Translate this Page

Rating: 3.0/5 (931 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


comentario biblico Romanos cap.9
comentario biblico Romanos cap.9

                      Comentario bíblico de Romanos cap.9 

  Verse 1-2

Romanos 9: 1-2 . O apóstolo ter insinuado, Romanos 3: 3 , que Deus iria arrematar os judeus por sua incredulidade, um judeu está lá suposto objeto, que sua rejeição iria destruir a fidelidade de Deus. Para isso, o apóstolo respondeu que a fidelidade de Deus seria estabelecido em vez de destruídos, pela rejeição dos judeus por sua incredulidade; porque Deus tinha declarado expressamente, Gênesis 18:19 , que os filhos de Abraão foram para guardar o caminho do Senhor, a fim de obterem as bênçãos prometidas; e teve, assim, insinuou que, se eles não manter dessa forma eles perderiam bênçãos, das quais a sua colocação à Igreja visível de Deus foi um deles. Isso tudo foi a resposta do apóstolo pensou adequada para fazer naquela parte de sua epístola. Mas a objeção sendo ilusória e, ao que parece, tanto insistiu em pelos judeus incrédulos, ele introduz uma segunda vez neste lugar, para que pudesse responder-lhe mais plenamente: este então é o assunto deste capítulo. O apóstolo mostra nele, em resposta à objeção de seus compatriotas, que a rejeição dos judeus incrédulos de ser a Igreja de Deus, e a recepção dos gentios crentes para ser seu povo em seu lugar, não era contrário à Palavra de Deus. Que o apóstolo não tinha aqui a menor idéia de eleição pessoal ou reprovação, é manifesto, primeiro, porque ele estava bastante amplo de seu design, que, como acaba de ser observado, era apenas para mostrar que o Deus de rejeitar os judeus, e recebendo o gentios, foi coerente com sua palavra: 2d, porque tal doutrina não só não tiveram tendência a convencer, mas teria evidentemente tende a endurecer os judeus: 3d, porque quando ele resume seu argumento, no fim do capítulo , ele não diz uma palavra, nem dá a menor insinuação sobre ele.

 

Eu digo a verdade em Cristo -. Sendo este um apelo solene a Cristo e do Espírito Santo, como conhecer o coração do apóstolo, para a verdade do que ele afirmou, é da natureza de um juramento que não minto - Aquilo que ele tinha na antiga cláusula expressa de forma afirmativa, ele nesta enfaticamente confirma negativa, de acordo com o costume dos hebreus, que estavam acostumados a entregar, assim negativamente como positivamente, o que eles julgaram ser digno de observação especial. Minha consciência também me dando testemunho - Quanto à verdade do que eu digo; no Espírito Santo - Quem esquadrinha todos os corações, e sabe perfeitamente se a alma em que ele opera ser sincero. que tenho grande tristeza, & c. - grega, οτι λυπη μοι εστι μεγαλη , και αδιαλειπτος οδυνη τη καρδια μου , que tenho grande tristeza e incessante dor no meu coração - Este é o fato, a crença de que o apóstolo desejava adquirir por esse solenidade de comprovação expressa no verso anterior: ele não aqui mencionar a causa de sua dor e angústia, mas é evidente desde o primeiro verso que a causa era a sua obstinação e rejeição como uma nação, e as muitas misérias que ele previu estar vindo em cima deles. Ao declarar, assim, sua tristeza para os judeus incrédulos, que se excluídas todas as bênçãos que ele tinha enumerados na primeira parte de sua epístola, ele mostra que o que ele estava agora prestes a dizer, ele não falou de qualquer prejuízo para eles.

 

verso 3

Romanos 9: 3 . Porque eu mesmo poderia desejar ser separado de Cristo ( A palavra αναθεμα , aqui traduzida maldita, respostas para a palavra hebraica חרם , Cherem, o que significa que é devotado à destruição E, como a nação judaica era agora um. anátema, destinados à destruição, Sr. Locke supõe que Paul, para expressar seu afeto por eles, aqui diz que ele poderia desejar, desde que ele poderia, assim, salvá-los de que, para se tornar um anátema, ou para ser devotado à destruição si mesmo, em seu lugar em outras palavras, que ele poderia ser o conteúdo "que Cristo deve entregá-lo a tais calamidades como estas, a que o povo judeu foi condenado por rejeitá-lo;. de modo que, se eles poderiam ser centrada em uma pessoa, ele o faria estar dispostos eles se unissem nele, ele poderia, assim, ser um meio de salvar seus compatriotas. Esta é a interpretação do Dr. Samuel Clarke, (ver seu Seventeen Sermões, p. 340.) Para a mesma finalidade quase é exposição da de Goodwin passagem: "parece", diz ele, "quer dizer, que ele estava disposto a ser contemplado, e em todos os aspectos tratados no mundo, como se ele estivesse amaldiçoada por Cristo, e por isso digna de toda a ignomínia, punição, torturas e morte, que pode ser infligida a ele: tal como estavam acostumados a ser infligida a pessoas que, por algum crime odioso, foram dedicados para destruição. A palavra grega é aplicada indiferentemente quer a pessoas ou coisas, e nas Escrituras comumente significa tal, em qualquer espécie, como foram expedidos, quer pelo próprio Deus, ou homens, ou ambos, para destruição, a natureza de sacrifícios piacular ". Tal um sacrifício Paul estava disposto a tornar-se, por causa de seus irmãos, supondo que ele poderia, assim, "obter a libertação para eles dessa maldição mais pesada de uma separação eterna de Deus, que ele certamente sabia pendurado sobre suas cabeças, por sua recusa obstinada do evangelho . "de acordo com essas interpretações, αναθεμα απο χριστου , devem ser prestados, fez um anátema por, ou a partir de Cristo. Mas o Dr. Waterland observando, como απο προγονων , 2 Timóteo 3: 3 , significa, segundo o exemplo de meus antepassados, απο του χριστου , nesta passagem, pode significar, ., segundo o exemplo de Cristo esta exposição é adotado pelo Dr. Doddridge como o mais provável, que parafraseia assim o verso: "Eu poderia até mesmo desejo, que , como Cristo submetido-se à maldição, que ele poderia nos livrar dele, por isso eu mesmo, do mesmo modo, foram feitos um anátema após o seu exemplo; como ele exposto a todos os execrations de um povo enfurecido, e até mesmo à morte infame e amaldiçoada da crucificação em si, por uma questão de meus irmãos; . & c, para que, assim, ser entregues a partir da culpa que trouxe sobre suas próprias cabeças, e tornar-se o direito de as bênçãos negadas e rejeitadas do reino do Messias "Muitos comentadores têm mostrado quão absurdo seria de supor. o apóstolo quis dizer, que ele poderia ser o conteúdo a ser entregue à miséria eterna para o bem dos outros. O apóstolo aqui menciona a sua relação próxima com os judeus, a fim de que o que ele tinha manifestado a respeito da grandeza de seu afeto por eles, pode ser mais facilmente acreditado por eles.

 

verso 4

Romanos 9: 4 . Quem são israelitas - A descendência de Jacó, que patriarca eminente, que, como um príncipe, tinha poder com Deus e prevaleceu. O apóstolo, com grande endereço, enumera esses privilégios dos judeus, tanto que ele poderia mostrar como honrosamente pensava neles, e que ele pode despertar a sua solicitude, para não sacrificar o favor divino, pelo qual eles tinham sido tão eminentemente e assim longa distinto. para quem é a adoção - Isso é que Deus levado em um pacto especial com ele mesmo, pelo qual ele está envolvido nunca para fazer o papel de um Deus e Pai para eles, e para eles próprios para os seus filhos. É verdade, essa adoção dos judeus era apenas uma sombra da aprovação celeste de crentes em Cristo; Mas não foi isso, simplesmente considerada, uma prerrogativa de uma importação muito sagrado. E a glória - o símbolo visível da presença divina que permanecia sobre a arca, foi chamado a glória, 1 Samuel 04:21 , e a glória do Senhor. Daí a introdução da arca no templo, é chamado a entrada do Rei da glória, Salmos 24: 7 ; e sobre a deportação da Arca pelos filisteus, a esposa de Phineas, agora no ponto de morte, disse, se a glória de Israel. Mas o próprio Deus era a glória de seu povo Israel, e por muitos testemunhos visíveis de sua presença com eles, lançar uma glória sobre eles, e causou o seu brilho para brilhar em todo o mundo. Então Isaías, o Senhor será a tua luz perpétua, eo teu Deus a tua glória. Estes dois últimos mencionados elementos são em relação ao outro: Israel é o filho primogênito de Deus, e Deus de glória é o seu Deus. E o convênios - Isso com Abraão, Genesis 15: 8 ; Genesis 17: 2 ; Genesis 17: 7 ; e que com a nação judaica pelo ministério de Moisés, Êxodo 24: 7-8 ; Êxodo 34:27 ; incluindo os selos das referidas condições, a saber, a circuncisão, a vedação do primeiro, Gênesis 17:10 ; e a aspersão do sangue do selo do último, Êxodo 24: 8 . Ele diz convênios, no plural, também, por causa da aliança de Deus com o seu povo foi muitas vezes e de várias repetido. E a promulgação da lei - A promulgação gloriosa da lei moral pelo próprio Deus, pela mediação de seus anjos sobre o monte Horebe; não excluindo a entrega mais privado das diversas leis judiciais e políticos nomeados para o governo do que da Commonwealth. O pacto, na primeira dispensação do mesmo, foi dado muito antes da lei. E o culto de Deus - A maneira de adorar a Deus segundo a sua vontade, prescrito na lei cerimonial para o povo, até que Cristo deve vir na carne: e as promessas - do Messias, e de bênçãos espirituais e eternas por ele.

 

Enumerando esses privilégios dos judeus, o apóstolo, como acima observado, não só serve para mostrar-lhes que ele os respeitava por causa dessas vantagens, mas para torná-los sensíveis da perda que estavam prestes a sustentar pela vontade de Deus fazendo-os fora. "Eles deveriam ser excluídas das melhores privilégios da igreja evangélica, da qual seus antigos privilégios eram apenas os tipos. Para sua relação com Deus como seu povo, representado pelo nome israelitas, prefigura a relação mais honrosa que os crentes, o verdadeiro Israel, levantar-se para Deus. Sua adoção como filhos de Deus, e os privilégios que tinham direito, assim, eram tipos de crentes sendo feitos participantes da natureza divina pela renovação do Espírito Santo, e de seu direito à herança do céu. A residência da glória, em primeiro lugar no tabernáculo e depois no templo, era uma figura da residência de Deus, pelo seu Espírito, na Igreja Cristã, seu templo na terra, e da sua residência eterna naquela igreja, trouxe para sua forma perfeita no céu. A aliança com Abraão era o novo, ou música gospel aliança, as bênçãos dos quais foram tipificadas pelas bênçãos temporais prometidas a ele e à sua descendência natural: ea aliança do Sinai, através do qual os israelitas, como os adoradores do Deus verdadeiro, eram separados das nações idólatras, era um emblema da separação final dos justos dos ímpios para sempre. Na entrega da lei, ea formação dos israelitas em uma nação ou comunidade, a formação da cidade do Deus vivo, e do assembléia e igreja dos primogênitos, foi representado. Por último, a pátria celestial, a morada dos justos, foi tipificado pela Canaan, um país dado aos israelitas pela promessa de Deus. "- Macknight.

 

verso 5

Romanos 9: 5 . De quem, & c. - Para o que precede o apóstolo agora adiciona mais duas prerrogativas: a deles são os pais - Eles são os descendentes de Abraão, Isaac e Jacó, os patriarcas antigos, e outros homens santos, que foram grande à vista de Deus, e para quem ele fez muitas grandes e preciosas promessas, em que seus filhos também e as crianças das crianças estavam interessados. Mas de quem - dos quais israelitas, segundo a carne - isto é, em relação a sua natureza humana; Cristo - o Messias esperado; - veio . Isso claramente supõe uma outra natureza em Cristo, segundo a qual ele não veio dos israelitas. E isso pode ser outro nenhum, mas a natureza divina; que, na sequência do verso, é expressamente atribuída a ele. O apóstolo se reserva a menção de descida de Cristo dos judeus para a última de suas prerrogativas, como sendo o maior de todos eles: qual é sobre todos, Deus, & c. - O apóstolo dá a este, tão altamente honrosa um testemunho de Cristo, porque ele estava tão vilipendiado pelos judeus; tornando-se a grande brecha, por assim dizer, que tinham feito em seu nome e honra pela sua incredulidade e rejeição mau dele. Ele está a ser dito sobre todos, primeiro, porque, como ele era Deus-homem e Mediador, todo o poder foi-lhe dada no céu e na terra, Mateus 28:18 ; todas as coisas entregou nas suas mãos, e colocar sob seus pés , John 03:35 ; 1 Coríntios 15:27 ; Pai dar-lhe um nome acima de todo nome, Filipenses 2: 9 ; e constituindo o seu grande plenipotenciário, para transaccionar todas as coisas relativas a toda a criação, especialmente os anjos e os homens; para resolver os assuntos do céu e da terra para a eternidade. E, mais especialmente, 2d, porque, como Deus, possuído de verdadeira divindade, essencial, ele estava em união com o Pai eo Espírito Santo, supremo sobre tudo, e, consequentemente, bendito eternamente - Que palavras acrescenta a mostrar, que uma muito diferente medir a partir de que os judeus tinham até então mediu a Cristo, era devido a ele a partir deles, como de todos os outros homens. Não há palavras para expressar mais claramente a sua divina, suprema majestade, e sua soberania gracioso sobre ambos os judeus e gentios. O apóstolo fecha todos com a palavra, amen - Uma expressão comumente usada para uma séria confirmação do que é dito imediatamente antes, juntamente com uma aprovação do mesmo; por vezes, também a importação de um desejo para o desempenho dos mesmos. Alguns poderiam convencer-nos que a verdadeira leitura desta cláusula é, ων ο επι παντων θεος , de quem é o Deus sobre tudo, porque por esta leitura, eles dizem, o clímax é concluída; eo privilégio em que os judeus gloried acima de todos os outros, (a saber, o de ter o verdadeiro Deus por seu Deus) não é omitido. "Mas, como essa leitura", diz Macknight, "é encontrado em nenhuma cópia seja qual for, não deveria ser admitido em conjecturas." Assim também Doddridge: "Como soever engenhoso que conjectura pode ser pensado, por que alguns poderiam ler este, cuja é o Deus acima de tudo, para responder, de quem são os pais, eu acho que seria extremamente perigoso para seguir esta leitura, sem suporte, pois é por qualquer autoridade crítica de manuscritos ou citações antigas. Também não posso encontrar qualquer autoridade para renderizar θεος ευλογητος εις τους αιωνας , Deus seja bendito para sempre. Devo, portanto, considere este texto memorável como uma prova da deidade de Cristo, que, penso eu, os opositores de que a doutrina nunca foram capaz, nem nunca vai ser capaz de responder. Embora o senso comum deve ensinar, o que os cristãos sempre acreditaram, que não é com respeito ao Pai, mas para o mundo criado que este título Agosto é dado a ele: "ou seja, que se diz ser Deus acima de tudo.

 

versículos 6-8

Romanos 9: 6-8 . Não que - A expressão original, ουχ οιον δε οτι , é bastante obscura; mas Erasmus fornecimento, após o scholiast grego, as palavras τουτο ου λεγω , parece ter dado a sensação de que, assim, eu não digo isto, que a palavra de Deus caído, ou seja, para o chão, sem efeito. Significado do apóstolo é, que nada tinha agora dito a respeito da rejeição da maior parte dos judeus, tirou qualquer consequência depois dela, como que a palavra de Deus (isto é, as suas promessas feitas a Abraão e à sua descendência) deve abortar ou cair no chão; os judeus imaginar que a palavra de Deus deve falhar, se toda a sua nação não foram salvos. Este sentimento Paulo agora refuta, mostrando, 1º, que a palavra em si havia predito sua rejeição; e, 2d, que embora o corpo da nação foi rejeitado, as promessas de Deus já cumpriram-se os verdadeiros israelitas, e daqui por diante todo o Israel deve ser salvo : . que é a soma do nono, décimo e capítulos XI para - Aqui ele entra a prova disso; eles não são todos Israel - verdadeiros israelitas espirituais, a quem as promessas pertencem; que são de Israel - os descendentes naturais de Jacó, e israelitas de nascimento, e os membros de modo visível da igreja. Os judeus veementemente mantido pelo contrário; ou seja, que todos os que nasceram israelitas, e eles só, era o povo de Deus. A primeira parte desta afirmação é refutada aqui, este último, Romanos 9:24 , & c. A soma é, Deus aceita todos os crentes, e eles only; e isso não é maneira contrária à sua palavra. Não, ele se declarou na sua palavra, tanto por tipos e por testemunhos expressos, que os crentes são aceitos como os filhos da promessa, enquanto os descrentes são rejeitadas, embora sejam filhos segundo a carne. É verdade a grande promessa, que Jeová seria o seu Deus, foi entregue a toda a posteridade de Israel, sem exceção; mas que se destinava a ser entendida em sentido condicional, como o que não seria cumprida a eles, a não ser que imitou a fé de Abraão. E neste sentido foi feito aos gentios, e para todo o mundo, bem como aos judeus. Nem porque são a descendência de Abraão - segundo a carne; será que vai seguir, que são todas as crianças de Deus. Esta não segurar mesmo em própria família de Abraão, e muito menos em seus descendentes remotos. Mas, Deus, então, disse, em Isaque será a tua descendência ser chamado - a posteridade de Isaac, não Ismael, deve ser falado de como a tua descendência, de forma eminente ; que a semente para a qual são feitas as promessas. Ou seja, eles que são os filhos da carne - A semente carnal de Abraão; não são - Puramente em cima dessa conta; os filhos de Deus - no verdadeiro sentido; ou seja, filhos espirituais. Mas os filhos da promessa - Aqueles a quem Deus tem prometido a reconhecer para seus filhos; ou seja, como nascem de novo pelo poder sobrenatural do Espírito de Deus, (como Isaac foi concebido e nascido por um poder acima do curso da natureza), e que, pela fé lançar mão da promessa de salvação feita em Cristo; estes são os que se destinam na aliança com Abraão, as pessoas cujo Deus Jeová prometeu a ser, e para quem as bênçãos espirituais e a herança pertence. Ao citar estas palavras, em Isaque será a tua descendência ser chamado, e inferindo daí que os filhos da promessa são contados como descendência, o apóstolo não pretende dar o sentido literal das palavras, mas apenas o típico; e por sua interpretação significa que elas foram ditas por Deus em uma típica e alegórica, bem como em um sentido literal, e que Deus não declarou seu advogado respeitantes a essas pessoas a quem Ele propôs ao próprio como os seus filhos, e fazer participantes das bênçãos da justiça e da salvação. Como se ele tivesse dito: Este é um tipo claro do que está por vir; mostrando-nos que, em todas as gerações seguintes, não os descendentes diretos de Abraão, mas eles a quem a promessa é feita, isto é, os crentes, são os verdadeiros filhos de Deus.

 

versículos 9-13

Romanos 9: 9-13 . Porque esta é a palavra da promessa - Para mostrar que Isaac era um filho da promessa, (e assim um tipo de encontro daqueles que devem ser gerados de Deus pela promessa do evangelho por meio da fé), ele cita as palavras da promessa em substância, pelo que Isaac foi gerado e nascido. Ver Gênesis 17:20 ; Gênesis 18:10 ; em que coloca duas circunstâncias são mencionados, o de Deus está vindo para cumprir sua promessa, em causar Sarah ter um filho; o outro do tempo definido quando ele ia, assim, vir; que claramente evidenciam Isaac ter sido um filho da promessa, concebido e nascido em virtude dessa promessa peculiar, que Abraão e Sara acreditava, de modo a sua concepção. Neste momento - Como se ele tivesse dito: Mesmo agora, embora o teu corpo e Sarah estão mortos, ou no momento em que agora nomear; virei - irá manifestar o meu poder, e ela conceberá, e têm um filho - e ele só deve herdar a bênção, e não todo aquele que é nascido de ti. Observe, leitor, Isaac não é trazido para a frente neste capítulo como um tipo, ou exemplo, de pessoas pessoalmente eleitos por Deus desde a eternidade, mas como um tipo daqueles, como poucos ou tantas quantas sejam, que será contado de Deus crianças, e conhecer julgado para herdar o seu reino. e não só isso, & c. - E essa bênção de Deus não pertence a todos os descendentes de Abraão, aparece não só por essa instância, mas pelo de Esaú e Jacó, o último dos quais foi escolhido para herdar a bênção de ser o progenitor do Messias, e outros bênçãos correspondente, antes de qualquer um deles tinha feito bem ou mal - o apóstolo menciona isso para mostrar, que nem fez seus antepassados ​​receber suas vantagens através de qualquer mérito próprio; que o propósito de Deus segundo a eleição permanecesse firme - cujo objetivo era para eleger às bênçãos superiores, em particular para os privilégios da igreja; não de obras - não é para qualquer mérito anterior, em que ele escolheu; mas aquele que chama - De sua própria boa vontade, que chama para o gozo dos privilégios particulares a quem ele vê bom. "Nada pode ser mais evidente", diz Sellon, "a qualquer um que considera o início eo fim deste capítulo, de que o apóstolo não está falando da eleição de pessoas em particular para a vida eterna, mas de nações particulares para fora privilégios da igreja, que devidamente utilizados, através de Cristo, deve ser o meio de levar os homens a vida eterna, e para maiores graus de glória nele do que outros devem gozar, que não foram favorecidos com esses privilégios. Também não é Deus, o grande Governador do mundo, por esse motivo, não mais para ser considerado uma acepção de pessoas, do que um rei terreno, que leva alguns de seus assuntos para senhores da sua câmara cama-, e outros para empregos mais baixos; uma vez que ele irá torná-los todos, para que se comportam bem em seus postos, completamente feliz. "Ver suas Obras, vol. 2. p. 134. Foi-lhe dito: O maior servirá o mais jovem - não em pessoa, para Esau jamais serviu Jacob; mas em sua posteridade. Por conseguinte, os edomitas eram frequentemente humilhados pelos israelitas. Mas, ainda que Esaú tinha servido Jacob pessoalmente, e tinha sido inferior a ele em grandeza mundana, teria sido nenhuma prova da eleição de Jacob para a vida eterna, nem da reprovação de Esaú: tão pouco foi a sujeição dos edomitas aos israelitas, em dias de Davi, uma prova da eleição e reprovação de seus progenitores. Adicione a isso, que a circunstância de ser mais velho de Esaú que Jacob foi levado muito adequadamente aviso de mostrar que a eleição de Jacob era contrário ao direito de primogenitura, porque esta circunstância provou ser de favor puro: mas se a sua eleição tinha sido a a vida eterna, a circunstância de sua idade não deveriam ter sido mencionado, porque não tinha nenhuma relação com essa matéria o que quer. Como está escrito - com que palavra em Gênesis, falado tanto tempo antes, a de Malaquias concorda; eu vos amei Jacob - Com um amor peculiar; isto é, os israelitas, a posteridade de Jacó, e eu comparativamente odiou Esaú - Ou seja, os edomitas, os descendentes de Esaú. Mas observar, primeiro, este não diz respeito à pessoa de Jacob ou Esaú: 2d, também não se relaciona com o estado eterno qualquer um deles ou seus descendentes. Até agora, o apóstolo tem provado sua proposição, a saber, que a exclusão de uma grande parte da descendência de Abraão, sim, e de Isaac, das promessas especiais de Deus, estava tão longe de ser impossível, que, de acordo com o próprias Escrituras, que tinha realmente acontecido. E sua intenção aqui, como se depreende Romanos 9: 30-33 , (que a passagem é a chave para todo o capítulo,) é, evidentemente, para mostrar que, como Deus, antes escolheu Jacob, que representou os judeus, e admitiu ele e sua posteridade a privilégios peculiares, acima dos gentios, sem qualquer mérito em ele ou eles para merecê-lo; agora, (os judeus através de sua incredulidade de ter rejeitado o Messias, e são justamente portanto,-se rejeitado de Deus), que havia escolhido os gentios, representada por Esaú, para ser seu povo peculiar; de acordo com a previsão de Oséias, eu vou chamá-los de meu povo, & c, citou. Romanos 9:25 , onde ver a nota; e que, sem qualquer coisa da sua parte para merecer isto favor. Foi inteiramente livre no que diz respeito tanto a eles e Jacob, misericórdia e bondade de Deus prevenir, não é o único esforço, mas mesmo a vontade de ambos. Como, antes de Jacó nem vontade ou se esforçaram para isso, a bênção foi projetado por ele a Deus; assim, antes mesmo de os gentios procurado Deus, as bênçãos do reino de Cristo foram projetados para eles. No entanto, isso não quer dizer que todos os que são chamados cristãos, e desfrutar de fora privilégios da igreja, será finalmente salvo, não mais do que é para se concluir que todos os judeus foram salvos antes de Cristo veio em carne, por conta de seus privilégios.

 

versículos 14-16

Romanos 9: 14-16 . Que diremos, pois? - Para isso. O apóstolo introduz agora e refuta uma objeção. Existe injustiça, ou a injustiça, com Deus? - Na distribuição de suas bênçãos providenciais, nesta ou em qualquer outra instância que pode ser produzido? Foi injusto em Deus para escolher Jacob e sua posteridade a ser os membros de sua igreja visível na terra, e para herdar as promessas em seu sentido literal, ao invés de Esaú e sua posteridade? Ou aceitar crentes que imitar a fé de Jacó, e-los apenas? Deus me livre - De modo nenhum:. Isso é bem consistente com a justiça Porque diz a Moisés, & c. - Porque ele tem o direito de fixar os termos em que ele vai mostrar misericórdia; de acordo com a sua declaração a Moisés, pedindo para todas as pessoas, depois de terem sido culpada de idolatria, adorando o bezerro de ouro; Eu terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia - De acordo com os termos que eu mesmo tenho fixos; e terei compaixão de quem eu quiser ter compaixão - Ou seja, em apenas aqueles que se submetem a meus termos; . que aceitam dele da maneira que eu havia determinado Então - A inferência a ser tirada é; Ele - A bênção; portanto, não dele é que quer, nem do que corre - não é o efeito tanto da vontade ou as obras do homem, mas da graça e poder de Deus. A vontade do homem está aqui oposição à graça de Deus e do homem em execução, para a operação divina. E esta declaração geral respeita não só Isaac e Jacó, e os israelitas no tempo de Moisés, mas da mesma forma todos os filhos espirituais de Abraão, até o fim do mundo.

 

Verse 17-18

Romanos 9: 17-18 . Por - Ou, por outro lado, ao contrário, como parece γαρ deveria ser traduzido, (a passagem aqui citada havendo prova do que vai imediatamente antes,) Deus tem um direito indiscutível de rejeitar aqueles que não vai aceitar suas bênçãos em seus próprios termos. E isso ele exercido no caso de Faraó; a quem, depois de muitos casos de teimosia e rebelião, ele disse, como ele é registrado nas Escrituras; Por isso mesmo tem te levantei: - Ou seja, a menos que te arrependas, isso vai certamente ser a consequência do meu te levantar, fazer de ti um grande e glorioso rei; que o meu poder será mostrado sobre ti - como, aliás, era, pelos terríveis julgamentos trouxe sobre o Egito, e sobrecarregá-lo e seu exército no mar; e meu nome declarado em toda a terra - Como é neste dia. Talvez este pode ter ainda um outro significado. Parece que Deus estava decidido a mostrar o seu poder sobre o rio, os insetos, outros animais, (com as causas naturais de sua saúde, doenças, vida e morte,) mais de meteoros, o ar, o sol, (as quais eram adorados pelos egípcios, de quem outras nações aprenderam sua idolatria,) e, ao mesmo tempo, sobre todos os seus deuses, por esse terrível acidente vascular cerebral, de matar todos os seus sacerdotes e suas vítimas escolhidos, o primogênito de homens e animais; e tudo isso com um projeto, não só para entregar o seu povo Israel, (para o qual um único ato de onipotência teria sido suficiente), mas para convencer os egípcios, que os objetos de culto foram mas as criaturas do Senhor, e inteiramente em seu poder; e para atraí-los e as nações vizinhas que deveria ouvir de todas estas maravilhas, de sua idolatria, para adorar o único Deus. Para a execução deste projeto, (em ordem à exibição do divino poder ao longo dos vários objetos de culto, em uma variedade de atos maravilhosos, que eram, ao mesmo tempo, apenas punições para sua opressão cruel dos israelitas, ) Deus quis elevar ao trono de uma monarquia absoluta, um homem, não a quem ele havia feito mau de propósito, mas a quem ele encontrou assim, o mais orgulhoso, o mais ousado e obstinado, de todos os príncipes egípcios: e quem , sendo incorrigível, bem merecia ser configurado nessa situação, onde os juízos divinos caiu o mais pesado. Portanto - Ou, então, em seguida, sobre o todo, podemos concluir, ele tem misericórdia de quem ele terá misericórdia - Ou seja, em os que cumprem os seus termos, sobre os que se arrependem e crêem em Cristo; e quem ele quer - Ou seja, os que continuam na impenitência e descrença, e que rejeitam o seu conselho contra si mesmos; ele endurece - folhas com a dureza de seus corações.

 

verso 19

Romanos 9:19 . Dirás então para mim, Por que se queixa ele ainda falha - Como se ele tivesse dito: Porque eu afirmo a respeito de Deus, que quem quer endurece, dirás: Por que se queixa ele ainda falha com , ou reclamar, dessas pessoas, que continuam desobediente! para quem tem resistido à sua vontade - quem foi, é, e sempre será, capaz de impedir que entrem para passar que willeth Deus deve vir a passar? Aqui deve ser observado que quando o apóstolo diz, quem quer endurece, ele Acaso, não suponha qualquer propósito ou decreto a ser formado por Deus para endurecer qualquer homem, sem que tenha previamente cometido aqueles pecados que ele não poderia ter cometido: e tendo resistido aos esforços do Espírito de Deus, e abusado a luz e graça, pela qual ele poderia tanto ter conhecido e respeitado a vontade divina; mas, no máximo, apenas a finalidade de endurecer aqueles que primeiro se endurecem voluntariamente. Suas palavras nem supor que eles, que estão realmente endurecido por Deus, não têm capacidade ou possibilidade deixando-os, por meio de que a graça que é ainda concedida a eles, de si mesmos se recuperando do estado de dureza em que eles são, e ainda de recorrer a Deus em verdadeiro arrependimento e reforma da vida. Embora então a vontade de Deus ser, em certo sentido, irresistível, mas se isso vai ser, primeiro, para endurecer ninguém, mas aqueles que primeiro voluntariamente se endurecem, pelo pecado conhecido e voluntarioso; e, 2d, Para deixar aqueles a quem ele vos endurecer em uma capacidade de ceder e voltar a ele, sendo equipados com suficiente ajuda para esse fim, de modo que se eles fazem isso não, torna-se um alto agravamento dos seus antigos pecados; Certamente ele tem motivos para reprovar e reclamar daqueles que são, a qualquer momento, portanto, endurecido por ele.

 

Verse 20-21

Romanos 9: 20-21 . Mas, ó homem - Little, impotente, o homem ignorante, Quem és tu - Em toda a tua vangloriou sabedoria e penetração; que a Deus replicas? - Isso acusá Deus de injustiça, para si mesmo, que fixa os termos em que ele vai mostrar misericórdia? ou deixando aqueles com a dureza de seus corações que obstinadamente e perseverança recusar ou negligenciar a cumprir essas condições? Ou, (que pode ser bastante pretendido,) que argumentos impiedosamente formest contra Deus, por causa de sua distribuição para algumas nações, ou alguns indivíduos, favores, que ele nega aos outros; não considerando que os privilégios de que Deus é obrigado a dar a ninguém, ele pode, sem injustiça, reter de quem ele vai? Porventura a coisa formada dirá ao que a formou: Por que me fizeste assim? - Por que me fizeste capaz de honra e imortalidade, apenas nos termos de arrependimento e fé? Ou, por que foi que eu não tenha direito por nascimento, às vantagens que os outros nasceram? Alude o apóstolo aqui para Isaías 45: 9 , onde, em resposta às objeções e cavils dos judeus incrédulos, dispostos a murmurar contra Deus e citar a sabedoria e justiça de suas dispensas, no que diz respeito a eles, o profeta faz perguntas semelhantes ; o que implica que "as nações, que derivam sua existência e continuidade apenas do poder e da bondade de Deus, não têm direito de encontrar a falha com ele, porque ele lhes tem negado este ou aquele partido, ou porque ele tem com a maldade de algumas nações para um longo tempo, enquanto ele instantaneamente pune outros. " Ou não tem o oleiro poder sobre o barro - E, muito mais, não tem poder Deus sobre suas criaturas; de nomear um navio - Ou seja, o crente; à honra, e outro - Ou seja, o incrédulo; ? desonrar - O poder do oleiro sobre o barro é a semelhança que Deus se usado por Jeremias para ilustrar que o poder ea soberania pelo qual ele tem o direito de fazer algumas nações grande e feliz, e para punir e destruir os outros. Ver Jeremias 18: 6-7 ; onde "cada leitor deve ser sensato que nada é dito sobre os indivíduos, alguns para serem salvos, e outros para ser condenado, por um exercício de soberania absoluta. É o seu poder e soberania na alienação de apenas nações, que é descrito pela figura do oleiro ". Para fazer da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra -" A mesma massa significa a massa da humanidade, dos quais nações particulares são formados; consequentemente, a um navio significa, não uma pessoa em particular, mas uma nação ou comunidade. E um vaso para honra, ou de uma utilização nobre, significa uma nação fez grande e feliz por o favor ea proteção de Deus, e pelas vantagens que lhes confere. Por outro lado, um vaso para desonra, significa uma nação que Deus deprime, negando-as vantagens concedidas a outros, ou privando-a das vantagens que anteriormente apreciadas, Atos 13:17 . O significado desta questão é, podem não Deus, sem injustiça, exaltar uma nação, concedendo privilégios sobre ela, e deprimir a outra, por tirar os privilégios que tem apreciado por muito tempo. "- Macknight. Se examinarmos, diz um eminente escritor, o direito que Deus tem sobre nós de uma forma mais geral, no que diz respeito às suas criaturas inteligentes, Deus pode ser considerado em dois pontos de vista diferentes; como Criador, Proprietário, e Senhor de tudo, ou como seu Governador moral e Juiz. Deus, como soberano Senhor e proprietário de tudo, distribui seus presentes ou favores para suas criaturas com sabedoria perfeita, mas há regras ou métodos de processo que estamos familiarizados com. O momento em que deve existir, o país onde viveremos, nossos pais, nossa constituição do corpo e do estado de espírito: estas e outras circunstâncias inumeráveis, são, sem dúvida, encomendado com sabedoria perfeita, mas por regras que se encontram completamente fora de nossa visão. Mas métodos de lidar com a gente de Deus, como o nosso Governador e Juiz, são claramente reveladas, e perfeitamente conhecidas; ou seja, que ele vai finalmente retribuirá a cada um segundo as suas obras; aquele que crê será salvo e quem não crê será condenado. Portanto, embora ele tem misericórdia de quem quer, ea quem quer endurece, (que é, sofre a ser endurecido, em consequência da sua maldade obstinada), ainda assim o seu não é a vontade de um ser arbitrária, caprichosa, ou tirânica. Ele quer nada, mas o que é infinitamente sábio e bom; e, portanto, a sua vontade é uma regra mais adequada de julgamento. Ele vai mostrar misericórdia, como nos tem assegurado, para ninguém, mas os verdadeiros crentes, nem endurecer qualquer, mas os que obstinadamente se recusam a sua misericórdia.

 

Verse 22-23

Romanos 9: 22-23 . E se Deus, querendo, & c. - Referindo-se Romanos 9: 18-19 . Ou seja, embora fosse agora a sua vontade, por causa da sua incredulidade obstinada; mostrar a sua ira - o que pressupõe necessariamente pecado, e para fazer conhecido o seu poder - Isto é repetido a partir de Romanos 9:17 ; ainda suportou - Como ele fez Faraó - com muita paciência - que deveria ter os levou ao arrependimento; os vasos da ira - Aqueles que haviam se mudado sua ira, por ainda rejeitar sua misericórdia, preparados para a perdição - por sua própria impenitência intencional e final: existe alguma injustiça neste ? e que ele desse a conhecer - e se, mostrando como a longo sofrendo até mesmo para os vasos de sua ira, ele fez o mais abundantemente mostrar a grandeza da sua gloriosa bondade, sabedoria e poder; em vasos de misericórdia - Pelos quem teve a si mesmo, por sua graça; preparados para a glória - é esta injustiça? Por vasos de misericórdia , ele quer dizer que essas pessoas como eram anteriormente miserável por ser morto em delitos e pecados, mas teve depois, através de crer no evangelho, a misericórdia obtido, mesmo a grande misericórdia do perdão dos pecados, com as frutas e suas consequências; e pelo termo προητοιμασεν , ele quer dizer, Deus está equipando-os para a glória, trabalhando neles verdadeiro arrependimento e fé viva, por justificar e santificando-os e dando-lhes todas as qualificações necessárias para a obtenção do mesmo.

 

versículos 24-26

Romanos 9: 24-26 . Mesmo nós, a quem também chamou - por seu evangelho e sua graça, ao arrependimento, fé e santidade, e nos permitiu a obedecer a chamada; nós somos esses vasos de misericórdia, do que soever nação que pode ser; não somente dos judeus - Quem tem sido até agora o povo peculiar de Deus, mas também dos gentios - que agora são tomadas pelo povo de Deus, assim como os judeus . Como também diz em Oséias: chamarei meu povo, e c. - Essas palavras são de dois lugares da profecia de Oséias; (ou seja, cap. Romanos 1:10 ; Romanos 2:23 ;) e de acordo com a conexão em que lá estão, eles parecem muito, evidentemente, para referir-se principalmente a finalidade de restaurar os judeus para os privilégios de seu povo de Deus, depois de terem tinha sido um tempo rejeitou dele; mas mesmo assim eles estão aqui aplicado pelo apóstolo ao chamado dos gentios, que, sem dúvida, foram também pretende incluir. (Veja as notas sobre as passagens de Oséias.) Na verdade, como Dr. Doddridge justamente observa, esse grande evento pode, com alguma probabilidade, ser inferida, em parte, da rejeição temporária dos judeus, dos quais este texto também fala; (por que não estava a ser imaginado que Deus não teria pessoas no mundo;) e, em parte, como era na natureza das coisas mais provável que ele deve chamar as nações, do que deve restaurar os judeus, quando ele tinha lançado -los para tal ingratidão, como os tornava menos digno de seu favor do que as nações mais idólatras. E seu amado - como um cônjuge; que já não era amada - Consequentemente não incondicionalmente eleito. Com estas palavras do apóstolo, quase seguindo a versão Septuaginta, em vez interpreta que cita as palavras de Oséias, que são, eu vou ter piedade dela misericórdia que não tinha obtido. As expressões do apóstolo são diferentes daquelas do profeta, mas o seu significado é o mesmo. "No início do capítulo, Oséias, tendo descrito a idolatria dos judeus sob a figura de prostituição, e seu castigo pela cobertura acima de seu caminho com espinhos, foretels seu regresso ao seu primeiro marido, que iria falar-lhes ao coração, e desposarei-lhes uma segunda vez. Em seguida, ele acrescenta as palavras acima citado, que o apóstolo expressa muito bem por, eu vou chamar seu amado que não era amada - Ou seja, eu lhe perdoarei a ela, e devolver-lhe a ex lugar em minha afeição, e sua relação antiga para mim, introduzindo-a para a igreja evangélica. Ao citar esta passagem de Oséias, o apóstolo começa com a conversão dos gentios, porque era para acontecer em primeiro lugar; mas o profeta fala primeiro da conversão dos judeus. "- Macknight. E ela deve vir a passar, & c. - Aqui as citações apóstolo palavras de Oséias exatamente, (ver Oséias 1:10 ), e que, com uma visão ainda mais completa para mostrar que a conversão dos gentios tinha sido predito, a que esta passagem se refere mais claramente do que os citados acima: que no lugar - nos países; onde foi dito - Para os gentios idólatras; Vós não sois meu povo - onde não havia igreja anteriormente, isto é, nos tempos do Antigo Testamento; aí serão chamados - não é apenas o pessoas, mas os filhos - os filhos e filhas; do Deus vivo - Pois, como o Deus vivo, ele pode facilmente fazê-la, por incrível que pareça.

 

versículos 27-29

Romanos 9: 27-29 . Também Isaías - E, como o chamado dos gentios, para a rejeição dos judeus também é predito pelos profetas, particularmente por Isaías - que clama - κραζει , chama em voz alta - Fala com grande seriedade, como a um povo que não querem ouvir; a respeito de Israel - isto é, tanto as dez tribos prestes a ser levado cativo para a Assíria, que era quase uma rejeição total e Judá e Benjamin, que estavam a ser desperdiçados pela invasão assíria sob Sennacherib, e depois de ser parcialmente destruído e parte da sua actividade em cativeiro pelo rei de Babilônia: embora os filhos de Israel seja como a areia, um remanescente - Só que, dos muitos milhares deles; será salvo - deve escapar da destruição. Mas poucos escaparam dos estragos do exército de Senaqueribe, e apenas um pequeno número retornado da Babilônia depois do cativeiro babilônico. Estes, no entanto, que foram preservados, eram um tipo ou figura daquele pequeno número de convertidos sob o evangelho, que escapou da vingança que caiu sobre o corpo principal da nação judaica dos romanos, e que ainda maior vingança que aguarda a todos que não obedecem ao evangelho, no mundo eterno. Veja a nota em Isaías 10: 21-23 . Pois, como o mesmo profeta acrescenta, (o apóstolo cita a tradução Septuaginta), ele vai terminar, & c. - Grega, συντελων και συντεμνων , ele está terminando e corte curto o trabalho , λογον , a conta, ou importa, na justiça - em justiça, e vai sair, mas um pequeno remanescente. Haverá uma destruição de modo geral, que, mas um pequeno número vai escapar. Porque um trabalho curto - A expedição rápida na execução de sentença; o Senhor fará sobre a terra - Ou, na terra da Judéia. Pois, ainda que na LXX. é ολη οικουμενη , todo o mundo, o alcance da passagem parece restringir o sentido para a terra da Judéia, onde restrito sentido, a mesma palavra é usada Lucas 2: 1 . E, como disse Isaías antes - Ou seja, cap. Romans 1: 9 , a respeito daqueles que foram sitiados em Jerusalém por Rezim e Peca; se o Senhor dos exércitos - por isso, é em hebraico, em que língua a palavra Sabaoth significa anfitriões, e às vezes é utilizado para designar o sol, a lua, e estrelas, assim como os anjos. O Senhor dos Exércitos, ou dos exércitos, portanto, como um dos títulos do Senhor, marca seu supremo domínio sobre o universo, e, particularmente, sobre as diferentes ordens de anjos, que, por causa da sua multidão, e de sua servindo sob a anfitriões comando de Deus, são nomeados, 1 Reis 22:19 . A LXX., Nas passagens em que esta palavra hebraica ocorre, comumente expressá-lo em letras gregas, em que São Paulo tem os seguiram. . Assim também James, cap Romanos 5: 4 , supondo que seria agradável aos ouvidos dos judeus. O sentido aqui é, Se o Senhor, que é o governante poderoso e soberano de todas as criaturas do céu e da terra, que são seus hospedeiros, pronto para fazer o serviço; não nos tivesse deixado uma semente - Reservado da calamidade comum, um pequeno empresa, dos quais, como uma semente, Deus faria com que sua igreja a surgir de novo, que tinha sido como Sodoma - totalmente destruído. De modo a que, (como se ele tivesse dito,) não é coisa sem precedentes para o corpo principal da nação judaica para a revolta de Deus, e perecer em seus pecados.

 

versículos 30-33

Romanos 9: 30-33 . Que diremos então - O que deve ser celebrado de tudo o que foi dito, mas isso, que os gentios, que não buscavam a justiça - Quem há um tempo atrás não tinha conhecimento, nenhum cuidado ou pensei sobre isso, alcançaram a justiça - ou justificação; mas a justiça que vem da fé - que é pela fé em Cristo e no seu evangelho, Filipenses 3: 9 . Esta é a primeira conclusão que podemos tirar das observações precedentes. A segunda é que Israel, (os judeus), que buscava a lei da justiça - A lei que, devidamente utilizado, teria levado a fé, e, assim, para a justiça; quem não tem atingido a lei da justiça - Para esse justiça, ou justificação, que é um ótimo fim da lei. Ou, como Estius e Beza pensar, a lei da justiça é colocado para a justiça da lei; como Hebreus 07:16 , a lei de um mandamento carnal, significa o mandamento carnal da lei. De acordo com esta interpretação, significado do apóstolo é, Israel, que buscava a justiça da lei, não a alcançou. Por quê? Será que é porque Deus eternamente decretou que não deveria? Não: não há nada como este para serem cumpridas nos com o raciocínio do apóstolo; mas, agradavelmente ao seu argumento, ele nos dá este grande razão para isso: porque não foi pela fé, pela qual só poderia ser alcançado; mas, por assim dizer - Com efeito, se não professam; pelas obras da lei - As obras exigidas por ela, o que eles não foram capazes de realizar perfeitamente. tropeçaram na tropeço pedra - que estava em seu caminho. Esta é uma alusão a um que, correndo em uma corrida, tropeça em uma pedra no seu caminho, e, caindo, perde a corrida. Como está escrito - predito por seu próprio profeta; Eis que eu assentei em Sião - I expor em minha igreja que, embora na verdade o único fundamento seguro da religião e felicidade, mas será, de fato, uma pedra de tropeço e rocha de escândalo -. uma ocasião de ruína por muitos através de sua incredulidade obstinada e todo aquele que crê nele não serão envergonhados - Ou, como a expressão original pode ser mais traduzido literalmente, Ninguém que nele crê será confundido. o leitor vai observar duas passagens de Isaías está aqui unidas em uma cotação, porque se referem ao mesmo assunto; ou seja, Isaías 28:16 ; Isaías 8:14 . Veja nota em 1 Pedro 2: 8 . Assim, aqueles em Israel que esperavam o Messias para ser um grande príncipe temporal, tropeçou em Jesus por causa da pobreza, a maldade, e estado de sofrimento em que ele apareceu entre eles. Portanto, eles ficaram aquém da justiça e salvação, e perdeu todos os seus privilégios como o povo de Deus.

comentario biblico Joseph Benson

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net