Translate this Page

Rating: 3.0/5 (934 votos)



ONLINE
10




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


pos-modernismo e a igreja emergente
pos-modernismo e a igreja emergente

                  Pós-modernismo  e a Igreja emergente

                   Um apelo para Equilíbrio e Convicção

 

Nos últimos seis anos, tenho vindo a estudar, lutando com, avaliar e ensinar o que se tornou popularmente conhecido como o movimento "pós-modernismo". Os acontecimentos recentes me levou a escrever este fundamento, em resposta às reações que a Igreja Cristã está tendo com relação a este movimento, tanto positivos quanto negativos.

 

Um apelo para Equilíbrio e Convicção

 

Nos últimos seis anos, tenho vindo a estudar, lutando com, avaliar e ensinar o que se tornou popularmente conhecido como o movimento "pós-modernismo". Os acontecimentos recentes me levou a escrever este fundamento, em resposta às reações que a Igreja Cristã está tendo com relação a este movimento, tanto positivos quanto negativos.

 

O movimento pós-moderno é notoriamente difícil de definir. Muito tem a ver com sua personalidade, geração e tradições em que foram educados. Pode-se definir o pós-modernismo a partir de um ponto de vista secular e ser muito mais objetiva. Mas nos círculos cristãos, sua definição vai depender muito de que lado da cerca você tende a estar ligado. Estive recentemente em um local "conversa emergente" na minha cidade natal. "Emergers" cristãos mais basicamente são os líderes da Igreja que simpatizam com muitas das promessas que o pós-modernismo representa para a Igreja como um todo. Eu vou para essas reuniões para ver se eu poderia "surgir" com eles. Quando perguntado pelo grupo de que lado que eu concordo, eu disse-lhes com toda a sinceridade: "Quando eu estou em torno pós-modernos, eu sou um modernista; quando estou em torno modernos, eu sou um pós-moderno ". Em outras palavras, eu tendem a raiz para o oprimido eo oprimido é relativa à situação. Se isso não é uma afirmação pós-moderna, eu não sei o que é!

 

Difícil pós-modernismo

 

Infelizmente, a alusão do movimento nos círculos cristãos agrava o problema. Ao lidar com as questões é preciso distinguir entre o que poderíamos chamar de "pós-modernismo duro" e "pós-modernismo suave." Hard pós-modernismo pode ser definido como aqueles que tiveram uma mudança filosófica que diz respeito à natureza da verdade. A frase-chave aqui é "a natureza da verdade." Pós-modernistas rígidos iria ver a verdade como sendo em relação ao tempo, cultura ou situação do indivíduo. Em outras palavras, a verdade não existe para além dos pensamentos do assunto. Por exemplo (e deixe-me mergulhar na direita!), A homossexualidade, a pós-modernista difícil, é certo ou errado, dependendo de situação da pessoa. A "injustiça" da homossexualidade apresentada, tanto no Antigo como no Novo Testamento só é errado por causa da compreensão primitiva do tempo e da cultura em que foram dadas as ordens. Mas hoje não é errado, uma vez que temos uma "maior compreensão" da fisiologia da orientação sexual. Portanto, a moralidade de uma orientação sexual de pessoas não é definida por alguns chamado "princípio eterno" para que todas as pessoas de todos os tempos devem aderir, mas pela situação em que a pessoa encontra-se. Difícil pós-modernismo, então, é definido pela sua negação do conceito de vista da verdade como correspondência, que a verdade é o que corresponde à realidade objetiva. A razão para isto é a negação de que, para o posmodernista duro, não é uma realidade objectiva. É uma negação absoluta de todos os princípios eternos que podem vir de um Criador eterno. Isso pode incluir idéias como quem eo que Deus é. Qualquer definição ou a crença em Deus, para o pós-modernista difícil, é puramente um esforço subjetivo. Podemos acreditar em Deus se ele nos ajuda, mas isso não significa que Ele realmente existe fora de nossa própria experiência relativa.

 

Difícil o pós-modernismo é um resultado lógico do ateísmo ou panteísmo. Uma vez que tanto o ateísmo eo panteísmo nega a existência de um Deus pessoal, eterno, então não há nenhuma razão para acreditar na verdade eterna, que é mediada através dos ditames de uma agência de pessoal. Este tipo de pós-modernismo é explicitamente evidenciado em nossa cultura em muitas instituições de ensino superior, cuja filosofia é claramente articulada de tal forma. Ele também é evidenciado implicitamente em nossa cultura, quando Deus é deixado de fora da equação, em matéria de facto e da ciência. Por exemplo, as crianças são educadas em escolas que, no seu silêncio e pelo silêncio, implicitamente dizem que Deus não é parte da educação, já que a educação lida com a realidade. Quando o criacionismo (a crença em design inteligente, em oposição a evolução secular) é negada uma avenida articulada nas escolas, este diz aos alunos que Deus não faz parte da realidade objetiva, mas o que estamos ensinando é. Portanto, os estudantes aprendem que acreditar em Deus, enquanto tudo bem se ele ajuda você , é, na realidade, nada mais do que um "salto cego no escuro." E se acreditar em Deus é um salto cego no escuro, ela não merece o tempo que verdadeiros mandados de "educação". Este comunica nada menos do que dizer que a existência de um Deus eterno com princípios eternos e mandatos que devem ser seguidas por todas as pessoas de todos os tempos é enganar o coração. A existência da verdade objetiva é, portanto, impossível de acreditar verdadeiramente no além cego (ignorante) esperança. Claro, eles não podem dizer isso explicitamente como tal, mas este é o resultado inevitável intelectual.

 

Agora, com o pós-modernismo duro explicou, é importante notar que este tipo de crença é decididamente não-cristã. Não tem nenhuma parte em uma cosmovisão bíblica. Ele não pode ser defendido por um cristão, uma vez que para ser um cristão necessita da defendendo de sua antítese. O cristianismo tem como fundamento a obra expiatória de morte, sepultamento e ressurreição de Jesus Cristo, que foi provocada pelo conselho eterno de uma trino Deus eterno. Esta expiação foi necessária porque o homem havia quebrado a lei eterna de Deus. Agora, se a confissão de cristianismo é que um Deus eterno tem preceitos eternos que o tempo o homem ligado quebrou, então o cristianismo é sobre a crença em uma verdade objetiva eterna, e não uma "verdade" com base em sua própria experiência subjetiva, e não é, decididamente, na lado de um pós-modernista difícil. Em outras palavras, ser cristão é negar o pós-modernismo duro e ser um advogado do pós-modernismo difícil é negar o cristianismo. Não há maneira de contornar isso: o pós-modernismo duro não pode ser defendido por um cristão. Se alguém afirma ser um cristão, mas defende o pós-modernismo duro, ele ou ela não quer compreender o que significa ser um cristão, ou o que significa ser um disco pós-modernista-lo é tão simples.

 

O pós-modernismo suave ea Igreja Emergente

 

Mas como muitos na alegação de "igreja emergente" a aderir a uma filosofia do pós-modernismo duro? Não muitos, se houver a todos. Em seguida, eles são pós-moderna o bom desde então? Esta é uma pergunta difícil ea resposta é "sim e não" (lá vou eu de novo evidenciando a influência conflitante da mente pós-moderna!). É seguro dizer que as igrejas emergentes foram influenciados pela cultura pós-moderna (como todos nós) e simpatizava com algumas de suas preocupações (como todos nós). Pois bem, o que torna este grupo diferente? Se eles não são os pós-modernos rígidos quais são eles? Boa pergunta. Vamos chamar esse grupo de "emergers" pós-modernos "moles." Pós-modernos macios são diferentes do que os pós-modernos duras. Em geral, eles são suspeitos de todas as reivindicações de verdade. Sua suspeita, no entanto, não está enraizada em uma negação da existência da verdade, mas uma negação da nossa capacidade de chegar a termos com a nossa certeza sobre a verdade. Em outras palavras, os pós-modernos suaves acreditam na existência da verdade objetiva, mas negam que podemos ter absoluta certeza ou garantia de que, de fato, tem um canto a esta verdade. Para o pós-modernista suave, a verdade deve ser realizada em tensão, compreendendo nossas limitações. Nós raramente pode, se alguma vez, ter certeza de que temos a verdade direita. Portanto, há uma tendência para manter todas as convicções no limbo. "Isso é o que nós acreditamos, mas quem pode dizer que estamos certos" é a confissão comum do pós-moderno macio. Mais uma vez, deve-se salientar-pois é onde existe grande equívoco-soft pós-modernismo não é construído sobre a negação da própria verdade (a preocupação metafísica), mas com a nossa capacidade de conhecer a verdade (uma preocupação epistemológica). A Igreja emergente, por exemplo, iria acreditar em um Deus eterno, que estabeleceu preceitos eternos que o tempo o homem ligado quebrou e, portanto, precisa de restauração através de Cristo. Mas a tentativa de definir exatamente quem é Deus, o que exatamente ele exige, como resgate é realizado e aplicado é algo que deve ser realizada em tensão considerando nossas próprias limitações. Curiosamente, estas limitações são as mesmas limitações que o pós-moderno duro deitado. As pessoas estão limitados em sua compreensão, sendo obrigado pelo seu tempo, cultura e situação. O resultado é que, na Igreja emergente, por causa de suas tendências pós-modernas suaves, todas as distinções são minimizados ou ignorados. As questões que estavam no centro da controvérsia durante a Reforma já não são importantes, certamente não o suficiente para dividir mais. Em outras palavras, as distinções teológicas entre católicos e protestantes romanas são irrelevantes para a igreja emergente. Por quê? Porque, embora possa haver uma resposta certa, que é dizer quem está certo? Mais do que provavelmente, ambos estão certos e ambos estão errados. Como assim, a divisão arminiano-calvinista não é mais significativo. Na verdade, para o pós-modernista macio, ambos os lados arrogantemente agir como se eles têm o direito de resposta, quando a resposta certa não está disponível com toda a certeza.

 

A ênfase na igreja emergente não é sobre o que divide, mas o que une. "Não podemos nós todos apenas obter avante" é o lema. Fator de união do cristianismo é limitado "mera" Cristianismo. Agora, apenas o cristianismo não pode ser articulada em muitos detalhes ou o ciclo de divisão começa tudo de novo. Crenças sobre questões não-essenciais não deve tanto ser realizada ou, pelo menos, não falado com muita convicção. "Cristo, o Senhor morreu, foi sepultado e ressuscitou para a humanidade. Isso é que é. Agora vamos apenas amar uns aos outros. "

 

Este tipo de teologia em tempos passados ​​foi chamada teologia apofática. Teologia apofática é a teologia que é feito em negação. A Igreja Ortodoxa tem tradicionalmente adere a um método de fazer teologia apofática. A chave para a teologia apofática é amarrado na palavra "mistério". Grande parte de quem eo que Deus é um mistério para nós. Nós somos finitos e que não podemos definir um Deus infinito, sem desvirtuar a Ele por nossas limitações em pensamento ou da linguagem. Portanto, a melhor coisa que podemos fazer é abster-se de nossa tentação de defini-Lo-nós apenas adorá-lo. Esta é a teologia apofática. De acordo com a Igreja emergente, nós não vamos à igreja para aprender sobre Deus; vamos para adorar a Deus. Nós não vamos para que possamos entender melhor, articular e defender a nossa fé; vamos para que possamos comungar com os irmãos. Nosso objetivo não é para confirmar nossas crenças, mas para desconstruir as nossas crenças "improcedentes" para que possamos verdadeiramente adorar a Deus em mistério. Eis como a Igreja emergente pode responder a perguntas de divisão do Cristianismo passado e presente:

 

Pergunta: É a justificação pela fé?

 

Resposta: Pergunta errada; Amar a Cristo.

 

Pergunta: É Deus eterno ou tempo ligado?

 

Resposta: Nós não podemos compreender essa questão; Amar a Cristo.

 

Pergunta: E aqueles que nunca ouviram o Evangelho?

 

Resposta: Não coloque Deus em uma caixa. Amar a Cristo.

 

Pergunta: É a Escritura só suficiente para a nossa fé?

 

Resposta: Não relevante. Amar a Cristo.

 

Pergunta: O que é predestinação?

 

Resposta: Um mistério. Amar a Cristo.

 

Mais uma vez, ficamos com uma situação paradoxal em que praticamente a única coisa que pode ser dito com certeza é que nós não podemos ter certeza. É por todas estas razões que a igreja emergente é muitas vezes acusados ​​de anti-intelectualismo.

 

Podemos definir a igreja emergente como cristão? Talvez a melhor pergunta é faz o pós-modernismo suave da igreja emergente exigem uma negação de todos os elementos essenciais da fé cristã? Temos de ter cuidado com a nossa resposta, porque, como tantos outros novos tradições da igreja emergente não é de forma monolítica. Não há um papa ou credo que podemos ir para a fim de fazer perguntas fundamentais e da história do movimento é curta demais para olhar para a consistência. Mas pela minha experiência em leitura e da igreja emergente, não há nenhuma razão para acreditar que, neste momento, que emergers negam qualquer doutrina essencial da fé cristã. Lembre-se, a mentalidade pós-moderna suave da igreja emergente não nega a existência da verdade ou a pecaminosidade do homem ou a obra expiatória de Cristo. Difícil o pós-modernismo é necessariamente antiético para o cristianismo, mas o pós-modernismo suave da igreja emergente não tem qualquer dobrado confessional ou filosófica que os impediria de ser verdadeiramente cristão.

 

Uma avaliação do pós-modernismo suave ea Igreja Emergente

 

Dito isto, deixe-me dar os pontos positivos e negativos que eu vejo com o pós-modernismo suave da Igreja emergente.

 

Avaliação positiva:

 

 

 

O pós-modernismo suave reconhece a necessidade de mistério na vida do cristão. Vamos enfrentá-lo, não estamos tão certo sobre muitas de nossas crenças como gostaríamos. Todos teremos algumas surpresas quando Cristo voltar. A revelação de Deus é clara em alguns pontos do que outros. A partir disso podemos aprender muito. É importante para os cristãos de realizar muitas de nossas crenças em tensão, seguindo pelo princípio da reforma da reformana de sempre - ". sempre reformando" Se nossas crenças não eram reformanda de sempre , então chegamos a um perfeito entendimento, isso nós sabemos não é verdade, como Paulo diz em 1 Coríntios. 13:12 "Porque agora vemos por espelho em enigma, mas então veremos face a face; agora conheço em parte, mas então conhecerei plenamente, assim como eu também têm sido totalmente conhecida. "Todos nós sabemos em parte. Isso deve permitir-nos ter alguma tensão em nossas crenças. Também é importante para nós reconhecer que não temos um canto na verdade como indivíduos. Infelizmente, este método maverick de Estudos Teológicos, tudo que eu preciso é de mim, a minha Bíblia, e do Espírito Santo, é algo que herdamos do humanismo da iluminação. Nós existimos em uma comunidade de crentes que todos têm diferentes circunstâncias que contribuem para a verdade que buscamos. Deus não está trabalhando com nós, como indivíduos, mas pessoas que existem em um corpo de crentes. Esse corpo de crentes é composta por aqueles que estão vivos e mortos. As contribuições dos santos do passado ainda são vitais para a nossa compreensão. Deus não começar a trabalhar neste século ou no prédio de sua igreja local. Estes são todos os pontos positivos que a igreja-emergentes que o pós-modernismo pode-macio ensinar da Igreja.

 

Como assim, o pós-modernismo suave trouxe foco de volta para o nosso método de fazer teologia. Com a sua desconfiança na tradição, que fez o olhar da igreja com suspeitas sobre tradições infundadas. Fundamentalismo começou como uma coisa boa e, em seguida, tornou-se farisaica com convicções pregavam a partir do topo das montanhas que não são encontrados nas Escrituras. "Não beba", "não ir ao cinema", "não fume", e "não dança" se tornou o que é ser cristão era. O pós-modernismo desmascarado estes aspectos negativos da igreja fundamentalista. O pós-modernismo está em rebelião contra o tradicionalismo, e isso não é uma coisa tão ruim.

 

Avaliação negativa:

 

O pós-modernismo suave da igreja emergente está continuamente à beira de compromisso. Como dissemos antes, os pós-modernos macios não estão dispostos a ficar por coisas das quais eles são incertos. Enquanto isso soa bom e nobre, há sempre vai ser muitas coisas que são menos certas do que outras. Onde se traçar a linha de certeza? Como certo é que uma pessoa tem que ser antes de ele ou ela pode realizar e articular as suas crenças com convicção? Eu, por exemplo, não estou certo com certeza matemática de que o sol nascerá amanhã. No entanto improvável, poderia haver variáveis ​​externas que eu não sei sobre isso fará com que a terra para impedir a sua rotação. Será que isto faz-me irresponsável e arrogante para acreditar que o sol vai nascer? De modo nenhum. Na verdade, seria a própria definição de insanidade para mim para exigir certeza matemática sobre o nascer do sol. Tenho boas razões para crer que o sol vai nascer por causa da quantidade de provas. Portanto, eu tenho a obrigação moral de acreditar e planejar de acordo com as provas. A prova em si determina o nível de certeza sobre a questão. É o mesmo com nossas crenças. Não temos que ter certeza absoluta sobre algo antes que possamos agir e pregar essas convicções. Há muito poucas coisas nesta vida que eu possa reclamar com honestidade intelectual para ser cem por cento de certeza sobre. Essa visão exagerada da necessidade de absoluta certeza ou nada pode facilmente levar à anarquia moral. A maioria, quando dada a escolha, vai escolher "nada", já que não há nada que eles possam estar absolutamente certo sobre. Há um nome formal para isso: ". Nadismo" niilismo, que traduzido significa Uma vez niilismo é adotada, a anarquia é o resultado inevitável. Este é o problema que o pós-modernismo duro produz. É importante para os cristãos de realizar muitas de nossas crenças em tensão, mas essas crenças devem ser limitados àqueles que a Bíblia não fala claramente sobre. Pontos de vista sobre a natureza ea aplicação da expiação não são qualificados para este tipo de incerteza. Pontos de vista sobre a predestinação, enquanto há espaço legítimo para a discordância, não precisa ser sacrificado em nome do amor. Se quer saber se estes não eram importantes, por que Deus incomoda incluí-los nas Escrituras? O que é para evitar que pessoas arrancando certas porções de sua Bíblia?

 

Assim, enquanto os pós-modernos macios parecem evidenciar humildade com relação a sua capacidade de vir a conhecer a verdade, essa humildade muitas vezes pode ser enganosa. Enquanto isso poderia evidenciar uma relação para a queda e seus efeitos resultantes sobre a mente (efeitos noéticos do pecado), ele também poderia ser por causa da tendência pós-moderna de buscar aceitação, mesmo quando o custo é compromisso. Vamos enfrentá-lo, a menos que você representa, mais as pessoas vão gostar de você. Quanto mais forte as suas convicções, mais chances você tem de ser rejeitada. No mínimo, não vamos pular na cama com os pós-modernos suaves a fim de ter maior aceitação. Como Cristo disse: "Se eles me odeiam eles vão te odiar." Nós não precisamos de procurar intencionalmente rejeição (como algumas pessoas tentam fazer pensar que evidencia mais espiritualidade outra história), mas nós não precisamos para evitar que ou, especialmente se o Evangelho está em jogo. O pós-modernismo suave tem poucas convicções, e isso não é um ponto positivo. Enquanto a música país vai, "Você tem que estar para algo, ou você vai cair para qualquer coisa." É interessante colocar tudo isso em perspectiva e ver que as igrejas convictionless são geralmente igrejas vazias. As igrejas emergentes, pelo que tenho visto, não estão atraindo o maior número de pessoas a partir da cultura como se poderia pensar. A ideologia do compromisso não é tão atraente. Por que ir a comunhão com outros crentes sob um guarda-chuva chamado de "poucas condenações." Por outro lado, as igrejas que têm fortes líderes com convicções inflexíveis são igrejas cheios esses dias. Isso não significa que nós não mostramos graça nas coisas não essenciais, isso apenas significa que não temos de colocar todos os não-essenciais no altar em prol da unidade. Podemos ter uma forte convicção sobre não-essenciais, bem como unificador sob os fundamentos.

 

Assim, a Igreja precisa ter equilíbrio com relação ao papel da tradição. Enquanto a tradição pode ser uma coisa ruim quando se torna teologia popular sem fundamento, também é uma boa coisa que precisa ser abraçada como uma peça de boca de Deus. Não no sentido católico romano, mas no sentido de que Deus é um Deus da história. Ele pode ser encontrado na tradição muitas vezes. A tradição, mantida sob controle, pode ser uma coisa bonita. A Igreja emergente precisa ter cuidado para que ele não tem um uso excessivamente seletiva de tradição, tampouco. Muitas vezes as igrejas emergentes podem ser encontrados abandonando certas tradições sem consideração. Este é especialmente o caso com as tradições trazidas a nós pela Reforma. A igreja emergente, muitas vezes acriticamente aceita as tradições anteriores dos pais da igreja, mas nega a Reforma um lugar. Eu acho que a Reforma é muito divisiva. Toda a história deve ser levado em consideração no desenvolvimento de sua teologia.

 

Conclusão

 

 

Em suma, o pós-modernismo duro deve ser visto como uma ameaça. Não é possível ser um pós-modernista duro e ser um cristão. O pós-modernismo macio por outro lado apresenta a igreja com muitas virtudes perdidas de graça e irenics (teologia feito pacificamente). Por isso, podemos ser gratos. Mas nós devemos guardar as verdades da Escritura com a convicção de que a prova apresentou. Nossas tradições podem ou não estar errado, mas isso é para a prova para decidir. Há também não-essenciais que precisam ser falado com convicção, mesmo que pode estar errado no final. Em suma, vamos ser equilibrados em nossa compreensão das questões em cima da mesa e não percamos a convicção de que as verdades da Escritura produzir.

FONTE http://www.estudarapologetica.blogspot.com.br/