Translate this Page

Rating: 3.0/5 (931 votos)



ONLINE
4




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


seitas e heresias caminhos que perecem direito
seitas e heresias caminhos que perecem direito

Seitas, Caminhos que Parecem Direitos

 

Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte.” Pv 14.12 

Deus nos deu sua Palavra como uma bússola para mostrar o caminho direito. Ignorá-la nos levará a caminhos de morte.

 Na vida ninguém se perde intencionalmente, pois todos procuram chegar ao seu destino, porém as influências e circuns­tâncias desviam alguns do rumo certo. O mesmo se pode dizer em relação à vida espiritual, muitos têm perdido o rumo indo após as seitas.

 Nosso objetivo nesta lição é traçar um quadro de cuidados que devemos ter em relação à nossa fé. Para isto estaremos extraindo algumas lições do nosso dia a dia, destacando a necessidade de se estudar o pensamento das seitas , como identificá-las e corno lidar com elas.

 AS INFLUENCIAS DEVASTADORAS DAS SEITAS

 Jesus, em Mateus 13, falou-nos acerca do joio no meio do trigo (Mt 13,25), ensinando-nos acerca da influência que o joio exerce no reino de Deus (Mt 13.29), porém seu fim será no fogo eterno (Mt 13.30). O joio tornou-se nessa grande con­fusão de seitas que usam a Bíblia para desviar o povo da verdade e o crente desavisado para essa in­fluência maligna (2 Jo 7,10). Satanás, o semeador de joio no meio da lavoura de Deus, a Igreja, (Mt 13.39), tem arregimentado todas as suas forças no sentido de solapar a fé dos salvos e de se aproveitar da credulidade dos simples. No seu desejo de enganar o homem, ele tem estimulado o surgimento de falsos mestres e de seitas falsas, como meio de conservar o seu domínio sobre os homens e de restringir o crescimento do reino de Deus. 

1 Através dos falsos mestres — No desejo de enganar o homem, Satanás tem estimulado o sur­gimento de falsos mestres, o que já havia sido predito pelos após­tolos (At 20.29,30; 2 Pe 2.1). Isto ele faz para restringir o cres­cimento do reino de Deus, ensi­nando doutrinas erradas para con­fundir os incautos (II Co 11.13). Somente empunhando a armadura de Deus, conseguiremos vencê-los (Ef 6.14-17). 

Pedro fez advertência aos crentes, para os quais escreveu, afim de que não se deixassem enganar pelos erros dos falsos mestres que, introduzindo heresias no seio da Igreja, procuram desviar da fé aqueles que não procuram conhecer profundamente a sã doutrina bíblica. O apóstolo fez alusão aos falsos profetas que no passado surgiram no meio do povo de Deus, muitas vezes desviando-o do ca­minho seguro e levando-o à per­dição, ao erro, ao pecado.

 2 Através das falsas dou­trinas - As seitas se distinguem pelas falsas doutrinas, que tão ardorosamente ensinam (Cl 2.8). As falsas doutrinas vão contra as verdades bíblicas (Jd 4) e escarnecem da Palavra de Deus (Jd 17,18), pois são oriundas de supostas revelações das mentes de seus fundadores ou líderes, mas nós temos a mente de Cristo para rejeitá-las (I Co 2.15,16).

 A igreja primitiva, desde os seus primórdios, começou a ser amea­çada em sua fé por meio das here­sias e ensinamentospseudofilosóficos. Tais heresias e “filosofias” fo­ram prontamente rechaçadas pelos apóstolos que haviam conhecido pessoalmente o Verbo de Deus Encarnado e dele ouviram os ensinamentos que servem de base a nossa fé.

 3 Através do erro - Por atuarem de forma diabólica, as seitas se uti­lizam do erro para convencer as pes­soas (Ef 4.14). O erro leva os homens a se desviarem da verdade de Deus (Jo 8.32). Desde o Antigo Testamento, o Senhor já era contra os falsos profetas que induziam o povo ao erro (Jr 23.32). Erramos quando desco­nhecemos as Escrituras e o poder de Deus (Mt 22.29).

 A NECESSIDADE DE EXAMINAR AS SEITAS

 As seitas distorcem as verdades acerca de Deus e de sua Palavra, resultando em um outro evangelho (G1 1,7,8). Portanto é necessário conhecê-las e estudá-las, principalmente neste fim de século quando estão surgindo tantas heresias (2 Pe 2.1) e falsos profetas para confundir o povo de Deus (Mt 7.15). As seitas se caracterizam por apre­sentarem novas “revelações”, novas interpretações da Bíblia, um outro Je­sus, rejeição do Cristianismo orto­doxo, liderança muito forte, mu­danças constantes em sua teologia, falsas profecias e salvação pelas obras.

 1 Para saber identificá-las - O ter­mo seitas é oriundo do grego “Hairesis”, cujo significado é: “facção, partido, escolha, seleção, preferência, etc.”. Do ponto de vista cristão, significa o indivíduo ou grupo afastar-se da Palavra de Deus, adotar e divulgar suas próprias ideias ou de outrem em matéria de religião. Em resumo, é a perversão do Evangelho (Rm 16.17; I Co 11.19). Infelizmente, as seitas surgem dentro da própria igreja, por um desvio doutrinário (II Pe 2.1).

 2 Para se precaver das falsas doutrinas - A palavra no original para “outra doutrina” é “Heterodidaskalei”, que significa ensinar uma doutrina completamente diferente, ou seja, ensinar uma doutrina falsa ou herética (I Co 11.19). O apóstolo Paulo nos ensina em sua carta a Timóteo que: “Se alguém ensina alguma outra doutrina, e não se conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade, é soberbo, e nada sabe...” (I Tm 6.3-4). O apóstolo Paulo, já nos primórdios do cristianismo, teve de lutar contra esses perturbadores, designados por ele como “bestas” “cães”, “falsos apóstolos” e “falsos obreiros”, que demonstram cabalmente o seu caráter (I Co 15.32; II Co 11.13; Fp 3.2). Essas “outras doutrinas" são oriundas de um conjunto de erros introduzidos por: “Pseudodidaskaloi” (falsos mestres) e “Pseudoprofetai” (falsos profetas); isto é, falsos doutrinadores da Bíblia, (I Tm 1.20; 4.1-4; II Tm 2.14-18; Tt 1.9-15).

 3 Para defesa própria - Várias seitas treinam seus membros para irem de casa em casa procurando ga­nhar adeptos para sua fé.Alguns se especializa em trabalhar entre os evangélicos, especialmente entre os novos convertidos que são mais fáceis de confundir (I Pe 2.2). Oferecem-se para ajudá-los a melhor compreender a Bíblia e lhes ensinam o erro. O crente deve colocar-se a par daquilo que as várias seitas ensinam e conhecer a refutação bíblica do erro (II Tm 2.15).

 A tragédia dos que têm deixado o caminho verdadeiro para seguir doutrinas errôneas serve de advertência contra as tendências que os desviaram da verdade. Essas tendências podem surgir em qualquer igreja evangélica e ocasio­nar muitos estragos. Portanto é de capital importância que todos os membros da igreja saibam defender as doutrinas fundamentais da fé cristã diante das aberrações heréticas hodiernas (I Tm 4.13).

 IDENTIFICANDO OS MALES DAS SEITAS

 Não é muito difícil para o cristão sincero identificar uma seita. Existem alguns aspectos básicos que observados mostrarão a moderna estratégia do diabo, que é a conquista das mentes (II Co 4.4). A batalha existente no momento em todo o mundo é uma batalha mental, onde as falsas ideologias, as fal­sas filosofias e as falsas crenças sub­estimam a Palavra de Deus (I Tm 4.1,2; II Pe 3.17,18).

 As seitas ensinam heresias antibíblicas, que se desarmonizam com os ensinamentos do cristianismo. Algumas vezes são fundamentadas em um versículo ou uma expressão isolada da Bíblia, quando basta um pequeno conhecimento dos prin­cípios auxiliares da hermenêutica para refutá-las.

 1 Conhecendo os argumentos bíblicos - No trato com as doutrinas da Bíblia, podemos dividir os argumentos da seguinte maneira:argumento bíblico, argumento extra bíblico e argu­mento anti-bíblico. O argumento bíblico é aquele extraído da Bíblia em uma interpretação correta e lógica. Foi o argumento usado por Jesus, em uma sinagoga de Nazaré, acerca de sua missão (Lc 4.16-22). O argumento extra bíblico é aquele que não tem base na Bíblia, entretanto não se choca com os seus ensinamentos. O argumento anti-bíblico é aquele que fere, torce, subtrai, acrescenta ou se choca com as verdades encontradas na Palavra de Deus (II Pe 2.1-3).

 2 Conhecendo a contradição dos fatos - As seitas usam histó­rias e doutrinas baseadas em fatos que não fornecem sustentação bíblica (Tt 1.14). Usam partes isoladas das Escrituras, totalmente fora de seus contextos, para defenderem doutrinas comple­tamenteanti-bíblicas (I Tm 4.1). A maioria das seitas não resistem a um confronto lógico com a Bíblia (II Pe 1.20) e seus adeptos estão completa­mente cegos espiritualmente (II Pe 1.9). São carentes de salvação e amor, como disse Jesus (Jo 5.42).

 O fato de conhecermos o erro em que se encontram as almas nos ajuda a apresentar-lhes a verdade de que necessitam. Entre elas se encontram muitas pessoas sinceras que desejam conhecer a verdade. Entre os novos convertidos de nossas igrejas há aqueles que estiveram envolvidos em falsas doutrinas. Estas lições devem ajudar-nos a tratar mais inteligentemente com eles e dar-lhes a ajuda de que necessitam (At 8.31; 9.10,11).

 3 Conhecendo as fontes dou­trinárias - Nas seitas, Jesus não é o centro das atenções. Elas subestimam o valor do nome de Jesus (Fp 2.9). Esta é uma das principais características de uma seita. Usam de falsa interpretação, desprezando os princípios auxiliares da hermenêutica (II Pe 1.20) e creem apenas em algumas partes da Bíblia, pois dizem que já foram reveladas (G11.8).

 Como disse Paulo, a Bíblia é a “espada do Espírito”, de posse da qual crente pode desferir golpes cer­teiros na raiz do erro, e desmascarar os falsos mestres. Não importa com quantos disfarces se cubra o erro, e sob quantas capas se ponham os apóstolos da mentira, eles virão à luz e serão desmascarados diante daqueles que andam sob a luz da revelação divina, a Bíblia Sagrada.

 

ESTRATÉGIAS PARA REFUTAR AS SEITAS 

Reconheça que os argumentos humanos são incapazes de mover o coração ao arrependimento, pois somente o Espírito de Deus pode fazê-lo. Ore pelas pessoas que deseja levar a Cristo, pedindo que Deus abra seu coração para a verdade. Toda pessoa sem Cristo está completamente perdida, e, por incrível que pareça, a maioria dos brasileiros está perdida nas seitas e nas religiões. Entretanto, existem muitos sedentos como o eunuco etíope, que disse a Filipe: “Como poderei entender se alguém não me ensinar?” (At 8.30,31). 

As vezes afirmamos que não nos interessa estudar heresias, mas apenas a Palavra de Deus. Sem querer criticar os que pensam assim, dentre muitos outros motivos, julgamos os seguintes, como sendo suficientes para nos levarem a estudar as seitas: Adquirimos capacidade para combatê-las; nos preparamos para a obra de evangelização; aumentamos a nossa fé; e aumentamos nossa responsabilidade (Ef 6.14,17).

 1 Evite discussões acaloradas - Demonstre cortesia e o amor de Cristo, falando com mansidão (II Tm 2.25). Nunca critique a religião da pessoa que você está evangelizando ou os seus fundadores. Quando a atacamos, ela sente-se na obrigação de defender sua religião. O mais provável será ficar ofendida, não devendo aceitar nada de quem a insultou. Mostre amor e conhecimento bíblico (Jo 3.16; 13.34).

 2 Apresente a verdade positiva do evangelho - Descubra um meio positivo para iniciar o diálogo, assim a pessoa estará mais disposta a recebê-lo. Um pregador que começa sua mensagem condenando seus ouvintes ao inferno, não vai conseguir muitos deles. Daí a necessidade de se conhecer um pouco do pensamento herético de determinadas seitas (I Ts 5.21). Testifique de Cristo e do que ele tem feito por você (Mc 5.19).

 Fundamentado em sua experiência, o cristão deve falar do Evangelho que é a palavra da reconciliação (II Co 5.19), pela qual Deus elimina o obstáculo que mantém o homem longe de si, sob o julgamento e temor. O Evangelho é a revelação da justiça de Deus, que salva o homem (Rm 1.16), fazendo-o morrer com Cristo, dando-lhe graça (At 20.24), paz (Ef 6.15), salvação (Ef 1.13; I Co 15.1) e perdão. O Evangelho faz do homem uma nova criatura, restabelece suas relações com Deus e lhe permite encarar o futuro sem temor. 

Aproveite os pontos concordantes - Ao evangelizar um membro de uma seita, use os pontos concordantes, em vez de ir diretamente às diferenças. Por exemplo: pode se dar graças a Deus porque ele tem fé nestes tempos de tanta incredulidade. Procure que venha a Cristo, arrependido de seus pecados, e ponha sua fé nele (At 2.38). Cristo lhe iluminará a mente para conhecer a verdade (II Tm 2.25,26; Jo 8.32).

 As seitas ensinam ao homem desenvolver sua própria salvação, fale disto com eles mostrando-lhes Atos 4.12. Diga-lhes que a salvação é algo da graça de Deus, leia Efésios 2.8. As seitas são proselitistas, pois gostam de pescar no aquário dos outros. Aproveite para também fazer o mesmo, vá até eles e convide-os a visitar sua igreja e conhecer as doutrinas da graça e da salvação em Jesus.

 CONCLUINDO

 

Quantas vezes um sinal na estrada nos tem salvo a vida. Advertidos a tempo, diminuímos a velocidade e atravessamos confiante um trecho perigoso. Essa sinalização, na vida espiritual, tem a responsabilidade de marcar bem o caminho da vida. Portanto, cabe à igreja ensinar sobre as seitas para evitar que os crentes se afastem da sã doutrina e sofram algum tipo de desastre.

 FONTE ARTIGO  Pr. José Elias Croce,São Paulo