Translate this Page

Rating: 3.0/5 (886 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

A Book for Her pdf free, download pdf, download pdf, this site, The Adobe Photoshop CC Book for Digital Photographers 2017 pdf free, fee epub, pdf free, site 969919, this link, link 561655,

teologia sistamatica regeneração opção n.2
teologia sistamatica regeneração opção n.2

 

                                          DOUTRINA DA REGENERAÇÃO OPÇÃO 

  

sinônimos

Re - jen - ER - ā'shun , Re4-: 

EU. O TERMO EXPLICADO 

1. Primeiro sentido bíblico (escatológica) 

2. Segundo sentido bíblico (Espiritual) 

II. A doutrina bíblica da REGENERAÇÃO 

1. No Antigo Testamento 

2. No ensino de Jesus 

3. No Ensino Apostólico 

III. Desenvolvimento posterior da Doutrina 

IV. SIGNIFICADO ATUAL 

LITERATURA

I. O Termo explicou. 

O teológico termo "regeneração" é a tradução latina da expressão grega παλινγενεσία , palingenesia , Ocorrendo duas vezes no Novo Testamento ( Mateus 19:28 ; Tito 3: 5 ). A palavra é geralmente escrito παλιγγενεσία , paliggenesıa, Em grego clássico. Seu significado é diferente nas duas passagens, embora uma fácil transição do pensamento é evidente.

 

1. Primeiro sentido bíblico (escatológica): 

Em Mateus 19:28 a palavra refere-se à restauração do mundo, em que sentido é synonymical às expressões ἀποκατάστασις πάντων , Apokatastasis Panton"Restauração de todas as coisas" ( Atos 03:21 ; o verbo é encontrado em Mateus 17:11 , ἀποκαταστήσει πάντα ,apokatastḗsei Panta"Restaurar todas as coisas"), e ἀνάψυξις ,anápsuxis"Refrescante" ( Atos 03:19 ), o que significa uma transição gradual de significado para o segundo sentido da palavra em questão. Supõe-se que a regeneração, nesse sentido, denota o estágio final de desenvolvimento de toda a criação, pelo qual os propósitos de Deus em relação ao mesmo estão plenamente realizado, quando "todas as coisas (são colocados) sujeitou debaixo de seus pés" ( 1 Coríntios 15:27 ) . Esta é uma "regeneração no sentido próprio da palavra, pois significa uma renovação de todas as coisas visíveis quando o velho se passou, eo céu ea terra se fez novo" (compare Apocalipse 21: 1 ). Para o judeu a regeneração assim profetizou estava inseparavelmente ligado com o reinado do Messias.

 Encontramos esta palavra nos mesmos ou muito semelhantes sentidos na literatura profana. Ele é usado da renovação do mundo na filosofia estóica. Josephus ( Ant. , XI, iii, 9) fala da anáktēsis Kai paliggenesıa TES patridos ", Uma nova fundação e regeneração da pátria", após o retorno do cativeiro babilônico. Philo (ed. Mangey, ii. 144) usa a palavra, falando da época pós-diluviano da Terra, a partir de um novo mundo, e Marcus Aurelius Antoninus (xi. 1), de uma restauração periódica de todas as coisas, que estabelece estresse sobre a constante recorrência e uniformidade de todos os acontecimentos, que achavam que o Pregador expressa por "Não há nada novo debaixo do sol" ( Eclesiastes 1: 9 ). Na maioria dos lugares, no entanto, em que a palavra ocorre em escritos filosóficos, ele é usado da "reencarnação" ou "nascimento subseqüente" do indivíduo, como no budista e doutrina pitagórica da transmigração das almas (Plut., Edição Xylander, . ii 998c; Clemente de Alexandria, edição Potter, 539), ou então de um renascimento da vida (Philo i 159).. Cicero usa a palavra em suas cartas a Atticus (vi. 6) metaforicamente de seu retorno do exílio, como um novo sopro de vida que lhe foi concedida. Ver Escatologia do Novo Testamento , IX.

 

2. Segundo sentido bíblico (Espiritual): 

Esse sentido é, sem dúvida, incluído na concepção integral bíblica do antigo significado, pois é impensável que uma regeneração no sentido escatológico pode existir sem uma regeneração espiritual da humanidade ou do indivíduo. É, no entanto, bem evidente que esta última concepção surgiu muito tarde, a partir de uma análise do significado anterior. É encontrado em Tito 3: 5 , que, sem uma certeza absoluta quanto ao seu significado, é geralmente interpretado de acordo com os numerosos substantivos e verbos que deram a definição dogmática da doutrina da regeneração na teologia cristã. Clemente de Alexandria é o primeiro a diferenciar este significado da antiga pela adição do adjetivo πνευματική , pneumatikḗ "Espiritual" (compare anapsuxis, Atos 03:20 ; verREFRESHING). Neste último sentido, a palavra é tipicamente cristã, embora o Antigo Testamento contém muitas sombras dela do processo espiritual expressa assim.

 

II. A doutrina bíblica da Regeneração. 

1. No Antigo Testamento: 

É sabido que nas porções anteriores do Antigo Testamento, e até certo ponto durante todo o Antigo Testamento, a religião é olhado e falado de mais como uma posse nacional, cujos benefícios são bênçãos em grande parte visíveis e tangíveis. A idéia de regeneração ocorre aqui, portanto - embora nenhuma expressão técnica tem ainda sido inventado para o processo - no primeiro significado da palavra elucidado acima. Se as promessas divinas consulte o final messiânico de vezes, ou estão a ser realizada em data anterior, todos eles se referem à nação de Israel como tal, e aos particulares apenas na medida em que são participantes nos benefícios concedidos à comunidade . Isto é verdade mesmo, onde as bênçãos profetizadas são apenas espiritual, como em Isaías 60:21 , Isaías 60:22 . A massa do povo de Israel são, portanto, ainda não tenha consciência do fato de que as condições em que essas promessas divinas estão a ser atingido são mais do que os cerimoniais e rituais. Logo, porém, grandes desastres, ameaçando derrubar a entidade nacional, e, finalmente, o cativeiro e dispersão que causou funções de âmbito nacional a ser quase, se não totalmente, descontinuado, assistida no crescimento de um senso de responsabilidade individual ou pessoal diante de Deus. O pecado de Israel é reconhecido como o pecado do indivíduo, o que só pode ser removido por arrependimento individual e de limpeza. Isto é melhor visto a partir dos apelos comoventes dos profetas do exílio, onde freqüentemente a necessidade de uma mudança de atitude em relação a Javé é pregado como um meio para tal regeneração. Isso não pode ser entendido senão como uma viragem do indivíduo para o Senhor. Aqui, também, nenhuma cerimônia ou sacrifício é suficiente, mas uma interposição de graça divina, que é representado sob a figura de uma lavagem e aspersão de toda iniqüidade e pecado ( Isaías 01:18 ; Jeremias 13:23 ). Não é possível se agora para acompanhar na íntegra o desenvolvimento desta ideia de limpeza, mas já em Isaías 52:15 a aspersão de muitas nações é mencionado e é logo entendida no sentido do "batismo" que prosélitos teve que passar antes de sua recepção no pacto de Israel. Era o símbolo de uma limpeza radical como a de um "recém-nascido", que era uma das designações do prosélito (compare Salmo 87: 5 ; ver também o tractate Yebhāmōth 62a). Seria surpreendente que Israel, que tinha sido culpado de muitos pecados dos gentios, precisava de um baptismo e aspersão similar? Isto é o que Ezequiel 36:25 sugere: "Eu espalharei água pura sobre vós, e ficareis purificados; de todas as vossas imundícias e de todos os vossos ídolos vos purificarei." Em outras passagens da purificação e refino de poder de fogo é mencionado (por exemplo, Malaquias 3: 2 ), e não há dúvida de que João Batista encontrado em passagens o terreno para a sua prática de batizar os judeus que vieram a ele ( João 1 : 25-28 e paralelos da).

 O giro de Israel a Deus foi necessariamente concebido para ser uma mudança interior de atitude para com Ele, em outras palavras, a aspersão com água limpa, como um sinal externo, era o emblema de um coração puro. Foi Isaías e Jeremias, que chamou a atenção para isso ( Isaías 57:15 ; Jeremias 24: 7 ; Jeremias 31: 33-35 ; Jeremias 32: 38-40 , et passim ). Aqui, novamente, é feita referência a pessoas, não só para as pessoas em geral ( Jeremias 31:34 ). Esta regeneração prometido, tão amorosamente oferecido pelo Senhor, é para ser o símbolo de uma nova aliança entre Deus e seu povo ( Jeremias 31:31 ; Ezequiel 11: 19-21 ; Ezequiel 18:31 , Ezequiel 18:32 ; Ezequiel 37: 23 , Ezequiel 37:24 ).

 A limpeza, que renova e se fala aqui é, na realidade, nada mais do que aquilo que Deuteronômio 30: 6 havia prometido, a circuncisão do coração em contraste com a carne, o token da antiga (Abraão) aliança (da circuncisão, Jeremias 4: 4 ) . Como Deus toma a iniciativa de fazer o pacto, a convicção de que se enraíza o pecado humano e depravação pode ser eficazmente eliminado apenas pelo ato de o próprio Deus que renova e transformar o coração do homem ( Oséias 14: 4 ). Isso nós vemos o testemunho de alguns dos melhores filhos e filhas de Israel, que também sabia que esta graça foi encontrado no caminho do arrependimento e humilhação diante de Deus. A expressão clássica desta convicção é encontrada na oração de Davi: "Cria em mim um coração puro, OGod; e renovar a ("firme" margin) espírito reto dentro de mim. Não me lances fora da tua presença; e tomar o teu Espírito Santo não de mim. Restitui-me a alegria da tua salvação; e sustém-me com um espírito voluntário "( Salmo 51: 10-12 ). Jeremias coloca as seguintes palavras na boca de Efraim: "Vira-te de mim, e eu vou ser transformado" ( Jeremias 31:18 ), mais claro que qualquer passagem. do Antigo Testamento, João Batista, precursor de Cristo e última tocha flamejante do tempo do pacto anterior, falou sobre o batismo, não de água, mas do Espírito Santo e de fogo ( Mateus 3:11 ; Lucas 3: 16 ; João 1:33 ), levando assim à realização de foreshadowings Antigo Testamento que se tornou possível pela fé em Cristo.

 

2. No ensino de Jesus: 

No ensinamento de Jesus a necessidade de regeneração tem um lugar de destaque, embora em nenhum lugar são as razões apresentadas. O Antigo Testamento havia conseguido - e até mesmo a consciência Gentile concordou com ele - em convencer as pessoas desta necessidade. A afirmação mais clara do mesmo e a explicação da doutrina da regeneração é encontrado na conversa de Jesus com Nicodemos ( João 3 ). Baseia-se (1) a observação de que o homem, mesmo o mais meticuloso na observância da Lei, está morto e, portanto, incapaz de "viver de acordo" com as exigências de Deus. Somente Aquele que deu a vida no início pode dar a vida (espiritual) necessário para fazer a vontade de Deus. (2) O homem caiu de sua esfera virginal e divinamente designada, o reino do espírito, o Reino de Deus, vivendo agora a vida terrena perecendo. Somente com uma nova natureza espiritual transmitida a ele, por ser "nascido de novo" ( João 3: 3 , a margem Versão Revisada "de cima", grego ἄνωθεν , Anothen), Por ser "nascido do Espírito" ( João 3: 6 , João 3: 8 ), ele pode viver a vida espiritual que Deus requer do homem.

 Estas palavras são uma exegese do Novo Testamento da visão de Ezequiel dos ossos mortos ( Ezequiel 37: 1-10 ). É o "sopro da parte do Senhor", o Espírito de Deus, o único que pode dar vida aos mortos espiritualmente.

 Mas a regeneração, de acordo com Jesus, é mais do que a vida, é também purificar . Como Deus é puro e sem pecado, nenhum mas os puros de coração podem ver a Deus ( Mateus 5: 8 ). Este sempre foi reconhecido como impossível mero esforço humano. Bildade o suíta, declarou, e seus amigos, cada um por sua vez, expressa pensamentos muito semelhantes ( Jó 04:17 ; Jó 14: 4 ): "Como, então, pode o homem ser justo para com Deus, e como pode ser puro aquele que nasce de? ? uma mulher Eis que até a lua não tem brilho, e as estrelas não são puras aos seus olhos: quanto menos o homem, que é um verme, eo filho do homem, que é um verme "! ( Jó 25: 4-6 ).

 Para alterar esta condição perdida, para conferir essa nova vida, Jesus reivindica como sua tarefa designada por Deus: "O Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido" ( Lucas 19:10 ); "Eu vim para que tenham vida, ea tenham em abundância" ( João 10:10 ). Esta vida é eterna e imperecível: "Eu lhes dou a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão" ( João 10:28 ). Esta vida é dada pelo próprio Jesus: "O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida" ( João 6:63 ). Esta vida pode ser recebido na condição de fé em Cristo ou ao vir a Ele ( João 14: 6 ). Pelo poder da fé é recebida, que permite ao pecador para vencer o pecado, para "não peques mais" ( João 8:11 ).

 As parábolas de Jesus ilustrar ainda mais essa doutrina. O filho pródigo é declarado ter sido "morto" e de ser "reviveu" ( Lucas 15:24 ). A nova vida de Deus é comparado a uma veste nupcial da parábola do casamento do Filho do Rei ( Mateus 22:11 ). A peça de vestuário, o dom do convidativo rei, tinha sido recusado pelo hóspede infeliz, que, em consequência, foi 'lançados nas trevas exteriores "( Mateus 22:13 ).

 Finalmente, esta regeneração, esta nova vida, é explicado como o conhecimento de Deus e de Seu Cristo: "E esta é a vida eterna: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e ele, que enviaste, Jesus Cristo" ( John 17: 3 ). Esta parece ser uma alusão à passagem em Oséias ( Oséias 4: 6 ): "O meu povo está sendo destruído por falta de conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim."

 

3. No Ensino Apostólica: 

Pode-se dizer, em geral, que o ensinamento dos apóstolos sobre o tema da regeneração é um desenvolvimento do ensino de Jesus sobre as linhas das sombras dela do Antigo Testamento. Considerando-se as diferenças de caráter pessoal desses escritores, é notável que tal concórdia de pontos de vista deve existir entre eles. Paul , de fato, coloca mais pressão sobre os fatos específicos de justificação e santificação pela fé do que na cabeça mais abrangente de regeneração. Ainda assim, a necessidade de está claramente declarado por Paulo. É necessário para a salvação de todos os homens. "O corpo está morto por causa do pecado" ( Romanos 8: 3-11 ; Efésios 2: 1 ). A carne está em inimizade com Deus ( Efésios 2:15 ); toda a humanidade é "obscurecidos no entendimento, separados da vida de Deus" ( Efésios 4:18 ). Passagens similares poderiam ser multiplicados. Paulo, então, claramente ensina que, assim, é uma vida nova na loja para aqueles que foram mortos espiritualmente. Aos Efésios, ele escreve: "E você fez ele dar vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados" ( Efésios 2: 1 ), e, mais tarde: "Deus, sendo rico em misericórdia, ... nos deu vida juntamente com Cristo "( Efésios 2: 4 , Efésios 2: 5 ). A ressurreição espiritual ocorreu. Esta regeneração provoca uma rotação completa no homem. Ele assim passou por debaixo da lei do pecado e da morte e está sob "a lei do Espírito da vida em Cristo Jesus" ( Romanos 8: 2 ). A mudança é tão radical que é possível agora a falar de uma "nova criatura" ( 2 Coríntios 5:17 ; Gálatas 6:15 , a margem "nova criação"), de um "novo homem, que segundo Deus foi criado em justiça e santidade da verdade "( Efésios 4:24 ), e de "o homem novo, que se renova para o conhecimento, segundo a imagem daquele que o criou" ( Colossenses 3:10 ). Todas as "coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" ( 2 Coríntios 5:17 ).

 Paul é igualmente explícito sobre o autor dessa mudança. O "Espírito de Deus", o "Espírito de Cristo" foi dado de cima para ser a fonte de toda a vida nova ( Romanos 8 ); por Ele estamos provou ser os "filhos" de Deus ( Gálatas 4: 6 ); fomos adotados na família de Deus ( νἱοθεσία ,huiothesia, Romanos 8:15 ; Gálatas 4: 5 ). Assim, Paulo fala do "segundo Adão", por quem a vida de justiça é iniciada em nós; assim como o "primeiro Adão" se tornou o líder em transgressão, Ele é "um espírito vivificante" ( 1 Coríntios 15:45 ). O próprio Paulo experimentou essa mudança, e, doravante, exibiu os poderes do mundo invisível em sua vida de serviço. "Já não sou eu que vivo", ele exclama: "mas Cristo vive em mim; e que a vida que agora vivo na carne, vivo na fé, a fé que está no Filho de Deus, que me amou, e se entregou por mim "( Gálatas 2:20 ).

 A regeneração é a Paul, nada menos do que Jesus, conectado com a concepção de pureza e conhecimento. Já notamos a segunda passagem do Novo Testamento em que a palavra "regeneração" ocorre ( Tito 3: 5 ): "De acordo com sua misericórdia, ele nos salvou mediante o lavar (margem de" pia ") da regeneração e renovação do Espírito Santo , que ele derramou sobre nós ricamente, por meio de Jesus Cristo, nosso Salvador. " Em 1 Coríntios 12:13 que a limpeza é chamado de batismo do Espírito, de acordo com a promessa muitas vezes repetida ( Joel 2:28 (no texto hebraico Joel 3: 1 ); Mateus 3:11 ; Marcos 1: 8 ; Lucas 03:16 ; Atos 1: 5 ; Atos 11:16 ). Há, é claro, nestas passagens nenhuma referência a mera batismo na água, mais do que em Ezequiel 36:25 . A água é, mas o comparationis tertium . Como a água purifica o corpo exterior, de modo que o espírito purifica o homem interior (compare 1 Coríntios 06:11 ; 1 Pedro 3:21 ).

 A doutrina de que a regeneração vem contribuir para um verdadeiro conhecimento de Cristo é visto a partir de Efésios 3: 15-19 e Efésios 4: 17-24 , onde a compreensão e ignorância do homem natural escurecido são colocados em contraste com a iluminação da nova vida (ver também Colossenses 3:10 ). A igreja redimida e regenerada é ser um especial de "possessão", uma "herança" do Senhor ( Efésios 1:11 , Efésios 1:14 ), e toda a criação é participar na redenção final e adoção ( Romanos 8: 21-23 ).

 James encontra menos oportunidade de tocar neste assunto do que os outros escritores do Novo Testamento. Sua Epístola é bastante ético do que dogmático no tom, ainda sua ética são baseados nos pressupostos dogmáticos que concordo plenamente com o ensino de outros apóstolos. Fé para ele é a resposta humana ao desejo de Deus para transmitir Sua natureza à humanidade, e, portanto, os meios indispensáveis ​​a ser empregada na obtenção de todos os benefícios da nova vida, ou seja, o poder de vencer o pecado ( Tiago 1: 2-4 ), a iluminação espiritual ( Tiago 1: 5 ) e pureza ( Tiago 1:27 ). Não parece, no entanto, de ser pouca dúvida de que James se refere diretamente a regeneração nas palavras: "Segundo a sua vontade, ele nos gerou pela palavra da verdade, para que fôssemos como que primícias das suas criaturas" ( Tiago 1: 18 ). Supõe-se por alguns de que estas palavras, a ser dirigida "às doze tribos da Dispersão" ( Tiago 1: 1 ), não se referem a regeneração individual, mas a uma eleição de Israel como uma nação e, assim, um cristão Israel. Neste caso, o rescaldo seria a redenção dos gentios. Eu entendo a expressão "primeiros frutos", no sentido em que temos notado última esperança de Paulo em Romanos 8: 21-32 , onde a regeneração das pessoas que acreditam de Deus (independentemente da nacionalidade) é o primeiro estágio na regeneração ou restauração de toda criação. O "implantado (a margem Versão Revisada" inata ") palavra" ( Tiago 1:21 ; comparar 1 Pedro 1:23 ) está paralelo à expressão paulina, "lei do Espírito" ( Romanos 8: 2 ).

 Peter utiliza, em seu sermão no dia de Pentecostes, as palavras "refrescante" ( Atos 03:19 ) e "restauração de todas as coisas" ( Atos 3:21 ), da conclusão final dos planos de Deus a respeito de toda a criação, e, consequentemente, olha aqui no povo de Deus como um todo. Em sentido semelhante, ele diz em sua segunda epístola, depois de mencionar "o dia de Deus": "Nós aguardamos novos céus e uma nova terra, onde habita a justiça" ( 2 Pedro 3:13 ). Ainda assim, ele alude muito claramente para a regeneração dos indivíduos ( 1 Pedro 1: 3 , 1 Pedro 1:13 ). A idéia de um segundo nascimento dos crentes é claramente sugerido na expressão, "crianças recém-nascidas" ( 1 Pedro 2: 2 ), e na demonstração explícita de 1 Pedro 1:23 : "tendo renascido, não de semente corruptível , mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece. " É neste sentido que o apóstolo chama Deus de "Pai" ( 1 Pedro 1:17 ) e os crentes "filhos da obediência" ( 1 Pedro 1:14 ), ou seja, filhos obedientes, ou crianças que deviam obedecer. Vimos acima que o agente pelo qual a regeneração é forjado, a semente incorruptível da Palavra de Deus, encontra um paralelo na teologia de Paul e James. Todas essas expressões voltar, provavelmente, a uma palavra do Mestre, em João 15: 3 . Nós somos feitos participantes da palavra por ter recebido o espírito. Este espírito (compare com a Pauline "espírito vivificante", 1 Coríntios 15:45 ), o "espírito" de Cristo ( 1 Pedro 4: 1 ), é o poder do Cristo ressuscitado ativa na vida do crente. Pedro se refere o mesmo pensamento em 1 Pedro 3:15 , 1 Pedro 3:21 . Pela regeneração nos tornamos "a geração eleita, o sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus" em quem virtudes divinas, "as virtudes daquele que vos chamou" ( 1 Pedro 2: 9 ), se manifestam. Aqui, o apóstolo usa expressões do Antigo Testamento conhecidos prenunciando Novo Testamento enfeita ( Isaías 61: 6 ; Isaías 66:21 ; Êxodo 19: 6 ; Deuteronômio 7: 6 ), mas ele individualiza o processo de regeneração em pleno acordo com o aumento da luz que o ensino de Jesus trouxe. A teologia de Peter também aponta o contato de regeneração com pureza e santidade ( 1 Pedro 1:15 , 1 Pedro 1:16 ) e o verdadeiro conhecimento ( 1 Pedro 1:14 ) ou obediência ( 1 Pedro 1:14 ; 1 Pedro 3 : 16 ). Não é de surpreender que a idéia de pureza deve convidar o Antigo Testamento paralela de "purificação pela água." A inundação lavado a iniquidade do mundo "nos dias de Noé," quando "oito almas se salvaram através da água: o que também depois de uma verdadeira semelhança (a margem Versão Revisada" no antítipo ") Acaso, agora salvá-lo, mesmo batismo , não do despojamento da imundícia da carne, mas o interrogatório (a margem Versão Revisada "investigação", "apelo") de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição (-vida) de Jesus Cristo "( 1 Pedro 3 : 20 ​​, 1 Pedro 3:21 ).

 O ensino de John está muito intimamente ligada com a de Jesus, como já vimos a partir da multiplicidade de citações que tivemos de escolher entre o Evangelho de João para ilustrar o ensinamento do Mestre. É especialmente interessante notar os casos em que o apóstolo didaticamente elucida alguns desses pronunciamentos de Jesus. O gloss apostólica mais notável ou comentário sobre o assunto é encontrada em João 7:39 . Jesus tinha falado da mudança que a fé nEle ("vir ter com ele") poderia causar na vida dos Seus discípulos; como divino energias como "rios de água" deve emitir por meio deles; eo evangelista continua na explicação: "E isto disse ele do Espírito, que os que creram nele deviam receber, porque o Espírito Santo ainda não fora dado, porque Jesus ainda não tinha sido glorificado." Este reconhecimento de uma manifestação especial do poder divino, que transcende a experiência dos crentes do Antigo Testamento, foi baseada na declaração de Cristo, que Ele enviaria "outro Consolador (Versão Revisada (britânico e americano)" advogado "," ajudante ", grego Paráclito), Para que ele possa estar com você para sempre, o Espírito da verdade "( João 14:16 , João 14:17 ).

 Em suas epístolas, John mostra que este Espírito dá os elementos de um personagem semelhante a Deus que nos faz ser "filhos de Deus", que antes eram "filhos do diabo" ( 1 João 3:10 , 1 João 3:24 ; 1 João 4:13 , etc.). Esta regeneração é "vida eterna" ( 1 João 5:13 ) e semelhança moral com Deus, o próprio caráter de Deus no homem. Como "Deus é amor", os filhos de Deus vão adorar ( 1 João 5: 2 ). Ao mesmo tempo, é a vida de Deus no homem, também chamado de comunhão com Cristo, vida vitoriosa que vence o mundo ( 1 João 5: 4 ); é pureza ( 1 João 3: 3-6 ) e conhecimento ( 1 João 2:20 ).

 O tema da regeneração encontra-se fora do âmbito de aplicação da Epístola aos Hebreus , para que procurar em vão por uma declaração dogmática clara dele. Ainda assim, a epístola faz em nenhum lugar contradizem o dogma, o que, por outro lado, está subjacente a muitas das suas declarações. Cristo ", o mediador de um melhor pacto, o qual está firmado sobre melhores promessas" ( João 8: 6 ), fez com que a "purificação dos pecados" ( João 1: 3 ). Em contraste com a primeira aliança, em que as pessoas se aproximou de Deus por meio de formas e ordenanças exteriores, a "nova aliança" ( João 8:13 ) interpôs "redenção eterna" ( João 9:12 ), por meio de uma limpeza divina ( João 9:14 ). Cristo traz "muitos filhos à glória" e é "autor da salvação deles" ( João 2:10 ). Cristãos imaturos são faladas (como eram os prosélitos do Antigo Testamento), como os bebês, que estavam a crescer à estatura, caráter e conhecimento dos "homens crescidos" ( João 5:13 , João 5:14 ).

 

III. Desenvolvimento posterior da Doutrina. 

Muito em breve o significado espiritual alta de regeneração foi obscurecida pelo desenvolvimento de sacerdócio dentro da igreja cristã. Quando a iniciação na igreja foi pensado como realizado pela mediação de ministros mesmos nomeados, as cerimônias empregadas aqui tornou-se meios para que poderes mágicos eram necessariamente atribuídas. Este vemos claramente na visão da regeneração batismal, que, com base em passagens meia-entendido da Escritura citada acima, foi ensinado em uma data próxima. Embora nos dias pós-apostólicos que frequentemente encontrar vestígios de uma apreciação adequada de um valor espiritual subjacente no batismo (compare Didaqué vii) muitas das expressões utilizadas são altamente enganoso. Assim Gregório Nazianzeno ( Discursos , xi. 2) chama batismo o segundo dos três nascimentos um filho de Deus deve experimentar (o primeiro é o nascimento natural, o terceiro a ressurreição). Este nascimento é "do dia, livre, entregando das paixões, tirando cada véu de nossa natureza ou nascimento, ou seja, tudo o que esconde a imagem divina em que fomos criados, e que conduz à vida acima" (Ullmann, Gregor v. Nazienz , 323). Cirilo de Jerusalém (Cat., Xvii, c. 37) atribui ao batismo o poder da absolvição do pecado e do poder da investidura com virtudes celestiais. Segundo Agostinho batismo é essencial para a salvação, embora o batismo de sangue (martírio) pode tomar o lugar do batismo nas águas, como no caso do ladrão na cruz (Agostinho, De Anima et eius Origine , i. 11, c. ii 14, c 10;; 9... ii 16, 12 c).. Leão Magno compara a água cheia de espírito de batismo com o ventre cheio do Espírito Santo da Virgem Maria, no qual o Espírito Santo gera um filho de Deus sem pecado (Serm xxiv 3;... Xxv 5; ver Hagenbach, Dogmengeschichte , seção 137).

 Em geral, este é ainda o parecer do sacrmentarians pronunciadas, enquanto o cristianismo evangélico tem ido de volta para o ensinamento do Novo Testamento.

 

IV. Significado presente. 

Apesar de uma clara distinção nem sempre é mantida entre regeneração e outras experiências da vida espiritual, podemos resumir a nossa crença nas seguintes teses:

 (1) Regeneração implica não apenas uma adição de certos dons ou graças, um reforço de certas inata boas qualidades, mas uma mudança radical, que revoluciona todo o nosso ser, contradiz e supera nossa velha natureza caída, e coloca o nosso centro de gravidade espiritual integral fora de nossos próprios poderes no domínio da causalidade de Deus.

 (2) É a vontade de Deus que todos os homens se tornaram participantes dessa nova vida ( 1 Timóteo 2: 4 ) e, como afirma-se claramente que alguma queda curto dele ( João 5:40 ), é evidente que a falha do mesmo encontra-se com o homem. Deus exige que todos os homens se arrepender e voltar para Ele ( Atos 17:30 ), antes que Ele vai ou pode afetar a regeneração. A conversão, que consiste em arrependimento e fé em Cristo, é, portanto, a resposta humana à oferta de salvação que Deus faz. Esta resposta dá a oportunidade de e é síncrono com o ato divino da renovação (regeneração). O Espírito de Deus entra em união com a crer, aceitar espírito do homem. Esta é a comunhão com Cristo ( Romanos 8:10 ; 1 Coríntios 6:17 ; 2 Coríntios 5:17 ; Colossenses 3: 3 ).

 (3) O processo de regeneração é fora da nossa observação e para além do âmbito de análise psicológica. Realiza-se na esfera do subconsciente. Recentes investigações psicológicas ter jogado uma inundação de luz sobre os estados psíquicos que precedem, acompanham e seguem a obra do Espírito Santo. "Ele lida com poderes psíquicos; Ele trabalha em cima de energias psíquicas e estados;. E este trabalho de regeneração está em algum lugar dentro do campo psíquico" O estudo da psicologia religiosa é de maior valor e maior importância. Os fatos da experiência cristã não pode ser alterado, nem perder, em valor, o escrutínio psicológico mais procura.

 Análise psicológica não elimina o funcionamento direto do Espírito Santo. Também não se pode divulgar seu processo; "laboratório subjacente onde são forjados radical processos de reparação e mudanças estruturais no ser psíquico, como retratado em declarações bíblicas explícitas:" Cria em mim um coração puro "( Salmo 51:10 ); "Necessário vos é nascer de novo" ( João 3: 7 a King James Version); "Se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo" ( 2 Coríntios 5:17 A versão King James), está na região de subconsciência. Para olhar na região da consciência para esta pessoa ou para a Sua obra é infrutífera e um esforço cheio de confusão sem fim. psicologia cristã traça, assim, para a sua profunda-deitado recuar a elaboração divina da vida regenerada. Aqui, Deus trabalha no profundezas da alma tão silenciosamente e de forma segura, como se no mundo remoto do universo estelar "(HE Warner, Psicologia da Vida Cristã , 117).

 (4) Regeneração se manifesta na alma consciente por seus efeitos sobre a vontade, a inteligência e os afetos. Ao mesmo tempo regeneração fornece uma nova fonte de vida de origem divina, que permite que as partes componentes da natureza humana para cumprir a lei de Deus, a esforçar-se para a vinda do reino de Deus, e aceitar os ensinamentos do espírito de Deus. Assim, o homem regenerado é feita consciente dos fatos da justificação e adoção. O primeiro é um ato judicial de Deus, que liberta o homem da lei do pecado e absolve-o do estado de inimizade contra Deus; este último um enduement com o Espírito, que é o penhor da sua herança ( Efésios 1:14 ). O Espírito de Deus, habitando no homem, testemunhas do estado de filiação ( Romanos 8: 2 , Romanos 8:15 , Romanos 8:16 ; Gálatas 4: 6 ). 

(5) A regeneração, sendo um novo nascimento, é o ponto de partida do crescimento espiritual. O homem regenerado precisa de disciplina e treinamento. Ele a recebe não apenas a partir de experiências de fora, mas de um poder imanente em si mesmo, que é reconhecido como o poder da vida de Cristo que habita ( Colossenses 1:26 , Colossenses 1:27 ). Além das relações mediatas de Deus com o homem através da palavra e dos sacramentos, não há, portanto, uma comunicação imediata da vida de Deus para o regenerado.

 (6) A verdade que é mencionado como o agente pelo qual a regeneração é possível ( João 8:32 ; Tiago 1:18 ; 1 Pedro 1:23 ), nada mais é do que o Espírito Divino, não somente a palavra falada ou escrita de Deus, o que pode convencer as pessoas de certo ou errado, mas que não pode permitir que a vontade do homem a abandonar o mal e fazer o bem, mas o que chama a si mesmo a verdade ( João 14: 6 ) e que se tornou a força motriz da vida regenerada ( Gálatas 2:20 ).

 (7) recentes expressivo filosofia da reação do ponto de vista mecânico do materialismo nua, e também a partir da depreciação da personalidade como se vê no socialismo, trouxe novamente em destaque a realidade e necessidade da vida pessoal. Johannes Muller e Rudolf Eucken entre outros enfatizam que a nova vida do espírito, independente das condições externas, não é apenas possível, mas necessário para a realização do mais alto desenvolvimento. Esta nova vida não é um fruto do livre jogo das tendências e poderes da vida natural, mas está em forte conflito com eles. O homem como ele é, por natureza, está em contraste direto com as demandas da vida espiritual. A vida espiritual, como diz o professor Eucken, pode ser implantado no homem apenas por algum poder superior e deve ser constantemente sustentado pela vida superior. Ele rompe a ordem das causas e efeitos; que rompe a continuidade do mundo exterior; torna impossível uma racional união de realidades; que proíbe uma visão monástica da condição imediata do mundo. Esta nova vida deriva seu poder e não de mera natureza; é uma manifestação da vida divina dentro de nós ( Hauptprobleme der Religionsphilosophie , Leipzig, 1912,17 ff; Der Kampf um einen geistigen Lebensinhalt , Leipzig, 1907; Grundlinien einer neuen Lebensanschauung , Leipzig, 1907; Johannes Muller, Bausteine ​​pele persönliche Kultur , 3 volumes, Munchen, 1908). Assim, o mais recente desenvolvimento da filosofia idealista corrobora de forma notável a verdade cristã de regeneração. Ver igualmente CONVERSÃO . 

FONTE Enciclopédia Internacional Standard Bible 1915

FONTE WWW.AVIVAMENTONOSUL21.COMUNIDADES.NET