Translate this Page

Rating: 3.0/5 (887 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

A Book for Her pdf free, download pdf, download pdf, this site, The Adobe Photoshop CC Book for Digital Photographers 2017 pdf free, fee epub, pdf free, site 969919, this link, link 561655,

Comentario bíblico de João cap.7
Comentario bíblico de João cap.7

.                           Comentario bíblico de João cap.7 

 

     , verso 1

  1. Jesus andou na Galiléia. O evangelista não parece prosseguir uma narrativa continuou, mas para selecionar fora do que ocorreu em momentos diferentes daqueles eventos que eram dignos de serem relacionados. Ele diz que Cristo peregrinou por um tempo na Galiléia, porque ele não podia permanecer em segurança em qualquer lugar entre os judeus. Se qualquer pessoa achar estranho que Cristo procurou um esconderijo, que, pelo simples ato de sua vontade, poderia quebrar e tornar impotente todos os esforços dos seus inimigos, é fácil de responder, que ele se lembrou da comissão que ele tinha recebeu do Pai, e determinado a limitar-se dentro dos limites que pertenciam a ele como homem; para,

 

ter tomado para si a forma de servo,

ele se esvaziou, até que o Pai o exaltou,

( Filipenses 2: 6Filipenses 2: 6 ).

 

Se se objetar que, como ele sabia que o momento de sua morte, que tinha sido pré-ordenado e determinado no propósito de Deus, (178) que ele não tinha nenhuma razão para evitá-lo, a primeira solução se aplica aqui também; para ele conduziu a si mesmo como um homem que era susceptível de perigos, e, portanto, não era apropriado que ele deveria lançar-se aleatoriamente em situações perigosas. Em enfrentando perigos, não é o nosso negócio para perguntar o que Deus determinou nos respeitando em seu decreto, mas o que Ele ordena e manda em nós, o nosso escritório pede e exige, e qual é o método adequado de regular a nossa vida. Além disso, enquanto Cristo evitado perigos, ele não desviar um milímetro do curso do dever; para a qual finalidade seria a vida ser mantido e defendido, mas para que possamos servir ao Senhor? Devemos sempre cuidar, portanto, que nós não, por uma questão de vida, perder as razões de viver. Quando um canto pequeno e desprezado da Galiléia concede um alojamento para Cristo, a quem Judéia não pode suportar, aprendemos com isso que a piedade e temor de Deus não são sempre a ser encontrado nos principais locais da Igreja.

 

verso 2

  1. Agora, uma festa dos judeus estava próxima. Embora eu não afirmá-lo, mas é provável que isso aconteceu durante o segundo ano após o batismo de Cristo. Quanto a esta festa, que o evangelista menciona, não é necessário no momento de dizer muito. Para que finalidade e usá-lo foi ordenado, Moisés mostra, ( Levítico 23:34Levítico 23:34 ). Era, que por esta cerimônia anual dos judeus poderia chamar à memória, que seus pais viveram quarenta anos em tendas, quando eles não tinham casas, que eles podem, assim, celebrar a graça de Deus exibida em sua libertação. Nós anteriormente ter dito que havia duas razões pelas quais Cristo veio a Jerusalém durante esta festa. Um deles foi que, sendo sujeito à Lei, para resgatar todos nós da escravidão, ele desejou omitir nenhuma parte da observação de que ; ea outra era que, em meio a um conjunto numeroso e extraordinário de pessoas, ele tinha uma melhor oportunidade de fazer avançar o Evangelho. Mas agora o evangelista relata que Cristo manteve-se na aposentadoria na Galiléia, como se ele não tinha a intenção de vir a Jerusalém.

 

verso 3

  1. Seus irmãos disseram-lhe, pois. Sob a palavra irmãos hebreus incluir todos os primos e outros parentes, seja qual for o grau de afinidade. Ele diz que eles zombaram de Cristo, porque ele evitava ser visto ou conhecido, e se escondido em uma média e desprezado distrito da Judéia. Não há razão para duvidar, no entanto, se eles foram animado pela ambição ao desejo de que Cristo deve obter celebridade. Mas a concessão deste, ainda é evidente que eles ridicularizá-lo, porque não acho que sua conduta é racional e criterioso; e eles ainda criticá-lo com loucura, porque, embora ele deseja ser algo, ele quer que a confiança em si mesmo, e não se arrisca a aparecer abertamente diante dos homens. Quando eles dizem, que também os teus discípulos vejam, eles significam não só os seus domésticos, mas todos aqueles que ele quis adquirir fora de toda a nação; para eles acrescentam, "Tu desejas ser conhecido por todos, e ainda assim tu concealest ti mesmo".

 

verso 4

  1. Se fazes estas coisas, isto é, se tu aspiras a tal grandeza que todos possam aplaudir-te direcionar para ti aos olhos de todos. E acrescentam, mostra-te ao mundo, usando a palavra o mundo, em contraste com o pequeno número de pessoas entre os quais ele estava gastando seu tempo sem honra. Nós também pode tirar dele um outro significado. " Se fazes estas coisas , isto é, uma vez que és dotado de tão grande poder como para adquirir reputação para ti por meio de milagres, não jogá-los fora; por tudo o que foi dado a ti por Deus o que gastares aqui para nenhum propósito, porque não há ninguém para te dar testemunho, ou para manter-te em apenas estimativa. "Assim que percebemos o quão grande é a indolência dos homens em considerar as obras de Deus; para as relações de Cristo nunca teria falado dessa maneira, se eles não tinham - como foram - pisada as provas manifestas de seu poder divino, que deveriam ter contemplado com a maior admiração e reverência. O que está aqui nos disse a respeito de Cristo acontece na experiência diária, que os filhos de Deus sofrem maior aborrecimento de seus parentes próximos do que de estranhos; pois eles são instrumentos de Satanás, que tentam, por vezes, a ambição, e às vezes a avareza, aqueles que desejam servir a Deus, pura e fiel. Mas tais Satans receber uma repulsa vigorosa de Cristo, que assim nos instrui com o seu exemplo, que não devemos ceder aos desejos tolos de irmãos ou parentes. (179)

 

verso 5

  1. Porque até os seus irmãos não acreditavam nele. Daí podemos inferir quão pequeno é o valor da relação carnal; para os selos Espírito Santo com uma marca permanente de infâmia as relações de Cristo, porque, embora convencido pelos testemunhos de tantas obras, eles não mesmo acreditar. Portanto , todo aquele que deseja ser pensado para ser em Cristo , como diz Paulo , deixá-lo ser uma nova criatura ( 2 Coríntios 5:172 Coríntios 5:17 ; Gálatas 6:15Gálatas 6:15 ;) para os que se dedicam totalmente a Deus obter o lugar do pai, e mãe, e irmãos a Cristo, e todos os outros que ele absolutamente nega, ( Matthew 00:50Mateus 00:50 ). tanto mais ridículo é a superstição de papistas, que, ignorando tudo o resto na Virgem Maria, exaltam seu único em razão da relação, concedendo-lhe o título de Mãe de Cristo, (180 ) como se o próprio Cristo não tivesse reprovado a mulher que exclamou do meio da multidão,

 

Bem-aventurado o ventre que te trouxe e os seios que te amamentaram; por Cristo respondeu: Não, pelo contrário, bem-aventurados são os que ouvem a palavra de Deus,

( Luke 11:27Lucas 11:27 ).

 

verso 6

  1. O meu tempo ainda não chegou. Há alguns que erroneamente interpretam isso como referindo-se ao tempo de sua morte, pois denota o tempo de sua partindo para a viagem para ir à festa. (181) Ele assegura-lhes que , a este respeito, ele difere de suas relações. Eles podem livremente e sem perigo aparecer, em todas as horas, diante do mundo, porque o mundo é amigável e favorável a eles; mas ele está com medo de sua pessoa, e com justiça, porque o mundo é seu inimigo mortal. Por estas palavras, ele significa que eles fazem de errado em dar conselhos sobre qualquer questão que eles não entendem.

 

verso 7

  1. O mundo não vos pode odiar. Quando ele diz que o mundo não pode odiá-los , ele os repreende por ser totalmente carnal; para a paz com o mundo só pode ser comprado por um consentimento ímpio aos vícios e a todo tipo de maldade.

 

Mas ele me odeia, porque eu depor. O mundo aqui denota homens que não nasceram de novo, que mantêm a sua disposição natural; e, portanto, ele declara que todos os que ainda não foram regenerados pelo Espírito são adversários de Cristo. E porque? Porque ele condena suas obras e se concordar com a decisão de Cristo, estamos sob a necessidade de reconhecer que toda a natureza do homem é tão pecaminoso e mau, que nada certo, ou sincero, ou bom, pode prosseguir a partir dele. Esta é a única razão pela qual qualquer um de nós está satisfeito consigo mesmo, enquanto ele está em seu estado natural.

 

Por causa dele testifico que as suas obras são más. Quando Cristo diz que o mundo vos odeia-lo por causa disso, ele quer dizer que o Evangelho não pode ser pregado fielmente, sem convocação do mundo inteiro, como culpados, ao tribunal de Deus, que carne e sangue pode, assim, ser esmagados e reduzidos a nada, de acordo com esse ditado,

 

Quando o Espírito vier, convencerá o mundo do pecado,

( João 16: 8João 16: 8 .)

 

Nós aprender com ele também, que tão grande é o orgulho natural para homens, para que lisonjear, e se aplaudir em seus vícios; para eles não acender em raiva, sendo condenadas, se não fosse que eles estão cegos pelo amor excessivo de si mesmos, e por conta disso lisonjear-se em seus pecados. Mesmo entre os vícios dos homens, o chefe e mais perigoso é o orgulho e arrogância. Somente o Espírito Santo nos amolece, de modo a suportar repreensões pacientemente, e, assim, oferecer-nos de boa vontade para ser morto pela espada da Igreja.

 

verso 9

  1. Ele permaneceu na Galiléia. O evangelista aqui coloca diante de nossos olhos os primos de nosso Senhor Jesus Cristo, (182) que, de acordo com os costumes comuns, fingem adorar a Deus, mas que ainda estão em termos amigáveis ​​com os incrédulos, e, portanto, a pé sem qualquer alarme. Por outro lado, ele coloca diante de nossos olhos o próprio Cristo, que odiados pelo mundo , vem secretamente para a cidade, até a necessidade decorrente de seu escritório obriga-o a mostrar-se abertamente. Mas, se não nada mais miserável do que ser separado de Cristo, amaldiçoado ser que a paz que custa um preço tão alto como para sair e abandonar o Filho de Deus. (183)

 

verso 11

  1. Por conseguinte, os judeus o procuravam. Aqui devemos considerar qual era a condição da Igreja. Para os judeus, na época, ficou boquiaberto para a redenção prometida como homens famintos; ainda, quando Cristo aparece-lhes, eles permanecem em suspense. Daí surgiu que murmuração e que a variedade de opiniões. Que sussurrar em segredo é uma indicação da tirania que os sacerdotes e os escribas exercido sobre eles. É uma exposição chocante, na verdade, que esta Igreja, que era naquele tempo a única Igreja na terra, é aqui representada a nós como um caos confuso e sem forma. (184) Os que governar, em vez de pastores, segure o povo oprimido pelo medo e terror, e por todo o corpo, há desolação vergonhosa e desordem lamentável. Por que os judeus que ele quer dizer as pessoas comuns, que, tendo sido acostumados por dois anos para ouvir Cristo, informar-se sobre ele, porque ele não aparecer segundo o seu costume. Pois, quando eles dizem, Onde ele está? Eles descrevem um homem a quem eles sabiam, e ainda que a palavra mostra que eles ainda não tinham sido seriamente movido, e que sempre se manteve em dúvida e suspense.

 

verso 12

  1. E era grande a murmuração. Ele significa que, sempre que os homens foram coletadas em multidões, como geralmente acontece em grandes montagens, eles mantiveram conversas secretas sobre Cristo. A diversidade de opinião, que é aqui relacionados, prova que não é um novo mal, que os homens devem diferem em suas opiniões a respeito de Cristo, mesmo no seio da própria Igreja. E como nós, não hesite em receber a Cristo, que era anteriormente condenado pela maior parte de sua própria nação, por isso, deve ser armado com o mesmo tipo de escudo, que as dissensões que vemos diariamente pode não perturbou-nos. Mais uma vez, podemos perceber o quão grande é a imprudência dos homens nas coisas de Deus. Em uma questão de menor importância, que não teria tomado tão grande liberdade, mas quando a questão refere-se ao Filho de Deus e à sua doutrina mais sagrado, eles se apressam imediatamente para se pronunciar com relação a ele. Tanto maior moderação deveríamos manter, para que possamos não impensadamente condenar a nossa vida com a verdade eterna de Deus. E se o mundo nos segura para impostores, lembremo-nos de que estas são as marcas e as marcas de Cristo, desde que vamos mostrar, ao mesmo tempo, que somos fiéis. Esta passagem mostra também que em uma grande multidão, mesmo quando todo o corpo está em um estado de confusão, há sempre alguns que pensam corretamente; mas aquelas poucas pessoas, cujas mentes estão bem regulamentado, são engolidos pela multidão daqueles cujos entendimentos são confusos.

 

verso 13

  1. No entanto, ninguém falou dele abertamente, por medo dos judeus. Por que os judeus que aqui significa os governantes, que tinha o governo em suas mãos. Eles queimaram com tanto ódio contra Cristo, que não permitiu uma palavra a ser pronunciada em ambos os lados. Não que eles estavam descontentes em qualquer censuras que foram amontoadas sobre ele, mas porque eles não podiam mais conveniente do que descobrir que seu nome deve ser enterrado no esquecimento. Assim, os inimigos da verdade, depois de ter encontrado que eles não ganham nada por sua crueldade, desejo nada mais do que para suprimir a memória dele, e esse objeto só eles se esforçam por atingir. Que todos estavam em silêncio, sendo subjugado pelo medo , foi uma prova da tirania bruta, como já disse; para licenciosidade como desenfreada não tem lugar em uma igreja bem regulada, por isso, quando toda a liberdade é mantida oprimidos pelo medo , é uma condição mais miserável. Mas o poder de nosso Senhor Jesus Cristo brilhou com maior e mais maravilhoso brilho, quando - causando a si mesmo para ser ouvido em meio a inimigos armados, e em meio a seu ressentimento furioso, e sob tão formidável um governo - ele abertamente mantido e afirmou a verdade de Deus .

 

verso 14

  1. Jesus subiu ao templo. Agora vemos que Cristo não era tanto medo quanto a desistir da execução de seu escritório; para a causa do seu atraso foi, para que pudesse pregar para uma grande assembléia. Podemos, por vezes, por isso, nos expor a perigos, mas nunca deveria ignorar ou omitir uma única oportunidade de fazer o bem. Quanto ao seu ensino no templo , ele o faz de acordo com a antiga portaria e do costume; pois enquanto Deus ordenou tantas cerimônias, ele não escolheu que seu povo deve ser ocupada com espetáculos frios e inúteis. Que a sua utilidade pode ser conhecido, era necessário que eles devem ser acompanhados de doutrina; e, desta forma, os ritos externos são imagens animadas de coisas espirituais, quando eles tomam a sua forma a partir da palavra de Deus. Mas quase todos os sacerdotes sendo nessa altura mudo, e a doutrina pura sendo corrompido pelas invenções fermento e falsos dos escribas, Cristo assumiu o cargo de um professor; e justamente, porque ele era o grande Sumo Sacerdote, como ele afirma, pouco depois, que ele tenta nada, mas pelo comando do Pai.

 

verso 15

  1. E os judeus se perguntou Aqueles que pensam que Cristo foi recebido de tal forma a ser estimado e honrado está enganado; para a maravilha ou espanto dos judeus é de tal natureza, que procuram a ocasião do que a desprezá-lo. Para tal é a ingratidão dos homens que, no julgamento das obras de Deus, eles sempre procuram deliberadamente uma ocasião de cair em erro. Se Deus age pelos meios habituais e na forma ordinária, aqueles meios que são visíveis aos olhos são - por assim dizer - véus que nos impedem de perceber a mão divina; e, portanto, podemos discernir nada neles, mas o que é humano. Mas se uma fonte inusitada de Deus brilha sobre a ordem da natureza e os meios geralmente conhecidos, estamos atordoados; eo que deveria ter afetado profundamente todos os nossos sentidos passa como um sonho. Para tal, é nosso orgulho, que nós tomamos nenhum interesse em qualquer coisa da qual não sabemos a razão.

 

Como sabem doth este homem letras? Foi uma prova impressionante do poder e da graça de Deus, que Cristo, que não tinha sido ensinado por qualquer mestre, ainda era eminentemente distinguido pelo seu conhecimento das Escrituras; e que ele, que nunca tinha sido um estudioso, deve ser um excelente professor e instrutor. Mas, por isso mesmo os judeus desprezam a graça de Deus, porque ela excede sua capacidade. Pelas suas admoestou exemplo, portanto, vamos aprender a exercer reverência mais profunda para Deus do que estamos acostumados a fazer na consideração de suas obras.

 

verso 16

  1. A minha doutrina não é minha. Cristo mostra que esta circunstância, que era uma ofensa para os judeus, era sim uma escada pela qual eles deviam ter subido de mais a perceber a glória de Deus; como se ele tivesse dito: "Quando você vê um professor não treinado na escola de homens, sei que foram ensinados por Deus." Para a razão pela qual o Pai Celestial determinou que seu filho deve sair da oficina de um mecânico, em vez do que das escolas dos escribas, foi, que a origem do Evangelho pode ser mais manifestasse que não pode pensar que tinham sido fabricadas na terra, ou imaginar que qualquer ser humano foi o autor do mesmo. Assim também Cristo escolheu homens ignorantes e sem instrução para serem seus apóstolos, e permitiu-lhes permanecer três anos na ignorância bruta, que, tendo os instruiu em um único instante, ele pode trazê-los para a frente como homens novos, e até mesmo como anjos que tinham apenas que desceu do céu.

 

Mas isso daquele que me enviou. Enquanto isso, Cristo mostra onde devemos derivar a autoridade da doutrina espírita, só de Deus. E quando ele afirma que a doutrina de seu Pai não é dele, ele olha para a capacidade dos ouvintes, que não tinham mais elevada opinião sobre ele do que ele era um homem. A título de concessão, portanto, ele se permite ser contada diferente de seu pai, mas, de modo a antecipar nada, mas o que o Pai tinha ordenado. A quantidade de que se afirma é que o que ele ensina em nome de seu Pai não é uma doutrina dos homens, e não procedem de homens, de modo a ser capaz de ser desprezado com impunidade. Vemos por que método ele adquire autoridade para a sua doutrina. É referindo-se a Deus como seu autor. Vemos também sobre o chão, e por que razão, ele exige que ele deve ser ouvido. É, porque o Pai o enviou para ensinar. Ambas estas coisas deveriam ser possuído por cada homem que toma sobre si o cargo de professor, e deseja que ele deveria ser acreditado.

 

verso 17

  1. Se alguém quiser fazer a vontade dele. Ele antecipa as objeções que possam ser feitas. Para uma vez que ele teve muitos adversários naquele lugar, alguém poderia facilmente ter murmurou contra ele desta maneira: "Por que tu gabar-nos de o nome de Deus? Para nós não sabemos que tu procedeu dele. Por que, então, tu imprensa sobre nós aquela máxima, que não admitem a ti, para que te ensinas nada, mas pelo comando de Deus "Cristo, portanto, responde que o julgamento de som flui do medo e reverência a Deus?; de modo que, se suas mentes estar bem disposto para o temor de Deus, eles vão facilmente perceber se o que ele prega é verdade ou não. Ele igualmente administra a eles, por isso, uma repreensão indireta; de como vem que eles não conseguem distinguir entre mentira e verdade, (185) , mas porque querem o principal requisito para a boa compreensão, ou seja, piedade e o desejo sincero de obedecer a Deus?

 

Esta afirmação é altamente digno de observação. Satanás parcelas continuamente contra nós, e se espalha suas redes em todas as direções, para que ele possa levar-nos de surpresa por seus delírios. Aqui previne-nos Cristo mais excelente para ter cuidado com expondo-nos a nenhuma das suas imposturas, assegurando-nos de que, se estamos dispostos a obedecer a Deus, ele nunca vai deixar-nos iluminar pela luz do seu Espírito, para que sejamos capazes de distinguir entre verdade e falsidade. Nada mais, portanto, nos impede de julgar corretamente, mas que somos indisciplinados e obstinado; e cada vez que Satanás nos engana, estamos justamente punido por nossa hipocrisia. Do mesmo modo como Moisés dá um aviso de que, quando surgir falsos profetas, estamos tentado e provado por Deus; para aqueles cujos corações estão certo nunca vai ser enganado, ( Deuteronômio 13: 3Deuteronômio 13: 3 .) Por isso, é evidente quão perversamente e tolamente muitas pessoas nos dias de hoje, temendo o perigo de cair em erro, por isso mesmo teme fechou a porta contra todos vontade de aprender; como se o nosso Salvador não tinha boa terra para dizer,

 

Batam, ea porta será aberta para você, ( Mateus 7: 7Mateus 7: 7 ).

 

Pelo contrário, se se dedicar inteiramente à obediência a Deus, não duvidemos que Ele nos dará o espírito de discernimento, para ser o nosso diretor e guia contínua. Se outros escolhem a vacilar, eles finalmente vai descobrir como frágil são os pretextos para a sua ignorância. E, de fato, vemos que todos os que agora hesita, e prefere valorizar a sua dúvida em vez de, através da leitura ou audição, para perguntar sinceramente, onde a verdade de Deus é, têm a audácia de colocar Deus a despeito dos princípios gerais. Um homem vai dizer que ele reza pelos mortos, porque, desconfiando de seu próprio julgamento, ele não pode se aventurar para condenar as falsas doutrinas inventadas por homens perversos sobre o purgatório; e ainda assim ele permitirá que livremente se a se prostituírem. Outro vai dizer que ele não tem tanta acuidade quanto a ser capaz de distinguir entre a pura doutrina de Cristo e os artifícios espúrios dos homens, mas ainda assim ele terá que agudeza suficiente para roubar ou cometer perjúrio. Em suma, todos aqueles que duvidam, que se cobrem com um véu de dúvida em todas aquelas matérias que são actualmente objecto de controvérsia, exibem um desprezo manifesto de Deus sobre assuntos que não são de todo obscura.

 

Não precisamos de saber, portanto, que a doutrina do Evangelho é recebido por muito poucas pessoas nos dias de hoje, uma vez que há tão pouco do medo de Deus no mundo. Além disso, estas palavras de Cristo contém uma definição da verdadeira religião; isto é, quando estamos preparados de coração para seguir a vontade de Deus, que ninguém pode fazer, salvo se tiver renunciado seus próprios pontos de vista.

 

Ou se eu falo por mim mesmo. Devemos observar de que maneira Cristo quer que uma decisão deve ser formada sobre qualquer doutrina que seja. Ele deseja que o que é de Deus devem ser recebidas sem controvérsia, mas permite-nos livremente para rejeitar tudo o que é do homem; porque esta é a única distinção que ele estabelece, por que devemos distinguir entre doutrinas.

 

verso 18

  1. Aquele que fala por si mesmo. Até agora ele mostrou que não há outra razão pela qual os homens são cegos, mas porque eles não são governados pelo temor de Deus. Ele agora coloca outra marca na própria doutrina, pelo qual pode ser conhecido se é de Deus ou do homem. Para cada coisa que exibe a glória de Deus é santo e divino; mas cada coisa que contribui para a ambição dos homens, e, exaltando-los, obscurece a glória de Deus, não só tem nenhuma reivindicação para ser acreditado, mas deve ser rejeitada com veemência. Quem fará a glória de Deus o objeto em que ele pretende nunca vai dar errado; aquele que deve tentar provar por esta pedra de toque que é trazido para a frente, em nome de Deus jamais será enganado pela aparência de direito. Também somos lembrados por ele que nenhum homem pode desempenhar fielmente o cargo de professor na Igreja, a menos que ele seja desprovido de ambição, e resolver para torná-lo seu único objectivo de promover, ao máximo de seu poder, a glória de Deus. Quando ele diz que não há injustiça nele, ele quer dizer que não há nada de mau ou hipócrita, mas que ele faz o que se torna um ministro justo e sincero de Deus.

 

verso 19

  1. Não vos deu Moisés a lei? O evangelista não dar uma narrativa completa e conectada do sermão proferido por Cristo, mas apenas uma breve seleção dos tópicos principais, que contêm a substância do que foi falado. Os escribas mortalmente o odiava, (186) e os sacerdotes tinham sido acendeu em ira contra ele, porque ele tinha curado um paralítico; e eles professada que este surgiu a partir de seu zelo pela Lei. Para refutar a sua hipocrisia, ele argumenta, não do assunto, mas de uma pessoa. Todos eles tendo o espectáculo livremente em seus vícios, como se eles nunca tinham conhecido qualquer lei, ele infere-se que eles não são movidos por qualquer amor ou zelo pela Lei. É verdade que esta defesa não teria sido suficiente para provar o ponto. Admitindo que - sob um falso pretexto - eles esconderam o seu ódio perverso e injusto, ainda não se segue que Cristo fez certo, se ele cometeu qualquer coisa contrária à injunção da lei; pois não devemos tentar atenuar a nossa própria culpa pelos pecados dos outros.

 

Mas Cristo liga aqui duas cláusulas. Na primeira, ele se dirige a consciência dos seus inimigos, e, uma vez que eles orgulhosamente se gabou de ser defensores da lei, ele rasga a partir deles esta máscara; pois ele traz contra eles este opróbrio, para que eles se permitem violar a Lei quantas vezes quiser, e, portanto, que eles se importam nada sobre a Lei. Em seguida, ele vem para a questão em si, como veremos mais tarde; de modo que a defesa é satisfatória e completo em todas as suas partes. Consequentemente, o montante desta cláusula é, que nenhum zelo pela Lei existe em seus desprezadores. Daí Cristo infere que qualquer outra coisa tem animado os judeus a tão grande raiva, quando procuram colocá-lo à morte. Desta forma, devemos arrastar os maus de suas ocultações, sempre que lutam contra Deus e sã doutrina, e fingir que o fazem por motivos piedosos.

 

Aqueles que, nos dias de hoje, são os inimigos mais ferozes do Evangelho e os defensores mais vigorosos do papado, não tem nada mais plausível para instar em seu favor do que aquele que está animado com ardor do zelo. Mas se a sua vida seja estritamente examinados, eles são todos cheios de crimes de base, e zombar abertamente Deus. Quem não sabe que o corte do Papa é preenchido com epicuristas? (187) E, como aos bispos e abades, tem que tanto a modéstia como para esconder a sua baixeza, que alguma aparência de religião pode ser observado neles? Novamente, como aos monges e outros lutadores, porventura não estão abandonados com toda a maldade, a impureza, cobiça, e todo o tipo de crimes chocantes, de modo que sua vida clama que eles têm completamente esquecido de Deus? E agora que eles não têm vergonha de se orgulhar de seu zelo por Deus e da Igreja, não deveríamos reprimi-los por esta resposta de Cristo?

 

verso 20

  1. . Tens demônio O significado é: "Estás louco," porque era uma frase costume entre os judeus, que tinham sido treinados para a doutrina de que, quando os homens estão animado para raiva, ou quando eles perderam o sentido e razão, eles são atormentados pelo diabo. E, de fato, castigos como suaves e moderados são hastes paternal de Deus, por isso, quando Ele nos trata com maior dureza e gravidade, ele parece não para nos atacar com sua própria mão, mas sim a empregar o diabo como o carrasco e ministro de sua ira . Mais uma vez, a reprovação multidão Cristo com simplicidade; para as pessoas comuns não estavam familiarizados com as intenções dos padres. Esses homens insensatos, portanto, atribuem isso à loucura, quando Cristo se queixa de que eles estão se esforçando para colocá-lo à morte. Aprendemos com isso que devemos ser extremamente cautelosos para não formar uma opinião sobre assuntos que não entendem; mas, se isso nunca acontece que estamos precipitadamente condenado por homens ignorantes, levemente para digerir tal afronta.

 

verso 21

  1. Eu tenho feito um trabalho. Agora, deixando suas pessoas, ele começa a falar do fato; para provar que o milagre que ele fez não é incompatível com a Lei de Deus. Quando ele diz que ele tem feito um trabalho , o significado é, que é apenas de um único crime que ele é culpado, ou que é apenas para uma única obra que ele é culpado, o que é que ele curou um homem no dia de repouso; (188) , mas que, em cada dia de descanso, fazer muitas obras do mesmo, ou uma descrição semelhante, e não contar-los criminal; por não um dia de descanso passado em que não havia muitas crianças circuncidados na Judéia. Por este exemplo, ele defende sua ação, embora ele não se limita a argumentar a partir do que é semelhante, mas faz uma comparação entre a maior e menor. Havia essa semelhança entre a circuncisão ea cura do paralítico, que ambos eram obras de Deus; mas Cristo sustenta que o último é mais excelente, porque o benefício de se estende a todo o homem. Agora, se ele tivesse simplesmente curado o homem da doença física, a comparação não teria sido o caso; para a circuncisão teria maior excelência como para a cura da alma. Cristo, portanto, se conecta a vantagem espiritual do milagre com o benefício fora concedido ao corpo; e por esse motivo ele justamente prefere circuncisão toda a cura de um homem.

 

Também pode haver outra razão para a comparação, ou seja, que os sacramentos não são sempre com a presença de poder e eficácia, enquanto que Cristo operou eficazmente na cura do paralítico. Mas eu prefiro a primeira exposição, que os judeus de forma maliciosa e caluniosamente culpar uma obra , em que a graça de Deus brilha mais ilustrativamente do que na circuncisão , em que conferem tanta honra que eles acham que o sábado não seja violada por ele. E você todos perguntam a maravilha, de que ele fala, significa que o que Cristo fez causou este murmúrio, porque eles achavam que ele tinha aventurou-se a fazer mais do que era lícito.

 

verso 22

  1. Portanto Moisés vos deu a circuncisão A partícula , portanto, parece ser inadequada; e, consequentemente, alguns tomam τούτο διὰ ( nesta conta , ou , portanto ), no sentido de τούτο διὰ , ( porque ;). mas a sintaxe grega é desfavorável à sua opinião (189) Eu explicá-lo simplesmente no sentido de que a circuncisão era ordenado de tal maneira que a prática desse rito simbólico era necessário mesmo no sábado dia Portanto , diz ele; ou seja, ele tem desta forma foi suficientemente demonstrada a eles, que o culto do sábado não é violado pelas obras de Deus. E, embora Cristo acomoda o exemplo da circuncisão ao presente assunto, no entanto, ele imediatamente faz uso de uma correção, quando ele diz, Moisés não foi o primeiro ministro da circuncisão. Mas foi o suficiente para o seu propósito, que Moisés, que tão rigidamente exigiu a manutenção de sábado , ordenou que as crianças devem ser circuncidado ao oitavo dia, mesmo que ele deve cair sobre o dia de repouso (190)

 

verso 24

  1. Judege não de acordo com a aparência. Tendo concluído a sua defesa, também ele se administra uma reprovação por este motivo, que eles são levados por disposições ímpios, e não formam um julgamento de acordo com o fato eo assunto na mão. A circuncisão era corretamente realizada por eles em reverência; e quando foi executada no dia de sábado, eles sabiam que a lei não foi violada por ele, porque as obras de Deus concordam bem umas com as outras. Por que não chegar à mesma conclusão quanto ao trabalho de Cristo, mas porque suas mentes estão preocupados por um preconceito que eles formaram contra a sua pessoa? Judegment, portanto, nunca será direita, a menos que seja regulada pela verdade o fato; pois assim que as pessoas aparecem em público, eles se voltam seus olhos e sentidos sobre eles, para que a verdade desaparece imediatamente. Enquanto esta advertência deve ser observado em todas as causas e coisas, é particularmente necessário quando a questão refere-se à doutrina celeste; pois não há nada a que nos são mais propensas do que não gostam que a doutrina em conta o ódio ou o desprezo dos homens.

 

verso 25

  1. Alguns dos habitantes de Jerusalém, isto é, aqueles a quem os governantes tinham comunicado as suas parcelas, e quem sabia o quanto Cristo foi odiado; para as pessoas em geral - como vimos recentemente - encarado isso como um sonho, ou como loucura. Essas pessoas, portanto, que sabiam com o que ira inveterada os governantes de sua nação queimaram contra Cristo, tem algum motivo para querer saber que, enquanto Cristo no templo não só dialoga abertamente, mas prega livremente, os governantes não dizer nada a ele. Mas eles erram a este respeito, que, em um milagre totalmente Divino eles não levam em conta a providência de Deus. Assim, os homens carnais, sempre que contemplar qualquer trabalho incomum de Deus, de fato, de saber, mas nenhuma consideração do poder de Deus que nunca entra em sua mente. Mas é nosso dever de examinar com mais sabedoria as obras de Deus; e especialmente quando os homens maus, com todos os seus artifícios, não impedir o progresso do Evangelho tanto como eles desejam, devemos estar plenamente convencido de que seus esforços foram tornadas inúteis, porque Deus, interpondo sua palavra, derrotou eles.

 

verso 27

  1. Mas nós sabemos de onde este homem é. Aqui nós vemos não só quão grande é a cegueira dos homens, quando deveriam julgar sobre as coisas de Deus, mas esse vício é quase natural para eles, para ser engenhoso em maquinar o que acontecer impedi-los de chegar ao conhecimento da verdade. É com frequência, de fato, a partir da embarcação de Satanás que surgem infracções, que levam muitos a virar longe de Cristo; mas, embora a estrada eram simples e suave, cada homem iria inventar uma ofensa para si mesmo. Enquanto os príncipes se opõe a Cristo, sua descrença seria, em si retive esta multidão; mas quando esse obstáculo foi removido, eles inventam uma nova razão para si mesmos, que não pode vir à fé. E mesmo que fosse adequada que deve ser influenciada pelo exemplo de seus governantes, eles são tão longe de seguir o que é certo, que eles bom grado tropeçam na primeira etapa. Assim acontece com frequência, que os homens que tinham começado bem cair rapidamente, a menos que o Senhor conduzi-los até o fim de sua carreira.

 

Mas quando Cristo vier. O argumento pelo qual eles obstruir seu próprio progresso é esta: "Os Profetas testemunharam que a origem de Cristo será desconhecido. Agora sabemos de onde este homem é , e, portanto, não podemos contar que ele fosse o Cristo . "Por isso, somos lembrados de quão perniciosa é de danificar as Escrituras, e até mesmo o próprio Cristo, de modo a não admitir mais do que a metade dele. Deus prometeu que o Redentor seria da descendência de Davi; mas ele frequentemente afirma que este ofício como peculiar a si mesmo; portanto, ele deve ter sido Deus manifestado na carne, que ele poderia ser o Redentor da sua Igreja. Assim Micah assinala o lugar onde Cristo teria nascido. De ti , Belém , diz ele, um príncipe virá , para governar o meu povo Mas, logo depois, ele fala de um outro que vai adiante , que é muito mais elevada, e então ele diz que é escondido e secreto, ( Miquéias 5: 2Miquéias 5: 2 ). no entanto, esses homens miseráveis, quando conheceram em Cristo nada, mas o que é susceptível de desprezo, tirar a conclusão absurda, que ele não é a pessoa que havia sido prometido. Na condição média de Cristo na carne, deixe-nos, portanto, aprender a olhar de tal forma, que este estado de humilhação, que é desprezado por homens maus, pode elevar-nos a sua glória celestial. Assim Bethlehem , onde o homem havia de nascer, será para nós uma porta pela qual podemos entrar na presença do Deus eterno.

 

verso 28

  1. Por conseguinte, Jesus exclamou no templo. Ele amargamente repreende-los por sua temeridade, porque eles arrogantemente-se lisonjeado em uma opinião falsa, e desta maneira se excluídas a partir de um conhecimento da verdade; como se ele tivesse dito: "youknow todas as coisas, e ainda assim você não sabe nada." E, de fato, não é uma praga mais destrutiva do que quando os homens são tão intoxicado pela porção escassa de conhecimento que eles possuem, que corajosamente rejeitar toda coisa que é contrário à sua opinião.

 

Vocês dois me conhece, e você sabe de onde eu sou. Esta é uma linguagem irônica. Com a opinião falsa que haviam formado a respeito dele, ele contrasta o que é verdadeiro; como se ele tivesse dito: "Enquanto você tem seus olhos fixos na terra, você acha que cada parte de mim está diante dos seus olhos; e, portanto, você despreza-me como média e desconhecido. Mas Deus vai testemunhar que vim do céu; e ainda que pode ser rejeitado por você, Deus vai reconhecer que eu sou verdadeiramente seu próprio Filho. "

 

Mas aquele que me enviou é verdadeiro. Ele chama a Deus de verdade , no mesmo sentido que Paulo chama de fiéis

 

Se somos infiéis, ele diz, ele permanece fiel, ele não pode negar a si mesmo,

( 2 Timóteo 2:132 Timóteo 2:13 ).

 

Por seu objetivo é provar, que o crédito devido ao Evangelho não é no menor grau diminuída pelos esforços extremos do mundo para desfazê-la; que, embora os homens maus podem tentar tirar de Cristo o que lhe pertencia, ainda assim ele continua intacta, porque a verdade de Deus é firme e é sempre como a própria. Cristo vê que ele é desprezado; mas até agora ele está de ceder, que, pelo contrário, ele corajosamente repele a arrogância furioso daqueles que o mantenha em nenhuma estimativa. Com tamanha força inabalável e heróico todos os crentes devem ser dotados; ou melhor, mais, nossa fé nunca será sólida e duradoura, a menos que tratar com desprezo a presunção de homens maus, quando eles se levantam contra Cristo. Acima de tudo, os professores piedosos, contando com esse apoio, deve perseverar na manutenção da sã doutrina, mesmo que deve ser combatida por todo o mundo. Assim Jeremias agrada a Deus como seu defensor e guardião, porque ele é condenado como um impostor:

 

Tu me enganou, ó Senhor, diz ele, e eu estava enganado,

( Jeremias 20: 7Jeremias 20: 7 ).

 

Assim Isaías, oprimido por todos os lados por calúnias e injúrias, voa para este refúgio, que Deus irá aprovar a sua causa, ( Isaías 50: 8Isaías 50: 8 .) Assim, Paulo, oprimido por julgamentos injustos, recursos contra todos para o dia do Senhor , ( 1 Coríntios 4: 51 Coríntios 4: 5 ,) cômputo-lo o suficiente para ter só Deus para colocar contra o mundo todo, no entanto, pode raiva e tempestade.

 

Quem você não sabia. Ele quer dizer que não é maravilhoso que ele não é conhecido pelos judeus, porque eles não conhecem a Deus ; para o começo da sabedoria é, para contemplar Deus.

 

verso 29

  1. . Mas eu o conheço Quando ele diz que ele conhece a Deus , ele quer dizer que não é sem boas razões que ele tenha subido para tão grande confiança; e pelo seu exemplo, ele adverte-nos para não assumir levemente o nome de Deus, de modo a alardear Dele como patrono e defensor da nossa causa. Para muitos são muito presunçoso na jactância da autoridade de Deus; e, de fato, é impossível imaginar uma maior prontidão e coragem ao rejeitar as opiniões de todos os homens, do que pode ser encontrado entre os fanáticos que dão as suas próprias invenções como os oráculos de Deus. Mas nós somos ensinados por essas palavras de nosso Senhor Jesus Cristo que devemos especialmente para ter cuidado com a confiança orgulhosa e tola; e que, quando tivermos totalmente apurada a verdade de Deus, devemos corajosamente para resistir homens. E aquele que está plenamente consciente de que Deus está do seu lado não tem nenhuma razão para temer a acusação de ser insolente, em pisoteando toda a altivez do mundo.

 

Porque eu sou dele, e ele me enviou. Alguns distinguir estas duas cláusulas desta maneira. Eles se referem a cláusula anterior - Estou com ele - a essência divina de Cristo; e no último caso - ele me enviou - para o escritório intimados sobre ele pelo Pai, por uma questão de execução que ele tomou sobre si a carne e natureza humana. Embora eu não se aventurar para rejeitar este ponto de vista, ainda não sei se Cristo destina-se a falar tão abstrusamente. I reconhecem prontamente que a descendência celestial de Cristo pode ser inferida a partir dele, mas não seria suficientemente forte prova de sua divindade eterna contra os arianos.

 

verso 30

  1. Portanto, eles tentaram prendê-lo. Eles não tinham falta de vontade de fazer o mal; eles ainda fez uma tentativa, e não tinham força para fazê-lo. Por que, então, no meio de tanto ardor, eles estão entorpecidas, como se tivessem as mãos e os pés atados? O evangelista responde, porque Cristo ' hora s ainda não era chegada ; pelo qual ele quer dizer que, contra toda a sua violência e ataques furiosos, Cristo foi guardado pela proteção de Deus. E, ao mesmo tempo, ele se encontra com o escândalo da cruz; pois não temos nenhuma razão para se alarmar quando aprendemos que Cristo foi arrastado até a morte, não através do capricho dos homens, mas porque ele foi destinado para tal sacrifício pelo decreto do Pai. E, portanto, devemos inferir uma doutrina geral; para que nós vivemos no dia a dia, ainda no momento da morte de cada homem tenha sido fixado por Deus. É difícil acreditar que, enquanto estamos sujeitos a muitos acidentes, expostos a tantos ataques abertos e escondidos tanto de homens e animais, e susceptíveis de tantas doenças, estamos a salvo de todos os riscos até que Deus tem o prazer de nos chamar longe. Mas temos de lutar contra a nossa própria desconfiança; e devemos assistir primeiro ao próprio doutrina que é ensinado aqui, e no próximo, para o objeto a que se destina e da exortação que é desenhado a partir dele, ou seja, que cada um de nós, reunindo todos os seus cuidados de Deus , ( Salmos 55:22Salmos 55:22 ; 1 Pedro 5: 71 Pedro 5: 7 ), deve seguir seu próprio chamado, e não ser levado a partir do desempenho de seu dever de todos os medos. Todavia ninguém ir além de seus próprios limites; para a confiança na providência de Deus não deve ir mais longe do que Deus ordena a si mesmo.

 

verso 31

  1. . E muitos da multidão creram nele Poderíamos ter pensado que Cristo pregou a surdos e as pessoas completamente obstinados; e ainda o evangelista diz que algumas frutas seguido. E, portanto, embora alguns possam murmurar, e outros desprezam, e outros calúnia, e, embora possa surgir muitas diferenças de opinião, ainda a pregação do Evangelho não será sem efeito; de modo que devemos semear a semente, e esperar com paciência, até que, no decorrer do tempo, aparecem os frutos. A palavra acreditar é usado aqui de forma imprecisa, porque dependia mais sinais do que eles contaram com a doutrina, e não estavam convencidos de que Jesus era o Cristo; mas como eles estavam dispostos a ouvi-lo, e mostrou-se disposto a receber instruções de como seu Mestre, tal preparação para a fé é chamada fé Quando o Espírito Santo concede tão honroso uma designação em uma pequena centelha de boa disposição, que deveria para nos encorajar, de modo a não duvidar de que a fé, por menor que seja, é aceitável a Deus.

 

verso 32

  1. Os fariseus ouviram. Por isso, parece que os fariseus, como pessoas estabelecidas no relógio, estavam ansiosos em todas as ocasiões a não permitir que Cristo seja conhecido. Em primeira instância, o Evangelista chama-los apenas fariseus, e ao lado, acrescenta-lhes os sacerdotes dos quais os fariseus eram uma parte. Não pode haver dúvida de que, como eles queriam ser contada os maiores fanáticos pela lei, eles se opunham a Cristo mais amargamente do que todas as outras seitas; mas descobrindo que seus esforços sem ajuda não foram suficientes para oprimir Cristo, eles cometeram o caso de toda a ordem dos padres. Assim eles que, em outros aspectos, diferiam entre si agora conspiram juntos, sob a orientação de Satanás, contra o Filho de Deus. Enquanto isso, uma vez que os fariseus tinham esse zelo ardente e tal labuta incessante para defender sua tirania e o estado corrupto da Igreja, quanto mais zelosos devemos ser em manter o reino de Cristo! Os papistas nos dias de hoje não são menos louco ou menos ansioso para extinguir o Evangelho; e ainda é monstruosamente iníquo que o seu exemplo não, pelo menos, aguçar nossos desejos, e levar-nos ao trabalho com maior ousadia na defesa da doutrina verdadeira e som.

 

verso 33

  1. Ainda um pouco estou convosco. Alguns pensam que este sermão foi dirigido ao conjunto das pessoas que estavam presentes, entre outros, que foi dirigida a os oficiais que tinham sido enviados para aproveitar Cristo. Mas, por minha parte, não tenho dúvida de que Cristo particularmente aborda seus inimigos, que tivera conselho para destruí-lo; pois ele ridiculariza os seus esforços, porque eles vão ser totalmente ineficaz, até o momento decretado pelo Pai ser vir E, ao mesmo tempo, ele repreende-los por sua obstinação, porque eles não só rejeitam, mas furiosamente opor, a graça que é oferecido para eles; e ameaça que dentro em breve será tirado. Quando ele diz, eu sou com você , ele repreende sua ingratidão, pois, embora tivesse sido dado a eles pelo Pai, embora ele estivesse ali para dar-lhes a partir da glória celeste, porém, chamando-as para serem seus associados conhecidos, ele desejava nada mais do que ajudá-los, ainda havia poucos que ele recebeu. Quando ele diz: Ainda um pouco, ele adverte-lhes que Deus não vai durar muito que sua graça deve ser exposto a tal desprezo vergonhoso. No entanto, ele também significa que nem sua vida nem sua morte é colocado à sua disposição, mas que o seu Pai fixou um tempo, o que deve ser cumprida.

 

Eu vou para aquele que me enviou. Com estas palavras, ele atesta que ele não vai ser extinto por sua morte, mas, pelo contrário, quando tiver deixado de lado seu corpo mortal, será declarado ser o Filho de Deus, o magnífico triunfo da sua ressurreição; como se ele tivesse dito: "Trabalho tanto quanto quiser, mas você nunca vai impedir meu pai de me receber na sua glória celestial, quando eu tiver descarregado a embaixada que cometeu para mim. . Assim, não só o meu escalão permanecem sem diminuí depois da minha morte, mas mais excelente condição é então fornecida para mim "Além disso, devemos tirar dela uma advertência geral; Todas as vezes que Cristo nos chama para a esperança da salvação pela pregação do Evangelho, ele está presente conosco. Para não sem razão é a pregação do Evangelho chamado a descida de Cristo para nós, onde é dito,

 

ele veio e pregou paz aos que estavam longe, e aos que estavam perto,

( Efésios 2:17Efésios 2:17 ).

 

Se aceitarmos a mão que segura fora, ele vai nos levar para o Pai; e contanto que devemos permanecer no mundo, não só ele vai mostrar-se para estar perto de nós, mas será constantemente habitar em nós. E se desconsiderarmos sua presença, ele vai perder nada, mas, a partir de nós, vai nos deixar completamente estranhos a Deus e à vida.

 

verso 34

  1. Você deve me procurar. Eles procuraram Cristo, para colocá-lo à morte. Aqui Cristo faz alusão ao significado ambíguo da palavra procurar, pois logo eles devem procurá-lo de outra maneira; como se ele tivesse dito: "Minha presença, que agora é cansativo e intolerável para você, irá durar por um curto período de tempo; mas pouco depois vós me procuram em vão, pois, longe de você, não só pelo meu corpo, mas também pelo meu poder, eu verei do céu a sua destruição. "Mas aqui a questão pode ser colocada, de que a natureza era essa busca de Cristo? Pois é claro o suficiente para que Cristo fala dos réprobos, cuja teimosia em Cristo rejeitando tinha atingido o ponto máximo. Alguns submetê-la à doutrina, porque os judeus, prosseguindo tolamente a justiça de obras, não obteve o que desejavam , ( Romanos 9:31Romanos 9:31 ). Muitos entendê-la como uma referência à pessoa do Messias, porque os judeus, reduzido a extremidades, em vão implorou um Redentor. Mas de minha parte, eu explicá-lo como meramente denotando os gemidos de sofrimento proferidas pelos ímpios, quando, compelido pela necessidade, eles se parecem, de alguma maneira para Deus.

 

. E não me encontrar Quando eles procuram -lo, eles não procurá-lo; para a incredulidade e obstinação - fechando-se o coração, por assim dizer - os impede de se chegar a Deus. Eles desejariam, de fato, que Deus deveria ajudá-los, e deve ser seu Redentor, mas, por impenitência e dureza de coração, eles obstruir seu caminho. Temos um exemplo muito marcante (192) em Esaú, que, em virtude de ter perdido seu direito de primogenitura, não só é oprimido pela tristeza, mas gemidos e range os dentes, e se transforma em indignação furiosa, ( Genesis 27:38Gênesis 27:38 ; Hebreus 0:17Hebreus 00:17 ). Mas ainda tão longe ele está da maneira certa de buscar a bênção, que, no momento em que ele está buscando isso, (193) , ele torna-se mais indigno dela. Desta maneira Deus normalmente pune o desrespeito da sua graça na réprobos, de modo que, seja atingida por severas punições, ou oprimido por uma convicção da sua miséria ou reduzida para as outras extremidades, eles se queixam, e chorar, e uivo, mas sem colhendo qualquer vantagem; para, sendo sempre como eles, eles nutrem dentro de seus corações a mesma crueldade que outrora exibida, e não ir a Deus, mas gostaria que ele fosse alterado, já que não podem destruí-lo. Daí vamos aprender que devemos receber a Cristo sem demora, enquanto ele ainda está presente com a gente, que a oportunidade de desfrutar ele não pode passar de nós; pois se a porta ser fechada uma vez, será vã para nós para tentar abri-lo.

 

Buscai o Senhor, diz Isaías, enquanto se pode achar; invocá-lo, enquanto ele está perto,

( Isaías 55: 6Isaías 55: 6 .)

 

Devemos, portanto, ir a Deus cedo, enquanto o tempo de sua boa vontade dura , como o profeta fala, ( Isaías 49: 8Isaías 49: 8 ;) porque não sabemos quanto tempo Deus vai ter com a nossa negligência. Nestas palavras, onde eu estou, vós não podeis ir, ele emprega o tempo presente, em vez de o futuro, onde eu estarei , você não será capaz de vir

 

verso 35

  1. Para onde ele vai? Esta foi adicionado pelo evangelista, com o propósito expresso de mostrar o quão grande era a estupidez das pessoas. Assim, não só são homens maus surdo ouvir a instrução de Deus, mas até mesmo ameaças terríveis são permitidos por eles para passar em zombaria, como se estivesse ouvindo uma fábula. Cristo falou expressamente do Pai, mas eles permanecem fixos na terra, e pensar em nada mais do que uma saída para países distantes.

 

Será que ele vai ir para a dispersão dos gregos? É bem sabido que os judeus deram o nome de gregos a todas as nações para além do mar; mas eles não significam que Cristo vai para as nações não circuncidados, mas para os judeus, que foram dispersos pelos vários países do mundo. Porque a palavra de dispersão não seria aplicável para aqueles que são nativos do lugar, e que habitam sua terra natal, mas aplica-se também aos judeus, que eram fugitivos e exilados. Assim, Pedro inscreve sua Primeira Epístola παρεπιδήμοις διασπορᾶς, para os estranhos da dispersão, ou seja, para os estrangeiros que estão espalhados (194) através de Ponto, Galácia, Capadócia, Ásia e Bitínia, ( 1 Pedro 1: 11 Pedro 1: 1 ;) e James saúda as doze tribos ἐν τὣ διασπορᾷ , na dispersão, isto é, dispersos, ( James 1: 1Tiago 1: 1 ). o significado das palavras, portanto, é, "ele vai atravessar o mar, para ir para os judeus que moram em um mundo desconhecido para nós? "E é possível que pretendiam Teaze Cristo por esta zombaria. "Se este é o Messias, ele irá corrigir o assento do seu reinado na Grécia, uma vez que Deus atribuiu a ele a terra de Canaã como a sua própria habitação?" Mas no entanto, que pode ser, vemos que o grave risco que Cristo havia dito não em todos os afetam.

 

verso 37

  1. . No último dia A primeira coisa que deve ser observado aqui é que não há parcelas ou intrigas dos inimigos de Cristo aterrorizado, de modo a levá-lo a desistir de seu dever; mas, pelo contrário, a sua coragem levantou-se com perigos, para que ele perseverou com maior firmeza. Isto é provado pela circunstância do tempo, o conjunto lotado, ea liberdade que ele usou em exclamando , enquanto ele sabia que as mãos foram esticados para fora em todos os lados para prendê-lo; pois é provável que os oficiais estavam naquele momento pronto para executar a sua comissão.

 

Devemos próxima observar, que nada mais é do que a proteção de Deus, na qual ele se baseou, permitiu-lhe manter-se firme contra tais esforços violentos daqueles homens, que tinham cada coisa em seu poder. Por que outra razão pode ser atribuída por isso que Cristo pregou no dia mais público do festival, no meio do templo, sobre o qual seus inimigos se um reinado tranquilo, e depois que eles tinham preparado um grupo de oficiais, mas porque Deus conteve sua raiva? No entanto, é muito útil para nós, que o evangelista introduz Cristo exclamando em voz alta, Que todos os que têm sede venha a mim Para nós inferir-se que o convite não foi dirigida a uma ou duas pessoas apenas, ou em um sussurro baixo e suave, mas que esta doutrina é proclamada a todos, de tal maneira que nenhuma pode ser ignorante dela, mas aqueles que, por sua própria vontade de fechar os ouvidos, não receberá este grito alto e distinto.

 

Se alguém tem sede. Por esta cláusula ele exorta todos a participar de suas bênçãos, desde que, a partir de uma convicção da sua própria pobreza, eles desejam obter assistência. Pois é verdade que somos todos pobres e destituídos de toda bênção, mas está longe de ser verdade que todos são despertados por uma convicção da sua pobreza a procurar alívio. Por isso, levanta-se que muitas pessoas não mexa um pé, mas miseravelmente murchar e decadência, e há ainda muitos que não são afetados por uma percepção de seu vazio, até que o Espírito de Deus, pelo seu próprio fogo, kindle fome e sede em seus corações. Ele pertence ao Espírito, portanto, fazer-nos desejar a sua graça.

 

Quanto ao presente passagem, devemos observar, em primeiro lugar, que nenhum são chamados para obter as riquezas do espírito, mas aqueles que queimam com o desejo deles. Porque sabemos que a dor da sede é mais agudo e atormentando, de modo que os homens muito mais fortes, e aqueles que podem suportar qualquer quantidade de labuta, são dominados pela sede. E ainda assim ele convida a sede em vez da fome, a fim de prosseguir a metáfora que depois emprega na palavra da água e da palavra bebida, que todas as partes do discurso pode concordar uns com os outros. E eu não tenho dúvida de que ele faz alusão a essa passagem de Isaías, Tudo o que a sede , vinde às águas , ( Isaías 55: 1Isaías 55: 1 ). Por que o Profeta não atribui a Deus deve ter sido longamente cumprida em Cristo, como também de que que a Virgem sung, que

 

aqueles que são ricos e cheios manda mãos vazias,

( Lucas 1:53Lucas 01:53 ).

 

Ele, portanto, nos ordena a vir direto a si mesmo, como se ele tivesse dito, que é somente ele que pode satisfazer plenamente a sede de todos, e que todos os que procuram mesmo o menor alívio da sua sede em qualquer outro lugar está enganado, e trabalho em vão.

 

E deixá-lo beber. Para a exortação uma promessa é adicionado; pois, embora a palavra - deixá-lo beber - transmite uma exortação, ainda contém em si uma promessa; porque Cristo testemunha que ele não é uma cisterna seca e desgastado, mas uma fonte inesgotável, que em grande parte e abundantemente fornece todos os que virão para beber Daí segue-se que, se pedirmos dele o que queremos, o nosso desejo não será desapontado.

 

verso 38

  1. . Aquele que crê em mim, Ele agora aponta a maneira de vir, que é, que devemos abordar, não com os pés, mas pela fé; ou melhor, para vir não é nada mais do que a crer , pelo menos, se você definir com precisão a palavra acreditar ; como já disse que nós acreditamos em Cristo, quando nós abraçá-lo enquanto ele é mantido para nós no Evangelho, cheio de poder, sabedoria, justiça, pureza, vida, e todos os dons do Espírito Santo. Além disso, ele confirma agora mais claramente e plenamente a promessa que ultimamente mencionados; pois ele mostra que ele tem uma grande abundância para satisfazer-nos ao máximo.

 

Do seu interior correrão rios de água viva. A metáfora parece, sem dúvida, ser um pouco duro, quando ele diz que rios de água viva correrão do ventre de crentes ; mas não pode haver dúvida quanto ao significado, que eles acreditam que sofrerá há falta de bênçãos espirituais. Ele chama isso de água viva, a fonte da qual nunca cresce seco, nem deixa de fluir continuamente. Quanto ao termo rios , sendo no número plural, eu interpretá-lo como denotando as graças diversificadas do Espírito, que são necessários para a vida espiritual da alma. Em suma, a perpetuidade, assim como a abundância, dos dons e graças do Espírito Santo, (195) é aqui prometido para nós. Alguns entendem o ditado - que as águas fluem para fora do ventre de crentes - para dizer, que aquele a quem foi dado o Espírito faz parte a fluir a seus irmãos, como deveria haver comunicação mútua entre nós. Mas eu considero que seja um significado mais simples, que todo aquele que crer em Cristo deve ter uma fonte de vida, brotando, como se fosse, em si mesmo, como Cristo disse anteriormente,

 

Quem deve beber desta água nunca terá sede,

( João 4:14João 4:14 ;)

 

pois enquanto bebida ordinária sacia a sede apenas por um curto período de tempo, Cristo diz que pela fé nós desenhar o Espírito, que ele pode se tornar uma fonte de água a jorrar para a vida eterna

 

Ainda assim, ele não diz que, no primeiro dia, os crentes são tão plenamente satisfeito com Cristo, que já depois eles fome nem sede; mas, pelo contrário, o gozo de Cristo acende um novo desejo dele. Mas o significado é que o Espírito Santo é como a vida e continuamente fluir fonte nos crentes; como Paulo também declara que ele é a vida em nós, ( Romanos 8:10Romanos 8:10 ), embora ainda transportar cerca, nos restos do pecado, a causa da morte. E, de fato, como cada um participa dos dons e graças do Espírito Santo, de acordo com a medida de sua fé, não podemos possuem uma plenitude perfeita deles na vida presente. Mas os crentes, enquanto eles fazem progressos na fé, continuamente aspirar a novas adições do Espírito, de modo que os primeiros frutos que já provei levá-los para a frente a perpetuidade da vida. Mas também são lembrados por ele, quão pequena é a capacidade da nossa fé, uma vez que as graças do Espírito dificilmente entrar em nós por gotas, o que fluem como rios, se deu devido a admissão a Cristo; ou seja, se a fé nos fez capazes de recebê-lo.

 

Como diz a Escritura. Alguns confinar isto à cláusula anterior, e outros para a última cláusula; Pela minha parte, eu estendê-lo a todo o escopo do discurso. Além disso, Cristo não aqui, na minha opinião, apontar qualquer determinada passagem da Escritura, mas produz um testemunho tirada da doutrina comum dos Profetas. Para sempre o Senhor, prometendo uma abundância de seu Espírito, compara-o com águas vivas, ele olha principalmente para o reino de Cristo, para a qual ele direciona a mente dos crentes. Todas as previsões das águas da vida, portanto, têm a sua realização em Cristo, porque só ele me abriu e exibidos os tesouros escondidos de Deus. A razão pela qual as graças do Espírito são derramadas sobre ele é,

 

que todos nós podemos tirar da sua plenitude, ( João 1:16João 1:16 ).

 

Essas pessoas, portanto, quem Cristo tão gentilmente e graciosamente chama, e que vagueiam em todas as direções, merece perecer miseravelmente.

 

verso 39

  1. . Mas isso, ele falou do Espírito A palavra água é às vezes aplicado para o Espírito por conta de sua pureza, porque é o seu escritório para limpar nossas poluições; mas nesta e em outras passagens este termo é empregado em uma acepção diferente, o que é, que são destituídos de toda a seiva e umidade de vida, a não ser quando o Espírito de Deus nos vivifica, e quando ele nos águas, por assim dizer, pelo vigor secreto. Sob uma parte que inclui o todo; (196) por menos de uma palavra de água que inclui todas as partes da vida. Daí inferimos também, que todos os que não foram regenerados pelo Espírito de Cristo deve ser considerada morta, qualquer que seja a vida fingiu que eles possuem.

 

. Para o Espírito Santo ainda não fora dado Sabemos que o Espírito é eterno; mas o evangelista declara que, desde que Cristo habitava o mundo na forma média de um servo, para que a graça do Espírito, que foi derramado sobre os homens após a ressurreição de Cristo, não tinha sido abertamente manifestado. E, de fato, ele fala comparativamente, da mesma maneira como quando o Novo Testamento é comparado com o velho. Deus promete seu Espírito aos seus eleitos e os crentes, (197) , como se ele nunca tivesse lhe dado aos Padres. Naquele exato momento, os discípulos tinham, sem dúvida, recebeu os primeiros frutos do Espírito; de onde vem a fé, mas do Espírito? O evangelista, portanto, não absolutamente afirmar que a graça do Espírito não foi oferecido e dado (198) para os crentes antes da morte de Cristo, mas que ainda não era tão brilhante e ilustre como seria mais tarde tornar-se. Pois é o maior ornamento do reino de Cristo, que governa a sua Igreja pelo seu Espírito; mas ele entrou no lícitas e - o que pode ser chamado - a posse solene do seu reino, quando ele foi exaltado à mão direita do Pai; de modo que não precisamos de saber se ele adiada até que o tempo da plena manifestação do Espírito.

 

Mas uma pergunta ainda precisa ser respondida. Ele quer dizer aqui as graças visíveis do Espírito, ou a regeneração, que é fruto da adoção? Eu respondo: O Espírito, que havia sido prometido para a vinda de Cristo, apareceram naqueles presentes visíveis, como em espelho; mas aqui a questão se refere estritamente ao poder do Espírito, pela qual somos nascidos de novo em Cristo, e se tornam novas criaturas. Que se encontram na terra pobre e faminto, e quase destituído de bênçãos espirituais, enquanto Cristo agora se senta em glória à direita do Pai, e os vestiu com a mais alta majestade do governo, deve ser imputada a nossa preguiça, e a pequena medida de nossa fé.

 

verso 40

  1. Muitos da multidão. O evangelista agora relata o que frutas seguido a partir deste último sermão de nosso Senhor Jesus Cristo; a saber, que alguns pensavam uma coisa e outros outra, de modo que uma diferença de opinião entre o povo Deve ser observado que João não fala dos inimigos declarados de Cristo, ou daqueles que já estavam cheios de ódio mortal (200 ) contra a sã doutrina, mas das pessoas comuns, entre os quais deveria ter sido maior integridade. Enumera três classes de eles.

 

Ele é verdadeiramente um profeta. O primeiro reconheceu que Jesus era verdadeiramente um profeta , do qual se infere que não desagrada sua doutrina. Mas, por outro lado, como a luz e frivolidade esta confissão foi, é evidente pelo fato de que, enquanto eles aprovam o Mestre, eles não entendem o que ele quer dizer, nem saborear o que ele diz; pois não podiam realmente recebê-lo como um profeta , sem, ao mesmo tempo, reconhecendo que ele é o Filho de Deus e o autor da salvação deles. No entanto, isso é bom neles, que eles percebem em Cristo algo divino, que os leva a considerá-lo com reverência; para esta vontade de aprender pode depois dar uma abertura fácil de fé.

 

verso 41

  1. Outros diziam: Ele é o Cristo. O segundo tem uma opinião mais correto do que o primeiro; pois claramente reconhecer que ele é o Cristo; mas o terceiro (201) se levantam contra eles, e, portanto, prossegue o debate. Por este exemplo, são avisados ​​de que não devemos achar estranho nos dias de hoje, se os homens estão divididos entre si por várias controvérsias. Aprendemos que o sermão de Cristo produziu um cisma, e que não entre os gentios que estavam estranhos à fé, mas no meio da Igreja de Cristo, e até mesmo na sede principal da Igreja. Deve a doutrina de Cristo ser responsabilizado por esse facto, como se fosse a causa de distúrbios? Não, antes, que o mundo inteiro estava em comoção, a palavra de Deus é tão precioso, que devemos desejar que foram recebidos, pelo menos por uns poucos. Não há razão, portanto, por que a nossa consciência deve ser angustiado, quando vemos aqueles que desejam ser contabilizado o povo de Deus que lutam uns com os outros por opiniões contrárias.

 

No entanto, também deveria ser observado que as divisões não chamar corretamente a sua origem a partir do Evangelho; pois não pode haver nenhum acordo firme entre os homens, exceto na verdade indubitável. Quanto à paz mantida entre aqueles que não conhecem a Deus, surge mais da estupidez do que de verdadeiro acordo. Em suma, de todas as diferenças que surgem, quando o evangelho é pregado, a causa e sementes anteriormente estava oculto em homens; mas quando eles são despertados, por assim dizer, fora do sono, eles começam a se mover, assim como os vapores são produzidos por algo mais do que o sol, embora não seja até o sol surge que eles fazem o seu aparecimento.

 

? Mas será que Cristo da Galiléia que eles podem não ser pensado para rejeitar a Cristo em motivos suficientes, eles fortificar-se pelo testemunho da Escritura; e, embora eles fazem violência a esta passagem, girando-o indevidamente contra Cristo, eles ainda têm alguma aparência de verdade. Neste momento, apenas que eles estão errados, que eles fazer de Cristo um galileu. Mas de onde surge essa ignorância, mas de desprezo? Porque, se tivessem dado ao trabalho de perguntar, eles teriam visto que Cristo foi adornada com ambos os títulos; que ele foi nascido em Belém , e que ele era o filho de David Mas tal é a nossa disposição natural; em matéria de pouca conseqüência temos vergonha de ser indolente, enquanto que, nos mistérios do Reino do céu, nós dormem sem qualquer preocupação. É igualmente importante observar, que esses homens são diligente e laboriosa na busca de uma desculpa para desviar de Cristo, mas, ao mesmo tempo, são surpreendentemente lento e maçante em receber a sã doutrina. Desta forma, fora das próprias Escrituras, que nos levam pela mão, para Cristo, os homens frequentemente fazem obstáculos para si mesmos, para que não venha a Cristo.

 

verso 44

  1. Alguns deles quiseram prendê-lo. Com estas palavras, o evangelista quer dizer que eles não só desprezado a Cristo, mas que a sua rejeição mau dele foi acompanhado por crueldade e ânsia de fazê-lo de lesões; para a superstição é sempre cruel. Que os seus esforços foram infrutíferos, devemos atribuir a providência de Deus; pois desde de Cristo hora ainda não tinha chegado , como foi anteriormente dito, guardado pela proteção de seu Pai, no qual ele se baseou, ele superado todos os perigos.

 

verso 45

  1. Assim, os oficiais vieram. Aqui podemos ver como cego é a arrogância dos homens. A tal ponto que eles admiram e adoram a grandeza que os torna eminente, que não têm nenhuma hesitação em atropelamento sob moralidade pé e de religião. Se alguma coisa acontecer ao contrário do seu desejo, que de bom grado se misturam céu e da terra; para quando estes sacerdotes altivos e maus (202) perguntar, porque Cristo não foi trazido , eles ampliam seu poder tão fortemente como se nada deveria se opor a seu comando.

 

verso 46

  1. ​​Nunca homem falou assim como este homem. Esses oficiais reconhecem que estão subjugado e vencido pela palavra de Cristo, e ainda assim eles não o fazem por conta disso arrepender-se ou dar a devida honra à palavra. Se for verdade, que nenhum homem falou assim como este homem , por que não o poder Divino, que eles foram obrigados a se sentir, tocar os seus corações de tal forma a provocar-lhes a dedicar-se inteiramente a Deus? Mas era necessário que a predição de Isaías deve, portanto, ser realizado:

 

ele vai prostrar os ímpios pelo sopro da sua boca,

( Isaías 11: 4Isaías 11: 4 ).

 

Mais ainda, veremos mais tarde como aqueles que estavam tentando matá-lo, dominado pela voz de Cristo sozinho, e como se tivessem sido derrubado com malhos, caiu para trás, ( João 18: 6João 18: 6 .) Vamos, portanto, saber que a doutrina de Cristo possui tal poder como até mesmo para aterrorizar os ímpios; mas como este tende a sua destruição, vamos cuidar que se abrande, em vez de ser quebrado. Mesmo nos dias de hoje, vemos muitas pessoas que muito se assemelham a esses agentes, que estão relutantemente arrastado para admiração da doutrina do Evangelho, e ainda assim são tão longe de ceder a Cristo, que eles ainda permanecem no campo do inimigo. Há outros ainda piores, que, por uma questão de obtenção de favor com os ímpios, empregam todos os termos opprobrious que pode encontrar para basely caluniar essa doutrina, que, não obstante, eles reconhecem ser de Deus, porque eles estão convencidos de que em seus corações. (203)

 

verso 47

  1. E se você também seduziu? Enquanto eles reprovar seus oficiais, eles se esforçam, ao mesmo tempo, mantê-los em sujeição. Para por estas palavras que significam, que não seria razoável e impróprio que eles não devem permanecer estável, apesar de todo o povo deve revoltar. Mas temos de ver em que argumento que descansar, quando eles tão arrogantemente insultar Cristo.

 

verso 48

  1. Tem alguma das autoridades, ou dos fariseus, que se acredita nele? "Ele não tem nada do seu lado", dizem eles, "mas os homens de baixa e ignorantes; os governantes, e todas as pessoas de distinção, se opõem a ele. "eles expressamente citar os fariseus, porque eles tinham uma reputação acima dos outros, tanto para conhecimento e santidade, de modo que eles podem ser considerados como os príncipes do povo. Essa objeção parece ter alguma plausibilidade; pois se os governantes e governadores da Igreja não mantêm a sua autoridade, é impossível que qualquer coisa deve ser sempre feito corretamente, ou que a boa ordem da Igreja deve continuar por muito tempo. Sabemos quais são as paixões ferozes das pessoas comuns; em consequência do qual o distúrbio mais assustadora deve seguir, em que todo homem tem permissão para fazer o que lhe agrada. A autoridade daqueles que governam é, portanto, um freio necessária para preservar a boa ordem da Igreja; e, consequentemente, foi fornecido pela Lei de Deus que, se qualquer pergunta ou controvérsia deve surgir, deve ser submetida à decisão do Sumo Sacerdote, ( Deuteronômio 17: 8Deuteronômio 17: 8 .)

 

Mas eles erram a este respeito, que, embora reclamar para si a mais alta autoridade, eles não estão dispostos a submeter-se a Deus. É verdade que Deus conferiu o poder de decisão sobre o sumo sacerdote, mas Deus não pretendia que o sumo sacerdote deve decidir, exceto de acordo com a sua Lei. Toda a autoridade que é possuída por pastores, portanto, está sujeito à palavra de Deus, para que todos possam ser mantidos em seu próprio posto, desde o maior ao mais pequeno, e que só Deus pode ser exaltado. Se pastores que honesta e sinceramente cumprir a sua missão, reivindicar autoridade para si, esta glória será santo e legal; mas quando a mera autoridade dos homens é suportado, sem a autoridade da Palavra de Deus, é ostentação e inútil. Mas muitas vezes acontece que os homens maus governar na Igreja; e, portanto, temos de ter cuidado de dar qualquer autoridade aos homens, tão logo afastar-se da palavra de Deus.

 

Nós vemos que quase todos os profetas eram atormentados por este tipo de aborrecimento; para, a fim de enterrar sua doutrina, os homens continuamente contra eles os magníficos títulos de Princes, de sacerdotes e da Igreja. Fornecida com a mesma armadura, papistas no presente raiva dia não menos feroz do que os adversários de Cristo e dos profetas nos tempos antigos. É uma cegueira horrível, de fato, quando um homem mortal não se envergonha de opor-se a Deus; mas a tal ponto de loucura Satanás levar aqueles que definir um valor maior por conta própria ambição do que na verdade de Deus. Enquanto isso, é nosso dever para acalentar tal reverência pela palavra de Deus, extingue todo o esplendor do mundo, e espalhe suas pretensões vãs; para miserável seria nossa condição, se a nossa salvação depende da vontade dos príncipes, e muito instável seria a nossa fé seja, se fosse para permanecer ou cair de acordo com seu prazer.

 

verso 49

  1. Mas esta multidão. A primeira parte de seu orgulho era que, contando com o título de Sacerdotes, que desejavam submeter todas a eles de forma tirânica. O próximo é, que eles desprezam os outros como homens de qualquer estimativa, como aqueles que se gabam excessivamente estão sempre dispostos a abusar dos outros, e de um amor imoderado de nós mesmos é acompanhado por desprezo dos irmãos. Eles pronunciar toda a população a ser amaldiçoado; e por quê? É, sem dúvida alegado por eles que as pessoas não sabem a lei ; Mas outra razão, que eles escondido, era que eles achavam que não havia santidade, mas em sua própria categoria. Da mesma maneira, os sacerdotes papistas em nosso próprio dia fingir que ninguém, mas a si mesmos merecem ser chamados a Igreja; e todos os outros, a quem chamam os leigos, eles desprezam, como se fossem pessoas profanas. Mas, para derrubar tal loucura do orgulho, Deus prefere a média e desprezado para aqueles que detêm a maior autoridade e poder. E isso deve ser observado que aqui se orgulhar de conhecimento , não o que instrui os homens na religião e no temor de Deus, mas como eles possuíam, enquanto, com orgulho magisterial, eles emitiam suas respostas, como se só eles tinha sido qualificada para interpretar a lei. É sem dúvida verdade, que todos os que não foram instruídos na lei de Deus são amaldiçoados , porque pelo conhecimento de que estamos verdadeiramente santificados. Mas esse conhecimento não se limita a alguns que, se encheu de falsa confiança, o desejo de se excluir da categoria de outros homens, mas pertence em comum a todos os filhos de Deus, que todos, desde o menor até o maior, pode ser unidos na mesma obediência da fé.

 

verso 50

  1. Nicodemos disse-lhes. O evangelista descreve a Nicodemos como um homem neutro, que não se aventurar a realizar para valer a defesa da sã doutrina, e que ainda não pode suportar ter a verdade oprimidos.

 

Aquele que veio ter com Jesus de noite. Esta circunstância é mencionada pelo Evangelista, em parte, para o louvor, e em parte para a desgraça, de Nicodemos. Se ele não tivesse amado a doutrina de Cristo, ele nunca teria coragem de atender a fúria de homens ímpios; pois sabia que, se qualquer um deles, mas abriu a boca, ele seria imediatamente exposta a não gostar e ao perigo. Quando, portanto, ele se arrisca a jogar fora uma palavra, porém fraca que seja, alguma pequena centelha de santidade brilha de seu coração; mas em não defender a Cristo abertamente, ele manifesta a timidez excessiva. Assim, o evangelista significa que ele ainda tem um desejo ardente após a ocultação da noite, e não é um verdadeiro discípulo de Cristo. Ele diz que uma vez ele foi ter com Jesus de noite , mas manteve-se aberta entre os seus inimigos, e manteve seu lugar no seu acampamento.

 

Este deve ser o mais cuidadosamente observado, porque há muitos nos dias de hoje que alegam que eles se assemelham a Nicodemos, e espero que, ao assumir essa máscara, eles vão zombar de Deus com impunidade. Concedendo o que eles pedem, que não há diferença entre eles e Nicodemos, que tipo de assistência, pray, eles derivam de um exemplo tão? Nicodemos diz que Cristo não deveria ser condenado até que ele ser ouvido ; ea mesma coisa pode ser dito de um ladrão ou um assassino; por isso é um sentimento bem conhecida e proverbial, que é melhor para absolver os inocentes do que condenar os culpados. Além disso, em suas tentativas de libertar a pessoa de Cristo, ele sai e abandona a doutrina. O que vamos encontrar aqui que é digno de um crente ou cristão? (204) Assim, a semente do evangelho, que depois deu frutos, ainda estava escondida e sufocaram nele. Vamos aplicar esse exemplo muito mais rentável para outro propósito, que o Senhor muitas vezes faz com que a doutrina, que parecia ter morrido, gradualmente a tomar uma raiz escondida, e, após um longo período, para pôr adiante algum botão, primeiro como um prematura planta, depois viva e vigorosa; assim como a fé de Nicodemos adquiriu uma nova e repentina vigor a partir da morte de Cristo.

 

verso 52

  1. És tu também da Galiléia? Eles dizem que todos os que favorecem Cristo são da Galiléia , e este é falado em tom de censura, como se ele não pudesse ter qualquer pessoa entre os seus seguidores a não ser a partir do pequeno e desconhecido esquina da Galiléia (205) A extrema violência a que está animado contra Nicodemus, mostra com o que o ódio furioso eles queimaram contra Cristo; pois não estava declaradamente comprometido a defender Cristo, mas apenas tinha dito que ele não deveria ser condenado antes que ele foi ouvido Assim, entre os papistas em nossos dias, nenhum homem pode mostrar o menor sinal de franqueza que o Evangelho não pode ser oprimida , mas imediatamente os inimigos voar em uma paixão, e exclamar que ele é um herege.

 

verso 53

  1. E cada um foi para sua casa. Agora segue uma estreita surpreendente da transação. Se alguém tomar em consideração o que foi o reinado dos sacerdotes da época, com o que a raiva que estava animado, e como grande era a sua comitiva, e, por outro lado, se ele considerar que Cristo estava desarmado e indefeso, e que não havia nenhum corpo de homens para protegê-lo, a conclusão deve ser, que tudo acabou com ele uma centena de vezes. Quando tão formidável uma conspiração é dissolvido por sua própria vontade, e quando todos os homens, como waver do mar, quebrar-se pela sua própria violência, que não vai reconhecer que eles foram espalhados pela mão de Deus? Mas Deus sempre continua a ser como a si mesmo; e, portanto, sempre que ele quiser, ele vai reduzir a nada todos os esforços dos inimigos, de modo que, enquanto eles têm tudo em seu poder, e estão prontos e preparados para executar seu projeto, eles partirão sem ter feito o seu trabalho. E temos encontrado muitas vezes que, independentemente artifícios nossos inimigos fizeram para extinguir o Evangelho, mas pela incrível bondade de Deus, ele imediatamente caiu impotente para o chão.
  2. comentario biblico Jão Calvino (N.T)
  3. fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net