Translate this Page

Rating: 3.0/5 (905 votos)



ONLINE
1




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Subsidio auxilios ebd BETEL adultos 2016
Subsidio auxilios ebd BETEL adultos 2016

 

 

                                                                                                    

 

ASSUNTOS DAS LIÇÕES BETEL SEGUNDO TRIMESTRE

 

  FRUTO DO ESPIRITO SANTO

SUMÁRIO:

Lição 01 - Tecnologia: maldição ou bênção?

Lição 02 - Os perigos da febre das redes sociais

Lição 03 - Jogos: largos passos em direção ao abismo

Lição 04 - O terror da pornografia

Lição 05 - O amor puro e insondável, proveniente de Deus

Lição 06 - Gozo: a alegria do Espírito Santo

Lição 07 - Paz: o prazer inefável da tranqüilidade e serenidade

Lição 08 - Desprezando ofensas através da longanimidade

Lição 09 - A benignidade é a disposição em fazer o bem a todos

Lição 10 - Bondade: a prática do amor sem expectativa de recompensa

Lição 11 - A fé nos mantém na presença de Deus

Lição 12 - Mansidão: uma nova postura de vida modesta e submissa

Lição 13 - Temperança: uma vida controlada pelo Espírito

    

 

                                   SUBSIDIO BETEL ADULTOS O FRUTO

                                   DO ESPIRITO SANTO AMOR. (lição n.5)

Professor, como está a motivação de seus alunos para o tema em apreço? Eles participaram das aulas? Responderam as questões propostas? É preciso ensinar com dinamismo, criatividade e profundidade. Não são poucos os alunos que desconsideram estes assuntos por acharem que já os conhecem: “Já sei o que vão ensinar: que preciso amar e ter paz com meu irmão...”. Para estes, uma aula monótona e repetitiva é desmotivadora. Por isso, você deve ensinar utilizando todos os recursos didáticos que estiverem a sua disposição. Use constantemente das ilustrações. Procure “tocar” não apenas a razão, mas a alma e os sentimentos de seus alunos. Se possível, adquira a revista Ensinador Cristão n° 21. Nela, você encontrará várias sugestões de dinâmicas.

A recomendação de Jesus em Lucas 6.27-35 corresponde, com ligeiras modificações, a de Mateus 5.38-48. No contexto do Evangelho de Mateus, o ensino sucede à Lei do Talião, e incorporado à lei mosaica, exigia o castigo proporcional ao crime (Mt 5.38). Lucas, por escrever aos gregos, dispensa a frase-padrão “ouviste o que foi dito” por esta referir-se à tradição hebraica. A estrutura das estrofes dos versos 20-22 (bem-aventurados) se opõe aos versos 24-26 (os ais). Os termos pobres, fome, choro e aborrecer contrastam com ricos, fartos, riso e falar bem, formando o que se chama de paralelismo antitético. Esses jogos de palavras e efeitos estilísticos são recursos retóricos do ensino de Cristo para enfatizar que o pobre, o faminto, o aflito e o odiado devem amar apesar de tudo: “Mas a vós, que ouvis, digo: Amai a vossos inimigos, fazei bem aos que vos aborrecem” (Lc 6.27). Os verbos estão no imperativo, isto é, em forma de ordem: amai... fazei... bendizei... orai, responsabilizando o indivíduo como agente ativo da prática do bem (vv.27-28). Entretanto, nos versos 29-30, verificamos a passividade do ofendido: te ferir..., te tirar a capa..., te pedir..., tomar o que é teu... Amar ao inimigo é ser solícito ao bem estar e salvação deste. Este amor inaudito foi demonstrado por Jesus que amou a todos, sem distinção.

O amor, em seu conceito mais sublime, é personificado em Deus. A melhor e mais curta definição do amor é Deus, pois, Deus é amor. Este foi manifesto à humanidade por Jesus Cristo (Rm 5.8; Jo 13.1).

A quem Jesus tanto amou que voluntariamente deu sua própria vida? A indivíduos perfeitos? Não! Um dos discípulos negou-o; outro duvidou dele; três dos que compunham o círculo interno dormiram enquanto Ele agonizava no jardim do Getsêmani; dois desses almejaram elevadas posições em seu Reino; outro tornou-se o traidor. E quando Jesus ressuscitou, alguns não creram. Mas Jesus amou-os até ao fim — até à plena extensão do seu amor. Ele foi abandonado, traído, desapontado e rejeitado, contudo, amou!

Nesta lição, estudaremos o significado do amor como fruto do Espírito, e como é manifestado na vida do crente.

 

  1. OS TRÊS TIPOS DE AMOR

Amor é a suprema virtude do fruto espiritual! Jesus foi persistente ao ensinar os discípulos acerca do amor (Jo 13.34,35). A respeito de que amor Jesus estava falando? Há pelo menos três tipos de amor que consideraremos resumidamente.

  1. Amor divino (Jo 3.16). O amor divino é expresso pela palavra grega agapē que significa “amor abnegado; amor profundo e constante”, como o amor de Deus pela humanidade. Esta perfeita e inigualável virtude abrange nosso intelecto, emoções, vontade, enfim, todo o nosso ser. O Espírito Santo a manifestará em nós, à proporção que lhe entregamos inteiramente a vida. Este predicado flui de Deus para nós que o retornamos em louvor a Deus, adoração, serviço e obediência a sua Palavra: “Nós o amamos porque ele nos amou primeiro” (1Jo 4.19). É o amor agapē descrito em 1 Coríntios 13.
  2. Amor fraterno. Em 2 Pedro 1.7, encontramos o amor expresso pela palavra original philia, que significa “amor fraternal ou bondade fraterna e afeição”. É amizade, um amor humano, limitado. Esse tipo é essencial nos relacionamentos interpessoais, no entanto, é inferior ao agapē, porquanto depende de uma reciprocidade; ou seja, somos amigáveis e amorosos somente com os que assim agem (Lc 6.32).
  3. Amor físico. Há outro aspecto do amor humano, o qual não é mencionado na Bíblia, contudo, está fortemente subentendido através de fatos: o eros. Este é o amor físico proveniente dos sentidos naturais, instintos e paixões. Costuma basear-se no que vemos e sentimos; pode ser egoísta, temporário e superficial, e tornar-se concupiscência. É inferior aos outros porque muitas vezes é usado levianamente.

O maior desses é o amor agapē — o amor de Deus, que foi manifestado na vida de Jesus. Este possui três dimensões: amor a Deus, a si mesmo e ao próximo (Lc 10.27). 

  1. AMOR A DEUS — A DIMENSÃO VERTICAL
  2. Amar a Deus acima de tudo. Amar a Deus é nosso maior dever e privilégio. Como fazer isso? De todo o nosso coração, alma, força e entendimento! A palavra coração refere-se ao homem interior, isto é, envolve espírito e alma. Devemos amar a Deus com toda a plenitude de nosso ser, acima de tudo. Assim sendo, também amaremos o que Ele ama e lhe pertence: sua Palavra, seus filhos, sua obra, sua igreja e as ovelhas perdidas, pelas quais estaremos dispostos a sofrer (Fp 1.29). Quando sofremos por Cristo, dispomo-nos a padecer perseguições a fim de glorificá-lo, e revelamos seu amor ao pecador. Ao sofrermos com Cristo, sentimos o que Ele sentiu pelo pecado e pelo pecador, conforme está descrito em Mateus 9.36.
  3. O exemplo de Jesus. Sabemos o que é o amor agapē pelo exemplo de Jesus. É o amor que Jesus ensinou e viveu (Jo 14.21); é difícil de compreender. O apóstolo Paulo fala a esse respeito em Efésios 3.17-19. Neste texto, observamos que este amor leva-nos a amar: arraigados em amor, para compreendê-lo e conhecê-lo!
  4. O teste do amor agapē. Seu amor agapē é direcionado a Deus? Isto pode ser verificado através de sua obediência. Jesus disse: “Se me amardes, guardareis [obedecereis] os meus mandamentos” (Jo 14.15); “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda [obedece], este é o que me ama” (Jo 14.21); “Se alguém me ama, guardará [obedecerá] a minha palavra. [...] Quem não me ama não guarda [obedece] as minhas palavras” (Jo 14.23,24). O Espírito Santo revela-nos o amor de Deus com o intuito de amá-lo e conhecê-lo ainda mais. Nossa sensibilidade em sua direção expressa obediência, e agrada a Deus.

 

III. AMOR AO PRÓXIMO — A DIMENSÃO HORIZONTAL

Não conseguiremos amar nosso semelhante com amor agapē, salvo se amarmos a Deus primeiro. É o Espírito Santo que nos capacita para cumprir o segundo maior mandamento da lei (Lv 19.18). O apóstolo João enfatizou a importância do amor agapē ao próximo: “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque a caridade [o amor] é de Deus; e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é caridade [amor]. [...] Se nós amamos uns aos outros, Deus está em nós, e em nós é perfeita a sua caridade [amor]. Se alguém diz: Eu amo a Deus e aborrece a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?” (1Jo 4.7,8,12,20).

Ao exortar um intérprete da lei a amar a Deus e o próximo, Jesus afirmou: “Faze isso e viverás”, ele, porém, perguntou-lhe: “Quem é o meu próximo?”. Leia a resposta do Mestre em Lucas 10.30-37.

 

  1. AMOR A SI MESMO — A DIMENSÃO INTERIOR
  2. O “amor a si mesmo” reflete o amor de Deus por nós. Pode parecer estranho sugerir que o amor agapē inclui amar a si mesmo. Este amor leva-nos a preocuparmo-nos com o eu espiritual, e a buscar primeiro o Reino de Deus e sua justiça, porquanto reconhecemos ser a vida eterna mais importante do que nossa existência aqui na terra. O cristão que ama a si mesmo com amor agapē não só cuidará de suas necessidades pessoais, mas também permitirá ao Espírito Santo desenvolver o seu caráter mediante o estudo da Palavra de Deus, a oração e a comunhão com outros crentes. Ele desejará que o fruto do Espírito manifeste-se em sua vida, conformando-o à imagem de Cristo diariamente.
  3. O pecado impede que a pessoa ame a si mesma. Há indivíduos que acham difícil amar a si mesmo em virtude de erros cometidos no passado. Eles sofrem de remorso. Contudo, o amor agapē, que flui de Cristo, proporciona perdão completo a cada pecado cometido (Rm 8.1). Podemos nos olhar através da graça de Deus e contemplar homens limpos de todo o pecado, purificados pelo sangue precioso de Jesus e com uma nova natureza concedida pelo Espírito Santo. Podemos amar esta nova criatura, e transmitir esse amor aos outros.
  4. Relação entre as três dimensões do amor agapē. Estas dimensões são interdependentes. O amor que dedicamos a nós mesmos revela o nosso amor ao próximo, o qual, evidencia o nosso amor a Deus (1Jo 4.20,21). Precisamos aprender com o Espírito Santo o que significa o amor agapē. Em Efésios 5.10 está escrito para aprendermos a discernir o que é agradável ao Senhor. Como? Com o auxílio do Espírito Santo! Sem ele, podemos amar mais a glória dos homens do que a de Deus (Jo 12.43); mais as trevas do que a luz (Jo 3.19); mais a família do que Jesus (Mt 10.37); e priorizar os lugares mais importantes (Lc 11.43).

Jesus almeja que amemos as pessoas como Ele nos ama: “O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei” (Jo 15.12). Isso nunca seria possível mediante o amor humano, limitado. Entretanto, à medida que o Espírito Santo desenvolve a semelhança de Cristo em nós, aprendemos a amar como Cristo amou.

 

“Você deseja ser uma pessoa mais amorosa? Comece aceitando o seu lugar como filho muito amado: ‘Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo vos amou’ (Ef 5.1,2).

Você quer aprender a perdoar? Então pense em como você foi perdoado: ‘Sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo’ (Ef 4.32).

Você acha difícil pensar nos outros em primeiro lugar: ‘Sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus’ (Fp 2.6).

Você precisa ter mais paciência? Beba da paciência de Deus (2Pe 3.9). Será a generosidade uma virtude ilusória? Pense em como Deus foi generoso com você (Rm 5.8). Você tem dificuldade de suportar parentes ingratos ou vizinhos mal-humorados? Deus lhe suporta quando você age dessa maneira: ‘Porque ele é benigno até para com os ingratos e maus’ (Lc 6.35).Será que somos capazes de amar desta maneira?” (LUCADO, Max. Um amor que vale a pena. RJ: CPAD, 2003, p.7).

fonte www.avivamentonosul.com

 

 

 

           SUBSIDIO LIÇÕES BETEL DIREÇÃO DO ABISMO         

                                  Introdução lição n.3

Neste capítulo temos, o discurso parabólica de I. Cristo respeito a si mesmo como a porta do redil, eo pastor das ovelhas, João 10: 1-18João 10: 1-18 . II. Os vários sentimentos de pessoas que nela está, João 10: 19-21João 10: 19-21 . III. A disputa Cristo tinha com os judeus no templo na festa de dedicação, João 10: 22-39John 10: 22-39 . IV. Sua partida para o país em conseqüência disso, João 10: 40-42João 10: 40-42 .

 

versículos 1-18

O bom Pastor.

1Verily, em verdade, vos digo que aquele que não entra pela porta no aprisco das ovelhas, mas sobe por outra parte, esse é ladrão e salteador. 2 Mas o que entra pela porta é o pastor das ovelhas. 3 Para este o porteiro abre e as ovelhas ouvem a sua voz; e ele chama as suas ovelhas pelo nome e as conduz para fora. 4 E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem porque conhecem a sua voz. 5 E um estranho será que eles não seguem, mas fugirão dele, porque não conhecem a voz dos estranhos. 6 esta parábola Jesus lhes: mas eles não entenderam o que era que lhes dizia. 7 Então Jesus disse-lhes de novo: Em verdade, em verdade eu vos digo: eu sou a porta das ovelhas. 8 Todos os que vieram antes de mim são ladrões e salteadores; mas as ovelhas não lhes deram ouvido. 9 Eu sou a porta: por mim, se alguém entrar, ele será salvo, e entrará, e sairá, e achará pastagem. 10 O ladrão não vem senão a roubar, a matar, ea destruir; eu vim para que tenham vida, e que eles poderiam ter isso em abundância. 11 Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. 12 Mas o que é mercenário, e não pastor, de quem não são as ovelhas, vê vir o lobo, e deixa as ovelhas, e foge; eo lobo as arrebata e dispersa as ovelhas. 13 O mercenário foge, porque é mercenário, e não tem cuidado das ovelhas. 14 Eu sou o bom Pastor, e conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido. 15 Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai, e dou a minha vida pelas ovelhas. 16 E tenho outras ovelhas que não são deste aprisco; também me importa conduzir, e elas ouvirão a minha voz e haverá um só rebanho e um só pastor. 17 Acaso Por isso o Pai me ama, porque dou a minha vida, para que eu possa levá-la novamente. 18 Ninguém ma tira de mim, mas eu a dou por mim mesmo. Eu tenho poder para a dar, e tenho poder para tomá-la. Este mandamento recebi de meu Pai.

 

Não é certo se este discurso foi na festa da dedicação no inverno (falado de João 10:22João 10:22 ), que pode ser tomado como a data, não só do que se segue, mas do que se passa antes (o que sanciona esta é , que Cristo, em seu discurso lá, carrega na metáfora das ovelhas, João 10: 26,27 , onde parece que esse discurso e essa era, ao mesmo tempo) ou se esta era uma continuação de sua negociação com os fariseus , no final do capítulo anterior. Os fariseus-se apoiado em sua oposição a Cristo com este princípio, que eram os pastores da igreja, e que Jesus, não tendo nenhuma comissão a partir deles, era um intruso e um impostor, e, portanto, as pessoas estavam vinculados ao dever de manter a então, contra ele. Em oposição a isso, Cristo aqui descreve quem eram os falsos pastores, e que o verdadeiro, deixando-os para inferir o que eram.João 10:26 , 27

 

  1. Aqui é a parábola ou similitude proposto ( João 10: 1-5João 10: 1-5 ) que é emprestado do costume daquele país, na gestão das suas ovelhas. Símiles, usadas para a ilustração das verdades divinas, devem ser tomadas a partir dessas coisas que são mais familiar e comum, que as coisas de Deus não seja obscurecida por aquilo que deve limpá-las. O prefácio a este discurso é solene: . Em verdade, em verdade eu vos digo: - Amém, amém Esta afirmação veemente sugere a certeza e peso do que ele disse encontramos amen dobrou em louvores e orações da igreja, Salmo 41:13 , 72: 19,89: 52 . Se quisermos ter nossos améns aceito no céu, vamos Cristo améns ser predominante na terra suas repetidas améns.Salmo 41:13 , 72 :

 

  1. Na parábola, temos, (1.) A evidência de um ladrão e salteador, que vem para fazer mal ao rebanho, e os danos para o proprietário, João 10: 1John 10: 1 . Ele não entra pela porta, como não tendo causa legítima de entrada, mas sobe por outra parte, por uma janela, ou alguma brecha na muralha. Como trabalhador são pessoas más para fazerem o mal! O que parcelas imporão, o que dores que vai demorar, o que perigos eles vão correr, em suas buscas maus! Isso deveria envergonhar-nos para fora da nossa preguiça e covardia no serviço de Deus. (2.) O personagem que distingue o legítimo proprietário, que tem uma propriedade no ovelhas, e um cuidado para eles: Ele entra pela porta, como quem tem autoridade ( João 10: 2João 10: 2 ), e ele vem para fazê-las algumas boas escritório ou outro, para curar o que está quebrado, e reforçar aquilo que está doente, Ezequiel 34:16Ezequiel 34:16 . Ovelhas precisam de cuidados do homem, e, em troca, por isso, podem ser reparados ao homem ( 1 Coríntios 9: 71 Coríntios 9: 7 ) que vestir e alimentar aqueles por quem são coted e alimentados. (3.) A entrada pronto que o pastor encontra: Para este o porteiro abre, João 10: 3João 10: 3 . Antigamente eles tinham os seus currais dentro dos portões exteriores de suas casas, para a maior segurança de seus rebanhos, para que ninguém pudesse vir a eles o caminho certo, mas, como o porteiro abriu ou o dono da casa deu as chaves para. (4.) O cuidado que ele leva e da prestação que ele faz por suas ovelhas. O ovelhas ouvem a sua voz, quando ele fala familiarmente com eles, quando eles vêm para o rebanho, como os homens agora fazer para seus cães e cavalos e, o que é mais, ele chama as suas ovelhas pelo nome, de modo exato é o aviso de que ele leva deles, a conta ele mantém deles e ele leva-lhes o nosso do rebanho para as pastagens verdes e ( João 10: 4,5 ), quando ele transforma-los para fora para pastar ele não levá-los, mas (como era costume na naqueles tempos) vai adiante delas, para evitar qualquer mal ou do perigo que possam encontrá-los, e eles, sendo usado para isso, segui-lo, e são seguros. (5.) A estranha atendimento das ovelhas sobre o pastor: Eles conhecem a sua voz, de modo a discernir a sua mente por ele, e para distingui-lo de um estranho (para o boi conhece o seu possuidor, Isaías 1: 3 ) e um estranho se eles não seguem, mas, como suspeitando de algum projeto doente, fugirão dele, não sabendo a sua voz, mas que não é a voz de seu próprio pastor. Esta é a parábola temos a chave para isso, Ezequiel 34:31 : Você meu rebanho são homens, e eu sou o seu Deus.João 10: 4 , 5 Isaías 1: 3Ezequiel 34:31

 

  1. Vamos observar a partir desta parábola: (1) que os homens bons são bem ajustado em comparação com ovelhas. Os homens, como criaturas, dependendo do seu Criador, são chamados de ovelhas do seu pasto. Bons homens, como criaturas novas, tem as boas qualidades de ovelhas, inofensivo e inofensivo como ovelhas manso e tranquilo, sem ruídos paciente como ovelhas sob a mão ambos o tosquiador e do açougueiro útil e rentável, manso e dócil, para o pastor, e sociável uns com os outros, e muito usado em sacrifícios. (2.) A igreja de Deus no mundo é um curral, em que os filhos de Deus que estão dispersos estão reunidos ( João 11:52João 11:52 ), e em que eles estão unidos e incorporado é uma boa dobra, Ezequiel 34:14Ezequiel 34:14 . Veja Miquéias 2:12Micah 2:12 . Esta dobra é bem fortificada, pois Deus mesmo é como uma parede de fogo sobre ele, Zacarias 2: 5Zacarias 2: 5 . (3.) Esta aprisco encontra-se muito expostos a ladrões e salteadores sedutores astutos que debauch e enganam, e perseguidores cruéis que destroem e devoram lobos cruéis ( Atos 20:29Atos 20:29 ) ladrões que roubam as ovelhas de Cristo a partir dele, a sacrificar-los a demônios, ou roubar sua comida com eles, para que pudessem perecer por falta dela lobos em pele de cordeiro, Mateus 7:15Mateus 7:15 . (4.) O grande pastor das ovelhas cuida maravilhosa do rebanho e de tudo o que pertence a ele. Deus é o grande Pastor, Salmo 23: 1Salmo 23: 1 . Ele conhece aqueles que são seus chamadas pelo nome, marca-los para si mesmo, leva-los para pastagens de gordura, torna-os alimentos para animais e descansar lá, fala-lhes ao coração, protege-los por sua providência, orienta-los pelo seu Espírito e da palavra, e vai adiante deles, para defini-los no caminho de seus passos. (5.) a sub-pastores, que são confiados para alimentar o rebanho de Deus, deve ser cuidadoso e fiel no cumprimento dessa magistrados confiança deve defendê-los e proteger e promover todos os seus interesses seculares ministros devem servir-los em seus interesses espirituais, deve alimentar as suas almas com a palavra de Deus com fidelidade aberta e aplicada, e com as ordenanças do evangelho devidamente administrados, tendo cuidado deles. Eles devem entrar pela porta de uma coordenação regular, e como o porteiro abrirá o Espírito de Cristo se colocou diante deles uma porta aberta, dar-lhes autoridade na igreja, e garantia em seus próprios seios. Eles devem conhecer os membros de seus rebanhos por nome, e cuidar delas deve levá-los para as pastagens de ordenanças públicas, presidirá entre eles, ser a sua boca para Deus e Deus para eles e em sua conversação devem ser exemplos para os crentes. (6.) Aqueles que são verdadeiramente as ovelhas de Cristo será muito observador de seu pastor, e muito cauteloso e tímido de estranhos. [1] Eles seguem o seu pastor, porque conhecem a sua voz, tendo ambos um ouvido exigente, e um coração obediente. [2] Eles fogem de um estranho, e medo de segui-lo, porque não conhecem a sua voz. É perigoso seguir aqueles em quem não discernir a voz de Cristo, e que nos tirar da fé nele para fantasias a respeito dele. E aqueles que experimentaram o poder e eficácia das verdades divinas sobre suas almas, e têm o sabor e relish deles, tem uma sagacidade maravilhoso descobrir artimanhas de Satanás, e discernir entre o bem eo mal.

 

  1. A ignorância do judeu da deriva e significado desse discurso ( João 10: 6João 10: 6 ): Jesus falou esta parábola para eles, este figurativa, mas o discurso sábio, elegante, e instrutivo, mas eles não entenderam o que as coisas foram que ele falou-lhes: , não estavam cientes de quem ele quis dizer com os ladrões e assaltantes e quem pelo bom pastor. é o pecado e vergonha de muitos que ouvem a palavra de Cristo que eles não entendem isso, e eles não o fazem porque não vai, e porque eles vão mis-compreendê-lo. eles não têm familiaridade com, nem gosto de, as próprias coisas, e, portanto, não entendo as parábolas e comparações com as quais estão ilustradas. Os fariseus tinham uma grande vaidade do seu próprio conhecimento, e não podia suportar que ele deve ser questionado, e eles ainda não tinham senso suficiente para entender as coisas que Jesus falou que eles estavam acima de sua capacidade. Frequentemente os maiores pretendentes ao conhecimento são mais ignorante nas coisas de Deus.

 

III. Explicação de Cristo desta parábola, abrindo as particularidades-lo totalmente. Todas as dificuldades que pode haver nas palavras do Senhor Jesus, vamos encontrá-lo pronto para explicar a si mesmo, se nós ser, mas disposto a entendê-lo. Vamos encontrar uma escritura expondo os outros, eo bendito Espírito intérprete para o bendito Jesus. Cristo, na parábola, havia distinguido o pastor do ladrão por isso, que ele entra pela porta. Agora, a explicação da parábola , ele torna-se para ser a porta pela qual o pastor entra e do pastor que entra pela porta. Embora possa ser um solecismo na retórica para fazer a mesma pessoa a ser tanto a porta eo pastor, não é solecism na divindade fazer de Cristo ter a sua autoridade de si mesmo, como ele tem vida em si mesmo e se a entrar pela sua próprio sangue, como a porta, no lugar santo.

 

  1. Cristo é a porta. Isso ele diz àqueles que fingiu procurar a justiça, mas, como os sodomitas, cansaram de procurar a porta, onde não era para ser encontrado. Ele diz que para os judeus, que seria só pensavam ovelhas de Deus, e aos fariseus, que seria considerado seu único pastores: eu sou a porta das ovelhas a porta da igreja.

 

(1) Em geral, [1] Ele é como uma porta fechada, para impedir a entrada de ladrões e assaltantes, e os que não estão em condições de ser admitido. O fechamento da porta é a garantia da casa e que maior segurança tem a igreja de Deus do que a interposição do Senhor Jesus, e sua sabedoria, poder e bondade, entre ele e todos os seus inimigos? [2] Ele é como uma porta aberta para a passagem e comunicação. Primeiro, por Cristo, como a porta, temos a nossa primeira admissão para o rebanho de Deus, João 14: 6João 14: 6 . Em segundo lugar, nós entrar e sair de uma religiosa conversa, assistida por ele, aceitou nele andando para cima e para baixo em seu nome, Zacarias 10:12Zacarias 10:12 . em terceiro lugar, por ele Deus vem a sua igreja, visita-lo, e comunica-se a ela. em quarto lugar, por ele, como a porta, as ovelhas são finalmente admitido no reino celestial, Matthew 25:34Mateus 25:34 .

 

(2) Mais particularmente,

 

[1] Cristo é a porta de pastores, de modo que ninguém que não vêm em por ele devem ser contabilizadas pastores, mas (de acordo com a regra estabelecida, João 10: 1João 10: 1 ) ladrões e assaltantes (embora eles fingiram ser pastores ), mas o ovelhas não lhes deram ouvido. Isto refere-se a todos aqueles que tiveram o caráter de pastores em Israel, se magistrados ou ministros, que exerceram o seu escritório sem qualquer relação com o Messias, ou quaisquer outras expectativas dele do que o que foram sugeridos por seu próprio interesse carnal. Observe-se, primeiro, o caráter dado deles: eles são ladrões e salteadores ( João 10: 8João 10: 8 ) tudo o que foi antes dele, não no tempo, muitos deles eram pastores fiéis, mas tudo o que antecipou sua comissão, e foi antes de ele enviou eles ( Jeremias 23:21Jeremias 23:21 ), que assumiu uma precedency e superioridade sobre ele, como o anticristo é dito para exaltar-se, 2 Tessalonicenses 2: 42 Tessalonicenses 2: 4 . "Os escribas e fariseus, e dos principais dos sacerdotes, todos, tantos quantos vieram antes de mim, que têm se esforçado para Forestal meu interesse, e para evitar que o meu ganhando qualquer sala nas mentes das pessoas, por prepossessing-los com preconceitos contra mim , eles são ladrões e salteadores, e roubar aqueles corações que têm nenhum título, fraudar o proprietário do direito de sua propriedade. " Eles condenaram o nosso Salvador como um ladrão e salteador, porque ele não veio por eles como a porta, nem tirar uma licença a partir deles, mas ele mostra que eles deveriam ter recebido sua comissão a partir dele, por ter sido admitido por ele e ter vindo atrás dele, e porque não, mas deu um passo à sua frente, eles eram ladrões e assaltantes. eles não vêm em como seus discípulos, e, portanto, foram condenados como usurpadores, e as suas comissões fingiam desocupado e substituído. Note, rivais com Cristo são ladrões de sua igreja, no entanto eles fingem ser pastores, nay, pastores de pastores. Em segundo lugar, os cuidados tomados para preservar a ovelha deles: mas as ovelhas não lhes deram ouvido. Aqueles que tinha um verdadeiro sabor de piedade, que estavam espiritual e celestial, e sinceramente devotados a Deus e à piedade, não seria capaz de aprovar o tradições dos anciãos, nem saborear as suas formalidades. Os discípulos de Cristo, sem quaisquer instruções específicas do seu Mestre, não fez nenhuma consciência de comer sem lavar as mãos, ou tirar as espigas de milho no dia de sábado para nada é mais contrário ao Cristianismo verdadeiro do que o farisaísmo é, nem coisa mais disrelishing a uma alma verdadeiramente devotos do que suas devoções hipócritas.

 

[2] Cristo é a porta de ovelhas ( João 10: 9João 10: 9 ): Por mim ( di emou - através de mim quando a porta) se alguém entrar no aprisco das ovelhas, como um dos do bando, ele será salvo deve não só por a salvo de ladrões e assaltantes, mas ele deve estar feliz, ele . deverão entrar e sair Aqui estão, em primeiro lugar, as direções Plain como entrar no rebanho: é preciso entrar por Jesus Cristo como a porta. Pela fé nele, como o grande Mediador entre Deus eo homem, entramos em aliança e comunhão com Deus. Não há nenhuma entrada na igreja de Deus, mas ao entrar em igreja de Cristo, nem são qualquer encarado como membros do reino de Deus entre os homens, mas aqueles que estão dispostos a submeter-se a graça e do governo do Redentor. Temos agora de entrar pela porta da fé ( Atos 14:27Atos 14:27 ), uma vez que a porta da inocência está fechado contra nós, e que passam tornar intransponível, Genesis 3:24Genesis 3:24 . Em segundo lugar, promessas precioso para aqueles que observam nesse sentido. 1. Eles devem ser guardados a seguir este é o privilégio de sua casa. Estas ovelhas se salvou de ser penhorados e apreendido pela justiça divina para trespasse feito, a satisfação de ser feito para o dano por sua grande Pastor, salvou de ser uma presa para o leão rujir eles serão para sempre feliz. 2. Nesse meio tempo, devem entrar e sair e achará pastagem este é o privilégio de seu caminho. Eles terão a sua conversa no mundo pela graça de Cristo, haverá na sua dobra como um homem em sua própria casa, onde ele tem a entrada livre, saída, e regredir. Os verdadeiros crentes estão em casa em Cristo quando eles saem, eles não são excluídos como estranhos, mas têm liberdade para entrar novamente quando eles chegam, eles não estão fechadas em como invasores, mas tem liberdade para sair. Eles saem para o campo na parte da manhã, eles vêm para o rebanho durante a noite e em ambas as pontas de pastor e mantém-los, e eles encontrará pastagem em ambos: a grama no campo, forragem na dobra. Em público, em privado, eles têm a palavra de Deus para conversar com, pelo qual sua vida espiritual é apoiado e nutrido, e dos quais os seus desejos graciosas estão satisfeitos eles são reabastecidos com a bondade da casa de Deus.

 

  1. Cristo é o pastor, João 10:11João 10:11 , & c. Ele foi profetizou sob o Antigo Testamento como um pastor, Ez. xxxiv. 23 xxxvii. 24 Zech. xiii. 7. No Novo Testamento ele é falado de como o grande Pastor ( Hebreus 13:20Hebreus 13:20 ), o chefe Pastor ( 1 Pedro 5: 41 Pedro 5: 4 ), o Pastor e Bispo das nossas almas, 1 Pedro 2:251 Pedro 2:25 . Deus, nosso grande proprietário, as ovelhas do pasto cuja somos pela criação, constituiu seu Filho Jesus para ser nosso pastor e aqui novamente e novamente ele possui a relação. Ele tem tudo que os cuidados de sua igreja, e cada crente, que um bom pastor tem do seu rebanho e espera que tudo o que atendimento e observância da igreja, e cada crente, que os pastores nesses países tiveram de seus rebanhos.

 

(1.) Cristo é um pastor, e não como o ladrão, não como aqueles que não entrou pela porta. Observe-se,

 

[1] O projeto travesso do ladrão ( João 10:10João 10:10 ): O ladrão não vem com qualquer boas intenções, mas para roubar, matar e destruir. Em primeiro lugar, aqueles que eles roubam, cujos corações e afetos que roubar de Cristo e seus pastos, eles matar e destruir espiritualmente para as heresias que privily trazem são condenáveis. Enganadores de almas são assassinos de almas. Aqueles que roubar a escritura, mantendo-o em uma língua desconhecida, que roubar os sacramentos por mutilando-os e alterando a propriedade deles, que roubar ordenanças de Cristo para colocar suas próprias invenções no quarto deles, eles matar e destruir a ignorância e idolatria são coisas destrutivas. em segundo lugar, as pessoas que elas não podem roubar, a quem eles não podem nem chumbo, conduzir, nem levar embora, do rebanho de Cristo, que visam por perseguições e massacres para matar e destruir corporalmente. Aquele que não vai sofrer se a ser roubado está em perigo de ser morto.

 

[2] O design gracioso do pastor que ele está vindo,

 

Em primeiro lugar, Para dar vida às ovelhas. Em oposição ao projeto do ladrão, que é o de matar e destruir (que era o design dos escribas e fariseus ) diz Cristo, vim entre os homens, 1. Que tenham vida. Ele veio para colocar a vida para o rebanho, a igreja em geral, que parecia um pouco como um vale de ossos secos do que como um pasto coberto com rebanhos. Cristo veio para vindicar verdades divinas, para purificar leis divinas, para corrigir injustiças, e para reavivar morrendo zelo, para buscar os de seu rebanho que foram perdidos, para curar o que está quebrado ( Ezequiel 34:16Ezequiel 34:16 ), e esta ao seu igreja é como a vida dos mortos. Ele veio para dar vida aos crentes particulares. A vida é inclusiva de todo o bem, e está em oposição à morte ameaçada ( Gênesis 2:17Gênesis 2:17 ) que pudéssemos ter vida, como um criminoso tem quando ele está perdoado, como um homem doente quando ele está curado, um homem morto quando ele é levantada de que fôssemos justificados, santificados e, finalmente glorificado. 2. Que eles possam tê-la mais abundantemente, kai perisson echosin . À medida que lê-lo, é comparativa, para que tenham uma vida mais abundante do que o que foi perdido e perdido pelo pecado, mais abundante do que o que foi prometido pela lei de Moisés, o comprimento dos dias em Canaã, mais abundante do que poderia ter sido o esperado ou do que somos . capaz de pedir ou pensar Mas pode ser interpretada sem uma nota de comparação, para que tenham abundância, ou pode . tenham em abundância Cristo veio para dar vida e perisson ti - algo mais, algo melhor, vida com vantagem de que em Cristo não só pode viver, mas viver confortavelmente, viver abundantemente, ao vivo e se alegrar. Vida em abundância é a vida eterna, a vida sem morte ou medo da morte, vida e muito mais.

 

Em segundo lugar, para dar a sua vida pelas ovelhas, e isso que ele pode dar vida a eles ( João 10:11João 10:11 ): O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. 1. É a propriedade de todo bom pastor para o perigo e expor a sua vida pelas ovelhas. Jacob fez, quando ele iria passar por tal fadiga para atendê-los, Genesis 31:40Gênesis 31:40 . Assim fez David, quando ele matou o leão eo urso. Tal pastor de almas era St. Paul, que de bom grado gastar e ser gasto, para o seu serviço, e não contou sua vida caro a ele, em comparação com a sua salvação . Mas, 2. Foi a prerrogativa de o grande Pastor dar a sua vida para comprar o seu rebanho ( Atos 20:28Atos 20:28 ), para satisfazer a sua transgressão, e derramou seu sangue para lavar e limpar-los.

 

(2.) Cristo é um bom pastor, e não como um mercenário. Havia muitos que não eram ladrões, com o objetivo de matar e destruir as ovelhas, mas passou por pastores, ainda eram muito descuidados no cumprimento do seu dever, e através de sua negligência do rebanho foi muito danificado pastores tolas, pastores ociosas, Zacarias 11:15 , 17Zacarias 11: 15,17 . Em oposição a estes,

 

[1] Cristo aqui se chama o bom pastor ( João 10:11João 10:11 ), e de novo ( João 10:14João 10:14 ) poimen ho kalos ho - o pastor, que o bom pastor, a quem Deus havia prometido. Nota, Jesus Cristo é o melhor dos pastores, o melhor do mundo para levar a visão over-das almas, nenhum tão forte, tão fiel, tão terno, como ele, não existe tal alimentador e líder, há tal protetor e curador de almas como ele.

 

[2] Ele prova-se assim, em oposição a todos os mercenários, João 10: 12-14João 10: 12-14 . Onde observar,

 

Em primeiro lugar, o descuido do pastor infiel descrito ( João 10: 12,13 ) o que é mercenário, que é empregada como um servo e é pago para suas dores, cujas as ovelhas não são, que tem nem lucro nem perda por -los, vê vir o lobo, ou algum outro perigo que ameaça, e deixa as ovelhas ao lobo, pois na verdade ele não tem cuidado para eles. Aqui está clara referência ao do ídolo-pastor, Zacarias 11:17 . Maus pastores, magistrados e ministros, são aqui descritos, tanto por seus maus princípios e suas práticas ruins.João 10:12 , 13Zacarias 11:17

 

  1. Seus maus princípios, a raiz de suas más práticas. O que torna aqueles que têm o encargo de almas em tempos difíceis para trair sua confiança, e em tempos calmos para não se importa isso? O que os torna falso e trivial, e auto-seeking? É porque eles são mercenários, e não se importa com as ovelhas. Ou seja, ( a. ) A riqueza do mundo é o principal do seu bom é porque eles são mercenários. Eles se comprometeram escritório dos pastores, como um comércio para viver e crescer rico, e não como uma oportunidade de servir a Cristo e fazer o bem. É o amor de dinheiro, e de suas próprias barrigas, que transporta-los em nele. Não que esses são mercenários que, enquanto eles servem no altar, viver, e viver confortavelmente, sobre o altar. O trabalhador é digno do seu alimento e uma manutenção escandalosa em breve fazer um ministério escandalosa. Mas esses são mercenários que amam o salário mais do que o trabalho, e definir o seu coração em cima de que, como o mercenário é dito para fazer, Deuteronômio 24:15Deuteronômio 24:15 . Veja Isa. lvi. 11 Mic. III. 5,11. ( B. ) O trabalho do seu lugar é o menor dos seus cuidados. Eles não valorizam as ovelhas, não se preocupam nas almas dos outros o seu negócio está a ser "senhores, não seus irmãos de seus irmãos guardiões ou ajudantes que procuram suas próprias coisas, e não fazer, como Timóteo, cuide do estado de almas . o que pode ser esperado, mas que eles vão fugir quando o lobo vem. ele não tem cuidado com as ovelhas, pois ele é um cujas as ovelhas não são. Em um aspecto, podemos dizer do melhor dos sub-pastores que as ovelhas são não a sua própria, eles não têm domínio sobre eles não propriedade neles ( apascenta as minhas ovelhas e as minhas ovelhas, diz Cristo), mas no que diz respeito dearness e afeto que deve ser a sua própria. Paul olhou para aqueles que como seu próprio quem ele chamou o seu amados e saudosos. Aqueles que não cordialmente defendem os interesses da igreja, e torná-los seus próprios, não será por muito tempo ser fiel a eles.

 

  1. As más práticas, o efeito desses maus princípios, João 10:12João 10:12 . Veja aqui, ( a. ) Como basely o mercenário abandona seu posto quando vê vir o lobo, embora então não há mais necessidade dele, ele abandona as ovelhas e foge. Note, Aqueles que a mente a sua segurança mais do que o seu dever é um presa fácil às tentações de Satanás. ( B. ) Como fatal são as consequências! o mercenário imagina as ovelhas podem olhar para si mesmos, mas não prova isso: o lobo pega-los, e dispersa as ovelhas, e estragos lamentável é feita do rebanho, que serão todos cobrada no momento o pastor traiçoeiro. O sangue das almas que perecem é necessária no lado do vigias descuidado.

 

Em segundo lugar, Veja aqui a graça ea ternura do Bom Pastor colocado contra o primeiro, como era na profecia ( Ezequiel 34: 21,22 ., & C): Eu sou o bom pastor. É questão de conforto para a igreja e todos os seus amigos, que, no entanto, ela pode ser danificado e ameaçada pela traição e má gestão de seu sub-oficiais, o Senhor Jesus é, e será, como sempre tem sido, o bom pastor. Aqui são dois grandes exemplos da bondade do pastor.Ezequiel 34:21 , 22

 

. a Sua familiarizar -se com o seu rebanho, com tudo o que pertence ou de qualquer appertain sábio para seu rebanho, que são de dois tipos, ambos conhecidos por ele: -

 

( A. ) Ele está inteirado de tudo quanto está agora do seu rebanho ( João 10: 14,15 ), como o Bom Pastor ( João 10: 3,4 ): . Eu conheço as minhas ovelhas e das minhas sou conhecido nota, há é um conhecimento mútuo entre Cristo e os verdadeiros crentes que conhecem um ao outro muito bem, e conhecimento observa carinho.João 10:14 , 15João 10: 3 , 4

 

[ A. ] Cristo conhece as suas ovelhas. Ele sabe com um distintivo do olho que são as suas ovelhas, e quem não conhece as ovelhas sob suas muitas enfermidades, e as cabras sob seus disfarces mais plausíveis. Ele sabe com um favorável olho aquelas que na verdade são as suas ovelhas, ele toma conhecimento de seu estado, se preocupa por eles, tem um concurso e afetuosa relação a eles, e está continuamente atento a elas na intercessão que ele vive sempre para dentro o véu ele visita-los graciosamente pelo seu Espírito, e tem comunhão com eles, ele conhece -los, isto é, ele aprova e aceita deles, como Êxodo. xxxiii. 17.

 

[ B. ] Ele é conhecido deles. Ele observa-los com um olho de favor, e eles observá-lo com os olhos da fé. Sabendo as suas ovelhas de Cristo é colocada diante de sua conhecê-lo, pois ele conhecia e nos amou primeiro ( 1 João 4:191 João 4:19 ), e ele não é tanto o nosso conhecê-lo como nosso ser conhecido dele que é a nossa felicidade, Gálatas 4: 9Gálatas 4: 9 . No entanto, é o caráter das ovelhas de Cristo que elas conhecem-no conhecê-lo de todos os pretendentes e intrusos que conhecem sua mente, conhecem a sua voz, sei por experiência própria o poder de sua morte. Cristo fala aqui como se vangloriou de ser conhecido por suas ovelhas, e achei o seu respeito uma honra para ele. Nesta ocasião Cristo menciona ( João 10:15João 10:15 ), o conhecimento mútuo entre seu pai e ele próprio: . Assim como o Pai me conhece a mim, também eu conheço o Pai Agora, isso pode ser considerado, também, Em primeiro lugar, como o solo desse conhecimento íntimo e relação que subsiste entre Cristo e os crentes. O pacto da graça, que é o vínculo dessa relação, é fundada no pacto da redenção entre o Pai eo Filho, que, podemos ter certeza, se mantém firme para o Pai eo Filho se entendiam muito bem nesse assunto , e pode haver nenhum erro, o que pode deixar o assunto a qualquer incerteza ou colocá-lo em qualquer risco. O Senhor Jesus sabe que ele escolheu, e é certo deles ( João 13:18João 13:18 ), e eles também sabem que eles têm confiado, e temos a certeza de ele ( 2 Timóteo 1:122 Timóteo 1:12 ), e o chão de ambos é o perfeito conhecimento que o Pai eo Filho tinha de uma mente de outra pessoa, quando o conselho de paz foi entre os dois. Ou, segundo lugar, Como uma similitude apt, que ilustra a intimidade que é entre Cristo e os crentes. Pode ser ligado com as palavras anteriores, assim: eu conheço as minhas ovelhas, e das minhas sou conhecido, assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai compare João 17:21João 17:21 . 1. Como o Pai sabia o Filho, e o amava, e de propriedade dele em seus sofrimentos, quando ele foi levado como a ovelha ao matadouro, assim Cristo conhece as suas ovelhas, e tem um olho concurso atento sobre eles, estará com eles quando são deixados sozinhos, como seu pai estava com ele. 2. Como o Filho conheceu o Pai, amou e obedeceu, e sempre fez o que lhe agradavam, confiando nele como seu Deus, mesmo quando ele parecia abandoná-lo, de modo que os crentes conhecem a Cristo com uma relação fiducial obediential.

 

( B. ) Ele está familiarizado com aqueles que são a seguir ser deste rebanho ( João 10:16João 10:16 ): Ainda tenho outras ovelhas, têm o direito de e um interesse em, que não são deste aprisco, da igreja judaica -los também devo conduzir. Observe-se,

 

[ A. ] O olho que Cristo tinha para os gentios pobres. Ele às vezes tinha intimado a sua preocupação especial para as ovelhas perdidas da casa de Israel para eles, na verdade seu ministério pessoal foi confinado, mas, diz ele, eu tenho outras ovelhas. Aqueles que no decorrer do tempo deve acreditar em Cristo, e ser trazidos para a obediência a ele, dentre os gentios, aqui chamado de ovelhas, e ele diz-se que eles, embora ainda fossem desnecessário, e muitos deles ainda não nasceu, porque eles foram escolhidos de Deus, e dado a Cristo nos conselhos do amor divino desde a eternidade. Cristo tem o direito, em virtude da doação do Pai ea sua própria compra, para muitos uma alma da qual ele ainda não tem a posse, assim, ele tinha muita gente em Corinto, quando ainda jazia na maldade, Atos 18:10Atos 18:10 . "Aqueles outras ovelhas que eu tenho, " diz Cristo, "eu tê-los em meu coração, tê-los no meu olho, estou tão certo de tê-los como se eu tivesse já." Agora Cristo fala daqueles outras ovelhas, primeiro, Para retirar o desprezo que foi colocado sobre ele, como tendo poucos seguidores, como tendo, mas um pequeno rebanho, e, portanto, se um bom pastor, mas um pobre pastor: "Mas" diz ele, "eu tenho mais ovelhas do que você vê." Em segundo lugar, para derrubar o orgulho e vanglória dos judeus, que pensaram que o Messias deve reunir todas as suas ovelhas do meio deles. "Não", diz Cristo, "Eu tenho outros que porei com os cordeiros do meu rebanho, embora você desdém para defini-los com os cães do seu rebanho."

 

[ B. ] Os propósitos e resoluções da sua graça que lhes dizem respeito: " Eles também me importa conduzir, levar para casa para Deus, levar para a igreja, e, para isso, levar a cabo a partir de sua vã maneira de viver, trazê-los de volta a partir de sua peregrinações, como a ovelha perdida, " Lucas 15: 5Lucas 15: 5 . Mas por que deve ele trazê-los? ? Qual foi a necessidade Primeiro, A necessidade de o seu caso requer-se: "Eu deve trazer, ou eles devem ser deixados a vagar eternamente, pois, como ovelhas, eles nunca vão voltar de si, e nenhum outro pode ou vai trazê-los . " em segundo lugar, a necessidade de seus próprios compromissos necessários que ele deve trazê-los, ou ele não seria fiel a sua confiança, e fiel ao seu compromisso. "Eles são meu próprio, comprado e pago, e, portanto, não deve negligenciá-los ou deixá-los perecer." Ele deve , em honra trazer aqueles com quem ele foi confiado.

 

[ C. ] O efeito feliz e consequência disto, em duas coisas: - Em primeiro lugar, "Eles ouvirão a minha voz Não só a minha voz será ouvida. Entre eles (ao passo que não ouviram, e, portanto, não podia acreditar que, agora o som do evangelho deve ir até os confins da terra ), mas deve ser ouvido por eles falarei, e dar a eles para ouvir. " A fé vem pelo ouvir, e nossa observância diligente da voz de Cristo é ao mesmo tempo um meio e uma evidência do nosso ser levados a Cristo ea Deus por ele. Em segundo lugar, deve haver um só rebanho e um só pastor. Como não há um só pastor , então haverá um só rebanho. Ambos os judeus e gentios, sobre a sua viragem para a fé de Cristo, deve ser incorporado em uma igreja, ser participantes conjunta e paritária nos privilégios de que, sem distinção. Estar unidos a Cristo, eles devem unir nele duas varas serão uma só na mão do Senhor. Note, um pastor faz um dobre um Cristo torna uma igreja. Como a igreja é um em sua constituição, sujeita a uma só cabeça, animada por um Espírito, e guiada por uma regra, de modo que os membros do que deveria ser um em amor e carinho, Efésios 4: 3-6Efésios 4: 3-6 .

 

. b de Cristo oferecendo-se a si mesmo por suas ovelhas é mais uma prova de que ele é um bom pastor, e nisso ele ainda mais elogiado seu amor, João 10:15 , 17 , 18João 10: 15,17,18 .

 

( A. ) Ele declara seu propósito de morrer pelo seu rebanho ( João 10:15João 10:15 ): eu dou a minha vida pelas ovelhas. Ele não apenas arriscado a vida por eles (em tal caso, a esperança de salvar pode equilibrar o medo de perdê-lo ), mas na verdade ele depositou -lo, e submetidos a uma necessidade de morrer para a nossa redenção tithemi - eu colocá-lo como um peão ou promessa de compra e dinheiro pago para baixo. Ovelhas para o matadouro, pronto para ser sacrificado, foram resgatados com o sangue do pastor. Ele deu a sua vida, hiper probaton tonelada , não só para o bem das ovelhas, mas em seu lugar. Milhares de ovelhas tinha sido oferecido em sacrifício por seus pastores, como oferta pelo pecado, mas aqui, por um reverso surpreendente, o pastor é sacrificado pelas ovelhas. Quando Davi, o pastor de Israel, foi-se culpado, e o anjo destruidor sacou a espada contra o rebanho por causa dele, com razão que ele defenda, estas ovelhas, que o mal que eles fizeram? Seja a tua mão contra mim, 2 Samuel 24:172 Samuel 24:17 . Mas o Filho de Davi tinha pecado e impecável e suas ovelhas, que mal se eles não fez? No entanto, ele diz, que a tua mão contra mim. Cristo aqui parece referir-se que a profecia, Zacarias 13:17Zacarias 13:17 , Desperta, ó espada, contra o meu pastor e, embora a matança do pastor ser para o presente a dispersão do rebanho , é de modo a recolha de las.

 

( . B ) Ele tira o escândalo da cruz, o que para muitos é uma pedra de tropeço, por quatro considerações: -

 

[ A. ] Que a sua , que estabelece a sua vida pelas ovelhas era a condição, o desempenho de que o direito de as honras e poderes de seu estado exaltado ( João 10:17João 10:17 ): " Por isto o Pai me ama, porque dou . a minha vida Após estes termos estou, como Mediador, que esperar aceitação e aprovação de meu Pai, ea glória me projetado - que eu me torne um sacrifício para o remanescente escolhido ". Não, mas que, como o Filho de Deus, ele era amado de seu Pai desde a eternidade, mas como homem-Deus, como Emanuel, ele era , portanto, amados do Pai, porque ele se comprometeu a morrer pelas ovelhas, portanto, a alma de Deus satisfeitos nele como seus eleitos, porque aqui ele era seu servo fiel ( Isaías 42: 1Isaías 42: 1 ), portanto, ele disse: este é o meu Filho amado. o que uma instância é essa do amor de Deus ao homem, que ele amava seu filho mais por nos amar! Veja o que um valor Cristo põe em cima do amor do Pai, que, para recomendar-se a isso, ele dá a sua vida pelas ovelhas. Será que ele acha que recompensa o amor de Deus suficiente para todos os seus serviços e sofrimentos, e devemos pensar que muito pouco para o nosso, e quadra os sorrisos do mundo para torná-lo acima? Por isto o Pai me ama, ou seja, comigo, e tudo que pela fé se tornar um comigo mim, e o corpo místico, porque dou a minha vida.

 

[ . B ] Que a sua, que estabelece a sua vida estava em ordem à sua retomá-la: eu dou a minha vida para que eu possa recebê-la novamente. Em primeiro lugar, este foi o efeito do amor de seu Pai, e o primeiro passo de sua exaltação, o fruto desse amor. Porque ele era de Deus santo, ele não deve ver a corrupção, o Salmo 16:10Salmo 16:10 . Deus o amava muito bem para deixá-lo na sepultura. Em segundo lugar, este tinha em seu olho, em que estabelece sua vida, que ele poderia ter uma oportunidade de se declarar ser o Filho de Deus com poder pela sua ressurreição, Romanos 1: 4romanos 1 : 4 . Por um estratagema divina (assim antes Ai, Joshua 08:15Josué 08:15 ) cedeu à morte, como se ele estivesse ferido diante dele, que ele poderia mais gloriosamente vencer a morte, e triunfo sobre a sepultura. Ele estabeleceu um difamado corpo, para que ele pudesse assumir uma glorificado um, apto para ascender ao mundo dos espíritos previstas uma vida adaptados a este mundo, mas assumiu um adaptado para o outro, como um grão de trigo, João 12:24João 12:24 .

 

[ C. ] Que ele era perfeitamente voluntária em seus sofrimentos e morte ( João 10:18João 10:18 ): "Ninguém Acaso ou pode forçar-me a vida contra a minha vontade, mas eu livremente dou por mim mesmo, eu entregá-lo como meu próprio ato e ação, porque eu tenho (que nenhum homem tem) poder para colocá-lo para baixo, e levá-la novamente. "

 

1º, Veja aqui o poder de Cristo, como Senhor da vida, em particular de sua própria vida, o que ele tinha em si mesmo. 1. Ele tinha poder para manter sua vida contra todo o mundo, de modo que ele não podia ser arrancada dele sem o seu próprio consentimento. Embora a vida de Cristo parecia estar tomado de assalto, mas realmente isso foi entregue, caso contrário ele tinha sido inexpugnável, e nunca tomadas. O Senhor Jesus não cair nas mãos de seus perseguidores, porque não podia evitá-lo, mas atirou-se em suas mãos, porque sua hora havia chegado. Ninguém a tira-me a vida. Este foi um desafio como nunca foi dada pelo herói mais ousada. 2. Ele tinha o poder de dar a vida. (1) Ele tinha a capacidade de fazê-lo. Ele poderia, quando quisesse, deslizar o nó de união entre alma e corpo, e, sem qualquer ato de violência feito para si mesmo, poderia desprender-los uns dos outros: ter voluntariamente tomado um corpo, ele poderia voluntariamente colocá-lo para baixo novamente, que apareceu quando ele clamou com grande voz, e entregou o espírito. (2.) Ele tinha autoridade para fazê-lo, exousian . Embora nós poderíamos encontrar instrumentos de crueldade, com o qual fazer um fim de nossas próprias vidas, mas Id possumus quod jure possumus -. Podemos fazer isso, e que só, o que podemos fazer legalmente Nós não têm a liberdade de fazer isso, mas Cristo tinha uma autoridade soberana de dispor da sua própria vida como quisesse. Ele não era um devedor (como somos), quer para a vida ou a morte, mas perfeitamente juris sui. 3. Ele tinha poder para tomá-la não temos. A nossa vida, uma vez estabelecido, é como água derramada no chão , mas Cristo, quando ele deu a sua vida, ainda tinha ao seu alcance, dentro de chamada, e pode retomá-lo. Partindo com ele por um meio de transporte voluntária, ele pode limitar a rendição à vontade, e ele fez isso com uma potência de revogação, que era necessário para preservar as intenções da rendição.

 

2ndly, Veja aqui a graça de Cristo, uma vez que nenhum poderia exigir sua vida dele por lei, ou extorquir-lo pela força, ele colocou-a de si mesmo, para nossa redenção. Ele ofereceu-se para ser o Salvador: Eis-me aqui e, em seguida, a necessidade de nosso caso chamando para ele, ele ofereceu-se para ser um sacrifício: Eis-me aqui, deixai ir estes maneira pela qual vontade temos sido santificados, Hebreus 10:10Hebreus 10 : 10 . Ele era tanto o ofertante ea oferta, de modo que a sua, que estabelece sua vida foi sua oferta a si mesmo.(notas comentário Mattew Henrys,de João 10.)

 

 

 

 

 SUBSIDIO BETEL A TECNOLOGIA LIÇÃO N.1

Daniel 12.4; Salmos 101.2-4; Deuteronômio 7.26.

 

SUBSIDIO N.1 

Daniel 12

4 - E tu, Daniel, fecha estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e a ciência se multiplicará.

Salmo 101

2 - Portar-me-ei com inteligência no caminho reto. Quando virás a mim? Andarei em minha casa com um coração sincero.

3 - Não porei coisa má diante dos meus olhos; aborreço as ações daqueles que se desviam; nada se me pegará.

4 - Um coração perverso se apartará de mim; não conhecerei o homem mau.

Deuteronômio 7

26 - Não meterás, pois, abominação em tua casa, para que não sejas anátema, assim como ela; de todo a detestarás e de todo a abominarás, porque anátema é.

 

Professor, atualmente já se trabalha na educação secular com um conceito denominado “educomunicação”, que consiste em ações de cunho pedagógico que possuem o objetivo de oferecer ferramentas para a decodificação e avaliação crítica da mídia (jornais, revistas, televisão, rádio etc). Não se trata do uso didático de conteúdos veiculados pelos diferentes meios, mas sim do processo de análise e/ou de produção de materiais de comunicação como instrumentos de ensino e formação de cidadãos. Você, professor, precisa ensinar seus alunos a analisarem os conteúdos, mensagens e imagens veiculadas pela mídia, mas também a produzirem mídia. Afinal, esta também pode ser uma poderosa ferramenta para a pregação do evangelho.

 

ORIENTAÇÃO 

Professor, confronte com sua turma as diferenças existentes entre a igreja e a mídia atual, utilizando o gráfico abaixo. Reproduza a tabela de acordo com os recursos disponíveis em sua igreja. Depois de ministrar o tópico “A mídia visual e seus programas perniciosos”, apresente o gráfico aos alunos. 

 

 Palavra Chave

Mídia Visual: Cinema, televisão, vídeo, internet e as novas formas de tecnocultura, como os vídeo games interativos. 

O século XX trouxe ao mundo mais invenções e projetos tecnológicos do que qualquer outra época da História. A tecnologia atingiu um ponto tão alto na evolução material, que a ciência vem sendo endeusada em todo o mundo. E a igreja? Pode usufruí-la? Claro que sim. Entretanto, mesmo desfrutando de diversos recursos tecnológicos, a igreja jamais deve abandonar a unção e a dependência de Deus.

 

  1. A MÍDIA VISUAL E SEUS PROGRAMAS PERNICIOSOS 
  1. O mau uso do vídeo em geral. Vejamos alguns problemas relacionados à televisão:
  2. a) A TV estimula a violência. Uma pesquisa mostrou que uma criança, no Brasil, ao completar 14 anos, já terá assistido 11.000 crimes na TV. Em 200 horas de programação, são vistas 30 mortes cruéis; 1.018 lutas monstruosas e animalescas; 3.592 acidentes; 32 roubos; 616 cenas de uso criminoso de armas; 57 sequestros; 410 trapaças; 86 casos de chantagens e 321 aparições de monstros pavorosos e infernais.
  3. b) A TV estimula o pecado. É comum cenas de insinuação sexual, no vídeo em geral, ensinando e estimulando a prostituição, o adultério, a fornicação e o homossexualismo. A Bíblia afirma que não devemos pôr coisa má diante de nós (Sl 101.2-4).
  4. c) A TV modifica a visão das coisas. Principalmente nas novelas, aquilo que é certo, como o amor conjugal verdadeiro e a pureza, são vistos como algo ultrapassado. Casais, famílias, lares felizes e abençoados jamais aparecem no vídeo, nos romances e nas revistas. O materialismo é apresentado como algo muito nobre e elevado, entretanto a Palavra de Deus adverte: “Ai dos que ao mal chamam bem...” (Is 5.20,21).

Sim, o cinema e o vídeo tornaram-se uma escola de crimes, imoralidade, desrespeito, rebelião e vício. As Escrituras sustentam: “Não meterás, pois, abominação em tua casa...” (Dt 7.26).

  1. A mídia visual e o lar cristão. Se os pais ou responsáveis não conseguem controlar e supervisionar o que os filhos vêem na televisão, é preferível não possuir o aparelho, vídeo ou DVD. Ou a família, controla a TV, ou será controlada por ela (Dt 7.26). Temos de nos posicionar como o salmista: “Não porei coisa má diante de meus olhos” (Sl 101.3). Diante disso, as famílias cristãs devem observar duas coisas importantes:
  2. a) O culto doméstico diário (Dt 11.18-21). Esse é um poderoso recurso espiritual para unir a família em torno do Senhor, através da oração, adoração e meditação na Palavra. Com apenas 15 minutos diários, os pais podem estar com os filhos, louvando a Deus, lendo sua Palavra e orando com e por toda a família. A ação do Espírito Santo durante o culto doméstico é marcante na infância, especialmente por ajudar na abstenção dos programas de vídeo imorais, violentos e ocultistas.
  3. b) A dedicação aos filhos. Os filhos são heranças do Senhor (Sl 127.3), Portanto, preciosos (Jr 31.20). Há pais cristãos que não dispensam aos filhos o necessário cuidado e atenção. Por isso, o Diabo, valendo-se da omissão paterna ou materna, tem procurado preencher essa lacuna com falsas amizades e programas televisivos altamente perniciosos.O uso da televisão pode ocasionar vários problemas à igreja e à família: estimular a violência, o pecado e modificar os padrões de certo e errado.

 

  1. A INTERNET E SUAS AMEAÇAS À FAMÍLIA CRISTà
  1. Presente em toda a parte. A vida moderna está vinculada à informação e à imagem. A cultura secular tornou-se mais visual do que dialógica, e a internet é uma das grandes representantes dessa nova cultura que une comunicação, tecnologia e representação gráfica. A tecnologia da informação, por exemplo, tomou conta de todas as áreas da vida moderna. Em certo sentido, trata-se do cumprimento da profecia de Daniel 12.4: “... e a ciência se multiplicará”. Portanto, é um grande desafio para a família saber usar e controlar os meios de comunicação, a partir do lar, nesses tempos difíceis e trabalhosos.
  2. Ameaça para a família. O FBI (polícia federal norte-americana) elaborou, recentemente, um “Guia de Proteção para as Crianças ante a Rede Mundial de Computadores”. Este documento visa alertar os pais para o perigo de deixarem seus filhos à mercê do conteúdo da internet sem o indispensável acompanhamento. O texto diz que muitas crianças, adolescentes e jovens são induzidas à prostituição e ao relacionamento sexual promíscuo, sem que os pais o percebam. Além disso, muitos casamentos estão sendo destruídos pelo uso pecaminoso e pornográfico da internet. É a tecnologia a serviço do Diabo.A internet, bem como outros meios, encerra em si uma grande contradição, porquanto pode ser um instrumento profícuo para a propagação do evangelho e uma enorme ameaça à família.
  3.  

III. VENCENDO O MAU USO DA TECNOLOGIA 

Como evitar a má utilização da tecnologia? Vejamos:

  1. Examinando tudo, mas só retendo o bem. “Examinai tudo. Retende o bem” (1 Ts 5.21). Aqui, o cristão é convocado a discernir a cultura de seu tempo, e reter somente aquilo que é bom, santo, agradável, justo e útil (1 Co 6.12; 10.23).
  2. Valorizando o que é correto. Nem tudo é imundície ou trevas nos meios de comunicação. Há muita coisa útil, até mesmo para a vida cristã. Na internet, por exemplo, há estudos bíblicos e mensagens que, antes, ficavam ao alcance apenas dos eruditos. Todavia, precisamos examinar todas as coisas com muito cuidado e discernimento. (1 Co 2.15).
  3. Avaliando aquilo que deve ocupar a nossa mente. Paulo, em sua carta aos Filipenses, capítulo 4, versículo 8, dá-nos uma sábia orientação quanto ao que devemos acolher em nosso coração, ou em nossa mente.Para resistirmos à influência da tecnologia, precisamos examinar tudo e reter o bem, valorizar o que é certo e avaliar aquilo que deve ocupar a nossa mente.

 

A tecnologia não é um fim, mas um meio a serviço do homem. Cabe aos cristãos discernir entre o bem e o mal. Tudo o que é útil e proveitoso, o Diabo tenta destruir, inclusive vidas. Porém, com o poder de Deus, podemos vencer os desafios do mal (Fp 4.13). 

VOCABULÁRIO 

Comunicação de massa: Comunicação social dirigida a uma ampla faixa de público.

Dialógico: Relativo a diálogo; comunicação que se realiza por meio da empatia, discernimento e ética.

Discernente: Que discerne; discernidor; crítico de sua cultura. 

 

                        “Cultura Popular e Mídia 

Graças à tecnologia moderna das comunicações, a cultura popular tornou-se incomodamente penetrante. A cultura popular está em todas as partes, moldando os nossos gostos, linguagem e valores. Hoje a cultura popular aparece em cada cartaz, grita da televisão em inúmeros canais durante o dia inteiro, explode em nossos computadores, ressoa no rádio do carro e enfeita nossas camisetas e tênis. Nenhum de nós consegue escapar.

À medida que a cultura popular se espalhou, o seu conteúdo piorou de maneira chocante. Não é preciso dizer que durante as últimas três ou quatro décadas o nível do sexo e da violência cresceu imensamente nos cinemas, na música, na televisão e até mesmo nas revistas em quadrinhos. Naturalmente os cristãos sempre tiveram de lidar com as coisas que eram vulgares, luxuriosas ou grosseiras, mas na maioria dos casos nós podíamos simplesmente evitá-las. Hoje isto é praticamente impossível. Podemos desfrutar da ‘comida rápida’ cultural desde que estejamos treinados para ser seletivos, desde que não nos entreguemos aos hábitos do escapismo e da distração, e desde que definamos limites para que as sensibilidades da cultura popular não moldem o nosso caráter”.(notas COLSON, C.; PEARCEY, N. O cristão na cultura de hoje. RJ: CPAD, 2006, p.287-288.). 

O salmista Davi, aspirando por uma vida santa, justa, reta e íntegra, toma a seguinte decisão: “Não porei coisa má diante dos meus olhos”. Observando a sociedade em que vivemos hoje, é impossível não fazermos coro à oração deste homem segundo o coração de Deus. Se o mundo jaz no Maligno, a mídia, em sua maioria, está assentada sobre bases malignas também, pois o que se vê é o mal prevalecendo nas mais diversas áreas.

Como poderá o crente sobreviver a um pensamento mundano que visa apenas o lucro e cria necessidades de consumo, modificando hábitos, pensamentos e atitudes? A mídia televisiva, principal meio de comunicação utilizado pela população, possui uma linguagem audiovisual atraente, comercial, estética e mobilizadora. Por isso, exerce poderosa influencia em nossa cultura. A TV, em virtude de estar a serviço do Maligno, atua para persuadir, seduzir e afastar a família dos princípios bíblicos. A resposta para essa indagação encontra-se na resolução de Davi mencionada no início deste texto. Este é o maior desafio do servo de Deus, comprometido com a santidade pessoal, principalmente em relação à sua casa.(fonte CPAD ) 

 

 

            SUBSIDIO (2) BETEL ADULTOS A TECNOLOGIA 

                                      LIÇÃO N.1 

                                Salmos 128.1-6. 

1 - Bem-aventurado aquele que teme ao Senhor e anda nos seus caminhos!

2 - Pois comerás do trabalho das tuas mãos, feliz serás, e te irá bem.

3 - Atua mulher será como a videira frutífera aos lados da tua casa; os teus filhos, como plantas de oliveira, à roda da tua mesa.

4 - Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor!

5 - O Senhor te abençoará desde Sião, e tu verás o bem de Jerusalém em todos os dias da tua vida.

6 - E verás os filhos de teus filhos e a paz sobre Israel.

 

Esse assunto exige devotamento e responsável reflexão. Faça aos seus alunos as seguintes perguntas: Quanto tempo vocês passam diante da TV ou do computador? Que tipo de programa vocês costumam assistir na televisão ou por quais sites navegam na Internet? Que atitudes deve a família cristã tomar quanto aos meios de comunicação? Controlá-los? Restringir o uso? Não utilizá-los? 

 

Concupiscência da carne, concupiscência dos olhos e soberba da vida são ingredientes imprescindíveis à mídia em seu esforço para atrair e persuadir milhares de pessoas ávidas por alguma diversão no pouco tempo de que dispõem.

À medida que o crente atende aos apelos sedutores desta mídia, afasta-se consequentemente de Deus. Isto reflete-se de imediato em sua conduta cristã: Já não é tão assíduo à Escola Dominical; nunca comparece aos cultos de oração; cultos de doutrina, nem pensar; vida diária com Deus não existe mais. Este crente foi vencido pelo assédio irresistível dos meios de comunicação.

Se não formos rigorosos no controle destes veículos, estaremos consentindo que eles influenciem os lares, causando prejuízos irreparáveis à vida conjugal, ao desenvolvimento dos filhos e aos valores cristãos, éticos e morais de toda a família.

 

DIDÁTICA 

Realize o seguinte teste com seus alunos: Você é escravo dos meios de comunicação.

  1. Você consegue permanecer um dia inteiro sem assistir televisão?
  2. Você pode passar um dia sem usar o seu computador pessoal?
  3. Você suportaria ficar sem telefone celular durante uma semana?
  4. Você consegue fazer suas refeições sem estar diante da televisão?
  5. Você consegue permanecer um dia sem acessar o seu e-mail pessoal?

Se a maioria das suas respostas forem sim, você é uma pessoa que exerce com determinação o autocontrole; se forem não, liberte-se desta escravidão, e peça a Deus temperança e domínio próprio.

 

Palavra Chave

Ocultista: Referente ao ocultismo (estudo e/ou prática de artes divinatórias e de fenômenos que parecem não poder ser explicados pelas leis naturais, como, p. ex., a astrologia, a quiromancia, a magia, a telepatia e a levitação, hermetismo, esoterismo).

 Pode a sua família ser enquadrada no Salmo 128? Muitas famílias cristãs, hoje, não mais se reúnem ao “redor da mesa” para fazer o culto doméstico. Pois acham-se escravizadas aos meios de comunicação. Estes, por sua vez, ignorando e desprezando as reivindicações básicas da Palavra de Deus, vão inescrupulosamente destruindo os alicerces morais e espirituais de nossos lares, através de uma programação imoral, ocultista, consumista e comprometida com a cultura anticristã.

Que atitudes, pois, deve a família cristã tomar quanto aos meios de comunicação? É o que estudaremos neste domingo. Levando sempre em conta as demandas da Palavra de Deus, mostraremos que, com equilíbrio, bom senso e discernimento, poderemos manter nossas famílias incontaminadas diante do irresistível poder da mídia. Que o Senhor Jesus nos ajude neste propósito! 

  1. OS INGREDIENTES PREDILETOS DOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO 

Deve a família precaver-se contra os assédios da mídia, pois estes são os seus principais ingredientes: a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida (1Jo 2.16). Tais coisas não podem fazer parte do viver cristão por contrariarem frontalmente a Palavra de Deus, que é a regra de fé e de viver do cristão.

  1. A concupiscência da carne. Desejo anormal de bens ou de prazeres materiais; apetite sexual desordenado. Assim é definida a palavra concupiscência. É exatamente em cima da vontade carnal incontrolada que os publicitários fomentam suas campanhas, induzindo uma audiência passiva e sem discernimento a consumir ideologias e comportamentos nocivos que desagradam a Deus. Quando se anuncia um produto, embute-se neste, via de regra, uma perigosa inversão de valores.

Em todas as propagandas, principalmente as veiculadas pela televisão, deparamo-nos com estes apelos: adultério, prostituição, homossexualismo, glutonaria e bebedice, como se fossem coisas normais e legítimas. Não nos lembra tais coisas os dias de Noé? (Mt 24.38).

Não permita que a sua família seja vítima da concupiscência dos meios de comunicação. Ensine-a como escapar a estas armadilhas. O que dizer dos filmes e das novelas? E dos programas infantis que, sob aquela pretensa inocência, tem como único objetivo desconstruir a cultura cristã na alma de nossos filhos, de forma sutil e ocultista?

Os meios de comunicação arrastam-nos a necessidades irreais e imaginárias, tornando-nos frustrados quando não consumimos os bens anunciados. Cuidado! Isto pode ser fatal (Hb 13.5,6). Confiemos sempre na suficiência divina.

  1. A concupiscência dos olhos. Cientes de que os olhos não se fartam de ver (Ec 1.8), as empresas de comunicação esmeram-se por apresentar as mais sedutoras sugestões visuais, objetivando, com isto, despertar a cobiça no coração humano (Êx 20.17). Foi assim que Eva provou do fruto proibido (Gn 3.6). Além disso, a concupiscência dos olhos gera um incontrolável descontentamento nas pessoas, levando-as a adquirir o supérfluo em detrimento do essencial. Eis porque muitas famílias acham-se arruinadas por dívidas.

Sabe por que os Dez Mandamentos encerram-se com esta recomendação: “Não cobiçarás”? Porque todo pecado é precedido pela cobiça e soberba. A cobiça tem levado muitos crentes ao fracasso espiritual (1Tm 6.10).

  1. A soberba da vida. Os meios de comunicação têm induzido nossa geração à soberba e a um desmedido orgulho. Os filmes, novelas e desenhos animados instilam-nos a ideia de que o homem pode viver sem Deus (Sl 14.1).

Quem são os heróis apresentados aos nossos filhos? Homens destituídos de Deus, e que repassam a ideia de que a força bruta, bem como o uso do pensamento positivo são mais do que suficientes para resolver todos os problemas do ser humano. Além disso, zombam dos valores cristãos, afirmando explicitamente estarem estes completamente ultrapassados.

Por conseguinte, se deixarmos os nossos filhos à mercê da televisão, por exemplo, estaremos permitindo que eles se rebelem contra Deus e contra nós. E depois que apostatam, como fazê-los retornar a fé em Cristo?

 

  1. POR QUE OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO PREJUDICAM A FAMÍLIA 

Vejamos por que os meios de comunicação prejudicam a família.

  1. Roubam o tempo à devoção familiar. Além dos males apontados no item anterior, os meios de comunicação tiram da família o tempo que ela deveria dedicar à devoção doméstica e ao seu próprio convívio. No Salmo 128, mostra-nos a Bíblia não apenas uma família ideal e, sim, o ideal para uma família: todos, em redor de uma mesa, dedicando-se ao convívio e à adoração ao Senhor. Sua família é assim? Você cuida do culto divino em família? Ou já o substituiu por uma programação qualquer?
  2. Levam a impureza e o pecado para dentro do lar. Se não vigiarmos e não formos seletivos, acabaremos por permitir que o adultério, a prostituição, o homossexualismo, o uso de drogas e a delinquência, entrem no lar e destruam os valores morais e espirituais (Dt 7.26).
  3. Impedem a família de ir à casa de Deus. Quantas famílias, além de não mais praticar o culto doméstico, deixaram de frequentar a casa de Deus, por causa dos meios de comunicação. No Salmo 122, mostra-nos o sacro escritor o seu contentamento em frequentar o santuário divino. Hoje, infelizmente, ir à igreja tornou-se um fardo para muitas famílias que, acomodada e passivamente, preferem ficar diante de um vídeo a entrar nos átrios de Deus. É por isto que devemos saber como controlar os meios de comunicação. 

III. COMO DEVEMOS USAR OS MEIOS DE COMUNICAÇÃO

 

Não é fácil controlar os meios de comunicação, porque estes, a cada dia que passa, introduzem-se na vida do homem moderno, tornando o seu uso como que obrigatório. Todavia, como responsáveis pela santidade de nosso lar, empreguemos todos os esforços possíveis, a fim de que a nossa família não venha a sofrer devido à nossa falta de responsabilidade.

  1. Seja um exemplo no uso dos meios de comunicação. Se quisermos que nossos filhos sejam preservados dos malefícios gerados pelos meios de comunicação de massa, devemos ser um exemplo no uso destes. Não podemos transigir neste particular.

Se assistirmos a filmes e a programas imorais, com que autoridade haveremos de aconselhar nossos filhos? Se nos deixamos contaminar pelos sites impróprios da internet, de que forma poderemos recomendar-lhes a que se abstenham dessas abominações? Se temos falhado neste particular, oremos a Deus, humilhados e arrependidos, para que nos dê autocontrole e autoridade para orientarmos convenientemente nossos filhos. Imitemos ao patriarca Jó (31.1-5).

  1. Seja seletivo e crítico. Selecione os programas que podem ser vistos por você e por sua família sem ferir os princípios cristãos. Isto não é fácil hoje. A recomendação é de Paulo: “Examinai tudo. Retende o bem” (1Ts 5.21). Não aceite passivamente o que os imperadores da comunicação querem nos empurrar.
  2. Seja rigoroso quanto ao horário do culto doméstico. Nada deve substituir ao culto doméstico. Um programa de televisão, um filme ou qualquer outro atrativo, por melhor que seja, não pode ser encarado como substituto da devoção familiar. Lembre-se: “Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas” (Mt 6.33).

Enfim, que cada um de nós tenha a necessária sabedoria para manter a pureza e a santidade no lar que, segundo o ideal do Novo testamento, tem de funcionar como uma verdadeira igreja.

 

Como você tem lidado com os meios de comunicação? Não se deixe prender por eles nem permita que eles contaminem sua família. Como servos de Deus, não podemos deixar-nos prender por nada dessas coisas; o nosso compromisso com o Senhor Jesus é inadiável e urgente.

Se você tem falhado neste particular, arrependa-se, peça perdão e ore a Deus. Peça-lhe forças para ser um exemplo de autocontrole, moderação e seletividade. E, assim, o nome de Cristo será exaltado em sua vida e na vida de seus entes queridos. 

VOCABULÁRIO

 

Prostituição: Degradação, aviltamento, desonra, devassidão, desmoralização.

Publicitário: Profissional que trabalha em organizações de publicidade (arte de exercer uma ação psicológica sobre o público com fins comerciais ou políticos; propaganda).

Supérfluo: Que é demais; inútil por excesso; desnecessário.

Veicular: Transmitir, propagar, difundir. 

“Um pouco da mesma tecnologia usada no desenvolvimento de bombas teleguiadas está disponível para civis através de computadores pessoais. Os computadores no trabalho e em casa estão revolucionando nossa forma de vida. Desde relatórios de orçamento, edição de textos a jogos educacionais, quase todos os aspectos de nossas vidas podem ser relacionados de alguma forma às habilidades de um computador. Os computadores até mesmo falam uns com os outros através de modems. Eu posso criar um documento em meu computador e enviá-lo para outro computador a milhares de quilômetros de distância. Incrível!...

...Mesmo que essa tecnologia seja uma grande bênção, o seu uso imoral é uma maldição. Humanos pecadores, seduzidos pelo príncipe das potestades do ar e incitados pelo lucro, inundaram a Internet com pornografia. Informações úteis são fáceis de serem obtidas via computador, mas o mesmo ocorre com a estimulação sexual explícita. Isto é o sexo virtual, sexo via computador.

A pornografia costumava estar disponível apenas em grandes cidades, nos locais marcados pela ‘luz vermelha’. Como as leis contra a obscenidade abrandaram, esses negócios ligados ao sexo expandiram. Graças ao videocassete, os homens começaram a alugar filmes imorais e levá-los para suas próprias casas. Com o progresso da televisão a cabo, e tecnologia de satélite, a sujeira pode ser levada diretamente para a sala de estar. Com o progresso dos computadores modems, o pecado sexual fica cada vez mais privado e oculto do que nunca. Assim como a superior tecnologia de guerra americana esmagou os iraquianos, Satanás, ao promover a licença para cobiçar e pecar, tem usado tecnologia avançada para destruir muitos homens na privacidade dos seus lares e ambientes de trabalho. Devemos estar alertas” (Pureza Sexual, CPAD, pp.210,211).FONTE CPAD.

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net