Translate this Page

Rating: 3.0/5 (914 votos)



ONLINE
5




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Historiada igreja no EGITO مصر الكنيسة
Historiada igreja no EGITO مصر الكنيسة

                       Historiada igreja no EGITO مصر الكنيسة 

 

  1. História da Igreja. As primeiras sementes do cristianismo foram, sem dúvida, espalhados no Egito no tempo dos apóstolos. De acordo com alguns historiadores antigos, Pedro fundou a Igreja de Alexandria e várias outras igrejas egípcias. Marcos Evangelista é dito por uma antiga tradição, preservada por Eusébio (Eclesiastes Hist. 2:16), ter sido "o primeiro que foi enviado para o Egito, e estabelecido pela primeira vez igrejas na cidade de Alexandria." (Veja ALEXANDRIA). O testemunho de Eusébio, que os primeiros cristãos do Egito seguido uma escola rigidamente ascético, é muito duvidoso, porque Philo, a quem ele se refere, não fala dos cristãos, mas de uma seita judaica, os terapeutas, e expressamente menciona que viviam , não em Alexandria, mas no lago Moeris. De Baixo Egito cristianismo logo se espalhou para Cyrene, Pentapolis, Líbia, Central e do Alto Egito. Havia pelo menos vinte bispados no Egito por volta de meados do século III, para esse número de bispos estavam reunidos em um concílio em 235. Cinco conselhos de bispos egípcios foram detidos antes 311; um grande número nos quarto e seguintes séculos. Como o Egito tinha sido nos tempos antes de Cristo a sede da filosofia e do misticismo, por isso agora se tornou um dos principais lugares de literatura cristã. A escola de Alexandria era o mais velho da classe superior de instituições de educação cristã. Jerome e outros sustentam Marcos Evangelista ter sido seu fundador, mas a sucessão de catequistas é diferente afirmou. (Veja AEXANDRIAN SCHOOL).

 

Entre os homens de ciência quem deu à Igreja foram Clement, Atanásio, Orígenes, Cyril. Gnosticismo encontrou numerosos adeptos. Basilides, Valentino, Heracleon, Ptolomeu, Carpocrates, eram egípcios. Os Ophites e Doketism saltou lá em cima; Sabellianism e Arianismo também eram produtos do Egito. A influência do Egito na história do monaquismo é igualmente marcada; Pacômio, Anthony, e muitos outros eremitas célebres, contribuiu grandemente para a difusão do monaquismo na Igreja Cristã. Monachism (q.b.), na verdade, não pode ser totalmente compreendido sem uma devida apreciação do elemento egípcio. Na história da constituição da Igreja Cristã Egito também teve uma influência considerável. Em nenhum outro país do Oriente eram tendências hierárquicas desenvolvidas tão cedo, para o patriarca de Alexandria logo procurou. obter privilégios que nenhum outro dos bispos superiores apreciado. O Monophysites, que posteriormente recebeu o nome de coptas, tornou-se no Egito a Igreja predominante, e gradualmente arrancada quase todas as igrejas dos cristãos ortodoxos, que, já no final do século VI, foram reduzidas a um número muito insignificante. A sede patriarcal em Alexandria foi ocupada quase exclusivamente por Monophysite patriarcas (jacobitas), com exceção de Cosmas (eleito sobre 726) e Eutychus (eleito em 934). Os ortodoxos (grego) Os cristãos receberam de seus adversários o apelido melquitas (q.b.). Em 615 o Egito foi invadido por Chosroes, rei da Pérsia, quando alguns bispados foram poupados. O domínio dos persas durou apenas alguns anos, quando o país inteiro, com o capital de Alexandria, passou para o poder dos maometanos em 635 (de acordo com os outros em 640). Sob eles, o cristianismo sofreu ferimentos incalculáveis, e diminuiu gradualmente, de modo a se tornar uma seita desprezada e oprimidos. (Veja coptas). Melhores perspectivas para o cristianismo não abrir até o início do século 19, quando o Egito, sob o reinado dos iluminados Mehemet Ali, foi levado sob a influência da civilização europeia. Desde então, os egípcios educados aprenderam a apreciar a superioridade das nações europeias, especialmente da Inglaterra e da França; muitos jovens de talento foram enviados para as escolas europeias; a população cristã nativa começa a subir a partir de sua degradação e condição desprezado; as grandes cidades, especialmente Alexandria e Cairo, estão enchendo com uma população inteligente e influente dos cristãos nascidos no exterior; escolas cristãs e outras instituições religiosas e de caridade, estão se multiplicando; e os sinais dos tempos parecem indicar que as perspectivas do cristianismo são, actualmente, muito brilhante.

 

Uma tentativa de estabelecer uma missão protestante no Egito foi feita pelos Moravians em 1769. Um missionário, Hocker, que já havia tentado abrir a comunicação com a Igreja da Abissínia, mas foram obrigados a regressar à Europa em 1761, foi em 1768 encomendou, juntamente com um jovem chamado Danke, um carpinteiro de profissão, para voltar para o Egito, e aguardar a abertura que pode apresentar-se para penetrar na Abissínia. "Em 5 de março de 1769, eles chegaram Cairo, Hocker ganhar a vida através da prática como médico e Danke trabalhando em seu comércio. Este último logo aprenderam a conversar razoavelmente em árabe, e quando um assistente chegou para Hocker na pessoa de John Antes, um relojoeiro, ele partiu em sua primeira viagem para os coptas, desembarque em Gizeh, no Alto Egito. o estado do país neste momento era extremamente perturbado, os beys mamelucos ter se revoltaram contra o governo turco, e muitos deles sendo também em guerra um com o outro. Hocker tinha sido chamado para participar de membros da família de Ali Bey (por um tempo o primeiro chefe no Egito), e ligação de Danke com o 'médico Inglês ", como Hocker foi chamado, fez entrar em favor com os oficiais e soldados em Gizeh, que o tratou com a maior bondade. ele encontrou uma série de coptas nesta cidade, com quem formou uma amizade muito íntima. na primeira vários deles convidou para visitar sua cidade natal, Behnesse , a população de que era exclusivamente copta, mas depois eles se esforçado para impedi-lo, descrevendo o perigo a que ele iria se expor. Danke, no entanto, recusou-se a ouvi-los, e, depois de licitar os coptas no Girzeh despedida, ele partiu 13 de setembro. Danke feita em todos os três visitas aos coptas no Behnesse. Seus trabalhos foram por muitos aceitas, por outros que eram vistos com desconfiança ou abertamente opostos. Seu testemunho de Jesus não era sem incentivar efeito, e muitos dos sacerdotes, mesmo se tornou seu firme apoio. ers, e pediu-lhe que ficasse entre eles. Em sua terceira visita, ele pegou um forte resfriado, ao que se seguiu a um ataque de febre maligna. Não obstante a enfermagem mais cuidadosa por parte dos outros irmãos, a doença aumentou sobre ele, e em 06 de outubro de 1772, ele morreu, envelhecido apenas 38 anos. Com a permissão do patriarca grego, seu corpo foi enterrado em uma abóbada da igreja de St. George, na Cidade Velha de Cairo. Em maio de 1775, George Winiger chegou como sucessor de Danke. Ele começou a Behnesse e trabalhado fielmente na pregação do Evangelho e instruir as pessoas em particular. Michael Baschara (o magistrado acima referido) manteve-se fiel à sua profissão, e foi um assistente ativo e influente. Em 1780, três outros irmãos foram enviados de Herrrlhut para reforçar a missão, mas tornou-se evidente antes de sua chegada que, no estado actual do país, seria impossível continuar o trabalho entre os coptas, e que um esforço para penetrar Abissínia seria inútil. Os irmãos permaneceram em seus postos até o Sínodo de 1782 resolveu interromper a missão. Hocker, que tinha trabalhado para a sua criação desde o ano 1752, morreu no Cairo, em agosto de 1781 "(Moravian [jornal], 07 de maio de 1868).

 

Em 1826, a "Sociedade Missionária da Igreja" de Londres enviado alguns missionários alemães ao trabalho entre os coptas. Depois de passar algum tempo em estudar a língua árabe, e distribuir a Bíblia e tratados religiosos, os missionários fixa o local da missão no Cairo, onde eles tiveram duas escolas, com a participação de grego, copta, armênio, Católica Romana, e até mesmo pura Mohammedan crianças. Em 1833, um colégio interno foi iniciado, concebido para a formação de professores e catequistas. Em 1834, uma capela foi construída por assinaturas obtidas no local. Em 1835, a missão foi interrompida por uma visitação terrível da praga. Em 1840, foi relatado pelos missionários que, nos diferentes bairros da cidade nada menos do que seis reuniões religiosas foram estabelecidas pelos coptas nativas para fins de leitura das Escrituras; que o patriarca havia sancionado ambas as reuniões e um plano para o estabelecimento de uma instituição no Egito para a educação do clero copta. Em 1841, um aluno da escola missionária do Cairo foi nomeado pelo patriarca Abuna, ou chefe da Igreja da Abissínia. Bishop Gobat, que visitou o Egito em 1849, expresso em uma carta datada de 09 de janeiro de 1850, a opinião de que o plano em que esta missão tinha sido estabelecida, a procurar a amizade do alto clero das Igrejas Orientais, e induzi-los a reformar suas igrejas, tinha falhado. A missão foi posteriormente abandonada.

 

A missão estabelecida pela Associação Missionário Americano também foi novamente abandonado. O mais bem sucedido de qualquer das missões protestantes foi a realizada pela Igreja Presbiteriana Unida. Ele organizou uma série de congregações e escolas, e, através da liberalidade do Marajá Dhuleep Singh, que se casou com um aluno da escola missão, obteve uma prensa, através do qual uma grande quantidade de leitura útil foi espalhado por toda a terra. O crescimento da Igreja era suficientemente encorajador para organizar as igrejas para o Presbitério do Egito, em conexão com a Assembléia Geral da Igreja nos Estados Unidos. A escola teológica florescendo foi estabelecido a Assifut, para o qual o Rev. Sr. Hogg, em 1866, levantou na Grã-Bretanha cerca de US $ 2500. Em 1867, o patriarca da Igreja Copta manifestou a hostilidade feroz à missão; e obtendo, acredita-se, pelo menos, o consentimento tácito e autoridade do governo civil, ele instaurou um processo que em um momento ameaçadas as igrejas de missão com grande desastre. Finalmente, no entanto, o governo egípcio, principalmente em consequência dos protestos do Inglês e cônsules americanos, parou a perseguição. O último relatório anual sobre esta missão, feito para a Assembléia Geral da Igreja Presbiteriana Estados maio de 1868, afirma que em quase todas as igrejas gratificante adesões foram feitas aos membros durante o ano passado, e que durante a perseguição apenas quatro encolheu para trás, os quais posteriormente devolvidos. O Presbitério tomaram as medidas adequadas para cada igreja nativa de ter um pastor nativo devidamente chamado, ordenado e instalado. As igrejas de Ghifs e Cairo já chamou pastores nativos, e tomadas medidas para fornecer os salários necessários. O Presbitério do Egito, em 1867, também adotou fortes resoluções contra o tráfico de escravos, que ainda é realizada no Egito, com a conivência do governo.

 

  1. Estatística. - A grande maioria dos habitantes são muçulmanos. A escola teológica ligada à mesquita do Cairo é uma das escolas mais frequentadas do Islã. Todas as escolas primárias e instituições superiores para a população muçulmana são de caráter estritamente religioso. Mehemet Ali estabeleceu várias escolas após o modelo europeu, em que jovens egípcios estavam a ser educado, em parte por professores europeus, para cargos civis e militares. Tais escolas foram a escola de medicina em Abu-Zahel, a escola de cadetes em Gizeh, a escola marinha em Alexandria, a escola de engenheiros da Chanka, do Medical College of CASR-el-Ayin, a escola de artilharia de Turrah, eo instituto musical na Cidadela do Cairo. Uma faculdade especial para jovens egípcios também foi estabelecido em Paris. Várias dessas escolas foram, no entanto, suprimiu sob o reinado de Abbas Pasha. O corpo mais numeroso de cristãos são os coptas, que têm um patriarca, quatro metropolitas, e sete outros bispos, e um. população estimada de 150.000 a 250.000 almas. (Veja coptas).

 

O número de Nações coptas, que reconhecem a autoridade do Papa, é de cerca de 10.000. Eles têm um vigário apostólico no Cairo. Para os católicos romanos Latina há um outro vigário apostólico de Alexandria, que é ao mesmo delegado hora de os Estados orientais de outros ritos do que o copta. De acordo com cartas de missionários católicos romanos, Alexandria teve, em 1853, 7020 latinos, 600 United coptas, 240 maronitas, melquitas 350 (Estados gregos), 50 sírios, armênios 60 - juntos 8320. A população católica romana do Cairo, ao mesmo tempo consistia de 4148 latinos, 200 melquitas, 800 coptas, 300 maronitas, armênios 300, 200 sírios, 100 caldeus. Desde então, a população católica romana destas duas cidades, sem dúvida, muito mais acentuada em consequência do rápido crescimento da população total das duas cidades; mas o mais tardar estatísticas confiáveis ​​são conhecidos. Há mosteiros franciscanos em Alexandria, Damietti, Cairo, e duas no Alto Egito. A igreja ortodoxa grega tem no Egito uma população de cerca de 8000 almas. Eles estão sob o patriarca de Alexandria, que reside em Alexandria ou Cairo, e cujo título oficial é "A Santíssima e Santo Patriarca da grande cidade de Alexandria, e de todo o Egito, Pentapolis, Líbia e Etiópia, o Papa, e ( . juiz ecumênico "Four Metropolical vê pertencem ao patriarcado grego de Alexandria, viz .: 1. Líbia; 2. Memphis; 3. Pelusium; 4. Metelis, mas os três últimos parecem ter sido vago por algum tempo.

 

A missão da United Presbyterian Church americana informou na Assembleia Geral de 1888 as seguintes estatísticas: missionários, 12, incluindo um médico-missionário; congregações, 24; capelas organizados, 85; comungantes, 2307. A missão ocupa sete estações centrais, os principais queridos sendo em Alexandria, Cairo, Assifut, Feyum e Ghifs. A escola teológica em Assist teve, em 1888, 20 estudantes de teologia. Escolas para meninos e meninas são organizadas em relação a cada uma das cinco igrejas e em cada um dos fora-estações. A distribuição da Bíblia é processado pelos agentes da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira, pelos missionários americanos, pela missão Crischona, e por outros. Havia, em 1889, três depósitos no Cairo para a venda da Bíblia, ea venda anual das Escrituras em média de 7000 a 12.000 cópias. O Crischona ou Pilgrim missão, em Basileia, na Suíça, destina-se a estabelecer um chamado "Apóstolos" Street ", ou uma série de doze estações, de Alexandria longe no coração da Abissínia. Destes, as seguintes estações eram, em 1866, na operação ativa no Egito: São Mateus, em Alexandria; de São Marcos, no Cairo; São Pedro em Assouan, às quedas de água do Nilo; St. Thomas em Cartum, na junção do branco e azul Niles; e São Paulo em Matammah, nas fronteiras da Abissínia. As diaconisas de Kaiserswerth tem um hospital em Alexandria, e a primeira igreja protestante alemão do Egito foi aberto em 1866. - Princeton Review, 1850, página 260; 1856, página 715; Newcomb, Cyclop. de Missões, s.v .; Hardwick. Cristo e outros Mestres, o volume 2; Journal of Sac. Aceso. 8, 9; Bibliotheca Sacra, 6: 707; Christian Anuário de 1867, página 289; os relatórios anuais da U.P. Mission Board estrangeira, em número de julho do Evangelho. Repository (1860- 1868). (A.J.S.)

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net