Translate this Page

Rating: 3.0/5 (931 votos)



ONLINE
7




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


Teologia Sistematica Jesus e descida ao Hades
Teologia Sistematica Jesus e descida ao Hades

             TEOLOGIA SISTEMATICA CRISTOLOGIA N.5

                        JESUS E A DESCIDA AO HADES

 

Descida ao Hades

  1. Em Hebreus, Sheol ou Hades foi considerado como o mundo sob, uma região subterrânea de abismos e águas misteriosas sobre o qual a terra repousava ( Salmos 24: 2Salmos 24: 2 ; Salmos 136: 6Salmos 136: 6 ). Foi a região para a qual todas as almas passaram após a morte, não para viver uma existência sombra-like, incapaz de as formas mais elevadas de atividade espiritual, como o louvor de Javé ( Salmos 6: 5Salmos 6: 5 ). Nos tempos do NT, uma distinção foi feita entre os departamentos de Sheol habitadas pelos bons e os maus: 'Paradise' é o lugar de descanso dos justos e penitente ( Lucas 23:43Lucas 23:43 ), enquanto o 'abismo' ( qv [ Nota: quod vide, que vê]. ) é falada como a morada de demônios ( Lucas 8:31Lucas 8:31 ; cf. Apocalipse 9: 1Apocalipse 9: 1 ; Apocalipse 11: 7Apocalipse 11: 7 ; Apocalipse 17: 8Apocalipse 17: 8 ; Apocalipse 20: 1Apocalipse 20: 1 ).

 

  1. Aqueles que aceitaram a cosmogonia judaica acreditava que, no momento da morte, cada alma passado para esta região escondido. A morte de Cristo envolveu Para ele, como para cada filho do homem, a mesma viagem. Para os primeiros discípulos, que Ele desceu ao Hades "não iria apresentar-se como um artigo de fé, ou como uma questão de revelação; que estava implícito no fato da sua morte. Que Ele entrou em 'abismo' não precisa de argumento para St. Paul ( Romanos 10: 7Romanos 10: 7 ; cf. Efésios 4: 9Efésios 4: 9 κατέβη εἰς τὰ κατώτερα μέρη τῆς γῆς ); que a Sua alma estava em Hades após a crucificação assume-se como uma questão de curso em Atos 2:31Atos 2:31 . Ninguém no Apostólica ou sub-Apostólica Idade teria sido impulsionada por considerações dogmáticas para inserir o artigo da Descida ao Hades no credo baptismal, para que era apenas outra maneira de dizer que Cristo morreu. No NT, de acordo (com a exceção de 1 Pedro 3:191 Pedro 3:19 ; 1 Pedro 4: 61 Pedro 4: 6 ), as referências a Descida de Cristo ao mundo sob são apenas incidental, introduzido para ilustrar pontos especiais; por exemplo, Atos 2:31Atos 2:31 , que Cristo não permaneceu no Hades; Mateus 12:40Mateus 12:40 , que o período da sua permanência "no coração da terra" era "três dias e três noites"; Efésios 4: 9Efésios 4: 9 , que o Crucificado que desceu é o Senhor Ascenso; e Lucas 23:43Lucas 23:43 , que o ladrão arrependido estaria em segurança com Cristo na vida invisível após a morte. (Deve ser observado, no entanto, que Lucas 23:43Lucas 23:43 não é citado pelos Padres como ilustra a Descensus , alguns deles- por exemplo, Tertuliano-holding que o paraíso não era um departamento de Hades, mas distinta.)

 

  1. Mas a pergunta era inevitável: quando Cristo desceu para o mundo abaixo, o escritório que Ele realizar ali? E na tentativa de encontrar uma resposta para a questão de saber as consequências e efeitos de Descida de Cristo ao inferno, os primeiros cristãos, naturalmente, dirigiu-se à AT e com as previsões da missão do Messias que se encontravam ali. Mesmo antes de a especulação começou sobre estes pontos, que tinha sido natural para usar a linguagem OT quando o fato da Descensus foi mencionado: assim Romanos 10: 7Romanos 10: 7 volta a Deuteronômio 30:13Deuteronômio 30:13 e Atos 2:31Atos 02:31 de Salmos 16:10Salmos 16:10 . Agora, o OT sugeriu uma libertação dos justos do Seol, e este pensamento estava destinado a ser proeminente no desenvolvimento da escatologia cristã.

 

Sheol, como vimos, é a morada dos espíritos dos mortos ( Salmos 49:14Salmos 49:14 ), e é a partir Sheol, personificada como o governante da região sombria, que o hebraico justos olhou para a libertação. "Deus remirá a minha alma do poder do Seol 'era sua esperança ( Salmos 49:15Salmo 49:15 ; cf. Salmos 30: 3Sl 30: 3 ). A promessa divina foi: 'Eu os remirei do poder do Seol "( Oséias 13:14Oséias 13:14 ). "Por causa do sangue do pacto, deu à luz teus presos da cova em que não havia água" ( Zacarias 09:11Zacarias 09:11 ) é uma previsão profética *. [Nota: Por isso é interpretado por Cirilo de Jerusalém (Cat xiii. .. 34)] Para o pensamento de St. Paul, o clímax da vitória de Cristo foi a conquista da morte ( 1 Coríntios 15:26 ); e era parte do propósito de Sua humilhação que em Seu triunfo dos poderes do sob mundo deve possuir o Seu domínio ( Filipenses 2:10 ἵνα πᾶν γόνυ κάμψῃ ... καταχθονίων ). Quando foi perguntado como esta subjugação foi exibido, a resposta estava pronto para entregar. Foi na libertação da escravidão do morto quem teve escravizado no inferno de Satanás. Cristo tem as chaves da morte e do Hades ( Apocalipse 1:18 ). 1 Coríntios 15:26Filipenses 2:10 Apocalipse 1:18

 

É possível que alguns tal concepção da missão do Messias ao partido foi prevalente em dias pré-cristãos. Duas passagens da Bereshith Rabba * [Nota: Citado de Weber por Bigg em 1 Pedro 3:19 . (. ICC, 1901, p 163)] são citados como atestando a crença judaica: "Quando os que estão vinculados, os que são em Gehinnom, viu a luz do Messias, alegraram-se a recebê-lo '; e 'Isto é o que está escrito, vamos alegrar e exultar em ti. Quando? Quando os cativos sair do inferno, e a Shechiná em sua cabeça. " Mas a data desta literatura é incerta, e pode ser afetada por ideias cristãs. De qualquer forma, essa concepção da finalidade de Cristo Descensus é proeminente nos primeiros documentos cristãos. Assim, em uma seção da Ascensão de Isaías (ix. 16f.) Atribuído pela Charles até ao fim do 1º cento. temos: 'Quando ele tiver saqueou o anjo da morte, ele subirá [ sc . de Hades] no terceiro dia ... e muitos dos justos subirá com ele "(cf. também x. 8, 14 e xi. 19," Eles crucificaram, e ele desceu ao anjo da Sheol '). Com este deve ser comparado Mateus 27: 52-53 ., Talvez o mais rapidamente sugestão do pensamento de que os santos foram libertados da escravidão do Hades pela descida de Cristo † [Nota: Então Origen interpreta Matthew 27:52 como um cumprimento da Salmos 68:18 (Lommatzsch, vi. 344).] Em uma segunda cento. seção do sibilino Oráculos (i 377.) temos: ὁπότ ' ἄν Αἰδωνέος οἷκον | βήσεται ἀγγέλλων ἐπαναστασίην τεθνεῶσιν ; e de novo (310 VIII.): ἥξει δ ' εἰς Ἀίδην ἀγγέλλων ἐλπίδα πᾶσιν . A data da interpolação (Christian), na versão latina de Sir 24:45 não é certo, mas as palavras interpolados são significativos: 'Penetrabo omnes inferiores contraditório terrae et inspiciam omnes dormientes, et illuminabo omnes sperantes in Domino ". Nós temos uma declaração explícita em Orígenes, que, ao comentar Romanos 5:14 , diz: 'Christum vero idcirco em infernum descendisse, não solum ut ipse não teneretur a morte, ut sed et eos, qui inibi não tam praevaricationis crimine, quam moriendi habebantur conditione, abstraheret '‡. [Nota: Lommatzsch, vi. 344.] Orígenes interpreta em outros lugares a ligação do 'homem forte' de Mateus 00:29 como uma prisão de Satanás no sub mundo, e Irineu dá o mesmo exegesis.§ [Nota: Haer. v. xxi. 3.] Esta é a visão geral: o propósito expresso de Descida de Cristo ao Hades era libertar as almas que estavam lá no encalço. O apócrifo Evangelho de Nicodemos trabalha fora, em detalhe pitoresco, a história do "Sopro do Inferno", uma lenda que profundamente impressionado a consciência da cristandade. Então generalizada era essa crença no início do período cristão que surgiu uma controvérsia sobre se as almas dos judeus ou dos gentios ou de ambos foram incluídos na libertação operada por Cristo em Hades. Marcião-se Irineu || [Nota: | ib. . I. xxvii] é para ser confiável-se que era apenas para a redenção das nações perverso de tempos antigos, mas Justin¶ [Nota: 72.] e Irineu ** [Nota: * adv. Haer. IV. xxvii. 2.] restringiu-lo para os justos de Israel; enquanto Clemente de Alexandria †† [Nota: † Strom. II. 9.] e sua escola incluiu tanto judeus e gentios em sua graça. Encontramos, então, que, enquanto o NT não dá nenhuma sanção explícita a esta ideia da conquista dos poderes do mundo inferior e a libertação das almas presas por Descida de Cristo ao Hades, foi firmemente estabelecida na 2ª e 3ª cento. e que cresceu a partir de frases AT sobre a redenção do Seol. 1 Pedro 3:19 Mateus 27: 52-53 Matthew 27:52Salmos 68:18. A data do (Christian) interpolação na versão latina de Sir 24:45Romanos 5:14 Matthew 00:29

 

  1. A ideia de que Cristo pregou no Hades para as almas que estavam em cativeiro há tem uma história um pouco diferente. Pode ser encontrada em Inácio ‡‡ [Nota: ‡ ad Magn. ix]. : "mesmo os profetas, sendo seus discípulos no espírito, esperavam-Lo como seu professor, e por esta razão, Ele, a quem eles justamente esperada, quando Ele veio, levantou dentre os mortos. ' Mais explícita é um oráculo citado tanto por Justin * [Nota: 72.] e por lrenaeus † [Nota: Haer. III. xx. 4.] , a partir de Isaías ou Jeremias, embora não seja no AT, e sua fonte não tenha sido traçada: "O Senhor Deus se lembrou de seus mortos de Israel, que estava nas sepulturas, e desceu a pregar-lhes a sua própria salvação . ‡ [Nota: Em outras passagens de Irineu onde esse oráculo é citado. (IV. Xxxiii. 12, v. Xxxi. 1) termina, 'desceu para resgatar e entregá-los ", sendo feita qualquer menção ou a pregação de Cristo em Hades.] Da mesma forma, o apócrifo Evangelho de Pedro (2ª cento .) fala de uma voz do céu que dizia: 'Tu pregar aos que dormem' ( ἐκήρυξας τοῖς κοιμωμένοις ). Este, de acordo com Clemente de Alexandria, que não tolerar os desenvolvimentos lendários da idéia de libertação, foi o único propósito de Descida de Cristo ao Hades, viz. que Ele deveria pregar o evangelho there.§ [Nota: vi. 6.]

 

Da de Cristo pregação no Hades não há prenúncio na OT, embora Clemente de Alexandria || [Nota: | ib.] terá que Job 28:22 prevê-lo. Mas é claramente indicado em 1 Pedro 3:19 ; 1 Pedro 4: 6 , e os esforços para explicar essas passagens de uma pregação do Cristo pré-existente aos patriarcas, ou de sua missão para os mortos espiritualmente, só pode ser considerado como pós-pensamentos de cristologia, embora eles têm a autoridade de Agostinho e Tomás de Aquino. As palavras são explícitos: τοῖς ἐν φυλακῇ πνεύμασιν πορευθεὶς ἐκήρυξεν ... νεκροῖς εὐηγγελίσθη . Vale ressaltar, no entanto, que a crença cristã primitiva quanto a este ponto não foi fundada sobre estes textos. Eles não são citados em conexão com os Descensus pelos primeiros escritores, como Inácio, Justin, ou Irineu. Cyprian¶ [Nota: ii. 27.] cita 1 Pedro 4: 6 , mas ele não faz comentários sobre ele; e Clemente de Alexandria ** [Nota: * Strom. vi. 6.] é o primeiro a usar 1 Pedro 3:19 para ilustrar a proclamação do evangelho em Hades. Nada é dito em qualquer passagem como ao efeito da pregar; não há nenhuma sugestão de que a libertação triunfante de almas do Hades, em que a próxima era amado para habitar. Na verdade, 1 Pedro 3:19 não fala de uma pregação a todos os espíritos dos mortos, mas apenas para aqueles dos patriarcas antediluvianos; e esta limitação, qualquer que seja o seu significado preciso, tem de ser mantido em mente. Foi, talvez, devido a esta limitação que a passagem não foi citado pelos primeiros escritores cristãos, quando debatendo o significado das Descensus ; a doutrina foi desenvolvendo-se de uma maneira bem diferente. Job 28:221 Pedro 3:191 Pedro 4: 6 1 Pedro 4: 6 1 Pedro 3:191 Pedro 3:19

 

  1. Uma passagem curiosa no Pastor de Hermas ( Sim . Ix. 16) lança alguma luz sobre a concepção cristã primitiva do sob mundo. Uma parábola é contada do edifício de uma torre que representa a Igreja em repouso. Todas as pedras que são construídos na torre são tiradas de "um certo lugar profundo" ( ἐκ βυθοῦ τινός ), ou seja, o mundo sob. O primeiro nível representa a primeira geração de homens, ou seja, de Adão a Abraão; o segundo, os de Abraão a Moisés; o terceiro, os profetas e ministros ( sc da Antiga Aliança.); enquanto a quarta camada representa os apóstolos e os professores da Nova Aliança. Todos iguais tinha "a levantar-se através da água 'que possa ser feito vivo, de modo que o selo do batismo é necessário para todos. Agora, os apóstolos e os professores 'diferente do resto em que eles tinham sido batizados antes que eles passaram para o mundo inferior; mas quando lá ', depois de terem adormecido no poder e na fé do Filho de Deus, eles também pregou a eles que tinha adormecido antes deles, e deu-lhes o selo da pregação ", sc . batismo. Assim Hermas não fala de uma descida de Cristo ao Hades, mas ele encontra uma missão lá para os apóstolos e professores da dispensação cristã, viz. que eles possam evangelizar e batizar os santos pré-cristãos, para que eles também podem tornar-se membros da Igreja. Clemente de Alexandria * [Nota: Strom ii. 9.] cita esta passagem de hérnias, e adicionar † [Nota: vi. 6.] que os apóstolos pregaram no Hades, seguindo o Banha . Provavelmente nem escritor tinha formulado um esquema bastante coerente da missão de Cristo para o mundo abaixo. Como Clemente considerou que os apóstolos eram seguidores de Cristo em Hades, ser Orígenes ensinou que Cristo teve precursores lá. Ele declarou que como os profetas, tanto os da OT e João Batista, eram Seus arautos na terra, para que eles eram Seus arautos do mundo sob: ‡ [Nota: em 1 Samuel 28: 3-25 .. (Lommatzsch xi 326 ).] Ἰησοῦς εἰς ᾄδου γέγονε , καὶ οἱ προφῆται πρὸ αὐτοῦ , καὶ προκηρύσσουσι τοῦ Χριστοῦ τὴν ἐπιδημίαν . 1 Samuel 28: 3-25

 

  1. A visão primitiva, medida em que podem ser coletadas de hérnias e Inácio, parece estar corretamente exposta por Loofs.§ [Nota: ERE iv. 661.] cristãos, uma vez que a Redenção operada pelo seu Mestre, não estavam sujeitos à escravidão do Hades após a morte; do poder da morte, eles foram libertados de uma vez por todas. E o que Cristo fez por os patriarcas em Hades foi colocá-los em uma posição como para aqueles que tinham sido favorecido pela Sua presença na terra. Aqueles que o recebeu não foram entregues a partir de escravo, como todos os Seus discípulos já haviam sido entregues. Isto não foi realizada por Tertuliano || [Nota: | de Anima, 58.] ou por Irineu, ¶ [Nota: Haer. v. xxxi. 2.] , mas é definitivamente indicado por Orígenes ** [Nota: * Hom. em 1 Samuel 28: 3-25 (Lommatzsch, xi 332.)]. : ἐὰν ἀπαλλαγῶμεν γενόμενοι καλοὶ καὶ ἀγαθοὶ ... οὐ κατελευσόμεθα εἰς τὴν χώραν ὅπου περιέμενον τὸν Χριστὸν οἱ πρὸ τῆς παρουσίας αὐτοῦ κοιμώμενοι . 1 Samuel 28: 3-25

 

Este pode ter sido o significado da pregação no Hades, mencionado em 1 Pedro 3:191 Pedro 3:19 ; 1 Pedro 4: 61 Pedro 4: 6 ; mas permanece obscura por isso que é limitada (pelo menos na primeira passagem) para os pecadores antediluvianos, pois não há nenhum indício de que eles estão a ser tomadas como típico de todos os homens que viveram antes do advento de Cristo.

 

  1. A descida ao Hades é o tópico em várias das recentemente descobertas Odes de Salomão , que datam do século 2.

 

Esses hinos notáveis ​​foram primeiramente publicadas a partir do siríaco pela Rendel Harris em 1909, e várias edições têm aparecido desde em alemão, francês e Inglês. As opiniões estão divididas quanto à sua data e ponto de vista doutrinário; mas não é duvidoso que as passagens aqui citadas são cristãos. Eles podem ser datadas, provisoriamente, entre ad 150 e 180.

 

Em Ode xxxi. 1 ss. temos uma Canção da Vitória de Cristo no mundo sob: "Os abismos foram dissolvidos diante do Senhor, e a escuridão foi destruída por sua aparência: Erro se desviou e pereceram em sua mão: e loucura não encontraram caminho para andar em ... Ele abriu a boca e falou graça e alegria ... O rosto dele estava justificada, pois assim seu santo Pai tinha dado a ele. Sai daí, vós que foram atingidas e receber alegria, e possuem suas almas por Sua graça, e tirar-lhe a vida imortal. " E em XLII. 15ss .: 'Sheol me viu, e foi feito miserável: Death lançou-me e muitos comigo ... Eu fiz uma congregação de homens vivendo entre os seus homens mortos, e falei com eles, os lábios vivos ... e aqueles que tinham morrido ... disse, Filho de Deus, tem piedade de nós ... e nos trazer para fora dos laços de escuridão; e abre-nos a porta pela qual virá a ti. '

 

Aqui temos a redenção das almas no Hades, e também uma pregação por Cristo lá depois de sua Paixão. Nestes Odes há a primeira aparição da doutrina detalhada do Descensus que é encontrado no Evangelho de Nicodemos , e depois foi universalmente predominante nos círculos cristãos. As Odes não apelar diretamente à Escritura; e a maneira pela qual eles fazem alusão ao fato e a finalidade do Descensus mostra que ele deve ter sido uma idéia cristã conhecida na data de sua composição.

 

  1. O apócrifo Evangelho de Nicodemos diz (ii. 10) que João Batista anunciou aos patriarcas em Hades que ser batizou o Cristo, que logo vêm para trazê-los de libertação. Nós já (§ 6) encontraram em Orígenes a concepção de João como o precursor de Cristo no mundo inferior; mas temos agora a perceber a notável semelhança entre a linguagem utilizada sobre o Descensus e que usou cerca de batismo. Quatro pontos em particular, podem ser observados:

 

( A ) A descida foi um indo para baixo em "abismo" ( Romanos 10: 7Romanos 10: 7 ). Um texto da OT citado por Cirilo de Jerusalém * [Nota: xiv. 20.] como pré-figurando este é Jonah 2: 6-7 , que é na Septuaginta : Jonah 2: 6-7

 

ἄβυσσος ἐκύκλωσέν με ἐσχάτη ,

ἕδυ ἡ κεφαλή μου εἰς σχισμὰς ὀρέων ,

κατέβην εἰς γῆν ἧς οἱ μοχλοὶ αὐτῆς κάτοχοι αἰώνιοι .

Agora, no batismo somos "sepultados com ele 'e' unidos a Ele pela semelhança da sua morte" ( Romanos 6: 4-5Romanos 6: 4-5 ). Os Padres, por exemplo, manjericão, † [Nota: de Spiritu Sancto, xv. 35.] fala explicitamente de nosso batismo como reflexo ou imitação de de Cristo Descensus ; como um Conselho Ocidental ‡ [Nota: 4 Concílio de Toledo (633), cap. 6.] tem, 'em mersio acervo, quasi em infernum descensio est.'

 

( B ) Quando Cristo desceu, os guardas das portas do inferno estavam com medo (cf. Job 38:17Job 38:17 πυλωροὶ δὲ ᾅδου ἰδόντες σε ἔπτηξαν ), eo Evangelho de Nicodemos ii. 8) fala das portas de bronze e barras de ferro que está sendo quebrado (cf. Salmos 107: 16Salmo 107: 16 , Isaías 45: 2Isaías 45: 2 ). Os poderes do mundo sob estavam aterrorizados. Agora, a Epístola de Barnabé (§ 11) cita como preditivos do batismo Isaías 45: 2Isaías 45: 2 'Vou esmagar portas de bronze e despedaçarei parafusos de ferro "; e o mesmo teste é em alusão a Odes de Salomão , xvii. 9, onde novamente a referência é ao batismo. Além disso, todos os ritos batismais orientais trazer a ideia das águas (a região misteriosa onde espíritos malignos habitam) sendo aterrorizado com a vinda de Cristo para o batismo, citando Salmos 77:16Salmos 77:16 ; Salmos 114: 3Sl 114: 3 ; Salmos 29: 3Salmos 29: 3 como previsão esta. Nós temos a mesma coisa em Odes de Salomão xxiv,. 1 e XXXI. 1F. Em algumas representações pictóricas do Batismo de Cristo, Jordan é representado alegoricamente como começando afastado no medo espantado. Isto é, o terror dos poderes do mal é descrito na mesma língua, se a Descida ao Hades ou o batismo cristão é a topic.§ [Nota: Ver Bernard, Odes de Salomon (. TS viii 3 [1912] ), p . 33 f., Por uma declaração mais completa e para as referências no que diz respeito ao assunto desta seção em geral.]

 

( C ) O objectivo principal, como já vimos (§ 3) do Descensus foi o lançamento de almas cativas. Mas que o batismo é uma liberação da escravidão, a servidão do pecado, é um lugar-comum na literatura cristã primitiva. Batismo, diz Cirilo de Jerusalém, || [Nota: | Procat. 16.] é λύτρον αἰχμαλώτοις (cf. Odes de Salomão , XXVII 11, xxi 1, xxv 1, e Efraim Syrus,... Hinos sobre a Natividade , xv. 9: "Bendito seja Aquele que anulou os laços").

 

( D ) O Evangelho de Nicodemos descreve a passagem para o paraíso dos santos remidos do Hades por Cristo. Foi, de novo, um pensamento familiar na especulação cristã primitiva que no batismo somos restaurados ao Paraíso, para o estado a partir do qual Adão caiu, a culpa do pecado original que está sendo anulado (cf. Orígenes, ¶ [Nota: em Gênesis 2: 8 .] Cirilo de Jerusalém, ** [Nota:.. * Cat i 4.] Basil, †† [Nota:.. † Hom xiii 2.] e Efraim, ‡‡ [Nota: ‡ Epiphany Hinos, xiii 17.. ] que diz dos batizados: "o fruto que Adão não provei em Paraíso, neste dia em suas bocas foi colocado, 'Veja também Odes de Salomão , XI 14).. Gênesis 2: 8

 

Outras ilustrações podem ser dadas, mas estes são suficientes para mostrar que o que pode ser chamado o folclore da Descida ao Hades está intimamente ligado com o folclore do batismo. A justaposição dos dois pensamentos-o ministério de Cristo no Hades e a eficácia do batismo em 1 Pedro 3:191 Pedro 3:19 f. é notável e merece uma análise mais aprofundada do que tem ainda recebeu de comentadores.

 

10 . O artigo "Ele desceu ao inferno 'não aparecer em qualquer Creed até a 4ª cento, o Symbol Arian de Sirmium (359), sendo o primeiro a incluí-lo.; e não está incluído no Credo baptismal da Igreja Oriental até hoje. O motivo com o qual ele foi inserido nos credos do Ocidente não é clara; mas, seja qual for o motivo era originalmente, a cláusula agora é útil como atestando a perfeita humanidade de Cristo, Seu espírito tendo passado para o mundo invisível após a morte, como os espíritos dos afazeres partiu. Também não estamos apenas a tradição cristã primitiva, ou conscientes das implicações de 1 Pedro 3:191 Pedro 3:19 ; 1 Pedro 4: 61 Pedro 4: 6 , se nós não reconhecemos que este Descensus deve ter afetado de alguma maneira a condição das almas no mundo invisível.

 

Literature.-Isto é muito abundante. "Descida ao Hades (Cristo)" Os artigos de Loofs na Encyclopaedia of Religion and Ethics e 'Hell (Descent into)' por queimadura em Dict. de Cristo e os Evangelhos com a literatura citada são mais valiosos. Um grande número de referências patrísticos serão encontrados em F. Huidekoper, a missão de Cristo para o Submundo 2 , New York, 1876. HB Swete, O Credo dos Apóstolos , Londres, 1894; ECS Gibson, Os Trinta e Nove Artigos da Igreja da Inglaterra , fazer. 1896-1897; e J. Turmel, La Descente du Christ aux enfers , Paris, 1905, dar resumos úteis. C. Bigg. Epp. de St. Peter e St. Jude ( Comentário Crítico Internacional , 1901), é a mais completa Comentário Inglês sobre os textos petrino.

Dicionário Hasting

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net