Translate this Page

Rating: 3.0/5 (931 votos)



ONLINE
2




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


historia da escola dominical
historia da escola dominical

                                                           

                                                            HISTORIA DA ESCOLA DOMINICAL 

 

 

Uma das grandes énfase das Escrituras diz respeito á educação do povo de Deus.Deus fala insistentemente com povo para que preserve  a Sua palavra,guardando-a(praticando)e ensinando aos seus descendentes.O método estabelecido por Deus,que perpassa a todos os outros,é o da repetição(DT6.6 etc).Não deixa de ser elucidativo,o que(Shemá),o"credo judeu"(que consistia na leitura de Deutoronômio  6.4-9 11.13-21 e Números 15.37-41),fosse repetido três vezes ao dia.(revista expressão,pp.83,apud).

A revelação de Deus foi´nos confiada para que a conheçamos e a pratiquemos(DT29.29).Deus provê os principios,os meios e os fins.Ele mesmo que se designou em nos dar sua palavra,tem propósitos definidos e meios estabelecidos para que a sua vontade se cumpra.No antigo testamento vemos a educação sendo amplamente praticada dentro do lar,send os mestres os própios pais.Mesmo dentro de um processo evolutivo,a educação familiar jamais foi substituída ou ´preterida.(ibid,pp.83).

Quando comemoramos o dia da Escola Dominical(3° domingo de setembro),normalmente nos lembramos do seu fundador(Robert Raikes 1736-1811,um jornalista que iniciou em Gloucester,na Inglaterra.Apesar de tentativas anteriores,e  ele devemos o inicio sistemático dessa escola tão singular,que se espalhou rapidamente por toda a Inglaterra.É verdade que ele encontrou oposição,todavia contou com o entusiasmo e apoio de inúmeraveis pessoas,tais como,Jhon Wesley(1703-1791) e William Fox,que"fundou a primeira organização para promover escolas dominicais.Em 1788 a Escola dominical já possuía,só na Inglaterra,mais de 250 mil alunos matriculados.(ibid,pp.83).

Quando os primeiros missíonarios começaram a chegar no Brasil,o movimento das Escolas Dominicais já estava firmado na Inglaterra,tendo também se tronado muitos forte nos Estados Unidos.Isso explica parcialmente o porquê deste trabalho ter sido logo implantado no Brasil,muitas vezes até mesmo antes de se estabelecer formalmente  o culto público.



                       Os metodistas os pioneiros

 


O reverendo Spaulding, que desembarcou no Rio de Janeiro em 29 de abril de 1836,demonstrou ser muito empreendedor em seu trabalho.Em carta ao secretários correspondente da Sociedade Missíonaria da igreja Metodista Episcopal (IME),data 5/5/1836,mencionava que já organizou uma pequena escola dominical com grupo de Metodistas que o reverendo Pitts reunira.Posteriormente,em outro relatório datado de 1/9/1836 diz:
  "...Conseguimos organizar uma escola dominical,denominada escola dominical Missíonaria Sul-Americana,auxiliar da União das escolas dominicais da igreja Metodista Episcopal...mais de 40 crianças e jovens se tornaram interessados na escola...Está dividida  em 8 classes,com 4 professores e 4 professoras.

Nós nos reunimos ás 16:30 aos domingos.temos duas classes,uma fala inglês e a outra português.Atualmente pareceu muito interessados e ansiosos por aprender..."
Dessa forma,baseados nos documentos que existem antigos,podemos afirmar que a primeira Escola Dominical no Brasil dirigida em português,foi organizada no dia 1 de maio de 1836.Mesmo o trabalho tendo tido bem iniciado,teve curto tempo,a missão Metodista por diversas razões,encerrou as suas atividades no Brasil em 1841,o reverendo Spaulding retornou aos Estados Unidos.



                Os congregacionais;uma escola definitiva


O médico e pastor escocês Robert Reid Kalley(1809-1888),e sua esposa Sarah Poulton Kalley(1825-1907),aqui chegaram em 1855.A escola dominical foi inaugurada pelo casal date oficial 19 de agosto de 1855.Passado 2 ou 3 domingos,a escola dominical passou a funcionar com uma classe de crianças e outra de adulto,sendo esta dirigida pelo reverendo Kelley,constando alunos africanos,com desejo de aprender a biblia.As classes da escola dominical continuaram a funcionar apesar de muitas dificuldades,tais como-os maus caminhos em ocasiões de grandes chuvas,doenças,distrações sociais,festas religiosas,visitas de amigos e,mais tarde,as ausencias da amável professora,quando acompanhava o seu esposo ao Rio de Janeiro,para animar os irmãos que tinham as suas reuniões no Bairro da Saúdade.(ibid,pp.84).


Não se dispõe de dados estatísticos de matriculados e frequencia dessa incipiente escola dominical,temos apenas ,alguns informes esparsos que nos revelam o seu crescimento constante.Em no dia 11 de maio de 1856,a senhora Kelley começou a ler a biblia em português a algumas crianças e a duas  de suas criadas (alemãs).

Neste mesmo ano as reuniões passaram a ser realizadas em portugu~es,inglês e alemã.No dia 8 de junho de 1856,além da presença de adultos,a escola dominical contava com 10 crianças.
Em 1 de julho de 1856,há o registro de 13 alunos presentes.Num domingo de setembro,compareceram 13 alunos.A partir de outubro,a frequencia média passou a ser 25,as vezes aumentava.

Uma aluna dessa época,Chistina Fernanda Braga-avó da famosa historiadora Henriqueta Rosa Fernandes Braga-,mais tarde,em 1917,relembra com indisfarçavel satisfação a sua infância,quando estudou com Sara Kelley:
"Quando eu tinha a idade de 7 anos,em 1856,frequentava a classe biblica do Dr.Robert Reid Kalley em Petrópoles,em sua chácara,á rua Joinville,hoje Ypiranga.Reunia-se ali,das 2 ou 3 4 horas da tarde,aos domingos,para o estudo da biblia reunidos em volta de uma mesa grande,na sala de jantar,cerca de 30 a 40 alemães,crianças,em sua maioria,cada um trazendo o novo testamento.Quem levasse decorado 3 versiculos,recebia um cartãozinho com um texto biblico,quem conseguisse adquirir 10 cartãozinhos,recebia um cartão maios,e quem conseguisse 3 maiores recebia um livro...'
"...em todas as reuniões,cantavam-se hinos.

Á saida,encontravamos os que vinham para o estudo biblico em português-esses eram em menor numero...Após o estudo em portugues,reunia-se a"classe Inglêsa(...)deve-se notar que a (classe Alemã),era mais numerosos,pois o idioma alemão era mais comum em Petrópolis,naquele tempo.Tanto o Dr.Kalley,como sua esposa,senhora Kelley,falavam bem esse idioma...Mrs,Kalley só matriculava alunos de 8 anos para cima,no entanto,fui matriculada antes dessa idade,devido a minha persistencia e porque sabia diversos capitulos de cor...'"
Com mudança de endereço da familia Kalley a escola dominical também tinha o seu local transferido.

A partir de 18 de julho de 1864,nova mudança,agora o casal vai para o Rio de Janeiro,passando a residir provisóriamente na rua do Propósito,até que  a reforma da sua nova casa fosse concluída,o que ocorreu em 18 de novembro,quando  então foram morar  atravessa das Partilhas,n.34.Nessa residência a escola dominical continuou funcionando na sala de jantar."Terminada a lição,os discipulos deciam a grande escadaria que ia ter ao salão da travessa das partilhas,onde então se realizava o culto público e a pregação do evangelho.(ibid,pp85).


Com isso ,os irmãos de Petrópolis que podiam,passaram a frequentar a escola dominical do Rio de Janeiro,enfraquecendo assim gradativamente a escola dominical de Petrópolis.(Henrique de Sousa,história da escola dominical,pp.109).


No jornal O Christão-órgão da União Evangélica Congregacional do Brasil e de Portugal.-de 15 de agosto de 1927,p.7,encontramos um desabafo de alguém que subscrevia o seu artigo com as iniciais "A.A',lamentando pelo termino do trabalho em Petrópolis,ao mesmo tempo em que estimulava sua igreja e reiniciar a obra evangélica naquela cidade.Podemos observar que a escola dominical organizada pelo casal Kalley se caracterizou pela preocupação de se ensinar a biblia e hinos evangélicos.(ibid,pp,85).


Recordemos o testemunho de sua antiga aluna:!Em todas as partes reuniões cantavam hinos".É digno de menção que eles editaram em 1861 um hinario com 50 hinos,intitulado,(psalmos e Hinos para o uso Daqueles que amão  nosso Senhor Cristo),hinario seria ampliado ao longo dos anos:2° edição em 1865,com 83 hinos:,3° edição em 1868 com 100 hinos;,4° edição em 1873,130 hinos.Observação,o casal Kalley retornou definitivamente para a Escócia em 1876.(ibid,pp.86,rev.expressão).



            Os Presbiterianos e a Escola Dominical


O reverendo Ahbel Green Simonton(1833-1867) foi o primeiro missíonario presbiteriano a se estabelecer no Brasil 12 de agosto de 1859,antes dele teve o reverendo James Cooley Fletcher(1823-1901),todavia,ele não pregou em portugues nem fundou igreja alguma,pois essa ,não era a sua missão,contudo,realizou um trabalho notável.Simonton antes de vir ao Brasil,estudou um pouco o portugues em Nova York,no entanto,não sentia seguro,como é natural,para pregar nessa nova e dificil lingua.Em 2 de janeiro de 1860 ele foi morar com uma familía que falava português:"muitos esforços e orações foram coroados de êxito e moro em casa onde posso ouvir e falar o portugues(...).Estou bem instalado,mais do que esperava em casa de fala português,já era mais que tempo de saber a lingua da terra"(diario de Sinmonton(1852-1867).

 Finalmente ,22 de abril 1860,ele começou uma classe de escola dominical no Rio de Janeiro,ao que parece na casa do senhor Grunting,onde havia alugado um quarto  para sua residencia,desde 10 de abril de 1860,por um período  de quase 6 meses.Este foi o seu primeiro  em portugues.Os textos usados  com 5 crianças presentes(3 americanas da familia Eubank e 2 alemãs da familia Kanaack),foram,a biblia, o catesismo de história sagrada,e o progresso do peregrino,de Bunnyan.

AS 2 das crianças,Amália e e mariete(Kanaack),confessaram ou demonstraram na segunda aula em 29 de abril de 1860,terem dificuldade em entender Jhon Bunyan.Diario de Sinmonton,1852-1867,28 maio/1860).


Aqui nós vemos delineados os principios que caraterizam a nosso escola dominical:O estudo das Escrituras,o estudo da história biblica atravez do Catecismo da história Sagrada e com uma aplicação ética ,por meio do progresso do peregrino.A organização da primeira escola dominical em São Paulo pelos Presbiterianos ocorreu no dia 17 de abril de 1864,ás 15 horas,com 7 crianças,sob a direção de reverendo Alexandre I.Blackford91829-1890)que se encontrava no Brasil desde 1860 e em São Paulo desde 1863.Esse trabalho permaneceu e,posteriormente o seu horário foi transferido para ás 10 horas,sendo seguido de um ato culto.(rev.expressão,ibid,pp.86). 



                              Os Batistas no Brasil


Em 1882,quando foi organizada a primeira igreja batista,voltada a evangelização do brasil,já esistiam duas outras batistas,organizadas por imigrantes norte americanos,residentes na região de Santa Barbara D"Oeste e Americana,São Paulo.Os casais de missínarios batistas norte americanos,recém chegados ao brasil,Willian Buck Bagby e Anne Luther Bagby,os pioneiros,e Zacharias Clay Taylor,Kate Stevens Crawford Taylor,auxiliados pelo ex-padre Antônio Texeira de Albuquerque,batizado em Santa Bárbara D"Oeste,decidiram iniciar a sua missão na cidade de Salvador Bahia,com 250.000 habitantes.Ali chegaram no 31 de agosto de 1882 e no dia 15 de outubro,organizaram a PIB do Brasil com 5 membros,os dois casais de missionarios e o ex´padre Antonio Texeira.(ibid,pp.87).


A educação é uma marca vivível do povo batista.Sua dedicação pelo estudo da biblia desenvolveu-se o interesse pela educação,cultivada nas igrejas através das organizações de treinamento e da escola dominical.Os templos se tornaram verdadeiros complexos educacionais.(ibid,pp.87).


Após o inicio com os congregacionais,presbiterianos e batistas,a escola dominical não parou mais em nosso país.No anos de 1913,Herculano de Gouvêa Jr. escreveu um artigo para a revista de missões nacionais,intitulado:"o que se deve esperar da escola dominical",o artuculista apresentou 3 beneficios"que a igreja pode receber na escola dominical",a seber:1.a conservação dos filhos mais da igreja no meio da igreja,2.um conhecimento mais metódico,regular e completo da biblia,ministrado aos membros da igreja,3.conversões.

             A escola dominical e  Assembleia de Deus


É inestimavel a contribuição da ´CPAD ao ensino teológico nas igrejas.Cerca de mais de 2 milhões de alunos utilizam´se de seus manuais destinados ás escolas dominicais,usados em várias denominações pentecostais.

Esta realidade evidencia a importancia das Lições biblicas no que diz respeito á unidade doutrinaria das Assembléias de Deus e á teologia ensinada no país.Homens e mulheres reconhecidos como as maiores autoridades em doutrina e pedagogia,nas Assembleia de Deus,tem sido convocados para nelas colaborar como comentadores,desde quando ainda eram um modesto suplemento do Jornal"Boa Semente".


Com uma tradição de quase 90 anos anos,a revista lições biblicas da CPAD é a principal responssavel pela coesão doutrinaria de nossa igreja no Brasil.De norte a Sul e de leste a oeste,verefica-se que as questões de usos e costumes e pouquissima diferenças liturgicas,as Assembleias de Deus são doutrinariamente coesas.Isso deve ao cuidado de nossa liderança que desde o suplemento denominado"estudos dominicaes",escritos pelo Missionario Samuel Nystrôm e publicados no primeiro jornal da denominação-(Boa Semente"-que circulou em Belém,Pará,no inicio da década de 20,passando pelo lançamento oficial da revista "Lições Biblicas",o qual se iniciou em 1930,na cidade do Rio de Janeiro,até os dias de hoje com o atual curriculo,repito,devemos nossa coesão doutrinaria ás revistas e ao trabalho voluntario de milhões de professores que,a cada domingo,ministram o mesmo conteúdo biblico em nossas igrejas  em todo território nacional.(notas rev.ensinador,cpad)


           A importancia das Lições Biblicas da CPAD


Responssavel pela coesão doutrinaria nas ADS,a revista Lições Biblicas vem sendo objetivo de estudos de inúmeros academicos das mais distintas faculdades(história,pedagogia,sociologia,sem falar em teologia e os cursos.Todo interesse tem explicação:entender como a quantidade de cerca de 8 milhões de fiéis é tão coesa.(ibid,ensinador cristão).
Um pequeno vislumbre histórico demonstra desde a criação dos principais periódicos da denominação,os quais tratavam de temas como batismo no Espirito Santo,os dons espirituais e escatologia,que o principal intento da imprenssa pentecostal"não é propiamente a noticia,e sim a divulgação doutrinaria".

É reconhecido pelo mesmo catedrático,Gary B. McGee,que,além do jornal "voz da verdade",e dos jornais Boa Semente(1919),e Som Alegre(1929),os quais na primeira Assembléia Geral Ordinária da CGADB em 1930,,realizada na cidade de Natal(RN),se "uniram"dando origem ao "Menssageiro da Paz",existe ainda um elemento fundamental na divulgação das doutrinas pentecostais.(ibid,rev.ensinador,2010).
Outro fator de progresso do ensino teológico no meio pentecostal brasileiro foram as escolas biblicas dominicais.Realizadas como o apoio de literatura fornecida pela CPAD,constitui-se no principal instrumento de divulgação entre os crentes das doutrinas que caracterizam o movimento,ensejando-lhea a oportunidade de apregoar com segurança a sua fé.


Como foi dito,no inicio era apenas um suplemento publicado na segundo jornal da denominação"Boa Semente'-intitulado de Estudos Dominicais",mas pouco tempo depois um anúcio nesse mesmo período dá conta da existencia de revistas propiamente ditas:"Está em andamento a Revista de Escola Dominical que havemos de  publicar para auxilio dos estudos dominicais.O preço será mais razoavel possivel".

O anuncio  consta do ano de 1923 no periódico,quando a denominação tinha apenas 12 anos de fundação.Em 1935(cinco anos após o lançamento das Lições Biblicas),um aviso do missionário Nils Kasberg no menssageiro da paz evidencia a importancia das revistas:"embora tenhamos aumentado ,consideravelmente,a tiragem das lições,lamentamos já terem acabados todos os exemplares(...).Isso,entretanto,nos mostra o progresso glorioso das Assembléias de Deus".(ibid rev.ensinador).


Conhecido todo esse esforço inicial,a conclusão a que chegou Gary McGee serve como uma resposta aos que erroneamente acreditam que o pentecostalismo é antagonista é reflexão teológica:"como se ve,os pentecostais brasileiros,ainda que empiricamente,sempre se preocupam com o ensino teológico".Se apenas ou tão somente os anos de sua existencia fossem levados em consideração,já não haveria dúvidas quanto a importancia das lições biblicas.



  A evolução curricular da Escola Dominical

Em toda a sua trajetória,as revistas da Escola Dominical,posteriormente,o então Departamento de Escola Dominical,mais tarde Divisão de Educação Cristã e,finalmente Setor de Educação Cristã,contou com os seguintes responssaveis,por ordem cronológica:Samuel Nistrom,Nils Kastberg,Emilio Conde,e José Pimentel de Carvalho(este ultimo,anos depois,foi também diretor do já criado Departemento de Escola Dominical)",Geziel Gomes e Antonio Gilberto(denominados coordenadores,sendo que o ultimo foi criador e,posteriormente,diretor do departamento de escola dominical),Adilson Faria,Raimundo de Oliveira,Antonio Mardônico  Nogueira,Gilmar Vieira Chaves,Claudionor de Andrade,Israel de Araujo e Marcos Tuller.(notas,ibid,ensinador).


Todos esses nomes contribuiram para que a CPAD possuisse o cúrriculo completo que temos atualmente,mas vale dizer que a intensificação de todo esse processo teve dois grandes momentos:o primeiro,com o pastor Antonio Gilberto,a partir de 1974 com a criação do Caped, e do Departamento de Escola Dominical da Casa,e o segundo,com o atual diretor executivo Ronaldo Rodrigues de Sousa que,desde sua posse  em 4 de março de 1993,vem consolidando o projeto inicial dos nossos pioneiros e cristalizando a idéia de a CPAD possuir um curriculo abragente (idealizado pelo pr.Antonio Gilberto em 1980,já na administração da atual diretoria),atravez de grandes projetos como,por exemplo,a campanha Biênio da escola dominical 96/97,e o lançamento em 31 de outubro de 2006(com vigência para o primeiro trimestre de 2007),do curriculo atual que é,sem dúvida,o mais completo(vai dese berçario até a vida adulta,ou seja,nove faixas etárias,mais duas revistas para grupos especificos sendo as do discipulado e de não crente).

Todos os que temos o privilégio de hoje desfrutar dos efeitos salutares de um progama de educação cristã planejado,é importante lembrar que não foi  sem dificuldades que o pastor Antonio Gilberto iniciou a essa nova fase na ED nas Assembléias de Deus,passando da publicação de uma revista(e outras duas infantis)para o lançamento de um curriculo que contemplasse o ser humano em suas diversas etapas da vida.

Se esse fatores condicionados do aprendizado,não fossem levados em consideração no ensino,o aproveitamento escolar será praticamente nulo,pois as leis do ensino e da aprendizagem são universais e imutáveis..veis,quer se trate do campo de ação secular ou religioso.Como pode obedecer á visão divina para educação cristã nas Assembléias de Deus no brasil significou inúmeros esforços de muitas pessoas que se dispuseram a tal empreendimento.É disso que este texto ligeiramente tratou.

 

EXTRAIDO        WWW.MAURICIOBERWALDOFICIAL.BLOGSPOT.COM