Translate this Page

Rating: 3.0/5 (915 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Historia da Assembleia Deus ministerio madureira
Historia da Assembleia Deus ministerio madureira

A história das Assembléias de Deus no Brasil, os fundadores e o nascimento do Ministério Madureira

Somos a maior denominação pentecostal do mundo e a maior denominação evangélica do Brasil, e nosso berço se encontra na cidade de Belém do Pará, onde os missionários suécos Daniel Berg e Gunnar Vingren aportaram em 19 de novembro de 1910 e iniciaram um avivamento que viria a se espalhar rapidamente por toda a nação.

No censo de 2010, realizado pelo IBGE, foram contabilizados 12.314.410 adeptos das Assembléias de Deus (contabilizando as autônomas e independentes, como é o caso do ministério de Madureira), seguida pela igreja Batista com 3 723 853 e Congregação Cristã no Brasil com 2 289 634 de adeptos. Estima-se que hoje somos mais de 30 milhões no Brasil e, segundo projeções, devemos ultrapassar os 100 milhões em 2020.

Ao todo, as Assembleias de Deus têm mais de 64 milhões de membros espalhados no mundo e 363.450 ministros, divididos entre 351.645 igrejas e presentes em 217 países.

O inicio do avivamento

Antes de entrarmos na história das Assembléias de Deus no Brasil, achei pertinente comentar sobre o grande avivamente que estava ocorrendo no século XX irradiando-se dos Estados Unidos para várias partes do mundo.

Um dos protagonistas desta onda de avivamento foi Charles Fox Partham, na virada do século XX, pregando sobre os dons do Espírito Santo. Em 10 de janeiro de 1901, Agnes N. Ozman, uma jovem de 18 anos, aluna da escola bíblica fundada por Partham, recebeu o batismo com o Espírito Santo falando chinês por 3 dias, durante os quais não conseguia falar nem escrever em inglês.

Nos dias que se seguiram outros alunos receberam o batismo com o Espírito inclusive o próprio Partham.

Mas foi através de um jovem chamado William J. Seymour, um aluno de Partham que o movimento pentecostal moderno ganhou força.

Em 1906, Seymour alugou um prédio mal conservado na rua Azusa, número 312 em Los Angeles, onde há tempos existira uma igreja, mas estava sendo usada como estábulo e depósito de feno.Alí fundou a Missão da Fé Apostólica.

Em Azusa, William H. Durham (1863-1912) foi batizado com o Espírito Santo, e sua igreja, em Chicago, tornou-se o centro irradiador do pentecostes para o mundo. Vários pioneiros do avivamento mundial estiveram ali, entre eles, Daniel Berg e Gunnar Vingren.

A promessa de Joel estava em foco ( Joel 2:28) e o elo que Cristo criou entre missões e pentecostes era colocado em prática (Atos 1:8). Começando em "Jerusalém", agora seus discípulos estavam prontos para irem aos confins da terra.

Até os confins da Terra

Sendo sueco, Daniel Berg viajou para os Estados Unidos em 1902, com 18 anos de idade, à procura de trabalho. Ali, em 1909, enquanto regressava de uma viagem a Suécia, foi batizado com o Espírito Santo. Nesse mesmo ano, conheceu Gunnar Vingren numa conferência em Chicago. Com seus corações ardendo de amor pelas almas, os jovens compartilharam a chamada missionária que tinham, sem, todavia, precisarem o lugar aonde seriam enviados. Vingren pensava em servir como missionário na China. O Espírito Santo revela "Pará" . No ano de 1910, na casa de um irmão chamado Adolfo Ulldin, em South Bend (EUA), Deus falou maravilhosamente com Daniel Berg e Gunnar Vingren. Vejamos o que o próprio Vingren nos diz: "Num dia, no verão, Deus pôs no coração que deveríamos nos reunir num sábado à noite para oração. Quando orávamos, o Espírito do Senhor veio de uma forma poderosa sobre nós (...) Um irmão, Adolfo Ulldin, recebeu pelo Espírito santo palavras maravilhosas e mistérios escondidos que foram revelados. Entre muitas coisas, o Espírito santo falou por meio desse irmão que nós deveríamos ir a um lugar chamado "Pará", onde o povo a quem testificaríamos de Jesus era de um nível social muito simples. Nós iríamos ensinar-lhes os primeiros rudimentos do Senhor. Também escutamos pelo Espírito santo a linguagem daquele povo, o idioma português (...). Nenhum dos presentes conhecia tal lugar. Após a oração, fomos a uma livraria a fim de consultar um mapa que nos mostrasse onde estava localizado o Pará. Descobrimos então que se tratava de um Estado no Norte do Brasil."

Chegando ao Pará procuraram uma igreja Batista, denominação a qual pertenciam. Como não foram enviados por nenhuma junta missionária, mas por exclusiva direção divina, pobres como eram, o primeiro desafio dos missionários era com seus sustentos e com a aprendizagem do novo idioma. Por isso, Daniel Berg empregou-se como caldeireiro e fundidor na Companhia "Port of Pará" , hoje, Companhia das Docas do Pará (CDP),enquanto Vingren dedicava-se ao estudo da língua portuguesa, repassando a Berg as lições. Devido às dificuldades com o idioma, a participação dos missionários nos cultos nessa primeira fase restringia-se a cânticos em dupla, tendo Daniel Berg à frente com seu violão

A mensagem pentecostal dos suécos

Como não podia ser diferente, inflamados como estavam pela chama do Espírito Santo, à medida que iam dominando o idioma, Daniel Berg e Gunnar Vingren passaram a fazer menção da promessa pentecostal conforme haviam recebido. Isso causou desconforto na igreja local, o que culminou com o desligamento de 19 irmãos, fato ocorrido em 13 de junho de 1911

A fundação oficial da Assembléia de Deus

Por necessidade de congregar-se, o grupo dos 19 irmãos passou a reunir-se na residência da irmã Celina Albuquerque (a primeira pessoa a receber o batismo com o Espírito Santo no Brasil), na Rua Siqueira Mendes, n. 79, Cidade Velha. Ali, fundaram a Assembléia de Deus no dia 18 de junho de 1911, sob o nome de "Missão da Fé Apostólica". Cerca de três meses depois, mudaram-se para um prédio na atual Governador José Malcher, antigo n. 224. E, por fim, em 8 de novembro de 1914, para a Tv. 9 de Janeiro, antigo n. 75, onde foi erguido o primeiro templo.

Em 4 de janeiro de 1918, a igreja foi oficialmente registrada, com o nome de "Sociedade Evangélica Assembléia de Deus", conforme certidão recente do cartório responsável em Belém.

Nada pôde impedir o fogo do Espírito

Assim Gunnar Vingren registrou em seu diário o progresso da obra de Deus no Brasil. Agora, com a liberdade para proclamarem a Palavra e o domínio gradativo do idioma, a igreja caminhava a passos largos, com cultos públicos em vários lugares, oração pelos enfermos e batismos com o Espírito Santo. A ilha de Marajó, transformou-se num dos mais ricos berços do movimento pentecostal brasileiro

Importante referir que, na época em que os missionários chegaram, o Pará enfrentava uma epidemia de malária. Porém, ao contrário do que se podia esperar, eles, apesar de morarem num porão infestado de pernilongos, não contraíam a doença. Esse fato chamou a atenção dos irmãos e de pessoas descrentes, pois, além de permanecerem sãos, os missionários pregavam sobre cura divina, visitavam os lares, e os enfermos eram curados

De porta em porta

Diferente do ministério de Gunnar Vingren, grande pastor e mestre na Palavra, Daniel Berg ia de porta em porta levando as boas novas

Evangelista e apóstolo, percorreu diversas vezes a Estrada de Ferro de Bragança a pé, testificando sobre Jesus, com sua mala cheia de Bíblias, Novos Testamentos e outras porções das Escrituras. Sofrendo com os rigores do clima amazônico e padecendo muitas necessidades, ao lado de Gunnar Vingren

Como Igreja dos " últimos dias" , somos hoje comissionados pelo Espírito Santo a viver o mesmo avivamento que varreu o mundo na virada do século passado. No meio de uma geração pervertida, de valores anticristãos, cada crente deve ter zelo por uma vida de santidade e colocar-se à disposição do Mestre para servi-Io. O Brasil está clamando por um verdadeiro avivamento, que sare o nosso país da maldição do pecado. Para isso, os olhos de Deus estão procurando crianças, jovens e adultos que desejem pagar o preço.

A propagação no sudeste

A Assembleia de Deus no Brasil expandiu-se pelo estado do Pará, alcançaram o Amazonas, propagou-se para o Nordeste, principalmente entre as camadas mais pobres da população. Chegaram ao Sudeste pelos idos de 1922, através de famílias de retirantes do Pará, que se portavam como instrumentos voluntários para estabelecer a nova denominação aonde quer que chegassem. Nesse ano, a igreja teve início no Rio de Janeiro, no bairro de São Cristóvão, e ganhou impulso com a transferência de Gunnar Vingren, de Belém, em 1924, para a então capital da República.Um fato que marcou a igreja naquele período foi a conversão, através de um folheto evangelístico, de Paulo Leivas Macalão, filho de um general e precursor do assim conhecido Ministério de Madureira.

Sobre Daniel Berg

Homem simples, que o Senhor enviou ao lado de Gunnar Vingren para fundar a Assembléia de Deus no Brasil. Ao conhecer sua biografia, compreenderemos como foi possível, em tão pouco tempo, formar-se a maior igreja pentecostal do mundo. Veremos que o nascimento da Assembléia de Deus está associado a sinais e maravilhas, características do movimento pentecostal desde a igreja apostólica.

Em Daniel Berg, conheceremos um obreiro despojado de quaisquer interesses alheios ao reino de Deus. Um verdadeiro apóstolo, que pregava a Palavra não por dever ou recompensas, e sim motivado por um grande amor a Jesus Cristo.

Da Suécia aos Estados Unidos

Seus pais, Gustav Verner Hbgberg e Fredrika Hbgberg, eram membros da igreja batista. Em 1899, foi batizado nas águas. Aos 18 anos, Daniel Berg embarca para os Estados Unidos, chegando a Boston em 25 de março de 1902. Fugindo da depressão financeira que assolava o país escandinavo, sonhava com um futuro promissor na América, porém, o Todo-Poderoso reservara-lhe outros planos.

Nos EUA, Daniel Berg esteve por 7 anos, onde aprendeu a profissão de fundidor.

Chamada ministerial - o batismo com o Espírito Santo

Em 1909, Daniel Berg voltou a Suécia para rever seus pais. Ali, ao visitar um amigo, tomou conhecimento pela primeira vez a respeito do batismo com o Espírito Santo, passando a desejar também a promessa. Nesse mesmo ano, retorna aos Estados Unidos, sendo batizado com o Espírito Santo durante a viagem.

Em Chicago, participa de uma conferência bíblica e, encontra-se com Gunnar Vingren, com quem compartilha a chamada divina e estreita laços ministeriais que nunca mais serão desfeitos. A chamada de Daniel Berg foi claramente revelada através de uma profecia em South Bend, quando o “Espírito de Deus” falou com os missionários sobre uma terra distante chamada "Pará" . Certos de que Deus os estava enviando ao campo missionário, Daniel Berg e seu amigo foram orar por esse propósito, não apenas uma ou duas vezes. Fizeram isso por três dias

O modo como Deus vai conduzir esses dois jovens a Belém do Pará é um dos capítulos mais belos e comoventes na história da Assembléia de Deus. Por si só, é um legado da providência a todos nós, especialmente os que integramos hoje as fileiras desta amada igreja.

De Chicago, centro irradiador do avivamento mundial naqueles dias, Daniel Berg e Gunnar Vingren partiram para o lugar que Deus lhes tinha enviado.

Em suas mãos, uma Bíblia, um mapa e poucos recursos. A igreja local levantara uma pequena oferta, suficiente apenas para que chegassem a Nova lorque, lugar de onde embarcariam para o Brasil. Mas não estavam preocupados. Não esperaram mais recursos porque confiavam n'Aquele que os enviara.

A viagem começou com oração. Na estação do trem que os levaria a Nova lorque, ante os olhares curiosos da multidão, Daniel Berg e Gunnar Vingren ajoelharam-se, agradeceram a Deus e pediram-lhe jornada feliz até Belém do Pará.

No Marajó, foi estabelecido um importante trabalho missionário.No ano de 1914, Daniel Berg visitou Caviana, sendo bem recebido até por pessoas não-evangélicas. Ali, os irmãos oraram ao Senhor pedindo um barco, e Deus tocou o coração de um fazendeiro da ilha para ofertar a embarcação. O barco recebeu o nome de "Boas Novas" e foi o primeiro meio de transporte utilizado para evangelização pela Assembléia de Deus no Brasil.

Daniel Berg fez valer a pena a chamada ao Brasil. Durante mais de um ano, visitou casa por casa de Belém. Com seu trabalho de colportor, conheceu esta capital como poucos, visitando cada bairro, cada rua, cada família. Vendia bíblias e pregava o Evangelho a quem quer que fosse. Em Bragança no ano de 1912, Daniel Berg entendeu que “Jerusalém”(Belém) estava bem evangelizada. Era preciso alargar a tenda. Nesse ano, o missionário realizava sua primeira viagem a Bragança, sempre acompanhado de bíblias e porções das escrituras.Chegando aquela importante cidade paraense, Daniel Berg encontrou-se com um senhor de nome Arruda, a quem perguntou se havia protestantes ali. A resposta, talvez inocente foi provocadora: ”Graças a Deus não há protestantes nesta cidade! Como escreveu Emilio Conde, a resposta não estava muito certa, pois Daniel Berg já estava lá. Ele próprio Arruda, eram preciosas sementes da forte igreja que Deus levantaria na “Perola do Caeté”.

Daniel, no ano de 1912 chegou em Soure onde muitas pessoas haviam aceitado a Jesus como seu salvador. Mas junto com isso, houve séria perseguição crentes e pregadores foram apedrejados e ameaçados, mas nenhum mal lhes sobreveio. Certa ocasião um dos perseguidores gritou no meio da multidão para que todos ouvissem: "Oxalá uma onça devore esses pregadores de novidades!” e a resposta veio certeira:alguns dias depois, uma onça invadiu o quintal daquele praguejador e devorou-o. Esse episódio causou temor em toda a população, que considerou o fato um castigo divino.

No município de bragantina,na cidade de Quatipuru, em 1913, foi fundada a igreja por Daniel Berg. Ali, a população da cidade perseguiu os crentes de todas as maneiras, chegando até a prender alguns. Mas, na prisão, os irmãos se ajoelharam e, diante do carcereiro, Jesus batizou um jovem com o Espírito Santo.Vendo que não poderia deter os crentes, cerca de 50 pessoas resolveram colocar-se de tocais para matar Daniel Berg quando passasse para o culto. Entretanto, o Espírito Santo guiou o seu servo por outro caminho, naquele dia. Então, os perseguidores não apenas desistiram do crime, mas reconheceram que Deus estava com Daniel Berg.

A adjutora

Daniel Berg chegou solteiro a Belém, com 26 anos de idade, e permaneceu assim até 1920. Aos 36 anos, em visita a Suécia, conheceu Sara Berg,com quem casou naquele país. Do enlace nasceram David e Deborah.

Sua coragem

Uma das virtudes mais preciosas no ministério de Daniel Berg foi a coragem. Até hoje, muita gente não faz o que ele fazia, como navegarem mar aberto com simples embarcações. Imagine: um homem acostumado com o modo europeu e americano, de repente, cruzando rios, transpondo perigosas cachoeiras, caminhando a pé numa estrada-de-ferro onde predominavam feras e doenças tropicais.

Em Daniel Berg temos um verdadeiro apóstolo, um desbravador do terreno onde a igreja seria plantada. Ele veio semear e plantou em bom solo a igreja que hoje somos.

Trabalho

Para Daniel Berg, missões é sinônimo de trabalho. Ele seguia a recomendação de Paulo no tocante a paciência que deve ter o obreiro no labor do Evangelho (2 Co 6.1-10).

Ele veio ao Brasil para trabalhar,para “servir a Jesus”. Não estava interessado em títulos ou honrarias, não era uma espécie de “missionário-turista”., como alguns da atualidade. Por isso, empregou-se como caldeireiro na extinta Companhia “Porto of Pará”, hoje Companhia das Docas do Pará (CDP). Literalmente, trabalhou para sustentar-se e pagar as aulas de português de Gunnar Vingren. Tudo que ganhava era gasto com a obra.Como já sabemos, Daniel chegou a Belém num navio de carga. Ele não tinha reserva em hotel, nem conta bancária,nem ajuda missionária,nem uma igreja para dar-lhe boas-vindas. Sua marca foi o trabalho incessante pelo Reino.

Simplicidade

Daniel foi muito simples. Suas pregações e palestras eram caracterizadas por essa virtude. Nunca alguém o viu irritado ou desanimado. Sempre que surgia qualquer problema, eram estas as suas palavras, as primeiras que dominou em português:“Jesus é bom! Aleluia! Jesus é muito bom: Ele salva, batiza com Espírito Santo e cura os enfermos. Ele tudo faz por nós. Glória a Jesus. Aleluia!”. Em 24 de janeiro de 1922, Daniel Berg transferiu-se para Vitória (ES). Em junho de 1961, esteve em Belém quando a Assembléia de Deus completou 50 anos de existência. Sempre que era elogiado, Daniel permanecia inalterável. Para ele, a glória sempre foi devida exclusivamente ao seu amado Jesus.

No estádio do Maracanãzinho, Rio de Janeiro, quando o pastor Paulo Leivas Macalão colocou em sua lapela uma medalha de ouro comemorativa do jubileu, todos notaram a surpresa estampada no semblante de Daniel Berg diante de tal honraria. A platéia parecia ouvi-lo dizer: “Nao é a mim, e sim a Jesus quem cabe esta honra”.

Em 28 de maio de 1963, aos 79 anos, Daniel Berg entrou no descanso eterno! quando a morte chegou, encontrou o servo de Deus sorridente e feliz. Ele não a temeu. Seu tesouro estava bem guardado. Daniel Berg está sepultado na Suécia, onde moram seus filhos e netos.

Hoje Assembléia de Deus é uma igreja gigantesca, com alguns milhões de membros. Em contraste, ainda convivemos com uma nação espiritualmente enferma. Vivemos num país recordista em muitas mazelas sociais e, sobretudo, espirituais, como o nosso povo afundado em idolatrias, vícios, corrupção e pornografia. É urgente, portanto, que nos levantemos com a herança que nos foi legada por Daniel Berg e, sem nada temer, entregarmo-nos de corpo e alma ao bendito ministério da evangelização.

Sobre Gunnar Vingren

Gunnar Adolf Vingren nasceu num lar evangélico, em 8 de agosto de 1879, em Ostra Husby, Ostergotland, Suécia. Seu pai era jardineiro, profissão que Vingren exercerá até os 19 anos.

Chamada ministerial

Vingren sentiu a chamada de Deus pela primeira vez aos nove anos de idade. Porém, esteve longe da igreja entre os 12 e 17 anos, reconciliando-se durante um culto de vigília. Em 1897, aos 18, foi batizado nas águas na Igreja Batista em Wraka, Smaland, Suécia, vindo a assumir a liderança da Escola Dominical. Mas, foi lendo um artigo sobre missões numa revista nesse mesmo ano que foi impactado pela chamada de Deus para sua própria vida. Ano seguinte, participou de uma Escola Bíblica de um mês em Gbtabro, Narke, onde foi muito tocado pela mensagem. Seu primeiro campo de trabalho foi na província de Skane, seguido de muitos outros lugares; finalmente viajando para os Estados Unidos em 1903. Ali, assumiu a direção da Igreja Batista Menominee, Michigan.

Em novembro de 1909, Gunnar Vingren visita a Primeira Igreja Batista Sueca, em Chicago, onde é batizado com o Espírito Santo e conhece Daniel Berg. Em 1910, vai para a Igreja Batista em South Bend , Indiana, onde havia um grande avivamento

Em Belém do Pará

Gunnar Vingren chegou a Belém no dia 19 de novembro de 1910. Em 18 de junho de 1911, tornou-se o primeiro pastor da Assembléia de Deus, liderando um grupo de 19 irmãos. Diferente de Daniel Berg, que, pelo ministério de evangelista itinerante e vigor físico, era incansável em viagens, Gunnar Vingren exerceu mais o ministério pastoral propriamente dito, cuidando do rebanho. Era uma pessoa de saúde frágil, extremamente amorosa e tinha como particularidade orar pelos enfermos

A adjutora

A biografia de Gunnar Vingren estaria incompleta se não fizéssemos referência à irmã Frida Standberg Vingren, a quem conheceu em 10 de agosto de 1917 durante uma viagem que fez a Suécia. Frida compartilhou a Gunnar Vingren que também tinha uma chamada de Deus para o Brasil. Enviada como missionária pela igreja na Suécia, Frida casou-se com Gunnar Vingren em 16 de outubro de 1917, em Belém, numa cerimônia presidida pelo pastor Samuel Nystrbm. O casal teve seis filhos: Ivar, Rubem, Margit, Astrid, Bertil e Gunvor. Frida Vingren, enfermeira, foi muito atuante no ministério.

Oficialmente, o ministério de Gunnar Vingren como nosso primeiro pastor começou em 18 de junho de 1911. Ele esteve na liderança da igreja até 1924. Portanto, foram 13 anos e alguns meses de ministério. Por motivo de saúde, viajou duas vezes para a Suécia nesse período. Gunnar Vingren era um pastor com formação teológica e preocupava-se muito com a instrução do povo. Suas pregações eram profundas e edificantes. A Igreja nascia sobre o solo firme das Escrituras.

em 10 de novembro de 1917, junto com seus cooperadores, editou o primeiro jornal pentecostal brasileiro, a “Voz da Verdade", dirigido porAlmeida Sobrinho e João Trigueiro. Em 18 de janeiro de 1919, juntamente com Samuel Nystrbm, fundou em Belém o jornal "Boa Semente",precursor do atual "Mensageiro da Paz". Além dos jornais, também eram editadas em Belém bíblias e revistas da escola dominical.

A primeira " Harpa Cristã" foi impressa em Belém em 1921 chamava-se Cantor Pentecostal, com 44 hinos e 10 corinhos.

Deus envia mais obreiros

A medida que aqueles primeiros crentes pregavam a Palavra, o Senhor ia salvando, curando e batizando com o Espírito Santo. Como fruto, Deus levantou muitos obreiros para auxiliar Gunnar Vingren. Isidoro Filho e Absalão Piano foram consagrados em 1912 e 1913, respectivamente.Foram eles os primeiros pastores pentecostais brasileiros.

Gunnar Vingren despediu-se da igreja em Belém em maio de 1924, transferindo-se para o Rio de Janeiro.

A primeira Convenção

A primeira convenção de obreiros da história da Assembléia de Deus aconteceu sob a liderança da igreja em Belém. O encontro ocorreu entre 18 a 22 de agosto de 1921, na Vila de São Luís do Pará, Município de Igarapé-Açu, na residência do pastor João Pereira de Queiroz. Participaram 13 pastores e as seguintes igrejas: Abaetetuba, Belém, Bragança, Capanema, Quatipuru, Tacari, Bonito, Burrinho, Cedro, Timboteua, Pau Amarelo, Guaná, Aramã, Peixe Verde e a igreja hospedeira.

Embora tenha sido uma convenção regional, foi a primeira reunião oficial de trabalho dos líderes da igreja no Brasil. Ali, discutiram a importante missão da igreja no Pará em levar a Palavra à nação, sendo unânimes em aceitar o desafio. A segunda Convenção, também sob a liderança de Belém, aconteceu em 1922, em Afuá.

Amor pelo rebanho

Certamente, uma das virtudes mais preciosas no ministério do pastor Gunnar Vingren era o modo como lidava com as pessoas. Sendo um homem frágil fisicamente, acometido de enfermidades, dedicava-se em extremo a visitar e orar pelos enfermos. Era incansável em velar pelo crescimento espiritual da igreja em Belém, visitando também sempre que possível os trabalhos que iam sendo fundados pelo Brasil. O coração de Gunnar Vingren ardia pela evangelização.

Em agosto de 1932, ao despedir-se da missão no Brasil, enquanto retomava de navio a Suécia, assim escreveu em seu diário: " Esta noite, tive, pela primeira vez durante a viagem, um sono reparador. Hoje, passamos pela linha do Equador, a mil e setecentas milhas do Rio de Janeiro. Oh! Desejaria que pudéssemos ser como fortes estações de rádio, para que o mundo inteiro pudesse ouvir a voz de Deus. Deus, dá-me esta graça. " Sua oração não foi esquecida.

Paciência na tribulação

Como apóstolo, qual Daniel Berg, Gunnar Vingren viajou disposto a sofrer por Jesus. Ele sabia que a missão na Amazônia era muito difícil, mas veio determinado a servir. Tinha sérios problemas estomacais, contraiu beribéri, o que o deixou ainda mais fragilizado, porém, nunca desanimou. Ao lado dos outros pioneiros, Gunnar Vingren sofreu muita perseguição, sobretudo, da religião predominante, que ensinava ser a Bíblia dos protestantes um livro falso cuja leitura conduziria ao Inferno. Casas apedrejadas, fogueiras de Bíblia em praça pública e cultos cancelados por falta de segurança. Todavia, apesar das dificuldades, o Senhor confirmava o ministério de Gunnar Vingren, com salvação, curas, batismos com o Espírito Santo e maravilhas.

Apenas um servo

Este parece ter sido o sentimento que norteou toda a vida e ministério de Gunnar Vingren. Ele sabia que só há um Senhor, de quem é tudo e para quem vivemos (1 Co 8.6). E quis apenas cumprir o mandado que recebera, não enterrando o talento (Mt 25.15).

Em 15 de agosto de 1932, retomou a seu país, a Suécia, deixando sua filha Gunvor sepultada em terras brasileiras. Gunnar Vingren faleceu em 27 de junho de 1933, aos 53 anos, deixando a seguinte mensagem ao povo brasileiro: " Diga -Ihes que eu vou feliz com Jesus e, como um pai em Cristo, exorto a todos a receber a graça de Deus que quer operar mais santidade e humildade, para que possa receber os dons do Espírito Santo. Somente desta maneira a Igreja de Deus poderá estar preparada para a vinda de Jesus" . Gunnar Vingren foi sepultado na Suécia, onde também vivem os seus filhos e netos.

A Assembléia de Deus é fruto da dedicação de homens simples, que se escondiam atrás da cruz para não ofuscar o nome de Jesus Cristo. Ao contrário, no Brasil de hoje temos muitos " bispos," apóstolos" e " doutores" , gente que parece querer usurpar a glória que só pertence a Deus. Porém, o Senhor não precisa de títulos para usar o homem. Ele precisa de servos, de discípulos, de vasos de barro, para que a excelência de sua glória se manifeste no meio desta geração em trevas. Brasil está chorando! Ele chora por obreiros como Gunnar Vingren, que vivam para o Evangelho e não façam do reino de Deus uma escada para suas próprias ambições.

Como pregava Moody, não precisamos primeiro ser cheios do Espírito: oremos inicialmente para que Ele nos esvazie. E,assim, livres de nosso individualismo, seremos tomados pela unção de Deus.

O surgimento do ministério Madureira

Paulo Leivas Macalão,um jovem gaúcho, filho de um general do exército brasileiro, que aceitou o evangelho nos idos de 1923, consagrado ao pastorado pelo pastor e missionário sueco Gunnar Vigren em 17 de Agosto de 1930, foi o fundador do ministério Madureira.(breve faremos um estudo sobre a vida do Pastor Paulo L. Macalão)

O nome Madureira advém do bairro fluminense onde o templo sede nacional reside, na cidade do Rio de Janeiro saiba mais

Por orientação do pastor Gunnar Vingren (Fundador das Assembléias de Deus no Brasil), Paulo Leivas Macalão inicia a evangelização dos subúrbios da Central do Brasil logo no início da sua fé, começando por Realengo, Bangu, Santa Cruz, Campo Grande, sendo que em Madureira, no salão da rua João Vicente, o trabalho veio a estabelecer-se como sede, dado ao seu vertiginoso crescimento, tendo sido fundado em 15 de Novembro de 1929. (História das Assembleias de Deus no Brasil - CPAD - pg. 220-221).

Embora fundada em 1929, a magnífica Catedral da Assembleia de Deus em Madureira foi erguida em 1953, sendo a mesma a 1ª Catedral das Assembleias de Deus da América Latina, ímpar em sua beleza

O crescimento e a força do Ministério Madureira

Em 1958 o pastor Paulo Leivas Macalão funda a Convenção Nacional de Madureira para assegurar a unidade do trabalho, haja vista a fragmentação que ocorria em outros ministérios, tornando com este ato o ministério de Madureira ainda mais unido e coeso, organizando convenções regionais nos estados e regiões do país

Com a fundação da Convenção Nacional de Madureira, o patriarca, cercado de seus mais fiéis colaboradores, cria o instrumento que asseguraria a estabilidade da Igreja, que antes sofria com os reveses causados por homens “amantes de si mesmos”, que se rebelavam e dividiam a Igreja, criando o famoso Estatuto Padrão, para todas as Igrejas Filiadas a Madureira, garantindo a comunhão perpétua fraternal, espiritual, doutrinária e patrimonial, fazendo do Ministério de Madureira o maior Ministério Evangélico Pentecostal coeso do planeta.

A separação

Com a partida do Pastor Paulo Leivas Macalão para a Glória, muitos pensavam que seria o fim ou a diluição do Ministério de Madureira, mas ao contrário, em janeiro de 1983, cinco meses após seu falecimento, Madureira elege a diretoria da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, sendo eleito o Pr. Dr. Manoel Ferreira como Presidente e o Pr. Lupércio Vergniano como Vice presidente, ambos lideres expressivos do Ministério de Madureira, ao comando das Assembléias de Deus no Brasil, conduzindo a denominação com paz e harmonia a progressos tremendos em todas as áreas.

Esta harmonia perdurou por seis abençoados anos, até que em 1989, um movimento interno nascido dentro da CGADB (Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil), tentou interferir no processo de crescimento do Ministério de Madureira, que assustava por sua coesão em todo o território nacional, culminando na exigência absurda de que a mesma deveria diluir-se, o que obviamente não pôde ser aceito. Então, após umaassembléia geral extraordinária em Salvador, Bahia, em setembro de 1989, onde pastores do ministério Madureira foram suspensos até que aceitassem as decisões aprovadas, acontecendo assim a separação administrativa da Convenção de Madureira, da CGADB, sem, contudo, perder as características das Assembléias de Deus, que por direito lhe são conferidas histórica e estruturalmente, pelo contrário, acrescendo-lhe novo ímpeto de expansão e crescimento, criando sua própria editora “a Editora Betel”, que hoje imprime 450.000 revistas para escola dominical para todas as faixas etárias trimestralmente, além de um jornal “O Semeador”, com tiragem mensal de 40.000 exemplares e vários títulos editados e outros em preparo.

Ministério Madureira - uma igreja missionária

Sob a liderança expressiva do Pr. Dr. Manoel Ferreira a Convenção de Madureira, tem se projetado cada vez mais no panorama do evangelismo pátrio, crescendo não só dentro do país, mas dinamizando a secretaria de Missões da Convenção, tem alcançado várias nações como: Bolívia – com a realização de um grande trabalho missionário, sob a responsabilidade do Pr. João Nunes, presidente da Assembléia de Deus em Nova Iguaçu, membro da Mesa da Convenção Estadual e da Junta Conciliadora – RJ;Itália (fundado em 1993 pelo pr. Nicodemos Loureiro) e mais recentemente em Portugal – existindo desde 1997 o Centro Missionário Pentecostale Europeo – Ministério de Madureira – implantado pelo pr. David Cabral, o CEMIPE para ser o braço missionário da Convenção Nacional das Assembléias de Deus – Ministério de Madureira, que brevemente será instalada oficialmente em Roma, através da Sucursal da CONAMAD (Convenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil – Ministério de Madureira) – já em fase final de regularização, tendo a finalidade precípua de, em primeiro lugar preservar os marcos lançados pelos pioneiros deste ministério, onde quer que o mesmo se estabeleça e também dar apoio logístico a missionários de todas as Igrejas que com seriedade e igualdade de princípios sintam a chamada para evangelizar a Europa

O pastor Manoel Ferreira tem estendido sua mão também para o Paraguai, Uruguai, Argentina, México, EUA, África, Espanha e principalmente naRússia, onde o mesmo, numa atitude inédita, estabeleceu um convênio espiritual e social com os líderes daquela nação, que por anos viveram isolados do resto do mundo, comprando em Moscou, um prédio de três andares, primeira propriedade de uma Igreja Pentecostal em Moscou, onde já esta funcionando uma escola bíblica para treinamento de obreiros nacionais, que evangelizarão não só a Rússia mas todo o leste europeu, tendo sido inaugurado com a presença de líderes cristãos de vários países do Leste Europeu, pelo Pr Manoel Ferreira, por solicitação dos líderes russos: Bp. Wladimir Mouzar e pr. Alexander Pourshaga, que também aproveitou o ensejo da presença do Pr Manoel Ferreira para lançar a pedra fundamental do primeiro templo pentecostal da Rússia, nos jardins da antiga KGB, com muita alegria para todos os presentes, inclusive a caravana de 114 pastores liderados pelo Pr Manoel Ferreira, que adotaram a visão missionária de seu líder para a construção deste magnífico templo.

Em dezembro de 1996, o Senhor recolhe à glória o Bispo Felipe, que na inauguração mostrou as marcas do sofrimento que lhe foi imposto ao longo de 25 anos nas prisões comunistas, sensibilizando a todos os presentes com sua alegria contagiante, e suas palavras imitando Simeão:“agora Senhor despede o teu servo em paz pois os meus olhos já viram a tua salvação” – Deus havia lhe falado que não morreria antes de ver as portas da Rússia abertas para o evangelho. Dois meses depois deste memorável dia o Senhor o chama de “volta pra casa”, Lc 1:23, e a igreja na Rússia, que tem um modelo administrativo diferente do nosso (12 Bispos presidem o Conselho Nacional de pastores), escolhe para substituir o Bispo Felipe, o pastor Manoel Ferreira como forma de honrá-lo e a Igreja no Brasil, pelo estender das mãos para ajudá-los na tarefa de evangelização daquele país, conferindo-lhe o título de Bispo, que embora incomum entre os assembleianos no Brasil, foi reconhecido em caráter excepcional pela CONAMAD, pois é uma honra que alcança não apenas seu presidente, mas a todos os seus ministros, obreiros e membros das Igrejas a ela filiadas.

Hoje Madureira glorifica ao Senhor, que é o dono da obra e supridor da mesma. Paulo L. Macalão lançou as bases deste gigantesco edifício, e o Espírito Santo levantou o Bp. Manoel Ferreira, capacitando-o para prosseguir o projeto de Deus, para este ministério. Foi também eleito presidente doCADSA – Conferência das Assembléias de Deus Sul-Americanas em 1983, tendo realizado no ano seguinte -1984 – a grande Conferência Pentecostal Sul-americana, reunindo uma multidão de aproximadamente 20.000 pessoas no ginásio do Ibirapuera em São Paulo. Outras grandes realizações tem sido levadas a efeito como a mobilização incumbida ao Pr. Ferreira para a concretização do “Celebrando Deus com o planeta Terra” onde 500.000 pessoas adoraram a Deus na Cinelândia, quando da realização da “Eco 92″ no Rio de Janeiro com a presença de representantes de todo o planeta, ou no evento : “Uma tarde com Deus”, no Aterro do Flamengo, com a presença de um milhão de pessoas e a grande cruzada “Brasil ainda há esperança” no Maracanã, onde só as igrejas filiadas a esta convenção mobilizaram 1600 ônibus, chegando a reunir cerca de 100.000 pessoas.

Isto é parte do que representa hoje as Assembléias de Deus – Ministério de Madureira , legítima continuadora da obra dos pioneiros pentecostais: Gunnar Vingren , Daniel Berg e Paulo Leivas Macalão, de mãos dadas com “àqueles que com um coração puro invocam o Senhor”, trabalhando irmanados com as principais lideranças evangélicas do país, que apoiaram inclusive a iniciativa do Bp. Manoel Ferreira da criação de um Conselho Nacional de Pastores do Brasil – CNPB – , para representar os interesses dos evangélicos, participando da diretoria do mesmo os principais representantes das diversas denominações como: Rev. Nilson do Amaral Fanini – Presidente da Aliança Batista Mundial, na condição de Vice-Presidente, Rev. Isaías de Souza Maciel como Conselheiro do referido Conselho não obstante o mesmo ser tambem o Presidente da OMEB – Ordem dos Ministros Evangélicos do Brasil, ficando demostrado a unidade de propósitos, Rev. Doriel de Oliveira , presidente da Igreja Casa da Benção entre outros, conta ainda com o apoio e amizade de uma plêiade de líderes a saber : Rev Guilhermino Cunha, Presidente da Catedral Presbiteriana do Rio de Janeiro, Rev Paulo Lokmam, Bispo Geral da Igreja Metodista do Brasil, Rev. David Gomes, DD Diretor da Escola Bíblica do Ar e ainda muitos expoentes da fé cristã desta nação.

fonte assembleiadedeusvilaverde.com