Translate this Page

Rating: 3.0/5 (865 votos)



ONLINE
10




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

site, fee epub, link, get pdf, enter link, free book, download book, this link, free book, download pdf,

Escola dominical origem e historia (1)
Escola dominical origem e historia (1)

 

           POSTAGEM PARA ESCOLA DOMINICAL    

              A FAMÍLIA E A ESCOLA DOMINICAL          

 

A Escola Dominical é a maior e mais acessível agência de educação religiosa da igreja. O seu principal objetivo é levar as crianças, adolescentes, Jovens e adultos a aprender e a praticar a Palavra de Deus. Por isso, ela é um fator determinante na formação espiritual, moral, social e cultural das famílias.

A Escola Dominical, quando bem estruturada, torna-se um dos meios mais eficazes de evangelização. É notório que missionários, pastores e demais obreiros e obreiras, passaram pela Escola Dominical e continuam a frequentá-la zelosamente. pois nela o caráter cristão é desenvolvido segundo a Bíblia Sagrada.

 

I - A ORIGEM DA ESCOLA DOMINICAL

  1. Raízes bíblicas da Escola Dominical. Conforme ensina-nos o pastor Antônio Gilberto em seu Manual da Escola Dominical, esse educandário tem as suas raízes desde o Antigo Testamento, passando por Moisés (Dt 6.7; 11.18,19; 31,12,13), pela época dos sacerdote, reis e profetas de Israel (Dt 24,8; I Sm 12.23; Jr 18.18; 2 Cr 15 .3; 17. 7-9), durante e após o cativeiro babilónico (Ne 3), chegando aos dias de Jesus, sendo Ele o Mestre dos mestre (Mc 2.1 ,2 ; 6. 2,6,34; 12.35: Lc 5.17; 24 .27) e da igreja do primeiro século até os nossos dias (Mc 6.30; At 5.21 ,4 I ,42).
  2. A origem da Escola Dominical. A fase moderna da Escola Dominical, assim como a conhecemos, teve início em um domingo de 1780. O jornalista britânico, Robert Raikes, desejava escrever um editorial sobre a melhoria do sistema carcerário de sua cidade. Ao perceber que muitas crianças ficavam na rua falando palavrões e brigando, mudou de ideia e escreveu sobre como levar aqueles meninos à igreja, visando alfabetizá-los e evangelizá-los. A maioria das crianças não sabia ler nem escrever, pois durante a semana eram forçadas a trabalhar em fábricas; algo bem comum durante a Revolução Industrial. E, no domingo, perambulavam pelas ruas.
  3. a) O projeto. Raikes divulgou o projeto de alfabetizar as crianças, ensinando lhes gramática, matemática e a Bíblia. Apelou às pessoas a fim de que, voluntariamente, ajudassem-no a tirar as crianças das ruas, educando-as nos lares e na igreja.
  4. b) Semeando lições de vida. As professoras voluntárias, além de alfabetizá-las, exumavam-lhes noções de ética, moral e histórias bíblicas. Era uma verdadeira educação integral. Quatro anos depois, após espalhar-se por várias cidades, a Escola Dominical já contava com 250 mil alunos.

No Brasil ela foi fundada em 19 de agosto de 1855 pelo casal de missionários escoceses. Robert e Sarah Kalley.

  1. O que é Escola Dominical. É uma escola que ministra o ensino da Palavra de Deus de forma acessível a todos os alunos — desde o berçário aos adultos — contemplando todas as faixas etárias. A Escola Dominical é gratuita e conta com o apoio de homens e mulheres que, voluntariamente, lecionam a Palavra de Deus. É o maior trabalho que se pode realizar na Igreja. Os seus professores e organizadores não têm qualquer retorno Financeiro a não ser a alegria de saber que são instrumentos de Deus para abençoar vidas através do ensino da Bíblia Sagrada. Os que exercem este ministério sabem que esta é a maior recompensa.

SINOPSE DO TÓPICO (1)

A Escola Dominical ministra o ensino da Palavra de Deus de forma acessível a todos os alunos contemplando as respectivas faixas etárias — do berçário aos adultos.

II - FINALIDADES DA ESCOLA DOMINICAL

  1. Auxiliar no ensino das Escrituras. O ensino bíblico sistemático, é por faixas etárias, é de grande significado espiritual e moral para toda a família. Por Isso, tem de ser ministrado por pessoas maduras que amem comunicar a Palavra de Deus, pois; como instrui-nos o apóstolo Paulo, se o nosso ministério “é ensinar, haja dedicação ao ensino" (Rm 12. 7). A família é beneficiada quando o ensino alcança os objetivos propostos na formação cristã de todos os seus membros. Não há dúvidas de que a Escola Dominical é o melhor lugar para isso.
  2. Auxiliar na evangelização. É desejável que a Escola Dominical resgate este supremo objetivo: evangelizar (Mc 15,15). Uma classe: pode incumbir-se de levar convites aos descrentes para virem à Igreja no domingo seguinte ou para o culto vespertino. Uma gincana pode ser realizada, concedendo pontos às classes que Trouxerem mais visitantes não convertidos á Escola Dominical. Tal iniciativa é uma ótima forma de apresentarmos o Evangelho aos que ainda não receberam a Cristo.
  3. Auxiliar no discipulado. Jesus mandou fazer discípulos e não prioritariamente membros e congregados (Mt 20.19). Por esse motivo, os que aceitam a Cristo devem ser eficazmente discipulados. Nesse sentido, a Escola Dominical desempenha um importante e insubstituível papel. Portanto, que haja classes de discipulado para as crianças, adolescentes, jovens e adultos. Mas acima de tudo, não nos esqueçamos de que, como discípulos de Cristo a nossa a vida é um permanente discipulado (2 Co 3 .18).

SINOPSE DO TÓPICO (2)

Auxiliar no ensino das Escrituras, na evangelização e no discipulado, são algumas das finalidades da Escola Dominical.

III - A ESCOLA DOMINICAL FORTALECE A FAMÍLIA

  1. As Crianças são bem instruídas. Dizemos estudiosos que a personalidade humana é definida até aos sete anos. O que aprendemos nessa fase, refletirá decisivamente em nosso desenvolvimento psíquico, emocional, afetivo e social, influenciando-nos por toda a vida. Nesse aspecto, advertem-nos as Sagradas Escrituras: "Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele" (Pv 22.6), Por conseguinte, a Escola Dominical ajuda, e muito, no desenvolvimento da personalidade infantil, pois encaminha cada criança no aprendizado cristão.
  2. A juventude é prevenida contra o pecado. A juventude é vitima de muitas brutalidades sociais: álcool, drogas, sexo ilícito, delinquência, etc.

Por isso mesmo, nossos jovens devem frequentar assiduamente a Escola Dominical, pois aqui são alertados contra todos esses males tão característicos de uma sociedade sem Deus, O salmista oferece um caminho seguro para que o jovem previna-se contra os males desse tempo; "Como purificará o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra" (SI 119.9).

  1. Os adultos frutificam. Por aceitar a Cristo na idade adulta e não haver recebido uma sólida formação espiritual e moral durante a infância e juventude, há crentes que acabam não formando uma consciência clara e madura da vida cristã. A Escola Dominical, todavia, está apta a ajudá-los a formar o seu caráter cristão e estimulando-os à leitura da Bíblia Sagrada e á prática da vida cristã em seu dia a dia (Jo 5. 39). Assim, os adultos tornam-se aptos a dar muitos frutos na obra do Senhor (Jo 15. 1,-16).

SINOPSE DO TO P IC O (3)

Na Escola Dominical as crianças são instruídas, a juventude é prevenida contra o pecado e os adultos são incentivados a frutificarem na obra do Senhor.

CONCLUSÃO

Nenhuma instituição de ensino tem efeito tão benéfico sobre a família como a Escola Dominical. Nos países onde ela é valorizada, sempre há testemunhos de pessoas que se tornaram uteis a sociedade e ao mundo. Portanto, a igreja precisa valorizar a Escola Dominical: a maior escola de formação crista do mundo. Os que são assíduos na Escola Dominical absorvem o ensino da Bíblia, e passam a ter uma conduta pautada nos princípios elevados da Palavra de Deus.

ALGUNS FATOS HISTÓRICOS

Primeira ação da Escola Dominical 20/ 07/1780

Robert Raikes estabeleceu os seguintes compromissos: Experimentar por três anos o trabalho em andamento: Em seguida, ele divulgaria, ao mundo os frutos da Escola Dominical.

Publicação em Jornal do impacto do movo trabalho na vida das crianças 03/11/1783.

As igrejas passaram a dar apoio ao trabalho de Raikes. A Escola Dominical passou das casas particulares para os Templos, os quais enchiam-se de crianças. A data de 3 de Novembro de 1783 é então considerada o dia natalício da Escola Dominical.

Antes de Raikes já havia reunião semelhantes a da Escola Dominical.

No entanto, quem popularizou e dinamizou o movimento foi Robert Raikes. E o atual sistema de escola pública inspirou-se no movimento da Escola Dominical.

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO I

Subsidio Educação Cristã

DIRETIVAS BÍBLICAS [O ensino às crianças]

A revelação de Deus exige uma resposta pessoal de cada um dos Seus filhos. O que as Escrituras nos mandam fazer em nosso ministério com crianças? MATEUS 28.19,20: O imperativo nesta passagem é claro: “Fazei discípulos” (ARA). Quando formos, temos de ensinar a Palavra de Deus a todas as pessoas — inclusive crianças. As implicações contidas neste texto são (a) evangelizar (falar do Evangelho a todas as pessoas) e (b) discipular (ajudar cada crente a crescer em Cristo para ser um fazedor de discípulos). Isto pode ser feito eficientemente com crianças se estas forem educadas da maneira correta.

DEUTERONÔMIO 6.4-9: Moisés ordenou os pais (a) a ensinar a Palavra de Deus diligentemente aos filhos, (b) de modo muito casual e natural, (c) usando o estilo de vida deles como o método principal. Esta conversação orientada ajudará a educar cada criança como também a apresentar um modelo de vida adulta santo.

PROVÉRBIOS 22.6: Este provérbio ou truísmo dá-nos breve introspecção sobre como ensinar crianças. Os professores de crianças têm de desejar (a) “instruir” — criar um gosto ou desejo na criança pelas coisas de Deus —; (b) “no caminho” — conforme o passo dela. A instrução deve levar em conta a individualidade e o desenvolvimento mental e físico da criança, (c) Ela “não se desviará” — se a criança for educada corretamente nas coisas de Deus, o desejo eventual dela será manter-se firme ao que aprendeu. Uma versão ampliada deste provérbio seria: “Dedique-se ao Senhor e crie na criança o gosto pelas coisas do Senhor, de acordo com a faixa etária dela; e mesmo quando ela ficar adulta não se afastará do treinamento espiritual que recebeu”. ATOS 2.41-47: Este é um relato resumido sobre a descida do Espírito Santo e o início da Igreja. Podemos ver os resultados do Pentecostes atuantes em quatro fatores principais na vida daquela comunidade neotestamentária: (a) Adoração — os crentes oravam, partiam o pão, cantavam e adoravam juntos ao Senhor, (b) Instrução — os crentes dedicavam-se ao ensino dos apóstolos, (c) Comunhão — os crentes tinham comunhão uns com os outros com a finalidade de disseminar a mensagem do Evangelho, (d) Expressão — os crentes se expressavam ao Corpo de Cristo mediante edificação e encorajamento, e ao mundo, através do evangelismo. Estes quatro ingredientes devem estar incluídos no ministério com crianças.

EFÉSIOS 4.11-16; 1 CORÍNTIOS 12; ROMANOS 12: Estas três referências revelam os métodos de Deus implementar o ministério com crianças — pelos dons do Espírito Santo.

Em Efésios 4.11-16, aprendemos que Jesus deu à Igreja aqueles que ensinam, evangelizam e pastoreiam. Ele os concedeu com o propósito de dar unidade aos crentes, maturidade ao corpo e conformidade a Ele. Estes líderes equipam os santos para fazer a obra do ministério — inclusive o ensino às crianças em casa, na igreja e na escola! Primeira Coríntios 12 e Romanos 12 mostram-nos que não é suficiente buscar e achar os perdidos. Eles também devem ser cuidados, alimentados e guiados para se tornarem cristãos maduros. Onde obtemos os recursos? Estas duas passagens concedem-nos as respostas. O Espírito Santo capacita o povo de Deus a ministrar — ajudar os crentes a se desenvolver segundo a semelhança de Cristo.

2 TIMÓTEO 2.2: Paulo descreve o ministério da multiplicação que tem de acontecer ao longo de toda geração para que a fé cristã seja ensinada até que Jesus venha. Os líderes cristãos precisam equipar os professores e pais em cada faceta do ministério com crianças, de forma que o ensino correto aconteça ao nível de cada aluno. Assim, o ciclo de evangelismo estará completo — agora o discípulo torna-se fazedor de discípulo.

(GANGEL. Kenneth O. & HENDRICKS. Howard G. Manual de ensino para o educador cristão. Compreendendo a natureza, as bases e o alcance do verdadeiro ensino cristão. I ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1999, pp 119-120).

AUXÍLIO BIBLIOGRÁFICO II

Subsidio Histórico

A ESCOLA DOMINICAL NO BRASIL

A Escola Dominical teve seu início entre nós em 19 de agosto de 1855 na cidade de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro. O fundador foi o Missionário Robert Kalley e sua esposa Da Sarah Poulton Kalley, da igreja Congregacional. Eram escoceses. Ele fora um médico ateu. Depois foi salvo sob circunstancia especiais, e chamado por Deus, entregou-se à obra missionária. Na primeira reunião, na data acima, a frequência foi de cinco crianças... Essa mesma Escola Dominical deu origem a igreja Congregacional no Brasil. Desde então, o crescimento da Escola Dominical tem ido maravilhoso.

  1. Remontando ao passado, as primeiras reuniões de instrução bíblica no Brasil, do ponto de vista evangélico, ocorreram durante a permanência aqui, dos crentes calvinistas que desembarcaram na Guanabara em 1557. Nessa ocasião realizaram o primeiro culto evangélico em terras do continente americano, em 10 de março do mesmo ano.
  2. A segunda fase de tais reuniões deu-se durante domínio Holandês no Nordeste, a partir de 1630, por crentes da igreja Reformada Holandesa, quando vários núcleos evangélicos foram estabelecidos naquela região. Na mesma época foram realizados cultos na Bahia, por ocasião da primeira invasão holandesa. Tudo isso cessou com o fim dos mencionados domínios e a feroz campanha de extinção movida pela igreja Romana de então.
  3. Mas em 1855, a Escola Dominical veio para ficar. E ficou E avançou como fogo em campo aberto, impelida pelo zelo de milhares de seus obreiros, inflamados pelo Espirito Santo!

Sim, desde então, vem a Escola Dominical crescendo sempre entre todas as denominações, e onde quer estas cheguem, a Escola Dominical é logo implantada produzindo sem demora seus excelentes resultados na vida  dos alunos, na igreja, no lar, na comunidade, e refletindo tudo isso na nação inteira.

Foi assim o começo da Escola Dominical-começo de um dos mais poderosos avivamentos da história da igreja (GILBERTO. Antônio. Manual da Escola Dominical. 40 ed, Rio de Janeiro; CPAD, 2011, pp. 135-136).

EXERCÍCIOS

  1. Cite versículos que apontam para as raízes bíblicas da Escola Dominical?

R: Moisés (Dt 6. 7; 11. 18,19; 31. 12, 13); sacerdote, reis e profetas de Israel (Dt 24,8; I Sm 12.23; Jr 18.18; 2 Cr 15 .3; 17. 7-9); etc.

2 O que é a Escola Dominical?

R: É uma escola que ministra o ensino da Palavra de Deus de forma acessível a todos os alunos — desde o berçário aos adultos — contemplando todas as faixas etárias.

3 Quais, são às finalidades da Escola Dominical?

R: Auxiliar no ensino das Escrituras, na evangelização e no discipulado.

4 Por que o jovem cristão de frequentar a Escola Dominical?

R: Pois na Escola Dominical, são alertados contra todos esses males tão característicos de uma sociedade sem Deus.

5 O que a Escola Dominical esta apta a fazer?

R: formar o caráter cristão, estimulando-os à leitura da Bíblia Sagrada e á prática da vida cristã em seu dia a dia.

BIBLIOGRAFIA SUGERIDA

GANGEL Kenneth O. & HENDRICKS. Howard G. Manual de Ensino para o educador cristão Compreendendo a natureza, as bases e o alcance do verdadeiro ensino cristão I. ed. Rio de Janeiro; CPAD, 1999.

GILBERTO. Antônio. Manual da Escola Dominical. 40 ed, Rio de Janeiro; CPAD, 2011.

Revista Ensinador Cristão CPAD, n° 54, p.41.

A Escola Dominical é inegavelmente a maior agencia de ensino cristão do mundo. É na ED que os alunos podem fazer perguntas ao professor (algo não permitido em um culto, por ocasião da exposição da Palavra de Deus), apresentar suas idéias, aplicar o que está sendo ensinado à sua vida e desenvolver talentos em prol do Reino de Deus.

Entre os muitos motivos para se frequentar a Escola Dominical, temos:

1) Na Escola Dominical você tem acesso ao estudo sistemático da Palavra de Deus e de assuntos atuais, que podem ser analisados à luz das Escrituras. Todos temos a necessidade de um ensino correto e sadio, que pode ser oferecido de forma metódica, clara e progressiva na Escola Dominical.

2) Na Escola Dominical, o crente tem na Palavra de Deus o crescimento adequado na vida cristã e na comunhão com o próprio Deus.

3) Na Escola Dominical, você tem comunhão com outros irmãos alunos da mesma Escola, desenvolvendo laços mais estreitos, partilhando experiências e orando uns pelos outros.

4) Para a Escola Dominical você pode levar sua família para que todos tenham a oportunidade de aprender a Palavra de Deus, pois lá cada faixa etária terá seu professor e aprenderá lições da Palavra de Deus de forma sistemática e apropriada.

5) À Escola dominical você pode trazer pessoas para serem evangelizadas e ensinadas sobre o Evangelho.

As aulas não são apenas para alunos crentes, mas abertas àqueles que ainda não aceitaram a Jesus como seu Senhor e Salvador.

6) Na ED, você pode trazer seus questionamentos relacionados com a Bíblia Sagrada e a vida cristã, que podem ser expostos de acordo com a lição da semana, e certamente o professor trará as respostas relacionadas à Palavra de Deus.

7) Na ED, você pode servir ao Senhor com seus talentos, seja na esfera musical, seja na esfera do ensino. Lembre-se de que em qualquer área de trabalho na igreja é necessário que haja dedicação, e não apenas talento. Talento sem dedicação não traz frutos, nem no âmbito secular nem no espiritual.

8) A ED é uma fonte de avivamento para toda a igreja, pois nela o ensino da Palavra vivifica os alunos. Há diversos outros motivos para que frequentemos a Escola Dominical. E mais do que citar motivos para que sejamos assíduos a ela, é imprescindível que assumamos o compromisso de estar presentes nela. Essa presença fará toda a diferença em nosso crescimento espiritual e no de nossa família.

COMENTÁRIO

INTRODUÇÁO

Escola Dominical contribui para a formação espiritual, moral e social, em todas as faixas etárias. A Igreja do Senhor Jesus deve dar a maior importância à família. A igreja local é formada por famílias, que se reúnem para adorar a Deus. E essa adoração deve ter o respaldo e a base fundamental na Palavra de Deus. Esta, por sua vez, só pode ser apreendida, através do estudo e do ensino, da doutrina, e do discipulado.

Na ED, principalmente nos moldes tradicionais, tem-se uma oportunidade rica de se edificar vidas e famílias, através do ensino ministrado nas diversas classes, distribuídas por faixas etárias. Há alguns anos, vi, numa igreja, uma placa afixada na entrada do templo: Não mande seus filhos à Escola Dominical: Venha com eles. O ensino cuidadoso na ED tem grande valia para a formação espiritual, moral e social das famílias, principalmente, quando seus componentes, pai, mãe e filhos, são assíduos frequentadores das classes dominicais.

Em anos passados, havia Escola Dominical em praticamente todas as denominações. Nas Assembleias de Deus, tanto de influência dos missionários europeus como norte-americanos, havia uma grande valorização da ED. Podemos afirmar que a maioria dos líderes, pastores, evangelistas, missionários, professores; bem como mulheres que têm liderança nas igrejas locais, como dirigentes de Círculo de Oração, professoras, esposas de obreiros, a maioria passou pela ED. Os maiores beneficiados foram as famílias, as igrejas e as nações.

Em alguns países, a ED perdeu espaço. Deixou de ser realizada por vários fatores. Na América do Norte, em muitos estados, não se realiza mais a ED. Em seu lugar, é realizado um culto dominical, quase sempre o único do primeiro dia da semana. Tivemos oportunidade de verificar esse fato quando ministramos em alguns lugares. Chamou-nos a atenção.

Indagando o porquê dessa mudança, fomos informados de que, no domingo, para grande parte das pessoas é dia de lazer, de descanso. A igreja não pode “atrapalhar” o programa da família.

Na Europa, a situação é mais complicada. A ED foi sepultada em muitos lugares depois que o materialismo ateu, ensinado nas escolas, nos colégios e nas faculdades, influenciou gerações e mais gerações a afastar-se de Deus, e assimilando a falsa teoria da evolução. Em muitas igrejas, os adolescentes e jovens não quiseram mais ir aos cultos, por não verem mais sentido. Restaram os idosos que, ao longo dos anos, por doença ou velhice, tiveram que ficar em casa. Igrejas fecharam. Sem culto, sem reuniões, sem contribuições, o caminho foi o fechamento dos templos.

Muitos foram vendidos e transformados em mesquitas, em cinemas, ou em estabelecimentos comerciais.

Triste fim espiritual para um continente que foi berço de grandes avivamentos cristãos! Pesquisas indicam, com razoável segurança, que, dentro de poucas décadas, a Europa será um continente islâmico. Os muçulmanos ensinam o Alcorão cuidadosamente a seus filhos desde crianças. Os cristãos, infelizmente, em grande parte, preferem ir à praia, ao lazer, ou deixar os filhos diante da televisão ou do computador, na internet, sendo “educados” com programação nada edificante para suas vidas. A maioria dos pais cristãos não vai à ED. E não têm autoridade para influenciar seus filhos a amarem a Escola Dominical.

Mas a derrocada espiritual desses países, chamados de Primeiro Mundo, começou, quando os pais não tiveram mais coragem e firmeza para ensinarem a Palavra de Deus em seus lares; quando as igrejas evangélicas capitularam e se deram por vencidas pelo materialismo diabólico; quando os filhos deixaram de ir para as reuniões, para os cultos, para a ED. A Bíblia diz: “Instrui o menino no caminho em que deve andar, e, até quando envelhecer, não se desviará dele” (Pv 22.6).

Em nosso Brasil, está acontecendo algo semelhante. Em diversas igrejas, não se realiza mais a ED. A exemplo do que ocorreu na outra América, estão sendo realizados cultos dominicais, pela manhã, e mais nenhuma outra reunião. Isso para que as famílias tenham mais tempo para o lazer. E sintoma de desvalorização do ensino da Palavra de Deus.

Há ensinadores e teólogos que dizem que a ED, nos moldes que conhecemos, com o ensino por faixas etárias, está ultrapassada. É retrógrada.

Em lugares onde a Palavra de Deus é desprezada, fecham-se Escolas Dominicais, fecham-se igrejas. E abrem-se motéis, bares, e prisões de

segurança máxima.

Já ouvimos até de pastores da Assembleia de Deus dizerem que a ED não está na Bíblia. Verdadeira ignorância. Se o etíope, mordomo da Etiópia, tivesse frequentado a ED, não teria ficado anos sem entender a Palavra de Deus. “E, correndo Filipe, ouviu que lia o profeta Isaías e disse: Entendes tu o que lês? E ele disse: Como poderei entender, se alguém me não ensinar? E rogou a Filipe que subisse e com ele se assentasse” (At 8.30,31). O alto representante etíope só entendeu a Palavra, quando Filipe lhe explicou. E sua explicação foi tão eficaz que o homem pediu para ser batizado em águas. Na ED, nas classes específicas, por faixas etárias, muitas questões podem ser explicadas e respondidas a contento.

Diz a Palavra de Deus: “Examinai tudo. Retende o bem” (1 Ts 5.21).

Examinando a origem, o desenvolvimento e os efeitos da ED na vida de homens e mulheres de Deus, ao longo da História, constatamos que tem sido grande o benefício para a igreja do Senhor Jesus. Nem todos podem frequentar um curso teológico, que propicia melhor aprofundamento no conhecimento bíblico. Mas todos podem frequentar uma ED, que é a maior escola bíblica do mundo. Ainda hoje, em pleno século XXI, a família pode ser altamente beneficiada pelo ensino bíblico na ED.notas LIMA. Elinaldo Renovato de. A família cristã e os ataques do inimigo. Editora CPAD. pag. 128-130.

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net