Translate this Page

Rating: 3.0/5 (915 votos)



ONLINE
7




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Comentario bíblico de Romanos cap.3
Comentario bíblico de Romanos cap.3

                     Comentario bíblico de Romanos cap.3       

 

Verse 1-2

Romanos 3: 1-2Romanos 3: 1-2 . Que vantagem, pois, tem o judeu? - Os raciocínios anteriores sendo contrária aos preconceitos dos judeus, um dos que nação é aqui introduzido objetando, Se nosso ser filhos de Abraão, os membros da igreja de Deus e herdeiros das promessas, nos adquirir nenhum favor ao julgamento, - e se a falta de estes privilégios não impedirá as nações da salvação; - Ou, se for assim que Deus olha apenas para o coração, e não considera as pessoas para os seus privilégios externos, o que é a preeminência de um judeu acima de um gentio, e, (pois há duas questões aqui colocadas,) qual a utilidade da circuncisão - E dos outros serviços rituais que são prescritas na lei? Para a primeira destas perguntas as respostas apóstolo neste capítulo, e para o segundo no cap. 4., começando em Romanos 3:11 . Muito todos os sentidos - Ou em todos os aspectos. Os aspectos em que os judeus foram superiores aos gentios são enumerados Romanos 9: 4-5 , onde ver as notas. Principalmente, porque lhe foram confiados os oráculos de Deus - As Escrituras, em que estão contidos grandes e importantes verdades, preceitos e promessas. Esta prerrogativa Paulo aqui destaca, pelo qual, após a remoção da oposição, ele convence-los tanto a mais. "Os gregos usaram a palavra λογια , oráculos, para denotar as respostas que os seus deuses, ou melhor, os seus sacerdotes, feitas para aqueles que os consultados, especialmente se eles foram entregues em prosa: pois, como Beza observa, eles deram um nome diferente, χρησμοι , para tais respostas como foram proferidas em verso. Aqui oráculos designar o conjunto das revelações divinas; e, entre o resto, a lei de Moisés, que Stephen chama ζωντα λογια , oráculos vivos, Atos 07:18 , porque Deus falou que a lei em pessoa. Todas as revelações de Deus para a humanidade, desde o começo do mundo a seus próprios tempos, Moisés, por inspiração de Deus, comprometidos com a escrita; eo que revelações Deus quis fazer à humanidade durante a subsistência da Igreja judaica ainda mais, ele fez pelos profetas, que os registados em livros; e o todo foi confiada aos judeus, a ser mantido em seu próprio benefício e para o benefício do mundo. Agora, esta é a principal de todas as suas vantagens, como judeus, que por si só é mencionado aqui pelo apóstolo. De modo semelhante, o salmista tenha mencionado a palavra de Deus como o privilégio de distinção dos israelitas, Salmos 147: 19 , Ele vos mostrou a sua palavra a Jacó, & c. Ele tem não assim a nenhuma outra nação. Os benefícios que os judeus derivados dos oráculos de Deus, o apóstolo não teve ocasião de explicar aqui, porque todos eles foram introduzidos no jactância do judeu, descrito Romanos 2: 17-23 "- Macknight.. Romanos 3:11Romanos 9: 4-5Atos 7:18Salmos 147: 19Romanos 2: 17-23

 

Verse 3-4

Romanos 3: 3-4Romanos 3: 3-4 . Se alguns - E eles um número considerável, de quem já possuiu esses tesouros inestimáveis; não acreditava - los, ou não devidamente considerar o que eles acreditavam especulativamente, e assim rejeitaram o evangelho a que eles tinham a intenção de levar; deve sua incredulidade tornar sem efeito - assim ele invalida; a fé de Deus - seus fiéis promessas feitas a Abraão e à sua descendência, especialmente de enviar o Messias, e de efetuar nossa redenção por ele? Deve-la destruir sua fidelidade às suas promessas, e impedir o seu cumpri-las para os que acreditam? Deus, tendo prometido dar a Abraão e à sua descendência a terra de Canaã, em possessão perpétua, e serei o seu Deus, os judeus afirmou que, se eles foram lançados para que não sejam o seu povo, e expulsos de Canaã por não acreditar em Jesus, a fidelidade de Deus no exercício das suas promessas seriam destruídos. Provavelmente os apóstolos, em seus discursos para os judeus, tinha, se não for expressamente afirmado, ainda obscura a entender que, para crucificar Jesus seriam punidos dessa forma. Deus me livre - Que devemos insinuar qualquer coisa que pode ser justamente considerado como depreciativo a fidelidade de Deus: sim, deixar Deus ser verdade - que o Deus bendito ser reconhecido fiel à sua aliança e suas promessas, apesar de todo homem deve ser estimado um mentiroso, e incapaz de ter qualquer confiança depositada nele; ou, ainda que cada judeu deve descrer, e ser lançado fora por conta disso. Para entender isso mais plenamente, devemos lembrar, que o desempenho das promessas para a semente natural de Abraão, é, no pacto original, tacitamente feita para depender de sua fé e obediência, Gênesis 18:19 , e que é explicitamente feita para depender de que condição na renovação da aliança, Deuteronômio 28: 1-14 . Além disso, naquela ocasião, Deus expressamente ameaçou expulsar a semente natural de Canaã, e espalhá-los entre as nações, se eles se tornaram descrentes e desobedientes, Levítico 26:33 ; Deuteronômio 28:64 . A rejeição, portanto, e expulsão dos judeus de Canaã, por sua incredulidade, sendo um cumprimento das ameaças da aliança, estabelecida a fidelidade de Deus, em vez de destruí-la. Como está escrito, Salmos 51: 4 , que tu poderias ser justificado em tuas palavras - εν τοις λογοις σου em tuas palavras; e venças - ser pronunciado santo e justo, e claro de toda a imputação de injustiça; quando fores julgado - Quando qualquer presumo insolentemente para citar o patrimônio de tua conduta, ou, quando os teus processos são estreitamente examinada pela razão certa. A expressão original, no entanto, εν τω κρινεσθαι σε , ao que parece, deve, antes, ser processado, quando julgares, uma tradução agradável para o lugar de onde a citação é feita. De Deus palavras referidas, em que David justificaram a Deus, ou reconhecidos ele seja justo, são as ameaças que Nathan, por ordem de Deus, denunciados contra ele, por conta de seus crimes de adultério e assassinato, 2 Samuel 12: 9-12 . E Deus julgado ou punido Davi, quando ele executou essas ameaças sobre ele e sua posteridade; e David reconheceu que Deus é justo, ou clara, ao fazer isso, ao receber o merecido castigo na humildade, resignação e mansidão. E o apóstolo parece ter citado a confissão de Davi, que o Deus de puni-lo da maneira ameaçado por Nathan, houve quebra das promessas que tinha feito para ele e sua posteridade, porque mostrou aos judeus que as promessas de Deus, como suas ameaças, eram toda condicional, e que, de forma consistente com as suas promessas a Abraão e à sua descendência, Deus pode rejeitar os israelitas, e expulsá-lo de Canaã, tendo eles perderam o direito de ser contabilizada a descendência de Abraão, o pai dos fiéis, por sua infidelidade; e aos gentios, imitando sua fé, sendo agora recebido pelos filhos de Deus. Genesis 18:19Deuteronômio 28: 1-14Levítico 26:33Deuteronômio 28:64Salmos 51: 42 Samuel 12: 9-12

 

Verse 5-6

Romanos 3: 5-6Romanos 3: 5-6 . Mas - Pode-se ainda objecções; se a nossa injustiça prova a justiça de Deus - ser subserviente para a glória de Deus; ou, se a nossa infidelidade estar tão longe de invalidar a fidelidade de Deus, que se torna mais ilustre, então não deveria ser condenado por isso. Mas o Dr. Whitby entende, por a justiça de Deus, a justiça da fé, que na verdade é geralmente o significado da frase nesta epístola; e, como no primeiro capítulo a necessidade de esta fé é mostrado com respeito aos gentios, porque senão eles, sendo injustos, não poderia ser justificado diante de Deus, ou escapar de sua ira revelada contra toda injustiça; e no segundo capítulo da mesma está provado respeitando os judeus por causa da sua iniqüidade, que argumentos claramente servir para elogiar e estabelecer esta forma de justificação pela fé em Cristo, a partir da necessidade do mesmo para a justificação tanto de judeus e gentios; Ele considera, portanto, a importação da objeção de ser: "Se a injustiça tanto de judeus e gentios tendem tão visivelmente para ilustrar e recomendar a sabedoria e graça de Deus, na nomeação esta forma de justificação pela fé em Cristo, é justo em Deus para punir judeus e gentios, como você diz que ele fez e vai fazer, para que a injustiça que tende tão altamente para avançar a glória da graça divina exibida no evangelho "? que diremos ? - que inferência vamos desenhar é Deus injustos que tira vingança ? - Devemos admitir que Deus é injusto em punir as práticas que assim ilustram sua misericórdia, fidelidade e outras perfeições falo como um homem - como um mero homem natural, não familiarizado com a vontade revelada de Deus, ou não influenciada por seu Espírito; ou como fraqueza humana estaria apto a falar. Deus me livre - Que eu deveria abrigar um tal pensamento, ou permitir que tal consequência; pois então - Se fosse injusto nele para punir que a injustiça que é subserviente a sua própria glória, como deve Deus julgar o mundo - Desde toda a injustiça no mundo, então, a justiça de Deus. Adicione a isso, a própria idéia de Deus de julgar o mundo, implica que deve ser feito em justiça. Para se qualquer pessoa tivesse injustiça feita a ele naquela ocasião, não seria julgamento, mas um exercício arbitrário do poder, pelo qual o juiz seria desonrado. Nesta ideia é fundada a resposta que Abraão fez a Deus, respeitando a destruição de Sodoma, que responder talvez o apóstolo tinha agora em seu olho, Gênesis 18:25 ; Shall não é o Juiz de toda a terra? Gênesis 18:25

 

Verse 7-8

Romanos 3: 7-8Romanos 3: 7-8 . Para - Ou , mas (o opositor pode responder) se a verdade de Deus abundou mais - tem sido mais abundantemente demonstrado, pela minha mentira - Se minha mentira, isto é, a prática contrária à verdade, conduz à a glória de Deus, fazendo resplandecer o seu verdade com vantagem superior; por que estou ainda julgado como pecador - E indiciado por aquilo que é atendido com consequências tão felizes? Minha conduta pode ser considerada pecaminosa em tudo? Deveria eu não a fazer o que seria o mal, que tanto venha o bem? Para isso, o apóstolo não se dignou a dar uma resposta direta, acrescentando, cuja condenação, ou condenação, é justo. A condenação de todos, que quer falar ou actuar desta forma. Aqui, o apóstolo ensina expressamente a ilegalidade de fazer o mal, todo o mal, com o pretexto de promover o que é bom. Tal pretensão, se permitido, justificaria os maiores crimes. Isso, no entanto, o apóstolo aqui significa que eles foram caluniosamente como o ensino; provavelmente numa interpretação errada da sua doutrina, que a grandeza dos pecados dos quais os gentios eram culpados, rendeu a bondade de Deus ao enviar Cristo para morrer por eles o mais ilustre.

 

versículos 9-18

Romanos 3: 9-18Romanos 3: 9-18 . O que então - Bem, então, (pode um judeu pedir mais,) desde que você permita que os judeus têm a vantagem dos gentios no ponto de privilégios, tendo as palavras de Deus, as promessas que ele nunca vai deixar de observar, e os princípios de justiça que ele nunca vai se violam em sua conduta, estamos não em uma melhor condição para a obtenção justificação pela nossa própria obediência à sua lei? não, de modo algum - o apóstolo responde, de que todos são iguais em que ponto, tanto judeus e gentios. Para já demonstramos que - Ou seja, nos dois primeiros capítulos, ambos judeus - pela violação da lei escrita; e gentios -, por transgredir a lei da natureza; que todos eles são - cada um deles, sem exceção; debaixo do pecado - sob a culpa e do poder dela, e assim são igualmente excluídos da possibilidade de ser justificado pelas obras. E, portanto, gospel justiça, nem a justificação pela fé, não é menos necessário para o um do que para o outro. Como está escrito: - Aqui ele prova mais, a respeito dos judeus, que eram injustos diante de Deus, por meio de depoimentos retirados de seus próprios profetas sobre a sua corrupção universal, e ele, com razão, cita David e Isaías, (ver margem), embora eles falavam principalmente de sua própria idade, e expressou que tipo de homens que Deus vê quando olha para baixo do céu, não o que eles se tornam quando renovado pela sua graça. Não há justo - que vive exatamente de acordo com a regra da lei de Deus. Esta é a proposição geral, as indicações seguem; suas disposições e desenhos, Romanos 3: 11-12 ; seus discursos, Romanos 3: 13-14 ; suas ações, Romanos 3: 16-18 . Não há ninguém que entenda - As coisas de Deus, até que Deus, dando-lhes o espírito de sabedoria e de revelação, abrir os olhos de seu entendimento; não há ninguém que busque a Deus - Para sabe, adoração, e servi-lo corretamente; para obter seu favor, recuperar a sua imagem, e desfrutar de comunhão com ele; isto é, até que Deus, por sua graça, inclina-os a procurar por ele. Eles se foram fora do caminho -. Ou seja, da verdade em erro, da justiça em pecado, de felicidade na miséria Eles estão juntos - Um e todos ; se tornar inúteis - Impróprias e incapaz de trazer qualquer bom fruto, para lucrar, por si ou outros. Não há ninguém que faça o bem - de um princípio correto, a uma extremidade direita, por uma regra de direito, e num espírito direita; . ou perfeitamente, de acordo com o significado exato da lei que estão sob sua garganta é um sepulcro aberto - Noisome e perigoso como tal; ou, seu discurso é ofensivo, corrupto e repugnante. Observar o progresso do discurso mal; procedia do coração, através da garganta, língua, lábios, até que toda a boca está cheia com o mesmo. O veneno de víbora - infecciosa e mortal, conto-rolamento, maledicência, calúnia, difamação, está sob (para o mel está no ) . os lábios um ASP é uma espécie venenosa de serpente. cuja boca está cheia de maldição - contra Deus, e amargura - linguagem de provocação contra seu vizinho: a profanação mais chocante se confunde-se com a malignidade do coração para com seus semelhantes que respira . em cada palavra seus pés são ligeiros - para correr em direção aos locais onde tiverem designado; para derramar o sangue - dos inocentes. Destruição - para os outros; e miséria - Quanto a si, estão em seus caminhos - nos seus desejos e projetos , suas disposições, palavras e ações. e o caminho da paz - o que só pode brotar de justiça, que eles não conheceram - pela experiência, nem considerado. E, para resumir tudo em uma palavra, a grande causa de toda essa depravação é que não há temor de Deus diante de seus olhos - Muito menos é o amor de Deus em seus corações: eles não têm senso de religião, para conter -los da Comissão destas enormidades. Romanos 3: 11-12Romanos 3: 13-14Romanos 3: 16-18

 

Verse 19-20

Romanos 3: 19-20Romanos 3: 19-20 . Agora, o que tudo o que a lei diz - Ou seja, o Antigo Testamento, por essas citações não são feitas a partir de qualquer parte dos cinco livros de Moisés, mas dos Salmos e os Profetas; ele disse-lhes que estão debaixo da lei - isto é, para aqueles que possuem a sua autoridade, para os judeus, e não para os gentios. O apóstolo citou nenhuma escritura contra eles, sabendo que teria respondido sem fim de fazê-lo, uma vez que não reconhecem a autoridade das Escrituras; mas ele implorou-los somente a partir da luz da natureza; que toda a boca - cheia de maldição e amargura: Romanos 3:14 , e ainda de gloriar-me, Romanos 3:27 , pode ser interrompido - E não tem nada a declarar; e toda mundial - Não só os gentios, mas também aos judeus; seja condenável - pode ser totalmente condenados como culpados, e, evidentemente, sujeita a mais justa condenação. Essas coisas foram escritas de idade, e foram citados por Paulo, não para tornar os homens culpados, mas para provar isso a eles. Portanto pelas obras da lei - por obras de completa obediência à lei de Deus, seja natural ou revelada, há nenhuma carne será justificada - Ou pronuncia justos. Que a palavra lei deve aqui ser tomado neste ponto, parece evidente a partir da conclusão que o apóstolo aqui empates, e de todo o teor de sua argumentação subsequente; que teria tido muito pouco peso, se houvesse espaço para qualquer de oposição: Embora nós não pode ser justificada pela nossa obediência à lei de Moisés, que pode ser justificado pela nossa obediência à lei natural de Deus. E nada pode ser mais evidente, do que as instalações de que esta conclusão é desenhada referem-se aos gentios, assim como os judeus; e, consequentemente, que a lei tem aqui, e em muitas passagens subsequentes, esse sentido geral. "Cada um fracasso", diz Locke ", de uma conformidade exata de suas ações para a rectidão imutável de que a regra eterna da direita, mencionado Romanos 1:32 , será encontrado injustos, e assim incorrer a penalidade da lei. Que este é o significado da expressão usada aqui, εργα νομου , obras da lei, é evidente, porque a declaração do apóstolo é preocupante σαρξ πασα , toda a carne. Mas sabemos que o mundo pagão não estavam sob a lei de Moisés. " Porque pela a lei - por que escrito sobre o coração do homem, bem como pelo que revelou, é o conhecimento do pecado - de nossa pecaminosidade e culpa, da nossa fraqueza e miséria. Isto implica fortemente o estado quebrado e desordenado da natureza humana; em consequência do qual, os preceitos que Deus nos dá, mesmo os preceitos morais, servem apenas, ou pelo menos principalmente, para nos convencer de culpa, e não para produzir uma obediência pelo qual podemos finalmente ser absolvido e aceito. Considerando que, se nós não caído e criaturas depravadas, por sua santa lei que deve ter o conhecimento do nosso ser justo; para quando pesados ​​na balança do mesmo, que não deve ser considerada deficiente. Romanos 3:14Romanos 3:27Romanos 1:32

 

versículos 21-24

Romanos 3: 21-24Romanos 3: 21-24 . Mas agora a justiça de Deus - isto é, a maneira de se tornar justo que Deus destinou; sem a lei - Sem que a obediência perfeita e anterior, que a lei exige; sem referência a, ou dependência em, a lei, cerimonial ou moral, revelada ou natural; se manifesta - No evangelho, sendo atestada pela lei e os profetas. O exemplo da justificação de Abraão pela fé, registrou Gênesis 15: 6 , e a passagem que as cotações apóstolo, Romanos 4: 7 , a partir de Salmos 32: 1-2 , bem como que a partir de Habacuque, citado Romanos 1:17 , são testemunhos claros, a partir da lei e dos profetas, de que há uma justiça sem as a lei, que Deus aceita; e que o método de justificação revelada no evangelho foi o método em que os homens foram justificadas nos termos da lei, e perante a lei: em suma, é o método de justificar pecadores, estabelecida desde o início do mundo. Mesmo a justiça de Deus - o que Deus destinou a ser, pela fé de Jesus Cristo - por essa empresa, saudável, animada crença de Cristo de ser o que o evangelho declara que ele seja, um professor divinamente-comissionados e infalível, um mediador prevalente entre Deus e o homem; um suficiente Salvador todos-, e um governador justo; tal crença como produz uma confiança sincera nele, uma verdadeira sujeição a ele, uma obediência consciente para as suas leis, e imitação de seu exemplo. Por todos - Qual o caminho da justificação está prevista, e sinceramente e livremente oferecida a todos, e é concedida a todos os que crêem - quer judeus, quer gentios, pois não há diferença - de qualquer forma a necessidade de justificação e salvação, ou a forma de o alcançar dos homens. Porque todos pecaram - em Adão e em suas próprias pessoas; por uma natureza pecaminosa, os ânimos pecadores, e ações pecaminosas; e estão destituídos da glória de Deus - O fim supremo do homem; curta de sua imagem e da natureza, e de comunhão com ele, e o gozo dele no céu. Ou, eles falharam de prestar-lhe que glória que era tão justamente lhe é devido, e, assim, não apenas a si mesmos indignos a participação de glória e felicidade com ele fez, mas fico exposto a sua insatisfação grave e terrível. A palavra υσερουνται , aqui traduzida vêm suma, é devidamente aplicada àqueles, cuja força não-los na corrida, são deixados para trás. A palavra, portanto, é muito adequado para a humanidade, que, sendo enfraquecido pelo pecado, perderam a vida eterna, a recompensa que se perseguido por sua obediência. Sendo justificados - perdoados e aceitos, ou considerados justos; livremente, δωρεαν , de dom gratuito , e não através de qualquer mérito próprio; pela sua graça - . seu favor imerecido, sua bondade imerecida, e não através de sua própria justiça ou obras, no todo ou em parte gratuitamente pela sua graça - Uma dessas expressões possa ter servido para transmitir significado do apóstolo: mas ele dobra sua afirmação, a fim de dar-nos ao máximo convicção da verdade, e para nos impressionar com um sentido de sua importância peculiar. Não é possível encontrar palavras que devem mais absolutamente excluir toda a consideração das nossas próprias obras e obediência, ou mais enfaticamente atribuem toda a nossa justificação para libertar, a bondade imerecida. Por meio da redenção que há em, ou por, Jesus Cristo - Obtidos para eles, por sua morte, o preço pago para a sua redenção. A palavra απολυτρωσις , aqui e em outros lugares prestados redenção, denota que tipo de resgate de um cativo da morte, que é obtido mediante o pagamento de um preço para a sua vida. Veja nota em 1 Timóteo 2: 6 . A redenção adquirida por Cristo para nós é a libertação da culpa e do poder do pecado e da ira de Deus consequente delas, e do poder dos nossos inimigos espirituais, o diabo, o mundo, e da carne. Ver Efésios 1: 7 ; Colossenses 1:14 ; Tito 2:14 ; Gálatas 1: 4 ; 1 Pedro 1: 18-19 . Gênesis 15: 6Romanos 4: 7Salmos 32: 1-2Romanos 1:17 1 Timóteo 2: 6Efésios 1: 7Colossenses 1:14Tito 2:14Gálatas 1: 41 Pedro 1: 18-19

 

Verse 25-26

Romanos 3: 25-26Romanos 3: 25-26 . A quem Deus propôs - Antes de anjos e homens: Hath na sua infinita misericórdia exibiu para nós no evangelho, para propiciação - grega, ιλαστηριον , um propiciatório, ou propiciatório, onde a misericórdia pode ser encontrado o penitente, de forma consistente com a justiça divina. O leitor vai observar, a tampa da arca, no tabernáculo e no templo dos israelitas, foi chamado o propiciatório, ou propiciatório, e é denominado pela LXX., Exodus 25:17 , ιλαστηριον επιθεμα , uma cobertura propiciatório, "porque era o trono em que a glória do Senhor estava acostumado a ser exibido, e recebeu as expiações feitas pelo sumo sacerdote no dia da expiação, e do qual Deus dispensado perdão ao povo. Em alusão a esse culto antigo, o apóstolo representa Cristo como propiciatório, ou propiciatório, estabelecido por Deus para receber o culto dos homens, e dispensar o perdão para eles. Ou, se um propiciatório é, por uma metonímia comum, coloque em um sacrifício propiciatório, significado do apóstolo será, que, com a nomeação de Deus, Cristo morreu como um sacrifício pelo pecado, e que Deus perdoa o pecado através do mérito de que sacrifício. Daí Cristo é chamado ιλασμος , como propiciação, 1 João 2: 2 ; 1 João 4:10 . Ao ensinar esta doutrina, o apóstolo removeu a grande oposição dos judeus e pagãos contra o evangelho, que não tinha nem um padre nem um sacrifício. "- Macknight. Através da fé em seu sangue - Através crendo que o sangue de Cristo foi derramado para expiar nossos pecados e confiar nele para o perdão e aceitação com Deus, e todos os outros benefícios que ele assim adquiridos para nós: a declarar, εις ενδειξιν , para uma demonstração da sua, , própria de Deus a justiça: tanto sua justiça e misericórdia, especialmente o primeiro, que, assim, pode parecer que ele poderia perdoar o pecado, sem qualquer impedimento de sua justiça, na medida em que ele não perdoe-lo sem a plena satisfação feita à lei pelos sofrimentos de Cristo, que foi ferido pelas nossas transgressões, e em quem foi colocado que castigo do pecado que era necessário para adquirir a nossa paz, e tornar a nossa aceitação com Deus consistente com as perfeições divinas e a equidade de seu governo. para a remissão dos pecados que são passados ​​- Todos o antecedente pecados a sua crença. Ou a expressão, δια την παρεσιν των προγεγονοτων αμαρτηματων , podem ser adequadamente prestados, em conta a passar, ou não instantaneamente e adequadamente punir, pecados que haviam antes sido cometidos, isto é, antes da vinda de Cristo: os pecados dos quais tanto judeus e gentios tinha sido culpado antes do evangelho foi promulgada, e por conta de que tanto merecia a destruição, e eram indignos das bênçãos da aliança de Deus. Agora a justiça ou a justiça de Deus poderia ter aparecido em dúvida, por conta de sua tendo tanto tempo, em sua grande tolerância, assim, passou pelos pecados dos homens, a menos que nesse meio tempo ele tinha feito uma exposição suficiente de seu ódio ao pecado. Mas este tipo de vídeo que está sendo feita na morte de Cristo, a sua justiça é, assim, plenamente provado. Doddridge parafraseia assim a passagem: "A remissão abrange não apenas a idade presente, mas primeiro, e a todas as infracções que são por muito tempo desde passado, de acordo com a paciência de Deus, que tem forborne para executar o juízo sobre os pecadores para suas provocações repetidas, em referência a que a expiação que ele sabia deverá, em devido tinge ser feita ". para declarar, προς ενδειξιν , para uma demonstração da sua justiça (ver a ex-verso) neste momento - εν τω νυν καιρω , neste período de sua misericórdia aos pecadores. Como se ele tivesse dito, quando ele mais altamente ampliada sua misericórdia em descobrir esta forma de reconciliação, ele também mais eminentemente declarar sua justiça, ao exigir tal satisfação pela transgressão de sua lei: que ele seja justo - Pode constatar-se ser estritamente e inviolably justos na administração de seu governo, mesmo quando ele é o misericordioso justificador do pecador que crê em Jesus - que assim o crê em Jesus, como para abraçar esta forma de justificação, renunciando todo o mérito em si mesmo, e confiando inteiramente sobre o sacrifício e intercessão de Cristo, para a reconciliação com Deus, e todas as bênçãos da nova aliança. O atributo da justiça deve ser preservado inviolável; e inviolável é preservada, se houvesse uma imposição real do castigo a Cristo. Nesta plano de todos os atributos harmonizar; cada atributo é glorificado, e não uma substituição, nem tanto como nublado. Êxodo 25:171 João 2: 21 João 4:10

 

Por apenas, de fato, neste verso, Taylor iria entender misericordioso, e Locke, fiel às suas promessas; mas "qualquer um destes", como Doddridge observa, "faz, mas uma sensação muito frio, quando comparado com o dado aqui. Não é nenhuma maneira maravilhosa de que Deus deve ser misericordioso, ou fiel às suas promessas, embora o justificador acreditando pecadores; mas que ele deve ser apenas em tal ato, pode ter parecido incrível, se não tivéssemos recebido tal uma conta da expiação . "Este assunto está situado em uma luz clara e impressionante por um escritor tarde:" os dois grandes fins da justiça pública são a glória de Deus, e em conexão com ela, o bem geral de suas criaturas. É essencialmente necessário para a realização de tais fins, que a autoridade do governo de Deus deve ser apoiada, em toda a sua extensão, como inviolably sagrada; - Que nem um jota ou um til não deve em nenhum passará da lei; - Que nenhum pecado, de qualquer tipo, ou em qualquer grau, deve aparecer como venial; - Que, se qualquer pecador é perdoado, ele deve ser de tal forma, que, ao mesmo tempo que exibe a misericórdia divina, deve, ao mesmo tempo testemunhar a aversão divina de seus pecados. Tudo isso é gloriosamente realizada no evangelho, por meio da expiação; - pela substituição de uma garantia voluntária, mesmo daquele cujo nome é Emanuel, de suportar a maldição da lei, na sala dos culpados. Em sua substituição, vemos exibido, de forma indescritivelmente comovente e terrível, a santa pureza da natureza divina; para nenhum testemunho pode ser concebida mais impressionante, de infinita repulsa do pecado, do que os sofrimentos e morte do Filho de Deus. Aqui também vemos a justiça imutável do governo divino, infligir a pena justa de uma lei violada. É para ser considerado como um princípio fixo do governo divino, que o pecado deve ser punido, que se o pecador é perdoado, ele deve ser de uma forma que marcas e . Publica o mal da sua ofensa Esta é efectuada por substituição; e, tanto quanto podemos julgar, não pode ser efectuado por qualquer outra forma. Em infligir a sentença contra a transgressão no voluntária e todo-suficiente Fiador, Senhor, enquanto ele limpa o pecador, não limpa seus pecados; - Embora vestido com os trovões de justiça vingativa contra a transgressão, ele usa, ao transgressor, o sorriso de reconciliação e de paz; - Ele dispensa as bênçãos de misericórdia do trono da sua santidade; e, durante o exercício graça ao culpado, ele aparece no caráter - igualmente adorável e venerável - de - amigo do pecador, e inimigo eterno de pecado!

 

"Desta forma, então, todos os confins da justiça pública são totalmente respondida. A lei mantém a sua perfeição absoluta completa; é "ampliada e fez honrosa:" a dignidade e autoridade do governo divino são mantidas, e até mesmo elevada: todas as perfeições da deidade são gloriosamente ilustrado e exibiu em harmonia sublime. Enquanto as riquezas da misericórdia são exibidos, para o encorajamento dos pecadores para retornar a Deus, a solene lição é, ao mesmo tempo ensinou, através de um exemplo mais convincente, que a rebelião não podem ser mantidos em impunemente; e os motivos são, portanto, dirigida ao receio do mal, bem como ao desejo do bem. Tal visão do Ser Divino é apresentado na cruz, como é precisamente calculado para inspirar e manter (para manter, também, com um poder que vai aumentar de influência mais de perto e seriamente a vista é contemplados) os dois grandes princípios da uma vida santa - o AMOR, e o temor de Deus -. apego filial, liberdade e confiança, combinada com reverência humilde e santo temor "Ver do Sr. Ralph Wardlaw Discursos sobre os pontos principais da controvérsia Socinian, pp. 211-213.

 

verso 27

Romanos 3:27Romanos 03:27 . Onde está logo a jactância? - A jactância dos gentios na sua filosofia, ou dos judeus nos ritos da lei de Moisés, como suficiente para a sua salvação. . Ou a jactância dos judeus contra os gentios, ou a de qualquer um em sua própria justiça, ou por conta de quaisquer privilégios peculiares que ele pode desfrutar está excluído - Esta forma de justificação pela graça, através da fé, não deixa espaço para qualquer um para gabando-se de que ele é, ou tem, ou não, ou pode fazer. por qual lei? De obras? - Por que de Moisés, ou qualquer outra lei, prometendo vida só para perfeita obediência, e ameaçando toda a desobediência com a morte inevitável? Não; isso, se o cumprimento tivesse sido possível, e um homem poderia ter sido justificada, assim, teria deixado espaço para ostentação, mesmo que ele tinha obtido a sua justificação pela sua própria virtude e bondade. Mas pela lei da fé - " a lei da fé aqui, em oposição à lei das obras, é que graciosa aliança que Deus fez com a humanidade imediatamente após a queda. Ele é apropriadamente chamado de uma lei, porque é a lei, ou regra, pela qual os pecadores devem ser justificados em todas as épocas; ea lei da fé, porque a requisição da fé, como os meios de nossa justificação, é tanto uma lei para os homens sob a nova aliança, como a requisição de obras para a mesma finalidade era uma lei sob a primeira aliança "Este. lei da fé é dito corretamente para excluir jactância, uma vez que exige que todas as pessoas, sem distinção, a reconhecer-se pecadores, merecendo a condenação e ira; e, como culpados, depravado, fraco e indigente, para fazer um pedido humilde ao livre misericórdia e graça de Deus em Cristo, para o perdão, santidade e todas as outras bênçãos que é necessário para a felicidade final.

 

verso 28

Romanos 3:28Romanos 3:28 . Portanto podemos concluir - Como se ele tivesse dito: Uma vez que parece, pelo que foi dito, que todos são pecadores, envolvidos na culpa e condenação, e assim não pode ser justificado pela lei, seja natural ou revelada, e que Deus nomeou uma outra forma de justificação, nós chegar a essa conclusão, que o homem é justificado - é considerado justo, aceito e tratado como tal; pela fé - por crer no Senhor Jesus Cristo, e na misericórdia e graça de Deus e as verdades e promessas do evangelho através dele. Veja Atos 16:31 ; Gálatas 2:16 ; Romanos 4:24 . Sem as obras da lei - Sem perfeita obediência a qualquer lei, como a causa meritória de sua justificação. Cada um, no entanto, que se justifica, desta forma, deve mostrar sua fé por suas obras, James 2: 14-26 , e fazer a lei moral a regra constante de seu temperamento e conduta. Pode ser bom para observar aqui, 1º, que a fé pela qual os homens, sob a nova aliança, são justificadas ", tem por objeto as pessoas, ao invés de proposições. Então, o próprio Cristo quem nos disse; credes em Deus, crede também . em mim Então Moisés; Abraão acreditou no Senhor, e isso lhe foi imputado como justiça, e Paulo; Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo. Nesse meio tempo, esta fé em Deus e em Cristo leva necessariamente aqueles que a possuem, a acreditar cada coisa feita conhecido a eles por Deus e por Cristo, e fazer todas as coisas que eles têm ordenado: para que ele termina na crença sincera das doutrinas da religião, e na prática constante das suas funções, na medida em que são levadas ao conhecimento do crente ". 2d," Quando o apóstolo nos diz que, pela fé, o homem é justificado sem as obras da lei, ou melhor, as obras da lei, o significado claro é, que os homens são justificados gratuitamente pela fé, e não meritoriously por perfeita obediência a qualquer lei que seja. "Veja a nota no cap. Romanos 2:13 . Para ao mesmo tempo, ele nos ensina que os homens são justificados gratuitamente por meio de Deus a graça, conseqüentemente, ele exclui a fé em igualdade com obras, a partir de qualquer meritória a eficiência na matéria. Atos 16:31Gálatas 2:16Romanos 4:24James 2: 14-26 Romanos 2:13

 

versículos 29-31

Romanos 3: 29-31Romanos 3: 29-31 . Ele é o Deus de apenas os judeus? - Ele argumenta a partir do absurdo de tal suposição. Pode-se imaginar que um Deus de infinito amor e misericórdia deve limitar e confinar seus favores para as pessoas pouco perversas dos judeus, deixando todo o resto da humanidade numa condição eternamente desesperado? Isso não significa concordar com a ideia que temos da bondade divina, pois as suas misericórdias estão sobre todas as suas obras. Ele é o Deus dos gentios também - E, portanto, a estabeleceu uma forma de justificação, igualmente abertos para os gentios como . aos judeus visto que é um Deus - o mesmo eterno e imutável Senhor, que irá justificar a circuncisão - os judeus, pela fé; e na incircuncisão - Os gentios, por meio da mesma fé - Como se ele tivesse dito: O caminho da justificação é a mesma para ambos, o que quer que os homens diferença pode fazer em suas expressões sobre ele. Ele mostra misericórdia para com ambos, e pelos mesmos meios. Macknight pensa que a expressão, δια πιστεως , por meio da fé, na última cláusula, é uma elipse, por meio da lei de fé, mencionado Romanos 3:27 , (onde veja a nota), e significa o método de salvação pela fé, estabelecida na nova aliança, chamada de lei para as razões não dadas. "Por esta lei de fé os gentios são para ser justificada. Pois, embora eles não têm as doutrinas da revelação, como os objetos de sua fé, eles podem acreditar as doutrinas da religião natural, ( Hebreus 11: 5 ,) e viver agradavelmente-lhes: caso em que sua fé será contado a eles, para a justiça, igualmente a fé de quem gosta de revelação "o mesmo escritor aprendeu supõe, que na expressão,. vendo há um só Deus, alude o apóstolo Zacarias 14: 8 , onde o profeta foretels o progresso do evangelho, sob a imagem de águas que saem de Jerusalém vivo, e em seguida, adiciona, Romanos 3: 9 , e o Senhor será rei sobre toda a terra, e nesse dia haverá um só Senhor, e o seu nome; a mostrar, que, sob a dispensação do evangelho, todas as nações são consideradas por Deus como seu povo, que ele vai ser reconhecido e adorado por todas as nações, e que no caso de a sua justificação e salvação, ele vai observar uma regra. será que então - enquanto mantemos este método de justificação e salvação, anular a lei - Defini-lo de lado, ou torná-lo inútil, como καταργουμεν corretamente significa, por meio da fé - por ensinar que a justificação é pela fé, e que é gratuito para os gentios, assim como a ? judeus, dessa forma Deus nos livre - que devemos sempre insinuam uma tal concepção, ou entreter tal pensamento; sim, nós estabelecemos a lei - sobre uma base mais firme do que nunca, e colocá-lo em uma mais justa e ponto mais bonito de luz : para nós mostramos que a sua honra é exibido na expiação, bem como na obediência a Cristo; e vamos fazer isso de uso perpétuo, para a comprovação da verdade, e que ilustra a necessidade do evangelho, assim como para dirigir a vida dos homens, quando eles professam o receberam. Em outras palavras, nós estabelecer a autoridade, à pureza e ao final do mesmo; defendendo que a lei atesta, ao apontar Cristo, o fim de tudo, e mostrando como a parte moral do que pode ser cumprida em sua pureza. Por meio da influência de uma fé que opera pelo amor, sendo capazes de amar a Deus, seus filhos, e toda a humanidade com sinceridade e verdade, somos levados a servi-lo sem servil medo, em santidade e justiça perante ele, e andar em os seus juízos e morais mandamentos inocentes. de modo que a justiça da lei se cumprisse em nós, enquanto nós caminhamos, não segundo a carne, mas segundo o Espírito; amar a Deus e ao homem, produtiva desses frutos, sendo contabilizadas por Deus, o gratificante da lei, Romanos 13: 8-10 ; Gálatas 5:14 ; James 2: 8 . Assim também que a lei mais antiga e universal, que Deus inscreveu no coração dos homens, e que nós chamamos a lei da natureza, é estabelecida de forma mais forte e pelo evangelho. Porque todo aquele que faz a lei moral de Moisés a regra da sua conduta, também vai observar os preceitos deste, tal como nele incluído. Romanos 3:27Hebreus 11: 5Zacarias 14: 8Romanos 3: 9 Romanos 13: 8-10Gálatas 5:14James 2: 8

comentario biblico Joseph Benson 1771

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net