Translate this Page

Rating: 3.0/5 (889 votos)



ONLINE
2




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

A Book for Her pdf free, download pdf, download pdf, this site, The Adobe Photoshop CC Book for Digital Photographers 2017 pdf free, fee epub, pdf free, site 969919, this link, link 561655,

historia da igreja ortodoxa Grega N.4
historia da igreja ortodoxa Grega N.4

 

                                       HISTORIA DA IGREJA ORTODOXA                         

                                                 A TASTE OF GLORY  

I N 987, Prince Vladimir de Kiev é dito enviou emissários a diferentes países para aprender sobre a religião e de culto de cada um. Ele estava à procura de uma fé apropriada para o seu povo.

Os emissários foram primeiro para os búlgaros do Volga. Estes muçulmanos que teria encontrado vergonhoso, triste, e ter um "fedor terrível." E entre os alemães (cristãos ocidentais), os embaixadores relatou que viu "sem glória". Em Constantinopla, eles foram levados para a Basílica de Santa Sofia, a catedral de o capital. Seu relatório:

"Nós não sabíamos se estávamos no céu ou na terra. Para na terra não há tal esplendor e tanta beleza, e nós estamos em uma perda como descrevê-lo. Só sabemos que Deus habita lá entre os homens, e seu serviço é mais justo do que as cerimônias de outras nações. Por que não podemos esquecer que a beleza ".

Príncipe Vladimir estava convencido, e seus súditos aceitou o cristianismo grego e foram batizados.

Esta conta do russo  Primária Chronicle , embora lendário, porém transmite esta: os russos foram convertidos não por argumentos teológicos mas pela simples esplendor do culto bizantino.

Esta tradição litúrgica, seguido ainda na paróquia mais remota, mais do que qualquer outra coisa ainda define ortodoxia. Uma breve "tour" de um serviço Ortodoxa irá ajudar o aperto não-ortodoxos esta verdade mais profunda.

A DANÇA DE ADORAÇÃO

Um visitante ocidental a uma igreja ortodoxa é imediatamente impressionado com o edifício. Ícones de santos e cenas bíblicas cobrir as paredes e teto, às vezes completamente. Uma tela coberta com ícones, chamado de iconostasis, separa o santuário (onde o altar fica) a partir da nave (onde a congregação se reúne).

Ao longo da nave sobe uma grande cúpula central, a partir da qual uma imagem austera do  Pantocrator  (Cristo sentado em seu trono de glória) olha para baixo na assembléia reunida. Imagens de Cristo e os  Theotokos (Mary, "Birthgiver de Deus") ladeiam as portas centrais do iconostasis.

As imagens são grandes, corajoso, formal, sem qualquer sentimentalismo.Eles pretendem transmitir esta: você está na presença do Deus vivo, juntamente com os santos e os justos de todas as idades. Antes de uma única palavra foi pronunciada, em seguida, a congregação constitui-se em uma imagem espelhada da assembleia celeste de todos os crentes, que, juntos, cantam: "Santo, Santo, Hol" (Ap 4: 8).

Como o serviço começa, o visitante é transportado para um mundo novo e desconhecido. O cheiro de incenso enche a igreja. As portas centrais do iconostasis são abertos e o padre, investido em vestes resplandecentes, entoa a bênção de abertura. O diácono canta a ladainha de abertura, e do coro e as pessoas respondem,  Kyrie eleison ("Senhor, tem piedade"). Quase todo o serviço é cantado ou cantada.

Em cada petição, as pessoas fazem o sinal da cruz e arco, oferecendo suas orações fisicamente, bem como mentalmente. Eles ficam durante todo o tempo de serviço, como igrejas ortodoxas em geral carecem de bancos.

O clero mover dentro e fora do santuário, no que parece ser uma dança precisa. Acólitos processar com velas. Cantores malabarismos da música e do hino numerosos livros. O movimento fiéis e para trás, colocando velas em suportes antes de ícones.

Tudo isso parece ser complexa e caótica, mas para os adoradores que é tudo natural. Todo mundo sabe o seu papel na montagem.

O visitante também é atingida pelos hinos e orações. Alguns são cantados em voz alta para que todos ouvissem, outros recitou quase inaudível. Os ocidentais, acostumados a breves, orações simples e diretas, muitas vezes são surpreendidos com a elaborada, florido, e linguagem altamente poética da liturgia bizantina. Estes textos, a maioria composta entre o quarto para os séculos XI, representam a maior conquista da cultura cristã medieval grego.

Orações e hinos são em grande parte construído em material bíblico. A oração eucarística composto por São Basílio, o Grande, por exemplo, contém pelo menos 44 citações bíblicas diretas no prefácio sozinho.

O REINO VEM

Muito antes de livros impressos, universidades ou seminários, esta liturgia educados e formados os fiéis. Bíblia é lida e exposta em cima, hinos transmitir o ensinamento da Igreja, e os ícones que corroboram ensino. Um camponês nas montanhas dos Cárpatos da Ucrânia que podem nunca ter ouvido falar do Concílio de Calcedônia (451), que afirmaram as duas naturezas de Cristo, vai saber a partir da memória de um hino Ortodoxa parafraseando seus decretos.

Esta tradição litúrgica tem desenvolvido continuamente, mas em todas as idades, o culto ortodoxo tem procurado oferecer aos fiéis uma visão única e experiência. Os ortodoxos acreditam que, através do Espírito Santo, Cristo desce para nos dar a sua Palavra e do seu Corpo e Sangue. Ao mesmo tempo, somos transportados para onde ele está, para que cada vez que a igreja se reúne para adoração, nós experimentamos um antegozo do reino. 

 

NÃO QUEREMOS A BORRAR A FÉ  

O bispo de Constantinopla também é chamado o patriarca ecumênico e detém primazia honorária entre os bispos de igrejas ortodoxas. O atual patriarca ecumênico, Bartolomeu I, fará uma visita pastoral aos Estados Unidos neste verão, marcando o septuagésimo quinto aniversário da fundação da Arquidiocese de Norte e Sul América grego.  História Cristã realizou uma entrevista fax com Bartolomeu I, o transcrição não editada do que é reproduzido aqui.

História cristã: Qual é o propósito da sua próxima visita para os EUA?

Patriarca: A ocasião para a nossa visita aos Estados Unidos é o septuagésimo quinto aniversário da fundação, em 1922, de nossa Arquidiocese do Norte e América do Sul pelo Patriarca visionário Meletios (Metaxakis). Patriarca Meletios, equipado com um conhecimento de primeira mão do meio americano, assumiu a tarefa de organizar a estrutura canônica da Igreja para os imigrantes ortodoxos gregos do Novo Mundo. De acordo com a tradição e cânone lei que rege a Igreja Ortodoxa, ele colocou-os sob a jurisdição espiritual da Santa Mãe e Grande Igreja de Cristo, o Patriarcado Ecumênico de Constantinopla.

Quanto à natureza do meu potencial visita aos Estados Unidos: é claramente pastoral. O Patriarcado Ecumênico de Constantinopla tem tanto o privilégio ea responsabilidade de serem os Protothronos ", o primeiro trono" da Igreja. Como tal, é um símbolo visível da unidade para ortodoxo de todas as terras e-nação e uma fonte de intercessão incessante para todos eles. Portanto, é evidente que a visita que vem terá um caráter pan-ortodoxa.

Deve-se lembrar que a Igreja Ortodoxa nunca se desviou do que a consciência ea perspectiva fundamental da agape-amor e unidade. Somos chamados a exercer o "ministério da reconciliação" (II Coríntios 5:18), e estamos ansiosos para o retorno das santas igrejas de Cristo à unidade nele.Em cada liturgia divina, pouco antes de a santa Comunhão, a Igreja Ortodoxa em todo o mundo reza por "a unidade de todos", isto é, escatologicamente falando, a restauração da unidade de toda a humanidade.

Como Patriarca Ecumênico, entendemos o significado mais amplo deste "ministério da reconciliação", e buscamos ativamente por nossas peregrinações ao redor do mundo, enquanto continuamos a chegar a todas as pessoas, sem distinção de credo, cor ou origem étnica.

Para muitos protestantes ocidentais, Ortodoxia sente datado, uma relíquia pitoresca de uma idade anterior. Para outros, é como se a pessoa tem que se tornar Oriental antes de se tornar Ortodoxa. Como você responde a essas percepções?

Você retratar o que é, infelizmente, uma imagem precisa, ou seja, que o mundo protestante (e não só) é em grande parte ignorante da Ortodoxia.Mesmo teólogos de grande credibilidade passaram em equívocos em vez humilhantes sobre Ortodoxia, como se fosse uma litúrgica, ou melhor ainda, alguns fósseis ritualístico. Infelizmente, esses equívocos, a cargo de ignorância ou até mesmo intenções polêmicas, foram proferidas não examinada por gerações. Mesmo os melhores esforços do movimento ecumênico, que visam uma melhor compreensão no seio da família cristã, não conseguiram completamente a corrigir isso.

Outra percepção equivocada está contido na própria forma como você colocar a questão sobre o "Oriente" e Ortodoxia. De um ponto de vista histórico, é verdade que a ortodoxia tem tido um enorme impacto na Europa Oriental e na bacia do Mediterrâneo. Mas não nos esqueçamos de que a ortodoxia tem sido uma presença histórica e vibrante no Ocidente, desde meados do século XVIII, incluindo a colônia grega em New Smyrna (dia moderno St. Augustine, Florida), as missões para o Alasca, ea primeira paróquia fundada em território continental dos Estados Unidos, em Nova Orleans (1864), que abraçou ortodoxo de todas as etnias.

Lembremo-nos, ainda, que a Igreja é chamada a não identificar-se com as civilizações e culturas, mas para transformá-los!

Pode Ortodoxia tornou popular no Ocidente? Se sim, como?

A missão da Igreja não é se tornar "popular", mas para pregar o evangelho autêntico, de salvação e de dar testemunho da Ressurreição de Cristo. O trabalho da Igreja é essencialmente profético e, muitas vezes longe de ser "pessoas-agradável."

A experiência da Igreja de 2.000 anos confirma que onde quer que a graça de Deus realiza sua missão profética na verdade e no amor, a Igreja reúne os filhos de Deus dispersos, e como uma mãe bondosa ama e, em troca, é amado. Acreditamos que é o caso de testemunho e presença de ortodoxia no Ocidente.

Nossa Igreja está se tornando "popular", precisamente porque ela é a Igreja histórica; ela continua a pregar o evangelho autêntico da salvação e dar testemunho da Ressurreição de Cristo e nunca tolerou nem aceito classes ou categorias dentro de seu rebanho. Ela é a Igreja do povo de Deus, que vêm das pessoas e ministrar às pessoas de uma forma "populista", ao invés de "alto". Em espírito, nós somos uma família e um corpo de Cristo.

Ortodoxia tem experimentado alguns dos mais severa perseguição na história da igreja, tanto do Islã e do comunismo.Como isso afetou a Ortodoxia, para o bem e para o mal?

É bem sabido que a Igreja tem sido perseguida desde o dia de Pentecostes.Os perseguidores têm sido muitas, então e agora. Cristo sempre foi e continua a ser "sinal de contradição" (São Lucas 02:34), e com ele, a sua Igreja. Se não houvesse perseguição, que seria de fato estranho! Temos sempre trilhado o caminho da Cruz; não há outro caminho para o discípulo de Cristo. Curso da Igreja através dos séculos sempre foi repleta de perigos e os seus fundamentos estão fundamentadas no sacrifício de homens, mulheres e até crianças, cujos ossos testemunham a fé muito.

Ultimamente tenho visto um diferentes graus de perseguição do ateísmo, fanáticos religiosos, e outros, mas não podemos esquecer que a Igreja sempre emerge desses ensaios espiritualmente fortificadas e confirmados no conhecimento de seu verdadeiro caminho.

E não podemos deixar de reconhecer a dor causada pelos atos de represália e desumanidade perpetrados por alguns ortodoxos para com aqueles que erraram com elas. Isso só reforça a nossa determinação de prosseguir um diálogo de paz e de reconciliação entre nossos primeiros responsabilidades.

Ortodoxia é uma pequena minoria no Ocidente. Você poderia pensar que os diversos órgãos ortodoxos, especialmente em os EUA, que se unem para apresentar uma testemunha Ortodoxa unificada. No entanto, tudo ao redor parece haver suspeita, inveja e falta de confiança entre os ortodoxos. O que contribui para isso?

Na verdade, a Ortodoxia é quase uma minoria imperceptível no Ocidente, e uma consolidação dos esforços, sem dúvida, o avanço da testemunha da ortodoxia no Ocidente, para o benefício do Ocidente. No entanto, devemos proceder com cautela, a fim de evitar a tentação de recorrer a qualquer percepção mundana "de energia." Nosso objetivo é simplesmente para fortalecer a unidade da Igreja, para aumentar e edificar o corpo de Cristo.

Para este fim, a questão da diáspora ortodoxa foi incluído na agenda dos preparativos para o eventual Santo e grande Sínodo da Ortodoxia. Junto com essas preparações, estão sendo tomadas medidas para superar alguns obstáculos do passado e promover uma unidade mais substancial e visível.Mas a unidade não é essencialmente lá, talvez sempre tão visíveis para alguns por causa das distinções jurisdicionais e pluralismo étnico e cultural.

Quais são os maiores desafios para a Ortodoxia hoje?

Ações Ortodoxia os mesmos desafios que todos os cristãos e religiões enfrentam: a incredulidade, o secularismo, diminuição da espiritualidade, da perda de esperança. Em particular, a Ortodoxia enfrenta as consequências de uma longa dominação por regimes ateus em terras que eram de longa tradição ortodoxa, ea descontinuidade cultural resultante e vazio espiritual.

Acima de tudo, a Ortodoxia é confrontado com o zelo de muitos cristãos ocidentais, especialmente da América, que, apressadamente tentar preencher esse vácuo, são furtos espiritualmente a casa de seus irmãos.Teria sido melhor para esses fanáticos, seus patrocinadores e apoiadores, de ter passado algum tempo a estudar a Ortodoxia e aprender com a experiência da vida real, ao invés de apenas na teoria, o que significa ser discípulo de Cristo e testemunhar o evangelho em martírio.

Nunca devemos esquecer que a maior perseguição de cristãos na história ocorreu neste século, escondido atrás de Ferro e fundamentalista islâmico cortinas, enquanto os cristãos ocidentais viveram em liberdade e ignorância do martírio de seus irmãos e irmãs.

Os ortodoxos afirmam constituem a única verdadeira Igreja. Esta afirmação, naturalmente, faz com que católicos e protestantes Balk. Como devemos entender essa afirmação? O que, de acordo com os ortodoxos, é o nosso estado diante de Deus?

Nós não espera que a exclusividade significa julgamento ou exclusão. A ideia de que a adesão de uma organização visível Igreja é requisito para a adesão no céu é baseado em um falso paradigma que nós de alguma forma paralela o Reino de Deus neste mundo. O reino não é uma realidade exterior, mas sim interior, pelo menos até o fim dos tempos.

Ao identificar a Igreja Ortodoxa como a Igreja fundada por Jesus Cristo através de Sua Santos Apóstolos, que de nenhuma maneira circunscrever ou limitar o reino de Deus. Conhecemos bem as palavras do Senhor, que o Espírito sopra onde quer, e nós reconhecemos que o poder, a misericórdia eo amor de Deus são bem além da nossa compreensão.

Embora afirmando que "Quem não é comigo é contra mim" (São Lucas 11:23), também afirmam que "Quem não é contra nós é por nós" (São Lucas 09:50). Esta antinomia histórico está sempre presente na vida da Igreja.Mas, no entanto, não borrar a definição da fé, as fronteiras canônicas da boa ordem da Igreja, ou o nosso desejo de chamar todos os homens ao conhecimento da verdade. Nós preferimos o espírito de amor e preocupação genuínos e evitar o tipo de triunfalismo que tem causado tanta alienação e divisão ao longo dos tempos.

Qual é a mensagem mais importante que você vai tentar passar para os protestantes ocidentais quando você visita os EUA?

Estamos chegando aos Estados Unidos para levar uma mensagem de restauração e renovação através de nossa bendita esperança em Cristo ressuscitado.

Estamos chegando aos Estados Unidos para falar a verdade em amor, para o perfeito amor lança fora o medo e é o caminho perfeito para a unidade em que o mesmo Cristo ressuscitado.

Estamos chegando aos Estados Unidos para trazer aos nossos irmãos e irmãs no Senhor a fé viva que foi vivido nas terras do Novo Testamento, na verdade, de onde o próprio Novo Testamento foi composto e compilados.

Nós estamos vindo para a América da com o mesmo credo e confissão forjada em nossas próprias cidades protegidas por Deus de Nicéia e de Constantinopla, que é um verdadeiro sinopse do evangelho cristão que qualquer pessoa pode aprender, viver e através da vida, herdar a vida eterna.

Estamos vindo para a América porque nos Estados Unidos a fé que começou em Jerusalém se espalhou para os confins da terra. Assim como os Estados Unidos começaram a Jamestown, mas recebeu sua constituição, em Filadélfia, o mesmo acontece Constantinopla completar o mistério inaugurada em Jerusalém.

Estamos chegando à América trazendo essa mesma base sólida, que tem sofrido desde o início, para compartilhar o que vimos com os nossos olhos, o que temos ouvido com os nossos ouvidos e as nossas próprias mãos tocaram: o mistério de Deus encarnado, vivo para sempre em seu povo, seu corpo, sua Igreja.

Entrevista com Bartolomeu I, o arcebispo de Constantinopla. 

 

  ORTODOXIA ORIENTAL: HISTÓRIA CHRISTIAN ENTREVISTA - UMA AVALIAÇÃO EVANGÉLICA

F ou muitos protestantes, a Ortodoxia é uma mistura-a fé culturalmente estrangeira inquietante que às vezes se sente muito protestante.

Harold OJ Brown, professor de teologia Trinity Evangelical Divinity School, em Deerfield, Illinois, ficou fascinado com a Ortodoxia desde os tempos de escola de pós-graduação, quando ele estudou Irineu e outros pais da igreja primitiva. Ele é um membro da Igreja Evangélica Livre e comentarista líder em teologia e sociedade. Ele tem escrito uma série de livros, incluindo,  Heresias: a imagem de Cristo no espelho de heresia e ortodoxia dos Apóstolos to the Present  (Baker, 1988). Ele conversou com História Cristã  sobre seus pontos de vista sobre a Ortodoxia.

História Cristã: E sobre a ortodoxia que você mais aprecia?

Brown: Os ortodoxos têm um tremendo senso de continuidade do povo de Deus, isto é, a tradição. Além disso, eles têm um profundo respeito pela Escritura; seus serviços são principalmente versículos bíblicos adicionado um para outro. E, claro, há a beleza e majestade de serviços ortodoxos.

Não tão bem conhecido é a liberdade permitida na Ortodoxia. Embora ele mantém muitas tradições, não tornar as coisas não-bíblicas obrigatório. Por exemplo, em 1951, a Igreja Católica Romana decretou a Assunção da Virgem Maria para ser uma doutrina necessário crer para a salvação. Os ortodoxos têm por séculos comemorou essa crença (que Maria foi assunta em corpo e alma ao céu no final de sua vida), em sua festa da Dormição ("adormecer") de Maria. Mas eles nunca tornou obrigatória a acreditar.

O que faz forte tradição e da liturgia dar os ortodoxos?

Estabilidade. Eu tenho um amigo ortodoxo que ensina em um seminário bem conhecido. Enquanto estudava na Harvard Divinity School, tornou-se intelectualmente cético sobre a verdade do evangelho. Mas porque ele era um sacerdote ortodoxo, no momento, todos os domingos, ele teve que levar a liturgia, que está saturado com as Escrituras ea teologia som. Aos domingos, ele tinha que agir como se acreditava.

Eventualmente, ele trabalhou através de suas dúvidas intelectuais, e ele, em parte, credita a liturgia semanal. Ele continuou puxando-o de volta para o mundo cristão até que sua fé foi feita toda de novo. A maioria dos estudantes protestantes que começam a duvidar de sua fé não tem uma tradição para firmá-los.

Um historiador ortodoxo disse que os ortodoxos têm mais em comum com os evangélicos do que com os católicos. Você concorda?

Em muitos aspectos, sim. Em primeiro lugar, o lugar Escritura Ortodoxa na vanguarda de sua fé. Tradição para eles é a transmissão da coisas, confiada à Igreja, e as Escrituras é a primeira coisa confiada à igreja. Eles consideram tradição como uma interpretação da Escritura, não como uma fonte independente da verdade religiosa.

Além disso, grande ênfase é colocada sobre a pessoa de Cristo, pelo seu trabalho e sobre o mistério da sua Encarnação e Ressurreição.

Além disso, os ortodoxos não aceitam a supremacia universal do papa. Eles reconhecem o papa como o cabeça da igreja de sua jurisdição, mas não de toda a igreja.

Um grupo pequeno mas significativo de evangélicos têm recentemente se converteu à ortodoxia, incluindo Franky Schaeffer. O que é a atração para eles?

Além das coisas já mencionado, eles têm se preocupado com o caos do protestantismo. Eles vêem as principais denominações jogando rápido e solto com a doutrina, questionando tudo, desde o nascimento virginal à Trindade.

Eles estão incomodados também pelo comportamento desordenado dos evangélicos que vão de uma moda a outra. Protestantismo a eles se sente sem raiz, sem uma conexão com o povo de Deus através dos séculos.

Os ortodoxos têm raízes profundas, que os mantém constante em muitas questões. Por exemplo, uma vez que os tribunais permitido o aborto, os protestantes têm debatido o que eles acreditam sobre o aborto. Os ortodoxos, no entanto, têm uma tradição que há muito tempo determinado aborto estava errado. Assim, eles não foram confundidos por Roe v. Wade e ter sido capaz de falar com uma forte voz clara, sobre o assunto.

Além disso, o Protestantismo tende a ser racional e palavra centrado. Há uma enorme quantidade de falar no culto protestante. Os ortodoxos têm uma liturgia que pede ícones da beleza-in, hinos e simbolismo-e promove a contemplação e nutre em um nível profundo o sentimento de que Deus está realmente presente.

Esta foi uma das razões Franky Schaeffer, por exemplo, entrou para a Igreja Ortodoxa Grega. Ele sentiu que os evangélicos não têm apreço suficiente para o papel da arte e da beleza na vida cristã.

Quais são as características de problemas Ortodoxia mais?

Uma das coisas que eu mais admiro: tradição. Às vezes costumes tornou tradição meramente mortos que sufoca a igreja. Por exemplo, a liturgia da Igreja Ortodoxa Russa ainda é cantada em Old Church Slovonic, uma linguagem quase ninguém sabe hoje. Isso torna difícil para os russos para segurar sua juventude e para atrair novas pessoas para sua igreja.

Temos que ser justos: os protestantes também pode se apegar às tradições ultrapassadas, mas esta parece ser uma maior tentação no Ortodoxia.

Outra preocupação seria ícones. A teologia ortodoxa sobre este ponto é bom: os ortodoxos dizem que não icons "adoração", mas apenas "honra" ou "reverência" deles. Tenho certeza que isso é verdade para muitos ortodoxos.Mas não é difícil imaginar que incontáveis ​​fiéis ortodoxos não ver a diferença e que, em muitos casos, os ícones são simplesmente adorado.

Finalmente, a ortodoxia ainda é uma fé étnica. Há exceções, mas muitas vezes a ser ortodoxo significa também ser grego ou sérvio ou russo. E, às vezes sendo  grego ortodoxo (ou qualquer outro) é mais importante do que ser um cristão ortodoxo.

Por que você permaneceu protestante, apesar de seu respeito óbvia para a ortodoxia?

Apesar da confusão real no protestantismo, ainda há um consenso considerável no centro: a maioria dos protestantes afirmam a Encarnação, a Trindade, e uma série de imperativos éticos. Além disso, a Ortodoxia (e catolicismo, para que o assunto) resiste a sua quota de caos; os conflitos que surgem entre as igrejas e os teólogos ortodoxos são tão confuso como no protestantismo.

A verdadeira unidade tem a ver com ficar dentro da doutrina e ensinamento dos apóstolos, e em uma irmandade de pessoas que acreditam que, não importa a sua tradição da Igreja. Você não pode promover a unidade de crença simplesmente por ir a alguma igreja com um rótulo específico. No fim das contas, é o Espírito Santo, a organização não humano, que nos manter na verdade.

fonte www.chritianhistoryinstitute.org