Translate this Page

Rating: 3.0/5 (931 votos)



ONLINE
6




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


Geograia biblica Ilha de Creta
Geograia biblica Ilha de Creta

                                           Geograia biblica Ilha de Creta           

                               

kret (Krete, Kretes étnicos, Atos 2:11 Tito 1.12 ): Uma ilha que limita o Mar Egeu, na Sul. Estende-se a partir de 34 graus 50 'a 35 graus 40' de latitude norte e 23 graus de 30 'a 26 graus 20' leste longos. Com Cythera no Norte e Carpathos e Rhodos no Nordeste, que forma uma ponte contínua entre a Grécia e Ásia Menor. O centro da ilha é formada por uma cadeia de montanhas que se ergue a uma altura de 8.193 pés em Mt. Ida e franjas com baixos vales ao lado da costa. Não há rios consideráveis; o maior, o Metropole, no Sul, é um pequeno córrego, fordable em qualquer lugar. Uma ilha de extensão considerável (156 milhas de comprimento, e de 7 a 30 milhas de largura), em vários distritos muito fértil e que possuem um ou dois bons portos, parece marcado por sua posição para um papel importante na história do Mediterrâneo oriental . Mas nunca, desde uma idade que já era lendária quando a história grega começou tem Creta ocupava uma posição dominante entre as potências dos continentes circunvizinhos. 

 

Dissensões internas, devido, em tempos antigos para a diversidade de raças que habitam o solo (Eteocretans-os habitantes-Pelasgians originais, Acheans, CYDONIANS e dórios), e nos tempos modernos para o fato de que uma grande minoria da população aceitou a religião Otomano juntamente com governo otomano, mantiveram Creta, em uma posição de inferioridade política em todo o período histórico. 1. História Antiga: Mt. Ida de Creta era famoso na lenda grega como o local de nascimento de Zeus. A semi-lendária, meio-histórica Rei Minos se dizia ser filho de Zeus, e ter derivado de seu pai a sabedoria para que, por um tipo de mito comum em terras gregas, a constituição das cidades de Creta foi atribuída. 

 

Minos foi aceito como um personagem histórico por Tucídides e Aristóteles, que dizem que ele foi o primeiro dynast na Grécia para estabelecer o domínio sobre o mar. Uma de suas façanhas foi a supressão da pirataria em águas de Creta, um feito que teve de ser repetida pelo Pompeu Roman em um período posterior. Aristóteles compara as instituições de Creta com os de Esparta; a ilha foi dito ter sido colonizado por Dorians de Peloponeso (Política II.10). As cidades mais importantes em Creta eram Knossos (cujo palácio foi escavado com resultados frutíferos do Sr. Arthur Evans), Gortyna, perto do Golfo do Messara, e Cydonia, com o seu rio Iardanus. As escavações do Sr. Evans em Cnossos e dos italianos no Phastos (perto de Bons Portos) provar que Creta era um centro da civilização mediterrânea em uma idade precoce. Nos poemas homéricos, é dito Creta para ter contido cem cidades; naquele período os cretenses ainda estavam famoso como marinheiros ousados. Na época clássica da história grega que nunca realizou uma posição de liderança.

 

 Eles são mencionados principalmente como comerciantes e soldados mercenários, hábil especialmente no tiro com arco. Durante o período helenístico Creta permaneceu livre. Demetrius Nicator fez a ilha sua base de operações antes de sua derrota em Azoto em 148. 2. Os judeus em Creta: Em 141, os judeus de Creta foram influentes o suficiente para garantir o patrocínio de Roma. Eles estavam sendo oprimidos pelo povo de Gortyna, e apelou a Roma, que lhes concedeu protecção. No fortalecimento da posição dos judeus, os romanos estavam copiando a política Seleucid na Ásia Menor; ambos os selêucidas e os romanos encontraram os judeus entre os seus apoiantes mais dedicados em seus estados assunto. Esta interferência de Roma, no interesse de seus futuros partidários abriu o caminho para sua anexação da ilha no século seguinte. A partir desta data, havia um corpo forte e próspera de judeus em Creta, e cretenses são mencionados entre os estranhos presentes na Festa de Pentecostes em Atos 2:11 . Sua aliança com Mithradates, o Grande, e a ajuda que deu aos piratas cilícios deu Roma o pretexto de que ela desejado para fazer a guerra em Creta, ea ilha foi anexada pela. 

 

Metellus em 67 aC Com Cirene na costa Norte da África, foi formado em uma província romana. Quando Augusto dividiu o império entre o Senado e ele próprio, Creta e Cirene eram suficientemente tranquila para ser dado para o Senado. 3. História mais tarde: Eles formaram uma província até o tempo de Constantino, que fez Creta uma província separada. Os sarracenos anexo Creta, em 823 dC, mas foi recapturado para o Império Bizantino por Nicéforo Phokas no século seguinte. A partir do dia 13 até o século 17 foi realizada pela República de Veneza: a partir deste período datas de seu nome moderno "Kandia", que os venezianos deu à capital Khandax Saracen, e depois a toda a ilha. Depois de uma resistência desesperada, com duração de 1645-1669 AD, Creta caiu nas mãos dos turcos, que ainda exercem uma suserania nominal sobre a ilha. 4. Crete no Antigo Testamento: Em 1 Samuel 30:14 Ezequiel 25:16 , e Zé 2: 5, os filisteus são descritos como quereteus, que normalmente é tomado para significar cretenses.

 

 O nome está ligado com Caftor eo Caftorim ( Deuteronômio 02:23 Jeremias 47: 4 Amós 9: 7 ). A semelhança entre o Rio de nomes Jordan e Iardanos (Homer Odyssey III. 292) "sobre cuja transmite o Kydones habitou", sugeriu que. Caftor deve ser identificado com Cydonia; ou possivelmente era o nome de toda a ilha. Tácito acreditava em uma ligação antiga entre Creta e Palestina; os judeus, disse ele, eram fugitivos de Creta, e seu nome deriva Iudaei do Monte Ida (Hist. V.2). Creta é mencionado em conexão com a campanha de Demetrius Nicator, acima referido, em 1 Macabeus 10:67. Ver Caftor ; quereteus . 5. Crete no Novo Testamento: Creta deve a sua conexão com a história Pauline ao acidente de um vendaval que obrigou o navio que transportava Paulo a Roma para se abrigar na costa sul da ilha. No porto de Myra, na costa da Lycia, o centurião a cargo de Paul transferiu-o a partir do navio Adramyttian que os havia trazido de Cesaréia, para um navio de Alexandria, no Egito, com destino a Ostia com uma carga de grãos. O fato de que o centurião estava no comando virtual de navio ( Atos 27:11 ) prova que ele era um dos navios no serviço de transporte imperial. Deixando Myra eles vieram oposto Cnidus com dificuldade, contra uma de vento frontal.

 

 O curso normal da Cnidus com tempo bom foi para dirigir em linha reta para Cythera, mas nesta ocasião os ventos Oeste ou Noroeste fez este percurso impraticável, e eles navegamos a sotavento de Creta, cuja costa Sul iria protegê-los a partir de um vendaval Northwest, e proteger ocasional de um vendaval Ocidente. Passaram Salmone, no canto nordeste da ilha de Creta, com dificuldade, e trabalhou ao redor da costa de Bons Portos, um porto um pouco para o leste de Cabo Matala. A grande Festa caiu enquanto eles estavam no Bons Portos; em 59 AD era Em 5 de outubro, no meio da temporada, quando os equinócios fez vela impossível. Paul aconselhou o centurião que o inverno em Bons Portos, mas o capitão desejava chegar Phoenix, um porto mais para o oeste, onde os navios do Egito estavam acostumados a colocar em durante a temporada de tempestade. Foi decidido seguir o conselho do capitão; mas a caminho de Phoenix, o navio foi atingido por um vento nordeste chamado Euraquilo, que correu para baixo do Mt. Ida. 

 

O navio foi levado para o mar; conseguiu executar a sotavento de Cauda, ​​uma ilha 23 milhas a oeste de Cabo Matala, onde a tripulação transportado no barco, amparada do navio, e afrouxou vela. Na décima quarta noite eles foram expulsos na costa de Malta, e destruído. A narrativa não afirma que Paul aterrou em Creta, mas como o navio estava por algum tempo em Bons Portos ( Atos 27: 8, 9 ), ele tinha muito oportunidade para a terra, mas não para viajar para o interior. O centurião lhe deu permissão para pousar em Sidon. Paulo deixou Tito em Creta ( Tito 1: 5 ); tradição fez o último seu primeiro bispo e santo padroeiro. 6. Os cretenses: cretenses estavam presentes, como mencionado acima, na Festa de Pentecostes ( Atos 2:11 ). Estimativa de Paul do personagem de Creta ( Tito 1: 10-16 ) foi a corrente na Antiguidade. Paulo cita ( Tito 1.12 ) uma linha bem conhecida do poeta cretense Epimênides (que viveu cerca de 600 aC) sobre a falsidade dos cretenses.(NOTASDIC. HASTING DE TEOLOGIA 1915). 

FONTE www.mauricioberwaldoficial.blogspot.com