Translate this Page

Rating: 3.0/5 (889 votos)



ONLINE
6




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

A Book for Her pdf free, download pdf, download pdf, this site, The Adobe Photoshop CC Book for Digital Photographers 2017 pdf free, fee epub, pdf free, site 969919, this link, link 561655,

Estudo e comentario de Genesis (4)
Estudo e comentario de Genesis (4)

  

Notas de CH Mackintosh no Pentateuco 

Genesis 21 

versículos 1-34

E o Senhor visitou a Sara, como tinha dito, e fez o SENHOR a Sara como tinha falado "Aqui temos realizado promessa -.. Bendito fruto do paciente espera em Deus Ninguém jamais esperou em vão A alma, que toma conta. da promessa de Deus pela fé, tem obtido uma realidade estável, que nunca vai deixar-lhe assim foi com Abraão;., assim, foi-o com todos os fiéis de geração em geração, e assim será com todos aqueles que estão habilitados, em qualquer medida, a confiar no Deus vivo Oh é uma bênção maravilhosa para ter o próprio Deus como a nossa parte e descansando-lugar, em meio às sombras insatisfatórios desta cena através do qual estamos passando;.! ter o nosso elenco âncora dentro do véu; ter a palavra e juramento de Deus, as duas coisas imutáveis, para se apoiar, para o conforto e tranquilidade de nossas almas.

Quando a promessa de Deus estava diante a alma de Abraão, como um fato consumado, ele poderia muito bem ter aprendido a futilidade de seu próprio esforço para chegar a essa realização. Ismael foi de utilização, qualquer que seja, desde que a promessa de Deus estava em causa. Ele pode, e se, pagar algo para afecções da natureza para se entrelaçam-se em torno, fornecendo, assim, uma tarefa mais difícil para Abraão para realizar posteriormente; mas ele não estava em propício sábio para o desenvolvimento do propósito de Deus, ou para o estabelecimento da fé de Abraão - muito pelo contrário. A natureza nunca pode fazer coisa alguma para Deus. O Senhor deve visitar e o Senhor deve "fazer", e fé deve esperar, e natureza deve ser ainda; sim, deve ser totalmente posta de lado como, uma coisa inútil morto, e depois a glória divina pode brilhar, e fé encontrar em que suplantando toda a sua recompensa rico e doce. "Sara concebeu e deu a Abraão um filho na sua velhice, ao tempo determinado , de que Deus havia falado com ele." Não existe tal coisa como "tempo" de Deus, Sua "seu tempo", e para isso os fiéis devem se contentar em esperar. O tempo pode parecer muito tempo, e espero diferido pode tornar o doente do coração; mas a mente espiritual nunca vai encontrar seu relevo na certeza, que tudo é para a exposição final da glória de Deus. "Porque a visão é para o tempo determinado, mas no fim falará, e não mentirá; Ainda que se demore, espera-o; porque certamente virá, não tardará mas o justo...... viver de acordo com sua fé ". ( Habacuque 2: 3-4 ) Esta fé maravilhosa! Ele traz para o nosso presente todo o poder do futuro de Deus e alimenta sobre a promessa de Deus como uma realidade presente. Por seu poder a alma é mantido pendurado em Deus, quando cada coisa externa parece ser contra isso; e, "no momento set", a boca está cheia de risos. "Abraão tinha cem anos, quando seu filho nasceu Isaque ele." Assim, a natureza não tinha nada a glória na "extremidade do homem era a oportunidade de Deus;". e Sarah disse: " Deus me tem posto a rir." Tudo é triunfar quando Deus está autorizado a mostrar-se.

Agora, enquanto o nascimento de Isaac encheu a boca de Sarah com o riso, introduziu um elemento inteiramente novo para a casa de Abraão. O filho da mulher livre muito rapidamente desenvolveu o verdadeiro caráter do filho da escrava. Na verdade, Isaac provou, em princípio, de ser para a família de Abraão, que a implantação da nova natureza está na alma de um pecador. Não foi Ismael mudou, mas foi Isaac nasceu . O filho da escrava nunca poderia ser outra coisa senão isso. Ele pode se tornar uma grande nação, ele pode habitará no deserto, e tornar-se um arqueiro, ele tornou-se pai de doze príncipes, mas ele era o filho da escrava durante todo o tempo. Pelo contrário, não importa o quão fraco e desprezado Isaac poderia ser, ele era o filho da mulher livre. Sua posição e caráter, sua posição e as perspectivas, eram todos do Senhor. "O que é nascido da carne é carne; eo que é nascido do Espírito é espírito."

A regeneração não é uma alteração da natureza de idade, mas a introdução de um novo; é a implantação da natureza ou a vida do segundo Adão, pela operação do Espírito Santo, fundada por ocasião do resgate realizado de Cristo, e de acordo total com a vontade soberana ou conselho de Deus. No momento em que um pecador crê em seu coração, e confessa com a boca, o Senhor Jesus, ele se torna possuidor de uma nova vida, e que a vida é Cristo. Ele é nascido de Deus, é um filho de Deus, é um filho da mulher livre. (Veja Romanos 10: 9 ; Colossenses 3: 4 ; 1 João 3: 1-2 ; Gálatas 3:26 ; Gálatas 4:31 )

Nem a introdução desta nova natureza alterar, no menor grau, o verdadeiro caráter, essencial do velho. Este último continua o que era, e é feita, em nenhum aspecto, melhor; sim, sim, há a exibição completa do seu personagem do mal em oposição ao novo elemento. "A carne cobiça contra o Espírito, eo Espírito contra a carne; e estes opõem-se um ao outro." Lá eles estão em toda a sua distinção, e aquele só é posta em relevo pelo outro.

Eu acredito que esta doutrina das duas naturezas na crente não é geralmente entendido; e, no entanto, desde que há ignorância dele, a mente deve estar totalmente no mar, em referência à verdadeira posição e privilégios do filho de Deus. Alguns há, que pensam que a regeneração é uma certa mudança que a velha natureza sofre; e, além disso, que essa mudança é gradual em sua operação, até que, por fim, todo o homem se transforma. Que esta ideia não é sólido, pode ser provado por várias citações do Novo Testamento. Por exemplo, "o pendor da carne é inimizade contra Deus". Como pode isso, o que é assim falado, nunca sofrer qualquer melhoria? O apóstolo continua a dizer, "não é sujeita à lei de Deus, nem mesmo pode estar." Se ele não pode estar sujeita à lei de Deus, como ela pode ser melhorada Como pode sofrer qualquer alteração? Mais uma vez, "o que é nascido da carne é carne". Faça o que quiser com a carne, e é a carne o tempo todo. Como diz Solomon, "Ainda que pisasses um tolo num almofariz, entre grãos pilados, contudo seu insensatez não se desviará dele." ( Provérbios 27:22 ) Não há nenhum uso na procura de uma loucura sábia: você deve introduzir sabedoria celestial para o coração que tem sido até agora única regido pela loucura. Mais uma vez, "já vos despistes do velho." ( Colossenses 3: 9 ) Ele não diz, Ye melhoraram ou estão procurando melhorar, "o velho"; mas, Ye ter colocá-lo fora. Isto dá-nos uma ideia totalmente diferente. Há uma diferença muito grande entre a busca para consertar uma roupa velha, e lançando-a de lado completamente, e colocar em um novo. Este é o ides da última citada passagem. É um adiando o antigo, e uma colocação do novo. Nada pode ser mais distinto ou simples.

Passagens pode ser facilmente multiplicadas para provar a insalubridade; da teoria, no que diz respeito à melhoria gradual da velha natureza - para provar que a velha natureza está morto em pecados, e totalmente não renováveis ​​e unimproveable; e, além disso, que a única coisa que podemos fazer com ele é, para mantê-lo sob os nossos pés no poder do que a nova vida, o que temos em união com o nosso Chefe subido nos céus.

O nascimento de Isaac não melhorou Ismael, mas apenas trouxe a sua oposição real ao filho da promessa. Ele poderia ter ido muito calmamente e ordenada até que Isaac fez sua aparição; mas, em seguida, ele mostrou que ele era, por perseguir e zombando para a criança da ressurreição. Qual foi então o remédio? Para fazer Ishmael melhor? De maneira nenhuma; mas, "expulsar esse escravas e seu filho, porque o filho desta escrava não será herdeiro com meu filho, com Isaque." (8-10) Aqui era o único remédio. "Aquilo que é torto não se pode endireitar;" portanto, você só tem que se livrar da coisa torto completamente, e ocupar-se com o que é divinamente reta. É trabalho perdido para tentar fazer uma coisa reta torta. Por isso todos os esforços após a melhoria da natureza, são totalmente inúteis, tanto quanto Deus está em causa. Pode ser tudo muito bem para os homens a cultivar e melhorar aquilo que é de uso para si mesmos; mas Deus deu a seus filhos algo infinitamente melhor para fazer, mesmo para cultivar o que é sua própria criação, cujos frutos, enquanto eles, de modo algum, servir para exaltar a natureza, são inteiramente ao Seu louvor e glória.

Agora o erro em que as igrejas da Galácia caiu, foi a introdução do que em si dirigida a natureza. "Se não vos circuncidardes conforme o uso de Moisés, não podereis ser salvos." Aqui salvação foi feita para depender de algo que o homem poderia ser, ou homem poderia fazer, ou o homem poderia manter. Este foi perturbar todo o tecido glorioso de redenção, que, como o crente sabe, repousa exclusivamente sobre o que Cristo é, eo que Ele tem feito. Para tornar a salvação dependente, da maneira mais remota, mediante qualquer coisa dentro, ou feito por, homem, é configurá-lo totalmente de lado. Em outras palavras, Ismael deve ser completamente expulsos, e as esperanças tudo de Abraão ser subordinado a que Deus havia feito, e dado, na pessoa de Isaac. Este, é desnecessário dizer, deixa o homem nada a glória. Se bem-aventurança presente ou futuro foram feitas a depender mesmo uma mudança divina operou na natureza, carne poderio glória. Embora a minha natureza foram melhorados, seria algo de

me , e, portanto, Deus não teria toda a glória. Mas quando estou introduzido numa nova criação, acho que é tudo de Deus, destinado, amadurecido, desenvolvido por ele mesmo sozinho. Deus é o ator, e eu sou um adorador; Ele é o abençoador, e eu sou a bem-aventurada; Ele é "o melhor", e eu sou "menos"; ( Hebreus 7: 7 ) Ele é o doador, e eu sou o receptor. Isto é o que torna o cristianismo o que é; e, além disso, o distingue de todos os sistemas da religião humana sob o sol, seja romeno, Puseyism, ou qualquer outro ismo qualquer. Religião humana dá à criatura um lugar mais ou menos; ele mantém a escrava e seu filho na casa; dá ao homem algo a glória na Pelo contrário, o cristianismo exclui a criatura de toda interferência na obra da salvação.; expulsa a escrava e seu filho, e lhe dá toda a glória a Ele, a quem só é devido.

Mas deixe-nos saber quem esta escrava e seu filho realmente são, eo que eles sombra diante. Gálatas 4: 1-31 fornece um amplo ensino como a estes dois pontos. Em uma palavra, então, a bond-mulher representa a aliança da lei; e seu filho representa tudo, que são "das obras da lei", ou em que o princípio ( ex ergon nomou ). Isto é muito simples. O bond-mulher só sexos para a servidão, e nunca pode trazer um homem livre. Como pode? A lei nunca poderia dar a liberdade, por tanto tempo como um homem estava vivo que governou ele. ( Romanos 7: 1 ) Eu nunca pode ser livre, desde que estou sob o domínio de qualquer um. Mas enquanto eu viver, a lei rege-me; e nada mas a morte pode me dar libertação do seu domínio. Esta é a doutrina abençoada de Romanos 7: 1-25 . "Portanto, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, que você deve se casar com outro, mesmo para aquele que é ressuscitado dentre os mortos, que demos fruto para Deus." Esta é a liberdade; para: "Se o Filho vos libertar, sereis verdadeiramente livres. '' ( João 8:36 ) Assim, pois, irmãos, não somos filhos da escrava, mas da livre." ( Gálatas 4:31 )

Agora, ele está no poder dessa liberdade que somos capazes de obedecer ao comando, expulso esta serva eo seu filho. "Se não estou conscientemente livre, vou estar a tentar alcançar a liberdade da forma mais estranha possível, mesmo por mantendo a escrava na casa: em outras palavras, vou estar a tentar obter a vida, mantendo a lei; I será estabelecer a minha própria justiça Sem dúvida, isso vai envolver uma luta para expulsar este elemento de escravidão, para. legalismo é natural aos nossos corações. "a coisa foi muito duro aos olhos de Abraão, por causa de seu filho." Ainda assim, porém penosa que seja, está de acordo com a mente divina que devemos abidingly firmes na liberdade com que chapéu de Cristo nos libertou, e não ser enredado novamente com o jugo de escravidão ". ( Gálatas 5: 1 ) Que nós, querido leitor, de forma plena e experimentalmente entrar na bem-aventurança da provisão de Deus para nós em Cristo, para que possamos ser feito com todos os pensamentos sobre a carne, e tudo o que ele pode ser, fazer ou produzir. Há uma plenitude em Cristo que torna tudo apelo à natureza totalmente supérflua e vã.

 

 

 

 

Notas de CH Mackintosh no Pentateuco

 

Gênesis 22

 

versículos 1-24

Abraham está agora em uma posição moral apto a ter seu coração submetida a um teste mais severo. A reserva há muito acalentado de ser colocado diante de seu coração, em Gênesis 20: 1-18 - a escrava e seu filho que está sendo colocado de sua casa, como em Gênesis 21: 1-34 , ele agora está diante no mais posição de honra em que nenhuma alma pode ser colocado, e que é uma posição de julgamento da mão do próprio Deus. Existem vários tipos de julgamento do julgamento da mão de Satanás; julgamento de circunstâncias envolventes; mas o mais alto caráter de julgamento é a que vem diretamente da mão de Deus, quando Ele coloca o Seu querido filho na fornalha com a finalidade de testar a realidade de sua fé. Deus vai fazer isso: Ele deve ter a realidade. Não vai fazer a dizer "Senhor, Senhor", ou "Eu vou, senhor." O coração deve ser sondado para o fundo, de modo que nenhum elemento de hipocrisia, ou falsa profissão, ele pode autorizadas a apresentar lá. "Meu filho, dá-me o teu coração ." Ele não diz, "dá-me a tua cabeça, ou o teu intelecto, ou os teus talentos, ou tua língua, ou o teu dinheiro;" mas "dá-me o teu coração:" e, a fim de provar a sinceridade da nossa resposta a este comando gracioso, Ele vai colocar a mão sobre algo muito próximo de nossos corações. Assim, ele diz a Abraão: "Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto, sobre um dos montes que te hei do." Este foi chegando muito perto do coração de Abraham. Foi passando-o através de um cadinho de busca, de fato. Deus "exige a verdade no íntimo". Pode haver muita verdade nos lábios, e muito no intelecto, mas Deus olha para ele no coração. Não é nenhuma prova ordinária que irá satisfazer Deus, como o amor de nossos corações. Ele próprio não ficar satisfeito com o que dá uma prova comum. Ele deu Seu Filho e que devemos visar a dar provas muito marcantes do nosso amor a Ele que nos amou, e estando nós mortos em nossos delitos e pecados.

No entanto, é bem de ver que Deus confere um sinal de honra em cima de nós quando Ele testa, assim, nossos corações. Nós nunca lemos que "o Senhor fez tentá-Lot." Não; Sodoma tentado Lot. Ele nunca chegou a uma altitude suficientemente elevada para justificar o que está sendo julgado pela mão do Senhor. Era muito claramente manifestado que havia muito entre o coração e o Senhor, e não, portanto, exigem o forno para trazer isso. Sodoma teria estendeu a nenhuma tentação seja qual for a Abraão. Isto foi feito manifesto em sua entrevista com o rei de Sodoma, no capítulo 14. Deus sabia bem que Abraão amava muito melhor do que Sodoma; mas Ele iria torná-lo manifesto, que Ele o amava mais do que qualquer um ou qualquer coisa, colocando a mão sobre o objeto mais próximo e querido. "Toma teu filho, teu único filho, Isaac." Sim, Isaac, o filho da promessa; Isaac, o objeto da esperança de longa diferido, o objeto do amor dos pais, e aquele em quem todas as famílias da terra seriam abençoadas. Este Isaac deve ser oferecido como um holocausto. Isso, com certeza, estava colocando a fé à prova, a fim de que, sendo mais preciosa do que o ouro que perece, embora provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória. Tinha toda a alma de Abraão não foi permaneceu simplesmente no Senhor, que ele nunca poderia ter rendido obediência unhesitating tal comando de busca. Mas o próprio Deus estava viva e eterna apoio do seu coração, e, portanto, ele estava preparado para desistir de tudo por Ele.

A alma que encontrou todas as suas nascentes em Deus, pode, sem qualquer hesitação, se aposentar a partir todos os fluxos de criatura. Podemos dar-se a criatura, apenas na proporção em que nós descobrimos, ou tornar-se experimentalmente familiarizado com, o Criador, e não mais. Para tentar desistir das coisas visíveis de qualquer outra forma, salvar a energia da fé que se apodera do invisível, é possível que o trabalho mais infrutífera. Ele não pode ser feito. I reter rápido meu Isaac até que eu encontrei o meu tudo em Deus. É quando me estão habilitados, pela fé, a dizer "Deus é nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia," que também pode adicionar ", portanto será que não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que o montes se projetem para o meio do mar. " ( Salmos 46: 1-2 )

"E Abraão levantou-se cedo pela manhã." Não está pronto obediência. "Apressei-me e atrasou a observar os teus mandamentos." A fé nunca pára para olhar para as circunstâncias, ou refletir sobre os resultados; ele só olha para Deus; exprime-se assim; "Mas, quando aprouve a Deus, que me separou desde o ventre de minha mãe, e me chamou pela sua graça, revelar seu Filho em mim, para que eu o pregasse entre os gentios;. Imediatamente eu não consultei carne e sangue" ( Gálatas 1: 1 ; Gálatas 1: 5 ; Gálatas 1:16 ) No momento em que consultei carne e sangue, nosso testemunho e serviço estão marcados, a carne eo sangue não pode obedecer. Temos de levantar cedo, e realizar, pela graça, a ordem divina. Assim, somos abençoados, e Deus é glorificado. Tendo a própria palavra de Deus como a base da nossa actuação nunca vai dar força e estabilidade para a nossa atuação. Se nós simplesmente agir por impulso, quando o impulso diminui, a atuação vai diminuir também.

Há duas coisas necessárias para um curso de ação constante e consistente, viz., O Espírito Santo, como o poder de ação, ea palavra para dar direção correta. Para usar uma ilustração familiar: em uma estrada de ferro, devemos encontrar por força motriz de pouco uso sem os trilhos de ferro firmemente estabelecidos; o primeiro é o poder pelo qual nos movemos; e esta última, a direcção. É desnecessário acrescentar que os trilhos seria de pouca utilidade sem o vapor. Agora, Abraão foi abençoado com ambos. Ele tinha o poder de ação conferida por Deus; eo comando de agir dado por Deus também. Sua dedicação era de caráter mais definitivo; e isto é profundamente importante. É frequente encontrar muito que se parece com dedicação, mas que, na realidade, não é senão a atividade desconexa de um não trouxe sob a ação poderosa da palavra de Deus. Todas essas dedicação aparente é inútil, eo espírito da qual ela procede vai muito rapidamente evaporar. Podemos estabelecer o seguinte princípio, viz., Sempre dedicação passa além dos limites divinamente é suspeito. Se ele não vem até estes limites, é defeituosa; se ele flui sem eles é errático. I bastante admitir que há operações extraordinárias e caminhos do Espírito de Deus, no qual ele afirma sua própria soberania e sobe acima dos limites normais; mas, nesses casos, a evidência da atividade divina será suficientemente forte para levar para casa convicção para cada mente espiritual; nem eles, no menor grau, interferir com a verdade do princípio de que a verdadeira devoção nunca vai ser fundada sobre e governado pelo princípio divino. A sacrificar um filho pode parecer um ato de devoção mais extraordinária; mas, seja lembrado que, o que deu esse ato todo o seu valor, aos olhos de Deus, foi o simples fato de ser baseada na ordem de Deus.

Então, temos outra coisa conectada com verdadeira devoção, e isso é um espírito de filiação. "Eu e o rapaz iremos até lá e adoração." O servo realmente dedicado manterá seu olho, e não em seu serviço, ela nunca será tão grande, mas o Mestre, e isso vai produzir um espírito de adoração. Se eu amo a meu senhor, segundo a carne, eu não me importo se eu estou limpando seus sapatos ou dirigir seu carro; mas se eu estou pensando mais de mim do que para ele, eu preferiria ser um cocheiro que uma sapata preta. Então, é precisamente no serviço do Mestre celestial: se eu estou pensando apenas nele, plantar igrejas e fazer tendas será tanto tanto para mim. Podemos ver a mesma coisa no ministério angelical. Não importa a um anjo se ele ser enviado para destruir um exército, ou para proteger a pessoa de algum herdeiro da salvação. É o Senhor que enche totalmente a visão. Como alguém observou, "se dois anjos foram enviados do céu, um para governar um império, eo outro para varrer as ruas, eles não disputariam sobre seus respectivos trabalhos." Isso é mais verdadeiro, e por isso deve ser com a gente. O servo deve sempre ser combinado com o adorador, e as obras de nossas mãos perfumado com as respirações ardentes de nossos espíritos. Em outras palavras, devemos sair para o nosso trabalho no espírito daquelas palavras memoráveis: "Eu e o rapaz iremos até lá e adoração." Isso efetivamente preservar-nos de que o serviço meramente mecânica em que estamos tão propensos a cair; fazer as coisas por amor de fazer, e sendo mais ocupados com o nosso trabalho do que com o nosso Mestre. ALL deve passar de simples fé em Deus e obediência à Sua palavra.

"Pela fé, Abraão, quando foi provado, ofereceu Isaque; sim, aquele que recebera as promessas, ofereceu o seu unigênito." ( Hebreus 11:17 ) É somente quando estamos andando pela fé que podemos começar, continuar e terminar nossos trabalhos em Deus. Abraham não apenas a intenção de oferecer seu filho, mas ele continuou, e alcançou o primeiro lugar que Deus tinha designado. "E tomou Abraão a lenha do holocausto, e pô-la sobre Isaque seu filho, e ele tomou o fogo em sua mão, e uma faca; e eles foram ambos juntos." E mais adiante, lemos: "E edificou Abraão ali um altar; e pôs em ordem a lenha, e amarrou a Isaque seu filho, e deitou-o sobre o altar em cima da lenha e, estendendo a mão, tomou o cutelo para imolar. o filho dele." Este foi um trabalho real, "Uma obra de fé e trabalho de amor", no sentido mais elevado. Não foi por mera zombaria sem aproxima com os lábios, enquanto o coração estava longe - não dizendo: "Eu vou, senhor, e não foi." Foi toda a realidade profunda, apenas como uma fé cada vez delícias de produzir, e que Deus se deleita em aceitar. É fácil fazer uma demonstração de dedicação quando não há demanda para isso. É fácil dizer, "embora todos se escandalizem de ti, mas nunca será ofendido embora eu seja necessário morrer contigo, mas não vou negar ti;......" mas o ponto é para resistir ao julgamento. Quando Pedro foi posto à prova, ele totalmente quebrou. A fé nunca fala sobre o que ele vai fazer, mas faz o que pode na força do Senhor. Nada pode ser mais completamente inútil do que um espírito de pretensão vazia. É tão inútil como a base sobre a qual repousa. Mas a fé age "quando é julgado;" e até então ele se contenta em ser invisível e silenciosa.

Agora, ele precisa quase de notar que Deus é glorificado nessas actividades santos de fé. Ele é o objeto imediato deles, como Ele é a fonte de onde emanam. Não havia uma cena em toda a história de Abraão em que Deus foi muito glorificado como a cena no Monte Moriá. Não era que ele estava habilitado a prestar testemunho ao fato de que ele tinha encontrado todos os seus frescos molas em Deus - encontrou-os não meramente anterior, mas depois, o nascimento de Isaac. Este é um ponto mais tocante. É uma coisa para descansar nas bênçãos de Deus, e outra coisa é descansar em si mesmo. Uma coisa é confiar em Deus quando tenho diante de meus olhos o canal através do qual a bênção é a fluir; e outra coisa a confiar nele quando esse canal é totalmente parado. Isso foi o que provou a excelência da fé de Abraão. Ele mostrou que ele não poderia simplesmente confiar em Deus para uma multidão incontável de sementes, enquanto Isaac estava diante dele em saúde e vigor; mas apenas como totalmente se ele fosse uma vítima de fumar no altar. Esta foi uma ordem elevada de confiança em Deus; era a confiança pura; não mss uma confiança apoiado, em parte, pelo Criador, e em parte pela criatura. Sem ela repousava em um pedestal sólido, viz., O próprio Deus. "Ele foi responsável que Deus era capaz." Ele nunca foi responsável que Isaac era capaz. Isaac, sem Deus, não era nada; Deus, sem Isaac, era tudo. Este é um princípio do último importância, e um eminentemente calculada para testar o coração mais profundamente. Faz alguma diferença para mim ver a aparente canal de todas as minhas bênçãos secaram? Eu estou morando suficientemente perto da fonte-cabeça de poder, com um espírito de adoração, de contemplar todas as correntes criatura secou? Isso eu sinto a ser uma questão de pesquisa. Tenho uma visão tão simples de suficiência de Deus como ser capaz, nós assim dizer, para "estender a minha mão e tirar a faca para matar o meu filho." Abraham foi capaz de fazer isso, porque seu olho descansou no Deus da ressurreição. "Ele foi responsável que Deus era capaz de levantá-lo até mesmo dentre os mortos."

Em uma palavra, ele estava com Deus que tinha que fazer, e isso era o bastante. Ele não foi sofrido para dar o golpe. Ele tinha ido para os limites máximos muito; ser tinha chegado até a linha além da qual Deus não podia deixou entrar. O Abençoado poupado coração do pai do pang que Ele não poupou o seu próprio coração, mesmo que de ferir Seu Filho. Ele, bendito seja o Seu nome, passou para além dos limites máximos, pois ele "não poupou o seu próprio Filho, mas o entregou por todos nós." "Aprouve ao Senhor esmagá-lo, ele tem o colocou a tristeza." Não houve voz do céu, quando, no Calvário, o Pai ofereceu Seu Filho unigênito. Não; era um sacrifício perfeitamente realizado; e, durante a sua realização, a nossa paz eterna é selada.

No entanto, dedicação de Abraão foi plenamente provado, e totalmente aceito. Por agora "Eu sei que temes a Deus, visto que não me negaste o teu filho, o teu único filho, de mim." Mark é "agora eu sei." Ele nunca tinha provado antes. Foi ali, sem dúvida, e, se houver, Deus o sabia; mas o ponto importante aqui, é que Deus funda Seu conhecimento de que na evidência palpável oferecida no altar sobre o Monte Moriá. A fé é sempre comprovada por ação, e o temor de Deus pelos frutos que dela decorrem. "Não era o nosso pai Abraão justificado pelas obras quando ofereceu seu filho Isaque sobre o altar" ( James 2:21 ) Quem poderia pensar em chamar a sua fé em questão Tire fé, e Abraão aparece em Moriah como um assassino, e uma louco. Tome fé em conta, e ele aparece como um adorador devoto -, um homem justificado temente a Deus. Mas a fé deve ser provada. "Que proveito há, meus irmãos, se alguém dizer que tem fé, e não tiver as obras" ( Tiago 2:14 ) Será que Deus ou o homem estar satisfeito com a profissão impotente e inútil? Certamente não. Deus olha para a realidade e honra-lo onde Ele vê-lo; e, como para o homem, ele pode entender nada salvar a vida e expressão vocal inteligível de uma fé que se manifesta em atos. Estamos rodeados pela profissão da religião; a fraseologia da fé é em todos os lábios; mas a própria fé é tão raro uma jóia como sempre que a fé que permitirá um homem para empurrar para fora da costa das circunstâncias actuais, e conhecer as ondas e os ventos, e não só conhecê-los, mas suportá-las, mesmo que o Mestre deve parecer estar dormindo sobre o travesseiro.

E aqui gostaria de ressaltar: a bela harmonia entre James e Paul, sobre o tema da justificação. O leitor inteligente e espiritual, que se curva à verdade importante da inspiração plenária da Sagrada Escritura, sabe muito bem que, sobre esta questão não é com Paul ou James que temos que fazer, mas com o Espírito Santo, que graciosamente usado cada desses homens honrados como a caneta para escrever seus pensamentos, assim como eu pode levar até uma caneta de pena ou de uma caneta de aço para escrever meus pensamentos, caso em que seria completamente absurdo falar de uma discrepância entre as duas canetas, na medida em que o escritor é um deles. Por isso, é tão impossível que dois autores humanos guiados divinamente inspiradas poderia colidir, como que dois corpos celestes, enquanto se move em suas órbitas divinamente designados, poderia entrar em colisão.

Mas, na realidade, como era de se esperar, não é a harmonia mais completa e perfeita entre estes dois apóstolos; na verdade, sobre o tema da justificação, o que é a contrapartida ou expoente do outro. Paulo nos dá o princípio interior, James o desenvolvimento fora desse princípio; o ex apresenta a vida oculta, esta última a vida manifestada; o antigo olha no homem em relação a Deus, este último olha para ele em sua relação com o homem. Agora queremos ambos: o interior não faria sem o exterior; eo exterior não teriam valor e impotente sem o interior. "Abraham foi justificado" quando "ele acreditava que Deus"; e "Abraão foi justificado" quando "ele ofereceu seu filho Isaac." No primeiro caso, temos a sua posição em segredo; no segundo, o seu reconhecimento público pelo céu e da terra. É bem entender esta distinção. Não houve voz do céu quando "Abraão creu em Deus", embora na visão de Deus, ele estava lá, então, e que "considerados justos"; mas "quando ofereceu seu filho sobre o altar:" Deus poderia dizer: "agora eu sei"; e todo o mundo teve uma prova poderosa e irrefutável do fato de que Abraão era um homem justificado. Assim, nunca o será. Onde existe o princípio activo, haverá a atuação para o exterior; mas todos o valor deste último molas a partir da sua ligação com o primeiro. Desconexão, por um momento, a atuação de Abraão, conforme estabelecido por James, da fé de Abraão, conforme estabelecido por Paulo, e que justifica a virtude é que ele possui? Nenhuma. Todo o seu valor, toda a sua eficácia, toda a sua virtude, brota do fato de que era a manifestação externa de que a fé, em virtude da qual ele já havia sido considerados justos diante de Deus. Assim, tanto quanto para a harmonia admirável entre Paul e James, ou melhor, quanto à unidade da voz do Espírito Santo, se essa voz ser proferida por Paulo ou James.

Agora voltamos ao nosso capítulo. É profundamente interessante para marcar aqui como a alma de Abraham é conduzido para uma nova descoberta do caráter de Deus pelo julgamento de sua fé. Quando somos capazes de suportar os testes de própria mão de Deus, é a certeza de nos levar a uma nova experiência no que diz respeito ao seu caráter, que nos faz saber o quão valioso o teste é. Se Abraão não tinha estendeu a mão para matar seu filho, ele nunca teria conhecido as profundezas ricos e requintados de que o título que ele está aqui dá em cima de Deus, viz., "Jeová Jiré." É só quando estamos realmente posta à prova que nós descobrimos o que é Deus. Sem prova de que podemos ser, mas teóricos, e Deus não quer nos fazer tal: Ele quer que entrar nas profundezas de vida que estão em Si-as realidades divinas de comunhão pessoal com Ele. Com que sentimentos diferentes e convicções deve Abraham ter seus passos de Moriah Berseba! do monte do Senhor para o bem do juramento! O que muito diferentes pensamentos de Deus! Que diferentes pensamentos de Isaac! Que pensamentos de cada-coisa diferente! Realmente podemos dizer, "Feliz é o homem que suporta a provação. É uma honra colocar sobre uma pelo próprio Senhor, e a bem-aventurança profunda da experiência a que conduz não pode ser facilmente estimado. É quando os homens são levados, para usar a linguagem do Salmo 107: 1-43 , "a fim de seus inteligência", que eles descobrem o que é Deus Oh por graça para suportar a prova, que obra de Deus pode aparecer, e Seu nome seja glorificado em nós.!.

Há um ponto que, antes de fechar minhas observações sobre este capítulo, deve notar, e essa é a maneira graciosa em que Deus dá Abraham crédito por ter feito o ato que ele mostrou-se tão plenamente preparado para fazer. " Por mim mesmo jurei , diz o Senhor, porque porquanto fizeste isto, e não me negaste o teu filho, o teu único filho, para que a bênção, eu te abençoarei, e na multiplicação, multiplicarei a tua descendência como o e estrelas do céu como a areia que está na praia do mar; ea tua descendência possuirá a porta dos seus inimigos; e abençoou em tua descendência serão todas as nações da terra ser: porquanto obedeceste à minha voz ". Este lindamente corresponde com aviso do Espírito de agir de Abraão, como colocar diante de nós em Hebreus 11: 1-40 e também em Tiago 2: 1-26 , em ambas as quais escrituras ele é encarado como tendo oferecido seu filho Isaac sobre o altar . O grande princípio transmitida em toda a questão é esta: Abraham provou que ele estava preparado para ter a cena completamente limpo de todos, mas a Deus; e, além disso, foi esse mesmo princípio que ambos constituídos e colocou-o um homem justificado. A fé pode fazer sem cada um e tudo, mas Deus. Ele tem o sentido pleno da sua suficiência, e pode, portanto, deixar ir tudo ao lado. Daí Abraham poderia muito bem estimar as palavras, "por mim mesmo jurei." Sim, esta palavra maravilhosa, " me ", foi tudo para o homem de fé. "Porque, quando Deus fez a promessa a Abraão, visto que não podia jurar por não maior, ele jura pelo próprio ...... Para os homens juram por quem é maior, eo juramento para confirmação é, para eles, o fim de toda contenda. Onde Deus, querendo mais abundantemente para mostrar aos herdeiros da promessa a imutabilidade do seu conselho, se interpôs com juramento. " A palavra e juramento do Deus vivo deve pôr fim a todos os esforços e funcionamento da vontade humana, e formam a âncora bens da alma no meio de toda a agitação e tumulto deste mundo tempestuoso.

Agora, temos de nos condenar de forma consistente, por causa do pouco poder que a promessa de Deus tem em nossos corações. Não é, e nós professamos a acreditar; mas ah! não é tão profundo, permanente, a realidade influente que deveria sempre ser; nós não tirar dele que "firme consolação", que é calculado a pagar. Quão pouco preparados estamos, no poder da fé, na promessa de Deus, para matar nosso Isaac! Temos de clamar a Deus que ele iria ser graciosamente o prazer de nos dotar com uma visão mais profunda da realidade abençoada de uma vida de fé em si mesmo, que tanto me pode entender melhor a importação de que a palavra de João, "esta é a vitória que vence o mundo, até mesmo a sua fé. "Nós só podemos vencer o mundo pela fé incredulidade nos coloca sob o poder das coisas presentes;. em outras palavras, dá ao mundo a vitória sobre nós Uma alma que entrou, pelo ensinamento do Espírito Santo, no sentido. da suficiência de Deus, é totalmente independente das coisas aqui. Amado leitor, podemos saber isso, para a nossa paz e alegria em Deus, ea Sua glória em nós.

 

 

 

Notas de CH Mackintosh no Pentateuco

 

Genesis 23

 

versículos 1-20

Esta pequena secção de inspiração envolve muita instrução doce e rentável para a alma. Nele, o Espírito Santo nos apresenta uma bela exibição do modo em que o homem de fé deve levar-se para com os que estão de fora. Embora seja verdade, divinamente verdadeiro, que a fé faz um homem independente dos homens do mundo, não é menos verdade que a fé nunca vai ensiná-lo a andar honestamente para com eles. Somos instruídos a "andar honestamente para com os que estão de fora"; ( 1 Tessalonicenses 4:12 ) "para fornecer coisas honestas à vista de todos"; ( 2 Coríntios 8:21 ) "a dever nada a ninguém." ( Romanos 13: 8 ) Estes são preceitos de peso - preceitos que, mesmo antes de sua enunciação distinta, foram devidamente observadas em todas as idades por os servos fiéis de Cristo, mas que, nos tempos modernos, infelizmente! não foram suficientemente atendidos.

O dia 23 de Gênesis, portanto, é digno de nota especial. Ele abre com a morte de Sarah, e introduz Abraham em um novo personagem, viz., A de um enlutado. "Veio Abraão lamentar Sara e chorar por ela." O filho de Deus deve atender tais coisas; mas ele não deve atender-los como os outros. O grande fato da ressurreição vem para seu alívio, e dá um personagem para sua tristeza bastante peculiar. ( 1 Tessalonicenses 4: 13-14 ) O homem de fé pode ficar no túmulo de um irmão ou irmã, na consciência feliz que não deve longa realizar o seu cativeiro, "Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem, Deus os trará com ele ". A redenção da alma assegura a redenção do corpo; o ex temos, este último aguardamos. ( Romanos 8.23 )

Agora, acredito que na compra de Machpelah para um lugar enterrar, Abraham deu expressão a sua fé na ressurreição. " Ele levantou-se de diante do seu morto." A fé não pode por muito tempo manter a morte em vista; ele tem uma maior objeto, bendito seja o "Deus vivo", que tem dado. Ressurreição é o que sempre enche a visão da fé; e, no mesmo poder, ele pode levantar-se de diante do morto. Há muito veiculada nesta ação de Abraão. Queremos entender o seu significado muito mais plenamente, porque são muito propenso a ser ocupado com a morte e suas consequências. A morte é o limite do poder de Satanás; mas onde Satanás termina, Deus começa. Abraham compreendeu isso quando ele se levantou e comprou a cova de Macpela como um lugar de dormir para Sarah. Esta foi a expressão do pensamento de Abraão, em referência ao futuro. Ele sabia que, nos séculos vindouros, a promessa de Deus sobre a terra de Canaã seria cumprida, e ele foi capaz de colocar o corpo de Sarah no túmulo ", na esperança segura e certa de uma gloriosa ressurreição."

Os filhos de Heth não sabia nada sobre isso. Os pensamentos que enchiam a alma do patriarca foram inteiramente estranho às crianças não circuncidados de Heth. Para eles, parecia um pequeno importa onde ele enterrou seus mortos, mas era de modo algum um pequeno problema com ele. "Eu sou um estranho e peregrino com você: dai-me possessão de um lugar enterrar com você, para que eu sepulte a minha morta fora da minha vista." Pode ser, e manifestamente que, parecer estranho a eles para fazer tanto barulho por uma grave; mas, "amado, o mundo não nos conhece, mesmo que ela não o conheceu." Os melhores traços e características da fé são aquelas que são mais incompreensível para o homem natural. Os cananeus não tinha idéia das expectativas que foram dando personagem para atos de Abraão nesta ocasião. Eles não tinham ides que ele estava ansioso para a posse da terra, enquanto ele estava apenas procurando um local em que, como um homem morto, ele poderia esperar o tempo de Deus, e da maneira de Deus, viz., Na manhã de RESSURREIÇÃO . Ele sentiu que ele não tinha nenhuma controvérsia com os filhos de Heth, e, portanto, ele estava bem preparado para reclinar a cabeça na sepultura, e permitir que Deus aja por ele, e com ele, e por ele.

"Todos estes morreram na (ou de acordo com a) fé, ( kata pistin ), sem terem recebido as promessas; mas vendo-as de longe, e crendo-as e abraçando-as, confessaram que eram estrangeiros e peregrinos na terra." ( Hebreus 11:13 ) Esta é uma característica verdadeiramente requintado na vida divina. Aquelas "testemunhas", dos quais o apóstolo está falando em Hebreus 11: 1-40 não apenas viveu pela fé, mas mesmo quando eles chegaram ao fim de sua carreira, eles provaram que as promessas de Deus eram tão reais e satisfatória à sua almas como quando eles começaram. Agora, acredito que esta compra de um local de enterramento na terra foi uma exposição do poder da fé, não só para viver, mas para morrer. Por que foi Abraham tão particular sobre esta compra? Por que ele estava tão ansioso para fazer bom sua reivindicação ao campo e da caverna de Efrom em princípios justos? Por que tão determinado para pesar o preço total "atual com o comerciante" A fé é a resposta. Ele fez tudo pela fé. Ele conhecia a emprestar era seu em perspectiva, e que em glória a sua descendência seria ainda possuí-la, e até então ele não seria um devedor para aqueles que ainda estavam a ser despojados.

Assim, podemos ver neste capítulo bonita em uma dupla luz; em primeiro lugar, como colocar diante de nós uma planície, princípio prático, como a nossas relações com os homens deste mundo; e em segundo lugar, como apresentando a bendita esperança que jamais deveria animar o homem de fé. Colocar esses dois pontos juntos, temos um exemplo do que o filho de Deus deve sempre ser. A esperança que nós no evangelho é uma gloriosa imortalidade; e isso, ao mesmo tempo que levanta o coração acima de todas as influências da natureza e do mundo, fornece um princípio elevado e santo com o qual a governar todo nosso intercâmbio com aqueles que estão sem. "Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele é." Esta é a nossa esperança. Qual é o efeito moral desta? "Todo o que nele tem esta esperança nele se purificar, assim como ele é puro." ( 1 João 3: 2-3 ) Se eu for para ser como Cristo aos poucos, vou procurar ser o mais semelhantes a Ele agora como eu posso. Por isso, o cristão deve sempre procuram andar em pureza, integridade e graça moral na visão do todo.

Assim foi com Abraão, em referência aos filhos de Hete. Todo o seu comportamento e conduta, conforme estabelecido em nosso capítulo, parece ter sido marcado com elevação muito puro e desinteresse. Ele era "um príncipe de Deus entre eles," e eles de bom grado teria lhe feito um favor; mas Abraão tinha aprendido a tirar os favores apenas do Deus da ressurreição, e enquanto ele iria pagar -lhes para Machpelah ele iria olhar para Ele para Canaan Os filhos de Heth conhecia bem o valor do "dinheiro atual com o comerciante", e Abraão sabia o valor da caverna de Macpela. Foi vale muito mais para ele do que era para eles. "A terra valia a pena para eles" quatrocentos siclos de prata ", mas para ele foi inestimável, como o penhor de uma herança eterna, a qual, porque era uma herança eterna, só poderia ser possuído no poder da ressurreição. Fé conduz a alma para a frente para o futuro de Deus;. ele olha para as coisas como ele olha para eles, e estima-los de acordo com o julgamento do santuário Portanto, a inteligência da fé, se levantou Abraão de diante do seu morto, e comprou um burying- lugar, o que significativamente estabelecido sua esperança de ressurreição e de uma herança fundada sobre o mesmo.

 

 

Notas de CH Mackintosh no Pentateuco

 

Genesis 24        

 

 

versículos 1-67

A ligação deste capítulo, com os dois que o precedem, é digno de nota. Em Gênesis 22: 1-24 filho é oferecido; em Gênesis 23: 1-20 Sarah é deixada de lado; e em Gênesis 24: 1-67 , o servo é enviado para adquirir uma noiva para ele que tinha sido, por assim dizer, recebeu dos mortos em uma figura. Neste contexto, de uma forma muito marcante, coincide com a ordem de eventos relacionados com o chamado da Igreja. se esta coincidência é para ser considerada como de origem divina, vai, pode ser, levantar uma questão na mente de alguns; mas deve pelo menos ser considerado como não um pouco notável.

Quando me virar com o Novo Testamento, os grandes eventos que satisfazem nosso ponto de vista são, primeiro, a rejeição e morte de Cristo; em segundo lugar, a anulação de Israel segundo a carne; e, por último, o chamado da Igreja para ocupar a posição elevada da noiva do Cordeiro.

Agora, tudo isso corresponde exatamente com o conteúdo deste e os dois capítulos anteriores. A morte de Cristo precisava ser um fato consumado, antes que a Igreja, propriamente dita, poderia ser chamado de fora. "O muro de separação" precisava ser quebrada, antes que o " um novo homem" poderia ser desenvolvido. É bom entender isso, a fim de que possamos conhecer o lugar que a Igreja ocupa nos caminhos de Deus. Enquanto a economia judaica subsistiu houve a separação mais rigorosa mantida entre judeus e gentios, e, portanto, a idéia de ambos serem unidos em um novo homem estava muito longe da mente de um judeu. Ele foi conduzido para ver se em uma posição de toda superioridade ao de um gentio, e para ver o último como totalmente imundo, a quem era ilegal para entrar. ( Atos 10:28 )

Se Israel andasse com Deus segundo a verdade da relação em que ele tinha graciosamente trouxe, teriam permanecido em seu lugar peculiar da separação e de superioridade; mas isso eles não fizeram; e, portanto, quando eles tinham enchido a medida de sua iniqüidade, crucificando o Senhor da vida e glória, e rejeitar o testemunho do Espírito Santo, encontramos St. Paul é levantado para ser o ministro de uma coisa nova, que foi realizada de volta nos conselhos de Deus, enquanto o testemunho de Israel estava acontecendo. "Por esta razão eu, Paulo, o prisioneiro de Jesus Cristo por vós, os gentios, se é que tendes ouvido a dispensação da graça de Deus, que me foi dada para convosco: como pela revelação que ele fez-me saber o mistério o qual em outras gerações não foi manifestado aos filhos dos homens, como, agora, foi revelado aos seus santos apóstolos e profetas (ie, profetas do Novo Testamento, tois hagiois apostolois autou kai prophetais ) pelo Espírito, para que os gentios são companheiros de herdeiros, e de um mesmo corpo, e participantes da promessa em Cristo pelo evangelho ". ( Efésios 3: 1-6 ) Esta é conclusivo. O mistério da Igreja, composta de judeus e gentios, batizados por um Espírito, formando um corpo, unido à Cabeça gloriosa no céu, nunca havia sido revelado até dias de Paulo. Deste mistério o apóstolo continua a dizer, " eu fui feito ministro, segundo o dom da graça de Deus, dada a mim, segundo a operação do seu poder." (Ver. 7) Os apóstolos e profetas do Novo Testamento formada, por assim dizer, a primeira camada deste edifício gloriosa. (Ver Efésios 2:20 ) Sendo assim, segue-se, em consequência, que o prédio não poderia ter sido começado antes. Se o edifício vinha acontecendo desde os dias de Abel, para baixo, o apóstolo teria, então, disse: "a fundação dos santos do Antigo Testamento." Mas ele não disse isso, e, portanto, podemos concluir que, qualquer que seja a posição atribuída aos santos do Antigo Testamento, eles não podem possivelmente pertencem a um organismo que não tinha existência, salvo no propósito de Deus, até a morte e ressurreição de Cristo e a consequente descida do Espírito Santo. Salvo eles estavam, bendito seja Deus; salvo pelo sangue de Cristo, e destinado a desfrutar da glória celestial com a Igreja; mas eles não podiam ter formado uma parte daquilo que não existia há centenas de anos após a sua vez.

Ele foi fácil para entrar em uma demonstração mais elaborada deste mais importante verdade, era este o lugar para fazê-lo; mas vou agora continuar com nosso capítulo, tendo apenas tocou em cima de uma questão de interesse comandante, por causa de seu ser sugerido pela posição do Gênesis 24: 1-67 .

Pode haver uma pergunta, em algumas mentes, quanto a saber se estamos a ver esta parte profundamente interessante de escritura como um tipo do chamado da Igreja pelo Espírito Santo. Quanto a mim, eu me sinto mais feliz ao manipulá-lo apenas como uma ilustração de que o trabalho glorioso. Não podemos supor que o Espírito de Deus ocuparia um capítulo invulgarmente longa com o mero detalhe de um compacto familiar, foram que compacta não típico ou ilustrativo de algum grande verdade. "Tudo o que foram escritas outrora foram escritas para nossa aprendizagem." Este é enfático. O que, portanto, devemos aprender com o capítulo antes de nós? Eu acredito que nos fornece uma bela ilustração ou prenúncio do grande mistério da Igreja. É importante ver que, enquanto não há nenhuma revelação direta deste mistério no Antigo Testamento, há, no entanto, cenas e circunstâncias que, de uma maneira muito notável, Sombra para nascer; como, por exemplo, o capítulo antes de nós. Como já foi observado, o filho sendo, em uma figura, ofereceu-se, e recebeu novamente dentre os mortos; a haste pai original, por assim dizer, a ser posta de lado, o mensageiro é enviado pelo pai para obter uma noiva para o filho.

Agora, para a compreensão clara e completa do conteúdo de todo o capítulo, podemos considerar os seguintes pontos, a saber, 1,. Juramento; 2, o testemunho; 3, . O resultado É bonito observar que a chamar e exaltação de Rebeca foram fundadas sobre o juramento entre Abraão e seu servo. Ela não sabia nada sobre isso, embora ela era, no propósito de Deus, de modo inteiramente objecto de tudo. Então, é exatamente com a Igreja de Deus como um todo e cada uma das partes. "Em teu livro foram todos os meus membros escritas, que em continuação foram formadas, quando ainda não havia nem um deles." ( Salmos 139: 16 ) "Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo, como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que deve ser santos e irrepreensíveis diante dele em amor. " ( Efésios 1: 3-4 ) "Porquanto aos que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, para que ele seja o primogênito entre muitos irmãos Além disso, aos que predestinou, a esses também chamou. ; e aos que chamou, a estes também justificou; e aos que justificou, a esses também glorificou ". ( Romanos 8:20 ; Romanos 8:30 ) Estas escrituras são todos em bela harmonia com o ponto imediatamente antes de nós. A chamada, a justificação, ea glória da Igreja, são todos fundados sobre o propósito eterno de Deus - Sua palavra e juramento, ratificado pela morte, ressurreição e exaltação do Filho. Tanto para trás, além dos limites do tempo, nas profundezas da mente eterna de Deus, estava esta finalidade maravilhosa respeitando a Igreja, que não pode, por qualquer meio, ser separado do pensamento divino respeitando a glória do Filho. O juramento entre Abraão e o servo tinha por objeto a prestação de um parceiro para o filho. Era o desejo do pai em relação ao filho que levou à pós-dignidade de Rebeca. Ele está feliz em ver isso. Feliz por ver como segurança e bênção a posição da Igreja inseparavelmente ligados com Cristo e Sua glória. "Para o homem não é da mulher, mas a mulher do homem nem foi o homem criado por causa da mulher,.. Mas a mulher para o homem" ( 1 Coríntios 11: 8-9 ) Por isso, é na bela parábola da ceia de casamento; "O reino dos céus é semelhante a um rei que celebrou as bodas de seu filho." ( Mateus 22: 2 ) O Filho é o grande objetivo de todos os pensamentos e conselhos de Deus: e, se forem trazidos para bênção, ou glória, ou a dignidade, ele só pode estar em conexão com Ele. Todos os títulos a essas coisas, e até mesmo a própria vida, foi perdido pelo pecado; mas Cristo reuniu toda a pena devida ao pecado; Ele se fez responsável por tudo em nome de Seu corpo, a Igreja; Ele foi pregado na cruz como seu representante Ele levou os seus pecados em Seu próprio corpo sobre o madeiro, e desceu para dentro da sepultura sob o peso cheio deles. Por isso, nada pode ser mais completa do que a libertação da Igreja de tudo que era contra ela. Ela é vivificado para fora da sepultura de Cristo, onde todos os seus pecados foram estabelecidas. A vida que ela tem é uma vida levada no outro lado da morte, depois de toda demanda possível haviam sido cumpridas. Por isso, esta vida está conectado com, e fundada sobre, a justiça divina, na medida em que o título de Cristo a vida é fundada sobre o fato de ter inteiramente esgotado o poder da morte; e Ele é a vida da Igreja. Assim, a Igreja goza a vida divina; ela está na justiça divina; e a esperança de que a anima é a esperança da justiça. (Veja, entre muitas outras escrituras, João 3:16 ; João 3:36 ; João 5: 39-40 ; João 6:27 ; João 6:40 ; João 6:47 ; João 6:68 ; João 11:25 ; João 17: 2 ; Romanos 5:21 ; Romanos 6:23 ; 1 Timóteo 1:16 ; 1 João 2:25 ; 1 João 5:20 ; juízes 1:21 ; Efésios 2: 1-6 ; Efésios 2: 14- 15 ; Colossenses 1: 12-22 , Colossenses 2: 10-15 ; Romanos 1:17 ; Romanos 3: 21-26 ; Romanos 4: 5 ; Romanos 4: 23-25 ; 2 Coríntios 5:21 ; Gálatas 5: 5 )

Estas escrituras estabelecer mais plenamente os três pontos, viz., A vida, a justiça, ea esperança da Igreja, todos os quais fluem de ela ser um com Ele que ressuscitou dentre os mortos. Agora, nada pode ser calculados de modo a garantir o coração como a convicção de que a existência da Igreja é essencial para a glória de Cristo. "A mulher é a glória do homem." ( 1 Coríntios 11: 7 ) E, novamente, a Igreja é chamada ". A plenitude daquele que cumpre tudo em todos" ( Efésios 1:23 ) Este último é uma expressão notável. A palavra traduzida como "plenitude" significa o complemento, o que, a ser adicionado a qualquer outra coisa, torna-se um todo. Assim é que Cristo Cabeça, ea Igreja do corpo, compõem a "um novo homem". ( Efésios 2:15 ) Olhando para o assunto neste ponto de vista, não é de admirar que a Igreja deveria ter sido objeto de eternos conselhos de Deus. Quando me vê-la como o corpo, a Noiva, o companheiro, a contrapartida, de Seu Filho unigênito, sentimos que houve, pela graça, razão maravilhosa para ela estar tão pensado antes da fundação do mundo. Rebeca era necessária para Isaac, e, portanto, ela foi objecto de conselho secreto, enquanto ainda em profunda ignorância sobre seu alto destino pensamento da ALL Abraão estava prestes Isaac. "Eu te faça jurar pelo Senhor, Deus do céu, eo Deus da terra, que não tomarás

uma mulher para meu filho das filhas dos cananeus, no meio dos quais eu habito. "Aqui vemos que o ponto mais importante foi," uma esposa para meu filho. "" Não é bom que o homem esteja só. " Isso abre uma visão muito profunda e abençoada da Igreja nos conselhos de Deus, ela é necessária para Cristo;. e no trabalho realizado de Cristo, provisão divina tem sido feito para ela ser chamado à existência.

Embora ocupado com tal caráter da verdade como esta, ele não é mais uma questão de saber se Deus pode salvar pobres pecadores; Ele realmente quer "fazer um casamento" por seu Filho ", ea Igreja é a noiva destinada - ela é o objeto do propósito do Pai, o objeto do amor do Filho e do testemunho do Espírito Santo Ela é. . ser o compartilhador de toda a dignidade e glória do Filho, como ela é o compartilhador de tudo que o amor que Ele tem sido objeto eterna Ouça suas próprias palavras, "e a glória que me deste, eu dei; para que sejam um, como nós somos um: Eu neles, e tu em mim, para que eles sejam perfeitos em unidade; e que o mundo saiba que tu me enviaste e os amaste como amaste a mim "(. João 17: 22-23 ) Isso resolve toda a questão As palavras citadas nos dar os pensamentos do coração de Cristo em referência. para a Igreja ela é para ser como Ele é, e não somente isso, mas ela é tão mesmo agora, como são João nos diz: "Nisto consiste o amor perfeito com nós, para que tenhamos confiança no dia do julgamento.: pois, segundo ele é, também nós somos neste mundo. "( 1 João 4:17 ) Isto dá plena confiança para a alma." Nós estamos naquele que é verdadeiro, em seu Filho Jesus Cristo. Este é o verdadeiro Deus ea vida eterna "(. 1 João 5:20 ) Não há aqui nenhuma base para a incerteza Tudo está garantido para a noiva no noivo ALL que pertenceu a Isaac tornou-se Rebeca porque Isaac era dela;.. E assim todos que pertence a Cristo é disponibilizado para a Igreja "tudo é vosso.; seja Paulo, seja Apolo, seja Cefas, seja o mundo, ou a vida, ou a morte, seja o presente, seja o futuro; . Tudo é vosso, e vós de Cristo, e Cristo é de Deus "( 1 Coríntios 3: 21-23 ) Cristo é" cabeça sobre todas as coisas para a igreja "(. Efésios 1:22 ) Será sua alegria, por toda a eternidade , para expor a Igreja em toda a glória e beleza com que Ele dotou-a, porque a sua glória e beleza será apenas o reflexo dele. anjos e principados verei na Igreja a maravilhosa exibição da sabedoria, poder e graça de Deus em Cristo.

Mas vamos agora olhar para o segundo ponto a ser considerado, viz., O testemunho. O servo de Abraão levou consigo um testemunho muito distinta. "E ele disse: Eu sou o servo de Abraão, o Senhor tem abençoado muito ao meu senhor, e se tornou a cumprimentar;. E ele deu-lhe rebanhos e manadas, e prata e ouro, e homens servos e servas, e . camelos e jumentos e Sarah, mulher do meu senhor, deu à luz um filho a meu senhor depois da sua velhice; e para ele a deu tudo o que tem ". (Ver. 34-36) Ele revela o pai eo filho. Tal era o seu testemunho. Ele fala dos vastos recursos da pai, e do filho de ser dotado de todos estes em virtude do seu ser "o unigênito", e o objeto do amor do pai. Com este testemunho que ele busca obter uma noiva para o filho.

Tudo isso, eu nem preciso observar, é extremamente ilustrativa do testemunho com o qual o Espírito Santo foi enviado do céu no dia de Pentecostes. "Quando vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que procede do Pai, ele dará testemunho de mim." ( João 15:26 ) Mais uma vez, "Quando vier, porém o Espírito da verdade vier, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas que ele deve ouvir, que ele deve falar, e ele vai mostrar -lhe coisas para vir ele me glorificará. pois ele deve receber da mina e mostrá-la a você ". Todas as coisas que o Pai tem é meu; portanto, eu vos disse que ele, recebendo do meu, e deve mostrar-vos. ( João 16: 13-15 ) A coincidência destas palavras com o testemunho do servo de Abraão é instrutiva e interessante. Foi, dizendo de Isaac que ele procurou atrair o coração de Rebeca; e é, como sabemos, dizendo de Jesus, que o Espírito Santo tem como objectivo chamar pobres pecadores longe de um mundo de pecado e loucura na unidade abençoada e sagrada do corpo de Cristo. "Ele tomará meu e mostrá-lo a você". O Espírito de Deus nunca irá levar qualquer um a olhar para si mesmo ou a sua obra; mas apenas e sempre em Cristo. Assim, quanto mais realmente espiritual qualquer um é, o mais completamente que ele vai ser ocupado com Cristo.

Alguns há que considerá-lo como uma grande marca de espiritualidade para ser sempre olhando em pelo seus próprios corações, e detendo-nos sobre o que eles encontram lá, mesmo que essa seja a obra do Espírito. Este é um grande erro. Até agora, do fato de ser uma prova de espiritualidade, é uma prova do muito reversa, pois é expressamente declarado do Espírito Santo que "Ele tomará meu e mostrá-lo a você". Portanto, sempre que alguém está olhando para dentro, e com base nas evidências da obra do Espírito lá, ele pode ter a certeza de que ele não é conduzido pelo Espírito de Deus, ao fazê-lo. É, mantendo-se a Cristo que o Espírito chama almas para Deus. Isto é muito importante. O conhecimento de Cristo é a vida eterna; e é a revelação do Pai de Cristo, pelo Espírito Santo, que constitui a base da Igreja. Quando Pedro confessou Cristo é o Filho do Deus vivo, a resposta de Cristo foi, "bendita és tu, Simão Barjonah; a carne eo sangue não revelou a ti, mas meu Pai que está nos céus E eu te digo. que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela ". ( Mateus 16: 17-18 ) O rock? Pedro? Deus me livre. "Esta rocha" ( Taute te petra ) significa simplesmente revelação de Cristo do Pai, como o Filho do Deus vivo, que é o único meio pelo qual alguém é introduzido na montagem de Cristo. Agora, este se abre para nós, muito, o verdadeiro caráter do evangelho. É, por excelência e enfaticamente, uma revelação - uma revelação não apenas de uma doutrina, mas de uma Pessoa - a Pessoa do Filho. Esta revelação sendo recebido pela fé, desenha o coração a Cristo, e torna-se a fonte da vida e poder - o fundamento da associação - o poder da comunhão. "Quando aprouve a Deus ..... revelar seu Filho em mim", & c. Aqui temos o verdadeiro princípio do "rock", viz., Deus revelando o Seu Filho. É, portanto, a superestrutura é levantado; e sobre esta base sólida que repousa, de acordo com o propósito eterno de Deus.

Por isso, é particularmente instrutivo encontrar neste 24 de Gênesis uma ilustração tão marcante e bela da missão e testemunho especial do Espírito Santo. O servo de Abraão, na tentativa de obter uma noiva para Isaac, apresenta toda a dignidade e a riqueza com a qual ele tinha sido dotado pelo pai; o amor do qual ele era o objeto; e, em suma, tudo o que foi calculada para afetar o coração, e desenhá-la fora das coisas presentes. Ele mostrou Rebekah um objeto na distância, e colocou diante dela a bem-aventurança ea realidade de ser feito um com o objeto amado e altamente favorecida. TUDO o que pertencia a Isaac pertenceria a Rebeca também, quando ela se tornou parte dele. Tal era o seu testemunho. Essa, também, é o testemunho do Espírito Santo. Ele fala de Cristo, a glória de Cristo, a beleza de Cristo, a plenitude de Cristo, a graça de Cristo, "as insondáveis ​​riquezas de Cristo", a dignidade da sua pessoa, e a perfeição de Sua obra.

Além disso, ele apresenta a incrível benção de ser um com tal Cristo, "membros do Seu corpo, da sua carne e dos seus ossos." Tal é o testemunho do Espírito sempre; e aqui temos uma excelente pedra de toque pela qual se pode experimentar todos os tipos de ensino e pregação. O ensino mais espiritual nunca vai ser caracterizado por uma apresentação completa e constante de Cristo. Ele nunca vai formar o fardo de tal ensinamento. O Espírito não pode habitar em outra coisa que não Jesus. Dele Ele tem prazer em falar. Ele tem prazer em se estabelece Suas atrações e excelências. Assim, quando um homem está ministrando pelo poder do Espírito de Deus, haverá sempre um ser mais de Cristo do que qualquer outra coisa no seu ministério. Haverá pouco espaço em tal ministério para a lógica humana e raciocínio. Essas coisas podem fazer muito bem em que um homem deseja expor a si mesmo; mas único objectivo do Espírito seja bem lembrado por todos que ministram - nunca será o de apresentar a Cristo.

Vejamos agora, em último lugar, pelo resultado de tudo isso. Verdade, e a aplicação prática da verdade, são duas coisas muito diferentes. Uma coisa é falar das glórias peculiares da Igreja, e outra coisa a ser praticamente influenciado por essas glórias. No caso de Rebeca o efeito foi mais marcante e decisiva. O testemunho do servo de Abraão se afundou em seus ouvidos, e em seu coração, e inteiramente independente afeições de seu coração da cena de coisas ao seu redor. Ela estava pronto para deixar tudo e segui depois, a fim de que ela poderia alcançar aquilo para o qual havia sido apreendido. Era moralmente impossível que ela podia acreditar-se ser o objecto desses destinos elevados, e ainda assim continuar em meio às circunstâncias de natureza. É o relatório sobre o futuro fosse verdade, anexo ao presente foi o pior de loucura. Se a esperança de ser a noiva de Isaac, co-herdeiro com ele de toda a sua dignidade e glória, se isso fosse uma realidade, em seguida, continuar a cuidar das ovelhas de Labão seria praticamente a desprezar tudo o que Deus tinha, na graça, definida antes dela.

Mas, não, a perspectiva era demasiado brilhante para ser assim, de ânimo leve desistido. É verdade, ela ainda não tinha visto Isaac, nem a herança, mas ela tinha acreditado o relatório, o testemunho de dele , e tinha recebido, por assim dizer, o penhor dele, e estes foram o suficiente para seu coração; e, portanto, ela sem hesitar surge e manifesta a sua disponibilidade para partir nas palavras memoráveis: " Eu irei."

"Ela estava totalmente preparado para entrar em um caminho desconhecido na companhia de alguém que tinha dito a ela de um objeto distante e de uma glória a ele ligadas, ao que ela estava prestes a ser levantada." Eu irei ", disse ela e "esquecer as coisas que estavam por trás, e avançando para as coisas que eram antes, ela pressionou para o alvo, para o prêmio da sua vocação". a maioria comovente e bonita ilustração presente da Igreja, sob a condução do Espírito . Santo, indo para a frente a encontrá-la Noivo celestial Isto é o que a Igreja deve ser, mas, infelizmente, há triste fracasso aqui há pouco desse entusiasmo santo em deixando de lado todo peso e cada emaranhamento, no poder da comunhão com!. o Guia Santo e companheiro do nosso caminho, cuja sede e encantar é tomar das coisas de Jesus, e mostrar-lhes a nós; assim como o servo de Abraão tomou das coisas de Isaac, e mostrou-os a Rebeca e, sem dúvida, também, ele encontrou a sua alegria em derramando testemunhos frescos relativas ao filho em seu ouvido, enquanto eles se moviam para a frente em direção à consumação de toda a sua alegria e glória. Assim é, pelo menos, com o nosso guia celeste e companheiro. Ele tem prazer em dizer de Jesus, "Ele tomará meu e mostrar-vos;" e de novo ", ele deve mostrar-lhe as coisas que virão." Agora, isso é o que realmente queremos, este ministério do Espírito de Deus, desdobrando Cristo a nossas almas, produzindo anseio sério para vê-Lo, como Ele é, e ser feitos semelhantes a Ele para sempre. Nought mas isso nunca vai separar nossos corações de terra ea natureza. O que, salvar a esperança de ser associado com Isaac, que nunca teria: levou Rebeca para dizer: "Eu vou", quando seu "irmão e sua mãe disse: Fique a donzela conosco alguns dias, pelo menos dez." E assim com a gente: nada, mas a esperança de ver Jesus como Ele é, e ser como Ele, nunca vai habilitar ou levar-nos a purificar-nos, assim como Ele é puro.

 

 

Notas de CH Mackintosh no Pentateuco

 

Genesis 25

 

versículos 1-34

No início deste capítulo, o segundo casamento de Abraão está diante de nós, um evento não sem o seu interesse para a mente espiritual, quando visto em conexão com o que temos vindo a considerar no capítulo anterior. Com a luz fornecida pelas Escrituras proféticas do Novo Testamento, entendemos que, após a conclusão e tendo-se da noiva eleitos de Cristo, a semente de Abraão voltará a entrar em aviso prévio. Assim, após o casamento de Isaac, o Espírito Santo ocupa a história da descendência de Abraão por um novo casamento, juntamente com outros pontos de sua história, e que da sua descendência, segundo a carne. Eu não pressionar qualquer interpretação especial de tudo isso; Eu simplesmente dizer que não é sem sua participação.

Já nos referimos à observação de alguém no livro de Gênesis, ou seja, que é "cheio de sementes de coisas"; e como nós passar ao longo de suas páginas abrangentes, vamos encontrá-los em parceria com todos os princípios fundamentais da verdade, que são mais elaborada trouxe no Novo Testamento. É verdade, em Gênesis estes princípios são estabelecidos de forma ilustrativa, e no Novo Testamento didaticamente; Ainda assim, a ilustração é profundamente interessante, e eminentemente calculada para levar para casa a verdade com poder para a alma.

No final deste capítulo, são apresentados com alguns princípios de natureza muito solene e prático. Caráter e atos que "daqui por diante, se o Senhor quiser, vêm mais completamente antes de nós de Jacob, mas gostaria apenas de notar, antes de passar por diante, a conduta de Esaú, em referência ao direito de primogenitura, e todos os que se envolveram os lugares do coração natural. nenhum valor nas coisas de Deus. Para que a promessa de Deus é uma coisa sem valor, impotentes vago, simplesmente porque Deus não é conhecido. por isso, é que as coisas presentes carregam esse peso e influência na estimativa do homem. Tudo o que o homem pode ver que ele valoriza ., porque ele é governado pela visão, e não pela fé Para ele, o presente é tudo; o futuro é uma mera coisa sem influência - uma questão da incerteza mero Assim, se foi com Esaú Aqui seu raciocínio falacioso, "Eis que eu.. estou no ponto de morrer; eo que servirá a primogenitura fazer comigo? O raciocínio estranho? O presente está deslizando de debaixo dos meus pés, eu, portanto, desprezar e completamente deixar ir o futuro ? O tempo está desaparecendo do meu ponto de vista, eu, portanto, vai abandonar todo o interesse na eternidade! "Assim desprezou Esaú a sua primogenitura." Assim Israel desprezaram a terra aprazível; ( Salmos 106: 24 ), portanto, eles desprezaram Cristo. ( Zacarias 11:13 ) Assim, aqueles que foram convidados para o casamento desprezado o convite. ( Mateus 22: 5 ) O homem não tem coração para as coisas de Deus. O presente é tudo para ele. um prato de lentilhas é melhor do que um título para Canaã. Assim, a razão por que Esaú fez a luz da primogenitura era a razão pela qual ele deveria ter agarrado-a com a maior intensidade. Quanto mais claramente vejo a vaidade do presente do homem, mais eu se unirá ao futuro de Deus. Assim, é no julgamento de fé. "Visto que todas essas coisas hão de ser assim dissolvidas, que pessoas devemos ser, em santidade e piedade, esperando e apressando a vinda do dia de Deus, em que os céus, em fogo se dissolverão, e os elementos se desfarão abrasados? nós, porém, segundo a sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça ". ( 2 Pedro 3: 11-13 ) Estes são os pensamentos de Deus, e, portanto, os pensamentos de fé. As coisas que são vistas é dissolvido. O que, então, estamos a desprezar o invisível? De maneira nenhuma. O presente está rapidamente desaparecendo. O que é o nosso recurso? "Procurando, e apressando a vinda do dia de Deus." Este é o julgamento da mente renovada; e qualquer outro julgamento é só isso de "um profano, como Esaú, que por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura." ( Hebreus 00:16 ) O Senhor nos manter a julgar das coisas como Ele julga. Isso só pode ser feito pela fé.

 

                                             

 

Notas de CH Mackintosh no Pentateuco

 

Genesis 26

 

versículos 1-35

O verso deste capítulo de abertura conecta-se com Gênesis 12: 1-20 . "Houve uma fome na terra, além da primeira fome, que foi nos dias de Abraão." Os ensaios que satisfaçam o povo de Deus, em seu curso, são muito semelhantes; e eles sempre tendem a tornar manifesto o quanto o coração tem encontrado o seu tudo em Deus. É uma questão difícil - uma realização rara, de modo a caminhar em doce comunhão com Deus como a serem prestados, assim, totalmente independente das coisas e das pessoas aqui. O Egypts e os Gerars que se encontram na nossa mão direita e sobre os nossos actuais grandes tentações esquerda, quer desviar do caminho certo, ou para parar curto da nossa verdadeira posição como servos do Deus vivo e verdadeiro.

"E isso foi Isaque a Abimeleque, rei dos filisteus, em Gerar." Há uma diferença manifesta entre Egito e Gerar. O Egito é a expressão do mundo em seus recursos naturais, ea sua independência de Deus. "O meu rio é meu," é a língua de um egípcio que não conhecia o Senhor, e não pensou em olhar para Ele em busca deveria. Egito foi, localmente, mais distante do que Canaã Gerar; e, moralmente, ela expressa uma condição de alma mais longe de Deus. Gerar é, assim, referido no Gênesis 10: 1-32 "E o limite dos cananeus foi de Sidon, como tu vens a Gerar, até Gaza enquanto vais para Sodoma e Gomorra, e Admá, e Zeboim, até Lasa. " (Ver. 19) Fomos informados de que "de Gerar a Jerusalém era caminho de três dias." Foi, por conseguinte, em comparação com o Egipto, uma posição avançada; mas ainda estava dentro da gama de influências muito perigosas. Abraham começou a ter problemas lá, e assim faz Isaac, neste capítulo, e que, também, na mesma maneira. Abraham negou sua esposa, e assim faz Isaac. Este é peculiarmente solene. Para ver tanto o pai como o filho cair no mesmo mal, no mesmo lugar, diz-nos, claramente, que a influência desse lugar não era bom.

Tinha Isaac não foi a Abimeleque, rei de Gerar, ele não teria tido necessidade de negar a sua esposa; mas a menor divergência com a verdadeira linha de conduta superinduces fraqueza espiritual. Foi quando Pedro levantou-se e aqueceu-se em fogo do sumo sacerdote que ele negou o seu Mestre. Agora, é manifesto que Isaac não estava realmente feliz em Gerar. É verdade, o Senhor diz-lhe: "peregrinar nesta terra;" mas quantas vezes é que o Senhor dá instruções ao seu povo moralmente adequadas à condição Ele conhece-los de se estar, e calculou também despertá-los para o verdadeiro sentido dessa condição? Ele dirigiu a Moisés, em Números 13: 1-33 para enviar homens para espiar a terra de Canaã; mas se não tivessem sido em uma condição moral baixa, tal medida não teria sido necessário Sabemos bem que a fé não precisa de " espiar ", quando a promessa de Deus está diante de nós. Mais uma vez, ele dirigiu Moisés para escolher a setenta anciãos para ajudá-lo no trabalho; mas tinha Moisés entrou plenamente em dignidade e bem-aventurança de sua posição, ele não teria precisado de tal direção. Assim, em referência à criação de um rei, em 1 Samuel 8: 1-22 . Eles não deveria ter precisava de um rei. Por isso, devemos sempre levar em consideração a condição de um indivíduo ou um povo a quem uma direção é dada antes de podermos formar qualquer juízo correto quanto à direção.

Mas, novamente, pode-se dizer, se a posição de Isaac em Gerar estava errado, como podemos ler, "Isaque semeou naquela terra, e recebeu no mesmo ano cem vezes:., E do Senhor abençoou" (Ver. 12) eu respondo, nunca podemos julgar que a condição de uma pessoa é certo devido a circunstâncias prósperas. Nós já teve de observação, que existe uma grande diferença entre a presença do Senhor e Sua bênção. Muitos têm a última sem o primeiro; e, além disso, o coração está propenso a confundir o um para o outro - propenso a colocar a bênção; para a presença; ou pelo menos para argumentar que o devem sempre acompanhar o outro. Este é um grande erro. Quantos é que vamos ver cercado por bênçãos de Deus, que não tem, nem desejar, a presença de Deus? É importante ver isso. Um homem pode "cera grande, e ir para a frente, e crescer até que ele se torna muito grande, e têm possessão de ovelhas, e possessão de vacas, e muita gente de serviço", e todo o tempo, não tem a plena alegria, sem entraves de a presença do Senhor com ele. Rebanhos e manadas não são do Senhor. São coisas por conta da qual os filisteus poderiam invejar Isaac, enquanto eles nunca teria invejado por conta da presença do Senhor. Ele poderia ter sido desfrutando a comunhão mais doce e mais rica com Deus, e os filisteus ter pensado nada sobre isso? simplesmente porque não tinha coração para compreender ou apreciar tal realidade. Rebanhos, rebanhos, servos e poços de água que podia apreciar; mas a presença divina não podiam apreciar.

No entanto, Isaac longamente, faz o seu caminho de entre os filisteus, e se levanta para Beersheba. "E o Senhor apareceu-lhe na mesma noite, e disse: Eu sou o Deus de Abraão teu pai; não temas, porque eu sou contigo, . E te abençoarei" (Ver. 24) Mark, não foi a bênção do Senhor meramente, mas o próprio Senhor. E porque? porque Isaac tinha deixado os filisteus, com toda a sua inveja e contenda, e contenção para trás, e subiu para Beersheba. Aqui o Senhor podia mostrar-se ao Seu servo. Sua mão liberal pode segui-lo durante a sua estada em Gerar; mas a sua presença não poderia não ser apreciado. Para desfrutar da presença de Deus, devemos estar onde Ele está, e ele certamente não é para ser encontrado em meio à luta e contenda de um mundo ímpio; e, portanto, quanto mais cedo a criança de Deus fica longe de todas estas coisas, melhor. Então Isaac encontrou. Ho não teve repouso em seu próprio espírito; e ele certamente não, de forma alguma, servir os filisteus por sua permanência entre eles. É um erro muito comum imaginar que servem os homens deste mundo, misturando-nos com eles em suas associações e formas. A verdadeira maneira de servi-los é ficar separado deles no poder da comunhão com Deus e, assim, mostrar-lhes o padrão de um caminho mais excelente.

Marcar o progresso na alma de Isaac, eo efeito moral de seu curso. "Ele subiu dali", "O Senhor apareceu-lhe", "ele edificou um altar", "invocou o nome do Senhor", "armou sua tenda", "seus servos cavaram um poço". Aqui temos progresso mais abençoado. No momento em que ele deu um passo na direção certa, ele foi da força à força. Ele entrou na alegria da presença de Deus - provei os doces da verdadeira adoração, e exibiu o caráter de um estranho e peregrino, e encontrou refresco pacífica, um poço indiscutível, o que os filisteus não podia parar, porque eles não estavam lá.

Estes foram abençoados resultados em referência a si mesmo Isaac; e agora observar o efeito produzido sobre os outros. "Então Abimeleque veio a ele de Gerar, com Auzate, um de seus amigos, e Ficol, o chefe do seu exército. E Isaac disse-lhes: Por que viestes a mim, pois que vós me odeiam, e enviou-me longe de ? você e eles disseram: temos visto claramente que o Senhor é contigo: e nós dissemos, Haja agora juramento entre nós, "& c. A verdadeira maneira de agir sobre os corações e as consciências dos homens do mundo é ficar no decidida separação deles, enquanto lida em perfeita graça para eles. Enquanto Isaac continuou em Gerar, não havia nada além contenda eo litígio. Ele estava colhendo tristeza para si mesmo, e produzindo qualquer efeito sobre aqueles ao seu redor. Pelo contrário, no momento em que se retiraram deles, seus corações foram tocados, e seguiram a ele, e desejava uma aliança. Isto é muito instrutivo. O princípio se desenrolou aqui pode ser visto constantemente exemplificado na história dos filhos de Deus. O primeiro ponto com o coração nunca deve ser, para ver que na nossa posição me estão bem com Deus, e não apenas o direito, em posição, mas na condição moral do filho. Quando estamos bem com Deus, podemos esperar para agir salutar sobre os homens. No momento em que Isaac se levantou para Beersheba, e tomou seu lugar como um adorador, sua própria alma foi atualizado, e ele foi usado por Deus para agir sobre os outros. Enquanto nós continuamos em uma posição baixa, estamos roubando-nos de bênção, e falhando, totalmente, em nosso testemunho e serviço.

Também não devemos, quando em uma posição errada, pare de perguntar, como nós fazemos tão frequentemente, "Onde posso encontrar alguma coisa melhor?" A ordem de Deus é: "Cessem de fazer o mal;" e quando agimos em cima desse preceito santo, que estão equipados com o outro, ou seja, "aprender a fazer bem." Se esperamos que a "aprender" como fazer bem ", antes de" cessar de fazer o mal, "estamos totalmente enganado." Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos. "( Ek ton nekron .) E o que então? "Cristo te iluminará." ( Efésios 5:14 )

Meu amado leitor, se você está fazendo o que você sabe ser errado, ou se você está identificado, de qualquer forma, com o que você possui para ser contrária às escrituras, ouve a palavra do Senhor, "Cessar de fazer o mal." E, pode ter certeza, quando você renderam obediência a esta palavra, você não muito tempo ser deixado na ignorância quanto ao seu caminho. É pura descrença que nos leva a dizer: "Eu não posso deixar de fazer o mal, até eu encontrar algo melhor." O Senhor nos conceda um único olho, e um espírito dócil.

 

 

Notas de CH Mackintosh no Pentateuco

 

Genesis 27

 

versículos 1-29

Estes capítulos apresentam-nos a história de Jacob - pelo menos, as principais cenas em que a história. O Espírito de Deus aqui nos apresenta a instrução mais profunda, em primeiro lugar, quanto ao propósito de infinita graça de Deus; e, por outro, quanto à inutilidade e depravação da natureza humana.

Há uma passagem em Gênesis 25: 1-34 que eu propositadamente passou por cima, a fim de ter se aqui em cima, para que possamos ter a verdade em referência a Jacob totalmente antes de nós ", Isaque orou insistentemente ao Senhor por sua mulher, porquanto ela era estéril; eo Senhor se aplacou para com ele, e Rebeca, sua mulher, concebeu os filhos lutavam dentro dela, e ela disse: Se assim é, por que sou assim e ela foi consultar o Senhor e.?. o Senhor lhe disse: duas nações há no teu ventre, e dois tipos de pessoas devem ser separadas das tuas entranhas, e um povo será mais forte que o outro povo, eo mais velho servirá ao mais novo ". Isto é referido em Malaquias, onde lemos: "Eu vos amei a vós, diz o Senhor: ainda dizeis: Em tu nos amou não era Esaú irmão de Jacob diz o Senhor:? Mas eu vos amei a Jacó, e odiei Esaú . " Esta é novamente referido no Romanos 9: 1-33 : "Para as crianças ainda não ter nascido, nem tendo feito bem ou mal, para que o propósito de Deus, segundo a eleição, ficasse firme, não por obras, mas por aquele que chama foi dito a ela: o maior servirá o menor, como está escrito, amei Jacó, mas odiei a Esaú ".

Assim, temos muito claramente diante de nós, o propósito eterno de Deus, segundo a eleição da graça. Há muito envolvido nesta expressão. Ele bane qualquer pretensão humana de cena, e afirma o direito de Deus para agir como Ele o fará. Este é o último importância. A criatura pode desfrutar sem aventurança real até ele é levado a inclinar a cabeça para a graça soberana. Torna-se-lhe assim fazer, na medida em que ele é um pecador, e, como tal, totalmente sem pretensão de agir ou ditar. O grande valor de encontrar-se com esse fundamento é, que não será mais uma questão do que nós merecemos chegar, mas simplesmente do que Deus tem o prazer de dar. O filho pródigo pode falar de ser um servo, mas ele realmente não merecia o lugar de servo, se fosse para ser feita uma questão de deserto; e, portanto, ele só tinha que tomar o que o pai estava satisfeito para dar - e que era o lugar mais alto, mesmo o lugar de comunhão com ele mesmo. Assim, ele deve sempre ser. "Graça todo o trabalho deve coroar, através de dias eternos." Feliz para nós que é assim. Como nós vamos sobre, dia a dia, fazendo novas descobertas de nós mesmos, precisamos ter debaixo dos nossos pés a base sólida da graça de Deus: nada mais poderia sustentar-nos na nossa crescente auto-conhecimento. A ruína é impossível, e, portanto, a graça deve ser infinito, e infinito que é, que tenham origem no próprio Deus, seu canal em Cristo, e o poder de aplicação e gozo no Espírito Santo. A Trindade é trazido para fora em conexão com a graça que salva um pobre pecador. "A graça reina pela justiça, para a vida eterna, por Jesus Cristo, nosso Senhor." É apenas na redenção que esse reinado de graça podia ser visto. podemos ver na criação do reino de sabedoria e poder; podemos ver na providência o reinado de bondade e longanimidade; mas apenas na redenção que vemos o reinado da graça, e que, também, no princípio da justiça.

Agora, temos, na pessoa de Jacob, uma exposição mais marcante do poder da graça divina; e por esta razão, que temos nele uma exposição marcante do poder da natureza humana. Nele vemos a natureza em toda a sua obliquidade, e, portanto, vemos graça em toda a sua beleza moral e poder. A partir dos fatos de sua história notável, parece que, antes de seu nascimento, no seu nascimento, e depois de seu nascimento, a energia extraordinária da natureza foi visto. Antes de seu nascimento, lemos: "os filhos lutavam dentro dela." Em seu nascimento, lemos, "agarrada sua mão ao calcanhar de Esaú." E, depois de seu nascimento - sim ao ponto de viragem da sua história, em Gênesis 32: 1-32 , sem nenhuma exceção - o seu curso exibe nada, mas os traços mais unamiable da natureza; Mas tudo isso só serve, como um fundo monótono, para pôr em relevo a graça daquele que condescende se chamar pelo nome tocar peculiar, "o Deus de Jacó" - um nome mais docemente expressivo de graça.

Vamos agora examinar os capítulos consecutivamente. Genesis 27: 1-46 apresenta uma imagem mais humilhante de sensualidade, engano e astúcia; e quando se pensa em tais coisas em conexão com o povo de Deus, é triste e doloroso para o último grau. No entanto, como verdadeiro e fiel é o Espírito Santo! Ele deve dizer tudo. Ele não pode nos dar uma visão parcial. Se ele nos dá uma história do homem, ele deve descrever o homem como ele é, e não como ele não é. Então, se Ele nos revela o caráter e caminhos de Deus, Ele nos dá a Deus como Ele é. E isso, precisamos dificilmente observação, é exatamente o que precisamos. Precisamos da revelação de um perfeito em santidade, ainda perfeito em graça e misericórdia, que poderia vir para baixo em toda a profundidade da necessidade do homem, sua miséria e sua degradação, e lidar com ele lá, e levantá-lo fora dele em pleno , comunhão sem impedimentos com Ele em toda a realidade do que Ele é. Isto é o que a Escritura nos dá. Deus sabia o que precisávamos, e Ele a deu a nós, bendito seja o Seu nome!

E, seja lembrado, que, ao estabelecer diante de nós, no amor fiel, todos os traços de caráter do homem, é simplesmente com vista a ampliar as riquezas da graça divina e de admoestar nossas almas. Não é, por qualquer meio, a fim de perpetuar a memória dos pecados, para sempre apagada de sua vista. Os borrões, as falhas e os erros de Abraão, Isaac e Jacob, foram perfeitamente lavados, e eles tomaram seu lugar no meio "os espíritos dos justos aperfeiçoados;" mas sua história continua a ser, na página de inspiração, para a exibição da graça de Deus, e para o aviso do povo de Deus em todas as idades; E, além disso, que a minha claramente ver que Deus bendito não foi lidar com os homens e mulheres perfeitos, mas com os de "como paixões que nós" que Ele foi andando e tendo com as mesmas falhas, as mesmas fraquezas, os mesmos erros, como aqueles sobre os quais estamos de luto todos os dias. Isto é particularmente reconfortante para o coração; e pode muito bem estar em contraste marcante com a maneira em que a grande maioria de biografias humanos são escritos, em "que, na sua maior parte, encontramos, não a história dos homens, mas de seres desprovidos de erro e da enfermidade. histórias tem sim o efeito desencorajador do que de edificar quem os lê. eles são bastante histórias do que os homens deveriam ser, do que do que elas realmente são, e eles são, portanto, inútil para nós, sim, não só inútil, mas travesso .

Nada pode edificar salvar a apresentação de Deus lidando com o homem como ele realmente é; e é isso que a palavra nos dá. O capítulo antes de nós ilustra isto muito plenamente. Aqui encontramos o velho patriarca Isaac, de pé, por assim dizer, no portal da eternidade, da terra e da natureza rápido desaparecendo de sua vista, ainda ocupava cerca de "carne saborosa", e sobre a agir em oposição direta com o divino conselho, abençoando o mais velho em vez do mais novo. Verdadeiramente este era natureza, ea natureza, com seus "olhos apagados." Se Esaú vendeu sua primogenitura por um prato de lentilhas, Isaac estava prestes a dar a bênção por um prato de carne de veado, Como muito humilhante!

Mas o propósito de Deus deve ficar de pé, e Ele fará todo o Seu prazer. A fé sabe disso; e, no poder do que o conhecimento, pode esperar o tempo de Deus. Esta natureza nunca pode fazer, mas deve definir sobre ganhar seus próprios fins, pelas suas próprias invenções. Estes são os dois pontos grandes trazidos na história de Jacob - efeito da graça de Deus, por um lado; e, por outro, a natureza conspirar e tramar para alcançar o que o efeito teria infalivelmente provocado, sem qualquer enredo ou esquema em tudo. Isso simplifica a história de Jacob, surpreendentemente, e não só simplifica-lo, mas aumenta o interesse da alma também. Não há nada, talvez, em que estamos tão lamentavelmente deficiente, como na graça do paciente, dependência auto-renunciando a Deus. Natureza estará trabalhando em alguma forma ou de outra, e, portanto, tanto quanto nele se encontra, dificultando o resplendor da graça e do poder divino. Deus não precisa da ajuda de elementos como a astúcia de Rebeca e engano bruta de Jacob, a fim de cumprir o Seu propósito. Ele havia dito, "o mais velho servirá ao mais jovem." Isso foi o suficiente - o suficiente para a fé, mas não o suficiente para a natureza, que deve sempre adotar seus próprios caminhos, e não sabe nada do que é esperar em Deus.

Agora, nada pode ser mais verdadeiramente abençoada do que a posição de pendurar na dependência pueril em Deus, e sendo totalmente satisfeito que esperar para o seu tempo. É verdade, que irá envolver julgamento; mas a mente renovada aprende algumas de suas lições mais profundas, e goza de algumas das suas experiências mais doces, enquanto espera no Senhor; e quanto mais pressionando a tentação de tomar-nos para fora de suas mãos, a mais rica será a bênção de deixar-nos lá. É tão excessivamente doce encontrar-nos inteiramente dependente aquele que encontra infinita alegria em nos abençoar. É somente aqueles que provaram, em qualquer pequena medida, a realidade desta posição maravilhosa que pode em todos apreciá-lo. O único que já ocupou perfeitamente e ininterruptamente foi o próprio Senhor Jesus. Ele estava sempre dependente de Deus, e totalmente rejeitado todas as propostas do inimigo para ser outra coisa. Sua linguagem era, "em ti confio;" e novamente, "fui lançado sobre ti desde o ventre." Assim, quando tentado pelo diabo para fazer um esforço para satisfazer sua fome, sua resposta foi: "Está escrito: O homem não vive só de pão, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus". Quando tentado a lançar-se do pináculo do templo, Sua resposta foi: "Também está escrito: Tu não tentarás o Senhor teu Deus." Quando tentados a tomar os reinos do mundo a partir do lado de outro que não Deus, e fazendo homenagem a outro que não ele, sua resposta foi: "Está escrito: Tu adorar o Senhor teu Deus, e só a ele servirás. " Em uma palavra, nada poderia seduzir o homem perfeito do local de absoluta dependência de Deus. É verdade, era o propósito de Deus para sustentar o Seu Filho; que era Seu propósito que Ele de repente virá ao seu templo; era seu propósito de dar-Lhe os reinos deste mundo; mas esta foi a razão pela qual o Senhor Jesus iria simplesmente e sem interrupção esperar em Deus para a realização de Seu propósito, em Seu próprio tempo e à Sua própria maneira. Ele não começou a realizar seus próprios fins. Ele deixou a Si mesmo totalmente à disposição de Deus. Ele só iria comer quando Deus lhe deu pão; Ele só iria entrar no templo quando enviado de Deus; Ele irá ascender ao trono quando Deus nomeia o tempo. "Assenta-te à minha direita, até que eu ponha os teus inimigos escabelo de teus pés." ( Salmos 110: 1-7 )

Esta profunda submissão do Filho ao Pai é admirável além da expressão. Embora inteiramente igual a Deus, Ele tomou, como homem, o lugar de dependência, regozijando-se sempre na vontade do Pai; dando graças mesmo quando as coisas pareciam estar contra Ele; fazendo sempre as coisas que agradavam ao Pai; fazer: é Sua grandiosa e uvarying objeto para glorificar o Pai; e, finalmente, quando tudo foi realizado, quando Ele tinha perfeitamente consumado a obra que o Pai lhe entregara, assoprou Seu espírito nas mãos do Pai, e Sua carne descansou na esperança da glória prometida e exaltação. Bem, portanto, que o apóstolo inspirado diz: "De sorte que haja em vós, que houve também em Cristo Jesus, que, sendo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus, mas a si mesmo se esvaziou e, tomando a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz Pelo que também Deus. o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que está acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai "

Quão pouco Jacob sabia, na abertura de sua história, desta mente abençoado! Quão pouco ele estava preparado para esperar o tempo de Deus e da maneira de Deus! Ele preferia muito mais o tempo de Jacob e forma de Jacob. Ele pensou que muito melhor para chegar à bênção e da herança por todo tipo de astúcia e engano, do que pela simples dependência e sujeição a Deus, cuja graça eletiva havia prometido, e cuja onipotente poder e sabedoria seria seguramente realizar tudo para ele.

Mas, oh! quão bem se sabe a oposição do coração humano a tudo isso! Qualquer atitude para ele salvar a de paciente espera em Deus. É quase o suficiente para conduzir a natureza para distração para encontrar-se desprovidos de todo o recurso, mas Deus. Isto diz-nos, em linguagem para não ser mal interpretado, o verdadeiro caráter da natureza humana. A fim de saber o que a natureza é, eu não precisam viajar para as cenas de vício e crime que justamente chocar todo o senso moral refinado. Não; tudo o que é necessário é apenas para experimentá-lo por um momento no lugar de dependência, e ver como ele vai realizar-se lá. Ela realmente não sabe nada de Deus, e, portanto, não pode confiar nele; e aqui foi o segredo de toda a sua miséria e degradação moral. É totalmente ignorantes do verdadeiro Deus, e pode, portanto, ser nada mais, mas uma coisa em ruínas e sem valor. O conhecimento de Deus é a fonte da vida - sim, é a própria vida; e até que um homem tem a vida, quem é ele? ou, o que pode ser?

Agora, em Rebeca e Jacó, vemos a natureza aproveitando da natureza em Isaac e Esau. Foi realmente isso. Não há espera em Deus que seja. Os olhos de Isaac foram dim, ele poderia, portanto, ser imposta, e puseram-se a fazê-lo, em vez de olhar fora a Deus, que teria inteiramente frustrados propósito de Isaac para abençoar aquele a quem Deus não abençoar - um propósito? fundada na natureza, ea natureza mais desagradável, para "Isaac preferia Esaú," não porque ele era o primogênito, mas "porque comia da sua caça." Como humilhante!

Mas temos a certeza de trazer tristeza sem mistura sobre nós, quando tomamos nós mesmos, nossas circunstâncias, ou os nossos destinos, fora das mãos de Deus. * Assim foi com Jacob, como veremos na sequência. Tem sido observado por outro, que quem observa a vida de Jacob, depois de ter obtido secretamente a bênção de seu pai, vai perceber que ele gostava muito pouca felicidade mundana. Seu irmão propósito de matá-lo, para evitar que ele foi forçado a fugir da casa de seu pai; seu tio Labão enganado ele, como ele havia enganado seu pai, e tratou-o com grande rigor; depois de uma servidão de vinte e um anos, ele foi obrigado a deixá-lo de forma clandestina, e não sem perigo de ser trazida de volta ou assassinado por seu irmão enfurecido; Assim que estes medos mais, do que ele experimentou a vileza de seu filho Reuben, em contaminando sua cama; ele tinha ao lado de lamentar a traição e crueldade de Simeão e Levi em relação siquemitas; então ele tinha que sentir a perda de sua amada esposa; ele estava próximo imposta por seus próprios filhos, e teve que lamentar o fim prematuro suposto de José; e, para completar tudo, ele foi forçado pela fome de ir para o Egito, e ali morreu em uma terra estranha. Então, só, maravilhoso, e instrutivo são todos os caminhos da Providência ".

{* Devemos sempre lembrar, em um lugar de julgamento, que o que nós queremos não é uma mudança de circunstâncias, mas a vitória sobre o auto.}

Este é um retrato verdadeiro, tanto quanto Jacob estava em causa; mas isso só nos dá um lado, e que o lado sombrio. Bendito seja Deus, há um lado positivo, da mesma forma, porque Deus tinha a ver com Jacob; e, em cada cena de sua vida, quando Jacob foi chamado para colher os frutos de sua própria trama e desonestidade, o Deus de Jacob trouxe o bem do mal, e causou sua graça abundar sobre todo o pecado e loucura de Seu pobre servo . Isso veremos como proceder à sua história.

I deve apenas oferecer uma observação aqui sobre Isaque, Rebeca, e Esaú. É muito interessante observar como, apesar da exposição de fraqueza excessiva da natureza, na abertura de Gênesis 27: 1-46 , Isaac mantém, pela fé, a dignidade que Deus lhe conferiu-lhe. Ele abençoa com toda a consciência de ser dotado de poder de abençoar! Ele diz: "Eu tenho abençoado, sim, e ele será abençoado .. Eis aqui, tenho-o teu Senhor fez, e todos os seus irmãos lhe tenho dado por servos; e de trigo e de vinho o tenho fortalecido; e o que devo fazer agora a ti, meu filho? " Ele fala como alguém que, pela fé, tinha à sua disposição todos os tesouros da terra. Não há nenhuma falsa humildade, não tomando um terreno baixo em razão da manifestação da natureza. Na verdade, ele estava às vésperas de cometer um erro grave - mesmo de se mover para a direita athwart o conselho de Deus; Ainda assim, ele sabia que Deus, e tomou seu lugar em conformidade, dispensando bênçãos em toda a dignidade e poder da fé. "Eu já o abençoou, sim, e ele será bendito." "Com o milho eo vinho o tenho fortalecido." É a província de fé correta para superar a falha própria tudo de um e as consequências daí resultantes, para o lugar onde a graça de Deus nos colocou.

Como a Rebeca, ela foi chamada para sentir todos os tristes resultados de seus atos ardilosos. Ela, sem dúvida, imaginou que ela estava administrando assuntos mais habilmente; mas, infelizmente! ela nunca viu Jacob novamente: tanto para a gestão! Quão diferente teria sido se ela deixou o assunto inteiramente nas mãos de Deus. Esta é a maneira em que a fé gere, e é sempre um ganhador. "Qual de vós, por preocupar-se, pode adicionar à sua estatura de um côvado?" Nós não ganha nada com a nossa ansiedade e planejamento; nós só excluídos Deus, e que há ganho. É um justo julgamento da mão de Deus para ser deixada para colher os frutos, dos nossos próprios dispositivos; e eu sei de algumas coisas mais triste do que ver um filho de Deus tão completamente esquecendo seu devido lugar e privilégio, como para assumir a gestão dos seus assuntos em suas próprias mãos. As aves do céu e os lírios do campo, pode muito bem ser os nossos professores quando até agora esquecer a nossa posição de dependência sem ressalvas em Deus.

Então, novamente, como a Esaú, o apóstolo chama de "uma pessoa profana, que por uma refeição vendeu o seu direito de primogenitura", e "depois, quando ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado; porque não achou lugar de mudança de mente, ainda que o buscou diligentemente com lágrimas. " Assim, aprendemos que uma pessoa profana é, viz. aquele que gostaria de realizar dois mundos; aquele que gostaria de desfrutar o presente, sem perder o seu título para o futuro. Este é, de modo algum, um caso incomum. Ela expressa a nós o professor mundana mero, cuja consciência nunca se sentiu a acção da verdade divina, e cujo coração nunca sentiu a influência da graça divina.

Nós agora são chamados para rastrear Jacob em seu movimento de debaixo de seu teto pais, a vê-lo como um andarilho sem teto e solitário na terra. É aqui que as operações especiais de Deus com ele começar. Jacob agora começa a perceber, em alguma medida, o fruto amargo de sua conduta, em referência a Esaú; enquanto, ao mesmo tempo, Deus é visto subindo acima de tudo a fraqueza e loucura de Seu servo, e exibindo Sua própria graça soberana e profunda sabedoria em Seu trato com ele. Deus realizará seu próprio propósito, não importa pelo que instrumentalidade; Mas se Seu filho, na impenitência do espírito, ea incredulidade de coração, vai levar-se fora de suas mãos, ele deve esperar muito exercício triste e dolorosa disciplina. Assim foi com Jacob: ele poderia não ter tido a fugir para Haran, se tivesse permitido Deus para agir em seu nome. Deus seria, certamente, têm lidado com Esaú, e levou-o a encontrar o seu lugar destinado e parte; e Jacob poderia ter desfrutado de que a paz doce que nada pode render economia de toda sujeição em todas as coisas à mão e conselho de Deus.

Mas aqui é onde a fraqueza excessiva de nossos corações é constantemente divulgado. Nós não mentem passivo nas mãos de Deus; estaremos agindo; e, por nossa atuação, que impedem a exibição de graça e poder de Deus em nosso favor. "Aquietai-vos e sabei que eu sou Deus", é um preceito que nada, salvar o poder da graça divina, pode permitir a obedecer. "Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. O Senhor está próximo. ( Eggus ) Tenha cuidado para nada, mas em tudo, pela oração e súplica com ações de graças, sejam as vossas petições conhecidas diante de Deus." Qual será o resultado desta atividade? "A paz de Deus, que excede todo o entendimento, guarnição ( phrouresei ) seus corações e mentes em Cristo Jesus." ( Filipenses 4: 5-7 )

No entanto, Deus graciosamente anula nossa loucura e fraqueza, e enquanto nós somos chamados a colher os frutos de nossos caminhos incrédulos e impaciente, ele aproveita a ocasião com eles para ensinar nossos corações lições ainda mais profundos de sua própria graça concurso e sabedoria perfeita. Este, ao mesmo tempo que, seguramente, não oferece qualquer garantia sequer para a incredulidade e impaciência, não mais maravilhosamente exibem a bondade do nosso Deus, e confortar o coração, mesmo enquanto nós pode estar passando através das circunstâncias dolorosas decorrentes de nosso fracasso. Deus está acima de todos; e, além disso, é sua prerrogativa especial para trazer o bem do mal; para fazer a carne de rendimento comedor, ea forte doçura de rendimento; e, portanto, se é bem verdade que Jacob foi obrigado a ser um exilado de telhado de seu pai, em consequência de sua própria atuação inquieto e enganoso, é igualmente verdade que ele nunca poderia ter aprendido o significado de "Betel" que ele tinha sido discretamente em casa. Assim, os dois lados da imagem são fortemente marcadas em cada cena da história de Jacob. Foi quando ele foi levado, por sua própria loucura, da casa de Isaac, que ele foi levado a gosto, em alguma medida, a bem-aventurança e solenidade de "casa de Deus".

"E Jacó de Berseba, e foi a Harã e ele caiu em um determinado lugar, e passaram ali a noite toda, porque o sol era posto;. E tomou uma das pedras do lugar e pondo-a debaixo da cabeça, deitou-se naquele lugar para dormir. " Aqui encontramos o andarilho sem teto apenas na própria posição em que Deus poderia encontrá-lo, e no qual ele poderia se desdobrar Seus propósitos de graça e glória. Nada poderia ser mais expressivo de desamparo e nada do que a condição de Jacob como aqui definido antes de nós. Sob o dossel do céu aberto, com um travesseiro de pedra, na condição de desamparo do sono. Foi assim que o Deus de Betel desdobrado para Jacob Seus propósitos com respeito a ele e à sua descendência. "E sonhou: e eis uma escada posta na terra, cujo topo chegava ao céu;. E eis que os anjos de Deus subindo e descendo por ela E eis que o Senhor estava em cima dela, e disse: Eu sou o Senhor, Deus de Abraão teu pai, eo Deus de Isaac:. a terra em que estás deitado, te hei de dar a ti, e à tua descendência ea tua descendência será como o pó da terra, e tu espalhados ao serão benditas em ti e na tua descendência todas as famílias da terra e eis que eu estou contigo, e te guardarem em todos os lugares para onde: oeste e para o leste, e para o norte e para o sul. fores, e te farei tornar a esta terra;. para que eu não te deixarei, até que eu tenha feito o que eu tenho falado a ti de "

Aqui temos, de fato, "graça e glória." A escada "definir sobre a terra" naturalmente leva o coração a meditar sobre a exibição da graça de Deus, na Pessoa e obra de Seu Filho. Sobre a terra era que a obra maravilhosa foi realizado que constitui a base, a base forte e eterno, de todos os conselhos divinos em referência a Israel, a Igreja e o mundo em geral. Na terra que foi que Jesus viveu difícil. é morreu; que, através da Sua morte, Ele pode remover para fora do caminho todos os obstáculos à realização do propósito divino de bênção para o homem.

Mas "o topo da escada chegava ao céu." Ele formou o meio de comunicação entre o céu ea terra; e "eis que os anjos de Deus subindo e descendo por ela" - impressionante e bela foto dele por quem Deus desceu em toda a profundidade da necessidade do homem, e por quem também ele trouxe o homem e colocou-o em sua própria presença para sempre, no poder da justiça divina! Deus fez provisão para a realização de todos os seus planos, apesar da loucura e pecado do homem; e é para a alegria eterna de qualquer alma a encontrar-se, pelo ensinamento do Espírito Santo, dentro dos limites do propósito da graça de Deus.

O profeta Oséias leva-nos ao tempo em que foi prenunciado pela escada de Jacó terá a sua plena realização. "E naquele dia farei por eles aliança com as feras do campo, e com as aves do céu, e com os répteis da terra; e eu quebrarei o arco, ea espada, ea batalha, -se da terra, e os farei deitar em segurança e desposar-te-ei comigo para sempre;. sim, desposar-te-ei comigo em justiça, e em juízo, e em benignidade, e em misericórdias; I e desposar-te-ei comigo em fidelidade, e saberás que o Senhor e virá para passar naquele dia, eu os ouvirei, diz o Senhor, eu ouvirei dos céus, e estes responderão a terra;. ea terra responderá ao trigo, e ao vinho, e ao azeite, e estes responderão a Jizreel e eu semeá-la-ei comigo em terra;. e terei misericórdia de sua misericórdia que não tinha obtido, e eu vou dizer a eles que não era meu povo: Tu és o meu povo; e ela dirá: Tu és o meu Deus ". ( Oséias 2: 18-23 ) Há também uma expressão no primeiro capítulo de João, tendo em cima notável visão de Jacob; É a palavra de Cristo a Natanael: "Em verdade, em verdade eu vos digo: vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do homem." (Ver. 51)

Agora essa visão de Jacob é uma divulgação muito abençoado da graça divina para Israel. Fomos levados para ver algo do caráter real de Jacob, algo, também, de sua condição real; ambos eram, evidentemente, como para mostrar que ele deve ser tanto a graça divina para ele, ou nada. Ao nascimento, ele não tinha direito; nem ainda pelo caráter. Esaú pode apresentar alguma reclamação sobre estes dois motivos; ou seja, desde prerrogativa de Deus foram postos de lado; mas Jacob não tinha direito algum; e, portanto, enquanto Esaú só poderia estar sobre a exclusão da prerrogativa de Deus, Jacob só poderia estar sobre a introdução e estabelecimento dos mesmos. Jacob era um pecador, e tão completamente desprovido de qualquer reivindicação, tanto por nascimento e pela prática, que ele não tinha nada para descansar após salvar propósito de pura graça, livre e soberana de Deus. Assim, na revelação que o Senhor faz ao Seu servo escolhido, na passagem que acabamos de citar, é um simples registro ou previsão daquilo que ele próprio ainda faria. " Eu sou .... I vai dar .... I vai manter .... I vai trazer ..... eu não te deixarei até que eu fiz o que eu falei a ti, desde a" Era tudo Ele mesmo. Não há nenhuma condição que seja. Sem se ou mas ; para quando a graça age não pode haver tal coisa. Onde há um caso , ele não pode, eventualmente, ser a graça. Não que Deus não pode colocar o homem em uma posição de responsabilidade, em que ele tem que dirigir a ele com um 'se'. Sabemos que Ele pode; mas Jacob dormindo sobre um travesseiro de pedra não estava em uma posição de responsabilidade, mas do desamparo mais profunda e necessidade; e, portanto, ele estava em uma posição para receber uma revelação da graça máximo, mais rico e mais incondicional.

Agora, não podemos deixar de possuir a bem-aventurança de estar em tal condição, que não temos nada para descansar após salvar o próprio Deus; e, além disso, que é no estabelecimento mais perfeita da própria personalidade e prerrogativa que obtemos toda a nossa verdadeira alegria ea bênção de Deus. De acordo com este princípio, seria uma perda irreparável para nós ter qualquer fundamento de nossa própria para ficar em cima, pois nesse caso, Deus deve nos dirigir no chão de responsabilidade, e o fracasso seria então inevitável. Jacob era tão ruim, que ninguém senão o próprio Deus poderia fazer por ele.

E, seja ele observou, que era sua falha no reconhecimento habitual isso que o levou a tanta dor e pressão. Revelação de Si mesmo de Deus é uma coisa, eo nosso descanso em que a revelação é outra completamente diferente. Deus se mostra a Jacob, na infinita graça; mas não antes faz Jacob despertarmos do sono, do que encontrá-lo a desenvolver seu verdadeiro caráter, e provando o quão pouco ele sabia, praticamente, do Abençoado que tinha acabado de ser revelando-se tão maravilhosamente com ele. "Ele estava com medo, e disse: Quão terrível é este lugar! Esta é outra ninguém senão a casa de Deus, e esta é a porta dos céus." Seu coração não estava em casa na presença de Deus; nem qualquer coração ser assim até que tenha sido completamente esvaziada e quebrada. Deus está em casa, bendito seja o Seu nome, com um coração quebrantado e um coração quebrado em casa com ele. Mas o coração de Jacob ainda não estava nessa condição; nem tinha ainda aprendido a depositar, como uma criança pequena, no amor perfeito de alguém que poderia dizer: "Amei Jacó." "O perfeito amor lança fora o medo;" mas caso tal amor não é conhecida e plenamente realizado, sempre haverá uma medida de desconforto e perturbação. Casa de Deus e a presença de Deus não são terríveis para uma alma que conhece o amor de Deus expressa no sacrifício perfeito de Cristo. tal alma é, em vez levou a dizer: "Senhor, eu amo o recinto da tua casa eo lugar onde permanece a tua glória." ( Salmos 26: 8 ) E, novamente, "Uma coisa pedi ao Senhor, para que eu a buscarei: que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a formosura do Senhor , e inquirir no seu templo ". ( Salmos 27: 4 ) e novamente,! ". Quão amáveis são os teus tabernáculos, ó Senhor dos exércitos minha alma suspira! Sim, desfalece pelos átrios do Senhor" ( Salmos 84: 1-12 ) Quando o coração está estabelecido no conhecimento de Deus, ele certamente vai amar a Sua casa, seja qual for o caráter dessa casa pode ser, quer se trate de Bethel, ou o templo em Jerusalém, ou a Igreja agora composta por todos os crentes verdadeiros ", edificaram juntos para morada de Deus no Espírito". No entanto, o conhecimento de Jacob, tanto de Deus e Sua casa, era muito rasa, naquele momento de sua história em que estamos agora a habitação.

Teremos ocasião, mais uma vez, para se referir a alguns princípios relacionados com Betel; e deverá, agora, fechar nossas meditações sobre este capítulo, com um breve aviso de barganha de Jacó com Deus, tão verdadeiramente característico dele, e assim demonstrativa da verdade da declaração no que diz respeito à superficialidade de seu conhecimento do caráter divino. "E Jacó fez um voto, dizendo: Se Deus for comigo, e me guardar nesta maio que eu vá, e me der pão para comer e vestes para vestir, de modo que eu volte para a casa de meu Pai em paz, então o Senhor será o meu Deus, e esta pedra que tenho posto por coluna será casa de Deus; e de tudo o que me deres, eu certamente vai dar o décimo a ti ". Observe-se, " se Deus estará comigo." Agora, o Senhor tinha acabado de dizer, enfaticamente: "Eu estou contigo, e te guardarei em todos os lugares para onde fores, e te farei tornar a esta terra," & c. E o coração ainda pobre Jacob não pode ir além de um " se ", nem, nos seus pensamentos de bondade de Deus, ele pode subir mais alto do que o "pão para comer e vestes colocar." Tais eram os pensamentos de alguém que tinha acabado de ver a magnífica visão da escada que chegava da terra ao céu, com o Senhor de pé acima, e prometendo uma multidão incontável de sementes, e uma possessão eterna. Jacob era evidentemente incapaz de entrar na realidade e plenitude dos pensamentos de Deus. Ele mediu a Deus por si mesmo, e, assim, falhou completamente para capturá-lo. Em suma, Jacob ainda não tinha, na verdade, chegou ao final de si mesmo; e, portanto, ele não tinha realmente começado com Deus.

"Então Jacob também seguiu o seu caminho e chegou à terra dos filhos do Oriente." Como acabamos de ver, em Gênesis 28: 1-22 Jacob falha completamente na apreensão do caráter real de Deus, e atende toda a rica graça de Bethel com um "se" e uma barganha miserável sobre comida e roupa. Temos agora segui-lo em uma cena de tomada de negócio completo. "Tudo o que o homem semear, isso também ceifará." Não há nenhuma possibilidade de escapar dessa. Jacob ainda não tinha encontrado o seu verdadeiro nível, na presença de Deus; e, portanto, Deus usa as circunstâncias para corrigir e quebrá-lo para baixo.

Este é o verdadeiro segredo de muito, muito, do nosso sofrimento e provação no mundo. Nossos corações nunca foram realmente quebrado diante do Senhor; nunca fomos auto-julgado e auto-esvaziado; e, portanto, uma e outra vez, nós, por assim dizer, bater a cabeça contra a parede. Ninguém pode realmente desfrutar de Deus até que ele chegou ao fundo de si mesmo, e por esta razão simples, que Deus começou a exibição de si mesmo no próprio momento em que o final da carne é visto. Se, portanto, eu não chegou ao fim da minha carne, na experiência profunda e positiva da minha alma, é moralmente impossível que eu posso ter qualquer coisa como uma apreensão apenas do caráter de Deus. Mas devo, de alguma forma ou de outra, ser conduzida para a verdadeira medida da natureza. Para alcançar este fim, o Senhor faz uso de várias agências que, não importa o que eles são, só estão eficaz quando usado por Ele com a finalidade de divulgar, em nossa opinião, o verdadeiro caráter de tudo o que está em nossos corações. Quantas vezes nós encontrar como no caso de Jacob, que, mesmo embora o Senhor pode vir perto de nós, e falar aos nossos ouvidos, ainda não entendemos a sua voz, ou tomar o nosso verdadeiro lugar na Sua presença. "O Senhor está neste lugar, e eu sabia que não ..... Quão terrível é este lugar!" Jacob não aprendeu nada com tudo isso, e, portanto, precisava de vinte anos de escolaridade terrível, e que, também, em uma escola maravilhosamente adaptadas para a sua carne; e mesmo que, como veremos, não foi suficiente para quebrá-lo para baixo.

No entanto, é notável ver como ele recebe de volta em uma atmosfera tão inteiramente adequada à sua constituição moral. O Jacob de tomada de negócio, se reúne com o Laban de tomada de negócio, e ambos são vistos, por assim dizer, esticando cada nervo para enganar o outro. Também não podemos admirar Laban, pois ele nunca tinha sido em Betel: ele tinha visto nenhum céu aberto, com uma escada que chegava dali para a terra; ele tinha ouvido sem promessas magníficas dos lábios do Senhor, garantindo a ele toda a terra de Canaã, com uma semente inúmeras: não é de admirar, portanto, que ele deve apresentar um espírito agarrar rastejante; ele não tinha outro recurso. É inútil esperar de homens mundanos outra coisa que não um espírito mundano, e princípios mundanos e formas; eles têm obtido nada superior; e você não pode trazer uma coisa limpa da impureza. Mas para encontrar Jacob, depois de tudo o que tinha visto e ouvido em Betel, lutando com um homem do mundo, e procurando, por tais meios, para acumular bens, é humilhante peculiar.

E, no entanto, infelizmente! Não é uma coisa incomum encontrar os filhos de Deus esquecendo assim os seus altos destinos e herança celestial, e descendo para com os filhos deste mundo da arena, a lutar lá para as riquezas e honras de perecimento, terra ferido pelo pecado. Na verdade, a tal ponto isso é verdade, em muitos casos, que muitas vezes é difícil traçar uma única evidência de que o princípio que São João nos diz "vence o mundo." Olhando para Jacob e Laban, e julgando deles em princípios naturais, seria difícil rastrear qualquer diferença. Deve-se chegar por trás das cenas, e entrar em pensamentos de Deus sobre ambos, a fim de ver quão amplamente eles diferiam. Mas foi Deus que os fizera diferem, e não Jacob; e assim é agora. Por mais difícil que possa ser para rastrear qualquer diferença entre os filhos da luz e os filhos das trevas, não há, no entanto, uma diferença muito grande, na verdade - uma diferença fundada no fato solene de que os primeiros são "vasos de misericórdia, que Deus tem de antemão preparou para a glória ", enquanto os últimos são" os vasos da ira, equipados (não por Deus, mas por causa do pecado) para a destruição ". Romanos 9: 22-23 ) * Isso faz uma diferença muito grave. O Jacobs e os Labans diferir materialmente, e têm diferido, e será diferente para sempre, embora o primeiro pode tão tristemente falhar na realização e exibição prática do seu verdadeiro caráter e dignidade.

{* É profundamente interessante para a mente espiritual para marcar como diligentemente o Espírito de Deus, em Romanos 9: 1-33 e certamente durante todo todas as escrituras, protege contra a inferência horrível que a mente humana extrai da doutrina da eleição de Deus - quando ele fala de "vasos de ira", ele simplesmente diz: "preparados para a perdição". Ele não diz que Deus "equipado"-los.

Considerando, por outro lado, quando Ele se refere a "vasos de misericórdia", diz ele, "a quem de antemão preparou para a glória." Este é mais marcante.

Se o meu leitor se voltar por um momento para Mateus 25: 34-41 , ele vai encontrar um outro exemplo marcante e bela da mesma coisa.

Quando o rei se dirige àqueles à sua direita, ele diz: " Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo." (Verso 34) Mas quando se dirige que estiverem à sua esquerda, Ele diz: "Afasta de mim malditos". Ele não diz, "maldito de meu Pai." E, além disso, Ele diz: "para o fogo eterno, preparado," não para você , mas "para o diabo e seus anjos". (Verso 41)

Em uma palavra, então, é claro que Deus tem "preparado" um reino de glória, e "vasos de misericórdia" para herdar o reino; mas Ele não se preparou "fogo eterno" para os homens, mas para o "diabo e seus anjos" nem tem provido os "vasos de ira", mas eles têm se equipado.

A palavra de Deus estabelece como claramente "eleição", uma vez que diligentemente protege contra " reprovação ". Todo aquele que se encontra no céu terá de agradecer a Deus por isso; e todos que se encontra no inferno terá de agradecer a si mesmo.}

Agora, no caso de Jacob, conforme estabelecido nos três capítulos agora diante de nós, toda a sua labuta e de trabalho, como seu negócio miserável antes, é o resultado de sua ignorância da graça de Deus, e sua incapacidade de pôr implícita confiança na promessa de Deus. O homem que poderia dizer, depois de uma promessa mais sem reservas por Deus para dar-lhe toda a terra de Canaã, "Se Deus me der pão para comer e vestes para vestir," poderia ter tido, mas um muito ténue apreensão de quem Deus era ou o que a Sua promessa era qualquer um; e, por isso, podemos vê-lo a tentar fazer o melhor que pode para si mesmo. Este é sempre o caminho quando a graça não é compreendido: os princípios da graça pode ser professada, mas a verdadeira medida da nossa experiência do poder da graça é outra coisa. Um teria imaginado que a visão de Jacob lhe tinha dito um conto da graça; mas a revelação de Deus em Betel, e atos de Jacó em Haran, são duas coisas muito diferentes; mas este último dizer o que estava sentido de que o ex-Jacob. Caráter e conduta provar a medida real da experiência e convicção da alma, qualquer que seja a profissão pode ser. Mas Jacob nunca tinha ainda sido levada ao medir-se na presença de Deus, e por isso ele era ignorante da graça, e ele provou a sua ignorância, medindo-se com Labão, e adotando suas máximas e maneiras.

Não se pode deixar de observar o fato de que na medida em que Jacob não conseguiu aprender e julgar o caráter inerente de sua carne diante de Deus, pois ele era, na providência de Deus, levou na própria esfera em que esse personagem foi totalmente expostas em suas linhas mais amplas . Ele foi conduzido para Haran, o país de Labão e Rebeca, a própria escola de onde esses princípios, em que ele foi, um notável perito, emanava, e onde eles foram ensinados, exibiu, e mantida. Se alguém quisesse saber o que Deus era, ele deve ir a Betel; se a aprender o que o homem era, ele deve ir para Haran. Mas Jacob não tinha tomado na revelação do próprio Deus em Betel, e ele, portanto, foi para Haran, e não mostrou o que era - e oh, o embaralhamento e raspar! o que baralhar e mudança! Não há confiança santa e elevada em Deus, não olhando simplesmente para e esperando Nele. É verdade que Deus estava com Jacob - pois nada pode impedir o resplendor da graça divina. Além disso, Jacob em uma medida possui presença e fidelidade de Deus. Ainda nada pode ser feito sem um esquema e um plano. Jacob não pode permitir que Deus para resolver a questão de suas esposas e seus salários, mas procura resolver tudo por sua própria astúcia e gestão. Em suma, é "o usurpador" por toda parte. Deixe a sua vez, leitor, por exemplo, para Gênesis 30: 37-42 , e dizer onde ele pode encontrar uma peça mais magistral de astúcia. É, na verdade, uma imagem perfeita de Jacob. No lugar de permitir que Deus multiplique "os listrados, salpicados e malhados", como ser mais seguramente poderia ter feito, ele tinha sido confiado, ele define sobre como proteger a sua multiplicação por um pedaço de política que só poderia ter encontrado a sua origem no a mente de um Jacob. Assim, em todos os seus atos, durante a estada seus vinte anos com Labão; e, finalmente, ele, mais caracteristicamente, "rouba", mantendo assim, em tudo, a sua coerência com o próprio.

Agora, ele está em traçar verdadeiro caráter de Jacob, de etapa em etapa de sua história extraordinária, que se obtém uma vista maravilhosa da graça divina. Nenhum, mas Deus poderia ter suportado com um tal, como só Deus teria tomado tal um. Graça começa no ponto mais baixo. Leva-se o homem como ele é, e lida com ele na inteligência completa do que ele é. É o último importância compreender esta característica da graça em sua primeira partida; permite-nos suportar, com firmeza de coração, o pós descobertas de vileza pessoal, que tão frequentemente abalar a confiança e perturbam, a paz dos filhos de Deus.

Muitos são os que, num primeiro momento, falhar na apreensão completa da ruína da natureza, como olhou na presença de Deus, embora seus corações foram atraídos pela graça de Deus, e suas consciências tranquilizou, em algum grau, pela aplicação do sangue de Cristo. Assim, à medida que ficam na em seu curso, eles começam a fazer descobertas mais profundas do mal dentro, e, por ser deficiente em suas apreensões da graça de Deus, e a extensão e eficácia do sacrifício de Cristo, eles imediatamente levantar uma questão de saber seus filhos de Deus em tudo. Assim, eles são retirados Cristo, e jogado em si mesmos, e então eles quer-se valer ainda de ordenanças, a fim de manter o seu tom de devoção, ou então cair de volta para o mundanismo completa e carnalidade. Estes são consequências desastrosas, e todo o resultado de não ter "o coração criada em graça".

É isso que torna o estudo da história de Jacob tão profundamente interessante e eminentemente útil. Ninguém pode ler os três capítulos agora diante de nós, e não ser atingido no incrível graça que poderia levar até um tal como Jacob, e não só levá-lo para cima, mas dizem que, após a descoberta cheio de tudo o que havia nele, "ele não se observa iniqüidade em Jacó, nem se vê maldade em Israel." ( Números 23:21 ) Ele não diz que a iniqüidade e perversidade não estavam nele. Isso nunca daria a confiança do coração - a mesma coisa, acima de todos os outros, o que Deus deseja dar. Ela não bastam para assegurar o coração de um pobre pecador, para ser dito que não havia nenhum pecado nele ; para, infelizmente! ele sabe muito bem que existe; mas para ser dito que não há pecado em ele, e que, além disso, aos olhos de Deus, no simples fundamento do sacrifício perfeito de Cristo, deve infalivelmente o seu coração e de consciência em repouso. Se Deus tivesse tomado Esaú, não devemos ter tido, por qualquer meio, de uma exposição tão abençoada de graça; por esta razão, que ele não aparecer diante de nós na luz unamiable em que vemos Jacob. Quanto mais o homem se afunda, a graça mais de Deus sobe. Como a minha dívida sobe, na minha opinião, da cinquenta cêntimos até quinhentos, assim que meu senso de graça sobe também, a minha experiência de amor que, quando "não tinha nada a pagar, poderia" francamente perdoar "a todos nós. ( Lucas 07:42 ) bem pode o apóstolo diz, "é uma coisa boa que o coração se fortifique com a graça:. não com alimentos, que não trouxeram proveito algum aos que foram nele ocupada" ( Hebreus 13: 9 )

fonte www.avivamentonosul.com