Translate this Page

Rating: 3.0/5 (931 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


Torre de Babel
Torre de Babel

                                             Torre de Babel (historia)                                   

                                             

Esta expressão não ocorre no Antigo Testamento, mas é usado popularmente para o mighdol torre construída pelos habitantes do mundo que, viajando no Oriente, construíram uma cidade na planície de Shinar, com uma torre ", cujo cume toque até céu "- uma expressão que é considerado como significando" uma torre muito alta ".

 

  1. Formulário Geral da Babilônia Templo-Towers:

Houve uma grande diferença, porém, entre um mighdol cananeu ou torre de vigia, ea grande torre na Babilônia. A torre de vigia era simplesmente uma estrutura alta, provavelmente sem nenhuma forma especial ou forma, que dependia da vontade do arquiteto e da natureza do terreno em que foi erguido. A torre de Babel ou Babilônia, no entanto, era uma estrutura peculiar a Babilônia e Assíria. De acordo com todas as contas e, a julgar a partir das ruínas das várias ereções existentes nesses países, torres babilônicos estavam sempre rectangular, construído em etapas, e desde que com uma subida inclinada continuou ao longo de cada lado para o topo. Como cerimônias religiosas foram realizadas no mesmo, eles eram geralmente encimada por uma capela em que os objetos sagrados ou imagens foram mantidos.

 

  1. Seu Nome babilônico:

Estas ereções teve, entre os babilônios, um nome especial: ziqquratu, significado, aparentemente, "pico", ou o ponto mais alto de uma montanha, esta palavra a ser aplicada à montanha altura em que Ut-Napishtim, o babilônico Noah, oferecido sacrifícios no surgimento da arca (ou barco), quando as águas do Dilúvio tinha suficientemente diminuiu. Também foi Acredita-se que eles foram usados ​​como observatórios quando os babilônios estudou o céu estrelado. Isto é provável, mas uma vez que estas estruturas eram de grande altura, é possível que, na atmosfera clara das planícies Babilônicas, não houve necessidade real para ir acima da superfície da terra, ao fazer as suas observações.

 

  1. paradeiro da Torre de Babel:

Tem havido muita diferença de opinião quanto à posição geográfica da Torre de Babel. A maioria dos escritores sobre o assunto, seguindo a tradição, transmitida pelos judeus e árabes, identificaram-lo com o grande templo de Nebo, na cidade de Borsippa, agora chamado de Birs-Nimroud (explicado como uma corrupção da Birj Nimroud, "Torre de Nimrod "). Este edifício, no entanto, não obstante a sua importância, foi ao que tudo indica nunca considerou pelos babilônios como a Torre de Babel, pela boa razão de que não se situava na Babilônia, mas em Borsippa, que, apesar de chamado, nos últimos tempos, "o segundo Babylon," naturalmente não era o original da cidade de mesmo nome. A ereção considerado pelos babilônios como a grande torre de sua cidade antiga era E-Temen-ana-ki ", o Templo da fundação do céu e da terra", chamado por Nabopolassar e Nabucodonosor ziqqurat Babili, "Torre de Babel" - -o templo de renome mundial dedicada a Merodach e sua consorte Zer-panitum, principais divindades da Babilônia.

 

  1. sua posição em Babylon:

Esta estrutura foi situado na parte sul da cidade, não muito longe da margem direita do rio Eufrates, e de acordo com Weissbach, é agora representada por uma depressão no interior do qual é o núcleo rectangular original tijolo unbaked. A partir de sua forma, os árabes fizeram este site Sahan, "o prato." Estes restos do grande templo-torre de Babilônia, dentro da memória dos homens não muito antigos, torres, mesmo em seu estado arruinado, alta acima da planície circundante. Os tijolos queimados dos antigos babilônios, no entanto, que "o tijolo por pedra, eo betume (asfalto) de argamassa" ( Ge 11: 3 ), ainda são bons e têm um valor comercial, por isso eles foram todos esvaziados, com o que quer material precioso na forma de antiguidades que podem ter contidas, para reparar, diz-se, às margens do Canal Hindiyeh. Certos registros em forma de cónicas "cilindros", no entanto, entrou no mercado, e que foram adquiridos pelos museus da Europa e América. Como estes referem-se à restauração do edifício por Nabopolassar, ea parte tomada por seus filhos Nabucodonosor e Nabu-sum-lisir nas cerimônias que frequentam a reconstrução, é muito provável que faziam parte dos despojos adquiridos.

 

  1. A babilônico Descrição da Torre:

E-Temen-ana-ki, para dar o nome da Babilônia (Suméria), composto de seis etapas construídos sobre uma plataforma, e provido de um santuário no topo. Um comprimido aparentemente dando uma descrição detalhada deste edifício foi por um tempo nas mãos do falecido George Smith no ano de 1876. Infelizmente ele não teve tempo para dar uma tradução do documento, ou para publicar o texto, mas seu relato detalhado dele (Athenaeum, 12 de fevereiro, 1876) é extremamente interessante.

 

Primeiro foi o átrio exterior chamado de "grande corte", de medida, de acordo com a estimativa de G. Smith, 1.156 pés por 900 pés, e um menor, chamado de "o tribunal de Ishtar e Zagaga," 1.056 pés por 450 ft em volta da corte eram seis portões admitindo aos templos:. (1) a grande porta; (2) o portão do sol nascente (leste); (3) a grande porta; (4) à porta dos colossos; (5) o portão do canal; e (6) o portão da torre-view.

 

  1. A Plataforma:

Depois disso, veio um espaço ou plataforma aparentemente murado - um quadrado ki-gallu em forma, e medindo 3 ku em cada sentido. O seu tamanho é duvidosa, tal como o valor de a Ku é desconhecido. Os lados deste gabinete enfrentaram os pontos cardeais. Em suas paredes eram de quatro portas, uma de cada lado, e nomeado a partir dos pontos para que eles pareciam. Dentro desta caixa, havia um grande edifício medindo 10 gar (Smith:. 200 pés) em cada sentido. Infelizmente, o nome desse erecção foi danificado, de modo que a sua natureza e utilização são incertos.

 

  1. As Capelas e Santuários:

Em volta da base da Torre eram pequenos templos ou capelas dedicados aos vários deuses dos babilônios. No Oriente eram 16 santuários, o principal deles sendo dedicado a Nebo e Tasmetu, o seu cônjuge; de ti Norte eram dois templos dedicados a Ea. (Ae) e Nusku respectivamente; no Sul foi um único templo para os dois grandes deuses, Anu e Bel (Enlil?). Foi no Ocidente, no entanto, que os principais edifícios lay - uma casa de casal com um tribunal entre as asas 35 côvados (Smith: 58 pés) de largura. Estas duas asas não eram iguais em dimensões, a construção de um dos lados sendo 100 côvados por 20 (166 pés por 34 pés) e sobre os outros 100 côvados por 65 (166 pés por 108 pés). Nestas câmaras ocidentais levantou do sofá do deus, eo trono de ouro mencionado por Heródoto, com outros objetos de grande valor. O sofá foi indicado para mediram 9 côvados por 4 (15 pés por 6 pés 8 polegadas).

 

  1. A torre na sua primeira fase:

No centro destes grupos de edifícios estava a grande torre em estágios, chamado pelos babilônios "Torre de Babel" (ziqqurat Babili). Os estágios diminuiu desde o mais baixo para cima, mas cada um era quadrado no plano. O primeiro ou fundação em estágio era de 15 gar em cada sentido por 5 1/2 gar elevadas (300 pés por 110 pés de altura), e parece ter sido decorado com as habituais recessos duplos, uma característica da arquitetura Assyr-Bab.

 

  1. As restantes etapas:

A segunda etapa foi de 13 quadrado gar e 3 gar alta (260 pés por 60 pés). Um termo foi aplicado a ele que G. Smith não entendia, mas ele observa que ele provavelmente tinha lados inclinados. Os estágios do 3º para o 5º eram todos de igual altura, ou seja, 1 gar (20 pés), e foram, respectivamente, 10 gar (200 ft.), 8 1/3 gar (170 ft.) E 7 gar (140 ft.) quadrados. As dimensões da fase 6 foram omitidos, mas pode ser restaurada em conformidade com os outros, ou seja, 5 1/2 GAR quadrado (110 pés) por um. GAR (20 ft.) Elevados.

 

  1. O Chapel at the Top:

Nesta foi levantado que Smith chama a 7ª fase, ou seja, o templo superior ou santuário do deus Bel-Merodach, 4 gar de comprimento, 3 1/2 gar ampla e 2 1/2 gar altos (80 pés, 60 pés , e 50 pés, respectivamente). Ele não menciona a estátua do deus, mas pode-se supor que ele foi criado neste ereção superior. A altura total da torre acima do seu fundamento era, por conseguinte, 15 GAR (300 ft.), O mesmo que a largura da sua base. Não se pode dizer que era por todos os meios uma bela ereção, mas provavelmente houve algum simbolismo em suas medidas, e na aparência provavelmente se assemelhava (exceto a decoração) da torre do templo de Calá, conforme restaurado no frontispício de monumentos de Nineveh de Layard , primeira série, em que um passo de pirâmide com uma fase semelhante highbasement é mostrado.

 

  1. Heródoto Descrição:

Com esta descrição detalhada, que é exatamente o que seria de esperar em uma conta babilônica de um templo tão célebre, a descrição em Heródoto (i.181 ff) concorda. Ele afirma que era uma praça do templo em forma, dois estádios (1.213 pés) para cada lado, no meio dos quais foi construída uma torre sólida uma praça Furlong (cerca de 607 pés). Isso, no entanto, deve ter sido a plataforma, que, com as seis etapas e capela no topo, tornaria-se o total de oito etapas dos quais Heródoto fala. A subida pela qual o topo foi atingido ele descreve como executar o "round fora sobre todas as torres" - texto que sugere, embora não necessariamente, que era espiral - ou seja, um tinha para caminhar ao redor da estrutura 7 vezes para chegar ao topo . Representações sobre babilônicos fronteira pedras sugerem que esta visão seria correto, apesar de um arranjo simétrico de caminhos inclinados poderia ter sido construído o que teria melhorado muito o design. No meio da subida, Heródoto diz, havia um lugar parar com assentos para descansar em cima, que em vez favorável a esta ideia. Na parte superior da última torre houve uma célula grande, e na célula de um sofá grande foi colocada, bem coberto; e por uma mesa de ouro. Não havia nenhuma imagem ali, nem qualquer ser humano passar a noite lá, com exceção apenas uma mulher dos nativos do lugar escolhido pelo deus ", como dizem os caldeus, que são os sacerdotes deste deus". Estes homens disse Heródoto que o deus muitas vezes veio à célula, e descansou em cima do sofá, "mas", ele acrescenta: "Eu não acredito que eles." Depois de mencionar paralelos com isso a egípcia Tebas e PATAM em Lycia, ele continua a falar de outra célula abaixo (que se refere o tablet da G. Smith), em que uma grande imagem de Zeus (Bel-Merodach) estava sentado, e um estrado e uma grande mesa, todo de ouro, e pesando nada menos do que 800 talentos. Fora desta célula era um altar ao deus, feito de ouro; e também um outro altar, sobre o qual os animais adultas foram sacrificados, o altar de ouro sendo apenas para crianças de peito. Os caldeus também lhe disse que não havia, no recinto do edifício, uma estátua de 12 côvados de altura, e de ouro maciço. Darius Hystaspis desejado para tomar posse desse objeto valioso, mas não se aventurar. Seu filho Xerxes, no entanto, não foi tão atencioso com os sentimentos das pessoas e do sacerdócio, para que ele também matou o padre quando ele proibiu-o de se meter com ele.

 

  1. Os construtores da torre:

O registro bíblico não indica quem eram as pessoas que viajaram no Leste e construiu a cidade ea torre. O indefinido "que" poderão ser tomadas para significar o que quer que as pessoas estavam lá no momento do registro foi escrito, e provavelmente pressupõe que o leitor certamente sabe. Como a Torre de Babel traz, nas inscrições nativas, um nome Sumero-acádio, pode-se supor que os construtores referido pertencia a essa corrida.

 

  1. tradições sobre a sua destruição:

É de salientar que nada é dito em Gn relativo à paralisação da ereção, embora eles cessaram de edificar a cidade. Bochart registra uma tradição judaica que faz com que a torre ter sido dividido por meio de sua fundação pelo fogo que caiu do céu - sugeriu, provavelmente pela condição da torre a "segunda Babilônia", ou seja, o Birs Nimroud. Outra tradição, gravada por Eusébio (Prep Evang, ix;.. Chronicon, 13;.. Syncel Chron, 44) torna ter sido derrubadas pelos ventos; "Mas quando se aproximou dos céus, os ventos ajudaram os deuses, e capotou o trabalho em cima de seus contrivers: e os deuses introduziram uma diversidade de línguas entre os homens, que, até esse momento, tinham falado a mesma língua."

 

  1. O significado de "Babel":

O lugar onde eles construíram a torre foi chamada Babilônia, por causa da confusão das línguas. Aqui temos novamente a declaração como em Gen que o significado de Babel é "confusão". Isto, como é bem conhecido, baseia-se na lei puramente Hebrew etimologico, o que torna Balal, "confundir," ou "misturar", assumir uma forma reduplicate; mas, tanto quanto as inscrições cuneiformes, que agora são muito numerosos, dá-nos informações, Babel, de baldlu, "se misturar" (a raiz em questão), era uma impossibilidade. Mas no lado da Babilônia, que a prestação do nome como Bab-ili (-ilani), "porta de Deus" ( "dos deuses") era um folk-etimologia, é inquestionável, apesar de que a forma Sumero-acádio Ka -dingira, com o mesmo significado, está longe de ser rara. É digno de nota, no entanto, que uma das formas utilizadas pela Nabucodonosor é Babilam, com o mimmation ou "emming", que é uma característica da língua babilônico; Além disso, um nome de local Babalam também ocorre, o que pode ser um ainda mais cedo, e talvez o original, forma. Não obstante que a gente gostaria de ver na Babalam, "o lugar de reunir", e em Babilam, "aquele que traz juntos", o -AM rescisão parece ser uma dificuldade insuperável.

 

  1. The Ultimate destruição da torre:

Que a construção da cidade teria sido parado quando a confusão de línguas ocorreu é natural - a partida da maior parte dos habitantes fez esta inevitável. Quando a população aumentou novamente, a construção da cidade foi continuado, com o resultado que a Babilônia, em última análise se tornou a maior cidade do mundo então conhecido. A torre, não obstante o que foi dito quanto à sua destruição, manteve-se, e quando, como aconteceu ao longo do tempo, sua condição se tornou ruinosa, um rei babilônico energético iria restaurá-lo. Alexandre e Filipe da Macedônia começou limpando o lixo para reconstruir o grande templo de Bclus (Bel-Merodach) ligado a ele e não há qualquer dúvida de que a torre teria sido restaurada da mesma forma, mas a morte prematura do anterior, eo calibre deficiente mental do último para a decisão de um grande império, pôr fim ao trabalho. Por conseguinte, a torre permaneceu sem conserto - ". A torre foi extremamente alto A terceira parte dela afundou-se no chão, um segundo terço foi incendiada, eo terço restante estava em pé até que o tempo da destruição da Babilônia" (Rabbi Yehanan , Sanhedhrin, 109, 1).

 

  1. Nenhuma idéia de alcançar o Céu:

 

Em relação à intenção de renome dos construtores da Torre, para levá-lo tão alto quanto o céu, que, apesar do Talmud e outros escritos, pode ser demitido de uma só vez. A intenção era construir uma torre muito alta, e isso é tudo o que está implícito nas palavras empregadas. Que os babilônios teria gostado sua torre para alcançar o céu pode ser concedido, ea idéia pode ser tomado como simbólica do orgulho de Babylon, mais especialmente no que eles consideravam-no como "a casa da fundação do céu e da terra". Embora, actualmente, trouxeram mais baixo do que os outros templos torres de Babilônia, a sua fama permanece como uma das grandes glórias do que o capital de renome. Dedicado como era aos deuses a quem eles adoravam e, principalmente, para a glória de Merodach, o representante do monoteísmo babilônico, descendentes dos babilônios, os cristãos nativos, não tem nenhuma razão para lembrar este ereção de seus antepassados ​​com vergonha, mas sim com orgulho. O rallyingpoint das nações, Babilônia, enquanto ele existiu, sempre foi um grande centro comercial, e muitos são os idiomas que ressoavam nas imediações do Tower. A confusão das línguas levou à ficção judaica que o ar da Babilônia e Borsippa causada esquecimento, e foi, portanto, prejudicial para os alunos da lei, fazendo-os esquecer como os construtores da Torre teve de idade esquecido seu discurso (Rashi, Sanhedhrin , 109, 1). Isso, no entanto, não impediu que os rabinos da Babilônia de ser mais comemorado do que os da Terra Santa, e até mesmo da própria Jerusalém.(fonte Standard enci. biblica 1915).

fonte www.mauricioberwaldoficial.blogspot.com