Translate this Page

Rating: 3.0/5 (868 votos)



ONLINE
11




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

A Book for Her pdf free, download pdf, download pdf, this site, The Adobe Photoshop CC Book for Digital Photographers 2017 pdf free, fee epub, pdf free, site 969919, this link, link 561655,

LIVROS DE SAMUEL סמואל ספרי נביא
LIVROS DE SAMUEL סמואל ספרי נביא

                            LIVROS DE SAMUEL סמואל ספרי נביא

 

  1. LUGAR dos livros de Samuel na Hebr ai credo CÂNONE

 

  1. CONTEÚDO DOS LIVROS E PERÍODO DE TEMPO COBERTO PELA HISTÓRIA

 

III. RESUMO E ANÁLISE

 

  1. A vida de Samuel ( 1 Samuel 1 a 15)

 

  1. Reign e Morte de Saul ( 1 Samuel 16 através de 2 Samuel 1 )

 

  1. reinado de Davi ( 2 Samuel 2 a 20)

 

  1. Apêndice ( 2 Samuel 21 a 24)

 

  1. FONTES DA HISTÓRIA

 

Duas fontes principais e independentes

 

  1. CARÁTER E DATA DAS FONTES

 

  1. Versões gregas dos livros de Samuel

 

VII. ENSINO éticos e religiosos

 

LITERATURA

 

  1. Local dos livros de Samuel na Canon hebraico.

 

Na Canon hebraico e enumeração dos livros sagrados do Antigo Testamento, os dois livros de Samuel foram contados como um, e formaram a terceira divisão dos profetas anteriores ( נביאים ראשׁנים , nebhı̄'ı̄m rı̄'shōnı̄m ). Aquele livro tinha o título "Samuel" ( שׁמוּאל , Shemu'el ), Não porque Samuel se acreditava ser o autor, mas porque sua vida e atos formado o tema principal do livro, ou pelo menos de sua parte anterior. O Livro de Samuel, nem foi separado por qualquer divisão real no objecto ou à continuidade do estilo do Livro dos Reis, que no original formavam um único livro, não dois, como no Inglês e outras versões modernas. A história foi levado adiante sem interrupção; eo registro da vida de David, iniciado em Samuel, foi concluída em Reis. Essa continuidade na narrativa da história israelita tornou-se mais proeminente na Septuaginta, onde os quatro livros eram compostas sob o mesmo título e eram conhecidos como os quatro "Livros dos Reinos" ( βίβλοι βασιλειῶν , bıbloi basileiṓn ). Este nome foi provavelmente devido aos tradutores ou estudiosos de Alexandria. A divisão em quatro livros, mas não o título grego, foi então aprovado na tradução do latim, onde, no entanto, a influência de Jerome garantiu a restauração dos nomes hebraicos, 1,2 Samuel, e 1,2 Reis ( Regum ). O exemplo de Jerome foi universalmente seguida, ea divisão quádrupla com os títulos hebreus encontraram um lugar em todas as versões subsequentes das Escrituras do Antigo Testamento. Em última análise, a distinção de Samuel e Reis cada em dois livros foi recebido também em edições impressas da Bíblia hebraica. Isso foi feito pela primeira vez nos editio princeps da Bíblia Rabínica, impresso em Veneza em 1516-17 AD.

 

  1. Conteúdo dos livros e do período de tempo abrangido pelo History.

 

A narrativa dos dois livros de Samuel cobre um período de cerca de uma centena de anos, desde o fim da era instável dos juízes para a criação e consolidação do reino sob David. É, portanto, um registro das alterações, nacionais e constitucionais, que acompanharam esse crescimento e desenvolvimento da vida nacional, no fim do qual os israelitas se viram um povo unido sob o domínio de um rei a quem todos fidelidade devido, controlada e guiados por instituições e leis mais ou menos definitivamente estabelecidos. Isto pode ser descrito como o uso geral e tema principal dos livros, para traçar o avanço das pessoas sob orientação divina para um estado de prosperidade assente e união na terra prometida, e para dar destaque ao regime teocrático que era a condição essencial da vida de Israel como povo de Deus sob todas as formas cambiantes de governo mais cedo. portanto, a narrativa centra-se em torno das vidas dos três homens, Samuel, Saul e Davi, que eram principalmente instrumental no estabelecimento da monarquia, e para quem foi devido mais do que quaisquer outros que Israel saiu do estado deprimido e desunida em que as tribos tinham permanecido durante o período da regra dos juízes, e entrou em posse de uma vida nacional combinada e eficaz. Se a separação formal, portanto, em dois livros ser desconsiderada, a história de Israel, como é narrado em "Samuel" é mais naturalmente dividido em três partes, que são seguidos por uma palavra de gravação apêndice e incidentes que por algum motivo não tinha encontrado um lugar na narrativa geral:

 

  1. A vida ea regra de Samuel ( 1 Samuel 1 a 15) (morte 1 Samuel 25: 1 ). 1 Samuel 25: 1

 

  1. A vida, reinado e morte de Saul ( 1 Samuel 16 através de 2 Samuel 1 ).

 

  1. O reinado e atos de David para a supressão das duas rebeliões de Absalão e Sheba ( 2 Samuel 2 a 20).

 

  1. Apêndice; outros incidentes no reinado de David, os nomes dos seus principais guerreiros e sua canção ou o Salmo de Louvor ( 2 Samuel 21-24 ).

 

III. Resumo e Análise.

 

Para apresentar uma análise breve e clara desses livros de Samuel não é de todo fácil. Porque, assim como no Pentateuco e os anteriores livros históricos de Josué e juízes, repetições e, aparentemente, contas duplicadas do mesmo evento são encontrados, o que interfere com a evolução cronológica da narrativa. Mesmo as divisões principais, como indicado acima, a um certo ponto de sobreposição.

 

  1. A vida de Samuel ( 1 Samuel 1 a 15):

 

(1) Visita de Hannah para Shiloh, e a promessa do nascimento de um filho ( 1 Samuel 1: 1-191 Samuel 1: 1-19 ); nascimento e desmama de Samuel, e apresentação de Eli em Shiloh ( 1 Samuel 1: 19-281 Samuel 1: 19-28 ).

 

(2) música ou oração de Ana ( 1 Samuel 2: 1-101 Samuel 2: 1-10 ); ministério de Samuel para Eli, o sacerdote ( 1 Samuel 02:111 Samuel 02:11 , 1 Samuel 2: 18-211 Samuel 2: 18-21 , 1 Samuel 02:261 Samuel 02:26 ); as más práticas dos filhos de Eli e alerta para Eli das consequências para a sua casa ( 1 Samuel 2: 12-171 Samuel 2: 12-17 , 1 Samuel 2: 22-251 Samuel 2: 22-25 , 1 Samuel 2: 27-361 Samuel 2: 27-36 ).

 

(3) A visão de Samuel no santuário e sua indução ao ofício profético ( 1 Samuel 3: 11 Samuel 3: 1 a 4: 1).

 

(4) Derrota dos israelitas pelos filisteus, captura da arca de Deus, a morte dos dois filhos de Eli e de Eli si mesmo ( 1 Samuel 4 ).

 

(5) Discomfiture de Dagon, diante da arca de Deus em Ashdod; retorno da arca para Bete-Semes, com ofertas expiatórias de tumores de ouro e ratos de ouro; permanência seus vinte anos em Quiriate-Jearim ( 1 Samuel 5: 11 Samuel 5: 1 a 7: 4).

 

(6) O conjunto de Israel sob Samuel em Mispa, e vitória sobre os filisteus ( 1 Samuel 7: 5-141 Samuel 7: 5-14 ); Samuel estabelecido como juiz sobre todo o Israel ( 1 Samuel 7: 15-171 Samuel 7: 15-17 ).

 

(7) os filhos de Samuel designado para ser juízes e a consequente demanda do povo para um rei; Aviso de Samuel sobre o caráter do rei, para quem eles pediram ( 1 Samuel 8 ).

 

(8) pesquisa de Saul para, os jumentos perdidos de seu pai e reunião com Samuel ( 1 Samuel 9 ).

 

(9) Saul é ungido por Samuel para ser chefe sobre o povo de Israel, e recebe o dom de profecia ( 1 Samuel 10: 1-161 Samuel 10: 1-16 ); segunda montagem das pessoas com menos de Samuel em Mispa, e eleição de Saul como rei ( 1 Samuel 10: 17-271 Samuel 10: 17-27 ).

 

(10) A vitória de Saul sobre os amonitas e libertação de Jabes-Gileade ( 1 Samuel 11: 1-131 Samuel 11: 1-13 ); Saul feito rei em Gilgal ( 1 Samuel 11:141 Samuel 11:14 , 1 Samuel 11:151 Samuel 11:15 ).

 

(11) o endereço de Samuel ao povo em Gilgal, defendendo sua própria vida e de acção, exortando-os a temer e servir ao Senhor ( 1 Samuel 12 ).

 

(12) Saul em Gilgal oferece o holocausto na ausência de Samuel; encontro dos filisteus para battie em Micmás; falta dos israelitas das armas de ferro ( 1 Samuel 13 ).

 

(13) surpresa de Jonathan do exército filisteu, e seu súbito pânico ( 1 Samuel 14: 1-231 Samuel 14: 1-23 ); A promessa de Saul, involuntariamente quebrado por Jonathan, quem o povo entregar as consequências fatais ( 1 Samuel 14: 24-451 Samuel 14: 24-45 ); vitórias de Saul sobre seus inimigos por todos os lados ( 1 Samuel 14: 46-521 Samuel 14: 46-52 ).

 

(14) A guerra contra os amalequitas, e desobediência de Saul à ordem divina para exterminar a Amaleldtes ( 1 Samuel 15 ).

 

  1. Reign e Morte de Saul ( 1 Samuel 16 Através 2 Samuel 1 ):

 

(1) unção de Davi como o sucessor de Saul ( 1 Samuel 16: 1-131 Samuel 16: 1-13 ); sua convocação para a corte de Saul para atuar como menestrel diante do rei ( 1 Samuel 16: 14-231 Samuel 16: 14-23 ).

 

(2) David e Golias ( 1 Samuel 17 ).

 

(3) O amor de David e Jonathan ( 1 Samuel 18: 1-41 Samuel 18: 1-4 ); o avanço do primeiro e fama, o ciúme de Saul, e sua tentativa de matar Davi ( 1 Samuel 18: 5-161 Samuel 18: 5-16 , 1 Samuel 18:291 Samuel 18:29 , 1 Samuel 18:301 Samuel 18:30 ); O casamento de David com a filha de Saul ( 1 Samuel 18: 17-281 Samuel 18: 17-28 ).

 

(4) renovou o ciúme de Davi e segunda tentativa de Saul para matá-lo ( 1 Samuel 19: 1-171 Samuel 19: 1-17 ); A fuga de David, a Ramá, para onde o rei seguido ( 1 Samuel 19: 18-241 Samuel 19: 18-24 ).

 

(5) o aviso do Jonathan David de determinação de seu pai e sua separação ( 1 Samuel 20 ).

 

(6) David em Nobe ( 1 Samuel 21: 1-91 Samuel 21: 1-9 ); e com Aquis de Gate ( 1 Samuel 21: 10-151 Samuel 21: 10-15 ).

 

(7) a banda de David de bandidos em Adulão ( 1 Samuel 22: 11 Samuel 22: 1 , 1 Samuel 22: 21 Samuel 22: 2 ); sua disposição para a segurança de seu pai e mãe em Moab ( 1 Samuel 22: 3-51 Samuel 22: 3-5); vingança de Saul sobre aqueles que tinham ajudado David ( 1 Sam 22: 6-23 ); vingança de Saul sobre aqueles que tinham ajudado David (1 Sam 22: 6-23).

 

(8) Repetidas tentativas de Saul a Davi ( 1 Samuel 23 ; 24 ).

 

(9) A morte de Samuel ( 1 Samuel 25: 11 Samuel 25: 1); Abigail se torna mulher de Davi, depois da morte de seu marido Nabal ( 1 Sam 25: 2-44 ); Abigail se torna mulher de Davi, depois da morte de seu marido Nabal (1 Sam 25: 2-44).

 

(10) mais a busca de David (de Saul 1 Samuel 26 ).

 

(11) permanência de Davi com Aquis de Gate ( 1 Samuel 27: 11 Samuel 27: 1 a 28: 2,29); Saul ea bruxa de Endor ( 1 Samuel 28: 3-25 ). 1 Samuel 28: 3-25

 

(12) A prossecução dos amalequitas que atacaram Ziclague, e a vitória (de David 1 Samuel 30 ).

 

(13) Batalha entre os filisteus e Israel em Mt. Gilboa e da morte de Saul ( 1 Samuel 31: 1-131 Samuel 31: 1-13 ).

 

(14) A notícia da morte de Saul trouxe a Davi em Ziclague ( 2 Samuel 1: 1-162 Samuel 1: 1-16 ); Lamentação de Davi sobre Saul e Jonathan ( 2 Samuel 1: 17-272 Samuel 1: 17-27 ).

 

  1. reinado de Davi ( 2 Samuel 2 a 20):

 

(1) de David sete anos e meio Reign 'Anos mais de Judá, em Hebron ( 2 Samuel 2: 12 Samuel 2: 1 a 5: 3).

 

( A ) Consagração de Davi como rei em Hebron ( 2 Samuel 2: 1-4 ); mensagem para os homens de Jabes-Gileade ( 2 Samuel 2: 4-7 ); Isbosete rei sobre Northern Israel ( 2 Samuel 2: 8-11 ); derrota de Abner e da morte de Asael (2 Sam 2: 12-32). 2 Samuel 2: 1-42 Samuel 2: 4-72 Samuel 2: 8-11); derrota de Abner e da morte de Asael ( 2 Sam 2: 12-32

 

( B ) Aumento da fama e prosperidade de Davi, e os nomes de seus filhos ( 2 Samuel 3: 1-5 ); Segundo a Abner a Davi, e assassinato traiçoeiro do antigo por Joabe (2 Sam 3: 6-39). 2 Samuel 3: 1-5); Segundo a Abner a Davi, e assassinato traiçoeiro do antigo por Joabe ( 2 Sam 3: 6-39

 

( 100 ) Assassinato de Isbosete e vingança de David para seus assassinos ( 2 Samuel 4: 1-3 , 2 Samuel 4: 5-12 ); aviso da fuga de Mefibosete, quando Saul e Jonathan foram mortos em Jezreel ( 2 Samuel 4: 4 ). 2 Samuel 4: 1-32 Samuel 4: 5-122 Samuel 4: 4

 

( D ) David aceito como rei de todo o Israel ( 2 Samuel 5: 1-3 ). 2 Samuel 5: 1-3

 

(2) Reino de David em Jerusalém, sobre United Israel ( 2 Samuel 5: 42 Samuel 5: 4 através 20:26).

 

( A ) Tendo de Jerusalém e vitórias sobre os filisteus ( 2 Samuel 5: 4-25 ). 2 Samuel 5: 4-25

 

( B ) Return of the arca para a cidade de Davi ( 2 Samuel 6 ).

 

( 100 propósito) de David para construir um templo para o Senhor ( 2 Samuel 7: 1-3 ); a resposta divina pelo profeta Natã, e oração do rei (2 Sam 7: 4-29). 2 Samuel 7: 1-3); a resposta divina pelo profeta Natã, e oração do rei ( 2 Sam 7: 4-29

 

( D ) Vitórias sobre os filisteus, sírios e outros povos ( 2 Samuel 8 ).

 

( E ) a recepção de Mefibosete (de David 2 Samuel 9: 1-13 ). 2 Samuel 9: 1-13

 

( F ) Derrota dos amonitas e sírios pelos homens de Israel sob o comando de Joabe ( 2 Samuel 10: 1 a 11: 1). 2 Samuel 10: 1

 

( G ) Davi e Urias, a morte deste último na batalha, e o casamento de David com Bate-Seba ( 2 Samuel 11: 2-27 ). 2 Samuel 11: 2-27

 

( H ) a parábola de Natã e convicção do pecado de Davi ( 2 Samuel 12: 1-15 ); tristeza do rei e intercessão para seu filho doente ( 2 Samuel 12: 15-25 ); cerco e captura de Rabá, a capital amonita ( 2 Samuel 12: 26-31 ). 2 Samuel 12: 1-152 Samuel 12: 15-252 Samuel 12: 26-31

 

( I ) Amnon e Tamar ( 2 Samuel 13: 1-22 ); A vingança de Absalão e assassinato de Amnon ( 2 Samuel 13: 23-36 ); vôo de Absalão ( 2 Samuel 13: 37-39 ). 2 Samuel 13: 1-222 Samuel 13: 23-362 Samuel 13: 37-39

 

( J ) O retorno de Absalão a Jerusalém ( 2 Samuel 14: 1-24 ); sua beleza, e da reconciliação com o rei ( 2 Samuel 14: 25-33 ). 2 Samuel 14: 1-242 Samuel 14: 25-33

 

( K ) Método de insinuou-se com as pessoas (de Absalão 2 Samuel 15: 1-6 ); sua revolta e a fuga do rei de Jerusalém (2 Sm 15: 7-31); reunião com Husai ( 2 Samuel 15: 32-37 ); Absalão em Jerusalém ( 2 Samuel 15:37 ). 2 Samuel 15: 1-6); sua revolta e a fuga do rei de Jerusalém ( 2 Sm 15: 7-312 Samuel 15: 32-372 Samuel 15:37

 

( 50 ) 'encontro de Davi com Ziba ( 2 Samuel 16: 1-4 ), e Simei ( 2 Samuel 16: 5-14 ); conselho de Aitofel e Husai (2 Sam 16:15 através 17:14); a notícia levada a Davi ( 2 Samuel 17: 15-22 ); morte de Aitofel ( 2 Samuel 17:23 ). 2 Samuel 16: 1-42 Samuel 16: 5-14); conselho de Aitofel e Husai ( 2 Sam 16:152 Samuel 17: 15-222 Samuel 17:23

 

( M ) David em Maanaim ( 2 Samuel 17: 24-29 ). 2 Samuel 17: 24-29

 

( N ) A revolta subjugada, a morte de Absalão, e recepção por David de as notícias ( 2 Samuel 18: 1 a 19: 8a). 2 Samuel 18: 1

 

( O ) O retorno do rei a Jerusalém, e reuniões com Simei, Mefibosete, e Barzilai, o gileadita ( 2 Samuel 19: 8b-43 ).

 

( P ) A revolta de Seba, Benjamim, e sua supressão por Joabe com a morte de Amasa ( 2 Samuel 20: 1 , 2 Samuel 20: 2 , 4-22); tratamento do rei das concubinas deixou em Jerusalém ( 2 Samuel 20: 3 ); os nomes de seus oficiais ( 2 Samuel 20: 23-26 ). 2 Samuel 20: 12 Samuel 20: 22 Samuel 20: 32 Samuel 20: 23-26

 

  1. Apêndice ( 2 Samuel 21 a 24):

 

(1) Sete descendentes masculinos de Saul morto na instância do Gibeonites ( 2 Samuel 21: 1-142 Samuel 21: 1-14 ); incidentes de guerras com os filisteus ( 2 Samuel 21: 15-222 Samuel 21: 15-22 ).

 

(2) cântico de ação de graças e louvor (de David 2 Samuel 22 ).

 

(3) As "últimas palavras" de David ( 2 Samuel 23: 1-72 Samuel 23: 1-7); nomes e façanhas de "valentes" de Davi ( 2 Sam 23: 8-39 ); nomes e façanhas de "valentes" de Davi (2 Sam 23: 8-39).

 

(4) A numeração do rei do povo, a praga resultante, e a dedicação da eira de Araúna, o jebuseu ( 2 Samuel 24 ).

 

  1. Fontes da História.

 

A inferência natural a partir do caráter e conteúdo dos livros de Samuel, como assim revisto, é que o escritor fez uso das autoridades, "fontes" ou "documentos", do qual ele compilou uma narrativa dos acontecimentos que era seu o desejo de colocar no registro. As mesmas características são visíveis aqui, que são encontradas em partes do Pentateuco e dos livros de Josué e juízes, que em alguns casos duplicar ou contas paralelas são dadas de um único e mesmo evento, o que parece ser considerado a partir de diferentes pontos de vista e é narrado em um estilo que é mais ou menos divergente da do registro de companhia. Exemplos deste assim chamado duplicação são mais frequentes nas partes anteriores dos livros do que no mais tarde. Não são apresentados, por exemplo, duas contas da eleição de Saul como rei, e um ato de desobediência é duas vezes seguidas, aparentemente de forma totalmente independente, pela sentença de rejeição. Narrativas independentes também e dificilmente consistentes são dados de introdução de Davi a Saul ( 1 Samuel 16: 14-231 Samuel 16: 14-23 ; 1 Samuel 17:311 Samuel 17:31 ff, 55 ff); e as duas contas da forma da morte do rei pode ser imperfeitamente reconciliado apenas na hipótese de que o jovem amalequita disse a um conto falso de David, a fim de engrandecer a sua própria parte no assunto. Nesses e em outros casos pouca ou nenhuma tentativa parece ser feito para harmonizar relatos conflitantes, ou para reconciliar aparentes discrepâncias. De boa fé o escritor estabelecidos os registros que encontrava, fazendo extratos ou cotações de suas autoridades sobre os vários eventos como eles ocorreram, e, assim, construir sua própria história com base o mais livre possível uso dos materiais e linguagem aqueles que o haviam precedido.

 

No entanto alienígena tal um método de composição pode aparecer para o pensamento moderno e uso no Ocidente, é característica de toda a escrita oriental cedo. Seria quase impossível encontrar em qualquer literatura oriental uma obra de qualquer comprimento ou importância que não era assim, silenciosamente em dívida com seus antecessores, tinha incorporado suas declarações, e tinha-se por sua vez, sofreu interpolação nas mãos dos editores posteriores e transcritores. Assim, literatura histórica hebraico precoce também, ao mesmo tempo única no seu espírito, formada em seus métodos para a prática da idade e do país em que ela foi composta. Teria sido estranho se tivesse sido de outra forma.

 

Dois principais e independentes Fontes:

 

Além de apêndice e pequenas adições, dos quais música ou o salmo de Ana em 1 Samuel 2 é um, a parte principal do livro é derivada de duas fontes independentes, que se em toda a parte probabilidade formado de um todo maior, mais ou menos história consecutivos ou histórias de Israel. Essas fontes podem, no entanto, ter sido, como os outros pensam, em vez de um carácter biográfico, apresentando e aplicando os ensinamentos dos atos e experiência dos grandes líderes e governantes da nação. O paralelismo e duplicação da narrativa é talvez mais evidente na história de Saul. As grandes linhas de distinção entre os dois pode ser definida sem muita dificuldade ou incerteza. A maior parte dos oito primeiros capítulos de 1 Samuel é com toda a probabilidade derivado do posterior destas duas fontes, a qual é para ser atribuída mais ou menos completamente, 1 Samuel 10 através de 0:15; 17 a 19; 21 a 25; 28, 2 Samuel 1 a 7. A fonte anteriormente contribuiu 1 Samuel 9 com partes de 1 Samuel 10 ; 1 Samuel 11: 1-151 Samuel 11: 1-15 ; 13; 14; 16; 20 e porções consideráveis ​​de 1 Samuel 22; 23; 26 a 27; 29 a 31; 2 Sam 1 (em parte); 2 a 6; 9 a 20. Alguns detalhes foram provavelmente derivado de outras fontes, e as adições feitas pelo editor ou editores. Esta determinação geral das fontes repousa sobre uma diferença de ponto de vista e concepção religiosa, e sobre variedades mais leves de estilo que não são nem tão pronunciado nem tão prontamente distinguido como nos livros do Pentateuco. É razoável também que ter em mente que uma estreita e divisão exata ou linha de demarcação em cada detalhe não é de se esperar.

 

  1. Caráter e Data das Fontes.

 

As tentativas que têm sido feitas para determinar a data destas duas fontes, ou para identificá-los com uma ou outra das autoridades principais dos quais as narrativas históricas do Pentateuco são derivados, não têm sido convincentes. Na opinião de alguns, no entanto, a mais recente das duas fontes deve ser considerada como uma continuação da narrativa ou documento conhecido como E, e o anterior ser atribuída a J. O modelo deste último tem muito em comum com o estilo de J, e é clara, vigorosa e poética; as concepções religiosas também que são incorporados e ensinadas são de um tipo simples e precoce. A escrita mais tarde foi suposto dar indícios da influência do ensino profético do século oitavo. As indicações, no entanto, não são suficientemente decisiva para permitir uma decisão final a ser formada. Se se tiver em mente que J e E representam invés escolas de ensino e pensamento de escritores individuais, as características das duas fontes de os livros de Sam não seria fora de harmonia com a visão de que a partir destas duas escolas, respectivamente, foram derivadas do materiais dos quais a história foi compilado. As "fontes" seria, então, de acordo com o ponto de vista de costume, pertencem ao 9º e 8º séculos antes da era cristã; e um período não superior a um século ou um século e meio depois, deve ser atribuído a compilação final e conclusão do livro, uma vez que está contido em hebraico da Canon das Escrituras.

 

  1. Versões gregos dos livros de Samuel.

 

Para uma estimativa exacta e compreensão da história e do texto dos livros de contagem de Samuel devem ser tidas mais da versão ou versões grega. Na Septuaginta há grande divergência em relação ao texto hebraico Massorético, e é provável que, no decurso da transmissão do grego tenha sido exposto a corrupção de forma muito considerável. Pelo menos duas versões do texto grego estão na existência, representada pelo Vaticano e manuscritos alexandrinos respectivamente, dos quais o último é mais próximo do original hebraico, e, aparentemente, foi conformado com ele em um período posterior, com vista a eliminar as discrepâncias; e este processo tem prejudicado naturalmente seu valor como um testemunho da forma primária do próprio texto grego. Existem, portanto, três tipos existentes do texto de Samuel; o Massoretic hebraico e Codex Vaticanus e Códice Alexandrino, no grego. A forma original do Setenta, se pudesse ser recuperado, que representam um texto anterior para a recensão Massoretic, diferindo de, mas não necessariamente superior a, o último. Para a restauração do texto grego, o latim antigo, onde está disponível, oferece ajuda valiosa. É evidente, então, que em qualquer caso o acordo destes três tipos ou recensões do texto é o mais forte possível testemunha à originalidade e autenticidade de uma leitura; mas que o peso inerente para o testemunho de um não irá, em geral, em virtude de a história do seu texto, seja equivalente à de qualquer dos outros dois.

 

VII. Ensino éticos e religiosos.

 

O ensino religioso e do pensamento dos dois livros de Samuel não é difícil resumir. Os livros são em forma de um registro histórico de eventos; mas são, ao mesmo tempo, e mais particularmente uma história concebida com um propósito definido, e feito para subserve um objectivo moral e religiosa definitiva. Não é uma narrativa dos acontecimentos exclusivamente, ou a preservação de detalhes históricos, que o escritor tem em vista, mas sim para elucidar e aplicar da experiência de Israel o significado do governo divina e moral da nação. O dever de rei e pessoas iguais é obedecer a Javé, para prestar deferência rigorosa e dispostos a Seus mandamentos, e por este caminho de obediência por si só, independência e prosperidade nacional ser assegurado. Com a ênfase mais forte, e com a severidade intransigente, o pecado, mesmo nos lugares mais altos é condenado; e um ideal de justiça é apresentado na linguagem e com uma seriedade que recorda as exortações do Deuteronômio. Assim, o mesmo acontece com os livros de Samuel, como se manifesta nos livros precedentes do Antigo Testamento canônico: eles são compostos com um objetivo didático. A experiência do passado é feita para pagar aulas de advertência e encorajamento para o presente. Para o escritor ou escritores - a história do desenvolvimento e edificação do reino israelita está grávida de um significado mais profundo do que está na superfície, e este significado que ele se esforça para tornar claro aos seus leitores através do registro. As questões dos eventos e os próprios eventos estão sob a orientação e controlo do Senhor, que sempre condena e pune o erro, mas aprova e recompensa justiça. Assim, a narrativa é a história utilizada para transmitir a verdade moral. E seu valor deve ser estimado, não primariamente como gravar os grandes feitos do passado, mas como transmitindo ensinamentos éticos; que, por meio da história com todo o seu glamour e interesse do povo pode ser recuperado para um sentido de sua alta dever para com Deus, e ser avisado das consequências inevitáveis ​​da desobediência a ele.

 

Literatura.

 

A todos os pontos de introdução, crítica e interpretação, os comentários pagar orientação abundante e satisfatória. Os principais comentários ingleses. são por HP Smith ICC , Edimburgo, 1899, and Driver SR, Notas sobre o texto hebraico dos livros de Samuel , 2ª edição, Oxford, 1913; ARS Kennedy, "Samuel", Bíblia Novo Século , New York, Frowde de 1905; em alemão por R. Budde, 1902, W. Nowack de 1902, A. Klostermann, 1887. Ver também os artigos "Samuel" em HDB , Enciclopédia Bíblica e Enciclopédia Judaica .

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net