Translate this Page

Rating: 3.0/5 (905 votos)



ONLINE
7




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Panorama biblico (1) Tessalonissences
Panorama biblico (1) Tessalonissences

 

                                CARTA AOS TESSALONISSENCES (1)

 

  1. IMPORTÂNCIA DA CARTA
  1. CIRCUNSTÂNCIAS DE FUNDAÇÃO DA IGREJA 

Narrativa 1. de Lucas em Atos 

  1. A confirmação da narrativa de Lucas na CARTA

III. CONDIÇÕES  tessalonicenses IGREJA AS INDICADO NA CARTA 

  1. ANÁLISE , ORIGEM do Pentateuco CARTA
  1. Passado e presente Relações de Paulo com os tessalonicenses e seu amor por eles 
  1. Exortações contra o vício, e Conforto e Advertências em Vista da vinda de Cristo 
  1. Implicações doutrinárias da epístola 
  1. A CARTA Revelações de PAULO CARACTERÍSTICAS 
  1. A importância da CARTA

A carta é especialmente importante como testemunha o conteúdo do mais antigo Evangelho, por conta de sua data e sua autenticidade incontestável quase. De acordo com Harnack foi escrito no ano de 48 dC; de acordo com Zahn, no ano de 53. É provável que estas duas datas representam os limites extremos. Somos assim justificados em dizer com confiança que temos diante de nós um documento que não poderia ter sido escrito mais de 24 anos, e pode muito facilmente ter sido escrito, mas 19 anos, após a ascensão de nosso Senhor. Este é um fato de grande interesse, tendo em vista a afirmação de que o Jesus dos quatro Evangelhos é um produto da propensão de tomada de lenda de almas piedosas na última parte do século 1. Quando lembramos que Paulo se converteu mais de 14 anos antes de escrever as Epístolas, e que ele nos diz que sua conversão era de natureza tão esmagadora como a impeli-lo em um curso reto a partir do qual ele nunca variada, e quando notamos que no final de 14 anos de Pedro e João, tendo plenamente ouviu o evangelho que ele pregou, não tinha correções para oferecer ( Gálatas 1: 11-2 : 10 , esp. Gálatas 2: 6-10 ), vemos que a visão de Cristo e Seus messagegiven nesta epístola traça-se de volta para a própria presença dos amigos mais íntimos de Jesus. Não se entende por isso que as palavras de Paul ou as formas de seus ensinamentos são reproduções de coisas que Jesus disse nos dias de Sua carne, mas sim que a concepção que está consagrado na Carta da pessoa de Cristo e da sua relação para o Pai, e de sua relação também para a igreja e para o destino humano, está enraizada na própria auto-revelação de Cristo.

 

  1. Circunstâncias da fundação da igreja.

 

  1. narrativa de Lucas em Atos:

 

Para a fundação da igreja temos duas fontes de informação, o Livro dos Atos e do próprio Epístola. A narrativa de Lucas é encontrado em Atos 17 . Aqui somos informados de que Paul, depois de deixar Philippi, começou sua próxima cerco contra o paganismo enraizada na grande centro de Tessalônica mercado. Ele foi primeiro nas sinagogas dos judeus, e por três sábados discutiu com eles sobre as Escrituras. Alguns deles, Lucas nos diz, "foram persuadidos e aderiram a Paulo e Silas, e os gregos devotos uma grande multidão, e dos principais não poucas mulheres." Este, muito naturalmente, provocou a inveja dos judeus que se encontravam perder o prestígio social que veio de ter um grande número de gregos, incluindo alguns da nobreza, recorrendo a eles para a instrução. Assim, eles levantaram uma multidão dos piores homens da cidade e trouxe os principais membros da igreja perante o magistrado. Esses irmãos, Jason e alguns outros, que parecem ter sido homens de alguma propriedade, foram obrigados a prestar caução para preservar a paz e a sensação intensa contra Paulo tornou-se necessário para ele, por causa desses irmãos, bem como para sua segurança pessoal, a fugir da cidade.

 

  1. A confirmação da narrativa de Lucas na epístola:

 

A historicidade da história da fundação da igreja de Lucas é fortemente apoiada pelo texto da Epístola. Paul, por exemplo, observa que o trabalho em Tessalônica começou depois de terem sido maltratados em Filipos em Filipos ( 1 Tessalonicenses 2: 2 ). Ele dá testemunho também no mesmo verso para o conflito no meio do qual a igreja de Tessalônica foi fundada (ver também 1 Tessalonicenses 2:14 ). A exortação de Paulo para saudar a todos os irmãos com ósculo santo, seu adjuration solene que esta carta seja lida a todos os irmãos ( 1 Tessalonicenses 5:26 , 1 Tessalonicenses 5:27 ), e sua exortação a desprezar não profetizar ( 1 Tessalonicenses 5: 20 ) estão em harmonia com a conta dos mais diversos elementos sociais dos quais a igreja foi formada de Lucas: diversidades que seria muito facilmente dar origem a uma disposição por parte dos mais aristocrática a negligenciar as cordiais saudações aos membros mais pobres, e desprezam seus testemunhos grosseiros com a graça de Deus que tinha vindo a eles ( Atos 17: 4 ).

 

Paulo nos diz que ele foi forçado a trabalhar para o seu pão de cada dia em Tessalônica ( 1 Tessalonicenses 2: 9 ). Lucas não fazer menção a isso, mas ele nos fala de seu trabalho na tomada de tenda na próxima cidade onde fez uma parada considerável ( Atos 18: 1-3 ), e, assim, cada declaração faz a outra provável.

 

Talvez, no entanto, a corroboração mais acentuada dos Atos que temos na carta é a harmonia geral do seu revelação do caráter de Paul com o dos Atos. As reminiscências da obra de Paul entre eles ( 1 Tessalonicenses 2: 1-12 ) correspondem, por exemplo, de uma forma acentuada, em essência, embora não em estilo e vocabulário, com o relatório de Lucas do relato de Paulo do método e do espírito de seu trabalho em Éfeso ( Atos 20: 17-35 ). Isso, no entanto, é apenas uma das muitas correspondências que poderiam ser apontados e que irá ser imediatamente evidente para qualquer pessoa que vai ler a carta e, em seguida, passar por cima de Atos 13 a 28.

 

Pode parecer irrelevante, assim, para enfatizar a historicidade de Atos em um artigo sobre Tessalonicenses, mas o testemunho da Epístola aos historicidade dos Evangelhos e de Atos é para o presente momento uma de suas funções mais importantes.

 

III. As condições na igreja de Tessalônica, como indicado na carta.

 

Aepístola ew Testamento tem uma estreita semelhança com a prescrição de um médico. Relaciona-se à situação imediata da pessoa a quem é dirigida. Se estudarmos isso podemos inferir com muita precisão as tendências, boas ou más, na igreja. Que revelação das condições em Tessalônica é feita na Primeira Epístola? Claramente, os assuntos sobre o todo está em um estado muito bom, especialmente quando se leva em conta o fato de que a maioria dos membros tinha sido fora do paganismo, mas alguns meses. Eles estavam tão nomeadamente dedicada a Deus que eles foram conhecidos em todo Macedónia como exemplos para a igreja ( 1 Tessalonicenses 1: 7 ). Em particular, a graça cristã de boa vontade cordial para com todos os crentes floresceu entre eles: a graça que eles, sem dúvida, teve boa oportunidade para exercer nesta grande cidade do mercado para o qual os cristãos de todas as partes iria recorrer em missões de negócios e onde haveria constantes exigências em sua hospitalidade ( 1 Tessalonicenses 4: 9-10 ).

 

Houve, no entanto, as sombras na imagem. Algumas pessoas estavam sussurrando suspeitas sombrias contra Paul. Talvez, como Zahn sugere, eles eram os maridos descrentes das senhoras ricas que se tornaram membros da igreja. Foi em resposta a estas críticas que ele sentiu-se chamado a dizer que ele não era um fanático, nem um leproso moral, nem um enganador ( 1 Tessalonicenses 2: 3 ). Quando ele é tão cuidadoso para lembrá-los de que ele não foi encontrado em qualquer tempo vestindo um manto de cobiça, mas foi ao extremo de, trabalhando noite e dia em que ele pode não ser exigível a qualquer um deles ( 1 Tessalonicenses 2: 9 ) , podemos estar certos de que os cristãos estavam ouvindo piadas constantes sobre seu professor de fazer dinheiro que já tinha trabalhado seu esquema com o Filipenses tanto sucesso que eles tinham duas vezes enviou-lhe uma contribuição ( Filipenses 4:16 ). Sensibilidade peculiar de Paulo sobre este ponto em Corinto ( 1 Coríntios 9:14 , 1 Coríntios 9:15 ) foi, possivelmente, em parte, o resultado de suas experiências imediatamente anteriores em Tessalônica.

 

Questiona-se se a Grécia não foi peculiarmente infestado neste momento com errantes filósofos e professores religiosos que bateu o seu caminho da melhor maneira possível, que vivem com a credulidade dos incautos.

 

A ansiedade de Paul para assegurar-lhes de seu intenso desejo de vê-los e sua maneira de contar suas repetidas tentativas para chegar a eles ( 1 Tessalonicenses 2: 17-20 ) mostram bastante claramente também que a sua ausência tinha dado origem à suspeita de que ele estava com medo de voltar, ou mesmo completamente indiferente sobre revisitando-los. "Nós de bom grado teria chegado a vós", diz ele, "eu, Paulo, uma e outra vez, e Satanás nos impediu."

 

Alguns também estavam dizendo que Paul era um adulador ( 1 Tessalonicenses 2: 5 ), que estava procurando por este meio para realizar fins indignos. Este desprezo, de fato, após a leitura da carta, viria naturalmente à mente superficial. Incrível poder de Paulo a idealizar seus convertidos e vê-las à luz de suas boas intenções e do objectivo geral e tendência de suas mentes é muito além da apreciação de uma alma superficial e sardônica.

 

Mais do que isso, podemos ver a evidência clara de que a igreja estava em perigo de o vice-pagãos crônico de falta de castidade ( 1 Tessalonicenses 4: 3-8 ). Os membros humildes também, em particular, estavam em perigo de ser intoxicado pela nova vida intelectual e espiritual em que haviam sido introduzido pelo Evangelho, e estavam gastando seu tempo em reuniões religiosas em detrimento do seu trabalho diário ( 1 Tessalonicenses 4 : 10-12 ). Além disso, alguns que haviam perdido amigos desde seu batismo estavam de luto para que na segunda vinda de Cristo estes que tinha adormecido não compartilhar da glória comum ( 1 Tessalonicenses 4: 13-18 ). Esta é uma prova singular de imaturidade do seu ponto de vista de Cristo, como se um acidente físico pode separar do Seu amor e cuidado. Houve igualmente, como sugerido acima, o sempre presente perigo de panelinhas sociais entre os membros ( 1 Tessalonicenses 5:13 , 1 Tessalonicenses 5:15 , 1 Tessalonicenses 5:20 , 1 Tessalonicenses 5:26 , 1 Tessalonicenses 5:27 ) . É a este estado de coisas que Paulo derrama esta epístola surpreendentemente vital e humano.

 

  1. Análise da Epístola.

 

A carta pode ser dividido de várias formas. Talvez o mais simples uma forma como qualquer é aquilo que o separa em duas divisões principais.

 

Em primeiro lugar, passados ​​e presentes das relações de Paulo com os tessalonicenses, e seu amor por eles ( 1 Tessalonicenses 1: 1 através de 3:13):

 

  1. Passado e presente Relações de Paulo com os tessalonicenses e seu amor por eles:

 

(1) Cartões e Thanksgiving ( 1 Tessalonicenses 1: 1-10 ).

 

(2) Paul lembra-lhes o caráter de sua vida e ministério entre eles ( 1 Tessalonicenses 2: 1-12 ).

 

(3) Os sofrimentos do Tessalonicenses semelhantes aos sofridos pelos seus irmãos judeus ( 1 Tessalonicenses 2: 13-16 ).

 

(4) Os esforços de Paulo para vê-los ( 1 Tessalonicenses 2: 17-20 ).

 

(5) rendição de Paul de sua amada ajudante para aprender o estado da igreja de Tessalônica, e sua alegria sobre a boa notícia que Timothy trouxe ( 1 Tessalonicenses 3: 1-13 ).

 

Em segundo lugar, exortações contra o vício, e conforto e de alerta em vista da vinda de Cristo ( 1 Tessalonicenses 4: 1 através 05:28):

 

  1. Exortações contra o vício, e Conforto e Advertências em Vista da vinda de Cristo:

 

(1) contra o vício bruto ( 1 Tessalonicenses 4: 1-8 ).

 

(2) contra a ociosidade ( 1 Tessalonicenses 4: 9-12 ).

 

(3) A respeito daqueles que dormem ( 1 Tessalonicenses 4: 13-18 ).

 

(4) No que diz respeito a verdadeira maneira de assistir pela vinda ( 1 Tessalonicenses 5: 1-11 ).

 

(5) exortações diversas ( 1 Tessalonicenses 5: 12-28 ).

 

Implicações V. doutrinário da Epístola.

 

A Epístola aos Tessalonicenses não é uma carta doutrinária. Grande ensinamento de Paulo sobre a salvação somente pela fé, sem as obras da lei, não é bem definida ou sem rodeios declarou, e a doutrina da cruz de Cristo como central no Cristianismo está aqui implícita ao invés de forçado. Quase a única declaração doutrinária é que o que lhes assegura que aqueles dentre eles que tinha adormecido não teria de forma alguma ser excluído das recompensas e glórias a segunda vinda de Cristo ( 1 Tessalonicenses 4: 13-18 ). Mas, enquanto as principais posições doutrinárias de Paulo não são elaborados ou mesmo indicado na carta, pode se dizer com segurança que a Epístola dificilmente poderia ter sido escrito por alguém que negou esses ensinamentos. E o fato de que sabemos que, pouco antes ou logo depois de Paulo escreveu a Epístola aos Gálatas, eo fato de que ele assim definitivamente descreve sua atitude neste exato momento para a pregação da cruz de Cristo, em suas reminiscências em 1 Coríntios ( veja especialmente 1 Coríntios 2: 1-5 ), mostram quão tolo é presumir que um autor ainda não chegou a uma posição porque não constantemente intrometer-lo em tudo o que ele escreve.

 

A Epístola, no entanto, tem provas abundantes para o fato de que este contemporâneo de Jesus tinha visto na vida e caráter e ressurreição de Jesus o que o levou a exaltar a Ele para honras divinas, para mencionar Ele no mesmo fôlego com Deus Pai, e esperar sua segunda vinda em glória como o evento que determinaria o destino de todos os homens e ser a meta final da história. Como tal, a carta, cuja autenticidade é agora praticamente inquestionável, é uma poderosa prova de que Jesus era uma personalidade tão extraordinário como o Jesus dos três primeiros Evangelhos. E até mesmo o Cristo do Quarto Evangelho é pouco mais elevada do que aquele que agora com Deus, o Pai constitui a atmosfera espiritual na qual os cristãos existem ( 1 Tessalonicenses 1: 1 ), e que no último dia descerá do céu com alarido e com a voz do arcanjo e ao som da trombeta de Deus, e fazer com que os mortos em Cristo a subir a partir de seus túmulos para habitar para sempre com Ele mesmo ( 1 Tessalonicenses 4:16 , 1 Tessalonicenses 4:17 ).

 

  1. Revelações da Epístola de Características de Paulo.

 

Notamos na carta a delicadeza extrema de Paul. Ele tem algumas advertências claras e humilhantes para dar, mas ele precede-os em cada caso, com o reconhecimento afetuoso das boas qualidades dos irmãos. Antes ele adverte contra o vício bruto ele explica que ele está simplesmente instando-os a continuar no bom caminho em que estão. Antes que ele exorta-os a ir para o trabalho que ele cordialmente reconhece o amor que os fez ficar tão longa e tão frequentemente no comum reunião de lugares. E quando em conexão com suas exortações sobre a segunda vinda, ele faz alusão ao vício da embriaguez, ele primeiro idealiza-los como filhos da luz e do dia a quem, naturalmente, as orgias de bêbados daqueles que são "da noite" seria impensável. Assim, por uma espécie de sugestão espiritual que ele começa-los no caminho certo.

 .(notas (International Standard Bible Encyclopedia 1917).

fonte www.avivamentonosul.com