Translate this Page

Rating: 3.0/5 (868 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

site, fee epub, link, get pdf, enter link, free book, download book, this link, free book, download pdf,

Comentario bíblico primeira carta de João cap.5
Comentario bíblico primeira carta de João cap.5

            Comentario bíblico primeira carta de João cap.5

 verso 1

1 Todo aquele que crê Ele confirma por outra razão, que a fé eo amor fraternal estão unidos; Porque desde que Deus nos regenera pela fé, ele deve necessariamente ser amado por nós como um Pai; e este amor abraça todos os seus filhos. Em seguida, a fé não pode ser separado do amor.

 

A primeira verdade é que todos os nascidos de Deus, crêem que Jesus é o Cristo; onde, mais uma vez, você vê que somente Cristo é apresentado como o objeto da fé, como nele encontra a justiça, vida e todas as bênçãos que pode ser desejado, e Deus em tudo o que ele é. (89) Assim, a única verdadeira maneira de crer é quando direcionamos nossas mentes para ele. Além disso, a acreditar que ele é o Cristo, é a esperança de lhe todas estas coisas que foram prometidas como ao Messias.

 

Também não é o título, Cristo , dado a ele aqui sem razão, pois designa o cargo para o qual foi nomeado pelo Pai. Como, nos termos da Lei, a plena restauração de todas as coisas, justiça e felicidade, foi prometido através do Messias; por isso neste dia toda esta é mais claramente estabelecido no evangelho. Em seguida, Jesus não pode ser recebido como Cristo, a não ser a salvação de ser solicitado a ele, uma vez que para este fim, ele foi enviado pelo Pai, e é diariamente oferecido para nós.

 

Por isso o Apóstolo declara que todos os que realmente acreditam ter nascido de Deus; pois a fé é muito acima do alcance da mente humana, de modo que devemos ser atraídos a Cristo pelo nosso Pai celestial; por não qualquer um de nós pode ascender a ele por sua própria força. E é isso que o Apóstolo nos ensina no seu Evangelho, quando diz que aqueles que crêem no nome do unigênito, não nasceram do sangue, nem da carne . ( João 1:13 ). E Paulo diz, que são dotados, não com o espírito deste mundo, mas com o Espírito que vem de Deus, para que possamos conhecer as coisas que nos deu por ele . ( 1 Coríntios 02:12 ). Para o olho não viu, eo ouvido não ouviu, nem a mente concebida, a recompensa reservada para aqueles que amam a Deus; mas o Espírito sozinho penetra este mistério. E mais, como Cristo nos é dado para a santificação, e traz com ele o Espírito de regeneração, em suma, como ele nos une a seu próprio corpo, também é outra razão pela qual ninguém pode ter fé, a não ser que ele é nascido de Deus.

 

Ama também ao que dele é nascido Augustine e alguns outros dos antigos aplico isso a Cristo, mas não corretamente. Para embora o Apóstolo usa o número singular, no entanto, ele inclui todos os fiéis; eo contexto mostra claramente que seu objetivo não era outro senão a traçar-se o amor fraternal à fé como a sua fonte. É, de fato, um argumento retirado do curso comum da natureza; mas o que é visto entre os homens é transferido para Deus. (90)

 

Mas devemos observar que o apóstolo não tão falar dos fiéis somente, e passar por aqueles que estão de fora, como se os primeiros são sozinho para ser amado, e nenhum cuidado e não conta para ser tido por este último; mas ele nos ensina como se fosse por este primeiro exercício de amar todos, sem exceção, quando ele nos convida a fazer um começo com o divino. (91)

 

"Todo aquele que crê que Jesus é o Cristo foi gerado por Deus; e todo aquele que ama o gerador ama também o gerado por ele. "- Ed .

 

verso 2

2 Nisto conhecemos Ele mostra brevemente com estas palavras que é amor verdadeiro, mesmo que é para Deus. Ele tem até agora nos ensinou que nunca há um verdadeiro amor a Deus, exceto quando nossos irmãos também são amados; para este é sempre o seu efeito. Mas agora ele nos ensina que os homens são justamente e devidamente amado, quando Deus detém a primazia. E é uma definição necessário; por isso muitas vezes acontece, que nós amamos os homens sem Deus, como amizades profanos e carnais consideram apenas as vantagens privadas ou alguns outros objetos de fuga. Como, então, o envio primeiro para o efeito, de modo que agora se refere à causa; para o seu propósito é mostrar que o amor mútuo deve ser de tal forma cultivada para que Deus possa ser honrado.

 

Para o amor de Deus, ele se junta a manutenção da lei, e justamente por isso; para quando amamos a Deus como nosso Pai e Senhor, reverência deve necessariamente ser conectado com o amor. Além disso, Deus não pode ser separado de si mesmo. Como, então, ele é a fonte de toda a justiça e equidade, aquele que o ama deve, necessariamente, ter o coração preparado para prestar obediência para a justiça. O amor de Deus, então, não é ocioso ou inativo. (92)

 

Mas a partir desta passagem, também aprendemos o que é o cumprimento da lei. Porque, se restringido apenas por medo, nós obedecer a Deus, mantendo os seus mandamentos, estamos muito longe de verdadeira obediência. Então, a primeira coisa é que nosso coração deve ser dedicado a Deus em reverência dispostos e, em seguida, que a nossa vida deve ser formado de acordo com a regra da lei. Isso é o que Moisés quis dizer quando, ao dar um resumo da lei, disse ele,

 

"Ó Israel, o que o Senhor teu Deus requer de ti, senão amá-lo e obedecê-lo?" ( Deuteronômio 10:12 ).

 

verso 3

3 Seus mandamentos não são pesados ​​Este foi adicionado, para que as dificuldades, como é geralmente o caso, deve amortecer ou diminuir o nosso zelo. Para aqueles que com uma mente alegre e grande ardor têm prosseguido uma vida piedosa e santa, depois cansar, encontrando sua força inadequada. Portanto John, a fim de despertar os nossos esforços, diz que os mandamentos de Deus não são pesados.

 

Mas pode, por outro lado, ser recusados ​​e disse que nós descobrimos que é bem diferente, por experiência, e que a Escritura testifica que o jugo da lei é insuportável. ( Atos 15: 2 ). A razão é também evidente, pois, como a negação de si mesmo é, por assim dizer, um prelúdio para a manutenção da lei, podemos dizer que é fácil para um homem negar a si mesmo? ou melhor, uma vez que a lei é espiritual, como Paulo, em Romanos 7:14 , nos ensina, e nós não somos nada além de carne, deve haver uma grande discórdia entre nós e a lei de Deus. A isso, respondo, que esta dificuldade não surge a partir da natureza da lei, mas da nossa carne corrupta; e é isso que Paulo declara expressamente; para depois de ter dito que era impossível para a Lei para conferir justiça em nós, ele imediatamente joga a culpa em nossa carne.

 

Esta explicação reconcilia plenamente o que é dito por Paulo e por David, que aparentemente parece totalmente contraditórias. Paul faz a lei o mestre da morte, declara que afeta nada, mas para trazer em nós a ira de Deus, que foi dada para aumentar o pecado, que vive para nos matar. David, por outro lado, afirma que é mais doce do que o mel, e mais desejável do que o ouro; e entre outras recomendações, ele menciona o seguinte - que alegra os corações, converte ao Senhor, e acelera. Mas Paul compara a lei com a natureza corrupta do homem; daí surge o conflito, mas David shews como eles pensam e sentem que Deus pelo seu Espírito renovou; daí a doçura e prazer do que a carne não sabe nada. E John não omitiu essa diferença; para ele se limita aos filhos de Deus estas palavras, os mandamentos de Deus não são pesados ​​, para que ninguém deve levá-los, literalmente; e ele dá a entender que, se trata através do poder do Espírito, que não é grave nem cansativo para nós para obedecer a Deus.

 

A questão, no entanto, não parece ainda ser totalmente respondida; para os fiéis, embora governado pelo Espírito, de Deus, ainda assim, continuar uma competição dura com a sua própria carne; e como eles podem muchsoever trabalham, eles ainda mal executar a metade do seu dever; ou melhor, quase falhar sob sua carga, como se eles estavam, como se diz, entre o santuário eo íngreme. Vemos como Paul gemeu como um cativo, e exclamou que ele era miserável, porque ele não poderia servir plenamente Deus. Minha resposta para isso é, que a lei é dito ser fácil, na medida em que são dotados de poder celestial, e superar os desejos da carne. Para no entanto, a carne pode resistir, mas os fiéis descobrir que não há nenhum prazer real, exceto em seguir a Deus.

 

Deve ainda ser observado, que João não fala apenas da lei, que contém nada além de comandos, mas se conecta com ele a indulgência paternal de Deus, pelo qual o rigor da lei é mitigado. Como, então, sabemos que são graciosamente perdoados pelo Senhor, quando os nossos trabalhos não vêm-se com a lei, isto torna-nos muito mais pronta para obedecer, de acordo com o que encontramos no Salmo 130: 4 ,

 

"Contigo é propiciação, para que possas ser temido."

 

Daí, então, é a facilidade de manter a lei, porque os fiéis, sendo sustentada por perdão, não despond quando eles vêm aquém do que deveriam ser. O Apóstolo, entretanto, lembra-nos que temos de lutar, a fim de que possamos servir ao Senhor; para o mundo inteiro nos impede de ir para onde o Senhor nos chama. Então, ele só mantém a lei que, corajosamente, resiste o mundo.

 

verso 4

4 Esta é a vitória Como ele havia dito que todos os que são nascidos de Deus vence o mundo, ele também apresenta a forma de superar isso. Por isso ainda pode ser solicitado, de onde vem esta vitória? Ele, então, faz com que a vitória sobre o mundo a depender da fé. (93)

 

Esta passagem é notável, pois, embora Satanás repete continuamente seus inícios terríveis e horríveis, mas o Espírito de Deus, declarando que estão fora do alcance do perigo, remove o medo e nos anima a lutar com coragem. E o tempo passado é mais enfático do que o presente ou o futuro; pois ele diz, que vence , a fim de que possam sentir certa, como se o inimigo já havia sido posto em fuga. É, de facto, verdade, que nossa luta continua ao longo da vida, que os nossos conflitos são diárias, ou melhor, que as novas e diversas batalhas são cada momento de todos os lados despertou contra nós pelo inimigo; mas como Deus não armar-nos apenas por um dia, e como a fé não é a de um dia, mas é o trabalho perpétua do Espírito Santo, que já são participantes da vitória, como se nós já tinha conquistado.

 

Essa confiança não é, no entanto, introduzir a indiferença, mas nos torna sempre ansiosamente a intenção de lutar. Porque o Senhor ordena, assim, o seu povo para ter certeza, enquanto ele ainda não teria eles para ser seguro; mas, pelo contrário, ele declara que eles já superados, a fim de que eles podem lutar com mais coragem e mais árdua.

 

O termo mundo tem aqui um significado amplo, pois inclui tudo o que é negativo para o Espírito de Deus: assim, a corrupção de nossa natureza é uma parte do mundo; todos os desejos, todos os ofícios de Satanás, em suma, tudo o que nos leva para longe de Deus. Tendo uma força para enfrentar, temos uma imensa guerra para continuar, e nós já deveria ter sido conquistado antes de vir para o concurso, e devemos ser conquistado uma centena de vezes por dia, não tinha Deus prometeu a nós a vitória. Mas Deus nos encoraja a lutar por nós prometendo a vitória. Mas, como essa promessa assegura a nós perpetuamente a força invencível de Deus, por isso, por outro lado, que aniquila toda a força dos homens. Para o Apóstolo não nos ensina aqui que Deus só traz alguma ajuda para nós, para que sendo ajudado por ele, poderemos ser suficientemente capaz de resistir; mas ele faz a vitória a depender somente pela fé; e a fé recebe de outro aquele pelo qual ele supera. Eles, então, tirar de Deus o que é a sua própria, que cantam triunfar com seu próprio poder.

 

"Para cada coisa nasceu de Deus vence o mundo", etc. O gênero neutro é utilizado para o masculino, "todas as coisas" para "cada um", como no primeiro verso; ou de acordo com כל em hebraico, ele é usado em um sentido plural, para πάντες como em João 17: 2 , "que todos ( πᾶν ) que lhe deste, ele deve dar-lhes ( αὐτοῖς ) a vida eterna."

 

Macknight e outros disseram que o gênero neutro é usado para compreender todos os tipos de pessoas, homens e mulheres, jovens e velhos, judeus e gentios, escravos ou livres. Por que, então, não era o gênero neutro utilizado no primeiro verso? É evidente que é uma peculiaridade do estilo, e nada mais, e não deveriam ser mantidas em uma tradução.

 

"Victory" significa aquilo que traz vitória, o efeito para a causa; ou pode designar a pessoa, como νίκη significa que às vezes a deusa da vitória. - "E este o Conqueress que vence o mundo: a nossa fé." - Ed

 

verso 5

5 Quem é o que vence o mundo Esta é uma razão para o período anterior; isto é, nós conquistamos pela fé, porque nós derivar força de Cristo; como Paulo também diz:

 

"Posso todas as coisas naquele que me fortalece"

( Filipenses 4:13 ).

 

Ele só então pode vencer Satanás e do mundo, e não sucumbir à sua própria carne, que, tímida como a si mesmo, recumbs no poder de Cristo. Porque pela fé que ele significa uma apreensão real de Cristo, ou um porão colocação eficaz sobre ele, pelo que aplicamos seu poder para nós mesmos.

 

verso 6

6 Este é aquele que veio que a nossa fé pode descansar com segurança em Cristo, ele diz que a substância real das sombras da lei aparece nele. Para não duvido, mas que ele alude pelas palavras água e sangue aos antigos ritos da lei. A comparação, por outro lado, se destina a este fim, não só para que saibamos que a Lei de Moisés foi abolida pela vinda de Cristo, mas que podemos buscar nele o cumprimento das coisas que as cerimônias anteriormente tipificadas. E se fossem de vários tipos, ainda sob estes dois Apóstolo denota toda a perfeição de santidade e justiça, pela água era toda sujeira lavados, de modo que os homens pudessem estar diante de Deus puro e limpo, e pelo sangue foi expiação feita, e uma promessa dada de uma plena reconciliação com Deus; mas a lei só esboçada por símbolos externos que era para ser realmente e totalmente realizada pelo Messias.

 

João, então, apropriadamente prova que Jesus é o Cristo do Senhor prometido anteriormente, porque ele trouxe com ele aquele pelo qual ele nos santifica integral.

 

E, de fato, como para o sangue pelo qual Cristo reconciliou Deus, não há dúvida, mas como ele veio por água pode ser questionada. Mas que a referência é ao batismo não é provável. Eu certamente acho que John apresenta aqui o fruto e efeito do que ele gravou na história do Evangelho; para o que ele diz que não, que a água eo sangue fluiu a partir do lado de Cristo, é, sem dúvida, para ser considerado um milagre. Eu sei que uma coisa dessas aconteça naturalmente para os mortos; mas aconteceu através do propósito de Deus, que o lado de Cristo tornou-se a fonte de sangue e da água, a fim de que os fiéis devem saber que a limpeza (dos quais os batismos antigos eram tipos) é encontrado nele, e para que soubessem que o que toda a aspersões de sangue anteriormente presignified foi cumprida. Sobre este assunto que habitava mais em geral sobre os capítulos IX e X da Epístola aos Hebreus.

 

E é o Espírito que dá testemunho Ele shews nesta cláusula como o know fiel e sentir o poder de Cristo, mesmo porque o Espírito torna certa; e que a sua fé não vacila, acrescenta, que a firmeza ou a estabilidade plena e real é produzido pelo testemunho do Espírito. E ele chama o Espírito a verdade , porque a sua autoridade é inquestionável, e deve ser abundantemente suficiente para nós.

 

verso 7

  1. Há três que o recorde urso no céu Todo este verso tem sido por alguns omitido. Jerome pensa que isso aconteceu através do design, em vez de por meio de erro, e que na verdade apenas sobre a parte dos latinos. Mas, como até mesmo as cópias gregas não concordar, não ouso afirmar qualquer coisa sobre o assunto. Como, no entanto, a passagem flui melhor quando é adicionado esta cláusula, e como eu ver que ele é encontrado nas melhores e mais aprovados cópias, estou inclinado a recebê-la como a verdadeira leitura. (94) E o significado seria, que Deus, a fim de confirmar mais abundantemente nossa fé em Cristo, testemunha de três maneiras que temos de concordar com ele. Porque, assim como a nossa fé reconhece três pessoas em uma essência divina, por isso é chamado no que realmente maneiras de Cristo que pode descansar sobre ele.

 

Quando ele diz: Estes três são um , ele não se refere à essência, mas, ao contrário de consentir; como se ele tivesse dito que o Pai e sua Palavra eterna e Espírito harmoniosamente testemunhar a mesma coisa respeitando Cristo. Daí que alguns exemplares já εἰς ἓν , "para um." Mas, ainda que você lê εἰσιν ἓν , como em outras cópias, mas não há dúvida de que o Pai, a Palavra eo Espírito são disse a ser um, no mesmo sentido em que depois do sangue e da água e do Espírito são disse a concordam em um.

 

Mas como o Espírito, que é uma testemunha, é mencionado duas vezes, ele parece ser uma repetição desnecessária. A isto respondo, que desde que ele testemunha de Cristo, de várias maneiras, um duplo testemunho é adequadamente atribuído a ele. Para o pai, juntamente com a sua sabedoria eterna e Espírito, declara que Jesus é o Cristo como se fosse autoridade, então, neste facilidade, o único majestade da divindade deve ser considerado por nós. Mas como o Espírito, que habita em nossos corações, é o penhor, um penhor, e um selo, para confirmar esse decreto, para que ele assim fala novamente sobre a terra pela sua graça.

 

Mas na medida em que todos não receber esta leitura, eu vou, pois, assim expor o que se segue, como se o apóstolo se refere às testemunhas apenas na terra.

 

7 . "Pois há três que dão testemunho [no céu: o Pai, a Palavra, eo Espírito Santo; e estes três são um;

 

8 E três são os que testificam na terra], do Espírito e da água e do sangue.; e estes três concordam ".

 

Quanto à construção da passagem, na medida em que a gramática e sentido são em causa, pode fazer com ou sem a interpolação igualmente o mesmo. O que foi dito em contrário quanto a este ponto, parece haver nada de um caráter decisivo, de forma alguma suficiente para mostrar que as palavras não são falsas. Com efeito, a passagem lê melhor sem as palavras interpolados; e quanto ao sentido, isto é, no sentido em que são comumente tomadas pelos defensores da sua autenticidade, não tem nenhuma ligação com qualquer que seja a tendência geral da passagem. - Ed .

 

verso 8

8 Há três Ele aplica o que tinha sido dito de água e sangue para seu próprio propósito, a fim de que os que rejeitam a Cristo pode ter nenhuma desculpa; pelo testemunhos abundantemente fortes e claras, ele prova que é ele que tinha sido anteriormente prometido, na medida em que água e sangue, sendo as promessas e os efeitos da salvação, realmente testemunhar que ele tinha sido enviado por Deus. Ele adiciona uma terceira testemunha, o Espírito Santo, que ainda ocupa o primeiro lugar, pois sem ele a hóstia eo sangue teria fluiu sem nenhum benefício; porque ele é o que sela em nossos corações o testemunho da água e do sangue; é ele que por seu poder faz com que o fruto da morte de Cristo para vir até nós; sim, ele faz com que o sangue derramado para a nossa redenção para penetrar em nossos corações, ou, para dizer tudo em uma palavra, ele faz Cristo com todas as suas bênçãos para se tornar o nosso. Então Paulo, em Romanos 1: 4 , depois de ter dito que Cristo, pela sua ressurreição manifestou-se para ser o Filho de Deus, imediatamente acrescenta, por qualquer sinais de glória divina resplandeça em Cristo, "Através da santificação do Espírito." eles ainda ser obscuro para nós e fugir da nossa visão, não fosse o Espírito Santo para abrir para nós os olhos da fé.

 

Os leitores podem agora entender por que João apresentou o Espírito como testemunha, juntamente com a água eo sangue, mesmo porque é o ofício peculiar do Espírito, para purificar a nossa consciência pelo sangue de Cristo, para fazer com que a limpeza efectuada por ele seja eficaz. Sobre este assunto algumas observações são feitas no início da Segunda Epístola de Pedro, (95) onde ele usa quase o mesmo modo de falar, isto é, que o Espírito Santo purifica os nossos corações pela aspersão do sangue de Cristo. ( 96)

 

Mas a partir destas palavras que podem aprender, que a fé não lançar mão em um nu ou um Cristo vazio, mas que o seu poder é, ao mesmo tempo vivificando. Para com que propósito Cristo foi enviado na terra, exceto para reconciliar a Deus pelo sacrifício de sua morte? exceto o cargo de lavar tinha sido atribuído a ele pelo Pai?

 

No entanto, pode-se objetar, que a distinção aqui mencionada é supérfluo, porque Cristo nos limpou por expiar os nossos pecados; em seguida, o Apóstolo menciona a mesma coisa duas vezes. Eu, na verdade permitir que a limpeza está incluído na expiação; portanto, eu não fazia diferença entre a água e o sangue, como se fossem distintos; mas se qualquer um de nós considera a sua própria enfermidade, ele será prontamente reconhecer que não é em vão ou sem razão que o sangue se distingue da água. Além disso, o apóstolo, como tem sido afirmado, alude aos ritos da lei; e Deus, por causa da fraqueza humana, tinha anteriormente nomeado, não só os sacrifícios, mas também lavagens. E o Apóstolo quis dizer claramente para mostrar que a realidade de ambos tem sido exibido em Cristo, e por esse motivo ele tinha dito antes: "Não por apenas água", pois ele quer dizer, que não só uma parte da nossa salvação é encontrada em Cristo , mas toda ela, de modo que nada está a ser procurado em outro lugar.

 

"Este é aquele que veio com água e sangue, Jesus Cristo; não somente com água, mas com água e sangue: o Espírito também dá testemunho, por (ou vendo que) o Espírito é a verdade (ou, é verdade); porque há três que dão testemunho: o Espírito, a água eo sangue, e estes três concordam em um.

 

Vemos, portanto, uma razão pela qual o Espírito é dito para ser verdade, até porque ele não está sozinho, pois a água eo sangue concordam com ele. Assim, um testemunho é formado de forma consistente com as exigências da lei. Nós, portanto, também vê a importância do que é afirmado quando o testemunho dos homens é mencionado, como se ele tivesse dito: O testemunho de três homens é recebido como válido, quanto mais válido é o testemunho de Deus, que tem três testemunhas em sua nome? Ele é chamado o testemunho de Deus, porque as testemunhas foram encomendados por ele escolhido.

 

Quando se diz que ele veio com água e sangue, o significado é que ele veio, com água e sangue; a proposição διὰ tem, por vezes, este significado, e é alterado na segunda cláusula em ἐν . Nós nos encontramos com casos semelhantes em 2 Coríntios 3:11 , e em 2 Coríntios 4:11 . Veja Romanos 2:27

 

De acordo com esta construção, a explicação de Calvino é somente o caminho certo, que a água significa limpeza, e a expiação de sangue, os termos que estão sendo emprestado dos ritos da lei; e uma referência também é feito para a lei, quando o testemunho dos homens é mencionado. - Ed .

 

verso 9

9 Se recebemos o testemunho , ou testemunho , de homens Ele prova, o raciocínio do menor ao maior, como os homens ingratos são quando eles rejeitam a Cristo, que foi aprovado, como ele relacionadas, por Deus; porque, se em assuntos mundanos estamos com as palavras de homens, que podem mentir e enganar, como razoável é que Deus deve ter menos de crédito dado a ele, ao sentar-se como se fosse em seu próprio trono, onde ele é o juiz supremo. Então, a nossa própria corrupção só nos impede de receber a Cristo ,, uma vez que ele nos dá uma prova completa por acreditar em seu poder. Além disso, ele exige não só que o testemunho de Deus, que as marcas do espírito da nossos corações, mas também que que derivam da água e do sangue. Para que o poder de limpeza e expiating não era terrena, mas celeste. Daí o sangue de Cristo não é para ser estimado de acordo com a maneira comum dos homens; mas devemos sim olhar para o desígnio de Deus, que ordenou-lo para apagar os pecados, e também para que a eficácia divina que flui a partir dele.

 

verso 10

9 Porque esta é a testemunha ou testemunho , de Deus A partícula ὅτι não significa aqui a causa, mas é para ser tomado como explicativa; para o Apóstolo, depois de ter-nos lembrado que Deus merece ser acreditado muito mais do que os homens, acrescenta agora, que não podemos ter fé em Deus, a não ser crendo em Cristo, porque Deus coloca-lo sozinho diante de nós e nos faz ficar em ele. Ele, portanto, infere que acreditamos de forma segura e com mentes tranquilas em Cristo, porque Deus pela sua autoridade merece nossa fé. Ele não diz que Deus fala por fora, mas que cada uma das sente piedosos dentro de que Deus é o autor da sua fé. É, portanto, aparece como diferente de fé é uma opinião desvanecimento dependente de algo mais.

 

  1. Aquele que não crer Como os fiéis possuem este benefício, que eles sabem que são além do perigo de errar, porque eles têm Deus como seu fundamento; por isso ele faz o ímpio ser culpado de extrema blasfêmia, porque eles cobram Deus com a falsidade. Sem dúvida, nada é mais valorizado por Deus do que a sua própria verdade, portanto, nada de errado mais atroz pode ser feito para ele, do que roubar-lhe essa honra. Em seguida, a fim de induzir-nos a crer, ele leva um argumento do lado oposto; para se fazer de Deus um mentiroso ser uma impiedade horrível e execrável, porque, então, o que especialmente pertence a ele é levado embora, que não teria medo de reter a fé do evangelho, no qual Deus teria-se a ser contado singularmente verdadeiro e fiel? Isso deve ser cuidadosamente observado.

 

Alguns se perguntam por que Deus louva a fé tanto, por incredulidade é tão severamente condenado. Mas a glória de Deus está implicado nisto; Porque desde que ele projetou para mostrar uma instância especial de sua verdade no evangelho, todos eles que rejeitam a Cristo não ofereceu a eles, não deixam nada a ele. Portanto, embora possamos admitir que um homem em outras partes de sua vida é como um anjo, mas a sua santidade é diabólico enquanto ele rejeita Cristo. Assim, vemos alguns sob o papado muito satisfeito com a mera máscara de santidade, enquanto eles ainda mais obstinadamente resistem ao evangelho. Vamos, então, entender, que é o início da verdadeira religião, obedientemente para abraçar essa doutrina, que ele tão fortemente confirmada por seu testemunho.

 

verso 11

11 Que Deus nos deu a vida eterna Tendo agora estabelecido o benefício, ele convida-nos a acreditar. É, na verdade, uma reverência devida a Deus, imediatamente a receber, como além da controvérsia, o que ele declara para nós. Mas desde que ele livremente oferece a vida para nós, nossa ingratidão será intolerável, exceto com fé prompt de recebermos uma doutrina tão doce e tão adorável. E, sem dúvida, as palavras do Apóstolo destinam-se a mostrar, que devemos, não só reverentemente a obedecer o evangelho, para que não devemos afrontar a Deus; mas, que devemos amá-lo, porque ele traz a vida eterna. Nós, portanto, também aprender o que é especialmente para ser buscada no evangelho, até mesmo o dom gratuito da salvação; para que Deus não nos exorta ao arrependimento e medo, não deve ser separada da graça de Cristo.

 

Mas o apóstolo, que ele poderia nos manter juntos em Cristo, repete que a vida é encontrado nele; como se ele tivesse dito, que nenhuma outra forma de vida obtenção foi nomeado para nós por Deus Pai. E o Apóstolo, de fato, brevemente inclui aqui três coisas: que todos nós somos entregues à morte, até que Deus a seu favor gratuita nos restaura à vida; para ele claramente declara que a vida é um dom de Deus: e, portanto, também se segue que estamos destituídos do mesmo, e que não pode ser adquirido por mérito; em segundo lugar, ele nos ensina que esta vida é conferida sobre nós por meio do evangelho, porque há a bondade eo amor paternal de Deus é dado a conhecer a nós; Por fim, ele diz que não podemos de outra forma tornar-se participantes desta vida do que por crer em Cristo.

 

verso 12

12 Aquele que não tem o Filho Esta é uma confirmação do último período. Ele deveria, na verdade, ter sido suficiente, que Deus fez a vida para a ninguém, mas em Cristo, que poderia ser procurado nele; mas para que ninguém se afastar para outro, ele exclui tudo da esperança de vida que a procuram não em Cristo. Nós sabemos o que é ter Cristo, pois ele é possuído pela fé. Em seguida, ele shews que todos os que estão separados do corpo de Cristo estão sem vida.

 

Mas isso parece inconsistente com a razão; para shews de história que tem havido grandes homens, dotado de virtudes heróicas, que ainda eram totalmente ignorante com Cristo; e não parece razoável que os homens de tão grande eminência não tinha honra. A isso, respondo, que estamos muito enganados se pensamos que o que quer que seja eminente em nossos olhos é aprovada por Deus; pois, como se diz em Lucas,

 

"O que é muito estimado pelos homens é abominação diante de Deus." ( Lucas 16:15 )

 

Porque, como a imundície do coração está escondida de nós, estamos satisfeitos com a aparência externa; mas Deus vê que, sob este é ocultado a sujeira foulest. É, portanto, não é de admirar se virtudes especioso, que fluem de um coração impuro, e que tendem a nenhuma extremidade direita, ter um odor doente para ele. Além disso, de onde vem a pureza, onde uma relação genuína para a religião, com exceção do Espírito de Cristo? Há, então, nada digno de louvor exceto em Cristo.

 

Há, ainda, outra razão que remove todas as dúvidas; para a justiça dos homens está na remissão dos pecados. Se você tirar isso, a maldição certeza de Deus e da morte eterna espera por todos. Só Cristo é aquele que concilia o Pai para nós, como ele tem uma vez por todas pacificado-lo pelo sacrifício da cruz. É, portanto, segue-se que Deus é propício para ninguém, mas em Cristo, nem há justiça, mas nele.

 

Eram qualquer um de se opor e dizer, que Cornelius, como mencionado por Lucas, ( Atos 10: 2 ), foi aceito por Deus, antes que ele foi chamado para a fé do evangelho: para isso, respondo logo, que Deus às vezes tão lida com nós, para que a semente da fé aparece imediatamente no primeiro dia. Cornelius não tinha conhecimento claro e distinto de Cristo; mas como ele teve alguma percepção da misericórdia de Deus, ele deve, ao mesmo tempo entender alguma coisa de um mediador. Mas, como Deus age de formas escondidas e maravilhosas, vamos desconsiderar essas especulações que nada lucro, e mantenha somente a essa forma simples de salvação, que ele nos deu a conhecer-nos.

 

verso 13

13 Estas coisas vos escrevi a vós, como deve haver um progresso diário na fé, então ele diz que ele escreveu para aqueles que já tinham acreditado, para que eles possam acreditar mais firme e com maior certeza, e, assim, desfrutar de uma confiança mais completa como para a vida eterna. Em seguida, o uso da doutrina é, não só para iniciar o ignorante no conhecimento de Cristo, mas também para confirmar os mais e mais, que já foi ensinado. É, portanto, nos torna-se assiduamente para assistir ao dever de aprendizagem, que a nossa fé pode aumentar por todo o curso da nossa vida. Para ainda há em nós muitos restos de incredulidade, e tão fraca é a nossa fé que o que acreditamos não é ainda realmente acreditava, exceto haver uma confirmação mais completa.

 

Mas devemos observar a forma em que a fé é confirmada, mesmo tendo o escritório e poder de Cristo nos explicou. Para o Apóstolo diz que ele escreveu estas coisas, isto é, que a vida eterna está a ser procurado em nenhum outro lugar, mas em Cristo, a fim de que os que eram crentes já pode acreditar, ou seja, fazer progressos em acreditar. É, portanto, o dever de um mestre divino, a fim de confirmar discípulos na fé, para exaltar o máximo possível a graça de Cristo, de modo que estar satisfeito com isso, podemos buscar nada mais.

 

Como os papistas obscurecer essa verdade de diversas maneiras, e atenuar, eles mostrar suficientemente por uma coisa que eles se preocupam com nada menos do que para a sã doutrina da fé; sim, por esse motivo, suas escolas deveria ser mais Shunned do que todo o Scyllas e Charybdises no mundo; para quase qualquer um pode entrar nelas sem um naufrágio certeza de sua fé.

 

O Apóstolo ensina ainda nesta passagem, que Cristo é o objeto peculiar da fé, e que a fé que temos em seu nome consta em anexo a esperança da salvação. No presente caso, a fim de acreditar é que nos tornamos filhos e herdeiros de Deus.

 

verso 14

14 E esta é a confiança Ele louva a fé que ele mencionou pelos seus frutos, ou ele shews aquele em que a nossa confiança, especialmente seja, isto é, que o divino se atreve a confiança para invocar a Deus; como também Paulo fala em Efésios 3:12 , que nós temos pelo acesso fé a Deus com confiança ; e também em Romanos 8:15 , que o Espírito nos dá uma boca a chorar Abba, Pai . E, sem dúvida, fomos expulsos de um acesso a Deus, nada poderia fazer-nos mais miseráveis; mas, por outro lado, desde que esta asilo ser aberto para nós, deve estar feliz mesmo em males extremos; ou melhor, uma coisa torna nossos problemas abençoado, porque nós certamente sabemos que Deus será o nosso libertador, e contando com o seu amor paternal em relação a nós, nós fugir para ele.

 

Vamos, então, ter em mente esta declaração do apóstolo, que invocando a Deus é a principal prova de nossa fé, e que Deus não é, com razão, nem na fé chamados exceto que estar plenamente convencido de que nossas orações não serão em vão . Para o apóstolo nega que aqueles que, sendo duvidoso, hesita, são dotados de fé.

 

É, portanto, parece que a doutrina da fé é enterrado e quase extinta sob o papado, para toda a certeza é tirado. Eles na verdade mutter muitas orações, e tagarelar muito sobre orando a Deus; mas eles orar com o coração duvidoso e flutuantes, e nos oferecer para orar; e ainda eles ainda condenar esta confiança que o Apóstolo requer conforme necessário.

 

De acordo com a sua vontade por essa expressão que ele quer dizer com a maneira de lembrar-nos o que é o caminho certo ou regra de rezar, mesmo quando os homens submeter seus próprios desejos para Deus. Pois, ainda que Deus prometeu fazer tudo o que seu povo pode perguntar, mas ele não permite-lhes uma liberdade sem limites para pedir qualquer coisa que vier à sua mente; mas ele tem ao mesmo tempo prescrito para eles uma lei segundo a qual eles estão a orar. E, sem dúvida, nada é melhor para nós do que esta restrição; pois, se foi permitido a cada um de nós para pedir o que quisesse, e se Deus fosse nos entrar em nossos desejos, seria para fornecer muito mal para nós. Para o que pode ser conveniente não sabemos; nay, nós ferver com os desejos corruptos e nocivas. Mas Deus fornece um duplo remédio, para que não devemos orar sem ser em função do que sua própria vontade prescreveu; pois ele nos ensina com sua palavra que ele teria-nos a perguntar, e ele também estabeleceu sobre nós o seu Espírito como nosso guia e governante, para conter os nossos sentimentos, de modo a não sofrer los para passear além dos devidos limites. Por quê ou como orar, não sabemos, diz Paul, mas o Espírito ajuda as nossas enfermidades, e excita em nós gemidos inexprimíveis. ( Romanos 8:26 ). Nós também devemos pedir à boca do Senhor para dirigir e orientar as nossas orações; para Deus em suas promessas fixou para nós, como foi dito, a maneira correta de rezar.

 

verso 15

15 E, se sabemos Esta não é uma repetição supérflua, uma vez que parece ser; para o que o Apóstolo declarou, em geral, respeitando o sucesso da oração, ele afirma agora de uma forma especial que o piedoso ore ou pedir nada de Deus, mas o que eles obter. Mas, quando diz que todas as petições dos fiéis são ouvidos, ele fala de petições certas e humildes, e os que estão de acordo com a regra de obediência. Para os fiéis não dar rédeas soltas aos seus desejos, nem entrar em qualquer coisa que possa agradá-los, mas sempre em conta, em suas orações que Deus ordena.

 

Este, então, é uma aplicação da doutrina geral para o benefício especial e particular de cada um, para que os fiéis devem duvidar de que Deus é propício para as orações de cada indivíduo, de modo que com mentes tranquilas eles podem esperar até que o Senhor deve executar o que oram por, e que sendo assim, aliviado de toda a angústia e ansiedade, que pode lançar a Deus o fardo de suas preocupações. Esta facilidade e segurança não deve, no entanto, a diminuir neles a sua seriedade na oração, pois aquele que é certo de um evento feliz não deve abster-se de orar a Deus. Para a certeza da fé de modo algum gera indiferença ou preguiça. O Apóstolo significava; que cada um deve ser tranquilo na essas necessidades quando ele depositou seus suspiros no seio de Deus.

 

verso 16

16 Se alguém o apóstolo ainda amplia ainda mais os benefícios da fé que ele mencionou, de modo que nossas orações também podem aproveitar para nossos irmãos. É uma grande coisa, que, logo que somos oprimidos, Deus gentilmente nos convida a si mesmo, e está pronto para dar-nos ajudar; mas que ele nos ouve perguntando para os outros, não é pouca confirmação para a nossa fé, a fim de que possamos estar completamente seguro de que nunca se deve encontrar com uma repulsa em nosso próprio caso.

 

O Apóstolo, entretanto, nos exorta a ser mutuamente solícito pela salvação um do outro; e ele também quer nos a considerar as quedas dos irmãos como estimulantes para a oração. E, certamente, é uma dureza de ferro a ser tocado sem piedade, quando vemos almas redimidas pelo sangue de Cristo vai estragar. Mas ele shews que há na mão um remédio, pelo qual irmãos pode ajudar irmãos. Aquele que vai orar para o perecimento, vai, diz ele, restaurar a vida a ele; embora as palavras ", ele dará", pode ser aplicada a Deus, como se dizia-se, Deus irá conceder às suas orações a vida de um irmão. Mas o sentido continua a ser o mesmo, que as orações dos fiéis vão tão longe para resgatar um irmão da morte. Se entendermos o homem a ser pretendido, que ele vai dar vida a um irmão, é uma expressão hiperbólica; que no entanto não contém nada inconsistente; para o que nos é dado pela bondade gratuita de Deus, sim, o que é concedido a outros para a nossa causa, que são disse para dar aos outros. Um benefício tão grande deve estimular-nos não um pouco para pedir nossos irmãos o perdão dos pecados. E quando o apóstolo recomenda simpatia para nós, ele, ao mesmo tempo nos faz lembrar o quanto nós deve evitar a crueldade de condenar nossos irmãos, ou um rigor extremo na desesperada de sua salvação.

 

Um pecado que não é para morte Que não pode jogar fora toda a esperança da salvação daqueles que pecado, ele shews que Deus não tão gravemente punir suas quedas como a repudiar eles. É, portanto, segue-se que devemos considerá-los irmãos, uma vez que Deus mantém-los no número de seus filhos. Para ele nega que os pecados estão à morte, não só aquelas pelas quais os santos diária ofender, mas mesmo quando isso acontece que a ira de Deus está horrivelmente provocado por eles. Por enquanto espaço para o perdão é deixado, a morte não totalmente manter seu domínio.

 

O Apóstolo, no entanto, não aqui distinguir entre pecado venial e mortal, como foi posteriormente comumente feito. Para completamente tola é essa distinção que prevalece sob o papado. Os Sorbons reconhecer que não há praticamente um pecado mortal, exceto que não seja a baixeza mais grosseira, como pode ser, por assim dizer, tangível. Assim, os pecados veniais eles pensam que pode haver a maior sujeira, se escondido na alma. Em suma, eles supõem que todos os frutos do pecado original, desde que não aparecem exteriormente, são lavados pela ligeira aspersão de água benta! E que maravilha é que, uma vez que consideram não como blasfemas pecados, dúvidas respeitando a graça de Deus, ou quaisquer desejos ou maus desejos, exceto que são consentido? Se a alma do homem ser assaltado por incredulidade, se a impaciência o tenta a raiva contra Deus, qualquer que seja concupiscências monstruosas podem seduzi-lo, todos estes são para os papistas mais leves do que ser considerados pecados, pelo menos, após o batismo. É então de admirar, que eles fazem ofensas veniais dos maiores crimes; pois eles pesá-los em seu próprio equilíbrio e não na balança de Deus.

 

Mas entre os fiéis isto deve ser uma verdade indubitável, que tudo o que é contrário à lei de Deus é pecado, e em sua mortais natureza; para onde há uma transgressão da lei, não é pecado e da morte.

 

O que, então, é o significado do Apóstolo? Ele nega que os pecados são mortais, que, embora dignos de morte, ainda não são, assim, castigado por Deus. Ele, portanto, não estimar pecados em si mesmos, mas forma um julgamento deles de acordo com a bondade paterna de Deus, que perdoa a culpa, onde ainda a culpa é. Em suma, Deus não dá à morte aqueles a quem ele ressuscitara, embora não depende deles que eles não são alienados da vida.

 

Há um pecado para a morte Eu já disse que o pecado para o qual não há nenhuma esperança de perdão à esquerda, é assim chamado. Mas pode-se perguntar, o que é isso; por isso deve ser muito ruim, quando Deus assim tão pune severamente. Ela pode ser recolhida a partir do contexto, que não é, como dizem, uma queda parcial, ou uma transgressão de um único mandamento, mas a apostasia, pelo qual os homens inteiramente-se afastar de Deus. Para o Apóstolo, posteriormente, acrescenta, que os filhos de Deus não pecam, ou seja, que eles não abandonar a Deus, e totalmente entregar-se a Satanás, para serem seus escravos. Tal deserção, não é de admirar que ele é mortal; pois Deus priva Nunca, portanto, o seu próprio povo da graça do Espírito; mas eles sempre manter alguma centelha da verdadeira religião. Eles devem, então, ser reprovados e entregue à destruição, que assim se desviam, de modo a não ter medo de Deus.

 

Eram qualquer um que perguntar, se a porta da salvação é fechada contra seu arrependimento; a resposta é óbvia, que, como eles estão entregues a um sentimento perverso, e estão destituídos do Espírito Santo, eles não podem fazer qualquer outra coisa, do que com mentes obstinadas, tornam-se cada vez pior, e adicionar pecados a pecados. Além disso, como o pecado e blasfêmia contra o Espírito sempre traz consigo uma deserção deste tipo, não há dúvida de que é aqui apontadas.

 

Mas pode-se perguntar de novo, pelo que evidências podemos saber que a queda de um homem é fatal; para excepto o conhecimento desta era certa, em vão que o Apóstolo fez esta exceção, que não estavam a rezar por um pecado deste tipo. Em seguida, é direito de determinar, por vezes, se a caída é sem esperança, ou se ainda há lugar para um remédio. Esta, aliás, é o que eu permitir, e que é evidente incontestável desta passagem; mas como este raramente acontece, e como Deus coloca diante de nós as infinitas riquezas da sua graça, e nos convida a ser misericordioso de acordo com seu próprio exemplo, não devemos precipitadamente concluir que qualquer um tem trazido sobre si o julgamento da morte eterna ; ao contrário, o amor deve dispor-nos a esperança também. Mas se a impiedade de algumas parecem-nos não o contrário do que sem esperança, como se o Senhor apontou com o dedo, não devemos lidar com o justo juízo de Deus, ou procuram ser mais misericordioso do que ele é.

 

verso 17

17 Toda injustiça Essa passagem pode ser explicada de várias maneiras. Se você levá-la adversatively, o sentido não seria inadequado, "Apesar de toda a injustiça é pecado, mas todo pecado não é para morte." E igualmente adequado é outro significado, "Como o pecado é toda a injustiça, portanto, segue-se que todo pecado é não para a morte. "Alguns tomam toda a injustiça de injustiça completa, como se o apóstolo tinha dito, que o pecado do qual ele falou foi o ápice de injustiça. Eu, porém, estou mais disposto a abraçar a primeira ou a segunda explicação; e como o resultado é quase o mesmo, deixo para o juízo de leitores para determinar qual dos dois é o mais apropriado.

 

verso 18

18 Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus Se você acha que os filhos de Deus são totalmente pura e livre de todo pecado, como os fanáticos alegam, em seguida, o Apóstolo é inconsistente com si mesmo; para ele, assim, tirar o dever da oração mútua entre irmãos. Então ele diz que aqueles pecado não que não inteiramente cair fora da graça de Deus; e, portanto, ele deduziu que a oração deve ser feita para todos os filhos de Deus, porque eles não pecam para a morte. A prova é adicionado, que cada um, nascido de Deus, mantém-se, ou seja, mantém-se no temor de Deus; nem ele sofre-se a ser tão levado, a ponto de perder todo o senso de religião, e entregar-se inteiramente ao diabo e da carne.

 

Pois, quando ele diz, que ele é não tocado pelo maligno , é feita referência a uma ferida mortal; para os filhos de Deus não permanecem intocados pelos assaltos de Satanás, mas afastar os seus golpes pelo escudo da fé, de modo que eles não penetrar no coração. Daí a vida espiritual jamais se extingue em si. Isto não é pecado. Embora os fiéis, de fato cair através da fraqueza da carne, mas eles gemem sob o peso do pecado, nojo de si mesmos, e não deixará de temer a Deus.

 

O guarda . O que pertence propriamente a Deus que ele transfere para nós; para fosse qualquer um de nós o guarda-redes da sua própria salvação, seria uma proteção miserável. Portanto, Cristo pede ao Pai para nos manter, dando a entender que não é feito por nossa própria força. Os defensores do livre arbítrio de lançar mão dessa expressão, para que possam dali provar que estamos preservada do pecado, em parte, pela graça de Deus, e em parte por nosso próprio poder. Mas eles não percebem que os fiéis não têm de si mesmos o poder de preservação da qual o Apóstolo fala. Nem ele, na verdade, falar de seu poder, como se pudessem manter-se por sua própria força; mas ele só shews que eles devem resistir a Satanás, para que eles nunca podem ser fatalmente ferido por seus dardos. E nós sabemos que lutamos sem outras armas, mas as de Deus. Por isso os fiéis manter-se do pecado, na medida em que são mantidos por Deus. ( João 17:11 ).

 

verso 19

19 Nós somos de Deus Ele deduz uma exortação da sua doutrina anterior; para o que ele tinha declarado em comum quanto aos filhos de Deus, ele agora se aplica a aqueles que ele estava escrevendo para; e ele fez isso, para estimulá-los a tomar cuidado com o pecado, e incentivá-los a repelir os inícios de Satanás.

 

Deixe leitores observar, que só é verdadeira fé, que se aplica a nós, por assim dizer, a graça de Deus; para o Apóstolo reconhece nenhum tão fiel, mas aqueles que têm a dignidade de filhos de Deus. Nem ele, de fato colocar conjectura provável, como os sofistas falar, para a confiança; pois ele diz que nós sabemos . O significado é que, como temos nascido de Deus, devemos nos esforçar para provar pela nossa separação do mundo, e pela santidade da nossa vida, para que não tenham sido em vão chamado para tão grande toda a honra.

 

Agora, esta é uma advertência muito necessário para todos os piedosos; para onde quer que voltar seus olhos, Satanás tem seus atrativos preparados, pelos quais Ele busca para atraí-los para longe de Deus. Neste caso, seria difícil para eles para segurar em seu curso, eles não eram tão a valorizar a sua vocação como a ignorar todos os obstáculos do mundo. Em seguida, a fim de ser bem preparado para a competição, essas duas coisas deve-se ter em mente, que o mundo é mau, e que a nossa vocação é de Deus.

 

Sob o termo mundo , o apóstolo, sem dúvida, inclui toda a raça humana. Ao dizer que jaz no maligno , ele representa como estando sob o domínio de Satanás. Então, não há razão pela qual devemos hesitar em fugir do mundo, que condena a Deus e entrega-se a si mesmo no cativeiro de Satanás: nem há uma razão pela qual devemos temer a sua inimizade, porque ele é alienado de Deus. Em suma, uma vez que a corrupção permeia toda a natureza, os fiéis devem estudar auto-negação; e uma vez que nada é visto no mundo, mas a maldade ea corrupção, que deve necessariamente ignorar carne e sangue que eles podem seguir a Deus. Ao mesmo tempo a outra coisa deve ser acrescentado, que Deus é aquele que os chamou, que, sob essa proteção que pode opor-se todas as maquinações do mundo e de Satanás.

 

verso 20

20 E sabemos que o Filho de Deus é vindo À medida que os filhos de Deus são assaltados por todos os lados, ele, como já dissemos, encoraja e exorta-os a perseverar na resistência de seus inimigos, e por esta razão, porque lutam sob a bandeira de Deus, e certamente sabem que eles são governados pelo seu Espírito; mas agora ele lembra-lhes que esse conhecimento é especialmente para ser encontrado.

 

Ele então diz que Deus tem sido tão dado a conhecer a nós, que agora não há nenhuma razão para duvidar. O apóstolo não sem razão de permanência neste ponto; para exceto a nossa fé é realmente fundada em Deus, nunca deve se manter firme no concurso. Para este efeito, os shews Apóstolo que tenham obtido por meio de Cristo um conhecimento seguro do verdadeiro Deus, de modo que não pode flutuar na incerteza.

 

Por verdadeiro Deus ele não quer dizer aquele que diz a verdade, mas quem é realmente Deus; e ele assim o chama para distinguindo-o de todos os ídolos. Assim verdade está em oposição ao que é fictício; pois é ἀληθινὸς , e não ἀληθής Uma passagem semelhante está em John

 

"Esta é a vida eterna: conhecer a ti,

o único Deus verdadeiro,

e aquele que enviaste,

Jesus Cristo."

( João 17: 3 )

 

E ele justamente atribui a Cristo este escritório de iluminar nossas mentes quanto ao conhecimento de Deus. Pois, como ele é a única imagem verdadeira do Deus invisível, pois ele é o único intérprete do Pai, como ele é o único guia da vida, sim, como ele é a vida ea luz do mundo ea verdade, como assim que nos afastamos dele, nós necessariamente tornar-se vaidoso em nossos próprios dispositivos.

 

E Cristo é dito ter -nos dado um entendimento , não só porque ele nos mostra no evangelho que tipo de ser é o Deus verdadeiro, e também nos ilumina pelo seu Espírito; mas porque em Cristo se temos Deus manifestado na carne, como diz Paulo, uma vez que nele habita toda a plenitude da Divindade, e estão escondidos todos os tesouros da sabedoria e conhecimento . ( Colossenses 2: 9 ). Assim é que o rosto de Deus de uma forma aparece para nós em Cristo; não que não havia conhecimento, ou um conhecimento duvidoso de Deus, antes da vinda de Cristo ,, mas que agora ele se manifesta mais plenamente e de forma mais clara. E é isso que Paulo diz em 2 Coríntios 4: 6 , que

 

Deus, que outrora comandou a luz para brilhar fora da escuridão na criação do mundo, tem agora brilhou em nossos corações através do brilho do conhecimento de sua glória na face de Cristo.

 

E deve ser observado que este dom é peculiar aos eleitos. Cristo, de fato, acende para todos indiscriminadamente a tocha do seu evangelho; mas nem todos têm os olhos de suas mentes abertas para vê-lo, mas, pelo contrário Satanás espalha o véu da cegueira ao longo de muitos. Em seguida, o Apóstolo significa a luz que acende Cristo dentro nos corações de seu povo, e que, quando uma vez aceso, nunca é extinto, embora em alguns, pode por um tempo ser sufocado.

 

Nós estamos naquele que é verdadeiro por estas palavras, ele nos lembra o quão eficaz é o conhecimento que ele menciona, até porque por ele estamos unidos a Cristo; e tornar-se um com Deus; por isso tem uma raiz viva, fixo no coração, pelo qual se trata de que Deus vive em nós e nós nele. Como ele diz, sem copulative, que: nós estamos naquele que é verdadeiro, em seu Filho , ele parece expressar a maneira de nossa união com Deus, como se ele tivesse dito, que estamos em Deus através de Cristo. (97 )

 

Este é o verdadeiro Deus Embora os arianos tentaram escapar esta passagem, e alguns concordam com eles neste dia, mas temos aqui um testemunho notável para a divindade de Cristo. Os arianos aplicar esta passagem para o Pai, como se o apóstolo deve repetir mais uma vez que ele é o verdadeiro Deus. Mas nada poderia ser mais gelada do que uma tal repetição. Já por duas vezes testemunhou que o verdadeiro Deus é aquele que tem sido dado a conhecer a nós em Cristo, por que ele deve voltar a acrescentar, Este é o verdadeiro Deus ? Aplica-se, de fato, mais apropriadamente a Cristo; para depois de ter-nos ensinado que Cristo é o guia por cuja mão, somos levados a Deus, ele agora, por meio de amplificação, afirma que Cristo é que Deus, para que não se deve pensar que estamos a procurar mais; e ele confirma este ponto de vista pelo que é adicionado, e a vida eterna . É, sem dúvida, o mesmo que é falado, como sendo o verdadeiro Deus ea vida eterna. Eu passar por isso, que a relação οὗτος geralmente se refere à última pessoa. I dizer, então, que Cristo, é chamada de vida eterna; e que este modo de falar ocorre perpetuamente em João, ninguém pode negar.

 

O significado é que, quando temos Cristo, nós desfrutar do verdadeiro e eterno Deus, porque em nenhum outro lugar é que ele deve ser procurada; e, por outro, que se tornam, assim, parte na vida eterna, porque nos é oferecido em Cristo, embora escondido no Pai. A origem da vida é, de fato, o Pai; mas a fonte de onde estamos para desenhá-lo, é Cristo.

 

verso 21

21 Guardai-vos dos ídolos Embora esta seja uma sentença separada, mas é como se fosse um apêndice com a doutrina anterior. Para a luz vivificante do Evangelho deve dispersar e dissipar, não só a escuridão, mas também todas as névoas, das mentes dos piedosos. O apóstolo não só condena a idolatria, mas nos ordena para ter cuidado com todas as imagens e ídolos; pelo qual ele sugere, que o culto de Deus não pode continuar incorrupto e puro sempre que os homens começam a estar no amor com ídolos ou imagens. Por tanto inata em nós é superstição, que a menor ocasião irá infectar-nos com o seu contágio. Madeira seca não vai tão facilmente queimar quando carvões são colocados sob ela, como idolatria vai lançar mão e ocupar as mentes dos homens, quando uma ocasião é dado a eles. E quem não vê que as imagens são as faíscas? O que faíscas que eu digo? Não, pelo contrário tochas, que são suficientes para definir o mundo inteiro em chamas.

 

O apóstolo, ao mesmo tempo, não só falam de estátuas, mas também de altares, e inclui todos os instrumentos de superstições. Além disso, os papistas são ridículas, que pervertem esta passagem e aplicá-lo para as estátuas de Júpiter e Mercúrio e afins, como se o apóstolo não ensinou em geral, que há uma corrupção da religião sempre que uma forma corpórea é atribuída a Deus, ou sempre que as estátuas e imagens formam uma parte de sua adoração. Vamos, então, lembre-se que devemos cuidadosamente para continuar no culto espiritual de Deus, de modo a banir longe de nós tudo o que pode nos desviar para bruto e superstições carnais.fim da Primeira Epístola de João.

Comentario bíblico da carta de primeira João

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net