Translate this Page

Rating: 3.0/5 (946 votos)



ONLINE
3




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter

mmmmmmmmmmm


// ]]>


o nascimento de João Batista MC CAP 1
o nascimento de João Batista MC CAP 1

                                                                 Lucas 1: 1-4

                                          introdução geral

O Evangelho de Lucas, que começamos agora, contém muitas coisas preciosas que não são registados nos outros três Evangelhos. Tal é, por exemplo, são as histórias de Zacarias e Elizabeth, o anúncio do anjo à Virgem Maria - e, para falar em geral, todo o conteúdo dos dois primeiros capítulos. Tal é, mais uma vez, são as narrativas da conversão de Zaqueu e do ladrão arrependido - a caminhada para Emaús, e as famosas parábolas do fariseu e cobrador de impostos, o homem rico e Lázaro, e do Filho Pródigo. Estes são porções da Escritura para que cada cristão bem instruído sente particularmente grato. E para esses que estão em dívida com o Evangelho de Lucas.

A curto prefácio que temos agora ler é uma característica peculiar do Evangelho de Lucas. Mas veremos, em exame, que é cheio de instrução mais útil.

Em primeiro lugar, Lucas nos dá uma pequena, mas valiosa, esboço da natureza de um Evangelho. Ele chama isso de "uma declaração daquelas coisas que são mais certamente acreditavam entre nós." É uma narrativa de fatos sobre Jesus Cristo.

O cristianismo é uma religião construída sobre fatos. Nunca percamos de vista este. Ele veio antes que a humanidade em primeiro lugar nesta forma. Os primeiros pregadores não ir para cima e para baixo o mundo, proclamando um sistema elaborado, artificial de doutrinas abstrusas e princípios profundos.Eles fizeram o seu primeiro negócio para dizer aos homens grandes fatos simples. Eles foram dizendo sobre um mundo-sin laden, que o Filho de Deus veio para a terra, e viveu por nós, e morreu por nós e ressuscitou novamente. O Evangelho, na sua primeira publicação, era muito mais simples do que muitos fazê-lo agora. Ele não era nem mais nem menos do que a história de Cristo.

Vamos visar a maior simplicidade em nossa própria religião pessoal. Deixe Cristo e Sua Pessoa ser o sol de nosso sistema, e deixar que o principal desejo de nossas almas ser a viver a vida de fé nEle, e diariamente conhecê-Lo melhor. Este foi o cristianismo de Paulo. "Para mim o viver é Cristo". (Philipp. 1:21).

Em segundo lugar, Lucas chama uma bela imagem da verdadeira posição dos apóstolos na igreja primitiva. Ele os chama, "testemunhas oculares e ministros da palavra."

Há uma humildade instrutivo nessa expressão. Há uma ausência absoluta de que tom-exaltando o homem que tem tantas vezes penetrou na Igreja. Lucas dá os apóstolos não há lisonjas. Ele não dá a menor desculpa para aqueles que falam deles com veneração idólatra, por causa de seu escritório e proximidade de nosso Senhor.

Ele os descreve como "testemunhas oculares". Disseram os homens que tinham visto com seus próprios olhos, e ouviu com seus próprios ouvidos. (1 João 1: 1.) Ele os descreve como "ministros da palavra." Eles eram servos da palavra do Evangelho. Eram homens que contavam que seu maior privilégio de transportar cerca de, como mensageiros, as boas novas do amor de Deus a um mundo pecaminoso, e para contar a história da cruz.

Bem teria sido para a Igreja e para o mundo, se os ministros cristãos nunca reivindicou maior dignidade e honra do que os apóstolos reivindicaram para si. É um fato triste, que homens ordenados têm constantemente exaltado si e seu escritório para uma posição mais antibíblico. É um fato não menos triste, que as pessoas têm constantemente agravaram o mal, por um preguiçoso aceitação das exigências do sacerdote-ofício, e por se contentarem com uma mera religião vicária. Houve defeitos em ambos os lados. Lembremo-nos disso, e estar em guarda.

Em terceiro lugar, Lucas descreve suas próprias qualificações para o trabalho de escrever um Evangelho. Ele diz que ele "tinha perfeito entendimento de todas as coisas desde o início."

Seria mera perda de tempo para saber de que fonte Lucas obteve a informação que ele nos deu em seu Evangelho. Nós não temos nenhuma boa razão para supor que ele viu nossos milagres Senhor, ou ouvi-Lo ensinar. Dizer que ele obteve seu informações da Virgem Maria, ou a qualquer dos apóstolos, é mera conjectura e especulação. O suficiente para nós saber que Lucas escreveu por inspiração de Deus. Inquestionavelmente ele não negligenciar os meios ordinários de obter conhecimento. Mas o Espírito Santo o guiou, nada menos do que todos os outros escritores da Bíblia, em sua escolha do assunto. O Espírito Santo lhe forneceu pensamentos, arranjo, frases e até palavras. E o resultado é que o que Lucas escreveu não é para ser lido como a "palavra do homem", mas a "palavra de Deus".(1 Ts. 2:13).

Vamos com cuidado firme a grande doutrina da inspiração plenária de cada palavra da Bíblia. Vamos nunca permitir que qualquer escritor do Antigo ou do Novo Testamento poderia fazer mesmo o menor erro verbal ou erro, quando, escrevendo como ele foi "movido pelo Espírito Santo." (2 Pedro 1:21.) Que seja um princípio assente com a gente na leitura da Bíblia, que, quando não podemos compreender uma passagem, ou reconciliá-lo com alguma outra passagem, a culpa não está no Livro, mas em nós mesmos. A adoção deste princípio irá colocar nossos pés sobre uma rocha. Para desistir dele é ficar em cima de uma areia movediça, e para encher nossas mentes com incertezas e dúvidas intermináveis.

Finalmente, Lucas nos informa de um objeto principal ele tinha em vista, por escrito, o seu Evangelho. Ele foi que Theophilus "pode ​​conhecer a verdade das coisas em que ele havia sido instruído."

Não há incentivo aqui para aqueles que colocam a confiança em tradições não escritas, ea voz da igreja. Luke conhecia bem a fraqueza da memória do homem, ea prontidão com que uma história altera a sua forma, tanto pelas adições e alterações, quando se depende apenas de boca em boca e relatório. Portanto, o que ele faz? Ele cuida para "escrever".

Não há incentivo aqui para aqueles que se opõem à disseminação do conhecimento religioso, e falar da ignorância, como a "mãe da devoção." Lucas não deseja seu amigo a permanecer em dúvida sobre qualquer assunto de sua fé. Ele diz que ele quer que ele "sabe a verdade das coisas em que ele havia sido instruído."

Vamos fechar a passagem de gratidão pela Bíblia. Vamos bendizer a Deus diariamente que não somos deixados dependente tradições do homem, e não precisa ser desviados por erros dos ministros. Nós temos um volume escrito, que é "capaz de nos fazer sábios para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus." (2 Tim. 3:15).

Vamos começar Evangelho de Lucas com um sincero desejo de saber mais de nós mesmos da verdade como é em Jesus, e com uma determinação farto de fazer o que está em nós para difundir o conhecimento dessa verdade em todo o mundo.

 

Lucas 1: 5-12

O NASCIMENTO DE JOÃO BATISTA PREDITA

O primeiro evento registrado no Evangelho de Lucas, é a súbita aparição de um anjo para um sacerdote judeu, chamado Zacarias. O anjo anuncia a ele que um filho está prestes a nascer com ele, por uma interposição milagrosa, e que esse filho é ser o precursor do Messias prometido há muito tempo. A palavra de Deus tinha claramente predisse que quando o Messias veio, alguém iria passar adiante dele para preparar o seu caminho. (Malaquias 3: 1.) A sabedoria de Deus desde que, quando este precursor apareceu, ele teria nascido na família de um padre.

Nós podemos formar idéia muito pequena, neste período do mundo, da imensa importância do anúncio desse anjo. Para a mente de um judeu piedoso, ele deve ter sido boas novas de grande alegria. Foi a primeira comunicação entre Deus e Israel desde os dias de Malaquias. Ele quebrou o longo silêncio de 400 anos. Ele disse o israelita acreditando que as semanas proféticas de Daniel foram longamente cumprida, (Dan 9:25,.) - Que choicest promessa de Deus era longamente vai ser realizado - e que "a semente" estava prestes a aparecer em quem todas as nações da Terra seriam abençoadas. (Gênesis 22:18). Devemos colocar-nos na imaginação na posição de Zacarias, a fim de dar os versos diante de nós o seu devido peso.

Vamos marcar, por um lado, nesta passagem, o alto testemunho que é levado para a personagem de Zacarias e Elizabeth. É-nos dito que eles eram "ambos justos diante de Deus", e que "andou em todos os mandamentos e preceitos do Senhor inocente. "

Pouco importa se nós interpretamos esta "justiça" como aquilo que é imputada a todos os crentes para a sua justificação, ou aquilo que é operado internamente nos crentes pela operação do Espírito Santo, para sua santificação. Os dois tipos de justiça nunca são dissociadas. Não há nenhum justifica que não são santificados, e não há nenhum santificados que não são justificadas. Basta para nós saber que Zacarias e Elizabeth teve graça quando a graça era muito raro, e manteve todas as observâncias onerosos da lei cerimonial com consciência devoto, quando alguns israelitas se preocupava com eles exceto em nome e forma.

A principal coisa que nos preocupa a todos, é o exemplo que este santo par realizar-se a cristãos.Vamos todos nos esforçamos para servir a Deus com fidelidade e viver plenamente até a nossa luz, assim como eles fizeram. Não esqueçamos as claras palavras da Escritura: "Aquele que pratica a justiça é justo." (1 João 3: 7.) Felizes são as famílias cristãs na qual ele pode ser relatado que o marido ea esposa são "justos", e exercer-se a ter uma consciência sem ofensa para com Deus e para com os homens. (Atos 24:16).

Vamos marcar, por outro lado, nesta passagem, o julgamento pesada que Deus quis colocar em Zacarias e Elizabeth. Dizem-nos que "não tinham filhos." A força destas palavras dificilmente pode ser entendido por um cristão moderno. Para um judeu antigo que iria transmitir a idéia de uma aflição muito pesado. Para não ter filhos foi um dos mais amarga das dores. (1 Sam. 1:10.)

A graça de Deus não exime ninguém de problemas. "Justo", como este santo sacerdote e sua esposa foram, eles tinham um "trapaceiro em seu lote." Lembremo-nos disto, se servir a Cristo, e deixe-nos contar julgamento nenhuma coisa estranha. Vamos, sim acreditar que uma mão da sabedoria perfeita é medir para fora toda a nossa parte, e que quando Deus nos castiga, é para nos fazer "participantes da sua santidade." (Heb. 0:10). Se aflições nos levar mais perto de Cristo, a Bíblia ea oração, eles são bênçãos positivas. Nós não pode pensar assim agora. Mas vamos pensar assim quando acordamos em outro mundo.

Vamos marca, por outro lado, nesta passagem, o meio pelo qual Deus anunciou a vinda do nascimento de João Batista. Dizem-nos que "um anjo do Senhor apareceu a Zacarias."

O ministério dos anjos é, sem dúvida, um assunto profundo. Em nenhum lugar da Bíblia encontramos tal freqüente menção deles, como no período do ministério terreno de nosso Senhor. Em nenhum momento nós lemos de tantas aparições de anjos, como sobre o momento da encarnação e da entrada do nosso Senhor ao mundo. O significado desta circunstância é suficientemente clara. Foi concebido para ensinar a igreja que o Messias não era nenhum anjo, mas o Senhor dos anjos, bem como dos homens. Anjos anunciaram sua vinda. Anjos proclamaram seu nascimento. Os anjos se alegraram com a sua vinda. E assim fazendo, deixou claro que aquele que veio para morrer pelos pecadores, não foi um dos si, mas um muito acima deles, o Rei dos reis e Senhor dos senhores.

Uma coisa, em todos os eventos, sobre os anjos, nunca devemos esquecer. Eles ter um profundo interesse na obra de Cristo, ea salvação que Cristo forneceu. Eles cantaram elogios quando o Filho de Deus veio para baixo para fazer a paz pelo Seu próprio sangue entre Deus eo homem. Eles se alegram quando os pecadores se arrependam, e os filhos são nascidos de novo ao nosso Pai no céu. Eles se deleitam em ministrar aos que hão de herdar a salvação. Esforcemo-nos por ser como eles, enquanto estamos na terra - para ser de sua mente, e para partilhar as suas alegrias. Esta é a maneira de estar em sintonia para o céu. Ele é escrito de quem entra lá dentro, que eles serão "como os anjos". (Marcos 12:25).

Vamos marcar, por último, nesta passagem, o efeito que a aparência de um anjo produzido na mente de Zacarias. É-nos dito que ele "estava perturbado, e caiu temor sobre ele."

A experiência desse homem justo aqui, coincide exatamente com a de outros santos sob circunstâncias semelhantes. Moisés na sarça ardente, e Daniel junto ao rio Tigre - as mulheres no sepulcro, e João na Ilha de Patmos - todos mostraram como o medo ao de Zacarias. Como ele, quando viram visões de coisas que pertencem a um outro mundo, eles tremeram e ficaram com medo.

Como podemos explicar esse medo? Para essa pergunta não é apenas uma resposta. Ela surge a partir de nosso senso interior de fraqueza, culpa e corrupção. A visão de um habitante do céu lembra-nos à força da nossa própria imperfeição e da nossa incapacidade natural para estar diante de Deus. Se os anjos são tão grande e terrível, o que deve o Senhor dos anjos ser?

Vamos bendizer a Deus, que temos um poderoso Mediador entre Deus e os homens, Cristo Jesus, homem. Crer Nele, podemos nos aproximar de Deus com ousadia, e estamos ansiosos para o dia do juízo, sem medo. Quando os anjos poderosos sairá para reunir os eleitos de Deus, o eleito não terá nenhum motivo para ter medo. Para eles, os anjos são companheiros de serviço e amigos. (Ap 22: 9).

Vamos tremer quando pensamos no terror dos ímpios no último dia. Se até mesmo os justos são perturbados por uma súbita visão de espíritos amigos, onde vai comparecer o ímpio, quando os anjos sairão para reuni-los como joio para a queima? Os receios dos santos são infundadas, e suportar, mas por pouco tempo. Os receios dos perdidos, quando despertado uma vez, provará bem fundamentada, e vai durar para sempre.

 

Lucas 1: 13-17

Temos, nestes versos, as palavras do anjo que apareceu a Zacarias. São palavras cheias de instrução espiritual profunda.

Aprendemos aqui, por um lado, que as orações não são, necessariamente, rejeitada porque a resposta é muito prolongado. Zachariah, sem dúvida, muitas vezes orou pela bênção das crianças, e, ao que tudo indica, tinha rezado em vão. Em sua época avançado de vida, ele provavelmente tinha muito que deixou de mencionar o assunto diante de Deus, e tinha perdido as esperanças de ser um pai. No entanto, as primeiras palavras do anjo mostra claramente que as orações idos de Zacarias não havia sido esquecido - "Sua oração é ouvida -. ​​Isabel, tua mulher te dará à luz um filho"

Faremos bem em lembrar este fato, sempre que se ajoelhar para orar. Devemos tomar cuidado com apressadamente concluir que nossas súplicas são inúteis, e especialmente na questão da oração de intercessão em favor de outros. Não é para nós a prescrever o tempo ou a maneira em que nossos pedidos devem ser respondidas. Aquele que conhece melhor o tempo para as pessoas a nascer, sabe também o momento para eles para nascer de novo. Vamos, sim "continuar em oração", "vigiar em oração", "orar sempre e não desfalecer". "Atraso de resposta", diz um velho divino, "não deve desencorajar a nossa fé. Pode ser, Deus há muito tempo concedido, antes saberemos de sua concessão."

Aprendemos, em segundo lugar, que não tem filhos causar tal alegria verdadeira, como aqueles que têm a graça de Deus. Era uma criança prestes a ser cheio do Espírito Santo, para cujo pai foi dito: "Você deve ter alegria e regozijo, e muitos se alegrarão com o seu nascimento ".

A graça é a principal parcela para que o desejássemos para os nossos filhos. É mil vezes melhor para eles do que a beleza, riqueza, honra, grau, ou conexões de alta. Até que eles têm graça nunca sabemos o que eles podem fazer. Eles podem fazer-nos cansados ​​de nossa vida, e derrubar as nossas cãs com tristeza à sepultura. Quando eles são convertidos, e não até então, eles são fornecidos para, tanto para o tempo ea eternidade. "O filho sábio alegra a seu pai." (Prov. 10: 1.) O que quer que buscamos para nossos filhos e filhas, vamos primeiro buscar que eles possam ter um lugar na aliança, e um nome no livro da vida.

Aprendemos, em terceiro lugar, a natureza da verdadeira grandeza. O anjo descreve-lo, quando ele diz a Zacarias que seu filho "será grande diante do Senhor."

A medida da grandeza que é comum entre os homens é totalmente falsa e enganosa. Príncipes e potentados, conquistadores e os líderes dos exércitos, estadistas e filósofos, artistas e autores - estes são o tipo de homens que o mundo chama de "grande". Essa grandeza não é reconhecido entre os anjos de Deus. Aqueles que fazer grandes coisas para Deus, eles acham ótimo. Aqueles que fazem pouco para Deus, eles acham pouco. Eles medem e valor a cada um de acordo com a posição em que ele é susceptível de ficar no último dia.

Não vamos ter vergonha de fazer os anjos de Deus, nosso exemplo nesta matéria. Vamos procurar para nós e nossos filhos que a verdadeira grandeza que será detida e reconhecida em outro mundo. É uma grandeza que está ao alcance de todos - dos pobres, bem como os ricos - do servo, bem como do mestre. Ele não depende de poder ou patrocínio, em dinheiro ou em amigos. É o dom gratuito de Deus a todos que o procuram nas mãos de o Senhor Jesus Cristo. É a porção de todos os que ouvem a voz de Cristo e segui-Lo - que lutam a batalha de Cristo e fazer a obra de Cristo no mundo. Tal pode receber pouca honra nesta vida. Mas grande será a sua recompensa no último dia.

Aprendemos, em quarto lugar, que as crianças nunca são demasiado jovens para receber a graça de Deus. Zachariah é informado de que seu filho "será preenchido com o Espírito Santo já desde o ventre de sua mãe."

Não há erro maior do que supor que as crianças, em razão da sua tenra idade, são incapazes de serem operados pelo Espírito Santo. A maneira de Sua obra no coração um pouco de criança, é, sem dúvida, misterioso e incompreensível. Mas também o são todas as suas obras sobre os filhos dos homens.Vamos ter cuidado em limitar o poder ea compaixão de Deus. Ele é um Deus misericordioso. Com ele, nada é impossível.

Lembremo-nos essas coisas em conexão com o tema do batismo infantil. É uma objeção fraco para dizer que as crianças não devem ser batizados, porque eles não podem se arrepender e crer. Se uma criança pode ser cheio do Espírito Santo, ele certamente não é indigna de ser admitido na igreja visível. Lembremo-nos estas coisas, especialmente na formação de crianças pequenas. Devemos sempre lidar com eles como responsável a Deus. Nós nunca devemos deixar-nos a supor que eles são jovens demais para ter qualquer religião. É claro que devemos ser razoáveis ​​em nossas expectativas.Não devemos olhar para evidências da graça, inadequados à sua idade e capacidades. Mas nunca devemos esquecer que o coração que não é muito jovem para o pecado, também não é muito jovem para ser preenchido com a graça de Deus.

Aprendemos, em último lugar, com esses versículos, o caráter de realmente um grande e bem sucedido ministro de Deus. A imagem é colocada diante de nós de uma forma impressionante pela descrição do anjo de João Batista. Ele é aquele que vai "transformar corações" - transformá-los da ignorância ao conhecimento, de descuido para reflexão, do pecado para Deus. Ele é aquele que vai "diante do Senhor" - ele vai deliciar-se nada mais do que ser o mensageiro e arauto de Jesus Cristo.Ele é aquele que "fará prontos um povo para o Senhor." Ele vai se esforçar para reunir fora do mundo um grupo de crentes, que estarão prontos para encontrar o Senhor no dia da sua vinda.

Para esses ministros rezemos noite e dia. Eles são os verdadeiros pilares de uma Igreja, o verdadeiro sal da terra, a verdadeira luz do mundo. Feliz é aquela Igreja, e feliz é aquela nação, que tem muitos desses homens. Sem esses homens, de aprendizagem, títulos, investiduras, e esplêndidos edifícios, manterá nenhuma Igreja viva. Almas não serão salvas - boa não vai ser feito - Cristo não será glorificado, exceto por homens cheios do Espírito Santo.

 

Lucas 1: 18-25

Vemos nesta passagem, o poder da incredulidade em um bom homem. justo e santo como Zacarias foi, o anúncio do anjo aparece para ele incrível. Ele não pode pensar que é possível que um velho como ele mesmo deve ter um filho. "Como terei certeza disso?" diz ele, "porque eu sou um homem velho, e minha mulher ao longo dos últimos anos."

Um judeu bem instruído, como Zacarias, não deveria ter levantado essa questão. Sem dúvida, ele estava bem familiarizado com as Escrituras do Antigo Testamento. Ele deveria ter lembrado as maravilhosas nascimentos de Isaac, e de Sansão, e Samuel nos velhos tempos. Ele deveria ter lembrado que o que Deus tem feito uma vez, Ele pode fazer de novo, e que com Ele nada é impossível.Mas ele esqueceu tudo isso. Ele pensou em nada, mas os argumentos de mera razão humana e sentido. E muitas vezes acontece em assuntos religiosos, que começa onde a razão, a fé termina.

Vamos aprender com sabedoria da falha de Zacarias. É uma falha para que o povo de Deus em todas as épocas têm sido infelizmente responsável. As histórias de Abraão, e Isaque, e Moisés, e Ezequias, e Josafá, tudo vai nos mostrar que um verdadeiro crente pode, por vezes, ser ultrapassado por incredulidade. É um dos primeiros corrupções que entraram no coração do homem no dia do outono, quando Eve acreditava que o diabo, em vez de Deus. Ele é um dos pecados mais profundas pelo qual um santo é atormentado, e da qual ele nunca é inteiramente libertos até que ele morra. Vamos orar diariamente: "Senhor aumenta a minha fé." Não duvidemos que, quando Deus diz uma coisa, essa coisa deve ser cumprida.

Vemos, além disso, nestes versos, o privilégio ea porção dos anjos de Deus. Eles carregam mensagens para a Igreja de Deus. Eles gostam de presença imediata de Deus. O mensageiro celestial que parece Zachariah, repreende sua incredulidade, dizendo-lhe que ele é - "Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus - e fui enviado a falar-vos."

O nome "Gabriel" sem dúvida encher a mente de Zacarias com humilhação e auto-humilhação. Ele iria se lembrar foi que mesmo Gabriel, que 490 anos antes tinha trazido para Daniel a profecia das setenta semanas, e lhe disse como Messias deveria ser cortada. (Dn. 9:26). Ele seria, sem dúvida contrastam sua própria incredulidade triste, quando pacificamente ministrando como sacerdote no templo de Deus, com a fé dos santos Daniel quando habitando um cativeiro na Babilônia, enquanto o templo de Jerusalém estava em ruínas. Zacarias aprendeu uma lição naquele dia que ele nunca esqueceu.

A conta que Gabriel dá do seu próprio escritório, deve aumentar em nossas mentes grandes as resoluções do coração. Este poderoso espírito, muito maior no poder e inteligência do que nós somos, conta que sua maior honra "estar na presença de Deus" e fazer a Sua vontade. Que os nossos objetivos e desejos ser na mesma direção. Esforcemo-nos por isso a viver, para que possamos um dia se levantar com ousadia diante do trono de Deus, eo servem de dia e de noite no seu templo. O caminho para essa posição elevada e santa está aberto diante de nós. Cristo consagrou para nós pela oferta de Seu próprio corpo e sangue. Possamos nós esforçar para andar nela durante o curto tempo de vida presente, de forma que possamos permanecer em nosso lugar com anjos eleitos de Deus nos séculos sem fim da eternidade. (Dn. 0:13).

Vemos, finalmente, nesta passagem, como excessivamente maligno é o pecado de incredulidade perante os olhos de Deus. As dúvidas e questionamentos de Zachariah derrubou sobre ele um castigo pesado. "Você deve ficar em silêncio", diz o anjo ", e não poderás falar, porque você não acreditar em minhas palavras." Foi um castigo particularmente adequado para a ofensa. A língua que não estava pronto para falar a língua de acreditar louvor foi atingido sem palavras. Foi um castigo duradouras. Durante nove longos meses, pelo menos, Zacarias foi condenado ao silêncio, e foi lembrado diariamente, que pela descrença que ele tinha ofendido a Deus.

Alguns pecados parecem ser tão peculiarmente provocando a Deus como o pecado de incredulidade.Nenhum certamente têm chamado para baixo tais julgamentos pesados ​​sobre os homens. É uma negação prática do poder de Deus Todo-Poderoso, a duvidar de que Ele pode fazer uma coisa, quando Ele compromete-se a fazê-lo. Ele está dando a mentira a Deus a duvidar de que Ele quer fazer uma coisa, quando ele tem claramente prometeu que isso será feito. Os 40 anos andanças de Israel no deserto, nunca deve ser esquecida pelos cristãos professos. As palavras de Paulo são muito solene - "Eles não puderam entrar por causa da incredulidade." (Heb. 3:19).

Vamos vigiar e orar diariamente contra este pecado arruinar alma. Concessões para ele roubar os crentes de sua paz interior - enfraquecer suas mãos no dia da batalha - trazer nuvens sobre suas esperanças - fazer as rodas dos carros dirigir pesadamente. De acordo com o grau de nossa fé será nosso gozo da salvação de Cristo - nossa paciência no dia do julgamento - a nossa vitória sobre o mundo. Incredulidade, em suma, é a verdadeira causa de mil doenças espirituais, e uma vez autorizados a Nestlé em nossos corações, vai comer como faz um cancro. "Se você não vai acreditar, você não será estabelecida." (Isaías 7: 9.) Em tudo o que respeita o perdão de nossos pecados, bem como a aceitação de nossas almas - os deveres de nossa estação peculiar e as provações da nossa vida diária, que seja uma máxima estabeleceram em nossa religião, para confiar em cada palavra de Deus implicitamente, e para ter cuidado com incredulidade.

 

Lucas 1: 26-33

O NASCIMENTO DE JESUS ​​PROFETIZADO

Temos, nestes versos, o anúncio do evento mais maravilhosa que já aconteceu neste mundo - a encarnação e nascimento de nosso Senhor Jesus Cristo. É uma passagem que devemos sempre lido com misturava admiração, amor e louvor.

Devemos notar, em primeiro lugar, da maneira humilde e modesto em que o Salvador da humanidade veio entre nós. O anjo que anunciou Seu advento, foi enviado para uma obscura cidade da Galiléia, chamada Nazaré. A mulher que teve a honra de ser a mãe de nosso Senhor, era, evidentemente, em uma posição humilde de vida. Tanto em sua estação e sua morada, houve uma ausência absoluta de que o mundo chama de "grandeza".

Nós não precisa hesitar em concluir, que houve uma sábia providência em toda essa disposição. O conselho Todo-Poderoso, que ordena todas as coisas no céu e na terra, poderia facilmente ter nomeado Jerusalém para ser o local de residência de Maria como Nazaré, ou poderia facilmente ter escolhido a filha de algum escriba rico para ser mãe de nosso Senhor, como um pobre mulher. Mas pareceu bem que não deveria ser assim. O primeiro advento do Messias era para ser um advento de humilhação. Que a humilhação era começar mesmo a partir do momento da sua concepção e nascimento.

Vamos tomar cuidado com desprezando a pobreza em outros, e de ter vergonha do que se Deus coloca sobre nós mesmos. A condição de vida que Jesus escolheu voluntariamente, devem sempre ser consideradas com santa reverência. A tendência comum do dia a curvar-se diante dos homens ricos, e fazer um ídolo de dinheiro, deve ser cuidadosamente resistiu e desanimado. O exemplo de nosso Senhor é uma resposta suficiente para mil vis máximas sobre a riqueza, que passam atual entre os homens. "Embora fosse rico, por nossa causa Se fez pobre." (2 Cor. 8: 9.)

Vamos admirar a incrível condescendência do Filho de Deus. O herdeiro de todas as coisas, não só tomou a nossa natureza sobre Ele, mas levou-o na forma mais humilhante em que ele poderia ter sido assumido. Teria sido condescendência para vir na terra como um rei e reinado. Foi um milagre de misericórdia passando de nossa compreensão para vir na terra como um homem pobre, deve ser desprezado, e sofrem e morrem. Deixe Seu amor nos constrange a não viver para nós mesmos, mas para Ele. Deixe Seu exemplo diariamente trazer para casa a nossa consciência o preceito da Escritura - ". Mente as coisas não altas, mas condescendente com os homens de baixa estate" (Rom. 0:16).

Devemos notar, em segundo lugar, o alto privilégio da Virgem Maria. A linguagem que o anjo Gabriel aborda a ela é muito notável. Ele a chama de "altamente favorecida". Ele diz a ela que "o Senhor está com ela." Ele diz a ela: "Bendita és tu entre as mulheres".

É um fato bem conhecido, que a Igreja Católica Romana paga uma honra à Virgem Maria, pouco inferior ao que paga a seu bendito Filho. Ela é formalmente declarada pela Igreja Católica Romana ter sido "concebida sem pecado." Ela é realizada até católicos romanos como um objeto de adoração, e rezou como um mediador entre Deus eo homem, não menos poderoso do que o próprio Cristo. Por tudo isto, seja lembrado, não há a menor mandado nas Escrituras. Não há mandado nos versos diante de nós agora. Não há mandado em qualquer outra parte da Palavra de Deus.

Mas enquanto nós dizemos isto, temos de admitir na justiça, que nenhuma mulher jamais foi tão altamente honrada como a mãe de nosso Senhor. É evidente que uma mulher só fora das incontáveis ​​milhões da raça humana, poderia ser o meio pelo qual Deus poderia ser "manifestado na carne", e da Virgem Maria tinha o poderoso privilégio de ser esse. Por uma mulher, o pecado ea morte foram trazidos para o mundo no início. Pelo fértil de uma mulher, a vida ea imortalidade foram trazidas à luz, quando Cristo nasceu. Não é de admirar que esta mulher foi chamado de "altamente favorecida" e "abençoado".

Uma coisa em relação a este assunto nunca deve ser esquecido pelos cristãos. Há um relacionamento com Cristo ao alcance de todos nós - um relacionamento muito mais próximo do que a de carne e sangue - uma relação que pertence a todos os que se arrependem e crêem. "Aquele que fizer a vontade de Deus", diz Jesus, "esse é meu irmão, irmã e mãe." "Bem-aventurado o ventre que deu à luz você," era a palavra de uma mulher um dia. Mas o que foi a resposta? "Sim! Sim bem-aventurados são aqueles que ouvem a palavra de Deus e mantê-lo." (Marcos 03:35; Lucas 11:27).

Devemos notar, finalmente, nestes versos, o glorioso conta de nosso Senhor Jesus Cristo, que dá o anjo a Maria. Cada parte da conta é cheia de significado profundo, e merece muita atenção.

Jesus "será grande", diz Gabriel. De Sua grandeza sabemos alguma coisa já. Ele trouxe uma grande salvação. Ele se mostrou um profeta maior do que Moisés. Ele é um grande Sumo Sacerdote. E Ele será maior ainda quando ele deve ser possuído como um rei.

Jesus "será chamado Filho do Altíssimo", diz Gabriel. Ele estava tão antes que Ele veio ao mundo.Igual ao Pai em todas as coisas, Ele era desde toda a eternidade o Filho de Deus. Mas Ele era para ser conhecido e reconhecido como tal pela Igreja. O Messias era para ser reconhecido e adorado como nada menos do que o próprio Deus.

"O Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai David", diz Gabriel, "e Ele reinará sobre a casa de Jacó para sempre." O cumprimento literal desta parte da promessa ainda está por vir. Israel ainda está para ser recolhida. Os judeus estão ainda a ser restaurado para sua própria terra, e de olhar para Aquele que trespassaram uma vez, como seu Rei e seu Deus. Embora a realização deste alcatrão previsão, podemos confiantemente esperar por ela. Ele certamente virá um dia e não tardará. (Hab. 2: 3.)

Finalmente, diz Gabriel, "do reino de Jesus não haverá fim." Antes de Seu glorioso reino, os impérios deste mundo deve um dia ir para baixo e passar. Como Nínive e Babilônia, e de Tiro, e Cartago, todas elas devem vir a nada um dia, e os santos do Altíssimo receberão o reino. Antes de Jesus, todo joelho se uma curva dia, e toda língua confesse que Ele é o Senhor. Seu reino sozinho deve provar um reino eterno, eo Seu domínio que não passará. (Dn. 7:14, 27.)

O verdadeiro cristão deve muitas vezes me debruçar sobre essa gloriosa promessa e ter conforto em seu conteúdo. Ele não tem motivos para se envergonhar de seu Mestre. Pobres e desprezados como muitas vezes ele pode ser por causa do evangelho, ele pode se sentir seguro de que ele está no lado do conquistador. Os reinos deste mundo deve ainda tornar-se os reinos de Cristo. Ainda um pouco de tempo e que há de vir virá, e não tardará. (Heb. 10:37). Para que dia abençoado vamos esperar pacientemente, e assistir, e rezar. Agora é o tempo para carregar a cruz, e para a comunhão com os sofrimentos de Cristo. O dia se aproxima quando Cristo tomará o Seu grande poder e reinará; e que todos os que têm servido fielmente devem trocar um cruzamento para uma coroa.

 

Lucas 1: 34-38

Vamos marcar, nestes versos, a maneira reverente e discreto em que o anjo Gabriel fala do grande mistério da encarnação de Cristo. Em resposta à pergunta da Virgem "Como se fará isso?"ele usa estas palavras notáveis ​​- ". O Espírito Santo virá sobre ti, eo poder do Altíssimo te deve ofuscar"

Faremos bem em seguir o exemplo do anjo em todas as nossas reflexões sobre este assunto profundo.Vamos sempre considerá-la com santa reverência, e abster-se de essas especulações impróprias e não rentáveis ​​em cima dela, em que alguns têm infelizmente o espectáculo. O suficiente para nós saber que "o Verbo se fez carne", e que, quando o Filho de Deus veio ao mundo, um verdadeiro "corpo foi preparado para Ele," para que Ele "tomou parte de nossa carne e sangue", e foi "nascido de mulher".(João 1:14; Heb.10: 5; Hb 2:14; Gl 4... 4) Aqui devemos parar. A maneira em que tudo isso foi efetuado é sabiamente escondido de nós. Se tentar retirá além deste ponto, mas vamos escurecer o conselho com palavras sem conhecimento, e correm para lugares onde anjos temem pisar. Em uma religião que realmente desce do céu deve existir mistérios. De tais mistérios do Cristianismo, a encarnação é um deles.

Vamos marca, em segundo lugar, o lugar de destaque atribuído ao Espírito Santo no grande mistério da encarnação. Achamos que é escrito: "O Espírito Santo virá sobre ti."

Um leitor inteligente da Bíblia provavelmente não vai deixar de lembrar, que a honra dada aqui ao Espírito está em harmonia preciso com o ensino da Escritura em outros lugares. Em cada etapa da grande obra da redenção do homem, vamos encontrar uma menção especial ao trabalho do Espírito Santo. Jesus morreu para fazer expiação pelos nossos pecados? Está escrito que "pelo Espírito eterno Ele ofereceu a si mesmo imaculado a Deus." (Heb. 9:14.) Será que Ele ressuscitou para nossa justificação? Está escrito que Ele "foi vivificado pelo Espírito." (1 Pedro 3:18.) Será que Ele fornecer seus discípulos com conforto entre o momento da sua primeira e segunda vinda? Está escrito que o Consolador, a quem Ele prometeu enviar é "o Espírito da verdade." (João 14:17).

Vamos tomar cuidado para que nós damos ao Espírito Santo o mesmo lugar em nossa religião pessoal, que nós O encontramos ocupando na palavra de Deus. Lembremo-nos de que tudo o que os crentes têm, e são, e desfrutar sob o Evangelho, eles devem ao ensino interior do Espírito Santo. O trabalho de cada uma das três Pessoas da Santíssima Trindade é igualmente e inteiramente necessária para a salvação de cada alma salva. A eleição de Deus, o Pai, a redenção de Deus, o Filho, ea santificação de Deus, o Espírito, não deve ser separado em nosso cristianismo.

Vamos marcar, em terceiro lugar, o poderoso princípio que o anjo Gabriel estabelece para silenciar todas as acusações sobre a encarnação. "Com Deus nada é impossível."

Uma recepção calorosa deste grande princípio é de imensa importância para a nossa própria paz interior. Perguntas e dúvidas, muitas vezes surgem na mente dos homens sobre muitos assuntos de religião. Eles são o resultado natural de nosso estado caído da alma. Nossa fé com o melhor é muito débil. Nosso conhecimento em seu mais alto é nublado com muito enfermidade. E entre muitos antídotos para uma dúvida, ansioso, estado de espírito questionando, poucos serão encontrados mais útil do que antes de nós agora - uma convicção profunda do poder onipotente de Deus. Com Ele que chamou o mundo à existência e formou a partir do nada, tudo é possível. Nada é demasiado difícil para o Senhor.

Não há pecado muito negro e mau para ser perdoado. O sangue de Cristo purifica de todo pecado. Não há coração muito duro e perverso que ser mudado. O coração de pedra pode ser feito um coração de carne. Não há nenhum trabalho muito difícil para um crente a fazer. Podemos fazer todas as coisas através de Cristo nos fortalecendo. Não há julgamento muito difícil de ser suportado. A graça de Deus é suficiente para nós. Não há nenhuma promessa muito grande para ser cumprida. As palavras de Cristo não passará, eo que Ele prometeu Ele é capaz de realizar. Não há dificuldade muito grande para um crente de superar. Quando Deus é por nós, quem será contra nós? A montanha passa a ser uma planície. Vamos princípios como estes ser sempre diante de nossas mentes. Recebimento do anjo é um remédio inestimável. A fé nunca descansa com tanta calma e pacificamente, como quando se coloca a cabeça sobre o travesseiro da onipotência de Deus.

Vamos marca, em último lugar, o manso e pronta aquiescência da Virgem Maria na vontade revelada de Deus a respeito dela. Ela diz ao anjo: "Eis aqui a serva do Senhor; que se cumpra em mim segundo a tua palavra".

Há muito mais de graça admirável nesta resposta do que à primeira vista parece. Um momento de reflexão nos mostrará, que era coisa de pouca importância se tornar a mãe de nosso Senhor neste inédito e forma misteriosa. Ele trouxe com ele, sem dúvida, em um período distante grande honra;mas trouxe com ele para o presente nenhum pequeno perigo para a reputação de Maria, e não pequeno teste para a fé de Maria. Tudo isto perigo e julgamento a Virgem santa estava disposto e pronto para risco. Ela pede mais perguntas. Ela não levanta novas objecções. Ela aceita a honra lhe tocasse com todos os seus perigos inerentes e inconvenientes. "Eis", diz ela, "a serva do Senhor".

Vamos procurar em nosso cristianismo prático diário de exercer o mesmo espírito de fé abençoada que vemos aqui na Virgem Maria. Vamos estar dispostos a ir a qualquer lugar e fazer qualquer coisa, e ser qualquer coisa, qualquer que seja o inconveniente presente e imediato, desde que a vontade de Deus é clara eo caminho do dever é claro. As palavras de boas Bishop Hall nesta passagem são vale a pena lembrar. "Todas as disputas com Deus depois de Sua vontade é conhecido, surgir a partir de infidelidade. Não há uma prova mais nobre de fé do que para cativar todos os poderes da nossa compreensão e vontade de nosso Criador, e sem quaisquer questionamentos para ir venda onde Ele vai levar nós ".

 

Lucas 1: 39-45

Maria visita ELIZABETH

Devemos observar nesta passagem, o benefício de companheirismo e comunhão entre os crentes. Lemos sobre uma visita feita pela Virgem Maria à sua prima Isabel. Dizem-nos de uma maneira impressionante como os corações de ambos os santas mulheres foram aplaudiram, e suas mentes levantada por esta entrevista. Sem esta visita, Elizabeth poderia nunca ter sido tão cheio do Espírito Santo, como estamos aqui disse que era; e Maria nunca poderia ter proferido aquela música de louvor que agora é conhecido em todo o Igreja de Cristo. As palavras de um velho divina são profunda e verdadeira - "Felicidade comunicado dobra em si Grief cresce maior, escondendo -. Alegria pela expressão".

Devemos sempre considerar comunhão com outros crentes como um meio eminentes de graça. É uma refrescante pausa na nossa viagem ao longo do caminho estreito para a troca de experiência com os nossos companheiros de viagem. Ela nos ajuda insensivelmente e isso ajuda-los, e por isso é um ganho mútuo. É a abordagem mais próxima que podemos fazer na terra para a alegria do céu. "Assim como o ferro afia o ferro, o mesmo acontece com o rosto de um homem seu amigo." Precisamos lembrando disso. O assunto não recebe atenção suficiente, e as almas dos crentes sofrem em conseqüência. Há muitos que temem o Senhor e pensar sobre o Seu nome, e ainda se esqueça de falar muitas vezes um para outro. (Malaquias 3:16). Primeiro vamos buscar a face de Deus. Então, vamos buscar a face de amigos de Deus. Se fizéssemos isso mais, e foram mais cuidado com a companhia que temos, ficaremos mais vezes sabe o que é sentir-se cheio do Espírito Santo.

Devemos observar nesta passagem, o conhecimento espiritual claro que aparece no idioma de Elizabeth. Ela usa uma expressão sobre a Virgem Maria, que mostra que ela mesma estava profundamente ensinados por Deus. Ela a chama de "a mãe do meu Senhor".

Essas palavras "meu senhor" são tão familiar aos nossos ouvidos, que perdemos a plenitude do seu significado. Na época em que foram ditas que implicava muito mais do que estamos aptos a supor. Eles foram nada menos do que uma declaração distinta de que a criança que estava para nascer da Virgem Maria foi o muito prometido Messias, o "Senhor" de Davi, em espírito havia profetizado, o Cristo de Deus. Visto por este prisma, a expressão é um maravilhoso exemplo de fé. É uma confissão digno de ser colocado ao lado do de Peter, quando ele disse a Jesus: "Tu és o Cristo".

Lembremo-nos o sentido profundo das palavras, "o Senhor", e tem cuidado de usá-los de ânimo leve e descuidada. Vamos considerar que, com razão, se aplicam a ninguém, senão Aquele que foi crucificado por nossos pecados no Calvário. Deixe a lembrança deste fato investir as palavras com uma reverência sagrada, e nos fazem cuidado como nós deixá-los cair de nossos lábios. Há dois textos relacionados com a expressão que deverá muitas vezes vêm à nossa mente. Em um está escrito: "Ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, mas pelo Espírito Santo." Na outra está escrito: "Toda língua confessará que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai." (1 Cor. 12: 3. Philipp 2:11.).

Finalmente, devemos observar nestes versos, os elogios que Elizabeth concede a graça da fé."Bem-aventurados", diz ela, "é ela quem acreditou que o que o Senhor disse a ela será cumprida!" Nós não precisamos de saber que esta santa mulher deve, assim, elogiar fé. Sem dúvida, ela estava bem familiarizado com as Escrituras do Antigo Testamento. Ela sabia que as grandes coisas que a fé tinha feito. O que é toda a história dos santos de Deus em todas as épocas, mas um registro de homens e mulheres que obtiveram um bom relatório pela fé? Qual é a história simples de tudo a partir de Abel para baixo, mas uma narrativa de pecadores redimidos que acreditavam, e por isso foram abençoados?Pela fé eles abraçaram promessas. Pela fé viviam. Pela fé eles caminharam. Pela fé eles suportaram dificuldades. Pela fé eles olharam para um Salvador invisível, e as coisas boas ainda virão. Pela fé eles lutaram com o mundo, a carne eo diabo. Pela fé, eles venceram, e ficou em segurança para casa.Desta empresa considerável da Virgem Maria foi provando-se um. Não é de admirar que Elizabeth disse: "Feliz aquela que creu que o que o Senhor disse a ela será cumprida!"

Não sabemos nada desta fé preciosa? Esta, afinal, é a questão que nos preocupa. Não sabemos nada da fé dos eleitos de Deus, a fé, que é o trabalho de Deus? (Tito 1:.. 2 Col. ii 12.) Nunca nos descansar até que a conhecemos por experiência. Uma vez que o saber, nunca deixemos de rezar para que nossa fé pode crescer muito. Melhores mil vezes serem ricos em fé do que rico em ouro. Ouro será inútil no mundo invisível para o qual todos nós estamos viajando. A fé será de propriedade em que o mundo diante de Deus Pai e os santos anjos. Quando o grande trono branco é definido, e os livros forem abertos, em que os mortos são chamados de seus túmulos, e receber sua sentença final, o valor da fé vai longamente ser totalmente conhecida. Os homens vão aprender, então, se eles nunca aprendeu antes, quanto são verdadeiras as palavras: "Bem-aventurados são aqueles que acreditavam."

 

Lucas 1: 46-56

A CANÇÃO DE MARY

Estes versos contêm famoso hino da Virgem Maria de louvor, na perspectiva de se tornar a "mãe de nosso Senhor." Avançar para a Oração do Senhor, talvez, algumas passagens das Escrituras são mais conhecidos do que isso. Onde quer que a Igreja da Inglaterra Prayer-book é utilizado, este hino faz parte do culto da noite. E não precisamos de saber que os compiladores de que Oração-livro deu-lhe um lugar tão proeminente. Não há palavras para expressar mais adequadamente o louvor por misericórdia redentora que deveriam formar parte do culto público de todos os ramos da Igreja de Cristo.

Vamos marca, em primeiro lugar, o conhecimento completo com a Escritura que exibe este hino. Somos lembrados como a lemos, de muitas expressões no livro de Salmos. Acima de tudo, somos lembrados da canção de Hannah, no livro de Samuel. (1 Sam. 2) É evidente que a memória da Bem-aventurada Virgem foi armazenado com as Escrituras. Ela era familiar, seja por ouvir ou pela leitura, com o Antigo Testamento. E assim, quando fora da abundância do seu coração a boca falava, ela deu vazão a seus sentimentos na linguagem bíblica. Movidos pelo Espírito Santo para rompe em louvor, ela escolhe uma linguagem que o Espírito Santo já havia consagrado e usados.

Esforcemo-nos, a cada ano que vivemos, para tornar-se mais profundamente familiarizado com as Escrituras. Vamos estudá-lo, procurar nele, cavar-la, meditá-la, até que habitar em nós ricamente.(Coloss. 3:16). Em particular, vamos trabalhar para fazer-nos familiarizado com as partes da Bíblia que, como o livro de Salmos, descrevem a experiência dos santos do passado. Vamos encontrá-lo mais útil para nós em todas as nossas abordagens para Deus. Ele vai nos fornecer o melhor e mais adequado linguagem tanto para a expressão das nossas necessidades e ações de graças. Tal conhecimento da Bíblia, sem dúvida, nunca pode ser alcançado sem um estudo regular, diariamente.Mas o tempo gasto em tal estudo nunca está mal-passado. Ele vai dar frutos depois de muitos dias.

Vamos marcar, em segundo lugar, neste hino de louvor, profunda humildade da Virgem Maria. Ela, que foi escolhido por Deus para a alta honra de ser a mãe do Messias, fala de sua própria "baixeza", e reconhece a sua necessidade de um "Salvador . " Ela não deixa cair uma palavra para mostrar que ela se considerava uma pessoa, "imaculado" sem pecado. Pelo contrário, ela usa a língua de alguém que foi ensinado pela graça de Deus para sentir seus próprios pecados, e tão longe de ser capaz de salvar os outros, exige um Salvador para sua própria alma. Podemos afirmar com segurança que nenhuma seria mais para a frente para reprovar a honra pago pela Igreja Romana à Virgem Maria, do que a própria Virgem Maria.

Vamos copiar este santa humildade de mãe de nosso Senhor, enquanto nós firmemente se recusar a considerá-la como um mediador, ou a rezar para ela. Como ela, sejamos humildes aos nossos próprios olhos, e pensar pouco de nós mesmos. A humildade é a maior graça que pode decorar o caráter cristão. É uma verdadeira palavra de um velho divino, que "um homem tem apenas tanto o cristianismo como ele tem a humildade." É a graça, que de todos é o mais adequando à natureza humana. Acima de tudo, é a graça que está ao alcance de cada pessoa convertida. Todos não são ricos.Todos não são aprendidas. Nem tudo são altamente talentoso. Todos não são pregadores. Mas todos os filhos de Deus podem estar vestido com humildade.

Vamos marca, em terceiro lugar, o animado gratidão da Virgem Maria. Ele se destaca de forma proeminente em toda a parte inicial do seu hino. Sua "alma engrandece ao Senhor." Seu "espírito se alegra em Deus." "Todas as gerações chamarão bem-aventurada". "Grandes coisas foram feitas por ela." Nós quase não pode entrar em toda a extensão dos sentimentos que uma judia santa iria experimentar em encontrar-se em posição de Maria. Mas devemos tentar lembrar-lhes como podemos ler suas expressões repetidas de louvor.

Nós também deve fazer bem para andar nos passos de Maria nesta matéria, e cultivar um espírito de gratidão. Sempre foi uma marca dos santos mais ilustres de Deus em todas as épocas. David, no Antigo Testamento, e São Paulo, no Novo, são notáveis ​​por sua gratidão. Nós raramente ler muito de seus escritos, sem encontrá-los abençoando e louvando a Deus. Levantemo-nos de nossas camas todas as manhãs com uma profunda convicção de que somos devedores, e que a cada dia temos mais misericórdias do que merecemos. Olhemos ao nosso redor a cada semana, como nós viajamos pelo mundo, e ver se não tenho muito a agradecer a Deus. Se nossos corações estão no lugar certo, nunca mais encontrar qualquer dificuldade na construção de uma Ebenezer. Bom seria se nossas orações e súplicas foram mais misturado com ação de graças. (. 1 Sam 07:12 Phil 4:... 6)

Vamos marca, em quarto lugar, . o conhecimento experimental com ex-tratos de Deus com o Seu povo, que a Virgem Maria possuíam Ela fala de Deus como Aquele cuja "misericórdia é sobre aqueles que O temem" - como Aquele que "dispersa os soberbos, e põe o poderoso, e envia os ricos de mãos vazias "- como Aquele que" exalta os humildes, e enche o faminto com coisas boas ". Ela falou, sem dúvida, na lembrança da história do Antigo Testamento. Lembrou-se de como Deus de Israel tinha colocado para baixo Faraó, e os cananeus, e os filisteus, e Sennacherib, e Haman, e Belsazar.Lembrou-se de como Ele havia exaltado José e Moisés, e Samuel, e David, e Esther, e Daniel, e nunca permitiu que seu povo escolhido para ser completamente destruída. E em todas as relações de Deus com ela mesma, colocando em honra a uma mulher pobre de Nazaré - em levantar Messias em um terreno tão seco como a nação judaica parecia ter se tornado - ela traçou a obra da aliança de Israel Deus.

O verdadeiro cristão deve sempre dar muita atenção à história da Bíblia, e as vidas de santos individuais. Vamos examinar frequentemente os "pisadas do rebanho." (Cant. 1: 8.) Este estudo lança luz sobre o modo de lidar com o Seu povo de Deus. Ele é de uma mente. O que ele faz para eles, e para eles, em tempos passados, Ele é susceptível de fazer no futuro. Esse estudo vai nos ensinar o que esperar, vá expectativas injustificáveis, e encorajar-nos quando deitado abaixo. Bem-aventurado o homem cuja mente está bem armazenado com tal conhecimento. Isso fará com que ele paciente e esperançoso.

Vamos marca, por último, a empresa alcance que a Virgem Maria teve de promessas bíblicas.Ela termina o seu hino de louvor ao declarar que Deus tem "abençoado Israel em memória de Sua misericórdia", e que Ele tem feito ", como falou a nossos pais, a Abraão e à sua descendência para sempre. " Estas palavras mostram claramente que ela se lembrou do velho promessa feita a Abraão, "Em ti serão todas as nações da terra serão abençoados." E é evidente que, no nascimento se aproximando de seu Filho, ela considerou esta promessa como prestes a ser cumprido.

Vamos aprender com o exemplo desta mulher santo, para lançar mão firme nas promessas da Bíblia. É da mais profunda importância para a nossa paz de fazê-lo. Promessas são, de fato, o maná que devemos comer diariamente, ea água que devemos beber diariamente, à medida que viajam através do deserto deste mundo. Nós não ver ainda todas as coisas sujeitas a nós. Vemos não Cristo, e do céu, e do livro da vida e as mansões preparadas para nós. Nós andamos por fé, e esta fé se apóia em promessas. Mas essas promessas que podem inclinar-se confiante. Eles irão suportar todo o peso que pode colocar sobre eles. Nós encontraremos um dia, como a Virgem Maria, que Deus guarda a sua palavra, e que o que Ele tem falado, por isso Ele vai sempre em devido tempo executar.

 

Lucas 1: 57-66

O NASCIMENTO DE JOÃO BATISTA

Nós temos nesta passagem a história de um nascimento, o nascimento de uma queima e luz que brilha na Igreja, o precursor de Cristo - João Batista. A língua em que o Espírito Santo descreve o evento é bem digno de nota. Está escrito que "O Senhor mostrou grande misericórdia para com Elizabeth."Houve misericórdia em trazê-la de forma segura através de seu tempo de prova. Houve misericórdia em fazer-lhe a mãe de uma criança viva. Felizes são aqueles círculos familiares, cujos nascimentos são vistos sob essa luz - como instâncias especiais de "misericórdia" do Senhor.

Vemos na condução dos vizinhos e primos de Elizabeth, um exemplo notável da bondade que temos para com o outro. Está escrito que "se alegravam com ela." Quanto mais felicidade haveria neste mundo mal, se a conduta como a de relações de Elizabeth era mais comum! Simpatia em um alegrias e tristezas custos do outro pouco, e ainda é uma graça de mais poder. Como o óleo nas rodas de algum grande motor, pode parecer uma coisa insignificante e sem importância, mas na realidade ele tem uma enorme influência sobre o conforto e bem-funcionamento de toda a máquina da sociedade. Uma palavra tipo de felicitações ou consolo é raramente esquecida. O coração que é aquecido por boas novas, ou refrigeradas pela aflição, é peculiarmente suscetível, e simpatia para tal coração é muitas vezes mais preciosa do que o ouro.

O servo de Cristo vai fazer bem para lembrar esta graça. Parece "um pouco," e em meio ao ruído de controvérsia, ea batalha sobre poderosas doutrinas, estamos infelizmente aptos a esquecê-lo. No entanto, é um desses pinos do tabernáculo que não devemos deixar no deserto. É um daqueles ornamentos do caráter cristão que tornam bonito aos olhos dos homens. Não nos esqueçamos de que é imposta sobre nós por um preceito especial - ". Alegrai-vos com os que se alegram e chorai com os que choram" (Rom. 0:15). A prática do que parece para derrubar uma bênção especial. Os judeus que vieram para confortar Marta e Maria em Betânia, viu o maior milagre que Jesus nunca trabalhou.Acima de tudo, ele é elogiado a nós pelo exemplo mais perfeito. Nosso Senhor estava pronto tanto para ir a uma festa de casamento, e chorar em um túmulo. (João 2, John 11) Sejamos sempre pronto para ir e fazer o mesmo.

Vemos na condução de Zacarias nesta passagem, um exemplo notável do benefício da aflição. Ele resiste aos desejos de suas relações para chamar seu filho recém-nascido após o seu próprio nome. Ele se agarra firmemente ao nome "John", pela qual o anjo Gabriel lhe tinha ordenado a ser chamado. Ele mostra que a mudez seus nove meses de não ter sido infligida a ele em vão. Ele não é mais sejas incrédulo, mas crente. Ele agora acredita que cada palavra que Gabriel tinha falado com ele, e cada palavra de sua mensagem deve ser obedecida.

Nós não precisamos duvidar de que nos últimos nove meses tinha sido uma vez mais rentável para a alma de Zacarias. Ele tinha aprendido, provavelmente, mais sobre seu próprio coração, e sobre Deus, que ele já sabia antes. Sua conduta mostra isso. Correção tinha instrução comprovada. Ele estava envergonhado de sua incredulidade. Como Jó, ele poderia dizer: "Tenho ouvido falar de você pela audição do ouvido, mas agora os meus olhos te vêem." Como Ezequias, quando o Senhor o deixou, ele descobriu o que estava em seu coração. (Jó 42: 5. 2 Crônicas 32:31.).

Vamos dar ouvidos a esse sofrimento faz-nos bem, como fez a Zacarias. Nós não podemos escapar problemas em um mundo em pecado laden. O homem nasce para a tribulação, como as faíscas voam para cima. (Jó 5: 7.) Mas, no tempo dos nossos problemas, façamos fervorosa oração para que possamos "ouvir a vara e que a designou," para que possamos aprender a sabedoria pela vara, e não endurecer nossos corações contra Deus . "Aflições santificado", diz um velho divina ", são promoções espirituais". A tristeza que nos humilha, e nos leva mais perto de Deus, é uma bênção, e um ganho francamente. Nenhum caso é mais desesperado do que a do homem que, em tempo de aflição vira as costas para Deus. Há uma marca terrível conjunto contra um dos reis de Judá - "Em seu tempo de angústia Rei Acaz tornou-se ainda maior desprezo pelo Senhor". (2 Cr. 28:22).

Vemos no início da história de João Batista a natureza da bênção que o desejássemos para todas as crianças . Nós lemos que "a mão do Senhor estava com ele."

Não nos é dito claramente que essas palavras significam. Nós somos deixados para reunir o seu significado da promessa que foi antes de John antes de seu nascimento, ea vida que John viveu todos os seus dias. Mas não precisamos duvidar de que a mão do Senhor estava com John para santificar e renovar seu coração - para ensinar e habilitá-lo para o seu escritório - para fortalecê-lo para todo o seu trabalho como o precursor do Cordeiro de Deus - encorajá-lo em toda a sua denúncia corajosa dos pecados dos homens - e consolá-lo em suas últimas horas, quando ele foi decapitado na prisão.Sabemos que ele ficou cheio do Espírito Santo desde o ventre de sua mãe. Nós não precisamos duvidar de que desde os seus primeiros anos, a graça do Espírito Santo apareceu nos seus caminhos. Em sua infância, bem como na sua masculinidade o poder constrangedor de um poderoso princípio de cima apareceu nele. Esse poder foi a "mão do Senhor."

Esta é a parte que devemos buscar para os nossos filhos. É a melhor parte, a parte mais feliz, a única parte que nunca pode ser perdido, e perdurará para além do túmulo. É bom ter sobre eles "a mão" de professores e instrutores; mas é melhor ainda ter "a mão do Senhor." Podemos ser gratos se obter o patrocínio de grandes e ricos. Mas devemos cuidar muito mais para sua obtenção o favor de Deus. A mão do Senhor é mil vezes melhor do que a mão de Herodes. O um é fraco, insensato, e incerto;acariciando hoje e amanhã decapitação. O outro é onipotente, onisciente e imutável. Onde detém ele mantém para sempre. Vamos bendizer a Deus que o Senhor nunca muda. O que Ele estava em dia de João Batista, Ele é agora. O que Ele fez para o filho de Zacarias, Ele pode fazer por nossos meninos e meninas. Mas Ele espera de ser solicitado. Se quisermos ter a mão do Senhor com os nossos filhos, devemos diligentemente buscá-la.

 

Lucas 1: 67-80

A CANÇÃO DE Zachariah

Outro hino de louvor exige a nossa atenção nestes versos. Nós lemos a ação de graças de Maria, a mãe de nosso Senhor. Vamos agora ler a acção de graças de Zacarias, pai de João Batista. Ouvimos o que elogia o primeiro advento de Cristo atraiu a partir da Virgem da casa de Davi. Vamos agora ouvir o que chama a elogiá-lo a partir de um sacerdote idoso.

Devemos notar, em primeiro lugar, a profunda gratidão do coração de um crente judeu na perspectiva do Messias de aparecer. O louvor é a primeira palavra que cai da boca de Zacarias, logo que sua mudez é removido, ea sua língua é restaurado. Ele começa com a mesma expressão com a qual Paulo começa várias de suas epístolas - "Bendito seja o Senhor."

Neste período do mundo dificilmente podemos compreender a profundidade dos sentimentos este bom homem. Temos de nos imaginar em sua posição. Temos que nos apetece ver o cumprimento da promessa mais antiga do Velho Testamento - a promessa de um Salvador, e vendo a realização desta promessa trazidos para perto de nossa própria porta. Temos de tentar perceber o que um dim e imperfeitos vista homens tinham do Evangelho antes de Cristo, na verdade apareceu, e as sombras e os tipos de faleceu. Então talvez possamos ter uma idéia dos sentimentos de Zacarias quando ele gritou: "Bendito seja o Senhor."

Pode ser temido que os cristãos têm concepções muito baixos e inadequadas de seus privilégios surpreendentes em viver sob plena luz do Evangelho. Temos provavelmente uma idéia muito fraca da obscuridade comparativa e crepúsculo da dispensação judaica. Nós temos uma noção muito fraca do que uma igreja deve ter sido antes da encarnação de Cristo. Vamos abrir nossos olhos para a extensão de nossas obrigações. Vamos aprender com o exemplo de Zacarias, para ser mais grato.

Devemos notar, em segundo lugar, neste hino de louvor, quanta ênfase Zachariah coloca no cumprimento das suas promessas de Deus. Ele declara que Deus "visitou e redimiu o seu povo", falando dele na forma dos profetas como uma coisa já realizado, porque tenho certeza de ter lugar. Ele continua a proclamar o instrumento dessa redenção - "um chifre de salvação" - um forte Salvador da casa de David. E então ele acrescenta que tudo isso é feito ", como falou pela boca de seu santo profeta, para usar de misericórdia, para lembrar da sua santa aliança, e do juramento que fez a Abraão nosso pai."

É claro que as almas dos crentes do Antigo Testamento alimentado muito nas promessas de Deus. Eles eram obrigados a andar pela fé muito mais do que nós. Eles não sabiam nada sobre os grandes fatos que sabemos sobre a vida de Cristo, e da morte, e ressurreição. Eles olharam para a frente a redenção como uma coisa que se esperam, mas ainda não vi - e sua única justificativa para a sua esperança era a palavra da aliança de Deus. Sua fé pode muito bem colocar-nos de vergonha. Assim, longe de depreciar Testamento Velhos Crentes, como alguns estão dispostos a fazer, devemos maravilhar que eles eram o que eram.

Vamos aprender a descansar em promessas e abraçá-los como fez Zacarias. Não duvidemos que cada palavra de Deus sobre o Seu povo no tocante às coisas futuras, como certamente deve ser cumprida como cada palavra sobre eles foi cumprida no tocante às coisas passado. Sua segurança é garantida por promessa. O mundo, a carne eo diabo, não prevalecerão contra qualquer crente. Sua absolvição no último dia é garantido por promessa. Eles não entrará em condenação, mas devem ser apresentados sem mancha diante do trono do Pai. Sua glória final é garantido por promessa. Salvador virá pela segunda vez, tão certo como ele veio a primeira - para reunir os Seus santos juntos e dar-lhes uma coroa de justiça. Vamos ser persuadidos dessas promessas. Vamos abraçá-los e não deixá-los ir. Eles nunca nos faltará. A palavra de Deus nunca é quebrado. Ele não é um homem para que minta. Nós temos um selo em cada promessa que Zachariah nunca viu. Nós temos o selo do sangue de Cristo para nos garantir que o que Deus prometeu Deus irá executar.

Devemos notar, em terceiro lugar, neste hino, que vistas do reino de Cristo claro Zachariah possuía. Ele fala de ser "salvos e libertos das mãos dos inimigos", como se ele tinha em vista um reino temporal e um libertador temporal do poder Gentile . Mas ele não pára por aqui. Ele declara que o reino de Messias, é um reino no qual Seu povo deve "servir a Ele sem temor, em santidade e justiça perante ele." Este reino, ele proclamou, estava se aproximando. Profetas haviam há muito predito que um dia iria ser criada. No nascimento de seu filho João Batista, e da proximidade de Cristo, Zacarias viu este reino fechar a mão.

A fundação deste reino de Messias foi estabelecido pela pregação do Evangelho. A partir desse momento o Senhor Jesus vem ganhando continuamente sujeitos de um mundo mau. A plena realização do reino será um evento ainda está por vir. Os santos do Altíssimo, um dia, ter o domínio inteiro. A pequena pedra do Evangelho-reino deve ainda preencher toda a terra. Mas se em seu estado incompleto ou completo, os súditos do reino são sempre de um caráter. Eles "servir a Deus sem medo." Eles servem a Deus em "santidade e justiça."

Vamos dar toda a diligência para pertencer a este reino. Pequeno como parece agora, será grande e glorioso um dia. Os homens e mulheres que serviram a Deus em "santidade e justiça" deve ver um dia todas as coisas sujeitas a eles. Cada inimigo deve ser subjugada, e eles reinarão para sempre no novo céu e da terra, em que habita a justiça.

Devemos notar, finalmente, que uma visão clara da doutrina Zachariah apreciado. Ele termina o seu hino de louvor ao abordar seu filho infantil João Batista. Ele prediz que ele deve "ir ante a face" do Messias, e "dar conhecimento da salvação" que Ele está prestes a trazer - uma salvação que é tudo de graça e misericórdia - a salvação dos quais os principais são privilégios "remissão dos pecados" light "e" paz "".

Vamos terminar o capítulo examinando o que sabemos desses três gloriosos privilégios. Não sabemos nada de perdão? Virámos das trevas para a luz? Que já provei paz com Deus? Estes, depois de tudo, são as realidades do cristianismo. Estas são as coisas, sem a qual igreja-membros e sacramentos salvar a alma de ninguém. Nunca nos descansar até que estamos experimentalmente familiarizados com elas. Misericórdia e graça forneceram-los. Misericórdia e graça vai dar-lhes a todos os que invocam o nome de Cristo. Nunca nos descansar até que o Espírito testifica com o nosso espírito que os nossos pecados são perdoados nós, que já passamos das trevas à luz, e que na verdade estamos andando no caminho estreito, o caminho da paz.

fontecoment.biblico J.C RYLE-1858  www.avivamentonosul.blogspot.com