Translate this Page

Rating: 3.0/5 (946 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


SINAGOGA JUDAICA בית כנסת י
SINAGOGA JUDAICA בית כנסת י

                     SINAGOGA JUDAICA בית כנסת יהודי

sin'a - gog :

 

  1. Nome

 

  1. Origem

 

  1. Espalhe de sinagogas

 

  1. O Edifício

 

(1) O Site

 

(2) A Estrutura

 

(3) O Furniture

 

  1. Os funcionários

 

(1) The Elders

 

(2) A régua

 

(3) O Servo (ou servos)

 

(4) Delegado da Congregação

 

(5) A Intérprete

 

(6) Os almoners

 

  1. O Serviço

 

(1) Recitação do "Shema '"

 

(2) Orações

 

(3) A leitura da Lei e dos Profetas

 

(4) O Sermão

 

(5) A Bênção

 

LITERATURA

 

  1. Nome:

 

Sinagoga, grego συναγωγή , sunagoge "Encontro" ( Atos 13:43 ), "encontro-place" ( Lucas 7: 5 ), foi o nome dado ao lugar de culto judaico no judaísmo posterior dentro e fora da Palestinaproseuche, "Um lugar de oração" ( At 16:13 ), era provavelmente mais da natureza de um gabinete, marcando o local sagrado do pé profano, do que de um prédio com telhado como uma sinagoga.Sabbateıon no Ant. , XV, i, 2, provavelmente também significou sinagoga. Na Mishná encontramos para sinagogaBeth ha -keneṣeth , Nos Targums e Talmud estar -khenı̄shtā ' , Ou simplesmente kenı̄shtā '. O mais antigo encontros e reuniões-lugares Christian foram modeladas no padrão das sinagogas, e, em aramaico Christian-palestiniano a palavrakenı̄shtā ' é usado para a igreja cristã (compare Zahn, de Taciano Diatessaron , 335).

 

  1. Origem:

 

Que a sinagoga foi, no tempo de nosso Senhor, uma das mais importantes instituições religiosas dos judeus resulta do fato de que ele foi pensado para ter sido instituído por Moisés ( Apion , II, 17; Philo, De Vita Moses , iii 27;. comparar Targum Jer para Êxodo 18:20 ). Deve ter surgido durante o exílio babilônico. Naquela época os judeus mais devotos, longe de sua terra natal, não tendo nenhum santuário ou altar, sem dúvida, sentiu-se atraído ao longo do tempo, especialmente no sábado e dias de festa, que se reúnem em volta aqueles que foram especialmente piedoso e temente a Deus, em para ouvir a palavra de Deus e se envolver em algum tipo de culto. Que essas reuniões não eram incomuns é feita provável pela Ezequiel 14: 1 ; Ezequiel 20: 1 . Isto forneceria uma base para a instituição da sinagoga. Depois do exílio na sinagoga permaneceu e até mesmo desenvolvido como um contrapeso ao sacerdotalism absoluto do templo, e deve ter sido sentida absolutamente necessário para os judeus da Dispersão. Embora no início ele foi concebido apenas para a exposição da Lei, era natural que, no decurso das orações de tempo e pregação devem ser adicionados ao serviço. Assim, estas reuniões, que a princípio só foram realizadas aos sábados e dias de festa, vieram também a ser realizada em outros dias, e no mesmo horário com os serviços no templo. O objectivo essencial, no entanto, da sinagoga não era oração, mas a instrução na Lei para todas as classes do povo. Philo chama as sinagogas "casas de instrução, onde a filosofia dos pais e toda sorte de virtudes foram ensinadas" (compare Mateus 4:23 ; Mark 1:21 ; Marcos 6: 2 ; Lucas 04:15 , Lucas 4:33 ; Lucas 6: 6 ; Lucas 13:10 ; João 06:59 ; João 18:20 ; CAp , ii, 17).

 

  1. Espalhe de sinagogas:

 

Na Palestina, as sinagogas foram espalhados por todo o país, todas as cidades maiores com um ou mais (por exemplo, Nazaré, Mateus 13:54 ; Cafarnaum, Mateus 12: 9 ). Em Jerusalém, apesar do fato de que o Templo estava lá, havia muitas sinagogas, e todas as partes da diáspora foram representados por sinagogas particulares ( Atos 6: 9 ). Também em terras pagãs, onde quer que houvesse um certo número de judeus, eles tinham sua própria sinagoga: por exemplo, Damasco ( Atos 9: 2 ), Salamis ( Atos 13: 5 ), Antioquia da Pisídia ( Atos 13:14 ), Tessalônica ( Atos 17: 1 ), Corinto ( Atos 18: 4 ), Alexandria (Philo, Perna Ad Cai , xx), Roma (ibid, XXIII).. Os achados de papiro dos últimos anos contêm muitas referências a sinagogas judaicas no Egito, desde o tempo de Euergetes (247-221 aC) em diante. De acordo com Philo ( Quod omnis probus liber sentar , xii, et al.) Os essênios tinham suas próprias sinagogas, e, a partir'Ābhōth 3 10, parece que "os povos da terra", ou seja, as massas, especialmente no país, que estavam muito distantes da influência dos escribas, e foram mesmo que se opõem à sua interpretação restritiva da lei tinham suas próprias sinagogas.

 

  1. O Edifício:

 

(1) O Site.

 

Não há evidência de que na Palestina sinagogas foram sempre obrigados a ser construída sobre terreno alto, ou pelo menos que eles devem ignorar todas as outras casas (compare FIPs , Julho de 1878,126), embora lemos no Talmud que este era um dos requisitos ( Tos Meghillāh , Edição Zunz, 4: 227; Shabbath 11-A). A partir de Atos 16:13 não se segue que as sinagogas foram intencionalmente construído fora da cidade, e perto da água por causa da lavagem cerimonial (compare Monatsschr pele Gesch und Wissensch des Judenthums... , 1889, 167-70;HJP II , 370).

 

(2) A Estrutura.

 

Do estilo da arquitetura não temos registos positivos. A partir da descrição no Talmud da sinagoga de Alexandria ( Tos sucá , Edição Zunz, 198 20; sucá 51b um imagrees sinagogas ter sido modeladas no padrão do templo ou do pátio do templo. Das escavações na Palestina, descobrimos que na construção foi utilizada a pedra do país. Nas vergas das portas eram diferentes formas de ornamentação, por exemplo, castiçais de sete braços, uma flor aberta entre dois cordeiros pascais, ou folhas da videira com cachos de uvas, ou, como em Cafarnaum, um pote de maná entre duas representações da vara de Arão . O plano de dentro "é geralmente a de duas colunas duplas, que parecem ter formado o corpo da sinagoga, os corredores Leste e Oeste a ser, provavelmente, usado como passagens. A distância intercolunar é muito pequena, não superior a 9 1/2 ft. " (Edersheim). Por causa de uma certa adaptação das colunas de canto no extremo norte, Edersheim supõe que galeria de uma mulher já foi erguido lá. Não parece, no entanto, a partir do Antigo Testamento ou do Novo Testamento ou a tradição judaica mais antiga que não havia qualquer galeria especial para as mulheres. Deve notar-se, como contra esta conclusão, em que De Vita Contemplativa , atribuído por alguns com Philo, uma certa passagem (s. III) parece indicar a existência de um tal galeria.

 

(3) O Furniture.

 

Sabemos apenas que houve uma arca móvel em que os rolos da Lei e os Profetas foram mantidos. Era Chamado "Aron ha - ḳōdhesh , Mas principalmente tēbhāh ( Meghillāh 3 1; Nedhārim 5 5; Ta'ănı̄th 2 1,2), e ficou de frente para a entrada. De acordo com Ta'ănı̄th 15-A foi retirado e levado em uma procissão em dias de jejum. Na frente da arca, e de frente para a congregação, foram os "primeiros assentos" (ver BANCOS DO CHEFE) Para os chefes da sinagoga e os homens instruídos ( Mateus 23: 6 ). De Neemias 8: 4 e Neemias 9: 4 parece que o bēmah (Jerusalém Meghillāh 3 1), uma plataforma a partir da qual a lei foi lido, embora não seja mencionada no Novo Testamento, era de antiga data, e em uso na época de Cristo.

 

  1. Os funcionários:

 

(1) The Elders.

 

Estes funcionários ( Lucas 7: 3 ) formação do tribunal local, e em localidades puramente judaicas agiu como um Comité de Gestão dos assuntos da sinagoga (compare Berakhoth 4 7; Nedhārim 5 5; Meghillāh 3 1). Para eles pertenciam, muito provavelmente, entre outras coisas, o poder de excomungar (compare Ezra 10: 8 ; Lucas 06:22 ; João 09:22 ; João 00:42 ; João 16: 2 ;'Ēdhuyōth 5 6; Ta'ănı̄th 3 8; Middoth 2 2).

 

(2) A régua.

 

grego archisunágōgos ( Mark 05:35 ; Lucas 08:41 , Lucas 08:49 ; Lucas 13:14 ; Atos 18: 8 , Atos 18:17 ), hebraicorō'sh ha -keneseth (Soṭah 7 7, 8). Em algumas sinagogas houve vários governantes ( Marcos 5:22 ; Atos 13:15 ). Eles foram provavelmente escolhido entre os mais velhos. Foi negócios da régua para controlar os serviços da sinagoga, como por exemplo, para decidir quem deveria ser chamado para ler a partir da Lei e os Profetas (Yoma ' 7 1) e pregar ( Atos 13:15 ; comparar Lucas 13:14 ); ele tinha que cuidar das discussões, e, geralmente, para manter a ordem.

 

(3) O Servo (ou servos).

 

grego hupērétēs ; Talmud hazzan ( Lucas 04:20 ;Yoma 7 1; Soṭah 7 7, 8). Ele tinha que ver com a iluminação da sinagoga e para manter o edifício limpo. Foi ele quem exercia o flagelo quando a punição tinha que ser dado a qualquer pessoa na sinagoga ( Mateus 10:17 ; Mateus 23:34 ; Marcos 13: 9 ; Atos 22:19 ; compararMakkoth 16). A partir deShabbath 1 3, parece que o hazzan também foi um professor elementar. VejoEDUCAÇÃO .

 

(4) Delegado da Congregação.

 

hebraico sheliaḦ cibbūr ( Rō'sh ha - Shanah 4 9; Berakhoth 5 5). Este escritório não era permanente, mas uma foi escolhida em cada reunião pelo governante para preenchê-lo, e ele conduziu as orações. De acordo com Meghillāh 4 5, também era esperado que ele que foi convidado a ler as Escrituras para ler as orações. Ele tinha que ser um homem de bom caráter.

 

(5) O intérprete.

 

hebraico methōrgemān . Era seu dever de traduzir em aramaico as passagens da Lei e os Profetas que foram lidos em hebraico ( Meghillāh 3 3; compare 1 Coríntios 14:28 ). Isso também não era provavelmente um escritório permanente, mas foi preenchido em cada reunião por um escolhido pelo governante.

 

(6) Os almoners.

 

( Demā'ı̄ 3 1; kiddushin 4 5). Esmolas para os pobres foram coletadas na sinagoga (compare Mateus 6: 2 ). De acordo comPe'ah 8 7, o colector estava a ser realizado por, pelo menos, duas pessoas, e a distribuição de, pelo menos, três.

 

  1. O serviço:

 

(1) Recitação do "Shema '".

 

Pelo menos dez pessoas mal estar presentes para adoração regular ( Meghillāh 4 3; Ṣanhedhrı̄n 1 6). Havia serviços especiais aos sábados e dias de festa. A fim de manter o uniforme sinagoga de serviços com os do templo, bem como foram realizadas no mesmo horário. A ordem de serviço foi a seguinte: a recitação do shema ' , Ou seja, uma confissão da unidade de Deus, que consiste das passagens Deuteronômio 6: 4-9 ; Deuteronômio 11: 13-21 .; Números 15: 37-41 ( Berakhoth 2 2; Tāmı̄dh 5 1). Antes e depois da recitação dessas passagens "bênçãos" foram ditas em conexão com as passagens (Berakhoth 1 4). Isso formou uma parte muito importante da liturgia. Acredita-se que tenham sido ordenados por Moisés (compare Ant. , IV, VIII, 13).

 

(2) orações.

 

As orações mais importantes foram a Shemone 'Esreh "Dezoito Eulogies", um ciclo de dezoito orações, também chamado de " The Prayer" ( Berakhoth 4 3; Ta'ănı̄th 2 2). Como o shema ' eles são muito antigos.

 

O seguinte é o primeiro dos dezoito: "Bem-aventurado és Tu, Senhor, nosso Deus, o Deus de nossos pais, o Deus de Abraão, o Deus de Isaac eo Deus de Jacob: o grande, poderoso e terrível Deus, o Deus Altíssimo Usas de misericórdia e bondade, que createst todas as coisas, que lembras os atos piedosos dos patriarcas, e fizeres no amor trazer um redentor para filhos de seus filhos, por amor do teu nome; Está beming, Helper, Salvador e protetor! Bendita sois Vós,OL ord, o Escudo de Abraão. "

 

As orações do delegado foram atendidas com uma resposta de Amen da congregação.

 

(3) A leitura da Lei e os Profetas.

 

Depois das orações as parashah , Ou seja, a perícope da Lei para que o sábado, foi lida, eo intérprete verso traduzido por verso para o aramaico ( Meghillāh 3 3). Todo o Pentateuco foi dividido em 154 pericopes, de modo que, no decurso de 3 anos que foi lido completamente em ordem. Depois da leitura da lei veio o Haphṭārāh , A perícope dos Profetas para que o sábado, que o intérprete não traduz necessariamente verso por verso, mas em parágrafos de 3 versos ( Meghillāh , Loc. cit.).

 

(4) O sermão.

 

Depois da leitura da Lei e os Profetas seguiu o sermão, que originalmente era uma exposição caustical da Lei, mas que no decorrer do tempo assumiu um caráter mais devocional. Qualquer pessoa na congregação pode ser solicitado pelo governante para pregar, ou pode perguntar o governante permissão para pregar.

 

O exemplo a seguir de um antigo (século dC LST) sermão rabínica, com base nas palavras, "porque me vestiu com as vestes da salvação" ( Isaías 61:10 , um versículo do capítulo a partir do qual Jesus levou Seu texto ao abordar a sinagoga de Nazaré), servirá como uma ilustração de pregação judaica contemporânea:

 

"Sete vestes do santo - Bendito seja Ele! -. Colocou, e vai colocar a partir do momento em que o mundo foi criado, até a hora em que Ele vai punir o Edom ímpios (ou seja Império Romano), quando ele criou o mundo, Ele se revestido em honra e majestade, como é dito ( Salmo 104: 1 ): '. Tu és vestido de honra e de majestade' Sempre que Ele perdoou os pecados de Israel, se vestiu de branco, pois lemos ( Daniel 7: 9 ): ". Seu vestido era branco como a neve" Quando Ele pune os povos do mundo, Ele coloca as vestes de vingança, como se diz ( Isaías 59:17 ): 'Ele colocou vestes de vingança para a roupa, e cobriu-se de zelo, como de um manto. " O sexto roupa Ele vai colocar em quando o Messias vier, então ele vai vestir-se de um manto da justiça, pois é dito (mesmo lugar): "Ele vestiu a justiça como uma couraça, e um capacete da salvação na sua cabeça.' O sétimo roupa Ele vai colocar em quando castiga Edom; então Ele vai vestir-se em 'ādhōm, Ou seja, "vermelho", pois é dito ( Isaías 63: 2 ): 'Portanto arte vermelha a tua vestuário' Mas o vestido com que Ele vai colocar sobre o Messias, isto irá brilhar longe, de uma extremidade da terra até a outra, pois é dito ( Isaías 61:10 ): 'Como um noivo que se adorna com uma grinalda. E os israelitas vão participar de Sua luz, e dirá:

 

"Bendito é a hora em que o Messias virá!

 

Bendito o ventre do qual Ele virá!

 

Abençoou seus contemporâneos que são testemunhas oculares!

 

Bem-aventurados os olhos que é homenageado com uma visão dele!

 

Para a abertura de seus lábios é bênção e paz;

 

Seu discurso é um movimento dos espíritos;

 

Os pensamentos do seu coração são a confiança e alegre-ness;

 

O discurso de Sua língua é o perdão eo perdão;

 

Sua oração é o incenso de ofertas;

 

Suas petições são santidade e pureza.

 

O quão abençoada é Israel, para quem tal, foi preparado!

 

Pois é dito ( Salmo 31:19 ): "Quão grande é a tua bondade, que tu reservada para os que te temem" ' "

 

( Pesikta ' , Edição Buber).

 

(5) A Bênção.

 

Depois do sermão a bênção foi pronunciada (por um padre), ea congregação respondeu Amen ( Berakhoth 5 4; Soṭah 7 2,3).

 

Literatura.

 

  1. Zunz, Die gottesdienstlichen Vortrage der Juden , 2ª edição; Herzfeld, Geschichte des Volkes Israel , III, 129-37,183-226; Hausrath, Neutestamentliche Zeitgesch ., Edição 2d, 73-80; HJP , II, 357-86; GJV4 , II; 497-544; Edersheim, Vida e Tempos de Jesus o Messias , 5ª edição, I, 431-50; Oesterly e Box, "A religião e de culto da sinagoga," Igreja e Sinagoga , IX, número 2, de abril de 1907, p. 46; W. Bacher, artigo "Sinagoga" em HDB ; Strack, artigo "Synagogen", no RE, 3edition,XIX .
  2. fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net