Translate this Page

Rating: 3.0/5 (905 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Panorama biblico segunda carta aos Corintios
Panorama biblico segunda carta aos Corintios

                                   SEGUNDA CARTA AOS CORINTIOS

 

  1. Texto, Autenticidade e Data
  2. Evidência Interna
  3. A prova externa
  4. Data
  5. Currículo de Eventos

III. A nova situação

  1. O Offender
  2. Os professores falsos
  3. A dolorosa visita
  4. A Carta grave
  5. Reconstrução histórica
  6. integridade da Epístola
  7. 2 Corintians 06:14 a 7: 1
  8. 2 Corintians 10: 1 a 13:10
  9. Conteúdo da Epístola
  10. 2 Corintians de 1 a 7
  11. 2 Corintians 8 a 9
  12. 2 Corintians 10 a 13

VII. Valor da Epístola

Literatura

  1. Texto, Autenticidade e Data
  2. Evidência Interna

 

Compare o que já foi dito no artigo anterior. Nos dois uncials importantes do século 5º, Códice Alexandrino (A) e Codex Ephraemi (C), partes do texto estão faltando. Quanto à evidência interna genuinidade muito vivamente atesta ele. Os elementos distintivos da teologia paulina e escatologia, expressos em termos paulinos familiares, manifestam-se por toda parte. No entanto, a carta não é doutrinário ou didática, mas um documento intensamente pessoal. Seu interesse absorvendo está em acontecimentos que foram profundamente agitando Paulo e os Corinthians na época, esticando suas relações ao ponto de ruptura, e exigindo uma forte ação da parte de Paulo. O nosso conhecimento imperfeito das circunstâncias impede necessariamente uma compreensão completa, mas as referências a esses eventos e para outros na história pessoal do apóstolo são tão natural e tão manifestamente feita de boa fé, que, sem dúvida sobe na mente do leitor, mas que ele está na esfera da realidade, e que a voz que ele ouve é a voz do homem cujo coração e os nervos estavam sendo rasgada pelas experiências pelas quais ele estava passando. No entanto estudiosos podem diferir quanto à continuidade e integridade do texto, não há divergência séria entre eles na opinião de que todas as partes da epístola são verdadeiros escritos do apóstolo.

 

  1. A prova externa

 

Externamente, o testemunho de idade sub-apostólica, embora não tão freqüente ou precisa, como no caso de 1 Coríntios , ainda é suficientemente clara para estabelecer a existência e utilização da epístola no século 2 Clemente de Roma está em silêncio quando ele pode em vez de esperar para usar a epístola (compare Kennedy, segunda e Terceira Corinthians , 142ff); mas é citada por Policarpo ( Ad Phil ., ii.4 e vi.1), e na Epístola a Diogneto 5 12, enquanto é amplamente atestado por Irineu, Atenágoras, Teófilo, Tertuliano e Clemente de Alexandria.

 

  1. Data

 

Foi escrita da Macedônia (provavelmente de Philippi), quer no Outono do mesmo ano como aquele em que 1 Coríntios foi escrito, 54 ou 55 dC, ou no Outono do ano seguinte.

 

  1. Currículo de Eventos

 

Grande dificuldade existe quanto às circunstâncias em que a carta foi escrita, e a toda a situação entre 1 e 2 Coríntios . Em 1 Coríntios Paulo havia insinuado sua intenção de visitar o Corinthians e de invernada com eles, chegando a eles pela Macedônia ( 1 Coríntios 16: 5-7 ; comparar também Atos 19:21Atos 19:21 ). Em 2 Coríntios 1:15 , 2 Coríntios 1:16 ele se refere a um plano um pouco diferente, Corinto - M acedonia - C orinth - Judaea; e descreve esse retorno da Macedônia a Corinto como um segundo ou duplo benefício. Mas se este plano, em que ele e seus amigos tinham contado, não tinha sido totalmente realizadas, tinha sido por um bom motivo ( 2 Coríntios 1:17 ), e não devido a mera inconstância ou alteração light-hearted para se adequar ao seu próprio conveniência. Foi porque ele seria "livre" eles ( 2 Coríntios 1:23 ), e não chegar a eles "novamente com tristeza" ( 2 Coríntios 2: 1 ). Ou seja, ele tinha sido com eles, mas tinha havido uma perturbação tão profundo em suas relações que ele não se atrevia a arriscar um retorno Entretanto; em vez disso, ele havia escrito uma carta para sondar e testá-los, "em muita tribulação e angústia de coração ... com muitas lágrimas" ( 2 Coríntios 2: 4 ). Graças a Deus, esta carta severa tinha cumprido a sua missão. Ele tinha produzido tristeza entre eles ( 2 Coríntios 2: 2 ; 2 Coríntios 7: 8 , 2 Coríntios 7: 9 ), mas tinha trazido seus corações de volta para ele com a antiga aliança, com grande clareira de si mesmos, e medo e saudade e zelo ( 2 Coríntios 7:11 ). Houve um período, no entanto, de esperar que o conhecimento desta questão, o que era para ele um período de intensa ansiedade; Ele até nervosamente lamentou que ele havia escrito como ele fez ( 2 Coríntios 7: 5-8 ). Titus, que tinha ido como seu representante para Corinto, era voltar com um relatório de como esta carta severa tinha sido recebido, e quando Tito não conseguiu encontrá-lo em Trôade 2 Coríntios 2:13 , ele não tinha "nenhum alívio para o seu espírito, "mas empurrou avidamente para a Macedônia para encontrá-lo o quanto antes. Então veio a resposta, e o levantamento do fardo intolerável de sua mente. "Ele que consola os humildes, Deus, confortados" a ele ( 2 Coríntios 7: 6 ). O Corinthians tinha sido influenciado por uma piedosa tristeza e arrependimento ( 2 Coríntios 7: 8 ), e o céu tinha clareado novamente com o brilho quase inesperada para. Aquele que tinha ofendido ( 2 Coríntios 2: 5 e 2 Coríntios 7:12 ) - mas cujo delito não está claramente especificado - tinha sido disciplinado pela igreja; De fato, na repulsa de sentir-se contra ele, e em simpatia para o apóstolo, ele havia sido punidos tão fortemente que havia o perigo de passar a um extremo, e mergulhando-o em desespero ( 2 Coríntios 2: 7 ). Paul conformidade implora por clemência e perdão, para que ainda mais o ressentimento deverá implicar apenas mais e mais triste erradas ( 2 Coríntios 2: 6-11 ). Mas para além deste agressor havia outros, provavelmente seguinte em seu trem, que tinha levado em um ataque implacável contra o apóstolo, tanto em sua pessoa e em sua doutrina. Ele sinceramente defende-se contra os seus encargos de desprezo de carnalidade e covardia (capítulo 10), e venalidade astuto ( 2 Coríntios 12:16 , 2 Coríntios 00:17 ). Outra Jesus é pregado, um espírito diferente, um outro evangelho ( 2 Coríntios 11: 4 ). Eles "recomendar-se" ( 2 Coríntios 10:12 ), mas são falsos apóstolos, obreiros fraudulentos, ministros de Satanás, transformando-se em ministros de Cristo ( 2 Coríntios 11:13 , 2 Coríntios 11:14 ). Seus ataques são repelido em uma apologia eloquente (capítulos 11 e 12), e ele declara que quando ele vem a terceira vez que eles não serão poupados ( 2 Coríntios 13: 2 ). Titus, acompanhado por outros irmãos conhecidos, é mais uma vez para ser o representante do apóstolo 2 Coríntios 8: 6 , 2 Coríntios 8:17 . Em nenhum grande intervalo de Paul se seguiu, tornando sua terceira visita ( 2 Coríntios 0:14 ; 2 Coríntios 13: 1 ), e até agora cumpriu a sua finalidade original que passou o inverno pacificamente em Corinto (compare Atos 20: 2Atos 20: 2 , Atos 20: 3Atos 20: 3 ; Romanos 15: 25-27Romanos 15: 25-27 e Romanos 16:23 ). Romanos 16:23

 

III. A nova situação

 

É manifesto que estamos na presença de uma nova e inesperada situação, cujo desenvolvimento não está claramente definida, e em relação ao qual nós temos em outros lugares sem fonte de informação. Para elucidar isso, os principais pontos que requerem atenção são: (1) As referências ao infractor em 2 Cor 2 e 7 e com os falsos professores, particularmente nos capítulos posteriores do ep .; (2) A visita dolorosa implicitamente referidos nos 2 Coríntios 2: 1 ; e (3) A carta descrita como escrito em lágrimas e por um tempo se arrependeu ( 2 Coríntios 2: 4 ; 2 Coríntios 7: 8 ).

 

  1. O Offender

 

O ofensor em 1 Coríntios 5: 1-5 tinha sido culpado de incesto, e Paul ficou aflito que a igreja de Corinto não considerou com horror um crime que até mesmo o mundo pagão não teria tolerado. Seu julgamento sobre o caso foi intransigente eo mais severa possível - que, em assembléia solene, em nome e com o poder do Senhor Jesus, a igreja deve entregar esse homem a Satanás para destruição da carne. Por outro lado, o infractor em 2 Coríntios 2: 5 é aquele que, obviamente, transgrediu menos horrenda, e de uma forma mais pessoal para o apóstolo. A igreja, despertado pelo apóstolo para mostrar se eles realmente se importava com ele e ficou por ele ( 2 Coríntios 2: 9 ; 2 Coríntios 13: 7 ), teve, por maioria, a censura exercida sobre este homem, e Paulo agora pediu que as questões devem ir mais longe, para que um excesso de disciplina realmente deve terminar em um triunfo de Satanás. Não é possível considerar tais referências como aplicáveis ​​ao crime de que trata o 1 Corinthians . Propositadamente velado como as declarações são, seria ainda parece que um ataque pessoal tinha sido feita sobre o apóstolo; e os "muitos" em Corinto ( 2 Coríntios 2: 6 ), tendo longamente defendida sua causa, Paul, em seguida, lida com a matéria do espírito generoso que ele poderia ter sido esperado para exibir. Mesmo se o infractor eram a mesma pessoa, o que é mais improvável, pois ele dificilmente pode ter sido retido na sociedade, a linguagem não é uma linguagem que poderia ter sido aplicada ao caso anterior. Houve um novo delito em novas circunstâncias. O apóstolo tinha sido gravemente prejudicado na presença da igreja, e os Corinthians não tinha espontaneamente se ressentia do errado. Isso é o que feriu o apóstolo mais profundamente, e é para garantir a sua mudança a este respeito, que é a sua maior preocupação.

 

  1. Os professores falsos

 

Esp. nos últimos capítulos de 2 Coríntios existem, como já vimos, as descrições de uma oposição por falsos mestres que está muito além de qualquer coisa se ​​encontrou com em 1 Coríntios . Há, de fato, temos um espírito de facção, associado com parcialidade indigno para com pregadores individuais, mas nada que nos leve a suspeitar da presença de diferenças profundas e radicais minando o evangelho. O consenso geral de opinião é que esta oposição era de um tipo Judaizing, organizada e promovida por implacáveis ​​emissários anti-paulinos da Palestina, que agora seguido a pista do apóstolo na Acaia como fizeram na Galácia. Como eles arrogou para si uma relação peculiar ao próprio Cristo ( "homens de Cristo" e "ministros de Cristo," 2 Coríntios 10: 7 ; 2 Coríntios 11:13 ), é possível que o Christus-party de 1 Coríntios (e possivelmente o Cephas-party) pode ter persistido e formaram o núcleo rodada que esses recém-chegados construiu sua oposição formidável. Um homem parece ter sido notável como seu anel-líder ( 2 Coríntios 10: 7 , 2 Coríntios 10:11 ), e para ter-se feito especialmente desagradável para o apóstolo. Com toda a probabilidade que pode levá-lo de que ele era o agressor de 2 Cor 2 e 7. Sob a sua influência a oposição audaciosamente se esforçaram para destruir o evangelho da graça por ataques pessoais sobre o seu expoente mais destacado. Paul foi denunciado como um novo-rico e auto-investigador, destituídos de qualquer autoridade apostólica, e ridicularizado por a aparência desprezível que ele fez em pessoa, em contraste com as palavras arrogantes e presunçosas reivindicações de suas epístolas É claro, portanto, que uma profunda religiosa crise tinha surgido entre o Corinthians , e que havia o perigo da sua fixação ao Paul e sua doutrina ser destruído.

 

  1. A dolorosa visita

 

2 Coríntios 12:14 e 2 Coríntios 13: 1 , 2 Coríntios 13: 2 fala de uma terceira visita em perspectiva imediata, ea última passagem também se refere a uma segunda visita que tinha sido já realizado; enquanto 2 Coríntios 2: 1 implica claramente que a visita teve lugar de um personagem tão doloroso que o apóstolo nunca iria se aventurar para aguentar um similar. Como este não pode referir-se a primeira visita quando a igreja foi fundada, e não pode ser facilmente considerado como indicando qualquer coisa anterior a 1 Corinthians que jamais alude a essa experiência, temos de concluir que os pontos de referência para o intervalo entre 1 e 2 Coríntios . Foi então além de qualquer dúvida que a visita "com tristeza", que ele (humilhou 2 Coríntios 0:21 ) e deixou essas feridas profundas, tinha realmente ocorrido. "Qualquer exegese", diz Weizsäcker com justiça, "que iria evitar a conclusão de que Paulo já havia sido duas vezes em Corinto é caprichoso e artificial" ( Idade Apostólica , I, 343). Sabatier ( Apóstolo Paulo , 172 nota) grava seu parecer revisto: "A referência aqui ( 2 Coríntios 2: 1 ) é um segundo e bastante recente visita, de que reteve uma lembrança muito triste, incluindo-o entre os ensaios mais amargos de sua carreira apostólica ".

 

  1. A Carta grave

 

Paulo não só fala de uma visita que tinha terminado gravemente, mas também de uma carta que ele havia escrito para lidar com as circunstâncias dolorosas, e como uma espécie de ultimato para trazer toda a questão para um problema ( 2 Coríntios 2: 4 ; 2 Corinthians 7: 8 ). Esta carta foi escrita, porque não podia confiar em si mesmo entretanto, para outra visita. Ele estava tão angustiado e agitado que ele escreveu que "com muitas lágrimas"; depois que ele foi escrito ele se arrependeu disso; e até que ele sabia que o seu efeito que ele sofreu tortura tão interessado que ele apressou-se a Macedónia a cumprir o seu mensageiro, Titus, a meio caminho. É impossível por qualquer esforço de interpretação para se referir essa linguagem para 1 Corinthians , que no seu conjunto é dominado por um espírito de calma didática, e por uma consciência de amigável relacionamento com os seus destinatários. Mesmo que não estar nele indicações ocasionais de sensação forte, certamente não há nada que podemos conceber o apóstolo pode ter quis recordar. A alternativa tem sido geralmente a considerar este como um outro caso de uma epístola perdida Assim como o escritor de Atos parece ter sido dispostos que a própria visita deplorável deve cair no esquecimento, por isso, sem dúvida, nem Paulo nem o Corinthians seria muito ansioso para preservar uma epístola que ecoava com as rajadas e tempestades de tal visita. Por outro lado, uma forte tendência pôs em considerar esta epístola intermediário como, pelo menos em parte, preservados em 2 Cor 10 a 13, cujo tom, é universalmente admitido, difere da dos capítulos anteriores de uma forma notável, não é facilmente contabilizados. A maioria dos escritores recentes parecem inclinados a favorecer este ponto de vista, que vai cair naturalmente para ser considerado sob a cabeça de "integridade".

 

  1. Reconstrução histórica

 

Perante tal interpretação, pode-se, com uma probabilidade considerável rastrear o curso dos acontecimentos no intervalo entre 1 e 2 Corinthians da seguinte forma: Após o envio de 1 Coríntios , notícia chegou ao apóstolo de um personagem inquietante; provavelmente ambos Tito e Timóteo, ao retornar de Corinto, informou à crescente ameaça da oposição promovido pelo partido judaizante. Paul sentiu-se impelido a pagar de imediato uma visita, e encontrado somente muito triste que as coisas não tinham sido exagerada. A oposição era forte e cheio de desfaçatez, e toda a tendência das coisas era contra ele. Em face da congregação que ele estava confuso e desrespeitada. Ele voltou a Éfeso, e derramou a sua indignação em uma epístola grave, que ele enviou na pelas mãos de Tito. Antes de Tito poderia retornar, os acontecimentos tomaram uma forma desastrosa em Éfeso, e Paul foi forçado a deixar essa cidade em perigo de vida. Ele foi para Trôade, mas, incapaz de esperar pacientemente lá para novas do problema em Corinto, ele cruzou para a Macedônia, e conheceu Tito, possivelmente em Philippi. O relatório foi feliz reconfortante; a maioria da congregação retornou ao seu antigo anexo e a pesada nuvem de dúvida e ansiedade foi dissipado da mente do apóstolo. Em seguida, ele escreveu novamente - o presente epístola - e transmitiu-o por Tito e outros irmãos, ele mesmo seguir um pouco mais tarde, e, finalmente, o inverno em Corinto, como tinha planejado originalmente. Se ele se sentir que o intervalo entre Primavera e no Outono do mesmo ano é muito breve para esses eventos, as duas epístolas devem ser separados por um período de quase 18 meses, 1 Corinthians a ser referido na primavera de 54 ou 55, e 2 Corinthians para o outono de 55 ou 56 anúncios. (Referência sobre a reconstrução deve ser especialmente feita para o Weizsäcker Idade Apostólica , tradução Inglês, I; a Nota do Sabatier à edição Inglês (1893) de seu apóstolo Paulo , e ao artigo de Robertson em Hastings, Dicionário da Bíblia (cinco volumes). )

 

  1. integridade da Epístola

 

Embora a autenticidade das várias partes da epístola é pouco disputada, a homogeneidade é muito debatido. Semler e alguns escritores posteriores, incluindo Clemen ( Einheitlichkeit ), ter pensado que 2 Coríntios 9: 1-15 deve ser eliminado como logicamente incompatível com o capítulo 8, e como, evidentemente, que faz parte de uma carta para os convertidos da Acaia. Mas a conexão com o capítulo 8 é demasiado estreita para permitir de separação, e a objeção lógica, fundada sobre a fraseologia de 2 Coríntios 9: 1 , é geralmente considerado como hypercritical. Há duas seções, entretanto, cujo direito a permanecer partes integrantes de 2 Cor foi mais fortemente contestada.

 

  1. 2 Coríntios 06:14 a 7: 1

 

A passagem de 2 Coríntios 6:14 a 2 Coríntios 7: 1 lida com a inconsistência e perigo das relações íntimas com as nações, e é considerada incongruente com o contexto. Sem dúvida se trata estranhamente depois de um apelo ao Corinthians para mostrar o apóstolo a mesma franqueza e bondade que ele está mostrando a eles; Considerando 2 Coríntios 7: 2 segue naturalmente e liga-se intimamente a esse recurso. Quando nos lembramos de que o tema específico da carta perdida referido no 1 Coríntios 5: 9 foi a relação dos convertidos ao imoral, ele não é de forma improvável que temos aqui preservado um fragmento perdido de que epístola

 

  1. 2 Coríntios 10: 1 a 13:10

 

É universalmente reconhecido que há uma mudança notável no tom da seção 2 Cor 10: 1é universalmente reconhecido que há uma mudança notável no tom da secção 2 Co 10: 1 a 13:10, em comparação com a dos capítulos anteriores. Nos capítulos anteriores, há alívio com a mudança que Tito relatou como tendo ocorrido em Corinto, eo espírito é um dos alegria e conteúdo; mas a partir do capítulo 10 em diante, a hostilidade para com o apóstolo é inesperadamente representado como ainda furiosa, e tão exigente o tratamento mais extenuante. A frase de abertura: "AgoraIPaul "( 2 Coríntios 10: 1 ), é considerado como indicando uma pausa distinta da seção anterior com o qual está associado Timothy ( 2 Coríntios 1: 1 ), enquanto o verso de conclusão, 2 Coríntios 13:11 ao fim, parece apropriada para fechar essa seção, mas para ser abruptamente fora de harmonia com a polêmica que termina em 2 Coríntios 13:10 Assim é sugerido que. 2 Coríntios 13:11 deve seguir imediatamente 2 Coríntios 9:15 , e que 10: 1 a 13: 10 ser considerada como uma inserção longa de alguma outra epístola. Aqueles que, embora reconhecendo a mudança de tom, no entanto, manter a integridade da epístola, fazê-lo com fundamento em que o apóstolo era um homem de muitos modos, e que é característica dele para fazer transições inesperadas e até mesmo violentos; que os novos relatos de um antagonismo apenas scotched pode vir a irritar e perturbar o seu contentamento comparativa; e que, em qualquer caso, ele poderia muito bem julgarem oportuno, finalmente, para entregar toda a sua alma em uma matéria sobre que ele meditava e sofreu profundamente, de modo que pode haver nenhum erro sobre o terreno a ser apagada quando ele chegou em pessoa. A questão ainda é um tema de discussão interessada, e não é aquele em que é fácil de pronunciar dogmaticamente. Em geral, no entanto, deve-se reconhecer que a preponderância de opinião recente é a favor da teoria da interpolação. Hausrath ( Der Vier-Capitel-Breve des Paulus an die Korinther , 1870) deu um imenso impulso à visão de que esta secção posterior realmente representa a letra dolorosa referida no 2 Cor 2 e 7. Como essa carta anterior, no entanto, deve ter continha referências ao infractor pessoal, a presente secção, a qual omite todas essas referências, pode ser considerado como no máximo apenas uma parte dela. Esta teoria é habilmente e minuciosamente exposto por Schmiedel ( Mão-Kommentar ); e Pfleiderer, Lipsius, Clemen, Krenkel, von Soden, McGiffert, Cone, Plummer, Rendall, Moffatt, Adeney, Peake, e Massie são proeminentes entre os seus adeptos. JH Kennedy ( Segunda e Terceira Cor ) apresenta talvez o argumento mais capaz e mais completa para ele que ainda tem aparecido em Inglês. Por outro lado Sanday ( Encyclopaedia Biblica ) declara contra ela, e Robertson (Hastings, Dicionário da Bíblia (cinco volumes)) considera como decididamente não comprovada; enquanto os críticos de peso, tais como Holtzmann, Beyschlag, Klöpper, Weizsäcker, Sabatier, Godet, Bernard, Denney, Weiss, e Zahn estão todos a ser contada como defensores da integridade da epístola.(notas International Standard Bible Encyclopedia 1915).

fonte www.avivamentonosul.com