Translate this Page

Rating: 3.0/5 (914 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


As gerras judaicas
As gerras judaicas

                                      AS GUERRAS JUDAICAS

 

A Primeira Guerra Judaico-romana (66-73 dC ), às vezes chamado de A Grande Revolta ( hebraico : המרד הגדול , ha-Mered Ha-Gadol , Latina : Primum populi Romani bellum em Iudaeos [ carece de fontes? ] ), foi o primeiro de três grandes rebeliões por parte dos judeus da província de Judea (Iudaea) contra o Império Romano . A segunda foi a Guerra Kitos em 115-117 que ocorreu principalmente na diáspora , eo terceiro foi a revolta de Bar Kokhba de 132-135 CE.

A Grande Revolta começou no ano 66 dC, originários das tensões religiosas gregas e judaicas. A crise se agravou devido a protestos anti-tributação e ataques a cidadãos romanos.  Os romanos responderam por saquear o templo judaico e execução de até 6.000 judeus em Jerusalém, levando a uma rebelião em grande escala. A guarnição militar romana da Judéia foi rapidamente invadida por rebeldes, enquanto o rei pró-romano Agripa II , juntamente com os oficiais romanos, fugiu Jerusalém . Quando se tornou evidente a rebelião estava ficando fora de controle, Céstio Galo , o legado da Síria , trouxe o exército sírio, com base na Legião XII Fulminata e reforçado por tropas auxiliares, para restaurar a ordem e reprimir a revolta. Apesar dos avanços iniciais e conquista de Jaffa, a Legião da Síria foi emboscado e derrotado por rebeldes judeus na batalha de Beth Horon com 6.000 Romanos massacrados e da Legião aquila perdido - um resultado que chocou a liderança romana.

Mais tarde, em Jerusalém, uma tentativa por Menahem ben Yehuda , líder do Sicarii , para tomar o controle da cidade falhou. Ele foi executado e os restantes sicários foram expulsos da cidade. Um carismático, mas radical líder camponês Simão bar Giora também foi expulso pelo novo governo da Judéia, e Ananus ben Ananus começou reforçando a cidade. Yosef ben Matityahu foi nomeado o comandante rebelde na Galiléia e Elazar ben Hananiya como o comandante-em Edom .

O general experiente e despretensioso Vespasiano foi dada a tarefa de esmagar a rebelião na província de Judéia. Seu filho Tito foi nomeado segundo-em-comando. Dada quatro legiões e assistido por forças do rei Agripa II, Vespasiano invadiu Galileia em 67. Evitar um ataque direto sobre a cidade reforçada de Jerusalém, que foi defendida pela principal força rebelde, os romanos lançaram uma campanha persistente de erradicar redutos rebeldes e punir a população. Dentro de alguns meses Vespasiano e Tito assumiu as principais fortalezas judeu da Galiléia e, finalmente, invadiram Jodapatha , que estava sob o comando de Yosef ben Matitiyahu, após um cerco de 47 dias. Impulsionada pela Galiléia, rebeldes zelotes e milhares de refugiados chegaram na Judéia, criando turbulência política em Jerusalém. O confronto entre o principalmente saduceus e os habitantes de Jerusalém principalmente zelotes facções da revolta do Norte sob o comando de João de Giscala e Eleazar ben Simon , entrou em erupção em sangrento violência. Com edomitas entrar na cidade e lutando ao lado dos zelotes , Ananus ben Ananus foi morto e sua facção sofrido pesadas baixas. Simon Bar Giora, comandando 15.000 soldados, foi então convidados para Jerusalém pelos líderes saduceus se levantar contra os zelotes, e rapidamente assumiu o controle sobre grande parte da cidade. Luta interna entre facções do Bitter Bar-Giora, John e Eleazar seguido pelo ano 69.

Depois de uma pausa nas operações militares, devido à guerra civil e turbulência política em Roma , Vespasiano foi chamado a Roma e nomeado imperador em 69. Com a saída de Vespasiano, Tito mudou-se para cercar o centro de resistência rebelde em Jerusalém no início de 70. O primeiros dois muros de Jerusalém foram violados no prazo de três semanas, mas um impasse rebelde teimoso impediu o exército romano de quebrar o terceiro e mais grossa parede. Na sequência de um cerco de sete meses brutal, durante a qual Zealot lutas resultou em queima de todo o abastecimento de alimentos da cidade, os romanos finalmente conseguiram romper as defesas das forças judaicas enfraquecidos no verão de 70. Após a queda de Jerusalém, Titus partiu para Roma, deixando Legião X Fretensis para derrotar os restantes redutos judeus, finalizando a campanha romana em Masada em 73-74.

 

Fundo

Mais informações: tumultos de Alexandria (38) , e Jacob Simon revolta e judaísmo helenístico

Rei Herodes governou Jerusalém 37-4 aC como um rei vassalo do Império Romano. Herodes, o Grande era conhecido como um tirano, principalmente por causa de sua campanha para matar qualquer um que pudesse reivindicar o trono. Herod tinha todos os parentes da dinastia anterior, a dinastia dos Hasmoneus , executado. Isto incluiu sua esposa, a filha de um rei Hasmoneus, e todos os membros de sua família. Herodes também criou uma nova linha de nobreza que teria lealdades apenas ele. Ele nomeou novos sumos sacerdotes de famílias que não estavam ligados à dinastia passado. Porque Herodes matou todos os laços com a dinastia dos Hasmoneus e nomeou novos sumos sacerdotes, houve um vazio de poder quando ele morreu.

Outro aspecto do legado de Herodes era dificuldade econômica. Trabalhadores de trabalho, que haviam sido empregados em locais de construção em grande escala de Herodes, tornou-se pobre. [ 5 ] Após a morte de Herodes, o pobre economia levou a tumultos, e devido à falta de liderança na região, a violência não foi controlado. Vazio de liderança de Herodes fez a região vulnerável a tumultos e pode ser considerado uma causa preventiva da Grande Revolta.

Depois que o rei Herodes morreu, os romanos instituiu procuradores para governar os judeus.  No início, os procuradores romanos respeitadas as leis e costumes do povo judeu, o que lhes permite descansar no sábado, concedendo-lhes isenção de rituais pagãos, e até mesmo imprimir moedas de livre de imagens, apesar do fato de que em outros lugares as moedas traziam imagens.  Quando confrontado com um procurador que desrespeitou as suas leis e costumes, os judeus pediram ao governador da Síria para obter o oficial removido.  No entanto, isso mudou com a instituição de Gessius Florus como um procurador. Florus ajudou a definir a revolta em movimento depois de roubar o tesouro do templo, e assassinar judeus que se opunham à destruição.  Diante Florus como um procurador, os judeus tentaram para angariar o apoio do governador da Síria no momento Cestius Gallius.] Este pedido de ajuda no entanto não conseguiu obter qualquer apoio. A conseqüente revolta que eclodiu foi o primeiro de uma série de revoltas, e levou à formação de várias facções revolucionárias.  A revolta foi intensificada quando Florus tentou parar os distúrbios, o que realmente incitados zelo mais revolucionário.

Na sequência crescente dominação romana do Mediterrâneo Oriental , o inicialmente semi-independente dinastia de Herodes foi incorporada oficialmente no Império Romano no ano 6 dC. A transição do reino cliente em uma província romana trouxe uma grande dose de tensão e uma revolta judaica por Judas da Galiléia irrompeu como uma resposta ao Censo de Quirino . Esta revolta foi rapidamente sufocada pelos romanos.

Os anos 26/07 foram relativamente calmos, mas depois de 37 a província começou novamente a ser uma fonte de problemas para o imperador Calígula . A causa das tensões no leste do Império foi complicada, envolvendo a disseminação da cultura grega , Direito Romano e os direitos dos judeus no Império . Calígula não confiava o prefeito do Egito, Aulus Avilius Flaccus . Flaccus havia sido leal a Tibério, conspiraram contra a mãe de Calígula e tinha ligações com os separatistas egípcias.  [ melhor fonte necessário ] Em 38, Calígula enviou Agripa a Alexandria sem aviso prévio para verificar Flaccus. [ melhor fonte necessário ] De acordo com para Philo, a visita foi recebida com vaias da população grega, que viu Agripa como o rei dos judeus.  [ melhor fonte necessário ] Flaccus tentou aplacar tanto a população grega e Calígula por ter estátuas do imperador colocado em judaicas sinagogas]

Como resultado, extensas religiosas motins eclodiram na cidade. ] Caligula respondeu removendo Flaccus de sua posição e executá-lo.  Em 39, Agripa acusado Herodes Antipas , o tetrarca da Galiléia e Perea , do planejamento de uma rebelião contra o domínio romano com a ajuda de Pártia . Herodes Antipas confessou e Caligula exilou. Agripa foi recompensado com seus territórios.

Motins eclodiram novamente em Alexandria em 40 entre judeus e gregos.  judeus foram acusados ​​de não honrar o imperador.  As disputas ocorreram também na cidade de Jâmnia.  judeus ficaram irritados com a construção de um altar argila e destruiu.  Em resposta, Calígula ordenou a construção de uma estátua de si mesmo no judaica Templo de Jerusalém ,  O governador da Síria, Publius Petronius , temendo uma guerra civil se a ordem foram realizadas, atrasou sua implementação para quase um ano. Agripa finalmente convenceu Caligula para inverter a ordem.]

Em 46 uma insurreição pelos judeus eclodiu na província de Judeaea. A revolta Jacob Simon e foi instigado por dois irmãos Jacob e Simon e durou entre 46-48. A revolta, que se concentrou na Galiléia, começou como insurgência esporádica e em 48 foi colocado para baixo por autoridades romanas e os dois irmãos executados.

Cronologia

 

Esta seção precisa citações adicionais para a verificação . Por favor, ajudem a melhorar este artigo por adicionando citações de fontes confiáveis ​​. Unsourced material pode ser desafiado e removido. (Abril de 2014)

Surto da rebelião

Segundo Josefo, a violência que começou em Caesarea em 66 foi provocado por gregos de uma certa casa de comerciante sacrificar aves em frente de uma sinagoga local.  A guarnição romana não intervieram e os de longa data helenística e judaica tensões religiosas levou uma espiral descendente. Em reação, um dos funcionários do Templo judaico Eliezar ben Hanania deixou orações e sacrifícios para o imperador romano no Templo. Protestos sobre tributação entrou para a lista de queixas e ataques aleatórios em cidadãos romanos e percebidos "traidores" ocorreu em Jerusalém. [ carece de fontes? ] O Templo judaico foi então violada pelas tropas romanas na ordem do governador romano Gessius Florus , tendo dezessete talentos removidos de o tesouro do Templo , alegando que o dinheiro era para o Imperador. Em resposta a esta ação, a cidade caiu em desassossego e uma parte da população judaica começou a zombar abertamente Florus passando uma cesta em torno de recolher dinheiro como se Florus foi pobre.  Florus reagiu à agitação através do envio de soldados em Jerusalém o dia seguinte para invadir a cidade e prender vários dos líderes da cidade, que mais tarde foram chicoteados e crucificado , apesar de muitos deles serem cidadãos romanos .  Logo, as facções nacionalistas judaicas indignados pegaram em armas ea guarnição militar romana de Jerusalém era rapidamente invadida por rebeldes. Temendo o pior, o rei pró-romano Agripa II e sua irmã Berenice fugiram de Jerusalém para a Galiléia. Milícias da Judéia mais tarde mudou-se sobre os cidadãos romanos da Judéia e funcionários pró-romanas, limpando o país de quaisquer símbolos romanos.

Gallus campanha

Em resposta à agitação na Judéia, Céstio Galo , o legado da Síria , montado a legião sírio XII Fulminata , reforçado com unidades de III Gallica, IIII Scythica e VI Ferrata, além de auxiliares e aliados, um total de 30.000 soldados, a fim de restaurar a ordem na província vizinha. A legião sírio capturado Narbata e também levou Sipporis, que se rendeu sem luta. Os rebeldes da Judéia, que se retiraram Sipporis, refugiou-se na Atzmon colina, mas foram derrotados na sequência de um curto cerco. Gallus mais tarde chegou a Acre, no oeste da Galiléia, e depois marcharam em Cesaréia e Jaffa, onde massacraram cerca de 8.400 pessoas. Continuando sua campanha militar, Gallus levou Lida e Afeq e engajados rebeldes Jerusalemite em Geva, onde perdeu 500 soldados romanos para os rebeldes da Judéia sob Simão bar Giora, reforçadas por voluntários aliado de Adiabene .

A legião sírio então investiu Jerusalém, mas por motivos incertos e, apesar dos ganhos iniciais, retirou-se para trás em direção à costa, onde foi emboscado e derrotado por rebeldes da Judéia na batalha de Beth Horon - um resultado que chocou a liderança Império Romano. A derrota dos romanos em Beth Horon é considerada uma das piores derrotas militares do Império Romano por uma província rebelde longo de sua história. Cerca de 6.000 soldados romanos foram mortos e muitos mais feridos na batalha, com Legio XII Fulminata perder sua aquila , como Gallus abandonou suas tropas em desordem em fuga para a Síria.

Campanha de Vespasiano

Artigos principais: Cerco de Yodfat e cerco de Gamla

Imperador Nero nomeado general Vespasiano, em vez de Gallus para esmagar a rebelião. Vespasiano, juntamente com legiões X Fretensis e V Macedonica , desembarcou em Ptolemaida em abril de 67. Lá, ele foi acompanhado por seu filho Titus , que chegou de Alexandria na cabeça de Legio XV Apolinário , bem como pelos exércitos de vários aliados locais, incluindo a do rei Agripa II. Fielding mais de 60.000 soldados, Vespasiano iniciou suas operações por subjugar Galiléia.  Muitas cidades desistiram sem luta, embora outros teve de ser levado pela força. Destes, Josefo fornece contas detalhadas dos cercos de Yodfat e Gamla . Até o ano de 68, a resistência judaica no norte tinha sido esmagada, e Vespasiano fez Cesaréia Marítima seu quartel-general e metodicamente começou a limpar o litoral do país, evitando o confronto direto com os rebeldes em Jerusalém. Com base em números questionáveis ​​de Josephus, estima-se que o que vence romana da Galiléia resultou em 100.000 judeus mortos ou vendidos como escravos.

Reagrupamento de guerra e civis

Uma moeda emitida pelos rebeldes em 68, nota escrita paleo-hebraica . [ 25 ] Anverso : " Shekel , Israel Ano 3.. " Reverso : "Jerusalém do Santo"

Judeus, que foram expulsos da Galiléia reconstruída Joppa (Jaffa), que havia sido destruído antes por Céstio Galo. Cercado e cortou pelos romanos, eles reconstruíram as muralhas da cidade, e usou uma flotilha luz para desmoralizar comércio e interromper o fornecimento de grãos para Roma a partir de Alexandria .

Em seu The Jewish War Josephus escreveu:

Eles também construíram-se um grande número de navios piratas, e virou piratas sobre os mares próximos para a Síria, e Fenícia e Egito, e fez aqueles mares unnavigable a todos os homens.

Os líderes da revolta do Norte entrou em colapso, João de Giscala e Eleazar ben Simon , conseguiu escapar da Galiléia a Jerusalém com uma maior parte de suas forças. Embalado com militantes de diversas facções e cortados em grande parte pelas forças romanas, Jerusalém desceu rapidamente na anarquia, com os radicais que tomam o controle de grandes partes da cidade fortificada. Brutal guerra civil, em seguida, entrou em erupção, com os zelotes e sicários a fanática executar qualquer um que defende a rendição, e por 68 toda a liderança da revolta sul foi assassinado na luta interna, alguns no notório Zealot Temple Siege .

New Emperor

 

Marco Roman mencionar a destruição de estradas durante a revolta

Enquanto a guerra na Judéia estava em andamento, grandes eventos estavam ocorrendo em Roma. Em meados de 68, um comportamento cada vez mais errático o imperador Nero finalmente perdeu todo o apoio para a sua posição. O Senado romano , a Guarda Pretoriana e vários comandantes do exército proeminentes conspirou para a sua remoção. Quando o senado declarou Nero um inimigo do povo , ele fugiu de Roma e cometeu suicídio com a ajuda de uma secretária. O imperador recém-instalado, o ex-governador da Espanha Galba , foi assassinado depois de apenas alguns meses por Otho - um rival, desencadeando uma guerra civil que veio a ser conhecido como o Ano dos quatro imperadores . Em 69, embora anteriormente não envolvida, a Vespasiano populares também foi saudado imperador pelas legiões sob seu comando. Ele decidiu, após a conquista de mais apoio generalizado, para retornar a Roma para reclamar o trono do usurpador Vitélio , Otho ter matado a si mesmo, deixando seu filho Tito para terminar a guerra na Judéia.

Com a saída de Vespasiano, que se opusera um cerco aberto sobre Jerusalém, temendo perder muitas tropas contra a cidade fortificada, Titus avançada legiões romanas sobre o capital da província rebelde. Conquistando cidade após cidade, Titus rapidamente avançou para a região montanhosa, enquanto o clamor da supressão brutal criado uma imensa onda de refugiados da Judéia, buscando abrigo em Jerusalém fortificada. Os rebeldes da Judéia evitado confronto direto com as tropas romanas, como várias facções foram principalmente interessados ​​em seu próprio controle e sobrevivência, em vez de derrota romana. Enfraquecido pela guerra civil brutal dentro da cidade, as facções zelotes vitoriosos ainda poderia campo um número significativo de tropas para se opor a uma conquista romana imediata do capital.

Queda de Jerusalém

O cerco de Jerusalém, a capital fortificada da província, rapidamente se transformou em um impasse. Incapaz de romper as defesas da cidade, os exércitos romanos estabeleceram um acampamento permanente fora da cidade, cavar uma trincheira ao redor da circunferência de suas paredes e construindo um muro tão alto como as muralhas da cidade se em torno de Jerusalém. Qualquer um pego na trincheira, tentando fugir da cidade seria capturado, crucificado , e colocados em linhas em cima do muro de terra virada para Jerusalém. Os dois líderes zelotes, João de Gischala e Simon Bar Giora, única cessado as hostilidades e uniram forças para defender a cidade, quando os romanos começaram a construir muralhas para o cerco. Aqueles que tentam escapar da cidade foram crucificados, com até quinhentos crucificações que ocorre em um dia.

Durante a luta interna dentro das muralhas da cidade, um fornecimento de alimentos estocados seco foi intencionalmente queimado pelos zelotes para induzir os defensores para lutar contra o cerco, em vez de negociar a paz; como resultado muitos moradores da cidade e os soldados morreram de fome durante o cerco. Tácito , historiador da época, observa que os que estavam em Jerusalém sitiada ascendeu a nada menos que seiscentos, que homens e mulheres igualmente e cada idade envolvidos em resistência armada, todo mundo que poderia pegar uma arma fez, ambos os sexos mostrou a mesma determinação, preferindo a morte a uma vida que envolveu a expulsão do seu país.  Josefo coloca o número dos sitiados no próximo 1 milhão.

 

Os tesouros de Jerusalém tomada pelos romanos (detalhe do Arco de Tito ).

Na sequência de um cerco de sete meses, Titus Flavius, filho de Vespasiano, usado eventualmente o colapso de vários dos muros da cidade para romper Jerusalém . No verão de 70, os romanos tinham violado os muros de Jerusalém, saqueando e queimando quase toda a cidade. Os romanos começaram por atacar o ponto mais fraco: a terceira parede. Foi construído pouco antes do cerco por isso não tem tanto tempo investido em sua proteção. Eles conseguiram no final de maio e logo depois rompeu a mais importante segunda parede. Durante as fases finais do ataque Romano, Zealots sob João de Giscala ainda segurava o Templo, enquanto o Sicarii, liderada por Simon Bar Giora, realizada na cidade superior. O Segundo Templo (o renovado Templo de Herodes ), um dos últimos bastiões fortificados da rebelião, foi destruída em Tisha B'Av (29 ou 30 de julho 70).

Todas as três muralhas de Jerusalém foram eventualmente destruídos, bem como o Templo e as cidadelas; a cidade foi, em seguida, colocar a tocha, com a maioria dos sobreviventes levados em escravidão; algumas dessas pedras virados e seu local de impacto ainda pode ser visto. João de Giscala rendeu-se em fortaleza de Jotapata de Agripa II e foi condenado à prisão perpétua. O famoso Arco de Tito , em Roma retrata legionários romanos que levam o Templo de Jerusalém 's tesouros, incluindo o Menorah , durante Tito cortejo triunfal em Roma. [ 30 ] Com a queda de Jerusalém, alguns insurreição ainda continuou em locais isolados na Judéia, duradoura enquanto 73.

Últimos redutos

Restos de um dos vários campos de legionários em Masada em Israel, apenas fora do circumvallation parede na parte inferior da imagem.

Durante a primavera de 71, Tito partiu para Roma. Um novo governador militar foi então nomeado de Roma, Lucílio Bassus , cuja tarefa atribuída foi realizar as operações de "limpar-up" na Judéia. Ele usou X Fretensis para cercar e capturar as fortalezas poucos remanescentes que ainda resistiam. Bassus levou Herodium , em seguida, atravessou o Jordão para capturar a fortaleza de Maqueronte na costa do Mar Morto . Por causa da doença, Bassus não viveu para completar a sua missão. Lúcio Flávio Silva substituiu-o, e se moveu contra o último reduto da Judeia, Masada , no outono de 72. Ele usou Legio X , tropas auxiliares, e milhares de prisioneiros judeus, [ Carece de fontes? ] para um total de 10.000 soldados. Depois de suas ordens de entrega foram rejeitadas, Silva estabeleceu vários campos de base e circumvallated da fortaleza. De acordo com Josephus, quando os romanos finalmente rompeu as paredes desta cidadela em 73, eles descobriram que 960 dos 967 defensores havia cometido suicídio.

Aftermath

Resultado da Grande Revolta

Uma moeda romana antiga. A inscrição lê IVDEA CAPTA . As moedas inscritos Ivdaea Capta (Judéia Captured) foram emitidos em todo o Império para demonstrar a inutilidade de possíveis rebeliões futuras. Judéia foi representada por uma mulher chorando.

Roman denário que descreve Tito, circa 79. O reverso comemora seu triunfo nas guerras da Judéia , o que representa um ajoelhada em cativeiro judaico na frente de um troféu de armas.

A derrota da revolta judaica alterou a diáspora judaica , como muitos dos rebeldes judeus foram espalhados ou vendidas para a escravatura . Josefo afirma que 1,1 milhões de pessoas foram mortas durante o cerco, uma parte considerável destes estavam em mãos dos judeus e devido a doenças provocadas pela fome. "A destruição pestilento sobre eles, e logo depois como uma fome, como os destruiu mais de repente." da ordem de [ vaga ] 97.000 foram capturados e escravizados e muitos outros fugiram para áreas em torno do Mediterrâneo .

A Enciclopédia Judaica artigo sobre o alfabeto hebraico diz: "Não até as revoltas contra Nero e Adriano contra os judeus retornar ao uso da antiga escrita hebraica em suas moedas, o que fizeram por motivos semelhantes aos que os haviam governado dois ou três séculos antes, ambos vezes, é verdade, apenas por um breve período ".

Titus teria se recusado a aceitar uma coroa de vitória, dizendo: "Não há nenhum mérito em vencer um povo abandonado pelo seu próprio Deus."

Antes da partida de Vespasiano, o farisaico e sábio rabino Yohanan ben Zakkai obtido sua permissão para estabelecer uma escola judaica em Yavne . Zakkai foi contrabandeado fora de Jerusalém em um caixão por seus alunos. Mais tarde, esta escola se tornou um importante centro de talmúdica estudo (ver Mishná ).

Mais guerras

Artigos principais: Guerra Kitos e revolta de Bar Kokhba

A Grande Revolta da Judéia marcou o início das guerras judaico-romana, que mudou radicalmente o Mediterrâneo Oriental e tiveram um impacto crucial no desenvolvimento do Império Romano e os judeus. Apesar da derrota da Grande Revolta, as tensões continuaram a construir na região. Com a ameaça parta do Oriente, grandes comunidades judaicas em todo o Mediterrâneo Oriental revoltou-se em 117 CE. A revolta (conhecido como a Guerra Kitos), enquanto mal-organizado, foi extremamente violenta e levou dois anos para os exércitos romanos para subjugar. Embora apenas o capítulo final da Guerra Kitos foi travada na Judéia, a revolta é considerado parte das judaico-romana Wars. O imenso número de vítimas durante a Guerra Kitos despovoadas Cyrenaica e Chipre e também reduziu populações judaicas e greco-romanas na região. [ vaga ] O conflito final nos judaico-romana guerras eclodiu em 132 CE na Judéia, liderada por Simon bar Kokhba . Apesar de Bar Kokhba foi inicialmente bem-sucedida contra as forças romanas e estabeleceu um estado de curta duração, eventual esforço romano derrotou os rebeldes de Bar Kokhba. O resultado foi uma quase completa genocídio dos judeus , a proibição de judaísmo , e à renomeação sem precedentes da província da Judéia para Palaestina. Embora a morte de Adriano (em 137 dC) aliviou as restrições e perseguição dos judeus, os sobreviventes de sua campanha não eram muitos. Apenas uma pequena comunidade judaica de vários milhares sobreviveu na Galiléia, com pequenas comunidades em outras partes do Mediterrâneo. Foi então a vez da comunidade judaica da Babilônia poupado para subir à proeminência, embora o aumento do Judaísmo Rabínico na Galiléia ressurgiu como um outro centro judaico reabilitados que iria florescer até o século 7.

Rise of os rabinos

Os rabinos foram fundadas por Rabban Gamaliel, um fariseu . A linhagem rabinos aos fariseus é debatido. No entanto, os estudiosos concordam que os rabinos substituiu o papel sumo sacerdote na sociedade judaica pós 70 EC. A destruição do Segundo Templo em 70 dC marcou um ponto de viragem na história judaica. Na ausência do Templo, a sinagoga tornou-se o centro da vida judaica.  Quando o Templo foi destruído, o judaísmo respondeu por fixar-se em os mandamentos da Torá. Sinagogas substituiu o templo como um local de encontro central, e os rabinos substituído sumos sacerdotes como líderes da comunidade judaica. Por causa do domínio rabinos pós-70 EC, a era é chamado o período rabínico .  Os rabinos preencheu o vazio de liderança judaica criada pelo Grande Revolta e com a sua literatura e ensinamentos, em forma de um novo judaísmo. [ 34 ]

Fontes

A principal conta da revolta vem de Josephus , o ex-comandante judeu de Galiléia que, após a captura pelos romanos após o cerco de Yodfat , tentou acabar com a rebelião por negociar com os judeus em nome de Tito. Josefo e Tito se tornaram amigos íntimos, e mais tarde Josephus foi concedida a cidadania romana e uma pensão. [ carece de fontes? ] Ele nunca retornou à sua terra natal depois da queda de Jerusalém, vivia em Roma como um historiador, sob o patrocínio de Vespasiano e Tito.

FONTE wikipedia