Translate this Page

Rating: 3.0/5 (931 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


auxilios subsidios de Genesis 1-13 CPAD
auxilios subsidios de Genesis 1-13 CPAD

 

  

 

 

         SUBSIDIO (1) LIÇÕES ADULTOS PARA

                      PROFESSORES  CPAD 

  COMENTARIO DE GENESIS 21.1-21 LIÇÃO N.12

 

 

                             Introdução

Neste capítulo temos, I. Isaac, o filho da promessa nascer na família de Abraão, Gênesis 21: 1-8. II. Ismael, o filho da escrava, expulso dela, Gênesis 21: 9-21. III. Liga de Abraão com seu vizinho Abimeleque, Gênesis 21: 23-32. IV. Sua devoção ao seu Deus, Gênesis 21:33.

 

Versículos 1-8

O nascimento de Isaac.         BC 1897.

1 E o L ORD visitou a Sara, como tinha dito, e do L ORD fez a Sara como tinha falado. 2 Porque Sara concebeu, e deu a Abraão um filho na sua velhice, ao tempo determinado, de que Deus havia falado com ele. 3 E chamou Abraão o nome de seu filho que lhe nascera, que Sara lhe dera, Isaque. 4 E Abraão circuncidou seu filho Isaac idade de oito dias, como Deus lhe havia ordenado. 5 Ora, Abraão tinha cem anos de idade, quando seu filho nasceu Isaque ele. 6 E disse Sara: Deus me fez rir, de modo que tudo o que o ouvir, se rirá comigo. 7 E acrescentou: Quem teria dito a Abraão que Sara havia de amamentar filhos? para tenho suportado ele um filho na sua velhice. 8 E o menino crescia, e foi desmamado; e Abraão fez um grande banquete no mesmo dia em que Isaque foi desmamado.

 

Longo olhou-vem para por fim. A visão relativamente a semente prometida é para o tempo determinado, e agora, no final, ela fala, e não mente alguns sob o Antigo Testamento foram trazidos para o mundo com tanta expectativa como Isaque, não por causa de qualquer grande eminência pessoa em que ele estava para chegar, mas porque era para ser, nesta mesma coisa, um tipo de Cristo, que a semente que o santo Deus tinha tanto tempo prometido e homens santos tanto tempo esperado. Neste relato dos primeiros dias de Isaac podemos observar,

 

  1. O cumprimento da promessa de Deus na concepção e nascimento de Isaac, Gênesis 21: 1, 2. Note-se, providências de Deus olhar melhor e mais brilhante quando são comparados com a sua palavra, e quando observamos como Deus, em todos eles, atua como ele disse, como ele falou. 1. Isaac nasceu de acordo com a promessa. O Senhor visitou a Sara, em misericórdia, como tinha dito. Note, Nenhuma palavra de Deus cairá no chão para ele é fiel, que prometeu, ea fidelidade de Deus é a estadia e apoio da fé de seu povo. Ele nasceu no tempo determinado, que Deus havia falado, Gênesis 21: 2. Note, Deus é sempre pontual para o seu tempo, embora suas misericórdias prometidas não vêm no momento em que definir, eles certamente virá no momento em que ele define, e que é o melhor momento. 2. Ele nasceu em virtude da promessa: Sarah pela fé recebeu a virtude de conceber Hebreus 11:11. Por isso Deus, pela promessa que deu força. Não foi pelo poder de providência comum, mas pelo poder de uma promessa especial, que Isaac nasceu. A sentença de morte foi, por assim dizer, passou para o segundo causas: Abraão era velho, e Sarah de idade, e ambos tão bom como morto e, em seguida, a palavra de Deus ocorreu. Observe, os crentes verdadeiros, em virtude das promessas de Deus, estão habilitados a fazer o que está acima do poder da natureza humana, pois por eles eles participam de uma natureza divina, 2 Pedro 1: 4.

 

  1. Obediência de Abraão ao preceito de Deus a respeito Isaac.

 

  1. Ele nomeou-o, como Deus lhe ordenara, Genesis 21: 3. Deus ordenou-lhe um nome para um memorial, Isaac, o riso e Abraão, cujo escritório era, deu-lhe esse nome, embora ele poderia tê-lo projetado algum outro nome de uma significação mais pomposo. Note, Ele está apto que o luxuriancy de invenção humana deve sempre ceder à soberania e clareza de instituição divina ainda havia uma boa razão para o nome, para: (1) Quando Abraão recebeu a promessa de que ele riu de alegria, Genesis 17:17. Nota: Quando o sol de conforto tem aumentado sobre a alma é bom se lembrar de como acolher o raiar do dia foi, e com que exultação que abraçaram a promessa. (2.) Quando Sarah recebeu a promessa ela riu com desconfiança e desconfiança. Nota: Quando Deus nos dá as misericórdias que começou a se desesperar de que devemos lembrar com tristeza e vergonha nossas desconfianças pecaminosas de poder e na promessa de Deus, quando estávamos em busca deles. (3.) Isaac era ele mesmo, depois, riu por Ismael (Gênesis 21: 9), e talvez o nome dele pediu-lhe que o espera. Nota, os favoritos de Deus são muitas vezes rindo-os estoques mundiais. (4.) A promessa que ele não era apenas o filho, mas o herdeiro, era para ser a alegria de todos os santos em todas as idades, e que o que enchem a boca de tanto rir.

 

  1. Ele circuncidou, Genesis 21: 4. O pacto foi estabelecido com ele, o selo do pacto foi administrada a ele e apesar de um decreto de sangue, e ele um amor, mas ele não deve ser omitido, não, nem diferido para além do oitavo dia. Deus manteve tempo na realização da promessa, e, portanto, Abraão deve manter o tempo em obedecer ao preceito.

 

III. As impressões que essa misericórdia feitas sobre Sarah.

 

  1. Ele a encheu de alegria (Gênesis 21: 6): "Deus me fez rir que me deu tanto motivo para se alegrar e um coração para se alegrar." Assim, a mãe de nosso Senhor, Lucas 1:46, 47. Nota: (1) Deus concede misericórdia sobre seu povo para incentivar a sua alegria em seu trabalho e serviço e, qualquer que seja o assunto de nossa alegria, Deus deve ser reconhecido como o autor do mesmo, a menos que seja o riso do tolo. (2.) Quando misericórdias foram adiadas por muito tempo eles são os mais bem-vindo quando eles vêm. (3.) Ele contribui para o conforto de qualquer misericórdia para com os nossos amigos se alegram conosco nele: Tudo o que o ouvir, se rirá comigo para rir está pegando. Ver Lucas 01:58. Outros se regozijava nesta instância de poder e bondade de Deus, e ser encorajados a confiar nele. Ver Salmo 119: 74.

 

  1. Ele a encheu de admiração, Genesis 21: 7. Observe aqui, (1.) O que era ela pensou tão maravilhoso: Que Sarah deve dar às crianças sugam, que ela deve, não só ter um filho, mas ser tão forte e saudável com a idade, como para dar-lhe chupar. Nota, mães, se eles serão capazes, devem ser os enfermeiros para os seus próprios filhos. Sarah era uma pessoa de qualidade, foi de enfermagem idade pode ser considerada prejudicial de si mesma, ou para a criança, ou a ambos ela tinha escolha de enfermeiros, sem dúvida, em sua própria família, e ainda que ela iria fazer o seu dever nesta matéria e suas filhas as boas esposas são, assim, enquanto eles fazem bem, 1 Pedro 3: 5, 6. Veja Lamentações 4: 3. (2.) Como ela expressou sua admiração: "Quem diria isso? A coisa foi tão altamente improvável, tão perto de impossível, que se qualquer um, mas Deus tinha dito que não poderíamos ter acreditado." Nota, favores de Deus à sua aliança de pessoas são tais que superar ambos os seus próprios e outros "pensamentos e expectativas. Quem poderia imaginar que Deus deve fazer tanto para aqueles que merecem tão pouco, ou melhor, para aqueles que merecem tão mal? Ver Efésios 3:20, 2 Samuel 7:18, 19. Quem diria que Deus enviou o seu Filho para morrer por nós, o seu Espírito para nos santificar, os seus anjos para assistir a nós? Quem diria que tais grandes pecados devem ser perdoados, tais serviços médios aceito, e esses vermes inúteis levado em aliança e comunhão com o grande e santo Deus?

 

  1. Um breve relato da infância de Isaac: O menino cresceu, Genesis 21: 8. Aviso especial é levado a isso, embora uma coisa é claro, dar a entender que os filhos da promessa estão crescendo crianças. Veja Lucas 1:80; Lucas 2:40. Aqueles que são nascidos de Deus deve aumentar de Deus, Colossenses 2:19. Ele cresceu de modo nem sempre a precisar de leite, mas foi capaz de suportar a carne forte, e então ele foi desmamado. Ver Hebreus 5:13, 14. E foi então que Abraão fez um grande banquete para os amigos e vizinhos, em gratidão a Deus pela sua misericórdia para com ele. Ele fez esta festa, não no dia em que nasceu Isaque, que teria sido muito grande perturbação para Sarah nem no dia em que ele foi circuncidado, que teria sido muito grande um desvio da ordenança, mas no dia em que ele foi desmamado, porque a bênção de Deus sobre a enfermagem das crianças, e para a preservação deles ao longo dos perigos da idade da criança, são instâncias de sinal do cuidado e ternura da providência divina, que deve ser reconhecido, ao seu louvor. Veja Salmo 22: 9, 10; Oséias 11: 1.

 

Versículos 9-13

Hagar e Ismael expulso.         BC 1892.

9 E viu Sara que o filho de Agar, a egípcia, que esta dera à luz a Abraão. 10 Pelo que disse a Abraão: Deita fora esta serva eo seu filho; porque o filho desta serva não será herdeiro com meu filho, mesmo com Isaac. 11 E a coisa foi bem duro aos olhos de Abraão, por causa de seu filho. 12 E Deus disse a Abraão: Não pareça isso duro aos teus olhos por causa do moço e por causa da tua serva em tudo o que Sara te diz, ouve a sua voz porque em Isaque será a tua descendência ser chamado. 13 E também do filho desta serva farei uma nação, porquanto ele é da tua linhagem.

 

A expulsão de Ismael é aqui considerado de e resolvido por diante.

 

  1. próprio Ismael deu a ocasião por algumas afrontas que ele deu a Isaque, seu irmão mais novo, alguns pensam no dia em que Abraão fez a festa de alegria que Isaque foi desmamado com segurança, que os judeus dizem não foi até ele tinha três anos, outros dizer cinco. A própria Sara era uma testemunha ocular do abuso: ela viu o filho do zombeteiro egípcia (Gênesis 21: 9), zombando Isaac, sem dúvida, pois é dito, com referência a isso (Gálatas 4:29), que ele que nasceu segundo a carne perseguia ao que nasceu segundo o Espírito. Ishmael é aqui chamado o filho do egípcio, porque, como alguns pensam, os 400 anos de aflição da descendência de Abraão pelos egípcios começou agora, e era ser datada, portanto, Gênesis 15:13. Ela o viu jogando com Isaac, de modo que a LXX, e, no jogo,. Zombando dele. Ismael tinha quatorze anos mais velho que Isaac e, quando as crianças estão juntas, o mais velho deve ser cuidadoso e terno do mais novo: mas argumentou muito base e disposição sórdido em Ismael ser abusivo para uma criança que havia nenhuma maneira um jogo para ele. Note, 1. Deus toma conhecimento de que as crianças dizem e fazem em seu jogo, e vai contar com eles, se eles dizem ou fazem mal, embora seus pais não o fazem. 2. Mocking é um grande pecado, e muito irritante para Deus. 3. Há uma inimizade permanecendo enraizados na semente da serpente contra a semente da mulher. Os filhos da promessa deve esperar ser ridicularizado. Esta é a perseguição, que aqueles que querem viver piedosamente deve contar com. 4. Nenhum são rejeitados e expulsos de Deus, mas aqueles que têm primeiro merecia. Ismael é continuada na família de Abraão até que ele se torna uma perturbação, dor e escândalo para ele.

 

  1. Sarah fez o movimento: Deita fora esta escrava, Gênesis 21:10. Este parece ser falado em um pouco de calor, mas ele é citado (Gálatas 4:30), como se tivesse sido falado por um espírito de profecia e é a condenação de todos os hipócritas e as pessoas carnais, embora eles têm um lugar e um nome na igreja visível. Tudo o que nascem segundo a carne e não nascer de novo, que o descanso na lei e rejeitar a promessa do evangelho, certamente será expulso. Ela é feita para apontar particularmente na rejeição dos judeus incrédulos, que, se fossem a semente de Abraão, ainda, porque não submetidos ao convênio do evangelho, eram descrentes e disfranchised: e que, acima de qualquer coisa, provocaram a Deus para lançá-los fora de sua zombaria e estava perseguindo a igreja gospel, Isaac de Deus, em sua infância, 1 Tessalonicenses 2:16. Note-se, há muitos que são familiarmente familiarizado com os filhos de Deus neste mundo, e ainda assim não deve participar com eles na herança dos filhos. Ismael pode ser Isaac do play-companheiro e colega de escola, ainda não seu co-herdeira.

 

III. Abraão era avesso a ele: A coisa foi muito duro aos olhos de Abraão, Gênesis 21:11. 1. pesou-lhe que Ismael tinha dado tal provocação. Nota, crianças deve considerar que quanto mais os pais amá-los mais eles se afligem a sua má conduta e, particularmente, em suas brigas entre si. 2. pesou-lhe que Sarah insistiu em tal punição. "Pode não ser suficiente para corrigi-lo? Seria nada menos do que servir de expulsá-lo?" Nota: Até os extremidades necessitadas que devem ser utilizados com crianças e maus incorrigíveis são muito difíceis de concurso pais, que não pode, assim, atingem boa vontade.

 

  1. Deus determinou, Gênesis 21:12, 13. Podemos muito bem supor Abraão para ser muito agitado sobre este assunto, loth desagradar Sarah, e ainda relutava em expulsar Ismael nessa dificuldade Deus lhe diz que sua vontade é, e então ele está satisfeito. Nota, um homem bom não mais deseja em casos duvidosos do que saber o seu dever, e que Deus queria que ele fizesse e, quando está claro neste, ele é, ou deveria ser, fácil. Para fazer Abraham assim, Deus define esse assunto antes de ele em uma verdadeira luz, e mostra-lhe, 1. Que a expulsão de Ismael era necessário o estabelecimento de Isaac nos direitos e privilégios do pacto: Em Isaque será a tua descendência . chamado Tanto Cristo ea igreja deve descer de Abraão através de lombos de Isaac este é o vínculo da promessa sobre Isaque, e é citado pelo apóstolo (Romanos 9: 7) para mostrar que nem todos os que vêm de lombos de Abraão foram o herdeiros da aliança de Abraão. Isaac, o filho prometido, deve ser o pai da semente prometida, portanto, "Fora com Ismael, mandá-lo longe o suficiente, para que ele não corromper os costumes ou tentar invadir os direitos de Isaac." Será sua segurança ter seu rival banido. A semente pacto de Abraão deve ser um povo peculiar, um povo por si só, desde o primeiro, distinto, não se misturavam com os que estavam fora da aliança, por essa razão Ismael deve ser separado. Abraão foi chamado por si só, e por isso deve ser Isaac. Veja Isaías 51: 2. É provável que Sarah pequeno pensamento deste (John 11:51), mas Deus tomou o que ela disse, e transformou-o em um oráculo, como depois, Gênesis 27:10. 2. Que a expulsão de Ismael não deve ser a sua ruína, Gênesis 21:13. Ele deve ser uma nação, porquanto ele é da tua linhagem. Não temos certeza de que foi a sua ruína eterna. É presunção dizer que todos aqueles que são deixados de fora da dispensação externa de todas as suas misericórdias: aqueles podem ser salvos os que não são, portanto, honrado. No entanto, temos a certeza de que não era sua ruína temporal. Embora ele foi expulso da igreja, ele não foi afugentado do mundo. Vou fazer-lhe uma nação. Nota: (1) Unidas são de tomada de Deus: ele funda-los, ele forma-los, ele os corrige. (2.) Muitos estão cheios das bênçãos da providência de Deus que são estranhos para as bênçãos da sua aliança. (3.) Os filhos deste mundo muitas vezes se saem melhor, como a coisas externas, por sua relação com os filhos de Deus.

 

Versículos 14-21

Misericórdia de Deus para Hagar e Ismael.      BC 1892.

14 E Abraão levantou-se de manhã cedo, e tomou o pão e uma garrafa de água, e deu-o a Agar, pondo-o em seu ombro, ea criança, e despediu-a; e ela partiu e foi andando errante no deserto de Beer-Seba. 15 E a água foi gasto na garrafa, e ela lançou o menino debaixo de um dos arbustos. 16 E ela foi, e assentar-se em contra-lhe a boa distância, como se fosse um tiro de arco; pois disse: Deixa-me não ver a morte da criança. E sentada em frente dele, levantou a sua voz e chorou. 17 Mas Deus ouviu a voz do menino eo anjo de Deus chamou Agar desde os céus, e disse-lhe: Que tens, Agar? medo não porque Deus ouviu a voz do menino, onde ele é. 18 Levanta-te, levanta o menino e pega-lhe pela mão para dele farei uma grande nação. 19 E Deus abriu os olhos, e ela viu um poço de água e ela foi, e encheu a garrafa com água, e deu de beber ao menino. 20 E Deus estava com o menino e ele cresceu e, morando no deserto, tornou-se flecheiro. 21 E ele habitou no deserto de Parã; e sua mãe tomou-lhe uma mulher da terra do Egito.

 

Aqui está, I. A expulsão do escrava, e seu filho a partir da família de Abraão, Gênesis 21:14. Obediência de Abraão ao comando divino nesta matéria foi speedy-- no início da manhã, podemos supor imediatamente depois que ele teve, em visões da noite, recebeu ordens para fazer isso. Ele também era submisso era contrária ao seu julgamento, pelo menos em sua própria inclinação, para fazê-lo ainda tão logo ele percebe que é a mente de Deus, ele não faz objeções, mas silenciosamente faz o que lhe é ordenado, como um treinados até uma obediência implícita. Em mandá-los embora sem atendentes, a pé, e graciosamente previsto, é provável que ele observou as indicações que lhe foi dada. Se Hagar e Ismael se tinham realizado bem na família de Abraão, que poderia ter continuado lá, mas eles atiraram-se por seu próprio orgulho e insolência, que foram, assim, justamente castigado. Note, por abusar de nossos privilégios Nós perdemos-los. Aqueles que não sabem quando estão bem de vida, em um lugar tão desejável como a família de Abraão, merecem ser demitido, e deve ser feito para saber o valor das misericórdias pela falta deles.

 

  1. A sua peregrinação no deserto, faltando seu caminho para o lugar Abraham projetado-los para um acordo.

 

  1. Eles foram reduzidos a grande angústia lá. As suas disposições foram gastos, e Ismael estava doente. Ele que costumava ser alimentados completa em casa de Abraão, onde encerado gordura e chutou, agora desmaiado e afundado, quando ele foi levado ao subsídio de curta duração. Hagar está em lágrimas, e suficientemente mortificada. Agora ela deseja para as migalhas que ela tinha desperdiçado e feitos de luz na mesa de seu mestre. Como um sob o poder do espírito de escravidão, ela se desespera de alívio, conta sobre o nada, mas a morte do filho (Gênesis 21:15, 16), embora Deus lhe tinha dito, antes de ele nascer, que ele deve viver para ser um homem, um grande homem. Nós somos capazes de esquecer antigas promessas, quando presente providências parecem contradizê-los pois vivemos por sentido.

 

  1. Neste angústia, Deus apareceu graciosamente para o seu alívio: ele ouviu a voz do menino, Gênesis 21:17. Nós não lê de uma palavra que ele disse, mas seus suspiros, gemidos e, e estado calamitoso, clamou em alta voz aos ouvidos de misericórdia. Um anjo foi enviado para confortar Hagar, e não era a primeira vez que ela havia se encontrado com confortos de Deus em uma região selvagem que tinha felizmente reconheceu o ex-amável visita que Deus fez a sua em tal caso (Gênesis 16:13), e, portanto, Deus agora visitá-la novamente com succours seasonable. (1.) O anjo lhe assegura do conhecimento de Deus tomou sua aflição: Deus ouviu a voz do menino onde ele está, se ele está em um deserto (para onde quer que estejamos, existe um caminho aberto céu-ward ), portanto, levanta o menino e toma-o na tua mão, Gênesis 21:18. Nota, a prontidão de Deus para nos ajudar quando estamos em apuros não deve afrouxar, mas vivifica, nossos esforços para ajudar a nós mesmos. (2.) Repete a promessa sobre seu filho, que ele deveria ser uma grande nação, como uma razão pela qual ela deveria apressarás-se a ajudá-lo. Note, Ele deve engajar os nossos cuidados e dores sobre as crianças e jovens a considerar que não sabemos o que Deus planejou para eles, nem o grande uso Providence pode fazer com eles. (3.) Ele dirige-a para um presente de alimentação (Gênesis 21:19): Ele abriu os olhos (que estavam inchados e quase cego com choro), e, em seguida, ela viu um poço de água. Note, muitos que têm razão suficiente para ser confortado go luto no dia a dia, porque não ver a razão que eles têm para o conforto. Existe um poço de água por eles no pacto da graça, mas eles não estão cientes de que eles não têm a vantagem de que, até que o mesmo Deus que abriram seus olhos para ver sua ferida abre-los a ver o seu remédio, John 16 : 6, 7. Agora, o apóstolo nos diz que essas coisas a respeito Hagar e Ismael são allegoroumena (Gálatas 4:24), eles devem ser alegorizado isso, então servirão para ilustrar a loucura, [1] Daqueles que, como os judeus incrédulos, procurar justiça pela lei e as ordenanças da carne dela, e não pela promessa feita em Cristo, correndo-se, assim, a um deserto de miséria e desespero. Seus confortos são logo esgotada, e se Deus salvá-los não pela sua prerrogativa especial, e por um milagre da misericórdia abrir os olhos e desiludi-los, eles são desfeitas. [2] daqueles que buscam a satisfação e felicidade no mundo e as coisas do mesmo. Aqueles que abandonam os confortos da aliança e comunhão com Deus, e escolher a sua parte nesta terra, levar até com uma garrafa de água, fornecimento pobres e delgado, e que logo passou vagueiam incessantemente em busca da satisfação, e, por fim , sente-se menos do que isso.

 

III. A liquidação de Ismael, por fim, no deserto de Paran (Gênesis 21:20, 21), um lugar selvagem, mais apto para um homem selvagem e um tal ele era, Gênesis 16:12. Aqueles que nascem depois de a carne ter-se com o deserto deste mundo, enquanto os filhos da promessa visam a Canaã celestial, e não pode estar em repouso até que eles estão lá. Observe, 1. Ele tinha alguns sinais da presença de Deus: Deus estava com o menino a sua prosperidade exterior foi devido a este. 2. Até o comércio era um arqueiro, que dá a entender que a embarcação era sua excelência e ostente seu negócio: rejeitou Esaú era um caçador astuto. 3. Ele combinou entre as relações de sua mãe tomou-lhe uma mulher da terra do Egito: como grande um arqueiro como ele era, ele não achava que ele poderia tomar o seu objectivo bem, no negócio de casamento, se ele prosseguiu sem o conselho de sua mãe e consentimento.

fonte comentario Mathew Henry , antigo testamento

 

 

 

 

 

SUBSIDIO CPAD (1) JESUS E MELQUISEDEQUE

                  HEBREUS 7.1-28  4 TRIMESTRE

  Versículo 1

1.Para este Melquisedeque, etc. Ele até agora tem sido estimular os judeus por exortações, que eles podem considerar atentamente o confronto entre Cristo e Melquisedeque. No final do último capítulo, para que pudesse retornar de sua digressão com o assunto, ele citou novamente a passagem dos Salmos; e agora ele entra plenamente o que ele tinha antes ligeiramente referido; para ele enumera particularmente as coisas relacionadas com Melquisedeque, no qual ele se assemelharam a Cristo. Na verdade, é de admirar que ele mora tão minuciosamente sobre este assunto. Foi, sem dúvida nenhuma coisa comum que em um país cheio de corrupções de tantas superstições, um homem foi encontrado que preservou a pura adoração a Deus; para, por um lado ele perto de Sodoma e Gomorra, e, por outro, os cananeus, de modo que ele estava por todos os lados englobadas homens ímpios. Além disso, o mundo inteiro estava tão caído em impiedade, que é muito provável que Deus estava em nenhuma parte fielmente adorado exceto na família de Abraão; para seu pai e seu avô, que deveria ter mantido a verdadeira religião, tinha muito antes degenerou em idolatria. Foi, portanto, um fato memorável, que ainda havia um rei que não só manteve a verdadeira religião, mas também se apresentou a si mesmo o ofício de sacerdote. E foi, sem dúvida, necessário que naquele que era para ser um tipo do Filho de Deus todas as coisas excelente deve ser encontrado, e que Cristo foi prefigurado por este tipo é evidente a partir do Salmo referido; para David não disse, sem razão, "Tu és sacerdote para sempre, segundo a ordem de Melquisedeque," não, mas, pelo contrário, por estas palavras um mistério sublime foi recomendado para a Igreja.

 

Vamos agora considerar cada um dos elementos em que o apóstolo faz a Cristo como Melquisedeque. (110)

 

A primeira semelhança está no nome; pois não era sem um mistério que ele foi chamado o Rei de justiça. Pois, embora esta honra é atribuída aos reis que governam com moderação e no patrimônio líquido, mas isso pertence realmente a Cristo somente, que não só exerce a autoridade com justiça como outros fazem, mas também se comunica a nós os justos de Deus, em parte, quando ele nos faz ser considerado justo por uma reconciliação gratuita, e, em parte, quando ele nos renova pelo seu Espírito, para que tenhamos uma vida piedosa e santa. Ele é então chamado o Rei de justiça, por causa do que ele efetua na difusão de justiça em todo o seu povo. (111) É, portanto, segue-se que do seu reino nada, mas o pecado reina entre os homens. E, portanto, Zacarias, quando ele lhe apresenta, como por decreto solene de Deus, para a posse do seu reino, portanto, exalta-o, -

 

"Alegra-te, ó filha de Sião: Eis que o teu rei justo

vem a ti "(Zacarias 02:10;)

 

insinuando que a justiça, que é o contrário querendo nós, é trazida a nós pela vinda de Cristo.

 

A segunda semelhança que o Apóstolo afirma é quanto ao reino de paz. Esta paz na verdade é o fruto da justiça que ele mencionou. É, portanto, segue-se que, sempre que o reino de Cristo se estende, há paz deveria ser, como encontramos em Isaías 2: 1, e em outros lugares. Mas, como a paz entre os hebreus significa também um estado próspero e feliz, ela pode ser tão tomado aqui: ainda prefiro entendê-lo aqui de que a paz interior que tranqüiliza a consciência e torna confiante diante de Deus. E a excelência desta bênção não pode ser suficientemente estimado, a menos que você considere, por outro lado, quão miserável uma coisa é ser atormentado por inquietação constante; que deve necessariamente ser o caso até que tenhamos nossas consciências pacificadas por ser reconciliados com Deus através de Cristo.

 

Agora este Melquisedeque, rei de Salém, era um sacerdote do Deus Altíssimo; que encontrou Abraão retornando a partir da derrubada dos reis, eo abençoou; a quem Abraão também dividiu o dízimo de tudo: ser o primeiro na verdade, por interpretação, rei de justiça, e depois também rei de Salém, que é rei de paz; sem pai, sem mãe, sem decente, não tendo princípio de dias ou fim de vida, mas

 

Dizendo que ele "abençoado" Abraham, estamos a prestar que ele orou a Deus para abençoá-lo, como a encontramos em Gênesis 14:19 explicou.

 

Versículo 3

  1. Sem pai, etc. Eu prefiro esta tradução para o de "pai desconhecido", pois o apóstolo quis expressar algo mais enfático do que a família de Melquisedeque era obscura ou desconhecida. Essa objeção nem perturbar-me, que a realidade não corresponde com a figura ou tipo, porque Cristo tem um Pai no céu, e tinha uma mãe na Terra; para o Apóstolo explica imediatamente o seu significado através da adição sem descendência, ou parentes. Ele, então, isenta Melquisedeque do que é comum a outros, uma descida de nascimento; por que significa que ele é eterno, de modo que seu início de homens não era para ser procurado. Na verdade, é certo que ele descendente de pais; mas o apóstolo não fala dele aqui em sua capacidade privada; pelo contrário, ele apresenta diante dele como um tipo de Cristo. Ele, portanto, permite-se a não ver nada nele, mas o que a Escritura contém. Para no tratamento de coisas respeitando Cristo, tal reverência deve ser observado como não saber nada, mas o que está escrito na Palavra do Senhor. Agora, como o Espírito Santo em mencionar este rei, o mais ilustre de sua idade, é totalmente omissa quanto ao seu nascimento, e faz depois há registro de sua morte, não é esta a mesma coisa como se a eternidade deveria ser atribuída a ele ? E o que foi prefigurado no Melquisedeque é realmente exibido em Cristo. Cabe-nos então para estar satisfeito com esta visão moderada, que, embora a Escritura apresenta a nós Melquisedeque como alguém que nunca tivesse nascido e nunca morreu, ele mostra a nós como em um espelho, que Cristo tem princípio nem fim. (112)

 

Mas nós, portanto, também aprender muita reverência e sobriedade é necessária como para os mistérios espirituais de Deus: para o que não é encontrado nas Escrituras ler o apóstolo não só está disposto a ser ignorante, mas também teria-nos a procurar saber. E certamente não é lícito para nós alegar qualquer coisa de Cristo a partir de nossos próprios pensamentos. E Melquisedeque não é para ser considerado aqui, como eles dizem, em sua capacidade privada, mas como um tipo sagrado de Cristo; nem devemos pensar que foi acidentalmente ou inadvertidamente omitido que nenhum parentesco é atribuído a ele, e que nada é dito de sua morte; mas, pelo contrário, que isso foi feito intencionalmente pelo Espírito, a fim de nos dar uma idéia de um acima do fim comum dos homens. Não parece, pois, haver probabilidade de a conjectura daqueles que dizem que Melquisedeque era Shem, filho de Noé; para se fazer que ele seja algum indivíduo conhecido, destruímos este terceiro semelhança entre Melquisedeque e Cristo.

 

Feito semelhante, ou assimilado, etc. Não tão longe como o que foi tipificado necessário; pois devemos sempre ter em mente que não há senão uma analogia entre a coisa significada eo sinal; para eles se tornarem ridículos que imaginam que ele desceu do céu, a fim de que possa haver uma semelhança perfeita. É o suficiente para que vemos nele os traços de Cristo, como a forma de o homem vivo pode ser visto em sua imagem, enquanto ainda o próprio homem é muito diferente do que ele representa. (113) Não parece ser o equivalente a um pouco para refutar as noções delirantes daqueles que sonham que o próprio Cristo, ou o Espírito Santo, ou um anjo, se encontrava nesse momento; a menos que na verdade um pensei que fosse o dever de um homem rightminded para disputar com Postillus e tais fanáticos; para esse impostor afirma que ele é Melquisedeque sem loucura menos arrogante do que aqueles espíritos loucos de idade, mencionados por Jerome, que fingiam que eram Cristo.

 

Versículo 4

4.Now considerar, etc. Este é o quarto confronto entre Cristo e Melquisedeque, que Abraão apresentou o dízimo a ele. Mas, embora os dízimos foram instituídas por várias razões, mas o apóstolo aqui refere-se apenas ao que serve o seu propósito presente. Uma razão pela qual os dízimos foram pagos aos levitas era, porque eles eram os filhos de Abraão, de cuja semente a terra foi prometida. Foi, então, por um direito hereditário que uma parte da terra foi atribuído a eles; para que eles não foram autorizados a possuir a terra, a compensação foi feita a eles em dízimos. Houve também uma outra razão, - que, como eles estavam ocupados no serviço de Deus e do ministério público da Igreja, era certo que eles deveriam ser apoiados com o custo público das pessoas. Em seguida, o restante dos israelitas lhes devia dízimo como uma remuneração pelo seu trabalho. Mas estas razões não suportar a todos sobre o presente assunto; portanto, o apóstolo passa por eles. A única razão pela qual agora alegado é que, como o povo ofereceram os dízimos como um tributo sagrado para Deus, os levitas só recebeu-los. É, portanto, parece que não foi pouca honra que Deus de uma forma substituído-los para si mesmo. Então Abraão, sendo um dos principais sargentos de Deus e um profeta, tendo oferecido o dízimo a Melquisedeque, o sacerdote, assim, confessou que Melquisedeque destacou ele em dignidade. Se, então, o patriarca Abraão propriedade dele mais honroso do que ele, sua dignidade deve ter sido singular e extraordinário. A palavra patriarca é mencionado por uma questão de se estabelece a sua dignidade; pois foi no mais alto grau honrosa para ele ter sido chamado de pai na Igreja de Deus.

 

Em seguida, o argumento é este: - Abraão, que superava todos os outros, era ainda inferior a Melquisedeque; então Melquisedeque teve o maior lugar de honra, e deve ser considerado como superior a todos os filhos de Levi. A primeira parte está provado, pelo que Abraão devia a Deus deu a Melquisedeque: então, pagando-lhe o décimo confessou-se a ser inferior.

 

Versículo 5

5.E em verdade eles, etc. Seria mais adequado para tornar as palavras assim, "porque eles são os filhos de Levi." O Apóstolo, de fato não atribuí-lo como uma razão que eles receberam dízimos porque eles eram os filhos de Levi ; mas ele está comparando toda a tribo com Melquisedeque dessa maneira. Embora Deus concedeu aos levitas o direito de exigir dízimos do povo, e, portanto, defini-los acima de todos os israelitas, mas eles têm todos descendentes do mesmo pai; e Abraão, o pai de todos, pagou o dízimo a um sacerdote de outra raça: então todos os descendentes de Abraão são inferiores a este sacerdote. Assim, o direito conferido aos levitas era particular, como para o resto de seus irmãos; Ainda Melquisedeque, sem exceção, ocupa o lugar mais alto, para que todos são inferiores a ele. Alguns pensam que os décimos de décimos se destinam, e que os levitas pago aos sacerdotes mais elevados; mas não há nenhuma razão para limitar assim a declaração geral. A vista, então, tenho dado é o mais provável.

 

Versículo 6

6.Blessed ele, etc. Este é o quinto confronto entre Cristo e Melquisedeque. O apóstolo assume-o como um princípio admitiu que o menor é abençoado pelo maior; e, em seguida, ele acrescenta que Melquisedeque abençoou Abraão: daí a conclusão é que o menos era Abraão. Mas por uma questão de reforçar seu argumento, ele levanta novamente a dignidade de Abraão; para o mais glorioso Abraham é feito, quanto maior a dignidade de Melquisedeque aparece. Para este efeito, ele diz que Abraão tinha as promessas; por que ele quer dizer que ele foi o primeiro da raça santa com quem Deus fez a promessa de vida eterna. Não foi realmente uma honra comum que Deus escolheu-o de todo o resto que ele poderia depositar com ele o privilégio de adoção e do testemunho de seu amor. Mas tudo isso não foi impedimento que ele não deveria submeter-se em toda a sua preeminência ao sacerdócio de Melquisedeque. Por isso, vemos quão grande ele era a quem Abraão deu lugar nessas duas coisas, - que ele sofreu-se a ser abençoado por ele, e que ele ofereceu-lhe o dízimo como a vice-regente de Deus.

 

O versículo 7

7.O menos é (114), etc. Vamos primeiro saber o que significa a palavra abençoados aqui. Isso significa de fato uma solene oração pela qual aquele que é investido com alguma honra alta e público, recomenda a Deus os homens em estações privadas e sob o seu ministério. Outra forma de bênção é quando oramos um pelo outro; que é comumente feito por todos os deuses. Mas esta bênção mencionado pelo apóstolo era um símbolo de maior autoridade. Assim Isaac abençoou seu filho Jacob, eo próprio Jacó abençoou seus netos, Efraim e Manassés. (. Gênesis 27:27) Isto não foi feito mutuamente, para o filho não poderia fazer o mesmo com o pai; mas uma autoridade superior era necessário para uma bênção como esta. E isso parece mais evidente ainda a partir Números 6:23, onde um comando é dado ao padre para abençoar o povo, e em seguida uma promessa é imediatamente acrescentado, que seria abençoado quem abençoou. É, portanto, parece que a bênção do sacerdote dependesse disso, - que não era benção tanto do homem como a de Deus. Porque, assim como o sacerdote em oferecer sacrifícios representados Cristo, para nos abençoar as pessoas que ele era nada mais do que um ministro e embaixador do Deus supremo. No mesmo sentido, deve ser entendido que Lucas registra quando ele diz que Cristo levantou as mãos e abençoou os Apóstolos. (Lucas 24:50). A prática de levantar as mãos, ele, sem dúvida, emprestados de sacerdotes, a fim de mostrar que ele era a pessoa por quem Deus Pai nos abençoa. Desta bênção menção é feita também em Salmos 116: 17

 

Vamos agora aplicar essa idéia para o que o apóstolo trata de: A bênção do sacerdote, embora seja uma obra divina também é uma evidência de uma maior honra; em seguida, Melquisedeque, a bênção de Abraão, assumiu para si uma dignidade superior. Isso ele fez, não presunçosamente, mas de acordo com seu direito como sacerdote: em seguida, ele foi mais eminente do que Abraão. No entanto, Abraão era aquele com quem Deus quis fazer o pacto de salvação; no entanto, em seguida, ele foi superior a todos os outros, mas ele foi superado por Melquisedeque. (115)

 

Versículo 8

8.Of quem se testifica que vive. Ele toma o silêncio com respeito à sua morte, como eu já disse, como uma evidência de sua vida. Isso não seria realmente manter como para os outros, mas como a Melquisedeque que deveria justamente ser assim considerado, uma vez que ele era um tipo de Cristo. Porque, assim como o reino espiritual e sacerdócio de Cristo são faladas aqui, não há lugar deixado para conjecturas humanos; nem é lícito para nós a procurar saber nada mais longe do que o que lemos nas Escrituras. Mas nós não somos, portanto, concluir que o homem que encontrou Abraão ainda vive, como alguns pensavam infantilmente, por isso deve ser aplicado para a outra pessoa a quem ele representava, até mesmo o Filho de Deus. E por estas palavras do Apóstolo a intenção de mostrar, que a dignidade do sacerdócio de Melquisedeque era para ser perpétua, enquanto que dos levitas era temporário. (116)

 

Que ele assim razões, - aqueles a quem a lei atribui dízimos estão morrendo homens; pelo qual foi indicado que o sacerdócio seria algum tempo ser revogada, como sua vida chegou ao fim, mas a Escritura não faz nenhuma menção da morte de Melquisedeque, quando se refere que os dízimos foram pagos a ele; assim que a autoridade de seu sacerdócio é limitado por nenhum momento, mas, pelo contrário lá é dada uma indicação de perpetuidade. E este é adicionado para o efeito, para que uma lei posterior, como é habitual, deve parecer para tirar a autoridade de uma lei anterior. Para que poderia ter sido de outra forma se opôs e disse, que o direito que possuía anteriormente Melquisedeque é agora vazio e nulo, porque Deus tinha introduzido outra lei por Moisés, por que ele transferiu o direito de os levitas. Mas o apóstolo antecipa essa objeção, dizendo que os dízimos foram pagos aos levitas apenas por um tempo, porque eles não vivem; mas que Melquisedeque, porque ele é imortal, mantém até o fim o que uma vez foi dada a ele por Deus.

 

O versículo 9

9.Levi também, etc. Ele avança mais longe, e diz que até mesmo o próprio Levi, que estava então nos lombos de Abraão, não foi isento da mesma subordinação; para Abraão, através do pagamento de dízimos, fez a si mesmo e sua posteridade inferior ao sacerdócio de Melquisedeque. (117) Mas aqui um, por outro lado, pode-se dizer, que da mesma forma que Judas também de cuja semente Cristo nasceu, dízimos pagos. Mas este nó pode ser facilmente desatado, quando se considera duas coisas que são liquidados além de toda a disputa entre os cristãos: em primeiro lugar, Cristo não é para ser contado simplesmente como um dos filhos de Abraão, mas é isento, por uma peculiar privilégio do ordem comum dos homens; e isso é o que ele próprio disse: (Mateus 22:45;) "Se ele é o filho de David, então que Davi chamá-lo de seu Senhor?" Em segundo lugar, uma vez que Melquisedeque é um tipo de Cristo, ele não é de forma razoável que a pessoa deve ser definido em oposição ao outro; pois devemos lembrar que ditado comum, de que o que é subordinado não está na oposição: daí o tipo, que vem aquém da realidade, deveria de modo algum se opor a ele, nem pode ser, para tal é o conflito entre iguais .

 

Estes cinco elementos, mencionados pelo Apóstolo, preencha o confronto entre Cristo e Melquisedeque, e, portanto, é dissipado o brilho daqueles que procuram mostrar que a principal semelhança entre eles é na oferta do pão e do vinho. Vemos que o Apóstolo com cuidado, e até mesmo escrupulosamente, examina aqui cada um desses pontos; ele menciona o nome do homem, a sede do seu reino, a perenidade de sua vida, o seu direito de dízimos, e sua bênção.

 

Não é, em verdade! nestas coisas, menos importância do que na oferta! Vamos dizer que o Espírito de Deus, por esquecimento, omitido esta, de modo que ele morava em coisas menores, e deixou despercebido a principal coisa, eo que era mais necessário para o seu propósito? Admira-me o mais que muitos dos antigos doutores da Igreja foram então levados por essa noção, que moravam apenas com a oferta de pão e vinho. E assim falou: "Cristo é um sacerdote segundo a ordem de Melquisedeque; e Melquisedeque ofereceu pão e vinho; em seguida, o sacrifício do pão e do vinho é apropriado para o sacerdócio de Cristo "O Apóstolo vai falar a seguir, em grande parte dos antigos sacrifícios.; mas desta nova sacrifício do pão e do vinho que ele não diz uma palavra. Donde, pois, fez escritores eclesiásticos derivar essa noção? Sem dúvida, como um erro geralmente leva a outra, tendo de se imaginaram um sacrifício na Ceia de Cristo, sem qualquer comando dele, e assim adulterado a Ceia adicionando um sacrifício, que depois se esforçou para descobrir argumentos plausíveis aqui e ali, a fim de disfarçar e cobrir seu erro. Esta oferta de pão e vinho prazer deles, e foi imediatamente prendeu sem qualquer critério. Pois quem pode admitir que estes homens eram mais inteligentes do que o Espírito de Deus? No entanto, se receber o que eles ensinam, devemos condenar o Espírito de Deus por inadvertência em ter omitido uma questão tão importante, especialmente porque a questão é declaradamente manipulados!

 

Eu, portanto, concluir, que os antigos inventaram um sacrifício, do qual Moisés nunca tinha pensado; para Melquisedeque ofereceu pão e vinho, não a Deus, mas, pelo contrário, a Abraão e seus companheiros. Estas são as palavras, "Melquisedeque, rei de Salém, saiu-lhe ao encontro, e trouxe pão e vinho; eo mesmo era sacerdote do Deus Altíssimo, eo abençoou "(Gênesis 14:18). A primeira coisa mencionada foi um ato real.; ele refrescado aqueles cansado depois da batalha e sua jornada com o sustento; a bênção foi o ato de um sacerdote. Se, em seguida, a sua oferta tivesse alguma coisa mística em que, a conclusão de que se encontra em Cristo, quando ele alimentou os famintos e aqueles cansado com a fadiga. Mas os papistas são extremamente ridículo, que apesar de negar que haja pão e do vinho na missa, ainda tagarelar sobre o sacrifício de pão e vinho.

 

Verso 11

  1. Se, portanto, a perfeição, ou, por outro lado, se a perfeição, (118) etc. Do mesmo testemunho do Apóstolo conclui, que a antiga aliança foi revogada pela vinda de Cristo. Ele tem até agora falado da função e da pessoa do sacerdote; mas como Deus havia instituído um sacerdócio com a finalidade de ratificar a Lei, o ex-ser abolida, este último cessa necessariamente. Que isso pode ser melhor compreendido, devemos ter em mente a verdade geral, - que nenhuma aliança entre Deus eo homem está em vigor e ratificado, exceto que ele repousa sobre um sacerdócio. Por isso diz o Apóstolo, que a lei foi introduzida entre os povos antigos sob o sacerdócio levítico; por que ele sugere, que não só prevaleceu durante a época da Lei, mas que ele foi instituído, como já dissemos, por causa de confirmar a lei.

 

Ele agora raciocina Assim, se o ministério da Igreja foi perfeito sob a ordem de Arão, por que foi necessário para voltar para outro fim? Pois na perfeição nada pode ser mudado. Segue-se então, que o ministério da Lei não era perfeito, para que nova ordem era para ser introduzida de que David fala. (119)

 

Pois sob este o povo recebeu a lei, etc. Este parêntese é inserido, a fim de que possamos saber que a Lei foi anexada ao sacerdócio. O Apóstolo tinha em vista a provar que na Lei de Moisés não havia fim último que devemos parar. Isto ele prova pela revogação das sacerdócios e, desta forma: Teve a autoridade do sacerdócio antigo sido de modo a ser suficiente para estabelecer plenamente a Lei, Deus nunca teria introduzido em seu lugar outro e um sacerdócio diferente. Agora, como alguns poderiam duvidar de que a abolição da Lei seguido a abolição do sacerdócio, ele diz que a Lei não foi só trouxe em menos, mas que foi também por ela estabelecido. (120)

 

Verso 12

12.Para o sacerdócio sendo mudado, ou, transferidos, etc. Como a autoridade da lei e do sacerdócio é o mesmo, Cristo tornou-se não apenas um sacerdote, mas também um legislador; por isso que o direito de Aaron, bem como de Moses, foi transferida para ele. A soma do todo é, que o ministério de Moisés não era menos temporário do que a de Aaron; e, portanto, ambos foram anulados pela vinda de Cristo, para aquele não podia ficar sem o outro. Pela Lei palavra, entendemos o que peculiarmente pertencia a Moisés; para a Lei contém a regra de vida, como também a aliança gratuita de vida; e nela encontramos muitas frases em todos os lugares notáveis ​​pelo qual somos instruídos quanto à fé, e quanto ao temor de Deus. Nenhum destes foram abolidas por Cristo, mas apenas a parte que considerou o antigo sacerdócio.

 

Pois Cristo está aqui em comparação com Moisés; o que quer, então eles tinham em comum, não é para ser levado para a conta, mas apenas as coisas em que diferem. Eles em misericórdia oferta comum de Deus para nós, determinará a regra de uma vida santa e divina, ensina-nos a verdadeira adoração de Deus, e nos exorta a exercitar a fé e paciência, e todos os deveres da piedade. Moisés, porém, era diferente de Cristo a este respeito, que, enquanto o amor do Evangelho não foi ainda dado a conhecer, ele manteve as pessoas sob véus, estabelecer o conhecimento de Cristo por tipos e sombras, e, em suma, se acomodou às a capacidade de pessoas ignorantes, e não subir mais alto do que a elementos pueris. Devemos, então, lembre-se, que a Lei é que parte do ministério que Moisés teve como peculiarmente seu, e diferente do de Cristo. Essa lei, como era subordinado ao antigo sacerdócio, foi abolida quando o sacerdócio foi abolido. E Cristo, fazendo-se sacerdote, foi investido também com a autoridade de um legislador, que ele poderia ser o professor e intérprete da nova aliança. Ao mesmo tempo, a lei termo é aplicado, embora não no seu sentido estrito, o Evangelho; mas esta impropriedade de linguagem é tão longe de ter qualquer coisa dura nele, que, por causa do contraste acrescenta beleza para a sentença, como nós encontramos no sétimo capítulo da Epístola aos Romanos

 

Além disso, a impiedade do Papa é extremamente arrogante, que inseriu este artigo em seus decretos, que ele próprio está agora investido com a mesma autoridade que Aaron teve anteriormente, porque a Lei e também o sacerdócio foram transferidos para ele. Nós vemos o que diz o Apóstolo; ele afirma que as cerimônias cessaram desde o momento em que Cristo veio com mandato de anunciar a nova aliança. Em seguida, é absurdo, portanto, a concluir, que nada foi transferido para os ministros de Cristo; para o próprio Cristo está sozinho aqui contrastado com Moisés e Arão. Sob que pretexto, em seguida, pode Anticristo arrogar-se qualquer autoridade? Eu não realmente falar agora por uma questão de refutar tão grosseira uma arrogância; mas vale a pena lembrar aos leitores desta audácia sacrilégio, para que saibam que este servo notório dos servos de Cristo totalmente desconsidera a honra do seu Mestre, e corajosamente mangles as Escrituras, que ele pode ter algum disfarce para sua própria tirania .

 

O versículo 13

13.For aquele de quem estas coisas se dizem, ou, dito, (121) etc. Como o Apóstolo estava falando com eles que confessou Jesus, Filho de Maria para ser a Cristo, ele prova que um fim foi posto à antiga sacerdócio , porque o novo sacerdote, que havia sido definido no lugar do antigo, era de outra tribo, e não de Levi; pois de acordo com a Lei a honra do sacerdócio era para continuar, por um privilégio especial, em que a tribo. Mas ele diz que era evidente que Cristo nasceu da tribo de Judá, pois era então um fato comumente conhecido. Como então eles reconheceram que ele era o Cristo, ele também era necessário que eles devem ser convencidos de que ele era o filho de Davi; pois aquele que havia sido prometido poderia derivar sua origem a partir de nenhum outro.

 

Verso 15

  1. E ele é ainda muito mais manifesto, etc. Ele prova por um outro argumento, que a lei será abolida. Ele raciocinou antes quanto à pessoa do sacerdote, mas agora quanto à natureza do sacerdócio, ea razão para o qual foi nomeado. O sacerdócio antigo, diz ele, tinha a ver com ritos externos; mas no sacerdócio de Cristo não há nada, mas o que é espiritual. É, portanto, parece, que o primeiro era evanescente e temporária; mas que este último era para ser perpétua.

 

Verso 16

16.Carnal mandamento, etc. Ele foi chamado carnal, porque se refere a coisas corporal, ou seja, a ritos externos. Sabemos como Arão e seus filhos foram iniciados em seu escritório. O que foi cumprida em Cristo pelo poder oculto e celestial do Espírito, foi prefigurado no âmbito da Lei de pomada, vários paramentos, a aspersão do sangue, e outras cerimônias terrenas. Agora, este tipo de instituição era adequado à natureza do sacerdócio; que, portanto, segue-se que o próprio sacerdócio era susceptível de mudar. Ao mesmo tempo, como veremos mais adiante, o sacerdócio não era tão carnal, mas que ainda era espiritual; mas o apóstolo aqui refere-se apenas à diferença entre Cristo e Aaron. No entanto espiritual, então pode ter sido o significado dessas sombras, eles foram ainda, mas sombras em si mesmos; e como eles foram compostos dos elementos deste mundo, eles podem ser justamente chamado terrena.

 

Após o poder de uma vida eterna, ou, de uma vida indissolúvel. Como Cristo é um sacerdote perpétuo, era necessário, que ele deve ser diferente do Aaron quanto à forma da sua nomeação; e assim foi, pois não era Moisés, um homem mortal, que o consagrou, mas o Espírito Santo, e que não com óleo, nem com o sangue de bodes, nem com a pompa externa de vestes, mas com poder celestial, que o apóstolo aqui coloca em oposição a elementos fracos. Por isso, vemos como a eternidade do seu sacerdócio foi exibido em Cristo.

 

Verso 17

17.Thou arte sacerdote para sempre, etc. É sobre a única palavra para sempre, que o apóstolo insiste nesta passagem; pois ele confirma o que ele disse de uma vida indissolúvel. Em seguida, ele mostra que Cristo difere de toda a raça de Levi, porque ele é feito sacerdote para sempre. (122)

 

Mas aqui pode-se objetar, como também os judeus fazem, que a palavra, לעולם laoulam, nem sempre significa a eternidade, mas a extensão de um ano de idade, ou, no mais distante, muito tempo; e ele é adicionado, que, quando Moisés fala dos sacrifícios antigos, muitas vezes ele usa essa expressão, "Esta portaria será para sempre." (Êxodo 00:17). Para isso, respondo que, sempre que os sacrifícios da lei são mencionados ", para sempre "deve ser confinada à época da Lei; nem deveria este ser considerada estranha; pela vinda de Cristo uma certa renovação do mundo foi efetuada. Sempre que, em seguida, Moisés fala de seu próprio ministério, ele estende o tempo mais longo mais longe do que a Cristo. Deve também ser observado ainda, que "para sempre" é aplicado para os sacrifícios antigos, não tendo em vista a cerimónia externo, mas por causa da sua significação mística. Nesta ocasião, no entanto, isso deve ser suficiente, que Moisés e seu ministério foram para sempre; isto é, até a vinda do reino de Cristo, sob o qual o mundo foi renovado. Agora, quando Cristo veio, e um sacerdócio perpétuo é dado a ele, podemos encontrar nenhum fim à sua idade, de modo que não pode terminar após um determinado período de tempo. Então, quando aplicada a ele, a palavra deve ser entendida no sentido de eternidade; pelo contexto que estamos sempre a julgar o significado da palavra, לעולם laoulam

 

Verso 18

18.For há, na verdade, um disannulling, ou revogação, etc. Como o discurso do Apóstolo depende desta dobradiça, que a Lei em conjunto com o sacerdócio tinha chegado ao fim, ele explica a razão pela qual deveria ter sido abolida, até porque era fraco e inútil. E ele fala assim em referência às cerimônias, que não tinham nada substancial neles, nem em si mesmos qualquer coisa disponível para a salvação; a promessa do favor anexado a eles, e em todos os lugares que Moisés dá testemunho de que Deus iria ser pacificada por sacrifícios e que os pecados seria expiado, não pertencem propriamente aos sacrifícios, mas foram apenas acidental a eles. Porque, assim como todos os tipos tinha uma referência a Cristo, assim dele que deriva toda a sua força e efeito; ou melhor, de si mesmos, eles aproveitado nada ou nada efetuada; mas toda a sua eficácia dependia de Cristo

 

Mas como os judeus tolamente configurar estes em oposição a Cristo, o Apóstolo, referindo-se essa noção, mostra a diferença entre essas coisas e Cristo. Pois tão logo eles estão separados de Cristo, não há nada neles, mas a fraqueza de que ele fala; em uma palavra, não há nenhum benefício para ser encontrado nas cerimônias antigas, exceto como eles se referem a Cristo; para, desta forma, por isso fez os judeus familiarizados com a graça de Deus, para que de uma forma manteve-los na expectativa dela. Vamos, então, lembre-se que a Lei é inútil, quando separados de Cristo. E ele também confirma a mesma verdade, chamando-o mandamento anterior; pois é um ditado bem conhecido e comum, que ex-leis são revogadas por esta última. A lei havia sido promulgada muito antes de David; mas ele estava em posse de seu reino quando proclamou esta profecia respeitando a nomeação de um novo sacerdote; esta nova Lei, em seguida, anulou o anterior.

 

Verso 19

19.For a lei nenhuma coisa aperfeiçoou, etc. Como ele tinha falado com bastante severidade da lei, ele agora atenua ou, por assim dizer, que corrige aspereza; para ele admite a ele alguma utilidade, uma vez que tinha apontado o caminho que leva à distância para a salvação. Foi, no entanto, de uma natureza a ser muito aquém da perfeição.

Por uma melhor esperança é para ser entendido a condição dos fiéis sob o reinado de Cristo; mas ele tinha em vista os pais, que não podem ser satisfeitos com o estado em que se encontravam então, mas aspirava a coisas mais elevadas. Daí que dizendo: "Muitos reis e profetas desejaram ver o que vós vedes." (Lucas 10:24). Eles foram, portanto, levado pela mão da Lei como um mestre-escola, que eles possam avançar mais. (123)

 

Pela qual nos aproximamos, etc. Não deve ser entendido aqui um contraste implícito entre nós e os pais; no honra e privilégio que eles excel, como Deus nos comunicou um pleno conhecimento de si mesmo, mas ele apareceu para eles como se fosse de longe e obscuramente. E há uma alusão feita aqui ao tabernáculo ou o templo; para as pessoas pararam de longe no tribunal, nem houve um acesso mais perto do santuário aberto a qualquer um a não ser para os sacerdotes; e para o santuário interior o mais alto sacerdote só entrou; mas agora, o tabernáculo que está sendo removida, Deus nos admite em uma abordagem familiar para si mesmo, que os pais não foram autorizados a ter. Então, ele que ainda detém-se nas sombras da Lei, ou procura para restaurá-los, não só obscurece a glória de Cristo, mas também priva-nos de um imenso benefício; para ele põe Deus a uma grande distância de nós, para aproximar os quais há uma liberdade concedida a nós pelo Evangelho. E todo aquele que continua na Lei, consciente e voluntariamente se priva do privilégio de se aproximar perto de Deus.

 

Verso 20

20.And na medida em que não sem juramento, etc. Aqui é outro argumento, por que a Lei deveria dar lugar ao Evangelho; para Deus colocou sacerdócio de Cristo acima do de Aaron, uma vez que em homenagem ao ex ele quis fazer um juramento. Para quando traçava os antigos sacerdotes, ele introduziu nenhum juramento; mas diz-se de Cristo, o Senhor jurou; que foi, sem dúvida, feito por uma questão de honrá-lo. Vemos o fim para o qual ele novamente cita o salmista, mesmo que saibamos, que mais honra através de juramento de Deus foi dado a Cristo do que qualquer outro. Mas devemos ter em mente esta verdade, que um sacerdote é feita de que ele pode ser a garantia de uma aliança. O Apóstolo conclui, portanto, que a aliança que Deus fez por Cristo com a gente, é muito mais excelente do que a antiga aliança de que Moisés era o intérprete.

 

Verso 23

23.And eles realmente, etc. Ele já havia tocado nessa comparação; mas como o assunto merecia mais atenção, ele se desdobra-lo mais plenamente, embora o ponto discutido é diferente do que era antes; para, em seguida, ele concluiu que o antigo sacerdócio foi o de chegar a um fim, porque eles que exerceu ele eram mortais; mas agora ele simplesmente mostra que Cristo permanece perpetuamente um padre. Isso ele faz por um argumento tirado de coisas desiguais; os antigos sacerdotes eram muitos, pois a morte pôr fim ao seu sacerdócio; mas a morte não existe para impedir Cristo de cumprir o seu escritório. Então, só ele é um padre perpétuo. Assim, uma causa diferente produz efeitos diferentes.

 

Verso 25

25.Wherefore ele é capaz de salvar, etc. Este é o fruto de um sacerdócio eterno, até mesmo a nossa salvação, se é certo que se reúnem esta fruta pela fé como deveríamos fazer. Para onde a morte é ou uma mudança, você vai lá buscar a salvação em vão; portanto, eles que se apeguem ao antigo sacerdócio, nunca pode alcançar a salvação. Quando ele diz, os que chegam a Deus, ou que se aproximar de Deus, por esta frase ressalta os fiéis que só desfrutar a salvação adquiridas por Cristo; mas ele ainda, ao mesmo tempo indica que a fé deve considerar em um mediador. A boa principal do homem é unir-se a seu Deus, com quem é a fonte da vida e de todas as bênçãos; mas a sua própria indignidade impulsiona toda longe de qualquer acesso a ele. Em seguida, o escritório peculiar de um mediador é trazer nos ajudar a este respeito, e para esticar a mão para nós que ele pode nos levar para o céu. E ele nunca faz alusão às antigas sombras da Lei; pois, embora o sumo sacerdote realizados os nomes das doze tribos em seus ombros e símbolos em seu peito, mas ele só entrou no santuário, enquanto o povo se pôs no pátio. Mas agora confiando em Cristo, o Mediador entramos pela fé no céu, pois não há mais nenhum véu intervir, mas Deus parece-nos abertamente, e amorosamente nos convida a um acesso familiar. (124)

 

Porquanto vive sempre, etc. Que tipo de promessa e quão grande é essa de amor para nós! Cristo vive para nós, não para si mesmo! Que foi recebido em uma bendita imortalidade a reinar no céu, este teve lugar, como o apóstolo declara, por nossa causa. Então a vida, eo reino, ea glória de Cristo são todos destinados para a nossa salvação quanto ao seu objeto; nem tem qualquer coisa Cristo, que não pode ser aplicado em nosso benefício; para ele foi dada a nós pelo Pai uma vez por todas sobre esta condição, que todo o seu deve ser nossa. Ele, ao mesmo tempo ensina-nos por que Cristo está fazendo, que ele está realizando seu escritório como um padre; para ele pertence a um padre para interceder pelo povo, para que possam obter o favor de Deus. Isto é o que Cristo está sempre fazendo, pois foi com este propósito que ele ressuscitou dos mortos. Em seguida, de direita, por sua intercessão contínua, ele afirma para si o ofício do sacerdócio.

 

No entanto, não há muita diferença no significado, se a palavra "totalmente" ou perfeitamente ser conectado com o "poder" ou com "salvar"; a mesma verdade é essencialmente transmitida. - Ed.

 

Verso 26

26.For um sumo sacerdote tal, etc. Ele raciocina a partir do que está necessariamente ligada com o assunto. Essas condições, ou qualificações, como eles geralmente dizem, são de necessidade exigida em um sacerdote - que ele deve ser apenas, inofensivo, e puro de toda mancha. Essa honra pertence a Cristo sozinho. Então o que era necessário para o desempenho real do escritório estava querendo nos sacerdotes da lei. É, portanto, segue-se que não houve a perfeição no sacerdócio levítico; nem era de fato em si mesmo legítimo, a menos que fosse subserviente à de Cristo; e, sem dúvida, os ornamentos externos do sumo sacerdote indicado este defeito; por que foram essas vestimentas caras e esplêndidas usado com a qual Deus ordenou Arão para ser adornado durante a realização de ritos sagrados, exceto que eles eram símbolos de uma santidade e excelência muito superior a todas as virtudes humanas? Agora, foram introduzidos esses tipos, porque não existia a realidade. Em seguida, ele parece que só Cristo é o sacerdote totalmente qualificado.

 

Separado dos pecadores, etc. Esta cláusula inclui todo o resto. Para houve alguma santidade, e inocuidade e pureza em Aaron, mas apenas uma pequena medida; para ele e seus filhos estão contaminados com muitos pontos; mas Cristo, isento do destino comum dos homens, é por si só livre de todo pecado; portanto, só nele se encontra a verdadeira santidade e inocência. Para ele não é dito ser separado de nós, porque ele nos repele de sua sociedade, mas porque ele tem essa excelência acima de todos nós, que ele é livre de toda impureza. (125)

 

E nós, portanto, concluir que todas as orações, que não são suportados pela intercessão de Cristo, são rejeitadas.

 

Pode, no entanto, ser convidados a anjos, sejam eles separado dos pecadores? E se assim for, o que os impeça de cumprir os ofícios do sacerdócio, e de serem nossos mediadores com Deus? Para isso, há uma resposta fácil: - Ninguém é um padre legal, exceto que ele é nomeado por ordem de Deus; e em nenhum lugar Deus conferiu esta honra em anjos. Seria, então, uma usurpação sacrílego, eram eles, sem ser chamado, para invadir o escritório; além disso, é necessário, como veremos em breve no início do próximo capítulo, que o Mediador entre Deus e os homens deve-se ser um homem. Ao mesmo tempo, a última coisa aqui mencionado pelo apóstolo é abundantemente suficiente como uma resposta para a pergunta; pois ninguém pode nos unir a Deus, mas aquele que atinge a Deus; e isso não é privilégio dos anjos, pois eles não são disse ter sido feito mais sublime do que os céus. Em seguida, ele pertence a Cristo sozinho para conciliar Deus para nós, como ele subiu acima de todos os céus. Agora, essas palavras significam o mesmo como se Cristo foram disse ter sido colocado acima de todas as ordens de criaturas, de modo que ele fica eminente sobre todos os anjos.

 

Verso 27

27.Who não houver mister, etc. Ele persegue o contraste entre Cristo e os sacerdotes levitas; e ele aponta principalmente dois defeitos, por assim dizer, no sacerdócio antigo, por que parece que ele não era perfeito. E aqui, na verdade, ele só toca brevemente sobre o assunto; mas ele depois explica cada detalhe mais em geral, e particularmente o que se refere aos sacrifícios diários, como a questão principal estava respeitando estes. É brevemente também que agora eu vou tocar em vários pontos. Um dos defeitos do antigo sacerdócio foi, que o sumo sacerdote oferecia sacrifícios pelos seus próprios pecados; como, então, ele poderia ter pacificado Deus para os outros, que tinham a Deus justamente desgostoso com ele mesmo? Em seguida, eles não eram de forma igual ao trabalho de expiar os pecados. O outro defeito era que eles ofereceram vários sacrifícios diários; isto, por conseguinte, segue-se que não havia nenhuma expiation real; pelos pecados permanecem quando purgação é repetido. O caso com Cristo era totalmente diferente; pois ele mesmo não precisava de sacrifício, como ele era aspergido com nenhuma mancha de pecado; e tal era o sacrifício, que ele estava sozinho suficiente para o fim do mundo, pois ele se ofereceu. (126)

 

Verso 28

28.For a lei, etc. A partir dos defeitos dos homens que ele chama a sua conclusão quanto à fraqueza do sacerdócio, como se ele tivesse dito: "Desde que a lei não faz nenhuma sacerdotes reais, o defeito deve por outros meios ser corrigidas; e é remediado pela palavra do juramento; para Cristo foi feito um padre, não sendo da ordem comum dos homens, mas o Filho de Deus, sujeito a nenhum defeito, mas adornado e dotado com a mais alta perfeição. "Ele novamente nos lembra, que o juramento foi posterior à lei , a fim de mostrar que Deus, que não pode ser satisfeito com o sacerdócio da lei, destinada a constituir um sacerdócio melhor; para nas instituições de Deus o que sucede avança o antigo para um estado melhor, ou suprime o que foi projetado para existir apenas por um tempo.

 

     

    SUBSIDIO (2) CPAD ADULTOS COMENTARIO

      BIBLICO DE GENESIS 14.12-20 4 TRIMESTRE

               MELQUISEDE ABENÇOA ABRAÃO

 

13 E veio um que escapara, eo contou a Abrão, o hebreu ele habitava na planície de Manre, o amorreu, irmão de Escol e irmão de Aner; estes eram aliados de Abrão. 14 E quando Abrão ouviu que seu irmão estava preso, armou os seus treinados servos, nascidos em sua casa, trezentos e dezoito, e perseguiu-os até Dã. 15 E dividiu-se contra eles, ele e os seus servos, por noite, e os feriu, perseguindo-os até Hoba, que é na mão esquerda de Damasco. 16 E tornou a trazer todos os bens, e tornou a trazer também o seu irmão Lot, e os bens dele, e também as mulheres, eo povo.

 

Temos aqui um relato da única ação militar alguma vez encontrar Abrão envolvidos, e isso ele foi solicitado, não por sua avareza ou a ambição, mas puramente por um princípio de caridade que não foi para enriquecer a si mesmo, mas para ajudar seu amigo . Nunca houve qualquer expedição militar empreendida, processado, e terminou, mais honrosa do que este de Abrão. Aqui nós temos,

 

  1. A notícia trouxe-o de sofrimento de seu parente. Providência ordenou que ele agora não peregrinou longe, que ele poderia ser um socorro bem presente. 1. Ele é aqui chamado Abrão, o hebreu, ou seja, o filho e seguidor de Heber, em cuja família a profissão da verdadeira religião foi mantido nessa época degenerada. Abram aqui agia como uma hebraico - de um modo não indignos do nome e personagem de um professor religioso. 2. As notícias foram trazidos por um que escapara com a sua vida por despojo. Provavelmente ele era um sodomita, e tão ruim quanto o pior deles ainda sabendo relação de Abrão a Ló, e preocupação para ele, implora sua ajuda, e espera acelerar pelo amor de Lot. Nota, o pior dos homens, no dia da sua angústia, será feliz para reivindicar conhecimento com aqueles que são sábios e bons, e assim obter um interesse neles. O homem rico no inferno chamado Abrão Pai e as virgens loucas feitas tribunal para o sábio para uma parte do seu petróleo.

 

  1. As preparações que ele fez para esta expedição. A causa foi claramente bom, seu chamado para se envolver em que era claro, e, portanto, com toda a velocidade, ele os seus homens treinados, nascidos em sua casa, com o número de trezentos e dezoito --um grande família, mas um pequeno exército, sobre como muitos como Gideon que derrotou os midianitas, Juízes 7: 7. Ele tirou suas treinados funcionários, ou seus catequizados servos, não só instruídos na arte da guerra, que era então muito aquém da perfeição que mais tarde e idades piores melhoraram-lo, mas instruído nos princípios da religião para Abram comandou sua doméstico para guardar o caminho do Senhor. Isso mostra que Abrão era, 1. Um grande homem, que tinha tantos servos dependendo dele, e empregado por ele, o que não era apenas a sua força e honra, mas deu-lhe uma grande oportunidade de fazer o bem, que é tudo o que é verdadeiramente valioso e desejável em lugares grandes e grandes propriedades. 2. Um bom homem, que não só serviu o próprio Deus, mas instruiu tudo sobre ele no serviço de Deus. Nota, Aqueles que têm grandes famílias não só têm muitas corpos, mas muitas almas para além da sua própria, para cuidar e providenciar. Aqueles que seriam encontrados os seguidores de Abrão deve ver que seus servidores sejam servos catequizados. 3. Um homem sábio, pois, embora ele era um homem de paz, mas ele disciplinou os seus servos para a guerra, não sabendo o que ocasião ele poderia ter, uma vez ou outra, de modo a empregá-los. Nota: Ainda que nossa santa religião nos ensina a ser para a paz, mas ele não nos proíbe de fornecer para a guerra.

 

III. Seus aliados e cúmplices nesta expedição. Ele prevaleceu com seus vizinhos, Aner, Escol e Manre (com quem manteve uma correspondência feira) para ir junto com ele. Era a sua prudência, assim, para reforçar suas próprias tropas com suas forças auxiliares e, provavelmente, eles se viam em causa, no interesse, de agir, como poderiam, contra este formidável poder, para que não a sua própria sua vez, deve ser o próximo. Nota 1. É nossa sabedoria eo dever de nos comportar de forma respeitosa e gentilmente em direção a todos os homens como que, sempre que houver ocasião, eles podem estar dispostos e prontos para nos fazer uma gentileza. 2. Aqueles que dependem da ajuda de Deus, no entanto, em tempos de aflição, deve fazer uso da ajuda dos homens, como Providence oferece-lo mais eles tentam a Deus.

 

EU V. Sua coragem e conduta eram muito notável. 1. Houve uma grande dose de coragem na própria empresa, considerando as desvantagens que colocam sob. O que poderia uma família de lavradores e pastores fazer contra os exércitos de quatro príncipes, que agora veio frescos de sangue e vitória? Não era um vencido, mas um exército vitorioso, que estava a perseguir nem foi constrangido pela necessidade para essa tentativa ousada, mas mudou-se para ele por generosidade para que, tudo considerado, era, pelo que sei, tão grande um exemplo de verdadeira coragem como nunca Alexander ou César foi comemorado por. Note, Religião tende a fazer homens, não covardes, mas realmente valentes. O justo é valente como um leão. O verdadeiro cristão é o verdadeiro herói. 2. Houve uma grande dose de política na gestão da mesma. Abrão não era um estranho para os estratagemas de guerra: Ele dividiu-se, como Gideão fez seus pouco Exército (Juízes 7:16), para que pudesse vir sobre o inimigo de vários trimestres de uma só vez, e assim fazer a sua poucos parecem um grande número ele fez o seu ataque por noite, para que pudesse surpreendê-los. Note, política Honest é um bom amigo, tanto para a nossa segurança e nossa utilidade. A cabeça da serpente (desde que não ser nada parecido com a antiga serpente) pode muito bem tornar-se o corpo de um bom cristão de, especialmente se ela tem um olho de pomba nele, Mateus 10:16.

 

  1. Seu sucesso foi muito considerável, Gênesis 14: 15,16. Ele derrotou os seus inimigos, e resgatou seus amigos e não achar que ele sofreu qualquer perda. Nota, Aqueles que se aventuram por uma boa causa, com um bom coração, estão sob a proteção especial de um Deus bom, e têm razão para esperar por uma boa causa. Mais uma vez, É tudo um com o Senhor de livrar com muitos ou com poucos, 1 Samuel 14: 6. Observar,

 

  1. Ele resgatou seu parente aqui duas vezes ele é chamado de seu irmão Lot. A lembrança da relação que havia entre eles, tanto por natureza e graça, fez esquecer a pequena briga que tinha sido entre eles, em que Lot tinha de modo algum agiu bem em direção Abrão. Justamente pode Abrão ter repreendido Lote com sua loucura no brigando com ele e remover dele, e ter-lhe dito que ele era suficientemente bem servido, ele poderia ter conhecido quando ele era bem de vida, mas, no peito de caridade de piedosa Abrão, é tudo perdoado e esquecido, e ele aproveita a oportunidade para dar uma prova real da sinceridade de sua reconciliação. Nota: (1) Devemos estar prontos, sempre que está no poder de nossas mãos, para socorrer e aliviar aqueles que estão em perigo, especialmente os nossos parentes e amigos. Um irmão é nascido para a adversidade, Provérbios 17:17. Um amigo na necessidade é um amigo de verdade. (2.) Embora outros têm querido em seu dever para nós, mas nós não devemos, portanto, negar o nosso dever para com eles. Alguns disseram que eles possam mais facilmente perdoar os seus inimigos do que os seus amigos, mas veremos nos obrigados a perdoar tanto se considerarmos, não só que o nosso Deus, quando éramos inimigos, nos reconciliou, mas também que ele passa por cima da transgressão o resto da tua herança, Miquéias 7:18.

 

  1. Ele resgatou o restante dos cativos, pelo amor de Lot, se fossem estranhos a ele e como ele estava sob nenhuma obrigação de nada não, embora eles eram sodomitas, os pecadores contra o Senhor, e embora, provavelmente, ele poderia ter recuperado Lot sozinho por meio de resgate, mas ele trouxe de volta todas as mulheres, e as pessoas e os seus bens, Gênesis 14:16. Note-se, enquanto temos oportunidade, devemos fazer o bem a todos os homens. A nossa caridade deve ser extensa, como a oportunidade se oferece. Onde quer que Deus dá a vida, não devemos rancor a ajuda que podemos dar para apoiá-lo. Deus faz o bem para os justos e injustos, e assim devemos, Mateus 5:45. Esta vitória que Abram obtido sobre os reis do profeta parece referir-se, Isaías 41: 2, que ressuscitou o homem justo a partir do leste, e fez dominar sobre reis? E alguns sugerem que, como antes ele tinha um título a este terra por concessão, então agora pela conquista.

 

Versículos 17-20

Entrevista de Abrão com Melquisedeque.          BC 1913.

17 E o rei de Sodoma saiu-lhe ao encontro após seu retorno de ferir a Quedorlaomer e aos reis que estavam com ele, no vale de Savé, que é o vale do rei. 18 E Melquisedeque, rei de Salém, trouxe pão e vinho; pois era sacerdote do Deus Altíssimo. 19 E abençoou-o, e disse: Bendito seja Abrão pelo Deus Altíssimo, o Criador dos céus e da terra: 20 E bendito seja o Deus Altíssimo, que entregou os teus inimigos nas tuas mãos. E deu-lhe o dízimo de tudo.

 

Este parágrafo começa com a menção do respeito que o rei de Sodoma pago a Abrão em seu retorno da matança dos reis, mas, antes de uma conta especial é dado a isso, a história de Melquisedeque é brevemente relacionadas, a respeito de quem observar,

 

  1. quem ele era. Ele era rei de Salém e sacerdote do Deus Altíssimo e outras coisas gloriosas são ditas dele, Hebreus 7: 1-10, & c. 1. A rabbin, ea maioria de nossos escritores rabínicos, concluir que Melquisedeque era Shem, filho de Noé, que era o rei e sacerdote para aqueles que descende dele, de acordo com o modelo patriarcal. Mas isso não é de todo provável de por que deve o seu nome ser mudado? E como ele veio a se estabelecer em Canaã? 2. Muitos escritores cristãos ter pensado que esta era uma aparição do próprio Filho de Deus, nosso Senhor Jesus, conhecida por Abrão, neste momento, por este nome, como, posteriormente, Hagar chamou-o por um outro nome, Gênesis 16:13 . Ele apareceu para ele como um rei justo, proprietária de uma causa justa, e dando paz. É difícil imaginar que qualquer mero homem deve ser dito para ser sem pai, sem mãe, sem descendência e, não tendo princípio de dias nem fim de vida, Hebreus 7: 3. Ele é testemunhado de Melquisedeque que ele vive, e que ele permanece sacerdote para sempre (Hebreus 7: 3,8) ou melhor (Hebreus 7: 13,14), o apóstolo faz dele, de quem estas coisas se dizem ser o nosso Senhor, que nasceu de Judá. É igualmente difícil pensar que qualquer mero homem deve, neste momento, ser maior do que Abram nas coisas de Deus, que Cristo deve ser um sacerdote segundo a ordem de qualquer mero homem, e que qualquer sacerdócio humano deve até agora excel que de Aaron como é certo que Melquisedeque de fez. 3. O parecer mais comumente recebeu é que Melquisedeque era um príncipe cananéia, que reinava em Salem, e manteve-se a verdadeira religião lá, mas, em caso afirmativo, por que seu nome deve ocorrer aqui apenas em toda a história de Abrão, e por que Abrão deve têm altares de sua própria e não atender os altares de seu vizinho de Melquisedeque, que era maior do que ele, parece inexplicável. Sr. Gregório de Oxford nos diz que o Árabe Catena, a qual ele constrói muito sobre a autoridade de, dá este relato de Melquisedeque, que ele era o filho de Heraclim, filho de Peleg, filho de Eber, e que o nome de sua mãe foi Salatiel, a filha de Gomer, filho de Jafé, filho de Noé.

 

  1. O que ele fez. 1. Ele trouxe pão e vinho, para o refresco de Abrão e seus soldados, e em felicitações de sua vitória. Ele fez isso como um rei, ensinando-nos a fazer o bem e para se comunicar, e ser hospitaleiro, de acordo com a nossa capacidade e representam as provisões espirituais de força e conforto que Cristo reservados para nós no pacto de graça para o nosso refresco, quando estamos cansado com nossos conflitos espirituais. 2. Como sacerdote do Deus Altíssimo, abençoou Abrão, que podemos supor um maior refresco a Abrão que o seu pão e vinho eram. Assim, Deus suscitou a seu Filho Jesus, enviou-lhe que nos abençoe, como quem tem autoridade e aqueles que ele abençoa é abençoado de fato. Cristo foi para o céu quando ele estava abençoando seus discípulos (Lucas 24:51) para isso é o que ele vive sempre para fazer.

 

III. O que ele disse, Gênesis 14: 19,20. Duas coisas foram ditas por ele: - 1. Ele abençoou Abrão de Deus: Bendito seja Abrão, abençoado pelo Deus Altíssimo, Gênesis 14:19. Observe os títulos que ele aqui dá a Deus, que são muito glorioso. (1.) O Deus Altíssimo, que evidencia suas perfeições absolutas em si mesmo e seu domínio soberano sobre todas as criaturas que ele é o Rei dos reis. Note, Ele vai ajudar muito tanto a nossa fé ea nossa reverência em oração a olho Deus como o Deus Altíssimo, e chamá-lo assim. (2.) Possuidor dos céus e da terra, ou seja, legítimo proprietário, e soberano Senhor, de todas as criaturas, porque ele os fez. Isto evidencia-o grande Deus, e mui digno de louvor (Salmo 24: 1), e aqueles que um povo feliz que têm interesse em seu favor e amor. 2. Ele louvou a Deus para Abrão (Gênesis 14:20), e bendito seja o Deus Altíssimo. Nota: (1) Em todas as nossas orações, devemos louvar a Deus, e juntar-se aleluias com todos os nossos hosanas. Estes são os sacrifícios espirituais que devemos oferecer diariamente, e sobre determinadas ocasiões. (2) Deus como o Deus Altíssimo, deve ter a glória de todas as nossas vitórias, Êxodo 17:15, 1 Samuel 7: 10,12 Juízes 5: 1,2, 2 Crônicas 20:21. Neles ele se mostra maior do que nossos inimigos (Êxodo 18:11), e maior do que nós para sem ele nós não podia fazer nada. (3.) Devemos dar graças por misericórdias dos outros como para o nosso próprio, triunfando com aqueles que triunfará. (4.) Jesus Cristo, nosso grande sumo sacerdote, é o Mediador ambas as nossas orações e louvores, e não só oferece até a nossa, mas a sua própria para nós. Ver Lucas 10:21.

 

EU V. O que foi feito para ele: Abrão deu-lhe o dízimo de tudo, isto é, os despojos, Hebreus 7: 4. Isso pode ser encarado, 1. Como uma gratificação apresentados a Melquisedeque, por meio de troca de seus sinais de respeito. Note-se, aqueles que recebem bondade deve mostrar bondade. A gratidão é uma das leis da natureza. 2. Como uma oferta prometeu e dedicado ao Deus Altíssimo, e, portanto, colocar nas mãos de Melquisedeque sacerdote. Nota: (1) Quando recebemos alguma misericórdia sinal de Deus, é muito oportuno que devemos expressar nossa gratidão por algum ato especial de caridade piedosa. Deus deve sempre ter suas dívidas fora de nossa substância, especialmente quando, por qualquer providência particular, ele quer preservada ou aumentada para nós. (2) Que o décimo de nossa renda é uma proporção muito apto para ser separado para a honra de Deus e ao serviço do seu santuário. (3) Que Jesus Cristo, nosso grande Melquisedeque, é ter feito uma homenagem a ele, e para ser humildemente reconhecida por cada um de nós como nosso rei e sacerdote, e não apenas o dízimo de tudo, mas tudo o que temos, deve ser entregue e entregue a ele.

 

 

 SUBSIDIO (3) CPAD ADULTOS MELQUI ABENÇOA ABRAÃO

 COMENTARIO BIBLICO GENESIS 14.12-20 4 TRIMESTRE

 

Versículos 13-16

Abram poderia ter perdido seus bens e sua vida por se envolver em guerra com os reis da Mesopotâmia. Ele também se colocou como o alvo de retaliação. Quase todo mundo no antigo Oriente Próximo praticado retaliação, e ele ainda é um fator importante na turbulência política contínua que caracteriza o Oriente Médio para este dia. O "antigo Oriente Próximo" é um termo que se aplica a todo o mundo Mediterrâneo oriental nos tempos antigos. O "Oriente Médio" é um termo que se refere à área aproximadamente entre África, Europa, Ásia e nos tempos modernos. As pessoas não perdoar e esquecer; que abrigou ressentimento por atos cometidos contra os seus antepassados ​​ou a si próprios e para as gerações vingou quando eles pensaram que poderiam ter sucesso.

 

Por que foi Abram disposto a assumir tais riscos? Ele provavelmente pensou que poderia ganhar. Seu amor para o lote pode ter sido o fator principal. Ele não pensou: "Ele fez sua própria cama; deixá-lo deitar nela." Talvez Abrão esperava que Lot tinha aprendido a lição vivendo em Sodoma e gostaria de voltar para ele. Infelizmente Ló não tinha aprendido a lição, mas voltou a Sodoma logo após a sua libertação como prisioneiro de guerra. Sem dúvida Abrão, também tinha confiança nas promessas de Deus a ele (Gênesis 12: 2-3; Genesis 12: 7).

 

"Temos aqui um prelúdio do futuro assalto do poder mundano sobre o reino de Deus estabelecido em Canaã, e pela importância deste evento para a história sagrada consiste no fato, que os reis do vale do Jordão e arredores país submetido ao poder mundano, enquanto Abrão, ao contrário, com os seus servos home-nascido, feriu os conquistadores e resgatou a sua presa, -A sinal profético que, no conflito com o poder do mundo a semente de Abrão não só não seria subjugado, mas seria capaz de salvar da destruição aqueles que recorreu a ele para a ajuda. " [Nota: Keil e Delitzsch, 1:. 202]

Alguns estudiosos têm sugerido que a designação de Abrão como um hebraico (Gênesis 14:13) marcou-o como um residente estrangeiro, em vez de um semi-nômade. Como tal, ele tomou medidas para tomar posse da terra que Deus lhe havia prometido. [Nota: ". Abraão em História e Tradição Parte I: Abraão, o hebreu," Veja Donald J. Wiseman, Bibliotheca Sacra 134: 534 (Abril-Junho 1977):. 123-30] Ele poderia ter sido tanto. [Nota: Ver Yochanan regalos, "Abraão, o Guerreiro Nobre: ​​Política patriarcal e Leis da Guerra no antigo Israel", Journal of Estudos Judaicos 33: 1-2 (Primavera-Outono 1982):. 81-107] Albright argumentou que ele era um "donkeyman, condutor de asnos, Caravaneer." [Nota: Albright, p. 34.] No entanto intérpretes mais conservadores concluíram que ele era um pastor semi-nômade. [Nota: Por exemplo, Cozinha, A Bíblia ..., p. 57. Cf. 46:32, 34; 47: 3.] O termo "hebreu" é essencialmente uma designação étnica no Antigo Testamento. [Nota: Hamilton, p. 405.] Normalmente, exceto Hebreus pessoas a usou para descrever este grupo étnico.

 

"O aparecimento do nome mais tarde 'Dan' [Gênesis 14:14] é uma atualização pós-Mosaic do nome do lugar para leitores mais tarde." [Nota: Mathews, Gênesis 11: 27-50: 26, p. 147.]

A situação que Abraão enfrentou tirar os 318 homens e ir para a batalha contra uma aliança de quatro exércitos era semelhante ao Gideon enfrentou na liderança de 300 homens contra 135.000 midianitas (Juízes 7: 6; Juízes 8:10). A lição de ambas as passagens é semelhante: Deus é capaz de dar uma vitória minoria confiante e obediente sobre as forças ímpias que são esmagadoramente superior em número.

 

Verso 17

O "vale de Savé" era perto de Jerusalém (o "Salem" de Gênesis 14:18). Pode ter sido vale de Kidron imediatamente a leste da cidade ou em algum outro vale não muito longe.

 

Versículos 17-24

Abram da reunião com dois reis 14: 17-24

Esta seção registra uma decisão importante Abrão teve que fazer depois que ele voltou vitorioso de sua batalha com os reis da Mesopotâmia.

 

Verso 18

"Melquisedeque" foi provavelmente um título ao invés de um nome próprio. Isso significa "Rei da Justiça". Compare Adonizedek ("Senhor da Justiça"), em Josué 10: 1; Josué 10: 3. No entanto theophoric nomes eram comuns no antigo Oriente Próximo, então seu nome pode ter significado "Meu rei é Sedeq" ou "Milku é justo", Sedeq e Milku presumivelmente sendo os nomes dos deuses. [Nota: Wenham, Gênesis 1-15, p. 316.] Os nomes de ambos os reis de Sodoma e Gomorra (Gênesis 14: 2) são compostos de uma palavra hebraica traduzida por "mal" (cf. Gênesis 13:13).

 

Pão e vinho foram a comida e bebida real do dia. Muitos escritores têm comentado sobre o seu significado normal, embora não há nenhuma base para conectá-los diretamente com os elementos utilizados na Ceia do Senhor. Muitos Velho Oriente Próximo utilizado pão e do vinho, fazendo pactos. [Nota: Donald J. Wiseman, "Abraham em História e Tradição Parte II:. Abraham o príncipe," Bibliotheca Sacra 134: 535 (julho-setembro de 1977):. 236] de Melquisedeque, o primeiro sacerdote mencionado na Bíblia, evidentemente deu um banquete real em honra de Abrão. Em vista de suas personagens e proximidade geográfica, Abrão e Melquisedeque pode ter sido amigos antes desta reunião. Melquisedeque pode ter sido rei de Abrão, a quem o patriarca estava pagando uma obrigação prevista. [Nota: Loren Fisher, "Abraão e seu sacerdote-rei," Journal of Biblical Literature 81 (1962):. 268]

 

Verso 19

O Deus de Melquisedeque adorado como um sacerdote era o verdadeiro Deus conhecido para ele como El Elyon, o Criador dos céus e da terra. Este título revela o poder soberano de Deus. Melquisedeque e Abrão considerado recente vitória de Abrão na batalha como devido à bênção de El Elyon.

 

Verso 20

Pessoas praticado dízimo como um ato de adoração geralmente no antigo Oriente Médio neste momento (cf. Gênesis 28:22). [Nota: Ver Keil e Delitzsch, 1:. 207] Foi também um imposto comum. Isso ainda é verdade em alguns países modernos. Por exemplo, na Inglaterra parte dos impostos de cada pessoa vai para manter a Igreja da Inglaterra. Alguns moradores consideram esta parte de seu imposto como a sua contribuição para a igreja ou o seu dízimo. No entanto, uma vez Melquisedeque deu Abrão uma bênção sacerdotal, é provável que Abrão retribuiu dando Melquisedeque um presente com conotações sacerdotais. [Nota: Wenham, Gênesis 1-15, p. 316.] "All" provavelmente se refere a tudo o que ele levou na batalha, em vez de tudo o que estava na posse de Abrão (cf. Gênesis 14: 23-24; Hebreus 7: 4).

Fonte  Notas expositivas de Dr. Thomas Constable

 

 

  SUBSIDIO (1) ADULTOS CPAD 4 TRIMESTRE

                         2015  Gênesis 11.1-11 

 

 

Introdução

A antiga distinção entre os filhos de Deus e os filhos de homens (professores e profanos) sobreviveram ao dilúvio, e agora apareceu novamente, quando os homens começaram a multiplicar-se: de acordo com esta distinção que temos, neste capítulo, I. A dispersão da filhos dos homens em Babel (Gênesis 11: 1-9), onde temos, 1. Seu projeto provocação presunçoso, o que era para construir uma cidade e uma torre, Gênesis 11: 1-4. 2. O justo juízo de Deus sobre eles em decepcionando sua concepção, ao confundir a língua deles, e assim espalhando-os, Gênesis 11: 5-9. II. O pedigree dos filhos de Deus ao Abraão (Gênesis 11: 10-26), com uma conta geral de sua família, e remoção de seu país natal, Gênesis 11: 27-32, & c.

Versículos 1-4

A confusão de línguas.

1 E era toda a terra de uma mesma língua e de uma mesma fala. 2 E aconteceu que, como eles viajaram do Oriente, acharam um vale na terra de Sinar, e habitaram ali. 3 E disseram uns aos outros: Eia, façamos tijolos, e queimá-los completamente. E lhes o tijolo por pedra, eo betume por cal. 4 E eles disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume pode chegar até ao céu e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.

O fim do capítulo anterior nos diz que por os filhos de Noé, ou entre os filhos de Noé, as nações foram divididas na terra depois do dilúvio, ou seja, foram distinguidos em várias tribos ou colônias e, os lugares de ter crescido demasiado estreito para eles, ou era nomeado por Noé, ou acordado entre seus filhos, que forma cada vários tribo ou colônia deve dirigir o seu curso, a começar pelos países que estavam ao lado deles, e projetar para continuar mais e mais, e para remover a uma maior distância uns dos outros, como o aumento das suas várias empresas devem exigir. Assim foi a questão bem resolvida, cem anos depois do dilúvio, sobre o momento do nascimento de Peleg, mas os filhos dos homens, deve parecer, foram Loth para dispersar em lugares distantes eles pensaram quanto mais, melhor e mais seguro, e, portanto, artificial para manter juntos, e estavam de folga para ir para possuir a terra que o Senhor Deus de seus pais lhes tinha dado (Josué 18: 3), pensando-se mais sábio do que Deus ou Noah. Agora aqui nós temos,

  1. As vantagens que befriended seu projeto de manter juntos, 1. Eles eram todos de uma língua, Gênesis 11: 1. Se houvesse qualquer idiomas diferentes antes do dilúvio, mas apenas a de Noé, que é provável era o mesmo com Adão, foi preservada por meio do dilúvio, e continuou depois.

 Agora, enquanto todos eles entenderam um ao outro, eles seriam os mais propensos a amar uns aos outros, e quanto mais capazes de ajudar uns aos outros, e menos inclinable para separar um do outro. 2. Eles encontraram um lugar cômodo muito conveniente para se instalarem no (Gênesis 11: 2), um vale na terra de Sinar, uma planície ampla, capaz de conter todos eles, e uma frutuosa simples, capaz, de acordo como seus números estavam presentes , para apoiar todos eles, embora, talvez, não tivessem considerado que o quarto não seria para eles, quando seus números deve ser aumentada. Note, convidando acomodações, para o presente, muitas vezes provar tentações muito fortes para o abandono de ambos dever e interesse, porque respeita a futuridade.

  1. O método que levou para vincular-se a um outro, e para resolver juntos em um só corpo. Em vez de cobiçar para ampliar suas fronteiras por uma saída pacífica sob a proteção divina, eles inventaram para fortalecê-los, e, como os que foram resolvidos para fazer a guerra com o Céu, eles colocaram-se em uma postura de defesa. Sua resolução é unânime, Vamos construir uma cidade e uma torre. É perceptível que os primeiros construtores de cidades, tanto no velho mundo (Gênesis 4:17), e no novo mundo aqui, não eram homens do melhor caráter e reputação: tendas servido assuntos de Deus para habitar em cidades foram construídas pela primeira vez por aqueles que eram rebeldes contra ele e rebeldes dele. Observe aqui,
  2. Como eles animado e encorajado um outro para definir sobre este trabalho. Eles disseram: Eia, façamos tijolos (Gênesis 11: 3) e, novamente, (Gênesis 11: 4), Ir para, edifiquemos nós uma cidade por excitações mútuas que fizeram um ao outro mais ousado e resoluto. Nota, grandes coisas podem ser trazidos para passar quando os agentes funerários são numerosos e unânimes, e mexa-se um ao outro. Vamos aprender a provocar um ao outro ao amor e às boas obras, como pecadores agitar-se e encorajar uns aos outros para obras más. Ver Salmo 122: 1; Isaías 2: 3,5; Jeremias 50: 5.
  3. Quais os materiais que eles usaram em sua construção. O país, sendo simples, rendeu nem pedra nem argamassa, mas isso não desencorajá-los de sua empresa, mas eles fizeram tijolo para servir em vez de pedra, eo betume ou piche em vez de argamassa. Veja aqui: (1) O que deslocar os fará que são resolutos em seus propósitos: éramos nós, mas zeloso em uma coisa boa, não devemos parar nosso trabalho tão frequentemente como nós, sob o pretexto de que queremos conveniências para realizá- ligar. (2.) Que diferença existe entre o edifício e dos homens, quando os homens constroem sua Babel, tijolo e limo são os seus melhores materiais, mas, quando Deus constrói o seu Jerusalém, ele estabelece o Deus fundações do mesmo com safiras, e todas as suas fronteiras com a pedras agradáveis, Isaías 54: 11-12; Apocalipse 21:19.
  4. Para que fins eles construíram. Alguns pensam que por este meio destinado a assegurar-se contra as águas de outro dilúvio. Deus lhes havia dito que na verdade ele não voltaria a afogar o mundo, mas eles confiariam a uma torre de sua própria criação, ao invés de uma promessa de fazer de Deus ou uma arca de sua nomeação. Se, no entanto, eles tinham tido isso em seus olhos, eles teriam escolhido para construir a sua torre em cima de uma montanha, em vez de em cima de uma simples, mas três coisas, ao que parece, eles visam na construção desta torre: -

(1.), parece projetado para uma afronta a Deus ele mesmo para eles construir uma torre cujo cume pode chegar ao céu, o que evidencia um desafio a Deus, ou, pelo menos, uma rivalidade com ele. Eles seria semelhante ao Altíssimo, ou viria como perto dele como poderiam, não em santidade, mas na altura. Esqueceram-se de seu lugar, e, desprezando a rastejar na terra, resolveu subir ao céu, e não pela porta ou escada, mas alguma outra forma.

(2.) Eles esperavam por este meio para tornar-se um nome que eles fariam algo para ser falado de agora, e para dar a posteridade saber que tinha havido homens como eles no mundo. Ao invés de morrer e não deixar nenhum memorando atrás deles, eles iriam deixar este monumento de seu orgulho e ambição, e loucura. Note-se, [1] A afetação de honra e um nome entre os homens comumente inspira com um ardor estranho para empresas grandes e difíceis, e muitas vezes trai para o que é mau e ofensivo a Deus. [2] Trata-se apenas com Deus para enterrar esses nomes no pó que são levantadas pelo pecado. Estes Babel construtores colocaram-se a uma grande quantidade de despesa insensata para tornar-se um nome, mas eles não poderiam ganhar ainda neste ponto, por que não encontramos em qualquer história o nome de tanto como um desses construtores de Babel. Philo judae nos diz: Eles gravado cada um o seu nome em cima de um tijolo, em perpetuam rei memoriam - como um memorial perpétuo ainda nem fez isso servem o seu propósito.

(3.) Eles fizeram isso para evitar sua dispersão:. Para que não sejamos espalhados sobre a face da terra "Foi feito" (diz Josephus) "em desobediência a esse comando (Gênesis 9: 1), enchei a terra. " Deus ordena-los a se dispersar. "Não", eles dizem, "nós não vamos, nós vamos viver e morrer juntos." A fim assino, eles se engajam e um outro neste vasto empreendimento. Que eles possam se unir em um glorioso império, eles resolvem construir esta cidade e uma torre, para ser a metrópole de seu reino e do centro de sua unidade. É provável que a banda de Ninrode era ambicioso em tudo isso. Ele não podia contentar-se com o comando de uma colônia particular, mas que visa monarquia universal, a fim de que, sob o pretexto de unir pela sua segurança comum, ele consegue mantê-los em um só corpo, que, tendo todos eles sob seu olho , ele não poderia deixar de tê-los sob o seu poder. Veja a presunção ousadia desses pecadores.

Aqui seja, [1] A oposição corajosa a Deus: "Você deve ser espalhadas", diz Deus. "Mas não vamos", dizem eles. Ai daquele que, assim, se esforça com o seu Criador. [2] A competição negrito com Deus. É prerrogativa de Deus para ser monarca universal, o Senhor de todos, eo Rei dos reis, o homem que tem como objectivo oferece para entrar no trono de Deus, que não dará sua glória para outro.

Versículos 5-9

5 E o L ORD desceu para ver a cidade ea torre que os filhos dos homens edificavam. 6 E o L ORD disse: Eis que o povo é um, e todos têm uma mesma língua e isso eles começam a fazer; e agora, não haverá restrição para tudo o que eles intentarem fazer. 7 Eia, desçamos e confundamos ali a sua língua, para que não entenda um a língua do outro. 8 Assim, o L ORD os espalhou dali sobre a face de toda a terra; e cessaram de edificar a cidade. 9 Portanto, é o nome do que chamou de Babel, porque o L ORD ali confundiu a língua de toda a terra, e dali fez o L ORD espalhá-los no exterior sobre a face de toda a terra.

Temos aqui a anulação do projeto dos construtores de Babel, ea viragem do conselho desses homens perversas de cabeça, que o conselho de Deus pudesse subsistir a despeito delas. Aqui está,

  1. O Deus tomou conhecimento do projeto que estava em pé: O Senhor desceu para ver a cidade, Gênesis 11: 5. É uma expressão, segundo o costume dos homens que ele conhecia tão claramente e plenamente como os homens sabem que qual veio ao lugar para ver. Observe, 1. Antes ele deu julgamento sobre sua causa, ele perguntou para ela porque Deus é incontestavelmente justo e correto em todos os seus processos contra o pecado e pecadores, e condena nenhum inédito. 2.

Ele é falado como um ato de condescendência em Deus mesmo a tomar conhecimento deste edifício, que os agentes funerários estavam tão orgulhosos por ele se humilha para contemplar as operações, mesmo as mais consideráveis, deste mundo inferior, Salmo 113 : 6. 3. Diz-se de ser a torre que os filhos dos homens construído, que dá a entender, (1.) Sua fraqueza e fragilidade quanto os homens. Foi uma coisa muito tolo para os filhos dos homens, répteis da terra, para desafiar o Céu, e para provocar o Senhor ao ciúme. Eles são mais fortes do que ele? (2.) A sua pecaminosidade e obnoxiousness. Eles foram os filhos de Adão, por isso, é em hebraico ou melhor, do que Adão, que pecaminosa desobediente Adão, cujos filhos são por natureza filhos da desobediência, filhos corruptores.

(3.) A distinção entre os filhos de Deus, os professores de religião, a quem estes construtores ousadas haviam se separado, e construiu esta torre para apoiar e perpetuar a separação. Piedoso Eber não é encontrada entre esta tripulação ímpio para ele e sua são chamados os filhos de Deus e, portanto, suas almas não entrar em o segredo, nem unir-se à assembléia, desses filhos dos homens.

  1. Os conselhos e as resoluções do Eterno Deus a respeito deste assunto, ele não desceu apenas como um espectador, mas como um juiz, como um príncipe, para olhar para estes homens soberbo, e abate-los, Jó 40: 11-14. Observar,
  2. Ele lhes sofreu para prosseguir uma boa maneira em sua empresa antes de colocar um fim a isso, para que tenham tempo para se arrepender, e, se eles tivessem tanta consideração esquerda, pode ter vergonha dele e cansado de por si próprios e se não que sua decepção pode ser o mais vergonhoso, e todo o que passava por poderia rir deles, dizendo: Estes homens começaram a construir, e não foram capazes de terminar, que assim as obras das suas mãos, a partir do qual eles prometeram-se honra imortal, pode voltar para o seu perpétuo desprezo. Note-se, Deus tem fins sábios e santos em permitir que os inimigos de sua glória para continuar seus projetos ímpias um grande caminho, e para prosperar por muito tempo em suas empresas.
  3. Quando eles tinham, com muito cuidado e esforço, feito algum progresso considerável em seu edifício, então Deus determinou para quebrar as suas medidas e dispersá-los. Observar,

(1.) A justiça de Deus, que aparece nas considerações em que ele passou na presente resolução, Gênesis 11: 6. Duas coisas que considerou: - [1.] A sua unidade, como uma razão pela qual eles devem ser espalhadas ". Eis que o povo é um, e todos têm uma mesma língua Se eles continuarem um, grande parte da terra será deixado desabitada o poder de seu príncipe em breve será maldade exorbitante e profanação será insuportavelmente desenfreado, pois vai fortalecer mãos uns dos outros na mesma e, o que é o pior de tudo, haverá um overbalance para a igreja, e esses filhos dos homens, se, assim, incorporada, irá engolir o pequeno remanescente dos filhos de Deus. " Por isso, é decretado que eles não devem ser um.

Nota, Unidade é uma política, mas não é a marca infalível de uma igreja verdadeira, no entanto, enquanto os construtores de Babel, embora de diferentes famílias, disposições e interesses, foram, assim, unânimes em oposição a Deus, que pena é, e que vergonha, que os construtores de Sion, embora unidos em uma cabeça comum e Espírito, deve ser dividido, como elas são, em servir a Deus! Mas não se maravilhar no assunto. Cristo não veio para trazer paz. [2] Sua obstinação: agora não haverá restrição para tudo e esta é uma razão pela qual eles devem ser cruzados e impedido de design. Deus tinha tentado, por suas ordens e admoestações, para trazê-los fora deste projeto, mas em vão, portanto, ele deve tomar outro curso com eles. Veja aqui, primeiro, a malignidade do pecado, e à obstinação dos pecadores desde Adão não ficariam restritos da árvore proibida, sua semente não santificado ter sido impaciente de contenção e pronto a se rebelar contra ele. Em segundo lugar, ver a necessidade dos julgamentos de Deus sobre a terra, para manter o mundo em alguma ordem e para amarrar as mãos daqueles que não será verificado por lei.

(2.) A sabedoria e misericórdia de Deus nos métodos que foram tomadas para a derrota deste empreendimento (Gênesis 11: 7):. Ir para, desçamos e confundamos ali a sua língua Isso não foi dito aos anjos , como se Deus precisava tanto os seus conselhos ou sua assistência, mas Deus fala para si mesmo, ou o Pai ao Filho e do Espírito Santo. Eles disseram: Eia, façamos tijolos, e Ir para, vamos construir uma torre, animando uns aos outros para a tentativa e agora Deus diz: Eia, vamos confundir a língua deles para, se os homens agitar-se ao pecado, Deus se levanta para tomar vingança, Isaías 59: 17,18.

Agora observe aqui, [1] A misericórdia de Deus, em moderar a pena, e não torná-lo proportionable à ofensa para ele não nos trata segundo os nossos pecados. Ele não diz: "Vamos descer agora no trovão e relâmpagos, e consumir aqueles rebeldes em um momento "ou" Deixe a terra aberta e engolir-los e sua construção, e deixe aqueles descer rapidamente para o inferno que estão subindo para o céu o caminho errado. " Não apenas: "Vamos descer, e espalhá-los." Eles mereciam a morte, mas apenas são banidos ou transportados para a paciência de Deus é muito grande para um mundo de provocação. As punições são principalmente reservados para o estado futuro. Os juízos de Deus sobre os pecadores nesta vida, em comparação com aqueles que estão reservados, são pouco mais do que as restrições.

[2] A sabedoria de Deus, no pitching mediante um expediente eficaz suspender a instância, que era a confusão de sua linguagem, para que não entenda um a língua do outro, nem poderiam também juntar as mãos quando suas línguas foram divididos de modo a que este seria um método muito bom tanto para tirá-los de seu edifício (para, se não pudessem entender um ao outro, eles não poderiam ajudar uns aos outros) e também para descartá-los a se dispersar para, quando eles não podiam entender um ao outro, eles não poderia ter prazer em um outro.

 Note-se, Deus tem vários meios, e os eficazes, para confundir e derrotar os projetos de homens orgulhosos que se puseram contra ele, e, particularmente, para dividi-los entre si, seja dividindo-se as bebidas espirituosas (Juízes 9:23), ou dividindo-se o seu línguas, conforme Davi ora, Salmo 55: 9.

III. A execução destes conselhos de Deus, ao jateamento e derrotando dos conselhos de homens, Gênesis 11: 8-9. Deus os fez saber cuja palavra deve ficar, seu ou deles, como a expressão é, Jeremias 44:28. Não obstante a sua unicidade e obstinação, Deus era muito difícil para eles, e em que eles se houveram soberbamente ele estava acima deles para que já endureceu o seu coração contra ele e prosperou? Três coisas foram feitas: -

  1. Sua língua foi confundida. Deus, que, quando ele fez o homem, lhe ensinou a falar, e colocar palavras em sua boca em forma de expressar as concepções de sua mente por, agora fez com que estes construtores de esquecer sua antiga linguagem, e de falar e entender um novo, que Ainda era comum aos da mesma família ou tribo, mas não para os outros: os de uma colónia pode conversar juntos, mas não com aquelas de outro.

Agora, (1.) Este foi um grande milagre, e uma prova do poder que Deus tem sobre as mentes e línguas dos homens, que ele se vira como os rios de água. (2.) Este foi um grande julgamento sobre estes construtores para, sendo, assim, privados de conhecimento da língua antiga e sagrada, eles se tornaram incapazes de se comunicar com a verdadeira igreja, em que foi mantido, e provavelmente contribuiu muito para a perda do conhecimento do verdadeiro Deus. (3.) Nós todos sofremos por ela, até hoje. Em todos os inconvenientes apoiemos pela diversidade de línguas, e todas as dores e problemas que estamos em aprender as línguas que temos ocasião, nós inteligente para a rebelião de nossos antepassados ​​em Babel. Nay, e essas controvérsias infelizes que são contendas de palavras, e levanta-te do nosso mal-entendido de uma língua de outro, pelo que sei são devido a esta confusão de línguas. (4.)

O projeto de alguns para enquadrar um caráter universal, a fim de uma linguagem universal, como soever desejável que possa parecer, é ainda, eu acho, mas uma coisa vã a tentativa para isso é lutar contra uma sentença divina: através da qual as línguas das nações será dividida, enquanto o mundo está de pé. (5.) Podemos aqui lamentar a perda do uso universal da língua hebraica, que a partir deste momento era a língua vulgar dos hebreus somente, e continuou assim até o cativeiro na Babilônia, onde, mesmo entre eles, foi trocado para o siríaco. (6.) Como a confusão de línguas dividiu os filhos dos homens e os espalhou, de modo que o dom de línguas, concedeu os apóstolos (Atos 2: 1-13), contribuiu grandemente para o ajuntamento dos filhos de Deus, que foram dispersos, e a união deles em Cristo, que com uma mente e uma boca que eles glorifiquem a Deus, Romanos 15: 6.

  1. Sua construção foi parado:. Eles cessaram de edificar a cidade Este foi o efeito da confusão de suas línguas para que não só incapacitado-los para ajudar um ao outro, mas provavelmente atingiu tal úmido sobre seus espíritos que eles não poderiam prosseguir , uma vez que eles viram, neste, a mão do Senhor se descarregou contra eles. Nota: (1) É sabedoria para deixar de fora o que nós vemos Deus combate. (2) Deus é ale para explodir e destruirá todos os dispositivos e projetos de Babel-construtores. Ele senta-se no céu, e ri-se os desígnios dos reis da terra contra ele eo seu ungido e vai obrigá-los a confessar que não há sabedoria, nem conselho contra o Senhor, Provérbios 21:30; Isaías 8: 9,10.
  2. Os construtores estavam espalhados sobre a face de toda a terra, Gênesis 11: 8-9. Eles partiram em empresas, segundo as suas famílias, segundo as suas línguas (Gênesis 10: 5,20,31), para os vários países e lugares que lhes são atribuídas na divisão que haviam sido feitas, o que eles sabiam antes, mas não iriam para tomar posse até agora que eles foram forçados a isso. Observe aqui, (1.)

A mesma coisa que temia veio sobre eles. Essa dispersão que tentou fugir por um ato de rebeldia que por este ato trouxe sobre si mesmos para nós são mais propensos a cair aquela preocupação que nós procuramos fugir por métodos indirectos e pecaminosas. (2.) Foi obra de Deus: O Senhor os espalhou. A mão de Deus está a ser reconhecido em todas as providências que dispersam se a família ser espalhadas, as relações dispersos, igrejas espalhadas, é o Senhor está fazendo.

(3.) Embora fossem tão firmemente na liga com o outro como poderia ser, mas o Senhor os espalhou para nenhum homem pode manter juntos o que Deus vai separe. (4) Assim, Deus justamente tomou vingança sobre eles para sua unidade em que a tentativa presunçosa para construir a sua torre. Dispersões vergonhosos são a justa punição de pecadores sindicatos. Simeão e Levi, que tinha sido irmãos na iniqüidade, foram divididos em Jacob, Genesis 49: 5,7; Salmos 83: 3-13. (5.) Eles deixaram atrás de si um memorando perpétua de opróbrio deles, em nome dado ao lugar. Foi chamado Babel, confusão. Aqueles que visam a um grande nome geralmente vêm com um mau nome. (6) Os filhos dos homens foram agora, finalmente, dispersos, e nunca fiz, nem nunca será, vêm todos juntos novamente, até o grande dia, quando o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, e todas as nações devem ser reunidas diante dele, Mateus 25: 31,32.

FONTE Mathew Henry, coment. do (A.T).

 

 

                 SUBSIDIO (2)  LIÇÕES CPAD ADULTOS

                                  Gênesis 11.1-11

                                     Introdução

Todos os habitantes da Terra, falando uma língua e habitação em um só lugar, Gênesis 11: 1, Gênesis 11: 2, o propósito de construir uma cidade e uma torre para evitar sua dispersão, Gênesis 11: 3, Gênesis 11: 4. Deus confunde sua língua, e dispersa por toda a terra, Gênesis 11: 5-9. Conta as vidas e famílias dos patriarcas pós-diluviana. Shem, Gênesis 11:10, Gênesis 11:11. Arfaxade, Gênesis 11:12, Gênesis 11:13. Salah, Gênesis 11:14, Gênesis 11:15. Eber, Gênesis 11:16, Gênesis 11:17. Peleg, Gênesis 11:18, Gênesis 11:19. Ragau ou Reu, Gênesis 11:20, Gênesis 11:21. Serug, Gênesis 11:22, Gênesis 11:23. Naor, Gênesis 11:24, Gênesis 11:25. Tera e seus três filhos, Haran, a Naor ea Abram, Gênesis 11:26, Gênesis 11:27. A morte de Haran, Genesis 11:28. Abram se casa com Sarai, e Naor se casa com Milca, Gênesis 11:29. Sarai é estéril, Gênesis 11:30. Terá, Abrão, Sarai, e Lot, sair de Ur dos caldeus, e ir para Haran, Genesis 11:31. Tera morre em Haran, com idades entre duzentos e cinco anos, Gênesis 11:32.

Versículo 1

Toda a terra tinha uma só língua - toda a terra - toda a humanidade tinha uma só língua, com toda a probabilidade, o hebreu; e de uma mesma fala - articulando as mesmas palavras da mesma forma. Supõe-se geralmente que, após a confusão mencionado neste capítulo, a língua hebraica permaneceu na família de Heber.

 Os nomes próprios, e suas significações dadas na Escritura, parecem evidências incontestáveis ​​de que o idioma hebraico era a língua original da terra - o idioma em que Deus falou ao homem, e na qual ele deu a revelação de sua vontade de Moisés e do profetas. "Foi usado", diz o Sr. Ainsworth, "em todo o mundo por mil setecentos e cinquenta e sete anos, até Phaleg, filho de Heber, nasceu, ea torre de Babel foi em prédio de cem anos depois o dilúvio, Gênesis 10:25; Genesis 11: 9. Depois disso, ele foi usado entre os hebreus ou judeus, chamada, portanto, língua judaica, Isaías 36:11, até que foram levados cativos para a Babilônia, onde a língua sagrada cessado de ser comummente utilizada, eo hebraico misto (ou caldeu) entrou em seu lugar. " Ele não pode ser razoavelmente imaginado que os judeus perderam a língua hebraica inteiramente nas setenta anos de cativeiro na Babilônia; no entanto, como eles foram misturados com os caldeus, seus filhos seriam, naturalmente aprender o dialeto, e para eles o hebraico puro seria ininteligível; e isso provavelmente deu origem à necessidade de explicar as Escrituras Hebraicas na língua caldéia, que as crianças possam entender, assim como seus pais. Como podemos presumir com segurança que os pais não poderiam ter esquecido o hebraico, para que possamos concluir as crianças em geral não poderia ter aprendido, como eles não vivem em um estado de isolamento, mas foram misturados com os babilônios. Esta conjectura remove a dificuldade com que muitos têm sido envergonhado; um partido que se admita que o conhecimento da língua hebraica foi perdida durante o cativeiro babilônico, e, portanto, a necessidade de os Targums Caldeu de explicar as Escrituras; outra parte insistindo que isso era impossível em um período tão curto quanto setenta anos.

Verso 2

Como eles viajaram do leste - Assíria, Mesopotâmia e do país nas fronteiras e além do Eufrates, são chamados a leste nos escritos sagrados. Balaão disse que o rei de Moab lhe tinha trazido das montanhas do oriente, Números 23: 7.

Agora, parece, de Números 22: 5, que Balaão habitava em Petor, sobre o rio Eufrates. E é muito provável que tenha sido a partir deste país que os sábios vieram a adorar Cristo; pois é dito que eles vieram do oriente a Jerusalém, Mateus 2: 1. Abraão é dito ter vindo do leste para Canaã, Isaías 41: 2; mas é sabido que ele veio da Mesopotâmia e Caldéia. Isaías 46:11, representa Cyrus como vindo do leste contra a Babilônia. E o mesmo profeta representa os sírios como moradia para o leste de Jerusalém, Isaías 09:12; : Os sírios antes, מקדם mikkedem, a partir do leste, a mesma palavra que Moisés usa aqui. Daniel 11:44, representa Antíoco como perturbado com a notícia recebida do leste; ou seja, de uma revolta nas províncias orientais, além do Eufrates.

Noé e sua família, o desembarque após o dilúvio em uma das montanhas da Armênia, sem dúvida descer e cultivar os vales: como eles aumentaram, eles parecem ter passado ao longo das margens do Eufrates, até que, no horário especificado aqui, eles chegou às planícies de Shinar, permitiram ser o país mais fértil no leste. Veja Calmet. Que Babel foi construída na terra de Sinar, temos a autoridade do texto sagrado para provar; e que a Babilônia foi construído no mesmo país, temos o testemunho de Eusébio, Præp. Evang., Lib. ix., c. 15; e Josephus, Antiq., lib. i., c. 5.

Versículo 3

Façamos tijolos - Parece que eles foram obrigados a fazer uso de tijolo, como houve uma escassez absoluta de pedras naquele distrito; e na mesma conta que eles foram obrigados a usar lodo, ou seja, betume, (vulg). ασφαλτος, (Septuaginta) para argamassa: assim parece que eles não tinham nem pedra comum, nem cal em pedra; daí lhes o tijolo por pedra, eo betume asphaltus ou em vez de argamassa.

Versículo 4

Vamos construir uma cidade e uma torre - Sobre este assunto tem havido várias conjecturas. Sr. Hutchinson suposto que a concepção dos construtores foi para erguer um templo para o exército dos céus - o sol, a lua, planetas, etc .; e, para sustentar essa interpretação, ele diz בשמים וראשו verosho bashshamayim deve ser traduzido, não, cujo cume toque nos céus, pois não há nada para pode chegar em hebraico, mas a sua cabeça ou cúpula para os céus, ou seja, para o celestial corpos: e, para fazer essa interpretação o mais provável, diz ele, que anteriormente a este tempo os descendentes de Noé foram todos de acordo em uma forma de culto religioso, (porque assim ele entende אחת ושפה vesaphah achath, e de um lábio), ou seja, segundo ele, tiveram uma litania; e como Deus confundiu sua ladainha, eles começaram a discordar em suas opiniões religiosas, e se ramificou em seitas e partidos, cada associando com os de seu próprio sentimento; e, assim, sua torre ou templo foi deixada inacabada.

É provável que o seu ser de uma língua e de uma mesma fala implica, não só a mesmice da linguagem, mas também uma unidade de sentimento e design, como parece bastante claramente insinuou em Gênesis 11: 6. Sendo, portanto, estritamente unidos em todas as coisas, chegando às férteis planícies de Shinar se propôs a instalar-se ali, em vez de espalhar-se sobre todos os países da Terra, de acordo com o desígnio de Deus; e em referência a este propósito que encorajou um outro para construir uma cidade e uma torre, provavelmente um templo, para impedir a sua separação, "para que não", dizem eles, "sejamos espalhados sobre a face de toda a terra:" mas Deus , milagrosamente interpondo, confundido ou frustrado seu projeto rebelde, que era inconsistente com a sua vontade; ver Deuteronômio 32: 8; Atos 17:26; e, em parte, por confundir a língua deles, e perturbar seus conselhos, eles não podiam mais manter em um estado unido; de modo que concordar em nada, mas a necessidade de separar, eles saíram em direções diferentes, e, assim, tornou-se espalhados sobre a face da terra.

Os Targums, tanto de Jonathan ben Uziel e de Jerusalém, afirmam que a torre era para o culto idólatra; e que tinham a intenção de colocar uma imagem no topo da torre com uma espada na mão, provavelmente para agir como um talismã contra seus inimigos. O que quer que seu projeto poderia ter sido, é certo que este templo ou torre mais tarde foi dedicada a fins idólatras. Nabucodonosor reparado e embelezada esta torre, e dedicou-se a Bel, ou ao sol.

Uma conta desta torre, e da confusão das línguas, é dada por vários autores antigos. Heródoto viu a torre e descreveu. A sibila, cujo oráculo é ainda existente, falou tanto dele e da confusão das línguas; assim o fez Eupolemus e Abydenus. Veja Bochart Geogr. Sacr., Lib. i., c. 13, de edição. 1692. Sobre este ponto Bochart observa que essas coisas são tomadas a partir dos caldeus, que preservam muitos restos de fatos antigos; e embora eles frequentemente adicionar circunstâncias, no entanto, são, em geral, em algum tipo dependente do texto. 1. Eles dizem Babel foi construída pelos gigantes, porque Nimrod, um dos construtores, é chamado no texto hebraico גבור gibbor, um homem poderoso; ou, como a Septuaginta, γιγας, um gigante. 2.

Estes gigantes, dizem eles, surgiu a partir da terra, porque, em Gênesis 10:11, é dito, Ele foi, ההוא הארץ מן min haarets hahiv, fora de que a terra; mas isso é bastante falado da Assíria, que era outro dos construtores de Babel. 3. Estes gigantes são disse ter travaram guerra com os deuses, porque é dito de Nimrod, Genesis 10: 9, Ele era um poderoso caçador diante do Senhor; ou, como outros já rendeu-lo, um guerreiro e um rebelde contra o Senhor. Veja Jarchi in loco. 4. Estes gigantes são disse ter levantado uma torre para o céu, como se tinha a intenção de ter subido para lá. Esta parece ter sido fundada sobre "cujo cume toque para o céu", que já foi explicado. 5. Diz-se que os deuses enviaram fortes ventos contra eles, que dispersaram a eles e seu trabalho. Esta parece ter sido tirada da história caldeu, em que é dito a sua dispersão foi feito para os quatro ventos do céu, שמיא רוחי בארבע bearba shemaiya ruchey, ou seja, para os quatro cantos do mundo. 6. E porque o verbo Esua eht brev פוץ phuts, ou נפץ naphats, usado por Moisés, significa, não só a dispersão, mas também para quebrar em pedaços; onde trovão, Isaías 30:30, é chamado נפץ nephets, uma quebra em pedaços; portanto, eles deveriam todo o trabalho foi quebrado em pedaços e capotou. Foi provavelmente a partir desta representação disfarçada do texto hebraico que o grego e poetas romanos tomaram sua fábula dos gigantes em guerra com os deuses, e empilhando montanha sobre a montanha, a fim de dimensionar o céu. Ver Bochart como acima.

Versículo 5

E o Senhor desceu - Uma lição, diz um comentarista judaica antiga, aos magistrados para examinar todas as evidências antes de julgamento decreto e executar justiça.

Versículo 6

O povo é um, etc. - A partir disso, como antes observado, pode-se inferir que, como as pessoas tiveram a mesma língua, então eles tinham uma unidade de concepção e sentimento. É muito provável que a língua original foi composta por monossílabos, que cada um tinha um significado ideal distinta, e somente um significado; como diferentes acepções da mesma palavra surgiria sem dúvida, quer a partir de composição termos, ou, quando havia somente algumas palavras em uma língua, de usá-los por um modo diferente de pronúncia para expressar uma variedade de coisas.

Onde esta língua monossilábica simples prevaleceu (e deve ter prevalecido nos primeiros séculos do mundo) homens teria necessariamente idéias simples, e uma simplicidade correspondente de boas maneiras. A língua chinesa é exatamente como este; eo hebraico, se despojado de seus pontos de vogal, e seus prefixos, sufixos e sufixos separadas de suas combinações, de modo que pudessem estar por si só, seria quase responder a esta personagem, mesmo em seu estado atual. No fim, portanto, para remover esta unidade de sentimento e design, que suponho ser a consequência necessária de uma tal linguagem, Deus confundiu sua língua - lhes causou a articular a mesma palavra de forma diferente, a aposição de idéias diferentes para o mesmo prazo, e talvez , transpondo sílabas e trocando letras, formar novos termos e compostos, de modo que a mente do falante foi apreendido pelo ouvinte em sentido contrário ao que se pretendia. Esta idéia não é iii expressa por um antigo poeta francês, Du Bartas; e não mal, embora bastante curiosamente, metaphrased pelo nosso conterrâneo, Sr. Sylvester.

Alguns falam entre os dentes, alguns no nariz, na garganta alguns suas palavras fazer mal dispor -"Traga-me," quoth um ", uma colher de pedreiro, rapidamente, rápido!"Uma leva-o até um martelo. "Desbaste este tijolo"Outro licitações; e, em seguida, eles clivar uma árvore;"Faça isso rápido corda", e, em seguida, eles deixá-lo fugir.

Uma chama para pranchas, outra argamassa carece;Eles carregam a primeira pedra, o último um machado.Um teria picos, e ele uma pá eles dão;Outra pergunta uma serra, e recebe uma peneira.Assim crossly Crost, eles tagarelam e ponto em vão:O que se tem feito outra mars novamente

Estes pedreiros Então, vendo a tempestade chegouDe justa ira de Deus, todos fracos e privado de coração,Abandonará as suas funções e, como tolos frenéticos,Espalhe suas coisas e secar as suas ferramentas.

Du Bartas - Babylon.

Não vou examinar como as diferentes línguas da Terra foram formados. Certamente não foi a obra de um momento; diferentes climas deve ter uma parte considerável na formação de línguas, por sua influência sobre os órgãos da fala. A invenção de novas artes e ofícios deve dar origem a uma variedade de termos e expressões. Mercadoria, do comércio e do cultivo das ciências, iria produzir a sua quota; e diferentes formas de governo, modos de vida, e os meios de instrução, também contribuir com a sua quota. O árabe, caldeu, siríaco, e Etíope, ainda carregam a semelhança mais impressionante para o seu pai, o hebraico. Muitos outros podem ser reduzidos a uma fonte comum, mas em todos os lugares existem provas suficientes desta confusão.

As anomalias mesmo nas línguas mais regulares suficientemente provar isso. Cada língua é confundida menos ou mais, mas que de verdade eterna. Este é sempre o mesmo; em todos os países, climas e idades, a linguagem da verdade, como que Deus, de quem ele nasceu, é imutável. Ela fala em todas as línguas, a todas as nações, e em todos os corações: "Há um só Deus, a fonte de bondade, justiça e verdade do homem, tu és sua criatura, ignorante, fraco e dependente, mas ele é todo-. suficiente - odeia nada que ele fez - te ama - é capaz e disposto a te salvar; retorno e depender dele, tirar sua vontade revelada para a tua lei, submeter à sua autoridade, e aceitar a vida eterna nos termos propostos na sua palavra, e tu não pereça, nem ser miserável. " Esta linguagem de verdade todos os antigos e modernos construtores de Babel não têm sido capazes de confundir, não obstante as suas repetidas tentativas.

Como temos homens trabalharam para tornar este idioma vestir suas próprias idéias; e, assim, fazer com que Deus fale de acordo com o orgulho, preconceito e piores paixões dos homens! Mas através de um julgamento justo de Deus, a língua de todos aqueles que têm tentado fazer isso tem sido confundidos, ea palavra do Senhor permanece para sempre.

O versículo 7

Ir para - Uma forma de discurso que, seja o que poderia ter significado anteriormente, agora não significa nada. O hebraico העה habah significa vir, fazer a preparação, como se fosse para uma viagem, a execução de um propósito, etc. Quase todas as versões entender a palavra desta forma; a Septuaginta ter δευτε, a Vulgata venite, ambos significando vir, ou vinde. Isto faz um muito bom senso, Venha, vamos seu ir para baixo, etc. Para o significado destas últimas palavras ver Gênesis 1:26, e Gênesis 18:21.

O versículo 9

Portanto é o nome do que chamou de Babel - בבל babel, de בל bal, para se misturar, confundir, destruir; daí Babel, a partir da mistura e confusão junto dos projetos e linguagem destes descendentes de Noé; e esta confusão não implica tanto os produtores de novas linguagens, como dando-lhes um método diferente de pronunciar as mesmas palavras, e levando-os para afixar idéias diferentes para eles.

Além opinião do Sr. Hutchinson, (ver em Gênesis 11: 4; (nota)), tem havido várias conjecturas relativas à finalidade para a qual esta torre foi construída. Alguns supõem que se destinava a evitar que os efeitos de outra inundação, por proporcionar um asilo para os construtores e suas famílias em caso de outro dilúvio geral. Outros pensam que ele foi projetado para ser uma grande cidade, a sede do governo, a fim de evitar uma dispersão geral. Este Deus não permitiria que, como ele tinha proposto que os homens devem ser dispersos sobre a terra, e, portanto, fez com que os meios que eles estavam usando para impedi-lo de se tornar o grande instrumento de sua realização. Humanamente falando, a terra não poderia ter tão rapidamente povoada, se não fosse por essa circunstância que o conselho de homem tinha inventado para impedi-lo. Alguns dizem que estes construtores foram divididos em setenta e duas nações, com setenta e duas línguas diferentes; mas isto é, um conto improcedente ocioso.

Fonte  Adam Clarke Comentário do (A.T).

 

 

  SUBSIDIO (3) LIÇÕES ADULTOS CPAD GENESIS 11.1-9

                                 Gênesis 11.1-9

 

Versículo 1-2

Gênesis 11: 1-2. Toda a terra tinha uma só língua - reconhecer isso mesmo pagãos escritores; e que a linguagem era, provavelmente, o hebraico. Eles viajaram do leste de Shinar, onde Noah tinha resolvido quando ele saiu da arca. Eram, portanto, agora viajando para o oeste.

Versículo 3-4

Gênesis 11: 3-4. Vamos fazer tijolos, vamos construir uma cidade - O país, sendo uma planície, rendeu nem pedra nem argamassa; no entanto, esta não desencorajá-los; mas eles fizeram tijolo para servir em vez de pedra, eo betume em lugar de argamassa; uma espécie de argila ou breu chamado betume, que, como atesta Plínio, é líquido e glutinoso, e apto para ser usado em construções de tijolo, como Estrabão, Dion, e outros observam. E que a Babilônia foi construído com isso e com tijolo, como é dito aqui, temos o testemunho comum de Berosus, Etesius, Dion, Curtius, e muitos outros. Pensou-se que tinham a intenção por este meio para assegurar-se contra as águas de outro dilúvio; mas se eles tinham, eles teriam escolhido para construir em cima de uma montanha, em vez de em cima de uma planície. Mas duas coisas, ao que parece, eles visam na construção. 1, para torná-los um nome - Um grande nome; fora de orgulho e glória vã para erigir um monumento que deve permanecer para toda a posteridade, e, 2d, para impedir a sua dispersão; para que não sejamos espalhados sobre a face da terra - Foi feito (diz Josephus) em desobediência a esse comando , Gênesis 9: 1, enchei a terra - Que eles possam estar unidos em um glorioso império, eles resolvem construir esta cidade e uma torre, para ser a metrópole de seu reino, e do centro de sua unidade.

Versículo 5

Gênesis 11: 5. E o Senhor desceu para ver a cidade - Esta é uma expressão, segundo o costume dos homens; ele sabia que tão claramente quanto os homens sabem o que eles vêm em cima do lugar para ver.

Gênesis 11: 6-9. E o Senhor disse: Eis que o povo é um, & c. - E se eles continuam um, grande parte da terra será deixada desabitada. Vamos confunda a língua deles - Isso não foi dito aos anjos, como se Deus precisava tanto os seus conselhos ou sua assistência; mas Deus fala para si mesmo, ou o Pai ao Filho. Que eles não entenda um a língua do outro - nem poderiam muito bem continuar a estar unidos em qualquer empresa quando suas línguas foram divididos; de modo que este foi um meio adequado, tanto para tirá-los de seu prédio, e descartá-los para separar; pois se eles não podiam entender um ao outro, não podiam ajudar, nem desfrutar de uma outra. Assim, primeiro, Sua língua foi confundida. Deus, que, quando ele fez o homem, lhe ensinou a falar, agora fez esses construtores de esquecer sua antiga língua; e para falar uma nova, que ainda foi o mesmo para aqueles da mesma família ou tribo, mas não a outras. Nós todos sofremos por este meio a este dia, em todos os inconvenientes que sustentam pela diversidade de línguas, e de todos os problemas que estamos em aprender as línguas que temos ocasião para; nay, e essas controvérsias infelizes, que são contendas de palavras, e que decorrem de nosso mal-entendido de uma outra língua de, são, em parte devido a esta confusão de línguas. O projeto de alguns para enquadrar um caráter universal, a fim de uma linguagem universal, como soever desejável que possa parecer, ainda é, mas uma coisa vã; para isso é lutar contra uma sentença divina, através da qual as línguas das nações será dividida, enquanto o mundo está de pé.

 À medida que a confusão de línguas dividiu os filhos dos homens, e os espalhou, de modo que o dom de línguas derramou sobre os apóstolos, Atos 2., contribuiu grandemente para o ajuntamento dos filhos de Deus que estavam dispersos, e a união de eles em Cristo, que com uma mente e boca que pode glorificar a Deus, Romanos 15: 6. 2d, Sua construção foi interrompida. A confusão de suas línguas não só desativado-los de ajudar um ao outro, mas provavelmente atingiu um pano úmido sobre seus espíritos, uma vez que viu a mão do Senhor estava saído contra eles. 3d, os construtores foram dispersos dali sobre a face de toda a terra - Eles partiram em empresas, segundo as suas famílias e segundo as suas línguas, (Gênesis 10: 5; Gênesis 10:20; Gênesis 10:31), para a vários países e lugares que lhes são atribuídas na divisão que tinha sido feito, o que, ao que parece, eles sabiam antes, mas não iria tomar posse de, até agora, eles foram forçados a isso. De modo que a mesma coisa que eles temiam veio sobre eles; que a dispersão que eles achavam que para evitar.

E eles deixaram atrás de si um memorando perpétua de opróbrio deles em o nome dado ao lugar; foi chamada Babel, confusão. Os filhos dos homens foram agora, finalmente, dispersos, e nunca virá todos juntos novamente até o grande dia em que o Filho do homem se assentar no trono da sua glória, e todas as nações serão reunidas diante dele, Mateus 25: 31-32. Reader, como queres aparecer?

Verso 10

Gênesis 11:10. Observe aqui, primeiro, que nada é deixado em cima do registro a respeito aqueles desta linha, mas seus nomes e idades; a aparente do Espírito Santo para apressar através deles para a história de Abraão. Quão pouco sabemos dos que se foram antes de nós neste mundo, mesmo aqueles que viviam nos mesmos lugares onde vivemos! Ou, na verdade, daqueles que são nossos contemporâneos, mas em lugares distantes. 2d, que houve uma diminuição gradual observada nos anos de suas vidas.

 Shem chegou a seiscentos anos, que ainda ficou aquém da idade dos patriarcas antes do dilúvio; os três seguinte veio curto de quinhentos, os três próxima não chegar a trezentos e, depois deles, lemos não de qualquer que atingiu duzentos mas Tera; e não muitos séculos após esse Moisés contado setenta ou oitenta ser os extremos homens normalmente chegam. Quando a terra começou a ser reabastecido, a vida dos homens começou a ser encurtado; de modo que a diminuição deve ser imputada à disposição sábia de Providence, em vez de a qualquer deterioração da natureza. 3d, Isso Eber, de quem os hebreus foram denominados, foi o mais longo viveu de qualquer que nasceram depois do dilúvio; que talvez tenha sido a recompensa de sua estrita adesão aos caminhos de Deus.

Verso 27

Gênesis 11:27. Aqui começa a história de Abrão. Temos aqui, primeiro, o seu país: Ur dos caldeus - Um país idólatra, onde até mesmo os filhos de Eber-se degenerou. 2d, Suas relações, mencionado por causa dele, e por causa de seu interesse na história a seguir. Seu pai era Tera, de quem se diz, Josué 24: 2, que serviram a outros deuses, do outro lado do dilúvio; tão cedo fez idolatria ganhar pé no mundo. Seus irmãos eram, Nahor, fora de cuja família tanto Isaac e Jacob tiveram suas esposas; e Haran, o pai de Ló, de quem se disse aqui, Gênesis 11:28, que ele morreu antes de seu pai Tera. Ele é também disse que ele morreu em Ur dos caldeus, antes que a remoção feliz da família de que país idólatra. Sua esposa era Sarai, que, pensam alguns, foi o mesmo com Iscah, filha de Haran.

Abram-se diz, ela era a filha de seu pai, mas não filha da sua mãe, Gênesis 20:12. Ela era dez anos mais jovem do que Abrão. 3d, Sua partida fora de Ur dos Caldeus, com seu pai Tera, e seu sobrinho Ló, eo resto de sua família, em obediência ao chamado de Deus. Este capítulo deixa-los em Haran ou Charran, um lugar sobre a meio caminho entre Ur e Canaã, onde habitou até a cabeça de Tera foi colocado; provavelmente porque o velho não pôde, através das enfermidades da idade, para prosseguir em sua jornada.

FONTE Comentário do Antigo e Novo Testamentos de Joseph Benson.

 

 

 

 

 

 

            COMENTARIO BIIBLICO GENESIS 9.20-29

        SUBSIDO( 1) LIÇÕES ADULTOS CPAD 4

                   TRIMESTRE LIÇÃO DE N.9

 

 Verso 20

20.And começou Noé a ser lavrador. Eu não fazê-lo explicar. as palavras, como se ele então, pela primeira vez, começou a dar sua atenção para o cultivo dos campos; mas, (na minha opinião), Moisés, em vez insinua, que Noah, com uma mente recolhidas, embora agora um homem velho, voltou para a cultura dos campos, e aos seus antigos trabalhos. É, no entanto, incerto se ele tivesse sido um vinhateiro ou não. Acredita-se geralmente que o vinho não estava em uso antes desse tempo. E essa opinião tem sido a melhor boa vontade recebeu, como proporcionando um pretexto honrosa para a desculpa do pecado de Noé. Mas não me parece provável que o fruto da videira, que supera todos os outros, deveria ter permanecido negligenciada e pouco rentável. Além disso, Moisés não diz que Noé embebedou-se no primeiro dia em que ele provou. Portanto, deixando esta questão indeterminada, eu prefiro supor que estamos a aprender com a embriaguez de Noé, o que é um crime embriaguez imunda e detestável é. O santo patriarca, embora até então tinha sido um raro exemplo de frugalidade e da temperança, perdendo toda a auto-posse, fez, em uma base e forma vergonhosa, prostrar-se nu no chão, de modo a tornar-se motivo de chacota para todos. Portanto, cuidado com o que deveríamos cultivar sobriedade, para que nada como isso, ou pior ainda, deve acontecer com a gente? Anteriormente, o filósofo pagão disse, que "o vinho é o sangue da terra; e, por isso, quando os homens intemperately derramá-lo goela abaixo, eles são justamente punido por sua mãe. Vamos, no entanto, em vez lembre-se, que quando os homens, pelo abuso vergonhoso, profano esse dom nobre e mais precioso de Deus, Ele próprio se torna o Avenger. E deixe-nos saber, que Noah, pelo julgamento dos deuses tem sido apresentada como um espetáculo para ser um aviso para os outros, que não devem tornar-se intoxicado pelo consumo excessivo de álcool. Alguns desculpa pode certamente ser feita para o homem santo; que, tendo concluído o seu trabalho, e sendo eufórico com vinho, imagina que ele é, mas tendo a sua justa recompensa. Mas Deus marcas lo com uma marca eterna da desgraça. O que, então, podemos supor, que acontecerá com aqueles ociosos-barrigas e glutões insaciáveis ​​cujo único objeto de discórdia é que deve consumir a maior quantidade de vinho? E, embora este tipo de correção foi grave, mas foi rentável para o servo de Deus; desde que ele foi chamado de volta à sobriedade, para que não procedendo a indulgência de um vício para o qual havia uma vez cedeu, ele deve estragar a si mesmo; assim como vemos os bêbados se tornam longamente brutalizado pela intemperança continuado.

 

Verso 22

22.And Ham, o pai de Canaã. Esta circunstância é adicionado para aumentar a tristeza de Noé, que ele é ridicularizado por seu próprio filho. Para devemos sempre manter na memória, que esta punição foi divinamente infligida sobre ele; em parte, porque culpa dele não era uma luz um; em parte, que Deus em sua pessoa pode apresentar uma lição de temperança para todas as idades. Embriaguez em si merece como sua recompensa, para que os que desfigurar a imagem de seu Pai celestial em si, deve tornar-se motivo de chacota para seus próprios filhos. Para certamente, na medida do possível, os bêbados subverter sua própria compreensão, e até agora privar-se da razão como a degenerar em bestas. E lembremo-nos de que, se o Senhor tão gravemente vingou a única transgressão do homem santo, ele vai provar uma não menos grave contra aqueles que estão intoxicados diária vingador; e deste temos exemplos suficientemente numerosos diante de nossos olhos. Enquanto isso, Ham, por tom de censura rindo de sua pena, trai sua própria disposição depravada e maligno. Sabemos que os pais, ao lado de Deus, são mais profundamente para ser reverenciado; e se não havia nem livros, nem sermões, a própria natureza inculca constantemente esta lição sobre nós. Ele é recebido por comum acordo, que a piedade para com os pais é a mãe de todas as virtudes. Este Ham, portanto, deve ter sido de uma disposição má, perversa, e tortuosa; desde que ele não só teve o prazer de vergonha de seu pai, mas desejava expô-lo a seus irmãos. E isso não é ligeira ocasião do delito; em primeiro lugar, que Noé, o ministro da salvação aos homens, eo chefe restaurador do mundo, deverá em extrema velhice, mentira embriagado em sua casa; e, em seguida, que a Ham ímpios e maus deveria ter procedido a partir do santuário de Deus. (295) Deus tinha escolhido oito almas como uma semente sagrada, cuidadosamente purgado de toda corrupção, para a renovação da Igreja, mas o filho de Noé mostra, como é necessário para os homens a ser realizada como com o freio de Deus, no entanto eles podem ser exaltado pelo privilégio. A impiedade de Ham revela-nos quão profunda é a raiz da maldade nos homens; e que põe continuamente diante os seus rebentos, salvo se o poder do Espírito prevalece sobre ele. Mas se, no santuário sagrado de Deus, entre um número tão pequeno, um demônio foi preservada; não vamos nos perguntar se, no dia de hoje, na Igreja, contendo uma muito maior multidão de homens, os ímpios são misturados com os bons. Também não há qualquer dúvida de que as mentes de Sem e Jafé foram gravemente ferido, quando perceberam em seu próprio irmão tal prodígio de desprezo; e, por outro lado, seu pai vergonhosamente prostrado no chão. Tal alienação aviltante da mente no príncipe do novo mundo, eo santo patriarca da Igreja, não podia menos surpreendê-los, do que se tivessem visto a própria arca quebrado, despedaçados, fenda em pedaços, e destruídos. No entanto, esta causa de infração que tanto superado por sua magnanimidade, e esconder por sua modéstia. Ham sozinho ansiosamente aproveita a ocasião de ridicularizar e inveighing contra seu pai; assim como os homens perversos estão acostumados a pegar em ocasiões de delito em outros, que podem servir de pretexto para a indulgência no pecado. E sua idade torna-o menos desculpável; para ele não era um jovem lascivo, que, por sua risada impensado, traiu a sua própria loucura, vendo que ele já era mais de cem anos de idade. Portanto, é provável, que ele assim perversamente insultou seu pai, com a finalidade de adquirir para si a licença de pecar com impunidade. Vemos muitos como neste dia, que mais studiously intrometer-se as faltas dos homens santos e piedosos, a fim de que, sem vergonha que eles podem precipitar-se em toda a iniqüidade; eles até mesmo fazer as faltas dos outros homens uma ocasião de endurecer-se em um desprezo de Deus.

 

Verso 23

23.And Sem e Jafé tomaram uma capa. Aqui, a piedade, bem como a modéstia, dos dois irmãos é elogiado; que, a fim de que a dignidade de seu pai não pode ser reduzido em sua estima, mas que eles possam sempre valorizar e manter toda a reverência que lhe deviam, virou os olhos para a visão de sua desgraça. E assim eles deram prova do respeito que pagaram a honra de seu pai, ao supor que seus próprios olhos seriam imundos, se eles voluntariamente encarado a nudez pelo qual ele caiu em desgraça. Ao mesmo tempo, também a sua própria simplicidade consultado. Para (como foi dito em Gênesis 3: 1) há algo tão inexplicavelmente vergonhosa na nudez do homem, que quase não se atreve a olhar para si mesmo, mesmo quando nenhuma testemunha está presente. Eles também censurar a temeridade ímpio de seu irmão, que não poupou seu pai. Daí, então, podemos aprender como aceitável a Deus é que a piedade, de que o exemplo aqui registrado recebe um elogio sinal do Espírito. Mas se piedade para com um pai terreno era uma virtude tão excelente e tão digno de louvor; com quanto maior dedicação da piedade deve a majestade sagrado de Deus deve ser adorado? Os papistas tornar-se ridículo por desejar a cobrir a sujeira do seu ídolo, sim, as abominações de toda a sua impuros clero, com o manto de Sem e Jafé. Eu omite o quão grande é a diferença entre a desgraça de Noé e da vileza execrável de tantos crimes que contaminam o céu ea terra. Mas é necessário que o Anticristo e seus bispos com chifres, com tudo o que ralé, deve provar-se a ser pais, (296), se eles com que qualquer honra deve ser paga-los.

 

Verso 24

24.And despertou Noé. Pode parecer a alguns que Noé, embora tivesse justa causa de raiva, ainda se conduziu com muito pouca modéstia e gravidade; e que ele deveria, pelo menos, silenciosamente ter lamentou sobre o seu pecado diante de Deus; e também, com vergonha, ter dado prova de seu arrependimento para os homens, mas que agora, como se tivesse cometido nenhuma ofensa, ele fulmina com severidade excessiva contra seu filho. (297) Moisés, no entanto, não aqui relacionar injúrias proferidas por Noé, sob a emoção de raiva e fúria, mas introduz-lo falar no espírito de profecia. Por isso que não devemos duvidar, que o santo homem foi verdadeiramente humilhado (como deveria ser) sob um sentimento de culpa dele, e honestamente refletido em seus próprios desertos; mas agora, depois de ter recebido a concessão do perdão, e sua condenação sendo removido, ele continua como o arauto do juízo divino. Não é realmente de se duvidar que o santo homem, dotado de uma disposição de outra forma suave, e sendo um dos melhores dos pais, iria pronunciar esta frase em cima de seu filho com a dor mais amarga de espírito. Para vê-lo milagrosamente preservada entre alguns e ter um lugar entre os muito flor da raça humana. Agora, portanto, quando, com sua própria boca, ele é obrigado a separá-lo da Igreja de Deus, ele sem dúvida seria gravemente lamentar a maldição de seu filho. Mas por este exemplo, Deus nos admoesta que a constância de nossa fé devem ser mantidos, se em algum momento nós vemos aqueles que estão falhar mais intimamente unidos a nós, e que nosso espírito não deve ser quebrado; ou melhor, de modo que devemos exercer a gravidade que Deus ordena, a não poupa sequer as nossas próprias entranhas. E que, Noah não pronunciar uma sentença tão dura, exceto por inspiração divina, que nos se comporta para inferir a partir da severidade da punição como abominável aos olhos de Deus é o desprezo impiedoso dos pais, uma vez que perverte a ordem sagrada da natureza e viola a majestade ea autoridade de Deus, na pessoa daqueles a quem ele ordenou para presidir em seu lugar.

 

Verso 25

25.Cursed ser Canaã (298) Pede-se, em primeiro lugar, por que Noah ao invés de pronunciar a maldição sobre o seu filho, inflige a severidade da punição, que o filho tinha merecido, em cima de seu neto inocente; uma vez que parece não é consistente com a justiça de Deus, para visitar os crimes dos pais sobre seus filhos? Mas a resposta é bem conhecida; ou seja, que Deus, embora ele persegue seu curso de juízos sobre os filhos e os netos dos ímpios, mas em estar zangado com eles, não está zangado com o inocente, porque mesmo que eles mesmos são encontrados em falta. Portanto não existe absurdo no ato de vingar os pecados dos pais sobre seus filhos réprobos; uma vez que, por necessidade, todos aqueles a quem Deus privou do seu Espírito estão sujeitos à sua ira. Mas é surpreendente que Noé deveria amaldiçoar seu neto; e deve passar seu filho Ham, o autor do crime, em silêncio. Os judeus imaginar que a razão disso era para ser rastreados para o especial favor de Deus; e que uma vez que o Senhor tinha agraciado com Ham honra tão grande, (299) a maldição foi transferido dele para seu filho. Mas a conjectura é fútil. Certamente, na minha opinião, não há dúvida de que a punição foi levado adiante até a sua posteridade, a fim de que a gravidade do que poderia ser o mais aparente; como se o Senhor tinha abertamente proclamado que a punição de um homem não satisfazê-lo, mas que ele iria prender a maldição também para a posteridade do ofensor, de modo que deve se estender através dos séculos sucessivos. Enquanto isso, o próprio Ham é tão longe de ser isentos, que Deus, através do envolvimento de seu filho com ele, agrava a sua própria condenação.

 

Outra questão é também proposto; ou seja, por que entre os muitos filhos de Cam, Deus escolhe um para ser ferido? Mas não deixe que a nossa curiosidade aqui se deliciar-se muito livremente; lembremo-nos de que os juízos de Deus estão, não em vão, chamou de "um grande abismo", e que seria uma coisa degradante para Deus, diante de cujo tribunal todos nós estande deverá um dia, a ser submetido a nossos julgamentos, ou sim a nossa ousadia tola. Ele escolhe quem ele vê o bem, que ele mostre neles um exemplo de sua graça e bondade; outros, ele aponta para um final diferente, que eles podem ser provas de sua ira e severidade. Aqui, embora as mentes dos homens estão cegos, que cada um de nós, consciente de sua própria enfermidade, aprender, em vez de atribuir louvor a justiça de Deus, do que mergulhar, com audácia insano, no profundo abismo. Enquanto Deus realizou toda a semente de Cam como desagradável para a maldição, ele menciona os cananeus pelo nome, como aqueles a quem ele iria amaldiçoar acima de todos os outros. E, portanto, podemos inferir que esse julgamento procedido de Deus, porque foi provado pelo próprio evento. O que seria, certamente, a condição dos cananeus, Noah não podia saber por meios humanos. Por isso em coisas obscuras e ocultas, o Espírito dirigiu sua língua.

 

Outra dificuldade ainda permanece, pois desde a Escritura ensina que Deus vinga os pecados dos homens na terceira e quarta geração, parece atribuir este limite para a ira de Deus; mas a vingança do que menção é feita agora estende-se até a décima geração. Respondo que estas palavras da Escritura não se destinam a prescrever uma lei para com Deus, que ele não pode até agora posta de lado, como para ter a liberdade de punir pecados além de quatro gerações. A primeira coisa a ser observada é aqui, a comparação entre instituiu punição e graça; pelo qual somos ensinados que Deus, enquanto ele é um vingador apenas de crimes, ainda é mais inclinado a misericórdia. Nesse meio tempo, deixe sua liberdade permanece inquestionável, para estender sua vingança, tanto quanto lhe agrada.

 

Um servo de servos seja. Este hebraísmo significa que Canaã será o último, mesmo entre os servos: '. Não só deve sua condição ser servil, mas pior do que a de servidão comum ", como se tivesse sido dito, (300) No entanto, o trovão desta grave e terrível profecia parece fraco e ilusório, uma vez que os cananeus se destacou em força e em riquezas, e foram dotados de vasto domínio. Onde, então, é essa servidão? Em primeiro lugar, eu respondo que, embora Deus, nos homens ameaçadores, não executar imediatamente o que ele denuncia, ainda suas ameaças nunca está fraco e ineficaz. Em segundo lugar, que os juízos de Deus nem sempre exibiu diante de nossos olhos, nem apreendida pela nossa razão carnal. Os cananeus, sacudindo o jugo da servidão, que foi divinamente imposta a eles, mesmo começou a agarrar império para si mesmos. Mas embora eles triunfar por um tempo, mas aos olhos de Deus não é considerado livre sua condição. Assim como quando os fiéis são iníqua oprimidos, e tiranicamente assediado pelos ímpios, sua liberdade espiritual ainda não está extinto, aos olhos de Deus. Ele se comporta-nos então de se contentar com esta prova do julgamento divino, que Deus prometeu o domínio da terra de Canaã ao seu servo Abraão, e finalmente dedicou os cananeus a destruição. Mas porque o Papa tão ardentemente defende que às vezes ele profere profecias, - como fez até mesmo Caifás, (João 11:51), - para que os não parecem recusar-lhe tudo, eu não nego que o título com o qual ele adorna a si mesmo foi ditada pelo Espírito de Deus, 'Deixe-o ser um servo dos servos ", no mesmo sentido que Canaã era.

 

Maldito seja Canaã!

Um servo dos servos ele será para os seus irmãos.

Bendito seja o Senhor, o Deus de Sem!

E seja-lhe Canaã seu servo.

Que Deus Jafé,

E ele habite nas tendas de Sem;

E seja-lhe Canaã seu servo. -Prael. 4

 

A adoção de algumas diferenças de leitura tem sido sugerido por críticos posteriores. Foi especialmente observado que o primeiro hemistíquio é uma linha quebrada ou curto, e não corresponde com o próximo em comprimento ou rima. E sobre a autoridade da versão em árabe, (ver Poliglota de Walton,) muitos homens instruídos seria, assim, encher a linha -

 

"Maldito seja Ham, o pai de Canaã."

 

Eles também, na mesma autoridade, alterar a quarta ea sexta linhas, inserindo a palavra "pai", portanto -

 

"E que o pai de Canaã ser seu servo."

 

No entanto, essas alterações não são de ânimo leve a ser feita no texto sagrado; e parece altamente provável, que a adição da versão árabe foi destinado para nada mais do que uma paráfrase originalmente para explicar a visão do tradutor da passagem. O leitor é remetido para Caunter na Poesia do Pentateuco, para obter mais informações respeitando o caráter poético destes versos; e Dissertações do Bispo Newton, No. I., para a sua aplicação profética. Alguns excelentes observações, dos tipos prática, será encontrado em contemplações de Bishop Hall. - Ed.

 

Verso 26

26.Blessed seja o Senhor Deus de Sem. Noé abençoa seus outros filhos, mas de uma maneira diferente. Para ele coloca Shem no mais alto posto de honra. E esta é a razão pela qual Noé, em abençoando-o, irrompe em louvor a Deus, sem aderir à pessoa do homem. Para os hebreus, quando eles estão falando de qualquer excelência rara e transcendente, elevar seus pensamentos a Deus. Portanto, o homem santo, quando ele percebeu que a graça mais abundante de Deus foi destinada para seu filho Shem, sobe para ação de graças. Daí inferimos, que ele falou, não da razão carnal, mas sim tratado dos favores secretos de Deus, o resultado de que era para ser adiada para um período remoto. Finalmente, por estas palavras é declarado, que a bênção de Sem seria divina ou celestial.

 

Verso 27

27.God a Jafé. Nas palavras hebraicas יפת (japhte) e יפת (Jafé), há uma alusão elegante. Para a raiz da palavra é פתה (pathah,) que, entre os hebreus, significa para seduzir com palavras suaves, ou para seduzir em uma direção ou outra. Aqui, no entanto, quase todos os comentaristas tomá-lo como significando para ampliar. (301) Se esta exposição ser recebido, o significado será, que a posteridade de Jafé, que por um tempo seriam espalhados, e removido longe de tendas de Sem, teria longamente ser aumentado, de modo a que abordagem deve mais quase eles, e deve habitar juntos com eles, como em uma casa comum. Mas prefiro aprovar a outra versão, "Deus há de trazer suavemente para trás, nem inclinaram Jafé." (302) Além disso, qualquer interpretação que seguimos, Noah prevê que haverá uma dissensão temporária entre Sem e Jafé, embora ele retém tanto em sua família e chama ambos os seus herdeiros legais; e que depois virá o tempo em que eles devem se unir novamente em um corpo, e ter uma casa comum. É, no entanto, a maioria absoluta certeza, que uma profecia é aqui colocado diante às coisas desconhecidas do homem, dos quais, como o evento, longamente, mostra só Deus era o autor. Dois mil anos e alguns séculos mais, que decorreu antes de os gentios e os judeus foram reunidos em uma só fé. Então os filhos de Shem, dos quais a maior parte tinha se revoltaram e se isolam da família santo de Deus, foram coletados juntos, e habitou sob um tabernáculo. (303) Também os gentios, a descendência de Jafé, que tinham sido por muito tempo andarilhos e fugitivos foram recebidas no mesmo tabernáculo. Por Deus, por uma nova aprovação, formou um povo para fora daqueles que foram separados, e confirmou a união fraterna entre as partes alienadas. Isso é feito pela voz doce e suave de Deus, que ele proferiu no evangelho; e esta profecia ainda está recebendo diariamente a sua realização, uma vez que Deus convida as ovelhas dispersas para se juntar a seu rebanho, e recolhe, por todos os lados, aqueles que devem sentar-se com Abraão, Isaac e Jacó, no reino dos céus. É verdadeiramente nenhum apoio comum da nossa fé, de que o chamado dos gentios não só é decretada no conselho eterno de Deus, mas é abertamente declarado pela boca do Patriarca; para que não devemos pensar que possa ter acontecido de repente ou por acaso, que a herança da vida eterna foi oferecido geralmente a todos. Mas a forma da expressão, 'Jafé habite nas tendas de Shem, "(304) recomenda-nos que a sociedade mútua que deve existir, e para ser valorizado entre os fiéis. Para passo que Deus tinha escolhido para si mesmo uma Igreja da descendência de Sem, depois que ele escolheu os gentios, juntamente com eles, nesta condição, que eles deveriam se juntar-se a que as pessoas, que estavam na posse do pacto de vida.

 

Verso 28

28.And Noé viveu. Embora Moisés afirma brevemente a idade do homem santo, e não grava seus anais e os eventos memoráveis ​​de sua vida, ainda aquelas coisas que são certas, e que comemora Escritura em outro lugar, deveria recorrer a nossas mentes. No prazo de cento e cinquenta anos, os descendentes de seus três filhos tornaram-se tão numerosos, que não tinha prova da eficácia do Aumento de bênção divina e multiplicar suficiente e até mesmo abundante. Ele vê, não uma cidade única, cheia de seus netos, nem a sua descendência se expandiu para quase três centenas de famílias; mas muitas nações saltando de um de seus filhos que deveriam habitam regiões extensas. Este aumento surpreendente, já que era uma representação visível do favor divino em direção a ele, sem dúvida enchê-lo com alegria ilimitada. Para Abraão era quase cinquenta anos de idade quando seu pai morreu Noah. (305) Nesse meio tempo, ele foi obrigado a contemplar muitas coisas, o que afligem o seu santo peito com incrível tristeza. Para omitir outras coisas; ele viu na família de Shem, o santuário de Deus, - na qual deviam ser recebidos os filhos de Jafé, - destruído, ou, pelo menos, dilapidado e aluguel. Pois enquanto o pai do próprio Abraão, depois de ter abandonado o seu bom estação, tinha construído para si mesmo uma tenda profano; uma parcela muito pequena de fato permaneceu daqueles que adoraram a Deus no consentimento harmonioso de uma fé pura. Com que dores tormenting esta terrível confusão afetou não podem ser suficientemente expressa em palavras. Daí podemos saber, que os olhos da fé deve ter sido extremamente penetrante, que não deixou de se ver longe de, a graça de Deus, na preservação da Igreja, naquele tempo oprimido pela maldade dos homens.      

 

 

                    

 

 

 

                       Adam Clarke Comentário DO (A.T)

             COMENTARIO BIBLICO DE GENESIS 9.1-17

                          SUBSIDIO (1) CPAD LIÇÃO N.8

 

Genesis 9 

Introdução

Deus abençoa Noé e seus filhos, Gênesis 9: 1. A criação bruta de ser sujeito a eles através do medo, Gênesis 9: 2. A primeira concessão de alimentos de origem animal, Gênesis 9: 3. Comer sangue proibido, Gênesis 9: 4. Crueldade aos animais proibidos, Gênesis 9: 5. Um homem-assassino de perder a sua vida, Gênesis 9: 6. A aliança de Deus estabeleceu entre ele e Noe e toda a criação bruta, Gênesis 9: 8-11. O arco-íris dado como sinal e penhor dessa aliança, Gênesis 9: 12-17.

Os três filhos de Noé pessoas toda a terra, Gênesis 9:18, Gênesis 9:19. Noah planta uma vinha, bebidas do vinho, está embriagado, e encontra-se exposta na sua tenda, Gênesis 09:20, Gênesis 9:21. A conduta repreensível de Ham, Gênesis 9:22. A carruagem louvável de Sem e Jafé, Gênesis 9:23. NoE profeticamente declara a servidão da posteridade de Cão, Gênesis 09:24, Gênesis 9:25; e a dignidade e aumento de Sem e Jafé, Gênesis 9:26, Gênesis 9:27. A idade ea morte de Noé, Gênesis 9:28, Gênesis 9:29.

 

Versículo 1

Deus abençoou Noé - Mesmo o aumento das famílias, o que parece depender de meios meramente naturais e circunstâncias fortuitas, às vezes, é tudo de Deus. É pelo seu poder e sabedoria que o ser humano é formado, e é por sua providência sozinho que o homem é apoiado e preservado.

 

Verso 2

O medo de você eo temor, etc. - Antes da queda, o homem governou os animais inferiores por amor e bondade, para, em seguida, doçura e docilidade eram as suas características principais. Após a queda, untractableness, com uma ferocidade selvagem, prevaleceu entre quase todas as ordens da criação bruta; inimizade ao homem parece particularmente a prevalecer; e não tinha Deus em sua misericórdia impressionado suas mentes com o medo e terror do homem, de modo que alguns submeter à sua vontade, enquanto outros fugir de sua residência, a raça humana teria Muito antes deste ter sido totalmente destruído pelas bestas do campo. Será que o cavalo sabe a sua própria força, ea fraqueza do pobre miserável que impiedosamente passeios, discos, chicotes, aguilhões, e oprime ele, que ele não com um golpe de seu casco destruir o seu possuidor tirano? Mas enquanto Deus esconde essas coisas de que ele impressiona sua mente com o medo de seu dono, para que seja pela submissão alegre ou mal-humorado, ele é treinado para, e utilizado em, os fins mais úteis e importantes; e até mesmo submete voluntariamente, quando torturado para o esporte e diversão do seu opressor mais estúpido. Tigres, lobos, leões e hienas, os inimigos determinados do homem, incapaz de ser domado ou domesticado, fuja, através do princípio do terror, da habitação do homem, e assim ele é providencialmente segura. Assim, pelo medo e pelo homem medo governa todo animal da terra, toda ave do ar, e todos os peixes do mar. Como sábio e gracioso é esta ordem da Divina Providência! e com o que a gratidão deve ser considerado por todos os seres humanos!

 

Versículo 3

Cada coisa em movimento - será a comida - Não há provas de que alimentos de origem animal que nunca foi utilizada antes do dilúvio. Noe teve a primeira concessão deste tipo, e tem sido continuado a toda a sua posteridade desde então. Não é provável que esta concessão teria sido feita agora, se alguma alteração extraordinária não tivesse ocorrido no mundo vegetal, de modo a tornar as suas produções menos nutritivo do que eram antes; e, provavelmente, uma tal mudança na constituição do homem como para processar uma grosseira e superior dieta necessário. Podemos, portanto, inferir com segurança que a terra era menos produtivo após o dilúvio do que era antes, e que a constituição humana foi muito prejudicada pelas alterações que tiveram lugar por toda a economia da natureza. Debilidade Morbid, induzido por um estado muitas vezes hostil da atmosfera, com o trabalho dolorido e longo continuou, exigiria necessariamente um alimento mais elevado do que os vegetais poderia fornecer. Que este foi o caso parece suficientemente clara da concessão de alimentos de origem animal, que, se não tivesse sido indispensavelmente necessário, não tinha sido feita. Que a constituição do homem foi, então, muito alterado aparece nas vidas muito contratado do postdiluvians; Ainda do dilúvio até o dia de Abraão a vida de vários dos patriarcas ascenderam a algumas centenas de anos; mas este foi o efeito de uma providência peculiar, que o novo mundo pode ser o mais rapidamente repeopled.

 

Versículo 4

A carne, porém, com sua vida, que é o sangue - Apesar de alimentos de origem animal foi concedida, mas o sangue foi solenemente proibido, porque era a vida do animal, e esta vida era para ser oferecido a Deus como expiação pelo pecado. Por isso, o sangue já era considerado sagrado, porque ele foi o grande instrumento de expiação, e porque era típico de que o sangue pelo qual nós entrar no santuário. 1. Antes do dilúvio não foi comido, porque alimentos de origem animal não estava em uso. 2. Após o dilúvio foi proibido, como encontramos acima; e, por ser um dos sete preceitos de Noé, não foi comido anteriormente à publicação da lei mosaica. 3. A entrega da lei, e em várias vezes durante o ministério de Moisés, a proibição foi solenemente, e com sanções terríveis renovada. Portanto, podemos ter a certeza de que nenhum sangue foi comido anteriormente à era cristã, nem mesmo desde então pelo povo judeu. 4. Que a proibição foi renovada sob a dispensação cristã, pode admitir pouca dúvida por qualquer homem que desapaixonadamente lê Atos 15:20, Atos 15:29; Atos 21:25, onde até mesmo os convertidos gentios são cobrados a abster-se dele sobre a autoridade, não só dos apóstolos, mas do Espírito Santo, que lhes deu lá e, em seguida, sentido especial relativa a este ponto; veja Atos 15:28; não por medo de tropeçar os judeus convertidos, o brilho dos teólogos, mas porque era uma των επαναγκες τουτων, desses pontos necessários, do fardo (βαρος) de obediência à qual eles não poderiam ser dispensado. 5. Este comando ainda está escrupulosamente obedecida pelos cristãos orientais, e por toda a Igreja Grega; e porque? porque as razões ainda subsistem. Nenhum sangue foi comido sob a lei, porque ele apontou o sangue que foi derramado pelos pecados do mundo; e sob o Evangelho não deve ser comido, porque ele nunca deveria ser considerado como representando o sangue que foi derramado para a remissão dos pecados. Se os comedores de sangue em geral sabia que ela proporciona uma doença muito bruto, quase indigesto, e doentia, eles certamente não sobre estas razões físicas, deixando considerações morais fora de questão, ser muito ligado ao consumo de que a partir do qual eles poderiam esperar nenhum alimento saudável, e que, para torná-lo ainda agradável ao paladar, requer toda a habilidade do cozinheiro. Veja Levítico 17:10.

 

Versículo 5

Certamente seu sangue - I vai exigir; na mão de todos os animais - Isso é muito obscuro, mas se tomado literalmente parece ser um aviso terrível contra a crueldade com a criação bruta; ea partir dele pode-se concluir que o cavalo-pilotos, lebre-caçadores, bull-Baiters e combate a torneira sejam obrigados a prestar contas a Deus por cada criatura que eles têm irresponsavelmente destruída. Em vez de חיה chaiyah, "besta", o samaritano lê Yod Kaph chai, "vida", qualquer "criatura viva ou pessoa;" isto faz um muito bom senso, e igualmente proíbe crueldade seja para homens ou brutos.

 

Versículo 6

Quem derramar sangue de homem, pelo homem terá o seu sangue - Por isso, parece que quem mata um homem, a menos que involuntariamente, como diz a Escritura expressa, perderá sua própria vida.

 

Um homem é acusado do crime de homicídio; deste crime que ele é culpado ou ele não é: se ele é culpado de assassinato que ele deveria morrer; se não, deixá-lo ser punido de acordo com o demérito de seu crime; mas sem ofensa, mas assassinato que ele deve perder a sua vida. Tirar a vida de outra é o maior crime que pode ser cometido contra o indivíduo, e contra a sociedade; eo castigo maior que um homem pode sofrer por tal crime é a perda de sua própria vida. Como punição deve ser sempre proporcional aos crimes, de modo que o maior castigo devido ao maior crime não deve ser aplicada por um delito menor. A lei de Deus e os ditames da razão eternas dizer que, se um homem matar outro, a perda de sua própria vida é ao mesmo tempo a sanção mais grave, ele pode pagar, e um equivalente para a sua ofensa, tanto quanto a sociedade civil está em causa. Se a morte do assassino ser a maior pena que ele pode pagar pelo assassinato que cometeu, em seguida, a imposição deste castigo por qualquer delito menor é a injustiça ea crueldade; e serve apenas para confundir as exigências da justiça, os diferentes graus de torpeza moral e vice, e para tornar a devassa desesperada: daí o ditado tão freqüente entre quase todos os fim de delinquentes, "É tão bom para ser enforcado por uma ovelha como um cordeiro "; que ao mesmo tempo marca seu desespero, ea injustiça dessas leis penais que infligir o castigo mais alto por quase toda espécie de crime. Quando deve uma legislatura sábio e prudente ver o absurdo ea injustiça de infligir a pena de morte por roubar uma ovelha ou um cavalo, forjando uma nota de vinte shillings ", e assassinar um homem; quando este, em sua torpeza moral e consequências ruinosas, infinitamente superior aos outros * (* Nesta cabeça piedoso desejo do médico tem sido realizado desde este parágrafo foi escrito -. Publishers)?

 

O versículo 13

Eu definir o meu arco nas nuvens - Sobre a origem e natureza do arco-íris tinha havido uma grande variedade de conjecturas, até que Anthony de Dominis, bispo de Spalatro, em um tratado do seu publicada por BARTHOLUS em 1611, em parte sugeriu que o verdadeiro causa desse fenômeno, que mais tarde foi totalmente explicado e demonstrado por Sir Isaac Newton. Para entrar neste assunto aqui em pormenor seria impróprio; e, portanto, o leitor menos informado deve recorrer a tratados sobre Optics para a sua explicação completa. Para os leitores em geral, pode ser suficiente para dizer que o arco-íris é um mero efeito natural de uma causa natural:

 

Ele nunca é visto, mas quando o tempo está chuvoso.

Nem então, a menos que o sol brilha.

Ele nunca aparece em qualquer parte do céu, mas em que oposto ao sol.

Ela nunca parece ser maior do que um semicírculo, mas muito menos frequentemente.

É sempre o dobro, não sendo o que é chamado de arco-íris superior e inferior, ou primário e secundário.

Estes arcos exibem as sete cores prismáticas, vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta.

Todo este fenômeno depende dos raios do sol que cai em gotas esféricas de água, e estar em sua passagem através deles, refratada e refletida.

A formação de arco-íris primária e secundária depende das duas seguintes proposições;

Quando o sol brilha sobre as gotas da chuva como eles estão caindo, os raios que vêm de essas gotas para o olho do espectador, depois Uma reflexão e Dois refrações, produzir o arco-íris primário.

Quando o sol brilha sobre as gotas da chuva como eles estão caindo, os raios que vêm de essas gotas para o olho do espectador depois de duas reflexões e refrações Dois, produzir o arco-íris secundário.

A ilustração destas proposições deve ser procurada em tratados sobre Optics, assistido por placas. A partir da causa bem conhecida desse fenômeno Ele não pode ser racionalmente supor que não havia arco-íris nos céus antes da hora mencionada no texto, pois, como o arco-íris é o efeito natural de raios do sol caindo sobre gotas de água, e de serem refratada e refletida por eles, deve ter aparecido em momentos diferentes da criação do sol e da atmosfera. Nem o texto íntimo que o arco foi criado agora por um sinal para Noé e sua posteridade; mas que o que foi anteriormente criado, ou melhor, o que era o efeito necessário, em certos casos, da criação do sol e atmosfera, deve agora ser considerado por eles como um sinal infalível de sua preservação contínua das águas do dilúvio; Por conseguinte, o texto fala do que já havia sido feito, e não do que agora foi feito, נתתי קשתי kashti nathatti, "meu arco tenho dado, ou colocar na nuvem"; como se ele disse: Tão certo como o arco-íris é um efeito necessário de sol na chuva, e deve continuar como long como o sol e atmosfera suportar, por isso certamente deve ser preservado essa terra da destruição pela água; e deve ser tão necessária a sua preservação um efeito da minha promessa como o arco-íris é o brilho do sol durante um chuveiro de chuva.

Verso 17

Este é o sinal - אות oth, O sinal divino ou presságio: O arco deve estar na nuvem. Pelas razões acima especificados ele deve estar lá, quando ocorrem as circunstâncias já mencionadas; se, por isso, não pode falhar por causa das razões atribuídas antes, não será mais minha promessa; eo arco será a prova de sua perpetuidade.

 

Ambos os gregos e latinos, assim como os hebreus, já considerado o arco-íris como um token ou presságio Divino; e ambas as nações têm mesmo deificado ele, e fez dele um mensageiro dos deuses.

 

Homer, Il. xi., ver. 27, falando das figuras no peitoral de Agamenon, diz que havia três dragões, cujas cores eram

 

- - Ιρισσιν εοικοτες, ἁς τε Κρονων.

 

Εν νεφεΐ στηριξε, τερας μεροπων ανθρωπων.

 

"como para o arco-íris que o filho de Saturno tem colocado na nuvem como um sinal para a humanidade", ou para homens de várias línguas, porque assim o ανθρωπων μεροπων do poeta foi compreendida. Alguns têm pensado que os antigos escritores gregos dar esse epíteto para o homem de alguma tradição da confusão e multiplicação das línguas em Babel; portanto, neste lugar as palavras podem ser entendidas como implicando a humanidade em geral, toda a raça humana; Deus ter dado ao arco-íris por um sinal para todos os descendentes de Noé, por quem toda a terra foi povoada depois do dilúvio. Assim, o arco celeste fala uma língua universal, entendido por todos os filhos e filhas de Adão. Virgil, de alguma figura traditionary disfarçado da verdade, considera o arco-íris como um mensageiro dos deuses. Aen. v., ver. 606:

 

 

                     Comentário  Genesis 9.1-17

          SUBSIDIO (2) LIÇÃO 8 ADULTOS N.8

Versículo 1

  1. E Deus abençoou Noé. Nós, portanto, inferir com o grande temor Noah tinha sido abatido, porque Deus, tantas vezes e em tal extensão, passa a incentivá-lo. Pois quando Moisés diz aqui, que Deus abençoou Noé e seus filhos, ele não significa simplesmente que a favor da fecundidade foi restaurado para eles; mas que, ao mesmo tempo, o desígnio de Deus sobre o novo restituição do mundo foi revelado a eles. Para a bênção em si é adicionado a voz de Deus pelo qual ele se dirige a eles. Sabemos que os animais irracionais produzir descendentes de nenhuma outra forma do que pela bênção de Deus; Moisés, porém, aqui comemora um privilégio que pertence apenas aos homens. Portanto, para aqueles quatro homens e suas esposas, apreendida com medo, deve duvidar para que finalidade eles tinha sido entregue, o Senhor prescreve a eles sua condição futuro da vida: a saber, que eles devem levantar a humanidade da morte para a vida. Assim, ele não só renova o mundo pela mesma palavra, pela qual ele antes de o criou; mas ele dirige sua palavra aos homens, para que eles possam recuperar o uso legal da união, pode saber que o cuidado de produzir a prole é agradável a Ele mesmo, e pode ter a confiança de que a descendência devem surgir a partir deles que deve difundir-se através de todos regiões da terra, de modo a torná-lo novamente habitada; embora tivesse sido devastado e fez um deserto. No entanto, ele não permitiu que a relação sexual promíscuo, mas novamente que sancionou lei do casamento que havia antes ordenado. E, embora a bênção de Deus é, de alguma forma, estendida a conexões ilícitas, de modo que a descendência é produzida dali, mas esta é uma fecundidade impuro; o que é fluxos legais apenas a partir da bênção expressamente declarada de Deus.

 

Verso 2

  1. E o medo de você. Isso também tem relação principalmente com a restauração do mundo, a fim de que a soberania sobre o resto dos animais podem permanecer com os homens. E embora depois da queda do homem, os animais eram dotados de novo ferocidade, mas alguns restos daquele domínio sobre eles, que Deus tinha que lhe são conferidos no início, ainda foram deixados. Agora ele também promete que o mesmo domínio deve continuar. Nós vemos que de fato os animais selvagens arremeteram violentamente sobre os homens, e rasgar e arrancar muitos deles em pedaços; e se Deus não maravilhosamente restringir o seu furor, a raça humana seria totalmente destruída. Portanto, o que temos dito respeitando a inclemência do ar, ea irregularidade das estações do ano, é também aqui aplicável. Bestas selvagens na verdade prevalecerá e raiva contra os homens de várias maneiras, e não é de admirar; para uma vez que perversamente nos exaltar contra Deus, por que não os animais se levantam contra nós? No entanto, a providência de Deus é um freio segredo para restringir o seu violência. Para, de onde ele surge serpentes que nos sobra, a não ser porque ele reprime sua virulência? De onde é que os tigres, elefantes, leões, ursos, lobos e outros animais selvagens, sem número, não rasgar, rasgar e devorar tudo humano, exceto que eles são retidos por essa sujeição, como por uma barreira? Portanto, ele deve ser encaminhado para a especial protecção e tutela de Deus, que nos mantemos em segurança. Pois, se fosse de outra forma, o que poderíamos esperar; desde que parecem como se tivesse nascido para a nossa destruição, e queimar com o desejo furioso para nos ferir? Além disso, o freio com o qual o Senhor restringe a crueldade das feras, para impedi-los de cair sobre os homens, é um certo medo e pavor que Deus implantou neles, a fim de que eles podem reverenciar a presença de homens. Daniel especialmente declara esta reis respeitando; ou seja, que eles são dotados de domínio, porque o Senhor colocou o medo eo terror de ambos sobre os homens e os animais. Mas como o primeiro uso do medo é defender a sociedade da humanidade; assim, de acordo com a medida em que Deus deu aos homens uma autoridade geral sobre os animais, não existe na maior eo menor dos homens, eu não sei o que marca oculta, que não sofre a crueldade de animais selvagens, por sua violência prevaleça. Outra vantagem, no entanto e uma mais amplamente estendido, é aqui observado; a saber, que os homens podem tornar os animais subservientes para sua própria conveniência, e pode aplicá-los a vários usos, de acordo com seus desejos e suas necessidades. Portanto, o fato de que os bois se acostumaram a suportar o jugo; que a selvageria de cavalos é tão discreto como para levá-los a transportar um piloto; que eles recebem a albarda a suportar encargos; que as vacas dão leite, e sofrem-se a ser ordenhada; que as ovelhas são mudos sob a mão do tosquiador; todos esses fatos são o resultado de um tal domínio, que, embora muito diminuída, é, no entanto, não totalmente abolida.

 

Versículo 3

  1. Cada coisa que vive em movimento deve ser de carne para você. O Senhor prossegue ainda, e concede animais para alimento aos homens, para que coma sua carne. E porque Moisés agora primeiro relaciona-se que esse direito foi dado aos homens, quase todos os comentadores inferir, que não era lícito ao homem comer carne antes do dilúvio, mas que os frutos naturais da terra eram seu único alimento. Mas o argumento não é suficientemente firme. Pois eu segurar a este princípio; que Deus aqui não confere aos homens mais do que tinha anteriormente dado, mas só restaura o que tinha sido tirado, para que pudessem entrar novamente na posse das coisas boas de onde tinham sido excluídas. Pois desde que eles tinham sacrifícios a Deus antes oferecidos, e também foram autorizados a matar animais selvagens, dos couros e peles das quais, eles poderiam fazer para si roupas e tendas, eu não vejo o que obrigação deve impedi-los de comer carne . Mas uma vez que é de pouca importância que a opinião é realizada, afirmo nada sobre o assunto. (286) Esta deveria justamente ser considerado por nós de maior importância, que comer a carne dos animais é concedida a nós pela bondade de Deus ; que não apoderar-se que o nosso apetite desejos, como ladrões de fazer, nem tiranicamente derramar o sangue inocente de gado; mas que nós tomamos somente o que é oferecido a nós pela mão do Senhor. Ouvimos o que Paulo diz que temos a liberdade para comer o que nos agrada, só nós fazê-lo com a certeza de consciência, mas que ele imagina que qualquer coisa para ser imundo, para esse é imunda, (Romanos 14:14. ) E de onde tem isso aconteceu com o homem, que ele deve comer qualquer alimento que ele agradou diante de Deus, com uma mente tranqüila, e não com licença desenfreada, com exceção de seu conhecimento, que foi divinamente entregue na sua mão pelo direito de doação ? Portanto, (o mesmo sendo testemunha Paul,) a palavra de Deus santifica as criaturas, para que possamos pura e legalmente alimentam deles, (1 Timóteo 4: 5). Deixe o adágio ser totalmente rejeitada, que diz: "que ninguém pode alimentar e refrescar o corpo com um bocado de pão, sem, ao mesmo tempo, contaminando sua alma. ' Portanto, não é de se duvidar, que o Senhor criou para confirmar a nossa fé, quando ele declara expressamente por Moisés, que ele deu ao homem o livre uso da carne, para que possamos não comê-lo com a consciência duvidosa e tremendo. Ao mesmo tempo, porém, ele nos convida a ação de graças. Nesta conta, também, Paulo acrescenta "oração" para a "palavra", na definição do método de santificação na passagem citada recentemente.

 

E agora temos de manter firmemente a liberdade nos foi dada pelo Senhor, que ele projetou para ser gravado como em mesas públicas. Pois, por essa palavra, ele se dirige a toda a posteridade de Noé, e torna este presente comum para todas as idades. E por que isso é feito, mas que os fiéis possam corajosamente afirmar o seu direito ao que, sabem, tem procedido de Deus como seu autor? Pois é uma tirania insuportável, quando Deus, o Criador de todas as coisas, lançou abre-nos a terra, o ar, a fim de que possamos dali levar comida a partir de seu depósito, para que estas sejam cale-se de nós por mortais homem, que não é capaz de criar até mesmo um caracol ou uma mosca. Eu não falo de proibição externa; (287), mas eu afirmo, que a lesão atroz é feito para Deus, quando nós damos essa licença para homens como para permitir-lhes pronunciar que ilegal que Deus projeta para ser lícito, e para ligar as consciências que a palavra de Deus liberta, com suas leis fictícios. O fato de que Deus proibiu seu antigo povo do uso de animais imundos, vendo que era exceção, mas temporário, é aqui passou por Moisés.

 

Versículo 4

  1. A carne, porém, com sua vida, que é o seu sangue Alguns, assim, explicar 'Ye não pode comer um membro cortado de um animal vivo,' esta passagens que é muito insignificante. No entanto, já que não há conjunção copulativa entre as duas palavras, sangue e vida, eu não tenho dúvida de que Moisés, falando da vida, acrescentou a palavra sangue exegetically, (288), como se diria, que a carne é, em certo sentido devorado com a sua vida, quando é comido imbuído de seu próprio sangue. Portanto, a vida eo sangue não são colocados para coisas diferentes, mas para o mesmo; porque o sangue não é, em si, a vida, mas uma vez que as bebidas espirituosas vitais residem principalmente no sangue, que é, tanto quanto a sensação está em causa, um sinal que representa a vida. E isso é expressamente declarado, a fim de que os homens podem ter o maior horror de comer sangue Para se ser uma coisa selvagem e bárbara para devorar vidas, ou para engolir a carne viva, os homens traem sua brutalidade pela ingestão de sangue. Além disso, a tendência desta proibição não é de forma obscura, ou seja, que Deus pretende para acostumar os homens a mansidão, de abster-se do sangue de animais; mas, se eles devem tornar-se desenfreado e ousadia em comer animais selvagens que eles longamente não ser poupadores do mesmo sangue humano. No entanto, devemos lembrar, que esta restrição era parte da antiga lei. (289) Portanto, o que Tertuliano se refere, que no seu tempo era ilegal entre os cristãos para provar o sangue de gado, sabores da superstição. Para os apóstolos, em comandar os gentios a observar este rito, por um curto período de tempo, não tinha a intenção de injetar um escrúpulo em suas consciências, mas apenas para evitar que a liberdade que era de outra maneira sagrado, de provar uma ocasião de ofensa à ignorantes e o fraco.

 

Versículo 5

  1. E, certamente, o sangue de suas vidas vão me exigir. Com estas palavras, o Senhor declara mais explicitamente que ele não proíbem o uso de sangue de conta próprios animais, mas porque ele representa a vida dos homens preciosas: e porque o único fim de sua lei é, para promover o exercício do comum humanidade entre eles. Penso, portanto, que Jerônimo, na prestação de a partícula אך (ach,) para, se saiu melhor do que quem lê-lo como uma disjuntiva adversativa; "caso contrário o seu sangue eu o requererei; ' Ainda literalmente pode ser melhor assim traduzido: "E verdadeiramente o seu sangue." (290) Todo o contexto é (na minha opinião) a ser assim lido: "E verdadeiramente o seu sangue, que é em suas vidas, ou que é como o seu vive, que é o que vivifica e acelera-lo, como ele respeita o seu corpo, eu o requererei: da mão de todos os animais vai exigir isso; da mão do homem, da mão, eu digo, do homem, seu irmão, vou exigir a vida do homem. ' A distinção pela qual os judeus constituem quatro tipos de homicídio é frívola; para eu ter explicado o sentido simples e genuína, ou seja, que Deus tão altamente estima nossa vida, que ele não vai sofrer assassinato de ir impune. E ele inculca isso em tantas palavras, a fim de que ele possa tornar a crueldade daqueles a mais detestável, que se deitou mãos violentas sobre os seus vizinhos. E não é à prova comum do amor de Deus para conosco, que se compromete a defesa de nossas vidas, e declara que ele vai ser o vingador de nossa morte. Em dizendo que ele vai exigir uma punição de animais para a vida dos homens violados, ele nos dá este como um exemplo. Porque, se, em nome do homem, ele está com raiva de criaturas irracionais que são apressados ​​por um impulso cego para alimentar sobre ele; o que, podemos supor, irá tornar-se do homem que, injustamente, cruelmente, e ao contrário do sentido da natureza, cai em cima de seu irmão?

 

Versículo 6

  1. Quem derramar sangue de homem (291) A cláusula no homem que está aqui acrescentou, tem a força de amplificação. Alguns expô-lo, 'Antes de testemunhas.' Outros referem-lo para o que se segue, ou seja, 'que pelo homem o seu sangue deve ser derramado ". (292) Mas todas essas interpretações são forçados. O que eu disse deve ser lembrado, que esta língua em vez expressa a atrocidade do crime; porque todo aquele que mata um homem, atrai sobre si o sangue ea vida de seu irmão. Em geral, eles são enganados (na minha opinião) que pensam que um direito político, para a punição dos homicídios, é aqui simplesmente pretendido. Realmente eu não nego que o castigo que as leis ordenar, e que os juízes executar, são fundadas sobre esta sentença divina; mas eu digo que as palavras são mais abrangentes. Está escrito,

 

'Homens de sangue não viverão metade dos seus dias,

"(Salmos 55:23).

 

E nós vemos alguns morrem em rodovias, alguns em ensopados, e muitos em guerras. Por isso, no entanto magistrados podem conivente com o crime, Deus envia carrascos de outros quadrantes, que retribuirá aos homens sanguinários sua recompensa. Deus assim ameaça e denuncia vingança contra o assassino, que até os braços do magistrado com a espada para o vingador do abate, a fim de que o sangue dos homens não pode ser derramado impunemente.

 

Por à imagem de Deus fez o homem. Para a maior confirmação das doutrinas acima de Deus declara que ele não é, portanto, respeitando a vida humana solícito precipitadamente, e para nenhum fim. Os homens são de fato indigno do cuidado de Deus, se ser tido apenas relativamente a si mesmos. mas desde que eles trazem a imagem de Deus gravada neles, considera-se violado em sua pessoa. Assim, embora eles não têm nada de seu próprio pelo qual eles obter o favor de Deus, ele olha para seus próprios presentes neles, e é assim animado para amar e cuidar deles. Esta doutrina, no entanto, deve ser cuidadosamente observado que ninguém pode ser prejudicial para seu irmão sem ferir o próprio Deus. Foram profundamente essa doutrina fixada em nossas mentes, devemos ser muito mais relutante do que estamos a infligir ferimentos. Caso qualquer um objeto, que essa imagem divina foi obliterada, a solução é fácil; em primeiro lugar, não existe ainda algum resquício dela, para que o homem é possuidor de não pouca dignidade; e, por outro, o próprio Criador Celestial, porém corrompido homem pode ser, ainda mantém em vista o fim de sua criação original; e de acordo com o seu exemplo, devemos considerar para que finalidade ele criou os homens, e que a excelência que lhes concedeu acima do resto dos seres vivos.

 

O versículo 7

  1. E você, sede fecundos e multiplicai. Ele mais uma vez volta seu discurso de Noé e seus filhos, exortando-os a propagação da prole: como se quisesse dizer: 'Você vê que eu estou preocupado em apreço e preservar a humanidade, você, portanto, também atendê-la.' Ao mesmo tempo, em encomendando-os para a conservação de sementes, ele impede-os de crime, e de actos de violência injusto. No entanto, seu fim principal era que a que já aludi antes, para que pudesse incentivar suas mentes abatido. Para nestas palavras está contido não um preceito nua, mas também uma promessa.

 

Versículo 8

  1. E falou Deus a Noé. Que a memória do dilúvio não pode inspirá-los com novos terrores, como muitas vezes como o céu estava coberto de nuvens, para que a terra deve voltar a ser afogado; esta fonte de ansiedade é tirado. E, certamente, se considerarmos a grande tendência da mente humana para desconfiança, vamos não considerem este testemunho ter sido desnecessário, mesmo para Noah. Ele foi, de facto dotado de uma fé rara e incomparável, mesmo para um milagre; mas sem força de constância poderia ser tão grande, que esta vingança mais triste e terrível de Deus não deve agitá-lo. Portanto, sempre que qualquer grande e continuada chuveiro deve parecem ameaçar a terra com um dilúvio, essa barreira, em que o homem santo pode confiar, é interposta. Agora, embora seus filhos teriam essa confirmação mais do que ele, mas o Senhor fala especialmente em sua conta. E a cláusula que se segue, "ea seus filhos que estavam com ele, 'é para ser encaminhado a este ponto. Para como ele é, que Deus, fazendo sua aliança com os filhos de Noé, lhes ordena que esperar o melhor? Verdadeiramente, porque eles são unidos com o seu pai, que é, por assim dizer, o estipulante da aliança, de modo a estar associado a ele, em um lugar subordinado (293). Além disso, não há dúvida de que era o desígnio de Deus para fornecer para toda a sua posteridade. Não era, portanto, uma aliança privada confirmado com apenas uma família, mas que é comum a todas as pessoas, e que deve florescer em todas as idades para o fim do mundo. E, na verdade, uma vez que no presente momento, impiedade transborda não menos do que na idade de Noé, é especialmente necessário que as águas devem ser contido por esta palavra de Deus, como por mil parafusos e bares para que não se lance para destruí- nos. Portanto, contando com esta promessa, vamos olhar para a frente para o último dia, em que o fogo consumidor deve purificar o céu ea terra.

 

Verso 10

  1. E com todo ser vivente. Embora o favor que o Senhor promete se estende também aos animais, mas não é em vão que se dirige apenas aos homens, que, pelo sentido da fé, são capazes de perceber este benefício. Nós aproveitar o céu eo ar em comum com os animais, e desenhar o mesmo sopro vital; mas não é nenhum privilégio comum, que Deus dirige a sua palavra para nós; onde podemos aprender com o que o amor paternal que ele nos persegue. E aqui três etapas distintas devem ser rastreados. Em primeiro lugar, Deus, como em um assunto de interesse atual, faz uma aliança com Noé e sua família, para que eles não devem ter medo de um dilúvio por si mesmos. Em segundo lugar, ele transmite sua aliança para a posteridade, não só isso, como por sucessão contínua, o efeito pode chegar a outras idades; mas que os que se havia de nascer também pode apreender esse testemunho pela fé, e pode-se concluir que a mesma coisa que tinha sido prometido aos filhos de Noé, foi prometido a eles. Em terceiro lugar, ele declara que ele será propício também para bruta animais, de modo que o efeito do pacto para com eles, pode ser a preservação de só as suas vidas, sem transmitir a eles senso e inteligência. Daí a ignorância dos anabatistas pode ser refutada, que negam que a aliança de Deus é comum às crianças, porque são destituídos de presente fé. Como se, verdadeiramente, quando Deus promete a salvação até mil gerações, os pais não eram partes intermediários entre Deus e os seus filhos, cujo ofício é para entregar a seus filhos (por assim dizer) de mão em mão a promessa recebida de Deus. Mas, como muitos como retirar a sua vida a partir deste proteção de Deus (já que a maior parte dos homens quer desprezo ou ridículo esta aliança divina) merecem, por este único ato de ingratidão, a ser imerso em fogo eterno. Pois, embora esta seja uma promessa terrena, mas o desígnio de Deus a fé de seu povo a ser exercida, a fim de que eles podem ter a certeza de que uma determinada morada irá, por sua bondade especial, ser fornecido por eles na terra, até que eles serão reunidos juntos no céu.

 

Verso 12

  1. Este é o sinal da aliança. Um sinal é adicionado à promessa, na qual é exibida a maravilhosa bondade de Deus; que, com a finalidade de confirmar a nossa fé em sua palavra, não desdenha de usar tal ajuda. E embora tenhamos mais plenamente discutido o uso de sinais em Gênesis 2: 1, ainda temos de manter brevemente, a partir destas palavras de Moisés, que é errado para cortar sinais da palavra. Com a palavra, eu não significa que papistas dos quais se orgulhar; pelo qual eles encantar pão, vinho, água e óleo, com seus sussurros mágicos; mas o que pode fortalecer a fé: de acordo com o Senhor há aqui claramente aborda santo Noé e seus filhos; ele, em seguida, anexa um selo, por uma questão de segurança. Portanto, se o sacramento ser arrancada a palavra, ela deixa de ser o que ele é chamado. Deve, digo eu, ser um sinal vocal, a fim de que ele pode manter o seu vigor, e não degenerar de sua natureza. E não é só que a administração dos sacramentos, em que a palavra de Deus está em silêncio, vaidoso e ridículo; mas ele desenha com ela puras ilusões satânicas. Por isso nós também inferir, que desde o início, era a propriedade peculiar dos sacramentos, para aproveitar para a confirmação da fé. Para certamente, na aliança que prometo é incluído para que a fé deveria responder. Parece algum absurdo, que a fé deve ser sustentada por tal ajuda. Mas eles que falam, portanto, não fazer, em primeiro lugar, refletir sobre a grande ignorância e imbecilidade de nossas mentes; nem eles, por outro, atribuem ao funcionamento do poder secreto do Espírito que louvar o que é devido. É a obra de Deus por si só para começar e para aperfeiçoar a fé; mas ele faz isso por tais instrumentos como ele vê o bem; a livre escolha do que está em seu próprio poder.

 

O versículo 13

  1. Eu faço o meu arco nas nuvens. A partir dessas palavras certas eminentes teólogos foram induzidos a negar, que não havia qualquer arco-íris antes do dilúvio: o que é frívolo. Para as palavras de Moisés não significam, que um arco foi então formado que não existia anteriormente; mas que uma marca estava gravada, o que deve dar um sinal do favor divino para com os homens. Que isso pode a aparecer mais evidentemente, será bom recordar a memória que temos em outros lugares, disse que alguns sinais são naturais, e alguns preternatural. E embora haja muitos exemplos desta segunda classe de sinais nas Escrituras; ainda assim eles são peculiar, e não pertencem ao uso comum e perpétua da Igreja. Pois, como é do agrado do Senhor para empregar elementos terrestres, como veículos para elevar a mente dos homens no alto, então eu acho que o arco celeste que tinha antes existia naturalmente, é aqui consagrada num sinal e penhor; e, assim, um novo escritório é atribuído a ele; Considerando que, a partir da natureza da coisa em si, pode ser um sinal, em vez do contrário; pois ameaça de chuva contínua. Deixe este, portanto, ele o significado, das palavras, 'Todas as vezes que a chuva deve alarme você, olhar para o arco. Para embora possa parecer para causar a chuva alagar a Terra, não obstante, ser-lhe uma promessa de retornar a secura, e, portanto, se tornará então você ficar com maior confiança, do que sob um céu límpido e sereno. " Por isso, não é para nós a lutar com filósofos respeitando o arco-íris; pois, embora suas cores são o efeito de causas naturais, mas eles agem de maneira profana que tentam privar Deus de o direito e autoridade que ele tem sobre as suas criaturas.

 

Verso 15

  1. E eu me lembrarei da minha aliança. Moisés, através da introdução de Deus tantas vezes como o orador, ensina-nos que a palavra detém o lugar principal, e que os sinais estão a ser estimado por ele. (294) Deus, no entanto, fala segundo a maneira dos homens, quando ele diz, que com a visão do arco-íris ele se lembrará do convênio. Mas esse modo de falar tem referência à fé dos homens, a fim de que eles possam refletir, que Deus, quando ele estende seu arqui sobre as nuvens, não está desatento a sua aliança.

 

Verso 18

  1. Os filhos de Noé. Moss enumera os filhos de Noé, não só porque ele está prestes a passar para a seguinte história, mas com o propósito de ilustrar mais completamente a força da promessa ", enchei a terra." Para nós pode, portanto, melhor conceber como eficaz o bênção de Deus tem sido, porque uma imensa multidão de homens passou em um curto espaço de tempo a partir de um número tão pequeno; e porque uma família, e que um pouco de um, cresceu em tantas e tais numerosas nações.

Fonte comentário bíblico de Calvino , antigo testamento

 

 

              COMENTARIO BIBLICO DE CPAD

                      GENESIS  7 SUBSIDIO     (1)

                     ADULTOS 4 TRIMESTE 2015 

                                      LIÇÃO N.7 

                                     Introdução

 

Neste capítulo temos o desempenho do que foi previsto no capítulo anterior, tanto a respeito da destruição do velho mundo ea salvação de Noé para que possamos ter certeza de que nenhuma palavra de Deus cairá no chão. Não saímos Noah ocupado com sua arca, e cheio de cuidados para terminá-lo a tempo, enquanto o resto de seus vizinhos estavam rindo dele para suas dores. Agora aqui nós ver o que era o fim dele, o fim do seu cuidado e de seu descuido. E este famoso período do velho mundo nos dá uma idéia do estado de coisas quando o mundo que agora se serão destruídos pelo fogo, como foi por água. Veja 2 Pedro 3: 6,7.

 

Temos, neste capítulo, gracioso convite I. de Deus a Noé para entrar na arca (Gênesis 7: 1), e para trazer as criaturas que estavam a ser preservado vivo junto com ele (Gênesis 7: 2,3), em consideração do dilúvio na mão, Gênesis 7: 4. II. Obediência de Noé a esta visão celestial, Genesis 7: 5. Quando ele tinha seiscentos anos de idade, ele veio com a família para dentro da arca (Gênesis 7: 6,7), e trouxe as criaturas junto com ele (Gênesis 7: 8-9), uma conta de qual é repetido (Gênesis 7 : 13-16), ao qual é adicionado terno cuidado de Deus para o fechou dentro III.. A vinda do dilúvio ameaçado (Gênesis 7:10) as causas do mesmo (Gênesis 7: 11,12): a prevalência das dele, Gênesis 7: 17-20. EU V. As terríveis desolações que foram feitas por ele na morte de todos os seres vivos na terra, exceto aqueles que estavam na arca, Genesis 7: 21-23. V. A continuação dele no mar cheio, antes de começar a diminuir, cento e cinqüenta dias, Gênesis 7:24.

 

Versículos 1-4

 

1 E disse o Senhor a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca para te tenho visto justo diante de mim nesta geração. 2of todo animal limpo tomarás para ti sete e sete, o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea. 3of aves também do ar pelos setes, o macho ea fêmea para se conservar em vida sobre a face de toda a terra. 4 Porque, passados ​​ainda sete dias, farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites e vivo cada substância que eu tenho feito vai destruir de sobre a face da terra.

 

Aqui está, I. Um gracioso convite de Noé e sua família para um lugar de segurança, agora que o dilúvio estava chegando, Gênesis 7: 1.

 

  1. A chamada em si é muito gentil, como o de um terno pai para seus filhos, para chegar em portas, quando ele vê noite ou de uma tempestade que se aproxima: Vem tu, e toda a tua casa, que a pequena família que tens, para o arca. Observe: (1) Noah não entrou na arca, até que Deus ordenou-lhe que se ele soubesse que foi projetado para o seu lugar de refúgio, mas ele esperou por um comando renovado, e ele tinha.

 

 É muito confortável para seguir as chamadas de Providence, e ver Deus vai diante de nós em cada passo que damos. (2) Deus não oferecê-lo ir para a arca, mas vir para ele, o que implica que Deus iria com ele, iria levá-lo para ele, acompanhá-lo na mesma, e em devido tempo trazê-lo em segurança para fora do mesmo. Nota, Onde quer que estejamos, é muito desejável ter a presença de Deus conosco, para isso é tudo em todos para o conforto de todas as condições. Foi isso que fez a arca de Noé, que era uma prisão, ser-lhe não só um refúgio, mas um palácio. (3.) NoE tinha tomado uma grande dose de esforço para construir a arca, e agora ele próprio era preservado vivo nele.

 Nota, O que fazemos em obediência ao mandamento de Deus e na fé, nós mesmos, certamente tem o conforto de, primeiro ou último. (4.) Não só, mas também a sua casa, sua esposa e filhos, são chamados com ele para a arca. Nota: É bom pertencer à família de um homem piedoso que é seguro e confortável para viver sob tal sombra. Um dos filhos de Noé foi Ham, que provou mais tarde um homem mau, mas ele foi salvo na arca, o que dá a entender, [1] Que as crianças frequentemente maus saem melhor para o bem de seus pais piedosos. [2] Que há uma mistura de ruim com bom nas melhores sociedades na terra, e não devemos achar estranho. Na família de Noé houve uma Ham, e na família de Cristo havia um Judas. Não há pureza perfeita neste lado do céu. (5.) O presente convite para Noé era um tipo de chamada que o evangelho dá aos pobres pecadores. Cristo é uma arca já preparados, de quem só podemos ser seguro quando a morte eo julgamento vir. Agora o fardo da canção é: "Venha, venha" a palavra diz: "Venha" ministros dizem: "Vem" o Espírito diz: "Venha, venha para dentro da arca."

 

  1. A razão para este convite é um testemunho muito honrado com a integridade de Noé: para te tenho visto justo diante de mim nesta geração. Observe:

 

 (1) Aqueles são justos fato de que são justos diante de Deus, que tem não só a forma de piedade pelo qual eles aparecem justos diante dos homens, que podem facilmente ser impostas, mas o poder dele por que eles aprovam-se Deus, que sonda o coração, e não pode ser enganado em personagens masculinas. (2.) Deus toma conhecimento do e está satisfeito com aqueles que são justos diante dele: Te vi. Em um mundo de pessoas ímpias Deus poderia ver um Noe justo que simples grão de trigo não pode ser perdida, não, não em tão grande um monte de palha. O Senhor conhece os que são dele. (3.) Deus, que é uma testemunha, logo vai ser uma testemunha de, a integridade de seu povo, ele vê que ele vai anunciá-lo antes de anjos e homens, à sua honra imortal. Aqueles que alcançarão misericórdia para ser justos obter testemunho de que eles são justos. (4.) Deus é, de um modo especial, satisfeito com aqueles que são bons em maus momentos e lugares. Noah era, portanto, ilustrativamente justo, porque ele era muito naquela geração má e adúltera. (5.) Aqueles que se manter puro em tempos de iniqüidade comum Deus irá manter seguro em tempos de calamidade comum aqueles que não participar com os outros em seus pecados não deve participar com eles em suas pragas aqueles que são melhores do que os outros são, mesmo em esta vida, mais seguro do que os outros, e é melhor com eles.

 

  1. Aqui estão dadas ordens necessárias relativas aos irracionais criaturas que estavam a ser preservado vivo com Noé na arca, Genesis 7: 2,3. Eles não eram capazes de receber o aviso e os próprios sentidos, como o homem era, que aqui se ensina mais do que os animais da terra, e fez mais sábios do que as aves do céu - que ele é dotado com o poder de previsão, portanto, o homem é cobrado com o cuidado deles: estar sob seu domínio, eles devem estar sob sua proteção e, embora ele não poderia garantir a cada indivíduo, mas ele deve cuidadosamente preservar todas as espécies, que nenhuma tribo, não, não menos considerável, pode inteiramente perecer fora da criação. Observe neste, cuidados 1. de Deus pelo homem, por seu conforto e benefício. Nós não encontramos que Noé era solícito de si mesmo sobre este assunto, mas Deus consulta a nossa felicidade mais do que nós mesmos. Embora Deus viu que o velho mundo foi muito irritante, e previu que o novo seria pouco melhor, mas ele iria preservar as criaturas brutas para uso do homem.

 

Porventura tem Deus cuidado dos bois? 1 Coríntios 9: 9. Ou foi não bastante por causa do homem que este cuidado foi tomado? 2. Mesmo os animais imundos, que eram menos valiosa e rentável, foram preservados vivos na arca para misericórdias de Deus estão sobre todas as suas obras, e não sobre aqueles que são única de mais eminência e uso. 3. Ainda mais limpo do que foram preservados do imundo.

 

 (1) Porque a limpeza foram mais para o serviço do homem e, portanto, a favor a ele, mais deles foram preservados e ainda são propagadas. Graças a Deus, não há rebanhos de leões, pois há de bois, nem rebanhos de tigres, pois há de ovelhas.

 (2.) Porque a limpo foram para o sacrifício a Deus e, portanto, em homenagem a ele, mais deles foram preservados, três pares de raça, eo sétimo ímpar para o sacrifício, Gênesis 8:20. Deus nos dá seis para um em coisas terrenas, como na distribuição dos dias da semana, que nas coisas espirituais devemos ser tudo para ele. O que é dedicado a honra de Deus, e utilizado em seu serviço, é particularmente bem-aventurado e aumentado.

 

III. Aqui está notificação feita da abordagem agora iminente de o dilúvio: ainda sete dias, farei chover, Gênesis 7: 4. 1. "Ele será de sete dias, no entanto, antes de eu fazer isso." Depois que os cento e vinte anos tinha expirado, Deus lhes concede um indulto de sete dias a mais, tanto para mostrar como lento ele é a raiva e que o trabalho punir é a sua estranha obra, e também para dar-lhes mais algum espaço para arrependimento; mas tudo em vão estes sete dias foram esbanjada, depois de tudo o resto que continuou seguro e sensual, até o dia em que veio o dilúvio. 2. "Será mas sete dias." Enquanto Noe contou-lhes o juízo a uma distância, eles foram tentados a adiar o seu arrependimento, porque a visão era de um grande tempo para vir, mas agora ele é condenada a dizer-lhes que ele está na porta, que eles têm, mas um semana mais para transformá-los em, mas um sábado mais para melhorar, para ver se isso vai agora, finalmente, despertá-los a considerar as coisas que pertencem a sua paz, que de outra forma em breve será escondido de seus olhos.

 

Mas é comum para aqueles que têm sido descuidado de suas almas durante os anos de sua saúde, depois de terem encarado a morte à distância, para ser tão descuidado durante os dias, os sete dias, de sua doença, quando vê-lo se aproximando, seus corações se endureça pelo engano do pecado.

 

Versículos 5-10

O Dilúvio.

 

5 E fez Noé conforme a tudo o que o Senhor lhe ordenara. 6 E era Noé seiscentos anos de idade, quando o dilúvio veio sobre a terra. 7 Noé entrou, e seus filhos, e sua mulher e as mulheres de seus filhos com ele, para a arca, por causa das águas do dilúvio. 8 Dos animais limpos e dos animais que não são limpos, e de aves, e de todo o réptil sobre a terra, 9 entraram dois a dois para junto de Noé na arca, macho e fêmea, como Deus ordenara Noah. 10 E aconteceu que depois de sete dias, que as águas do dilúvio sobre a terra.

 

Aqui está pronta obediência de Noé para os comandos que Deus lhe deu.

Observe, 1. Ele entrou na arca, mediante aviso de que o dilúvio viria depois de sete dias, embora provavelmente ainda não apareceu nenhum sinal visível da sua abordagem, nenhuma nuvem resultante que ameaçava ele, nada feito para ele, mas tudo continuou sereno e claro para, enquanto se preparava a arca pela fé no aviso dado que o dilúvio viria, então ele foi para ele pela fé neste aviso que viria rapidamente, embora ele não viu que as segundas causas ainda não tinha começado a trabalho. Em cada passo que dava, ele caminhou pela fé, e não por sentido. Durante estes sete dias, é provável, que estava acomodando-se e sua família na arca, e distribuir as criaturas em seus vários apartamentos. Esta foi a conclusão de que o sermão visível que ele estava pregando longa para os seus vizinhos descuidados, e que, se poderia pensar, poderia ter despertado-los, mas, não obtendo o efeito desejado, ele deixou o seu sangue sobre suas próprias cabeças.

 

  1. Ele levou toda a sua família junto com ele, sua esposa, para ser seu companheiro e conforto (embora ele deve parecer que, depois disso, ele não tinha filhos por ela), seus filhos e mulheres de seus filhos, que por eles não só sua família, mas o mundo da humanidade, pode ser construída. Observe, Embora os homens estavam a ser reduzido a um número tão pequeno, e seria muito desejável ter o mundo rapidamente repeopled, mas os filhos de Noé foram cada uma delas para ter uma só mulher, o que reforça o argumento de encontro a ter muitas esposas para partir o início deste novo mundo não foi assim: como, no início, Deus fez, então agora ele manteve viva, mas uma mulher para um homem. Veja Mateus 19: 4,8.

 

  1. As criaturas brutas prontamente entraram com ele. A mesma mão que a princípio os trouxe a Adão para ser nomeado agora trouxe a Noé a ser preservado. O boi já sabia que o seu possuidor, eo jumento a manjedoura do seu protetor, ou melhor, até mesmo as criaturas mais selvagens se reuniram para ele, mas o homem se tornou mais brutal do que os próprios brutos, e não sabia, não considerou, Isaías 1: 3.

 

Versículo 11-12

11in ano seiscentos da vida de Noé, no mês segundo, aos dezessete dias do mês, no mesmo dia foram todos os mananciais da grande profundidade quebrados, e as janelas dos céus se abriram. 12 E foi a chuva sobre a terra quarenta dias e quarenta noites.

 

Aqui está, I. A data deste grande evento este é cuidadosamente registrado, para a maior segurança da história.

 

  1. Foi no ano 600 da vida de Noé, que, por cálculo, parece ser de 1656 anos a partir da criação. Os anos do velho mundo são contados, não pelos reinados dos gigantes, mas as vidas dos santos patriarcas são de mais em conta do que com Deus príncipes. Deve tomar-se o justo em memória eterna. Noah era agora um homem muito velho, mesmo que anos dos homens passou então. Nota:

(1) Quanto mais vivemos neste mundo mais vemos das misérias e calamidades de que, portanto, é falado como o privilégio daqueles que morrem jovens que os seus olhos não ver o mal que está vindo, 2 Reis 22:20.

 (2) Às vezes Deus exerce seus antigos servos com ensaios extraordinários de paciência obediente. O mais velho dos soldados de Cristo não deve prometer-se uma descarga de sua guerra até a morte descarregá-las. Ainda assim, eles devem cingir em seu chicote de fios, e não se vangloriar como se tivessem colocá-lo fora. Como o ano do dilúvio é registrado, por isso,

 

  1. É-nos dito que era no segundo mês, aos dezessete dias do mês, o que é contado para ser sobre o início de novembro para que Noah tinha tido um pouco antes da colheita, a partir do qual a victual sua arca.

 

  1. As causas secundárias que concorreram a este dilúvio. Observe,

 

  1. No dia de auto-mesmo que Noé foi fixado na arca, a inundação começou. Nota:

 

(1) julgamentos desoladores não vêm até que Deus proveu para a segurança de seu próprio povo ver Gênesis 19:22, não posso fazer nada até que sejas lá chegarão e encontramos (Apocalipse 7: 3) que os ventos são realizada até que os servos de Deus sejam selados.

(2) Quando os homens bons são removidos julgamentos não estão muito longe para eles são levados para longe do mal para vir, Isaías 57: 1. Quando eles são chamados para as câmaras, escondidos na sepultura, escondidos no céu, então Deus está saindo do seu lugar para castigar, Isaías 26: 20,21.

 

  1. Veja o que foi feito naquele dia, naquele dia fatal para o mundo dos ímpios.

 (1) As fontes do grande abismo se romperam. Talvez lá não precisava de nova criação das águas que já foram feitas para ser, no curso comum da providência, bênçãos para a terra, estavam agora, por um ato extraordinário do poder divino, fez a ruína dele. Deus colocou-se a fundo em depósitos (Salmo 33: 7), e agora ele se separou essas lojas. Como nossos corpos têm em si mesmos, esses humores que, quando Deus quiser, tornam-se as sementes e nascentes de doenças mortais, assim que a terra tinha nele entranhas dessas águas que, por ordem de Deus, surgiram e inundaram-lo. Deus tinha, na criação, portas e ferrolhos para as águas do mar, para que não precisem voltar a cobrir a terra (Salmo 104: 9; Jó 38: 9-11) e, agora, ele só removeu essas antigas marcas de terra- , montes, e cercas, e as águas do mar voltou a cobrir a terra, como haviam feito no início, Gênesis 1: 9. Note, Todas as criaturas estão prontos para lutar contra o homem pecador, e nenhum deles é capaz de ser o instrumento de sua ruína, se Deus faz, mas tirar os apoios a que se encontram detidos em durante o dia da paciência de Deus.

 

(2) As janelas dos céus se abriram, e as águas que estavam acima do firmamento foram derramadas sobre o mundo esses tesouros que Deus tem reservado para o tempo da angústia, o dia da peleja e da guerra, Jó 38: 22,23 . A chuva, que normalmente desce em gotas, em seguida, desceu em córregos, ou bicos, como eles os chamam nas Índias, onde as nuvens têm sido muitas vezes conhecida a explodir, como eles expressá-lo ali, quando a chuva desce de forma muito mais violenta torrente do que jamais visto na maior chuveiro. Nós lemos (Jó 26: 8) que Deus liga as águas em suas densas nuvens, ea nuvem não se rasga debaixo delas, mas agora o vínculo foi solto, a nuvem se rasgou, e essas chuvas desceu como nunca eram conhecidos antes nem depois , em tal abundância e de tal continuação: a espessa nuvem não era, como normalmente é, cansado com regas (Jó 37:11), isto é, logo passou e exausto, mas ainda as nuvens voltou depois da chuva, e do poder divino trouxe novos recrutas.

 

Choveu, sem intervalo ou abatimento, quarenta dias e quarenta noites (Gênesis 7:12), e que sobre toda a terra de uma só vez, e não, como às vezes, sobre uma cidade e não em cima do outro. Deus fez o mundo em seis dias, mas ele era quarenta dias em destruí-lo porque ele é lento para a ira; mas, embora a destruição veio lenta e gradualmente, mas ele veio efetivamente.

 

  1. Agora, aprender com isso,

(1) Que todas as criaturas estão à disposição de Deus, e que ele faz o que lhe agrada usar delas, seja para disciplina, ou para a sua terra, ou para beneficência, como Eliú fala da chuva Jó 37: 12,13. (2) Que Deus muitas vezes faz com que o que deveria ser para nosso bem-estar a tornar-se uma armadilha, Salmo 69:22. Aquilo que geralmente é um conforto e benefício para nós torna-se, quando Deus quiser, um flagelo e uma praga para nós. Nada é mais necessário nem útil do que a água, tanto as molas da terra e os chuveiros do céu e ainda agora nada era mais doloroso, nada mais destrutivo: toda a criatura é para nós o que Deus faz.

 (3) Que é impossível escapar dos julgamentos justos de Deus quando eles vêm contra os pecadores com comissão para Deus pode armar tanto céu e da terra contra eles ver Jó 20:27. Deus pode cercar os homens com os mensageiros de sua ira, de modo que, se eles olham para cima, é com horror e espanto, se eles olham para a terra, eis que, angústia e escuridão, Isaías 8: 21,22. Quem é capaz de estar diante de Deus, quando ele está com raiva? (4) Neste destruição do velho mundo pela água Deus deu uma amostra da destruição final do mundo que agora é pelo fogo. Nós encontramos o apóstolo que estabelecem a um destes, defronte do outro, 2 Pedro 3: 6,7. Como existem águas debaixo da terra, de modo Æ TNA, o Vesúvio e outros vulcões, proclamar ao mundo que há incêndios subterrâneos também e fogo, muitas vezes cai do céu, muitas desolações são feitas por um raio, de modo que, quando o tempo predeterminado vem, entre estes dois fogos a terra e todas as obras nela serão descobertas, como o dilúvio foi trazido em cima do velho mundo para fora das fontes do grande abismo e através das janelas do céu.

 

Versículos 13-16

 

13in mesmo dia entrou Noé, e Shem, e Presunto, e Jafé, os filhos de Noé, e esposa de Noé, e as três mulheres de seus filhos com eles, para a arca 14They, e todo animal segundo a sua espécie, e todo o gado segundo a sua espécie, e todo o réptil que se arrasta sobre a terra segundo a sua espécie e toda ave segundo a sua espécie, pássaros de toda espécie. 15 E eles foram para Noé na arca, dois a dois de toda a carne em que há espírito de vida. 16 E os que entraram eram macho e fêmea de toda a carne, como Deus lhe tinha ordenado; eo Senhor o fechou dentro.

 

Aqui é repetido o que estava relacionado antes da entrada de Noé na arca, com sua família e criaturas que foram marcados para a preservação. Agora,

 

  1. É, portanto, repetida pela honra de Noé, cuja fé e obediência aqui brilhou tão brilhantemente, pelo qual alcançou um bom relatório, e que aqui apareceu tão grande favorito do Céu e tão grande bênção para esta terra.

 

  1. Aviso se, aqui, das feras que vão em cada segundo a sua espécie, de acordo com a frase usada na história da criação (Gênesis 1: 21-25), para insinuar que, assim como muitos tipos como foram criados em primeiro lugar foram salvos agora, e nada mais, que essa preservação foi como uma nova criação: a vida é extremamente protegido, por assim dizer, uma nova vida.

 

III. Apesar de todas as inimizades e hostilidades entre as criaturas deixou para o presente, e as criaturas vorazes não só eram tão leve e manejável como se o lobo eo cordeiro estabelecer juntos, mas tão estranhamente alteradas em que o leão fez comerá palha como o boi (Isaías 11: 6,7), ainda assim, quando nesta ocasião foi mais, a restrição foi retirada, e eles ainda estavam do mesmo tipo do que nunca para a arca não alterou a sua constituição. Hipócritas na igreja, que se conformam exteriormente às leis de que arca, ainda pode manter-se inalterado, e, em seguida, ele vai aparecer, uma vez ou outra, que tipo eles são depois.

 

 Acrescenta-se (ea circunstância merece nossa atenção), O Senhor o fechou dentro, Gênesis 7:16. Como Noé continuou sua obediência a Deus, assim Deus continuou a sua conta de Noé: e aqui parecia ser um cuidado muito distintivo para o fechamento desta porta configurar uma parede divisória entre ele e todo o mundo além. Deus fechou a porta, 1. Para garantir a ele, e mantê-lo seguro na arca.

A porta deve ser fechada muito próximo, para que as águas devem quebrar e afundar a arca, e muito rápido, sem que nenhum deve dividi-la. Assim, Deus fez-se Noe, como ele faz as suas jóias, Malaquias 3:17. 2. Para excluir todos os outros, e mantê-los para sempre fora. Até agora, a porta da arca estava aberta, e se for o caso, mesmo durante os últimos sete dias, havia se arrependido e acreditado, pelo que sei que poderia ter sido bem acolhida na arca, mas agora a porta estava fechada, e eles foram afastados todas as esperanças de admissão: para Deus fecha, e ninguém pode abrir.

 

 Há muito do nosso dever evangelho eo privilégio de ser visto na preservação de Noé na arca. O apóstolo torna um tipo do nosso batismo, ou seja, nosso cristianismo, 1 Pedro 3: 20,21. Observe então, 1. É o nosso grande dever, em obediência ao chamado do evangelho, por uma fé viva em Cristo, para entrar naquele caminho da salvação que Deus providenciou para os pobres pecadores. Quando Noé entrou na arca, ele deixado sua casa e terras assim devemos parar de nossa própria justiça e nossas posses, sempre que entram em competição com Cristo. Noé deve, por um tempo, submeter-se aos confinamentos e inconvenientes da arca, a fim de sua preservação para um novo mundo para aqueles que entram em Cristo para ser salvo por ele deve negar a si mesmos, tanto em sofrimentos e serviços.

  1. Aqueles que entrar na arca si deve trazer como muitos como eles podem, em com eles, por boas instruções, por convicções, e por um bom exemplo. Que sabes tu, ó homem, mas tu possas assim salvarás tua mulher (1 Coríntios 7:16), como Noé fez o seu? Há espaço suficiente em Cristo para todos os cantos.
  2. Aqueles que vêm pela fé em Cristo, a arca, são pelo poder de Deus se fecharem, e mantidos como em um forte-hold pelo poder de Deus, 1 Pedro 1: 5. Deus colocou Adão no paraíso, mas ele não se fechou dentro, e assim ele se jogou para fora, mas quando ele colocou Noé na arca, ele fechou dentro, e por isso, quando ele traz uma alma a Cristo, ele garante a sua salvação: não é em nossa própria manutenção, mas na mão do Mediador.
  3. A porta da misericórdia em breve será fechado contra aqueles que agora fazer a luz dele. Agora, batei e será aberto, mas virá o tempo quando não devem, Lucas 13:25.

 

Versículos 17-20

 

17 E o dilúvio quarenta dias sobre a terra e as águas aumentou, e levantaram a arca, e ela se elevou por cima da terra. 18 E prevaleceram as águas e cresceram grandemente sobre a terra ea arca andava sobre a face das águas. 19 e as águas prevaleceram excessivamente sobre a terra e todos os altos montes que havia debaixo do céu foram cobertos. 20 Quinze côvados acima prevaleceram as águas e os montes foram cobertos.

 

Estamos aqui disse,

 

  1. Quanto tempo o dilúvio foi aumentando - quarenta dias, Gênesis 7:17. O mundo profano, que acreditava que ele não viria, provavelmente quando ele veio-se lisonjeado com a esperança de que ele iria em breve Abate e nunca chegam ao extremo, mas ainda aumentaram, prevaleceu. Nota:
  2. Quando Deus julga ele vai superar. Se ele começar, ele vai fazer um fim seu caminho é perfeito, tanto em juízo e misericórdia. 2. As abordagens graduais e adiantamentos de julgamentos de Deus, que são projetados para trazer pecadores, ao arrependimento, muitas vezes são abusadas para o endurecimento de-los na sua presunção.

 

  1. Até que ponto eles aumentaram: eles subiu tão alto que não apenas os países planas baixas foram inundadas, mas para se certificar de trabalho, e que ninguém pode escapar, os topos das montanhas mais altas foram transbordou - quinze côvados, isto é, sete jardas e meio para que em vão foi a salvação que se esperam de morros ou montanhas, Jeremias 3:23. Nenhuma das criaturas de Deus são tão altos, mas o seu poder pode overir-los e ele vai fazê-los saber que em que eles lidam com orgulho que ele está acima deles. Talvez os topos das montanhas foram lavados para baixo pela força das águas, o que ajudou muito para a prevalecente das águas acima deles para que se diz (Jó 12:15), Ele envia as águas, e elas não só estouro, mas derrubar, a terra. Assim, o refúgio da mentira foi varrida, e as águas transbordaram o esconderijo dos pecadores (Isaías 28:17), e em vão voar com eles para a segurança, Apocalipse 6:16. Agora as montanhas partiu, e os montes foram removidos, e nada estava um homem no lugar, mas o pacto de paz, Isaías 54:10. Não há lugar na Terra tão alta como para definir os homens fora do alcance dos julgamentos de Deus, Jeremias 49:16; Obadiah 1: 3,4. A mão de Deus vai descobrir todos os seus inimigos Salmo 21: 8. Observe como exatamente eles estão sondado (quinze côvados), e não pelo prumo de Noé, mas com o seu conhecimento que pesa a medida das águas, Jó 28:25.

 

III. O que ficou da arca de Noé quando as águas aumentou assim: Foi levantado acima da terra (Gênesis 7:17), e foi sobre a face das águas, Gênesis 7:18. Quando todos os outros edifícios foram demolidos pelas águas, e enterrado sob eles, a arca sozinho subsistiu. Observe,

  1. As águas que quebrou tudo o mais levantaram a arca. Aquilo que para os incrédulos é um cheiro de morte para a morte é para os fiéis um cheiro de vida para vida.
  2. O mais cresceram as águas quanto maior a arca foi levantado para o céu. Assim aflições santificadas são promoções espirituais e como problemas abundam consolações muito mais abundante.

 

Fonte Comentario bíblico Mathew Henry, do novo testamento

 

 

       SUBSIDIO (2)  GENESIS   7 DILUVIO CPAD

 

         COMENTARIO 1 Pedro 3: 17-22 O DILUVIO

 

 

O apóstolo volta a seu assunto solene. Por que os justos chamado ao sofrimento? A pergunta foi desconcertante estes cristãos asiáticos quando São Pedro escreveu. Épocas anteriores tinha refletido sobre isso, Jó e seus amigos entre o número; e os homens refletir sobre ele ainda. St. Peter sugeriu várias respostas: A fé dos servos de Cristo após julgamento vai ser encontrado na louvável o aparecimento de seu Senhor; de suportar errado com paciência é agradável a Deus; ele é muito feliz, Cristo disse, a sofrer pela causa da justiça. Sua próxima resposta para a pergunta é mais solene do que estes: O sofrimento é enviado para o justo, pela vontade de Deus. Ele nunca vem de outra forma, e destina-se a servir a dois propósitos diversos: pretende-se beneficiar os injustos, e para ser uma bênção e glória para os justos que suportá-lo.

 

Ele mostra que esta é a vontade de Deus por dois exemplos. Cristo, o pecado, sofreu nas mãos de homens pecadores, e por causa deles, bem como para todos os pecadores; eo que nós só podemos abordar o assunto com profunda reverência e usar a linguagem das Escrituras, em vez de nossa própria sobre o efeito de sofrer em Cristo, estamos aí ensinou que Ele foi feito perfeito como o líder da salvação pelas coisas que sofreu : e aqui o Apóstolo descreve a sequência dos sofrimentos pela sessão na mão direita de Deus no céu, onde anjos e autoridades e poderes, fiquem sujeitos a Ele.

 

Mas ordenança de Deus em relação ao sofrimento dos santos tem sido o mesmo desde os tempos antigos. No mundo antigo, Noe tinha achado graça aos olhos de Deus no meio de um mundo sem graça. Ele foi feito um testemunho e um pregador da justiça; eo edifício fiel da arca por ordem de Deus era um testemunho constante para os malfeitores, cuja única resposta foi zombaria e uma continuidade na corrupção de seu caminho. Mas Deus não tinha deixado-los sem testemunho; e, quando o dilúvio veio, finalmente, alguns corações podem ter saído para Deus em arrependimento, embora tarde demais para ser salvo da destruição. Para Noé e os que com ele segurança foi assegurada; e quando a porta da arca foi aberto, eo pequeno Land of the resgatado saiu, foi para ter as boas-vindas da bênção de Deus e de ser apontado para um sinal de Sua aliança eterna. . Peter acrescenta mais uma vez para as consolações de aqueles que suportar a dor e sofrimento injustamente, e, portanto, faz expôs a tendência geral de seu argumento. Mas toda a passagem é tão repleta de votos lições que merece a consideração máximo. "Porque é melhor, se a vontade de Deus assim o quer, para que vos sofrer por fazer o bem do que para maldade." Para fazer o mal sofrimento é certo para vir. Ele não pode ser escapado. Deus tem ligado os dois juntos por uma lei inalterável.

 Tal sofrimento é penal. Mas quando os justos estão aflitos sua sorte não é da lei, mas de nomeação e seleção misericordioso de Deus, e é ordenado com um propósito de abençoar tanto a si mesmos e aos outros. As palavras de São Pedro são muito enfático a respeito ordenança de Deus: "Se a vontade de Deus assim será." Nem sempre é claro para os homens. Portanto . Paulo [Efésios 1: 9] fala do mistério da vontade divina, mas no mesmo lugar [Efésios 1: 5] da boa vontade dos mesmos. Ele é exercido com amor, e não com raiva. Foi a sensação com que Deus olhou para trás sobre o mundo novo criado, e eis que era muito bom.

Com o mesmo sentimento Ele anseia para contemplá-la resgatado e restaurado. Esse é o desejo, como o objetivo, com o qual julgamento autorizações de Deus e angústia a cair sobre os justos. E que os doentes podem ser mantidos em mente de propósito de reparação de Deus aqui, o apóstolo invoca o exemplo do próprio Cristo: "Porque também Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o justo pelos injustos, para levar-nos a Deus."

 

O Cristo sofredor deve dar uma pausa para todos os questionamentos sobre os sofrimentos de Seus servos. Sua sorte pode ser difícil de explicar. Mas tenha suas vidas já tão puro, seus propósitos sempre tão elevado, "em muitas coisas ofender todos", e não precisa se ​​murmurar ser castigado. Mas como pensamos de Jesus sem pecado e Seus sofrimentos inigualáveis, aprendemos a aplicabilidade das lamentações do profeta, "Veja se há dor igual a minha dor." [Lamentações 1:12] A profecia do mundo injusto foi colocada sobre o Filho de Deus justo, e este amor de Deus por causa da para os pecadores.

 

Aqui foi o amor de Deus manifestado em nós. Homens pecadores foram o material escolhido para a exibição do amor divino, e Deus enviou o Seu Filho unigênito ao mundo para que vivamos por Ele. Era da ordenança de Deus e da obediência do Filho que a redenção foi assim adquirido.

 

Para que pudéssemos viver, o Cristo sem pecado devem morrer, e Ele morreu antes que deve ser posto à tristeza pela oposição daqueles que Ele veio para salvar; deve lamentar e ser prejudicado em suas obras de misericórdia pela falta de fé entre os seus parentes, pelos pecados persistentes dessas cidades em que suas obras mais poderosas foram forjadas; devem derramar lágrimas de angústia sobre a cidade de David, que não sabem nada das coisas que pertenciam a ela a paz.

 

Este foi o castigo dos inocentes para ganhar a paz para os culpados, para que Deus possa, assim, elogiar o Seu amor aos homens, e Cristo pode trazê-los de volta ao Pai. E esta trazendo de volta não é a mera ação de um guia. Este é Ele, mas Ele é muito mais: Ele ajuda aqueles que estão chegando a cada passo, e como eles se aproximam eles encontram por meio dele que a casa do Pai e de boas-vindas do Pai estão esperando por seu retorno. Devem homens queixam-se, ou melhor, não devem eles ser perdido em louvor, se Deus em tudo consentimento para usar suas provações para estender seu reino e sua glória, e, assim, torná-los participantes dos sofrimentos de Cristo? Como um monte tinha sido bem-vindo a São Pedro: "Eles partiram da presença do conselho regozijando-se de terem sido julgados dignos de sofrer afronta pelo nome"; [Atos 5:41] e aqui em sua epístola ele publica a alegria de tal vergonha; publica-se que os outros através de todas as idades podem sofrer de bom grado, confiando o seu Deus para usar as dores Ele envia para ampliar a Sua glória.

 

A lição é para todos os homens em todos os momentos. Cristo sofreu pelos pecados uma vez; mas uma vez aqui, significa uma vez por todas, e proclama a cada geração de pecadores que Jesus carregou a cruz por eles.

 

"Ser condenado à morte na carne, mas vivificado no espírito." O sofrimento de Jesus foi, até agora, de que poderia haver nada no copo da miséria humana que Ele não tinha experimentado. Seu espírito foi separado de carne e osso, como quando morremos. O corpo estava no túmulo; o espírito passou para o mundo dos mortos. Mas o triunfo da morte foi curto. Após o enterro de três dias veio o milagre dos milagres.

 

Os mortos Jesus voltou à vida, e que a ressurreição é feito o penhor da vida futura para todos os crentes. Assim começou a recompensa do justo sofredor, e o poder da ressurreição torna o sofrimento suportável para os piedosos, os faz se alegrar para serem conformes à morte de Cristo e esquecido de todas as coisas salvar o prêmio da soberana vocação que está diante deles a ser vencido . Também não era com o espírito de Cristo durante esses três dias, como com as almas dos outros queridos falecidos. Ele, Aquele sem pecado, não tinha para aguardar julgamento; Sua estadia lá foi que habita no paraíso que de antemão conheceu e falou ao ladrão arrependido.

 

"No qual também foi, e pregou aos espíritos em prisão, que outrora eram rebeldes, quando a longanimidade de Deus esperava nos dias de Noé". Neste ponto nos deparamos com uma linha dupla de interpretação, ocasionada pela dificuldade que constantemente surge de decidir se pneuma- "espírito" -é a ser entendida do Espírito Divino ou da parte espiritual da natureza do homem, diferentemente da carne. Aqueles que tomaram as palavras "vivificado no Espírito" do verso anterior na antiga desses sentidos explicar esta passagem da pregação de Cristo ao mundo antediluviano através de Seu servo Noé.

 

O Dilúvio estava para vir e trazer destruição para os corpos de todos, mas Noé e sua família. Mas dentro desses corpos condenados almas foram fechadas, e estes o amor de Cristo não estaria disposta a dar mais. Eles devem ouvir, ainda na sua prisão da carne, a oferta de Sua graça; e deve se arrependam, as ondas que forjado destruição do corpo pode libertá-los da escravidão da corrupção. Este foi o motivo da longanimidade de Deus, que esperou e apelou enquanto a arca era uma preparação. Assim o Espírito Divino de Cristo sair como um arauto da misericórdia para o impenitente, proclamando que por suas almas a Porta do Perdão ainda não foi fechado.

 

Aqueles ao contrário, que se referem "vivificado no espírito" para a alma humana de Cristo, tomar este texto como uma autoridade adicional para a doutrina no Credo dos Apóstolos que a alma humana de nosso Senhor após a crucificação desceu ao inferno. Assim, eles detêm, Seu espírito puro foi além deste mundo para experimentar tudo o que os espíritos humanos podem conhecer antes do julgamento vem. Ele veio para lá, mas como um arauto. A morte ea sepultura não tinha poder para detê-lo. Em misericórdia para com aqueles que tinha falecido antes da Encarnação, Ele trouxe a mensagem da obra mediadora que Ele havia terminado em Sua crucificação.

 

Os pecadores antes do Dilúvio são alvo de menção por  Pedro como pecadores do que todos os homens, de modo afundado na maldade isso, mas oito foram encontrados digno de ser salvo do dilúvio. Assim, a magnitude da misericórdia de Cristo é glorificado. Aquele que vai buscar estes devem tempo para salvar todos os homens. E levar esta mensagem de boas novas é parte da recompensa para as agonias do Getsêmani e do Calvário, uma parte do que tornou uma bênção para sofrer por fazer o bem.

 

Até o século XVI, a última exposição e aplicação das palavras encontradas mais favorável, mas, na época da Reforma, os principais autoridades expôs-los da pregação do Espírito de Cristo, através do ministério do patriarca. Para o principal argumento com o qual São Pedro está a tratar estas aplicações, no entanto interessantes em si mesmas, não são muito importantes. Ele quer definir antes o converte um mandado para o que ele disse sobre a bem-aventurança de sofrimento para a justiça. Se aceitarmos o pedido de Noé, o exemplo é um poderoso. Seus sofrimentos deve ter sido manifold.

 

O longo tempo entre o julgamento ameaçada e sua realização foi preenchido com a oposição dos pecadores e sua zombaria e provocações sobre seu trabalho paciente sobre a arca, para não falar da angústia da alma, quando ele encontrou sua pregação caindo sempre em ouvidos surdos. Mas seu julgamento teve sua recompensa no passado, quando o pequeno grupo foram fechadas em pelo próprio Deus, ea arca aborrecê-los com segurança sobre a subida das águas. E se ele podia sentir que qualquer, embora perecer no corpo, tinha pelo arrependimento sido guardados na alma, isso tornaria claro o fardo ainda maior sofrimento do que havia caído para o patriarca, para conhecer a alegria que vem da conversão de um pecador do erro do seu caminho e é aí que salvar da morte uma alma.

 

E se nos referimos as palavras "vivificado no espírito" para a alma de Cristo, separado do corpo e presente no mundo espiritual, eles são um elo para conectar esta passagem com palavras de sermão do Apóstolo, no dia de Pentecostes. Lá ele faz falar de descida do Senhor no inferno, e ensina como David de idade falou do facto e da Ressurreição ", que não foi deixada no inferno, nem a sua carne viu a corrupção". [Atos 2:31] Nesse sentido, a vivificação no espírito é o início da vitória e do triunfo de Cristo.

 

 Ele é o penhor da vida eterna a todos os crentes. E como bem-vinda uma mensagem para aqueles que, como Abraão, tinha se regozijou na fé para ver o dia de Cristo, para ouvir de seus próprios lábios as novas de a vitória! Do Herald de uma tal mensagem do Evangelho, daquele que por Seu sofrimento entregue aqueles que, com medo da morte, estavam toda a vida sujeitos à escravidão, podemos, com toda a reverência, falar como "tendo sido aperfeiçoado, tornando-se o Autor da salvação eterna a todos os que lhe obedecem ". [Hebreus 5: 9]

 

"Na qual poucas, isto é, oito almas se salvaram." A construção da arca foi o teste de fé de Noé, a própria arca os meios de sua preservação. Em sofrimentos do patriarca St. Peter encontrou um paralelo apto para a vida desses cristãos asiáticos: os mesmos ambientes sem Deus; a mesma oposição e zombaria; a mesma necessidade de fé inabalável. Mas se, com razão, ponderou, lição do Antigo Testamento é rico em ensinamentos. Noah torna-se um pregador da justiça, não apenas para sua própria geração, mas para todos os tempos. Ele sofreu no seu fazer o bem. Picadas de nada mais intensamente do escárnio e desprezo. Estes ele experimentou ao máximo.

 

Ele veio como arauto de Deus para os homens que tinha colocado a Deus por todos os seus pensamentos. Sua mensagem foi cheio de terror: "Eis que eu trago um dilúvio de águas sobre a terra, para destruir toda carne em que há espírito de vida debaixo dos céus; tudo o que está na terra" Gênesis 6:17. Poucos ouvido; menos ainda acreditava. Mas quando o trabalho do mensageiro foi mais; quando a arca foi preparado, e as fontes do grande abismo se romperam, e as janelas dos céus se abriram; quando ele e sua foram fechadas em por Deus, em seguida, apareceu a bem-aventurança.

 

E se por acaso tivesse havido qualquer em quem ele havia visto sinais de arrependimento, como a idéia de que algumas pessoas foram salvas, embora seus corpos foram afogados com o resto, o ampliaria a alegria dos resgatados; ea derrubada dos ímpios ia proclamar o quão pouco felicidade suprema que poderia haver na prática do mal. Todas essas coisas que voltar para casa para o coração dos "estranhos da dispersão."

 

E eles eram poucos em número? Menos ainda eram aqueles que estavam com Noah em corrupção do mundo. Mas Deus estava com ele; ele andava com Deus, e achou graça em seus olhos; e Deus o abençoou quando o Dilúvio tinha ido embora, e pelo sinal da aliança, a fiel testemunha no Céu, [Salmos 89:37] colocou um memorial da felicidade de seu fazer o bem diante dos olhos da humanidade para sempre.

E seria confortar os crentes se mantido em mente o objeto que São Pedro tem tantas vezes posta diante deles, e sobre a qual ele teria eles definiu seu desejo em sua aflição. Havia esperança, garantia ou melhor, que o mundo pagão ao redor deles seria vencida por seu firme fazer o bem para o serviço do Senhor. Cristo não enviou seus seguidores em uma busca desesperada quando Ele disse: "Vá, batizar todas as nações." Não era arca material que eles foram criados para a moda; eles foram exaltado para ser construtores da Igreja de Cristo. E para colocar uma pedra sobre pedra nesse edifício foi uma alegria a pena ganhar por uma vida de sacrifício.

 

"Salvo pela água." Mas Deus designou as mesmas ondas de ser a destruição do desobediente. Sem arca built-fé em que para montar segura, os pecadores morreram nas águas poderosas que a Noé estavam a caminho de libertação. Um pensamento solene isso para aqueles que têm a oferta da figura que o apóstolo se volta ao lado de mencionar! Este uso duplo que Deus faz de suas criaturas-how para alguns eles trazem castigo, para os outros preservação-é o tema de vários capítulos nobres no livro da Sabedoria (11-16), ampliando a lição ensinada pela coluna de nuvem, que era luz para Israel, enquanto era escuridão para os egípcios. "Que também depois de uma verdadeira figura agora salvá-lo, até mesmo o batismo." Sob a nova aliança também água foi escolhido por Cristo para ser o símbolo de Sua graça. Seus servos são batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Esta é a porta designado para a entrada na família.

 

 Mas as águas do Dilúvio teria sobrecarregado Noé, como também os demais, se ele não tivesse sido dentro da arca, a arca não teria sido feito ele tinha faltado na fé. Assim no batismo deve não mais economia de escritório ser atribuída à água. Até mesmo a palavra divina, "a palavra de audiência, não lucrar alguns, porque eles não estavam unidos pela fé com que a ouviram corretamente". [Hebreus 4: 2] Nem o sinal no batismo, embora divinamente instituído, o lucro em si mesma. O cristão, tendo sido purificados pela lavagem da água, pela palavra, é santificado por Cristo por causa de sua fé. A lavagem da regeneração deve ser unido com a renovação do Espírito Santo. Que o Espírito não renovar, mas convence do pecado daqueles que não crêem em Cristo. [João 16: 8] Em sua salvação Noé aceitou e agiu no aviso de Deus sobre as coisas ainda não se viam, e assim por seu batismo tornou-se eficaz. Na fé, também, Israel marcharam através do Mar Vermelho, e viu a derrubada de seus perseguidores pagãos. E o batismo misturada com a fé é a poupar agora. Essas libertações do Antigo Testamento eram apenas valores do verdadeiro, e foram, mas para resgate temporal. Ordenança de Cristo é que a que testemunhou perante a Sua vinda, e é acoplado com a promessa de Sua presença até o fim do mundo.

 

E que pode não haver lugar para dúvida, o apóstolo subjoins uma explicação dupla. Primeiro, ele nos diz que o batismo não é, então o que ele é eo que ele concede. "Não é o despojamento da imundícia da carne." Se isso fosse tudo, seria aproveitar não mais do que as ordenanças cardeais (com carnes e bebidas e várias abluções), que foram impostas de idade, até um tempo de reforma. Através deles, o caminho para o lugar santo não se manifestou, nem poderia ser. Verdadeiro batismo é "o interrogatório de uma boa consciência para com Deus, pela ressurreição de Jesus Cristo." Esta é uma purificação espiritual, feito através do poder da ressurreição de Cristo.

 

E o Apóstolo descreve-o pelo efeito que ela produz no estado e atitude de quem tem experimentado isso religiosa. O pecador que ama seu pecado não se atrevem a questionar sua consciência. Esse testemunho pronunciaria para sua condenação. Então ele acha melhor para acalmar-lo para dormir, ou talvez amortecê-la completamente. Mas, ao que, sendo já ressuscitastes com Cristo na fé, procura aquelas coisas que são de cima, que se esforça para tornar-se espiritualmente mais puro dia a dia, não existe tal pavor. Em vez de constante questionamento e auto-exame se afadiga que sua consciência pode ser sem ofensa para com Deus eo homem. Que o homem não só se atreve, mas sabe que é um dever mais solene, assim, para purgar a sua consciência. Assim, o efeito do batismo é sentida diariamente, ea alma questionou felizmente testemunha a presença ativa do Espírito, para a auto-outorga de que o sacramento era a promessa primal.

 

Outros têm rendido επερωτημα "um apelo", e juntaram-se a ele muito de perto com as palavras "em direção a Deus." Estes têm encontrado na explicação do Apóstolo o reconhecimento de que o poder de aproximamos de Deus que a consciência purificada tanto se sente, e se sente a necessidade de. Há tropeços diários, a falta constante de ajuda; e através da ressurreição de Cristo o caminho está aberto, um caminho novo e vivo, no Santo dos Santos, eo poder é concedido de apelar para Deus, enquanto o sentido da graça baptismal já concedeu dá confiança ea certeza de que nossas petições será concedido.

 

"Quem está na mão direita de Deus, tendo subido ao céu; anjos e autoridades e poderes esteja subordinada a Ele." Agora, o apóstolo se volta para seu tema principal. Os justos que sofre por, e em, sua justiça, não só pode ser uma bênção para os outros, mas pode-se encontrar bênção. Nós ousamos utilizar apenas as palavras que o Espírito tenha fornecido quando falamos de Cristo sendo aperfeiçoada por que Ele suportou. Mas o Apóstolo aos Hebreus tem um ensinamento claro. Ele fala de Cristo como sendo "o resplendor da glória de Deus, ea própria imagem da Sua pessoa". [Hebreus 1: 3] No entanto, ele diz que, "embora sendo Filho, aprendeu a obediência pelas coisas que sofreu, e tornou-se, assim, o autor de eterna salvação para todos os que lhe obedecem". [Hebreus 5: 8] E ele vai mais longe, e ensina que essa submissão de Cristo ao sofrimento estava em harmonia com o caráter divino e de acordo com próprio propósito de Deus: "Tornou-se a Ele por quem são todas as coisas, e por meio de quem são todas as coisas , em trazendo muitos filhos à glória, fazer o autor da salvação deles por meio de sofrimentos ".

[Hebreus 2:10] De toda eternidade Cristo foi perfeito como o Filho de Deus, mas Ele sofreu para que Ele possa ser um mediador perfeito. Por que isso era agradável ao Pai não é o nosso saber, nem podemos, pesquisando achado. Mas, os sofrimentos terminou, Ele está coroado de glória; Ele é exaltado à mão direita do Pai; Ele é feito Senhor de todos. Este Ele ensinou seus discípulos antes que Ele os enviou para batizar: "Toda a autoridade tem sido dado a mim no céu e na terra". [Mateus 28:18] Depois de ter tomado conta da descendência de Abraão e consentido ser feito menor que os anjos, Ele agora foi definido "muito acima de todo principado, e autoridade, e poder, e domínio, e de todo nome que é nomeado , não só neste século, mas também no que está por vir, "[Efésios 1:21] Assim faz St. Paul ensinar até mesmo como São Pedro; e possamos acreditar, embora nós não conseguem entender a forma da mesma, que por meio de Sua humilhação nosso bendito Senhor foi exaltado, não só porque ele recebe para sempre os louvores dos redimidos, mas porque Ele operou através do Seu sofrimento o que era bem -pleasing aos olhos do Pai.

 

Toda a cláusula diante de nós é digno de nota por outra razão. Foi sem dúvida escrito diante de nossos Evangelhos estavam em circulação, quando a vida e obra de Jesus só foram publicados pelo ensino oral dos Apóstolos e dos seus semelhantes; ainda em uma forma resumida, que abrange todo o campo da história do Evangelho. Aqueles a quem esta epístola foi escrita tinha sido ensinado que Jesus era o Cristo, tinha ouvido falar de sua vida justa entre os homens, dos seus sofrimentos, morte e ressurreição, tinha sido ensinado que depois Ele foi levado para o céu. Eles também sabiam que o batismo pelo qual eles haviam sido admitidos à comunhão cristã era a Sua ordenação ea porta designado para a Igreja que ele viveu e morreu para construir entre os homens. Assim, sem os Evangelhos, temos o Evangelho nas Epístolas, e uma testemunha à integridade do que a história da vida de Cristo que veio até nós nas narrativas dos evangelistas. E, quando todas as contribuições do Epístolas Apostólica são colocadas lado a lado, podemos facilmente reunir a partir deles que a história de Jesus que nós temos agora é o que a Igreja possuía desde o início do Evangelho.

 

Comentario bíblico Adam Klarc, novo testamento

          

 

 

 

 

 

         O MUNDO DE LAMEQUE SUBSIDIO(1)

 

                            LIÇÃO jovens 6.

                     LIÇÕES ADULTOS CPAD 

                           GENESIS 6.V.1-13

Versículo 1

  1. E sucedeu que, quando os homens começaram a multiplicar-se. Moisés, tendo enumerado em ordem, dez patriarcas, com os quais a adoração de Deus permaneceu pura, agora diz respeito, que suas famílias também foram corrompidos. Mas esta narração deve ser atribuída a um período anterior de cinco centésimo ano de Noah. Pois, a fim de fazer uma transição para a história do dilúvio, ele prefacia-lo, declarando que todo o mundo tem sido tão corrupto, que quase nada foi deixado para Deus, fora da deserção amplamente difundido. Que esta pode ser a mais evidente, o princípio é o de ser mantido na memória, que o mundo foi, em seguida, como se dividida em duas partes; porque a família de Seth acalentado a adoração pura e legítima do Bem, a partir do qual o resto tinha caído. Agora, apesar de toda a humanidade havia sido formada para a adoração de Deus, e, portanto, religião sincera deveria ter reinado em todos os lugares; No entanto, desde a maior parte em si, tinha prostituído quer a um desprezo todo de Deus, ou a superstições depravados; era apropriado que a pequena porção que Deus tinha adoptado, por privilégio especial, para si mesmo, deve permanecer separado dos outros. Era, portanto, ingratidão na posteridade de Seth, para si se misturam com os filhos de Caim, e com outras raças profanos; porque eles privaram-se voluntariamente da graça inestimável de Deus. Pois era uma profanação intolerável, para perverter e para confundir, a ordem designado por Deus. Parece à primeira vista frívola, que os filhos de Deus deve ser tão severamente condenado, por ter escolhido para si belas esposas dentre as filhas dos homens. Mas temos de saber em primeiro lugar, que não é um crime leve a violar uma distinção estabelecida pelo Senhor; em segundo lugar, que, para os adoradores de Deus para ser separada de nações profanas, foi um compromisso sagrado que deveria reverentemente ter sido observado, a fim de que a Igreja de Deus possa existir sobre a terra; em terceiro lugar, que a doença estava desesperado, vendo que os homens rejeitaram o remédio divinamente prescrito para eles. Em suma, Moisés aponta isso como o distúrbio mais extrema; quando os filhos do piedoso, a quem Deus havia separado para si mesmo a partir de outros, como um tesouro peculiar e escondido, tornou-se degenerado.

 

Essa invenção antiga, a respeito da relação sexual dos anjos com as mulheres, é abundantemente refutada por seu próprio absurdo; e é surpreendente que os homens aprenderam anteriormente devem ter sido fascinado por delírios de forma bruta e prodigiosas. O parecer também da paráfrase Caldeu é frígida; a saber, que os casamentos promíscuas entre os filhos de nobres, e as filhas dos plebeus, é condenado. Moisés, então, não distingue os filhos de Deus, desde as filhas dos homens, porque eram de natureza diferente, ou de origem diferente; mas porque eles eram os filhos de Deus por adoção, a quem ele havia separado para si mesmo; enquanto o restante permaneceu em sua condição original. Se qualquer um objeto, que os que tinham vergonhosamente abandonado a fé ea obediência que Deus exigia, eram indignos de ser contabilizados os filhos de Deus; a resposta é fácil, que a honra não é atribuída a eles, mas a graça de Deus, que até então tinha sido visível em suas famílias. Para quando a Escritura fala dos filhos de Deus, às vezes ele tem que diz respeito à eleição eterna, que se estende apenas aos herdeiros legais; às vezes às vocações externas segundo a qual muitos lobos estão dentro do aprisco; e pensei na verdade, eles são estranhos, mas eles obter o nome dos filhos, até que o Senhor deserdá-los. Sim, até mesmo, dando-lhes um título tão honroso, Moisés repreende sua ingratidão, pois, deixando seu Pai celestial, que se prostituíram como desertores.

 

Verso 2

  1. Que eles eram justas. Moisés não o considerem digno de condenação a este respeito foi teve de beleza, na escolha das esposas; mas que a mera luxúria reinou. Para o casamento é uma coisa muito sagrada para permitir que os homens devem ser induzidos a ele pela concupiscência dos olhos. (259) Por esta união é inseparável compreendendo todas as partes da vida; como vimos antes, que a mulher foi criada para ser um auxiliar do homem. Portanto, nosso apetite torna-se brutal, quando estamos tão arrebatado com os encantos da beleza, que as coisas que são chefe não são levados em conta. Moisés descreve de forma mais clara a impetuosidade violenta de seu desejo, quando ele diz, que eles tomaram esposas de todas as que escolheram; pelo que ele significa, que os filhos de Deus não fez a sua escolha daqueles possuidores de dons necessários, mas vagava sem discriminação, apressando-se para a frente de acordo com seu desejo. Somos ensinados, no entanto, com estas palavras, que temperança é para ser usado em santo matrimônio, e que a sua profanação há crime luz diante de Deus. Pois não é fornicação, que é aqui condenado nos filhos dos santos, mas também a grande indulgência de licença-se na escolha de esposas. E, na verdade, é impossível, mas que, na sucessão de tempo, os filhos de Deus deve degenerar quando eles amarraram-se, assim, no mesmo jugo com os infiéis. E esta foi a política extrema de Balaão; que, quando o poder da maldição lhe foi tirado, ele comandou as mulheres a ser secretamente enviados pelos midianitas, que poderiam seduzir o povo de Deus a deserção ímpia. Assim, como nos filhos dos patriarcas, de quem Moisés trata agora, o esquecimento de que a graça que tinha sido divinamente transmitido a eles era, em si, um grave mal, na medida em que eles formaram uniões ilícitas após a sua própria acolhimento; uma adição ainda pior foi feita, quando, por si só, misturando-se com os ímpios, profanaram o culto a Deus, e se afastaram da fé; uma corrupção que é quase sempre o costume de seguir o antigo.

 

Versículo 3

  1. O meu Espírito não permanecerá para sempre. Embora Moisés havia mostrado antes que o mundo tinha procedido a um tal grau de maldade e impiedade, como não deveria mais tempo a suportar; Ainda, a fim de provar mais certamente, que a vingança pelo qual o mundo inteiro estava afogado, não era menos apenas do que grave, ele se apresenta Deus como o alto-falante. Porque há um maior peso na declaração quando pronunciada pela boca do próprio Deus, que a maldade dos homens era muito deplorável de deixar qualquer esperança aparente de remédio, e que, portanto, não havia nenhuma razão para que ele deve poupá-los. Além disso, uma vez que este seria um exemplo terrível da ira divina, na audiência nua do que estamos agora mesmo com medo, era necessário ser declarado, que Deus não tinha sido impelido pelo calor de sua raiva em precipitação, nem tinha sido mais grave do que era certo; mas quase foi obrigado, por necessidade, destruir totalmente o mundo inteiro, com exceção de uma única família. Para os homens geralmente não se abster de acusando Deus de pressa excessiva; ou melhor, eles vão mesmo considerem cruel para ele, tomando vingança dos pecados dos homens. Portanto, que nenhum homem pode murmurar, Moisés aqui, na pessoa de Deus, pronuncia a depravação do mundo ter sido intolerável, e obstinadamente incurável por qualquer remédio. Esta passagem, no entanto, é variadamente exposta. Em primeiro lugar, alguns dos hebreus derivar a palavra que Moisés usa partir da raiz (260) נדן (Nadan) que significa uma bainha. E, portanto, eles provocam o significado que Deus não estava disposto para o seu Espírito para ser por mais tempo mantido em cativeiro em um corpo humano, como se fechado como uma espada na bainha. Mas porque a exposição é distorcida, e sabores do delírio dos maniqueístas, como se a alma do homem eram uma parte do Espírito Divino, é por nós para ser rejeitado. Mesmo entre os judeus, é uma opinião mais comumente recebidas, que a palavra em questão é a partir da raiz דון (Doon.) Mas, uma vez que muitas vezes significa para julgar, e às vezes para litigar, portanto, também surgem interpretações diferentes. Por alguma explicar a passagem para dizer, que Deus já não se dignou a governar os homens pelo seu Espírito; porque o Espírito de Deus age a parte de um juiz dentro de nós, quando ele assim ilumina-nos com razão que buscamos o que é certo. Luther, segundo o seu costume, o termo se aplica à jurisdição externa que exercícios Deus pelo ministério dos profetas, como se algum um dos patriarcas tinha dito em uma montagem, 'Devemos cessar de chorar em voz alta; porque é uma coisa imprópria que o Espírito de Deus, que fala através de nós, deve cansar-se por mais tempo em reprovando o mundo. ' Este é de fato engenhosamente falado; mas porque não devemos buscar o sentido da Escritura em conjecturas incertas, eu interpreto as palavras simplesmente para dizer, que o Senhor, como se cansado com a perversidade obstinada do mundo, denuncia que a vingança como presente, que ele tinha até então adiada. Para contanto que o Senhor suspende a punição, ele, em certo sentido, esforça-se com os homens, especialmente se quer por ameaças ou por exemplos de castigo gentil, ele convida-los ao arrependimento. Desta forma, ele já tinha se esforçado, alguns séculos, com o mundo, o que, no entanto, estava perpetuamente se tornando pior. E agora, como se exausto, ele declara que ele não tem mente de lutar por mais tempo. (261) Porque, quando Deus, convidando os incrédulos ao arrependimento, há muito tempo se esforçado com eles; o dilúvio pôr fim à controvérsia. No entanto, eu não rejeito inteiramente a opinião de Lutero de que Deus, depois de ter visto a maldade deplorável de homens, não permitiria que seus profetas para gastar o seu trabalho em vão. Mas a declaração geral não deve ser restrito a esse caso específico. Quando o Senhor diz: 'Eu não vou lutar para sempre ", ele levanta a sua censura sobre uma obstinação excessiva e incurável; e, ao mesmo tempo, dá prova da longanimidade divina: como se quisesse dizer: Nunca haverá um fim de alegações a menos que algum ato sem precedentes de cortes de vingança fora a ocasião dele. Os intérpretes gregos, enganados pela similitude de uma letra para outra ter indevidamente ler, "não deve permanecer:« (262) que tem sido comumente explicou, como se os homens foram, então, privado de um som e julgamento correto; mas isso não tem nada a ver com o presente passagem.

 

Para que ele também é carne. A razão é adicionado porque não há nenhuma vantagem de se esperar de uma maior contenção. O Senhor aqui parece colocar seu Espírito em oposição à natureza carnal do homem. Em qual método, Paulo declara que o

 

'homem natural não aceita as coisas que pertencem ao Espírito, e que eles lhe são loucura,

"(1 Coríntios 02:14).

 

O significado da passagem, portanto, é, que é em vão que o Espírito de Deus para disputar com a carne, que é incapaz de razão. Deus dá o nome de carne como uma marca de ignomínia para os homens, a quem ele, no entanto, tinha formado à sua imagem. E este é um modo de falar familiarizado com as Escrituras. Eles que restringir esta denominação para a parte inferior da alma estão muito enganados. Pois desde a alma do homem está viciada em todas as partes, ea razão do homem não é menos cego do que seus afetos são perversos, o todo é propriamente chamado carnal. Portanto, deixe-nos saber, que todo o homem é naturalmente carne, até que pela graça de regeneração ele começa a ser espiritual. Agora, como considera as palavras de Moisés, não há dúvida de que eles contêm uma denúncia grave juntamente com uma reprovação por parte de Deus. O homem deveria ter se destacou todas as outras criaturas, por conta da mente com o qual ele foi dotado; mas agora, alienados da reta razão, ele é quase como o gado do campo. Portanto, Deus investe contra o degenerada e natureza corrupta dos homens; porque, por sua própria culpa, mas caíram para esse grau de fatuidade, que agora se aproximam mais de perto para os animais do que aos verdadeiros homens, como elas deveriam ser, em consequência da sua criação. Ele sugere, no entanto, que este seja um erro acidental, que o homem tem um gosto apenas para a terra, e que, à luz da inteligência sendo extinto, ele segue seus próprios desejos. Pergunto-me que a ênfase contida na partícula בשגם (beshagam,) tem sido negligenciado por comentadores; para as palavras significam, "por esse motivo, porque ele também é carne. ' Em que língua Deus se queixa de que a ordem por ele indicado foi tão grandemente perturbados, que sua imagem foi transformada em carne.

 

No entanto, os seus dias serão cento e vinte anos. Certos escritores da Antiguidade, como Lactantius, e outros, têm também errou grosseiramente em pensar que o termo da vida humana foi limitada dentro deste espaço de tempo; Considerando que, é evidente, que a linguagem usada neste lugar não se refere à vida privada de qualquer um, mas a um tempo de arrependimento para ser concedida para todo o mundo. Além disso, aqui também a benignidade admirável de Deus é evidente, na medida em que ele, apesar de cansado com a maldade dos homens, mas adia a execução de extrema vingança por mais de um século. Mas aqui surge uma aparente discrepância. Para Noah partiu desta vida quando ele tinha completado novecentos e cinqüenta anos. Ele, porém, é dito que ele viveu desde a época do dilúvio, trezentos e cinqüenta anos. Portanto, no dia em que entrou na arca era seiscentos anos de idade. Onde então os vinte anos pode ser encontrada? Os judeus responder, que esses anos foram cortadas em consequência do aumento da maldade dos homens. Mas não há necessidade de que subterfúgio; quando a Escritura fala de cinco centésimo ano de sua idade, ele não afirma, que ele tinha realmente chegado a esse ponto. E este modo de falar, o que leva em conta o início de um período, bem como a sua extremidade, é muito comum. Portanto, na medida em que a maior parte do quinto século de sua vida foi passada, de modo que ficou quase quinhentos anos de idade, ele se diz ter sido de que a idade. (263)

 

Versículo 4

  1. Havia gigantes na terra. Entre os inúmeros tipos de corrupções com o qual a terra estava cheia, Moisés especialmente registros um neste lugar; ou seja, que os gigantes praticada grande violência e tirania. Eu não, no entanto, supor, que ele fala de todos os homens desta idade; mas de certos indivíduos, que, sendo mais forte do que o resto, e contando com sua própria força e poder, exaltado-se ilegalmente, e sem medida. Quanto ao substantivo Hebrew, נפלים (Nefilim,) a sua origem é conhecido por ser a partir do verbo נפל (NapHal,) que está a cair; mas gramáticos não concordar a respeito de sua etimologia. Alguns pensam que eles eram assim chamados porque eles excederam a estatura comum; (264) outros, porque o semblante dos homens caiu ao vê-los, tendo em conta o enorme tamanho do seu corpo; ou, porque todos caíram prostrados através do terror de sua magnitude. Para mim, parece mais verdade na opinião daqueles que dizem, que a similitude é tirado de um torrent, ou uma tempestade impetuosa; para como uma tempestade e torrent, violentamente caindo, devasta e destrói os campos, de modo que esses ladrões trouxe destruição e desolação ao mundo. (265) Moisés não realmente dizer que eles eram de estatura extraordinária, mas apenas que eles foram robustos . Em outros lugares, eu reconheço, a mesma palavra denota vastidão de estatura, que foi formidável para aqueles que exploraram a terra de Canaã, (Josué 13:33). Mas Moisés não distinguir aqueles de quem ele fala neste lugar, de outros homens, tanto pelo tamanho de seus corpos, como por seus roubos e sua ânsia de domínio. No contexto, a partícula וגם (vegam,) que é interposta, é enfático. Jerome, após os quais alguns outros intérpretes têm errou, tornou esta passagem da pior maneira possível. (266) Pois é, literalmente, interpretado assim: "E mesmo depois que os filhos de Deus tinha ido para as filhas dos homens"; como se ele tivesse dito, além disso, ou, 'E neste momento. " Para, em primeiro lugar, Moisés relata que havia gigantes; em seguida, ele acrescenta: que houve também outros de entre os que prole promíscuo, que foi produzido quando os filhos de Deus se misturaram com as filhas dos homens. Não teria sido maravilhoso se tal ultraje havia prevalecido entre a posteridade de Caim; mas a poluição universal é mais claramente evidente a partir desta, que a raça santa foi contaminado pela mesma corrupção. Que um contágio tão grande deve ter se espalhado através das poucas famílias que deveria ter constituído o santuário de Deus, não é um ligeiro agravamento do mal. Os gigantes, então, teve uma origem anterior; mas depois aqueles que nasceram de casamentos promíscuas imitou seu exemplo.

 

O mesmo se tornou valentes que houve na antiguidade (267) A palavra "idade" é comumente entendida como antiguidade: como se Moisés tinha dito, que os que primeiro exercido tirania ou poder no mundo, juntamente com uma licenciosidade excessiva e uma desenfreada ânsia de domínio, tinha começado a partir desta corrida. No entanto, há aqueles que expõem a expressão "a partir da idade", para significar, na presença do mundo: para a palavra hebraica עולם (Olam), tem também este significado. (268) Alguns pensam que isto foi dito proverbialmente; porque a idade imediatamente posterior ao dilúvio tinha produzido nenhum como eles. A primeira exposição é a mais simples; a soma de o conjunto, no entanto, é, que eles eram tiranos feroz, que se separaram da classificação comum. A primeira falha foi o orgulho; porque, confiando em sua própria força, eles arrogou para si mais do que era devido. Orgulho produzido desprezo de Deus, porque, sendo inflado pela arrogância, eles começaram a sacudir todo o jugo. Ao mesmo tempo, eles também foram desdenhoso e cruel para com os homens; porque não é possível que eles, que não suportaria para render obediência a Deus, deveria ter agido com moderação para com os homens. Moisés acrescenta que eles eram "homens de renome;" pelo qual ele sugere que eles se gabava de sua maldade, e eram o que são chamados, ladrões honrados. Também não é de se duvidar, que eles tinham algo mais excelente do que as pessoas comuns, que adquirem para eles favorecem e glória no mundo. No entanto, sob o título magnífico de heróis, eles cruelmente exercido domínio, e adquiriu poder e fama para si, por uma lesão e oprimindo seus irmãos. E esta foi a primeira nobreza do mundo. Para que ninguém o comprazer-se em demasia em uma linha de longo e sombrio de ascendência; esta, repito, foi a nobreza, que se ergueu no alto, derramando desprezo e desgraça dos outros. Celebridade do nome em si não é condenado; uma vez que é necessário que os que o Senhor tem adornado com presentes peculiares deve ser preeminente entre outros; e é vantajoso que haja distinção de fileiras do mundo. Mas, como ambição é sempre cruel e mais especialmente quando se juntou com uma ferocidade tirânico, o que faz com que o mais poderoso para insultar os fracos, o mal se torna intolerável. É, no entanto, muito pior, quando homens cruéis ganhar honra por seus crimes; e quando, o mais audacioso alguém está em fazer lesão, o mais insolente ele se gaba da fumaça vazio de títulos. Além disso, como Satanás é um inventor engenhoso de falsidades, pelo qual ele iria corromper a verdade de Deus, e desta forma torná-lo suspeito, os poetas inventaram muitas fábulas sobre os gigantes; que são chamados por eles os filhos da terra, por esta razão, como ele aparece para mim, porque eles correram para adquirir domínios sem qualquer exemplo de seus antepassados.

 

Versículo 5

  1. E Deus viu que a maldade do homem era grande. Moisés processa o assunto a que ele tinha acabado de aludiu, que Deus não era nem muito dura, nem precipitar no exigente castigo dos homens maus do mundo. E ele apresenta Deus como falando à maneira dos homens, por uma figura que atribui afetos humanos a Deus; (269) porque ele não poderiam expressar o que foi muito importante a ser conhecido; ou seja, que Deus não foi induzida às pressas, ou para uma ligeira causa, para destruir o mundo. Para pela palavra viu, ele indica com paciência contínua; como se quisesse dizer que Deus não havia proclamado sua sentença para destruir os homens, até bem depois de ter observado, e considerado por muito tempo, o seu caso, ele viu que eles sejam recuperação passado. Além disso, o que se segue não tem um pouco de ênfase, que "sua maldade era grande na terra. ' Ele poderia ter perdoado os pecados de um caráter menos agravada: se em uma parte só da impiedade mundo tinha reinado, outras regiões poderia ter permanecido livre de punição. Mas agora, quando a iniquidade atingiu o seu ponto mais alto, e assim permeado toda a terra, que a integridade já não possui um único canto; segue-se que o tempo para a punição é mais do que totalmente chegou. A maldade prodigiosa, em seguida, em toda parte, reinou, de modo que toda a terra estava coberta com ele. Daí percebemos que não estava sobrecarregado com um dilúvio de águas, até que primeiro tinha sido imerso na poluição de maldade.

 

Toda a imaginação dos pensamentos de seu coração. Moisés traçou a causa do dilúvio a atos externos da iniqüidade, ele agora sobe mais alto, e declara que os homens não foram apenas perversa por hábito, e pelo costume de viver mal; mas que a maldade foi muito profundamente assentada em seus corações, de deixar qualquer esperança de arrependimento. Ele certamente não poderia ter mais força afirmou que a depravação era como nenhum remédio pode curar moderada. Com efeito, pode acontecer que os homens, às vezes, mergulham no pecado, enquanto ainda algo de uma mente sã permanecerá; Moisés, porém, nos ensina, que a mente das pessoas, a respeito de quem ele fala, foi tão completamente imbuído de iniqüidade, que o todo apresentou nada, mas o que era para ser condenado. Para a linguagem que ele emprega é muito enfático: parecia o suficiente para ter dito, que seu coração era corrupto: mas não contente com esta palavra, ele afirma expressamente, "toda a imaginação dos pensamentos do coração", e acrescenta a palavra "somente ", como se ele iria negar que houve uma queda de bom misturado com ele.

 

Continuamente. Alguns expor esta partícula para dizer, com início a partir de infância; como se diria, a depravação dos homens é muito grande a partir do momento de seu nascimento. Mas a interpretação mais correta é, que o mundo tinha então tornam-se tão endurecido na sua impiedade, e estava tão longe de qualquer alteração, ou a partir de entreter qualquer sentimento de penitência, que ficava cada vez pior como o tempo avançou; e, ainda, que não era a insensatez de alguns dias, mas a depravação inveterado que as crianças, tendo recebido, como por direito hereditário, transmitido de pais para seus descendentes. No entanto, apesar de Moisés aqui fala da maldade que na época prevaleceu no mundo, a doutrina geral (270) é adequada e coerente, portanto, provocou. Nem eles precipitadamente distorcer a passagem que estendê-lo a toda a raça humana. Então, quando David diz:

 

"Que todos se revoltaram, que estão a tornar-se inútil, isto é, quem faça o bem, nem um sequer; a sua garganta é um sepulcro aberto; não há temor de Deus diante de seus olhos "(Salmos 05:10)

 

ele lamenta, verdadeiramente, a impiedade de sua própria idade; Ainda Paul (Romanos 3:12) não tem escrúpulos para estendê-lo a todos os homens de todas as idades, e com a justiça; pois não é uma mera denúncia relativa a alguns homens, mas uma descrição da mente humana quando deixado a si mesmo, destituído do Espírito de Deus. Por isso é muito apropriado que a obstinação dos homens, que tinham abusado muito a bondade de Deus deve ser condenado nestas palavras; mas, ao mesmo tempo, a verdadeira natureza do homem, quando privado da graça do Espírito, é claramente expostos.

 

Versículo 6

  1. Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem na terra O arrependimento que aqui é atribuída a Deus não propriamente pertence a ele, mas tem referência para a nossa compreensão dele. Por uma vez que não podemos compreender como ele é, é necessário que, por nossa causa que ele deveria, em certo sentido, se transformar. Que o arrependimento não pode ter lugar em Deus, facilmente aparece desta simples considerações que nada acontece, que é por ele inesperado ou imprevisto. O mesmo raciocínio e observação, aplica-se ao que se segue, que Deus foi afetada pela dor. Certamente Deus não está triste ou triste; mas permanece para sempre como a si mesmo em seu repouso celestial e feliz: ainda, porque não poderiam ser conhecido como grande é o ódio de Deus e ódio ao pecado, portanto, o Espírito se acomoda à nossa capacidade. Portanto, não há nenhuma necessidade para nós de nos envolver em questões espinhosas e difíceis, quando é óbvio para que fim essas palavras de arrependimento e tristeza são aplicadas; ou seja, para nos ensinar, que a partir do momento em que o homem foi tão grandemente danificada, Deus não iria contar-lo entre suas criaturas; como se quisesse dizer: "Esta não é minha obra; este não é o homem que foi formado na minha imagem, e quem eu tinha decorado com tais presentes excelentes:. Eu não dignou agora de reconhecer essa degenerada e contamine a criatura como o meu ' Semelhante a isto é o que ele diz, em segundo lugar, no que respeita tristeza; que Deus estava tão ofendido pela maldade atroz dos homens, como se tivessem ferido seu coração com a dor mortais: Há aqui, portanto, uma antítese não expressa entre que a natureza vertical que tinha sido criada por Deus, e que a corrupção que surgiram do pecado . Enquanto isso, a menos que nós desejamos provocam a Deus, e para colocá-lo à tristeza, vamos aprender a abominar e fugir do pecado. Além disso, essa bondade paterna e ternura deveria, em nenhum grau leve, para subjugar em nós o amor ao pecado; uma vez que Deus, a fim de mais eficazmente para furar nossos corações, roupas-se com nossos afetos. Esse número, que representa a Deus como a transferência para si mesmo o que é peculiar à natureza humana, é chamado ἀνθρωποπάθεια

 

O versículo 7

  1. E disse o Senhor: Destruirei o homem que criei de sobre a face da terra, tanto homens como animais, etc. Ele novamente introduz Deus como deliberação, a fim de que possamos conhecer melhor o que o mundo não foi destruída sem conselho madura por parte de Deus. Para o Espírito do Senhor projetou que devemos ser diligentemente advertiu sobre este ponto, a fim de que ele poderia cortar ocasião para essas queixas ímpias, em que devemos ser de outra forma demasiado pronto para irromper. A palavra disse aqui significa decretada; porque Deus pronuncia sem voz, sem ter determinado interiormente o que ele faria. Além disso, ele não tinha necessidade de novo conselho, de acordo com o tipo de homens, como se estivesse formando um juízo sobre algo recentemente descoberto. Mas tudo isso é dito em consideração de nossa enfermidade; que possamos pensar inteligentemente do dilúvio, mas deve ocorrer imediatamente para nós que a vingança de Deus foi justo. Além disso, Deus, não contente com a punição do homem, prossegue até mesmo para animais e gado, e aves e todos os tipos de criaturas vivas. Em que ele parece exceder os limites da moderação, porque embora a impiedade dos homens é odioso para ele, mas para que finalidade é que para estar zangado com animais não ofende? Mas não é maravilhoso que os animais, que foram criados por causa do homem, e viveu para seu uso, deve participar de sua ruína: nem burros, nem bois, nem quaisquer outros animais, tinha feito o mal; ainda estavam submissas ao homem quando ele caiu, eles foram desenhados com ele na mesma destruição. A terra era como uma casa rica, bem equipadas com todo o tipo de disposição em abundância e variedade. Agora, desde que o homem tenha contaminado a própria terra com seus crimes, e tem vilmente corrompido todas as riquezas com que foi reabastecido, o Senhor também projetou que o monumento de sua punição deve lá ser colocado: assim como se um juiz, a punir um criminoso mais perverso e execrável, deve, por uma questão de maior infâmia, ordena a sua casa a ser demolida para a fundação. E tudo isso tende a nos inspirar com um temor do pecado; pois podemos facilmente inferir quão grande é a sua atrocidade, quando o castigo de que seja prorrogado até mesmo para a criação bruta.

 

Versículo 8

  1. Mas Noé achou graça aos olhos do Senhor. Esta é uma frase em hebraico, o que significa que Deus era propício para ele, e ele favoreceu. Porque assim os hebreus estão acostumados a falar: - "Se tenho achado graça aos teus olhos," em vez de: "Se eu sou aceitável para ti ', ou,' Se tu me conceda a benevolência ou favor. ' Que frase exige para ser notado, porque certos homens iletrados inferir com sutileza fútil, que se os homens achar graça aos olhos de Deus, é porque eles procuram por sua própria indústria e méritos. Reconheço, na verdade, que aqui Noah é declarado ter sido aceitável a Deus, porque, por viver retamente e homilia, ele manteve-se puro das contaminações comuns do mundo; onde, no entanto, que ele atingir essa integridade, mas da graça prevenção de Deus? O início, portanto, desta favor era misericórdia gratuita. Em seguida, o Senhor, tendo uma vez abraçou-o, manteve-o sob sua própria mão, para que não se perca com o resto do mundo.

 

O versículo 9

  1. Estas são as gerações de Noé. A palavra hebraica תולדות (toledoth) significa corretamente geração. Tem, no entanto, às vezes um sentido mais alargado, e aplica-se a toda a história da vida; este fato parece ser o seu significado no presente lugar. (271) Para quando Moisés tinha afirmado que um homem foi encontrado quem Deus, - quando ele tinha determinado a destruir o mundo inteiro, - que ainda conserva, ele descreve brevemente o tipo de pessoa que ele era. E, em primeiro lugar, afirma, que ele era justo e reto entre os homens de sua idade: para aqui é um substantivo diferente hebraico, דור (dor), o que significa uma idade ou o tempo de uma vida. (272) A palavra תמים (tamim) que a antiga intérprete está acostumado a traduzir perfeito, (273) é da mesma força que na posição vertical ou sincero; e se opõe ao que é enganoso, fingiu, e vão. E Moisés precipitadamente não conectar essas duas coisas juntas; para o mundo, sendo sempre influenciado pelo esplendor externo, estima justiça, e não pelo afeto do coração, mas por obras nuas. Se, no entanto, desejamos ser aprovado por Deus, e considerados justos diante dele, devemos não só regular nossas mãos e olhos e pés, em obediência à sua Lei; mas a integridade de coração está acima de todas as coisas necessárias, e mantém o lugar principal na verdadeira definição da justiça. Vamos, porém, sabemos que eles são chamados de justo e correto, não que estão em todos os aspectos, perfeito, e em quem não há defeito; mas que cultivam a justiça puramente, e do seu coração. Porque estamos certos de que Deus não age em direção a seu próprio povo com o rigor da justiça, como exigindo deles uma vida de acordo com a regra perfeita da Lei; para, se apenas sem hipocrisia reina dentro deles, mas o puro amor de retidão floresce e enche seu coração, ele pronuncia-los, de acordo com a sua clemência, para ser justo.

 

A cláusula ", em suas gerações", é enfático. Para ele já disse várias vezes, e em breve repeti-lo, que nada era mais corrupto do que a idade. Portanto, foi um exemplo notável de Constância, que Noah sendo cercado por todos os lados com a sujeira da iniqüidade, deve, portanto, ter contraído nenhum contágio. Sabemos quão grande é a força do costume, de modo que nada é mais difícil do que viver homilia entre os ímpios, e para evitar ser levado por seus maus exemplos. Dificilmente há um em cem que não tem em sua boca que provérbio diabólica, "Temos de uivar quando estamos entre os lobos; ' ea maior parte, - a elaboração de uma regra para si a partir da prática comum, - julgar tudo para ser lícito que geralmente é recebido. Como, no entanto, a virtude singular de Noah é aqui elogiado; então deixe-nos lembrar que somos instruídos que devemos fazer, que o mundo inteiro estava correndo para sua própria destruição. Se, no momento presente, a moral dos homens são tão viciada, e todo o modo de vida tão confusa, que a probidade tornou-se mais rara; ainda mais vil e terrível foi a confusão na época de Noé, quando ele não tinha sequer um associado em adoração a Deus, e na busca da santidade. Se ele podia suportar-se contra as corrupções do mundo inteiro, e contra essas agressões constantes e veementes de iniqüidade; nenhuma desculpa é deixado para nós, a menos que, com igual firmeza de espírito, nós perseguir um curso de direito através de inúmeros obstáculos de vício. Não é improvável que Moisés usa a palavra gerações no plural, o mais plenamente a declarar que um combatente extenuante e invencível Noah era, que, através de tantos séculos, tinha permanecido inalterado. Além disso, a maneira de cultivar a justiça, que ele havia adotado é explicado no contexto; ou seja, que ele tinha "andava com Deus", que excelência ele também havia elogiado no santo pai Enoque, no capítulo anterior, onde já dissemos o que a expressão significa. Quando a corrupção dos costumes era tão grande na terra, se Noah tinha tido relação ao homem, ele teria sido lançado em um profundo labirinto. Ele vê, portanto, que este seja o seu único remédio; ou seja, a ignorar os homens, que ele pode corrigir todos os seus pensamentos sobre Deus, e fazê-lo o único árbitro de sua vida. De onde parece, como tolamente os papistas clamam que devemos seguir os pais; quando o Espírito nos recorda expressamente da imitação dos homens, exceto medida em que nos levam a Deus. Moisés novamente menciona seus três filhos, com o propósito de mostrar que, na maior tristeza pelo qual ele quase foi consumido, mas ele foi capaz de ter filhos, a fim de que Deus possa ter um pequeno remanescente da semente por si mesmo.

 

Verso 11

  1. A terra também era corrupto diante de Deus. No primeiro cláusula deste versículo Moisés descreve que o desprezo impiedoso de Deus, que havia não deixou nenhuma religião no mundo; mas a luz da equidade ser extinto, todos os homens tinham mergulhado no pecado. Na segunda cláusula declara ele, que o amor de opressão, que fraudes, lesões, rapines, e todos os tipos de injustiça, prevaleceu. E estes são os frutos da impiedade, que os homens, quando eles se rebelaram contra Deus, - esquecidos de equidade mútua entre si, - são transferidas para ferocidade insano, para rapines, e opressões de todos os tipos. Deus declara novamente que ele tinha visto isso; a fim de que ele pode elogiar sua longanimidade para nós. A terra está aqui para colocar seus habitantes; ea explicação segue imediatamente, "que toda a carne havia corrompido o seu caminho." No entanto, a palavra carne não é aqui entendida como antes, no mau sentido; mas é para os homens, sem qualquer marca de censura: como em outros lugares da Escritura,

 

'Toda a carne verá a glória do Senhor, "(Isaías 40: 5).

 

'Deixe toda a carne ficar em silêncio diante do Senhor, "(Zacarias 02:13).

 

O versículo 13

  1. E disse Deus a Noé. Aqui Moisés começa a se relacionar como Noah seria preservado. E em primeiro lugar, diz ele, que o conselho de Deus respeitando a destruição do mundo foi revelado a ele. Em segundo lugar, que o comando para construir a arca foi dada. Em terceiro lugar, que a segurança foi-lhe prometido, se, em obediência a Deus, ele iria se refugiar na arca. Esses pontos principais estão a ser claramente notado; mesmo quando o apóstolo, quando ele proclama a fé de Noé, junta-se o medo e obediência com confiança, (Hebreus 11: 7). E é certo que Noah foi advertido da vingança terrível que estava se aproximando; não só a fim de que ele possa ser confirmada no seu santo propósito, mas que, sendo limitadas pelo medo, ele poderia o mais ardentemente buscar o favor que lhe é oferecido. Sabemos que a impunidade dos ímpios é às vezes a ocasião de sedutor até mesmo o bom para o pecado: a denúncia, portanto, de punição futura deveria ser eficaz em controlar a mente de um homem santo; para que, pela declinação gradual, ele deveria pelo comprimento relaxar ao mesmo lascívia. No entanto, Deus tinha de especial referência a outro ponto; a saber, que, mantendo continuamente em vista a terrível destruição do mundo, Noah pode ser mais e mais animado ao medo e solicitude. Para isso era necessário, que em total desespero da ajuda de qualquer outra iniciativa, ele deve procurar a sua segurança, pela fé, na arca. Por muito tempo como a vida foi prometida a ele na terra, nunca ele ter sido tão concentrado como deveria, na construção da arca; mas, sendo alarmado com o julgamento de Deus, ele fervorosamente abraça a promessa de vida dado a ele. Ele já não depende de causas naturais ou de meios de vida; mas cabe exclusivamente sobre o pacto de Deus, pelo qual ele estava a ser milagrosamente preservada. Nenhum trabalho é agora problemático ou difícil para ele; nem ele é discriminado por fadiga longo. Para o estímulo da ira de Deus penetra-o demasiado bruscamente para permitir que ele para dormir em delícias carnais, ou desmaiar sob tentações, ou seja retardado em seu curso pela vã esperança: ele prefere agita-se, tanto a fugir do pecado, e para buscar um remédio. E o Apóstolo ensina, que não era a menor parte de sua fé, que através do medo das coisas que não eram vistos ele preparou uma arca. Quando a fé é tratada de forma simples, a misericórdia ea promessa gratuita entrar na conta; mas quando queremos expressar todas as suas partes, e para apurar toda a sua força e natureza, é necessário que o medo também deve ser unido com ele. E, realmente ninguém nunca vai seriamente recorrer à misericórdia de Deus, mas aquele que, depois de ter sido tocado com a ameaça de Deus, deve temer que o julgamento da morte eterna, que denunciam, abominarás-se em conta de seus próprios pecados, deve não descuidadamente saciar seus vícios, nem adormecimento em sua poluição; mas devem suspirar ansiosamente o remédio de seus males. Este foi, verdadeiramente, um privilégio peculiar da graça, que Deus advertiu Noé do futuro dilúvio. De fato, ele freqüentemente ordena que seu ameaçando a ser proposto aos eleitos, e réprobos, em comum; que, convidando tanto ao arrependimento, ele pode humilhar o anterior, e tornar esta última indesculpável. Mas, enquanto a maior parte da humanidade, com ouvidos surdos, rejeitar tudo o que é falado, ele especialmente volta seu discurso para o seu povo, que ainda são curáveis, que pelo medo do seu juízo ele pode treiná-los à piedade. A condição de o poder perverso naquela época parece desejável, em comparação com a ansiedade de santo Noah. Eles estavam firmemente lisonjeando-se em suas próprias delícias; pois sabemos que Cristo declara relativa ao luxo desse período, (Lucas 17:26.) Enquanto isso, o homem santo, como se o mundo fosse cada momento vai estragar, gemeu ansiosamente e com tristeza. Mas se considerarmos o fim; Deus concedeu um benefício inestimável para o seu servo, ao denunciar a ele um perigo, de que ele deve tomar cuidado.

 

A terra está cheia da violência dos homens. (274) Deus dá a entender que os homens eram para ser levado embora, a fim de que a terra, que tinha sido poluído pela presença de seres tão maus, pode ser purificado. Além disso, em falando apenas da iniqüidade e da violência, das fraudes e rapines, dos quais eles eram culpados para com o outro; ele o faz, não como se ele estivesse com a intenção de remeter suas próprias reivindicações sobre eles, mas porque esta foi uma demonstração mais grosseira e palpável de sua maldade.

Fonte Comentário do Antigo e Novo Testamentos de Joseph Benson,1950

 

Gênesis 6.1-13  impiedoso mundo de Lameque subsidio(2) lições jovens professor n.6

Versículo 1

Gênesis 6: 1. Para a glória da justiça de Deus, e por uma advertência a um mundo mau, antes que a história da ruína do velho mundo, temos um relato completo de sua degenerescência, a sua apostasia de Deus, e rebelião contra ele . A destruição de que foi um ato, não de soberania absoluta, mas de justiça necessário; para a manutenção da honra do governo de Deus. Quando os homens começaram a multiplicar - Este foi o efeito da bênção, Gênesis 1:28, e ainda corrupção do homem tão abusado esta bênção que foi transformado em uma maldição.

 

Verso 2

Gênesis 6: 2. Os filhos de Deus - Aqueles que foram chamados pelo nome do Senhor, e invocou esse nome; casou-se com as filhas dos homens - Aqueles que foram profano, e estranhos a Deus. A posteridade de Seth não manter para si como deveriam, mas misturado com a raça de Caim: eles tomaram para si mulheres de todas as que escolheram - Eles escolheram apenas pelo olho. Eles viram que eram justos - Qual era tudo o que parecia às.

 

Versículo 3

Gênesis 6: 3. Meu espírito não permanecerá para sempre no homem - O Espírito então se esforçou pela pregação de Noé, 1 Pedro 3:19, e por verificações internas, mas foi em vão com a maioria dos homens; Portanto, diz o Senhor, ele deve nem sempre se esforçar, para que ele (o homem) também é carne - Incurably corrupto e sensual, de modo que é trabalho perdido a lutar com ele. Ele também; isto é, de tudo, tanto um como o outro ; todos eles estão afundados na lama de carne. No entanto, os seus dias serão cento e vinte anos - Enquanto eu vou adiar o julgamento que eles merecem, e dar-lhes espaço para impedi-lo pelo seu arrependimento e reforma. Justiça disse, Cortá-las; mas a misericórdia intercedeu: Senhor, deixa-los a este ano; e assim por misericórdia agora prevaleceu, que um indulto foi obtido por seis anos-score; e durante este tempo Noé estava pregando a justiça para eles, e, para assegurar-lhes a verdade de sua doutrina, estava preparando a arca.

 

Versículo 4

Gênesis 6: 4. Havia gigantes - Homens chamados em parte por sua alta estatura, mas principalmente por sua grande força e vigor, pela qual eles oprimidos e tiranizados sobre os outros. Por isso é mencionado como outro pecado e da causa da inundação.

 

Versículo 5

Gênesis 6: 5. Deus viu que a maldade do homem, & c. - Abundância de pecado foi cometido em todos os lugares, por todos os tipos de pessoas; e os pecados em sua própria natureza mais brutos, e hediondos, e provocando; e cometido com ousadia, e em desafio do Céu. E que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente - A visão triste, e muito ofensivo para santo olhos de Deus! Esta foi a raiz amarga, o manancial poluído: toda a violência e opressão, todo o luxo e lascívia que estava no mundo, procedia da corrupção da natureza; luxúria os concebeu, Tiago 1:15, veja Mateus 15:19. O coração estava mal, enganador, e desesperadamente corrupto; os princípios eram corruptos, ea hábitos e disposições mal. Os pensamentos do coração eram assim. O pensamento é, por vezes, levado para o julgamento constante, e que foi tendenciosa e enganados; às vezes para o funcionamento da fantasia, e aqueles eram sempre ou vão ou mal. A imaginação dos pensamentos do coração era tão; ou seja, seus projetos e dispositivos eram maus. Eles não fizeram mal só por descuido, mas deliberadamente e intencionalmente artificial como fazer travessuras. Já era ruim o fato, pois era só má, continuamente o mal, e toda a imaginação era assim. Não havia nada de bom a ser encontrado entre eles, não, não, a qualquer momento: a corrente do pecado estava cheio, e forte, e constante; e Deus viu. Aqui é de Deus ressentimento da maldade do homem. Ele não vê-lo como um espectador indiferente, mas, como um ferido e ofendido por ele; ele viu-o como um terno pai vê a loucura ea obstinação de uma criança rebelde e desobediente, que não só desagrada, mas entristece-lo, e faz com que ele gostaria que ele tivesse sido escrito sem filhos.

 

Versículo 6

Gênesis 6: 6. Ele arrependeu-se o Senhor, pesou-lhe em seu coração - Propriamente falando, Deus não pode se arrepender, Números 23:19, 1 Samuel 15: 11-29; pois ele é perfeitamente sábio e imutável em sua natureza e conselhos, Malaquias 3: 6, e Tiago 1:17. Nem ele é susceptível de tristeza ou decepção, sendo constantemente feliz. Mas isso é falada de Deus segundo a maneira dos homens, pela mesma figura de linguagem em que olhos, ouvidos, mãos e pés são atribuídas a Deus, e deve ser entendido de modo a não refletir sobre sua imutabilidade ou felicidade. Acaso não implica qualquer paixão ou mal-estar em Deus; pois nada pode criar perturbação à mente eterno: mas significa sua justo e santo descontentamento contra o pecado e pecadores. Nem o que falar qualquer mudança de de Deus mente, para com ele há variableness; mas significa uma mudança do seu caminho. Quando Deus fez o homem reto, ele descansou e restaurou-se, Êxodo 31:17, e seu caminho em direção a ele foi, como lhe mostrou estar bem satisfeito com o trabalho de suas próprias mãos; mas agora que o homem foi apostatou, ele não podia fazer outra coisa senão mostrar-se descontente: para que a mudança foi no homem, e não em Deus.

 

O versículo 7

Gênesis 6: 7. Eu vou destruir o homem - A palavra original é muito significativo, eu vou limpar homem; de sobre a terra - como a sujeira é varrida de um lugar que deve ser limpo, e jogado para o monturo. Ou, eu riscarei o homem da terra, como essas linhas são apagados de um livro que desagradam o autor, ou como o nome de um cidadão é apagado dos rolos dos homens livres, quando ele é disfranchised. Ambos homens e animais , os répteis e as aves do céu - Estes foram feitos para o homem, e, portanto, destruído com o homem. Ele me arrepender que eu tenho feito deles - Para o fim de sua criação também foi frustrada: eles foram feitos de que o homem pode servir e honrar a Deus com eles; e, portanto, foram destruídos, porque ele tinha servido os seus desejos com eles, e fez-lhes sujeito a vaidade.

 

Versículo 8

Gênesis 6: 8. Noé achou graça - Ou seja, ele obteve misericórdia e favor; pois embora ele era por natureza corrupta e pecadora, ele havia sido renovado no espírito de sua mente, e pelo arrependimento e uma fé viva, tinha alcançou testemunho de que era justo. Este vindica a justiça de Deus em seu desagrado contra o mundo, e mostra que ele tinha examinado o caráter de cada pessoa nela, antes que ele pronunciou la universalmente corrupto; para, não sendo um homem bom, ele sorriu para ele.

 

O versículo 9

Gênesis 6: 9. Noé era um homem justo - justificado diante de Deus pela fé na semente prometida; pois ele era um herdeiro da justiça que é pela fé, Hebreus 11: 7. Ele foi santificado, e tinha princípios e disposições adequadas implantados nele; e era justo em sua conversa, que fez consciência de renderização para toda sua dívida, a Deus que lhe é devido, e aos homens a deles. E ele andou com Deus, como Enoque tinha feito antes dele: em sua geração - Mesmo nesse corrupto , era degenerada. É fácil ser religioso quando a religião está na moda; mas é uma evidência de uma fé forte para nadar contra a corrente, e para aparecer para Deus quando ninguém aparece para ele: por Noé fez, e é em cima de recorde à sua honra imortal.

 

Verso 11

Gênesis 6:11. A terra - Coloque para seus habitantes; estava corrompida diante de Deus - Em assuntos de adoração de Deus; quer ter outros deuses antes dele, ou adorá-lo por meio de imagens; ou perante a face de Deus, cujo olho estava sobre ele, e, apesar de desprezo e de sua presença e de justiça. Eles pecaram abertamente e descaradamente, sem vergonha, e com ousadia e firmeza, sem qualquer temor de Deus. A terra também estava cheia de violência e injustiça para com os homens; não havia ordem, nem o governo regular; ninguém estava a salvo na posse de tudo o que tinha o direito mais claro para; não havia nada senão assassinatos, estupros e rapines.

 

O versículo 13

Gênesis 6:13. O fim, ou ruína, de toda carne é chegado antes de mim - está se aproximando, é a própria porta. Ele veio em meu propósito e decreto, e será, certamente, ter lugar, como se fosse já chegou, em que os homens vãos maneira, seja quem for pode lisonjear-se com a esperança de mais impunidade. Eu farei perecer juntamente com a terra, mas faze uma ark - Vou tomar cuidado para preservar-te vivo. Esta arca era como o hulk de um navio, equipado não para navegar sobre as águas, mas a flutuar, à espera de sua queda. Deus poderia ter assegurado Noah pelo ministério dos anjos, sem colocá-lo a qualquer cuidado ou dores; mas ele escolheu para empregá-lo em fazer o que era para ser o meio de sua preservação, tanto para o julgamento de sua fé e obediência, e para nos ensinar que ninguém será salvo por Cristo, mas apenas aqueles que trabalhar a sua salvação; não podemos fazê-lo sem Deus, e ele não vai sem nós: tanto a providência de Deus e da graça de Deus, coroar os esforços da obediente e diligente.

fonte Comentário do Antigo e Novo Testamentos de Joseph Benson

Comentário do Antigo e Novo Testamentos de Joseph Benson, 1950.

 

  

 

        EXPOSIÇÃO  Genesis 4: 1 subsidio( N.1)

         LIÇÕES ADULTOS N.5 MALIGNO CAIM

Exilado da Eden, o'er, dossel pela graça, animado pela esperança, a certeza do perdão divino, e preenchido com uma doce paz, o primeiro par entrar em sua experiência de vida de trabalho e tristeza, e da raça humana começa a sua avante curso de desenvolvimento na visão dos querubins místico e espada flamejante. Conheceu Adão a Eva, sua mulher. Isto é, "reconheceu sua natureza e usos" (Alford, Números cf. 31:17). O ato aqui mencionado é gravado não para indicar que o paraíso era "não nuptiis, sed virginitate destinatum" (Jerome), mas para mostrar que, enquanto Adam foi formado a partir do solo, e Eva de uma costela tirada do seu lado, os outros membros do a raça eram para ser produzido "neque ex terra neque Quovis alio modo, sed ex conjunctione maris et foeminse" (Rungius). E ela concebeu. A bênção divina (Gênesis 1:28), que em sua operação tinha sido suspensa durante o período de inocência, enquanto ainda era indeterminada se a corrida deve desenvolver-se como um santo ou uma semente caído, agora começa a ter efeito (cf. Gênesis 18:14; Ruth 4:13; Hebreus 11:11). E teve a Caim. Aquisição ou posse, de Caná, para adquirir (Gesenius). Cf. A exclamação de Eva. Kalisch, conectando-o com kun ou parentes, à greve, vê uma alusão ao seu caráter e história subseqüente como um assassino, e supõe que não foi dado a ele no momento do nascimento, mas em um período posterior. Tayler Lewis cai para trás em cima da idéia primitiva da raiz, para criar, para procriar, gerar, da qual ele cita como exemplos Gênesis 14:19, Gênesis 14:22; Deuteronômio 32: 6, e leva o derivado para significar a semente, explicando exclamação kanithi kain de Eva como equivalente a τετοκα τοκον, genitum Fanta ou generationem. E disse: Adquiri um varão do Senhor. A interpretação popular, sobre kani-thi como a palavra enfática na sentença, entende Eve dizer que seu filho era uma coisa alcançada, uma aquisição adquirida, tanto da parte do Senhor (Onkelos, Calvin) ou por meio de, com a ajuda de , o Senhor (LXX; Vulgata, Jerônimo, Dathe, Keil), ou para o Senhor (sírio). Se, no entanto, o termo é enfático Jeová, então eth com Makkeph seguinte será o sinal do acusativo, eo sentido será: "Tenho obtido um homem-Jeová" (Jonathon, Luther, Baumgarten, Lewis); para que, talvez, as principais objeções são

 

Genesis 4: 2

 

E ela nua novamente (literalmente, adicionado de suportar, uma Hebraísmo adotado no Novo Testamento; vide Lucas 20:11), seu irmão Abel. Habel (vaidade), deveria sugerir quer que as esperanças ansiosas de uma mãe já tinha começado a se decepcionar com seu filho eider, ou que, tendo em nome dado expressão de seu primeiro filho a sua fé, neste que desejava preservar um monumento da misérias da vida humana, dos quais, talvez, que ela tinha sido forçosamente lembrados por suas próprias dores maternas. Talvez também, embora inconscientemente, uma profecia melancolia de seu prematuro re-moral, pela mão de raiva fratricida, para o qual ele foi pensado há um outlook pelo historiador Na freqüente (sete vezes repetida) e menção quase patético do fato que Abel era o irmão de Caim. A ausência da expressão usual וַתַּהַר, bem como a fraseologia peculiar et addidit parere sugeriu que Abel era o irmão gêmeo de Cain (Calvin, Kimchi, Candlish), embora isso não seja necessariamente implícita no texto. E Abel foi pastor de ovelhas (ποιμηÌ ν προβαì των, LXX .; este último termo inclui cabras-Le Gênesis 1:10), e Caim foi lavrador da terra. Estas ocupações, indiretamente sugeridas por Deus no comando para lavrar a terra eo dom das roupas de pele (Keil), foram, sem dúvida, tanto praticada pelo primeiro homem, que iria ensiná-los a seus filhos. Não é nem justificável nem necessário traçar uma diferença de caráter moral nas diferentes vocações que os jovens selecionados, embora provavelmente as suas escolhas foram determinadas por seus talentos e seus gostos. Ainsworth vê em Abel uma figura de Cristo "em como pastor em sacrificar e martírio."

 

Genesis 4: 3

 

E no decorrer do tempo. Literalmente, no final dos dias, i.e.-

 

  1. Do ano (Aben Ezra, Dathe, De Wette, Rosenmüller, Bohlen), em que época da festa da colheita foi posteriormente mantido-Êxodo 23:16 (Bush). Aristóteles, "Ética", 8,2, observa que antigamente sacrifícios foram oferecidos após a reunião dos frutos da terra (Ainsworth).

 

  1. Do semana (Candlish).

 

  1. De um tempo indefinido, anos ou dias (Lutero, Kalisch).

 

  1. De alguma definir o tempo, como o início de suas ocupações (Knobel). E sucedeu que (literalmente, era) que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta. θυσιì α, LXX .; oblatio, Vulgata; speisopfer, Luther. O mincha de culto hebraico era um sacrifício sem derramamento de sangue, que consiste em farinha e óleo, ou farinha preparada com incenso (Le Êxodo 2: 1). Todos os frutos de árvores e jardim produtos foram excluídos; foi limitado às produções de agricultura e cultivo da vinha. Aqui inclui ambas as ofertas de carne e sacrifícios de animais (cf. Êxodo 23: 4). Ao Senhor. Provavelmente até o portão do jardim, onde a espada querubins e flamejante foram estabelecidos como os monumentos visíveis da presença divina.

 

Gênesis 4: 4

 

E Abel também trouxe dos primogênitos do seu rebanho. Ou o primogênito, que Deus exigiu mais tarde (Êxodo 13:12), ou as mais seletas e melhor (Jó 18:13, Jeremias 31:19; Hebreus 12:23). E a sua gordura. Literalmente, a gordura deles, ou seja, o mais gordo dos primogênitos ", o melhor que tinha, eo melhor dos melhores"; uma prova de que a carne foi comido antes do Dilúvio, uma vez que "ele tinha havido nenhum louvor a Abel para oferecer os animais cevados se ele usou para não comer deles" (Willet), e "si anteposuit Abel utilitate" suae Deum, não dubium solitus quid sentar ex labore suo utilitatem percipere "(Justin) E o Senhor tinha respeito Literalmente, encarado;.. ἐ πεῖ δεν, LXX (Números cf. 16:15);. provavelmente consumi-lo pelo fogo do céu, ou da espada flamejante . (cf. Gênesis 9:24 Le; 1 Crônicas 21:26; 2 Crônicas 7: 1; 1 Reis 18:38; Jerônimo, Crisóstomo, Cirilo) Theodotion torna ἐ νεπυì ρισεν, inflammant; e Hebreus 11: 4, μαρτυροῦ ντος £ πι Ì τοῖ ς δωì ροις, é suposto dar peso considerável para a opinião Unto Abel e sua oferta Aceitando primeiro sua pessoa e, em seguida, o seu dom (cf. Provérbios 12:.. 2; Provérbios 15: 8; 2 Coríntios 8:12 .) "O sacrifício foi aceito para o homem, e não o homem para o sacrifício" (Ainsworth); mas ainda ", sem dúvida, as palavras de Moisés implica que a questão da oferta de Abel foi mais excelente e apropriado do que o de Caim, "e dificilmente se pode entreter uma dúvida de que esta era a idéia do autor da Epístola aos Hebreus". O sacrifício de Abel foi ονα πλειì, mais completa do que Caim; que tinha mais nele; que tinha fé, que estava querendo no outro. Ele também foi oferecido em obediência à prescrição divina. A prevalência universal de sacrifício, em vez aponta para prescrição divina do que a invenção do homem como sua fonte adequada. Culto Divino tinha sido de origem puramente humana, é quase certo que uma maior diversidade teria prevalecido em suas formas. Além disso, o fato de que o modo de adoração não foi deixado à capacidade humana sob a lei, e que a vontade-adoração é especificamente condenado sob a dispensação cristã (Colossenses 2:23), favorece a presunção de que foi divinamente nomeado a partir da primeira.

 

Genesis 4: 5

 

Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. Por causa da ausência dessas qualidades que distinguiu Abel e sua oferta; não porque o coração de Caim era "mais puro", mas "imbuído de uma propensão criminal" (Kalisch), que não foi até a sua oferta foi rejeitada. O sinal visível, fosse o que fosse, sendo awanting no caso de oferta de Caim, a sua ausência deixou o ofertante em nenhuma dúvida quanto à insatisfação divina com a si mesmo e sua oferta. Na rejeição da oferta de Caim Bohlen vê o animus de um narrador levítico, que olha para baixo com desprezo sobre as ofertas dos frutos e flores da terra; mas, como bem observa Hävernick, a teocracia foi essencialmente baseada na agricultura, enquanto o instituto Mosaic distintamente reconheceu a legalidade e valor das ofertas sem derramamento de sangue. E Caim ficou muito irado (literalmente, queimou com Cain excessivamente), e seu semblante. Em ressentimento feroz contra o seu irmão, possivelmente em raiva decepcionado contra si mesmo, quase certamente com raiva contra Deus (cf. Neemias 06:16; Jó 29:24; Jeremias 3:12, eo contraste Jó 11:15). Não havia, aparentemente, nenhuma tristeza pelo pecado, "nenhum espírito de investigação, auto-exame, oração a Deus por luz ou perdão, mostrando claramente que Caim estava longe de ser um estado de espírito certo" (Murphy). No entanto, o Senhor não abandona imediatamente o transgressor contumaz e insensata, mas com paciência e protesta com instrui-lo sobre a forma como ele também pode obter a mesma bênção de aceitação que seu irmão mais novo apreciado.

 

Gênesis 4: 6, Gênesis 4: 7

 

E o Senhor (Jeová) disse a Caim. Falando quer mediatamente por Adam (Luther), ou, mais provavelmente, diretamente por sua própria voz de entre os querubins, onde a espada flamejante, o símbolo visível da presença divina, tinha sido estabelecida (cf. Êxodo 20:24). Por que te iraste? e porque é o teu semblante? O versículo que se segue é um ponto crucial interpretum verdadeira, sobre o qual existe a maior diversidade de sentimento. Passando pelo manifesto erro de tradução da LXX; "Se tu tens oferecido com razão, mas tens não dividido, com razão, que não tens pecado descanso tranquilo;? Para contigo é o seu (ou sua) resort, e tu deverás regra sobre ele (ou ela)", que Agostinho, Ambrósio, e Crisóstomo seguido, ao mesmo tempo "se esforçarem com muitas interpretações, e sendo divididos entre si a respeito de como Caim não dividido com razão" (WILIER), as diversas opiniões que foram entretidos quanto ao significado de suas várias cláusulas, a sua ligação, e importação preciso quando unidos, pode ser, assim, expostos. Se bem fizeres. Ou

 

  1. Do semblante (Gesenius, Furst, Dathe, Rosenmüller, Knobel, Lange, Delitzsch).

 

  1. Do sacrifício, a saber; pela aceitação dele (Calvin); semelhante ao que são as interpretações-Porventura não há uma elevação acima do peso da culpa? Não haverá perdão? (Luther); Não existe aceitação para com Deus. (Comentário do Orador); Não existe um rolamento de distância da bênção? (Ainsworth). Vulgata, ás tu não receber (sc. O favor divino). "Verum quamvis נָשָׂא עַוֹן reccatum condonare significet, nusquam tamen שְׂאֵת veniam Sonat" (Rosen.).

 

  1. Da pessoa, ou seja, através do estabelecimento de pré-eminência de Caim como o irmão mais velho, cujas referências são claramente feitas na cláusula final do verso (Bush). E se não fizeres bem, o pecado-chattath, de acelga, perder a marca como um arqueiro, significa propriamente um pecado (Êxodo 28: 9; Isaías 6: 1-13: 27; cf. grego, ἀ ì τη); também uma oferta pelo pecado (Le Gênesis 6:18, 23); Também penalidade (Zacarias 14:19), embora isso é duvidoso.

 

Daí que tenha sido levada para dizer neste lugar-

 

  1. Pecado (Dathe, Rosenmüller, Keil, Kalisch, Wordsworth, o Comentário de Speaker, Murphy).

 

  1. O castigo do pecado (Onkelos, Grotius, Cornelius uma Lapide, Ainsworth), a culpa do pecado, o sentido de transgressão perdoado; "interius conscientiae judicium, quod hominem convictum sui peccati undique obsessum premit" (Calvin).

 

  1. A oferta pelo pecado (Lightfoot, Poole, Magee, Candlish, Exell) -lieth (literalmente, deitado; robets, de rabats, para sofá como um animal de rapina; cf. Gênesis 29: 2; Gênesis 49: 9) no porta. Literalmente, na abertura = à porta da consciência, expressivo da proximidade e da gravidade da retribuição divina (Calvin); da alma, indicando a estreita contiguidade do pecado monstro devorador ao malfeitor (Kalisch); do paraíso (Bonar); do rebanho de Abel (Exell), sugerindo a localidade onde a vítima sacrificial pode ser obtida; da casa, transmitindo as idéias de publicidade e de segurança de detecção para o transgressor cujo pecado, embora dormindo, só foi dormir na porta, ou seja, "em um lugar onde ele vai certamente ser perturbado, e, portanto, é impossível, mas que deve ser acordou e despertou-se, quando como uma besta furiosa ele lançará mão de ti "(Luther), ou seja," statim se prodet, peccatum tuum não magis, potest celari, id quam quod pro foribus jacet '(Rosenmüller). E sobre ti será o seu i-.

 

e tu deverás regra sobre ele. Isto é; de acordo com a interpretação do palavras- anterior

 

Genesis 4: 8

 

E falou Caim com o (literalmente, disse a) seu irmão. διε ì λθωμεν εἰ ς τοÌ πεδιì ον (LXX.); egrediamur foras (Vulgata). As versões Samaritano e siríaco interpolar para o mesmo efeito. O Targum de Jerusalém explains- "cura Cainum Abele contendisse de vita aetcrna, de extremo judicio, et providentia divina", a inserção de uma longa conversa com início, "Veni, egrediamur anúncio superficiem agro;" mas o suplemento óbvia é a de ser encontrado no assunto do versículo anterior (Hieronynms, Aben Ezra, Gesenius). Não é contra isso que Arums muita bondade moral em Caim para supor que ele iria dizer a seu irmão mais novo de advertência de Jeová (Knobel); e certamente nos alivia da necessidade de acrescentar ao torpeza moral do fratricídio infeliz, descrevendo-o como deliberadamente planejando o assassinato de seu irmão favorecida, levando o propósito caiu dentro de seu seio culpado, observando sua oportunidade (Bottcher e Knobel, que substituto ele שָׁמַר observava, para אָמַר, disse ele), e finalmente realizar seu propósito ímpio por meio de traição. Além de toda a questão dos projetos historiador para descrever não um ato de homicídio culposo, mas um acto de assassínio em flagrante; ainda a impressão de que sua linguagem transmite é a de um crime em vez de repente, concebido e realizado apressadamente do que deliberadamente planejado e executado traiçoeiramente. E aconteceu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e matou-o.

 

Genesis 4: 9

 

E o Senhor disse a Caim. "Provavelmente logo após o evento, no próximo momento do sacrifício, e no local habitual de oferta" (Bonar). Onde está Abel, teu irmão? "A questão equipado para ir direto para a consciência do assassino, e não menos equipada para despertar o ciúme colérico, como mostrando como realmente Abel era o amado" (ibid). Se falado por Adam (Luther), ou sussurrou dentro do peito pela voz mansa de consciência, ou, como é mais provável, proferiu dentre os querubins, Caim sentiu que estava sendo examinado por uma voz divina (Calvin). E (em resposta) ele disse (adição de falsidade, descaramento, e até mesmo palavrões para matar), eu não sei: sou eu o guarda do meu irmão? O inquérito nem da ignorância nem de inocência, mas o resort desesperado de alguém que se sentiu de perto rastreado por vingar justiça e prestes a ser condenado por seu crime. "Ele revela-se um lyer em dizer, 'Eu não sei; ímpios e profanos em pensar que ele pudesse esconder seu pecado de Deus; injusto negar-se a ser o guardião de seu irmão; obstinado e desesperado em não confessar o seu pecado" (Willet; cf . Salmos 10: 1-18)..

 

Gênesis 4:10

 

Ciente de que o fratricídio culpado for resolvido não fazer reconhecimento de sua ação, o Juiz onisciente passa a acusá-lo de seu pecado. E ele-i. Jeová-disse: Que fizeste? Assim intimando seu perfeito conhecimento do fato de que o prisioneiro estava tentando negar. O que uma revelação que deve ter sido para o culpado interiormente tremendo da impossibilidade de iludindo o Deus que nos assedia! (Salmos 139: 5). A voz do sangue do teu irmão clama a mim. Uma expressão bíblica comum sobre o assassinato e outros crimes (Gênesis 18:20, Gênesis 18:21; Gênesis 19:13; Êxodo 3: 9; Hebreus 00:24; Tiago 5: 4). O sangue choro é um símbolo da alma chorando por seu direito de viver (Lange). Neste caso, o grito era uma demanda para a punição do assassino; e aquele grito reverberou através de todas as terras e para baixo através de todas as idades, proclamando vingança contra o derrame sangue inocente (cf. Gênesis 9: 5). "Daí a oração que a terra beba líquido no sangue derramado sobre ela, a fim de que não podem, assim, tornar-se invisível e inaudível" (Knobel). Cf. Jó 16:18; Isaías 26:21; Ezequiel 24: 7; também Eschylus, 'Chaephorae', 310, 398 (citado por T. Lewis em Lange). A partir do solo. No qual ele havia desaparecido, mas não, como o assassino esperava, para se tornar a. começado.

 

                  GENESIS 4 COMENTARIO BIBLICO

         SUBSIDIO (N.2) LIÇÃO N.4 SOBRE CAIM

                 Versículo 1-4 CAIM O MALIGNO

  1. E Adão conheceu sua esposa Eva. Moisés agora começa a descrever a propagação da humanidade; em que a história é importante notar que esta bênção de Deus, "crescei e multiplicai", não foi abolida pelo pecado; e não somente isso, mas que o coração de Adão foi divinamente confirmado de modo que ele não se horrorizam ante a produção de prole. E, como Adam reconhecido, mesmo no início de ter descendência, a moderação verdadeiramente paternal da ira de Deus, então ele foi depois obrigado a provar os frutos amargos de seu próprio pecado, quando Caim matou Abel. Mas vamos acompanhar a narração de Moisés. (222) Embora Moisés não indica que Caim e Abel eram gêmeos ainda parece-me provável que eles eram tão; para, depois de ele ter dito que Eva, por sua primeira concepção, à luz seu primogênito, ele logo após subjoins que ela também tinha outro; e, portanto, ao comemorar um nascimento casal, ele fala apenas de uma concepção. (223) Que aqueles que pensam diferentemente desfrutar de sua própria opinião; para mim, no entanto, parece concordante com a razão, quando o mundo tinha que ser repostos com os habitantes, que não só Caim e Abel deveria ter sido trazido em um nascimentos, mas muitos também depois, ambos os machos e fêmeas.

 

Tenho obtido um homem. A palavra que Moisés usa significa tanto para adquirir e possuir; e é de pouca importância para o presente contexto qual dos dois você adotar. É mais importante para perguntar por que ela diz que tem recebido, את יהוה (eth Yehovah.) Alguns expô-lo, 'com o Senhor;' isto é, "pela bondade, ou pelo favor, do Senhor; ' como se Eve remete a bênção aceita de descendência para o Senhor, como se diz em Salmos 127: 3: "O fruto do ventre é o dom do Senhor". A segunda interpretação vem para o mesmo ponto, 'Eu tenho possuía um homem do Senhor "; ea versão de Jerônimo é de igual força, 'Através do Senhor ". (224) Estes três leituras, eu digo, tendem a este ponto, que Eva dá graças a Deus por ter começado a levantar a posteridade através dela, embora ela era merecedor de esterilidade perpétua, bem como de destruição total. Outros, com maior sutileza, explicar as palavras, 'eu ter começado o homem do Senhor "; como se Eva entendeu que ela já possuía aquele conquistador da serpente, que tinha sido divinamente prometido a ela. Daí eles celebram a fé de Eva, porque ela abraçou, pela fé, a promessa relativa ao ferimento da cabeça do diabo através de sua descendência; só eles pensam que ela estava enganado na pessoa ou o indivíduo, vendo que ela restringiria a Caim que havia sido prometido a respeito de Cristo. Para mim, no entanto, este parece ser o sentido genuíno, que, enquanto Eve felicita-se sobre o nascimento de um filho, ela lhe oferece a Deus, como os primeiros frutos de sua raça. Portanto, eu acho que deveria ser traduzido, "Tenho obtido um homem do Senhor", que se aproxima mais de perto a frase em hebraico. Além disso, ela chama de um recém-nascido um homem, porque ela viu a raça humana renovada, que tanto ela e seu marido haviam arruinado por sua própria culpa. (225)

 

Verso 2

  1. E teve mais a seu irmão Abel (226) É bem conhecido de onde o nome de Caim é deduzido, e por que razão foi dado a ele. Para sua mãe disse, קניתי (kaniti,) Tenho obtido um homem; e, portanto, ela chamou seu nome Caim. (227) A mesma explicação não é dada com respeito a Abel. (228) A opinião de alguns, que ele era assim chamado por sua mãe para fora de desprezo, como se quisesse provar supérfluo e quase inútil, é perfeitamente absurdo; para ela se lembrou do fim para o qual sua fecundidade levaria; nem ela tinha esquecido a bênção, "crescer e multiplicar". Devemos (na minha opinião) inferir mais corretamente que, enquanto Eve havia testemunhado, em o nome dado ao seu primogênito, a alegria que de repente explodiu em cima dela, e comemorou a graça de Deus; ela mais tarde, em seu outro filho, voltou para o recolhimento das misérias da raça humana. E, certamente, embora a nova bênção de Deus foi uma ocasião para nenhuma alegria comum; ainda, por outro lado, ela não podia olhar para a posteridade dedicado a tantas e grandes males, da qual ela tinha se sido a causa, sem a dor mais amarga. Portanto, ela desejou que um monumento de sua tristeza deve existir no nome que ela deu seu segundo filho; e ela, ao mesmo tempo, segurar um espelho comum, que ela poderia admoestar toda a sua descendência da vaidade do homem. Que alguns censurar o julgamento de Eva como um absurdo, porque ela considerava seus justos e santos filhos como dignos de ser rejeitada em comparação com seu outro filho perverso e abandonado, é o que eu não aprovo. Para Eva tinham razão pela qual ela deveria congratular-se em seu primogênito; e não atribui a culpa a ela por ter proposto, em seu segundo filho, um memorial para si mesma e para todos os outros, de sua própria vaidade, para induzi-los a se exercitar na reflexão diligente em seus próprios males.

 

E Abel foi pastor de ovelhas. Se ambos os irmãos tinham mulheres casadas, e cada um tinha uma casa separada, Moisés não se relaciona. Este, portanto, continua a ser para nós na incerteza, embora seja provável que Caim era casado antes que ele matou a seu irmão; desde Moisés logo depois acrescenta, que ele conheceu sua esposa, e gerou filhos, e nenhuma menção é feita lá de seu casamento. Ambos seguiram um tipo de vida em si mesma santa e louvável. Para o cultivo da terra foi ordenado por Deus; eo trabalho de alimentar ovelhas não foi menos honroso do que útil; em suma, toda a vida rústica era inocente e simples, e acima de tudo acomodado à verdadeira ordem da natureza. Este, portanto, é para ser mantida em primeiro lugar, que a si mesmos exercido em trabalhos aprovados por Deus, e necessário para o uso comum da vida humana. Donde se infere, que tinham sido bem instruído por seu pai. O rito de sacrificar mais plenamente confirma isso; porque prova que eles estavam acostumados a adoração a Deus. A vida de Caim, portanto, era, na aparência, muito bem regulado; na medida em que ele cultivou os deveres de piedade para com Deus, e buscou uma manutenção para si e sua, por trabalho honesto e justo, como se tornou pai providente e sóbrio de uma família. Além disso, ele vai estar aqui adequada para recordar a memória o que dissemos antes, que os primeiros homens somente, apesar de terem sido privados do sacramento do amor divino, quando foram proibidas a partir da árvore da vida, tinham ainda sido tão necessitadas do mesmo, que uma esperança de salvação foi ainda deixada para eles, de que eles tinham os sinais em sacrifícios. Para devemos lembrar, que o costume de sacrificar não foi precipitadamente concebido por eles, mas foi divinamente entregue a eles. Para uma vez que o Apóstolo refere-se a dignidade do sacrifício aceito de Abel para a fé, segue-se, em primeiro lugar, que ele não tinha oferecido sem o comando de Deus, (Hebreus 11: 4.) Em segundo lugar, tem sido verdade desde o princípio, da mundo, que a obediência é melhor do que quaisquer sacrifícios, (1 Samuel 15:22), e é o pai de todas as virtudes. Daí segue-se também que o homem tinha sido ensinado por Deus o que era agradável a Ele. em terceiro lugar, uma vez que Deus sempre foi como ele, nós não podemos dizer que ele nunca foi muito satisfeitos com o mero carnal e culto externo. No entanto, ele considera esses sacrifícios da primeira era aceitável. Segue-se, portanto, ainda mais, que tinham sido espiritualmente oferecido a ele: isto é, que os santos padres não zombar dele com cerimônias vazias, mas compreendeu algo mais sublime e secreto; que não poderia ter feito sem instrução divina. (229) Pois é só verdade interior (230), que, nos sinais externos, distingue a verdadeira adoração de Deus e racional do que é bruto e supersticioso. E, certamente, não poderiam sinceramente dedicar sua mente para a adoração de Deus, a menos que tivessem sido assegurado de sua benevolência; porque reverência voluntária nasce de um sentido de, e confiança em, sua bondade; mas, por outro lado, qualquer que respeita Godhostile a si próprio, é obrigado a fugir dele com muito medo e horror. Vemos, então, que Deus, quando ele tira a árvore da vida, em que ele tinha dado a primeira promessa da sua graça, prova e declara-se favorável ao homem por outros meios. Caso qualquer um objeto, que todas as nações tiveram seus próprios sacrifícios, e que nestes não houve a religião pura e sólida, a solução está pronta: a saber, que a menção é feita aqui de tais sacrifícios como são lícitas e aprovado por Deus; de que nada, mas uma imitação adulterado depois desceu para os gentios. Pois, embora nada, mas a palavra מנחה (minchah, (231)) é aqui colocado, o que significa propriamente um dom, e, portanto, é estendido geralmente para todo o tipo de oferta; Ainda podemos inferir, por duas razões, que o comando sacrifício respeitando foi dado aos pais desde o início; em primeiro lugar, com a finalidade de fazer o exercício de piedade comum a todos, vendo que professavam-se a ser propriedade de Deus, e estimado todos eles possuíam como recebeu dele; e, em segundo lugar, com a finalidade de aconselhando-da necessidade de alguns expiation, a fim de a sua reconciliação com Deus. Quando cada um oferece algo de sua propriedade, há uma doação solene de agradecimento, como se ele iria testemunhar por seu ato presente que ele deve a Deus tudo o que ele possui. Mas o sacrifício de gado ea efusão de sangue contém algo mais, ou seja, que o oferente deve ter morte diante de seus olhos; e deve, no entanto, acreditam em Deus como propício para ele. Quanto aos sacrifícios de Adam nenhuma menção é feita.

 

Versículo 4

  1. E o Senhor para Abel, etc. Deus é dito ter respeito ao homem a quem ele vouchsafes seu favor. Devemos, no entanto, notar a ordem aqui observado por Moisés; para que ele não se limita a afirmar que o culto que Abel tinha pago era agradável a Deus, mas ele começa com a pessoa do proponente; pelo que ele significa, que Deus considerará nenhuma obra com favor exceto aqueles o fazedor de que já está previamente aceito e aprovado por ele. E não admira; para o homem vê as coisas que são aparentes, mas Deus olha para o coração, (1 Samuel 16: 7;), portanto, ele estima não funciona senão como eles procedem da fonte do coração. Onde também acontece, que ele não só rejeita mas abomina os sacrifícios dos ímpios, no entanto esplêndido que possam parecer aos olhos dos homens. Porque, se ele, que está poluído em sua alma, por seus meros contaminantes sensíveis ao toque, com as suas próprias impurezas, as coisas de outro modo puro e limpo, como pode ser isso, mas impura que procede de si mesmo? Quando Deus repudia a justiça fingida em que os judeus foram gloriar, ele se opõe, por meio de seu profeta, que suas mãos estavam "cheias de sangue," (Isaías 01:15). Pela mesma razão Ageu afirma contra os hipócritas. A aparência externa, portanto, de obras, que podem iludir os nossos olhos também carnais, desaparece na presença de Deus. Também não foram mesmo os pagãos ignorantes deste; cujos poetas, quando falam com uma mente sóbria e bem regulamentado da adoração de Deus, exigem tanto um coração puro e mãos puras. Assim, mesmo entre todas as nações, está a ser traçado o solene rito de lavagem antes de sacrifícios. Agora vendo que em outro lugar, o Espírito testifica, pela boca de Pedro, que "corações são purificados pela fé," (Atos 15: 9;) e vendo que a pureza dos santos patriarcas era do mesmo tipo, a apóstolo não faz inferir em vão, que a oferta de Abel foi, pela fé, mais excelente do que o de Caim. Portanto, em primeiro lugar, devemos manter, que todas as obras feitas antes da fé, qualquer que seja o esplendor da justiça pode aparecer neles, eram nada mais que meros pecados, ser contaminado de suas raízes, e foram ofensivo para o Senhor, a quem nada pode agradar sem pureza interior do coração. Eu gostaria que eles que imaginam que os homens, por sua própria iniciativa de livre arbítrio, são prestados encontram-se para receber a graça de Deus, iria reflectir sobre isso. Certamente, nenhuma controvérsia, então, permanecer sobre a questão, se Deus justifica homens gratuitamente, e que pela fé? Para isso deve ser recebido como um ponto assente, que, no julgamento de Deus, nenhum respeito é tiveram de obras até que o homem é recebido no favor. Outro ponto aparece igualmente certo; uma vez que toda a raça humana é odioso a Deus, não há outro caminho de reconciliação a favor divino do que através da fé. Além disso, uma vez que a fé é um dom gratuito de Deus, e uma iluminação especial do Espírito, então é fácil inferir, que estamos impedidos (232) por sua mera graça, como se ele tivesse nos ressuscitou dentre os mortos. Em que sentido também Peter diz que é Deus que purifica os corações pela fé. Para não haveria acordo do fato com a declaração, a menos que Deus tinha assim formado fé nos corações dos homens que poderia ser considerado verdadeiramente o seu dom. Pode agora ser visto em que a pureza maneira é o efeito da fé. É uma filosofia insípida e insignificante, para apresentar este como a causa da pureza, que os homens não são induzidos a buscar a Deus como sua recompensa, exceto pela fé. Eles que falam assim inteiramente enterrar a graça de Deus, que o Espírito elogia principalmente. Outros também falam friamente, que ensinam que somos purificados pela fé somente por causa do dom de regenerações, a fim de que possamos ser aceitos por Deus. Para não só eles omitir metade da verdade, mas construir, sem alicerces; uma vez que, por causa da maldição sobre a raça humana, tornou-se necessário que a reconciliação deve preceder gratuita. Novamente, uma vez que Deus nunca tão regenera seu povo neste mundo, que eles podem adorá-lo perfeitamente; nenhum trabalho do homem pode, eventualmente, ser aceitável sem expiação. E a este ponto a cerimônia da lavagem legal pertence, a fim de que os homens podem aprender, que tão freqüentemente quanto eles desejam aproximar a Deus, a pureza deve ser procurada em outro lugar. Por isso Deus, então, longamente ter respeito para a nossa obediência, quando ele olha para nós em Cristo.

 

 

FONTE comentario biblico calvino

 

 

 

 

   PAZ DO SENHOR SUBSIDIOS DAS LIÇÃO N.4

   COMENTARIO ROMANOS 5 E GENESIS 3 CPAD

 

COMENTARIO ROMANOS MATHEW HENRY GENESIS SUBSIDIO N.1  LIÇÃO 4 ADULTOS

Versículo 12-13

Romanos 5: 12-13. Portanto - Refere-se a todo o discurso anterior, a partir do qual o apóstolo infere o seguinte: ele não, portanto, fazer uma digressão, mas volta a falar de novo do pecado e da justiça; como se ele tivesse dito: "Podemos inferir a partir dessas premissas, que o benefício que nós crentes recebem de Cristo é igual ao prejuízo que derivamos de Adão; sim, é em geral maior do que a "Pois, como por um só homem - Ou seja, Adão, o pai comum da espécie humana.; (ele é mencionado, e não Eve, como sendo o representante da humanidade;) entrou o pecado no mundo - o pecado atual, ou seja, a transgressão de Adão e sua consequência, uma natureza pecaminosa, que teve lugar nele, através de seu primeiro pecado e que ele transmitiu para toda a sua posteridade; e da morte - Com todos os seus assistentes. Ele entrou no mundo quando entrou em estar; para até então não existia; pelo pecado - Por isso, não puderam entrar antes do pecado; e assim - Ou seja, por um homem; a morte passou - De uma geração para outra; a todos os homens, porque todos pecaram - Ou seja, em Adão, seu representante, e como estando em seus lombos. Ou seja, eles estão tão longe envolvido em sua primeira transgressão e suas conseqüências, e assim certamente derivar uma natureza pecaminosa dele, que eles se tornam desagradável para a morte. Em vez de, para isso, Dr. Doddridge torna εφ 'Ê, até que, (ou seja, até a morte, mencionada na cláusula anterior,) todos pecaram. Em que sempre maneira a expressão é processada, as palavras são manifestamente destinado a atribuir a razão pela qual a morte veio a todos os homens, crianças em si não exceção. Porque antes da lei - para, a partir da queda de Adão, até o tempo em que Deus deu a lei por Moisés, assim como depois; estava o pecado no mundo - Como apareceu pela execução contínua do seu castigo; isto é, a morte: mas - É um princípio auto-evidente que o pecado não é, e não pode ser, imputado onde não há lei - Desde a própria essência do pecado consiste na violação de uma lei. E, conseqüentemente, uma vez que vemos, na verdade, que o pecado foi imputado, devemos concluir que as pessoas, para cuja conta foi cobrada, estavam sob alguma lei. Agora, isso, no que diz respeito às crianças, poderia não ser a lei da natureza, (mais do que a lei de Moisés,) para lactentes não poderia transgredir isso; deve, portanto, ter sido o direito dado a Adão, a transgressão da qual é, em certo sentido, imputada a todos, até mesmo para bebês, sendo ele o representante de toda a sua posteridade, e todos eles estar em seus lombos. Em outras palavras, eles não morrem por quaisquer pecados reais da sua própria, sendo incapazes, enquanto na infância, de cometer qualquer, mas através do pecado de Adão sozinho.

 

Verso 14

Romanos 5:14. No entanto - Embora a lei ainda não foi dada por Moisés, mas o pecado estava no mundo, e foi imputado, como parece com isso, que a morte, que é o castigo do pecado, estava no mundo naquele tempo, e reinou - Trazido tudo sob o seu poder, desde Adão até Moisés - Como Romanos 5:21 e Romanos 6:12, mesmo sobre eles, & c. - Não apenas sobre os que pecaram à semelhança da transgressão de Adão, mas também sobre as crianças que não tinham cometido o pecado atual, como Adam tinha feito, e em detrimento de outros que não tinham, como ele, cometido contra uma lei expressa. Quem é a figura daquele que havia de vir - Um tipo animada de Cristo em sua capacidade pública, cada um deles sendo uma pessoa pública, e uma cabeça federal da humanidade: aquele a fonte do pecado e da morte para a humanidade por sua ofensa, o outro de justiça e vida por seu dom gratuito. Até agora, o apóstolo mostra o contrato entre o primeiro eo segundo Adão: depois ele mostra a diferença entre eles. O acordo pode ser resumido assim: como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte assim por um homem justiça entrou no mundo, e vida pela justiça. Como a morte passou a todos os homens, em que todos pecaram; assim que a vida passou a todos os homens, (que estão no segundo Adão, pela fé,) em que todos são justificados. E como a morte, através do pecado do primeiro Adão, reinou mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão:-lo através da justiça de Cristo, mesmo aqueles que não obedeceram à semelhança de sua obediência, reinará em vida. Podemos acrescentar, como o pecado de Adão, sem os pecados que depois cometeu, nos trouxe a morte: assim que a justiça de Cristo, sem as boas obras que depois executam, nos traz vida, embora ainda toda boa, bem como o mal de trabalho receberá a sua recompensa devida.

 

Versículo 15-16

Romanos 5: 15-16. Mas não como a ofensa, & c. - O apóstolo agora descreve a diferença entre Adão e Cristo, e que muito mais directa e explicitamente que o acordo entre eles. Agora, a queda eo dom gratuito diferem, primeiro, em amplitude, Romanos 5:15; Romanos 2 d, Ele, de quem veio o pecado, e Ele, de quem veio a graça, (denominado também o dom da justiça,) diferem no poder, Romanos 5:16; Romanos 3 d, A razão de ambos é subjoined, romanos 5:17; Romanos 4 th, esta premissa, a ofensa eo dom gratuito são comparados em relação ao seu efeito, Romanos 5:18. E no que diz respeito à sua causa, Romanos 5:19. Não como a ofensa - O pecado de Adão, ea miséria que se segue sobre ela; é assim o dom gratuito - O benefício que se coloca para nós a partir da obediência de Cristo; isto é, não há uma perfeita igualdade e proporcionalidade entre o mal que vem por meio de Adão, eo benefício que vem por Cristo: eles não são iguais em sua influência e eficácia. Porque, se pela ofensa de um morreram muitos - Se a transgressão de um mero homem foi eficaz para derrubar a morte, condenação e ira sobre toda a sua posteridade, ou semente natural; muito mais a graça de Deus - Seu amor e favor; eo dom - A salvação; pela graça, que é de um homem - Quem, no entanto, é Deus, assim como o homem; Jesus Cristo - O Salvador divinamente-comissionados e ungiu; abundou sobre muitos - é mais abundante eficaz de obter a reconciliação, o perdão, a justiça ea vida, por tudo o que vai aceitá-los, e tornar-se sua semente espiritual. Projeto do apóstolo aqui é comparar o pecado de Adão e obediência de Cristo, em relação a sua virtude e eficácia, e para mostrar que a eficácia da obediência de Cristo, deveis estar muito mais abundante do que a do pecado de Adão. E não, & c. - Uma vez que existe uma diferença na relação das pessoas a quem estes efeitos são derivados, e a vantagem está no lado de Cristo; para que haja uma diferença também no que respeita à extensão da eficácia dos seus actos: assim, um pecado trouxe condenação; o mal surgiu a partir de uma ofensa: aqui não só que um pecado, mas também muitos pecados, - sim, todos os pecados dos crentes, - são perdoados, e sua natureza se renova de modo que o benefício supera o mal. Para o julgamento - A culpa que expôs a julgamento; foi por um - Ou seja, por uma infracção; a condenação de Adão - ocasionando a sentença de morte para ser passado sobre ele, o que, por conseqüência, oprimido sua posteridade, mas o dom gratuito - Para χαρισμα, o dom da graça, é de muitas ofensas - Estende para o perdão não só de que pecado original, mas de todos os outros pecados pessoais e reais; para justificação - Unto a compra do mesmo para todos os homens, não obstante as suas muitas ofensas, e à atribuição de ele sobre toda a verdadeiramente penitentes que crêem em Cristo.

 

Verso 17

Romanos 5:17. Pois, & c. - Aqui ele mostra a diferença no que diz respeito a conseqüência desses atos, ou a diferente natureza dos efeitos, que a morte veio de um, a vida do outro; como se ele tivesse dito, Além disso, há um outro artigo importante, na qual a graça do Evangelho supera a gravidade aparente que participaram da imputação da culpa do nosso primeiro pai, Adão, ou seja, que, se por morte ofensa de um só reinou por um - Mais de toda a sua posteridade, como observamos acima; os que recebem - Pela fé, João 1:12; abundância da graça - Uma medida abundante do amor de Deus, das influências do seu Espírito, e do dom da justiça, exibiu no evangelho; ou seja, aqueles benefícios que Cristo, pela sua obediência até à morte, comprou para nós; deve muito mais reinarão em vida, por um - O grande restaurador e Recuperador de sua descendência; Jesus Cristo - Ou seja, os crentes devem por ele ser levado a uma vida muito mais nobre e mais excelente do que a partir do qual Adão caiu, e que eles perderam nele.

 

Versículo 18-19

Romanos 5: 18-19. Portanto, & c. - Aqui, o apóstolo compara Cristo e Adão juntos novamente, quando ele começou a fazer Romanos 5:12, com o qual este versículo parece estar ligado, (todos os versos intermediários que chegam como um parêntese,) e ele faz com que a comparação completa em ambos membros; que há, por motivo de intervir matéria, foi deixado fora imperfeito. Como se ele tivesse dito: Em geral você vê, como eu comecei a observar a você antes que, assim como por uma só ofensa, veio o juízo sobre todos os homens para condenação - Ou, a sentença condenatória foi passou a todos os homens; mesmo assim, pela justiça de um - A obediência de Cristo, o dom gratuito - Ou dom da graça; veio a todos os homens - está prevista, e se ofereceu para, toda a raça humana, e é, na verdade, conferida toda a descendência espiritual do segundo Adão, em todos os verdadeiros crentes; para justificação de vida - Até que a justificação pela graça através da fé, pela qual nós temos o direito eo direito à vida eterna. Ou, deixando de fora as palavras em itálico, que não estão no original, o versículo pode ser parafraseada assim: "Como consequência de uma infracção por um lado estendido a todos os homens, para trazer condenação sobre eles; assim também, por outro lado, a conseqüência de um grande ato de justiça alargado a todos os homens, que recebem e abraçá-lo; assegurando-lhes que a justificação que será coroado com o gozo da vida eterna "Porque, como pela desobediência de um só homem muitos - Isto é, todos os homens.; foram feitas, ou pecadores constituído - Sendo então nos lombos de seu primeiro pai, o chefe e representante de todos eles comum, e tornou-se desagradável para a morte; assim pela obediência de um só - por sua obediência até a morte, por sua morte por nós; muitos - Ou seja, todos os que crêem com uma fé que atua pelo amor; devem ser, ou seja, constituídos justos - Ou seja, perdoado, justificado e santificado, e deve ser tratado como tal no dia da conta final de Deus; embora eles não têm a perfeita justiça de sua própria para pleitear, em consequência do qual eles devem estar diante de Deus e reivindicar a recompensa. Com relação ao esquema de interpretação do Dr. Taylor, que é justamente aqui observado por Dr. Doddridge, que, apesar de "tornar-se sujeito à morte pelo crime de outro está de fato sendo assim constituída, ou melhor tratado, como um pecador, uma vez que a morte é na sua opinião preliminar a ser considerado como o salário do pecado, ou a censura de um Deus justo em cima dele; "ainda", apenas para ser ressuscitado dos mortos não está sendo feito justo, ou tratado como uma pessoa justa; uma vez que é um caso muito supposable, e vai de fato ser o caso de milhões, que um pecador pode ser aumentado, a fim de punição mais condigna e terrível. A interpretação todo, portanto, que o Dr. Taylor deu deste texto, neste ponto de vista, parece-me desprovido de um fundamento suficiente ".

 

Romanos 5: 20-21, porém, a lei - Feito um pouco de entrada, como o Dr. Doddridge traduz παρε ισηλθεν; sentido também dado pela Vulgata, sub intravit. Assim, a entrada parcial e limitada da lei distingue-se de que a entrada universal do pecado, que passou em tudo. Outros, porém, como L'Enfant e Wesley, torná-lo, A lei interveio, ou veio entre Adão e Cristo, o crime eo dom gratuito; que a ofensa abundasse - Ou seja, a consequência (não o design) da lei de entrar, não foi a remoção do pecado, mas o aumento do mesmo; ainda, onde o pecado abundou, a graça fez muito mais abundantes - Não é apenas na remissão de pecado que Adão trouxe sobre nós, mas de todos os nossos próprios pecados; não apenas na remissão dos pecados, mas infusão de santidade; não só na libertação da morte, mas a entrada para a vida eterna; uma vida muito mais nobre e excelente do que aquilo que perdemos pela queda de Adão. Que, como o pecado reinou na morte - Na destruição ampla e universal feito daqueles a quem ele havia trazido sob essa frase fatal; a graça reinasse - que não poderia reinar antes da queda, antes que o homem tivesse pecado; através da justiça - imputada, implantado, e praticada; através da justificação de pessoas dos homens, a renovação de sua natureza, e sua obediência prática a santa lei de Deus; para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor - Aqui é apontado, 1, a fonte de todas as nossas bênçãos, a graça rico e gratuito de Deus. 2d, a causa meritória; não quaisquer obras ou justiça do homem, mas os sozinhos méritos de nosso Senhor Jesus Cristo. 3D, o efeito ou fim de tudo; não só o perdão, mas a vida, a vida divina, levando a glória.

 

COMENTARIO BIBLICO DE GENESIS CAP 3 SUBUSIDIO (N.2) LIÇÃO ADULTOS

 

A história deste capítulo é talvez tão triste uma história (considerando todas as coisas) como qualquer temos em toda a Bíblia. Nos capítulos anteriores, tivemos a agradável vista sobre a santidade ea felicidade de nossos primeiros pais, a graça eo favor de Deus, e a paz ea beleza de toda a criação, tudo de bom, muito bom, mas aqui a cena é alterada. Temos aqui um relato do pecado e miséria de nossos primeiros pais, da ira e maldição de Deus contra eles, a paz da criação perturbada, e sua beleza manchada e manchada, de todo ruim, muito ruim. "Como é que o ouro se escureceu, eo ouro mais refinado mudou!" O que os nossos corações foram profundamente afetados com este recorde! Para todos nós estamos quase em causa em que não deixe que seja para nós como um conto que se conta. Os conteúdos gerais do presente capítulo temos (Romanos 5:12), "Por um só homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram." Mais particularmente, nós temos aqui, I. O inocente tentado, Gênesis 3: 1-5. II. A transgressão tentado, Gênesis 3: 6-8. III. Os transgressores acusado, Gênesis 3: 9,10. EU V. Após a sua acusação, condenado, Gênesis 3: 11-13. V. Após a sua condenação, condenado, Gênesis 3: 14-19. VI. Após sentença, tolerados, Gênesis 3: 20,21. VII. Não obstante a sua suspensão, a execução, em parte, feito, Gênesis 3: 22-24. E, se não fosse para as insinuações de graça aqui dadas da redenção pela semente prometida, eles e toda a sua raça degenerada culpado, teria sido deixado ao desespero sem fim.

 

Versículos 1-5

Sutileza do tentador Importunidade do Tentador         BC 4004.

1Now a serpente era o mais astuto de todos os animais do campo, que o L ORD Deus tinha feito. E ele disse à mulher, Yea, Deus vos disse: Não comereis de toda árvore do jardim? 2 E a mulher disse à serpente, Nós podemos comer do fruto das árvores do jardim: 3 Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, Deus disse: Não comereis dele, nem haja ye tocá-lo, para que não morrais. 4 E a serpente disse à mulher, Ye Certamente não morrereis: 5 Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes, vossos olhos se abrirão, e sereis como Deus, conhecendo o bem eo mal.

 

Temos aqui um relato da tentação com que Satanás assaltou nossos primeiros pais, para atraí-los para o pecado, e que se revelou fatal para eles. Aqui observar,

 

  1. O tentador, e que era o diabo, na forma e semelhança de uma serpente.

 

  1. É certo que era o diabo que enganou Eva. O diabo e Satanás é a antiga serpente (Apocalipse 12: 9), um espírito maligno, pela criação de um anjo de luz e um atendimento imediato no trono de Deus, mas pelo pecado tornar-se um apóstata de seu primeiro estado e um rebelde contra a coroa de Deus e dignidade. Multidões de anjos caiu, mas este que atacou nossos primeiros pais foi certamente o príncipe dos demônios, o anel-líder da rebelião: tão logo ele era um pecador que ele era um Satanás, tão logo um traidor do que um tentador, como um enfurecido contra Deus e sua glória e inveja do homem e sua felicidade. Ele sabia que não poderia destruir o homem, mas por debauching ele. Balaão não pôde amaldiçoar Israel, mas ele poderia tentá-Israel, Apocalipse 02:14. O jogo, portanto, que Satanás teve que jogar era chamar a nossos primeiros pais para o pecado, e assim a separar entre eles e seu Deus. Assim, o diabo foi, desde o início, um assassino, eo grande mal-maker. Toda a raça humana teve aqui, por assim dizer, mas um pescoço, e em que Satanás atacou. O adversário e inimigo, aquele ser maligno.

 

  1. Foi o diabo à semelhança de uma serpente. Se era apenas a forma visível e aparência de uma serpente (como alguns pensam aqueles eram de que lemos, Êxodo 07:12), ou se era uma serpente viva e real, accionado e possuído pelo diabo, não é certa: por a permissão de Deus, pode ser qualquer um. O diabo escolheu para desempenhar sua parte em uma serpente, (1.) Porque é uma criatura ilusória, tem uma pele salpicada manchado, e depois fui ereto. Talvez fosse uma serpente voadora, que parecia vir do alto, como um mensageiro do mundo superior, um dos serafins para as serpentes ardentes estavam voando, Isaías 14:29. Muitos uma tentação perigosa vem a nós em cores finas que são gays, mas pele-profundas, e parece vir de cima para Satanás pode parecer um anjo de luz. E, (2) Porque é uma criatura sutil isso é aqui tomado conhecimento. Muitos exemplos são dados da sutileza da serpente, tanto para fazerem o mal e para fixar-se nele quando ele é feito. Nós somos dirigidos a ser prudentes como as serpentes. Mas esta serpente, como accionado pelo diabo, foi sem dúvida mais sutil do que qualquer outra para o diabo, embora ele tenha perdido a santidade, mantém a sagacidade de um anjo, e é sábio para fazer o mal. Ele sabia de mais vantagem, fazendo uso da serpente do que nós somos conscientes. Observe-se, Não há qualquer coisa pela qual o diabo serve a si mesmo e seu próprio interesse mais do que pela sutileza não santificado. O que Eva pensou desta serpente falando com ela, não são susceptíveis de dizer, quando eu acredito que ela mesma não sabia o que pensar sobre isso. No início, talvez, ela supôs que poderia ser um anjo bom, e ainda, depois, ela pode suspeitar de algo errado. É notável que os idólatras Gentile fez muitos deles adoram o diabo na forma e forma de uma serpente, admitindo assim a sua adesão a esse espírito apóstata, e vestindo suas cores.

 

  1. A pessoa tentado foi a mulher, agora sozinho, ea uma distância de seu marido, mas perto da árvore proibida. Foi sutileza do diabo, 1. Para assalto vaso mais frágil com suas tentações. Embora perfeito em sua espécie, mas podemos supor que ela inferior a Adão no conhecimento, e força, e presença de espírito. Alguns pensam Eve recebeu o comando, não imediatamente de Deus, mas em segunda mão por seu marido, e, portanto, pode ser mais facilmente persuadido a desacreditá-la. 2. Foi a sua política para entrar em discurso com ela quando ela estava sozinha. Se ela tivesse mantido perto do lado de fora que ela foi recentemente tomadas, ela não teria sido tão exposto. Há muitas tentações, para que a solidão dá uma grande vantagem, mas a comunhão dos santos contribui muito para a sua força e segurança. 3. Ele se aproveitou por encontrá-la perto da árvore proibida, e, provavelmente, contemplando o fruto dela, apenas para satisfazer sua curiosidade. Aqueles que não iria comer o fruto proibido não deve chegar perto da árvore proibida. Evita-o, não passes por ele, Provérbios 04:15. 4. Satanás tentou Eva, que por ela que ele pode seduzir Adão para que ele tentado Job por sua esposa, e Cristo por Pedro. É a sua política para enviar tentações pelas mãos insuspeitas, e deles que têm mais interesse em nós e influência sobre nós.

 

III. A própria tentação, ea gestão artificial do mesmo. Nós somos muitas vezes, na Escritura, disse do perigo pelas tentações de Satanás, seus dispositivos (2 Coríntios 2:11), suas profundidades (Apocalipse 02:24), suas artimanhas, Efésios 6:11. Os maiores exemplos que temos deles estão em sua tentadora dos dois Adams, aqui, e Mateus 4: 1-11. Neste ele prevaleceu, mas em que ele estava perplexo. O que ele falou para eles, de quem ele não tinha espera por qualquer corrupção em si, ele fala em nós por nossos próprios corações enganosos e seus raciocínios carnais isso faz com que seus ataques a nós menos perceptível, mas não menos perigoso. Aquilo que o diabo que visa era convencer Eva a cortar fruto proibido e, para fazer isso, ele tomou o mesmo método que ele ainda faz. Ele questionou se era um pecado ou não, Gênesis 3: 1. Ele negou que houvesse qualquer perigo nele, Gênesis 3: 4. Ele sugeriu muita vantagem por ela, Gênesis 3: 5. E estes são os temas comuns.

 

  1. Ele questionou se era um pecado ou não para comer desta árvore, e se realmente o fruto era proibido. Observe,

 

(1.) Ele disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis? A primeira palavra insinuou algo dito antes, a introdução deste, e com a qual ele está conectado, talvez alguns Eve discurso teve com ela mesma, o que levou Satanás segure de e enxertada sobre esta questão. Na cadeia de pensamentos traz uma coisa estranha em outro, e talvez algo ruim, afinal. Observe aqui, [1] Ele não descobre seu projeto no início, mas coloca uma pergunta que parecia inocente: "Eu ouvi uma notícia, orar é verdade que Deus proibiu de comer desta árvore?" Assim, ele iria começar um discurso, e trazê-la para uma negociação. Aqueles que seria seguro é que preciso ser desconfiado e tímido de falar com o tentador. [2] Ele cita o comando falaciosamente, como se fosse uma proibição, não só daquela árvore, mas de todos. Deus havia dito, De toda a árvore que você pode comer, exceto um. Ele, por agravar a exceção, se esforça para invalidar a concessão: É assim que Deus disse: Não comereis de toda a árvore? A lei divina não se pode criticar a menos que seja deturpado primeiro . [3] Ele parece falar que tauntingly, censurando a mulher com sua timidez de interferir com a árvore como se ele tivesse dito: "Você é tão bom e cauteloso, e assim por muito preciso, porque Deus disse: Não comereis . " O diabo, como ele é um mentiroso, então ele é um escarnecedor, desde o princípio, e os escarnecedores dos últimos dias são seus filhos. [4] O que ele visa, em primeiro aparecimento foi tirar seu senso de obrigação do comando. "Certamente você está enganado, ele não pode ser que Deus deve amarrá-lo a partir desta árvore que ele não faria uma coisa tão irracional." Veja aqui, Que é a sutileza de Satanás para manchar a reputação da lei divina como incerto ou não razoável, e assim atrair as pessoas ao pecado e que, portanto, é a nossa sabedoria para manter-se aa crença firme de, e um grande respeito para , o comando de Deus. Que Deus disse: "Não te deitarás, nem tomar o seu nome em vão, nem ser bebido", & c.? "Sim, eu tenho certeza que ele tem, e é bem disse, e por sua graça, vou cumpri-la, qualquer que seja o tentador sugere o contrário."

 

(2) Em resposta a esta pergunta a mulher dá a ele uma conta simples e cheia de lei que estavam sob, Gênesis 3: 2,3. Aqui observar, [1] Era sua fraqueza para entrar em discurso com a serpente. Ela poderia ter percebido com a pergunta que ele não tinha um bom design, e deve, portanto, ter começado para trás com um Arreda, Satanás, tu és uma ofensa para mim. Mas sua curiosidade, e talvez sua surpresa, ao ouvir uma serpente falar , levou-a para mais falar com ele. Nota: É uma coisa perigosa para tratar com a tentação, que deveria, a princípio, ser rejeitado com desdém e repulsa. A guarnição que soa um Parley não está longe de ser rendido. Aqueles que seriam mantidos de danos deve manter-se fora de perigo. Ver Provérbios 14: 7,19: 27. [2] Era sua sabedoria para tomar conhecimento da liberdade que Deus lhes havia concedido, em resposta à sua insinuação maliciosa, como se Deus os colocou no paraíso só para atormentar-los com a visão de frutas justas, mas proibidas. "Sim", ela diz, "nós podemos comer do fruto das árvores, graças ao nosso Criador, nós temos a abundância e variedade suficiente nos permitido." Nota, para evitar que o nosso ser desconfortável com as restrições da religião, é bom, muitas vezes para ter uma visão das liberdades e confortos do mesmo. [3] Foi uma instância de sua resolução que ela aderiu ao comando, e fielmente repetido, como de certeza inquestionável: "disse Deus, estou confiante de que ele tem dito, você não deve comer do fruto dessa tree "e que ela acrescenta, Nem deve você tocá-lo, parece ter sido com uma boa intenção, não (como alguns pensam) tacitamente a refletir sobre o comando como muito rigoroso (Toque não, gosto não e não lidar com), mas para fazer uma cerca sobre isso: "Nós não devemos comer, portanto não vamos tocar É proibido no mais alto grau, ea autoridade da proibição é sagrada para nós.". [4] Ela parece um pouco a vacilar sobre a ameaça, e não é tão particular e fiel na repetição de que a partir do preceito. Deus disse: No dia comeres dele tu certamente morrerás tudo o que ela faz é de que, para que não morrais. Note, Wavering fé e oscilando resoluções dar grande vantagem ao tentador.

 

  1. Ele nega que tenha havido qualquer perigo nele, insistindo que, embora possa ser a transgressão de um preceito, mas não seria a contracção de uma grande penalidade: Você não deve morrer, Gênesis 3: 4. "Você não deve morrer die," assim que a palavra é, em contradição direta com o que Deus havia dito. Ou, (1.) "Não é certo que você morrerá," de modo algum. "Não é tão certo como você são levadas a acreditar que é." Assim Satanás se esforça para agitar o que ele não pode derrubar, e invalida a força de ameaças divinas, questionando a segurança deles e, quando uma vez que é suposto possível que pode haver falsidade ou mentira em qualquer palavra de Deus, uma porta é então aberto para francamente infidelidade. Satanás ensina os homens em primeiro lugar à dúvida e, em seguida, negar que ele torna-os céticos em primeiro lugar, e assim por graus torna-os ateus. Ou, (2) "É certo que não morrereis", para que os outros. Ele assevera sua contradição com a mesma frase de garantia de que Deus tinha usado na ratificação do ameaçador. Ele começou a chamar o preceito em questão (Gênesis 3: 1), mas, achando que a mulher adere a isso, ele deixado que a bateria, e fez o seu segundo aparecimento sobre o ameaçador, onde ele percebeu ela vacilar porque ele é rápido para espiar todas as vantagens, e para atacar a parede onde é mais fraco:. Você não certamente morrerá Esta foi uma mentira, uma mentira para francamente, [1] Era contrário à palavra de Deus, que temos certeza de que é verdade. Veja 1 João 2: 21,27. Foi uma mentira como deu a mentira ao próprio Deus. [2] Ele era contrário ao seu próprio conhecimento. Quando ele lhes disse que não havia perigo em desobediência e rebeldia, ele disse que o que ele sabia, por experiência lamentável, para ser falso. Ele havia quebrado a lei de sua criação, e tinha encontrado, a seu custo, que ele não poderia prosperar nele e ele ainda diz nossos primeiros pais que não morrerá. Ele escondeu sua própria miséria, que ele poderia atraí-los para o tipo: assim, ele ainda engana os pecadores na sua própria ruína. Diz-lhes que, embora eles pecam, eles não morrerá e crédito ganhos em vez de Deus, que lhes diz, o salário do pecado é a morte. Note, a esperança de impunidade é um grande apoio para toda a iniqüidade, e impenitência nele. Eu Terei paz, ainda que ande na teimosia do meu coração, Deuteronômio 29:19.

 

  1. Ele lhes promete vantagem por ela, Gênesis 3: 5. Aqui, ele segue o seu golpe, e foi um golpe na raiz, um golpe fatal para a árvore que são ramos. Ele não só se encarregaria de que deve haver perdedores por ele, ligando assim a si mesmo para salvá-los de danos, mas (se eles seriam tão tolos como se aventurar sobre a segurança de que tinha se tornado um falido) se compromete serão gainers por isso, ganhadores indizíveis. Ele não poderia ter persuadiu-os a correr o risco de arruinar-se se ele não tinha sugerido a eles uma grande probabilidade de melhorar a si mesmos.

 

(1.) Ele insinua-lhes as grandes melhorias que eles fariam por comer deste fruto. E ele se adapte à tentação de o estado puro que eles estavam agora em, propondo-lhes, nem quaisquer prazeres carnais ou gratificações, mas delícias intelectuais e satisfações. Estas foram as iscas com que cobriam seu gancho. [1] "Os seus olhos se abrirão você terá muito mais do poder e do prazer da contemplação do que agora você tem que você deve buscar uma bússola maiores em seus pontos de vista intelectual e ver ainda mais em coisas que agora você faz." Ele fala como se já fossem, mas dim de visão, e míope, em comparação do que eles seriam então. [2] "Sereis como deuses, como Elohim, deuses poderosos não só onisciente, onipotente, mas também" ou "Você será como o próprio Deus, igual a ele, os rivais com ele você deve ser soberanos e há assuntos mais longos, auto-suficiente e não mais dependente. " Uma sugestão mais absurda! Como se fosse possível às criaturas de ontem para ser como o seu Criador que era desde a eternidade. [3] "Você saberá que o bem eo mal, isto é, tudo o que é desejável para ser conhecido." Para apoiar esta parte da tentação, ele abusa o nome dado a esta árvore: se pretendia ensinar o conhecimento prático do bem e do mal, isto é, de dever e de desobediência e provaria o conhecimento experimental do bem e do mal, que é, de felicidade e miséria. Nestes sentidos, o nome da árvore era um aviso para eles para não comê-lo, mas ele perverte o sentido dele, e arranca-lo para sua destruição, como se esta árvore iria dar-lhes um conhecimento teórico especulativo das naturezas, tipos e originais, do bem e do mal. E, [4] Tudo isso atualmente: "No dia em que dele comerdes, encontrará uma mudança repentina e imediata para melhor." Agora, em todas essas insinuações ele pretende gerar neles, Em primeiro lugar, o descontentamento com o seu estado presente, como se não fosse tão bom quanto poderia ser, e deve ser. Nota, Nenhuma condição vontade de trazer contentamento em si, a menos que a mente seja trazida a ele. Adam não foi fácil, não, não no paraíso, nem os anjos no seu primeiro estado, Jude 1: 6. Em segundo lugar, a ambição de nomeação, como se eles estavam aptos para serem deuses. O próprio Satanás tinha arruinado por desejando ser como o Altíssimo (Isaías 14:14), e, portanto, procura infectar nossos primeiros pais com o mesmo desejo, que ele poderia arruiná-los também.

 

(2.) Ele insinua-lhes que Deus não teve um bom design sobre eles, ao proibir-lhes esta fruta: "Porque Deus sabe o quanto isso vai avançar você e, portanto, na inveja e má vontade com você, ele tem proibido lo : "como se ele não se atreviam a deixá-los comer daquela árvore, porque então eles saberiam sua própria força, e não iria continuar em um estado inferior, mas ser capaz de lidar com ele ou como se ressentiram-lhes a honra e felicidade para que seu comer daquela árvore preferem eles. Agora, [1] Esta foi uma grande afronta a Deus, eo maior indignidade que poderia ser feito ele, um opróbrio para o seu poder, como se temesse suas criaturas, e muito mais uma reprovação à sua bondade, como se odiasse o trabalho de suas próprias mãos e não teria aqueles que ele fez para ser feito feliz. Deve o melhor dos homens acham estranho a ser deturpados e mal falado, quando o próprio Deus é assim? Satanás, como ele é o acusador dos irmãos diante de Deus, para que ele acusa Deus diante dos irmãos, assim, ele semeia discórdia, e é o pai daqueles que fazê-lo. [2] Era uma armadilha mais perigosa para os nossos primeiros pais, uma vez que tendem a alienar suas afeições de Deus e, assim, retirá-los de sua fidelidade a ele. Assim o diabo ainda atrai as pessoas para o seu interesse por sugerindo-lhes pensamentos rígidos de Deus, e falsas esperanças de benefícios e vantagens de pecado. Vamos, portanto, em oposição a ele, sempre pensar bem de Deus como o melhor bom, e pensar mal do pecado como o pior dos males: assim vamos resistir ao diabo, e ele fugirá de nós.

 

Versículos 6-8

The Fall of Man.   BC 4004.

6 E quando a mulher viu que a árvore era boa para se comer, e que era agradável aos olhos, e árvore desejável para dar um entendimento, tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido com ela e ele comeu. 7 E os olhos de ambos foram abertos, e eles sabiam que estavam nus e eles coseram folhas de figueira, e fizeram para si aventais. 8 E ouviram a voz do L ORD Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e Adão e sua mulher esconderam-se da presença do L ORD Deus, entre as árvores do jardim.

 

Aqui vemos o que Parley de Eva com o tentador terminou em. Satanás, por fim, ganha seu ponto, ea forte-hold é tomado por seus ardis. Deus tentou a obediência de nossos primeiros pais, proibindo-os da árvore do conhecimento, e Satanás se, por assim dizer, se juntar a questão com Deus, e em que muito coisa compromete-se a seduzi-los em uma transgressão e aqui encontramos como ele prevaleceu, Deus permitindo-la para fins sábios e santos.

 

  1. Temos aqui os incentivos que eles se mudaram para transgredir. A mulher, sendo enganada pela gerência astuta do tentador, foi líder em transgressão, 1 Timóteo 2:14. Ela estava em primeiro lugar na culpa e foi o resultado de sua consideração, ou melhor, sua desconsideração. 1. Ela não viu nenhum mal nisso árvore, mais do que em qualquer parte do resto. Dizia-se de tudo o resto das árvores de fruto com que o jardim do Éden foi plantada que eles eram agradáveis ​​à vista e boas para comida, Gênesis 2: 9. Agora, em seu olho, isso era como todo o resto. Parecia tão bom para o alimento como qualquer um deles, e ela não viu nada na cor de seu fruto que ameaçava de morte ou perigo era tão agradável à vista quanto qualquer um deles, e, portanto, "Que mágoa que poderia fazê-las? Por esta deve ser proibida los ao invés de qualquer parte do resto? " Nota: Quando não é pensado para ser não mais mal em fruto proibido do que em outro pecado fruta jaz à porta, e Satanás logo carrega o dia. Não, talvez lhe parecia ser melhor para o alimento, mais grato ao gosto, e mais nutritivo para o corpo, do que qualquer um dos demais, e seu olho era mais agradável do que qualquer. Nós somos muitas vezes entregue nas armadilhas por um desejo desordenado de ter os nossos sentidos gratificados. Ou, se isso não tinha nada nele mais convidativo do que o resto, mas foi o mais cobiçado porque foi proibido. Se era assim que nela ou não, nós achamos que em nós (isto é, em nossa carne, em nossa natureza corrupta) lá ​​habita um espírito de contradição estranha. Nitimur em vetitum - Nós desejamos o que é proibido. 2. Imaginou mais força nesta árvore do que em qualquer um dos demais, que era uma árvore não só não deve ser temida, mas desejável para dar entendimento, e nele se destacando todo o resto das árvores. Isso ela viu, isto é, ela percebido e entendido por que o diabo havia dito a ela e alguns pensam que ela viu a serpente comer daquela árvore, e que ele lhe disse que, assim, tinha ganhado as faculdades da fala e da razão, donde ela inferir o seu poder para fazer um sábio, e foi persuadido a pensar: "Se ele fez uma criatura bruta racional, por isso pode não fazer uma criatura divina racional?" Veja aqui como o desejo de conhecimento desnecessária, sob a noção equivocada de sabedoria, prova prejudicial e destrutiva para muitos. Nossos primeiros pais, que conheciam muito, não sabia disso - de que eles sabiam o suficiente. Cristo é uma árvore desejável para dar entendimento, Colossenses 2: 3, 1 Coríntios 1:30. Vamos, pela fé, alimentar-se dele, que pode ser sábio para a salvação. No paraíso celestial, a árvore do conhecimento não será uma árvore proibida para lá saberemos como somos conhecidos. Vamos, portanto, muito tempo para estar lá, e, nesse meio tempo, não a nós mesmos exercer em coisas muito alta ou muito profundas para nós, nem cobiçar a ser sábios acima do que está escrito.

 

  1. Os passos da transgressão, e não passos para cima, mas para baixo em direção ao poço - passos que levam no caminho do Seol. 1. Ela viu. Ela deveria ter se virou seus olhos da vaidade, mas vendo que ela entra em tentação, olhando com prazer sobre o fruto proibido. Observe-se, Uma grande quantidade de pecado vem em os olhos. Nessas janelas Satanás lança naqueles dardos inflamados que perfuram e envenenar o coração. O olho afeta o coração com culpa, bem como tristeza. Vamos, portanto, com o santo Job, fazer uma aliança com os nossos olhos, não olhar sobre aquilo que estamos em perigo de cobiçar, Provérbios 23:31; Mateus 5:28. Deixe o medo de Deus esteja sempre a nós para um véu dos olhos, Gênesis 20:16. 2. Ela tomou. Era seu próprio ato e ação. O diabo não tomá-lo, e colocá-lo em sua boca, se ela seria ou não, mas ela própria tomou. Satanás pode tentar, mas ele não pode forçar pode persuadir-nos a lançar-nos para baixo, mas ele não pode lançar-nos para baixo, Mateus 4: 6. Tomada de Eva estava roubando, como Achan de tomar o anátema, tendo que, para que ela não tinha o direito. Certamente ela levou-o com a mão trêmula. 3. Ela fez comer. Talvez ela não tinha a intenção, quando ela olhou, a tomar, nem, quando ela pegou, para comer, mas este foi o resultado. Nota: O caminho do pecado é downhill um homem não pode deter-se quando ele vai. O início dele é como o rompimento de água, em que é difícil dizer, "Até aqui virás e não mais." Por isso, é nossa sabedoria para suprimir as primeiras emoções do pecado, e deixá-lo fora antes que haja rixas. Obsta principiis -. Nip mal pela raiz 4. Ela também deu a seu marido com ela. É provável que ele não estava com ela quando ela foi tentado (certamente, se ele tivesse, ele teria interposto para impedir que o pecado), mas veio para ela quando ela tinha comido, e foi prevaleceu sobre por ela para comer da mesma forma, pois é mais fácil de aprender o que é ruim do que para ensinar o que é bom. Ela deu a ele, convencendo-o com os mesmos argumentos que a serpente tinha usado com ela, adicionando esta a todos os demais, que ela mesma tinha comido dele, e achei tão longe de ser mortal que era extremamente agradável e agradecido . As águas roubadas são doces. Ela deu a ele, sob a cor de gentileza - ela não iria comer estes deliciosos pedaços sozinho, mas realmente foi a maior maldade que ela poderia fazer dele. Ou talvez ela deu a ele que, se ele deve provar doloroso, ele pode compartilhar com ela na miséria, que na verdade parece estranhamente cruel, e ainda pode, sem dificuldade, se supor que entrar no coração de um que tinha comido proibido fruta. Observe, aqueles que se tenham feito mal são comumente dispostos a atrair os outros a fazer o mesmo. Como era o diabo, por isso foi Eva, tão logo um pecador do que um tentador. 5. Ele comia, superado por importunação de sua esposa. É desnecessário perguntar: "Qual teria sido a consequência se Eva só tinha transgredido?" A sabedoria de Deus, temos a certeza, teria decidido a dificuldade, segundo a equidade, mas, infelizmente! o caso não era tão Adão também comeu. "E o que um grande dano se ele fez?" dizem os raciocínios corruptos e carnais de uma mente vão. Que mal! Ora, esse ato envolvido descrença da palavra de Deus, juntamente com a confiança no diabo, o descontentamento com seu estado atual, o orgulho em seus próprios méritos, e ambição da honra que não vem de Deus, inveja para as perfeições de Deus, e indulgência dos apetites do corpo. Ao negligenciar a árvore da vida da qual ele foi permitido comer, e comer da árvore do conhecimento que era proibido, ele claramente mostrou um desprezo dos favores que Deus concedeu a ele, e uma preferência dada para aqueles que Deus não vê o ajuste para ele. Ele seria tanto a sua própria escultor e seu próprio mestre, teria o que quisesse e fazer o que quisesse: o seu pecado era, em uma palavra, desobediência (Romanos 5:19), a desobediência a uma planície, fácil, e comando expressar, o que provavelmente ele sabia ser um comando de julgamento. Ele pecou contra o grande conhecimento, contra muitas misericórdias, contra a luz e amor, a luz mais clara e mais querido do amor que nunca pecou contra pecador. Ele não tinha natureza corrupta dentro dele para traí-lo, mas tinha uma vontade livre, não escravizados, e estava em sua força total, não enfraquecido ou prejudicada. Ele se virou de lado rapidamente. Alguns pensam que ele caiu no mesmo dia em que ele foi feito, mas não vejo como conciliar isso com Deus pronunciando tudo muito bom no fim do dia. Outros supõem que ele caiu no sábado: o melhor dia da escritura pior. No entanto, é certo que ele manteve sua integridade, mas de muito pouco tempo: embora esteja em honra, ele não continuou. Mas o maior agravamento do seu pecado foi que ele envolveu toda a sua posteridade no pecado e ruína por ele. Deus ter lhe disse que sua corrida deve enchei a terra, certamente ele não podia deixar de saber que ele ficou como uma pessoa pública, e que sua desobediência seria fatal para toda a sua descendência e, em caso afirmativo, foi certamente tanto a maior traição e a maior crueldade que sempre foi. A natureza humana de ser apresentado inteiramente em nossos primeiros pais, daqui em diante ela não podia deixar de ser transmitido de-los sob uma attainder de culpa, uma mancha de desonra, e uma doença hereditária do pecado e da corrupção. E podemos dizer, então, que o pecado de Adão tinha, mas pouco mal nisso?

 

III. As últimas conseqüências da transgressão. Vergonha e medo apoderou-se dos criminosos, ipso facto - no fato em si estes veio ao mundo, juntamente com o pecado, e ainda assistir a ela.

 

  1. A vergonha se apoderou deles invisível, Gênesis 3: 7, onde a observar,

 

(1.) Os convicções fortes que caíram sob, em seus próprios seios: Os olhos de ambos foram abertos. Ele não se destina dos olhos do corpo estes estavam abertos antes, como parece pelo presente, que o pecado entrou no eles. Os olhos de Jonathan foram iluminados por comer fruta proibida (1 Samuel 14:27), isto é, ele foi renovado e revivido por ele, mas o deles não eram assim. Também não se entende de quaisquer avanços obtidos por este meio no verdadeiro conhecimento, mas os olhos de suas consciências foram abertos, seus corações feriu pelo que haviam feito. Agora, quando já era tarde demais, eles viram a loucura de comer fruta proibida. Eles viram a felicidade que tinha caído de, ea miséria que havia caído. Eles viram um Deus amoroso provocado, sua graça e favor perdido, sua imagem e semelhança perdida, domínio sobre as criaturas passaram. Eles viram suas naturezas corrompida e depravada, e sentiu um distúrbio em seus próprios espíritos dos quais nunca antes tinham sido consciente. Eles viram uma lei em seus membros guerreando contra a lei de suas mentes, e cativando-os tanto para o pecado e ira. Viram, como Balaão, quando seus olhos foram abertos (Números 22:31), o anjo do Senhor parado no caminho, ea sua espada desembainhada na mão e, talvez, eles viram a serpente que lhes tinha abusado insultar sobre eles. O texto nos diz que eles viram que estavam nus, ou seja, [1] Que eles foram despojados, privado de todas as honras e as alegrias do seu Estado-paraíso, e exposto a todas as misérias que poderia justamente ser esperados a partir de um Deus irado. Eles foram desarmados sua defesa se ​​tinha retirado-los. [2] Que eles estavam envergonhados, para sempre envergonhado, diante de Deus e dos anjos. Eles se viam despido de todos os seus ornamentos e insígnias de honra, degradadas de sua dignidade que caiu em desgraça no mais alto grau, aberto à desprezo e reprovação do céu e da terra, e suas próprias consciências. Agora veja aqui, Primeiro, Que desonra e disquietment pecado é que faz o mal onde quer que ele é admitido, define homens contra si perturba a sua paz, e destrói todos os seus confortos. Mais cedo ou mais tarde, ele terá vergonha, ou a vergonha de verdadeiro arrependimento, que termina em glória, ou que a vergonha e desprezo eterno ao qual os ímpios ressuscitarão no grande dia. O pecado é o opróbrio dos povos. Em segundo lugar, O que é enganador Satanás. Ele disse aos nossos primeiros pais, quando tentou eles, que seus olhos devem ser abertos e então eles estavam, mas não como eles compreenderam isso eles foram abertos para a sua vergonha e tristeza, não à sua honra nem proveito. Portanto, quando ele fala feira, não acreditar nele. Os mentirosos travessos mais mal-intencionados muitas vezes se desculpar com isso, que eles só equivocar, mas Deus não vai tão desculpá-los.

 

(2.) A mudança desculpe eles fizeram para paliar essas convicções, e para se armarem contra eles: Eles costurou, ou tecendo, folhas de figueira e para cobrir, pelo menos, parte de sua vergonha um do outro, eles fizeram para si aventais . Veja aqui o que é comumente a loucura daqueles que pecaram. [1] Que eles são mais solícitos para salvar seu crédito antes de os homens do que para obter o perdão de Deus são para trás, para confessar os seus pecados, e muito desejoso para escondê-lo, tanto quanto pode ser. Eu pequei, honra-me . [2] Que os homens fazem desculpas, para cobrir e atenuar os seus pecados, são vãs e frívolas. Como os aventais de folhas de figueira, eles fazem o assunto não o melhor, mas o pior é a vergonha, assim escondido, torna-se o mais vergonhoso. Ainda assim, estamos todos aptos para cobrir as nossas transgressões como Adão, Jó 31:33.

 

  1. Medo apreendeu-los imediatamente após a sua comer o fruto proibido, Gênesis 3: 8. Observe aqui, (1.) Qual foi a causa e ocasião de seu medo: eles. Ouviu a voz do Senhor Deus que passeava no jardim pela viração do dia foi a abordagem do juiz que colocá-los em um susto e mas ele veio em um modo tornou formidável apenas para consciências culpadas. Supõe-se que ele veio em uma forma humana, e que aquele que julgou o mundo agora era o mesmo que deve julgar o mundo no último dia, mesmo que o homem a quem Deus ordenou. Ele apareceu para eles agora (ele deve parecer) em nenhuma outra semelhança daquele em que o tinham visto quando ele colocá-los em paraíso para ele veio para convencer e humilhá-los, não para surpreender e aterrorizá-los. Ele entrou no jardim, não descer imediatamente do céu na sua opinião, como depois no Monte Sinai (fazendo qualquer escuridão seu pavilhão ou a labareda de fogo, seu carro), mas ele entrou no jardim, como um que ainda estava disposto a ser familiarizados com elas. Ele veio andando, não correr, não andar sobre as asas do vento, mas caminhando deliberadamente, como um lento para a cólera, ensinando-nos, quando estamos sempre muito irrita, não para ser quente nem apressada, mas para falar e agir considerately e não precipitadamente. Ele veio na viração do dia, não no meio da noite, quando todos os medos são duplamente temerosos, nem no calor do dia, para que ele não veio no calor da sua ira. Fúria não está nele, Isaías 27: 4. Nem ele vir de repente sobre eles, mas eles ouviram sua voz a uma certa distância, dando-lhes aviso de sua vinda, e, provavelmente, foi uma voz mansa e delicada, como aquele em que ele veio para perguntar depois de Elias. Alguns pensam que o ouvi discursar com ele mesmo quanto ao pecado de Adão, eo julgamento agora a ser passado sobre ele, talvez como ele fez a respeito de Israel, Oséias 11: 8-9. Como Darei a ti? Ou melhor, eles ouvi-lo chamando para eles, e vindo na direção deles. (2) Qual foi o efeito e evidência de medo deles: Eles esconderam-se da presença do Senhor Deus mudança triste --a! Antes eles tinham pecado, se eles tinham ouvido a voz do Senhor Deus vindo na direção deles, eles teriam correr para encontrá-lo, e com uma alegria humilde congratulou-se com as suas visitas graciosos. Mas, agora que era o contrário, Deus tinha se tornado um terror para eles, e, em seguida, não é de admirar que eles haviam se tornado um terror para si mesmos, e estava cheio de confusão. Suas próprias consciências acusou-os, e definir o seu pecado diante deles em suas cores próprias. Suas folhas de figueira falhado com eles, e lhes faria nenhum serviço. Deus tinha vindo contra eles como um inimigo, e toda a criação estava em guerra com eles e como eles ainda não sabia de qualquer mediador entre eles e um Deus irado, para que nada restava senão uma certa expectação horrível de juízo. Neste susto eles esconderam-se entre os arbustos ter ofendido, eles fugiram para o mesmo. Sabendo-se culpados, não se atreviam a ficar um julgamento, mas fugiu, e fugiu da justiça. Veja aqui, [1] A mentira do tentador, e as fraudes e falácias de suas tentações. Ele prometeu-lhes que deve ser seguro, mas agora eles não podem sequer pensar-se assim ele disse que eles não devem morrer, e ainda agora eles são forçados a voar para suas vidas que ele prometeu-lhes que deve ser avançado, mas eles mesmos ver um Based --Nunca fez eles parecem tão pouco como agora ele prometeu-lhes que eles devem estar sabendo, mas eles se vêem em uma perda, e não sabe tanto como onde se esconder, ele prometeu-lhes que eles devem ser como Deus, grande e corajoso, e ousadia, mas eles são como criminosos descobriram, trêmulo, pálido, e ansioso para escapar: eles não estariam sujeitos, e por isso eles são prisioneiros. [2] A loucura dos pecadores, a pensar que possível ou desejável para esconder-se de Deus: eles podem esconder-se do Pai das luzes? Salmo 139: 7-13, & c. Jeremias 23:24. Será que eles vão retirar-se da fonte da vida, o único que pode dar uma ajuda e felicidade? Jonah 2: 8. [3] O medo que atende pecado. Tudo o que incrível medo de aparições de Deus, as acusações da consciência, as abordagens dos problemas, os ataques de criaturas inferiores, e as prisões de morte, que é comum entre os homens, é o efeito do pecado. Adão e Eva, que foram parceiros no pecado, eram participantes da vergonha e medo de que a acompanhavam e, embora mão entrou na mão (mãos tão recentemente aderiram em casamento), mas eles não poderiam animar nem fortalecer um ao outro: edredons miseráveis ​​que tinham tornar-se um ao outro!

 

Versículos 9-10

9 E o L ORD bradou Deus a Adão, e disse-lhe: Onde arte tu? 10 E ele disse: Ouvi a tua voz no jardim, e fiquei com medo, porque eu estava nu e escondi-me.

 

Temos aqui a acusação desses desertores antes de o justo Juiz do céu e da terra, que, embora ele não está vinculado a observar formalidades, ainda prossegue contra eles com toda a justiça possível, para que ele possa ser justificada quando ele fala. Observe aqui,

 

  1. A questão surpreendente com que Deus perseguido Adão e prendeu-o: Onde estás? Não como se Deus não sabia onde ele estava, mas assim que ele entrar no processo contra ele. "Venha, onde está esse homem tolo?" Alguns torná-lo uma questão lamentando: "Pobre Adão, o que se tornou de ti" "Ai de ti!" (de modo algum lê-lo) "Como caíste, Lúcifer, filho da alva! Tu que foste meu amigo e favorito, que eu tinha feito tanto por, e teria feito muito mais para tens agora tu me deixaram, e arruinou a ti mesmo? Tem que chegar a isso? " É mais uma questão repreensão, para a sua condenação e humilhação: Onde estás? Não, Em que lugar? Mas, no que condição? "Isso é tudo o que tens obtido por comer fruta proibida Tu, que wouldest vie comigo,? tu agora voar de mim? " Nota: 1. Aqueles que pelo pecado se desviaram de Deus deve considerar seriamente onde estão eles estão longe de tudo de bom, no meio de seus inimigos, em escravidão a Satanás, e na estrada, à ruína. Este inquérito depois de Adão pode ser encarado como um exercício piedoso, em bondade para com ele, e no fim de sua recuperação. Se Deus não tivesse chamado para ele, para recuperá-lo, sua condição teria sido tão desesperada como a de anjos caídos esta ovelha perdida teria vagou sem parar, se o bom pastor não tinha procurado depois dele, para trazê-lo de volta, e, em Para tanto, lembrou-lhe onde ele estava, onde ele não deveria estar e onde ele não poderia ser feliz ou fácil. Nota, 2. Se os pecadores, mas considerar onde eles estão, eles não vão descansar até que eles voltem para Deus.

 

  1. A resposta tremor que Adão deu a esta pergunta: Ouvi a tua voz no jardim, e fiquei com medo, Gênesis 3:10. Ele não possui a sua culpa, e ainda em vigor confessa que por possuir a sua vergonha e medo, mas é a culpa e loucura daqueles que têm feito uma coisa doente, quando eles são questionados sobre isso comum, a reconhecer não mais do que o que é tão evidente que não podemos negar. Adam estava com medo, porque estava nu não só desarmado, e, portanto, com medo de lutar com Deus, mas sem roupa, e, portanto, com medo tanto quanto a comparecer perante ele. Temos razão para ter medo de se aproximar de Deus se não ser revestidos e vedada com a justiça de Cristo, para nada, mas esta será a armadura da prova e cobrir a vergonha de nossa nudez. Vamos, portanto, colocar o Senhor Jesus Cristo, e, em seguida, se aproximam com humilde ousadia.

 

Versículos 11-13

11 E Deus disse: Quem te mostrou que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei que não comesses? 12 E o homem disse: A mulher que me deste por companheira que ser comigo, ela me deu da árvore, e eu comi. 13 E o L ORD Deus disse à mulher: Que é isso que fizeste? E disse a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.

 

Temos aqui os infratores considerados culpados por sua própria confissão, e ainda se esforçando para desculpar e atenuar sua culpa. Eles não podiam confessar e justificar o que tinha feito, mas eles confessam e paliar-lo. Observe,

 

  1. Como sua confissão foi extorquido eles. Deus colocou-o ao homem: Quem te mostrou que estavas nu? Gênesis 03:11. "Como chegaste a ser sensato da tua nudez como a tua vergonha?" Comeste da árvore proibida? Nota: Ainda que Deus sabe todos os nossos pecados, ele ainda vai conhecê-los de nós, e exige de nós uma confissão ingênua deles não para que ele possa ser informado, mas para que sejamos humilhados. Neste exame, Deus lembra-lhe o comando que ele lhe dera: "Eu ordenei não comer dele, eu o teu Criador, Eu teu Mestre, eu teu benfeitor te ordenei o contrário." Sin parece mais simples e mais pecaminoso no vidro do mandamento, portanto, Deus aqui define-lo antes de Adão e nele devemos ver nossos rostos. A pergunta que a mulher era, Que é isto que fizeste? Gênesis 03:13. "Queres também culpa tua, e faze confissão dele? E tu ver o que uma coisa má que era?" Nota, Trata-se aqueles que comeram fruto proibido a si mesmos, e especialmente aqueles que têm atraído outros para comê-lo da mesma forma, a considerar seriamente o que eles fizeram. Em que come a fruta proibida, temos ofendido a Deus grande e gracioso, quebrado uma lei justa e justo, violou um pacto sagrado e solene, e injustiçado nossas próprias almas preciosas por perder o favor de Deus e expondo-nos a sua ira e maldição: em sedutora outros para desfrutá-los, fazemos a obra do diabo, tornar-nos culpados de pecados alheios, e acessória à sua ruína. Que é isso que temos feito?

 

  1. Como o crime foi atenuada por eles em sua confissão. Foi para nenhum propósito para pleitear não culpado. O show de seus semblantes protestaram contra eles, portanto, eles se tornam seus próprios acusadores: "eu comi," diz o homem, "E eu também," diz a mulher para quando Deus julga ele vai superar. Mas estes não se parecem com confissões penitentes para em vez de agravar o pecado, e tendo vergonha para si mesmos, eles desculpar o pecado, e colocar a vergonha e culpa nos outros. 1. Adam coloca toda a culpa em cima de sua esposa. "Ela me deu da árvore, e apertou-me a comê-lo, o que fiz, só para agradá-la" - uma desculpa frívola. Ele deveria ter ensinado a ela, não ter sido ensinado por ela e foi não importa difícil determinar qual dos dois ele deve ser governado por, seu Deus ou sua esposa. Saiba, daí, para nunca mais ser levado a pecar por aquilo que não vai trazer-nos fora no julgamento não deixe que suportar-nos na comissão que não vai suportar-nos para fora no julgamento nos deixar, portanto, nunca ser superado por importunação para agir contra nossas consciências, nem nunca desagradar a Deus, para agradar o melhor amigo que temos no mundo. Mas este não é o pior. Ele não só coloca a culpa em cima de sua esposa, mas expressa de forma tácita a refletir sobre o próprio Deus: "É a mulher que me deste, e deste para estar comigo como meu companheiro, meu guia, e meu conhecimento que ela deu me da árvore, outra coisa que eu não tinha comido dele. " Assim, ele insinua que Deus era acessório para o seu pecado: ele deu-lhe a mulher, e ela deu-lhe o fruto, para que ele parecia tê-lo em apenas uma remoção da própria mão de Deus. Nota: Há uma propensão estranha naqueles que estão tentados a dizer que eles estão tentados de Deus, como se os dons de Deus nossos abusando iria desculpar nossa violação das leis de Deus. Deus nos dá riquezas, honras e relações, para que possamos servi-lo alegremente no gozo deles, mas, se levarmos ocasião aos pecar contra ele, em vez de culpar a Providência para colocar-nos em tal condição, temos de nos culpar para perverter os desenhos graciosos da Providência nela. 2. Eva coloca toda a culpa sobre a serpente: A serpente me enganou. O pecado é um moleque que ninguém está disposto a possui, um sinal de que é uma coisa escandalosa. Aqueles que estão dispostos suficiente para levar o prazer e lucro de pecado são para trás o suficiente para assumir a culpa e vergonha dele. "A serpente, aquela criatura sutil do teu tomada, o que fizeste permitir a entrar em paraíso para nós, ele me enganou", ou me fez errar por nossos pecados são os nossos erros. Saiba, portanto, (1) Que as tentações de Satanás são todos beguilings, seus argumentos são todas falácias, as suas seduções são todas as fraudes quando fala justo, não acreditar nele. O pecado nos engana, e, enganando, nos engana. É pelo engano do pecado que o coração está endurecido. Ver Romanos 7:11; Hebreus 03:13. (2) Que embora sutileza de Satanás chamou-nos no pecado, ainda que não irá justificar-nos em pecado: que ele é o tentador, nós somos os pecadores e de fato é nossa própria concupiscência que nos atrai para o lado e nos seduz, James 1: 14. Que não, portanto, diminuir a nossa tristeza e humilhação para o pecado que estamos enganou nele, mas sim deixá-lo aumentar a nossa auto-indignação que devemos sofrer nós mesmos para ser seduzido por uma fraude conhecida e um inimigo jurado. Bem, este é todos os prisioneiros no bar têm a dizer por que sentença não deve ser passado e execução atribuída, de acordo com a lei e isso tudo é quase nada, em alguns aspectos, pior do que nada.

 

Versículo 14-15

Condenação de a Serpente Intimação de Messias.   BC 4004.

14 E o L ORD Deus disse à serpente: Porquanto fizeste isto, tu és amaldiçoada sobretudo bovinos, e acima de todos os animais do campo sobre o teu ventre tu ir, e pó comerás todos os dias da tua vida: 15 E porei inimizade entre ti ea mulher, entre a tua descendência ea sua descendência esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.

 

Os prisioneiros de ser considerado culpado por sua própria confissão, além do conhecimento pessoal e infalível do juiz, e nada material que está sendo oferecido em prisão de julgamento, Deus imediatamente prossegue para passar uma frase e, nestes versos, ele começa (onde o pecado começou) com a serpente. Deus não examinou a serpente, nem perguntar o que ele tinha feito, nem por que ele fez isso, mas imediatamente o condenou, 1. Porque ele já foi condenado por rebelião contra Deus, e sua malícia e maldade eram notórios, não encontrado na pesquisa secreta, mas abertamente declarado e declarado como Sodoma. 2. Porque ele era para ser para sempre excluída de toda a esperança de perdão e por que qualquer coisa ser dito para convencer e humilhá-lo que era não encontrar lugar para o arrependimento? O ferimento não foi procurado, porque não era para ser curada. Alguns pensam que a condição dos anjos caídos não foi declarado desesperado e desamparado, até agora que tinha seduzido o homem em rebelião.

 

  1. A frase passou a o tentador pode ser considerada como a iluminação sobre a serpente, a criatura-bruta que Satanás fez uso do que era, como o resto, feito para o serviço do homem, mas agora foi abusado para o seu próprio dano. Portanto, para testemunhar um descontentamento contra o pecado, e um ciúme pela honra ferida de Adão e Eva, Deus prende uma maldição e opróbrio sobre a serpente, e torna-a gemer, sendo sobrecarregados. Ver Romanos 8:20. Instrumentos do diabo devem compartilhar punições do diabo. Assim, os corpos dos ímpios, embora apenas instrumentos de injustiça, devem participar da tormentos eterno com a alma, o agente principal. Mesmo o boi que matou um homem deve ser apedrejado, Êxodo 21: 28,29. Veja aqui como Deus odeia o pecado, e, especialmente, o quanto ele está descontente com aqueles que seduzir os outros a pecar. É uma marca permanente sobre o nome de Jeroboão que ele fizera Israel pecar. Agora, 1. A serpente está aqui colocados sob a maldição de Deus:. Tu és amaldiçoada sobretudo bovinos Até mesmo os répteis, quando Deus fez eles, foram abençoados de ele (Gênesis 1:22), mas o pecado transformou a bênção em maldição. A serpente era o mais astuto de todos os animais do campo (Gênesis 3: 1), e aqui,. amaldiçoada acima de todos os animais do campo sutileza não santificada prova frequentemente uma grande maldição para o homem e os homens mais astutos estão a fazer mal a mais mal que fazem, e, consequentemente, devem receber maior condenação. Tentadores sutis são as criaturas mais malditas sob o sol. 2. Ele está aqui colocada sob censura e inimizade do homem. (1.) Ele deve ser para sempre encarado como uma criatura vil e desprezível, e um objeto próprio de escárnio e desprezo: "Ao teu ventre tu deverás ir, não está mais em cima do pé, ou a metade ereta, mas tu és crawl ao longo , o teu ventre clivagem para a terra ", uma expressão de uma condição miserável muito abjeta, Salmo 44:25" e tu não evitar comer poeira com a tua carne ". Seu crime foi que ele tentou Eva a comer o que ela não deve sua punição foi que ele foi necessário para comer o que ele não faria: Poeira hás de comer. Isto denota não só uma base e condição desprezível, mas uma média e espírito lamentável diz-se daqueles cuja coragem se afastou de que eles lamber o pó como serpentes, Micah 7:17. Como é triste que a maldição da serpente deve ser a escolha do mundano avarentos, cujo personagem é que ele calça após o pó da terra! Amos 2: 7. Estes escolhem os seus próprios delírios, e assim deve ser sua desgraça. (2.) Ele deve ser para sempre encarado como uma criatura nociva venenosa, e um objeto próprio de ódio e repulsa:. Porei inimizade entre ti ea mulher As criaturas inferiores que está sendo feito para o homem, que era uma maldição sobre qualquer um deles para voltar-se contra o homem e do homem contra eles e isso é parte da maldição da serpente. A serpente é prejudicial ao homem, e muitas vezes fere o calcanhar, porque pode atingir não superior nay, o aviso é levado de sua mordendo calcanhares dos cavalos, Gênesis 49:17. Mas o homem é vitorioso sobre a serpente, e contusões de sua cabeça, isto é, dá-lhe uma ferida mortal, com o objetivo de destruir toda a raça de víboras. É o efeito desta maldição sobre a serpente que, embora aquela criatura é sutil e muito perigoso, ainda não prevalece (como seria se Deus deu-lhe comissão) para a destruição da humanidade. Esta frase pronunciada sobre a serpente é muito fortalecido por essa promessa de Deus para o seu povo, Pisarás o leão ea cobra (Salmo 91:13), e que de Cristo aos seus discípulos, pegarão em serpentes (Marcos 16 : 18), testemunha Paulo, que saiu ileso pela víbora que se firmou em sua mão. Observe aqui, A serpente ea mulher tinham acabado agora sido muito familiar e amigável no discurso sobre o fruto proibido, e um acordo maravilhoso houve entre eles, mas aqui eles são irremediavelmente fixado em variância. Nota, amizades Sinful acabar justamente em rixas mortais: os que se unem em maldade não se unirão longo.

 

  1. Esta frase pode ser considerada como dirigidas ao diabo, que só fez uso da serpente como seu veículo neste aspecto, mas era ele mesmo o agente principal. Ele que falou pela boca da serpente está aqui atacou através do lado da serpente, e se destina principalmente na frase, que, como a coluna de nuvem e fogo, tem um lado escuro para o diabo e um lado bom para os nossos primeiros pais e sua semente. Grandes coisas estão contidos nestas palavras.

 

  1. A reprovação perpétua está aqui presa aos que grande inimigo, tanto para Deus eo homem. Sob a capa da serpente, ele está aqui condenado a ser, (1.) degradadas e maldito de Deus. Supõe-se que o pecado que virou anjos em demônios era o orgulho, que está aqui justamente punido por uma grande variedade de mortificações formulada sob as circunstâncias médios de uma serpente que rasteja em sua barriga e lambendo a poeira. Como caíste, ó Lúcifer! Aquele que seria acima de Deus, e iria liderar uma rebelião contra ele, é justamente aqui exposto ao desprezo e mentiras para ser pisado o orgulho de um homem o abaterá, e Deus vai humilhar aqueles que não se humilhar. (2.) detestada e abominou de toda a humanidade. Mesmo aqueles que são realmente seduzido para o seu interesse ainda professam uma ódio e aversão a ele e todos os que são nascidos de Deus torná-lo seu cuidado constante para manter-se, que este perverso one touch-los não, 1 João 5:18. Ele está aqui condenados a um estado de guerra e inimizade irreconciliável. (3.) destruiu e arruinou a última por o grande Redentor, representada pela quebra de sua cabeça. Sua política sutis todos serão perplexo, seu poder usurpado serão inteiramente esmagado, e ele será para sempre um cativeiro para a honra ferida da soberania divina. Ao ser informado disso agora ele foi atormentado antes do tempo.

 

  1. A discussão perpétua está aqui começou entre o reino de Deus eo reino do diabo entre os homens guerra é proclamado entre a semente da mulher ea semente da serpente. Que a guerra no céu entre Michael eo dragão começou agora, Apocalipse 12: 7. É o fruto dessa inimizade, (1) Que existe um conflito contínuo entre a graça ea corrupção nos corações do povo de Deus. Satanás, por suas corrupções, assalta-los, buffets eles, peneira-los, e procura devorar-lhes que, pelo exercício de suas graças, resistir a ele, lutar com ele, saciar seus dardos inflamados, obrigá-lo a fugir deles. Céu e inferno não podem ser conciliados, nem luz e as trevas não mais pode Satanás e uma alma santificada, para estes opõem-se um ao outro. (2) Que existe igualmente uma luta contínua entre os ímpios e os justos neste mundo. Aqueles que amam a Deus conta esses seus inimigos que ele, odeiam Salmo 139: 21,22. E toda a raiva e maldade dos perseguidores contra o povo de Deus são o fruto dessa inimizade, que continuará enquanto houver um homem piedoso sobre este lado do céu, e um homem perverso neste inferno lado. Marvel, portanto, não se o ódio mundo você, 1 João 3:13.

 

  1. A promessa graciosa aqui é feita de Cristo, como o libertador do homem caído do poder de Satanás. Embora o que foi dito foi dirigida à serpente, mas foi dito na audição de nossos primeiros pais, que, sem dúvida, levou as sugestões de graça aqui dado a eles, e vi uma porta de esperança abriu para eles, então a seguinte frase em cima eles próprios teriam oprimido-los. Ali estava o amanhecer do dia evangelho. Tão logo foi dada a ferida do que o remédio foi fornecido, e revelado. Aqui, na cabeça do livro, como a palavra é (Hebreus 10: 7), no início da Bíblia, está escrito de Cristo, que ele deve fazer a vontade de Deus. Pela fé nessa promessa, temos razão para pensar, nossos primeiros pais, e os patriarcas antes do dilúvio, foram justificados e salvos e esta promessa, e os benefícios dela, servindo a Deus noite e dia, eles esperavam por vir. Aviso é aqui dado a eles de três coisas a respeito de Cristo: - (1.) Sua encarnação, que deve ser a semente da mulher, a semente do que mulher, portanto, sua genealogia (Lucas 3: 1-38) vai tão alto quanto para mostrar que ele é o filho de Adão, mas Deus faz a mulher a honra de chamá-lo de vez sua semente, porque ela era quem o diabo tinha enganou, e em quem Adam tinha colocado a culpa Deus aqui amplia sua graça, em que , embora a mulher foi a primeira na transgressão, mas ela será salvo por fértil (como alguns lê-lo), ou seja, pela semente prometida que descerá dela, 1 Timóteo 2:15. Ele também era para ser a semente de apenas uma mulher, de uma virgem, que não pode ser contaminado com a corrupção de nossa natureza, ele foi enviado para trás, feito de uma mulher (Gálatas 4: 4), que esta promessa se ​​cumprisse . É um grande incentivo para os pecadores que seu Salvador é a semente da mulher, osso do nosso osso, Hebreus 2: 11,14. O homem é, portanto, pecaminoso e impuro, porque é nascido de uma mulher (Jó 25: 4), e, portanto, os seus dias são cheios de problemas, Jó 14: 1. Mas a semente da mulher foi feito pecado e maldição por nós, para que nos salvar de ambos. (2.) Seus sofrimentos e morte, apontou em Satanás hematomas seu calcanhar, ou seja, sua natureza humana. Satanás tentou Cristo no deserto, para atraí-lo para o pecado e alguns acham que foi Satanás que aterrorizava Cristo em sua agonia, para levá-lo ao desespero. Foi o diabo que colocá-lo no coração de Judas para trair Cristo, de Peter para negar-lhe, dos principais sacerdotes para processá-lo, das falsas testemunhas para acusá-lo, e de Pilatos para condená-lo, tendo em vista, tudo isso, destruindo o Salvador, para arruinar a salvação, mas, pelo contrário, era a morte que Cristo destruiu o que tinha o poder da morte, Hebreus 2:14. Calcanhar de Cristo foi ferido quando seus pés foram perfurados e pregado na cruz, e os sofrimentos de Cristo são continuados nos sofrimentos dos santos para o seu nome. O diabo tenta-los, lança-los na prisão, persegue e mata-los, e assim por contusões o calcanhar de Cristo, que é afligido em suas aflições. Mas, enquanto o calcanhar está machucado na terra, é bom que a cabeça está seguro no céu. (3.) Sua vitória sobre Satanás assim. Satanás já tinha pisado a mulher, e insultado por ela, mas a semente da mulher deve ser levantado na plenitude do tempo para vingar sua discussão, e pisar em cima dele, para mimá-lo, levá-lo em cativeiro, e para triunfar sobre ele, Colossenses 2:15. Este te ferirá a cabeça, isto é, ele deve destruir todas as suas políticas e todos os seus poderes, e dar uma derrubada total a seu reino e interesse. Cristo perplexo tentações de Satanás, almas resgatadas de suas mãos, lançaram-no fora dos corpos das pessoas, despossuídos o homem forte armado, e dividiu o seu despojo: com a sua morte, ele deu uma fatal e golpe incurável para o reino do diabo, uma ferida à cabeça desta besta, que nunca pode ser curada. Como seu evangelho recebe chão, Satanás cai (Lucas 10:18) e está vinculado, Apocalipse 20: 2. Por sua graça, ele pisa Satanás debaixo dos pés de seu povo (Romanos 16:20) e será oportunamente lançou-o no lago de fogo, Apocalipse 20:10. E derrubada perpétua do diabo será a alegria completa e eterna e glória do remanescente escolhido.

 

SUBSIDIO GENESIS ROMANOS 5 SUBSIDIO (N.3) LIÇÃO ADULTOS

 

 

  Verso 12

Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo - A partir deste verso, para a conclusão do capítulo, o apóstolo produz um forte argumento para provar que, como toda a humanidade estava em necessidade da graça de Deus em Cristo para redimi-los de seus pecados, para que esta graça foi oferecida igualmente a todos, judeus e gentios.

 

Dr. Taylor deu a seguinte análise do modo de argumentação do apóstolo. O argumento fica assim: -.. "As conseqüências da obediência de Cristo estender tanto quanto as conseqüências da desobediência de Adão As conseqüências da desobediência de Adão estender-se a toda a humanidade e, portanto, assim como as conseqüências da obediência de Cristo Agora, se os judeus não vai permitir que os gentios qualquer interesse em Abraão, como não sendo naturalmente descendentes dele, mas eles devem possuir para que os gentios são os descendentes de Adão, assim como a si mesmos, e sendo todos igualmente envolvido nas consequências de seu pecado, a partir do qual "( na medida em que a morte do corpo está em causa) "serão todos igualmente ser lançado na ressurreição, através do dom gratuito de Deus, portanto, eles não podiam negar os gentios uma quota em todas as outras bênçãos incluídos no mesmo dom."

 

Este argumento, além de provar o ponto principal, vai mostrar:

 

Que a graça de Deus no Evangelho abunda além, ou muito excede em muito, a simples inversão dos sofrimentos trouxe à humanidade por um delito de Adão; pois confere um vasto surplusage de bênçãos que não têm relação com esse delito, mas para os muitos crimes que cometeram a humanidade e para a exuberância da graça divina.

Para mostrar como justamente a graça divina é fundada na obediência de Cristo, em correspondência com a dispensação Adam estava sob, e as conseqüências de sua desobediência: se esta desobediência envolveu toda a humanidade na morte, é adequado que a obediência de Cristo deveria ser a causa não só de inverter que a morte de toda a humanidade, mas também de outras bênçãos que Deus julgasse adequado (por ele) para conceder o mundo.

Ele serve para explicar, e situado em uma visão clara, a diferença entre a lei ea graça. Foi a lei que, por uma transgressão de Adão, submetido a ele e sua posteridade, tal como incluído no-lo quando ele transgrediu, até a morte, sem esperança de um renascimento. É a graça que restaura todos os homens para a vida na ressurreição; e, para além disso, forneceu uma dispensa graciosa para o perdão de seus pecados; para reduzi-los à obediência; para guardá-los contra as tentações; fornecendo-lhes força e conforto; e para avançar-los para a vida eterna. Isso daria ao atenta judeu apenas uma noção da lei que ele mesmo estava sob, e em que ele estava desejoso de levar os gentios.

A ordem em que o apóstolo lida com esse argumento é o seguinte: -

Ele afirma que a morte passou a todos os homens por uma transgressão de Adão, Romanos 5:12.

Ele prova isso, Romanos 5:13, Romanos 5:14; :

Ele afirma que há uma correspondência entre Adão e Cristo; ou entre o παραπτωμα, ofensa, eo χαρισμα, dom gratuito, Romanos 5:14.

Esta correspondência, desde que as duas partes opostas responder uns aos outros, é justamente expressa, Romanos 5:18, Romanos 5:19; e aí temos a posição principal ou fundamental do argumento do apóstolo, em relação ao ponto que ele tem vindo a defender desde o início da epístola, ou seja, a extensão da graça do Evangelho, que ele realmente atinge a todos os homens, e não se limita aos judeus.

Mas, antes que ele previsto nessa posição, era necessário que ele deve mostrar que a correspondência entre Adão e Cristo, ou entre o delito eo dom, não é para ser estritamente limitados aos limites especificados na posição, como se o presente chegou mais longe do que as consequências da infracção; quando na realidade se estende muito para além deles, Romanos 5: 15-17.

Tendo estabelecido esses pontos, como anteriormente necessário para limpar a sua posição fundamental, e se encaixam ao seu argumento, ele então estabelece que a posição de uma forma diversificada de expressão, Romanos 5:18, Romanos 5:19, assim como em 1 Coríntios 15: 20, 1 Coríntios 15:21, e deixa-nos a concluir, a partir das premissas estabelecidas, Romanos 5: 15-17, que o dom ea graça em sua extensão máxima, é tão livre a toda a humanidade que estão dispostos a aceitar de que, como neste caso particular, a ressurreição dos mortos. Todos eles serão ressuscitou dentre os mortos a seguir; todos eles podem ser vivificado pelo Espírito aqui.

Tendo assim demonstrado a extensão da graça divina, em oposição aos efeitos terríveis da lei sob a qual Adam foi; que os judeus não poderia ignorar o que ele pretendia eles devem observar particularmente, ele coloca-los em mente que o direito dado a Adão, transgredir e morrer, foi introduzido na Constituição judaica pelo ministério de Moisés; e para este fim, que o delito, com pena de morte a ele anexa, pode abundam, Romanos 5:20. Mas, para ilustrar a graça divina, fixando-o em contraste com a lei, ele imediatamente acrescenta: onde o pecado, submetendo à morte, fez abundar, tem muito mais graça abundou; isto é, em bênçãos concedidas; que se estendeu muito além tanto transgressão de Adão, e as transgressões ao abrigo da lei de Moisés, Romanos 5:20, Romanos 5:21, e veja a nota sobre Romanos 5:20.

Após este argumento o médico aprendeu faz as seguintes observações gerais: -

"I. Como a ordem de tempo: o apóstolo carrega seus argumentos para trás a partir do momento em que Cristo veio ao mundo (Romanos 1:17; Romanos 4.) para o momento em que a aliança foi feita com Abraão, (Romanos 4 .), ao tempo em que o julgamento de condenação, pronunciada sobre Adão, veio a todos os homens, Romanos 5:12, até o fim. E assim ele nos dá uma visão das principais dispensações desde o início do mundo.

"II Neste último caso, bem como nos dois primeiros, ele usa a lei ou termos forenses;. Acórdão de condenação, justificação, justificar, feitos pecadores, feitos justos E, portanto, como ele considera judeus e gentios na vinda. de Cristo, e de Abraão quando o pacto foi feito com ele, para que ele considera Adão, e todos os homens, como em pé no pátio diante do tribunal de Deus. E essa foi a maneira mais clara e concisest de representar seus argumentos. " Notes, p. 283.

O pecado entrou no mundo - Havia nem pecado nem morte antes da transgressão de Adão; Depois disso, não foram ambos. Transgressão de Adão foi, portanto, a causa de ambos.

 

E pelo pecado a morte - o mal natural é, evidentemente, o efeito do mal moral; se o homem nunca tivesse pecado, ele nunca tinha sofrido. Tu és pó, e em pó te retorno, nunca mais foi falado até depois Adam tinha comido o fruto proibido.

 

A morte passou a todos os homens - Daí, vemos que todos os seres humanos participou nas conseqüências do pecado de Adão. Ele propagou seus semelhantes; e, com os rudimentos da sua própria natureza, propagada aqueles de sua semelhança moral.

 

Para que todos pecaram - Todos nascem com uma natureza pecaminosa; e as sementes deste mal vegetam em breve, e produzirá frutos correspondentes. Nunca houve um caso de uma alma humana imaculada desde a queda de Adão. Todo homem pecados, pecados e também à semelhança da transgressão de Adão. Adam se esforçado para ser independente de Deus; toda a sua prole ato da mesma forma: por isso a oração é pouco utilizado, porque a oração é a linguagem de dependência; e isso é inconsistente com todas as emoções do pecado original. Quando estas crianças degenerados de pais degenerados são detectados em seus pecados, eles agem da mesma maneira que seus pais fizeram; cada um se desculpa, e coloca a culpa em outro. Que fizeste? - A mulher que me deste, para estar comigo; Ela me deu, e eu comi. Que fizeste? A serpente me enganou, e eu comi. Assim, é extremamente difícil encontrar uma pessoa que reconhece ingenuously suas próprias transgressões.

 

Veja as notas em Gênesis 3: 6, etc., onde a doutrina do pecado original é particularmente consideradas.

 

O versículo 13

Porque antes da lei havia pecado no mundo - como a morte reinou desde Adão até Moisés, assim também o fez pecado. Agora, como não havia nenhuma lei escrita de Adão a que foi concedido a Moisés, a morte que prevaleceu não poderia ser a violação desta lei; para o pecado, de modo a ser punido com a morte física, não é imputado onde não há lei, o que mostra a penalidade do pecado é a morte. Portanto, os homens não estão sujeitas à morte por suas próprias transgressões pessoais, mas para o pecado de Adão; como, através de sua transgressão, todos vêm ao mundo com as sementes da morte e da corrupção em sua própria natureza, superadded a sua depravação moral. Todos são pecadores - todos são mortais - e todos devem morrer.

 

Verso 14

No entanto, a morte reinou desde Adão até Moisés - Isto supõe, como o Dr. Taylor observa muito corretamente: -

 

Que o pecado estava no mundo desde Adão até Moisés.

Essa lei não estava no mundo desde Adão até Moisés, durante o espaço de cerca de 2500 anos; para, depois de transgressão de Adão, que a lei foi revogada; e, a partir desse momento, os homens eram ou sob o pacto geral da graça dada a Adam ou Noé, ou sob o que foi feito especialmente com Abraão.

Que, portanto, os pecados cometidos não foram imputados a eles até a morte, para que eles não pecou à semelhança da transgressão de Adão; ou seja, eles não o fez, como ele, transgredir a lei, ou regra de ação, para que a morte, como a pena, foi anexada. E ainda -

A morte reinou sobre a humanidade durante o período entre Adão e Moisés; portanto, os homens não morreu por suas próprias transgressões, mas em consequência de uma transgressão de Adão.

Quem é a figura daquele que havia de vir - Adam foi a figura, τυπος, o tipo, padrão ou semelhança daquele que havia de vir; isto é, do Messias. A correspondência entre eles aparece nas seguintes indicações: -

Através dele, como sua mola e fonte, o pecado tornou-se difundido pelo mundo, para que todo o homem vem ao mundo com propensões pecaminosas: para por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte e assim também a morte passou a todos os homens, Romanos 5:12. Através de Cristo, como sua mola e fonte, a justiça torna-se difundido através da terra; de modo que cada homem é feito participante de um princípio de graça e de verdade; pois ele é a verdadeira luz que ilumina todo homem que vem ao mundo, João 1: 9.

Como em Adão todos morrem; assim também em Cristo todos serão vivificados, 1 Coríntios 15:22. Pois, como por um homem veio a morte, também por um homem veio a ressurreição dos mortos, 1 Coríntios 15:21.

  1. Como em ou através de Adam culpa veio sobre todos os homens, então, por meio de Cristo, o dom gratuito vem sobre todos os homens para justificação de vida, Romanos 5:18. Estes só parecem ser os casos em que exista uma similitude entre Adão e Cristo.

Verso 15

Mas não como a ofensa, por isso também é o dom gratuito - O mesmo escritor aprendeu, citado acima, continua a observar: -

 

"É evidente que o apóstolo, neste e nos dois seguintes versos, está em execução um paralelo, ou fazer uma comparação entre o delito de Adão e suas conseqüências; eo dom oposto de Deus e as suas consequências e, nestes três versos. , ele mostra que a comparação não vai segurar bem em todos os aspectos, porque o dom gratuito, χαρισμα, concede bênçãos muito além das consequências da infracção e que, portanto, não têm relação com ele. E isso era necessário, não só para evitar erros relativos a conseqüência da transgressão de Adão, e na medida da graça do Evangelho; mas também era necessário para o design principal do apóstolo, que foi não apenas para provar que a graça do Evangelho se estende a todos os homens, tanto quanto ele decola a consequência da ofensa de Adão, (ou seja, a morte, sem a promessa ou a probabilidade de uma ressurreição), mas que igualmente se estende a todos os homens, no que diz respeito à surplusage de bênçãos, na qual se estende muito além da consequência do delito de Adão. Para , a graça que tira as consequências da transgressão de Adão, ea graça que abunda além dela, estão ambos incluídos na mesma χαρισμα, ou dom gratuito, que deve ser bem observado; no presente, eu concebo, mentir a conexão e tendões do argumento: o dom gratuito, que se opõe à ofensa de Adão, e que, penso eu, foi concedido imediatamente após a infracção; Gênesis 3:15; : A semente da mulher esmagará a cabeça da serpente. Este dom, eu digo, inclui tanto a graça que responde exatamente ao delito, e que é parte da graça que se estende muito além dela. E, se por um lado o dom de ser dada gratuitamente em toda a humanidade, como os judeus permitir, por que não o outro? especialmente, considerando que todo o dom está em cima de uma razão e fundamento na excelência e valor, vastamente superando a malignidade e demérito da infracção; e, por conseguinte, capazes de produzir benefícios muito além do sofrimento ocasionado pela ofensa. Esta é a força do argumento do apóstolo; e, portanto, supor que nos versículos 18 e l9th, literalmente entendido, ele compara a conseqüência da transgressão de Adão e obediência de Cristo, apenas a medida em que a um é proporcional para o outro, mas seu raciocínio, Romanos 5: 15-17, claramente mostra que é seu significado e intenção que devemos ter em sua conclusão a totalidade do presente, tanto quanto ele pode chegar, a toda a humanidade ".

 

Porque, se, pela ofensa de um, morreram muitos - Que o οἱ πολλοι, a muitos dos apóstolo aqui significa toda a humanidade não precisa de prova para qualquer pessoa, mas que que se encontra qualificado para negar que todos os homens são mortais. E se a muitos, isto é, toda a humanidade, morreram pela ofensa de um; certamente, o dom pela graça, que abunda até τους πολλους, a muitos, por Cristo Jesus, deve ter referência a todo ser humano. Se as conseqüências da encarnação e morte de Cristo abrange apenas alguns, ou um número seleto de humanidade - que, embora possam ser considerados muitos em si mesmos, são poucos em comparação de toda a raça humana -, então as conseqüências do pecado de Adão estenderam apenas a uns poucos, ou com o mesmo número seleto: e se apenas muitos, e nem todos têm caído, mas apenas que muitos tinham necessidade de um Redentor. Por isso é mais evidente que as mesmas pessoas têm referido em ambas as cláusulas do versículo. Se o apóstolo tinha acreditado que os benefícios da morte de Cristo tinha estendido apenas para um seleto número de humanidade, ele nunca poderia ter usado a linguagem que ele tem feito até aqui: apesar de, na primeira cláusula, ele poderia ter dito, sem qualquer qualificação do termo, pela ofensa de um, Muitos estão mortos; na segunda cláusula, para ser coerente com a doutrina da redenção particular, ele deve ter dito, A graça de Deus, eo dom pela graça, abundou sobre Some. Como por uma só ofensa veio o juízo sobre todos os homens para condenação, assim, pela justiça de um, o dom gratuito veio sobre a justificação alguma, Romanos 5:18. Como, pela desobediência de um só homem, muitos se tornaram pecadores; assim, pela obediência de um, devem Alguns se tornarão justos, Romanos 5:19. Como em Adão todos morrem; assim, em Cristo, devem Alguns serão vivificados, 1 Coríntios 15:22. Mas nem a doutrina nem a coisa alguma vez entrou na alma deste homem divinamente inspirado.

 

Abundou sobre muitos - Isto é, Cristo Jesus morreu por todos os homens; a salvação é gratuita para todos; graça salvadora é oferecida a todas as almas; e uma medida da luz divina é efectivamente comunicada a todos os corações, João 1: 9. E, como a graça é oferecido, por isso pode ser recebido; e, portanto, o apóstolo diz: Romanos 5:17; : Os que recebem a abundância da graça, e do dom da justiça, reinarão em vida por Cristo Jesus: e recebendo é, sem dúvida significava não só o ato de receber, mas mantendo e melhorando a graça que eles recebem; e, como todos podem receber, por isso tudo pode melhorar e reter a graça que eles recebem; e, consequentemente, Todos podem ser salvos eternamente. Mas de multidões Cristo ainda pode dizer, eles não vão vir a mim, para que tenham vida.

 

Verso 16

E não como era por um que pecou - isto é, o ato judicial que se seguiu o pecado de Adão (a sentença de morte pronunciada contra ele, e sua expulsão do paraíso) teve a sua origem a partir de seu único crime sozinho, e terminou em condenação; mas o dom gratuito de Deus em Cristo tem sua origem também dos muitos crimes que os homens, em um longo curso da vida, se comprometeram pessoalmente; eo objeto desta graça é para justificá-los livremente, e trazê-los para a vida eterna.

 

Verso 17

A morte reinou por um - a morte é aqui personificada, e é representado como reinando sobre a raça humana; e morte, é claro, reina a morte; ele é conhecido como reinante, pela destruição de seus súditos.

 

Reinarão na vida - Aqueles que recebem, reter e melhorar a graça abundante oferecida por Jesus Cristo, serão redimidos do império da morte, e exaltado ao trono de Deus, viver e reinar com ele sempre, mundo sem fim. Veja Apocalipse 1: 5, Apocalipse 1: 6; Apocalipse 2: 7, Apocalipse 02:10, Apocalipse 2:11; Apocalipse 03:21.

 

Se nós cuidadosamente comparar Romanos 5:15; com Romanos 5:17, veremos que há uma correspondência entre περισσειαν, os abundantes, Romanos 5:17, e επερισευσε fez abundar, Romanos 5:15; entre της δωρεας της δικαιοσυνης, o dom da justiça, ou seja, justificação, Romanos 5:17, e ἡ δωρεα εν χαριτι, o dom pela graça, Romanos 5:15; portanto, se entendermos o abundante da graça, e do dom da justificação, Romanos 5:17, vamos entender a graça de Deus, eo dom pela graça que abundou sobre muitos, Romanos 5:15. Mas o Abundante da graça, e do dom da justificação, Romanos 5:17, que é graça e dom que é recebida por aqueles que reinarão na vida eterna. Reinando em vida é a consequência de receber a graça e dom. Portanto, recebendo a graça é uma qualificação necessária da nossa parte para reinar na vida; e isto implica necessariamente nossa fé em Cristo Jesus, como tendo morrido por nossos pecados, recebendo a graça tão livremente nos ofereceu; utilizando os meios a fim de obter mais graça, e trazendo os frutos do Espírito. Receba must aqui têm o mesmo sentido como em Mateus 13:20; Ele ouve a palavra, e logo a recebe com alegria. João 1:12; : Mas a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de se tornarem filhos de Deus. João 3:11; : Não aceitais o nosso testemunho. - Veja também João 3:32, João 3:33. João 5:43; : Eu vim em nome de meu Pai, e não me recebeis. João 12:48; :. Quem não recebe as minhas palavras João 13:20; : Quem receber aquele que eu enviar, a mim me recebe. João 14:17; : O Espírito da verdade; que o mundo não pode receber. João 17: 8; : Eu lhes dei as palavras que tu me deste; e eles as receberam. Em todas estas passagens, é evidente que receberam ou não receberam implica melhorar ou não melhorar.

 

Verso 18

Pois assim como por uma só ofensa, etc. - O texto grego deste versículo é a seguinte: - Αρα ουν, ὡς δι 'ἑνος παραπτωματος, εις παντας ανθρωπους εις κατακριμα · dhe ἑνος αυτω δικαιωματος, εις παντας ανθρωπους, εις δικαιωσιν ζωης ; que literalmente prestados fica assim: - Portanto, assim como por uma só ofensa a todos os homens, para condenação; assim também, por uma justiça a todos os homens, para justificação de vida. Esta é evidentemente uma frase elíptica, e todo o seu significado pode ser recolhida apenas a partir do contexto. Ele, que não tinha nenhuma finalidade específica para servir seria, muito provavelmente, compreendê-lo, a partir do contexto, assim: - Portanto, como por um só pecado todos os homens vieram em condenação; assim também por um ato de justiça veio a todos os homens para justificação de vida: o que é mais amplamente expressa no verso seguinte. Agora, deixando todos os credos particulares fora de questão, e tendo no âmbito do raciocínio do apóstolo neste e no capítulo anterior, não é o sentido evidentemente isso? - Através da desobediência de Adão, uma sentença de condenação à morte, sem qualquer promessa ou esperança de uma ressurreição, passou a todos os homens; assim, pela obediência de Cristo até à morte, este grande ato de justiça, a sentença foi revertida até agora, que a morte não deve finalmente triunfar, para todos será novamente restaurado para a vida. Justiça deve ter seu vencimento; e, portanto, todos devem morrer. A misericórdia de Deus, em Cristo Jesus, deve ter o seu devido também; e, portanto, tudo deve ser colocado em um estado salvável aqui, e toda a raça humana deve ser levantados para a vida no grande dia. Assim, tanto a justiça ea misericórdia são ampliados; e nem é exaltado em detrimento do outro.

 

O apóstolo usa três palavras notáveis ​​nestes três versos: -

 

  1. Δικαιωμα, justificação, Romanos 5:16.
  2. Δικαιοσυνη, que rende justiça, Romanos 5:17; mas é melhor prestados justificação, como a expressão de que o perdão ea salvação que nos é oferecida no Evangelho: veja a nota sobre Romanos 1:16.
  3. Δικαιωσις, que também é processado justificação, Romanos 5:18.

A primeira palavra, δικαιωμα, é encontrado nos seguintes locais: Lucas 1: 6; Romanos 1:32; Romanos 2:26; Romanos 5:16, Romanos 5:18; Romanos 8: 4; Hebreus 9: 1, Hebreus 9 : 10; Apocalipse 15: 4; Apocalipse 19: 8; para que o leitor pode consultar. δικαιωμα significa, entre os escritores gregos, a sentença de um juiz, absolvendo o inocente, condenar e punir os culpados; mas no Novo Testamento, significa que Deus tenha nomeado ou sancionado como lei; e parece responder ao hebraico יהוה משפט mishpat Yehovah, a lei ou julgamento, do Senhor; Tem, evidentemente, nesse sentido, em Lucas 1: 6; : Passeio em todos os mandamentos e preceitos, δικαιωμασι, do Senhor inocente; e tem o significado como nos principais lugares acima referidos; mas no versículo em questão que mais evidentemente significa absolvição ou de libertação, de punição, uma vez que se opõe à κατακριμα, condenação, Romanos 5:18. Veja a nota na Romanos 1:16; e ver Schleusner em voce.

A segunda palavra, δικαιοσυνη, expliquei em geral em Romanos 1:16, já referido.

 

A terceira palavra δικαιωσις, é usado pelos escritores gregos, quase universalmente, para denotar o castigo infligido a um criminoso, ou a própria sentença condenatória; mas no Novo Testamento onde ocorre apenas duas vezes, (Romanos 4:25, ele foi ressuscitado para nossa justificação, δικαιωσιν; e Romanos 5:18, para justificação de vida, δικαιωσιν ζωης), que evidentemente significa o perdão ea remissão dos pecados ; e parece ser quase sinônimo de δικαιωμα. Dr. Taylor pensa que "δικαιοσυνη é perdão Evangelho e da salvação, e tem referência à misericórdia de Deus. Δικαιωμα é o nosso sendo definido bastante claro e certo, ou o nosso que está sendo restaurado para a santidade, libertados da morte eterna, e sendo trazidos para a vida eterna; e se refere ao poder e culpa do pecado. E δικαιωσις ele acha que pode significar não mais do que o nosso que está sendo restaurado para a vida na ressurreição. " Tomando estes no seu fim, há:

 

Primeiro, o perdão dos pecados.

Em segundo lugar, a purificação do coração, e preparação para a glória.

 

Em terceiro lugar, a ressurreição do corpo, e seu ser feito semelhante ao seu corpo glorioso, de modo a tornar-se um tabernáculo apto para a alma em um estado glorificado pelos séculos dos séculos.

 

O mesmo escritor observa que, quando o apóstolo fala do perdão dos pecados simplesmente, ele insiste sobre a fé como condição; mas aqui, onde ele fala de justificação de vida, ele menciona nenhuma condição; e, portanto, ele supõe justificação de vida, a frase a ser entendida num sentido forense, para significar não mais do que o decreto ou decisão que determina a ressurreição dentre os mortos. Este é um ponto favorito com o médico, e ele argumenta, em grande parte para isso: ver suas notas.

Verso 19

Porque, como pela desobediência de um só homem, etc. - A explicação deste verso tem sido antecipado no precedente.

 

 

SUBSIDIOS(N.3) ROMANOS 5 LIÇÃO ADULTOS

 

Por esta razão - como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado, pela morte, assim também a morte passou a todos os homens, porque todos pecaram.

 

De acordo com este ponto de vista, a cláusula correspondente está no próprio verso. O sentimento da passagem é esta, - por um só homem o pecado entrou e morte seguido; e morte seguido como para toda a humanidade, porque todos pecaram. Em seguida, de acordo com sua forma habitual, o Apóstolo ocupa o último assunto, "pecado", que emite na morte de todos; e no final dos Romanos 5:14 ele volta para "o homem", Adão, que ele diz ter sido um tipo de uma outra: e esta frase é feita do texto do que se segue até o fim dos Romanos 5:19 . Tendo antes se referiu ao estado das coisas antes da "lei", nos dois versículos restantes, ele refere-se ao rolamento da lei sobre o seu assunto, e mostra que há em Cristo uma provisão abundante para o aumento do pecado ocasionada pela lei .

 

Tão abundante é a graça que é totalmente suficiente para remover originais pecado, reais pecados - seus frutos, e os pecados descobertos pela lei e pelos seus meios aumentado e melhorado. Daí superabundância lhe é atribuído. - Ed.

 

[Wolfius] cita uma passagem singular de um rabino judeu, [Moisés Tranensis] ", No pecado que o primeiro homem pecou, ​​o mundo inteiro por meio dele (ou nele, בו) pecou, ​​porque era todo homem ou toda a humanidade - כי זה כל אדם. "A idéia é exatamente o mesmo com a do Apóstolo.

 

"Há três coisas", diz [Pareus] ", que devem ser considerados no pecado de Adão, - o ato pecaminoso, a penalidade da lei, ea depravação da natureza; ou em outras palavras, a transgressão do comando, a pena de morte e corrupção natural, que foi a perda da imagem de Deus, e em seu lugar veio deformidade e desordem. A partir de nenhum destes a sua posteridade são gratuitos, mas todos estes têm descido para eles; há uma participação da transgressão, uma imputação de culpa, ea propagação da depravação natural. Há uma participação do pecado; para toda a sua posteridade eram seminally nos seus lombos, para que todos pecaram em seu pecado, como Levi pagou dízimos em lombos de Abraão; e como as crianças são uma parte de seus pais, para que as crianças estão em uma maneira participantes do pecado de seus pais. Há também uma imputação de culpa, para o primeiro homem assim se situava a favor, que quando ele pecou, ​​não só ele, mas também toda a sua posteridade caiu com ele, e tornou-se com ele sujeito à morte eterna. E finalmente, há a propagação ou a geração de uma deformidade terrível da natureza; para tais como Adam tornou-se depois da queda, como eram os filhos que gerou, sendo a sua própria imagem, e não segundo a imagem de Deus. Genesis 5: 1. Todas essas coisas, quanto ao primeiro pecado, aplicam-se para o pai e também para as crianças, com apenas esta diferença - que Adão pecar transgredido primeiro, o primeiro contratado culpa, e primeiro depravado sua natureza, - e que todas essas coisas pertencem ao seu posteridade pela participação, imputação, e propagação ".

 

Ambos [Stuart] e [Barnes] tropeçar aqui; e embora eles denunciam teorização, e defenderá a adesão à linguagem da Escritura, eles ainda teorizam e tentam iludir o significado claro e óbvio desta passagem. Mas na tentativa de evitar uma dificuldade, eles fazem para si um outro ainda maior. A pena, ou a imputação da culpa, eles admitem; que é de fato inegável, como fatos, bem como a Escritura, provar mais claramente: mas a participação negam, que as palavras dificilmente poderia ser enquadrado para expressá-la mais distintamente do que as palavras deste verso; e assim, de acordo com seu ponto de vista, a punição é infligida sem uma implicação anterior em um delito; enquanto o relato bíblico da matéria é, de acordo com o que Calvino afirma, que "o pecado estende-se a todos os que sofrem o castigo", embora ele posteriormente explica isso de uma maneira que não é totalmente consistente. - Ed.

 

O versículo 13

  1. Porque até à lei, etc. Este parêntese antecipa uma objeção: porque, como parece haver nenhuma transgressão, sem a lei, que poderia ter sido duvidava que havia antes da lei qualquer pecado: que houve depois que a lei não admitia dúvida. A questão refere-se apenas ao tempo anterior à lei. Para isso, então ele dá esta resposta, - que, como ainda não se Deus tinha denunciado o julgamento por uma lei escrita, mas a humanidade estavam sob uma maldição, e que desde o ventre; e, portanto, que eles que levou uma vida perversa e cruel, antes da promulgação da lei, não eram de forma isentar da condenação do pecado; para sempre houve alguma noção de Deus, a quem honra deveu-se, e lá já tinha sido alguma regra da justiça. Esta visão é tão simples e tão claro, que por si só que desmente toda noção oposto.

 

Mas o pecado não é imputado, etc. Sem a lei reprovando nós, em um sono modo como os nossos pecados; e embora não sejamos ignorantes que fazem o mal, nós ainda suprimir, tanto quanto nós podemos o conhecimento do mal que nos é oferecida, pelo menos nós obliterar-lo rapidamente esquecê-la. Embora a lei reprova e repreende-nos, ele nos desperta como que por seu poder estimulante, para que possamos voltar à consideração do juízo de Deus. O Apóstolo, em seguida, dá a entender que os homens continuam em sua perversidade quando não despertou pela lei, e que, quando a diferença entre o bem eo mal é deixada de lado, eles de forma segura e com alegria se locupletar, como se não houvesse justiça para vir. Mas que, antes de as iniqüidades lei foram por Deus imputado aos homens, é evidente a partir da punição de Caim, do dilúvio, através da qual o mundo inteiro foi destruído, desde o destino de Sodoma e das pragas infligidas a Faraó e Abimeleque por causa de Abraão e também das pragas trouxe sobre os egípcios. Que os homens também imputado o pecado um ao outro, resulta das muitas reclamações e expostulations pelo qual eles praticados uns aos outros com a iniqüidade, e também das defesas pelos quais eles trabalharam para limpar-se das acusações de fazer errado. De fato, há muitos exemplos que provam que todo homem era de si mesmo consciente do que estava mal e do que era bom, mas que, na maior parte, eles conivente com suas próprias más ações, de modo que eles imputada nada como um pecado para si mesmos, a menos que foram constrangidos. Quando, pois, ele nega que o pecado sem a lei é imputada, ele fala comparativamente; para quando os homens não são picadas pelas aguilhões da lei, tornam-se afundado em descuido. (165)

 

Mas Paulo sabiamente introduziu esta frase, a fim de que os judeus poderiam, portanto, aprender mais claramente como eles gravemente ofendido, na medida em que a lei condenava abertamente; pois se eles não estavam isentos de punição a quem Deus nunca tinha convocado como culpada diante do seu tribunal, o que seria dos judeus a quem a lei, como um arauto, tinha proclamado a sua culpa, sim, sobre quem ela denunciados julgamento? Pode haver também uma outra razão aduzida por que ele diz expressamente, que o pecado reinou perante a lei, mas não foi imputado, e que é, para que saibamos que a causa da morte não procede da lei, mas só é dado a conhecer por ele . Por isso, ele declara que tudo tornou-se miseravelmente perdido logo após a queda de Adão, embora a sua destruição só foi manifestada pela lei. Se você traduzir este adversativa δε, porém, o texto iria correr melhor; para o significado é que, embora os homens possam se locupletar, eles ainda não podem escapar do julgamento de Deus, mesmo quando não há lei para reprová-los.

 

Reinou a morte desde Adão, etc. Ele explica mais claramente que os homens aproveitado nada que desde Adão até o momento em que a lei foi promulgada, que levou uma vida licenciosa e descuidados, enquanto a diferença entre o bem eo mal foi deliberadamente rejeitada, e, portanto, sem o aviso da lei, a lembrança do pecado foi enterrado; sim, que isso lhes valeu nada, porque o pecado fez ainda questão em sua condenação. É, portanto, parece, que a morte, mesmo assim reinou; para a cegueira ea obstinação dos homens não poderia abafar o julgamento de Deus.

 

Verso 14

  1. Mesmo sobre eles, etc. Embora esta passagem é comumente entendido de lactentes que, sendo culpado de nenhum pecado real, morrer por causa do pecado original, eu ainda prefiro considerá-lo como referindo-se a todos os que pecaram sem lei; para este versículo é estar conectado com a cláusula anterior, que diz que aqueles que estavam sem a lei não imputa o pecado para si. Portanto, eles não pecaram à semelhança da transgressão de Adão; pois não tinha, como ele, a vontade de Deus dado a conhecer a eles por um certo oráculo, porque o Senhor havia proibido Adão de tocar o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal; mas a eles que ele tinha dado nenhum comando além do testemunho de consciência. O Apóstolo, em seguida, a intenção de sugerir que isso não aconteceu através da diferença entre Adão e sua posteridade que eram isentos de condenação. Os bebés são, ao mesmo tempo incluído no seu número.

 

Quem é um tipo daquele que estava por vir. Esta frase é posta em vez de uma segunda cláusula; pois vemos que uma parte única da comparação é expressa, o outro é omitido - um exemplo do que é chamado (lang el.) anacoluto (166) Está em seguida, tomar o sentido como se dizia-se, "como por um só . homem entrou o pecado no mundo inteiro, e pelo pecado a morte, assim por um homem justiça voltou, e vida pela justiça "Mas em dizer que Adam tinha uma semelhança a Cristo, não há nada incongruente; por alguma semelhança muitas vezes aparece em coisas totalmente contrário. Como, pois, estamos todos perdidos pelo pecado de Adão, portanto, são restaurados através da justiça de Cristo: por isso ele chama de Adão não inaptly o tipo de Cristo. Mas observe, que Adão não é, diz-se que o tipo de pecado, nem Cristo, o tipo de justiça, como se mostrou o caminho apenas por seu exemplo, mas que o que é contrastada com a outra. Observe isso, para que você não deve se desviar tolamente com [Orígenes], e estar envolvido em um erro pernicioso; para ele argumentou filosoficamente e profana na corrupção da humanidade, e não só diminuiu a graça de Cristo, mas quase obliterada-lo completamente. A menos desculpável é [Erasmus], que trabalha muito em paliar uma noção tão grosseiramente delirante.

 

Verso 15

  1. Mas não como a ofensa, etc. Segue-se agora a retificação ou a conclusão da comparação já introduzida. O apóstolo não faz, no entanto, muito minuciosa indicar os pontos de diferença entre Cristo e Adão, mas ele evita erros em que nós poderiam facilmente cair, eo que é necessário para obter uma explicação vamos adicionar. Embora ele menciona muitas vezes a diferença, ainda não há nenhum dos essas repetições em que não há uma falta de uma cláusula correspondente, ou em que não há, pelo menos, uma elipse. Tais casos são de fato defeitos em um discurso; mas eles não são prejudiciais para a majestade do que a sabedoria celestial que nos é ensinado pelo apóstolo; ele tem, pelo contrário, para que aconteceu através da providência de Deus, que os mais altos mistérios foram entregues para nós na feição de um estilo humilde, (168), a fim de que a nossa fé não depende da potência da eloqüência humana, mas sobre o funcionamento eficaz do Espírito sozinho.

 

Ele não é, de facto, mesmo agora expressamente suprir a deficiência da antiga frase, mas simplesmente nos ensina, que há uma maior medida de graça adquiridos por Cristo, do que de condenação introduzida pelo primeiro homem. O que alguns pensam, que o Apóstolo realiza aqui uma cadeia de raciocínio, eu não sei se ele vai ser julgado por todos suficientemente evidente. Com efeito, pode ser justamente inferido, que, desde a queda de Adão teve um tal efeito a produzir a ruína de muitos, muito mais eficaz é a graça de Deus para o benefício de muitos; na medida em que é admitido, que Cristo é muito mais poderoso para salvar, do que Adão era destruir. Mas, como eles não podem ser refutadas, que desejam fazer a passagem sem essa inferência, estou disposto que eles devem escolher um desses pontos de vista; embora o que vem depois segue não pode ser considerado uma inferência, mas é do mesmo significado. É, portanto, provável, que Paulo retifica, ou por meio de modifica de exceção, o que ele havia dito da semelhança entre Cristo e Adão.

 

Mas observe, que um maior número (plures) não estão aqui contrastado com muitos (multis,) para que ele não fala do número de homens: mas como o pecado de Adão destruiu muitos, ele tira esta conclusão, - que a justiça de Cristo não será menos eficaz para salvar muitos. (169)

 

Quando ele diz, por uma só ofensa, etc., entendê-lo no sentido de esta, - que a corrupção tem dele desceu para nós, porque nós não perecer por sua culpa, como se estivéssemos irrepreensível; mas como seu pecado é a causa do nosso pecado, Paulo atribui a ele a nossa ruína: o nosso pecado Eu chamo isso de que é implantada em nós, e com a qual nascemos.

 

A graça de Deus eo dom de Deus através da graça, etc. Graça está devidamente definido em oposição à ofensa; o dom que procede da graça, até a morte. Daí graça significa a bondade gratuita de Deus ou amor gratuito, da qual ele nos deu uma prova em Cristo, para que pudesse aliviar a nossa miséria: e presente é o fruto dessa misericórdia, e vem para nós, até mesmo a reconciliação, através da qual obtivemos vida e salvação, a justiça, a novidade de vida, e todas as outras bênçãos. Por isso, vemos como absurdamente escolásticos ter definido a graça, que têm ensinado que é nada mais do que uma qualidade infundida nos corações dos homens: por graça, propriamente falando, está em Deus; eo que está em nós é o efeito da graça. E ele diz, que é de um só homem; porque o Pai fez dele a fonte de cuja plenitude todos devem desenhar. E assim ele nos ensina, que nem mesmo a menor gota de vida pode ser encontrada fora de Cristo, - de que não há outro remédio para a nossa pobreza e querem, do que aquilo que ele nos transmite a partir de sua própria abundância.

 

Toda esta passagem, 12-19, é construído de acordo com o modelo do estilo hebraico; e quando bem compreendido, ele aparecerá para conter nenhum desses defeitos atribuídos a ele. - Ed.

 

"A muitos" são chamadas de "todos" no versículo Romanos 5:18, e novamente, "a muitos", em Romanos 5:19. Eles são chamados de "muitos" e "todos" iguais no que diz respeito tanto a Adão e Cristo. Alguns sustentam que os termos são coextensive nas duas instâncias. Que toda a raça do homem se entende nos um instâncias não se pode duvidar: e não há qualquer razão para que toda a raça humana não deveria ser incluído no segundo? Mais claramente que existe. O apóstolo fala de Adão e sua posteridade, e também de Cristo e seu povo, ou aqueles "que recebem a abundância da graça", ou, "são feitos justos", e "muitos" e "todos" são, evidentemente, aqueles que pertencem para cada um separadamente. De nenhuma outra forma podem as palavras com toda a consistência ser compreendido. Todos os que caiu em Adão não certamente "recebem a abundância da graça", e não são "feitos justos." E isso não é possível, como Professor [Hodge] observa, "de modo a estripar tais declarações como estas, a fim de torná-los a contêm nada mais do que a chance de salvação é oferecida a todos os homens. "Esta é certamente contrária aos fatos evidentes. Também não podem significar, que uma maneira de aceitação foi aberto, o que é adequado para todos os; para que isto seja verdadeiro, ele ainda não pode ser o significado aqui. Daí "a muitos" eo "tudo", como a Adão, são todos os seus descendentes; e "muitos" eo "tudo", como a Cristo, são aqueles que crêem. - Ed.

 

Verso 16

  1. Isto é especialmente uma explicação do que ele havia dito antes, - que por uma culpa ofensa emitido na condenação de todos nós, mas que a graça, ou melhor, o dom gratuito, é eficaz para a nossa justificação de muitas ofensas. Na verdade, é uma expansão do que o último versículo contém; pois ele não tinha até então expressas, como ou em que é que Cristo se destacou Adam. Essa diferença está sendo resolvido, parece evidente que a sua opinião é ímpio, que ensinou que devemos recuperar nada mais por Cristo, mas uma liberdade do pecado original, ou a corrupção derivada de Adão. Observe também, que estes muitas ofensas, a partir do qual ele afirma que são liberados por meio de Cristo, não deve ser entendido apenas por aqueles que cada um deve ter cometido antes do batismo, mas também daqueles pelos quais os santos contrato novo culpa diária; e por conta de que eles seriam justamente exposto a condenação, não eram continuamente aliviado por esta graça.

 

Ele define presente em oposição ao julgamento: por último ele significa estrita justiça; pela primeira, perdão gratuito. A partir de estrita justiça vem condenação; do perdão, absolvição. Ou, o que é a mesma coisa, fosse Deus para lidar com nós de acordo com a justiça, devemos ser todos desfeita; mas ele justifica-nos livremente em Cristo.

 

Verso 17

  1. Porque, se a ofensa de um, etc. Ele novamente subjoins uma explicação geral, sobre a qual ele ainda mora mais longe; pois era de nenhuma maneira o seu propósito de explicar todas as partes do assunto, mas para indicar os pontos principais. Ele havia antes declarado, que o poder da graça tinha ultrapassado a do pecado, e por isso ele se consola e fortalece os fiéis, e, ao mesmo tempo, estimula e encoraja-os a meditar sobre a bondade de Deus. Na verdade, o projeto de tão estudiosa foi uma repetição, - que a graça de Deus pode ser dignamente estabelecido, que os homens possam ser conduzidos de auto-confiança para confiar em Cristo, que tendo obtido sua graça eles podem desfrutar de plena certeza; e, portanto, no comprimento surge gratidão. A soma do todo é este - que Cristo supera Adam; o pecado de um é superado pela justiça de outro; a maldição de um é apagada pela graça do outro; a partir de um, procedeu morte, a qual é absorvida pela vida que as outras confere.

 

Mas as partes desta comparação não correspondem; em vez de adicionar, "o dom da vida reinará mais plenamente e florescer através da exuberância da graça", diz ele, que "os fiéis devem reinar," o que equivale à mesma coisa; para o reinado dos fiéis é na vida, eo reino da vida é nos fiéis.

 

Pode ainda ser útil para notar aqui a diferença entre Cristo e Adão, que o Apóstolo omitido, não porque ele considerou de nenhuma importância, mas não relacionada com o seu tema atual.

 

A primeira é que, pelo pecado de Adão não estamos condenados através de imputação sozinho, como se estivéssemos punido apenas para o pecado do outro; mas sofremos o seu castigo, porque também nós somos culpados; para que nossa natureza está viciada nele, é considerado por Deus como tendo cometido pecado. Mas pela justiça de Cristo somos restaurados de uma forma diferente para a salvação; por isso não é dito para ser aceito por nós, porque está em nós, mas porque possuímos o próprio Cristo com todas as suas bênçãos, como dado a nós através da bondade abundante do Pai. Por isso o dom da justiça não é uma qualidade com que Deus nos dota, como alguns absurdamente explicar, mas uma imputação da justiça gratuita; para o Apóstolo declara claramente o que ele entendia pela palavra graça. A outra diferença é que o benefício de Cristo não veio para todos os homens, enquanto Adam tem envolvido toda a sua corrida em condenação; ea razão disso é de fato evidente; para que a maldição que derivamos de Adão é transmitida a nós por natureza, não é de admirar que ele inclui toda a massa; mas para que possamos chegar a uma participação da graça de Cristo, devemos ser enxertados no capricho pela fé. Assim, a fim de participar da herança miserável do pecado, é suficiente para ti, para ser homem, pois ele habita na carne e sangue; mas, a fim de apreciar a justiça de Cristo é necessário para ti ser um crente; para uma participação dele é alcançada somente pela fé. Ele é comunicada às crianças de uma forma peculiar; pois eles têm por convênio o direito de adoção, pelo qual eles passemos a participação de Cristo. (172) Dos filhos dos piedosos eu falo, a quem a promessa da graça são os destinatários; para os outros não são de forma isentos da sorte comum.

 

Verso 18

  1. Portanto, etc. Esta é uma sentença com defeito; será completa se as palavras condenação e justificação ser lido no caso nominativo; como, sem dúvida, você deve fazer, a fim de completar o sentido. Temos aqui a conclusão geral a partir da comparação anterior; para, omitindo a menção de intervir a explicação, ele agora completa a comparação ", assim como por uma só ofensa que foram feitas (constituem) pecadores; assim que a justiça de Cristo é eficaz para nos justificar. Ele não diz a justiça - δικαιοσύνην, mas a justificação - δικαίωμα, (173) de Cristo, a fim de lembrar-nos que ele não era como um indivíduo apenas para si mesmo, mas que a justiça com a qual ele foi dotado chegou mais longe, em ordenar que, ao conferir esse dom, ele pode enriquecer os fiéis. Ele faz esse favor comum a todos, porque é proposto a todos, e não porque é, na realidade, estendida a todos; pois, embora Cristo sofreu pelos pecados de todo o mundo, e é oferecido através de benignidade de Deus indiscriminadamente a todos, mas todos não recebê-lo. (174)

 

Estas duas palavras, que ele tinha antes usados, de julgamento e de graça, também podem ser introduzidos aqui nesta forma: "Como foi através de julgamento de Deus que o pecado de um emitido na condenação de muitos, a graça vai ser eficaz para a justificação de muitos. "Justificação da vida é para ser tomado, em meu julgamento, para a remissão, que restaura a vida para nós, como se ele a chamou vivificante. (175) Para onde vem a esperança da salvação, a não ser que Deus é propício para nós; e temos de ser justos, a fim de ser aceite. Então a vida procede de justificação. (176)

 

  1. Portanto, assim como por meio de uma transgressão era, como a todos os homens, para condenação; assim também por um só a justiça é, tal como a todos os homens, para justificação de vida.

 

Isto concorda melhor com o seguinte verso, embora o significado seja substancialmente o mesmo com o que é dado em nossa versão. - Ed.

 

Verso 19

  1. Isto não é tautologia, mas uma explicação necessária do ex-verso. Para ele mostra que somos culpados pela ofensa de um homem, de tal maneira a não ser nós mesmos inocente. Ele havia dito antes, que estamos condenados; mas que ninguém pode reivindicar para si inocência, ele também subjoined, que cada um é condenado, porque ele é um pecador. E então, como ele declara que nós somos feitos justos pela obediência de Cristo, nós, portanto, concluir que Cristo, em satisfazer o Pai, providenciou uma justiça para nós. Segue-se então, que a justiça está em Cristo, e que é para ser recebido por nós como o que peculiarmente pertence a ele. Ele, ao mesmo tempo mostra que tipo de justiça é, chamando-a obediência. E aqui vamos especialmente observar o que temos de trazer à presença de Deus, se nós procuramos ser justificados pelas obras, até mesmo a obediência à lei, não a este ou a essa parte, mas em todos os aspectos perfeito; pois quando um homem só cai, todo o seu ex-justiça não será lembrado. Podemos também, portanto, aprender, como falsa são os esquemas que tomarem para pacificar Deus, que de si mesmos conceber o que elas obstruem ele. Para só então nós verdadeiramente adorá-lo quando seguimos o que ele nos ordenou, e prestar obediência à sua palavra. Longe, em seguida, com aqueles que confiantemente reivindicar a justiça de obras, que não pode existir de outra forma do que quando há uma observância plena e completa da lei; e é certo que este é longe de ser encontrado. Aprendemos também, que eles estão loucamente tolo que glorie diante de Deus de obras inventadas por eles mesmos, o que ele considera como as coisas mais imundos; para a obediência é melhor do que sacrifícios.

 

 

 

               Comentario biblico Genesis 2.7-24

       a criação da humanidade lição n.3 auxilio            subsidios para os  professores -adultos CPAD

 

 

COMENTARIO BIBLICO GENESIS CAPITULO 2.7-24

E o Senhor Deus formou o homem do pó da terra, .... Não de pó seco, mas, como JosephusF8diz, de terra vermelha maceradas, ou misturado com água; a noção de como HesíodoF9tem; ou a partir do barro, como em Jó 33: 6Jó 33: 6, portanto, uma palavra é feito uso de, traduzida como "formado", que é usado do oleiro que forma seu barro que forma lhe agrada: a matéria original da qual o homem foi feito era a argila ; daí a argila de PrometheusF11com os pagãos; e Deus é o Potter que ele formou, e deu-lhe a forma que ele tem, ver Isaías 64: 8Isaías 64: 8, há duas "Jods", observa-se, na palavra, o que não é usual; respeitando, como Jarchi pensa, a formação do homem para este mundo, e para a ressurreição dos mortos; mas sim os dois formação dobra de corpo e alma, um se expressa aqui, eo outro na seguinte cláusula: e isso, como ele mostra o grande poder de Deus na produção de uma tal criatura fora do pó da terra, de modo ele serve para humilhar o orgulho do homem, quando ele considera que é da terra, da terra, poeira e cinzas, é pó, e ao pó ele deve retornar.

 

E soprou em suas narinas o fôlego da vida; que dessa forma entrou em seu corpo, e se acelerou, o que antes era um vulto sem vida de barro, embora lindamente shapen: é no plural, o "sopro de vida"F12, Incluindo o vegetativo, sensível e racional vida do homem. E esta não foi produzida com o seu corpo, como as almas dos brutos foram, e foi produzido pelo sopro de Deus, como a deles não eram; nem deles para fora da terra, enquanto seu corpo era: e essas duas produções diferentes mostram a diferente natureza da alma e do corpo do homem, aquele é material e mortal, o outro imaterial e imortal:

 

eo homem foi feito alma vivente; ou um homem vivo, não só capaz de realizar as funções da vida animal, de comer, beber, passear a pé, & c. mas de pensamento, raciocínio, e discursando como uma criatura racional.

 

Versículo 8

E o Senhor Deus plantou um jardim em Éden Leste, .... Ou "plantou"F13, Por isso não foi feito agora, após a formação do homem, mas antes; e por isso a palavra traduzida como "para o leste" pode ser processado, como é por alguns, "antes"F14: Para o significado claro é que Deus tinha plantado um jardim antes que ele fez o homem, mesmo no terceiro dia, quando todas as ervas e plantas e árvores foram produzidas fora da terra. O mundo inteiro foi como um jardim, em comparação do que é agora, desde a queda: o que, então, deve este pedaço de terra, este jardim ser, que foi separado e distinto do resto, e da plantação mais imediata de Deus, e, portanto, é chamado o jardim do Senhor, Gênesis 13:10Gênesis 13:10 e que PlatãoF15chama διος κηπος, "jardim de Júpiter?" Este jardim foi plantado no país do Éden, assim chamados, muito provavelmente, do fato de ser um país muito agradável e delicioso; e embora não seja certo, e não se pode dizer exatamente onde estava, no entanto, parece ser uma parte da Mesopotâmia, uma vez que é mais do que uma vez mencionou com Haran, que foi naquele país, 2 Reis 19:122 Reis 19:12 e uma vez que foi pela rios Tigre e do Eufrates, quando foram tornou um riacho, que corria através deste país, e se separaram novamente neste jardim; eo país lá, como HeródotoF16diz, é o mais frutífero que ele viu; e parece ser muito melhor para colocá-lo aqui do que na Arménia, onde a fonte desses rios é dito ser: assim TournefortF17pensa que jazia no país, ou simples das três igrejas (ou Ejmiadzit), na Armênia, cerca de vinte léguas francesas distante dos chefes de Eufrates e Araxes, e perto como muitos do Phasis, um país superior agradável e proveitosa. Um homem muito cultoF18é de opinião, que o jardim do Éden estava na terra da Judéia, a leste, junto ao lago de Genesaré ou Tiberíades, e do lago de asfaltitas, chamou o mar Morto, e leva em, em sua bússola, o famoso vale, ou a grande planície, e as planícies de Jericó, e grande parte da Galiléia, e tudo o que trato que flui por Jordan, de Genesaré para o país de Sodoma; e ele leva o rio Jordão para ser יאר עדן, "o rio do Éden", de onde ele tem o seu nome da Jordânia; e Genesaré ele interpreta como se fosse גן שר, "Gansar", o jardim do príncipe, isto é, de Adão, o príncipe de toda a humanidade. Ele argumenta a partir da situação do lugar, ea agradabilidade e fecundidade disso, o bálsamo de Jericó, e outras plantas odoríferas que cresceram lá, eo que são chamadas as maçãs do paraíso: e ele deve ser possuído, que este país abundavam com jardins e pomares: ele é mencionado no Jewish Misnah, onde os comentadoresF19por exemplo, era um país na terra de Israel, em que eram muitos jardins e pomares, que produziram frutos excelentes; e os frutos de Genesaré são faladas no TalmudF20 como superior doce: e concorda com esta a conta de JosephusF21dá dela, que é "maravilhoso na natureza e bondade, e através de sua fertilidade recusa nenhuma planta; tudo está definido aqui; o temperamento dos ternos de ar com coisas diferentes; aqui crescer porcas, e mais fruta inverno, e ali palmas, que são alimentados com o calor, e perto deles figos e azeitonas, que exigem um ar mais suave - não só produz maçãs de diferentes tipos, além da crença, mas a longo preserva-los, e de fato o mais excelente de frutas; uvas e figos ele fornece por dez meses, sem intervalo, e outros frutos durante todo o ano, crescimento velho, com them.'And pode ainda ser observado, que é solicitado pelo rabinos judeus, porque é chamado Genesar? E a resposta é, porque גניסרים, "os jardins dos príncipes"; estes são os reis que têm jardins em meio a isso: outra razão é dado, porque ele pertencia a Naftali, uma porção no meio dela, como se diz, e de " Naftali, mil príncipes ", 1 Crônicas 12:341 Crônicas 12:34.F23 E é digno de nota, que Estrabão chama Jericho, que foi dentro deste intervalo, "o paraíso do bálsamo"F24; e ali, e por estas redondezas, como Diodoro da SicíliaF25E JustinF26relacionar, cresceu esta planta aromática, e em nenhum outro lugar; não foi encontrada para ser em qualquer outra parte do mundo. E parece que a partir da Escritura, que, se a planície do Jordão não era o jardim do Éden, que está a ser dito ", como o jardim do Senhor", Gênesis 13:10Gênesis 13:10 e se o "caph" ou "como" não é uma nota de similitude, mas da realidade, como às vezes é, isso prova que ele seja o mesmo lugar; eo escritor acima aprendeu leva-lo para não ser comparado, mas ilativo, como dar uma razão por que foi tão bem regado, porque era o jardim do Senhor; e os judeus têm alguma noção disto, pois eles dizem, se isso o jardim do Éden é na terra de Israel, Bete é a porta do mesmo, ou de entrada para ele; o brilho dá essa razão, porque os frutos foram mais doce do que qualquer outraF1; e este foi próximo, na entrada da grande planície antes mencionados; e antes que foi este lugar, como diz JosefoF2: E se o jardim do Éden era naquelas partes, pode-se observar que, quando o primeiro Adão habitou primeiro, e onde ele pecou e caiu, Cristo, o segundo Adão era freqüentemente; aqui ele conversava muito, ensinou as suas doutrinas, operou seus milagres; e mesmo aqui ele apareceu depois de sua ressurreição dentre os mortos. Mas as opiniões dos homens sobre este lugar são muitos, e não há escassez de qualquer país no mundo todo, mas um ou outro colocou no jardim do Éden nele; ou melhor, alguns têm atribuído um lugar para ele para fora da terra, na oitava esfera. Tal jardim, sem dúvida, houve em algum lugar, e é dito para ser colocado "em direção ao leste", tanto na parte oriental do país do Éden, ver Gênesis 4:16Gênesis 4:16 ou para o leste do deserto onde Moisés foi quando ele escreveu; ou para o leste da Judéia, como Mesopotâmia foi: e se este jardim era na Judéia, o lugar atribuído por ele, pela pessoa aprendeu acima, ele estava na parte oriental do país; veja Números 32:19Números 32:19. Este jardim era um emblema tanto da Igreja de Cristo na terra, que é um jardim fechado, rodeado com o poder divino, e distinguido com a graça divina; uma pequena mancha em comparação do mundo; é de plantio de Jeová, e é sua propriedade; e é um Éden para o seu povo, onde eles gostam muito prazer e deleite espiritual: ou no entanto do lugar e estado da felicidade dos santos no outro mundo, muitas vezes chamado de paraíso em alusão a isso, Lucas 23:43Lucas 23:43 e que é de plantio de Deus, e, portanto, chamado de paraíso de Deus, e é um Éden, onde são delícias perpetuamente; e este parece ser o que os judeus querem dizer quando afirmamF3, Que o jardim do Éden, ou paraíso, foi criado antes de o mundo existir; que não é outro senão o que Cristo diz do que em outras palavras, Matthew 25:34Mateus 25:34.

 

e pôs ali o homem que tinha formado; não assim que ele tinha plantado o jardim, mas assim que ele tinha feito homem; e de, portanto, é geralmente concluído, que o homem foi feito sem o jardim, e trouxe a partir do local onde foi formado, e colocar nele; e que alguns dizem estava perto de Damasco, mas seja ele onde ele vai, o mais provável é que não foi muito longe do jardim; embora parece que não há necessidade para julgando que ser feita fora dele; para a colocá-lo para ele pode significar a nomeação e ordenando-lhe que estar lá, e fixando e estabelecendo-o na mesma, para os fins e utilizações mencionadas, ver Gênesis 2:15Gênesis 2:15. (Depois da destruição global do dilúvio de Noé, é duvidoso que a localização do Jardim do Éden foi possível determinar com qualquer grau de certeza hoje. Ed.)

 

O versículo 9

E fora do terreno fez o SENHOR Deus a crescer a cada árvore que é agradável à vista, e boa para comida, .... Ou seja, fora do terreno do jardim do Éden; e isso foi feito no terceiro dia, quando toda a terra produziu relva, ervas e árvores, mas um local peculiar de terra foi fixado no para o homem, e abastecido com árvores de todos os tipos para a sua utilização, não só a dar frutos , o que seria alimentação adequada e agradável para ele, mas outros também, que renderia a ele deliciar para olhar; tais como os cedros altos para a sua altivez, espalhando galhos e folhas verdes, com muitos outros; de modo que não só havia árvores para satisfazer os sentidos do paladar e olfato, mas que da visão; e uma árvore de tais sightly considerável para olhar era a árvore do conhecimento, Gênesis 3: 6Gênesis 3: 6. Estas árvores pode ser um emblema dos santos, as árvores de justiça, plantação do Senhor, e fez a crescer por ele através da influência de seu Espírito e graça; e quem planta em seus jardins, as igrejas, e transplantes no paraíso celestial, e são frequentemente comparadas com palmeiras, cedros, oliveiras, romãs, & c.

 

a árvore da vida no meio do ; definido lá como no lugar mais excelente, onde pode ser mais visível, e para ser vir a; para antes de Adão pecou, ​​pois não houve proibição de seu comer do mesmo, por isso não houve obstrução a ela; e como ele tinha uma bolsa para comê-lo, com as outras árvores, ele foi projetado para seu uso, para apoiar e manter a sua vida natural, o que teria sido continuado, se tivesse persistido na sua obediência e estado de inocência, e muito provavelmente por meio desta principalmente: daí o filho de Siraque chama-lhe a árvore da imortalidade, "O conhecimento dos mandamentos do Senhor é a doutrina da vida, e os que fazem as coisas que agradam a ele deve receber o fruto da árvore da imortalidade. " (Eclesiástico 19:19jardim; definido lá como no lugar mais excelente, onde pode ser mais visível, e para ser vir a; para antes de Adão pecou, ​​pois não houve proibição de seu comer do mesmo, por isso não houve obstrução a ela; e como ele tinha uma bolsa para comê-lo, com as outras árvores, ele foi projetado para seu uso, para apoiar e manter a sua vida natural, o que teria sido continuado, se tivesse persistido na sua obediência e estado de inocência, e muito provavelmente por meio desta principalmente: daí o filho de Siraque chama-lhe a árvore da imortalidade, "O conhecimento dos mandamentos do Senhor é a doutrina da vida, e os que fazem as coisas que agradam a ele deve receber o fruto da árvore da imortalidade. " (Eclesiástico 19:19) e pode ser também um sinal, símbolo, símbolo para ele e de sua dependência de Deus, que ele recebeu a sua vida a partir dele, e que esta foi preservada pela sua benção e providência, e não pela sua própria poder e habilidade, e que este seria mantido, desde que ele não transgrediu a lei divina: e parece ter um novo respeito, até mesmo para a vida eterna; por Cristo; para que ele não pode ser um símbolo de que a vida de Adam em seu estado de inocência, ainda que se tornou assim depois de sua queda: daí Cristo é às vezes representada pela árvore da vida, Provérbios 03:18Provérbios 03:18, que não só é o autor da vida natural e espiritual, mas que dá a vida eterna, a promessa de é nele, ea própria bênção, ele abriu caminho para ele por sua obediência, sofrimentos, e morte, e é o caminho até ele, ele está em seu presente, e ele o dá a todo o seu povo, e ele vai mentir muito, no gozo dele. A situação desta árvore no meio do jardim bem concorda com ele que está no meio de sua igreja e as pessoas, Apocalipse 01:13Apocalipse 01:13 está aberto, está à vista, e é acessível a eles tudo agora, que pode vir a ele, e gozar dos frutos e bênçãos de sua graça, que são muitos, constante e durável, Apocalipse 22: 2Apocalipse 22: 2, e que vai ser visto e apreciado por todos, para toda a eternidade:

 

ea árvore do conhecimento do bem e do mal; assim chamado, quer no que diz respeito a Deus, que por ela tentou homem, quando ele tinha feito, se ele estaria bem ou o mal; mas isso ele conheceu desde: em vez, portanto, no que diz respeito ao homem, não que a comer o fruto que poderia realmente dar-lhe esse conhecimento, nem ele precisa dele; pela lei da natureza inscrito em seu coração, ele sabia a diferença entre o bem eo mal, e que o que Deus ordenou que era bom, eo que ele me livre era mau, mas quer que tinha o seu nome da virtude Satanás que lhe é atribuído, Gênesis 3: 5Genesis 3: 5 ou do triste evento seguinte sobre o homem de comer o fruto dela, pelo qual ele se tornou experimentalmente sensível à diferença entre o bem eo mal, entre a obediência ea desobediência à vontade de Deus; ele descobriu por experiência triste o que bom que ele tinha perdido, ou poderia ter gostado, e que mal tinha trazido sobre si mesmo e sua posteridade, ele poderia ter evitado. O que esta árvore era não é certo; há várias conjecturas sobre isso, e nada mais pode ser vir a respeito dela. Alguns levá-lo para ser a figueira, como Jarchi, e alguns em Aben Ezra em Gênesis 3: 6Gênesis 3: 6 porque folhas de figueira estavam à mão, e imediatamente fez uso de em comer o fruto dela; alguns a videira, e particularmente a uva preta, como no livro de ZoharF4; outros, como Baal Hatturim em Gênesis 1:29Gênesis 1:29 o citron pome, ou citron macieiraF5; outros, a maçã comum, como o autor do velho NizzechonF6, E que é a noção vulgar; mal e uma maçã que está sendo chamado pela mesma palavra latina "malum": no TalmudF7, Alguns dizem que foi a videira, alguns a figueira, e outros de trigoF8: Os maometanos dizer que foi uma árvore, chamado pelos africanos pelo nome de MusaF9.

 

Verso 10

E saía um rio do Éden para regar o jardim, .... Antes que o homem foi criado, como Aben Ezra observa, este rio saía do Éden e regou-a por todos os lados; mas o rio está aqui significava, é difícil dizer. É mais geralmente pensado para ser o rio Eufrates, quando isso eo Tigre encontraram, e tornou-se um córrego ou rio, e, como tal, entrou e passou por Eden; e como ele se dividia em quatro rios depois, em dois dos quais eles mantiveram seus nomes: o Reland aprendeuF11pensa, este rio já está perdida; mas o escritor aprendeu antes referido pensa, como tem sido observado, que é o rio Jordão; veja nota em Gênesis 2: 8Gênesis 2: 8 e que, como PlínioF12 diz, era um rio muito agradável:

 

e dali se dividia e se tornava em quatro braços; depois de ter passado por Eden, eo jardim nele, regando-a, é dividido em quatro partes ou chefes de água, ou quatro rios principais chefe, a seguir mencionados; e que circunstância o escritor acima acha que o torna o mais provável a ser o rio Jordão, que e com os quatro rios são mencionados juntos pelo filho de Siraque, nos Apócrifos: "25 Ele cumpre todas as coisas com a sua sabedoria, como Phison e como Tigre no tempo dos novos frutos. 26 Ele é quem estabelece o entendimento para abundam como Eufrates, e como a Jordânia no momento da colheita. 27 Ele é quem estabelece a doutrina do conhecimento aparecem como a luz, e como Geon no tempo de vintage. ' (Eclesiástico 24) dos quais nos seguintes versos. Esse rio pode ser um emblema do amor eterno de Deus, que o rio da água da vida, que brota do trono de Deus e do Cordeiro, de soberania divina, e não a partir da fé, amor e obediência do homem, aquele rio, cujas correntes alegram a cidade de Deus, e que a água para o jardim, a igreja, revive suas fábricas, e torná-la proveitosa e agradável; as quatro cabeças ou sucursais dos quais são eleição eterna de Deus, redenção particular por Cristo, regeneração e santificação pelo Espírito, e da vida eterna e felicidade, como o dom gratuito de Deus por meio de Cristo, veja Salmo 46: 4Salmo 46: 4.

 

Verso 11

O nome do primeiro é Pison, .... Não é o rio Nilo, no Egito, como Jarchi, que pensa que é derivado de "Pashah", o que significa aumentar, expandir e difusa, como que faz em certos momentos, e se espalha sobre a terra do Egito, ou de "Pishten", linho, que cresce lá, Isaías 19: 9Isaías 19: 9, nem o rio Ganges na Índia, como JosephusF13, e outros; para o país onde é mais tarde disse a correr nem concorda com o Egito nem Índia: em vez parece ser o mesmo rio, que é o de Plínio PhasisF14E EstrabãoF15Eo Physcus de XenophonF16, E o Hífase de PhilostorgiusF17, Um rio na Armênia, e cerca de Cólquida; e que às vezes é chamado Pasitigris, sendo uma filial desse rio, e misturado com, ou resultantes de canais, provenientes de Tigre, Eufrates, e outras águasF18.

 

este é o que rodeia toda a terra de Havilá, onde há ouro; este país teve o seu nome a partir de Havilah, um dos filhos de Cuche, Genesis 10: 7Genesis 10: 7 que, muito provavelmente, sentou-se perto de seu irmão Seba, de quem vieram os sabeus, que habitavam uma parte da Arábia; Havilá, é claro, foi em frente do Egito, no caminho da Assíria, e se limitava com os ismaelitas, que habitavam Arábia Deserta, Gênesis 25:16Gênesis 25:16. De maneira que parece ser um país em Saudita, vizinha ao lado, ou de uma parte da Etiópia ou Saudita Cusea, e perto de Seba ou Arabia Felix: e assim por Estrabão, entre as nações árabes, e, juntamente com o nabateus, coloca o ChaulotaeansF19, Que parece ser outro senão a posteridade de Havilah: de acordo com o Reland aprendeuF20, É o mesmo com Cólquida, uma parte de Scythia, e Phasis é bem conhecido por ser um rio de Cólquida; e que é executado em Pontus, como resulta do PlínioF21 e inclui citas, como JustinF23diz; e, em seguida, ele deve ter o nome de Havilah, filho de Joctã, Gênesis 10:29Gênesis 10:29 e em qualquer um destes países havia ouro, e uma abundância de-lo, e dos melhores, como se segue: (Após a destruição global de Noé inundação, é duvidoso que a localização destes rios pode ser determinada com qualquer grau de certeza hoje. Ed.)

 

Verso 12

E o ouro dessa terra é bom, .... Saudita era famoso por ouro: Diodoro da SicíliaF24fala de ouro na Arábia, chamado de "apyrus", o que não é derretido pelo fogo de pequenas arquivamentos, como outro; mas assim que escavado é dito ser de ouro puro, e que no tamanho de castanhas, e de tal uma cor flamejante, que as pedras mais preciosas são definidas nele por artífices para o ornamento, e em Cólquida e Scythia, como EstrabãoF25refere-se, há rios que produzem ouro; e donde vieram a fábula do velocino de ouro, os Argonautas foi para Cólquida para:

 

há o bdélio, ea pedra de berilo; O primeiro deles é aromático, quer uma goma; a árvore, de acordo com PlínioF26, É preto, e é do tamanho de uma oliveira, tem a folha de um carvalho, e seu fruto é como alcaparras; ele é encontrado na Arábia, Índia, Media, e Babilônia; mas o melhor, segundo ele, está em Bactriana, e, ao lado disso, o bdélio of Arabia: ou então ele é uma pedra preciosa, e que os escritores judeusF1comumente preciso para ser cristal; e, de acordo com SolinusF2, O melhor cristal está em Scythia. BochartF3teria-se que a pérola é destinado, por causa de sua brancura e redondeza, para o qual o maná é comparado a ele, Números 11: 7Números 11: 7 e sim por causa da pesca de pérolas em Catipha, tendo Havilah ser que parte da Arábia que mentiras sobre o Golfo Pérsico. Este último, o ônix, é uma pedra preciosa, que tem o nome de seu ser da cor da unha de um homem; e, de acordo com PlínioF4, O mármore ônix é encontrado nas montanhas da Arábia, e os antigos pensaram que era em nenhum outro lugar; e ele fala em outro lugar da pedra preciosa ônix árabe, e da sardônica, como no mesmo paísF5; e alguns pensam que é aqui significava; embora a palavra é, por vezes, pela Septuaginta rendeu a esmeralda; ea melhor delas, de acordo com SolinusF6 e PlínioF7, Estavam em Scythia. (Depois da destruição global do dilúvio de Noé, é duvidoso que a localização desses lugares poderia ser determinado com grau de certeza hoje. Ed.)

 

O versículo 13

E o nome do segundo rio é Gihon, .... Houve um deste nome na terra de Israel, que, ou uma filial do mesmo, corria perto de Jerusalém, 1 Kings 1:331 Reis 1:33 este Aben Ezra sugere é aqui significava e, o que favorece a noção de que o homem aprendeu acima, que o jardim do Éden era na terra de Israel. JosephusF8leva-lo para ser o rio Nilo, como fazem muitos outros; ele parece ter sido um ramo do rio Eufrates ou Tigre, no lado oriental, como Phison estava no oeste; e assim por Aben Ezra diz que veio do leste sul. O Reland aprendeuF9vai tê-lo para ser o rio Araxes: tem o seu nome, de acordo com Jarchi, a partir da força que vai com, eo barulho que faz. E parece ter seu nome da גוח, o que significa que vir com muita força, como este rio é dito para fazer, quando se derrama-se no mar Báltico.

 

O mesmo é ele que rodeia toda a terra da Etiópia; quer Etiópia acima Egito; e isso favorece a noção daqueles que tomam Giom para ser o Nilo: para PausaniasF11diz, que era comumente informou que o Nilo era Eufrates, que desaparecem em um pântano, levantou-se acima Etiópia, e se tornou o Nilo, e assim lavado naquele país, e é pensado para concordam muito bem com o relato mosaico, ou então que Cush ou Etiópia, que beirava a Midiã, e foi uma parte da Arábia, e pode ser chamado Saudita Chusea, muitas vezes entende por Cush nas Escrituras. RelandF12acha que o país dos Cossaeans ou Cussaeans, um povo que fazem fronteira com mídia, o país de Kuhestan, uma província da Pérsia, se destina. (Depois da destruição global do dilúvio de Noé, é duvidoso que a localização destes rios pode ser determinada com qualquer grau de certeza hoje. Ed.)

 

Verso 14

O nome do terceiro rio é Tigre, .... Um rio que corria por Shushan, na Pérsia, e manteve o seu nome nos tempos de Daniel, Daniel 10: 4Daniel 10: 4 onde é chamado o grande rio; e parece que leva o mesmo nome agora entre os persas; pelo menos ele fez de cento e cinquenta anos atrás, quando RauwolffF13viajou naquelas partes. O Targum de Jonathan aqui chama-Diglath, o mesmo com o Diglito de PlínioF14; e segundo ele é chamado de Tigre, a partir de sua rapidez, a partir do tigre, uma criatura rápida, ou de גרא, "dardo", no idioma Caldeu; e assim por CurtiusF15diz, que na língua persa que eles chamam de um dardo "tigris", e concorda com esta a palavra "Tigre", que na língua hebraica significa afiada e rápida, como uma flecha polida é; e Jarchi diz que é assim chamado, porque suas águas são afiados e rápida: embora este é contrariada por alguns viajantes modernosF16 que dizem que é um fluxo mais lento do que o Eufrates, e não só é muito torto, e cheio de meandros, mas também engasgado com ilhas, e grandes bancos de pedra:

 

que é ele que corre em direção ao leste da Assíria: um país que teve o seu nome a partir de Ashur, filho de Shem, Gênesis 10:11Gênesis 10:11, tornou-se um reino famoso e monarquia, Nínive era a metrópole do mesmo, que foi construída no rio Tigre ou Tigre; e, como antes observado, ele correu por Shushan, na Pérsia; e assim, como Diodoro da SicíliaF17diz, que passou pela mídia para a Mesopotâmia; e que muito bem concorda com seu ser, de acordo com Moisés, um dos rios do Éden. Doze milhas até este rio, de Mosul, perto do qual Nínive ficava, encontra-se uma ilha, chamada de Ilha do Éden, no coração do Tigre, cerca de dez milhas inglesas no circuito, e é dito que é, sem dúvida, uma parte do paraísoF18:

 

eo quarto rio é o Eufrates: ou "Eufrates", como na língua hebraica. RelandF19parece justamente para julgar, que a sílaba "eu", prefixado para ele, é o "au" persa ou "cu", que nessa língua significa "água"; de modo que "Eufrates" não é outro senão "a água do Eufrates", assim chamada pela fecundidade do mesmo; por suas águas, como diz Jarchi, frutificar, aumentar, e engordar a terra; e que justamente observa que estes nomes, e assim os de outros rios, e dos países aqui mencionados, são nomeados por um prolepsis ou antecipação, sendo estes os nomes que levavam quando Moisés escreveu; a menos que ele pode ser pensado para ser o hebraico הוא, "Hu, o, que Phrat"; e que os gregos fizeram um "eu" de. (Depois da destruição global do dilúvio de Noé, é duvidoso que a localização destes rios pode ser determinada com qualquer grau de certeza hoje. Ed.)

 

Verso 15

E o Senhor Deus tomou o homem, eo pôs no jardim do Éden, .... Isto é observado antes em Gênesis 2: 8Gênesis 2: 8 e é aqui repetido para introduzir o que se segue; e deve ser entendida não de uma suposição corporal, por um poder divino levantando-o do lugar onde estava, e levando-o para outro; em vez de um manuduction, ou tomando-o pela mão e levando-o para lá; assim Onkelos torna, ele "levou" a ele, ou seja, ele ordenou e dirigiu-o para lá: assim Jarchi parafraseia, ele levou-o com palavras boas, e convenceu-o a ir para lá: o lugar de onde ele é suposto por alguns de ser tomada era perto de Damasco, onde ele é por eles disse a ser criado; ou o local onde o templo foi posteriormente construída, como dizem os escritores judeus: o Targum de Jonathan é, "o Senhor Deus tomou o homem do monte de Serviço, o lugar em que ele foi criado, e levou-o para morar na jardim de Eden.'And em outros lugaresF20diz-se, "o santo bendito Deus amou o primeiro Adão com um grande amor superior, para o criou a partir de um lugar puro e santo;? ea partir de que lugar ele levá-lo a partir do local da casa do santuário, e colocou-o em seu palácio, como se diz, Gênesis 2:15Gênesis 2:15 "e tomou o Senhor Deus", e não mais c.'though talvez se pretende com esta expressão, do que Deus falou com ele ou impressionou-o em sua mente, e inclinou-lhe para ir, ou ficar lá:

 

para vesti-la e mantê-la; de modo que parece o homem não era viver uma vida ociosa, em um estado de inocência; mas este não pôde ser atendido com labuta e de trabalho, com fadiga e problemas, com tristeza e suor, como depois de sua queda; mas era bastante para o seu divertimento e prazer; embora o que, por natureza, foi deixado para ser melhorada pela arte, eo que havia para Adam que fazer, não é fácil dizer: neste momento não precisava de nenhuma aragem, nem semear, nem o plantio, nem molhar, uma vez que Deus tinha feito toda a árvore agradável à vista, boa para se comer, para crescer fora dele; e um rio corria através dele para regá-la: portanto, em um trato judaicaF21, Antes referido, diz-se, que o seu trabalho no jardim era nada mais do que para estudar nas palavras da lei, e para manter ou observar o caminho da árvore da vida, e com isto concordam as Targums de Jonathan e de Jerusalém ", e ele o colocou no jardim do Éden, para servir na lei, e manter os comandos de it.'And em outro aparelhoF23é dito, "Deus trouxe Adão a lei, Job 28:27Job 28:27 e" colocou-o no jardim do Éden ", isto é, o jardim da lei," para vesti-lo ", para fazer os preceitos afirmativos da lei ", e para mantê-lo", os preceitos negativos: "embora Aben Ezra interpreta este serviço de regar o jardim, aud manter animais selvagens de entrar nela E de fato a palavra pode ser traduzida para" até ", bem como para se vestir. , como é em Gênesis 3:23Gênesis 3:23 e por Ainsworth aqui, de modo MiltonF24expressa; e alguns têm pensado Adão deveria ter plantado e semeou, se tivesse continuado no jardim.

 

Verso 16

E o Senhor Deus ordenou ao homem, .... Sobre quem ele tinha poder e autoridade; e ele tinha o direito de lhe ordenar o que quisesse, sendo o seu Criador, benfeitor e preservador; e isso é para ser entendida não de homem só, mas de também a mulher, cuja criação, embora relacionado depois, ainda foi antes de este subsídio para comer de todas as árvores do jardim, mas um, ea proibição do fruto do que; para que ela era no ser, e no presente, neste momento, parece manifesto de Gênesis 3: 2Gênesis 3: 2.

 

dizendo: De toda árvore do jardim comerás livremente: um subsídio muito generoso, grande e liberal esta: ou "em comer comeres"F25; que estava dando poder total, e deixando-os sem qualquer dúvida e incerteza sobre a sua comida; que eles possam tomar livremente e comer livremente, onde quer que eles se encontraram, ou estavam inclinados a, mesmo de qualquer e todas as árvores no jardim, com exceção de um, próximo proibido.

 

Verso 17

Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, .... É o nome desta árvore, e as razões da mesma; ver Gill sobre Gênesis 2: 9Gênesis 2: 9.

 

não comerás dela; Não que esta árvore tinha qualquer eficácia nele para aumentar o conhecimento e melhorar em ciência e compreensão, como Satanás sugeriu Deus sabia; e, portanto, proíbem a alimentação dele por inveja para o homem, que o Ser divino é capaz; ou que havia algo doloroso em que os corpos dos homens, se eles tivessem comido do mesmo; ou que era ilegal e mal de si mesmo, se ele não tivesse sido expressamente proibida: mas era, anterior a essa liminar, uma coisa completamente indiferente se o homem comeu dele ou não; e, portanto, foi lançado em cima como uma prova de obediência do homem a Deus, sob cujo governo ele era, e quem estava apto ele deve obedecer em todas as coisas; e desde que ele tinha uma concessão de todas as árvores do jardim, mas este, foi o maior agravamento de sua ofensa que ele não deveria abster-se dele:

 

porque no dia em comeres dele tu certamente morrerás; ou "em morrer, morrer"F26; o que denota a certeza de que, como a nossa versão expressa; e pode ter em conta a mais mortes do que um; não só um corpóreo, que em certo sentido imediatamente tomou lugar, o homem tornou-se ao mesmo tempo uma criatura mortal, que de outra forma contínua em um estado de inocência, e por comer da árvore da vida, ele foi autorizado a fazer, teria vivido uma vida imortal; da ingestão de qual árvore, ao pecar, ele foi excluído, sua vida natural não agora de ser continuado por muito tempo, pelo menos não para sempre; ele foi imediatamente acusado, julgado e condenado à morte, foi considerado culpado por isso, e tornou-se desagradável para ele, e morte de uma vez começou a trabalhar nele; pecado lançou as sementes do mesmo em seu corpo, e um trem de misérias, aflições e doenças, começaram a aparecer, o que por fim emitido em morte. Além disso, a morte espiritual ou moral imediatamente se seguiu; ele perdeu a justiça original, no qual ele foi criado; a imagem de Deus nele foi deformado; os poderes e faculdades de sua alma estavam corrompidos, e ele tornou-se morto em delitos e pecados; a consequência de que, se não tivesse sido para a interposição de uma fiança e Salvador, que se engajaram a dar satisfação ao direito e à justiça, deve ter sido a morte eterna, ou uma separação eterna de Deus, ele e toda a sua posteridade; Porque o salário do pecado é a morte, e morte eterna, Romanos 6:23Romanos 6:23. Então os judeusF1 interpretar isso de morte, tanto neste mundo e no mundo por vir.

 

Verso 18

E disse o Senhor Deus, .... Não, ao mesmo tempo que ele deu a direção acima e instrução para o homem, como se comportar de acordo com sua vontade, mas antes disso, mesmo no momento da formação de Adão e que ele disse quer para ele, ou com ele mesmo: era um propósito ou determinação em sua própria mente, e pode ser processado, como é por muitos, ele "tinha dito"F2, No sexto dia, em que o homem foi criado:

 

é não é bom que o homem esteja só; não agradável e confortável para si mesmo, nem agradável à sua natureza, ser uma criatura social; nem a sua espécie útil, não sendo capaz de difundir; nem tanto para a glória de seu Criador:

 

Vou lhe fez um ajuda para ele cumprir; um para ajudá-lo em todos os assuntos da vida, não só para a propagação de sua espécie, mas também para oferecer coisas úteis e confortáveis ​​para ele; para vestir seu alimento, e cuidar dos negócios da família; um "como a si mesmo"F3, Na natureza, temperamento, e disposição, na forma e na forma; ou um "como diante dele"F4, Que seria agradável a sua vista, e com quem ele poderia deliciosamente inverso, e estar em todos os aspectos agradáveis ​​para ele, que é inteiramente responsável perante o seu caso e as circunstâncias, suas vontades e desejos.

 

Verso 19

E fora do chão o Senhor Deus formou todos os animais do campo e todas as aves do céu, .... Ou "eles tinham formado"F5sobre o quinto e sexto dias; e estes foram formados dois a dois, macho e fêmea, a fim de continuar as suas espécies; Considerando que o homem foi feito único, e não tinha nenhum companheiro da mesma natureza com ele, e ao mesmo tempo nestas circunstâncias, Deus

 

trouxe a Adão; ou "o homem"F6; quer pelo ministério dos anjos, ou por uma espécie de instinto ou impulso, o que lhes trouxe a ele por sua própria vontade, como ao Senhor e proprietário deles, que, tão logo foi feita, tinha o domínio de todo o criaturas que lhe foi dada; assim como as criaturas na inundação entrou a Noé na arca; e como, então, agora, todas as criaturas, aves e gado, vieram, todos, mas os peixes do mar, e isso foi feito

 

para ver o que ele iria chamá-los; quais nomes ele daria a eles; que como foi um julgamento da sabedoria do homem, então um símbolo de seu domínio sobre as criaturas, sendo uma instância de grande conhecimento deles para dar-lhes nomes aptos e adequados, de forma a distinguir um do outro, e ponto em algo neles que era natural para eles, e os fez diferentes uns dos outros; para isso não supõe qualquer falta de conhecimento em Deus, como se ele fez isto para saber o que o homem iria fazer, ele sabia o nome do homem daria a eles antes que ele fez; mas que poderia parecer que ele tinha feito um superior a todos eles em sabedoria e poder, e para seu prazer, uso e serviço; e, portanto, traz-los para ele, para colocá-los em suas mãos, e dar-lhe autoridade sobre eles; e ser seu próprio, para chamá-los por nomes que ele agradou:

 

e tudo o que Adão chamou a toda a alma vivente, isso foi o seu nome; sempre foi mais tarde chamado por ela, por ele e sua posteridade, até que a confusão das línguas, e depois a cada nação chamada-los como eles achavam correcto, todos na sua própria língua, e como há uma boa dose de razão para acreditar, que a língua hebraica foi o primeiro e original linguagem; ou no entanto que a linguagem oriental, da qual o hebreu, caldeu, siríaco e árabe, são tantos dialetos; foi isso que ele falou, e nela deram nomes às criaturas adequados à sua natureza, ou agradáveis ​​para alguma propriedade ou outros observados neles: e BochartF7nos deu muitos exemplos de criaturas em língua hebraica, cujos nomes responder a algum personagem ou outro em-los: alguns pensam que isto foi feito por inspiração; e Platão diz, que parecia-lhe que que a natureza foi superior ao humano, que deu nomes às coisas; e que este não era o trabalho do homem vaidoso e tolo, mas os primeiros nomes foram nomeados pelos deusesF8; e assim por CiceroF9 pergunta, que foi o primeiro, que com Pitágoras foi a mais alta sabedoria, que impôs nomes em todas as coisas?

 

Verso 20

E Adão deu nome a todo o gado, e às aves do céu e todos os animais do campo, .... Como eles vieram antes dele, e passou por ele, pagando como se fosse a sua homenagem a ele, seu senhor e proprietário:

 

mas para o homem não foi encontrado uma ajuda para ele cumprir; e, talvez, isso pode ser uma das razões de seu ser-lhe apresentado um que ele pode se tornar sensível que não havia nenhum entre todas as criaturas de sua natureza, e que estava apto para ser um companheiro de seu; e para ele deve ser encaminhado esta, e não a Deus; não como se Deus olhou para fora uma auxiliadora idônea para ele entre as criaturas, e poderia encontrar nenhum; mas, como Aben Ezra observa, o homem não poderia encontrar um para si mesmo; e isso fez dele o mais grato e aceitável para ele, quando Deus tinha formado a mulher dele, e apresentou-a diante dele.

 

Verso 21

E o Senhor Deus fez cair pesado sono sobre Adão, e ele dormiu, .... Este não foi um sono comum e natural que Adão caiu, ocasionada por qualquer cansaço dos espíritos animais, em ver as criaturas como eles passaram por ele, e, examinando-as e dando-lhes nomes adequados e apropriados; mas era sobrenatural, e do Senhor, o seu poder e providência, que fez cair sobre ele: não era uma sonolência, nem um sono, mas um sono profundo: seus sentidos estavam tão preso por ele, que ele percebia não tudo o que foi feito com ele; e parece ter sido de propósito, para que pudesse sentir nenhuma dor, enquanto a operação foi feita sobre ele, bem como para que se mostrasse que ele não tinha nenhuma mão na formação da mulher; e que ele pode ser o mais surpreso ao vê-la, só despertando do sono, para ver tão adorável um objeto, tanto como ele, e fez de si mesmo, e em tão pouco tempo como, enquanto ele estava tomando um cochilo confortável:

 

e tomou uma das suas costelas; com a carne junto com ele: os homens têm geralmente, como anatomistasF11observar, doze costelas em um lado; parece por isso, que Adão tinha treze anos. O Targum de Jonathan é ", e ele tomou uma das suas costelas, ou seja, da décima terceira costela do seu lado direito: 'mas o nosso poeta InglêsF12 leva-la para ser um dos do lado esquerdo, e também um supranumerárioF13. Deus fez uma abertura nele, e levou-o para fora, sem colocá-lo para qualquer dor, e sem qualquer sensação de que: de que maneira isso foi feito, não precisamos perguntar; o poder de Deus foi suficiente para realizá-la; Adam estava dormindo quando foi feito, e vi que não, eo modo de operação não está declarado:

 

e fechou a carne em seu lugar, de modo que não houve abertura à esquerda, nem qualquer ferida feita, ou uma cicatriz apareceu, ou qualquer prejuízo sofrido, mas o que foi feito por um aumento de carne, ou fechando-se a carne; e que ser endurecido como uma outra costela, e por isso respondeu a mesma finalidade. (Adam provavelmente teve o mesmo número de costelas como fazemos hoje. Caso contrário, o código genético para a criação de uma costela extra seria causar pelo menos algumas pessoas hoje ter treze costelas. Não sei de nenhum caso. Além disso, sabemos que as características adquiridas não podem ser passados ​​para a próxima geração. Um homem que perde as duas pernas em um acidente, normalmente tem crianças que têm duas pernas. Ed.)

 

Verso 22

E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou mulher, .... É comumente observado e pertinentemente o suficiente, que a mulher não foi feita a partir da parte superior do homem, que ela não pode ser pensado para estar acima dele, e têm poder sobre ele; nem de qualquer parte inferior, como estando abaixo dele, e ser pisado por ele; mas fora do seu lado, e de uma de suas costelas, que ela pode aparecer para ser igual a ele; e de uma parte perto de seu coração, e sob seus braços, para mostrar que ela deve ser afetuosamente amada por ele, e estar sempre sob seu cuidado e proteção; e ela não foi "criado" como as coisas eram, a partir do nada, nem " formada "como Adão foi, a partir do pó da terra, sendo na mesma forma como o homem; mas "feito" fora de refinado e acelerou poeira, ou a carne e os ossos do homem, e assim em sua marca e constituição e multa lindo; ou "construído"F14, Como a palavra significa, que é usado, porque ela é a base da casa ou a família, e os meios de construí-la: ou melhor, para designar o singular cuidado e arte utilizada, e proporção ajuste observado no make dela:

 

e trouxe-a a Adão: a partir do lugar onde a costela tinha sido realizado, e ela foi feita da mesma; ou ele a trouxe, como o pai dela, em cujo descarte era, e apresentou-a a Adão como seu cônjuge, a ter em uma relação conjugal com ele, e para ser amado e querido por ele; que, uma vez que proporciona uma regra e exemplo a ser seguido por pais e filhos, o único a dispor de seus filhos no casamento, eo outro para ter o consentimento de seus pais nele; assim como é uma recomendação do casamento, como acordo com a vontade divina, e para ser estimado honorável, sendo de Deus: por isso era um tipo da união de Cristo, o segundo Adão, entre ele e sua igreja, que saltaram dele, de seu lado; e é da mesma natureza com ele, e foi apresentado por seu Pai divino para ele, que lhe deu a ele; e ele recebeu-a a si como seu cônjuge e da noiva; veja Efésios 5:29Efésios 5:29.

 

Verso 23

E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos e carne da minha carne, .... "De seus ossos", porque feito de um par de suas costelas, como alguns pensam, uma de cada lado, e, portanto, expressa no plural, "e de sua carne", uma parte da qual foi feita com a costela; este Adam sabia, ou estar acordado enquanto ela foi feita, embora dormindo quando a costela foi retirada; ou por revelação divina, por um cunho de que em sua mente; ou pode ter sido declarada a ele em um sonho, durante o sono, quando, estando em um êxtase ou transe, todo este assunto foi representado a ele; e este era "agora" pronto, acabado de fazer, e não estariam mais em feito como forma; "desta vez"F15, Desta vez, como muitos torná-lo; assim foi, mas a seguir a mulher estava a ser produzido na forma de geração, como o homem:

 

ela será chamada mulher, porque ela foi tirada do homem: seu nome era "Ishah", porque tomada "Ish", como "vira" em latim de "vir" e "mulher" em nossa língua de "homem" .

 

Verso 24

Por isso o homem deixará seu pai e sua mãe, .... Estes são pensados ​​por alguns como as palavras de Moisés, inferir do fato acima, o que deveria ser entre os homens; e por outros, as palavras de Adam sob inspiração divina, como o pai da humanidade instruir seus filhos sobre o que fazer, e predizendo o que seria feito em todos os séculos subseqüentes; ainda que em vez parecem ser as palavras do próprio Deus, no qual o casamento agora foi instituído; e que aqui dá direção sobre isso, e declara o caso e circunstância do homem sobre ela, e como ele iria e deve comportar-se: e, assim, nosso Senhor Jesus Cristo, citando estas palavras, faz com que eles sejam as palavras daquele que fez o homem, macho e fêmea, e suprimentos e prefacia-lhes assim, e disse: "por esta causa", & c. Mateus 19: 5Mateus 19: 5 assim Jarchi parafraseia-los ", disse o Espírito Santo assim:" não que um homem em cima de seu casamento é para deixar cair seu afetos aos seus pais, ou ser negligente em sua obediência a eles, honra deles, e estima para então, ou a negligenciar o cuidado deles, se eles estão precisando de sua ajuda, mas que ele deve sair da casa de seu pai, e não mais morar com ele, ou cama e mesa em sua casa, mas ter tomado uma esposa para si mesmo, deve fornecer uma morada para ele e para ela morar juntos: para que todos os três Targums interpretar, de parar "a casa de seu do pai, e sua mãe cama ":

 

e se unirá à sua mulher; com uma afeição cordial, cuidando dela, nutrir e acalentar ela, fornecendo todas as coisas confortável para ela, continuando a viver com ela, e não afastar-se dela enquanto eles vivem: a frase é expressivo do próximo união pelo casamento entre Homem e esposa; eles são, por assim dizer, colados um ao outro, e fazer apenas um; que é mais inteiramente e fortemente expresso na cláusula seguinte:

 

e eles serão uma só carne; ou seja, "eles dois", o homem e sua esposa, como ele é fornecido e interpretado por Cristo, Mateus 19: 5Mateus 19: 5 e por isso aqui no Targum de Jonathan, e nas versões Septuaginta e Samaritano: a união entre eles é tão perto, como se fossem apenas uma pessoa, uma só alma, um só corpo; e que deve ser observada contra a poligamia, divórcios ilegais, e toda a impureza, fornicação e adultério: somente um homem e uma mulher, sendo unidos em matrimônio legal, têm o direito de cópula com o outro, a fim de produzir uma prole legítima , participando da mesma carne, como fazem as crianças de seus pais, sem ser capaz de distinguir a carne do um do outro, eles participam de: ea partir daí ele parece ser uma noção fabuloso, que Cecrops, primeiro rei de Atenas, foi o primeiro instituidor do matrimônio e marceneiro de um homem com uma mulher; onde ele foi dito ser "biformis"F16, E foi chamado διφυης; a menos que, como algunsF17 ter pensado, que ele e Moisés eram uma ea mesma que entregou a primeira instituição do casamento, o que é isso.

fonte comentario biblico Gil Vicent, antigo testamento

 

 

 

                      SUBSIDIOS AUXLIOS PARA AS AULAS

                                        LIÇÃO N.2 GENESIS 

                                     ARTIGOS COMENTARIO

                                 DE SALMOS 104 E GENESIS 

 

Salmo 104: 1-2Salmo 104: 1-2. Vestida (Salmo 104: 1), como em Jó 11:10; Isaías 51: 9; Salmo 93: 1. Esta expressão, como o particípio que segue no versículo seguinte: vendar [EV: quem te coverest], mostra que não é aqui descrito, não a glória eterna do ser de Deus (Judas Salmo 104: 25), nem a luz que é inacessível como morada de Deus (1 Timóteo 6:16), mas o esplendor real e majestoso glória que se refletem no universo criado (Salmos 96: 6). Os céus como uma cortina tenda estendida (Isaías 40:22; Isaías 42: 5; Isaías 44:22; Isaías 54: 2), pagar a concepção do רָקִיעַ, que Isaías, chapéu é prorrogado.Salmo 104: 1Job 11:10Isaías 51: 9Salmo 93: 1Salmo 104: 251 Timóteo 6:16Salmos 96: 6Isaías 40:22Isaías 42: 5Isaías 44:22Isaías 54: 2

 

Salmo 104: 3Salmo 104: 3. As expressões contraditórias, em que é dito que os quartos superiores são enquadrados com vigas, e que esta última consiste, de água, servir de uma vez para mostrar o erro de qualquer concepção sensual, e para representar a exaltação ea natureza imaterial do celestial Rei. [Alexander comenta o seguinte: "A primeira palavra significa, colocando vigas ou vigas. A próxima frase pode significar, em ou com água. A primeira é mais evidente, o último mais impressionante, uma vez que representa uma construção sólida feita de um líquido ou de um material fluido. No outro caso, as águas destinadas são as do firmamento, ver Gênesis 1: 6-7Gênesis 1: 6-7; Salmo 18:12Salmos 18:12., Onde as nuvens e as asas do vento também são mencionados na mesma conexão "A prestação em EV tem não só a vantagem de ser a "mais óbvia", é também a única compatível com o sabor poético do autor. Na verdade Dr. Moll em sua versão do Salmo, torna: "Quem compõe o seu quarto superior em águas", mas não percebe esta tradução no exposition.-JFM]. Não pode haver qualquer alusão ao costume de erguer câmaras em cima dos telhados planos de construção das vivendas Amos 9: 6(Amós 9: 6; Jeremias 22:13Jeremias 22:13), como locais de privacidade e retirada salas, pois Deus não é visto como esconder a Si mesmo, mas como manifestando a Sua glória.

 

Salmo 104: 4Salmo 104: 4. A dupla acusativo faz a tradução verdadeira duvidosa. De acordo com a construção comum devemos render: ele faz o seu mensageiros ventos (Köster), e pode então colocar anjos no lugar de mensageiros (setembro, Lutero, Stier), como em Hebreus 1: 7Hebreus 1: 7. Mas como não há nenhuma ocasião de mencionar os anjos, como ministros celestes (Venema), em conexão com as forças da natureza, estamos justificados em que aprova a construção de outras, que também é admissível. ["Quem faz os ventos Seus mensageiros", como o Dr. Moll tem na sua version.-JFM].

 

Salmo 104: 5-8Salmo 104: 5-8. Os Pilares [Salmo 104: 5. EV: fundação; ver observações sobre o Salmo 97: 2. JFM-] da terra são freqüentemente mencionados como denotando, não literalmente, mas por um modo de expressão poética, a estabilidade da terra como livremente suspensa no espaço (Jó 26: 7). A descrição que se segue mostra que a idéia de um caos não foi, em seguida, entretido (Comp. Buttmann, Mythologus, I. p128). As montanhas são tão antigas quanto a terra, e as águas que originalmente cobria. De acordo com esta declaração em Salmo 104: 6, Salmo 104: 8 a é para ser tomado como proferidas entre parênteses, (Ewald, Hupf, Del.), E não para ser conectado imediatamente com o Salmo 104: 8 b, (Hitzig e outros) . Pois, embora a prestação: as águas subiam em cima das montanhas, afundou-se os vales, concorda em sentido com o Salmo 107: 26, (. Entre-Chald, Hengst) mas é incompatível com a declaração em Salmo 104: 6, que as águas estavam sobre as montanhas. Assim também é a outra explicação que as montanhas e vales, através de revoltas e afundamentos (Umbreit, Maurer, Hitzig), tinha-se colocado nas posições preparadas para eles por Deus. [Dr. Moll, portanto, torna Salmo 104: 7-8:Salmo 104: 5Salmo 97: 2Jó 26: 7Salmo 104: 6Salmo 104: 8Salmo 104: 8Salmo 107: 26Salmo 104: 6Salmo 104: 7-8

 

Antes de tua repreensão fugiram,

 

Antes de Tua voz de trovão que estavam tremendo away-

 

Montanhas se levantou, vales afundou jusante

 

Para o lugar, o que fizeste para estabelecer them.-JFM].

 

Salmo 104: 10-13Salmo 104: 10-13. Somos, talvez, entender pelos riachos, os vales, desfiladeiros ou wadys em que fluem (setembro e outros), mas isso não é linguisticamente certo. O fruto das tuas obras, Salmo 104: 13Salmo 104: 13, é provavelmente a chuva, como produzido pelas nuvens (Kimchi e mais), ou pode se referir especialmente para as câmaras que Deus construiu para si mesmo, de acordo com a tradução: fruto do teu trabalho (Hupfeld). Se as plantas são compreendidos (Del.), Então a terra deve ser usada metonimicamente (Aben Ezra) para os moradores da terra, que dificilmente pode ser suposto, se considerarmos o contexto anterior.

 

Salmo 104: 15Salmo 104: 15. A conexão de Salmo 104: 15Salmo 104: 15 b com o que precede, por ל com o infinitivo, parece descrever um efeito adicional do vinho, que faz a face brilhar como com óleo. Mas, para além do facto de que não é a face, mas a cabeça que é unção, que deve traduzir מִן na sua construção comparativa literalmente: de óleo; e, portanto, óleo seria mencionado de uma forma estranha ao contexto. Mas o petróleo, juntamente com pão-de milho e vinho, é um dos principais produtos do solo na Palestina, e é empregado mais do que qualquer outra coisa para dar sabor e riqueza à alimentação. A maioria, portanto, assumir justamente uma conexão mais frouxa da sentença, como a mesma coisa ocorre com freqüência em toda a estrofe. [Alexander: "E o vinho alegra o coração de Oração de Manassés, - (modo). Para fazer resplandecer o seu rosto mais do que petróleo e pão do coração do homem sustenta o texto da Bíblia Inglês torna o petróleo um item de distinta no catálogo , e óleo para fazer resplandecer o seu rosto. Mas isso é impossível uma construção do hebraico, em que o infinitivo (para fazer brilhar) tem a mesma relação ao que se passa antes como o infinitivo (para produzir) no verso anterior, e é, portanto, expressivo, não de uma causa e efeito distinto, mas uma consequência resultante da que acabei de mencionar. A verdadeira construção é dado na margem na Bíblia Inglês, para fazer resplandecer o seu rosto com azeite, e, mais do que o petróleo. Para a primeira destas traduções alternativas Pode-se objetar, que o vinho não pode fazer as caras dos homens brilhar com óleo, a menos que haja alusão aos unções festivas dos antigos, que, no entanto, foram restritos à cabeça. A outra, por conseguinte, parece ser o verdadeiro sentido, no qual o óleo é meramente mencionado como uma substância de brilho. A descrição de alimentos como sustentar o coração é muito antiga. Ver Genesis 18: 5Genesis 18: 5; Juízes 19: 8Juízes 19: 8 "- JFM]..

Versículo 1

Deus no princípio criou os céus ea terra - הארץ ואת השמים את אלהים ברא בראשית Bereshith bara Elohim eth hashshamayim veeth haarets; Deus no princípio criou os céus ea terra.

 

Muitas tentativas foram feitas para definir o termo Deus: como a própria palavra, é pura anglo-saxão, e entre nossos ancestrais significado, não só o Ser Divino, agora comumente designada pela palavra, mas também é bom; como em suas apreensões parecia que Deus e boa eram termos correlatos; e quando eles pensavam ou falavam dele, eles foram, sem dúvida, levou a partir da própria palavra a considerá-lo como o Bom Ser, uma fonte de benevolência infinita e beneficência para com suas criaturas.

 

A definição geral deste grande primeira causa, tanto quanto as palavras humanas ousam tentar um, pode ser assim dada: O eterno, independente e Ser auto-existente: o Ser cujos propósitos e ações brotar de si mesmo, sem motivo ou influência estrangeira: aquele que é absoluto em domínio; a mais pura, a mais simples, e mais espiritual de todas as essências; infinitamente benevolente, beneficente, verdadeiro e santo: a causa de todos os seres, o sustentador de todas as coisas; infinitamente feliz, porque infinitamente perfeito; e eternamente auto-suficiente, necessitando de nada que ele fez: ilimitado em sua imensidão, inconcebível em seu modo de existência, e indescritível na sua essência; conhecida totalmente só para si mesmo, porque uma mente infinita pode ser plenamente apreendido apenas por si mesmo. Em uma palavra, um Ser que, a partir de sua infinita sabedoria, não pode errar ou ser enganado; e que, a partir de sua infinita bondade, não pode fazer nada, mas o que é eternamente justo, direito e tipo. Reader, tal é o Deus da Bíblia; mas quão amplamente diferente do Deus da maioria dos credos humanos e apreensões!

 

A palavra original אלהים Elohim, Deus, é, certamente, a forma plural de אל El, ou אלה Eloah, e tem sido supostamente, pelos homens mais eminentemente aprendidas e piedoso, implicar uma pluralidade de Pessoas na natureza divina. Como essa pluralidade aparece em tantas partes dos escritos sagrados para ser confinado a três pessoas, daí a doutrina da Trindade, que formou uma parte do credo de todos aqueles que foram considerados sãos na fé, desde as primeiras idades do cristianismo. Nem são os cristãos singular em receber esta doutrina, e, tirando-a das primeiras palavras da revelação Divina. Um rabino judeu eminente, Simeon ben Joachi, em seu comentário sobre a sexta seção de Levítico, tem estas palavras notáveis: "Vinde e vede o mistério da palavra Elohim, existem três graus, e cada grau sozinho, por si só, e ainda não obstante eles são todos um, e unidas em uma só, e não são divididos entre si. " Veja Ainsworth. Ele deve ser estranhamente prejudicados fato que não pode ver que a doutrina da Trindade, e de uma Trindade em unidade, é expresso nas palavras acima. O verbo ברא bara, que ele criou, sendo juntadas no singular com este substantivo plural, tem sido considerada como apontando para fora, e não obscuramente, a unidade das Pessoas divinas neste trabalho de criação. No sempre abençoada Trindade, a partir da unidade infinita e indivisível das pessoas, mas pode haver uma vontade, um propósito, e uma energia infinita e incontrolável.

 

"Que aqueles que têm alguma dúvida se אלהים Elohim, quando significando o verdadeiro Deus, Jeová, ser plural ou não, consultar as seguintes passagens, onde eles vão achar que é juntou-se com adjetivos, verbos e pronomes plurais.

 

"Gênesis 1:26; Gênesis 03:22; Genesis 11: 7; Gênesis 20:13; Genesis 31: 7, Gênesis 31:53; Genesis 35: 7." Deuteronômio 4: 7; Deuteronômio 05:23; Josué 24: 19; 1 Samuel 4: 8; 2 Samuel 07:23; "Salmo 58: 6; Isaías 6: 8; Jeremias 10:10, Jeremias 23:36." Veja também Provérbios 9:10, Provérbios 30: 3; Salmo 149: 2; Eclesiastes 5: 7, Eclesiastes 12: 1; Job 5: 1; Isaías 6: 3, Isaías 54: 5, Isaías 62: 5; Oséias 11:12, ou Oséias 12: 1; Malachi 1: 6; Daniel 5:18, Daniel 5:20, e Daniel 7:18 , Daniel 7:22. "- Parkhurst.

 

Como a palavra Elohim é o termo pelo qual o Ser Divino é mais geralmente expressa no Antigo Testamento, pode ser necessário considerá-la aqui mais em geral. É uma máxima que não admite controvérsia, que cada substantivo na língua hebraica é derivado de um verbo, que normalmente é chamado de raiz ou raiz, a partir do qual, não só o substantivo, mas todos os diferentes flexões do verbo, primavera . Esta raiz é a terceira pessoa do singular do pretérito perfeito ou tempo passado. O significado ideal desta raiz expressa alguma propriedade essencial da coisa que designa, ou de que é um apelativo. A raiz em hebraico, e na sua língua-irmã, o árabe, geralmente consiste de três letras, e cada palavra deve ser atribuída a sua raiz a fim de verificar o seu significado genuíno, pois somente assim esse significado de ser encontrado. Em hebraico e árabe este é essencialmente necessário, e nenhum homem pode criticar de forma segura em qualquer palavra em qualquer uma destas línguas que não frequentam cuidadosamente a este ponto.

 

Menciono o árabe com o hebraico por duas razões.

 

Uma vez que os dois idiomas, evidentemente, surgir a partir da mesma fonte, e tem quase o mesmo modo de construção.

Porque as raízes deficientes na Bíblia hebraica devem ser procuradas na língua árabe. A razão disto deve ser óbvio, quando se considera que o conjunto do idioma hebraico está perdido, exceto o que está na Bíblia, e até mesmo uma parte deste livro é escrito em caldeu.

Agora, como a Bíblia Inglês não contém a totalidade do idioma Inglês, de modo a Bíblia hebraica não contém a totalidade do hebraico. Se um homem se encontrar com uma palavra em Inglês que ele não pode encontrar em uma ampla concordância ou dicionário com a Bíblia, ele deve, naturalmente, procurar para essa palavra em um dicionário de Inglês geral. Da mesma forma, se uma determinada forma de uma palavra hebraica ocorrer que não pode ser atribuída a uma raiz na Bíblia hebraica, porque a palavra não ocorre na terceira pessoa do singular do pretérito na Bíblia, é conveniente, é perfeitamente legal, e muitas vezes indispensavelmente necessário, procurar a raiz deficiente em árabe. Porque, como o árabe ainda é uma língua viva, e talvez o mais abundante no universo, pode muito bem ser esperado para fornecer esses termos que são deficientes na Bíblia hebraica. E a razoabilidade desta se baseia em outra máxima, viz., Que tanto o árabe foi derivado do hebraico, ou o hebraico do árabe. Eu não entra em esta controvérsia; há grandes nomes em ambos os lados, ea decisão da questão em uma ou outra maneira terá o mesmo efeito sobre o meu argumento. Porque, se o árabe foram derivados do hebraico, que deve ter sido quando o hebraico era uma língua completa de estar e, porque tal é o árabe agora; e, portanto, todas as suas raízes essenciais podemos razoavelmente esperar encontrar lá: mas se, como Sir William Jones supostamente, o hebraico foram derivados do árabe, a mesma expectativa se justifica, as raízes deficientes em hebraico Podem ser procuradas na língua materna . Se, por exemplo, nos deparamos com um termo na nossa antiga língua Inglês cujo significado nós encontramos difícil de determinar, o bom senso nos ensina que devemos procurar por ele no anglo-saxão, a partir dos quais nossas fontes de linguagem; e, se necessário, ir até o Teutonic, a partir do qual o anglo-saxão foi derivado. Nenhuma pessoa contesta a legitimidade dessa medida, e nós encontrá-lo em prática constante. Faço essas observações no próprio limiar do meu trabalho, porque a necessidade de agir com base nesse princípio (buscando raízes hebraicas deficientes em árabe) podem ocorrer muitas vezes, e eu gostaria de falar uma vez por todas sobre o assunto.

A primeira frase na Escritura mostra a propriedade de recurso a este princípio. Vimos que a palavra אלהים Elohim é plural; que traçamos nosso termo Deus à sua fonte, e vimos a sua significação; e também uma definição geral da coisa ou que estão incluídas no âmbito do presente termo, foi tremendo tentada. Agora devemos traçar o original para sua raiz, mas essa raiz não aparece na Bíblia hebraica. Foram o hebraico uma língua completa, uma razão piedosa pode ser dada, por esta omissão, viz., "Como Deus é sem começo e sem justa causa, como o seu ser é infinito e não derivada, a língua hebraica consulta decoro rigorosa em dar nenhuma raiz de onde sua nome pode ser deduzida. " Sr. Parkhurst, a cuja piedosa e aprendi trabalhos na literatura hebraica alunos mais bíblicos estão endividados, acha que encontrou a raiz em אלה alah, ele jurou, se comprometeu por juramento; e, portanto, ele chama a sempre abençoada Trindade אלהים Elohim, como sendo ligado por um juramento condicional para redimir o homem, etc., etc. mentes mais piedoso vai se revoltar de uma tal definição, e será feliz comigo para encontrar tanto o substantivo e a raiz preservada em árabe. Allah é o nome comum para Deus na língua árabe, e muitas vezes a enfática é usado. Agora ambas as palavras são derivadas da raiz Alaha, ele adorado, adorado, foi atingido com espanto, medo ou terror; e, portanto, ele adorava com horror sagrado e veneração, cum sacro horrore ac veneratione coluit, adoravit - Wilmet. Daí ilahon, medo, veneração, e também o objeto do medo religioso, a Divindade, o Deus supremo, o Ser tremenda. Isso não é uma idéia nova; Deus foi considerada na mesma luz entre os antigos hebreus; e, portanto, Jacob jura pelo temor de seu pai Isaque, Gênesis 31:53. Para completar a definição, torna Golius Alaha, juvit, liberavit, et tutatus fuit ", ele socorreu, liberado, mantidos em segurança, ou não justificado." Assim, a partir do significado ideal desta raiz mais expressivo, adquirimos a noção mais correta da natureza divina; pois aprendemos que Deus é o único objeto de adoração; que as perfeições de sua natureza são como deve surpreender todos os que piamente contemplá-los, e se enchem de horror todos os que se atrevem a dar a sua glória para outro, ou quebrar os seus mandamentos; que, consequentemente, ele deve ser adorado com reverência e temor; e que cada adorador sincero pode esperar dele ajudar em todas as suas fraquezas, os ensaios, as dificuldades, tentações, etc,.; liberdade do poder, a culpa, a natureza e conseqüências do pecado; e de ser apoiado, defendeu e salvou ao máximo, e até o fim.

 

Aqui, então, é uma prova, entre multidões que serão apresentados no decorrer deste trabalho, da importância, utilidade e necessidade de traçar estas palavras sagradas para suas fontes; e uma prova também, que os indivíduos que deveriam estar fora do alcance das pessoas comuns podem, com um pouco de dificuldade, ser trazido em um nível com a capacidade mais comum.

 

No começo - Antes que os atos criativos mencionados neste capítulo tudo era eternidade. Tempo significa duração medida pelas revoluções dos corpos celestes, mas antes da criação destes corpos não poderia haver nenhuma medida de duração, e, consequentemente, não há tempo; Por conseguinte, no início deve necessariamente significar o início da época que se seguiu, ou melhor, foi produzido por, atos criativos de Deus, como um efeito se mantenha ou seja produzido por uma causa.

 

Criado - Causada existência onde anteriormente a este momento não havia nenhum ser. Os rabinos, que são juízes legítimos em um caso de crítica verbal em sua própria língua, são unânimes em afirmar que a palavra ברא bara expressa o início da existência de uma coisa, ou egresso de nulidade a entidade. Não faz em seu significado primário denotam as coisas que dão forma a preservar ou novos que anteriormente existiam, como alguns imaginam, mas de criação no sentido próprio do termo, embora tenha algumas outras acepções em outros lugares. A suposição de que Deus formou todas as coisas de uma natureza eterna pré-existente, é certamente absurdo, pois se tivesse havido uma natureza eterna além de um Deus eterno, deve ter havido duas, e seres eternos independentes auto-existente, que é uma contradição mais palpável.

 

השמים את eth hashshamayim. A palavra את eth, que é geralmente considerado como uma partícula, simplesmente denotando que a palavra seguinte é no caso acusativo ou oblíqua, é muitas vezes entendido pelos rabinos em um sentido muito mais amplo. "A partícula את", diz Aben Ezra, "significa a substância da coisa." A definição como é dada por Kimchi em seu Livro de Raízes. "Esta partícula", diz o Sr. Ainsworth, "tendo a primeira e última letras do alfabeto hebraico nela, é suposto que compreendem a soma ea substância de todas as coisas." "A partícula את eth (diz Buxtorf, Lexicon talmúdica, sub voce) com os cabalistas é muitas vezes misticamente colocadas para o início eo fim, como α alfa e ω omega estão no Apocalipse." Por este motivo estas palavras devem ser traduzidas, "Deus no princípio criou a substância dos céus e da substância da terra", ou seja, os materia prima, ou primeiros elementos, dos quais os céus ea terra foram formados sucessivamente. O tradutor siríaco entendeu a palavra neste sentido, e para expressar esse significado tem usado a palavra yoth, que tem essa significação, e é muito bem traduzido em Walton Poliglota, Esse, caeli et Esse terrae ", o ser ou substância do céu , eo ser ou substância da terra ". St. Ephraim Syrus, em seu comentário sobre este lugar, usa a mesma palavra siríaca, e parece entendê-lo exatamente da mesma maneira. Embora as palavras hebraicas são certamente não mais do que a notação de um caso na maioria dos lugares, mas aqui entendida no sentido acima, eles argumentam a precisão filosófica maravilhoso na declaração de Moisés, que coloca diante de nós, não um céu acabado e da terra, como qualquer outra tradução aparece para fazer, embora depois o processo de sua formação é dada em detalhe, mas apenas os materiais fora de que Deus construiu todo o sistema nos seis dias seguintes.

 

O céu ea terra - Como a palavra שמים shamayim é plural, podemos ter certeza que ele significa mais do que a atmosfera, para expressar o que alguns têm se esforçado para restringir seu significado. Nem parece que a atmosfera é particularmente destinado aqui, como este é falado, Gênesis 1: 6, sob o termo firmamento. A palavra céus deve, portanto, compreender todo o sistema solar, uma vez que é muito provável que a totalidade desta foi criada nestes seis dias; pois a menos que a terra tinha sido o centro de um sistema, o inverso do que está suficientemente demonstrado, seria antifilosóficos supor que ele foi criado independentemente das outras partes do sistema, como nesta suposição temos de recorrer ao poder onipotente de Deus para suspender a influência do poder gravitando da Terra até o quarto dia, quando o sol foi colocado no centro, em torno do qual a terra começou então a girar. Mas, como o projeto do escritor inspirado foi relacionar o que especialmente pertencia ao nosso mundo e seus habitantes, portanto, ele passa o resto do sistema planetário, deixando-o simplesmente incluídos nos céus palavra no plural. Na palavra da terra cada coisa em relação ao globo terraqueaerial está incluído, ou seja, tudo o que pertence às partes sólidas e fluidas do nosso mundo com a sua atmosfera envolvente. Como, portanto, eu suponho que todo o sistema solar foi criado, neste momento, eu acho que perfeitamente no lugar para dar aqui uma visão geral de todos os planetas, com cada coisa curiosa e importante conhecido até agora em relação aos seus principais revoluções e afetos.

 

Observações sobre as mesas precedente

 

(Nota do Editor: Estes quadros foram omitidas devido a informações desatualizadas)

 

Na Tabela I. a quantidade ou as revoluções periódicas e siderais dos planetas é expresso em anos comuns, cada uma contendo 365 dias; como, por exemplo, a revolução tropical de Júpiter é, pela tabela, 11 anos, 315 dias, 14 horas, 39 minutos, 2 segundos; isto é, o número exacto de dias é igual a 11 anos, multiplicado por 365, e o extra de 315 dias adicionados ao produto, o que torna Em todos os 4330 dias. O sideral e tempos periódicos também são estabelecidas para o segundo mais próximo do tempo, a partir de números usados ​​na construção das tabelas na terceira edição de Astronomia de M. de la Lande. As colunas contendo a distância média dos planetas do sol em milhas inglesas, e seu maior e menos distância da Terra, são, como resultado das melhores observações dos últimos dois trânsitos de Vênus, o que deu a paralaxe solar para ser igual 8 de três quintos segundos de um grau; e, por conseguinte, o diâmetro da Terra, como pode ser visto a partir do sol, devem ser o dobro de 8 segundos três quinto, ou um quinto 17 segundos. Desta última quantidade, em comparação com os diâmetros aparentes dos planetas, como pode ser visto a uma distância igual à da terra em sua principal distância do Sol, os diâmetros dos planetas em milhas inglesas, como consta da sétima coluna, tem foi cuidadosamente calculado. Na coluna intitulada "Proporção de grandes quantidades, a terra sendo 1", os números inteiros expressar o número de vezes que o outro planeta contém mais milhas cúbicos, etc., do que a Terra; e se ser dado o número de milhas cúbicas na terra, o número de milhas cúbicos em qualquer planeta pode ser facilmente encontrada multiplicando as milhas cúbicos contidos na terra pelo número na coluna, eo produto será a quantidade necessária.

 

Este é um pequeno, mas precisa esboço do vasto sistema solar; para descrevê-lo totalmente, mesmo em todas as suas revoluções e conexões conhecidas, em toda a sua energia surpreendente e influência, no seu plano maravilhoso, a estrutura, operações e resultados, exigiria mais volumes do que pode ser dedicado ao próprio comentário.

 

Como tão pouco pode ser dito aqui sobre um assunto tão vasto, pode parecer para alguns imprópria para introduzi-la em tudo; mas para qualquer observação desse tipo I deve ser permitida para responder, que eu deveria considerar imperdoável não para dar uma visão geral do sistema solar no lugar onde sua criação é introduzido pela primeira vez. Se essas obras ser estupendo e magnífico, o que Ele deve ser que formou, guias, e apoia-los todos pela palavra do seu poder! Reader, fico admirado com esse Deus, e não pequeis. Faça-o com o teu amigo através do Filho do seu amor; e, quando estes céus ea terra não são mais, a tua alma deve existir em felicidade consumada e indizível.

 

Veja os comentários sobre o sol, a lua e as estrelas, depois de Gênesis 1:16. Veja a nota de Clarke em Gênesis 1:16.

 

Verso 2

A terra era sem forma e vazia - O original prazo תהו tohu e בהו bohu, que traduzimos sem forma e vazia, são de etimologia incerta; mas neste lugar, e onde quer que eles são usados, eles transmitem a idéia de confusão e desordem. A partir desses termos é provável que os antigos sírios e egípcios emprestado seus deuses, Theuth e Bau, e os gregos seu caos. Deus parece, a princípio, ter criado os princípios elementares de todas as coisas; e isso formou a grande massa da matéria, que neste Estado deve ser sem acordo, ou qualquer distinção de peças: uma vasta coleção de materiais indescritivelmente confusos, de entidades sem nome estranhamente mistos; e maravilhosamente bem expressa por um antigo poeta pagão: -

 

Ante mare et terras, et, quod tegit omnia, caelum,

 

Unus erat toto naturae vultus em Orbe, Quem dixere

 

Caos; rudis indigestaque moles,

 

Nec iners quicquam nisi pondus; eodem congestaque

 

Não bene junctarum discordia semina rerum.

 

Ovídio.

 

Antes dos mares e esta bola terrestre,

 

E copa alta do céu que cobre tudo,

 

Uma delas foi a face da natureza, se um rosto;

 

Em vez disso, uma massa rude e indigested;

 

Um vulto sem vida, unfashion'd e unframed,

 

Dissonante de sementes, e justamente Chaos nomeado.

 

Dryden.

 

O mais antigo dos gregos falaram quase da mesma forma desta bruto, estado indigested da massa caótica primitiva.

 

Quando esse amontoado de princípios elementares foi trazido juntos, Deus se agradou de passar seis dias em assimilar, assorting, e organizar os materiais, dos quais ele construiu-se, não só a terra, mas a todo o sistema solar.

 

O espírito de Deus - Isso foi por diversas vezes e estranhamente entendida. Alguns pensam que um vento violento se entende, porque רוח, ruach muitas vezes significa vento, bem como espírito, como πνευμα, faz em grego; e o termo Deus está conectado com ela apenas, como eles pensam, para expressar o grau superlativo. Outros entendem por que um fogo elementar. Outros, o sol, penetrando e secando a terra com seus raios. Outros, os anjos, que deveriam ter sido utilizados como agentes na criação. Outros, um certo princípio oculto, denominado o anima mundi ou alma do mundo. Outros, uma atração magnética, pelo qual todas as coisas foram causados ​​a gravitar para um centro comum. Mas é suficientemente evidente a partir do uso da palavra em outros lugares, que o Espírito Santo de Deus se destina; que nosso bendito Senhor representa sob a noção de vento, João 3: 8; e que, como um vento impetuoso no dia de Pentecostes, encheu a casa onde os discípulos estavam sentados, Atos 2: 2, que foi imediatamente seguido por seu falar em outras línguas, porque eles ficaram cheios do Espírito Santo, Atos 2 : 4. Estas escrituras suficientemente averiguar o sentido em que a palavra é usada por Moisés.

 

Movido - מרחפת merachepheth, foi remoendo; para a palavra que expressa movimento trêmulo feita pela galinha enquanto qualquer eclosão de seus ovos ou a promoção da sua jovem. É aqui provavelmente significa a comunicar um princípio vital ou prolífico para as águas. Como a idéia de incubação, incubação ou um ovo, está implícito na palavra original, portanto, provavelmente a noção, que prevaleceu entre os antigos, que o mundo foi gerado a partir de um ovo.

 

Versículo 3

E disse Deus: Haja luz - אור ויהי אור הי Yehi ou, vaihi ou. Nada pode ser concebida mais digna do que esta forma de expressão. Alega a autoridade uma vez incontrolável, e poder omnific; e em linguagem humana, é quase impossível conceber que Deus pode falar mais como ele. Esta passagem, na tradução grega dos Setenta, caiu no caminho de Dionísio Longinus, um dos críticos gregos mais criteriosos que já viveram, e que é altamente comemorado todo o mundo civilizado por um tratado, ele escreveu, intitulado Περι Ὑψους, referente o Sublime, tanto em prosa e poesia; dessa passagem, embora um pagão, ele fala nos seguintes termos: - Ταυτῃ και ὁ των Ιουδαιων θεσμοθετης (ουχ ὁ τυχων ανηρ,) επειδη την του θειου δυναμιν κατα την αξιαν εχωρησε, καξεφηνεν · ευθυς εν τῃ εισβολη γραψας των νομων, ΕΙΠΕΝ Ὁ ΘΕΟΣ, φησι, τι; ΓΕΝΕΣΘΩ ΦΩΣ · και εγενετο. . ΓΕΝΕΣΘΩ ΓΗ · και εγενετο "Assim também o legislador judaica (que não era um homem comum) ter concebido uma idéia justa do poder divino, ele se expressou de forma digna, pois no início de suas leis, ele fala assim: Deus disse -?!. O que Let There Be Light e houve luz Let There Be Terra e havia terra! ". - Longinus, seita. ix. edição. Pearce.

 

Muitos têm perguntado: "Como a luz poderia ser produzido no primeiro dia, eo sol, a fonte dele, não criado até o quarto dia?" Com as várias e muitas vezes não-filosóficas respostas que foram dadas a esta pergunta eu não vou intrometer, mas deve observar que a palavra original אור não significa apenas a luz, mas o fogo, ver Isaías 31: 9; Ezekiel 5: 2. Ele é usado para o Sol, Jó 31:26. E para o fluido elétrico ou relâmpago, Jó 37: 3. E é digno de nota que Ele é usado em Isaías 44:16, para o calor, derivado de אש esh, o fogo. Ele queima a metade no fogo (אש במו bemo esh): sim, ele warmeth si mesmo, e disse: Ah! Eu já vi o fogo, אור ראיתי raithi ur, que um filósofo moderno que entendia a língua não iria hesitar em traduzir, recebi calórica, ou uma porção adicional da questão do calor. Concluo, portanto, que, como Deus tem difundido a questão de calor calórico ou latente através de cada parte da natureza, sem a qual não poderia ser nem vegetação nem vida animal, que é de calor calórico ou latente, que se destina principalmente pela palavra original.

 

Que há luz latente, que é provavelmente o mesmo com o calor latente, pode ser facilmente demonstrado: pegue dois pedaços de cristal liso rock, ágata, cornalina ou sílex, e esfregue-as rapidamente no escuro, ea luz latente ou questão de calórica será imediatamente produzidas e se tornam visíveis. A luz ou de calorias, assim, desengatada não funciona do mesmo modo potente como o calor ou ao fogo, que é produzida pela remoção com pedra e aço, ou que é produzida pela fricção eléctrico. A existência dessa luz calórica-latente ou primitivo, pode ser verificada em vários outros órgãos; ele pode ser produzido pela pedra e aço, por atrito de dois paus duros em conjunto, por martelagem ferro frio, que por um curto período de tempo torna-se vermelho quente, e pela compressão forte e repentina de ar atmosférico em um tubo. Friction em geral produz tanto fogo e luz. Portanto, Deus criou este agente universal no primeiro dia, porque sem Ele nenhuma operação de natureza poderia ser exercida ou aperfeiçoado.

 

Luz é uma das produções mais surpreendentes da habilidade criativa e poder de Deus. Ele é o grande meio pelo qual todos os seus outros trabalhos são descobertos, examinou, e entendeu, medida em que pode ser conhecido. Sua imensa difusão e extrema velocidade está sozinho suficiente para demonstrar o ser ea sabedoria de Deus. Luz foi provado por muitas experiências de viajar à taxa surpreendente de 194,188 milhas em um segundo de tempo! e vem do Sol para a Terra em oito minutos e 11 segundos 43/50, uma distância de 95,513,794 milhas inglesas.

 

Versículo 4

Deus separação entre a luz e as trevas - Isso não implica que a luz e as trevas são duas substâncias distintas, vendo a escuridão é somente a privação da luz; mas as palavras simplesmente referir-nos por antecipação à rotação da Terra em torno de seu próprio eixo uma vez em vinte e três horas, cinquenta e seis minutos e quatro segundos, o que é a causa da distinção entre dia e noite, trazendo o diferente partes da superfície da terra, sucessivamente para dentro e por debaixo dos raios solares; e foi, provavelmente, neste momento, que Deus deu esta rotação para a terra, para produzir esta disposição misericordiosa de dia e de noite. Para a maneira pela qual a luz é suposto ser produzida, ver Génesis 01:16, sob a palavra sol.

 

Versículo 6

E disse Deus: Haja uma expansão - Nossos tradutores, seguindo o firmamentum da Vulgata, que é uma tradução do στερεωμα da Septuaginta, privaram esta passagem de todo o sentido e significado. A palavra hebraica רקיע rakia, de רקע raka, para se espalhar como as cortinas de uma tenda ou pavilhão, simplesmente significa uma extensão ou espaço, e, consequentemente, que o espaço circum ou expansão separando as nuvens, que estão nas regiões mais elevadas do que, a partir de os mares, etc., que são abaixo dela. A isso chamamos a atmosfera, o astro de átomos ou partículas inconcebivelmente pequenas; mas a palavra parece ter sido usado por Moses, num sentido mais amplo, e para incluir a totalidade do vórtice planetário, ou o espaço que é ocupado por todo o sistema solar.

 

Verso 10

E Deus chamou a terra seca da Terra; e ao ajuntamento das águas chamou Mares - Estes dois constituem o que é chamado o globo terrestre, em que a terra ea água existem em uma proporção mais criteriosa para o outro. Dr. Longo pegou os papéis que cobrem a superfície de um globo terrestre dezessete polegadas, e tendo cuidadosamente separados da terra do mar, a ser ponderados os dois conjuntos de documentos com precisão, e descobriu que os papéis mar pesava trezentos e quarenta e nove grãos e os papéis terra só 124; pelo qual experimento parece que quase três quartos da superfície do nosso globo, do Ártico para os círculos polares da Antártida, são cobertos com água. O médico não pesar as peças dentro dos círculos polares, porque não há uma certa medida da proporção de terra e água que eles contêm. Esta proporção de três quartos de água pode ser considerado como demasiado grande, se não inútil; mas o Sr. Ray, por experimentos mais precisos feitos por evaporação, provou que requer tanto a superfície aquosa para produzir uma quantidade suficiente de vapor para a finalidade de arrefecimento da atmosfera, e que molha a terra. Veja Discursos físico-teológicos de Ray.

 

Um químico eminente e filósofo, Dr. Priestley, observou com muita propriedade que parece claro que Moisés considerado todo o globo terrestre como sendo criado em um estado fluido, as partículas de terra e outros de matéria que está sendo misturada com a água. A forma atual da terra demonstra a verdade do relato mosaico; pois é sabido que, se um corpo globular macio ou elástico ser rapidamente girou sobre seu eixo, as partes nos pólos serão achatadas, e as partes sobre o equador, a meio caminho entre os pólos norte e sul, será levantado. Esta é precisamente a forma da nossa terra; ele tem o valor de um esferóide oblato, uma figura praticamente semelhante ao formato de uma laranja. Tem sido demonstrado que a aferição por terra é achatado nos pólos e levantada no equador. Este foi conjecturado pela primeira vez por Sir Isaac Newton, e depois confirmada por M. Cassini e outras, que mediram vários graus de latitude no equador e perto do pólo norte, e descobriu que a diferença justifica perfeitamente a conjectura de Sir Isaac Newton, e, consequentemente, confirmou a conta Mosaic. O resultado dos experimentos instituídos para determinar este ponto, mostrou-se que o diâmetro da Terra no equador é maior em mais de vinte e três e meia milha do que nos pólos, permitindo que o diâmetro polar para ser 1 / parte 334 menor do que o equatorial, de acordo com as recentes admeasurements de vários graus de latitude feitas pelos Srs Mechain e Delambre -. L'Histoire des mat. par M. de la Lande, tom. iv., parte v., liv. 6.

 

E Deus viu que isso era bom - Este é o julgamento que Deus pronunciou sobre suas próprias obras. Eles foram belo e perfeito em sua espécie, pois tal é o significado da palavra טוב tob. Eles estavam em peso e medida perfeita e completos, não faltando nada. Mas o leitor vai achar estranho que essa aprovação deve ser expressa uma vez no primeiro, quarto, quinto e sexto dias; duas vezes, no terceiro, e não a todos no segundo! Suponho que as palavras, E Deus viu que isso era bom, quer tenham sido perdidas a partir da conclusão do oitavo verso, ou que a cláusula no décimo verso originalmente pertencia ao oitavo. Parece, a partir da tradução Septuaginta, que as palavras em questão existia originalmente no final do oitavo verso, nas cópias que eles utilizados; para nessa versão ainda encontramos, Και ειδεν ὁ Θεος ὁτι καλον · E Deus viu que isso era bom. Esta leitura, no entanto, não é reconhecida por qualquer um de Kennicott ou MSS de De Rossi., Nem por qualquer uma das outras versões. Se a conta do segundo dia estava originalmente como faz agora, não há razão satisfatória pode ser dada para a omissão desta expressão da aprovação divina do trabalho feito por sua sabedoria e poder naquele dia.

 

Verso 11

Que a terra produza relva - erva - fruta-árvore, etc. - Nessas expressões gerais todos os tipos de produções vegetais estão incluídos. Fruta-árvore não deve ser entendida aqui no sentido restrito em que o termo é usado no meio de nós; isso significa todas as árvores, não só aquelas que dão fruto, que pode ser aplicado para o uso de homens e gado, mas também aqueles que tinham o poder de si mesmos propagação por sementes, etc. Agora, como Deus se deleita em manifestar-se no pequeno como bem como na grande, ele tem mostrado sua sabedoria consumada em todas as partes da criação vegetal. Quem pode explicar, ou compreender, a estrutura de uma única árvore ou planta? As raízes, o caule, as fibras lenhosas, O latido, a casca, os navios-ar, a seiva-navios, as folhas, as flores, e os frutos, são tantos mistérios. Toda a habilidade, sabedoria e poder dos homens e dos anjos não poderia produzir um único grão de trigo: Uma mente grave e refletindo pode ver a grandeza de Deus, não só nos cedros imensos sobre o Líbano, mas também nas florestas infinitamente variadas que aparecer através do microscópio no molde de queijo, pasta obsoleto, etc., etc.

 

Verso 12

Cuja semente foi, em si - que tem o poder de multiplicar-se por sementes, deslizamentos, raízes, etc., ad infinitum; que contém em si todos os rudimentos da futura planta através de suas gerações sem fim. Esta doutrina tem sido abundantemente confirmada pelas observações mais precisas sobre as melhores filósofos modernos. O espantoso poder com que Deus dotou a criação vegetal para multiplicar suas diferentes espécies, pode ser instanciado na semente do olmo. Esta árvore produz um mil, quinhentos e oitenta e quatro milhões de sementes; e cada uma dessas sementes tem a capacidade de produzir o mesmo número. Como surpreendente é este produto! Na primeira semente é depositado na Terra; de um presente de molas de árvores, que, no decurso da sua vida vegetativa produz um mil, quinhentos e oitenta e quatro milhões de sementes. Esta é a primeira geração. A segunda geração será de dois triliões, quinhentos e nove mil e cinqüenta e seis bilhões. A terceira geração será de três mil novecentos e setenta e quatro quatrilhões, trezentos e quarenta e quatro mil setecentos e quatro trilhões! E a quarta geração destes equivaleria a seis sextiliões duzentos e noventa e cinco mil, trezentos e sessenta e dois quintilhões, 11.100 e trinta e seis quatrilhões! Resume muito imenso para a mente humana para conceber; e, quando nós permitimos o espaço mais confinado em que uma árvore pode crescer, parece que as sementes da terceira geração de uma elm seria muitas miríades de vezes mais do que suficiente para abastecer todo o superfices de todos os planetas do sistema solar ! Mas as plantas se multiplicam por deslizamentos, bem como por sementes. Sir Kenelm Digby viu em 1660 uma planta de cevada, na posse dos pais da doutrina cristã em Paris, que continha 249 caules surgindo a partir de uma raiz ou em grãos, e na qual ele contou mais de 18.000 grãos. Ver meus experimentos em Lavrando na Revista Metodista.

 

Verso 14

E disse Deus: Haja luzes, etc. - Um escritório principal delas foi a dividir entre dia e noite. Quando a noite é considerado um estado de escuridão comparativa, como as luzes podem dividir ou distingui-lo? A resposta é fácil: O sol é o monarca do dia, que é o estado de luz; a lua, de noite, o estado de escuridão. Os raios do sol, caindo na atmosfera, são refratada e difundida sobre a totalidade deste hemisfério da terra imediatamente sob sua esfera; enquanto que os raios de que grande luminar que, por causa da pequenez da Terra em comparação do sol, são difundidos por todos os lados além da Terra, caindo no disco opaca da lua, são refletidos de volta sobre o que pode ser chamado o hemisfério inferior, ou que parte da terra que fica em frente à parte que é iluminada pelo sol, e como a Terra completa uma revolução em seu próprio eixo em cerca de 24 horas, consequentemente, cada hemisfério tem alternado dia e noite. Mas, como a luz solar refletida da face da Lua é calculado para ser 50.000 vezes menos em intensidade e efeito do que a luz do sol como ele vem diretamente do próprio para a nossa terra, (por diminuições de luz em sua intensidade como a distância que viaja de sol aumenta), portanto, é feita uma distinção suficiente entre o dia ea noite, ou a luz ea escuridão, não obstante cada um é governado e determinada por uma dessas duas grandes luzes; a lua governa a noite, ou seja, refletindo a partir de sua própria superfície de volta na terra dos raios de luz que recebe do sol. Assim, ambos os hemisférios são até um certo ponto iluminado: um, em que o sol brilha, por isso completamente; este é o dia: o outro, em que a luz do sol é refletida pela lua, parcialmente; esta é a noite. É verdade que ambos os planetas e as estrelas fixas pagar uma parcela considerável de luz durante a noite, no entanto, não pode ser dito para governar ou a predominar por sua luz, porque o seu raios arco bastante perdido no esplendor superior de luz da lua.

 

E sejam eles para sinais - לאתת leothoth. Deixe-os sempre ser considerado como tokens contínuas de terno cuidado de Deus para o homem, e como provas de sua interferência miraculosa contínua em pé; por tanto a palavra את oth é frequentemente utilizado. E não é a energia de Deus todo-poderoso que os mantém em ser? O sol ea lua também servem como sinais dos diferentes mudanças que ocorrem na atmosfera, e que são tão essenciais para todos os fins de agricultura, comércio, etc.

 

Para temporadas - מועדים moadim; Para a determinação dos tempos em que as festas sagrados devem ser mantidos. Neste sentido, a palavra ocorre com freqüência; e ele estava certo de que, no início de sua revelação Deus deve informar homem que havia certas festas que deve ser comemorado anualmente a sua glória. Alguns pensam que devemos entender a palavra original como significando meses, para o que sabemos a lua serve essencialmente através de todas as revoluções do tempo.

 

Para os dias - Ambas as horas do dia e da noite, bem como os diferentes comprimentos dos dias e noites, distinguem-se pelo mais longos e mais curtos espaços de tempo que o sol está acima ou abaixo do horizonte.

 

E anos - isto é, aqueles grandes divisões de tempo pelo qual toda a sucessão na grande lapso de duração é distinguido. Isto refere-se principalmente a uma revolução completa da Terra em torno do sol, que é realizado em 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 48 segundos; pois, embora a revolução é o da terra, ainda não pode ser determinado, mas por corpos celestes.

 

Verso 16

E Deus fez duas grandes luzes - Moisés fala do sol e da lua aqui, não de acordo com seu volume ou teor de sólidos, mas de acordo com a proporção de luz que eles derramado sobre a terra. A expressão foi cavilled em por alguns que são tão desprovido de capacidade mental como de franqueza. "A lua", dizem eles, "não é um grande corpo; pelo contrário, é a própria menor no nosso sistema." Bem, e Moisés disse o contrário? Ele disse que é uma grande luz; se ele tivesse dito de outra forma ele não tivesse falado a verdade. É, em referência à terra, ao lado do sol-se, a maior luz no sistema de energia solar; e tanto é verdade que a lua é uma grande luz, que proporciona mais luz para a Terra do que todos os planetas do sistema solar, e todos os inumeráveis ​​estrelas no firmamento do céu, juntos. É digno de nota que no quarto dia da criação do sol foi formado, e, em seguida, "primeiro tentou seus feixes de través da escuridão profunda"; e que na conclusão da quarta milenar, desde a criação, de acordo com o hebraico, o Sol da justiça brilhou sobre o mundo, tão profundamente afundado em que escuridão mental produzido pelo pecado como o mundo antigo era, ao mesmo tempo repleta escuridão dominou o domínio, até que o sol foi criado como o dispensador de luz. O que seria do mundo natural sem ser o sol? Um desperdício uivando, em que nem a vida animal nem vegetal poderia ser sustentado. E o que seria do mundo moral sem ser Jesus Cristo, e à luz de sua palavra e Espírito? Apenas o que aquelas partes que agora são o lugar onde a sua luz ainda não brilhou: "lugares escuros da Terra, cheio de moradas de crueldade", onde prevalece erro sem fim, e superstição, gerando falsas esperanças e falsos medos, degrada e avilta a mente do homem.

 

Muitos supõem que os dias da criação a resposta para tantos milhares de anos; e que, como Deus criou tudo em seis dias e descansou no sétimo, para que o mundo terá uma duração de seis mil anos, eo sétimo será o eterno descanso que resta para o povo de Deus. Para esta conclusão foram liderados por estas palavras do apóstolo, 2 Pedro 3: 8; : Um dia para o Senhor é como mil anos; e mil anos como um dia. Coisas secretas pertencem a Deus; aqueles que são revelados a nós e nossos filhos.

 

Ele fez também a