Translate this Page

Rating: 3.0/5 (902 votos)



ONLINE
2




Partilhe este Site...

 

 

<

Flag Counter


TERTULIANO DE CARTAGO (os pais da igreja primitiva
TERTULIANO DE CARTAGO (os pais da igreja primitiva

 

                                       TERTULIANO

E o mais antigo dos padres latinos cujas obras estão agora existentes, e um dos personagens mais notáveis ​​pertencentes à Igreja primitiva.Nosso conhecimento da sua história pessoal é extremamente limitada.Ele nasceu em Cartago no ano 160, ou perto dessa data, seu pai era um centurião romano a serviço do procônsul de África. Seus dotes naturais eram grandes, e foram complementadas por um curso completo de estudos cujo fruto aparece na riqueza de elementos históricos, jurídicos, filosóficos, físicos e antiquários contidas em seus escritos. " Ele estava destinado para a função pública do império , e foi, portanto, formado em jurisprudência romana e da arte da eloqüência forense (comp Eusébio, HE 2, 2, onde. 
Tertuliano é descrito como um dos mais " romanos muito estimado - não como Rufinus torna ", um dos mais ilustres escritores da Igreja latina "inter-nostros scriptores admodum Clarus")." Seu modo de argumentação e terminologia em todos os lugares revelam a virada legal de sua mente, e seus escritos em muitos lugares lançar luz sobre pontos controversos do direito civil romano. Tertuliano era ' convertido para ' cristianismo quando entre trinta e quarenta anos de idade, e ele tornou-se imediatamente o seu campeão destemido contra os pagãos, judeus e hereges, especialmente gnósticos. 

Ele foi o primeiro professor de religião após os apóstolos que atingiram a um claro reconhecimento do poderoso contraste entre o pecado ea graça, e que a apresentou em tudo o que força o pensamento da Igreja. Ele era casado (ver seu trato Ad Uxorem), mas, no entanto, entrou nas fileiras do clero. " Jerome, diz que ele foi o primeiro presbítero da Igreja Católica, mas seus escritos não determinar se ele era um membro da ordem espiritual, antes de seu lapso em montanismo ou não. É certo, porém, que peregrinou por um tempo em Roma (ver De Cultu Fen c 7;.. Eusébio, HE 2, 2).

A transição para a " Montanismo 'ocorreu poucos anos depois de Tertuliano conversão 's, e cerca de 202 dC O ato, sem dúvida, teve a sua origem, na sua disposição excêntrico e rigorosos princípios morais, o que lhe predispostos a considerar que a heresia com favor e não gostar do Roman Igreja. Jerome atribui a motivos pessoais animado pelo ciúme e inveja do clero romano, e escritores modernos atribuíram isso à ambição desapontado. Sabemos, porém, que a disciplina penitencial da Igreja foi administrado em Roma, com superior frouxidão, e que tal indiferença era uma abominação aos olhos de Tertuliano(Philosophumena [ed Miller, Oxon 1851.]., 9: 290). Seguramente ele não considerou Montano como Paráclito. Ele reconheceu na última simplesmente um órgão inspirado do Espírito. Ele, ao invés de Montano, tornou-se o chefe do partido Montanistic na África, dando as suas opiniões indefinidos um caráter teológico e uma influência concedeu ao longo da vida da Igreja, e estabelecê-la em bases suficientemente sólidas para que este possa prolongar seu ser para baixo ao século 5. Ele morreu em idade avançada, entre 220 ​​dC e 240 A afirmação de que ele voltou para a Igreja Católica antes de morrer se, por vezes, mas não pode ser fundamentada, ea continuação da existência da seita de Tertulianoistas que parece contradizer a hipótese ( ver Neander, Tertull, p 462. [2d ed.];... agosto De Haer H. 86). 

É um fato significativo, e um argumento em favor da interpretação liberal da história antiga Igreja para a qual o protestantismo afirma, que foi precisamente este grande defensor da ortodoxia católica contra a heresia gnóstica, que era um cismático, a tal ponto que ele nunca foi incluído pela Igreja de Roma entre o número de seus santos, ou entre a dos patres como distinguir a mera scriptores Ecclesiastici.

Como escritor, Tertuliano era extremamente fresco e vigoroso, mas também angular, abrupto, e impetuoso. Ele possuía uma imaginação muito viva, um fundo de humor e sátira, bem como dos conhecimentos adquiridos, e profundidade e entusiasmo considerável; mas ele era deficiente no ponto de clareza lógica e autocontrole, bem como de moderação e de uma cultura profunda e harmoniosa. Ele era um pensador especulativo, embora o adversário amargo da filosofia. Sua mente aspirantes procurou em vão para a linguagem adequada para expressar-se, e lutava constantemente para forçar as idéias do cristianismo dentro das formas da língua latina. Seu estilo tornou-se, assim, extremamente violenta, nervosa, vívida, concisa e grávida. Seus adversários foram atacados sem piedade e com todas as armas da verdade e da arte, e quase sempre aparecem em seus escritos em situação ridícula. Ele era o oposto de Orígenes, mantendo a posição extrema de realismo nas fronteiras do materialismo. 

Ele era, além disso, o pioneiro da antropologia ortodoxa e soteriologia, o professor de Cipriano, e precursor de Agostinho, no último dos quais o seu espírito foi reproduzida em medida dupla, embora sem seus excentricidades e angulações. É possível, também, traçar semelhanças entre ele e Lutero em relação ao vigor natural da mente, profunda seriedade, paixão não regulamentada, implacabilidade polêmico, etc .; mas o pai não tinha a amabilidade infantil da Reformer, que era ao mesmo tempo um leão e um cordeiro.

Tertuliano escritos 's são geralmente de curta extensão, mas eles atravessam quase todos os campos da vida religiosa, e constituem a fonte mais prolífica para a história da Igreja e das doutrinas de seu tempo.Sem classificação satisfatória deles pode ser executado, pois, mas poucos deles oferecem as informações necessárias sobre a qual basear um esquema. A classificação aqui apresentada repousa sobre a natureza dos vários escritos como sendo ou católica ou anti-católica, em que a luz os primeiros são muito mais numerosos do que os últimos.

(I.) Escritos católicos, ou como defender o cristianismo ortodoxo contra os incrédulos e heréticos. - A maioria dessas obras datam do Montanista era da vida do autor.

. 1 Apologies contra os pagãos e judeus. - Primeiro de tudo, o Apologético, dirigido ao magistrado romano, AD 198 (Mohler) ou 204 (Kaye), e formando uma das melhores réplicas das acusações levantadas pelos pagãos do tempo contra o cristianismo. De natureza semelhante são o Ad Nationes Libri II. Em De Testimonio Animae o autor desenvolve um argumento para a unidade de Deus ea realidade de um estado futuro a partir das percepções e sentimentos da alma inatas. No Scapulam Ad trabalho que protesta com o governador Africano de mesmo nome, que foi amargamente a perseguir os cristãos. O Adversus Judmeos Liber chama do Velho-Test. profetas a prova de que o Messias apareceu na pessoa de Jesus de Nazaré (comp. Hefele, Tertull. als Apologet, na banheira. Quadrtalschriff, 1838, p. 30-82).

2. doutrina, e polêmico Destinado contra os hereges. - Aqui pertence, em primeiro lugar, o De Praescriptione Haereticorum, ou regras a serem observadas pelos cristãos em lidar com os hereges. O argumento envolve, como princípio fundamental, a idéia de que os hereges, como inovadores, estão sob a necessidade de comprovar suas posições, enquanto a Igreja Católica está assegurado em seu direito exclusivo de a fidelidade de-cristandade pela corrente ininterrupta da tradição apostólica e uma sucessão intacta, de modo que ele não precisa entrar em controvérsia com hereges. Após a deserção de montanismo, Tertuliano escreveu contra vários hereges individuais, por exemplo, no décimo quinto ano de Septímio Severo (AD 207 ou 208), Adversus Marcionem Libri V, sua mais extensa e aprendeu trabalho polemico-dogmático, e uma das principais fontes para o estudo do gnosticismo: - Adversus Hermogenem, um pintor de Cartago, que adotou a teoria dualista da eternidade da matéria: - Adversus Valentinianos, uma representação tragico-cómica do Valentiniano gnósticos: e Scolpiace, um antídoto contra o veneno scorpion- de tal hereges.

Doutrinas Particular Gnostical são, assaltado em De Baptismo, a defesa da água, o batismo contra o cainitas e sua teoria peculiar de um batismo espiritual mística: - De Anima, um inquérito sobre a natureza, etc, da alma: - De Carne Christi , uma defesa da verdadeira humanidade de Cristo: - e De resurrectione Carnis, uma refutação da heresia que negava a ressurreição do corpo. 

O trato Adversus Praxeam assalta a frígio Antimontanist Praxeas, e refuta os seus erros patri-Passionistas no interesse da visão ortodoxa da Trindade.

3. escritos éticos e ascética. - Esta classe é composta por obras de pequena dimensão, mas de grande valor para a regulação da vida prática e da administração da disciplina eclesiástica. A lista inclui, De Oratione, uma exposição da Oração do Senhor e regras para a oração e jejum: - De Spectaculis, uma advertência contra a apresentações teatrais: - De Idololatria: - Ad Uxorem Libri I., conselhos para a mulher a governar a sua acção em caso ela deve sobreviver a ele: - De Paenitentia, um católico e anti apresentação montanistic da doutrina do arrependimento, que datam do período anterior de sua vida cristã: De patientia, um elogio da virtude da paciência, acompanhado com uma lamentação por causa de sua própria falta de que a virtude: - Ad martyros, uma exortação dirigida aos confessores que na época de Septímio Severo aguardados. na prisão da morte do mártir.

(II). escritos anti-católicos, em que Montanistic Divergências da Alfândega Católica são expressamente defendida. De pudicitia, a retração dos princípios estabelecidos no trabalho anterior De Paenitentia e defesa violenta da vista rigoristic em que pecados mortais, como assassinato, adultério, e vôo de perseguição, nunca deve ser tolerado: - De monogamia, uma denúncia enfática de segundos casamentos (. comp Hauber, em Stud u Krit 1845, No. 3...): - De exhortatione castitatis, em que três graus de castidade são distinguidos o primeiro, absoluto e ao longo da vida contenção; o segundo, a continência a partir do momento do batismo; o terceiro, abstendo-se de contrair um segundo casamento: - De Virginibus velandis, denunciando o hábito de mulheres solteiras que aparecem em público revelado como sendo contrária à natureza, a vontade de Deus, ea disciplina da Igreja em geral: - De Habitu Muliebri et de Cultu Feminarum condena o adorno da pessoa por fêmeas, com enfeites, etc .: - De Jejuniis adversus Psycliicos (católicos) é uma defesa do jejum exagerado: - De Fuga nega o direito dos cristãos a fugir da perseguição: - De Corona Militis elogia soldado cristão que reequipada para usar o terço festivo em uma grande ocasião e sofreu o castigo por seu ato: - De Pallio é uma explicação espirituosa de sua conduta em usar o pálio em vez da toga romana comum, difícil para nós entender por causa de seus inúmeros alusões a obscurecer costumes da época.

Tertuliano lugar 's na história universal é determinado por (I) os seus dons intelectuais e espirituais, (2) sua força moral e fervor evangélico, (3) o curso de seu desenvolvimento pessoal, (4) as circunstâncias OF_ o tempo no meio dos quais ele trabalhou.

(I) Tertuliano era um homem de grande originalidade e gênio, caracterizada pelo pathos mais profundo, a fantasia mais animada, eo entusiasmo mais penetrante, e foi dotado com a capacidade de se apropriar e fazer uso de todos os métodos de observação e especulação, e com a sagacidade mais pronto. Seus escritos em tom e caráter são sempre iguais "rico em pensamento e destituído de forma, apaixonado e hair-splitting, eloquente e incisivo na expressão, enérgico e condensado até o ponto de obscuridade." 

Seu estilo tem sido caracterizada com a justiça tão escuro e resplandecente como o ébano. Sua eloqüência era da ordem veemente; mas vence ouvintes e leitores pela força da sua paixão, a energia da sua verdade, a gravidez ea elegância da sua expressão, tanto quanto repele-os por seu calor, sem luz, seus argumentaiions sofistas, e seus elaborados de cabelo parcelamentos . Embora ele está querendo com moderação e no calor luminoso, os tons não são de forma sempre duras; e como um autor que já aspirou com saudades de humildade e amor e paciência, apesar de toda a sua vida foi vivida na atmosfera de conflito. Tertuliano tanto como homem e como escritor tinha muito em comum com o apóstolo Paulo.

(2) Apesar de todas as contradições em que envolveu-se como um pensador e como professor,Tertuliano era uma personalidade ética compacto. O que ele era, ele estava com todo o seu ser. Uma vez que um cristão, ele estava determinado a ser assim com toda a sua alma, e para agitar-se livre de todas as meias medidas e compromissos com o mundo. Não é difícil colocar um dedo em cima de muitos vieses, auto-enganos e sofismas em Tertuliano em questões de pormenor, pois ele lutou durante anos para conciliar as coisas que eram em si mesmos irreconciliável; No entanto, em cada caso, as perversidades e sofismas foram bastante o resultado das difíceis circunstâncias peculiares em que ele estava. É fácil condená-lo por não ter controlar a paixão incandescente que estava nele. Ele é muitas vezes escandalosamente injusto na substância do que ele diz, e de forma dura ao cinismo, desprezo a truculência; mas em nenhuma batalha que ele lutou foi que ele já actuado por interesses egoístas. 

O que ele fez foi realmente feito para o Evangelho, como ele o entendia, com todas as faculdades de sua alma.Mas ele entendeu o Evangelho como sendo principalmente uma esperança segura e uma santa lei, como o medo do juiz, que pode lançar no inferno e como uma regra inflexível da fé e da disciplina. Da liberdade da glória dos filhos de Deus ele não tinha nada, mas um mero pressentimento; ele olhou para ele só no mundo além-túmulo, e sob o poder do Evangelho que considerei perda por todo o mundo pode dar. Ele bem compreendido o significado das palavras de Cristo dizendo que Ele não veio ao mundo para trazer a paz, mas a espada: em um período em que um espírito negligente de conformidade com o mundo tinha apreendido as igrejas que mantinham o "vigor evangelicus" não apenas contra o gnósticos, mas contra os oportunistas e um clero mundano-sábio. Entre todos os pais dos três primeiros séculos Tertuliano deu a expressão mais poderosa para a terrível seriedade do Evangelho.

(3) O curso de Tertuliano desenvolvimento pessoal 's lhe caía em um grau completamente notável para ser um mestre da igreja. Nascido em Cartago de boa família - seu pai era um "centurio pro consularis" - ele recebeu uma educação de primeira classe, tanto em latim e em grego. Ele foi capaz de falar e escrever grego, e dá evidência de familiaridade tanto com a sua prosa e com a sua poesia; e sua excelente memória - embora ele próprio reclama - permitiu-lhe sempre para trazer no lugar certo um caso, muitas vezes brilhante, cotação ou alguma alusão histórica. Os antigos historiadores, de Heródoto com Tácito, eram familiares a ele, ea precisão de seu conhecimento histórico é impressionante. Ele estudou com zelo ardente os filósofos gregos; Platão, em particular, e os escritos dos estóicos, ele tinha plena ao comando, e seu tratado De Anima mostra que ele mesmo era capaz de investigar e discutir os problemas filosóficos. A partir dos filósofos ele tinha sido levado para os escritores médicos, cujos tratados claramente tinha um lugar em sua biblioteca de trabalho. Mas nenhuma parte desse rico acervo de conhecimentos diversos deixou sua impressão característica em seus escritos; essa influência foi reservado para sua formação jurídica. Seu pai, cujo espírito militar revela-se em todo o rolamento deTertuliano , a quem o cristianismo era acima de tudo uma "milícia", havia destinado para a lei.

 Estudou em Cartago, provavelmente, também em Roma, onde, de acordo com Eusébio, que teve a reputação de ser um dos mais eminentes juristas. Esta afirmação deriva confirmação do Digest, onde são feitas referências a duas obras, De Castrensi pecúlio e Quaestionum Libri VIII., de um jurista romano chamadoTertuliano , que deve ter floresceu cerca de 180 dC Na verdade o defensor quondam nunca desapareceu na presbítero cristão. Este era ao mesmo tempo sua força e sua fraqueza: sua força, como um defensor profissional que ele tinha aprendido a lidar com um adversário de acordo com as regras da arte - para puxar em pedaços as suas teses, para reduzi-lo ad absurdum, e mostrar os defeitos e contradições de seus depoimentos, - e foi especialmente qualificada para expor as irregularidades nos procedimentos realizados pelo Estado contra os cristãos; mas era também sua fraqueza, pois era responsável por sua litigiosidade, suas mudanças, muitas vezes duvidosos e artifícios, seus sofismas eargumentationes ad hominem, suas falácias e surpresas. Em Roma, na idade madura Tertuliano se tornou um cristão, em que circunstâncias nós não sabemos, e imediatamente ele se inclinou-se com toda a sua energia para o estudo das Escrituras e de literatura cristã. Não só ele foi mestre do conteúdo da Bíblia: ele também ler atentamente as obras de Hermas, Justino, Taciano, Milcíades, Melito, Irineu, Proculus, Clement, assim como muitos tratados gnósticos, escritos de Marcião, em particular. 

Em apologética seu principal mestre foi Justin, e em teologia propriamente dita e na polêmica com os gnósticos, Irineu. Como pensador, ele não era original, e até mesmo como um teólogo que ele produziu, mas são poucos os regimes de doutrina, exceto a sua doutrina do pecado. Seu dom especial estava no poder de fazer o que tinha sido recebido tradicionalmente impressionante, para dar a ele sua boa forma, e ganhar por isso nova moeda. De Roma Tertuliano visitou a Grécia e talvez também na Ásia Menor; de qualquer forma, sabemos que ele teve relações temporárias com as igrejas de lá. Ele foi, portanto, colocado em uma posição em que ele pudesse verificar a doutrina ea prática da Igreja Romana. Assim equipado com o conhecimento e experiência, voltou a Cartago e lá lançou as bases da literatura cristã latina. Na primeira, após sua conversão, ele escreveu grego, mas aos poucos Latina quase que exclusivamente. Os elementos dessa linguagem cristã Latina podem ser enumerados da seguinte forma: - (i). Que teve a sua origem, não na língua literária de Roma como desenvolvido por Cícero, mas na língua do povo como a encontramos em Plauto e Terêncio ; (. Ii) tem uma tez Africano; (Iii.) É fortemente influenciado pelo grego, nomeadamente através da tradução latina da Septuaginta e do Novo Testamento, além de ser polvilhado com um grande número de palavras gregas derivadas das Escrituras ou das liturgias gregas; (Iv.) Que traz a marca do estilo gnóstico e contém também algumas expressões militares;(V.) Que deve algo ao poder criativo original do Tertuliano . Quanto à sua teologia, seus fatores principais foram - os ensinamentos dos apologistas; (i). (Ii). A filosofia dos estóicos; (Iii). A regra de fé, interpretada em sentido anti-gnóstico, como ele tinha recebido da Igreja de Roma; (Iv). Teologia soteriológica de Melito e Irineu; (V.) O teor das declarações dos profetas Montanist (nas últimas décadas de sua vida). 

Esta análise não revelar, nem mesmo é possível descobrir, qual foi o elemento determinante para Tertuliano ; na verdade, ele estava sob o domínio de mais de um princípio dominante, e ele se sentiu obrigado por várias autoridades mutuamente opostas. Era seu desejo de unir o cf entusiasmo primitivo cristianismo com o pensamento inteligente, as exigências originais do Evangelho com todas as letras das Escrituras e com a prática da igreja romana, os ditos do Paráclito, com a autoridade dos bispos, a lei das igrejas com a liberdade da inspiração, a disciplina rígida do Montanista com todas as declarações do Novo Testamento e com os arranjos de uma igreja buscando constituir-se dentro do mundo. Nessa tarefa, ele trabalhava há anos, envolvido em contradições que tomou toda a habilidade consumada do jurista para esconder dele por um tempo. Por fim, ele se sentiu obrigado a romper com a igreja para a qual ele viveu e lutou; mas a violação não poderia livrá-lo das contradições em que ele se viu enredado. Não só o grande abismo entre o velho cristianismo, para que sua alma se agarrou, eo cristianismo das Escrituras como juristically e filosoficamente interpretados permanecem sem ponte; ele também se agarrou rápido, apesar de sua separação da Igreja Católica, a sua posição de que a igreja possui a verdadeira doutrina, que os bispos por successionem são os repositórios de graça do magistério, e assim por diante.

 A violência crescente de seus últimos trabalhos é de ser contabilizados, não só pela sua indignação contra a queima de secularização sempre em avanço da Igreja Católica, mas também por razões de incompatibilidade entre as autoridades que ele reconheceu e ainda não foi capaz de conciliar. Depois de ter feito a batalha com os pagãos, judeus, Marcionites, gnósticos, Monarchians, e os católicos, ele morreu um homem velho, levando com ele para o túmulo os últimos restos do cristianismo primitivo, no Ocidente, mas, ao mesmo tempo em conflito consigo mesmo .

(4) O que acaba de ser dito traz muito claramente como é importante na sua relação com Tertulianodesenvolvimento 's foram as circunstâncias da época em que ele trabalhou. Sua atividade como um cristão cai entre 190 e 220, um período de grande momento na história da Igreja Católica; para dentro de si a luta com o gnosticismo foi levado a um fim vitorioso, o Novo Testamento estabeleceu uma base firme dentro das igrejas, as regras "apostólicos", que daí em diante regulamentados todos os assuntos da igreja foram chamados à existência, eo sacerdócio eclesiástica veio a ser desenvolvido. Dentro deste período também se essa reação evangélica e legal contra as tendências políticas e seculares da igreja, que é conhecido como montanismo.

 O mesmo Tertuliano que haviam fortificado da Igreja Católica contra o gnosticismo não era menos ansioso para protegê-lo de tornar-se uma organização política. Ser incapaz de conciliar incompatíveis, ele rompeu com a Igreja e tornou-se o mais poderoso representante do montanismo no Ocidente.

Embora Tertuliano obras existentes 's são numerosos e abundante, o nosso conhecimento de sua vida é muito vago. Ele não pode ter nascido muito mais tarde do que cerca de 150 Sua atividade como jurista em Roma deve estar dentro do período de Commodus; pois não há indicação em seus escritos que ele estava em Roma no tempo de Marco Aurélio, e muitas passagens parece impedir a suposição. A data de sua conversão ao cristianismo é bastante incerto; há muita coisa a favor dos anos entre 190 e 195 quanto tempo ele permaneceu em Roma, depois de se tornar um cristão, se ele tinha alcançado qualquer cargo na igreja antes de deixar Roma, que foi a data da sua visita à Grécia - sobre esses pontos Também permanecemos na ignorância. É certo que ele foi liquidado em Cartago, na segunda metade do 197, a data de sua escrever seu Apologeticus e (pouco depois) seus dois livros nationes de anúncios; sabemos também que ele se tornou um presbítero em Cartago e era casado. Seu reconhecimento da profecia Montanistic na Frígia como uma obra de Deus ocorreu em 202-203, no momento em que uma nova perseguição começou. 

Para os próximos cinco anos foi o seu esforço constante para garantir a vitória para o Montanismo dentro da igreja; mas neste ele se envolveu cada vez mais profundamente em conflito com a maioria da igreja em Cartago e, especialmente, com seu clero, que teve o apoio do clero de Roma.Como escreve Jerônimo ( De vir doente.. 53):. .` usque ad mediam aetatem presbítero fuit ecclesiae Africanae, invidia postea et conturneliis clericorum Romanae ecclesiae ad Montani dogma delapsus "Em seu rompimento com a Igreja Católica, provavelmente em 207-208 , ele se tornou o chefe de uma pequena comunidade Montanista em Cartago. Nesta posição, ele continuou a trabalhar, a escrever, e para atacar os católicos frouxos e seu clero, pelo menos até o tempo do bispo Calisto, no reinado de Heliogábalo. No ano de . sua morte é incerta Jerome ( . sup ut) diz: ". Fertur vixisse usque ad decrepitam aetatem" que ele voltou, finalmente, para o seio da Igreja Católica é uma mera lenda, o motivo de o que é óbvio, seus partidários após sua morte continuou a manter-se como uma pequena comunidade em Cartago Apesar de ter deixado a igreja, seus primeiros escritos continuaram a ser lido extensivamente;. e, no século 4o suas obras, juntamente com os de Cipriano, eram a principal leitura dos cristãos ocidentais, até que foram substituídos pelos de Jerônimo, Ambrósio, Agostinho e Gregório. 

Jerome incluiu-o em seu catálogo de Christian "illustres viri", mas apenas como um católico a quem referência deve ser feita com cautela. " As obras de Tertuliano , sobre a cronologia dos quais uma grande parte foi escrito, e que na maioria das vezes não admitem ser datado com absoluta certeza, se enquadram em três classes - o apologético, defendendo o cristianismo contra o paganismo e do judaísmo; o polêmico dogmática, refutando as heresias e hereges; eo asceta ou prático, lidando com pontos de moralidade e disciplina da igreja. No ponto do tempo também três períodos podem ser facilmente distinguidas, os anos 202-203 e 207-208 constituindo as divisões. Alguns dos livros que escreveu, infelizmente, desapareceu - em particular o De Spectaculis, De baptismo, e De virginibus velandis em grego; suas obras em latim sobre os mesmos assuntos sobreviveram.

I. obras que datam de antes de 202-203. - Para esta classe pertencem a Apologeticus (197) e os dois livros nationes anúncios, De Spectaculis, De idololatria, De cultu feminarum Libri II, De animae testimonio. (escrito logo após a Apologeticus), Ad. Martyres (talvez o mais antigo de todos), De baptismo haereticorum (hoje perdido), De baptismo, De poenitentia, De oratione (os três últimos escritos para os catecúmenos), De patientia, Ad uxorem Libri II., De Praescriptione haereticorum, e Adv. Marcionem (na sua primeira forma). O Apologeticus, que no século 3 foi traduzido para o grego, é a obra de maior peso na defesa do cristianismo dos primeiros dois séculos. Dispõe de as acusações apresentadas contra os cristãos para crimes secretos (incesto, & c.) 

E os crimes públicos (desprezo da religião do Estado e alta traição), e afirma a superioridade absoluta do cristianismo como uma religião revelada além da rivalidade de todos os sistemas humanos.

"Compare também o julgamento de Hilary e de Vicente de Lerins, Commonit., 24.

Respeitando sua relação com o Octavius ​​de Minucius Felix muito tem sido escrito; para o presente escritor parece inquestionável que Tertuliano trabalho 's foi o mais tarde. De grande momento é também o haereticorum Praescriptione De, em que o jurista é mais claramente ouvida do que o cristão. É o chefe das obras dogmáticas ou polêmicos, e governa o acusador fora do tribunal logo no início do caso. O De Spectaculis e De idololatria mostram que Tertuliano já foi, em certo sentido uma Montanista antes de ir formalmente até aquele credo; Por outro lado, o seu De poenitentia prova que suas opiniões anteriores sobre a disciplina da igreja eram muito mais tolerante do que o seu mais tarde. Para aprender alguma coisa de seu temperamento cristão devemos ler a oratione De e De patientia. The De baptismo é de especial interesse do ponto de vista arqueológico.

II. Obras escrito entre 202-203 e 207-208. --De Virginibus velandis, De militis corona, De fuga em persecutione, De exhortatione castitatis, De Scorpiace (um livreto contra os gnósticos, a quem ele se compara com escorpiões; está escrito em louvor do martírio), Adversus Hermogenem, De Censu animae adv . Hermogenem (perdido), Adv. Valentinianos, Adv. Apelleiacos (perdido), De paradiso (perdido), de Fato (perdido), De anima (o primeiro livro sobre psicologia cristã), De carne Christi, De carnis resurrectione, e De spe fidelium (perdido), foram todos escritos depois de Tertuliano teve reconheceu as reivindicações proféticas das Montanistas, mas antes que ele havia deixado a igreja.

III. FUNCIONA ATÉ 207-208.

Para este período pertencem os cinco livros Adv. Marcionem, sua obra principal anti-gnóstico (na terceira forma - o primeiro dos cinco foi escrito em 207-208), Ad Scapulam (uma advertência para o procônsul perseguidor da África, escrito logo após 212), De pallio (a defesa de sua vestindo o pálio em vez da toga),Adv. Praxean (sua principal obra contra os Monarchians) e Adv. Judaeos, caps. ix. - Xiv. de que são uma conclusão por outra e mão menos hábil. As últimas obras existentes de Tertuliano (tudo depois de 217) são seus escritos polêmicos contra a flacidez dos católicos, cheios de ataques ferrenhos, especialmente sobre Calisto, o bispo de Roma; estes são De monogâmico, De jejunio, De pudicitia, e De ecstasi Libri VII. (perdido). Os argumentos contra a autenticidade de alguns dos escritos acima não parece o presente autor a ter peso. É bem possível que Tertuliano foi o autor da Acta perpetuae et felicitatis, mas ele não escreveu o adv Libellus. omnes haereses muitas vezes anexados De Praescriptione; ou os poemas adv.Marcionem, De Sodoma, De Jona, De Genesi, De judicio Domini, ou o fragmento De execrandis gentium diis; ou o De Trinitate e De CIBIS Judaicis de Novaciano.

 

fonte Enciclopedia of Biblical, Theological e Literatura Eclesiástica 1870