Translate this Page

Rating: 3.0/5 (914 votos)



ONLINE
9




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


Comentario bíblico de Romanos cap.1
Comentario bíblico de Romanos cap.1

             Comentario bíblico de Romanos cap.1

 

          .   Verse 1-2

Romanos 1: 1-2 . Paulo, servo de Jesus Cristo - Embora uma vez que um perseguidor amargo, chamado para ser apóstolo - E fez um apóstolo por essa chamada. O grego, κλητος αποστολος , é, literalmente, chamado para ser apóstolo, ou um apóstolo chamado, ou seja, de forma expressa, como os outros apóstolos estavam. Quando Deus chama ele faz o que ele chama. O apóstolo nome foi dado às vezes a diferentes ordens dos homens, Romanos 16: 7 , mas em seu sentido mais elevado foi apropriado para os doze, a quem Cristo designou para estar com ele, Marcos 3:14 , e que, depois da sua ressurreição, ele enviado para pregar o evangelho. Como os professores judaizantes disputou sua reivindicação ao escritório apostólica, é com grande propriedade que ele afirma que na própria entrada de uma carta em que seus princípios são totalmente derrubado. E vários outros pensamentos adequados e importantes são sugeridas neste breve introdução: particularmente as profecias a respeito do evangelho; a descida de Jesus de David; as grandes doutrinas da sua divindade e ressurreição; o envio do evangelho para os gentios; os privilégios dos cristãos; ea obediência e santidade a que foram obrigados, em virtude de sua profissão. Separado para o evangelho de Deus - Ou seja, para pregar e propagá-la. Separado por Deus, não só da generalidade dos outros homens, de outros judeus, de outros discípulos, mas até mesmo de outros professores cristãos, para ser um instrumento peculiar de Deus na pregação do evangelho. Diz-se, Atos 13: 2 , . Apartai-me Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado Mas, este não ser nada, mas uma separação de Paul dos professores em Antioquia, para ir e pregar aos gentios, quanto maior separação, indicado Gl 1:15 , é aqui pretendido. O evangelho está aqui a ser dito de Deus, porque ele é uma boa notícia de Deus, do qual um maior elogio do que não pode ser concebido. O que ele havia prometido - , desde tempos antigos, muitas vezes e solenemente: ea promessa e realização confirmar uns aos outros . A promessa nas Escrituras, que o evangelho deve ser pregado aos gentios, é tomado conhecimento pelo apóstolo, para convencer os judeus incrédulos que na pregação aos gentios que não contradizem, mas cumprir as revelações antigas.

 

versículos 3-6

Romanos 1: 3-6 . Acerca de seu Filho Jesus Cristo - O evangelho é uma boa notícia de Deus, a respeito da vinda de seu Filho para salvar o mundo. O Filho de Deus, portanto, é o tema do evangelho, bem como o seu autor: que foi feito . - Gr του γενομενου , que era, ou, que nasceu, como a palavra também significa propriamente, da descendência de David segundo a carne - Ou seja, no que diz respeito à sua natureza humana. Ambas as naturezas de nosso Senhor são aqui mencionados; mas o ser humano é mencionado em primeiro lugar, porque a divina não se manifestou em toda a sua evidência até depois de sua ressurreição. E declarou - Gr. του ορισθεντος , determinadamente marcado; a palavra significa, para fixar os limites de uma coisa, e, consequentemente, para fazer -lo parecer o que é; para ser o Filho de Deus - em um sentido peculiar, num sentido em que nenhuma criatura, homem ou anjo, é ou pode ser seu Filho; veja Hebreus 1: 2-12 ; segundo o Espírito de santidade - Sua santa, espiritual, natureza divina. "A frase, κατα πνευμα αγιωσυνης , segundo o Espírito de santidade", diz o Sr. Locke, "é aqui manifestamente contrário de κατα σαρκα , segundo a carne, no versículo anterior," e por isso deve significar sua natureza divina; "A menos que isso seja assim entendida, a antítese está perdido." Com o poder - uma poderosa evidência, ou da maneira mais convincente; pela ressurreição dentre os mortos - Isto é, por sua própria ressurreição, não por seus outros levantam. Jesus ser condenado à morte como blasfemador, por que se chama o Cristo, o Filho do abençoado, Deus não teria o ressuscitou dentre os mortos, se ele tivesse sido um impostor; especialmente porque muitas vezes tinha predito sua própria ressurreição, e apelou a ele como uma prova de seu ser o Filho de Deus, João 2:19 . Sua ressurreição, portanto, era um testemunho público, suportados pelo próprio Deus, à verdade das pretensões de nosso Senhor, o que colocou o assunto além de qualquer dúvida. Por quem nós - eu e os outros apóstolos; recebemos a graça - que ilumina, perdoando, e a graça santificante; e apostolado - a comissão apostólica para pregar graça e salvação pela graça, para judeus e gentios. Alguns, pela graça e apostolado, entender a graça, ou favor do apostolado. Mas isso prestação não é literal; e é certo que Paulo recebeu a graça para iluminar sua mente, perdoar os seus pecados, e subjugar o seu coração para a obediência de Cristo, e habilitá-lo para o ministério do evangelho, antes de receber a comissão apostólica, sempre supomos que comissão ter sido datado. para a obediência da fé entre todas as nações - ou seja, que todas as nações possam abraçar a fé de Cristo, para o seu nome - por causa dele, por consideração a ele, ou por conta de seu ser o Filho de Deus. Para nome pode aqui significar o caráter de Cristo, como o Filho de Deus, e Salvador do mundo. Este nome de Paul foi nomeado para suportar, ou publicar, antes dos gentios e dos reis e dos filhos de Israel, Atos 09:15 ; e é por causa deste nome ou o caráter, que todos os homens são obrigados a obedecer-lhe. Entre os quais - As nações trazidos para a obediência da fé; são ye - romanos, também - Mas o apóstolo não lhes dá preeminência acima dos outros ; o chamado de Jesus Cristo - convidado por ele para a comunhão de seu evangelho, e uma participação de todas as suas bênçãos inestimáveis.

 

verso 7

Romanos 1: 7 . Para todos os que estais em Roma - Para todos os cristãos que residem em Roma. A maioria destes eram gentios por nascimento, Romanos 1:13 , embora os judeus misturados entre eles. Eles foram espalhados cima e para baixo, em que cidade grande, e ainda não reduzida na forma de uma igreja. Amado de Deus - E de seu amor livre, não de qualquer mérito seu, chamados a ser santos - Ou santos chamado, como κγητοις ανιοις podem ser prestados; isto é, chamado por sua palavra e Espírito para acreditar nele, e agora, por meio da fé, fez santos, ou pessoas santas. Por esta denominação honrosa os cristãos se distinguem dos habitantes idólatras da cidade, e dos judeus incrédulos. Graça a vós - A favor peculiar de Deus, e as influências e os frutos do seu Espírito; e paz - Ou seja, com ele, em suas próprias consciências e tranquilidade de espírito, decorrentes da regulamentação dos seus afetos, de confiar nele, e lançando seu cuidado sobre ele; de renúncia a sua vontade, e possuindo as vossas almas na paciência em todas as provas e problemas que você pode ser chamado para passar. Veja Romanos 5: 1 ; Isaías 26: 3 ; Filipenses 4: 6 . Neste sentido, ao que parece, a palavra paz é usado nas bênçãos apostólicas. Pode, no entanto, também incluem todos os tipos de bênçãos, temporais, espirituais e eternas. A partir de Deus, nosso Pai - A fonte original de todas as nossas bênçãos, que é agora se tornou nosso Pai reconciliado, tendo adotado nos a sua família, e nos regenerou por sua graça, e do Senhor Jesus Cristo - o único mediador entre Deus eo homem, através de cujo sacrifício e intercessão que receber todas as bênçãos da providência e graça. É uma ea mesma paz, e uma ea mesma graça que recebemos do Pai e do Filho, e nossa confiança deve ser colocada, por graça e paz, em Deus, como ele é o Pai de Cristo; e em Cristo, como ele nos reconcilia e nos apresenta ao Pai. "Porque a maioria dos irmãos romanos não estavam familiarizados com Paul, ele julgou necessário, na inscrição de sua carta, para assegurar-lhes que ele era um apóstolo, chamado pelo próprio Jesus Cristo, e que ele foi separado para pregar o evangelho aos gentios, no cumprimento das promessas que Deus fez pelos profetas nas Escrituras, que o evangelho deve ser pregado a eles. Estas circunstâncias ele menciona, para remover os preconceitos da acreditando bem como a dos judeus incrédulos, que, ele sabia, estavam descontentes com ele para pregar o evangelho aos gentios. Withal, porque a igreja de Roma não havia sido plantada por qualquer apóstolo, ele instruiu-os em alguns pormenores sobre a natureza e caráter de Cristo, que foi de grande importância para que eles saibam. "- Macknight.

 

verso 8

Romanos 1: 8 . Agradeço - Na entrada muito de um presente epístola são os traços de todas as afeições espirituais, mas de gratidão acima de tudo, com a expressão de que epístolas quase todos de Paulo começam; meu Deus - Esta palavra expressa fé, esperança , amor, e, consequentemente, toda verdadeira religião; por meio de Jesus Cristo - Os dons de Deus todos passam por Cristo para nós; e todas as nossas petições e ações de graças passar por Cristo a Deus: para todos vocês, que a sua fé é falado - por este termo fé, o apóstolo expressa quer todo o cristianismo, como Colossenses 1: 3 , & c, ou algum ramo dela , conforme Gálatas 5:22 . E no início de suas epístolas ele geralmente subjoins à bênção apostólica uma ação de graças solene para a fé, ou para a fé, o amor, a paciência, e outras graças dos irmãos para quem ele escreveu, para torná-las sensíveis de seu estado feliz, e levá-los a uma melhoria direito das vantagens de que gozaram como cristãos. ao longo de todo o mundo - a fé desses romanos, sendo a fé no Senhor Jesus como o Filho de Deus, o Messias esperado pelos judeus, e na Deus vivo e verdadeiro por ele, incluída, é claro, a sua viragem de toda espécie de idolatria; um evento que não poderia deixar de ser falado com admiração por todo o império, como havia multidões de estranhos continuamente vindos a Roma das províncias, que, em seu retorno para casa, iria relatar o que tinham visto. Este evento seria feito especialmente o assunto da conversa nas igrejas em todos os lugares, em todas as partes do império, sendo questão de alegria para todos os que a religião de Cristo foi professada na cidade imperial, tanto mais que foi um mais feliz presságio da expansão geral da sua santa religião; a conversão dos romanos encorajando os habitantes de outras cidades a abandonar a idolatria estabelecida, e voltar-se para Deus. E, de fato, a sabedoria e bondade de Deus estabelecido fé nas principais cidades, em Jerusalém e em Roma em especial, que a partir dali ele pode ser difundido para todas as nações. Adicione a isso, que Roma sendo a metrópole do mundo, a conversão de muitos de seus habitantes proporcionava não pequeno crédito para as evidências do evangelho.

 

versículos 9-12

Romanos 1: 9-12 . Porque Deus é minha testemunha - Ao dizer que eu sou grato por sua conversão, eu poderia ser bem deveria falar a verdade, um evento como sendo perfeitamente de acordo com o teor contínua das minhas petições a Deus; quem eu servem - Não só como um cristão, mas como um apóstolo; com o meu espírito - com a minha compreensão e consciência, vontade e afeições, sim, com todas as faculdades da minha alma, bem como com todos os membros do meu corpo. Ou, como a expressão pode ser traduzida, em meu espírito, que nele exercer fé, amor a ele, a humildade diante dele, renúncia a sua vontade, e zelo pela sua glória, no evangelho de seu Filho - Para promover o sucesso dos quais é todo o negócio da minha vida; de que sem cessar faço menção de vós nas minhas orações - em meus endereços solene a Deus, fazendo pedido - δεομενος , suplicando; Se, por qualquer meio, agora em comprimento - Esse acúmulo de partículas declara a força de seu desejo, que eu concedo a você - face a face, por imposição das minhas mãos, pregando o evangelho, oração, conversa privada; algum dom espiritual - Com esses dons do Corinthians, que contou com a presença de St. Paul, abundou, 1 Coríntios 1: 7 ; 1 Coríntios 12: 1 , & c .; Romanos 14: 1 . Assim fez o Gálatas da mesma forma, Gálatas 3: 5 . E, de fato todas aquelas igrejas que tiveram a presença de qualquer dos apóstolos, tinha vantagens peculiares neste tipo de imposição das suas mãos, Atos 19: 6 ; Atos 8:17 , & c .; 2 Timóteo 1: 6 . Mas, por enquanto, os cristãos de Roma foram muito inferiores a eles a esse respeito; razão pela qual o apóstolo, no capítulo 12, onde tem ocasião de mencionar presentes, diz pouco, se alguma coisa, de quaisquer dons espirituais extraordinárias possuídas por qualquer um deles. Portanto, ele deseja transmitir alguma a eles, para que pudessem ser estabelecidos em sua fé cristã e fortalecidos contra todas as tentações, quer a renunciar ou desonrar-lo. Por estes dons que o testemunho de Cristo foi confirmado para os membros das igrejas. Que Pedro não mais tinha estado em Roma do que Paul, no momento em que esta carta foi escrita, aparece a partir do teor geral do mesmo, e a partir deste lugar, em particular. Pois de outro modo, os dons que Paulo pretende comunicar aos crentes em Roma, já teria sido transmitida por Pedro. Ou seja, que eu seja consolado junto com você - Como tenho grande motivo para acreditar que há de ser; pela mútua fé tanto de você - cuja fé será fortalecida e confirmada por estes dons, e me - cuja fé será incentivada e aumentou quando vejo crentes estabelecidos, e os incrédulos convertido por esses dons. Como muitas vezes como os apóstolos comunicada dons espirituais para seus discípulos, era uma nova prova para si mesmos da presença de Deus com eles, e uma confirmação adicional de sua missão de Deus aos olhos dos outros, ambos os quais, sem dúvida, deu-lhes grande alegria. Nesta passagem, vemos o apóstolo não só associa os romanos com, mas ainda prefere-los antes, a si mesmo. Quão diferente é este estilo do apóstolo da do tribunal moderna de Roma!

 

versículos 13-15

Romanos 1: 13-15 . Agora, irmãos - para que não vos deve ser surpreendido que eu, que sou o apóstolo dos gentios, e que manifestaram tal desejo de vê-lo, ainda nunca pregou em Roma; eu não teria você ignorantes - Eu gostaria de informá-lo; que muitas vezes propus ir ter convosco - Veja a margem. Mas era deixar (impedido) até então - quer pelas maiores necessidades de outros, como Romanos 15:22 , ou pelo Espírito, Atos 16 : 7 , ou por Satanás levantando oposição e perseguição, ou de outro modo entravar, 1 Tessalonicenses 2: 2 ; 1 Tessalonicenses 2:18 . que eu possa ter algumas frutas - Dos meus trabalhos ministeriais; pela conversão de alguns, ea confirmação e edificação dos outros; assim como - Já tive a partir das muitas igrejas tenho plantadas e regadas, entre os demais gentios, Romanos 15: 18-19 . Eu sou devedor, tanto a gregos, & c. - Sendo o apóstolo dos gentios, sou obrigado a pregar, tanto a gregos, por mais inteligente, como a bárbaros, porém ignorante. Sob o nome gregos, os romanos são compreendidas, porque eles estavam agora se tornou um povo aprendeu e polidas. Para o significado do nome bárbaro, veja a nota sobre Atos 28: 2 , e 1 Coríntios 14:11 ; tanto a sábios como a ignorantes - Porque havia imprudente mesmo entre os gregos, e sábio, mesmo entre os bárbaros; e Paul se considerava como um devedor a todos eles; isto é, a obrigação indispensável, por sua divina missão, para pregar o evangelho a eles; vinculados ao dever e gratidão a fazer todo o possível para promover a conversão e salvação dos homens de todas as nações e classificar, de todo gênio e caráter. Assim, tanto quanto está em mim - De acordo com a capacidade que Deus me dá, e as oportunidades com o qual ele tem o prazer de me favorecer; estou pronto, e desejosos, para pregar o evangelho, a vós que estais em Roma - Embora seja a capital do mundo, um lugar de tanta delicadeza e grandeza, e um lugar igualmente onde pode parecer particularmente perigoso para se opor a estas superstições populares a que o império é suposto dever a sua grandeza e felicidade: ainda assim, em todos os eventos, estou disposto a vir e publicar esta mensagem divina no meio de vós; embora deva ser feito à custa da minha reputação, minha liberdade, ou a vida.

 

verso 16

Romanos 1:16 . Por - Em qualquer desprezo que dispensa sagrada, e os que publicá-lo, pode ser realizada em consideração as circunstâncias e morte de seu autor, o caráter de seus ministros, e a natureza e tendência de suas doutrinas; I não me envergonho do evangelho de Cristo - Mas, em vez glória na mesma. Para o mundo, de fato, parecia loucura e fraqueza, 1 Coríntios 01:18 ; 1 Coríntios 1:23 . Portanto, no julgamento do mundo, ele deveria ter sido vergonha dele; especialmente em Roma, na cabeça e teatro do mundo. Mas Paul não tinha vergonha dele, sabendo que ela é o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê - As grandes e gloriosamente poderoso meio de salvar todos os que aceitam a salvação na própria maneira de Deus, ou seja, o caminho da fé em Jesus, como o Filho de Deus e Salvador do mundo, e nas declarações e promessas de Deus feitas por intermédio dele:. fé precedido de arrependimento para com Deus, acompanhado por amor a Deus e toda a humanidade, e produtiva de toda a santidade interior e exterior para a primeiro do judeu - Quem está longe de ser acima da necessidade do mesmo, e para quem, pelo comando especial do Senhor, que é ser proposto pela primeira vez e pregou, sempre que os seus embaixadores vir; no entanto, não deve ser limitado ao judeu, mas proclamou também do grego - E o romano, e gentios de todas as nações debaixo do céu, que são todos, com igual liberdade, convidados a participar de seus benefícios importantes. Há uma franqueza nobre, bem como um sentido abrangente, com estas palavras do apóstolo; pelo qual, por um lado, ele mostra os judeus a sua necessidade absoluta do evangelho, e, por outro, conta a politest e maior nação do mundo, tanto que a salvação deles dependia de recebê-lo, e que as primeiras ofertas de que foram em todos os lugares a serem feitas aos judeus menosprezados. Como o apóstolo compreende a soma do evangelho nesta epístola; então ele faz a soma da epístola neste e nos versos seguintes. No que diz respeito aos nomes, judeus e gregos, ele talvez adequada para observar aqui, que "depois de generais de Alexandre tinha estabelecido seu império no Egito e na Ásia, os habitantes destes países foram considerados como os gregos, porque eles geralmente falava a língua grega; e, como os judeus foram pouco familiarizados com as outras nações idólatras, eles naturalmente chamou todos os pagãos gregos. Por isso, na sua língua, judeus e gregos compreenderam toda a humanidade. "- Macknight.

 

verso 17

Romanos 1:17 . Porque nele se descobre a justiça de Deus revelada - Esta expressão significa às vezes essencial, a justiça de Deus eterno, incluindo tanto a sua santidade e justiça, especialmente o último, de que, juntamente com a sua misericórdia, a palavra é explicado, Romanos 3 : 26 ; onde lemos: Para demonstrar a sua justiça: que ele seja justo e justificador daquele que tem fé em Jesus; esta sua justiça essencial sendo eminentemente mostrado na condenação do pecado, e para justificar o penitente, pecador crente. Mas com frequência a expressão significa que a justiça pela qual um homem, pela graça de Deus, é contabilizado e constituídos justos, ou é perdoado e renovada, a saber, a justiça da fé, da qual o apóstolo fala, Filipenses 3: 9 , denominando- a justiça que é pela fé em Cristo, a justiça de Deus (Gr. εκ θεου , da parte de Deus ) pela fé: a saber, quitação da culpa, remissão dos pecados ou a justificação pela fé em Cristo; ou, como ele se expressa, Romanos 4: 5-8 , fé imputada como justiça, ou seja, por meio da obediência de Cristo até a morte, que foi entregue por nossas transgressões, e ressuscitado para a nossa justificação. Veja este assunto mais detalhadamente explicadas nas notas sobre Romanos 3: 20-25 ; Romanos 9: 30-31 ; e Romanos 10: 3-9 . O significado do apóstolo, no versículo agora sob consideração, seria mais manifesto se suas palavras foram mais traduzido literalmente, o que eles são, por Doddridge e Macknight, assim: Pois nele (ou seja, o evangelho) a justiça de Deus pela fé é revelada a nossa fé, ou, de modo a fé. "Esta tradução", diz o último desses teólogos ", que resulta de interpretar as palavras corretamente, proporciona um claro sentido de uma passagem que, na tradução comum, é absolutamente ininteligível. Além disso, está demonstrado que é a tradução correta por outras passagens das Escrituras, em que a expressão, δικαιοσυνη εκ πιστεως , justificação pela fé, é encontrado, Romanos 3:22 ; Romanos 9:30 ; Romanos 10: 6 ; Filipenses 3: 9 . a justificação pela fé é chamada a justiça de Deus, primeiro, porque Deus tem fé imposto como a justiça que ele vai contar para os pecadores, [através da mediação de seu Filho,] e, tem anunciado que ele irá aceitar e recompensá-lo como justiça . 2d, Porque ele está em oposição a justiça dos homens: que consiste em obediência sem pecado com a lei de Deus. Porque, se os homens deram que a obediência, seria a sua própria justiça, e eles podem reivindicar recompensa como uma dívida. "Podemos observar, ainda, a justiça da fé é chamada a justiça de Deus, porque Deus equipados e preparados que, revela e dá, aprova e coroa-o. Diz-se a ser revelado, porque, enquanto era, mas obscuramente a entender aos judeus, na aliança com Abraão, e nos tipos da lei mosaica; está já claramente manifestada no evangelho a toda a humanidade. A expressão, em nossa tradução, de fé em fé, é interpretado por alguns de uma série gradual de descobertas ainda mais claras e mais claras; mas a tradução da cláusula dado acima, a saber, a justiça de Deus pela fé é revelada, a fim de fé, parece evidente para expressar melhor o significado do apóstolo. Como está escrito - St. Paul tinha apenas estabeleceu três proposições: 1º, A justiça é pela fé, Romanos 1:17 ; Romanos 2 d, A salvação é pela justiça, Romanos 1:16 ; Romanos 3 d, tanto para os judeus e para os gentios, Romanos 1:16 . Agora, todos estes são confirmadas por essa única frase, o justo viverá pela fé: o que foi dito, principalmente daqueles que preservaram suas vidas, quando os caldeus sitiada Jerusalém, crendo as declarações de Deus, e agir de acordo com eles. Aqui, isso significa, ele deve obter o favor de Deus, e continuar nele, crendo. As palavras, no entanto, pode com propriedade ser processado, o justo pela fé, isto é, que pela fé é justo, ou justo, (como δικαιοι significa,) viverá. "Esta tradução é agradável tanto para a ordem das palavras no original, e design do apóstolo; que é para mostrar que a doutrina do evangelho, relativa a justificação pela fé, é atestada até mesmo pelos profetas. Além disso, ele representa significado de Habacuque mais verdadeiramente do que a tradução comum. Para na passagem a partir do qual a citação é feita, Habacuque descreve as diferentes disposições dos judeus sobre o tempo que eles foram ameaçados pelos caldeus. Algumas das suas almas foram levantado; eles presunçosamente confiou em sua própria sabedoria e poder, e, ao contrário do comando de Deus, recusou-se a submeter-se aos caldeus, e foram destruídos. Mas o justo, ou justo, pela fé, que creu em Deus e obedeceu a seu comando, vivia. No entanto, como a recompensa da fé não se limita à vida presente, pessoas que são apenas ou bom, por acreditar e obedecer a Deus, certamente o viver eternamente. "- Macknight.

 

 

verso 18

Romanos 1:18 . Pois, & c. - Não há outra forma de obtenção de justiça, vida e salvação. Tendo estabelecido esta proposição, o apóstolo agora entra a prova-lo. Seu primeiro argumento é, a lei, seja de natureza ou da revelação sobrenatural, condena todos os homens como tendo violado, e como sendo sob o pecado. Ninguém, portanto, é justificado pelas obras da lei. Isto é tratado com Romanos 3:20 . E, portanto, infere, portanto, a justificação é pela fé. A ira de Deus é revelada - aqui e no verso anterior menção é feita de uma revelação de duas vezes, da ira e da justiça: o primeiro, pouco conhecido para a natureza, é revelado pela lei; o último, totalmente desconhecido para a natureza, por meio do evangelho. A ira de Deus, devido aos pecados dos homens, também é revelado por interposições frequentes e de sinal da providência divina; em todas as partes dos oráculos sagrados; por mensageiros inspirados de Deus, quer sob as dispensas judeu ou cristão; e pelas consciências dos pecadores, ensinando claramente que Deus vai punir severamente todo o pecado, seja cometido contra Deus ou do homem; do céu - Isto fala a majestade daquele cuja ira é revelada, o olho que tudo vê, a sua justiça rigorosa e imparcial, ea extensão da sua ira: o que há debaixo do céu, está sob os efeitos da sua ira, os crentes em Cristo com exceção; contra toda a impiedade e injustiça dos homens - Ele fala principalmente das nações; eo termo impiedade parece especialmente para se referir a seu ateísmo, o politeísmo e idolatria, compreender, no entanto, qualquer tipo e grau de impiedade e profanação; e injustiça inclui seus outros erros e vícios, suas ofensas contra a verdade, a justiça, a misericórdia, a caridade para com o outro, com os seus vários atos de intemperança e lascívia. Segundo a qual o sentido das palavras, eles são claramente tratados de pelo apóstolo nos seguintes versos. Que detêm a verdade em injustiça - Qual palavra aqui inclui impiedade também; isto é, que, em certa medida, pelo menos, saber a verdade, mas não obedecê-la, agindo em oposição ao seu conhecimento, ea convicção de suas próprias consciências. Ou, como a palavra κατεχοντων significa propriamente, que detêm, ou prender, por assim dizer, a verdade em injustiça. Assim, ele se expressa, porque a verdade deu a conhecer, em algum grau, as lutas contra a maldade dos homens, repreende-los por isso, dissuade -los a partir dele, e adverte-os de punição iminente sobre ele. Toda a humanidade, mesmo as nações, têm sido e estão familiarizados com muitas verdades em matéria de direitos morais, devido a Deus, seus semelhantes, e eles próprios. Mas, não se ouvir a voz dessas verdades, mas resistir a sua influência, e ignorando suas advertências, eles foram e ainda são mais ou menos envolvido na culpa, e exposto a condenação e ira. Dr. Macknight, que traduz esta cláusula, que limita a verdade pela injustiça, pensa o apóstolo fala principalmente com uma referência aos filósofos, legisladores e magistrados entre os gregos e romanos, que escondiam a verdade a respeito de Deus, desde o vulgar, por sua instituições injustas. "O significado", diz ele, "é que o conhecimento do único verdadeiro Deus, o Criador e Governador do universo, que as pessoas se fala aqui tinha alcançado ao contemplar as obras da criação, eles não descobrir para o resto da humanidade; mas limitou-lo em seus próprios seios como em uma prisão, pela injustiça mais flagrante. Para eles apresentaram, como objetos de culto, seres que não são, pela sua natureza de Deus; nay, seres dos personagens mais imorais; e ao fazê-lo, bem como pelos ritos infames com a qual eles nomeados esses falsos deuses para ser adorado, que levou a humanidade para os mais grosseiros erros, sobre a natureza e os atributos do próprio objeto da sua adoração. Esta forma corrupta de religião, embora extremamente aceitável para as pessoas comuns, não foi inventado e criado por eles. Em todos os países que eram grosseiramente ignorante de Deus, e do culto que ele exigia. - Eles, portanto, não poderia ser acusado do crime de esconder a verdade sobre Deus. Os culpados desse crime foram os legisladores, que pela primeira vez formados a humanidade em cidades e estados, e que, como o apóstolo observa, Romanos 1:21 , embora tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, fazendo-o objeto de adoração do povo, mas injustamente estabelecida politeísmo e da idolatria como religião pública. Do mesmo crime os magistrados e filósofos foram igualmente culpados, que, em tempos posteriores, pelos seus preceitos e exemplos, confirmou a religião estabelecida. Deste número foram Pitágoras, Sócrates, Platão e, a quem, portanto, podemos supor que o apóstolo tinha aqui em seu olho. Pois, embora estes homens tinham alcançado [em algum grau] o conhecimento do verdadeiro Deus, nenhum deles adoraram-no publicamente, nem eles declará-lo ao povo, para que pudessem adorá-lo. O próprio Platão considerou que o conhecimento do único Deus não era para ser divulgado. Veja Euseb., Praepar. Evang., Lib. 10. cap. 9. E em sua Timæus, ele diz expressamente: "Não é nem fácil encontrar o Pai do universo, nem seguro para descobri-lo para o vulgar, quando foi encontrado. ' O mesmo comportamento foi observado por Seneca, como Agostinho tem provado a partir de seus escritos, De Civit. Dei., Lib. 6. cap. 10. O mesmo Agostinho, em seu livro, De Vera Relig., Cap. 5, culpa os filósofos em geral, porque eles praticavam as idolatrias mais abomináveis ​​com o vulgar, embora, em suas escolas, eles entregues doutrinas sobre a natureza dos deuses, inconsistentes com a adoração estabelecida ".

 

 

Verse 19-20

Romanos 1: 19-20 . Porquanto, o que pode ser conhecido de Deus - Os grandes princípios que são indispensáveis ​​a ser conhecido, tal como a sua existência, a sua unidade, seu poder, sua sabedoria, sua bondade, e seu governo justo do mundo, se manifesta em, ou melhor, entre, eles - Como ευ αυτοις deve ser aqui traduzida: porque Deus mostrou a eles - por a luz que ilumina todo homem que vem ao mundo, João 1: 9 . A afirmação do apóstolo é confirmado pelos escritos dos filósofos gregos e latinos ainda restantes. Veja nota em Romanos 1:21 . Porque as suas coisas invisíveis, - Sua natureza espiritual e perfeições infinitas, chamou os seus atributos invisíveis, em parte, em oposição às divindades pagãs, que sendo todos corpórea, seu ser e propriedades eram coisas invisíveis; e em parte porque eles não podem ser vistos, exceto em seus efeitos, por olhos corporais dos homens; a partir da criação do mundo - A partir da criação visível, a partir dos céus e da terra, do mar e da terra seca, a partir de plantas e animais, a partir de próprios corpos dos homens, terrível e maravilhosa e, especialmente, de suas mentes inteligentes, livres e imortais. Ou o significado pode ser, vez que, ou, a partir do momento da criação do mundo; pois o apóstolo não usa a preposição εκ , por, mas απο , a partir de, ou, desde então, a criação. Assim Dr. Whitby entende a expressão, observando: "Parece não para significar o meio pelo qual eles vieram para o conhecimento de Deus, pois estes são expressos depois, mas em vez de importar, que desde o início do mundo, as nações tiveram a meios de conhecer o Deus verdadeiro dos trabalhos de criação; assim απ αρχης κοσμου é, desde o início do mundo, Matthew 24:21 ; e απο καταβολης κοσμου desde a fundação do mundo, Mateus 13:35 ". São claramente visto - pelo olho da mente, sendo compreendido - Eles são vistos por eles, e eles somente, que usam seu entendimento. O tempo presente, καθοραται , são claramente vistos, denota a manifestação continuou do ser e perfeições de Deus, pelas obras da criação desde o início; agradavelmente com Salmos 19: 1 , Os céus declaram a glória de Deus. Pelas coisas que são feitas - "Neste sistema mundano, cada coisa é assim formada, que ao piedosa entre o vulgar, o próprio Deus parece ser o autor de todas as operações da natureza. Mas eles que tenham obtido um conhecimento parcial do que é chamado de filosofia natural, têm, a partir da descoberta de algumas causas secundárias, foram levados a fantasia, que todo o sistema pode ser contabilizada sem a intervenção de uma divindade. Isto é o que as chamadas apóstolo, Romanos 1:21 , tornando-se vão em sua imaginação, ou melhor, tolo em seus raciocínios. Aqueles, porém, que fizeram os maiores avanços na verdadeira filosofia sabe, que causas secundárias, propriamente falando, não são causas, porque eles não têm eficiência em si mesmos, mas são postos em movimento por Deus. E, assim, a filosofia mais perfeita sempre termina onde o sentido natural da humanidade começa ". Até mesmo seu eterno poder e divindade - " O verdadeiro Deus, sendo eterno, por isso Se distingue dos deuses fictícios dos pagãos, que todos tiveram um começo; o mais antigo deles sendo representada como sair do caos, e seu nascimento está sendo cantada pelos poetas pagãos. Dos atributos particulares de Deus, o apóstolo menciona apenas o seu poder, porque os efeitos do poder divino são o que primeiro atingir os sentidos dos homens, e levá-los mais diretamente para o reconhecimento de uma Divindade. A palavra θειοτης , Deus, denota cada coisa compreendido na idéia de Deus, a saber, a sua unidade, incorporeidade, imutabilidade, conhecimento, sabedoria, justiça, & c .; todos os que, em conjunto com o poder eterno de Deus, o apóstolo afirma cada pessoa inteligente pode compreender, por meio das coisas que são feitas "Macknight.. Para que eles fiquem inescusáveis ​​- E seria destituído de todas as desculpas justo ou plausível para si, se ele deve entrar em juízo com eles.

 

versículos 21-23

Romanos 1: 21-23 . "Porque isso tendo conhecido a Deus - Os escritos de Platão, Xenofonte, Plutarco, Cícero, e outros filósofos, que ainda permanecem, em conjunto com as citações feitas por Just. Mártir e Clem. Alexandrino dos que estão perdidos, provar que as nações aprenderam, embora ignorante do caminho da salvação, não foram totalmente familiarizados com a unidade ea espiritualidade de Deus, e tinha bonitas apenas noções de suas perfeições, da criação e governo do mundo e das funções que os homens devem a Deus e uns aos outros. Seu pecado, portanto, na adoração de ídolos, e em esconder o verdadeiro Deus do vulgar, não procedeu tanto da ignorância, a partir de corrupção do coração. " Eles não o glorificaram como Deus - não fizemos dele caso algum, prestar homenagem a ele, ou culto e servi-lo de uma forma digna dele, e coerentes com as apreensões que tinham, ou possam vir a ter, dele; nem foram gratos - gratos pela sua benefícios. Como o verdadeiro Deus não era o objeto da religião popular, não há ações de graças públicos foram oferecidos a ele em qualquer país gentios; e com respeito à conduta privada dos indivíduos, embora ainda haja hinos existentes em honra dos deuses pagãos, escrito por Orfeu, Homero, Píndaro, e Horácio, que se filósofos, bem como poetas eram, nós nunca ouviu falar de qualquer salmo ou hino composto por qualquer poeta pagão ou um filósofo em honra do Deus verdadeiro. É observável, que gratidão a Deus por suas misericórdias, está aqui representado como uma sucursal principal da religião, e, sem dúvida, nenhum princípio pode ser mais nobre, nem pode ter uma influência maior ou mais extenso. Mas tornaram-se vãos em suas imaginações - Absurdo, estúpido, e ridículo nos seus raciocínios, sobre a natureza e adoração de Deus; enredar-se com mil sutilezas inúteis, que só tendem a alienar as suas mentes cada vez mais de todo sentimento verdadeiramente religioso e disposição. E sua tola, ασυνετος , o seu discernimento, sem inteligência, imprudente coração estava escurecido - Em vez de ser iluminado por estes sofismas, era cada vez mais envolvidos na ignorância e erro, e tornou impenetrável para a simplicidade das verdades mais importantes. O que um terrível exemplo temos deste nos escritos de Lucrécio! O que vão raciocínios, no entanto, como escuro de um coração, em meio profissões pomposo de sabedoria! Dizendo-se sábios - grega, φασκοντες ειναι σοφοι , dizendo que eles eram sábios; "cum se dicerent, aut se DICI sinerent sapientes:" quando chamado, ou sofreu-se a ser chamado, homens sábios. - Grotius. É, evidentemente, refere-se a sua assumindo o caráter filosófico, e ao orgulho que levou o título de homens sábios, ou amantes da sabedoria. Tornaram-se loucos - degradantes, da maneira mais baixa e mais infame, a razão que eles tão arrogantemente fingiu a melhorar, e quase até engrossar. Assim, o apóstolo ridiculariza finamente que a ostentação de sabedoria que os filósofos gregos feita, tomando para si o nome de sábios. E sua ironia foi a mais pungente, na medida em que foi colocado em uma escrita dirigida aos Romanos, que eram grandes admiradores dos gregos. e mudou, & c. - Como se ele tivesse dito, como sua insensatez e maldade eram evidentes em uma variedade de outros vícios, em que esses filósofos pagãos se juntou com o vulgar, de modo particular na prevalência cedo e quase universal da idolatria entre eles; pois eles mudaram a glória - a glória indizível, do incorruptível e imortal Deus - (a palavra αφθαρτος significa ambos) todas as grandezas majestosas, no qual ele brilha para trás através de terra e do céu, em uma imagem, feita por suas próprias mãos, como para corruptível e mortal, o homem - que, como soever elegantemente pode ser formado, foi uma degradação abominável e intolerável do infinitamente perfeito e eterno Deus, teve sua loucura passou mais longe. Mas, não contente com isso, eles configurado como emblemas da Divindade e objectos de culto, criaturas irracionais e suas imagens: aves, quadrúpedes, e de répteis - Mesmo tais répteis vil como besouros, e vários tipos de serpentes, que rastejar sobre o pó. Os egípcios aprenderam em particular, como é bem conhecido, adorado cães, cobras, ou melhor, e mesmo vegetais. Podemos observar aqui, 1º, que a palavra corruptível, aplicado ao homem, significa não só ele ser susceptível de dissolução, mas a poluição moral; eo termo incorruptível, aplicada a Deus, significa que ele não é susceptível de qualquer um. 2d, "O grande mal da idolatria pagã consistia na sua criação as imagens de homens e animais em seus templos como representações da Divindade, pelo qual o vulgar foram levados a crer que Deus era da mesma forma, natureza, e qualidades com os animais representados por estas imagens. E as pessoas que mudaram, assim, a glória de Deus não eram as pessoas comuns entre os gregos, mas os legisladores, magistrados, sacerdotes e filósofos; pois eram as pessoas que emolduravam a religião pública em todos os países pagãos; que estabeleceu que por suas leis, e recomenda-se pelo seu exemplo. "- Macknight.

 

Verse 24-25

Romanos 1: 24-25 . Por isso Deus os entregou - Como castigo desta idolatria mais irracional e escandaloso, Deus retirou sua graça preventiva a partir deles, como fez a partir dos antediluvianos, Gênesis 6: 3 ; cuja consequência foi que seus desejos animado-los a cometer toda espécie de impureza. A verdade é que um desprezo da religião é a fonte de toda maldade. E a impiedade e impureza particular são frequentemente unidos, 1 Tessalonicenses 4: 5 , assim como o conhecimento de Deus e pureza. Observe, leitor, um castigo do pecado é da própria natureza dela, como Romanos 1:27 ; outra, como aqui, é de justiça vingativa. Pois mudaram a verdade de Deus - Essas verdadeiras concepções que tinham dele por natureza, em uma mentira - falsas opiniões dele, e a adoração de ídolos. E eles representava sua verdadeira essência, sua natureza incorruptível e imortal, por imagens de homens e criaturas brutas, que são apropriadamente chamado uma mentira, como sendo mais falsas representações da Divindade, que não se assemelha a eles em qualquer aspecto que seja. Daí ídolos são chamados de falsas vaidades, Salmos 31: 6 . E cada imagem de um ídolo é denominado um professor de mentiras, Habacuque 2:18 . E adoraram e serviram à criatura - e não apenas criaturas de Deus, mas as suas próprias criaturas, as imagens que suas próprias mãos tinha feito. O ex-expressão, εσεβασθησαν , significa dentro veneração, reverência, estima, e tal como qualidades sentiu na mente. A última palavra, εγατρευσαν , denota o culto pagar para fora e serviço para os seres que se pensa serem deuses. Os pagãos deu tanto aos seus ídolos, reverenciar e respeitar-los interiormente, e realizar vários atos de culto para fora, para eles, em sinal do mesmo. Mais do que o Criador, que é bendito eternamente - Quem é eternamente glorioso, e para quem sozinho toda a honra e louvor eternamente pertencem. Amém - é uma verdade inquestionável, e para ele, deixá-lo ser atribuída em conformidade.

 

 

Verse 26-27

Romanos 1: 26-27 . Por esta causa - Para puni-los por sua negligência indesculpável, ou o desprezo ao invés, do Deus sempre abençoada; e para todas as suas idolatrias e impieties; Deus os entregou a paixões infames - abandonou às paixões mais infames, ao qual os romanos pagãos eram escravizados até o último grau, e ninguém mais do que os próprios imperadores. Porque até as suas mulheres - From quem pode razoavelmente esperar a modéstia estrito; mudaram o uso natural de seus corpos no que é contra a natureza - prostituindo e abusando-los da maneira mais abominável. de igual modo também os homens se inflamaram em sua sensualidade uns para com os outros - "Como apenas o reflexões do apóstolo são, e como pertinentemente ele colocou esse abuso mais abominável da natureza humana na cabeça dos vícios em que foram caídas do mundo pagão, será visto, se observarmos que Cícero, o maior filósofo em Roma, pouco antes o evangelho foi pregado, em seu livro sobre a natureza dos deuses, (onde pode ser encontrada mil sentimentos ociosas sobre o assunto,) apresenta, sem qualquer sinal de desaprovação, Cotta, um homem de primeira ordem e gênio, de forma livre e proprietária familiarmente, para outros romanos da mesma qualidade, esta pior que bestial vício, como praticado por si mesmo; e citando a autoridade dos antigos filósofos em defesa dela. Veja lib. 1 segundo. 28. Não, e nós nem mesmo encontrar o mais elegante e correta, tanto do grego e poetas latinos, admitindo este vício, e até mesmo celebrando os objetos de sua afeição abominável? Na verdade, é bem sabido que este vício mais detestável foi longa e geralmente praticada, por todos os tipos de homens, filósofos e outros. Daí podemos concluir que o apóstolo fez justiça ao mundo Gentile nas outras instâncias de sua corrupção "- Dodd.. Recebendo em si mesmos a devida recompensa do seu erro - sua idolatria; que era agradável - Ser punido com que a luxúria antinatural, que foi tão horrível desonra para seus corpos como sua idolatria foi a Deus, e com várias enfermidades físicas, transtornos e sofrimentos na sequência dessas práticas abomináveis, tornando suas vidas mais miserável na terra, e levá-los a uma sepultura prematura, e um eterno inferno. O leitor vai observar ", o apóstolo não está falando simplesmente de os gregos cometer a imundícia que ele menciona, mas de seus legisladores que autoriza esses vícios pelas suas instituições públicas de religião, por sua doutrina declarado, e por sua própria prática. Com relação à prostituição, os gentios, na verdade, fez-se uma parte do culto de suas divindades. Em Corinto, por exemplo, como Estrabão nos informa, lib. 8. p. 581, havia um templo de Vênus, onde mais de mil cortesãs (o dom de pessoas piedosas de ambos os sexos) se prostituíram em honra da deusa; e que, portanto, a cidade estava lotada, e tornou-se rico. No pátio do templo de Vênus, em Cnidus, havia tendas colocadas sob as árvores para os mesmos fins lascivos. Lucian., Dial. . Amores No que diz respeito à sodomia, não é tão comumente conhecido que foi praticado pelos pagãos como uma parte de seu culto religioso; ainda, na história, que é dado dos esforços de Josias para destruir a idolatria, não há evidência direta disso, 2 Reis 23: 7 . Que os filósofos gregos da maior reputação eram culpados não só de prostituição, mas mesmo de sodomia, é afirmado pelos autores antigos de boa reputação. Com este último crime, Tertuliano e Nazianzeno acusaram o próprio Sócrates, em passagens de seus escritos citados por Estius. A mesma acusação Ateneu, um escritor pagão, trouxe contra ele, Deipnosophist, lib. 13 .; para não falar de Lucian, que, em muitas passagens de seus escritos, tem diretamente acusou-o de que o vício. Quando, pois, os estadistas, os filósofos, e os sacerdotes, não obstante que gostaram da luz da natureza, melhor da ciência, assim declaradamente dedicado ao uncleannesses mais abomináveis; ou melhor, quando os deuses que adoravam eram supostamente por eles para ser culpado das mesmas barbaridades; quando seus templos eram bordéis, as suas imagens convites para o pecado, seus sagrados bosques locais de prostituição, e os seus sacrifícios uma mistura horrível de superstição e crueldade; houve certamente a maior necessidade da revelação do Evangelho, para que a humanidade sensata de sua brutalidade, e para trazê-los para uma prática mais santo. Que alguns, professando o cristianismo, são culpados dos crimes de que temos falado, é verdade. Mas é igualmente verdade, que sua religião não faz, como a religião dos pagãos, incentivá-los em seus crimes; mas impede que eles, ao denunciar, nos termos mais diretos, a ira mais pesado de Deus contra todos os que são culpados deles. Além disso, o evangelho, por sua luz divina, tem levado os países a corrigir as suas leis civis; para que em cada país cristão estas enormidades são proibidos, e quando descobriu são punidos com a maior severidade. O evangelho, portanto, nos fez muito mais conhecimento, e, posso acrescentar, mais virtuoso do que os mais esclarecidos e mais polida das nações pagãs eram anteriormente. "- Macknight.

 

versículos 28-31

Romanos 1: 28-31 . E, como eles não gostaram - ουκ εδοκιμασαν , eles não aprovar, para reter o conhecimento de Deus - ou melhor, como εχειν εν επιγνωσει significa mais propriamente, para retê-lo com aviso. Para se prove supra, que não eram totalmente sem o conhecimento de Deus no mundo, mas eles não reconhecem -lo como deveriam; não usar ou melhorar o conhecimento que tinha dele para os fins para os quais tinham sido Vouch-Safed. Ou, como Dr. Macknight interpreta, Eles "não aprovam segurando Deus como o objeto de reconhecimento e adoração do povo, mas aprovou a adoração de falsos deuses e de imagens, como mais adequada para o vulgar; e por conta disso idolatria substituído no lugar da adoração pura, espiritual do único Deus verdadeiro, e estabelecida por lei "Portanto. Deus os entregou a um sentimento perverso - αδοκιμον νουν , um sem discernimento, ou mente imprudente; uma mente não percebendo ou aprovar o que é bom, seja no princípio ou prática; um vazio mente de todo o conhecimento adequado e prazer do que é excelente, tratado de Romanos 1:32 . Homens deste selo são disse, Efésios 4:19 , a ser απηλγηκοτες , sem sentimento. Para fazer as coisas não é conveniente - mesmo os mais vis abominações, tratados de Romanos 1: 29-31 . Estando cheios de toda injustiça - Ou . Injustiça Isso significa, em primeiro lugar, unmercifulness no último. Fornication inclui aqui toda espécie de impureza; maldade - πονηρια , uma palavra que implica uma disposição para ferir outras pessoas por embarcação. Daí o diabo é chamado ο πονηρος , o maligno, por meio de eminência; avareza - πλεονεξια , um desejo desordenado de ter mais do que Deus vê adequada para nós, que, diz o apóstolo, é idolatria, Colossenses 3: 5 ; maldade - κακια , uma disposição para ferir outras pessoas de má vontade a eles, ou que se deleita em ferir outro, mesmo sem qualquer vantagem para si mesmo; cheia de inveja - Luto pelo bem-estar do outro, ou regozijando-se com o seu próprio dano; debate -

 

εριδος , contenda, disputa, brigando; engano - ou dolo, fraude; malignidade - κακοηθειας , uma má disposição ou mau hábito; uma disposição, segundo Aristóteles, para ter cada coisa no pior sentido; mas, de acordo com Estius, a palavra denota aspereza de boas maneiras, grosseria; whisperers -

 

Tais como secretamente difamar outros; caluniadores - καταλαλους , maldizentes, tais como abertamente falar contra os outros em sua ausência; aborrecedores de Deus - especialmente considerados como santo e justo, como um legislador e juiz; pessoas sob o poder daquele mente carnal, que é inimizade contra ele; inimigos em suas mentes, diz o apóstolo, por más obras; negadores de sua providência, ou acusadores de sua justiça em suas adversidades; despiteful - υβριστας , violento, ou arrogante em seu comportamento uns dos outros; ou pessoas que cometem lesões com violência, ou que oprimir os outros pela força; orgulhosos - Pessoas que se valorizam acima seu justo valor; ou que são exaltados por conta de sua fortuna, ou estação, ou escritório, ou dons, natural ou adquirida; presunçosos - αλαζονας , pessoas que assumem para si a reputação de qualidades que não possuem; inventores de males - de novos prazeres , novas formas de ganho, novas artes de ferir, especialmente na guerra; desobedientes aos pais - ou naturais ou políticas, não por sua vontade sujeitos à autoridade legítima; um pecado aqui ranking com os maiores crimes. Sem entender - que agem como homens vazio da razão; violadores do pacto - Falsos às suas promessas, juramentos e compromissos. É bem conhecido, os romanos, como nação, desde o início de sua comunidade, nunca fez qualquer escrúpulo de desocupar totalmente o noivado mais solene, se não gostar, embora feita por sua magistrado supremo, em nome do todo o povo. Eles só deu-se o general que tinha feito, e depois se suicidaram deveria estar em plena liberdade! Sem afeto natural - O costume de expor seus próprios filhos recém-nascidos a perecer pelo frio, fome, ou feras, que de modo geral, prevaleceu no mundo pagão, particularmente entre os gregos e romanos, foi um exemplo surpreendente deste; como é também a de matar seus pais idosos e indefesas, agora comum entre as nações americano. implacáveis ​​- As pessoas que, sendo uma vez ofendido, nunca vai ser reconciliados. A palavra original ασπονδους , de σπονδη , uma libação, "é usado para significar inconciliáveis, porque, quando os gentios fizeram suas solenes convênios, pelo qual eles próprios obrigados a deixar de lado suas inimizades, eles ratificado por um sacrifício, em que se derramou uma libação, depois de beber uma parte dela a si mesmos ". impiedoso - insensível, implacável, ou que exercem os seus regimes de crueldade e vingança, sempre que tem alguma nova oportunidade de fazê-lo.

 

verso 32

Romanos 1:32 . Quem, conhecendo a justiça - δικαιωμα , a justiça, ou julgamento justo, ou de nomeação; de Deus - E porque a lei de Deus é fundada em justiça, e é a regra do mesmo para nós, a palavra é muitas vezes usado na Escritura para denotar uma ordenança, estatuto ou lei particular, Números 27:11 ; Números 31:21 ; e no plural, os compromissos, ou instituições de Deus moral ou cerimonial, Lucas 1: 6 ; Romanos 2:26 ; Hebreus 9: 1 ; mesmo aqueles que eram puramente cerimonial, Hebreus 09:10 . Aqui, a palavra significa a lei de Deus escrita no coração do homem, chamado pelos filósofos a lei da natureza, e por civis, a lei das nações. Para os gregos poderiam não conhecem outra lei de Deus, sendo destituídos da revelação; que os que cometem tais coisas são dignos de morte - Deus escrita nos corações dos homens não só a sua lei, mas a sanção da sua lei. Para o medo do castigo é inseparável da consciência de culpa. . Além disso, para que as nações sabia que as pessoas culpadas dos crimes mencionados aqui pelo apóstolo mereceram a morte, é evidente a partir das leis que forem promulgadas por punir tais pessoas com a morte Não só fazer o mesmo - Permitir-se na prática desses pecados ; mas também consentem aos que as fazem - Aprovar, incentivar e amparar-los em outros, e até mesmo ter prazer em sua cometê-los. Este é o mais alto grau de maldade. Um homem pode ser apressado por suas paixões para fazer a coisa que geralmente odeia. Mas aquele que tem prazer naqueles que fazem o mal, ama maldade para maldade 'causa; e, assim, ele encoraja-os em pecado, e montes a culpa de outras pessoas sobre a sua cabeça. Neste estenose, Dr. Macknight pensa "os olhares apóstolo aos gregos legisladores, sacerdotes e filósofos, que, pelas suas instituições, exemplo, e presença, encorajou as pessoas na prática de muitos dos deboches aqui mencionados, especialmente no celebração das festas de seus deuses ".

fonte coment. Joseph Benson 1771

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net