Translate this Page

Rating: 3.0/5 (934 votos)



ONLINE
9




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


Comentario biblico carta de Pedro (1) cap.2
Comentario biblico carta de Pedro (1) cap.2

       Comentario biblico de primeira Pedro cap.2

                                         Introdução

Este capítulo pode ser dividido em três partes:

 

  1. Uma exortação para aqueles a quem o apóstolo abordados, a deixar de lado toda a malícia, todo o engano, e receber as instruções simples e simples da palavra de Deus com a seriedade com que os bebês desejam sua comida apropriada, 1 Pedro 2: 1-31 Pedro 2: 1 -3 . Religião reproduz os traços de caráter das crianças naqueles a quem ele influencia, e eles devem considerar-se como bebês recém-nascidos, e buscar esse tipo de alimento espiritual que é adaptado à sua condição como tal.

 

  1. Os privilégios que tinham obtidos pelos cristãos tornando-se, enquanto tantos outros tinham tropeçou nas próprias verdades pelas quais eles tinham sido salvos, 1 Pedro 2: 4-101 Pedro 2: 4-10 ;

 

(a) Tinham vindo para o Salvador, como a pedra viva em que todo o templo espiritual foi fundada, embora outros o havia rejeitado; eles haviam se tornado um sacerdócio santo; que tinham sido admitidos ao privilégio de oferecer verdadeiros sacrifícios agradáveis ​​a Deus, 1 Pedro 2: 4-51 Pedro 2: 4-5 .

 

(b) Para eles, Cristo foi preciosa, a pedra angular, em que todas as suas esperanças descansado, e sobre o qual o edifício que era para ser criado era seguro, no entanto, que fundamento da esperança cristã tinha sido rejeitada e anulado por outros, 1 Pedro 2: 6-81 Peter 2: 6-8 .

 

(c) Eles eram agora um povo escolhido, a nação santa, nomeados manifestar na terra os louvores de Deus, apesar de anteriormente não foram considerados como o povo de Deus, e não estavam dentro da faixa dos métodos pelos quais ele era acostumados a mostrar misericórdia, 1 Pedro 2: 9-101 Pedro 2: 9-10 ,

 

III. Vários deveres que crescem fora desses privilégios, e fora das várias relações que sofreram na vida, 1 Pedro 2: 11-251 Pedro 2: 11-25 ;

 

(a) O direito de viver como estrangeiros e peregrinos; de se abster de todas essas concupiscências carnais que combatem contra a alma; e de levar uma vida de toda a honestidade em relação aos gentios, por quem eles foram cercados, 1 Pedro 2: 11-121 Pedro 2: 11-12 .

 

(b) O dever de submeter-se a governantes civis, 1 Pedro 2: 13-171 Pedro 2: 13-17 .

 

(c) O dever de servos para apresentar aos seus mestres, embora sua condição foi difícil na vida, e muitas vezes eles foram chamados a sofrer injustamente, 1 Pedro 2: 18-201 Pedro 2: 18-20 .

 

(d) Este direito foi aplicada aos funcionários, e sobre tudo, a partir do exemplo de Cristo, que era mais Injustiçado do que qualquer outro pode ser, e que ainda levou todos os seus sofrimentos com toda a paciência, deixando-nos um exemplo que devemos seguir os seus passos, 1 Pedro 2: 21-251 Pedro 2: 21-25 .

 

verso 1

Portanto, deixando - Na palavra traduzida deixando de lado, veja Romanos 13:12Romanos 13:12 ; Efésios 4:22Efésios 4:22 , Efésios 4:25Efésios 4:25 ; Colossenses 3: 8Colossenses 3: 8 . A alusão é para colocar as roupas; eo significado é que estamos a abandonar essas coisas completamente; ou seja, já não estamos a praticá-los. A palavra "portanto" ( οὖν oun) refere-se aos raciocínios no primeiro capítulo. Tendo em vista as considerações indicadas lá, devemos renunciar a todo o mal.

 

Toda a malícia - Todos "mal" ( κακίαν kakianThe palavra "maldade" que comumente aplicam-se agora a um determinado tipo de mal, denotando extrema inimizade do coração, má vontade, uma disposição para ferir outras pessoas sem motivo, da mera satisfação pessoal, ou . a partir de um espírito de vingança - Webster A palavra grega, no entanto, inclui o mal de todos os tipos Veja as notas no. Romanos 1:29Romanos 01:29 Compare. Atos 8:22Atos 08:22 , onde ele é processado impiedade, e 1 Coríntios 5: 81 Coríntios 5: 8 ; 1 Coríntios 14:201 Coríntios 14:20 ; Efésios 4:31Efésios 4:31 ; Colossenses 3: 8Colossenses 3: 8 ; Tito 3: 3Titus 3: 3 .

 

E todo o engano - engano de todos os tipos. Veja a Romanos 1:29Romanos 1:29 nota; 2 Coríntios 12:162 Coríntios 0:16 nota; 1 Tessalonicenses 2: 31 Tessalonicenses 2: 3 nota.

 

E fingimentos - Veja a 1 Timóteo 4: 21 Timóteo 4: 2 , observe; Matthew 23:28Mateus 23:28 ; Gálatas 2:13Gálatas 2:13 , na palavra traduzida dissimulação. A palavra significa, fingindo ser o que não somos; assumindo uma falsa aparência de religião; cloaking um propósito perverso sob a aparência de piedade.

 

E invejas - ódio dos outros por causa de alguma excelência que eles têm, ou algo que eles possuem que nós não fazemos. Veja as notas em Romanos 1:29Romanos 1:29 .

 

E tudo maledicência - grego: "falar contra os outros." Esta palavra ( καταλαλιὰ katalalia) ocorre apenas aqui e em 2 Coríntios 12:202 Coríntios 12:20 , onde ele é processado Seria incluir todos falar indelicado ou caluniosa contra os outros "backbitings.". Isto é, não significa uma falha incomum no mundo, e é um dos projetos da religião para se proteger contra ele. A religião ensina-nos a deixar de lado tudo o dolo, a insinceridade, e falsas aparências que pode ter adquirido, e para colocar sobre a simples honestidade e abertura por crianças. Todos nós adquirir mais ou menos de dolo e falta de sinceridade no curso da vida. Nós aprendemos a esconder nossos sentimentos e sensações, e quase inconscientemente vir a aparecer diferente do que realmente somos. Não é assim com as crianças. Na criança, cada emoção do seio aparece como ela é. "A natureza não funciona bem e lindamente." Cada emoção é expressa; cada sentimento do coração é desenvolvido; e nas bochechas, o olho aberto, o semblante alegre ou triste, nós sabemos tudo o que há no seio, tão certo como nós sabemos tudo o que há no rosa por sua cor e sua fragrância. Agora, é um dos propósitos da religião para nos trazer de volta a este estado, e para retirar todos os subterfúgios que possa ter adquirido na vida; em quem este efeito não é alcançado nunca foi convertido. Um homem que é caracteristicamente enganoso, astúcia e astuto, não pode ser um cristão. "Se não vos converterdes e tornardes como crianças, vós não entrareis no reino dos céus", Mateus 18: 3Mateus 18: 3 .

 

verso 2

Como recém-nascidos bebês - A frase usada aqui denotaria adequadamente aqueles que foram acabado de nascer, e, portanto, os cristãos que tinha apenas começado a vida espiritual. Veja a palavra explicado nas notas em 2 Timóteo 3:152 Timóteo 3:15 . Não é raro, nas Escrituras, para comparar os cristãos com as crianças pequenas. Veja as notas em Mateus 18: 3Mateus 18: 3 , pelas razões desta comparação. Compare os 1 Coríntios 3: 21 Coríntios 3: 2 nota; Hebreus 5:12Hebreus 5:12 , Hebreus 5:14Hebreus 5:14 notas.

 

O genuíno leite espiritual da palavra - O leite puro da palavra. Sobre o significado da palavra "sincera", veja as notas em Efésios 6:24Efésios 6:24 . A palavra grega aqui ( ἄδολον adolon) significa, propriamente, o que é sem dolo ou falsidade; em seguida, não adulterado, puro, genuíno. O adjetivo grego traduzido "da palavra", ( λογικὸν logikonmeans adequadamente racional, pertencente à razão, ou a mente; e, na ligação aqui com leite, significa aquilo que é adaptado para sustentar a alma Comparar as notas no. Romanos 12: 1Romanos 12: 1 . não há dúvida de que há alusão ao evangelho em sua forma mais pura e simples, adaptada para ser o alimento da alma recém-nascido Provavelmente existem duas ideias aqui;. um, que o aliment adequada de piedade é simples verdade, o outro, que as verdades que eles estavam a desejar eram as verdades mais elementares do evangelho, tal como iria ser adaptadas para aqueles que eram bebês em conhecimento.

 

Que vos seja dado crescimento - como meninos crescem em sua nutrição adequada. Piedade no coração é suscetível de crescimento, e é feita a crescer pelo seu aliment adequada, como uma planta ou uma criança é, e vai crescer em proporção, pois tem o tipo adequado de alimento. A partir desse versículo, podemos ver:

 

(1) a razão da liminar do Salvador a Pedro, para "alimentar seus cordeiros", João 21:15João 21:15 ; 1 Pedro 2: 1-21 Pedro 2: 1-2 . Jovens cristãos assemelham-se fortemente crianças, bebês; e eles precisam de cuidados vigilante, e tipo atenção, e aliment adequado, tanto quanto recém-nascidos fazem. Piedade recebe a sua forma muito desde o seu início e o caráter de toda a vida cristã será determinada em grande medida pelos pontos de vista entretidos no início, e o tipo de instrução que é dada para aqueles que estão apenas entrando em sua vida cristã. Podemos ver também,

 

(2) que fornece evidência de conversão, se temos um amor para as verdades simples e puras do evangelho. É prova de que temos vida espiritual, como realmente como o desejo de nutrição apropriada é uma prova de que uma criança tem a vida natural. A alma recém-nascido ama a verdade. É alimentada por ela. Perece sem ela. O evangelho é apenas o que quer; e sem que ele não poderia viver. Também podemos aprender com esse versículo,

 

(3) que as verdades do evangelho que são melhor adaptados a esse estado, são aqueles que são simples e clara. Compare Hebreus 5: 12-14Hebreus 5: 12-14 . Não é a filosofia que é necessário, em seguida; não são as doutrinas profundas e difíceis do evangelho; são essas verdades elementares que estão na base de toda religião, e que pode ser compreendida por crianças. Religião faz com que todos dócil e humilde como uma criança; e qualquer que seja a idade em que um é convertido, ou o que quer realizações que ele pode ter feito na ciência, ele aprecia as mesmas verdades que são amados por a criança mais jovem e iletrado que é trazido para o reino de Deus.

 

verso 3

Se é que já provastes que o Senhor é benigno - ". Uma vez que você provou que o Senhor é bom" Ou melhor, como Doddridge torna, O apóstolo não queria dizer para expressar qualquer dúvida sobre o assunto, mas afirmar que, uma vez que tinha tido um conhecimento experimental com a graça de Deus, eles devem desejo de aumentar cada vez mais no conhecimento e no amor a ele. Sobre o uso da palavra "gosto", veja as notas em Hebreus 6: 4Hebreus 6: 4 .

 

verso 4

Para quem vem - Para o Senhor Jesus, por isso a palavra "Senhor" deve ser entendido em 1 Pedro 2: 31 Pedro 2: 3 . Compare as notas em Atos 1:24Atos 1:24 . A idéia aqui é, que tinham vindo com ele para a salvação, enquanto a grande massa de pessoas rejeitaram. Outros "anulado" ele, e se afastou dele, mas eles tinham visto que ele era o escolhido ou nomeado de Deus, e tinha chegado a ele, a fim de ser salvo. Salvação é muitas vezes representado como Corning a Cristo. Veja Mateus 11:28Mateus 11:28 .

 

Como a uma pedra viva - A alusão nesta passagem é Isaías 28:16Isaías 28:16 : "Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra provada, pedra preciosa de esquina, de firme fundamento; aquele que crer não se apresse . "as notas naquele trecho. Pode haver, também, possivelmente, uma alusão ao Salmo 118: 22Salmo 118: 22 , "A pedra que os construtores rejeitaram tornou-se a pedra angular da esquina." A referência é a Cristo como a base sobre a qual a igreja é criado. Ele ocupava o mesmo lugar em relação à igreja que a pedra fundamental faz ao edifício que é criado em cima dele. Compare Mateus 7: 24-25Mateus 7: 24-25 . Veja a Romanos 9:339:33 Romanos nota e Efésios 2: 20-22Efésios 2: 20-22 notas. A frase "pedra viva" No entanto, é incomum, e não é encontrado, eu acho, exceto neste lugar. Parece haver uma incongruência em que, ao atribuir a vida a uma pedra, mas o significado não é difícil de ser compreendido. O objetivo não era para falar de um templo, como a que está em Jerusalém, feita de ouro e pedras preciosas; mas de um templo feito de materiais vivos - de pessoas resgatadas - na qual Deus reside agora. Ao falar disso, era natural para se referir à base sobre a qual o todo descansado, e falar de que, como correspondente a todo o edifício. Foi tudo um templo vivo - um templo composto por materiais de vida - desde a fundação até o topo. Compare a expressão em João 4:10João 4:10 , "Ele te daria água viva", isto é, a água que teria transmitido vida à alma. Assim, Cristo dá vida a todo o templo espiritual que é criado em cima dele como uma fundação.

 

Na verdade, pelos homens - rejeitado por eles, em primeiro lugar pelos judeus, em causando-lhe a ser condenado à morte; e depois por todas as pessoas quando lhes é oferecido como seu Salvador. Veja as notas em Isaías 53: 3Isaías 53: 3 . Salmo 118: 22Salmo 118: 22 ; "O que os edificadores rejeitaram." Compare a Matthew 21:4221:42 Matthew nota; Atos 4:11Atos 4:11 nota.

 

Mas escolhidos de Deus - Selecionado por ele como a base adequada sobre a qual traseira sua igreja.

 

E precioso - valiosos. O universo não tinha nada mais valioso em que a parte traseira do templo espiritual.

 

verso 5

Vós também, como pedras vivas - ". Pedras vivas" grego, a palavra deveria ter sido assim prestados. A palavra animada com a gente agora tem um significado diferente de viver, e denota "ativa, rápida, alegre." A palavra grega é a mesma que a utilizada no verso anterior, e de estar prestados. O significado é que os materiais de que o templo aqui referidos foi composta, foram materiais viver por toda parte. A fundação é uma fundação de estar, e toda a superestrutura está rodeado de materiais vivos. O objetivo do apóstolo aqui é comparar a igreja para um belo templo - como o templo em Jerusalém, e para mostrar que ela é completa em todas as suas partes, como foi. Ele tem dentro de si o que corresponde a tudo o que era valioso para isso. É uma bela estrutura como essa; e como nos que havia um sacerdócio, e houve sacrifícios reais e aceitáveis ​​oferecidos, por isso é na igreja cristã.

 

Os judeus orgulhavam-se muito em seu templo. Era um edifício mais caro e esplêndida. Era o lugar onde Deus era adorado, e onde ele deveria habitar. Tinha um serviço imponente, e não havia adoração aceitável prestados lá. Como uma nova dispensação foi introduzido; como a tendência do sistema de Christian foi para retirar os adoradores desse templo, e ensinar-lhes que Deus poderia ser adorado como aceitável em outros lugares como em Jerusalém, João 4: 21-23João 4: 21-23 como o cristianismo não inculcar a necessidade de criação de templos esplêndidos para a adoração de Deus; e, como de fato o templo de Jerusalém estava prestes a ser destruídos para sempre, foi importante para mostrar que na igreja cristã não pode ser encontrado tudo o que foi realmente bela e valiosa no templo em Jerusalém; que tinha o que correspondia ao que era na verdade mais precioso lá, e que ainda havia um templo mais magnífico e belo sobre a terra.

 

Assim, o trabalho escritores sagrados para mostrar que tudo foi encontrado na igreja que tinha feito o templo em Jerusalém tão gloriosa, e que o grande projeto contemplado pela construção desse esplêndido edifício - a manutenção do culto de Deus - foi agora cumprida de uma forma mais gloriosa do que mesmo nos serviços daquela casa. Porque havia um templo, feitos de materiais de vida, que ainda era a morada especial de Deus sobre a terra. Nesse templo, havia um sacerdócio santo - para cada cristão era um sacerdote. Nesse templo havia sacrifícios oferecidos, como aceitável a Deus como na ex - pois eram sacrifícios espirituais oferecidos continuamente. Esses pensamentos eram frequentemente debruçou sobre pelo apóstolo Paulo, e são aqui ilustrada por Pedro, evidentemente, com o mesmo design, para dar consolo para aqueles que nunca tinha sido permitido o culto no templo em Jerusalém, e para confortar os judeus, agora convertido ao cristianismo, que viu que aquele edifício esplêndido e glorioso estava prestes a ser destruído. A morada especial de Deus sobre a terra foi agora removido desse templo para a igreja cristã. O primeiro aspecto em que este é ilustrada aqui é que o templo de Deus foi feita de "pedras vivas", isto é, que os materiais eram pedras não inanimados, mas dotado de vida, e muito mais valioso do que os trabalhadores do templo em Jerusalém, como a alma é mais precioso do que todos os materiais de pedra. Havia seres vivos que compunham aquele templo, constituindo uma estrutura mais bonita, e uma morada mais apropriada para Deus, do que qualquer edifício pode ser feito de pedra, no entanto caro ou valioso.

 

A casa espiritual - Um templo espiritual, não é feita de materiais perecíveis, como a que está em Jerusalém líquido composto de matéria, como que era, mas composta de almas redimidas - um templo mais apropriado para ser a residência de alguém que é um espírito puro. Compare a Efésios 2: 19-22Efésios 2: 19-22 notas, e 1 Coríntios 6: 19-201 Coríntios 6: 19-20 notas.

 

Sacerdócio santo - No templo de Jerusalém, o sacerdócio designado para ministrar lá, e para oferecer sacrifícios, constitui uma parte essencial do acordo. Era importante, portanto, para mostrar que isso não foi esquecido no templo espiritual que Deus estava levantando. Assim, o apóstolo diz que este é amplamente prevista, por meio da constituição "todo o corpo de cristãos" para ser de fato um sacerdócio. Todo mundo está comprometido em oferecer sacrifício agradável a Deus. O negócio não é confiada a uma determinada classe a ser conhecido como sacerdotes; não há uma porção particular a quem o nome deve ser dada especial; mas cada cristão é na verdade um sacerdote, e está empenhada em oferecer um sacrifício aceitável a Deus. Veja Romanos 1: 6Romanos 1: 6 ; "E nos fez: reis e sacerdotes para Deus." O Grande Sumo Sacerdote neste serviço é o Senhor Jesus Cristo, (veja a Epístola aos Hebreus, passim), mas além dele não há ninguém que sustenta este escritório, exceto como ele é suportado por todos os membros cristãos.

 

Há ministros, anciãos, pastores, evangelistas na igreja; mas não há ninguém que é padre, exceto no sentido geral de que todos são sacerdotes - porque o grande sacrifício foi oferecido, e não há nenhuma expiação agora a ser feita. O padre nome, portanto, nunca deve ser atribuído a um ministro do evangelho. Nunca é tão dada no Novo Testamento, e havia uma razão pela qual não deveria ser. A idéia adequada de um sacerdote é aquele que oferece o sacrifício; mas os ministros do Novo Testamento tem nenhum sacrifício para oferecer - a única grande e perfeita oblação para os pecados do mundo tendo sido feitas pelo Redentor na cruz. Para ele, e ele sozinho, sob a dispensação do Novo Testamento, deve o nome padre ser dada, como é uniformemente no Novo Testamento, exceto no sentido geral em que é dada a todos os cristãos. Na comunhão católica romana, é consistente para dar o nome de "sacerdote" a um ministro do evangelho, mas é errado fazê-lo.

 

É coerente, porque alegam que um verdadeiro sacrifício do corpo e sangue de Cristo é oferecido na massa. É errado, porque essa doutrina é totalmente contrário ao Novo Testamento, e é depreciativo para a oblação perfeita que foi uma vez feita pelos pecados do mundo, e de conferir a apenas uma classe de pessoas um grau de importância e de poder para que eles não têm nenhuma reivindicação, e que é tão susceptível de abuso. Mas, em uma igreja protestante não é nem coerente nem direito de dar o nome de "sacerdote" a um ministro da religião. O único sentido em que o termo pode ser usado agora na igreja cristã é um sentido em que é aplicável a todos os cristãos igualmente - que "oferecer o sacrifício de oração e louvor."

 

Para oferecer sacrifícios espirituais - Não sangrentas ofertas, o sangue de cordeiros e novilhos, mas aquelas que são as ofertas do coração - os sacrifícios de oração e louvor. Uma vez que existe um padre, há também está envolvida a noção de um sacrifício; mas o que é oferecido é, como todos os cristãos oferecem a Deus, que sai do coração, e respirou diante dos lábios, e de uma vida santa. Ele é chamado de sacrifício, não porque ele faz uma explation para o pecado, mas porque é da natureza do culto. Compare as notas em Hebreus 13:15Hebreus 13:15 ; Hebreus 10:14Hebreus 10:14 .

 

Aceitáveis ​​a Deus por Jesus Cristo - Comparar as notas em Romanos 12: 1Romanos 12: 1 . Através dos méritos do grande sacrifício feito pelo Redentor na cruz. Nossas orações e louvores são em si mesmos de modo imperfeito, e proceder a partir de tais lábios e corações poluídos, que eles podem ser aceitáveis ​​somente através dele como nosso intercessor diante do trono de Deus. Compare as notas em Hebreus 9: 24-25Hebreus 9: 24-25 ; Hebreus 10: 19-22Hebreus 10: 19-22 .

 

verso 6

Por isso também está contida na escritura - Isaías 28:16Isaías 28:16 . A citação é substancialmente tal como se encontra na Setenta.

 

Eis que ponho em Sião - Veja a Isaías 28:1628:16 Isaías nota e Romanos 9:33Romanos 9:33 nota.

 

A pedra angular - A pedra principal sobre o qual o canto do edifício descansa. Uma pedra é selecionada para este que é grande e sólida, e, geralmente, aquele que é quadrado, e trabalhou com cuidado; e, como tal pedra é comumente colocado com cerimônias solenes, por isso, talvez, em alusão a isso, é dito aqui por Deus que ele iria colocar esta pedra na fundação. As solenidades presentes nesta foram aqueles que acompanharam a grande obra do Redentor. Veja a palavra explicado nas notas em Efésios 2:20Efésios 2:20 .

 

Elect - Escolhido de Deus, ou selecionados para esta finalidade, 1 Pedro 2: 41 Pedro 2: 4 .

 

E aquele que nele crê não será confundido - não será confundido. O hebraico é, "não se apresse." Veja-o explicado nas notas em Romanos 9:33Romanos 9:33 .

 

verso 7

Vos, pois, que acreditam - os cristãos são muitas vezes chamado simplesmente de "crentes", porque a fé no Salvador é uma das características proeminentes pelo qual eles se distinguem dos seus semelhantes. É suficientemente descreve qualquer homem, quer dizer que ele é um crente no Senhor Jesus.

 

Ele é precioso - margem, ". Uma honra" Isto é, de acordo com a margem, é uma honra para acreditar nele, e deve ser assim considerado. Isso é verdade, mas é muito duvidoso que esta é a idéia de Pedro. O grego é ἡ τιμὴ Ele timēliterally ", estima, honra, respeito, reverência," e depois "valor ou preço." O substantivo é, provavelmente, usado no lugar do adjetivo, no sentido de honrada, valorizada, preciosa; e não é processado incorretamente no texto ", ele é precioso." A conexão exige esta interpretação. O apóstolo não estava mostrando que era uma honra para crer em Cristo, mas estava declarando a estimativa que foi colocado sobre ele por aqueles que acreditam, em contraste com a posição assumida dele pelo mundo. A verdade que é ensinado é que, enquanto o Senhor Jesus é rejeitado pela grande massa de pessoas, ele é considerado por todos os cristãos como de valor inestimável:

 

  1. De fato, não pode haver dúvida. De alguma forma, os cristãos percebem um valor nele que é visto em mais nada. Isto é evidenciado:

 

(A) na sua estimativa declarada de como seu melhor amigo;

 

(B) em seu estar disposto até agora para honrá-lo como a cometer-lhe a guarda de sua alma, apoiando toda a questão da sua salvação sobre ele só;

 

(C) na sua disponibilidade para manter seus mandamentos, e servi-lo, enquanto a massa de pessoas desobedecê-lo; e,

 

(D) em seu estar disposto a morrer por ele.

 

  1. As razões pelas quais ele é tão precioso para eles são como estas:

 

(1) Eles são levados a uma condição em que eles possam apreciar o seu valor. Para ver o valor dos alimentos, devemos estar com fome; de vestuário, que deve ser exposto a explosão do inverno; de casa, devemos estar andarilhos sem uma habitação; da medicina, é preciso estar doente; de competência, temos de ser pobre. Então, para ver o valor do Salvador, temos de ver que somos pobres, indefesas, morrendo pecadores; que a alma é de valor inestimável; que não temos nenhum mérito nosso; e que a menos que alguém interpor, devemos perecer. Todo aquele que se torna um verdadeiro cristão é levado a essa condição; e neste estado, ele pode apreciar o valor do Salvador. Neste contexto, a condição dos cristãos é ao contrário do que o resto da humanidade - pois eles não estão em melhor estado a apreciar o valor do Salvador, do que o homem na saúde é a apreciar o valor da arte de curar, ou do que quem nunca teve uma falta não fornecida, a bondade de alguém que vem até nós com uma abundante oferta de alimentos.

 

(2) o Senhor Jesus é, de facto, de mais valor para eles do que qualquer outro benfeitor. Tivemos benfeitores que fizeram-nos bem, mas nenhum que fizeram-nos tão boa como ele tem. Tivemos pais, professores, amigos amáveis, que tenham prestado por nós, nos ensinou, nós aliviado; mas tudo o que eles têm feito por nós é pequena, em comparação com o que ele fez. O fruto da sua bondade, em sua maior parte, pertence ao mundo atual; e eles não expuseram as suas vidas por nós. O que ele fez pertence ao nosso bem-estar para toda a eternidade; é o fruto do sacrifício da sua própria vida. Como preciosa deve o nome ea memória de um ser que já deu a sua própria vida para salvar-nos!

 

(3) devemos todas as nossas esperanças do céu para ele; e na proporção do valor de uma esperança tal, ele é precioso para nós. Nós não temos nenhuma esperança de salvação, mas nele. Tirar isso - apagar o nome ea obra do Redentor - e vemos nenhuma maneira em que nós pudéssemos ser salvos; nós não temos nenhuma perspectiva de ser salvo. Como a nossa esperança do céu, portanto, é importante para nós; uma vez que nos apoia, em julgamento; pois nos conforta na hora da morte, assim é o precioso Salvador, e a estimativa de qual formamos dele é na proporção do valor de tal esperança.

 

(4) existe um valor intrínseco e excelência no caráter de Cristo, além de sua relação conosco, o que faz dele precioso para aqueles que podem apreciar o seu valor. Em seu caráter, abstratamente considerada, não havia mais para atrair, aos juros, ao amor, que no de qualquer outra pessoa que já viveu em nosso mundo. Havia mais pureza, mais benevolência, mais que foi ótimo em circunstâncias difíceis, mais que foi generosa e abnegada, mais que se assemelhava a Deus, do que em qualquer outro que já apareceu na terra. No firmamento moral, o caráter de Cristo sustenta uma primazia sobre todos os outros que viveram, tão grande como a glória do sol é superior às luzes fracas, apesar de tão numerosos, que glimmer à meia-noite. Com tais pontos de vista dele, não é de admirar que, no entanto, ele pode ser estimado pelo mundo ", para os que crêem, ele é precioso."

 

Mas para os que ser desobediente - Literalmente, "não querendo ser persuadido," ( ἀπειθὴς apeithēs) isto é, aqueles que se recusavam a acreditar; que eram obstinados ou contumaz, Lucas 1:17Lucas 1:17 ; Romanos 1:30Romanos 1:30 . O significado é que, para eles, ele é feito de uma pedra contra a qual eles incidem, e estragar-se. Veja as notas em 1 Pedro 2: 81 Pedro 2: 8 .

 

A pedra que os construtores rejeitaram - Que eles rejeitaram, ou recusaram-se a fazer uma pedra angular. A alusão aqui, pela palavra "construtores", é principalmente para os judeus, representados como levantar um templo de salvação, ou um edifício com referência à vida eterna. Eles se recusaram a colocar esta pedra que Deus havia ordenado, como a fundação de suas esperanças, mas preferiu algum outro fundamento. Veja esta passagem explicado no Matthew 21:4221:42 Matthew nota; Atos 4:11Atos 4:11 nota; e Romanos 9:33Romanos 9:33 nota.

 

O mesmo é feito a cabeça da esquina - Ou seja, embora seja rejeitado pela massa de pessoas, mas Deus tem, de facto, tornou a pedra angular sobre a qual todo o templo espiritual repousa, Atos 4: 11-12Atos 4: 11-12 . No entanto as pessoas podem considerá-lo, não há, de fato, nenhuma outra esperança do céu do que aquele que é fundada sobre o Senhor Jesus. Se as pessoas não são salvos por ele, ele torna-se para eles uma pedra de tropeço e rocha de escândalo.

 

verso 8

E uma pedra de tropeço - Uma pedra sobre a qual eles, tropeçar, ou contra a qual eles incidem. A ideia parece ser a de um pilar, que se projecta a partir da construção, contra o qual eles precipitar-se, e por que eles são feitos cair. Veja as notas em Matthew 21:44Mateus 21:44 . A rejeição do Salvador torna-se o meio de sua ruína. Eles se recusam a construir sobre ele, e é como se deve correr contra um sólido alicerce projetando de uma casa, que seria, certamente, os meios de sua destruição. Compare as notas em Lucas 2:34Lucas 02:34 . Uma ideia semelhante a esta ocorre em Matthew 21:44Mateus 21:44 ; "Qualquer que cair sobre esta pedra será quebrado." O significado é que, se essa pedra fundamental não é o meio de sua salvação, será de sua ruína. Não é uma questão de indiferença se eles acreditam nele ou não - se aceitam ou rejeitá-lo. Eles não podem rejeitá-lo sem as conseqüências mais terríveis para suas almas.

 

E uma rocha de escândalo - Isso expressa substancialmente a mesma idéia que a frase "pedra de tropeço". A palavra traduzida por "ofensa", ( σκάνδαλον skandalon) significa propriamente "uma armadilha-stick - uma vara torta em que a isca é presa que as greves animal contra, e assim nasce a armadilha, "(Robinson, Lexicon), então" uma armadilha, gin, bombo "; e, em seguida, "qualquer coisa que um greves ou tropeços contra; uma pedra de tropeço. "Em seguida, ele denota" o que é a causa ou ocasião de ruína. "Essa linguagem seria estritamente aplicável aos judeus, que rejeitaram o Salvador por conta de sua origem humilde, e cuja rejeição a ele foi feita a ocasião da destruição de seu templo, cidade e nação. Mas também é aplicável a todos os que o rejeitam, por qualquer motivo; por sua rejeição a ele será seguido com ruína para suas almas. É um crime para o qual Deus irá julgá-los tão certamente como fez com os judeus que o renegados e crucificaram, para o delito é substancialmente o mesmo. O que poderia ter sido, portanto, os meios de sua salvação, é feita a causa de sua condenação mais profundo.

 

Mesmo para os que tropeçam na palavra - Para todos os que fazem isso. Ou seja, eles levam o mesmo tipo de ofensa no evangelho que os judeus fizeram no próprio Salvador. Ele é substancialmente a mesma coisa, e as consequências deve ser o mesmo. Como é que a conduta do homem que rejeita o Salvador agora, diferente da de quem o rejeitou quando ele estava na Terra?

 

Sendo desobedientes - 1 Pedro 2: 71 Pedro 2: 7 . A razão pela qual eles rejeitá-lo é que eles não estão dispostos a obedecer. Eles são comandou solenemente a crer no evangelho; e uma recusa em fazê-lo, portanto, é como realmente um ato de desobediência a quebrar qualquer outro comando de Deus.

 

Qual eles foram nomeados - ( εἰς ὅ καὶ ἐτέθησαν eis ho kai etethēsanThe palavra "whereunto" significa para a qual Mas para o que não se pode supor que isso significa que eles foram "nomeados" para acreditar nele e ser salvo por ele, pois.? :

 

(1) isso envolveria toda a dificuldade que é já sentiu na doutrina de decretos ou eleição; para ele, então, significa que ele tinha eternamente designado eles sejam salvos, que é a doutrina da predestinação; e,

 

(2) se esta fosse a verdadeira interpretação, a consequência seguiria que Deus tinha sido frustrado em seu plano - para a referência aqui é para aqueles que não seriam salvos, isto é, para aqueles que "tropeçar na pedra de tropeço", e são destruídos.

 

Calvin supõe que isso significa ", para a qual a rejeição e destruição que foram designados no propósito de Deus." Então Bloomfield torna ", Unto que (incredulidade) que estavam destinados," (Critical Digest) significado, como ele supõe, que " para este tropeço e desobediência eles foram autorizados por Deus a cair. "Doddridge interpreta," para que também foram nomeados pela sentença de Deus justo, muito antes, até mesmo, logo no seu primeiro propósito e decreto ordenou o seu Filho ser o grande fundamento da sua igreja. "Rosenmuller dá sensivelmente a mesma interpretação. Clemens Romanus diz que significa que "eles foram nomeados, não que eles devem pecar, mas que, pecando, eles devem ser punidos." Veja Wetstein. Então Macknight. "Para que a punição foram destinados." Whitby dá a mesma interpretação do mesmo, isso porque eles foram rebeldes, (referindo-se, como ele supõe, aos judeus que rejeitaram o Messias) "foram nomeados, para a punição dos que a desobediência, a cair e perecer. "

 

Dr. Clark supõe que isso significa que eles foram profetizou que eles devem, assim, cair; ou que, muito antes, a previsão era de que eles deveriam, assim, tropeçar e cair. Em referência ao significado desta passagem difícil, é bom observar que há no verbo grego, necessariamente, a idéia de designação, nomeação, propósito. Houve alguma agência ou a intenção pela qual eles foram colocados nessa condição; algum ato de colocar ou de nomeação, (a palavra τίθημι tithēmimeaning para definir, colocar, estabelecer, deitou-se, nomear, constituem), pelo qual este resultado foi provocado. O sentido justo, portanto, e aquele do qual não podemos escapar, é que isso não aconteceu por acaso ou acidente, mas que houve uma divina arranjo, compromisso ou plano por parte de Deus em referência a este resultado, e que o resultado estava em conformidade com isso. Por isso, é dito em Jude 1: 4Judas 1: 4 , de uma classe similar de pessoas: "Porque há certos homens se introduziram com dissimulação, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo." Os fatos eram estes:

 

(1) Que Deus designou seu Filho para ser a pedra angular de sua igreja.

 

(2) que havia uma parte do mundo que, de alguma causa, iria abraçá-lo e ser salvo.

 

(3) que havia uma outra parte que, era certo, não iria abraçá-lo.

 

(4) que foi conhecido que a nomeação do Senhor Jesus como Salvador seria a ocasião de sua rejeitá-lo, e de sua condenação mais profunda e mais agravada.

 

(5) que o arranjo foi, no entanto, fez, com o entendimento de que tudo isso seria assim, e porque era melhor no seu conjunto que deve ser assim, embora esta consequência viria a seguir. Ou seja, era melhor que o acordo deve ser feito para a salvação das pessoas, mesmo com este resultado, que uma parte iria afundar em condenação mais profundo, do que nenhum acordo deve ser feito para salvar qualquer. A disposição primária e originária, portanto, não contemplou-los ou a sua destruição, mas foi feita com referência aos outros, e não obstante o que iria rejeitá-lo, e cairia. A expressão "whereunto" ( εἰς ὅ eis ho) refere-se a este plano, como envolvendo, dadas as circunstâncias, o resultado que realmente seguido. Sua tropeçar e cair não era uma questão de sorte, ou um resultado que não foi contemplado, mas entrou no arranjo original; e o conjunto, por conseguinte, pode-se dizer que, de acordo com um plano de sábio e finalidade. E,

 

(6) que ele poderia disse nesse sentido, e, neste contexto, que aqueles que rejeitam foram nomeados para este tropeçar e cair. Era o que estava previsto; que entraram no regime geral; o que estava envolvido no propósito de salvar qualquer. Não era uma questão que não estava previsto, que a consequência de dar um Salvador que resultaria na condenação daqueles que devem crucificar e rejeitá-lo; mas a coisa toda, como realmente ocorreu, entrou no arranjo divino. Pode-se acrescentar que, assim como, nas circunstâncias do caso concreto, nada de errado foi feito por Deus, e ninguém foi privado de direitos, ou punida mais do que ele merece, ele não estava errado nele para fazer o arranjo . Foi melhor do que o arranjo deve ser feita como é, mesmo com esta consequência, do que nenhum em tudo deve ser feito para a salvação humana. Compare os Romanos 9: 15-18Romanos 9: 15-18 notas; João 12: 39-40João 12: 39-40 notas. Esta é apenas uma declaração, de acordo com o que toda a parte ocorre na Bíblia, que todas as coisas entram nos planos eternos de Deus; que nada acontece por acaso; que não há nada que não estava previsto; e que o plano é como, em geral, Deus viu ser melhor e sábio, e, portanto, adotaram. Se não há nada de injusto e errado no desenvolvimento real do plano, não havia nada na formação dela. Ao mesmo tempo, nenhum homem que não acredita e rejeita o evangelho, que se refugiar em isso como uma desculpa. Ele foi "nomeado" para que nenhuma outra forma que não como ela realmente ocorre; e, como eles sabem que eles são voluntários em rejeitá-lo, eles não podem colocar a culpa disso sobre os propósitos de Deus. Eles não são forçados ou obrigados a fazê-lo; mas verificou-se que esta consequência seguiria, eo plano foi colocado para enviar o Salvador, não obstante.

 

verso 9

Mas vós sois a geração eleita - Em contradição com aqueles que, pela sua desobediência, havia rejeitado o Salvador como o fundamento da esperança. O povo de Deus são muitas vezes representado como seu povo escolhido ou eleito. Veja as notas em 1 Pedro 1: 21 Pedro 1: 2 .

 

Um sacerdócio real - Veja as notas em 1 Pedro 2: 51 Pedro 2: 5 . O significado disto é, provavelmente, que "ao mesmo tempo deu a dignidade dos reis e pela santidade dos sacerdotes" - Doddridge. Compare Apocalipse 1: 6Apocalipse 1: 6 ; "E nos fez reis e sacerdotes para Deus." Veja também Isaías 61: 6Isaías 61: 6 ; "Mas vós sereis chamados sacerdotes do Senhor; homens chamarão ministros vós do nosso Deus. "Pode ser, no entanto, que a palavra real é usado apenas para denotar a dignidade do ofício sacerdotal que eles sustentada, ou que constituíam, por assim dizer, toda uma nação ou o reino de sacerdotes. Eles eram um reino que ele presidia, e todos eram sacerdotes; de modo que pode-se dizer que eles eram um reino de sacerdotes - um reino em que todos os indivíduos foram empenhados em oferecer sacrifício a Deus. A expressão parece estar tomado de Êxodo 19: 6Êxodo 19: 6 - "E vós sereis para mim um reino de sacerdotes" - e é esse tipo de linguagem como alguém que tinha sido educado como um judeu seria provável que empregam para expor a dignidade das pessoas a quem considerava o povo de Deus.

 

A nação santa - Isso também é tirado de Êxodo 19: 6Êxodo 19: 6 . Os hebreus eram considerados uma nação consagrada a Deus; e agora que eles foram lançados fora ou rejeitado por sua desobediência, a mesma língua foi devidamente aplicada às pessoas que Deus tinha escolhido em seu lugar - a igreja cristã.

 

Um povo peculiar - Comparar as notas em Tito 2:14Tito 2:14 . A margem aqui é comprado. A palavra "peculiar", em sua acepção comum agora, significaria que eles foram distinguidos dos outros, ou eram singular. A leitura na margem significaria que eles haviam sido comprados ou resgatadas. Ambas as coisas são assim, mas nenhum deles expressa o sentido exato do original. O grego λαὸς εἰς περιποίησιν laos eis peripoiēsin) significa, "um povo para uma posse", isto é, como pertencente a Deus. Eles são um povo que tem garantidos como uma posse, ou como o seu próprio; um povo, portanto, que pertencem a ele, e para nenhum outro. Nesse sentido, eles são especiais como sendo Sua; e, sendo assim, pode-se inferir que eles devem ser especial, no sentido de ser ao contrário de outros (únicos) em seu modo de vida. Mas essa ideia não é necessariamente no texto. Parece haver aqui também uma alusão a Êxodo 19: 5Êxodo 19: 5 ; "Sereis um tesouro peculiar comigo (Septuaginta λαὸς περιούσιος laos periousios) acima de todas as pessoas."

 

Que vos anunciar as virtudes dele - ". Virtudes" Margem, a palavra grega ( ἀρετὴ Arete) propriamente significa "boa qualidade, excelência" de qualquer tipo. Isso significa aqui as excelências de Deus - Sua bondade, suas maravilhas, ou aquelas coisas que a tornam adequada para louvá-Lo. Isso mostra um grande objetivo para o qual foram resgatados. Foi que eles possam proclamar a glória de Deus, e manter a lembrança de suas maravilhas na terra. Isto é para ser feito:

 

(A) por atribuições próprias de louvor a ele em público, família e culto social;

 

(B) por ser sempre os amigos declarados de Deus, prontos sempre para reivindicar seu governo, e formas;

 

(C) por se esforçando para tornar conhecidas as suas excelências para todos aqueles que são ignorantes Dele; e,

 

(D) por uma vida como deve constantemente proclamar seu louvor - como o sol, a lua, as estrelas, as montanhas, os rios, as flores fazem, mostrando o que Deus faz. A vida coerente de um cristão devoto é uma fixação diante constante de louvor a Deus, mostrando a todos que o Deus que fez dele como é digno de ser amado.

 

Que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz - Na palavra chamada, veja as notas em Efésios 4: 1Efésios 4: 1 . A escuridão é o emblema da ignorância, ao pecado e miséria, e refere-se aqui à sua condição antes de sua conversão; luz é o emblema da frente, e é uma bela representação do estado daqueles que são levadas ao conhecimento do evangelho. Veja as notas em Atos 26:18Atos 26:18 . A palavra maravilhosa significa maravilhoso; ea ideia é que a luz do evangelho era tal como foi incomum, ou não pode ser encontrada em outros lugares, como que excita admiração ou surpresa que não estão acostumados a ver. A referência principal aqui é, sem dúvida, para aqueles que tinham sido pagãos, e para a grande mudança que tinha sido produzido por terem sido levadas ao conhecimento da verdade revelada no evangelho; e, no que diz respeito a isso, ninguém pode duvidar que a um estado merece ser caracterizada como a escuridão, e o outro como a luz. O contraste era tão grande quanto aquela entre meia-noite e meio-dia. Mas o que é dito aqui é substancialmente correta de todos os que são convertidos, e muitas vezes é tão surpreendentemente verdadeiro para aqueles que tenham sido criados em terras cristãs, como daqueles que viveram entre os pagãos. A mudança na conversão é muitas vezes tão grande e tão rápido, os pontos de vista e sentimentos são tão diferentes antes e depois da conversão, que parece que uma transição repentina da meia-noite ao meio-dia. Em todos os casos, igualmente, da verdadeira conversão, embora a alteração não pode ser de modo surpreendente, ou aparentemente tão repentina, há uma alteração de que esta pode ser considerado como substancialmente uma descrição precisa. Em muitos casos, a conversão pode adotar essa linguagem em toda a sua plenitude, como descritivo de sua própria conversão; em todos os casos de conversão genuína é verdade que cada um pode dizer que ele tem sido chamado de um estado em que sua mente estava escuro para uma em que é relativamente clara.

 

verso 10

Que com o tempo passado não eram um povo - isto é, quem antes não eram considerados como o povo de Deus. Há uma alusão aqui para a passagem em Oséias 02:23Oséias 02:23 ", e terei misericórdia de sua misericórdia que não tinha obtido; e eu vou dizer-lhes que não era meu povo: Tu és o meu povo; e ele dirá: Tu és o meu Deus. "É, no entanto, uma mera alusão, como se faz, que usa a linguagem de outro para expressar suas idéias, sem querer dizer que ambos se referem ao mesmo assunto. Em Oséias, a passagem se refere, evidentemente, para a recepção de uma porção dos israelitas em favor após a sua rejeição; em Peter, refere-se principalmente para aqueles que tinham sido gentios, e que nunca tinha sido reconhecido como o povo de Deus. A linguagem do profeta exatamente expressar a sua ideia, e ele, portanto, usa-lo sem a intenção de dizer que este foi seu aplicativo original. Vê-lo explicado nas notas em Romanos 9:25Romanos 9:25 . Compare as notas em Efésios 2: 11-12Efésios 2: 11-12 .

 

Que não tinha obtido misericórdia - Ou seja, que vivia perdoado, não tendo conhecimento da maneira pela qual os pecadores podem ser perdoados, e há evidências de que seus pecados foram perdoados. Eles foram, então, na condição de todo o mundo pagão, e eles então não tinha sido familiarizado com o método gloriosa pela qual Deus perdoa a iniqüidade.

 

verso 11

Amados, peço-vos, estrangeiros e peregrinos - Na palavra traduzida "estranhos", ( παροίκους paroikoussee as notas em Efésios 2:19Efésios 2:19 , onde ele é processado Isso significa, propriamente, uma habitação perto, vizinha "estrangeiros".; Em seguida, um por habitante, um estrangeiro, um sem os direitos de cidadania, como distinguido de um cidadão, e isso significa aqui que os cristãos não são propriamente os cidadãos deste mundo, mas que a sua pátria está nos céus, e que eles estão aqui apenas peregrinos. Compare as notas em Philemon 3:20Philemon 3:20 , "Para a nossa conversa (cidadania) está nos céus." Sobre a palavra traduzida como "peregrinos", ( παρεπιδήμους parepidēmoussee a 1 Pedro 1: 11 Pedro 1: 1 nota; Hebreus 11:13Hebreus 11:13 nota Um peregrino, corretamente. , é aquele que viaja a uma distância de seu próprio país para visitar um lugar santo, ou para pagar sua devoção a algum objeto sagrado, em seguida, um viajante, um errante O significado aqui é, que os cristãos não têm um lar permanente na terra;. a sua cidadania não está aqui, que são meras peregrinos, e eles estão passando para a sua casa eterna nos céus. Eles devem, portanto, agir como se tornar tais pessoas; como a peregrinos e viajantes fazer. Eles não deve:

 

(A) considerar a terra como sua casa.

 

(B) Não devem procurar adquirir bens permanentes aqui, como se fossem para permanecer aqui, mas deve agir como os viajantes fazer, que apenas procuram um alojamento temporário, sem esperar de residir em um lugar.

 

(C) Eles não devem permitir que qualquer desses anexos a ser formado, ou providências a serem tomadas, como para impedir a sua viagem para a sua casa final, como peregrinos procuram apenas um alojamento temporário, e constantemente prosseguir a sua viagem.

 

(D) Mesmo quando contratado aqui nos chamados necessários da vida - seus estudos, sua agricultura, sua mercadoria - seus pensamentos e afetos deve ser em outras coisas. Um em uma terra estranha pensa muito do seu país e em casa; peregrino, grande parte da terra para a qual ele vai; e mesmo enquanto o seu tempo e atenção podem ser necessariamente ocupado por o necessário arranjos para a viagem, seus pensamentos e afetos estará longe.

 

(E) Não devemos sobrecarregar-nos com muito dos bens deste mundo. Muitos cristãos professos obter tantas coisas mundanas em torno deles, que é impossível para eles para fazer uma viagem para o céu. Eles sobrecarregar-se como nenhum viajante faria, e eles não fazem progresso. Um viajante leva consigo como poucas coisas quanto possível; e uma equipe muitas vezes é tudo o que um peregrino tem. Nós aproveitar ao máximo rápido progresso em nossa jornada para a nossa casa final, quando estamos menos sobrecarregados com as coisas deste mundo.

 

Abstenhais das concupiscências carnais - Tais desejos e paixões como os apetites carnais imediatas para. Veja as notas em Gálatas 5: 19-21Gálatas 5: 19-21 . Um peregrino em terra, ou um peregrino, não se entregar à condescendência dos apetites sensuais, ou para os prazeres moles da alma. Todos estes iria dificultar o seu progresso, e transformá-lo fora de seu grande projeto. Compare Romanos 13: 4Romanos 13: 4 ; Gálatas 5:24Gálatas 5:24 ; 2 Timóteo 2:222 Timóteo 2:22 ; Tito 2:12Tito 2:12 ; 1 Pedro 1:141 Pedro 1:14 .

 

Que combatem contra a alma - Comparar as notas em Romanos 8: 12-13Romanos 8: 12-13 . O significado é que a condescendência com essas coisas faz guerra contra as faculdades mais nobres da alma; contra a consciência, a compreensão, a memória, o julgamento, o exercício de uma imaginação pura. Compare as notas em Gálatas 5:17Gálatas 5:17 . Não é uma faculdade da mente, por mais brilhante em si, que não será em última análise, arruinada pela condescendência com as propensões carnais da nossa natureza. O efeito da intemperança nas faculdades nobres da alma é bem conhecida; e, infelizmente, existem muitos casos em que a luz de gênio, naqueles dotada de esplêndidas presentes, no bar, no púlpito, e no Senado, se extingue por isso, precisar de uma descrição particular. Mas há um vice-preeminently, que prevalece em todo o mundo pagão, (Compare as notas em Romanos 1: 27-29Romanos 1: 27-29 ) e extensivamente em terras cristãs, que mais do que todos os outros, embota o senso moral, polui a memória, contamina o imaginação, endurece o coração. e envia uma influência fulminante através de todas as faculdades da alma.

 

"A alma cresce coagulado por contágio,

 

Encarna e embrutes, até que ela bastante perder

 

A propriedade divina de seu primeiro ser ".

 

Desta paixão, queimaduras lindamente e realmente disse -

 

"Mas, oh! endurece a 'dentro,

 

E petrifica o sentimento. "

 

De todas estas paixões o peregrino cristão deve abster-se.

 

verso 12

Tendo o vosso viver honesto - sua conduta. Veja as notas em Philemon 1:27Philemon 1:27 . Isto é, a vida verticais e consistentes de chumbo. Compare as notas em Philemon 4: 8Philemon 4: 8 .

 

Entre os gentios - Os pagãos por quem você está cercado, e que certamente vai observar sua conduta. Veja as notas em 1 Tessalonicenses 4:121 Tessalonicenses 4:12 , "para que andeis honestamente para com os que estão de fora." Compare Romanos 13:13Romanos 13:13 .

 

Isso, em que falam contra vós outros como malfeitores - Margem ", onde". Grego ἐν ᾥ en ho- "em que," quer se referir "a tempo", e o que significa que no exato momento em que eles falam contra vós desta forma eles podem ser silenciadas, vendo suas vidas na posição vertical; ou significado "em relação ao qual" - isto é, que, em relação às próprias questões para as quais eles vos injuriarem vejam pelo seu manso e conduta reta que não há realmente nenhum motivo para censura. Wetstein adopta a primeira, mas a questão que se quer dizer não é muito importante. Bloomfield supõe que ela significa na medida, enquanto que. O sentimento é um correto, conforme interpretação é adotada. Deve ser verdade que no exato momento em que os inimigos da religião nos reprovam, eles deveriam ver que são movidos por princípios cristãos, e que na própria matéria para a qual estamos reprovou estamos consciente e honesto.

 

Eles podem, por suas boas obras, as quais devem contemplar - grego ", que devem inspecionar de perto ou de forma restritiva." O significado é que, após um exame atento e estreito, eles podem ver que você está accionado por princípios retos, e, finalmente, estar disposto a fazer-lhe justiça. Deve ser lembrado que o pagão foram muito pouco familiarizados com a natureza do cristianismo; e sabe-se que nos primeiros séculos eles cobrado sobre os cristãos os vícios mais abomináveis, e até mesmo os acusou de práticas em que a natureza revoltas humanos. O significado de Peter é que, enquanto eles cobrado estas coisas aos cristãos, seja por ignorância ou malícia, eles devem viver de maneira que um conhecimento mais completo com eles, e uma inspeção mais próxima de sua conduta, seria desarmar seus preconceitos e mostrar que suas acusações eram totalmente infundadas. A verdade ensinada aqui é ", de que a nossa conduta como os cristãos devem ser de modo a suportar o escrutínio mais rigoroso; de tal forma que o exame mais próximo levará nossos inimigos à convicção de que somos justos e honestos ". Isso pode ser feito por todos os cristãos esta sua religião solenemente requer que ele faça.

 

Glorificar a Deus - honrar a Deus; isto é, que eles podem ser convencidos por sua conduta da natureza pura e santa daquela religião que ele revelou, e serão levados também para amar e adorá-lo. Veja as notas em Mateus 5:16Mateus 5:16 .

 

No dia da visitação - Muitas opiniões diferentes foram entretidos do significado desta frase, alguns referindo-lo para o dia do juízo; alguns para tempos de perseguição; alguns para a destruição de Jerusalém; e alguns para o momento em que o evangelho foi pregado entre os gentios, como um período em que Deus visitou-los com misericórdia. A palavra "visitação" ( ἐπισκοπή episkopēmeans o ato de visitar ou ser visitado para qualquer finalidade, geralmente com a noção de inspeção conduta, de infligir punição, ou de conferir favores Compare. Matthew 25:36Matthew 25:36 , Matthew 25:43Mateus 25:43 ; Lucas 1:68Lucas 1: 68 , Lucas 1:78Lucas 1:78 ; Lucas 7:16Lc 7:16 ; Lc 19.44Lc 19.44 , no sentido de visitar com a finalidade de punir, a palavra é muitas vezes usado na Septuaginta para o hebraico פּקד paaqadthough não houver nenhuma instância em que a palavra é tão usada no Novo Testamento, a não ser no verso antes de nós. A "visitação" aqui referido é, sem dúvida, a de Deus; e a referência é a um tempo em que ele iria fazer uma "visitação" para as pessoas com algum propósito, e quando o fato de que os gentios por pouco havia inspecionado a conduta dos cristãos iria levá-los para homenageá-lo.

 

A única questão é, o que a visitação desse tipo o apóstolo se refere. O uso predominante da palavra no Novo Testamento parece levar-nos a supor que a "visitação" referido foi projetado para conferir favores ao invés de infligir punição, e na verdade a palavra parece ter um pouco de um carácter técnico e, para foram familiarmente usado pelos cristãos para denotar a vinda de Deus para as pessoas para abençoá-los; a derramar seu Espírito sobre eles; para reviver a religião. Isto parece-me ser o seu significado aqui; e, em caso afirmativo, o sentido é que quando Deus apareceu entre as pessoas para acompanhar a pregação do evangelho com economia de energia, o resultado da conduta observada de cristãos seria levar aqueles em torno deles para homenageá-lo, dando-se os seus corações para Ele; isto é, sua vida coerente seria o meio da revitalização e extensão da verdadeira religião. E não é sempre assim? Não é a caminhada puro e santo dos cristãos uma ocasião de Sua dobra Seus passos para a terra para abençoar morrem pecadores, e para espalhar as bênçãos espirituais com uma mão liberal? Compare as notas em 1 Coríntios 14: 24-251 Coríntios 14: 24-25 .

 

verso 13

Sujeitai-vos a toda autoridade humana - o grego, "a cada criação do homem", ( ἀνθρωπίνῃ κτίσει anthrōpinē ktiseiThe significado é, a cada instituição ou nomeação do homem; a saber, aqueles que estão em posição de autoridade, ou que são nomeados para administrar . governo as leis, institutos e compromissos de um tal governo pode ser falado de como a criação do homem;. isto é, como o que o homem faz claro, o que é dito aqui deve ser entendido com a limitação em todos os lugares implícita, que o que é ordenado por aqueles que têm autoridade não é contrária à lei de Deus ver as notas no. Atos 4:19Atos 4:19 por dever geral aqui intimados de sujeição à autoridade civil, ver as notas no. Romanos 13: 1-7Romanos 13: 1-7 .

 

Por causa do Senhor - Porque ele tem exigido isso, e confiou esse poder para governantes civis. Veja as notas em Romanos 13: 5Romanos 13: 5 . Compare as notas em Efésios 6: 7Efésios 6: 7 .

 

Quer seja ao rei - tem sido comumente suposto que existe aqui referência ao imperador romano, que poderia ser chamado de rei, porque nele o poder supremo residia. O título comum do soberano romano era, como o usado por escritores gregos, ᾀυτοκράτωρ autokratōrand entre os próprios romanos, "imperator" (imperador;). Mas o rei título também foi dado ao soberano João 19:15João 19:15 , "nós temos . rei, senão César " Atos 17: 7Atos 17: 7 ," e todos eles procedem contra os decretos de César, dizendo que há outro rei, Jesus "Peter, sem dúvida, teve especial referência aos imperadores romanos, mas ele usa um termo geral. , que seria aplicável a todos em quem o poder supremo residia, e a liminar aqui exigiria submissão a essa autoridade, por qualquer nome que poderia ser chamado. O significado é que estamos a ser sujeitos a essa autoridade seja exercida pelo soberano em pessoa, ou por aqueles que são nomeados por ele.

 

Como supremo - Não supremo no sentido de ser superior a Deus, ou não ser sujeitos a ele, mas no sentido de ser sobre todos os oficiais subordinados.

 

verso 14

Quer aos governadores - oficiais subordinados, nomeados pelo magistrado, mais províncias. Talvez procônsules romanos são particularmente destinado aqui.

 

Como para os que são enviados por ele - pelo rei, ou o imperador romano. Eles representam o poder supremo.

 

Para castigo dos malfeitores - Um dos principais fins do governo. "Os governadores romanos tinham o poder de vida e morte em tais províncias conquistadas como os mencionados em 1 Pedro 1: 11 Pedro 1: 1 " - Doddridge. Ulpiano, o advogado romano célebre, que floresceu duzentos anos depois de Cristo, descreve assim o poder dos governadores das províncias romanas: "É dever de um bom e vigilante presidente para fazer com que sua província ser pacíficos e tranquilo. E que ele deveria fazer pesquisa diligente após pessoas sacrílegas, ladrões, homens-ladrões e ladrões, e punir cada um segundo a sua culpa. "Mais uma vez," Eles que governam províncias inteiras, têm o poder de enviar para as minas ". e, novamente, "os presidentes das províncias têm a mais alta autoridade, ao lado do imperador." Peter descreveu o mandato dos governadores romanos em linguagem quase semelhante a de Ulpiano. Veja a credibilidade de Lardner, (Obras, i. 77, edição. 8vo., Lond. 1829)

 

E para louvor dos que fazem o bem - Praise aqui se opõe à punição, e os meios de elogio, aplausos, recompensa. Ou seja, é uma parte de seus negócios para recompensar de forma adequada os que são retos e virtuoso como cidadãos. Este seria, protegendo as suas pessoas e bens; pela defesa dos seus direitos, e, talvez, por admitir aqueles para compartilhar as honras e emolumentos de escritório que mostraram que eles eram dignos de confiança. É uma parte tão importante das funções da magistratura para proteger os inocentes, como é para punir os ímpios.

 

verso 15

Porque assim é a vontade de Deus - isto é, ele está de acordo com a vontade divina que, desta forma você deve colocá-los ao silêncio.

 

Que, fazendo bem - Por uma vida de retidão e benevolência.

 

Ye pode emudecer a ignorância dos homens insensatos - Veja as notas em Tito 2: 8Tito 2: 8 . A referência aqui é aos homens que trouxeram acusações contra os cristãos, acusando-os de serem hostis ao governo, ou insubordinado, ou culpado de crimes. Tais encargos, é bem conhecido, muitas vezes foram feitas contra eles por seus inimigos no início dos tempos do cristianismo. Peter diz que eles foram levados por homens tolos, talvez usando a palavra tola no sentido de mal-disposto, ou maus, como muitas vezes é usada na Bíblia. No entanto, embora possa haver malícia na parte inferior, as acusações foram realmente baseado na ignorância. Eles não estavam completamente familiarizados com os princípios da religião cristã; ea maneira de atender a essas acusações era agir em todos os sentidos como se tornaram bons cidadãos, e assim como "a vivê-las para baixo." Uma das melhores formas de satisfazer as acusações dos nossos inimigos é levar uma vida de estrita integridade. Não é fácil para os ímpios para responder a este argumento.

 

verso 16

Como livres - isto é, eles estavam a considerar-se como homens livres, como tendo o direito à liberdade. Os judeus vangloriou-se muito de sua liberdade, e considerou-o como um privilégio primogenitura que estavam livres, João 08:33John 08:33 . Eles nunca voluntariamente reconheceu sua sujeição a qualquer outro poder, mas alegou que como uma idéia fundamental de sua constituição civil que só Deus era seu Soberano. Eles estavam de fato conquistada pelos romanos, e um tributo pago, mas eles fizeram isso porque eles foram obrigados a fazê-lo, e foi ainda uma questão muito debatida entre eles se eles devem fazê-lo ou não Matthew 22:17Mateus 22:17 . Josephus tem frequentemente referido ao fato de que os judeus se rebelaram contra os romanos sob o argumento de que eles eram um povo livre, e que eles estavam sujeitos somente a Deus. Esta ideia de liberdade essencial os judeus tinham quando se tornaram cristãos, e tudo no cristianismo tendiam a inspirá-los com o amor da liberdade.

 

Eles que se converteram à fé cristã, seja dentre os judeus ou gentios, fizeram-nos sentir que eles eram os filhos de Deus; que a sua lei era a regra suprema da sua vida; que no último recurso eles estavam sujeitos a ele só; que eles foram resgatados, e que, portanto, a jugo de escravidão não poderia ser devidamente imposta a eles; que Deus "fez de um sangue todas as nações dos homens, para habitarem sobre toda a face da terra", Atos 17:26Atos 17:26 ; e que, portanto, eles estavam em um nível antes dele. O significado aqui é que eles não estavam a considerar-se como escravos, ou para atuar como escravos. Em sua sujeição à autoridade civil não estavam a esquecer que eles eram homens livres no sentido mais elevado, e que a liberdade era uma bênção inestimável. Eles haviam sido libertados pelo Filho de Deus, João 8:32João 8:32 , João 8:36João 8:36 . Eles foram libertados do pecado e condenação. Eles reconheceram a Cristo como seu chefe supremo, e todo o espírito e tendência de sua religião solicitado para o exercício da liberdade.

 

Eles não estavam a submeter-se as correntes da escravidão; não permitir que suas consciências a ser ligado, ou a sua liberdade essencial para ser interferido; nem em sua sujeição ao magistrado civil foram eles que nunca para considerar-se senão como homens livres. Por uma questão de fato, o cristianismo sempre foi o amigo e promotor da liberdade. Sua influência emancipou os escravos em todo o Império Romano; e toda a liberdade civil, que podemos desfrutar e que existe no mundo, pode ser atribuída à influência da religião cristã. Para espalhar o evangelho em sua pureza em todos os lugares seria romper todo jugo da opressão e da escravidão, e fazer as pessoas em todos os lugares livres. É o direito essencial de todo homem que é um cristão a ser um homem livre - para ser livre para adorar a Deus; ler a Bíblia; para apreciar as aproveita de seu próprio trabalho; para treinar seus filhos na maneira em que ele considere melhor; para formar seus próprios planos de vida, e para perseguir seus próprios fins, só desde que não interfira com os direitos iguais dos outros - e cada sistema que impede que isso, quer seja a de governo civil, do direito eclesiástico, ou de escravidão doméstica, é contrário à religião do Salvador.

 

E não tendo a liberdade por cobertura da malícia - Margem, como em grego, "tendo." Não fazer a sua liberdade mero pretexto sob o qual a praticar todos os tipos de mal. A palavra traduzida por "maldade" - κακία kakia- significa mais do que a nossa palavra maldade faz; para que denota o mal de qualquer espécie, ou todos os tipos. A palavra maliciousness refere-se sim a inimizade do coração, má vontade, a intenção de ferir. O apóstolo faz referência a um abuso de liberdade, o que muitas vezes ocorreu. A pretensão destes que agiram desta maneira tem sido, que a liberdade do evangelho implícita libertação de todos os tipos de contenção; que estavam sob o jugo, vinculados por nenhuma lei; que, sendo os filhos de Deus, eles tinham o direito de todos os tipos de diversão e indulgência; que mesmo a lei moral deixou de ligá-los, e que eles tinham o direito de fazer o máximo de liberdade em todos os aspectos. Assim, eles se entregaram a todos os tipos de indulgência sensual, alegando isenção das restrições da moralidade, bem como do direito civil, e afunda-se no mais profundo abismo do vício. Não poucos têm feito isso que tem professado ser cristãos; e, ocasionalmente, uma seita fanática agora parece que fazem a liberdade que eles dizem cristianismo confere, um pretexto para a indulgência no mais básico e vícios degradantes. Os apóstolos viram essa tendência na natureza humana, e que em nada são mais cuidadoso do que para se proteger contra esse abuso.

 

Mas, como os servos de Deus - não é livre de toda restrição; não a liberdade de entrar em todas as coisas, mas obrigado a servir a Deus na obediência fiel de suas leis. Assim obrigado a obedecer e servir a ele, eles não poderiam ter a liberdade de entrar em coisas que seria uma violação de suas leis, e que desonrá-lo. Veja este sentimento explicado nas notas em 1 Coríntios 7:221 Coríntios 07:22 ; 1 Coríntios 9:211 Coríntios 9:21 .

 

verso 17

Honrar todos os homens - Ou seja, mostrar-lhes o respeito que é devido a eles de acordo com seu valor pessoal, e ao posto e escritório, que eles sustentam. Veja as notas em Romanos 13: 7Romanos 13: 7 .

 

Amor a fraternidade - Toda a fraternidade dos cristãos, considerado como um bando de irmãos. A palavra usada aqui ocorre apenas neste lugar e em 1 Pedro 5: 91 Pedro 5: 9 ". Irmãos", onde ele é processado A idéia aqui expressa ocorre muitas vezes no Novo Testamento. Veja as notas em João 13: 34-35João 13: 34-35 .

 

Teme a Deus - um direito de todos os lugares ordenado na Bíblia, como um dos primeiros deveres da religião. Compare Levítico 25:17Levítico 25:17 ; Salmo 24: 7Salmo 24: 7 ; Salmo 25:14Salmo 25:14 ; Provérbios 1: 7Provérbios 1: 7 ; Provérbios 03:13Provérbios 03:13 ; Provérbios 9:10Provérbios 9:10 ; Provérbios 23:17Provérbios 23:17 ; Veja a Romanos 3:18Romanos 3:18 nota; 2 Coríntios 7: 12 Coríntios 7: 1 nota. A palavra medo, quando usado para expressar o nosso dever para com Deus, significa que estamos a reverenciar e honrá-lo. Religião, em um aspecto, é descrito como o temor de Deus; em outro, como o amor de Deus; em outro, como a submissão à sua vontade, etc. A veneração santo ou medo é sempre um princípio elementar da religião. É o medo, não tanto de punição como de sua desaprovação; não tanto o medo do sofrimento como o medo de fazer errado.

 

Honrar o rei - Referindo-se aqui principalmente para o soberano romano, mas o que implica que estamos sempre a respeitar aqueles que têm o domínio sobre nós. Veja as notas em Romanos 13: 1-7Romanos 13: 1-7 . A doutrina ensinada nesses versículos Romanos 13: 13-14Romanos 13: 13-14 é, que estamos fielmente para executar todas as funções relativas de vida. Não são deveres que temos para com nós mesmos, que são de importância em seu lugar, e que não são de forma a liberdade de negligência. Mas também têm deveres para nossos semelhantes, aos nossos irmãos cristãos, e para aqueles que têm o domínio sobre nós; e religião, ao mesmo tempo que é homenageado pelo nosso fiel cumprimento do nosso dever para nós, é mais abertamente honrados pelo nosso desempenho de nossos deveres para com aqueles a quem mantemos relações importantes na vida. Muitos dos deveres que devemos a nós mesmos são, a partir da natureza do caso, escondido da observação pública. Tudo o que diz respeito ao exame do coração; às nossas devoções particulares; à subjugação das nossas más paixões; a nossa comunhão indivíduo com Deus, deve ser escondida da vista do público. Não é assim, porém, com essas funções que pertencem a outros. No que diz respeito a eles, estamos abertos à vista do público. O olho do mundo está sobre nós. O julgamento do mundo no que diz respeito a nós é constituído a partir de sua observação da maneira em que realizá-las. Se a religião não existe, eles julgam que ele falhar completamente; e no entanto devoto podemos estar em privado, se ele não é visto pelo mundo que nossa religião leva ao fiel cumprimento dos deveres quais devemos nos diferentes relações da vida, ele será considerado de pouco valor.

 

verso 18

Servos, ser objecto de seus mestres - Por dever aqui intimados, ver as notas no Efésios 6: 5-9Efésios 6: 5-9 . A palavra grega usada aqui ( οἰκέται oiketai) não é o mesmo que é utilizado em Efésios, ( δοῦλοι douloiThe palavra aqui significa propriamente "domésticos" - aqueles empregados sobre uma casa, ou que vivem na mesma casa - de οἶκος ". House" oikos estas pessoas poderiam ter sido escravos, ou não pode. a palavra se aplica a eles, se eles foram contratados, ou se eles eram de propriedade como escravos. a palavra não deve e não pode ser usada para demonstrar que a escravidão existiu nas igrejas a que Peter escreveu, e menos ainda para provar que ele aprovado da escravidão, ou consideradas como uma boa instituição. a exortação aqui seria, e ainda é, estritamente aplicável a todas as pessoas empregadas como domésticas, apesar de terem voluntariamente contratou-se por ser tão . seria lhes incumbe, enquanto eles permaneceram nessa condição, para executar com fidelidade os seus deveres como cristãos, e de suportar com mansidão cristãos todos os erros que eles podem sofrer de aqueles em cujo serviço eles eram.

 

Aqueles que são contratados, e que estão sob a necessidade de "sair para o serviço" para a vida, nem sempre estão livres de utilização do disco, pois há ensaios incidente para essa condição de vida que não pode ser sempre evitada. Poderia ser melhor, em muitos casos, dar muito do que tentar uma mudança de situação, mesmo que fossem inteiramente livres para fazê-lo. Deve-se admitir, porém, que a exortação aqui terá mais força, se supõe-se que a referência é a escravos, e não pode haver dúvida de que muitos desta classe foram convertidos cedo para a fé cristã. A palavra aqui traduzida "mestres" ( δεσπόταις despotais) não é o mesmo que é usado em Efésios 6: 5Efésios 6: 5 , ( κυρίοις . KurioisNeither destas palavras implica necessariamente que aqueles que estavam sob eles eram escravos a palavra usada aqui é aplicável à cabeça de uma família, qualquer que seja a condição daqueles que estão sob ele, é frequentemente aplicada a Deus e a Cristo;. e não se pode afirmar que aqueles a quem Deus sustenta a relação de δεσπότης despotēsor "mestre", são "escravos". ver Lucas 2:29Lucas 02:29 ; Atos 4:24Atos 4:24 ; 2 Timóteo 2:212 Timóteo 2:21 ; 2 Pedro 2: 12 Pedro 2: 1 ; Jude 1: 4Jude 1: 4 ; Apocalipse 06:10Apocalipse 6:10 . a palavra, na verdade, é aquele que pode ser aplicado para aqueles que eram proprietários de escravos. Se for esse o significado aqui, não é dito, no entanto, que aqueles a quem é aplicada eram cristãos. é bastante implícito que eles estavam perseguindo um curso como era inconsistente com a piedade real. aqueles que estavam sob eles são representado como sofrendo graves erros.

 

Com todo o medo - Isto é, com toda a devida reverência e respeito. Veja as notas em Efésios 6: 5Efésios 6: 5 .

 

Não somente aos bons e moderados, mas também aos maus - A palavra traduzida como "perverso" ( σκολιοῖς skoliois) propriamente significa "torto, curvado;" então perverso, mau, injusto, rabugenta. Qualquer um que é um servo ou nacional é susceptível de ser empregada no serviço de um mestre; mas enquanto a relação continua, o servo deve cumprir seu dever com fidelidade, qualquer que seja o caráter do mestre. Os escravos são certamente susceptíveis a esta; e até mesmo aqueles que se dedicam voluntariamente como servos para os outros, não pode ter sempre a certeza de que eles terão empregadores amáveis. Embora os termos usados ​​aqui não implicam necessariamente que aqueles a quem o apóstolo deu nesse sentido eram escravos, mas pode-se presumir que eles provavelmente foram, desde a escravidão abundavam em todo o Império Romano; mas as indicações serão aplicadas a todos os que estão empenhados no serviço dos outros, e são, portanto, de valor permanente. A escravidão, mais cedo ou mais tarde, sob a influência do evangelho, totalmente cessar no mundo, e as instruções dirigidas aos mestres e escravos não terá nenhum valor permanente; mas será sempre verdade que haverá pessoas empregadas como domésticas, e é o dever de todos os que são assim comprometidos a demonstrar verdadeira fidelidade e si um espírito cristão, qualquer que seja o caráter de seus empregadores.

 

verso 19

Por isso é de agradecimento digno - Margem ". Agradecimento" grego, "Esta é a graça," ( χάρις charis). Doddridge torna a expressão: "Este é graciosa, de fato." Várias interpretações sobre esta expressão tem sido proposto; mas o significado é evidentemente, de que é aceitável a Deus, (veja 1 Pedro 2:201 Pedro 2:20 , "isto é agradável a Deus" - χάρις παρὰ Θεῷ . charis parágrafo Theōthat é, isso será considerado por ele com favor Isso não significa que era digno de graças, ou que Deus iria agradecê-los para fazê-lo, (compare Lucas 17: 9-10Lucas 17: 9-10 ;), mas que tal conduta se encontraria com sua aprovação.

 

Se um homem de consciência para com Deus - se, no exercício consciente do seu dever, ou se, na resistência deste errado, ele considera a si mesmo como servir a Deus. Ou seja, se ele sente que Deus, por sua providência, o colocou nas circunstâncias em que ele existe, e que é um dever que se deve a ele suportar todos os incidentes de teste para essa condição com um espírito submisso. Se ele faz isso, ele vai evidenciar a verdadeira natureza da religião, e será graciosamente aceito por Deus.

 

Suporte tristezas - Ou seja, suportar o que é adequado para a produção de dor, ou o que é errado.

 

Padecendo injustamente - que sofrem lesões ou onde há "injustiça" ( πάσχων ἀδίκως paschōn adikō̄sThis, embora de um modo geral, tem especial referência aos funcionários e ao seu dever na relação que mantêm para com os seus mestres Em vista do que é. dito aqui, podemos observar:

 

(1) que, se esta tem referência aos escravos, como tem sido geralmente suposto, isso prova que eles são muito susceptíveis de ser abusado; que têm pouca ou nenhuma segurança contra a ser injustiçado; e que era uma característica especial e muito desejável dos que estavam nessa condição, para ser capaz de suportar errado com um espírito apropriado. É impossível de modo a modificar a escravidão que este não deve ser o caso; para todo o sistema é uma das opressão, e não pode haver nada que deve efetivamente garantir o escravo de ser maltratados.

 

(2) Segue-se a partir desta passagem, se isso se refere à escravidão, que essa é uma condição muito difícil e indesejável da vida; por isso é uma condição muito indesejável, onde a principal virtude. que os que estão nele são obrigados a exercer, é "paciência com erros". Tal condição não pode estar de acordo com o evangelho, e não pode ser designado por Deus para ser permanente. A relação de pai e filho nunca é assim representada. Nunca é dito ou implícita nas Escrituras que a virtude principal a que as crianças são exortados é paciência com erros; nem, na sua resolução, é sempre suposto que a coisa mais importante em sua condição é, que eles precisam o exercício de tal paciência.

 

(3) que é aceitável a Deus, se tivermos errado com um espírito apropriado, a partir de qualquer quarto pode vir. Nosso negócio bom na vida é, para fazer a vontade de Deus; evidenciar o espírito certo, porém outros podem nos tratar; e para mostrar, mesmo sob errado excessiva, o poder de sustentação e da excelência da verdadeira religião. Cada um que está oprimido e injustiçado, portanto, tem uma oportunidade eminente para mostrar um espírito que vai homenagear o evangelho; e o escravo e o mártir pode fazer mais para honrar o evangelho do que se fossem ambos permitido desfrutar a liberdade ea vida sem perturbações.

 

verso 20

Para que glória é essa - Que honra ou crédito seria.

 

Se, quando vos sendo esbofeteados por falhas - Ou seja, se você é punido quando você merece. A palavra "buffet" ( κολαφίζω kolaphizō) - os meios, para golpear com o punho; e, em seguida, para atacar de qualquer forma; maltratar, Matthew 26:67Mateus 26:67 ; Mark 14:65Marcos 14:65 ; 1 Coríntios 4:111 Coríntios 4:11 ; 2 Coríntios 12: 72 Coríntios 12: 7 . Talvez possa haver uma referência aqui para a maneira pela qual foram criados comumente tratada, ou do tipo de ishment pun a que foram expostos. Eles seria susceptível de ser atingido com raiva súbita, quer pela mão, ou por qualquer coisa que era acessível. A palavra traduzida "para suas falhas," está pecando, ( ἁμαρτάνοντες hamartanontesThat é, "se ser culpado de um delito, ou ter feito de errado." A ideia é que, se eles foram justamente punidos, e deve levá-la pacientemente, não haveria haver crédito ou honra nisso.

 

Sofreis com paciência - "Se, mesmo assim, você evidenciar um espírito sem queixas, e carregá-lo com a máxima tranquilidade e paciência, ela seria considerada como relativamente nenhuma virtude, e como dando-lhe direito a nenhuma honra. O sentimento de todos os que viram isso seria que você merecia, e não haveria nada para excitar a sua simpatia ou compaixão. A paciência evidenciado poderia de fato ser tão grande como no outro caso, mas não seria a sensação de que você merecia tudo o que você recebeu, e o espírito evidenciado nesse caso não poderia ser considerada titular de qualquer elogio particular. Se seus mestres estão infligindo-lhe apenas o que você merece, seria no mais alto grau vergonhoso para você se levantar contra eles, e resistir-lhes, pois seria apenas para aumentar o mal que você já tinha feito. "A expressão aqui é, sem dúvida, deve ser entendido comparativamente. O significado não é que absolutamente não haveria mais crédito devido a um quem deve suportar o castigo pacientemente quando ele tinha feito de errado, do que se tivesse encontrado com resistência e queixa; mas que há muito pouco crédito que, em comparação com a paciência que uma pessoa inocente evidencia que, a partir conta a vontade de Deus, e pelo controle sobre todos os sentimentos naturais de ressentimento, humildemente perdura errado.

 

Isso expressa o sentimento comum de nossa natureza. Nós atribuímos nenhum crédito especial para aquele que se submete a uma punição justa, mesmo com um temperamento calmo. Nós sentimos que seria errado no mais alto grau por ele para fazer o contrário. Por isso, é quando calamidades são trazidos em um homem por causa de seus pecados. Se ele é visto como sendo o fruto da intemperança ou crime, não nos sentimos que há alguma grande virtude exibiu se ele carrega-lo com um temperamento calmo. Mas se ele está sobrecarregado com a calamidade em que parece não ter nenhuma ligação particular com os seus pecados, ou para ser um castigo para qualquer falha particular; se ele sofre na mão do homem, onde há injustiça manifesta-lo feito, e ainda evidencia um temperamento calmo, submisso, e manso, nós sentimos que, em tais casos, não há virtude eminente.

 

Esta é agradável a Deus - Margem, como em 1 Pedro 2:191 Pedro 2:19 ". Agradecimento", é o que é agradável para ele, ou com os quais ele está satisfeito.

 

verso 21

Por isto mesmo fostes chamados - Tal espírito é requerido pela própria natureza da sua vocação cristã; fostes chamados para a igreja, a fim de que você pode demonstrar isso. Veja as notas em 1 Tessalonicenses 3: 31 Tessalonicenses 3: 3 .

 

Porque também Cristo padeceu por nós - Margem ". Alguma leitura, para você" As últimas edições do Novo Testamento grego adotar a leitura A sensação, no entanto, não é essencialmente variada "para você.". O objetivo é, a realizar-se o exemplo de Cristo para aqueles que foram chamados para sofrer, e dizer-lhes que eles devem ter seus ensaios com o mesmo espírito que ele evidenciou na sua. Veja as notas em Philemon 3:10Philemon 3:10 .

 

Deixando-nos um exemplo - O apóstolo não diz que este foi o único objeto para o qual Cristo sofreu, mas que era um objeto, e um passo importante. A palavra traduzida como "exemplo" ( ὑπογραμμὸν hupogrammon) ocorre em nenhum outro lugar no Novo Testamento. Significa adequadamente "uma cópia escrita", tal como é definido para as crianças; ou um resumo ou esboço para um pintor para encher; e, em seguida, em geral, um exemplo, um padrão de imitação.

 

Para que sigais as suas pisadas - que devemos segui-lo, como se nós pisou exatamente atrás dele, e deve colocar os pés exatamente onde seu eram. O significado é que deve haver a imitação mais próximo ou semelhança. As coisas em que estamos a imitá-lo estão especificados nos seguintes versos.

 

verso 22

Ele não cometeu pecado - que foi em todos os aspectos perfeitamente santo. Há uma alusão aqui para Isaías 53: 9Isaías 53: 9 ; eo sentido é que ele era totalmente inocente, e que ele sofreu sem ter cometido qualquer crime. Neste contexto, o significado é que temos de ter cuidado para que, se eu sofrer, deve ser sem cometer qualquer crime. Devemos viver assim, como o Salvador fez, a não merecem ser punidos, e, portanto, só vamos inteiramente seguir o seu exemplo. É tanto nosso dever de viver de modo a não merecem as injúrias dos outros, como é a suportá-las com paciência quando somos chamados a sofrer los. A primeira coisa no que diz respeito ao tratamento duro dos outros, é assim para viver que não haverá ocasião apenas para ele; o próximo é, se censuras vir sobre nós quando não têm merecido-los, para suportá-los como o Salvador fez. Se ele sofreu injustamente, devemos estima que seja nenhuma coisa estranha que devemos; se ele tinha as injúrias feitas a ele com mansidão, devemos aprender que é possível para nós a fazê-lo também; e deve saber também que não tem o espírito de sua religião, a menos que realmente fazê-lo. Sobre a expressão usada aqui, compare a Isaías 53: 9Isaías 53: 9 nota; Hebreus 7:26Hebreus 7:26 nota.

 

Nem dolo algum se achou em sua boca - Não houve engano, hipocrisia, ou falsidade. Ele estava em todos os aspectos, o que professava ser, e ele imposta a ninguém por qualquer alegação falsa e infundada. Tudo isto tem referência ao momento em que o Salvador foi condenado à morte; eo sentido é que embora ele foi condenado como um impostor, ainda que a acusação era totalmente improcedente. Como em toda a sua vida antes que ele era perfeitamente sincero, então ele foi eminentemente naquela ocasião solene.

 

verso 23

Quem, quando ele foi insultado, não injuriava - Ele não usou palavras duras e opprobrious em troca para aqueles que ele recebeu:

 

(1) Ele foi injuriado. Ele foi acusado de ser um homem sedicioso; falado como enganador; acusado de ser na liga com Belzebu, o "príncipe dos demônios" e condenado como blasfemo contra Deus. Isso foi feito:

 

(A) pelo grande e influente da terra;

 

(B) da forma mais pública;

 

(C) com um projeto para alienar seus amigos dele;

 

(D) com a maioria de corte e sarcasmo grave e ironia; e,

 

(E) em referência a tudo o que mais afectam um homem de sensibilidade delicada e macia.

 

(2) ele não insultam aqueles que o haviam difamado. Ele pediu que a justiça pode ser feito. Ele exigiu que se ele tivesse falado mal, eles devem dar testemunho do mal; mas além disso ele não ir. Ele usou nenhuma linguagem dura. Ele não mostrou nenhuma raiva. Ele chamou para nenhuma vingança. Ele orou para que eles possam Robe perdoado. Ele calmamente se levantou e deu tudo, para que ele veio a suportar todos os tipos de sofrimento, a fim de que ele poderia definir-nos um exemplo, e fará expiação pelos nossos pecados.

 

Quando ele sofreu, ele não ameaçou - isto é, quando ele sofreu a injustiça dos outros, em seu julgamento e em sua morte, ele não ameaçava punição. Ele não despertar a ira dos céus. Ele nem sequer prever que eles seriam punidos; ele expressou nenhum desejo que eles deveriam ser.

 

Mas entregava-se àquele que julga justamente - Margem, a sua causa. A sensação é a mesma coisa. O significado é que ele cometeu sua causa, seu nome, seus interesses, todo o caso, para Deus. O significado da frase "que julga justamente" aqui é, que Deus lhe faria justiça exata. Embora injustiçado por pessoas, sentiu-se a certeza de que ele iria fazer o certo. Ele iria resgatar o seu nome a partir destas censuras; ele lhe daria a honra no mundo que ele merecia; e ele traria sobre aqueles que a ele tudo o que era necessário, a fim de mostrar a sua desaprovação do que haviam feito tinha injustiçado, e tudo o que seria necessário para dar o maior apoio para a causa da virtude. Compare Lucas 23:46Lucas 23:46 . Este é o exemplo que está diante de nós, quando somos injustiçados. Toda a exemplo abrange os seguintes pontos:

 

(1) Devemos fazer com que nós mesmos somos inocentes na matéria para a qual estamos difamado ou acusada. Antes de nós imaginam que estamos a sofrer como fez Cristo, devemos ter certeza de que nossas vidas são tais que não merece censura. Não podemos, de fato espero ser tão puro em todas as coisas como ele era; mas podemos viver de modo que, se estamos difamado e injuriado podemos estar certos de que não é por qualquer mal que tenhamos feito para os outros, ou que não merece isso de nossos semelhantes.

 

(2) Quando estamos difamado e injuriado, devemos sentir que fomos chamados para isso, a nossa profissão; que era uma das coisas que foram ensinadas que esperar quando se tornaram cristãos; que é o que os profetas e apóstolos suportou, e que o próprio Mestre sofreu em um grau eminente; e que, se nos encontrarmos com o desprezo do grande, o frivilous, os ricos, os poderosos, não é mais do que o Salvador fez, e não mais do que nós fomos ensinados a esperar será a nossa parte. Pode ser bom, também, para lembrar nossa indignidade; e refletir que, embora nós não fizemos nada errado para o indivíduo que nos insulta ainda que somos pecadores, e que tais acusações não pode ser um admoestador inútil de nosso ser culpado diante de Deus. Assim Davi sentiu quando reprovou por Simei: "Então ele amaldiçoar, porque o Senhor disse-lhe: Curse David. Quem dirá: Por que fizeste assim? " 2 Samuel 16:102 Samuel 16:10 .

 

(3), quando isso ocorre, devemos calma e confiança comprometer a nossa causa a Deus. O nosso nome, nosso caráter, nossa influência, a nossa reputação, tendo vivido e depois de mortos, devemos deixar inteiramente com ele. Nós não devemos procurar nem desejo de vingança. Não devemos despertar a ira de Deus sobre os nossos perseguidores e caluniadores. Devemos sentir calmamente que Deus nos dará a medida da reputação que devemos ter no mundo, e que ele vai sofrer nenhuma injustiça final a ser feito nós. "Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele deve fazê-la; e ele fará sobressair a tua justiça como a luz, eo teu direito como o meio-dia ", Salmo 37: 5-6Salmo 37: 5-6 . A Vulgata Latina tem aqui: "Mas ele entregava-se àquele que o julgado injustamente", judicanti se injuste; isto é, a Pôncio Pilatos, o que significa que ele deixou-se em suas mãos, embora soubesse que a sentença foi injusta. Mas não há nenhuma autoridade para isso no grego, e este é um dos casos em que essa versão afasta o original.

 

verso 24

- Levando ele mesmo ver as notas no Hebreus 1: 3: Hebreus 1 3 ". Havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados", na frase O significado é que ele fez isso em sua própria pessoa adequada; ele não fez expiação, oferecendo uma vítima sangrenta, mas era ele mesmo o sacrifício.

 

Os nossos pecados - Há uma alusão aqui, sem dúvida, a Isaías 53: 4Isaías 53: 4 , Isaías 53:12Isaías 53:12 . Veja o significado da frase "de suportar pecados" totalmente considerados nas notas nesses lugares. Como isso não pode significar que Cristo, de modo tomou sobre si os pecados do povo como se tornar-se um pecador, isso deve significar que ele colocou-se no lugar dos pecadores, e deu à luz o que esses pecados mereciam; isto é, que ele sofreu em sua própria pessoa que, se tivesse sido infligida ao próprio pecador, teria sido uma expressão adequada do desagrado divino contra o pecado, ou teria sido uma punição adequada para o pecado. Veja as notas em 2 Coríntios 5:212 Coríntios 5:21 . Ele foi tratado como se tivesse sido um pecador, a fim de que possam ser tratados como se não tivesse pecado; isto é, como se fôssemos justos. Não há outra maneira em que podemos conceber que um carrega os pecados do outro. Elas não podem ser literalmente transferido para outro; e tudo o que pode ser significado é, que ele deve assumir as consequências em si mesmo, e sofrem como se tivesse cometido ele próprio as transgressões.

 

(Ver também as notas suplementares em 2 Coríntios 5:212 Coríntios 5:21 ; Gálatas 3:13Gálatas 3:13 , em que o sujeito de imputação é discutido em geral)

 

Em seu próprio corpo - Isto é uma alusão sem dúvida, para seus sofrimentos. Os sofrimentos que ele sofreu na cruz foram, como se ele tivesse sido culpado; isto é, ele foi tratado como ele teria sido se ele tivesse sido um pecador. Ele foi tratado como um criminoso; crucificado como os mais culpados eram; suportou o mesmo tipo de dor física que os culpados do que são punidos por seus próprios pecados; e passou por sofrimentos mentais fortemente que se assemelham - tanto assim como o caso admitia - o que a experiência de culpa a si mesmos quando eles são deixados à angústia angustiante da mente, e são abandonados por Deus. Os sofrimentos do Salvador foram em todos os aspectos feitas de tão perto como os sofrimentos dos mais culpados, como as aflições de um ser perfeitamente inocente poderia ser.

 

Na árvore - margem, "para a árvore" grega, ἐπὶ τὸ ξύλον epi para xulonThe significado é, sim, como no texto, que, enquanto se na cruz, ele suportou as dores que nossos pecados mereciam. Isso não significa que ele transmitiu nossas dores lá, mas que, enquanto não sofreu sob o fardo intolerável, e foi por essa carga esmagado em morte. A frase "na árvore," literalmente "na madeira", significa a cruz. A mesma palavra grega é usada em Atos 5:30Atos 5:30 ; Atos 10:39Atos 10:39 ; Atos 13:29Atos 13:29 ; Gálatas 3:13Gálatas 3:13 ". Árvore", conforme aplicável à cruz, em todos os que o coloca é processado

 

Que nós, mortos para os pecados - Em virtude de sua tendo assim sido suspensa em uma cruz; isto é, o seu ser condenado à morte como um sacrifício expiatório foi o meio pelo qual nos tornamos mortos para o pecado, e viver para Deus. A frase "mortos para os pecados" é, no original, ταῖς ἁμαρτίαις ἀπογενόμενοι Tais hamartiais apogenomenoi- literalmente, "estar ausente dos pecados." A palavra grega foi provavelmente usada (por um eufemismo) para denotar a morrer, isto é, estar ausente do mundo. Esta é uma palavra mais suave e menos repulsivo do que dizer para morrer. Não é em outros lugares usada no Novo Testamento. O significado é que estamos sendo efetivamente separados do pecado - isto é, ser de modo a que já não nos influencia - devem viver para Deus. Estamos a ser, no que diz respeito ao pecado, como se estivesse morto; e é não ter mais influência sobre nós do que se estivéssemos em nossas sepulturas. Veja as notas em Romanos 6: 2-7Romanos 6: 2-7 . Os meios pelos quais isso é provocada é a morte de Cristo (Veja as notas em Romanos 6: 8Romanos 6: 8 ) para que ele morreu, literalmente, na cruz por causa dos nossos pecados, o efeito tem sido o de levar-nos a ver o mal da transgressão e de levar uma vida nova, e santas.

 

Vivamos para a justiça - Apesar de mortos em relação ao pecado, mas temos vida real em outro aspecto. Nós somos feitos vivos para Deus, para a justiça, a verdadeira santidade. Veja os Romanos 6:11Romanos 6:11 nota; Gálatas 2:20Gálatas 2:20 nota.

 

E pelas suas feridas - Isto é tomado de Isaías 53: 5Isaías 53: 5 . Vê-lo explicado nas notas sobre esse versículo. A palavra traduzida "listras" ( μώλωπι mōlōpi) significa, propriamente, a marca lívida e inchado de um golpe; a marca designada por nós quando usamos a expressão "preto e azul." Não é propriamente uma ferida sangrenta, mas que fez por beliscar, bater, flagelação. A ideia parece ser que o Salvador foi açoitado ou chicoteado; e que o efeito sobre nós é o mesmo na produção de cura espiritual, ou de nos recuperar de nossos defeitos, como se tivéssemos sido nós mesmos flagelado. Pela fé nós vemos as contusões infligida a ele, as manchas pretas e azuis feitas por bater; lembramo-nos de que eles eram por causa dos nossos pecados, e não para o seu; eo efeito em nós recuperando é o mesmo que se tivessem sido infligido em nós.

 

Fostes sarados - Sin é frequentemente mencionada como uma doença, e redenção dele como uma restauração de uma doença mortal. Veja este explicadas nas notas em Isaías 53: 5Isaías 53: 5 .

 

verso 25

Porque éreis como ovelhas desgarradas - Aqui também é uma alusão a Isaías 53: 6Isaías 53: 6 , "Todos nós, como ovelhas, nos desviamos." Ver as notas em que o verso. A figura é simples. Éramos como um rebanho sem pastor. Nós tinha andado longe do verdadeiro rebanho, e estavam seguindo nossos próprios caminhos. Estávamos sem um protetor, e foram expostos a todo tipo de perigo. Este apropriadamente e forçosamente exprime a condição de toda a raça diante de Deus recupera de pessoas até o plano de salvação. Um bando errante, portanto, sem pastor, condutor ou guia, está em uma condição mais digna de pena; e por isso foi o homem em suas andanças antes que ele foi procurado e trouxe de volta para o verdadeiro rebanho pelo Grande Pastor.

 

Mas agora tendes voltado ao Pastor e Bispo das vossas almas - A Cristo, que assim veio buscar e salvar os que estavam perdidos. Ele é muitas vezes chamado de Pastor. Veja as notas em 2 Timóteo 1:122 Timóteo 1:12 .

 

(3) como, portanto, ele mostrou seu respeito por nós na busca de nós quando estávamos vagando e perdeu; como ele veio do tipo e missão benevolente para encontrar-nos e nos trazer de volta para si mesmo, vamos mostrar nossa gratidão a ele por resolver a vagar não mais. Como nós consideramos nossa própria segurança e felicidade, empenhemo-nos a ele como nosso grande Pastor, a seguir onde ele nos leva, e de estar sempre sob sua inspeção pastoral. Tivemos todos desviaram. Tínhamos ido onde não havia felicidade e nenhum protetor. Nós não tinha ninguém para fornecer para nós, para cuidar de nós, ter pena de nós. Fomos expostos a ruína certa. Nesse estado, ele teve pena de nós, nos procurou, nos trouxe de volta. Se tivéssemos permanecido onde estávamos, ou tinham ido mais longe nas nossas andanças, devíamos ter ido, certamente, para destruição. Ele nos procurou; ser levou-nos de volta; ele nos levou sob sua própria proteção e orientação; e seremos salvos, contanto que siga onde ele leva, e não mais. Para ele, em seguida, um pastor que nunca abandona o seu rebanho, deixe-nos em todos os momentos nos comprometemos, seguindo onde lidera, sentindo que sob ele nossos grandes interesses estão seguras.

 

(4) podemos aprender com este capítulo, na verdade, como podemos de qualquer outra parte do Novo Testamento, que, ao fazer isso, podem ser chamados a sofrer. Podemos ser difamado e injuriado como o grande pastor próprio era. Podemos nos tornar os objetos de escárnio público por conta de nosso apego dedicada a ele. Podemos sofrer no nome, no sentimento, na propriedade, em nosso negócio, por nosso apego honesto com os princípios do seu evangelho. Muitos dos que são seus seguidores pode ser em circunstâncias de pobreza ou de opressão. Eles podem ser mantidos em cativeiro; eles podem ser privados de seus direitos; eles podem sentir que sua sorte na vida é um difícil, e que o mundo parece ter conspirado contra eles para fazê-las errado; mas deixe-nos em todas estas circunstâncias olhar para Ele ", que a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz", Philemon 2: 7-8Filemon 2: 7-8 ; e deixe-nos lembrar que é "suficiente para o discípulo ser como seu mestre, e ao servo como seu senhor," Matthew 10:25Mateus 10:25 . Tendo em vista o exemplo do nosso Mestre, e de todas as promessas de apoio na Bíblia, vamos suportar com paciência todas as provações da vida, quer resultantes de pobreza, uma condição humilde, ou a censura de um mundo perverso. Nossos ensaios em breve será encerrado; e em breve, sob a direção do "Pastor e Bispo das almas", que deve ser levado a um mundo onde provações e sofrimentos são desconhecidos.

 

(5) em nossos ensaios aqui, que seja o nosso principal objeto de modo de viver que os nossos sofrimentos não será por causa dos nossos próprios defeitos. Veja 1 Pedro 2: 19-221 Pedro 2: 19-22 . Nosso Salvador assim que viveu. Ele foi perseguido, insultado, escarnecido, condenado a morrer. Mas foi sem culpa sua. Em todos os seus variados e prolongados sofrimentos, ele tinha a consciência sempre em permanente que ele era inocente; ele tinha a firme convicção de que seria ainda ser visto e confessada por todo o mundo que ele era "santo, inocente, imaculado," 1 Pedro 2:231 Pedro 2:23 . Sua não eram os sofrimentos produzidos por uma consciência culpada, ou pela lembrança que tinha defraudado alguém. Então, se temos de sofrer, deixe os nossos ensaios vir sobre nós. Seja o nosso primeiro objectivo de ter uma consciência livre de ofensa, para o mal a ninguém, a não dar ocasião de injúrias e insultos, a fazer o nosso dever com fidelidade a Deus e às pessoas. Então, se provações, vamos sentir que sofremos como nosso Mestre fez; e então nós pode, como ele fez, comprometer a nossa causa "àquele que julga com justiça", assegurou que, no devido tempo ", ele vai trazer luz a nossa justiça como a luz, e nosso juízo como o meio-dia", Salmo 37: 6Salmo 37: 6 .

 Notas Albert Barnes 'sobre a Bíblia inteira

fonte www.avivamentonosul21.comunidades.net