Translate this Page

Rating: 3.0/5 (887 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

A Book for Her pdf free, download pdf, download pdf, this site, The Adobe Photoshop CC Book for Digital Photographers 2017 pdf free, fee epub, pdf free, site 969919, this link, link 561655,

historia cronologia da (igreja primitiva)
historia cronologia da (igreja primitiva)

                  Século I – Cronologia DA IGREJA PRIMITIVA

 6 ou 4 a.C. – Nascimento de Jesus Cristo

2 a.C. – Nascimento de Paulo, conhecido como o Apóstolo dos Gentios

26 – Início do Ministério de João Batista (primo de Jesus)

26 a 30 – Ministério de Jesus Cristo

30 – Herodes Antipas manda decapitar João Batista

30 (ou 33?) - Morte e Ressurreição de Jesus Cristo

30 – Dia de Pentecostes (ler Atos 2)

36 – Martírio de Estevão

37 – Conversão de Paulo

41 – Em Antioquia pela 1ª vez utiliza-se o termo “cristãos”

44 – Martírio em Jerusalém do apóstolo Tiago, o maior

45 a 48 – 1ª Viagem Missionária de Paulo

45 a 50 – Tiago, irmão de Jesus, escreve a Epístola de Tiago

49 – Concílio de Jerusalém: a salvação é pela fé e não pela Lei

49 a 52 – 2ª Viagem Missionária de Paulo

49 ou 52 – Paulo escreve a Epístola aos Gálatas

50 – Mateus escreve o primeiro dos 4 Evangelhos (Evangelho de Mateus)

51 – Paulo escreve a Epístola aos Tessalonicenses

51 – Paulo escreve a 2ª Epístola aos Tessalonicenses

53 a 58 – 3ª Viagem Missionária de Paulo

56 – Paulo escreve a Epístola aos Romanos

56 – Paulo escreve a Epístola aos Coríntios

57 – Paulo escreve a 2ª Epístola aos Coríntios

58 – Prisão de Paulo: de Jerusalém é transferido para Roma

60 – Lucas escreve o Evangelho (Evangelho de Lucas)

60 – Lucas escreve o livro Atos dos Apóstolos

60 – Na prisão, Paulo escreve: Epístola aos Efésios, Epístolas aos Filipenses, Epístola aos Colossenses e Epístola a Filemom

63 – Tiago, irmão de Jesus, morre apedrejado em Jerusalém

64 – Paulo escreve a 1ª Epístola a Timóteo

64 – 1ª perseguição geral aos cristãos: Nero ateia fogo em Roma e culpa cristãos

65 – Pedro escreve a 1ª Epístola de Pedro

65 – Paulo escreve a Epístola a Tito

66 – Pedro escreve a 2ª Epístola de Pedro

67 – Paulo escreve a 2ª Epístola a Timóteo

68 – João Marcos escreve o Evangelho de Marcos

68 – Judas, irmão de Jesus, escreve a Epístola de Judas

68 – Paulo escreve a Epístola aos Hebreus

70  - Destruição do Segundo Templo em Jerusalém

85 a 90 – O Apóstolo João escreve a 1ª Epístola de João

85 a 90 – O Apóstolo João escreve a 2ª Epístola de João

85 a 90 – O Apóstolo João escreve a 3ª Epístola de João

85 a 90 – O Apóstolo João escreve o Evangelho de João

95 – Em Patmos João tem uma visão e escreve o Livro do Apocalipse (ou o Livro da Revelação)

 

Século I – Adendos Importantes

1ª Viagem Missionária de Paulo

2ª Viagem Missionária de Paulo

3ª Viagem Missionária de Paulo

Outras Viagens Missionárias

 

1ª Perseguição Geral aos Cristãos

Século II - Cronologia

 

 111 - Perseguição aos cristãos em Bitínia: Carta de Plínio a Trajano

  112 - Sete Cartas de Inácio de Antioquia

  115 - Ignatius introduziu o conceito de um líder acima dos outros (o bispo, distinguindo assim este título dos outros). Esse conceito tornou-se prevalente no século III

  138 - Possível martírio de Telésforo, bispo de Roma, pelo Imperador Adriano

  140-50 - Justino mantém uma escola de filosofia cristã em Roma. Justino Martir promove a primeira mudança com relação ao batismo com água e a divindade. Já que Justino não acreditava que Cristo era Deus, o Pai manifesto como homem, conforme os apóstolos ensinavam, batizava seus convertidos e seguidores da seguinte forma: "Eu te batizo em nome de Deus o Pai de todos e nosso salvador Jesus Cristo e do Espírito Santo". Justino acreditava e ensinava da mesma forma que os judeus que crêen que o nome de Deus é tão sagrado que o homem não deve pronunciá-lo, daí a sua afirmação de que Deus, o Pai e seu filho Jesus Cristo eram duas pessoas diferentes, pois ele não cria no nome de Jesus Cristo, sendo também, o nome do Deus Pai e do Espírito Santo. Esse resultado foi o pilar para o desenvolvimento de diferentes trindades no mundo religioso cristão.

  142-55 - Pio I torna-se o 1º e único bispo a governar a cidade de Roma

  144 - Marcião propõe um cânone com apenas o Evangelho de Lucas e 10 cartas de Paulo

  144 - Marcião é expulso da comunidade cristã de Roma devido à inúmeras heresias

  155 - Surge a 1ª reforma na igreja primitiva: o Montanismo

  156 - Surge o termo "Igreja Católica" = "Igreja Universal"

  160 - Marcião tenta introduzir o gnosticismo no cristianismo, considerado, posteriormente, um movimento herético

  161 - Martírio de Policarpo em Esmirna

  163 - Martírio de Justino em Roma

  170-80 - Taciano propoe o "Diassentêrom", uma versão condensada dos Evangelhos tradicionais. A proposta foi rejeitada pelos cristãos

  180 - Nascimento de Sabélio, um dos expoentes da heresia modalista que negava a doutrina da Trindade

  193 - Clemente ensina a doutrina cristã em Alexandria

  195 - Tertuliano passa a defender a supremacia do bispo de Roma sobre os demais bispos

  197 - Tertuliano de Cartago defende os cristãos na obra "Apologética", a mais importante literatura da igreja primitiva

  197 - 1ª Doutrina anti-bíblica: movimento herético de Zeferino, bispo de Roma, contra divindade de Cristo

  200 - É escrito "a Diogneto", uma vibrante apologia de um autor cristão ao seu destinatário pagão 

 

Século III - Cronologia

 

 202 - Leis de Séptimo Severo contra os cristãos

  203 - Hipólito escreve a obra "Comentário a Daniel"

  207 - Tertuliano converte-se ao Montanismo

  210 - Tertuliano de Cartago enfatiza que os cristãos não devem participar do serviço militar

  215 - Sabélio passa a pregar a heresia unissista

  217 - Calixto torna-se bispo em Roma: cresce o sincretismo entre o cristianismo e outras religiões

  217 - Nova divisão na igreja primitiva: Hipólito também proclama-se bispo de Roma e acusa Calixto de apoiar o herege Sabélio

  218-23 - Surge a lenda de que Pedro foi o 1° papa

  220 - Origenes introduz a doutrina da trindade para bebês, na sua escola de preparação para o batismo em Alexandria, Egito.

 235 - Maximiano condena à morte Hipólito e Ponciano. Ambos consideravam-se bispos de Roma

  250 - O imperador Décio persegue cristãos por todo o Império

  250 - Martírio de Fabiano, bispo de Roma

  251 - Nova divisão na igreja primitiva: Cornélio é eleito bispo de Roma, alguns cristãos querem Novaciano, então surge o Novacionismo

  251 - Sínodo de Roma contra o cisma de Novaciano

  257 - O Sabelianismo propaga-se entre os cristãos da Lídia

  257-58 - Leis de Valeriano contra os cristãos

  258 - Martírios de Cipriano (bispo de Cartago) e Sisto (bispo de Roma)

  261 - Édito de tolerância para os cristãos

  265 - Sínodo de Antioquia: condenação de Paulo de Samósata

  270 - Santo Antônio dá origem a vida monástica no Egito

  280 - Conversão ao cristianismo de Tiridates, rei da Armênia

  297 - Diocleciano inicia nova perseguição aos cristãos

  300 - Surge a primeira lei de celibato para os sacerdotes

Século IV - Cronologia

 

 301 - O cristianismo torna-se a religião oficial da Armênia

  303-04 - Éditos de perseguição aos cristãos

  312 - Início do cisma donatista

  312 - A falsa conversão de Constantino

  312 - Início do costume de adorar os santos

  313 - Paz Geral da Igreja

  313 - Eusébio consegue do imperador Constantino a permissão para confeccionar 50 bíblias

  314 - Concílio de Arles

  320 - A heresia Ariana é desenvolvida no oeste do Império Romano. No ensino de Ários a divindade de Jesus Cristo é negada e Deus manifesta na carne e sangue de Jesus Cristo é tido como nada mais que o filho de Deus adotado. Se não fosse pela intervenção de Constantino em 325 d.C., essa heresia teria dominado completamente, o mundo da igreja do Oeste que mais tarde se tornou o mundo da Igreja Ortodoxa Grega.

  321 - Constantino promulga uma lei ordenando que todos descansem no dia do sol (domingo)

  325 - I Concílio de Nicéia. Sob o governo do imperador Constantino no Conselho de Nicéia, a trindade Tertuliana juntamente com a nova lei do batismo, tornam-se doutrinas oficiais nas igrejas do Império Romano, através do decreto imperial. Todos os sistemas religiosos fora do trinitarismo foram considerados heréticos, incluindo, os ensinamentos dos apóstolos e os de Arias, juntamente com outros grupos religiosos. Sob o governo de Constantino, os assim chamados grupos trinitatianos tornaram-se a religião oficial do império. Nessa época, a profecia do Apóstolo Pedro em 2º Epístola de Pedro 2:1-2 se cumpre. Devido ao concílio de Nicea, o mundo da igreja apostólica dentro do território romano foi levada a se esconder, ou se espalhar, devido a perseguição pelo próprio governo e a Igreja Católica Romana e os crentes trinitários.

  330 - Na fundação de Constantinopla, Constantino mistura o cristianismo com religiões pagãs

  339 - Perseguição aos cristãos no Império Sassânida

  340 - Anastácio de Alexandria visita Roma com 2 monges do Egito

 342-43 - Sínodo de Sárdica: conflitos entre católicos romanos e ortodoxos

  347 - Perseguição dos donatistas por Constante

  354 - O Natal, festa de origem pagã, é instituído pelo bispo romano Libério

  355 - Constantino II exila Libério, bispo de Roma, e põe em seu lugar Félix II

  357 - Anastácio de Alexandria escreve a "Vida de Santo Antônio"

  358 - Após a deposição de Félix II, Libério volta e é aceito pelos cristãos de Roma

  360 - Martim de Tours funda um mosteiro perto de Poitiers (França)

  361 - Anistia Geral aos cristãos

 363-65 - Reavivamento pagão no governo de Juliano

  366 - Os arianos empossam Ursino em oposição à Dâmaso, legal bispo de Roma. Todavia, a oposição só dura um ano

  367 - Concílio de Hipo: confirmação dos 66 livros da Bíblia Sagrada

  370 - Culto aos santos, por Basílio de Cesaréia e Gregório de Nazianzo

  372 - Gregório de Nazianzo, defensor da adoração às imagens, assume episcopado

  376 - O imperador Graciano rejeita título de Pontífice Máximo da Igreja

  376 - O imperador Graciano reprime os donatistas

  377 - Sínodo de Roma: condenação de Apolinário

  378 - S. Dâmaso, bispo de Roma, recebe o título pagão de Pontífice Máximo da Igreja

  380 - Édito de Tessalônica: Teodósio torna o cristianismo religião oficial

  381 - Concílios de Constantinopla e Aquiléia: condenado o apolinarismo

  384 - Em Roma, Jerônimo inicia a tradução da Bíblia para o latim vulgar

  385 - Prisciliano é executado como herético

  386 - Jerônimo continua a tradução da Bíblia na Palestina

  387 - Conversão de Santo Agostinho ao Cristianismo em Milão (Itália)

  389-91 - Teófilo, patriarca de Alexandria, inicia violenta campanha de destruição de templos pagãos

  392 - O imperador Teodósio proíbe a liberdade religiosa aos pagãos

  397 - O Concílio de Cartago incorpora o Livro de Apocalipse à Bíblia

  400 - As Confissões de Santo Agostinho

  400 - Horonato funda o mosteiro de Lérins (França)

  400 - Maria passa a ser considerada "Mãe de Deus"

 

  400 - Invenção da oração aos mortos e do Sinal da Cruz

fonte historiadaigrejaprimitiva.blogspot.com