureza. Isto é abundantemente atestada pelo próprio Moisés, que declara em muitas passagens que a lei não tem outro objeto do que as pessoas possam decompor em Deus com fé e uma consciência pura. Mas ainda é mais claramente declarada pelos profetas quando eles atacam com gravidade a hipocrisia das pessoas, porque eles achavam que eles tinham Deus satisfeito, quando acabaram de cumprir os sacrifícios e fez uma exibição exterior. É desnecessário citar aqui muitas provas que devem ser encontrados em toda parte, mas as passagens mais notáveis ​​são os seguintes: - Salmos 50: 0Salmos 50: 0 . Mas, enquanto a adoração de Deus sob a Lei era espiritual, ele foi envolvido em tantas cerimônias exteriores, que se assemelhava a algo carnal e terrena. Por esta razão, Paulo chama de cerimônias carne e os elementos desprezíveis do mundo , ( Gálatas 4: 9Gálatas 4: 9 .) De modo semelhante, o autor da Epístola aos Hebreus diz que o antigo santuário , com os seus apêndices, foi terrena , ( Hebreus 9: 1Hebreus 9: 1 ). Assim podemos justamente dizer que a adoração da Lei era espiritual em sua substância, mas, no que diz respeito a sua forma, ele foi um pouco terrena e carnal; para o conjunto do que a economia, a realidade do que está agora totalmente manifesta, consistiu em sombras.

 

Vamos agora ver o que os judeus tinham em comum com a gente, e em que medida eles diferem de nós. Em todas as idades Deus quis ser adorado pela fé, oração, agradecimento, a pureza do coração, e a inocência da vida; e em nenhum momento ele deliciar-se com quaisquer outros sacrifícios. Mas sob a Lei havia várias adições, para que o espírito e verdade estavam escondidos sob as formas e sombras, que, agora que o véu do templo foi rasgado , ( Matthew 27:51Mateus 27:51 ), nada é escondido ou obscuro. De fato, há entre nós, nos dias de hoje, alguns exercícios exteriores de piedade, o que torna necessária a nossa fraqueza, mas tal é a moderação e sobriedade deles, que eles não obscurecem a pura verdade de Cristo. Em suma, o que foi exibido para os pais com menos de figuras e sombras agora é exibido abertamente.

 

Agora, no papado esta distinção não só é confundida, mas totalmente anulada; pois as sombras não são menos espessa do que anteriormente estavam sob a religião judaica. Não se pode negar que Cristo aqui estabelece uma distinção clara entre nós e os judeus. Quaisquer que sejam as subterfúgios pelos quais os papistas tentam escapar, é evidente que diferem das reúne em nada mais do que forma exterior, porque enquanto eles adoraram a Deus espiritualmente, eles eram obrigados a realizar cerimônias, que foram abolidas pela vinda de Cristo. Assim, todos os que oprimem a Igreja com uma multidão excessiva de cerimônias, fazer o que está em seu poder para privar a Igreja da presença de Cristo. Eu não paro para examinar as desculpas vãs, que alegam eles, que muitas pessoas nos dias de hoje tem tanta necessidade desses auxílios como os judeus tinham em tempos antigos. É sempre o nosso dever perguntar por que ordem o Senhor quis a sua Igreja a ser regida, pois só Ele sabe bem o que é conveniente para nós. Agora é certo que nada é mais em desacordo com a ordem designado por Deus do que a pompa bruta e singularmente carnal que prevalece no papado. O espírito estava realmente escondido pelas sombras da lei, mas as máscaras de papado desfigurá-la completamente; e, portanto, não devemos tolerar tais corrupções grosseiras e vergonhosas. Quaisquer que sejam os argumentos podem ser utilizados por homens engenhosos, ou por aqueles que têm a coragem não suficiente para corrigir vícios - que são questões duvidosas, e deve ser realizada tão indiferente - certamente que não pode ser suportado, que a regra estabelecida por Cristo deve ser violada .

 

Os verdadeiros adoradores. Cristo aparece indiretamente para reprovar a obstinação de muitos, que mais tarde foi exibido; pois sabemos como obstinados e contenciosas os judeus eram, quando o Evangelho foi revelado, na defesa das cerimônias a que estavam acostumados. Mas essa declaração tem um significado ainda mais extensa; para, sabendo que o mundo nunca mais seria inteiramente livre de superstições, ele separa assim os devotos e verticais adoradores de quem eram falsas e hipócritas. Armado com este testemunho, não vamos hesitar em condenar os papistas em todas as suas invenções, e corajosamente a desprezar suas censuras. Por que razão temos a temer, quando aprendemos que Deus está contente com esta adoração pura e simples, que é desprezado pelos papistas, porque não é a presença de uma massa cumbrous de cerimônias? E de que serve para eles é o esplendor ocioso da carne, pelo qual Cristo declara que o Espírito se apaga? O que é adorar a Deus em espírito e verdade aparece claramente a partir do que já foi dito. É deixar de lado as complicações de cerimônias, e manter apenas o que é espiritual na adoração de Deus; para a verdade do culto de Deus consiste em espírito, e as cerimônias são apenas uma espécie de apêndice. E aqui, novamente, deve ser observado que a verdade não é comparado com falsidade , mas com a adição de ida das figuras da Lei; (82) de modo a que - para usar uma expressão comum - é a substância pura e simples do culto espiritual .

 

verso 24

  1. Deus é Espírito. Esta é uma confirmação tirada da própria natureza de Deus. Desde que os homens são carne, não devemos querer saber, se eles têm prazer nas coisas que correspondem à sua própria disposição. Por isso, surge, para que inventar muitas coisas no culto de Deus, que estão cheios de exibição, mas não têm solidez. Mas eles deveriam antes de tudo considerar que eles têm a ver com Deus, que não mais pode concordar com a carne de fogo com água. Esta consideração single, quando a pergunta refere-se ao culto de Deus, deve ser suficiente para conter a libertinagem de nossa mente, de que Deus está tão longe de ser como nós, que as coisas que nos agradam a maioria são os objetos de sua aversão e aversão. E se hipócritas são tão cego pelo seu próprio orgulho, que eles não têm medo de submeter a Deus que a sua opinião, ou melhor, aos seus desejos ilícitos, deixe-nos saber que esta modéstia não detém o lugar mais baixo na verdadeira adoração de Deus, relação com desconfiança tudo o que é gratificante segundo a carne. Além disso, como não podemos ascender à altura de Deus, lembremo-nos de que devemos procurar a partir de sua palavra a regra pela qual somos governados. Esta passagem é frequentemente citado pelos Padres contra os arianos, para provar a divindade do Espírito Santo, mas é inadequada para coar para tal finalidade; por Cristo simplesmente declara aqui que seu pai é de natureza espiritual, e, portanto, não é movido por assuntos frívolos, como os homens, através da leveza e instabilidade de seu caráter, estão acostumados a ser.

 

verso 25

  1. O Messias está prestes a chegar. Embora a religião entre os samaritanos foi corrompido e misturados com muitos erros, mas alguns princípios extraídos do Direito ficaram impressionados em suas mentes, como o que relacionado com o Messias. Agora é provável que, quando a mulher verificado a partir do discurso de Cristo, que uma mudança muito extraordinária estava prestes a ter lugar na Igreja de Deus, sua mente imediatamente recorreu à lembrança de Cristo, com quem ela esperava que todas as coisas seriam totalmente restaurado . Quando ela diz que o Messias está prestes a vir, ela parece falar do tempo como ao alcance da mão; e, na verdade, é suficientemente evidente em muitos argumentos, que as mentes dos homens estavam em todos os lugares despertada pela expectativa do Messias, que restauraria os assuntos que foram miseravelmente cariados, ou melhor, que foram completamente arruinado.

 

Esta, pelo menos, está além de toda controvérsia, que a mulher prefere Cristo a Moisés e todos os profetas no ofício de ensinar; pois ela compreende três coisas em poucas palavras. Em primeiro lugar, que a doutrina da lei não era absolutamente perfeito, e que nada mais do que os primeiros princípios foi entregue na mesma; pois se não tivesse havido algum progresso mais para ser feita, ela não teria dito que o Messias vai nos dizer todas as coisas. Há um contraste implícito entre ele e os Profetas, que é seu escritório peculiar para conduzir seus discípulos ao meta, enquanto os Profetas só tinha-lhes dadas as primeiras instruções, e, por assim dizer, levou-os para o curso. Em segundo lugar, a mulher declara que ela espera que tal Cristo como será o intérprete de seu Pai, e do professor e instrutor de todos os deuses. Por último, ela expressa sua crença de que não devemos desejar qualquer coisa melhor ou mais perfeito do que a sua doutrina, mas que, pelo contrário, este é o objeto mais distante da sabedoria, além de que é ilegal para prosseguir.

 

Eu gostaria que aqueles que agora se orgulhar de ser os pilares da Igreja Cristã, pelo menos, iria imitar essa pobre mulher, de modo a estar satisfeitos com a simples doutrina de Cristo, em vez de reivindicação Eu não sei o poder de superintendência para colocar diante de sua invenções. Para onde foi a religião do Papa e Mahomet recolhido, mas a partir das adições maus, pelos quais eles imaginavam que trouxe a doutrina do Evangelho a um estado de perfeição? Como se teria sido incompleta sem essas tolices. Mas quem deve ser bem ensinada na escola de Cristo pedirá há outros instrutores, e certamente não irá recebê-los.

 

verso 26

  1. Eu é que falar contigo. Quando ele reconhece à mulher que; ele é o Messias, ele, sem dúvida, se apresenta como seu Mestre, de acordo com a expectativa de que ela tinha formado; e, portanto, acho que provável, que ele passou a dar instrução mais completa, a fim de satisfazer a sua sede. Tal prova de sua graça que ele pretende dar no caso de essa pobre mulher, que ele poderia testemunhar tudo o que ele nunca deixa de cumprir o seu dever, quando desejamos tê-lo como nosso Mestre. Há, portanto, não há perigo de que ele irá decepcionar um daqueles a quem ele encontra pronto para se tornar seus discípulos. Mas aqueles que se recusam a submeter-se a ele, como vemos feito por muitos homens altivos e sem religião, ou que esperam encontrar em outro lugar uma sabedoria mais perfeita - como os maometanos e papistas fazer - merecem ser conduzidos sobre por inúmeros encantamentos, e no comprimento para ser mergulhado num abismo de erros. Mais uma vez, por estas palavras, " eu que falarei contigo sou o Messias, o Filho de Deus", ele emprega o nome Messias como um selo para ratificar a doutrina do seu Evangelho; pois devemos lembrar que ele foi ungido pelo Pai, e que o Espírito de Deus repousou sobre ele , que ele poderia trazer para nós a mensagem da salvação, como Isaías declara, ( Isaías 61: 1Isaías 61: 1 ).

 

verso 27

  1. Seus discípulos, perguntou-se. Que os discípulos se perguntou , como o evangelista diz respeito, pode surgir a partir de uma das duas causas; tanto que eles foram ofendidos com a condição média da mulher, ou que eles consideravam os judeus de serem poluídas, se eles entraram em conversa com os samaritanos. Agora, porém ambos esses sentimentos procedeu de uma reverência devota seu mestre, mas eles estão errados em perguntando para ele como uma coisa inadequada, que ele se digna a doar tão grande honra em uma mulher que foi totalmente desprezado. Para por que não, em vez olhar para si mesmos? Eles certamente não encontraram menos razões para ser surpreendido, que os que eram homens de nenhuma nota, e quase os sucata do povo, foram levantadas para o posto mais alto de honra. E, no entanto, é útil observar o que o evangelista diz - que eles não se aventurou a fazer uma pergunta; pois somos ensinados pelo seu exemplo de que, se alguma coisa nas obras ou palavras de Deus e de Cristo ser desagradável aos nossos sentimentos, não devemos dar-nos uma rédea solta de modo a ter a ousadia de murmurar, mas deveriam preservar um silêncio modesto, até o que está oculto de nós do céu se manifestar. A fundação de tal modéstia reside no temor de Deus e no temor de Cristo.

 

verso 28

  1. . Portanto, a mulher deixou o seu cântaro Esta circunstância é relacionado pelo evangelista para expressar o ardor de seu zelo; por isso é uma indicação de pressa, que ela deixa o seu cântaro, e retorna para a cidade. E esta é a natureza da fé, que quando se têm tornado participantes da vida eterna, queremos trazer outros para compartilhar conosco; nem é possível que o conhecimento de Deus deve estar enterrado e inativos em nossos corações sem ser manifestada diante dos homens, para que o ditado deve ser verdadeira:

 

Eu acreditava, e, portanto, falarei, ( Salmos 116: 10Salmos 116: 10 ).

 

A seriedade e prontidão da mulher são muito mais digno de atenção, que era apenas uma pequena centelha de fé que os acendeu; pois mal tinha ela provou Cristo quando ela se espalha seu jogo por toda a cidade. Em aqueles que já fizeram progressos moderados em sua escola, lentidão será muito vergonhoso. Mas ela pode aparecer para merecer a culpa por esse motivo, que, enquanto ela ainda é ignorante e imperfeita ensinou, ela vai além dos limites de sua fé. Eu respondo, ela teria agido inconsiderately, se ela tinha assumido o cargo de professor, mas quando ela não deseja nada mais do que para excitar seus concidadãos para ouvir Cristo falando, não vamos dizer que ela esqueceu-se, ou passou mais longe do que ela tinha o direito de fazer. Ela simplesmente faz o ofício de um trompete ou um sino para convidar outras pessoas para vir a Cristo.

 

verso 29

  1. Ver um homem. Enquanto ela fala aqui em dúvida, ela poderia parecem não ter sido muito comovido com a autoridade de Cristo. Eu respondo, como ela não estava qualificado para discorrer sobre tais mistérios elevados, ela se esforça, de acordo com sua capacidade fraco, para trazer seus concidadãos para permitir-se a ser ensinado por Cristo. Foi um estimulante muito potente que ela utilizou para excitá-los, quando soube, por um sinal de que não era obscura ou duvidosa, que ele era um profeta ; para, uma vez que eles não poderiam formar um juízo de sua doutrina, esta preparação inferior foi útil e bem adaptado para eles. Tendo, portanto, aprendemos que Cristo tinha revelado à mulher coisas que estavam escondidas, eles inferir a partir dele que ele é um profeta de Deus. Isto tendo sido determinado, eles começam a atender a sua doutrina. Mas a mulher vai mais longe; pois ela os convida a perguntar se ele não é o Messias, estar satisfeito se pudesse convencê-los a buscar, por vontade própria, o que ela já tinha encontrado em Cristo; pois sabia que eles iriam encontrar mais do que ela prometeu.

 

Que me disse todas as coisas que eu fiz. Por que ela dizer uma mentira, dizendo que Cristo disse-lhe todas as coisas ? Eu já mostrei que Cristo não reprová-la por uma única instância de fornicação, mas que ele colocou diante dela, em poucas palavras, muitos pecados de toda a sua vida. Para o evangelista não minuciosamente registrados a cada frase, mas afirma geralmente que Cristo, a fim de reprimir a loquacidade da mulher, trouxe para a frente a sua vida antiga e presente. No entanto, vemos que a mulher, acendeu por um santo zelo, não poupa a si mesma, ou sua reputação, para ampliar o nome de Cristo, pois ela não tem escrúpulos para relacionar as passagens vergonhosos de sua vida.

 

verso 32

  1. Eu tenho um alimento para comer que vós não conheceis. É maravilhoso que, quando ele está cansado e com fome, ele se recusa a comer; para se ser dito que ele faz isso com a finalidade de instruir-nos, por seu exemplo, para suportar a fome, por que então ele não fazê-lo sempre? Mas ele tinha um outro objeto além de dizer que devemos simplesmente recusar alimentos; porque temos de atender a esta circunstância, que a sua ansiedade sobre o negócio atual incita-o tão fortemente, e absorve toda a sua mente, para que ele não lhe dá desconforto desprezar alimentos. E ainda assim ele não diz que ele está tão ansioso para obedecer aos mandamentos de seu Pai , que não come nem bebe. Ele só aponta o que deve fazer em primeiro lugar, e que deve ser feito depois; e, assim, ele mostra, por seu exemplo, que o reino de Deus deve ser preferido a todos os confortos do corpo. Deus permite-nos, de fato, para comer e beber, desde que não sejam retirados o que é da maior importância; isto é, que todo homem atender a sua própria vocação.

 

Ele vai talvez ser dito, de que comer e beber não pode deixar de ser ocupações que tenham retirado uma parte do nosso tempo que poderia ser melhor empregado. Este eu conheço para ser verdade, mas como o Senhor gentilmente nos permite cuidar do nosso corpo, tanto quanto a necessidade requer, aquele que se esforça para nutrir seu corpo com sobriedade e moderação não deixa de dar essa preferência que ele deveria dar a obediência a Deus. Mas também temos de tomar cuidado para não aderir de modo firme aos nossos horários fixos, para não estar preparado para nos privar de alimentos, quando Deus estende a nós qualquer oportunidade, e, por assim dizer, fixa a hora presente. Cristo, tendo agora em suas mãos como uma oportunidade que pode passar, abraça-o com os braços abertos, e prende-lo rápido. Quando o presente dever intimados sobre ele pelo Pai pressiona com tanta força que ele acha necessário colocar de lado qualquer outra coisa, ele não tem escrúpulos para atrasar a ingerir alimentos; e, na verdade, teria sido razoável que, quando a mulher deixou o seu cântaro e correu para chamar o povo, Cristo deve exibir menos zelo. Em suma, se propomos-lo como nosso objeto para não perder as causas da vida por conta da própria vida, ele; não será difícil para preservar a forma correcta; pois aquele que deve colocá-lo diante dele como o fim da vida para servir ao Senhor, do qual não têm a liberdade de se desviar até mesmo para o perigo imediato de morte, certamente acham que para ser de mais valor do que comer e beber. A metáfora de comer e beber é tanto mais gracioso nesta ocasião, que foi elaborado sazonalmente a partir do presente discurso.

 

verso 34

  1. . O meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou Ele significa não apenas que ele estima a muito, mas que não há nada em que ele tenha mais prazer, ou em que ele é mais alegre ou mais ansiosamente empregado; como David, a fim de ampliar a Lei de Deus, diz não apenas que ele valoriza muito o, mas que é mais doce do que o mel , ( Salmos 19:10Salmos 19:10 ). Se, portanto, gostaríamos de seguir a Cristo, é adequada não só que nos dedicar com afinco para o serviço de Deus, mas que sejamos tão alegre no cumprimento de suas injunções que o trabalho não será em tudo opressiva ou desagradável.

 

. Para que eu possa terminar o seu trabalho Ao acrescentar estas palavras, Cristo explica totalmente o que é que a vontade do Pai para a qual ele é consagrado; ou seja, para cumprir a missão que tinha sido dado a ele. Assim, cada homem deve considerar seu próprio chamado, que ele não pode considerar como feito a Deus o que ele precipitadamente realizada a sua própria sugestão. Qual foi o escritório de Cristo é bem conhecida. Foi para avançar o reino de Deus, para restaurar a alma de vida perdidos, para difundir a luz do Evangelho, e, em suma, para trazer a salvação para o mundo. A excelência dessas coisas fez com que ele, se estiver cansado e com fome, para esquecer carne e bebida. Ainda assim, derivar dessa nenhum consolo comum, quando aprendemos que Cristo era tão preocupados com a salvação dos homens, que lhe deu o maior prazer em consegui-lo; pois não podemos duvidar que ele é agora accionado por sentimentos semelhantes em relação a nós.

 

verso 35

  1. Você não disse? Ele segue a instrução anterior; para, tendo dito que nada era mais querido para ele do que para terminar a obra do Pai, ele agora mostra como maduro é para a execução; e ele faz isso através de uma comparação com a colheita. Quando o milho está maduro, a colheita não pode suportar atraso, pois de outra forma o grão iria cair no chão e se perder; e, de igual modo, o milho espiritual estando agora madura, ele declara que não deve haver demora, porque o atraso é prejudicial. Vemos com que finalidade a comparação é empregada; é explicar a razão pela qual ele se apressa para executar seu trabalho. (83) Por esta expressão, Você não disse? ele pretendia indiretamente ao apontar como muito mais atenta às mentes dos homens são terrenas do que para as coisas celestiais; para eles queimam com um desejo tão intenso de colheita que eles cuidadosamente contar-se meses e dias, mas é espantoso como sonolência e indolente que eles estão em ajuntar o trigo celeste. E a experiência diária prova que este mal não só é natural para nós, mas dificilmente pode ser arrancada de nossos corações; por enquanto todos prevêem a vida terrena a um período distante, como indolente estamos em pensar sobre as coisas celestiais? Assim, Cristo diz, em outra ocasião, hipócritas, você discernir pela face do céu que tipo de dia de amanhã será, mas você não reconhecem o tempo da minha visitação, ( Mateus 16: 3Mateus 16: 3 ).

 

verso 36

  1. . E aquele que colhe recompensa, recebe Como diligentemente devemos nos dedicar à obra de Deus, ele prova por outro argumento; ou seja, porque uma recompensa grande e mais excelente é reservado para o nosso trabalho; para ele promete que não haverá fruto, e fruto não corruptível ou desbotamento. O que ele acrescenta cerca de frutas pode ser explicado de duas maneiras; ou é um anúncio da recompensa, e nessa suposição de que ele diria a mesma coisa duas vezes em palavras diferentes; ou, ele aplaude os trabalhos daqueles que enriquecem o reino de Deus, como veremos mais tarde ele repetir,

 

Eu vos escolhi a vós, para que vades e deis fruto, eo vosso fruto pode permanecer, ( João 15:16João 15:16 ).

 

E, certamente, tanto considerações deveriam muito para incentivar os ministros da palavra, que eles nunca pode afundar sob a labuta, quando ouvem que uma coroa de glória é preparado para eles no céu, e saber que o fruto da sua colheita não será apenas precioso aos olhos de Deus, mas também será eterna. É com esta finalidade que a Escritura em todos os lugares menciona recompensa, e não com o propósito de nos levar a julgar a partir dele quanto aos méritos de obras; para o qual de nós, se chegarmos a um acerto de contas, não será encontrado mais digno de ser punido por preguiça do que de ser recompensado por diligência? Para o melhor trabalhadores nada mais vai ser deixado de se aproximar a Deus com toda a humildade para implorar perdão. Mas o Senhor, que age em nossa direção com a bondade de um pai, a fim de corrigir a nossa preguiça, e incentivar-nos que de outra forma se assombrarão, e se digna a conceder-nos uma recompensa imerecida.

 

Isto é tão longe de derrubar a justificação pela fé que antes a confirma. Pois, em primeiro lugar, como ele vem muito que Deus encontra em nós qualquer coisa a recompensar, mas porque Ele concedeu sobre nós pelo Seu Espírito? Agora sabemos que o Espírito é o compromisso sério e de adoção, ( Efésios 1:14Efésios 1:14 .) Em segundo lugar, como ele vem muito que Deus confere tão grande honra em obras imperfeitas e pecadoras, mas porque, depois de ter por livre graça nos reconciliou consigo mesmo, ele aceita as nossas obras sem qualquer relação com o mérito, por não lhes imputando os pecados que cortam a eles? O valor desta passagem é, que o trabalho que o Apostlesbestow no ensino não deveria ser contada por eles difícil e desagradável, uma vez que eles sabem que é tão útil e tão vantajosa a Cristo e à Igreja.

 

Que aquele que semeia, e aquele que ceifa, juntamente se regozijem. Com estas palavras de Cristo mostra que o fruto que os Apóstolos decorrerão os trabalhos dos outros não pode ceder apenas de queixa a qualquer pessoa. E esta declaração adicional merece atenção; porque, se em todo o mundo os gemidos daqueles que se queixam de que o fruto do seu trabalho foi transportado para outra não dificultam o novo dono da alegremente colhendo o que o outro tem semeado, quanto mais alegre devem os ceifeiros a ser, quando não é mútuo consentimento e alegria mútua e felicitações?

 

Mas, para que esta passagem pode ser adequadamente compreendida, devemos compreender o contraste entre a semeadura e colheita A semeadura foi a doutrina da Lei e os Profetas; por pelo tempo que a semente lançada no solo permaneceu, por assim dizer, na lâmina; mas a doutrina do Evangelho, que leva os homens a maturidade adequada, é por essa razão justamente em comparação com a colheita. Porque a lei foi muito longe do que a perfeição que tem por fim foram expostos a nós em Cristo. Para a mesma finalidade é a comparação bem conhecida entre a infância ea idade adulta que Paulo emprega, quando ele diz que

 

o herdeiro, enquanto ele é uma criança, não difere de um servo, ainda que seja senhor de tudo, mas está sob tutores e curadores até o tempo determinado pelo pai,

( Gálatas 4: 1Gálatas 4: 1 ).

 

Em suma, desde a vinda de Cristo trouxe junto com ele a salvação presente, não precisamos de saber se o Evangelho, pela qual a porta do reino celestial é aberto, ser chamado a colheita da doutrina dos Profetas. E ainda assim, não é de todo incompatível com esta declaração, que os Padres nos termos da Lei foram reunidas em celeiro de Deus; mas esta comparação deve ser encaminhado para o modo de ensinar; pois, como a infância da Igreja durou até o fim da Lei, mas, assim que o Evangelho foi pregado, ele imediatamente chegou à idade adulta, por isso, nesse momento a salvação começou a amadurecer, de que a semeadura só tinha sido realizada pelos Profetas.

 

Mas, como Cristo entregou este discurso em Samaria, ele aparece para estender a semeadura mais amplamente do que com a Lei e os Profetas; e há alguns que interpretar estas palavras como aplicar-se tanto aos judeus e aos gentios. Reconheço, na verdade, que alguns grãos de piedade sempre foram espalhados por todo o mundo, e não pode haver nenhuma dúvida de que - se nós pode ser permitida a expressão - Deus semeou, pela mão de filósofos e profana escritores, os excelentes sentimentos que podem ser encontrados em seus escritos. Mas, como essa semente foi degeneraram desde o root, e como o milho, que poderia surgir a partir dele, embora não o bem ou natural, foi sufocado por uma enorme massa de erros, não é razoável supor que essa corrupção destrutiva é comparado a sementeira além disso, o que é dito aqui sobre unir na alegria não pode aplica a todos para filósofos ou quaisquer pessoas dessa classe.

 

Ainda assim, a dificuldade ainda não foi resolvido, pois Cristo faz referência especial para os samaritanos. Eu respondo, embora tudo entre eles foi infectado pelo corrupções, ainda havia alguma semente oculta da piedade. Pois de onde ela surge de que, assim que ouvir uma palavra a respeito de Cristo, eles estão tão ansiosos para procurá-lo, mas porque tinham aprendido, a partir da Lei e os Profetas, que o Redentor viria? Judéia era realmente campo peculiar do Senhor, que ele havia cultivado pelos profetas, mas, como alguns pequena porção de sementes tinha sido levado para Samaria, não é sem razão que Cristo diz que há também atingiu a maturidade. Se se objetar que os apóstolos foram escolhidos para publicar o Evangelho por todo o mundo, a resposta é fácil, que Cristo falou de uma forma adequada ao tempo, com essa exceção, que, em razão da expectativa do fruto que já era quase maduro, ele elogia na samaritanos a semente da doutrina profética, embora misturado e misturado com muitas ervas daninhas ou corrupções. (84)

 

verso 37

  1. Porque em esta é a verdadeira dizendo. Este foi um provérbio comum, que ele mostrou que muitos homens recebem frequentemente o fruto do trabalho dos outros, embora não houvesse essa diferença, que aquele que tem trabalhado está descontente em ver o fruto levado por outra, enquanto os Apóstolos têm os Profetas para os companheiros de sua alegria. E, no entanto, não pode ser inferida a partir disso, que os próprios profetas são testemunhas, ou estão cientes, do que está acontecendo agora na Igreja; por Cristo não significa nada mais do que isso os profetas, desde que eles viveram, ensinou sob a influência de tais sentimentos, que já se alegraram por causa do fruto que eles não foram autorizados a se reunir. A comparação que Peter emprega ( 1 Pedro 1:121 Pedro 1:12 ) não é diferente; exceto que ele se dirige a sua exortação geral a todos os crentes, mas Cristo aqui fala aos discípulos sozinho, e, na sua pessoa, aos ministros do Evangelho. Por estas palavras, ele ordena-los a lançar seus trabalhos em um fundo comum, de modo que não pode haver nenhuma inveja ímpios entre eles; que aqueles que são enviados primeiro para o trabalho deveria ser tão atento ao presente cultivo a não invejar a maior bênção para aqueles que são posteriormente a segui-los; e que os que são enviados, por assim dizer, para recolher o fruto maduro, deveria ser empregues com igual alegria em seu escritório; para a comparação que é feita entre os mestres da Lei e do Evangelho pode também ser aplicada a este último, quando visto em referência ao outro.

 

verso 39

  1. E muitos samaritanos fora daquela cidade creram. O evangelista aqui relata o que foi o sucesso do anúncio da mulher para os seus cidadãos, a partir do qual é evidente que a expectativa eo desejo do Messias prometido e não pequena vigor entre eles. Agora, a palavra acreditar é usado aqui de forma imprecisa, e significa que eles foram induzidos por declaração da mulher para reconhecer Cristo para ser um Profeta. Trata-se, em alguns aspectos, um início da fé , quando as mentes estão preparados para receber a doutrina. Tal entrada para a fé recebe aqui a denominação mais nobres da fé , a fim de nos informar como altamente Deus estima reverência para com a sua palavra, quando ele confere tão grande honra na docilidade daqueles que ainda não foram ensinados. Agora, sua fé se manifesta, a este respeito, que eles são apreendidos com um desejo de lucro, e, por essa razão, o desejo de que Cristo deve permanecer com eles

 

verso 41

  1. E muitos mais creram. Desde que se seguiu é evidente que o cumprimento de Cristo com o seu desejo era altamente adequada; pois vemos como muito fruto foi colhido a partir dos dois dias que ele concedeu ao seu pedido. Por este exemplo, somos ensinados que nunca deveria deixar de trabalhar, quando o temos em nosso poder para fazer avançar o reino de Deus; e se estamos com medo de que a nossa prontidão no cumprimento pode ser susceptível de relatórios desfavoráveis, ou pode muitas vezes revelar-se inútil, peçamos a partir de Cristo, o Espírito de conselho para nos dirigir. A palavra acreditam que agora é usado em um sentido diferente; pois significa não só que eles estavam preparados para a fé , mas que eles realmente tinha um bom fé

 

verso 42

  1. Por causa da tua fala. Apesar de eu ter seguido Erasmus na prestação de esta palavra por oratio , ( discurso ), porque loquela , que a antiga intérprete usa, é um termo bárbaro; ainda gostaria de avisar meus leitores que a palavra grega λαλία tem o mesmo significado com a palavra latina loquentia , isto é, falar , ou loquacidade ; e os samaritanos parecem se gabar de que eles têm agora uma base mais forte do que a língua de uma mulher, que é, em sua maior parte, leve e trivial.

 

. Acreditamos que este expressa mais plenamente a natureza da sua fé, que foi tirada da própria Palavra de Deus, para que eles possam se orgulhar de ter o Filho de Deus como seu Mestre; como, aliás, é a sua autoridade só que podemos contar com segurança. É verdade, na verdade, ele não é agora visivelmente presente, de modo a nos falar boca a boca; mas, independentemente de quem nós acontecer para ouvi-lo, a nossa fé não pode descansar em qualquer outro do que em si mesmo. E de nenhuma outra fonte procede que o conhecimento que é igualmente mencionado; para o discurso que vem da boca de um homem mortal pode realmente encher e satisfazer os ouvidos, mas nunca irá confirmar a alma na calma confiança de salvação, para que ele que ouviu pode ter direito a se gabar de que ele sabe Na fé , portanto, , a primeira coisa necessária é, sabe que é Cristo quem fala pelos seus ministros; eo próximo é, para dar-lhe a honra que é devida; isto é, não duvido que ele é verdadeiro e fiel, de modo que, baseando-se tão inquestionável garantia, podemos confiar com segurança em sua doutrina.

 

Mais uma vez, quando afirmam que Jesus é o Cristo e o Salvador do mundo, que, sem dúvida, ter aprendido isso de ouvi-lo. Daí inferimos que, dentro de dois dias, a soma do Evangelho foi mais claramente ensinada por Cristo do que ele tinha até então ensinou em Jerusalém. E Cristo declarou que a salvação, que ele havia trazido, era comum a todo o mundo, para que pudessem compreender mais plenamente que ele pertencia a eles também; para ele não chamá-los no chão de sua condição de herdeiros legais, como os judeus eram, (87) , mas ensinou que ele tinha vindo a admitir estranhos na família de Deus, e para trazer paz aos que estavam longe , ( Efésios 2:17Efésios 2:17 ).

 

verso 45

  1. Os galileus receberam-no. Seja ou não esta honra foi de longa duração não temos os meios de determinar; pois não há nada a que os homens são mais propensos do que o esquecimento dos dons de Deus. John nem relacionar isso com qualquer outro projeto do que para informar-nos que Cristo realizou milagres na presença de muitas testemunhas, para que o relatório deles foi espalhada por toda parte. Novamente, isso aponta uma vantagem de milagres, que preparará o caminho para a doutrina; para que eles causam reverência a ser pago a Cristo.

 

verso 46

  1. ​​E havia uma certa cortesão. Esta é uma tradução mais correta, embora Erasmus pensa de forma diferente, que tem traduzido βασιλικός por uma palavra latina, Regulus , o que significa um pouco de rei. (89) Reconheço fato de que, naquela época, eles deram o nome de Reguli (ou, reis pequenos ) para aqueles que agora são chamados de Duques, ou Barons, ou Earls; mas o estado da Galiléia naquela época era tal que não poderia haver nenhuma pessoa desse ranking habitando em Cafarnaum. Eu acho que ele era um nobre (90) do Tribunal de Herodes; pois existe alguma plausibilidade na opinião daqueles que pensam que ele foi enviado por César. (91) Esta é expressamente mencionada pelo Evangelista, porque a classificação desta personagem fez o milagre o mais ilustre.

 

verso 47

  1. . Quando ele soube que Jesus tinha vindo Quando ele aplica a Cristo para a ajuda, este é alguma evidência de sua fé; mas, quando ele limita maneira de ser concedida ajuda de Cristo, que mostra quão ignorante ele era. Para ele vê o poder de Cristo como inseparavelmente ligados com a sua presença corporal, a partir do qual é evidente, de que ele havia se formado há outro ponto de vista a respeito de Cristo do que isso, - que ele era um profeta enviado por Deus com tanta autoridade e poder como para provar , pelo desempenho dos milagres, que ele era um ministro de Deus. Esta falha, embora merecia censura, Cristo tem vista, mas repreende-o severamente, e, de fato, todos os judeus em geral, por outro motivo, que eles estavam muito ansiosos para ver milagres.

 

Mas como vem-se que Cristo é agora tão dura, que está acostumado a receber gentilmente outros que desejam milagres? Deve ter havido naquele momento algum motivo particular, embora desconhecida para nós, porque ele tratou este homem com um grau de gravidade que não era habitual com ele; e, talvez, ele parecia não tanto para a pessoa como para toda a nação. Ele viu que sua doutrina não tinha autoridade grande, e não só foi negligenciada, mas completamente desprezado; e, por outro lado, que todos tinham os olhos fixos em milagres, e que toda a sua sentidos foram apreendidos com a estupidez do que com admiração. Assim, o desprezo ímpios da palavra de Deus, que na época prevalecia, o constrangeram para fazer esta reclamação.

 

Verdade, de fato, alguns até mesmo dos santos às vezes gostaria de ser confirmada por milagres, para que não entreter qualquer dúvida quanto à veracidade das promessas; e vemos como Deus, através da concessão gentilmente seus pedidos, mostrou que ele não estava ofendido com eles. Mas Cristo descreve aqui muito maior maldade; para os judeus dependia tanto de milagres, que não deixou espaço para a palavra. E em primeiro lugar, que era extremamente perversos que eles eram tão estúpido e carnal como não ter reverência para o ensino, a não ser que tinha sido despertada por meio de milagres; para eles devem ter sido bem familiarizado com a palavra de Deus, em que tinha sido educado desde a infância. Em segundo lugar, quando milagres foram realizados, eles estavam tão longe de lucrar corretamente, que permaneceu em um estado de estupidez e espanto. Assim, eles não tinham religião, nem conhecimento de Deus, nenhuma prática de piedade, exceto o que consistia em milagres.

 

Para a mesma finalidade é que o opróbrio que Paul traz contra eles, os judeus pedem sinais , ( 1 Coríntios 1:221 Coríntios 01:22 ). Para ele significa que eles foram Afirmativas e imoderadamente ligado a sinais, e se preocupava muito com a graça de Cristo, ou o promessas de vida eterna, ou o poder secreto do Espírito, mas, pelo contrário, rejeitou o Evangelho com desdém altivo, porque não tinha gosto por qualquer coisa, mas milagres. Eu desejo que não havia muitas pessoas nos dias de hoje afectado pela mesma doença; mas nada é mais comum do que este ditado, "Deixe-os primeiro fazer milagres, (92) e, em seguida, vamos emprestar uma orelha à sua doutrina," como se deve desprezar e desprezam a verdade de Cristo, a menos que derivam apoio de alguns outro trimestre. Mas se Deus fosse para oprimi-los por uma enorme massa de milagres, ainda falam falsamente quando dizem que eles acreditariam. Alguns espanto fora seria produzido, mas não seria nem um pouco mais atentos a doutrina.

 

verso 49

  1. Senhor, desce, antes que meu filho morra. Uma vez que ele persevera em pedir, e finalmente obtém o que ele desejava, podemos concluir que Cristo não reprová-lo de tal forma como se pretendesse completamente para rejeitá-lo, e se recusou suas orações; mas que, em vez fê-lo com a finalidade de corrigir essa falha que obstruiu a entrada da verdadeira fé. E devemos lembrar - o que eu tenho dito anteriormente - que esta era uma reprovação geral de todo um povo, e não foi particularmente dirigida a um indivíduo. Desta maneira, qualquer que seja é impróprio, ou distorcidas, ou supérfluo, nas nossas orações, deve ser corrigida ou removida, que obstruções perigosas pode ser levado para fora do caminho. Agora cortesãos são geralmente exigente e altivo, e não voluntariamente submeter-se a ser tratados com dureza; mas que merece aviso, que este homem, humilhado por seu caso premente, e pelo temor de perder seu filho, não explodiu em uma paixão, ou murmurar, quando Cristo fala com ele mais ou menos, mas passa por essa reprovação em silêncio modesto. Encontramos as mesmas coisas em nós mesmos; pois somos surpreendentemente delicada, impaciente e irritável, até que, subjugado por adversidades, somos constrangidos a deixar de lado nosso orgulho e desdém.

 

verso 50

  1. teu filho vive. A primeira coisa que nos impressiona aqui é, a bondade surpreendente e condescendência de Cristo, que ele carrega com a ignorância do homem, e se estende seu poder para além do que era esperado. Ele pediu que Cristo veio ao lugar e curar seu filho. Ele achava possível que seu filho poderia ser libertado de doenças e enfermidades, mas não que ele poderia ser levantado depois de morto; e, portanto, ele insiste Cristo para fazer pressa, que a recuperação de seu filho não pode ser impedido por sua morte. Assim, quando Cristo perdoa tanto, podemos concluir a partir dele como altamente ele valoriza até mesmo uma pequena medida de fé. É digno de observação que Cristo, enquanto ele não estiver em conformidade com o seu desejo, concede muito mais do que ele havia solicitado; para ele testemunha quanto ao presente a saúde de seu filho. Assim acontece com frequência que o nosso Pai Celestial, enquanto ele não estiver em conformidade com nossos desejos em cada particular, prossegue para aliviar-nos por métodos inesperados, para que possamos aprender a não prescrever a ele em nada. Quando ele diz, teu filho vive, ele quer dizer que ele foi resgatado do perigo de morte.

 

O homem creu na palavra que Jesus havia falado com ele. Tendo chegado com a convicção de que Cristo era um profeta de Deus, ele foi por conta disso muito disposto a crer que, assim que ele tinha ouvido uma única palavra, agarrou -lo e fixa-lo em seu coração. Embora ele não entreter todo o respeito que ele deveria pelo poder de Cristo, mas a uma curta promessa de repente acordou nova confiança em sua mente, de modo que ele acreditava que a vida de seu filho para ser contido em uma única palavra de Cristo. E tal é a rapidez com a qual devemos receber a palavra de Deus, mas é muito longe de produzir sempre um efeito tão imediato sobre os ouvintes. Para quantos você vai achar que o lucro tanto por muitos sermões como este homem, que era metade de um pagão, beneficiado por ouvir uma única palavra? Tanto mais devemos nós ao trabalho com zelo para despertar a nossa lentidão, e, acima de tudo, a orar para que Deus iria tocar nossos corações de tal maneira, que não podem ser menos dispostos a acreditar que Ele está pronto e gracioso a prometer .

 

verso 51

  1. Enquanto ele ainda estava indo para baixo. Aqui é descrito o efeito da fé, juntamente com a eficácia da palavra; de como Cristo, por uma palavra, restaura a vida desta criança que estava morrendo, então em um momento em que o pai, pela sua fé, recupera seu filho são e salvo. Vamos, portanto, sabem que, sempre que o Senhor oferece aos seus benefícios para nós, seu poder será sempre pronto para realizar tudo o que ele promete, desde que a porta não se fecharão contra ele pela nossa incredulidade. Ele nem sempre acontece, eu reconheço, e até mesmo não é frequente ou comum, que Deus mostra instantaneamente o braço por nos dar assistência; mas sempre que atrasa, ele tem sempre uma boa razão, e um que é altamente vantajoso para nós. Esta, pelo menos, é certo, que até agora é que ele possa retardar desnecessariamente, que ele, em vez contende com os obstáculos que nós jogamos no caminho; e, por isso, quando nós não ver a sua ajuda imediata, vamos considerar o quanto de desconfiança oculta existe em nós, ou pelo menos como pequeno e limitado a nossa fé é. E não devemos se perguntar se ele não está disposto a permitir que seus benefícios sejam perdidos, ou jogá-los de forma aleatória no chão, mas escolhe para conferi-los sobre aqueles que, abrindo o seio de sua fé, estão prontos para recebê-los . E, embora ele nem sempre ajudar o seu povo da mesma maneira, mas em nenhum caso irá a fé de alguém for infrutífera, ou impedir-nos de experimentar a verdade do que o Profeta diz que as promessas de Deus, mesmo quando eles parecem ao atraso, são, na realidade, fazendo grande pressa.

 

Ainda que se demore, espera-o; porque certamente virá,

não tardará, ( Habacuque 2: 3Habacuque 2: 3 ).

 

verso 52

  1. Portanto, ele perguntou para eles. Que este cortesão perguntou a seus servos em que momento seu filho começou a se recuperar, foi feito por um impulso segredo de Deus, para que a verdade do milagre pode ser tornado mais visível. Para, por natureza, temos uma disposição extremamente mau para extinguir a luz do poder de Deus, e Satanás trabalha, por vários meios, para esconder as obras de Deus a partir de nosso ponto de vista; e, portanto, a fim de que eles podem obter a partir de nós que o louvor que é devido a eles, eles devem ser feitos tão evidente que não sobra espaço para dúvidas. Seja qual for, em seguida, pode ser a ingratidão dos homens, ainda esta circunstância não permite um trabalho tão ilustre de Cristo a ser atribuída ao acaso.

 

verso 53

  1. E ele acreditava, e toda a sua casa. Pode parecer absurdo que o evangelista deve mencionar isso como o início de fé em que o homem, cuja fé ele já elogiado. Tampouco pode-se supor que a palavra acreditar - pelo menos nesta passagem - relaciona-se com o progresso da fé. Mas é preciso entender que este homem, sendo um judeu e educado na doutrina da Lei, já havia obtido algum gosto de fé, quando ele veio a Cristo; e que ele depois acreditava no ditado de Cristo era uma fé em particular, que não mais distante do que estendeu a esperar a vida de seu filho. Mas agora ele começou a acreditar de forma diferente; que é, pois, abraçar a doutrina de Cristo, ele abertamente professou ser um dos seus discípulos. Assim, não só ele agora acredita que seu filho vai ser curado através da bondade de Cristo, mas ele reconhece que Cristo é o Filho de Deus, e faz uma profissão de fé no seu Evangelho. Toda a sua família se junta a ele, o que era uma evidência do milagre; nem pode ser duvidava que ele fez o seu melhor para levar outros junto com ele a abraçar a religião cristã.
  2. fonte Comentario biblico João Calvino (N.T)
  3. fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net